Вы находитесь на странице: 1из 3

GORSE

Ulex europaeus

Cresce em terreno pedregoso, terras de pastagens secas e charnecas. O tojo


floresce de fevereiro a junho (hemisfério norte).

Princípio

Gorse encarna a qualidade da alma ligada à esperança. No estado negativo de


Gorse, a esperança foi abandonada.

Muitas pessoas no estado negativo de Gorse sofreram ou estão sofrendo de


moléstias crônicas. Foram submetidas a inúmeros tratamentos, sem êxito, e os
médicos deixaram claro que elas, provavelmente, nunca voltarão a ficar boas.
Agora, cuidam haver chegado ao termo da jornada, e querem desistir. Por amor
da família, porém, concordam em tentar mais este ou aquele método de
tratamento, mas, no íntimo, estão há muito tempo convencidas de que nenhum
método adiantará.

Esse estado mental é muito perigoso, por duas razões. Primeira, as


expectativas negativas do paciente reforçarão continuamente a programação
errada, que é a doença, fixando-a mais firmemente no corpo, de modo que ela
só pode agravar-se. Segunda, a personalidade também oferece uma
resistência passiva. Afasta-se, cada vez mais, do Eu Superior e do
desenvolvimento ativo, e torna-se, cada vez mais, um cadáver vivo. As pessoas
no estado negativo do tipo Gorse parecem-se, não raro, com “crianças de
porão”, de rostos amarelos ou pálidos como cera, e sobras escuras debaixo
dos olhos, por não terem visto o sol durante muito tempo. Um sensitivo
descreveu o estado negativo de Gorse como aquele em que parece haver uma
chapa grossa de vidro entre a alma e a personalidade; elas ainda podem ver-
se, mas já ao podem ouvir-se.

O erro inconsciente da personalidade reside, mais uma vez, na recusa de


reconhecer e aceitar o papel do Eu Superior como controlador do destino. Em
vez de deixar a responsabilidade de todo o seguimento ao Eu Superior, e
caminhar, confiante, ao seu lado, a personalidade faz oposição ao decurso do
desenvolvimento. Porque as coisas não acontecem como ela imaginava que
aconteceriam, afasta-se mentalmente, sem dedicar o menor pensamento ao
processo que está rejeitando.

Tais atitudes infantis também se refletem na maneira com que muitos pacientes
do tipo Gorse esperam que tudo, graças a um milagre, acabará dando certo,
em lugar de compreender que a recuperação, em última análise, só pode vir de
dentro, sempre. As pessoas do tipo Gorse terão de aprender a entrar em
acordo com o aspecto de destino do seu processo mórbido.

Do ponto de visa esotérico, essas pessoas têm, com frequência, um carma


difícil, que precisa ser reformado pelo sofrimento na existência atual, pois as
verdadeiras mudanças neste planeta só se realizam mediante o sofrimento. Se
tal propósito for reconhecido e aceito, consciente ou inconscientemente, toda a
situação interior se modificará de uma vez só.

Uma pessoa no estado negativo de Gorse é capaz de ganhar novas forças e


esperanças vindas do íntimo, e estará, nesse caso, novamente pronta para
seguir o seu destino. Isso não quer dizer que ela espera o impossível – sabe
que uma perna amputada não voltará a crescer – mas esperará firmemente
que, dentro do contexto do seu destino, tudo acabará bem. E por esse modo
segue adiante, a despeito de tudo o que a atrapalha. Aprende a suportar os
sofrimentos sem se lamentar, tendo compreendido que nós, muitas vezes,
aprendemos mais com as provações e experiências dolorosas. Ela passa,
assim, pelos estágios seguintes da moléstia num estado de paz e sem se sentir
desesperançada. Nas primeiras fases de uma doença crônica, essa profunda
mudança interior é, amiúde, a centelha inicial que porá em movimento um
verdadeiro processo de cura.

Muito frequentemente, o estado negativo de Gorse não se manifesta na forma


extrema que acabamos de descrever. Reconhecemos as pessoas em que ele
assume uma forma mais sutil por frases como: “Já tentei tudo, mas…” Se o
paciente tomar Gorse nesses casos verá que isso assinala, muitas vezes, um
momento crítico significativo, ingressando ele num novo ciclo de
desenvolvimento.

Profissionais têm relatado que Gorse ajuda a extirpar essa atitude de


descrença.

Nem sempre é fácil distinguir o estado do tipo Gorse do estado tipo Wilde
Rose. Uma diferença característica consiste em:

Gorse Pode ser persuadido a tentar outra abordagem do


tratamento, até quando está desesperado.

Wilde Rose Ainda mais passivo e apático, não está preparado para tentar
nada de novo.

Sintomas-chave do tipo Gorse

Desesperança, completo desespero. Uma atitude de “Ora, que adianta?”

Sintomas devidos ao bloqueio da energia

Bem no fundo, estagnação no processo de chegar a um acordo com o próprio


destino.

Já não é capaz de esperar melhorar, em especial no caso de uma moléstia


crônica.

Desesperado, porque lhe disseram que nada mais pode ser feito.

Deprimido, resignado, desistiu.


Já não tem energia bastante para fazer outra tentativa.

Desistiu intimamente, e espera que alguma coisa lhe venha de fora.

Permite aos parentes que o persuadam a tentar outro tratamento, contrariando


sua convicção íntima, depois fica desapontado quando ocorrem recidivas sem
importância.

Pálido, tem anéis escuros em torno dos olhos.

Teve, anos atrás, uma doença crônica que durou muito tempo.

Transformação potencial posterior

Convencido de que tudo acabará bem.

Assume uma atitude diferente em face de sua posição sem esperança, capaz
de aceitar o destino.

Compreende que a desesperança impede o processo de cura e que “todos


temos nosso fardo para carregar”.

Sabe que não devemos dizer “nunca”, e que podemos esperar.

Em casos menos graves: surge uma esperança de cura, e esse é o primeiro


passo no sentido da recuperação.

Medidas de apoio

Reflita nos conceitos de carma e sofrimento.

Passe umas férias ao sol.

Afirmações positivas para praticar

“A esperança traz a cura.”

“Todo novo dia é u ma nova oportunidade.”

“Estou participando.”

“Tudo evolui de acordo com leis inerentes.”

(Extraído do livro TERAPIA FLORAL DO DR. BACH – Teoria e Prática –


Mechthild Scheffer – Editora Pensamento)

Похожие интересы