You are on page 1of 18

Design de Equipamentos

Para a maioria dos processos, um misturador e um decantador não serão suficientes


para alcançar uma separação efetiva. Muitas vezes, um sistema é projetado com
vários estágios misturadores-decantadores em série. Embora o fluxo das duas fases
líquidas possa ser em contracorrente, co-corrente ou fluxo cruzado, o uso de
solvente é mais ineficiente em fluxo cruzado. O transporte dos líquidos de um
estágio para o próximo ocorre por gravidade ou por bombas. O esquema abaixo
mostra um sistema de contracorrente com três misturadores e colonizadores em
série.

(Copyright ROBATEL, Inc., Pittsfield, MA)

Exemplos de uso

O sistema misturador-decantador mostrado aqui é usado no processamento


químico. Os sistemas misturadores-decantadores tornaram-se bastante populares
na indústria metalúrgica por sua capacidade de lidar com altos volumes de produção
que exigiam longos tempos de residência. Eles cresceram e encontram muito uso
em vários outros processos, como extração aromática e processamento de
combustível nuclear. Mostrado abaixo à esquerda é um exemplo de um extrator de
líquido misturador-decantador de 3 estágios de aço inoxidável. À direita, há um
exemplo de um misturador-decantador com design tubular usado para vidro, aço
esmaltado e outros materiais metálicos com altas pressões operacionais.
(Copyright Schulz + Partner GmbH, Teningen)

Vantagens

Desvantagens

 Técnicas confiáveis de aumento de escala.


 Pode lidar com altas taxas de fluxo.
 Ideal para processos com transferência de massa lenta.
 Mistura intensa, resultando em pequenas gotas para boa transferência de
massa.

 Grandes quantidades de espaço necessário.


 Apenas sistemas com poucos estágios são econômicos.
 Grandes quantidades de material valioso, como o solvente, são amarradas
durante o processo.
 Má conservação de solventes.

Centrífugo
Os extatradores líquido-líquidos centrífugos são bastante versáteis em seus projetos
e aplicações.
(Copyright ROBATEL, Inc., Pittsfield, MA)

Informação geral

Em extratores centrífugos líquido-líquidos, os fluxos pesado e leve fluem em


contracorrente. A fase pesada entra perto do centro do extrator, e a fase leve, perto
das bordas.

As forças centrífugas fazem com que os componentes pesados fluam para fora,
resultando em contato, transferência de massa e separação. A formação de
gotículas ocorre no corpo do extrator através de cilindros concêntricos perfurados,
aumentando a separação.

Os tubos que se estendem para a periferia servem como tubos de saída para os
componentes pesados, enquanto os componentes de luz saem através dos tubos
internos.

Design de Equipamentos

Existem dois principais projetos de extrator centrífugo. O primeiro é um


compartimento horizontal com duas entradas e duas saídas, como mostrado acima
na animação. As gotículas são formadas à medida que os líquidos se movem
através de cilindros concêntricos perfurados.

O segundo projeto é um projeto vertical que traz os dois líquidos para o meio do
extrator, com os componentes pesados forçados para a periferia. Weirs dentro do
extrator asseguram que a fase de luz saia separadamente da fase pesada. À
esquerda, há um exemplo de diagrama de fluxo de processo de um separador
centrífugo líquido-líquido. À direita, um diagrama transversal de um extrator
centrífugo de estágio múltiplo de escala industrial.
(Copyright ROBATEL, Inc., Pittsfield, MA)

Exemplos de uso

Devido à excelente capacidade do extrator centrífugo de lidar com líquidos com


pequenas diferenças de densidade, encontrou muito sucesso e uso nas indústrias
farmacêutica, de processamento de alimentos, petróleo , química e ambiental.

A imagem à direita é um exemplo de uma centrífuga contínua para a desidratação


de produtos alimentícios. À esquerda, há um exemplo de um separador de óleo e
água.
(Copyright ROBATEL, Inc., Pittsfield, MA)

Vantagens

Desvantagens

 Baixo tempo de permanência


 Pode lidar com líquidos com diferenças de baixa densidade
 Exigência de espaço pequeno

 Caro
 Velocidades altas requerem manutenção em peças mecânicas
 Baixo número de estágios de contato

Colunas
Não Agitado
Extratores de líquido-líquido de coluna não agitados não possuem partes internas
móveis.

Informação geral

Extratores de líquido-líquido de coluna não agitados são as colunas de extrator mais


simples, em que eles não contêm partes mecânicas para induzir mistura ou
formação de gotículas. A transferência de massa é ditada pelos internos da
coluna. O esquema mostrado à esquerda é de uma coluna de bandeja de peneira, e
à direita é uma coluna de spray. O terceiro desenho mais comum, um extrator
líquido-líquido de coluna, é mostrado acima.
Design de Equipamentos

Os extratores líquido-líquido da coluna de pulverização são os mais simples dos


projetos da coluna. A fase dispersa é introduzida através de um bocal no topo ou no
fundo da coluna, dependendo se a fase pesada ou fase leve está sendo dispersa. A
fase contínua entra na extremidade oposta da coluna, resultando em transferência
de massa através do contra fluxo vertical das duas fases. Não há ciclo de dispersão-
coalescência dentro da coluna, resultando em eficiência muito baixa para colunas de
pulverização. As colunas de pulverização funcionam melhor para fluidos contendo
grandes sólidos suspensos.

Os extratores líquido-líquido da bandeja de peneira são semelhantes às colunas da


bandeja da peneira descritas na seção Colunas de Destilação desta enciclopédia. A
coluna é composta de várias bandejas perfuradas junto com downcomers ou
upcomers, dependendo de qual fase, pesada ou leve, é escolhida para ser
contínua. A dispersão original é realizada por um bocal, como nas colunas de
pulverização. O contato de fluxo cruzado ocorre entre cada bandeja.

As colunas das bandejas de peneira são contatores por etapas devido à


coalescência da fase dispersa entre as bandejas e sua redistribuição pelas
perfurações na bandeja. É importante que os internos sejam revestidos com a fase
contínua para evitar a eficiência de amortecimento da coalescência da fase
dispersa. As gotículas coalescem na superfície se a superfície for revestida pela fase
dispersa, como mostrado no lado esquerdo da imagem abaixo. Isso reduz a
transferência de massa para a coluna. Gotículas reterão sua forma se a superfície
for revestida com a fase contínua.

A animação abaixo demonstra um extrator líquido-líquido da bandeja da peneira. O


fluido de isqueiro, tipicamente o solvente (vermelho), entra pela parte inferior e flui
para cima enquanto o fluido mais pesado, a alimentação (azul), flui para baixo e
extrai o produto ou resíduo desejado.

Os extratores líquido-líquido de coluna empacotada também são semelhantes


àqueles vistos em outras seções de separação desta enciclopédia. A embalagem,
que auxilia na formação de gotículas, pode ser estruturada em uma rede de malha
ou colocada aleatoriamente na coluna. A dispersão é realizada com um bocal na
parte superior ou inferior da coluna, dependendo se a fase pesada ou a fase de luz
está sendo dispersa. Como nas colunas da bandeja da peneira, os internos da
coluna precisam ser revestidos com a fase contínua.
Exemplos de uso

Os extratores líquido-líquido não agitados encontraram seu nicho em vários setores


diferentes, incluindo os setores petroquímico e de dessalinização e purificação de
água.

Vantagens

Desvantagens

 As colunas de spray são baratas.


 As colunas da bandeja de peneira podem lidar com um rendimento muito
grande.
 As colunas das bandejas de peneira tiveram um bom sucesso com os
procedimentos de aumento de escala.
 Colunas empacotadas são altamente eficientes quando apenas alguns estágios
são necessários.

 As colunas de pulverização são muito ineficientes.


 A bandeja da peneira e as colunas compactadas podem sofrer com a obstrução
de sólidos.
 Colunas empacotadas têm menor rendimento devido à embalagem.
 Colunas empacotadas são difíceis de escalar com precisão.
 A dispersão inicial é uma preocupação para colunas empacotadas, para evitar a
canalização.

Agitado
Muitos projetos de colunas agitadas são usados para extração líquido-
líquido. Apenas alguns dos designs mais populares serão explorados nesta seção.
(Copyright Schulz + Partner GmbH, Teningen)

Informação geral

Colunas agitadas contêm algum tipo de dispositivo mecânico para agitar os líquidos
à medida que passam pela coluna. Mecanismos rotativos e alternativos são os
métodos mais comuns para criar e manter a dispersão em toda a coluna. O
diagrama abaixo à direita mostra o interior de uma coluna agitada e a imagem à
direita é um agitador usado em uma coluna de extração.
(Copyright Schulz + Partner GmbH, Teningen)

Design de Equipamentos

Segmentos de mistura defletidos são comuns a todos os extratores de coluna com


defletor. Impulsores de turbina giram entre um conjunto de defletores, criando várias
zonas de mistura ao longo do comprimento da coluna. Os líquidos misturados se
movem para os conjuntos externos de defletores do estator, onde eles podem
separar e mover para cima ou para baixo para o próximo estágio. Os defletores
ajudam a reduzir a mistura axial, criando várias zonas de mistura para aumentar a
transferência de massa. As colunas Scheibel e Oldshue-Rushton são designs
comuns e confusos.
(Copyright Schulz + Partner GmbH, Teningen)

Contatores de disco rotativo (RDC) e contatores de disco rotativo assimétrico


(ARDC) são outro tipo de extratores de coluna agitados. O ARDC visto na animação
é caracterizado pelo eixo rotativo descentralizado.

A fase pesada entra no topo do extrator e se mistura com a fase de luz na região de
mistura superior, composta de um disco giratório. As duas fases entram no estágio
externo de acomodação, onde elas se separam. A fase pesada então viaja para a
próxima região de mistura. Essa ação de liquidação continua no comprimento da
coluna. As regiões de mistura individuais são separadas por defletores e as regiões
de mistura e sedimentação por um estator. Um estator é uma parte de um cilindro
que separa as duas regiões, permitindo o transporte entre as duas.
Extratores líquido-líquido recíprocos também são extratores de coluna agitados
comuns. A dispersão das fases ocorre através de placas perfuradas que oscilam
verticalmente dentro da coluna. Os deflectores ocasionais ao longo da coluna
ajudam a reduzir a mistura axial e o movimento fluido.

Exemplos de uso

Extractores de líquido-líquido de coluna agitados são usados para purificar a água


através da extracção de impurezas tais como ácido acético e acetona.

Extratores agitados também são usados em indústrias biotecnológicas e


ambientais. A figura abaixo mostra um extrator em uma planta. A coluna abaixo tem
a capacidade de ajustar a área da seção transversal e a velocidade do agitador, o
que pode otimizar o tamanho da gota. Essa flexibilidade permite que a coluna
maximize a eficiência.

(Copyright Schulz + Partner GmbH, Teningen)


Vantagens

 Peças mecânicas resultam em boa dispersão.


 Pouca mistura axial em comparação com colunas não agitadas.
 Extratores de colunas Karr podem lidar com maiores taxas de transferência do
que outras colunas agitadas.

Desvantagens

 O reparo de peças mecânicas internas pode causar atrasos no processo.

Pulsado
Informação geral

Os extratores líquido-líquido de coluna pulsada são únicos porque não contêm


elementos de mistura internos. Esses extratores são frequentemente classificados
como colunas agitadas devido à necessidade de uma fonte de energia externa. O
dispositivo pulsante usa a energia para enviar pulsos para os fluidos, aumentando a
transferência de massa. A figura abaixo mostra uma coluna pulsada na bandeja da
peneira.

Design de Equipamentos

As colunas pulsadas mais comuns consistem em uma bandeja de peneira ou um


projeto de coluna de leito empacotado com um dispositivo pulsante. O diagrama
abaixo mostra uma coluna pulsada que utiliza placas perfuradas. O dispositivo
pulsante está na parte externa da coluna, o que simplifica a manutenção e o reparo.
(Gabinete de Copyright de Informação Científica e Técnica,

Equipamento de extração líquido-líquido)

Vantagens

 Aumenta a eficiência duas vezes


 Nenhuma peça mecânica interna facilita os reparos

Desvantagens

 Embalagem em coluna empacotada dificulta o fluxo


 Mais caro do que colunas não agitadas

Graesser
Informações Gerais / Design de Equipamento
Conhecido como o contator do balde de chuvas, o extrator Graesser é considerado
um projeto de coluna agitado. Os baldes, ligados a discos rotativos internos, captam
uma fase à medida que o balde atravessa a interface. À medida que os discos
giram, eles fazem com que a fase saia do balde e se disperse na outra fase. A
transferência de massa ocorre quando as gotículas se movem através desta outra
fase devido às diferenças de densidade.

As fases imiscíveis movem-se de uma porção para a outra através do espaço entre
os discos rotativos e o corpo do extrator, conforme representado pelas setas azuis e
amarelas. Velocidades de rotação lentas e baixas taxas de fluxo aumentam a
eficiência da transferência de massa.

Vantagens

 Barato

 Design simples comparado a outros extratores

Desvantagens

 Ineficiente em altas taxas de fluxo

Agradecimentos
Escritório de Informação Científica e Técnica

ROBATEL, Inc. , Pittsfield, MA

Schulz + Partner GmbH , Teningen

Referências
Bailes, PJ, C. Hanson e MA Hughes "Extração líquido-líquido: o processo, o
equipamento". Técnicas de Separação de Revistas de Engenharia Química 1:
Sistemas Liquid-Liquid. 1980: 217-231. Imprimir.

Bravo, Jose L., et al. Tecnologias de Separação de Misturas de Fluidos para


Redução de Custos e Melhoria de Processos. New Jersey: Noyes Publications 1986.
Imprimir.

Cusack, Roger W., Pierre Fremeaux e Don Glatz "Um novo olhar sobre a extração
líquido-líquido: primeira parte: sistemas de extração". Chemical Engineering
February 1991: 66-76. Impressão.

Cusack, Roger W., Pierre Fremeaux e Don Glatz "Um novo olhar sobre a extração
líquido-líquido: parte dois: dentro do extrator". Chemical Engineering March 1991:
132-138. Impressão.
Cusack, Roger W. e Andrew Karr "Um novo olhar sobre a extração líquido-líquido:
parte três: projeto e especificação do extrator". Chemical Engineering April 1991:
112-119. Impressão.

Humphrey, Jimmy L. e George E. Keller II. Tecnologia de Processos de


Separação. Nova York: McGraw-Hill 1997. Impressão.

Perry, Robert H. e Don W. Green. Manual dos Engenheiros Químicos de Perry. 7a


ed. Nova Iorque: McGraw-Hill, 1997: pp. 15-22 - 15-47. Impressão.

Reissinger, K. -H. E Jurgen Schroter "Critérios de seleção para extratores líquido-


líquidos". Técnicas de Separação de Revistas de Engenharia Química 1: Sistemas
Liquid-Liquid. 1980: 247-256. Impressão.

Desenvolvedores
Michael Edison

Steve Wesorick

Matthew Robertson

Joseph Palazzolo

Keith Minbiole