Вы находитесь на странице: 1из 37

Joachim de Fiore

Este artigo precisa de citações adicionais para


verificação . Saber mais

Joachim de Flora, em uma xilogravura do século XV.

Joaquim de Fiore , também conhecido


como Joaquim de Flora e em italiano
Gioacchino da Fiore (c. 1135 - 30 de
março de 1202), foi um teólogo italiano e
fundador da ordem monástica de San
Giovanni in Fiore . Seguidores
posteriores, inspirados por suas obras
em escatologia e teorias historicistas ,
são chamados de joaquimitas .

Biografia
Nascido na pequena aldeia de Celico
perto de Cosenza , na Calábria (na época
parte do Reino da Sicília ), Joachim era
filho de Mauro, um notário bem
colocado, e de Gemma, sua esposa. Ele
foi educado em Cosenza, onde ele se
tornou primeiro um funcionário nos
tribunais e, em seguida, um notário
próprio. Em 1166-1167 trabalhou para
Stephen du Perche , arcebispo de
Palermo (c. 1167-1168) e conselheiro de
Margaret de Navarra , regente para o
jovem William II da Sicília .

Um afresco de 1573 retratando Gioacchino da Fiore,


na Catedral de Santa Severina , Calábria, Itália

Por volta de 1159, ele foi em


peregrinação à Terra Santa , um episódio
sobre o qual muito pouco se sabe,
exceto que sofreu uma crise espiritual e
conversão em Jerusalém que o afastou
de uma vida mundana. Quando ele
retornou, ele viveu como eremita por
vários anos, peregrinando e pregando
antes de se juntar à abadia cisterciense
de Sambucina perto de Luzzi, na
Calábria, como um irmão leigo, onde
dedicou seu tempo para pregar. Sob
pressão das autoridades eclesiásticas,
ele se juntou aos monges da Abadia de
Corazzoe foi ordenado sacerdote,
aparentemente em 1168. Ele aplicou-se
inteiramente ao estudo bíblico, com uma
visão especial para descobrir os
significados misteriosos que ele achava
que estavam escondidos nas Escrituras,
especialmente na Revelação do apóstolo
João . Para seu espanto, os monges de
Corazzo proclamaram-no seu abade (c.
1177). Ele então tentou se juntar ao
mosteiro para a Ordem de Cister , mas
foi recusado por causa da pobreza da
comunidade. No inverno de 1178, ele
apelou pessoalmente a Guilherme II, que
concedeu aos monges algumas terras.

Em 1182, Joaquim apelou ao papa Lúcio


III , que o livrou do cuidado temporal de
sua abadia e aprovou calorosamente sua
obra, pedindo-lhe que continuasse em
qualquer mosteiro que julgasse melhor.
Joachim passou o ano e meio seguinte
na Abadia Cisterciense de Casamari ,
onde se dedicou a escrever seus três
grandes livros, seus ditados mantendo
três escribas ocupados noite e dia; lá o
jovem monge Lucas (depois arcebispo
de Cosenza ), que agia como seu
secretário, ficou surpreso ao ver um
homem tão famoso e eloqüente usando
esses farrapos, e a maravilhosa devoção
com a qual ele pregou e celebrou a
missa.

Em 1184 ele estava em Roma,


interpretando uma obscura profecia
encontrada entre os papéis do cardeal
Mateus de Angers, e foi encorajado pelo
papa Lúcio III . Sucessos papas
confirmaram a aprovação papal, embora
seus manuscritos não tivessem
começado a circular. Joaquim se retirou
primeiro para a Ermida de Pietralata,
escrevendo o tempo todo, e então
fundou a Abadia de Fiore ( Flora ) nas
montanhas da Calábria. Ele recusou o
pedido do Rei Tancredo da Sicília (r.
1189–1194) para transferir sua nova
fundação religiosa para o atual mosteiro
cisterciense de Santa Maria della Matina
.

Na Sexta-feira Santa, em 1196, a


Imperatriz Constance , também rainha da
Sicília, convocou Joaquim de Fiore a
Palermo para ouvir sua confissão na
Capela Palatina . Inicialmente a
imperatriz sentou-se numa cadeira
elevada, mas quando Joachim lhe disse
que, como estavam nos lugares de Cristo
e Maria Madalena , ela precisava se
abaixar, sentou-se no chão. [1]

Fiore tornou-se o centro de um novo e


mais rigoroso ramo da ordem
cisterciense, aprovado por Celestino III
em 1198.

Em 1200, Joachim submeteu


publicamente todos os seus escritos ao
exame de Inocêncio III , mas morreu em
1202 antes que qualquer julgamento
fosse aprovado. A santidade de sua vida
era amplamente conhecida: Dante
afirmou que milagres foram feitos em
sua tumba, [2] e, embora nunca
oficialmente beatificado, ele ainda é
venerado como beatus em 29 de maio.

Ele teorizou a aurora de uma nova era,


baseada em sua interpretação de versos
no livro do Apocalipse , em que a Igreja
seria desnecessária e na qual os infiéis
se uniriam aos cristãos. Os membros da
ala espiritual da ordem franciscana o
aclamaram como profeta.

Sua popularidade foi enorme no período,


e algumas fontes sustentam que Ricardo
Coração de Leão desejava encontrá-lo
para discutir o Livro de Apocalipse antes
de partir para a Terceira Cruzada de
1189–1192.

Seu famoso diagrama tridimensional de


círculos entrelaçados "IEUE" foi
influenciado pelo diagrama de três
círculos de Tetragrammaton-Trinity de
Petrus Alphonsi , e por sua vez levou ao
uso dos anéis borromeanos como um
símbolo da Trindade Cristã (e
possivelmente também influenciou o
desenvolvimento do diagrama do Escudo
da Trindade ). [3]

Teoria das três eras


A base mística de seu ensino é sua
doutrina do "evangelho eterno", fundada
em uma interpretação de Apocalipse 14:
6 (Apocalipse 14: 6, "Então eu vi outro
anjo voando no meio do céu, com um
evangelho eterno para proclamar
àqueles que viva na terra - para todas as
nações, tribos, línguas e pessoas.
"Tradução de NRSV.).

Suas teorias podem ser consideradas


milenaristas ; ele acreditava que a
história, por analogia com a Trindade ,
estava dividida em três épocas
fundamentais:

A Era do Pai , correspondente ao


Antigo Testamento , caracterizada pela
obediência da humanidade às regras
de Deus;
A Era do Filho , entre o advento de
Cristo e 1260, representada pelo Novo
Testamento , quando o homem se
tornou o filho de Deus;
A Era do Espírito Santo , iminente,
introduzida por um Anjo com uma
espada , quando a humanidade deveria
entrar em contato direto com Deus,
alcançando a liberdade total pregada
pela mensagem cristã. O Reino do
Espírito Santo, uma nova dispensação
do amor universal, procede do
Evangelho de Cristo, mas transcende a
letra dele. Nesta nova Era, a
organização eclesiástica seria
substituída e a Ordem dos Justos
governaria a Igreja. Esta Ordem do
Justo foi posteriormente identificada
com a ordem franciscana pelo seu
seguidor Gerardo de Borgo San
Donnino .

De acordo com Joachim, somente nesta


terceira Era será possível realmente
entender as palavras de Deus em seus
significados mais profundos, e não
apenas literalmente. Nesse período, em
vez da parousia (segundo advento de
Cristo), uma nova Época de paz e
concórdia começaria; também, uma nova
"ordem" religiosa de homens espirituais
surgirá, tornando a atual hierarquia da
Igreja quase desnecessária.
Joachim distinguiu entre o "reino da
justiça" ou da "lei", em uma sociedade
imperfeita, e o "reino da liberdade" em
uma sociedade perfeita. [4]

Condenação
Tomás de Aquino confutou suas teorias
em sua Summa Theologica , mas na
Divina Comédia , Dante Alighieri o
colocou no paraíso. Entre os espirituais,
o ramo mais estrito dos franciscanos ,
surgiu um grupo dos Joaquitas, muitos
dos quais viram o Anticristo já no mundo
na pessoa de Frederico II, Sacro
Imperador Romano (que morreu em
1250).
À medida que o ano designado se
aproximava, obras espúrias começaram
a circular sob o nome de Joachim: De
Oneribus Prophetarum, um Expositio
Sybillae et Merlini ("Exposição da Sibila e
Merlin ") e comentários sobre as
profecias de Jeremias e Isaías. O Quarto
Conselho do Laterano , em 1215,
condenou algumas de suas idéias sobre
a natureza da Trindade. Em 1263, o
arcebispo Fiorenzo reforçou a
condenação de seus escritos e de seu
seguidor Gerardo de Borgo San Donnino ,
juntando-se a uma comissão no Sínodo
de Arles , na qual as teorias de Joachim
foram declaradas heréticas.. A acusação
era de ter uma visão pouco ortodoxa da
Santíssima Trindade .

Seus pontos de vista também inspirou


vários movimentos subsequentes: as
Amalricians , o dolcinianos eo Irmãos do
Espírito Livre . Todos estes foram
eventualmente declarados heréticos pela
Igreja Católica.

De importância é o fato de que o próprio


Joaquim nunca foi condenado como
herege pela Igreja; em vez disso, as
idéias e movimentos que o cercavam
foram condenados. Joachim, o homem,
foi muito respeitado durante sua vida.
Referências literárias
O conto de WB Yeats "As Mesas da Lei"
conta sobre uma única cópia
sobrevivente de um certo livro de
Joachim de Flora e seus efeitos
poderosos sobre seu dono. [5]

Joachim é mencionado no mistério


medieval de Umberto Eco , O Nome da
Rosa . Sua influência sobre os Espíritos
Franciscanos e a redescoberta de seus
livros prevendo o advento de uma nova
era fazem parte da história de fundo do
livro, na qual um debate inquisitorial é
realizado em um monastério remoto,
onde vários assassinatos acontecem.
A extensa conspiração de perna-puxada
chamou o Illuminatus! trilogia de
romances de Robert Anton Wilson e
Robert Shea também fazem referência a
Joachim de Fiore repetidamente. Seus
escritos se encaixam bem com o tom
escatológico da história. Os autores
tentam confundir as coisas e dar um ar
de autenticidade à loucura dos vários
enredos, incluindo referências a pessoas
e eventos reais.

Um trote circulou dizendo que Barack


Obama se referiu à terceira idade de
Joachim em seus discursos de
campanha durante a eleição presidencial
de 2008 . [6] Diz-se que ele falou dele
como um mestre da civilização
contemporânea que procurou criar um
mundo melhor, [7] mas não há nenhuma
evidência que Obama citou ou
mencionou Joachim. [8]

Works

Dialogi de prescientia Dei


Liber Concordiae Novi ac Veteris
Testamenti ( Harmonia do Velho e Novo
Testamento / Livro de Concordância ),
concluído em 1200. [9]
Expositio em Apocalipsim ( Exposição
do Livro do Apocalipse ), terminou por
volta de 1196–1199. O Liber
introductoris em Apocalypsim , às
vezes citado como um trabalho
separado, forma uma introdução a
isso. [10]
Psalterium Decem Cordarum ( Salmo
de Dez Cordas ). [11]
Tractatus super quatuor Evangelia (
Tratado dos quatro Evangelhos ). [12]

Trabalhos menores incluem:


Genealogia ( Genealogia ), escrita por
volta de 1176. [13]
De prophetia ignota , datável de 1184.
[14]

Adversus Judeos (também conhecido


como Exhortatorium Iudeorum ),
provavelmente escrito no início dos
anos 1180. [15]
De articulis fidei , provavelmente
escrito no início dos anos 1180. [16]
Professio fidei , provavelmente escrito
no início dos anos 1180. [17]
Tractatus em exposição vite et regule
Beati Benedicti , sermões pertencentes
ao final da década de 1180. [18]
Praephatio super Apocalipsim . Escrito
por volta de 1188 a 1192. [19]
Intelligentia super calathis . Escrito em
1190-1. [20]
De ultimis tribulationibus , que é um
sermão curto de Joachim. [21]
Enchiridion super Apocalypsim . Escrito
em 1194-6, esta é uma versão anterior
e mais curta do Liber introductorius
que prefacia o Expositio de Joaquim
em Apocalipsim . [22]
De septem sigillis . É incerto quando
isso foi escrito. [23]
O Liber figurarum foi elaborado em
conjunto logo após a morte de
Joachim em 1202, e é uma coleção de
24 'figurae' desenhada por Joachim. O
nome foi usado em manuscritos do
século XIII para descrever um trabalho
atribuído a Joaquim de Fiore, mas foi
somente em meados do século XX
que foi identificado em relação a três
manuscritos existentes. [24]
O conjunto de pseudo-profecias do
final do século XIII, unido a uma série
posterior sob o título Vaticinia de
Summis Pontificibus, foi falsamente
atribuído a Joaquim de Fiore sem
qualquer base na verdade. [25]

Veja também
Culto do Espírito Santo
Ernesto Buonaiuti (um dos primeiros
pesquisadores em Joachinism)
Lista de místicos cristãos
Vaticinia de Summis Pontificibus

Notas
1. A festa de Saint Abraham:
Millenarians medievais e os judeus,
p. 12, Capítulo 1, Robert E. Lerner
2. Veja uma referência a Joachim em
Paradiso XII.141-2.
3. "Anéis de Borromean na iconografia
cristã" . Liv.ac.uk. 2007-07-27.
Arquivado desde o original em
2012-04-14 . Retirado 2012-04-07 .
4. Eric Hobsbawm , rebeldes primitivos
, introdução, biblioteca de Norton
1965, p. 11
5. "Tabelas da lei; & a adoração dos
Magos". Projeto Gutenberg.
Recuperado em 11 de junho de
2015.
6. "Itália: Obama convidou para visitar
a terra do monge que o inspirou" .
AKI . Adnkronos International - Itália.
28 de agosto de 2008 . Retirado
2009-03-30 .
7. Owen, Richard (27 de março de
2009). "O monge medieval saudado
por Barack Obama era um herege,
diz o Vaticano" . The Times .
Londres . Retirado 2009-03-27 .
8. madeira, Cindy (2009-03-30). "O
pregador papal, Obama e um monge
medieval" . Washington, DC:
Catholic News Service . Retirado
2012-06-12 .
9. A 1519 edição de Veneza foi
reimpresso em Frankfurt-am-Main
em 1964. Livros 1-4 estão
disponíveis em Daniel, ER (1983).
"Liber De Concórdia Novi Ac Veteris
Testament". Transações da
Sociedade Filosófica Americana .
Filadélfia: Sociedade Filosófica
Americana. 73 (8).. O livro V
permanece disponível apenas na
edição de 1519 (e 1964).
10. A 1527 edição de Veneza foi
reimpresso em Frankfurt-am-Main
em 1964.
11. A 1527 edição de Veneza foi
reimpresso em Frankfurt-am-Main,
1965. Um texto mais moderno Latina
está em Joachim von Fiore,
Psalterium decem cordarum , ed.
Kurt-Victor Selge. (Monumenta
Germaniae Historica, Quellen zur
Geistesgeschichte des Mittelalters,
20; Ioachimi Abbatis Florensis Opera
Omnia, 1.) Hannover: Hahnsche
Buchhandlung, 2009.
12. O texto latino está em Tractatus
super quatuor Evangelia di
Gioacchino da Fiore , ed. por E.
Buonaiuti (Roma, 1930).
13. Potestà, GL (2000). " ' Genealogia
Die. Ein frühes Werk Joachims de
Fiore und die Anfänge seines
Geschichtsbildes ' ". Deutsches
Archiv für Erforschung des
Mittelalters . 56 : 55-101. ISSN
 0012-1223 .
14. Matthias Kaup, ed, De prophetia
ignota: eine frühe Schrift Joachims
von Fiore , (Hannover: Hahnsche
Buchhandlung, 1998).
15. O texto Latin está em Adversus
Iudeos di Gioacchino da Fiore , ed. A.
Frugoni (Roma, 1957).
16. O texto Latin está em De articulis
fidei di Gioacchino da Fiore. Scritti
minori , ed. por E. Buonaiuti (Roma,
1936).
17. Professio fidei , em P de Leo, ed,
Gioacchino da Fiore. Aspetti inediti
della vita e delle opere , Soneria
Mannelli 1988, pp. 173-175.
18. O texto Latina é em C Baraut, 'un
tratado inédito de Joaquin de Flore:
De Vita et sancti Benedicti de ofício
divino secundum eius doctrinam ',
Analecta sacra Tarraconensia , 24
(1951), pp 33-122..
19. Praephatio super Apocalipsim , em
KV Selge, ed, 'Eine Einführung
Joachim von Fiore in the
Johannesapokalypse', Deutsches
Archiv für Erforschung des
Mittelalters , 46 (1990), pp. 85-131.
20. Intelligentia super calathis ad
abbatem Gafridum , em P de Leo, ed,
Gioacchino da Fiore. Aspetti inediti
della vita ee delle opere , Soveria
Mannelli, 1988, pp 125-148.
21. O texto Latin é imprimido em KV
Selge, ed, 'Ein Traktat Joachims von
Fiore über die Drangsale der Endzeit:
De ultimis tribulationibus ', Florensia
7 (1993), pp 7-35. A tradução para o
inglês está em E. Randolph Daniel,
"Abade Joachim de Fiore: O De
ultimis tribulationibus", em A
Williams, ed, Profecia e Milenarismo:
Ensaios em Honra de Marjorie
Reeves , (Harlow: Longmans, 1980),
167-189 .
22. O texto Latin está no hamburguer de
Edward Kilian, ed, Joachim de Fiore,
Enchiridion super Apocalypsim ,
estudos e textos, 78, (Toronto:
Instituto Pontifical de estudos
medievais, 1986).
23. H Reeves e B Hirsch-Reich, eds, 'os
sete selos nos textos de Joachim de
Fiore', Recherches de théologie
ancienne et médiévale 21 (1954), pp
239-247.
24. Marjorie Reeves e Beatrice Hirsch-
Reich, o Figurae de Joachim de Fiore
, (1972). Por exemplo, veja
http://www.centrostudigioachimiti.it/
Gioacchino/GF_Tavoleeng.asp .
25. "Frank Schleich, Ascende calve: a
série mais atrasada das profecias do
papa medieval" . Retirado
em 2 de setembro de 2016 .

Outras leituras
Thomas Gil, "Zeitkonstruktion als
Kampf- und Protestmittel: Reflexionen
über Joachim von Fiore
Trinitätstheologische
Geschichtskonstruktion und deren
Wirkungsgeschichte." Em Construções
do Tempo no final da Idade Média , ed.
Carol Poster e Richard Utz (Evanston,
IL: Northwestern University Press,
1997), pp. 35-49.
Henri de Lubac , La Postérité spirituelle
de Joachim de Flore , Lethielleux, 1979
e 1981 (em francês)
Marjorie Reeves , Joachim de Fiore & o
futuro profético: um estudo medieval
no pensamento histórico , Stroud:
Sutton Pub., 1999.
Matthias Riedl, Joachim von Fiore.
Denker der vollendeten Menschheit ,
Koenigshausen & Neumann, 2004. (em
alemão)
Gian Luca Potestà, O Tempo
dell'apocalisse - Vita di Gioacchino da
Fiore , Laterza, Bari, 2004.
Valeria de Fraja, Oltre Cîteaux.
Gioacchino da Fiore e bom florense ,
Viella, Roma 2006.
E. Randolph Daniel, Abade Joachim de
Fiore e Joaquimismo , Variorum
Collected Studies Series, Ashgate
Publishing Ltd., 2011.
P. Lopetrone, L'effigie dell'abate
Gioacchino da Fiore ", em Vivarium,
Rivista di Scienze Teologiche
dell'Istituto Teológico S. Pio X
Catanzaro, Anno XX, n 3, Edizioni
Pubblisfera 2013, pp. 361-386.
"O Evangelho Eterno" de Leoš Janáček,
uma composição de 1913 descrita
como Uma lenda para soprano, tenor,
coro e orquestra.

Links Externos

Wikiquote tem citações relacionadas


a: Joachim de Fiore
Wikimedia Commons tem media
relacionados com Joachim de Fiore .

Obras de ou sobre Joachim de Fiore


em bibliotecas ( catálogo do WorldCat
)
Centro Internacional de Estudos
Joaquimistas
Constituição da Sociedade Futura de
Joachim de Fiore
Diagrama dos círculos de Joachim de
Fiore e simbolismo trinitário
Neo-Joaquimismo (em alemão)
Enciclopédia Católica : "Joachim da
Flora"
Retrieved from
"https://en.wikipedia.org/w/index.php?
title=Joachim_of_Fiore&oldid=892900529"

Última edição feita há 2 meses por…

Conteúdo disponível sob CC BY-SA 3.0, salvo


indicação em contrário.