Вы находитесь на странице: 1из 27

Sensação, percepção, inteligência

e emoções
Processos mentais básicos
Sensação
• Um dos principais determinantes de como e por que um
indivíduo assume e mantém certas formas de
comportamento se baseia nos conceitos de sensação e
percepção.

• A sensação se refere ao estímulo físico dos sentidos: visão,


audição, olfato, paladar e tato.”

• Sentir ou captar é detectar de modo imediato: é o que


fazem os sensores ou captadores.

• O sentir exige apenas detectores ou sensores; o perceber


exige, além desses, órgãos capazes de interpretar aquilo
que é sentido ou captado.
Tipos de Sensações
• Interoceptivas (são as sensações provenientes de
nossos órgãos internos);

• Proprioceptivas (são as sensações que permitem ao


cérebro tomar conhecimento do movimento do
corpo no espaço e de sua posição em relação aos
outros corpos.);
Tipos de Sensações
• Exteroceptivas: são as sensações provenientes da
superfície do corpo, a partir de nossos órgãos dos
sentidos:
• Sensações Visuais
• Sensações auditivas
• Sensações olfativas
• Sensações gustativas
• Sensações Tactivas
• Sensações Espaciais
PERCEPÇÃO
• Percepção é o processo de interpretação das
mensagens de nossos órgãos do sentido para dar
ordem e significado. (BOWDITCH E BUONO, 2004,
p.62).

• É a interpretação das sensações, usando-se o


conhecimento e a compreensão do mundo. É um
processo ativo de "construir" uma realidade pessoal
(de ordenar o mundo), de dar sentido àquilo que se
vê, se ouve ou se toca.

• Perceber é decifrar ou reconhecer a mensagem


sensorial.
FATORES INTERNOS E EXTERNOS
• Influenciam a maneira de ver o mundo.

• Fontes de ‘variação perceptiva’:


– Limitações fisiológicas.
– Restrições culturais.
– Restrições ambientais.

• Assim, a percepção é determinada pela interação


entre fatores fisiológicos e psicológicos.
• Perceber é decifrar ou reconhecer a
mensagem sensorial. Em resumo, perceber é
elaborar, não apenas copiar (Neisser, 1967).

• Os tijolos dessas construções perceptivas são


as sensações, as memórias e as expectativas.
Perceber consiste na aquisição, interpretação,
seleção e organização das informações obtidas
pelos sentidos.
– Amor ou morte?
• A percepção envolve a interação de fatores
físicos (sensações), psicológicos (experiência e
história de vida do sujeito), e a fatores
culturais (crenças, valores, atitudes, senso
comum).

• A maneira como percebemos o mundo


determinará o nosso comportamento.
Exemplos: o que você percebe?
Distorções da percepção
• Estereótipos: preconceito; imagem preconcebida;
geralmente depreciativa. Podem ser culturalmente
construídos;

• Efeito halo (a primeira impressão é a que fica). O


efeito halo acontece quando um certo atributo de
uma pessoa ou de uma situação é usado para formar
uma impressão geral sobre a pessoa ou situação;
• Percepção seletiva: é a tendência que as pessoas têm
ver e ouvir somente os fatos que apoiam suas
crenças e os seus referenciais socioculturais. Na
percepção seletiva, destaque-se um aspecto da
realidade, uma característica de uma pessoa em
detrimento de todos os demais.

• Ex. quando fico doente, de repente tenho a


impressão de que o mundo todo está falando dessa
doença;
Distorções da percepção

• Efeito Contraste: ocorre quando as características de


uma pessoa são contrastadas com as de outras
encontradas logo em seguida ou anteriormente. É
uma comparação;

• Projeção: é a atribuição de características pessoais


para outros indivíduos. É uma forma de conhecer e
classificar uma pessoa e o seu comportamento.
Percepção e interação pessoal:
implicações pedagógicas
• As nossas percepções influenciam nossas interações
pessoais, pois nossos relacionamentos dependem da
maneira como nos percebemos uns aos outros,
sendo que muitas vezes podemos criar estereótipos
para uma pessoa influenciando a maneira como ela
própria se vê.
• Por isso, para o professor é muito importante
diferenciar aquilo que pode ser uma percepção
distorcida de uma determinada pessoa daquilo que,
efetivamente, pode ser um traço de sua
personalidade.
Inteligência
Inteligência
• A inteligência diz respeito à nossa capacidade de
discernimento, de avaliar alternativas e de adquirir
conhecimento para buscar soluções para os
problemas já vivenciados ou inéditos.

• Assim, a inteligência envolve nossa capacidade


adaptar e moldar nosso comportamento visando
alcançar um determinado objetivo. Isso envolve a
nossa capacidade de compreender da situação, de
planejar e de construir conhecimento;
Inteligência
• A inteligência envolve, então nossa capacidade
mental de raciocinar, planejar, resolver problemas,
abstrair ideias, compreender ideias e linguagens e,
principalmente, aprender com a experiência;
• A inteligência foi primeiramente vista como um fator
ou habilidade cognitiva geral de resolver problemas
(Charles Spearman - Fator G).

• No entanto hoje (Howard Gardner - Inteligência


múltiplas; Daniel Goleman - Inteligência emocional)
há uma tendência a compreender a inteligência
como um processo mais complexo que envolve
inúmeras outras habilidades intelectuais,
psicomotoras, emocionais, interpessoais etc.
O QI
• QI (Quociente de Inteligência) é um índice
mensurado a partir da aplicação de testes
psicológicos que compara o indivíduo testado com os
escores obtidos por outros indivíduos do mesmo
grupo etário.
• Para as avaliação de crianças utiliza-se a fórmula:
• QI = Idade Mental / Idade Cronológica x 100.
• Nos adultos o QI é calculado utilizando-se a
distribuição da curva normal. 50% 20% 20% 5% 5%.
QI - Classificação proposta por David
Wechsler (1940)
• QI acima de 127: Superdotação (algumas fontes citam o termo
“gênio” para QI>150)
• 120-127: Inteligência superior
• 110-120: Inteligência acima da média
• 90-110: Inteligência média
• 80-90: Embotamento ligeiro
• 65-80: Limítrofe
• 50-65: Debilidade ligeira
• 35-50: Debilidade moderada
• 20-35: Debilidade severa
• QI abaixo de 20: Debilidade profunda
As Emoções
• A emoção é um complexo estado de sentimentos,
com componentes somáticos, psíquicos e
comportamentais, relacionados ao afeto e ao humor.
(Kaplan e Sadock, 1993).

• A emoção não é voluntariamente controlada. Ela é


responsável pelos sentimentos humanos.

• Quando muito intensas as emoções podem vir


acompanhadas por reações viscerais, comandadas
pelo sistema nervoso autônomo, que determina
reações de luta e fuga.
As Emoções
• “Todas as emoções são, em essência,
impulsos, legados pela evolução, para uma
ação imediata, para planejamentos
instantâneos que visam a lidar com a vida.”
(Goleman, 1995).
O QUE É INTELIGÊNCIA EMOCIONAL?

Refere-se à eficácia com a


qual as pessoas percebem
e compreendem suas
próprias emoções e as
emoções dos outros,
sendo capazes de
administrar seu
comportamento. (Morris;
Maisto, 2004).
Componentes básicos das emoções
• Cognitivo: pensamentos, crenças e expectativas
individuais determinam a maneira singular como
será vivenciada a emoção;

• Fisiológico: mudanças físicas internas resultantes do


alerta emocional;

• Comportamental: sinais exteriores que expressão as


emoções vivenciadas (raiva, alegria, tristeza).
Evolução da maturidade emocional
• Infância: emoções com caráter captativo;

• Adolescência: emoções com caráter oblativo (que se


doa voluntariamente, sem condições impostas);

• Idade adulta: capacidade de trocar afeto (dar e


receber emoções) e de responder emocionalmente à
situação.
• Fonte: BERGAMINI, Cecília W. Psicologia
aplicada à administração. São Paulo:Atlas,
2006.

Оценить