Вы находитесь на странице: 1из 10

Vôo Noturno

EDIÇÃO 01 - ANO 01 OUTUBRO 2010 - HALLOWEEN


Vôo Noturno
ED I TO RI A L

Com o objetivo de divulgar um conhecimento específico sobre herbalismo mágico e também


pela falta de informações no setor, ao passear pelos blogs de alguns amigos e conhecidos e também
ao ler alguns periódicos que tratam de forma geral a magia e a Bruxaria (Wicca), surgiu a idéia de criar
o VÔO NOTURNO, um periódico mensal que irá focar principalmente o herbalismo, seus usos, dicas,
dúvidas e tudo que estiver relacionado ao tema. Nada impede que possamos falar de outros temas
mágicos se for a necessidade. Por outro lado, temos muito a discutir sobre o uso das ervas, plantas e flores que
devidamente manipulados vão se transformar em tinturas, incensos, óleos, banhos para os mais variados rituais e
encantamentos.

Por que VÔO NOTURNO ? Simples... Grande parte dos feitiços e rituais são executados á noite e sob a supervisão
da lua em suas diversas fases, na calada da madrugada, quando o véu se descortina e todos os segredos são revelados.

Seja bem vindo ao mundo mágico do Herbalismo e voe livremente conosco...

Até nossa próxima Viagem!!!

Bênçãos Plenas de Airmid a Senhora das Ervas.

Marcelo Giusepp Lechinski (Saman)

SOBRE O AUTOR
Bruxo solitário, 38
NESTA EDIÇÃO
anos, praticante da
arte desde 1998, Editorial 02
desenvolvi uma
curiosidade a amor Uma Introdução ao Herbalismo Mágico 03
pelas ervas após alguns anos de
estudo mágico. Biografia de Scott Cunningham 04
Professor de Inglês e tradutor,
pude ajudar a levar ao
conheci mento do público Instrumentos da Magia Herbal 04
importantes obras de Scott
Cunningham como os livros Vídeo - Sugestão do mês 05
Vivendo a Wicca, enciclopédia de
Wicca na cozinha e o livro Dando os primeiros passos na Herbologia Mágica 06
completo dos incensos, óleos e
infusões.
Atualmente modero Preceitos Básicos da Culinária Básica 06
comunidades sobre herbalismo
no Orkut mantenho um blog Estudando as Ervas 07
sobre magia e bruxaria em geral
chamado mundo pagão Halloween - O Ano Novo Pagão 08
http://mundupagao.blogspot.com/
Sugestão de livro 10
Sobre ervas e Plantas 10
Sala dos Feitiços 10
02
Receita do Mês 10
Uma Introdução ao Herbalismo Mágico
Avanços recentes na ciência tem nos
capacitado a registrar fotograficamente estas
vibrações, apesar do uso da fotografia kirilian.
Deste modo, a ciência mais uma vez justifica
a magia.
Ainda existem Bruxas que caminham
descalças sobre a Terra e ouvem o sussurro
das árvores e se adornam com ervas sagra-
das enquanto a Lua as observa sob suas ca-
beças.
O que resta de suas lendárias tradi-
ções é fragmentado; uma colcha de retalhos
de crenças, conhecimento e rituais. Estas
reminiscências, no entanto, são tão eficazes
hoje quanto eram quando surgiram em outras
eras mágicas.
A magia herbal é um dos mais fáceis,
seguros e alegres métodos de restabeleci-
mento das raízes da terra para recobrar uma
vida natural e saudável. Ela toca a essência
da vida por si mesma com rituais simples e
alguns objetos.
A magia está contida nas ervas – e
Quando os pesadelos que co- savam, havia cada vez menos os que se dentro de você. A magia herbal é uma coope-
nhecemos como cidades ainda não havi- importavam em aprender as artes da magia. ração entre a planta e o homem, entre o céu e
am surgido nos séculos passados, vivía- a terra, entre o microcosmo e o macrocosmo –
mos em harmonia com a Terra e usáva- Hoje estamos experimentando um uma união de energias forjadas para produzir
mos sabiamente seus segredos. Muitos ressurgimento da consciência com a terra. mudanças através de métodos que os obser-
conheciam as antigas magias das ervas e As organizações ecológicas proliferam. A vadores ou as pessoas de fora vêem como
das plantas. reciclagem é um negócio estrondoso. As “sobrenatural”.
Estes meios são mais naturais, mais
pessoas estão rejeitando os alimentos quími-
O conhecimento foi passado adi- antigos do que as religiões computadorizadas
ante de geração em geração, e desta cos e preservados artificialmente por alimen- e os valores sociais pré fabricados do mundo
forma, o saber foi amplamente movimen- tos mais saudáveis. atual que podem escapar a muitos, mas este
tado e utilizado. A maioria dos campone- é o meio pelo qual a magia opera. Não é para
ses conheciam uma erva que era uma Ervas que antigamente não eram todas as pessoas.
poderosa proteção contra o mal, uma veneradas mais uma vez reaparecem por si Não existem votos a serem jurados,
certa flor que produzia sonhos proféticos, próprias. Entretanto além das especulações grupos para se unir, e demônios a serem ve-
e talvez um ou dois encantamentos de e conselhos, a arte mágica do herbalismo nerados. E, embora existam algumas regras
amor infalíveis. tem sido amplamente deixada inexplorada e simples a serem seguidas que asseguram
As Bruxas tinham suas próprias inexplicada. melhores resultados, a magia pode ser sim-
operações complexas com a magia her- Os conhecimentos sobre herbologia ples ou complexa de acordo com seu desejo.
bal, assim como os magos e alquimistas. sobre os quais conversaremos são uma O que falamos aqui é sobre o poder
Logo, uma densidade de conhecimento tentativa em preencher a grande lacuna que da magia das ervas. O conhecimento contido
mágico acumulado ao redor de simples falta dentro do conhecimento herbal. Embora nele foi preservado de modo que possamos
ervas que crescia ao longo de córregos, estas instruções tenham sido longamente a melhorar nossas vidas.
em prados verdes e no alto de solitários ocupação das Bruxas e suas famílias, tudo Use este sagrado conhecimento com amor.
penhascos apareceu. que se faz necessário para ser bem sucedi-
do na prática do herbalismo mágico é um Scott Cunningham
Muitos de nossos ancestrais, ardente desejo de melhorar sua vida e a vida
entretanto, olhavam para as estrelas dis- daqueles que você conhece e ama.
tantes da Terra e sonhavam com coisas Estas orientações são um guia com- (Magical Herbalism – LlewellynPublications)
mais grandiosas. Na corrida em direção a pleto e prático. Sem nenhuma ligação esoté-
perfeição mecanizada, a humanidade rica ou obscura, devem servir bem como
tornou-se órfã da Terra, e muito da antiga introdução á magia herbal – os aspectos
tradição foi esquecida. positivos da magia herbal. Também discuti-
Felizmente, não foi completa- remos mais tarde o uso das ervas de
mente perdida. As Bruxas tornaram-se as “banimento”, sem nenhum envenenamento,
guardiãs dos segredos da Terra; deste maldição, controle, influência, amarração ou
qualquer tipo de informação semelhante so-
modo, elas foram vistas com medo por
bre magia negativa não está inclusa aqui,
aqueles que viraram as costas para os uma vez que tais práticas não têm lugar na
Antigos Caminhos. O terror e o ódio força- magia divina dos herbalistas.
ram as Bruxas a se esconder, e por sécu- Na magia, especialmente na magia
los seus segredos permaneceram intocá- herbal, uma erva é uma planta valorizada por
veis. suas vibrações ou energias. Embora as
“ervas” neste livro incluam algas marinhas,
Quando as antigas bruxas morre- cactos, árvores, frutas e flores que uma pes-
ram, muitos de seus segredos morreram soa não possa normalmente considerar co-
com elas, pois, conforme os séculos pas- mo ervas.
03
Scott Cunningham - O Mestre do Herbalismo
Scott Cunningham nasceu e praticou Magia por mais de vinte anos. Escreveu mais de 50 livros abran-
gendo tanto o campo de ficção como de não-ficção, sendo que 16 de seus livros foram publicados pela edi-
tora americana Llewllyn Publications.
Os livros de Scott refletem um amplo leque de interesses dentro da Nova Era, e destacou-se também
por suas obras dentro do estudo do Herbalismo Mágico, onde foi considerado um dos maiores expoentes da
Magia Wicca.
Suas obras de destaque nesse campo são Herbalismo Mágico, Enciclopédia de Ervas Mágicas, Aro-
materapia Mágica, Enciclopédia de Wicca na Cozinha, Magia Natural e o Livro Completo dos Incensos, ó-
leos e Infusões. Destes, apenas os três últimos foram traduzidos em nosso idioma através da editora Gaia.
Dentro do Herbalismo Mágico, Scott os brindou com um vídeo sobre o tema ensinando-nos todos os
passos básicos e introdutórios nesta magnífica Arte. Infelizmente este vídeo não chegou ao conhecimento
de todos por ser distribuído apenas nos exterior.
Após um longo período de doença, Scott deixou este plano no dia 28 de março de 2003, mas suas
palavras ainda vivem em suas obras e todo seu legado sendo conhecido e praticado por milhares de pesso-
as.

Obras publicadas no Brasil:


Guia Essencial da Bruxa Solitária , A Verdade sobre a Bruxaria Moderna, Magia Natural: Rituais e Encantamentos da Tradição , En-
ciclopédia de Cristais, Pedras Preciosas e Metais , Sonhando com os Deuses , Vivendo a Wicca: Guia Avançado para o Praticante
Solitário , Enciclopédia de Wicca na Cozinha , O Livro Completo de Óleos, Incensos e Infusões A Verdade Sobre a Bruxaria Moderna,
Magia Natural: Rituais e Encantamentos da Tradição, A Casa Mágica, este em parceria com DAVID HARRINGTON

INSTRUMENTOS DA MAGIA HERBAL — PARTE 1


Agora, encontre um lugar calmo, enterre a faca na Terra
Todas as profissões e ocupações têm suas próprias com o punho para baixo para que a ponte fique em direção ao
ferramentas de utilização, e a magia não é uma exceção dis- céu. Ajoelhe-se diante dela. Colocando as mãos no chão em
so. Os instrumentos são os objetos com o qual a mudança é ambos os lados da faca, com o rosto voltado ao Norte, diga
processada. A magia algumas vezes é definida como estas palavras:
“mudança processada por meios psíquicos”, desta forma os Eu te conjuro, oh Faca de aço, pelos poderes da Terra,
instrumentos utilizados na magia devem ser selecionados que você trabalhe ao meu serviço na arte mágica do herbalis-
cuidadosamente, fabricados ou preparados a fim de executar mo.
suas funções. Conte lentamente até trinta, em seguida segure o cabo
O instrumento mais utilizado na magia herbal é a faca em sua mão de poder (aquela com a qual você escreve) e puxe-
mágica. Ela é parente em primeiro grau do athame, a mística a da terra.
faca das Bruxas que é usada em rituais mágicos e religiosos
pelos iniciados da Antiga Religião. A diferença básica entre o Agora caminhe até o lugar mais alto que estiver próxi-
athame e a faca mágica é que o athame é utilizado puramente mo uma colina, uma pedra e suba no topo. Segurando sua faca
com propósitos simbólicos de direcionar a energia, enquanto apontando para o céu e em direção ao Leste, diga estas pala-
que a faca mágica é usada para cortar ervas, fios, tecidos, vras:
etc... assim como para banimento, exorcismo, enfeitiçar, e Eu te conjuro, oh Faca de aço, pelos poderes dos Ven-
assim por diante. tos, que você trabalhe ao meu serviço na arte mágica do herba-
Para fazer sua faca, encontre uma com cabo de ma- lismo.
deira e lâmina de prata que se ajuste confortavelmente em Em seguida, faça uma pequena fogueira com os grave-
sua mão. Esteja certo de que ela seja nova e limpa. Compre-a tos e acenda-a, depois, virado para a direção Sul, empurre a
sem barganhar pelo preço. Embrulhe-a em um tecido branco lâmina no meio das chamas e diga estas palavras ou semelhan-
de algodão ou linho e esconda-a onde ela não seja perturba- tes:
da até a próxima Lua Cheia. (A compra de um guia com as Eu te conjuro, oh Faca de aço, pelos poderes das Cha-
informações lunares como o anuário Almanaque Wicca da mas, que você trabalhe ao meu serviço na arte mágica do her-
editora Pensamento, é de grande ajuda para a magia herbal). balismo.
Nesta noite, logo após o pôr do sol, vá para um lugar Depois disso, caminhe até o córrego e mergulhe a lâmi-
sozinho e silvestre, longe, no campo. O ideal seria onde hou- na na água corrente (ou, na tigela cheia de água). Diga estas
vesse um córrego nos arredores, uma pequena colina e total palavras ou palavras semelhantes voltado para o Oeste:
privacidade. Limpe uma área no chão e junte alguns gravetos Eu te conjuro, oh Faca de aço, pelos poderes das Á-
para fazer uma fogueira. Deixe uma caixa de fósforos do lado guas, que você trabalhe ao meu serviço na arte mágica do her-
da fogueira. Se não houver a possibilidade de ter um córrego
Com esta faca você cortará todas as ervas, flores, plantas, semen-
tes, cordas, tecidos; qualquer coisa que seja preciso para as suas práticas
mágicas. Mantenha-a afiada e lustrada.
O próximo instrumento mais importante é a varinha mágica. Assim
como a faca mágica é utilizada para consagrar, cortar e realizar as opera-
ções mais simples, a varinha é um instrumento de invocação, de convoca-
ção.
A construção da varinha deve acontecer durante a Lua Crescente
e á noite. O real tipo de madeira depende dos interesses do Bruxo.
Por exemplo, a madeira da nogueira ou do sabugueiro é mais freqüente-
mente utilizada para varinhas mágicas, uma vez que estas árvores fazem
excelentes varinhas para todos os propósitos.
Alguns herbalistas mágicos, entretanto, são mais específicos e
tem uma varinha para cada tipo de magia que realizam. Deste modo, veja a
seguinte lista:
Magia de Amor – Macieira
Magia de Cura – Freixo
Exorcismos – Sabugueiro
Prosperidade – Abéto
Proteção – Sorveira Brava
Purificação e Bênçãos – Bétula
Airmid, a Senhora das Ervas e Plantas Sagradas Magia Lunar e Magia de Desejos – Salgueiro

Para magia de fertilidade, uma varinha de carvalho com uma bolota (de
carvalho) na ponta (ou uma feita de abeto, com um cone de pinha na ponta) é freqüentemente utilizada.
Uma vez que a madeira deve ser obtida de uma árvore viva, você pode não conseguir obter o tipo de madeira
específico que deseja. Entretanto, por felicidade, a maioria das árvores, especialmente as árvores de frutas, vão fun-
cionar adequadamente na magia.
Durante a construção da varinha mágica, você deve utilizar a faca mágica.
Tome um banho de purificação (veja o capítulo seguinte) e vista-se em seguida com roupas claras e simples,
ou com um robe (túnica, manto). Vá até a árvore. Ande três vezes ao redor do seu tronco no sentido horário, apon-
tando a faca para a árvore e dizendo as seguintes palavras ou palavras semelhantes:
Oh Grande Árvore
Oh Poderosa Árvore
Peço-lhe para me conceder sua madeira para me auxiliar na arte do herbalismo mágico. você crescerá forte
após meu golpe; mais forte e mais alta. Oh Grande Árvore!

Após encerrar, selecione o galho adequado, reto e com algumas folhas ou ramos crescendo nele. Um com-
primento de talvez 38 centímetros é o suficiente para permitir para que seja moldada e lixada com uma largura de 1,3
centímetros está ótimo.
Com sua faca mágica corte o galho carinhosamente, sussurrando seus agradecimentos para a árvore. Amar-
re uma fita vermelha ao redor do tronco ou enterre uma oferenda de pão, vinho ou uma pedra preciosa em sua base.
Depois que retornar para casa, remova todas as folhas ou ramos que estiverem no galho principal. Lixe com
uma lixa grossa de papel para remover a casca, em seguida com uma lixa fina para deixá-lo liso. Depois disso limpe-
o com um pano seco para remover o pó da madeira. Agora, ensope um pano com óleo de Olíbano ou sândalo e es-
fregue bem a varinha com este pano. Guarde-a em um lugar escuro embrulhada em um tecido amarelo por sete di-
as. Na última noite, desembrulhe-a e coloque-a diretamente na terra. Toque a ponta de sua faca mágica na varinha e
diga estas palavras ou palavras semelhantes.
Eu te consagro, Oh Varinha de (tipo de árvore), pelas virtudes da Terra, Ar, Fogo e Água, que você seja verda-
deiramente uma Varinha Mágica, possuída por abundantes poderes e usos. Com esta afirmação você será de ajuda e
auxílio para mim.
Agora, coloque a faca de lado (ou então, coloque-a em seu cinto ou porta-faca) segure a varinha em sua mão
de poder. Segure com firmeza. Agora invoque algum Deus de sua devoção. Repita a invocação em cada uma das
direções (você não precisa fazer na direção precisa, tudo bem você adivinhar a direção).
Muitas pessoas sentem-se mais confortáveis trabalhando a magia em nome de um deus ou deusa. Embora a
magia não seja religiosa, ela não é não espiritual. (Pelo contrário, ela está no coração e alma de todas as religiões
filosóficas). Se você sentir-se melhor dando um sabor religioso á sua magia, sem dúvida alguma faça isso. É neste
ponto que a varinha será útil, ao invocar seus deuses para testemunhar seus ritos ou para carregá-los com poder
extra.
Levante a varinha para cima em sua mão de poder quando invocar ou estiver orando para suas divindades,
invocando os poderes da Terra, Ar, Fogo e Água, ou quando estiver lidando com alguma entidade não humana.
(Continua na próxima edição).

SUGESTÃO DO MÊS

TILO (AISHWARYA RAI) É UMA MULHER MISTERIOSA, QUE É DONA DE


UMA LOJA DE ESPECIARIAS E POSSUI O DOM MÁGICO DE TRANSFOR-
MAR SEUS INGREDIENTES EM POÇÕES PARA CURAR AS PESSOAS. PO-
RÉM HÁ UMA REGRA: TILO JAMAIS PODERÁ PROVAR ALGUMA DE SUAS

05
No Caldeirão da Bruxa
Dando os primeiros passos na Herbologia Mágica

Existem algumas receitas bem As essências, bom como diria o mestre


simples de serem feitas e outras bem Scott, tente encontrar óleos essenciais, de
difíceis, o grande mestre em Herbolo- fabricação confiável, e nesse sentido aqui
gia Mágica, Scott Cunningham nos aju- no Brasil eu só conheço uma marca; a Shi-
da a entender e até mesmo como es- vas Indian, que sempre indico e uso.
colher ervas e produtos de qualidade Tente manter seus objetos de uso separa-
em alguns de seus livros. dos e limpos. Somente para esse fim, pilão,
Aprendi tudo o que sei lendo-o, e uma vasilhas de vários tamanhos de preferência
de suas preciosas lições: procurar er- sempre de cerâmica ou barro. Evite o uso
vas de qualidade. Geralmente compro de alumínio e plástico.
ervas que tenham certificação da Anvi- Colheres de pau são sempre bem-vindas.
sa, principalmente para os Pour-pourri E por fim lembre-se a Herbologia é algo
de Chás. Muito cuidado ao escolher muito sério, que requer um grande estudo,
suas ervas, olhe seu aspecto com a- e mais do que isso um grande amor e admi-
tenção e veja se não há sinal de bolor ração pelo Reino Vegetal. É necessário criar
ou fungos. Pois seu uso pode causar uma relação de confiança com as ervas, ou-
ao invés de bem-estar, alergias sendo vir suas lições, meditar com Divindades li-
esse o menor dos seus problemas. gadas à esse oficio é de grande ajuda. Esse
E não ache que isso se restringe as será o assunto do nosso próximo encontro.
ervas para chá, para banho também é Até breve.
necessário cautela.
Na preparação de óleos sempre esco-
lha um óleo base de qualidade como o de Semente Babi Guerreiro (Sianna Aset)
de Uva ou Girassol, eu particularmente uso Semente Alta-Sacerdotisa do Coven Amantes de Isis
de Uva para os meus produtos pois acho que ele não Produz a Linha Guerreira Interior – Artesanato Mágico
interfere no cheiro do óleo que se quer preparar. http://caldeiraodababi.blogspot.com/

Preceitos Básicos da Culinária Mágica

 Cozinhar demanda cuidado, pois toda energia que


você emana entrará nos alimentos. Por isso, tente
abstrair de qualquer problema antes de começar.
 Tenha seu objetivo em mente e trabalhe com aten-
ção e dedicação. Foco é tudo.
 Conheça os alimentos para não utilizar algo que
vá contra o seu objetivo mágico.
 Para construir e atrair coisas, cozinhe misturando
no sentido horário. Para destruir ou afastar, no
sentido anti-horário.
 Sempre que puder, dê aos alimentos formatos re-
lacionados ao seu objetivo. Exemplo: biscoitos
em formato de coração quando o objetivo é algo
relacionado ao amor.
 Se for cozinhar para outras pessoas, cuidado para
não carregar demais as energias dos alimentos.
 Cozinhe sempre com prazer. Senão, é melhor não
cozinhar.

06
ESTUDANDO AS ERVAS
O uso de ervas(folhas, sementes, frutos, caules, raizes e flo-
res), são comuns na wicca e no druidismo. Usados para fazer
poções, como oferenda, e muitas outras utilidades. No druidis-
mo as ervas são muito importantes para oferenda, que normal-
mente fica no altar. Normalmente, as ervas são queimadas,
pois o fogo é o meio que leva a oferenda aos seres sagrados
(Deuses, Ancestrais, Seres da natureza). A fumaça eleva ofe-
rendas e pedidos aos sagrados. As ervas podem ser enterra-
das, podem ser levadas pelas aguás de um rio ou até podendo
entregar a alguem que passe fome para honrar os seres sagra-
dos. Você pode colocar nos pés de uma arvore também. Dentro
de um caldeirão.
Dentro de um ritual druídico,
existem os baquetes, onde
são oferecidos grãos, frutas,
alimentos e bebidas. Muitos
tipos de oferendas é um e-
xemplo do uso de ervas. E-
xistem ervas que são vene-
nosas, e que tem que ser ma-
nipuladas com cuidado. Er-
vas e mais ervas. Todas com
u m si gn i fi cado .
Queimar, enterrar, oferecer
as ervas é muito importante,
mas pesquise bastante antes
de o fazer. Estude-as. Um
druida nunca para de estu-
dar. Ele é o "sábio do carva-
lho".

Fonte: Druida do Vento - http://druidadovento.blogspot.com/


07
Halloween - O Ano Novo Pagão
Halloween na Origem Pagã
O Halloween, nome original na língua inglesa, é um evento de cariz tradicional, que
ocorre nos países anglo-saxónicos, com especial relevância nos Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Reino Unido, tendo
como base e origem as celebrações pagãs dos antigos povos celtas.
A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre
os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às actuais abóboras ou da famosa frase
"Gostosuras ou Travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Em alguns países,
as crianças fantasiam-se e saem em grupos batendo de porta em porta dizendo, em coro, a frase: "travessuras ou gos-
tosuras?".
Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calen-
dário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 30 de Outubro e 2 de Novem-
bro e marcava o fim do Verão (samhain significa literalmente "fim do verão" na língua celta).
O fim do Verão era considerado como ano novo para os celtas. Era pois uma data
sagrada uma vez que, durante este período, os celtas consideravam que o "véu" entre o
mundo material e o mundo dos mortos (ancestrais) e dos deuses (mundo divino) ficava
mais ténue.
O Samhain era comemorado por volta do dia 1 de Novembro, com alegria e homenagens aos que já partiram e
aos deuses. Para os celtas, os deuses também eram seus ancestrais, os primeiros de toda árvore genealógica.
Uma vez que entre o pôr-do-sol do dia 31 de Outubro e 1 de Novembro, ocorria a noite sagrada (hallow evening,
em inglês) acredita-se que assim se deu origem ao nome actual da festa:Hallow Evening -> Hallowe'en -> Halloween.
Rapidamente se conclui que o termo "Dia das Bruxas" não é utilizado pelos povos de língua inglesa, sendo esta uma
designação apenas dos povos de língua oficial portuguesa.
A relação da comemoração desta data com as bruxas propriamente ditas, terá começado na Idade Média no
seguimento das perseguições incitadas por líderes políticos e religiosos, sendo conduzidos julgamentos pela Inquisi-
ção, com o intuito de condenar os homens ou mulheres que fossem conside-
rados curandeiros e/ou pagãos. Todos os que fossem alvo de tal suspeita
eram designados por bruxos ou bruxas, com elevado sentido negativo e pe-
jorativo, devendo ser julgados pelo tribunal do Santo Ofício e, na maioria das
vezes, queimados na fogueira nos designados autos-de-fé.
Essa designação perpetuou-se e a comemoração do halloween, leva-
da até aos Estados Unidos pelos emigrantes irlandeses (povo de etnia e cul-
tura celta) no Século XIX, ficou assim conhecida como "Dia das Bruxas".
Bruxa, em sânscrito (língua clássica da Índia antiga), quer dizer
“mulher sábia” ou sabedoria feminina, ou seja, deusa, mulher mágica, mu-
lher = bruxa. Uma bruxa é geralmente retratada como uma mulher velha e
acabada que é uma exímia manipuladora de Magia Negra. Uma das imagens
mais famosas das bruxas é aquela em que fica sentada numa vassoura voa-
dora.
08
Existem bruxas famosas como as Bruxas de Salem e em
algumas histórias existe uma vasta comunidade de bruxos e
bruxas cuja maioria prefere evitar a Magia Negra.
As bruxas foram implacavelmente caçadas durante a
inquisição na Idade Média. Para identificar uma bruxa, os inqui-
sidores comparavam o peso de uma mulher ao peso de uma
Bíblia gigante. As que eram mais leves eram consideradas bru-
xas pois dizia-se que as bruxas adquiriam uma leveza sobrena-
tural. Quase todas têm um gato preto.

Halloween na atualidade

Com a conversão ao cristianismo dos povos europeus, foi-se estabele-


cendo a partir dos Séculos IV e V o calendário litúrgico católico, surgindo as
celebrações do dia dos fiéis defuntos e do dia de Todos-os-Santos, mitigando
as referências às entidades pagãs, erodindo a popularidade da sua mitologia
em favor da presença dos santos católicos.
Atualmente, além das práticas de pedir doces ou de vestir roupas de
fantasias que se popularizaram inclusive no Brasil, podemos encontrar pessoas
que celebram à moda celta, como os praticantes do druidismo (o druida era o
sacerdote dos celtas) ou da Wicca (considerada como uma forma de bruxaria
moderna).

Um ritual simples habitual na noite de 31 de Outubro é o de acender uma vela numa das janelas de casa, em ho-
menagem aos seus ancestrais., ou queimar seus pedidos dentro doe um caldeirão

Muitos grupos reúnem-se e meditam em volta de fogueiras para honrar os seus mortos e os seus deuses, com
oferendas como frutas e flores, e terminam a festa compartilhando comida e bebida, música e dança. Uma boa bebida
para essa época é o leite quente com mel, servido com pedaços de maçã e polvilhado com canela. Pode-se acrescentar
o chocolate, que na época dos celtas não existia, mas que hoje é muito bem-vindo !...

Seguindo a tradição da inversão da Roda nos Hemisférios, O Halloween seria comemorado no dia 01 de Maio no
Hemisfério Sul e o Festival de Beltane seria comemorado no dia 31 de Outubro. Fica á escolha de cada um decidir o
que vai ser comemorado ou comemorar os dois Festivais!

09
SUGESTÃO DO MÊS

Validando a importância da obra, Raymond Buckland, outro respeitável pes-


quisador e praticante da Wicca diz: "È, realmente, um livro de culinária mági-
ca."[Ciente de que quando surge o momento de utilizar as benções que a Mãe
-Natureza nos oferece, os praticantes da Bruxaria nunca sabem o suficiente,
Scott Cuningham apresenta uma abordagem natural a respeito da magia que
deve tornar os leitores mais conscientes de sua conexão com a Mãe-Terra e
todos os seus Filhos. Repleto de explicações sobre o tema e receitas diver-
sas, é uma obra fundamental que todo Bruxo deve ter em sua biblioteca!

SALA DOS
Sobre Ervas
FEITIÇOS
e Plantas Incenso de Bom Augúrio
COMO USAR AS ERVAS MÁGICAS 6 pétalas de rosa
15g de mirra
O uso das ervas mágicas é relativamente simples! Alguma ervas 30g de sangue de drago
aqui citadas são venenosas, tenha muita cautela antes de usá- 15g de sassafrás
las!!! 15 flores de laranja
15g de juníparo
Uma forma de fazer uso das ervas mágicas é colocando-as em 15 gramas de salva
um saquinho feito com veludo preto. Este saquinho é um amuleto
mágico, por isso sempre leve-o consigo.
Usando um almofariz e um pilão, reduza
Secá-las e deixá-las penduradas em algum lugar de sua casa tam- a pó e misture todos os ingredientes se-
bém é uma forma poderosa de atrair as forças mágicas destas cos juntos numa noite de lua nova, en-
ervas. quanto visualiza as coisas de que preci-
sa e que deseja. O incenso do Bom Au-
Ervas relacionadas ao amor podem ser reduzidas à pó. Você po-
derá soprá-lo sobre a pessoa amada ou usá-lo quando quiser
gúrio pode ser queimado sobre carvões
conquistar alguém. em brasa enquanto realiza encanta-
mentos mágicos e rituais que envolvam
O PODER E A MAGIA DAS PLANTAS dinheiro, sorte e oportunidade.

Negócios: benjoim, canela, cravos da índia, louro.

Adivinhação: alecrim, anis estrelado, artemísia, canela, freixo, CHOCOLATE QUENTE


louro, noz-moscada, rosa, sândalo. DO BRUXO!

Fertilidade: carvalho, girassol, mandrágora, noz, papoula, pinho, 1 litro de leite;


romã, rosa. 4 colheres de sopa de chocolate em
pó;
Cura: alecrim, arruda, canela, cardo bento, cravo, eucalipto, frei- 3 pedacinhos de chocolate meio a-
xo, hortelã, lavanda, maçã, mirra, naciso, rosa, sálvia, violeta. margo;
½ lata de leite condensado;
Amor: alecrim, canela, cominho, coentro, jasmim, laranja, lavan- 2 paus de canela.
da, limão, lírio, maçã, manjericão, verbena, violeta. modo de preparo:
Numa panela alta, ferva o leite (separe um copo) com
Dinheiro: amêndoa, artemísia, brionia, camomila, cravo, jasmim, os paus de canela;
Quando levantar fervura adicione o chocolate em pó
madressilva, manjericão, menta, trigo.
dissolvido no copo de leite reservado;
Continue mexendo sem parar;
Proteção: alecrim, angélica, arruda, boca de leão, artemísia, erva
Deixe levantar fervura novamente;
doce, freixo, louro, peônia, verbena, visgo. Retire do fogo acrescente o leite condensado e os pe-
dacinhos de chocolate; Misture;
Purificação: açafrão, alfazema, alecrim, aniz, arruda, hortelã, la- Leve ao fogo novamente e deixe levantar fervura, nun-
vanda, limão, louro, mirra, olíbano, sabugueiro, sândalo, sangue ca pare de mexer;
de dragão. Retire do fogo e mexa até abaixar.

Dica do Bruxo:
Críticas ou Sugestões de matérias para as próximas Depois de pronto você pode colocar 2 colheres de sopa de
conhaque, ou de outra bebida alcoólica que preferir… Se
edições entre em contato conosco através do nosso e-
não tiver chocolate em pó na sua casa, use o achocolata-
mail: mundopagao@gmail.com do mesmo. Vai ficar um pouquinho mais doce. 10