Вы находитесь на странице: 1из 2

1

Nome: Thiago Augusto dos Santos


Curso: Formação Pedagógica para Graduados não licenciados - MATEMÁTICA
RGM: 21679339 / Polo: Contagem – Eldorado / MG
Disciplina: Prática de Ensino em Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental

Atividade: Unidade III – Planejamento, implementação e avaliação de processos de


ensino e de aprendizagem.

Através das minhas experiências acadêmicas e nos estágios que


frequentei, pude refletir sobre os preceitos abordados por um Currículo versus
a cultura de muitos profissionais da educação de improvisarem ou até mesmo
procrastinarem no modo de ensinar.
É fundamental a compreensão do que trata ser um Plano de Aula, um
Projeto Político Pedagógico (PPP), e nos dias atuais, conhecer a Base
Nacional Comum Curricular (BNCC). Ou seja, é possível inter-relacionar estes
princípios a fim de evoluir a realidade de percepção dos alunos?
Infelizmente convivo com gerações (uma ou duas) de profissionais da
educação com papel crucial na formação infanto-juvenil, que ainda resistem em
não praticar um trabalho de ensinar aportado de pensamentos na equidade e
foco na redução das desigualdades baseando-se numa lógica liberal – cujo
objetivo seja uma justiça social através do conhecimento intelectual.
O grande motivo de desmotivação percebido por mim, foi a
desconstrução de ambientes escolares com estruturas dignas e metodológicas,
burocratização gerando desrespeito às diferenças territoriais, geográficas,
sensoriais, religiosas, linguísticas e étnico – racial de alunos e professores. A
não inserção de conceitos e princípios no ambiente escolar como justiça social,
cultura pluralizada, respeito mútuo, senso de coletividade e entendimento das
diferenças, causou grandes prejuízos a algumas gerações de estudantes, por
causa desse rompimento de professores (Novos e antigos) com a utilização do
Currículo ou do PPP.
Entretanto pude perceber em alguns professores motivados por algo que
ainda não descobri o entendimento deles na elaboração de suas aulas, o quão
dinâmico o mundo é – ainda mais na Matemática cuja construção é constante –
e entendem quando se permitem inovar seus modos utilizando o Currículo
2

escolar atualizado, a essencialidade de ensinar Matemática contemporânea


possibilitando o aluno no Ensino Fundamental aplicar na sociedade sua
potencialidade crítica, relacionar representações gráficas com tabelas na
interpretação de objetos empíricos da realidade, por exemplo.