Вы находитесь на странице: 1из 56

LÍNGUA PORTUGUESA

REDAÇÃO

Quando utilizamos a linguagem a fim de, por meio da exposição de fatos, idéias e
conceitos, chegar a conclusões, adotamos a atitude lingüística da dissertação. Nos textos
dissertativos que assim construímos, tem papel central a argumentação. Veja algumas
idéias sobre o assunto.

Coesão e argumentação
Regina H. de Almeida

O fato de o ato de escrever ser um momento em que aquele que escreve se vê sozinho
frente ao papel, tendo em mente apenas uma imagem de um possível interlocutor, faz com
que haja necessidade de uma maior preocupação em relação à coesão. Em geral, o aluno
não sabe até que ponto deve explicitar o que tenta dizer para que se faça compreender.
Entretanto, o "fazer-se compreender" é um ponto central em qualquer texto escrito; a
coesão deve colaborar nesse sentido, facilitando o estabelecimento de uma relação entre
os interlocutores do texto. O que se busca não é um texto fechado em si mesmo,
impenetrável a qualquer leitura e sim algo que possa servir como veículo de interação
entre os interlocutores.
Há ainda mais uma questão em que se deve pensar na consideração das
especificidades da modalidade escrita -a argumentação. É através dela que o locutor
defende seu ponto de vista. A argumentação contribui na criação de um jogo entre quem
escreve o texto e um possível leitor, já que aquele discute com este, procurando mostrar-
lhe que tipo de idéias o levaram a determinado posicionamento. Dito de outra maneira,
ao escrever um texto o locutor estabelece relações a partir do tema que se propôs a
discutir e tira conclusões, procurando convencer o receptor ou conseguir sua adesão ao
texto.
Não se pode traçar uma distinção absoluta entre coesão e argumentação: a coesão
garante a existência de uma relação entre as partes do texto que tomadas como um todo
devem constituir um ato de argumentação. As duas noções contribuem para a
constituição de um conjunto significativo capaz de estabelecer uma relação entre o
sujeito que escreve e seu virtual interlocutor.
É próprio da linguagem seu caráter de interlocução. A escrita não foge a esse
princípio, ela também busca estabelecer uma relação entre sujeitos. O texto deve ser
suficiente para caracterizar seu produtor enquanto um agente, um sujeito daquela
produção, ao mesmo tempo em que confere identidade ao seu interlocutor. O texto,
enquanto uma totalidade revestida de significados, acaba sendo um jogo entre sujeitos,
entre locutor e interlocutor.

1. Procure no texto expressões que expliquem o significado das palavras sujeito e


interlocução.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
____________________________

2. Na produção de textos escritos, há uma maior preocupação em relação à coesão.


Quais as causas disso?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

3. Qual a importância do "fazer-se compreender" nos textos escritos?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

4. Releia atentamente o primeiro parágrafo e responda: qual deve ser a finalidade


perseguida pelo produtor de textos escritos?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

5. Qual a importância da argumentação na elaboração de textos escritos?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

6. Como se relacionam coesão e argumentação?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

7. Retire do texto passagens que explicam a frase: "próprio da linguagem seu caráter
de interlocução" (último parágrafo).
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________

8. Explique a passagem: "O texto, enquanto uma totalidade revestida de


significados...".
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

9. Explique o que você entende por "jogo entre sujeitos".


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

10. Releia atentamente o texto e responda:


a) Qual a relação de significado entre os dois primeiros parágrafos do texto? Há
alguma palavra particularmente importante para o estabelecimento dessa relação?

b) Qual a relação de significado entre o segundo e o terceiro parágrafo?

c) Qual a relação de significado entre o terceiro e o quarto parágrafo?

d) Qual seria o esquema básico das idéias expostas no texto e do relacionamento entre
elas?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

O ato de dissertar
A vida cotidiana nos coloca constantemente a necessidade de expor idéias, opiniões,
pontos de vista. Freqüentemente, temos de deixar claro às pessoas com quem convivemos
aquilo que pensamos sobre determinado assunto. Em alguns casos, precisamos persuadi-
Ias a adotar ou aceitar a nossa forma de pensar. Reflita: isso ocorre em seu relacionamento
amoroso, em sua convivência diária com amigos e familiares, na sua relação com
professores, vizinhos, etc. Em todas essas situações e em muitas outras, somos levados a
utilizar a linguagem para dissertar, ou seja, organizamos palavras, frases, textos, a fim de,
por meio da apresentação de idéias, dados e conceitos, chegarmos a conclusões.

Diariamente, também, recebemos muitas mensagens cuja finalidade é conquistar


nossa adesão a determinadas formas de entender a realidade. Essas mensagens nos
atingem por diferentes canais: jornais, revistas, livros, televisão, rádio, conversas.
Estamos permanentemente expostos a textos (falados ou escritos) que nos procuram
convencer acerca das qualidades de determinado produto, das virtudes e defeitos deste ou
daquele candidato, das vantagens de uma nova descoberta científica, do novo motor de
um carro, de um novo jeito de levar a vida e por aí afora. Em todos esses textos, com
maior ou menor eficiência, a linguagem é manipulada de forma argumentativa, visando
não só a nos informar, mas também, e principalmente, a nos convencer.

É a atitude lingüística da dissertação que nos permite fazer uso da linguagem a fim de
expor idéias, desenvolver raciocínios, encadear argumentos, atingir conclusões. Os textos
dissertativos são produto dessa atitude e participam ativamente do nosso cotidiano falado
e escrito.
A elaboração de textos dissertativos escritos implica o domínio das formas de
funcionamento próprias da língua escrita. Assim, devemos considerar desde a questão
ortográfica até a necessidade de suprir recursos expressivos da fala (como a mímica e a
entoação) com o uso de um vocabulário mais preciso e de construções sintáticas
logicamente organizadas.

Além disso, o texto dissertativo demanda conhecimento do assunto que se vai abordar
e uma tomada de posição crítica (e, de preferência, pessoal) diante desse assunto. Em
outras palavras: precisamos de dados, informações, idéias e, também, de opiniões.

A obtenção de informações referentes aos diversos assuntos que podem dar origem a
textos dissertativos é produto de uma atitude permanentemente dinâmica em relação ao
mundo que nos cerca. Além da escola, em que temos contato com os produtos da cultura
humana, devemos nos integrar aos meios de comunicação e a outras fontes de
informação: a leitura, as conversas, as viagens, as variadas experiências do dia-a-dia. É
importante lembrar que a pesquisa pode suprir a qualquer momento nossa carência de
informações.

Ao lado desse permanente trabalho de pesquisa e atualização, você deve se habituar


ao desenvolvimento de sua capacidade crítica. Uma boa maneira de fazê-lo é utilizar a
dúvida. Ao receber uma informação, procure sempre questionar aquilo que acabou de
saber. É uma informação confiável? As causas apontadas são mesmo causas? Não há um
outro lado, uma outra versão para esses acontecimentos? O modo como a informação foi
veiculada não a distorceu? Esse tipo de questionamento permite avaliar os
acontecimentos que nos rodeiam possibilitando-nos a adoção de posições mais críticas e
menos passivas diante da realidade.

Para escrever o texto dissertativo

A elaboração de um texto dissertativo escrito deve ser produto de um plano de


trabalho, do qual fazem parte as informações e conceitos que vamos manipular, a posição
crítica que queremos manifestar, o perfil da pessoa ou grupo a que nos dirigimos e o tipo
de reação que nosso texto deve despertar. Em outras palavras: nosso texto dissertativo
deve ser produzido de forma a satisfazer os objetivos que nos propusemos alcançar.

Existe uma forma já consagrada para a organização desse tipo de texto.

Consiste em estruturarmos o material de que dispomos em três momentos principais:


a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.

Introdução: É o ponto de partida do texto. Por isso, deve apresentar de maneira clara
o assunto a ser tratado e também delimitar as questões referentes a esse assunto que serão
abordadas. Dessa forma, a introdução encaminha o leitor, colocando-lhe a orientação
adotada para o desenvolvimento do texto. Atua, assim, como uma espécie de "roteiro".

Ao confeccionar a introdução do seu texto, você pode utilizar recursos que despertem
o interesse do leitor: formular uma tese, que deverá ser discutida e provada pelo texto;
lançar uma afirmação surpreendente, que o corpo do texto tratará de justificar ou refutar;
propor uma pergunta, cuja resposta será dada no desenvolvimento e explicitada na
conclusão.

Desenvolvimento: É a parte do texto em que idéias, conceitos, informações,


argumentos de que você dispõe serão desenvolvidos, de forma organizada e criteriosa.

O desenvolvimento deve nascer da introdução: nesta, apontam-se as questões


relativas ao assunto que será abordado; naquele, essas questões devem ser desenroladas,
avaliadas -sempre por partes, de forma gradual e progressiva. A introdução já anuncia o
desenvolvimento, que retoma, ampliando e desdobrando, o que lá foi colocado de forma
sucinta.

O conteúdo do desenvolvimento pode ser organizado de diferentes maneiras, de


acordo com as propostas do texto e as informações disponíveis.

Conclusão: É a parte final do texto, um resumo forte e sucinto de tudo aquilo que já
foi dito. Além desse resumo, que retoma e condensa o conteúdo anterior do texto, a
conclusão deve expor claramente uma avaliação final do assunto discutido. Nessa parte,
também se podem fazer propostas de ação (que não devem adquirir ares de profecia).
Também no caso do texto dissertativo, a coesão é fruto da observação desses quatro
elementos. Há, ao lado disso, algumas formas lingüísticas muito importantes para a
construção do "esqueleto" do corpo dissertativo: conjunções e locuções conjuntivas
(principalmente as coordenativas), estruturas frasais que permitam avaliar Informações
(como "é necessário..."; "é fundamental..."; "é inegável..." e outras), advérbios avaliativos
("felizmente", "infelizmente", "inegavelmente"). (Esses elementos e outros mais serão
analisados na prática de leitura e criação.)

Além de atentar para a estrutura do texto dissertativo, você deve considerar os


objetivos do seu texto e o leitor ou leitores a que se dirige. Até que ponto você pretende
deixar claro que as idéias colocadas são realmente suas? Você pretende convencer seu
interlocutor, informá-lo ou simplesmente enviar-lhe uma resposta, sem esperanças de
modificar a posição que ele já manifestou? Seu leitor detém um conhecimento
pormenorizado do assunto? Você considerou argumentos contrários que podem ser
apontados? Refletindo sobre essas questões, você pode aproximar-se com maior clareza
da forma mais apropriada de compor seu texto. Lembre-se sempre de que ele é uma forma
de intercâmbio social, uma forma escrita de dialogar com o mundo cultural que nos
envolve e do qual somos parte ativa.

Embora genéricas, as observações que acabamos de fazer contribuem para sua


produção de textos dissertativos na medida em que sistematizam orientações sempre
validas. Cabe a você ampliá-las, torná-las práticas, questioná-las, superá-las.

TEXTO
O pensamento ecológico: da ecologia natural ao ecologismo
Antônio Lago & José Augusto Pádua

Para entender o desenvolvimento do pensamento ecológico e a maneira como ele


chegou ao seu atual nível de abrangência, é necessário partir da constatação de que o
campo da Ecologia não é um bloco homogêneo e compacto de pensamento. Não é
homogêneo porque nele vamos encontrar os mais variados pontos de vista e posições
políticas, e não é compacto por que em seu interior existem diferentes áreas de
pensamento, dotadas de certa autonomia e voltadas para objetos e preocupações
específicos. Podemos dizer que, grosso modo, existem no quadro do atual pensamento
ecológico pelo menos quatro grandes áreas, que poderíamos denominar Ecologia
Natural, Ecologia Social, Conservacionismo e Ecologismo. As duas primeiras de caráter
mais teórico-científico e as duas últimas voltadas para objetivos mais práticos de
atuação social. Essas áreas, cuja existência distinta nem sempre é percebida com
suficiente clareza, foram surgindo de maneira informal à medida que a reflexão
ecológica se desenvolvia historicamente, expandindo seu campo de alcance.
A Ecologia Natural, que foi a primeira a surgir, é a área do pensamento ecológico
que se dedica a estudar o funcionamento dos sistemas naturais (florestas, oceanos, etc.),
procurando entender as leis que regem a dinâmica de vida da natureza. Para estudar
essa dinâmica, a Ecologia Natural, apesar de estar ligada principalmente ao campo da
Biologia, se vale de elementos de várias ciências como a Química, a Física, a Geologia,
etc. A Ecologia Social, por outro lado, nasceu a partir do momento em que a reflexão
ecológica deixou de se ocupar apenas do estudo do mundo natural para abarcar também
os múltiplos aspectos da relação entre os homens e o meio ambiente, especialmente a
forma pela qual a ação humana costuma incidir destrutivamente sobre a natureza. Essa
área do pensamento ecológico, portanto, se aproxima mais intimamente do campo das
ciências sociais e humanas. A terceira grande área do pensamento ecológico –o
Conservacionismo - nasceu justamente da percepção da destrutividade ambiental da
ação humana. Ela é de natureza mais prática e engloba o conjunto das idéias e
estratégias de ação voltadas para a luta em favor da conservação da natureza e da
preservação dos recursos naturais. Esse tipo de preocupação deu origem aos inúmeros
grupos e entidades que formam o amplo movimento existente hoje em dia em defesa do
ambiente natural. Por fim, temos o fenômeno ainda recente, mas cada vez mais
importante, do surgimento de uma nova área do pensamento ecológico, denominada
Ecologismo, que vem se constituindo como um projeto político de transformação social,
calcado em princípios ecológicos e no ideal de uma sociedade não opressiva e
comunitária. A idéia central do Ecologismo é de que a resolução da atual crise ecológica
não poderá ser concretizada apenas com medidas parciais de conservação ambiental,
mas sim através de uma ampla mudança na economia, na cultura e na própria maneira
de os homens se relacionarem entre si e com a natureza. Essas idéias têm sido defendidas
em alguns países pelos chamados "Partidos Verdes", cujo crescimento eleitoral,
especialmente na Alemanha e na França, tem sido notável.
Pelo que foi dito acima podemos perceber que dificilmente uma outra palavra terá
tido uma expansão tão grande no seu uso social quanto a palavra Ecologia. Em pouco
mais de um século ela saiu do campo restrito da Biologia, penetrou no espaço das
ciências sociais, passou a denominar um amplo movimento social organizado em torno
da questão da proteção ambiental e chegou, por fim, a ser usada para designar toda uma
nova corrente política.
A rapidez dessa evolução gerou uma razoável confusão aos olhos do grande público,
que vê discursos de natureza bastante diversa serem formulados em nome da mesma
palavra Ecologia. Que relação pode haver, por exemplo, entre um deputado "verde" na
Alemanha, propondo coisas como a liberação sexual e a democratização dos meios de
comunicação, e um conservador biólogo americano que se dedica a escrever um trabalho
sobre o papel das bactérias na fixação do nitrogênio? Tanto um como outro, entretanto,
se dizem inseridos no campo da ecologia. A chave para não nos confundirmos diante
desse fato está justamente na percepção do amplo universo em que se movimenta o uso
da palavra Ecologia.
LAGO, Antônio & PÁDUA, José Augusto. O que é Ecologia.8. ed. São Paulo,
Brasillense, 1989. p. 13-6.

1. Divida o texto em introdução, desenvolvimento e conclusão. Justifique sua divisão.


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

2. Como se relacionam a introdução e o desenvolvimento? O que há de semelhante e de


diferente entre esses dois momentos do texto?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

3. Como se relaciona a conclusão com as outras duas partes do texto? O que ela tem de
semelhante e de diferente em relação às outras duas partes do texto?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

4. Qual a orientação adotada pelos autores para expor as quatro grandes áreas do
pensamento ecológico? Em que parte do texto essa orientação foi explicitada?
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

5. Esquematize o texto, respeitando a divisão em parágrafos feita pelos autores.


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

6. "Constituído habitualmente por um ou dois períodos curtos iniciais, o tópico frasal


encerra de modo geral e conciso a idéia-núcleo do parágrafo." Indique e comente os
tópicos frasais presentes no texto.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

7. É possível captar a posição pessoal dos autores diante do que apresentam? Comente.
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

8. Você julga o texto que acaba de ler bem-sucedido? Por quê?


________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
___

Gramática

Correção

Entende-se por correção a obediência às normas gramaticais. O redator de


documentos administrativos e comerciais deve levar em conta, porém, que a
excessiva preocupação com o que é errado gramaticalmente prejudica a
espontaneidade e a criatividade. Os textos comerciais devem ser marcados pela
correção, mas não pelo zelo excessivo que impede o fluxo da comunicação.

Há necessidade de um padrão de linguagem que sirva de instrumento geral de


comunicação entre os membros de urna mesma língua. Um mínimo de
gramaticalidade é necessário para imprimir ao texto certo grau de formalidade. A
correção aí funciona como um elemento argumentativo. Textos escritos corretamente
em geral convencem, à primeira vista, pelo respeito às regras da gramática. Um
redator desleixado com relação às normas gramaticais atrai desatenção e a
desconsideração por suas idéias. Portanto, escrever segundo a gramática é uma
necessidade que se impõe para conquistar a atenção do receptor.
Recomenda-se cuidado com a ortografia e com a sintaxe: preferir orações
coordenadas às orações subordinadas, uma vez que são necessárias frases incisivas,
rápidas, claras.

Em geral, dando primazia às orações coordenadas, evitam-se frases sem


sentido. Também se recomenda a frase curta, de cinco a quinze palavras, a
ordem direta (sujeito, verbo e complemento). A preferência será pela voz
"Fulano datilografou o relatório" e não: "O relatório foi datilografado por Fulano.""

2.2 Nonsense - orações incompletas

É um defeito muito freqüente em principiantes a utilização da subordinação,


que, por sua estrutura, favorece à prolixidade. As orações subordina." tornam o
período longo e recheado de orações intercaladas que se envolverem e
emaranham. Muitas vezes, acontece de o redator inexperiente perder a oração
principal e a frase ficar incompleta em seu sentido.

Exemplo de frase incompleta:

Estando próximo de suas férias, por motivos óbvios e para tomar conhecimento
dos fatos e viajar sossegado, pois nos anos anteriores viajara e ficara preocupado.

A frase está incompleta, pois lhe falta a oração principal

Exemplo de frase completa:


Estando próximo de suas férias, o diretor recomendou que os relatórios lhe
fossem enviados até 15 de dezembro.

No primeiro exemplo, o acúmulo de orações subordinadas fez o redator


esquecer-se da oração principal. No segundo, à oração subordinada segue
imediatamente a principal, o que favorece a compreensão.
O comprimento do período e a intercalação de orações subordinadas fazem
com que se perca o nexo sintático, e a construção fica mutilada. Exemplo:
Chegada a tarde de domingo, quando todos já estavam cansados de tanto beber,
em virtude da comemoração do aniversário do filho que fazia cinco anos e vivia
feliz entre seus brinquedos.

É evidente que a frase não terminou, pois o redator se esqueceu da oração


principal e colocou ponto final no período, deixando de dizer o mais importante,
que poderia ser: "a família dispersou-se e todos voltaram para suas casas".

INCORREÇÕES GRAMATICAIS:
 Concordância
 Impessoalidade verbal
 Regência verbal e nominal
 Colocação de pronomes oblíquos

Fatores que contribuem para a incorreção

Obscuridade: sentido duvidoso ou obscuro decorrente de acúmulo de


elementos em uma frase. Pode ser resultado também de má colocação das lavras
na frase, da impropriedade dos termos ou de pontuação defeituosa;
Os elementos que são complementares, portanto dependentes, devem ficar
perto um do outro para evitar ambigüidade.
Que considerações não cabem em um relatório tão extenso?

Pleonasmo: é a redundância, a presença de palavras supérfluas. Exemplos:


subir para cima, entrar para dentro, leite branco, inter-relação entre, apenas e tão-
somente.

Ambigüidade: defeito da frase que apresenta duplo sentido. Exemplos: pai o


filho adora. A moça encontrou o namorado e foi à casa de seu tio.

Barbarismo: caracteriza-se pelo uso de uma palavra de forma errada: ní


brica por rubrica, acróbata por acrobata, réfem por refém, rúim por ruim, interím por
ínterim.

REDAÇÃO

EXERCÍCIOS

Com base no texto de Cecília Meireles (1983:492-494), responda às questões


formuladas:

"Das palavras aéreas Ai,

palavras, ai, palavras,


que estranha potência, a vossa!
Ai, palavras, ai, palavras,
sais de vento, ides no vento,
no vento que não retoma,
e, em tão rápida existência,
tudo se forma e transforma!
Sais de vento, ides no vento,
e quedais, com sorte nova!
Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa!
Todo o sentido da vida
principia à vossa porta;
o mel do amor cristaliza
seu perfume em vossa rosa;
sais o sonho e sais a audácia,
calúnia, fúria, derrota ...

A liberdade das almas,


ai! com letras se elabora ...
E dos venenos humanos
sois a mais fina retorta:
frágil, frágil como o vidro
e mais que o aço poderosa!
Reis, impérios, povos, tempos,
pelo vosso impulso rodam ...
Detrás de grossas paredes,
de leve, quem vos desfolha?
Pareceis de tênue seda,
sem peso de ação nem de hora ... -
e estais no bico das penas,
- e estais na tinta que as molha,
- e estais nas mãos dos juízes,
- e sois o ferro que arrocha,
- e sois barco para o exílio,
- e sois Moçambique e Angola!
Ai, palavras, ai, palavras,
íeis pela estrada afora,
erguendo asas muito incertas,
entre verdade e galhofa,
desejos do tempo inquieto,
promessas que o mundo sopra ...

Ai, palavras, ai, palavras,


mirai-vos: que sois, agora?

- Acusações, sentinelas,
bacamarte, algema, escolta;
- o olho ardente da perfídia, a
velar, na noite morta;
- a umidade dos presídios,
- a solidão pavorosa;
- duro ferro de perguntas,
com sangue em cada resposta; -
e a sentença que caminha,
- e a esperança que não volta,
- e o coração que vacila,
- e o castigo que galopa ...
Língua Portuguesa

322 Português Instrumental

Ai, palavras, ai, palavras,


que estranha potência, a vossa! Perdão podíeis ter sido!
- sois madeira que se corta
- sois vinte degraus de escada,
- sois um pedaço de corda ...
- sois povo pelas janelas,
cortejo, bandeiras, tropa ...
Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa! Éreis um sopro na aragem ...
- sois um homem que se enforca!"

1.De que modalidade de discurso é o texto apresentado? Descrição? Narração? Dissertação? Por quê?
2. Que significa ser "de vento"?
3. Interprete a segunda estrofe.

4. Como você interpreta a antítese "frágil, frágil como o vidro / e mais que (li aço poderosa!"?

5. Considerando que o poema consta do livro Romanceiro da Inconfidência como se pode interpretar: "- e
sois barco para o exílio, _ e sois Moçambique e Angola!"?

6. Lendo o poema, você verifica que as palavras se transformam em ação, daí sua potência, seu grande
poder. Transcreva os versos em que isto está mais patente.

7. Novamente, considerando que o poema está ligado à "Inconfidência 1vlineira", interprete a seguinte
estrofe:
"Ai, palavras, ai, palavras,
que estranha potência, a vossa! Perdão podíeis ter sido!
- sois madeira que se corta
- sois vinte degraus de escada,
- sois um pedaço de corda ...
- sois povo pelas janelas,
cortejo, bandeiras, tropa ... "

8. Escreva um texto dissertativo em que defenda a potencialidade e a fragilidade da palavra.


9. Faça um comentário escrito sobre o poema de Cecília Meireles.
10. Explique o título do poema: "Das palavras aéreas".

SINTAXE

Regras segundo as quais as palavras se combinam para formar frases é a sintaxe.


A Sintaxe é a parte da Gramática que estuda a relação de dependência formal e 1ógica entre as palavras de uma
frase, entre as orações de um período e entre as frases de um discurso. Em outros termos, à Sintaxe cabe descrever:

A) a dependência entre as palavras da frase, entre as orações do período, entre as frases do discurso;
B) a ordem das palavras na frase, das orações no período, das frases no discurso;
C) a conformação flexional entre certas palavras da frase.
Ou seja, a sintaxe permite criar e interpretar frases.

OBSERVAÇÕES

3ª Etapa 10
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
Para que possa ser sintaticamente analisável, a frase deve ser oracional, isto e, deve formar-se de uma ou mais
orações.

FRASE,ORAÇÃO,PERÍODO

Unidade de comunicação entre falante e ouvinte, entre escritor e leitor. Na linguagem oral, possui uma melodia, um
ritmo, uma entoação que a escrita procura sugerir por meio de sinais de pontuação, e deve começar por letra
maiúscula.

Palavra ou grupo de palavras com sentido definido.


. ? ! ...

EX: “Quanta alegria no salão!”


“Fogo!”
“Se ainda escrevo, é porque nada mais tenho a fazer no mundo enquanto espero a morte.”

TIPOS DE FRASE

a) Nominal ou Não –Oracional: Frase sem verbo ou apenas com verbo sob forma nominal (infinitivo, gerúndio e
particípio)
EX: Bom dia!
Ah, que vontade de alegria.”

b) Oracional ou Período:
- Frase que apresenta pelo menos um verbo sob forma desenvolvida.
- Frase oracional que apresenta uma ou mais orações.
EX: “Terá tido ela saudade do passado?”
“Não, não é fácil escrever. È duro como quebrar pedras.

TIPOS DE PERÍODO

A) SIMPLES: Período com apenas uma declaração, ou seja, uma oração.


EX: “As cartas traziam cordiais recordações.”

B) COMPOSTO:Período com mais de uma declaração ou oração.

EX: “A vida te viveu, sem que vivesses ela.”

ORAÇÃO

È a frase ou parte da frase formada por sujeito e predicado, estruturada em torno de um verbo ou locução verbal,
explícitos ou não, e só haverá coincidência entre FRASE, ORAÇÃO e PERÍODO quando o período for simples.
Nem todas as frases constituem oração.

EXERCÌCIOS

1. Leia as afirmativas abaixo e marque:


C -para CORRETO
I -para INCORRETO

( ) A) Frase é a palavra ou grupo de palavras com sentido e entoação definidos.


( ) B) A frase tem que apresentar pelo menos um verbo.
( ) C) A frase oracional deve conter verbo sob qualquer forma: nominal ou desenvolvida.
( ) D) A frase oracional deve apresentar pelo menos um verbo sob forma desenvolvida.

3ª Etapa 11
Língua Portuguesa

( ) E) Todo período é frase.


( ) F) Toda frase e período.
( ) G) A oração coincide sempre com a frase.
( ) H) Toda oração deve ter verbo sob forma simples ou composta.
( ) I) Só há coincidência entre FRASE, ORAÇÃO E PERíODO quando o período for simples.
( ) J) Pode haver ORAÇÃO na frase nominal.

Para responder as questões 2 e 3, leia o texto abaixo.

CIDADE GRANDE

Que beleza, Montes Claros.


Como cresceu Montes Claros.
Quanta indústria em Montes Claros.
Montes Claros cresceu tanto,
ficou urbe tão notória,
prima-rica do Rio de Janeiro
que já tem cinco favelas
por enquanto, e mais promete.
(Carlos D. de Andrade in CORPO)

2. Marque a ou as alternativa (s) correta (s)

A) Há no poema, cinco orações.


B) Ocorre apenas um período composto no poema.
C) O poema apresenta três frases nominais.
D) São quatro as frases do poema.
E) A segunda frase do poema é exclamativa.

3. A IRONIA é um recurso que consiste, basicamente, em afirmar idéias ou características que apontam para sua
própria negação. Observando o tipo de frases que constituíram o poema, explique o efeito irônico que o poeta
obteve.
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________
_____________________________________________________________________________________

TERMOS DA ORAÇÃO

TERMOS ESSENCIAIS

SUJEITO E PREDICADO

Vamos supor que você esteja conversando com uma amiga e, no momento em que você está falando, aproxima-se
de vocês uma outra pessoa, um outro amigo. Esse amigo não teve tempo de ouvir o começo de sua frase. Vamos
supor que ele tenha ouvido apenas você falar o seguinte:
...invadiram a cidade.
Se esse amigo quisesse saber a respeito de quem você está falando, como ele faria?
Ele poderia, por exemplo, fazer a seguinte pergunta:
Quem é que invadiu a cidade?
Com essa pergunta, ele estaria querendo saber a respeito de quem você estava falando. Ele estaria querendo

3ª Etapa 12
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
saber quem é o sujeito da frase que você enunciou.
Se, por exemplo, você respondesse assim à pergunta dele: Milhares de abelhas invadiram a cidade, então ele
passaria saber que o sujeito da frase era milhares de abelhas.
Podemos dizer, então, que:
Sujeito é o ser a respeito do qual afirmamos ou negamos alguma coisa.
Em geral, uma oração é constituída pelo sujeito e por uma afirmação (ou negação) que se faz a respeito do sujeito:
o predicado, que sempre apresenta um verbo em sua estrutura.

oração = sujeito + predicado


Em nosso exemplo temos:

Milhares de abelhas invadiram a cidade


Sujeito predicado
Na prática, para encontrar o sujeito de uma oração, é aconselhável que você faça o seguinte:

.localize o verbo da oração;


.faça a pergunta: quem é que verbo ? (colocando no retângulo o verbo da oração).
A resposta à pergunta é o sujeito da oração. Em nosso exemplo:
Quem é que invadiu?
Milhares de abelhas => sujeito

Características do sujeito.

O verbo e o sujeito estão sempre em concordância:

Os gatos vadios dominavam os becos.


Sujeito verbo => concordam

Em grande número de orações, o sujeito pode ser trocado por um dos seguintes pronomes: ele, ela, eles, elas.
Milhares de abelhas invadiram a cidade.
sujeito
Elas invadiram a cidade.

Classificação do sujeito

Tradicionalmente, o sujeito é classificado em:

Sujeito simples

É aquele constituído por apenas um núcleo, isto é, uma palavra importante:

Os primeiros dias de paz começaram cedo.


núcleo
sujeito

Sujeito composto

É aquele que apresenta dois ou mais núcleos:


O velho e o garoto voltaram à igreja.
Núcleo núcleo
sujeito

Sujeito oculto

E aquele que só se pode conhecer examinando a desinência (terminação) do verbo da oração:

Chegaremos à cidade de manhã.


3ª Etapa 13
Língua Portuguesa

(Chegaremos --- sujeito oculto: nós)

Voltarás à casa de teus pais.


(voltarás -+ sujeito oculto: tu)

Sujeito indeterminado

Ocorre quando não queremos ou não podemos indicar o sujeito da oração.


Existem duas maneiras de se indeterminar o sujeito. São elas:

 usando o verbo na 3ª pessoa do singular acompanhado pelo pronome SE:

Come-se bem naquele restaurante.


Acreditava-se em assombrações?

OBSERVAÇÃO Nesses casos, o pronome é chamado de índice de indeterminação do sujeito.

 usando o verbo na 3ª pessoa do plural:

Atropelaram um cão na rua.


3ª plural

Atualmente falam muito mal de você.


3ª plural

OBSERVAÇÃO Eles falam mal de você.


Em frases como essa, embora a forma verbal esteja na 3 ª pessoa do plural (falam), o sujeito não é indeterminado,
pois sabemos quem fala, isto é, podemos determinar o sujeito: eles.

Oração sem sujeito (sujeito inexistente)


Ocorre, principalmente, com os seguintes verbos:

Haver (no sentido de: existir, acontecer, tempo passado)


Houve muita confusão. (haver = acontecer)
Não havia guardas lá. (haver = existir)
Há dois anos, chegamos aqui. (haver = tempo passado)

ATENÇAO Quando o verbo haver tem sentido de existir, o sujeito classifica-se como inexistente, mas quando se
usa o próprio verbo existir a oração tem sujeito normalmente.
Não havia pessoas na rua. (sujeito inexistente)
não é o sujeito
Não existiam pessoas na rua. (sujeito simples)
é o sujeito

Observe como o verbo haver fica no singular, não concordando com pessoas, enquanto que o verbo existir vai
para o plural, concordando com o sujeito pessoas.

Fazer e ser (com relação a tempo)


Faz seis anos / que ele sumiu.
Já são duas horas da manhã.

Verbos indicativos de fenômenos da natureza


Depois do almoço, choveu muito.
No inverno amanhece mais tarde.

OBSERVAÇÃO Os verbos formadores de orações sem sujeito são chamados verbos impessoais e, excluindo o
verbo ser ficam sempre na 3ª pessoa do singular.
3ª Etapa 14
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

EXERCÍCIOS

1. As orações abaixo estão na ordem indireta (sujeito depois do verbo). Coloque-as na ordem direta (sujeito antes
do verbo).

a) Iam, pela estrada deserta, os últimos retirantes.


____________________________________________________________________________________________

b) Todos os dias chegam novas cartas.


____________________________________________________________________________________________

2. Na oração: Foram chamados às pressas todos os vaqueiros da fazenda vizinha, o núcleo do sujeito é:

a) todos c) vizinha e) pressas


b) fazenda d) vaqueiros

Nos exercícios 3 a 10, classifique o sujeito e justifique sua resposta, conforme o exemplo, abaixo:
A lua solitária banhava os campos.
sujeito: simples.
justificativa: apresenta um só núcleo -lua.

3. O vento e o frio impediram a realização da festa.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. Ontem choveu durante a tarde.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Disseram-me muitas verdades a seu respeito.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

6. Eles me disseram muitas verdades a seu respeito.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

7. Hoje, ficarás aqui em minha casa.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
8. Vive-se bem naquela cidade.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

9. Alugam-se casas novas.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

10. Houve muitas lutas e guerras naquele país.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

11. Reescreva as frases abaixo, colocando o termo grifado no plural e fazendo, se necessário, a alteração no verbo
para efetuar a concordância:

a) Reformulou-se a proposta.
3ª Etapa 15
Língua Portuguesa

____________________________________________________________________________________________

b) Desconfiou-se da proposta.
____________________________________________________________________________________________

12. Transforme as orações abaixo em orações sem sujeito.

a) Existiram muitos problemas aqui.


____________________________________________________________________________________________

b) Jamais vão existir tais críticas.


____________________________________________________________________________________________

13. Marque a oração em que o termo destacado é o sujeito:

a) Houve muitas brigas no jogo.


b) Ia haver mortes se a polícia não interviesse.
c) Faz dois anos que não há bons espetáculos.
d) Existem muitas pessoas desonestas.
e) Há muitas pessoas desonestas.

14. Assinale a alternativa onde o sujeito está incorretamente classificado:

a) Chegaram, de manhã, o mensageiro e o guia. (suj. composto).


b) Fala-se muito neste assunto. (suj. indeterminado).
c) Haverá oportunidade para todos. (suj. inexistente).
d) Vai fazer frio à noite. (suj. inexistente).
e) Não existem flores no vaso. (suj. inexistente)

Questões de 1 a 4

A posição usual do sujeito é antes do verbo. Por isso se diz que, nessa posição, a frase está em ordem direta.
Diz-se, por outro lado, que a frase está em ordem inversa quando o sujeito vai posposto ao verbo.
As frases que seguem estão em ordem inversa:
-grife o sujeito;
-reescreva a frase em ordem direta.

EXERCÌCIOS II

1. “Às esquinas, nas quitandas vazias, fermentava um cheiro acre de sabão da terra...”
(Aluísio Azevedo)
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. “E dessas horas ardentes


ficou uma cinza fria”
(Manuel Bandeira)
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. “...não me convinha uma briga com Mendonça, homem reimoso.”


(Graciliano Ramos)
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

4. “Durante muito tempo sofreu o poeta a crítica conseqüente da incompreensão...”


(Manuel Bandeira)
3ª Etapa 16
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

5. Identifique o sujeito dos verbos grifados no trecho que segue:


"Quando o ataque passou, fui para casa, tirei o calção e arriei na cama, esgotado, mas logo tocaram a campainha e,
quando olhei pelo olho mágico, vi no corredor escuro uma figura toda encapuzada."
(Rubem Fonseca)
Indique o sujeito dos seguintes verbos:

-passou:
____________________________________________________________________________________________

-tocaram:
____________________________________________________________________________________________

-vi:
____________________________________________________________________________________________

6. Quando o sujeito não vem expresso no enunciado (caso de elipse), é pela terminação do verbo e pelo contexto
que se pode identificar o termo que preencheria o lugar vazio.

Como a elipse do sujeito obriga-nos a correlacionar entre si diferentes partes do enunciado, diz-se que se trata de
um expediente de coesão (amarração) do texto.

Tente identificar que termo (palavra ou expressão) poderia vir explícito como sujeito dos verbos grifados no trecho
a seguir.

"Veio o mau gênio da vida,


Rompeu em meu coração,
Levou tudo de vencida,
Rugiu como um.furacão,
Turbou, partiu, abateu,
Queimou sem razão nem dó-
Ah, que dor!"
(Manuel Bandeira)

7. Leia os dois trechos que seguem:

I) Dizem que, na capital, circula o rumor de que haverá um choque na economia.


lI) Os correspondentes de todos os grandes jornais do país estão enviando notícias alarmantes de Brasília.
Dizem que, na capital, circula o rumor de que haverá um choque na economia.
a) É possível identificar o sujeito de dizem no trecho I?

Trata-se, pois, de um sujeito _____________________

b) Há, no contexto, um termo que possa ser interpretado como sujeito de dizem?
Se houver, transcreva-o.

Trata-se, portanto, de um sujeito _____________________

Questões de 8 a l 2

Resolva estas questões, assinalando:


a) se o pronome se é apassivador e o sujeito, determinado;
b) se o pronome se é índice de indeterminação do sujeito e o sujeito, indeterminado.

8. ( ) "Chamam-se tais reformas de casuísticas."


3ª Etapa 17
Língua Portuguesa

(Isto é)

9. ( )"No Maranhão falava-se de tudo."


(Aluísio Azevedo)

10. ( )"Ouviam-se soluços discretos e o crepitar seco das velas."


(Aluísio Azevedo)

11. ( ) "Morre-se muito bem às seis ou sete horas da tarde,"


(Machado de Assis)

12. ( ) "Precisa-se de profissionais autônomos, com experiência comprovada."


(Classificados do Jornal do Brasil)

Questões de 13 a 17.

Classifique o sujeito dos verbos destacados, de acordo com o seguinte código:


a) sujeito determinado simples;
b) sujeito determinado composto;
c) sujeito indeterminado;
d) sujeito inexistente;
e) sujeito determinado implícito na desinência verbal.

13. ( ) "No fundo da mala havia uns números velhos de almanaques e revistas."
(Guimarães Rosa)

14. ( ) "A cárie e os preços dos dentistas destroem a boca do brasileiro."


(Isto é)

15. ( ) "... corriam dela umas mulheres. que andavam buscando lenha,"
(Guimarães Rosa)

16. ( )"Chegaram a assustar o vice Aureliano."


(Isto é)

17. ( ) Jamais sofri do complexo de Édipo. graças a Deus."


(Mário de Andrade)

Leia o trecho que segue:

Tragédia Brasileira
"Misael. funcionário da Fazenda. com 63 anos de idade, conheceu Maria Elvira na Lapa - prostituída, com sífilis,
dermite nas dedos, uma aliança empenhada e os dentes em petição de miséria. Misael tirou Maria Elvira da vida,
instalou-a num sobrado no Estácio, pagou médico, dentista, manicura... Dava tudo quanto ela queria.
Quando Maria Elvira se apanhou de boca bonita. arranjou logo um namorado."
(Manuel Bandeira)
Nesse trecho de Manuel Bandeira, Misael é projetado nos enunciados como sujeito agente de praticamente todos os
verbos de ação (conheceu, tirou, instalou, pagou, dava ).
No último parágrafo, é Maria Elvira que vem projetada como sujeito agente de um verbo de ação (arranjou).

18. Qual é a transformação no percurso narrativo que justifica essa mudança do sujeito agente?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

19. UNICAMP _ adaptada


3ª Etapa 18
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
No texto a seguir, há um trecho que, se tomado literalmente (ao pé da letra), leva a uma interpretação absurda.

A oncocercose é uma doença típica de comunidades primitivas. Não foi desenvolvido ainda nenhum medicamento
ou tratamento que possibilite o restabelecimento da visão. Após ser picado pelo mosquito, o parasita (agente da
doença) cai na circulação sangüínea e passa a provocar irritações oculares até a perda total da visão.
(Folha de São Paulo, 2.11.90)

a) transcreva o trecho problemático.


b) diga qual a interpretação absurda que se pode extrair desse trecho.
c) qual a interpretação pretendida pelo autor?
d) reescreva o trecho de forma a deixar explícita tal interpretação.
e) Para explicar o motivo provocador da interpretação absurda, tente identificar o sujeito da locução verbal ser
picado
("Após ser picado pelo mosquito...").

20. Leia a frase que segue:


"Desta vez cercaram a classe média: menos salário, mais inflação."
(Isto é).
a) Pelo conhecimento que temos do mundo é absurda a interpretação de que "menos salário, mais inflação" é o
sujeito da frase?
b) A pausa, no caso indicada pelos dois pontos, confirma ou impede essa interpretação?

21. (OSEC)
"Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante (.. .)"

Para se entender um pensamento, o uso da ordem direta, muitas vezes, é fundamental. Coloque os dois primeiros
versos nesta ordem: sujeito, verbo e complemento.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

22. Observe o trecho:


"Grande escândalo é este; mas a circunstância o faz ainda maior."

Passe a palavra escândalo para o plural e reescreva o trecho todo, fazendo apenas as alterações obrigatórias.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

23. Aponte a alternativa em que haja sujeito indeterminado.

a) Aluga-se casa na praia.


b) Faltam oito meses para o exame.
c) Houve um grave acidente na Dutra.
d) Andam falando mal do prefeito.
e) Nunca se saberá o destino daquele dinheiro.

24. "Enquanto os homens exercem os podres poderes, motos e fuscas avançam os sinais vermelhos, e perdem os
verdes: somos uns boçais."
(Caetano Veloso)

Indique e classifique o sujeito dos verbos do texto acima.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
3ª Etapa 19
Língua Portuguesa

25. "Uma reputação pode perder-se com a menor prova de fraqueza."


(C. D. Andrade)

a) Reescreva a frase acima. passando-a para a voz passiva analítica.


b) Que forma assumira a frase de Drummond se substituirmos "Uma reputação" por "Reputações" e eliminarmos o
verbo auxiliar?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

26. (FUVEST-1ª FASE)


."... e antes nunca houvesse aberto o bico..."
."Assim da tua vangloria há muitos que se ufanam."

Nas passagens anteriores, o verbo haver é, respectivamente:

a) auxiliar e auxiliar
b) auxiliar e impessoal
c) impessoal e impessoal
d) principal e auxiliar
e) principal e impessoal

27 “Novas notícias chegaram sobre os missionários. Eram estrangeiros -de que país mesmo, ninguém sabia, tão
atrapalhado o português que falavam” (C. D. Andrade)
No fragmento acima, a expressão "o português" é sujeito de um verbo que está subentendido. Reescreva todo o
fragmento, explicitando esse verbo.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

28. Preencha os parênteses com o seguinte código:

(1) Sujeito indeterminado


(2) Sujeito inexistente
(3) Sujeito indeterminado agente
(4) Sujeito determinado paciente
(5) Sujeito reflexivo

( ) Resolveu-se um último problema.


( ) Os boticários, já não se fala deles.
( ) Deve ter havido um engano.
( ) Os fiéis flagelavam-se com fanatismo incrível.
( ) Que trabalho dão essas crianças!

29 (FATEC-2ª FASE)

a) Empregue o verbo haver na frase abaixo:

“Aproxima-te dele, pois é dele que _____________o que queres."

b) O sentido do verbo haver na frase acima é:


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
3ª Etapa 20
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

30) “A uma observação mais atenta, notar-se-á um detalhe preocupante."


Sobre a frase acima, aponte a afirmação correta:

a) o sujeito é "uma observação mais atenta."


b) o sujeito é indeterminado.
c) o sujeito é reflexivo.
d) o se é pronome apassivador.
e) "um detalhe preocupante" é objeto direto do verbo “notar”.

TIPOS DE VERBO

IMPORTÂNCIA DO VERBO .

O verbo é uma palavra de valor dinâmico que faz referência a processos, localizando-os no tempo. E ele o elemento
definidor da estrutura oracional, uma vez que não há oração sem predicado e não há predicado sem a presença de
um verbo. Justifica-se, pois, focalizar as características dos diversos tipos de verbo para entender a estrutura
oracional.

VERBOS SIGNIFICATIVOS E DE LIGAÇÂO

Quanto a natureza significativa, distinguimos os verbos nocionais ou significativos dos verbos relacionais ou de
ligação.

Verbo significativo: É todo verbo que, fundamentalmente, exprime uma ação, um fato ou um fenômeno.

EX: O pescador dormia à sombra da árvore.


v. sig.

Poucas pessoas gostam deste lugar.


v. sig.

Ontem choveu muito.


v. sig.

TIPOS DE VERBOS SIGNIFICATIVOS

Dependendo de ter ou não sentido completo, os verbos significativos são classificados em:

Verbo intransitivo: e aquele que, por ter sentido completo, não exige nenhum termo que lhe complete o sentido.
Isso significa que o verbo intransitivo não exige objeto.

As nossas encomendas chegaram.


v. int.

Assobiava lá fora, um vento gelado.


V. int. suj.

Verbo transitivo direto: é o verbo que exige, para completar-lhe o sentido, um termo não iniciado por preposição -o
objeto direto.
Alguns turistas fotografavam o mar.
v.t.d. obj.dir.

Verbo transitivo indireto: é todo verbo que exige um complemento (objeto) iniciado por preposição -o objeto
indireto.
3ª Etapa 21
Língua Portuguesa

O motorista desconfiou de nossa conversa.


v. t. i. obj. ind.

Verbo transitivo direto e indireto: é todo verbo que exige dois complementos,um deles sem preposição (objeto
direto) e o outro com preposição (objeto indireto).

Todos pediram ajuda ao fiscal.


v.t.d.i.. obj.dir. obj. ind.

A escola fornece todas as informações aos interessados.


v.t.d.i. obi. dir. obi. Ind.

Verbo de ligação: é todo verbo que estabelece um vínculo, uma ligação entre o sujeito e uma qualidade atribuída a
esse sujeito. A qualidade (ou característica, ou modo de ser) atribuída ao sujeito denomina-se predicativo do sujeito.

Algumas crianças estavam tristes.


suj. v. lig. predicat.

A torcida ficou extremamente irritada.


suj. v.lig. predicat.

Termos relacionados ao verbo

Objeto direto: é o complemento verbal não iniciado por preposição obrigatória.

Poucas pessoas já leram esse livro.


v.t.d. obi. dir.

O objeto direto caracteriza-se pelo seguinte:

_toda frase que apresenta objeto direto pode ser transposta para a voz passiva.

Todos aplaudiram o jogador (v. ativa)


v.t.d. obi. dir.

O jogador foi aplaudido por todos (v. passiva)


suj.

Observe que o objeto direto da voz ativa torna-se o sujeito da voz passiva.

_O objeto direto pode, sempre, ser trocado por um dos seguintes pronomes oblíquos:

[O], [A], [OS], [AS]

Alguns moradores conheciam o velhinho.


v. t. d. obi. dir.

Trocando o objeto direto pelo pronome obliquo equivalente, temos:

Alguns moradores o conheciam.


obi. dir. v. t. d.

OBS:Há casos em que o objeto direto pode apresentar, antes de si, uma preposição. Essa preposição, no entanto,
não é exigida pelo verbo e pode ate ser eliminada da frase.

3ª Etapa 22
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
A noticia surpreendeu a todos.
sui. v.t.d. obi. dir.
preposicionado

Objeto indireto: é o complemento verbal que, obrigatoriamente, vem iniciado por uma preposição (de, com, em,
para etc.).

.Muitos já desconfiavam de você.


v.t.i. obj.ind.

O poeta dedicou o livro aos jovens.


v.t.d.i .obj.dir. obj.ind

ADJUNTO ADVERBIAL

 associado a verbo;
 com ou sem preposição;
 indica a circunstancia em que se desenrola a ação verbal.

Ex: O boletim chegou ontem de Brasília.


Verbo adjunto adjunto
adverbial adverbial
Obs.: a adjunto adverbial pode modificar o adjetivo e o próprio advérbio. Exemplo:

Ex: Foi uma decisão muito oportuna.

Todos o conhecem muito bem.

AGENTE DA VOZ PASSIVA

 sempre associado a verbo passivo;


 através da preposição;
 indica o agente, o executor da ação verbal.

Ex: O televisor foi desligado pelo educador.


Verbo Agente da voz
Passivo Passiva

EXERCÍCIOS

Questões de 1 a 4.

Analise os termos destacados das frases que seguem, de acordo com o código:

A) objeto direto;
B) objeto indireto;

I. ( ) Senadores discutem propostas do governo sobre reforma fiscal.


2. ( ) Presidente Itamar solicita à Autolatina o relançamento do Fusca.
3. ( ) O ciúme e o orgulho interferem decisivamente nas atitudes humanas.
4. ( ) Na época do carnaval, o homem põe sobre sua máscara um rosto de papelão. (Xavier Forneret)

5. Assinale com um X a frase em que ocorre objeto direto preposicionado.

a) ( )Entrou em casa, comeu do nosso pão e bebeu do nosso vinho.


b) ( ) As últimas chuvas trouxeram alívio aos agricultores.

3ª Etapa 23
Língua Portuguesa

c) ( ) Todos desconfiaram do depoimento do deputado.


d) ( ) O acordo não convinha a todos.

6. Analise sintaticamente o termo grifado.

a) "Ah! Meu filho, ferir a um mestre é como ferir ao próprio pai." (Raul Pompéia)

b) “Asseguramos ao candidato sigilo absoluto”.”(Jornal do Brasil)

c) "Desesperado. deixou o cravo, pegou do papel escrito e rasgou-o”.Machado de Assis) ,

d) “Dr. Samuel perdia aos poucos o desembaraço dos primeiros instantes”. (Antonio Alcântara Machado)

Questões de 8 a 10

Assinale:

A) para o adjunto adverbial;


B) para o agente da voz passiva.

8. ( ) Pagou os impostos com muito dinheiro, mas com pouco prazer.


9. ( ) Nas democracias, o governo é eleito pelo povo.
10. ( ) As ruas do centro foram totalmente invadidas pelas águas.
11. Há situações em que não interessa ou não convém revelar o agente ou aquele que se responsabiliza pela ação
indicada pelo verbo. Um dos recursos de que a língua dispõe para isso é o uso da voz passiva com apagamento do
agente. Imagine, par exemplo, que o prefeito de uma grande cidade queira proteger-se das reações dos seus
eleitores contra medidas impopulares que ele pretende adotar.
Elaboram para ele duas opções de discurso:

a) Adotarei severas medidas para o bom funcionamento da cidade: aplicarei pesadas multas aos infratores em geral;
multarei com rigor estacionamentos em lugares proibidos; corrigirei o preço do imposto predial nos bairros mais
privilegiados.

b) Severas medidas serão adotadas para o bom funcionamento da cidade: pesadas multas serão aplicadas aos
infratores em geral; estacionamentos em lugares proibidos serão multados com rigor; o preço do imposto predial
será corrigido nos bairros mais privilegiados.

Qual dos dois trechos o prefeito escolheria para incluir em seu discurso? Explique sua resposta. .

12. Compare os dois trechos que seguem:

I) No momento, minha casa está em verdadeira desordem: paredes estão sendo derrubadas; o madeiramento sendo
removido; os fios elétricos estão sendo trocados; o encanamento sendo substituído.

II) Um verdadeiro exército de obreiros está ocupando a minha casa: os pedreiros estão derrubando paredes; o
carpinteiro removendo o madeiramento; o eletricista está trocando os fios; o encanador substituindo o
encanamento.
Como se pode notar o trecho I dá mais destaque às ocorrências dentro de uma casa; o II dá mais destaque aos atores
responsáveis pelas ocorrências.

Explique o mecanismo gramatical que produz essa diferença.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3ª Etapa 24
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
13. Como se sabe, os adjuntos adverbiais são classificados de acordo com a circunstância que exprimem.
Classifique os adjuntos adverbiais grifados nas frases que seguem:

a) “As pessoas só são heróis quando não podem agir de outro modo”. (Paul Claudel)
____________________________________________________________________________________________

b) “Se eu tiver de ser assassinado, que seja a punhal, aqui no Senado, e como Cesar”." (Pinheiro Machado)
____________________________________________________________________________________________

c) “Os estúpidos estão em toda parte; a maioria tem a força, mas não a razão; a minoria sempre tem razão”.
(Ibsen)
____________________________________________________________________________________________

d)"A bomba que caiu sobre Hiroshima caiu sobre a América também ..." (Hermann Hegedom)
____________________________________________________________________________________________

e) "Guarda-a na memória essa paisagem. Que não se repetirá na face da terra com as mesmas indefinidas cores”.
____________________________________________________________________________________________

"As paixões coletivas são muito pouco numerosas e de qualidade grosseira "," (Louis Pauwels)
____________________________________________________________________________________________

14. Leia com atenção o trecho que segue:

“Esta estrada onde moro, entre duas voltas do caminho,


interessa mais que uma avenida urbana.
Nas cidades todas as pessoas se parecem,
Todo o mundo é igual, Todo o mundo e toda a gente,
Aqui; não: sente-se bem que cada um traz a sua alma".
(Manuel Bandeira)

Como se vê, o poeta fala do contraste entre dois espaços opostos: um é o espaço da cidade; outro e designado pelo
adjunto adverbial aqui, o espaço onde se localiza aquele que fala.
A coesão textual permite identificar com precisão o espaço do aqui. Qual a passagem do texto que permite essa
identificação?

15. UINICAMP –2ª fase) -A conhecida ironia de Machado de Assis fica evidente na seguinte passagem do romance
Memórias Póstumas de Brás Cubas:

" Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos reis(...)"

Nesse, como em muitos outros trechos de seus romances, o escritor usa com maestria as palavras, obtendo através
da sua combinação, o efeito irônico desejado. Diga qual é a ironia presente na passagem citada e explique de que
maneira Machado consegue obter o efeito irônico através das relações de significação que se estabelecem entre
as palavras que ele escolheu.

16. (Vunesp -adaptada)-


Língua Portuguesa
"Última flor do Lácio, inculta e bela,
És a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...
Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clagor, lira singela ,
Que tens o trom e o silvo da procela
3ª Etapa 25
Língua Portuguesa

E o arrolo da saudade e da ternura!”


(Olavo Bilac)

Releia a segunda estrofe do poema de Bilac e responda:

a) Que há de comum, do ponto de vista sintático, entre os vocábulos tom, silvo e arrolo?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) que há de comum entre estes mesmos vocábulos do ponto de vista do significado?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

17. I) O carteiro bateu o portão da casa.


II) O carteiro bateu no portão da casa.
Como se vê, os dois trechos são quase iguais: a diferença está estabelecida por uma preposição apenas [no (em + o)

I. (UNICAMP)
O humor da tirinha abaixo gira em tomo de um enunciado ambíguo
(isto é, que pode ter mais de uma interpretação):
HAGAR

.GOULACHE: prato típico húngaro que consiste em ensopado de carne e verduras, temperado com páprica.
.HELGA: esposa de Hagar.

Responda:
3ª Etapa 26
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

a) como Eddie Sortudo esperava que Hagar interpretasse sua pergunta?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) como Hagar de fato interpretou a pergunta de seu amigo?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

c) o que torna a pergunta ambígua, na forma em que se apresenta?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

18. (CTA-Computação) -Na oração:


"Creio nas mágicas de Deus", ocorre:

a) verbo transitivo direto e indireto


b) verbo transitivo indireto
c) verbo transitivo direto
d) verbo intransitivo
e) nenhuma das alternativas acima

19. (FEI) -Conforme o código, indique a função sintática das palavras sublinhadas:

a) sujeito
b) objeto direto
c) objeto indireto

I. De novo aplicou o ouvido.


2. Pela superfície do rio, rolava um som estrepitoso.

21. (FUVEST) -Se passarmos para a voz ativa a frase "O francês da Williams foi derrotado pela chuva", mantendo
tempo e modo verbais, o verbo da frase resultante deverá assumir a forma:

a) havia derrotado.
b) derrotara.
c) derrotou.
d) derrotara.
e) derrotava.

22. Os devotos estão levando flores para o mar.


Explique por que este enunciado e ambíguo.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
23. Leia o enunciado que segue:
O mascate vendeu um temo de linho ao coronel.

a) Passe o enunciado para a voz passiva.


3ª Etapa 27
Língua Portuguesa

b) I. O que aparece na voz ativa como sujeito aparece na voz passiva como ____________________
II. O que na ativa é objeto direto, na passiva é ____________________________ .

(UFPR) -Na oração: "O alvo foi atingido por uma bomba formidável.”, a locução por uma bomba formidável tem a
função de:

a) objeto indireto. d) complemento nominal.


b) agente da passiva. e) adjunto adnominal.
c) adjunto adverbial.

24. (MED-ABC) -Na oração: "Sem dúvida, esta menina toca piano muito bem” , a palavra piano e a palavra
menina são respectivamente:

a) sujeito e agente da passiva.


b) agente da passiva e sujeito.
c) adjunto adverbial de instrumento e sujeito.
d) objeto direto e sujeito.
e) adjunto adverbial de modo e sujeito.

25. (FEI) -Resolva as questões a seguir conforme o código que segue:

a) adjunto adverbial de lugar;


b) adjunto adverbial de tempo;
c) adjunto adverbial de modo;
d) adjunto adverbial de causa.

I –Segunda-feira haverá um jogo importante.


II -Com o mau tempo não podemos trabalhar ao relento.
III -O livro foi acolhido com entusiasmo pelos leitores.
IV -O automóvel parou perto do rio.

26. No fragmento que segue, extraído de "O Primo Basílio" de Eça de Queirós, ocorrem algumas palavras ou
expressões grifadas. Analise-as sintaticamente.
"Foi para o quarto. Rezou, apagou a luz. Um calor mole e contínuo caía do forro; começou a faltar-lhe o ar; tornou
a abrir o postigo, mas o bafo quente que vinha dos telhados enjoava-a: e era assim todas as noites, desde o começo
do estio.”
para o quarto -
a luz-
do forro-
o postigo -
assim -

27. "... tomei-a na palma da mão e fui depô-las no peitoril da janela."


(Machado de Assis)
Sobre essa passagem, pode-se dizer que:

a) O a de tomei-a e o lá de depô-la funcionam como objeto direto.


b) O a e objeto direto; e o lá é objeto indireto.
c) na palma da mão e no peitoril da janela são termos com funções sintáticas diferentes.
d) na palma da mão é adjunto adverbial de modo.
e) da janela é adjunto adverbial de lugar.

28. "Domingos Botelho bramia contra o filho, e ordenava ao meirinho geral que o prendesse, à sua ordem."
Nesse fragmento de Amor de Perdição de Camilo Castelo Branco,
qual dos termos e objeto indireto?

3ª Etapa 28
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
a) Domingos Botelho c) o ("o prendesse")
b) ao meirinho geral d) à sua ordem.

RESUMO

TERMOS ASSOCIADOS AO NOME

ADJUNTO ADNOMINAL

 sempre associado a nome;


 com ou sem preposição;
 sem mediação de verbo;
 caracteriza ou determina o nome a que se liga.

Ex:

Muitos cientistas de peso estarão presentes.


ajunto nome adjunto
adnominal adnominal

PREDICATlVO

 sempre associado a nome;


 com ou sem preposição;
 sempre através de um verbo;
 caracteriza ou determina o nome a que se liga.

Ex:
A aula estava monótona.
Nome predicativo do sujeito

Obs.: O predicativo, quando se refere ao objeto, denomine-se predicativo do objeto.

Exemplo:

Considero ótima sua idéia.

COMPLEMENTO NOMINAL

 sempre associado a nome;


 através de preposição obrigatória;
 indica o alvo o elemento sabre o qual recai a ação do nome.

Ex:
A resposta ao interessado foi imediata.
nome complemento
nominal

APOSTO

 função de núcleo substantivo;


 sempre associado a nome;
 sem preposição em geral;
 identifica ou explica melhor o nome a que se liga.

3ª Etapa 29
Língua Portuguesa

Ex:
Aquela rua, lugar deserto, facilitou o roubo.
nome aposto

Obs.: Há casos de aposto precedido de preposição.

Exemplo:
A cidade de São Paulo é monstruosa.

EXERCÍCIOS

Questões de 1 a 5.

Resolva as questões que seguem, de acordo com o código:

a) predicativo;
b) adjunto adnominal.

I.( ) De repente o dia ficou cinzento.


2.( ) Ocorrências costumeiras tomaram-se raras naquele período.
3.( ) Nas eleições, políticos conservadores ficam progressistas.
4.( ) A população assistiu perplexa aos funerais da atriz.
5.( ) Políticos sem escrúpulos tapeiam o povo com promessas irrealizáveis.

Questões de 6 a 8

"O poeta ia bêbedo no bonde,


O dia nascia atrás dos quintais,
As pensões alegres dormiam tristíssimas."
(Carlos Drumond de Andrade) -

Dê a função sintática de:

6. bêbedo
____________________________________________________________________________________________

7. alegres
____________________________________________________________________________________________

8. tristíssimas
____________________________________________________________________________________________

9. As duas frases que seguem são formadas por palavras idênticas. Mas, dada a sua organização sintática, possuem
significados diferentes. Tente descrever essa diferença.

a) O medo do jornalista era que o tribunal militar julgasse o seu artigo.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) O medo do jornalista era que o tribunal militar julgasse seu o artigo.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

10. Examine a frase:

Os participantes da gincana acharam a estrada transitável.

3ª Etapa 30
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
Descreva as duas maneiras possíveis de entender essa frase.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

12. Leia a frase:

A pergunta do malicioso jornalista deixou confuso o experimentado político.

Dos adjetivos grifados responda:

a) Qual é o adjunto adnominal?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) Qual é o predicativo do objeto?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

13. Procure explicar a diferença de sentido que existe entre as duas frases que seguem:

a) A crítica do comentarista foi exagerada e tendenciosa.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) A crítica ao comentarista foi exagerada e tendenciosa.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

14. Analise os termos grifados:

Os elogios da crítica especializada ao novo livro surpreenderam o autor.

a) da crítica especializada
b) ao novo livro

15. (FUVEST)-

Na frase "Ficamos escandalizados com a matança dos marginais", há uma ambigüidade. Reescreva a frase de duas
maneiras, cada uma com um de seus possíveis significados.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

16. Naquele dia, eu soube o que é medo de ladrão.

Fora de contexto, essa frase é ambígua. Mas o contexto pode desfazer a ambigüidade.
Inscreva a frase dentro de um contexto em que ela perca a ambigüidade.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

Quest6es de 17 a 20

Nas questões abaixo, analise os termos grifados de acordo com o código que segue:

3ª Etapa 31
Língua Portuguesa

A) adjunto adnominal;
B) complemento nominal;

17. ( ) A pergunta do repórter foi considerada indiscreta.


18. ( ) A pergunta ao ex-prefeito foi considerada indiscreta
19. ( ) A compra de ouro em barras já é possível para o pequeno investidor.
20. ( ) Em seus artigos semanais, o controvertido colunista não esconde seu ódio contra pobres e desfavorecidos.

Quest6es de 21 a 26

Analise os termos grifados nas questões que seguem, de acordo com o código:

a) adjunto adnominal;
b) aposto;
c) predicativo do sujeito;
d) predicativo do objeto;
e) complemento nominal.

21. ( ) "O ministro do Gabinete Civil Ronaldo Costa Couto, disse ontem que cabe aos ministros cumprirem as
decisões do governo." (Folha de São Paulo)
22. ( ) Não se fala de corda em casa de enforcado.
23. ( ) Modernamente, pouco se fala de Buridan, filósofo medieval.
24. ( ) A neve caía mansa trás da vidraça.
25. ( ) Os analistas já davam a eleição como perdida.
26. ( ) As chuvas provocaram o adiamento do espetáculo esportivo.

22. Os policiais prenderam o mendigo nu.

a) Quais são os dois sentidos que podem ser atribuídos a essa frase?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) Passe a frase para a voz passiva, de acordo com cada um dos sentidos que lhe pode ser atribuído.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

22. Observe os dois enunciados que seguem:

I) O professor bêbado deu aula durante esta semana.


II) O professor deu aula bêbado durante esta semana.

a) Qual das duas frases nos assegura que o professor é alcoólatra? -


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) Qual é a função da palavra bêbado em cada uma das frases?


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

23. Observe as frases:

I) O forasteiro entrou na cidade desarmado.


II) A policia entrou na cidade desarmada.
a) Pode-se dizer que as duas são ambíguas?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3ª Etapa 32
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
b) Explique sua resposta.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

24. A lembrança dos exilados não raras vezes tirava-lhes lágrimas dos olhos.

Explique por que essa frase e ambígua.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

25. (FUVEST)-
"O pedido de empréstimo ao Sindicato dos Metalúrgicos é o caso mais delicado para a direção nacional do PT."

A construção dada à frase acima não permite saber com certeza quem fez o pedido e quem emprestou.

a) Explique a causa sintática dessa ambigüidade.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) Redija novamente a frase de duas maneiras diferentes, de forma a permitir com clareza só uma das
interpretações de cada vez.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

26. (FeFAAP-Exatas) -Indique a função sintática do termo grifado:


"Afastei-o da combinação e concentrei as minhas esperanças em Lucio Gomes de Azevedo Gondim, periodista
de boa índole e que escreve o que lhe mandam."
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

27. Observe as duas frases que seguem:

I) Nenhuma declaração ao povo foi mais ofensiva.


II) Nenhuma declaração foi mais ofensiva ao povo.

Explique a diferença de sentido que existe em cada uma das frases.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

EXERCÍCIOS II

1. (UNIV. EST .DE PONTA GROSSA) -Numa frase somente, o termo sublinhado não é predicativo. Marque-a:

a) O menino crescia sadio cercado da atenção de todos.


b) Como você fala bonito, pai!
c) O rio escorria assustado, adivinhando o precipício.
d) Nuvens negras se arrastavam raivosas.
e) n.d.a.

2. (FEI) – Pouco saber exalta o nosso amor-próprio, muito saber o humilha.


Todas as palavras grifadas tem a mesma função sintática. Qual e essa função?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
3ª Etapa 33
Língua Portuguesa

____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. (MACKENZIE) -Aponte a alternativa em que o termo grifado não é complemento nominal.

a) Grande publicação de bons livros é fator de desenvolvimento cultural.


b) O atendimento aos fregueses piora sempre.
c) Sua preferência por assuntos policiais faz-nos crer que ele possui ocultos pendores para a criminalística.
d) Embora fosse favorável à votação secreta, acatou a decisão de todos.
e) O aproveitamento racional dos recursos humanos tomou possível o cumprimento do prazo.

4. (U. M. PIRACICABA) -Em “...as empregadas das casas saem apressadas, de latas e garrafas na mão, para a
pequena fila de leite”.

Os termos destacados são respectivamente:

a) adjunto adverbial de modo e adjunto adverbial de matéria.


b) predicativo do sujeito e adjunto adnominal.
c) adjunto e complemento nominal.
d) adjunto adverbial de modo e adjunto adnominal.
e) predicativo do objeto e complemento nominal.

EXERCÍCIOS III

1. Observe as frases que seguem:

I) Os ventos sopravam fortes.


II) Os ventos sopravam com força.
III) Os ventos sopravam forte.
IV) Os ventos fortes sopravam.

a) Dentre as quatro frases, há duas que têm a mesma estrutura sintática. Quais são elas?
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

b) Explique sua resposta.


____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

2. Ninguém achou a solução correta.


Explique os dois sentidos possíveis dessa frase.
____________________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________________

3. "A franqueza é a primeira virtude de um defunto." (Machado de Assis)


O termo grifado é:

a) adjunto adnominal
b) predicativo do sujeito
c) complemento nominal
d) objeto indireto
e) aposto
O fragmento que segue é de Iracema de José de Alencar:

"Iracema, a virgem dos lábios de mel, que linha os cabelos mais negros que a asa da graúna, e mais longos que
seu talhe de palmeira.
3ª Etapa 34
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
O favo da jati não era doce como seu sorriso: nem baunilha rescendia no bosque como seu hálito perfumado. "

Analise sintaticamente os termos transcritos abaixo:

a virgem dos lábios de mel -


da graúna -
Ida jati -
Doce-
perfumado -

4."Às vezes, na fuga, pairava ofegante num beiral de telhado (...)” (Clarice Lispector)

Os dois termos grifados são, respectivamente:

a) adjunto adnominal, adjunto adnominal.


b) adjunto adverbial, complemento nominal.
c) complemento nominal, complemento nominal,
d) predicativo do sujeito, adjunto adnominal.
e) adjunto adnominal, complemento nominal.

Regência Verbal

A regência estuda a relação existente entre os termos de uma oração ou entre as orações de um período.
A regência verbal estuda a relação de dependência que se estabelece entre os verbos e seus complementos. Na
realidade o que estudamos na regência verbal é se o verbo é transitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto e
indireto ou intransitivo e qual a preposição relacionada com ele.

Verbos Transitivos Diretos

São verbos que indicam que o sujeito pratica a ação, sofrida por outro elemento, denominado objeto direto.
Por essa razão, uma das maneiras mais fáceis de se analisar se um verbo é transitivo direto é passar a oração para a
voz passiva, pois somente verbo transitivo direto admite tal transformação, além de obedecer, pagar e perdoar, que,
mesmo não sendo VTD, admitem a passiva.
O objeto direto pode ser representado por um substantivo ou palavra substantivada, uma oração (oração
subordinada substantiva objetiva direta) ou por um pronome oblíquo.
Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto direto são os seguintes: me, te, se, o, a, nos, vos, os, as.
Os pronomes oblíquos tônicos que funcionam como objeto direto são os seguintes: mim, ti, si, ele, ela, nós, vós,
eles, elas.
Como são pronomes oblíquos tônicos, só são usados com preposição, por isso se classificam como objeto direto
preposicionado.
Vamos à lista, então, dos mais importantes verbos transitivos diretos: Há verbos que surgirão em mais de uma lista,
pois têm mais de um significado e mais de uma regência.

Aspirar será VTD, quando significar sorver, absorver.


• Como é bom aspirar a brisa da tarde.

Visar será VTD, quando significar mirar ou dar visto.


• O atirador visou o alvo, mas errou o tiro.
• O gerente visou o cheque do cliente.

Agradar será VTD, quando significar acariciar ou contentar.


• A garotinha ficou agradando o cachorrinho por horas.
• Para agradar o pai, ficou em casa naquele dia.

Querer será VTD, quando significar desejar, ter a intenção ou vontade de, tencionar.
• Sempre quis seu bem.
• Quero que me digam quem é o culpado.
3ª Etapa 35
Língua Portuguesa

Chamar será VTD, quando significar convocar.


• Chamei todos os sócios, para participarem da reunião.

Implicar será VTD, quando significar fazer supor, dar a entender; produzir como conseqüência, acarretar.
• Os precedentes daquele juiz implicam grande honestidade.
• Suas palavras implicam denúncia contra o deputado.

Desfrutar e Usufruir são VTD sempre.


• Desfrutei os bens deixados por meu pai.
• Pagam o preço do progresso aqueles que menos o desfrutam. (e não desfrutam dele, como foi escrito no tema da
redação da UEL em julho de 1996)

Namorar é sempre VTD. Só se usa a preposição com, para iniciar Adjunto Adverbial de Companhia.
Esse verbo possui os significados de inspirar amor a, galantear, cortejar, apaixonar, seduzir, atrair, olhar com
insistência e cobiça, cobiçar.
• Joanilda namorava o filho do delegado.
• O mendigo namorava a torta que estava sobre a mesa.
• Eu estava namorando este cargo há anos.

Compartilhar é sempre VTD.


• Berenice compartilhou o meu sofrimento.

Esquecer e Lembrar serão VTD, quando não forem pronominais, ou seja, caso não sejam usados com pronome,
não serão usados também com preposição.
• Esqueci que havíamos combinado sair.
• Ela não lembrou o meu nome.

Verbos Transitivos Indiretos

São verbos que se ligam ao complemento por meio de uma preposição. O complemento é denominado objeto
indireto.
O objeto indireto pode ser representado por um substantivo, ou palavra substantivada, uma oração
(oração subordinada substantiva objetiva indireta) ou por um pronome oblíquo.
Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto indireto são os seguintes: me, te, se, lhe, nos, vos, lhes.
Os pronomes oblíquos tônicos que funcionam como objeto indireto são os seguintes: mim, ti, si, ele,
ela, nós, vós, eles, elas.
Vamos à lista, então, dos mais importantes verbos transitivos indiretos: Há verbos que surgirão em mais
de uma lista, pois têm mais de um significado e mais de uma regência.

Verbos Transitivos Indiretos, com a prep. a

Aspirar será VTI, com a prep. a, quando significar almejar, objetivar.


• Aspiramos a uma vaga naquela universidade.

Visar será VTI, com a prep. a, quando significar almejar, objetivar.


• Sempre visei a uma vida melhor.

Agradar será VTI, com a prep. a, quando significar ser agradável; satisfazer.
• Para agradar ao pai, estudou com afinco o ano todo.

Querer será VTI, com a prep. a, quando significar estimar.


• Quero aos meus amigos, como aos meus irmãos.

Assistir será VTI, com a prep. a, quando significar ver ou ter direito.
• Gosto de assistir aos jogos do Santos.
• Assiste ao trabalhador o descanso semanal remunerado.
3ª Etapa 36
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

Custar será VTI, com a prep. a, quando significar ser difícil. Nesse caso o verbo custar terá como sujeito aquilo
que é difícil, nunca a pessoa, que será objeto indireto.
• Custou-me acreditar em Hipocárpio. e não Eu custei a acreditar...

Proceder será VTI, com a prep. a, quando significar dar início.


• Os fiscais procederam à prova com atraso.

Obedecer e desobedecer são sempre VTI, com a prep. a.


• Obedeço a todas as regras da empresa.
Revidar é sempre VTI, com a prep. a.
• Ele revidou ao ataque instintivamente.

Responder será VTI, com a prep. a, quando possuir apenas um complemento.


• Respondi ao bilhete imediatamente.
• Respondeu ao professor com desdém.

Caso tenha dois complementos, será VTDI, com a prep. a.


Alguns verbos transitivos indiretos, com a prep. a, não admitem a utilização do complemento lhe. No lugar,
deveremos colocar a ele, a ela, a eles, a elas. Dentre eles, destacam-se os seguintes:

Aspirar, visar, assistir(ver), aludir, referir-se, anuir.

Quando houver, na oração, um verbo transitivo indireto, com a prep. a, seguido de um substantivo feminino, que
exija o artigo a, ocorrerá o fenômeno denominado crase, que deve ser caracterizado pelo acento grave (à ou às).
• Assisti à peça das meninas do terceiro colegial.

Verbos Transitivos Indiretos, com a prep. com

Simpatizar e Antipatizar sempre são VTI, com a prep. com. Não são verbos pronominais, portanto não existe o
verbo simpatizar-se, nem antipatizar-se.
• Sempre simpatizei com Eleodora, mas antipatizo com o irmão dela.

Implicar será VTI, com a prep. com, quando significar antipatizar.


• Não sei por que o professor implica comigo.

Verbos Transitivos Indiretos, com a prep. de

Esquecer-se e lembrar-se serão VTI, com a prep. de, quando forem pronominais, ou seja, somente
quando forem usados com pronome, poderão ser usados com a prep. de.
• Esqueci-me de que havíamos combinado sair.
• Ela não se lembrou do meu nome.

Proceder será VTI, com a prep. de, quando significar derivar-se, originar-se.
• Esse mau-humor de Pedro procede da educação que recebeu.

Verbos Transitivos Indiretos, com a prep. em

Consistir é sempre VTI, com a prep. em. Esse verbo significa cifrar-se, resumir-se ou estar firmado, ter por
base, ser constituído por.
• O plano consiste em criar uma secretaria especial.

Sobressair é sempre VTI, com a prep. em. Não é verbo pronominal, portanto não existe o verbo sobressair-se.
• Quando estava no colegial, sobressaía em todas as matérias.

Verbos Transitivos Indiretos, com a prep. por

3ª Etapa 37
Língua Portuguesa

Torcer é VTI, com a prep. por. Pode ser também verbo intransitivo. Somente neste caso, usa-se com a prep. para,
que dará início a Oração Subordinada Adverbial de Finalidade. Para ficar mais fácil, memorize assim: Torcer
por + substantivo ou pronome. Torcer para + oração (com verbo).
• Estamos torcendo por você.
• Estamos torcendo para você conseguir seu intento.

Chamar será VTI, com a prep. por, quando significar invocar.


• Chamei por você insistentemente, mas não me ouviu.

Verbos Transitivos Diretos e Indiretos

São os verbos que possuem os dois complementos - objeto direto e objeto indireto.

Chamar será VTDI, com a prep. a, quando significar repreender.


• Chamei o menino à atenção, pois estava conversando durante a aula.
• Chamei-o à atenção.
Obs.: A expressão Chamar a atenção de alguém não significa repreender, e sim fazer se notado. Por exemplo: O
cartaz chamava a atenção de todos que por ali passavam.

Implicar será VTDI, com a prep. em, quando significar envolver alguém.
• Implicaram o advogado em negócios ilícitos.

Custar será VTDI, com a prep. a, quando significar causar trabalho, transtorno.
• Sua irresponsabilidade custou sofrimento a toda a família.

Agradecer, Pagar e Perdoar são VTDI, com a prep. a. O objeto direto sempre será a coisa, e o objeto indireto, a
pessoa.
• Agradeci a ela o convite.
• Paguei a conta ao Banco.
• Perdôo os erros ao amigo.

Pedir é VTDI, com a prep. a. Sempre deve ser construído com a expressão Quem pede, pede algo a alguém.
Portanto é errado dizer Pedir para que alguém faça algo.
• Pedimos a todos que tragam os livros.

Preferir é sempre VTDI, com a prep. a. Com esse verbo, não se deve usar mais, muito mais, mil vezes, nem que
ou do que.
• Prefiro estar só a ficar mal-acompanhado.

Avisar, advertir, certificar, cientificar, comunicar, informar, lembrar, noticiar, notificar, prevenir são VTDI,
admitindo duas construções: Quem informa, informa algo a alguém ou Quem informa, informa alguém de
algo.
• Advertimos aos usuários que não nos responsabilizamos por furtos ou roubos.
• Advertimos os usuários de que não nos responsabilizamos por furtos ou roubos.
Quando houver, na oração, um verbo transitivo direto e indireto, com a prep. a, seguido de um substantivo
feminino, que exija o artigo a, ocorrerá o fenômeno denominado crase, que deve ser caracterizado pelo acento
grave (à ou às).
Advertimos às alunas que não poderiam usar a sala fora do horário de aula.

Verbos Intransitivos

São os verbos que não necessitam de complementação. Sozinhos, indicam a ação ou o fato.
Assistir será intransitivo, quando significar morar.
• Assisto em Londrina desde que nasci.

Custar será intransitivo, quando significar ter preço.


3ª Etapa 38
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
• Estes sapatos custaram R$50,00.

Proceder será intransitivo, quando significar ter fundamento.


• Suas palavras não procedem!

Morar, residir e situar-se sempre são intransitivos.


• Moro em Londrina; resido no Jardim Petrópolis; minha casa situa-se na rua Cassiano Ricardo.

Deitar-se e levantar-se são sempre intransitivos.


• Deito-me às 22h e levanto-me às 6h.
Ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer e dirigir-se são intransitivos. Aparentemente eles têm complemento, pois
Quem vai, vai a algum lugar. Porém a indicação de lugar é circunstância, e não complementação. Classificamos
como Adjunto Adverbial de Lugar. Alguns gramáticos classificam como Complemento Circunstancial de Lugar.

Esses verbos exigem a prep. a, na indicação de destino, e de, na indicação de procedência.


Só se usa a prep. em, na indicação de meio, instrumento.
• Cheguei de Curitiba há meia hora.
• Vou a São Paulo no avião das 8h.
Quando houver, na oração, um verbo intransitivo, com a prep. a, seguido de um substantivo feminino, que exija o
artigo a, ocorrerá o fenômeno denominado crase, que deve ser caracterizado pelo acento grave (à ou às).
• Vou à Bahia.

Verbos de regência oscilante

VTD ou VTI, com a prep. a

Assistir pode ser VTD ou VTI, com a prep. a, quando significar ajudar, prestar assistência.
• Minha família sempre assistiu o Lar dos Velhinhos.
• Minha família sempre assistiu ao Lar dos Velhinhos.

Chamar pode ser VTD ou VTI, com a prep. a, quando significar dar qualidade. A qualidade pode vir precedida da
prep. de, ou não.
• Chamaram-no irresponsável.
• Chamaram-no de irresponsável.
• Chamaram-lhe irresponsável.
• Chamaram-lhe de irresponsável.

Atender pode ser VTD ou VTI, com a prep. a.


• Atenderam o meu pedido prontamente.
• Atenderam ao meu pedido prontamente.

Anteceder pode ser VTD ou VTI, com a prep. a.


• A velhice antecede a morte.
• A velhice antecede à morte.

Presidir pode ser VTD ou VTI, com a prep. a.


• Presidir o país.
• Presidir ao país.

Renunciar pode ser VTD ou VTI, com a prep. a.


• Nunca renuncie seus sonhos.
• Nunca renuncie a seus sonhos.

Satisfazer pode ser VTD ou VTI, com a prep. a.


Polícia Rodoviária Federal
Apostila de Português para Concursos 127
• Não satisfaça todos os seus desejos.
3ª Etapa 39
Língua Portuguesa

• Não satisfaça a todos os seus desejos.

VTD ou VTI, com a prep. de

Precisar e necessitar podem ser VTD ou VTI, com a prep. de.


• Precisamos pessoas honestas.
• Precisamos de pessoas honestas.

Abdicar pode ser VTD ou VTI, com a prep. de, e também VI.
• O Imperador abdicou o trono.
• O Imperador abdicou do trono.
• O Imperador abdicou.

Gozar pode ser VTD ou VTI, com a prep. de.


• Ele não goza sua melhor forma física.
• Ele não goza de sua melhor forma física.

VTD ou VTI, com a prep. em

Acreditar e crer podem ser VTD ou VTI, com a prep. em.


• Nunca cri pessoas que falam muito de si próprias.
• Nunca cri em pessoas que falam muito de si próprias.

Atentar pode ser VTD ou VTI, com a prep. em, ou com as prep. para e por.
• Em suas redações atente a ortografia.
• Deram-se bem os que atentaram nisso.
• Não atentes para os elementos supérfluos.
• Atente por si, enquanto é tempo.

Cogitar pode ser VTD ou VTI, com a prep. em, ou com a prep. de.
• Começou a cogitar uma viagem pelo litoral brasileiro.
• Hei de cogitar no caso.
• O diretor cogitou de demitir-se.

Consentir pode se VTD ou VTI, com a prep. em.


• Como o pai desse garoto consente tantos agravos?
• Consentimos em que saíssem mais cedo.

VTD ou VTI, com a prep. por

Ansiar pode ser VTD ou VTI, com a prep. por.


• Ansiamos dias melhores.
• Ansiamos por dias melhores.

Almejar pode ser VTD ou VTI, com a prep. por, ou VTDI, com a prep. a.
• Almejamos dias melhores.
• Almejamos por dias melhores.
• Almejamos dias melhores ao nosso país.

VI ou VTI, com a prep. a

Faltar, Bastar e Restar podem ser VI ou VTI, com a prep. a.


• Muitos alunos faltaram hoje.
• Três homens faltaram ao trabalho hoje.
• Resta aos vestibulandos estudar bastante.

3ª Etapa 40
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
Na última frase apresentada não há erro algum, como à primeira vista possa parecer. A tendência é de o aluno
concordar o verbo estudar com a palavra vestibulando, construindo a oração assim: Resta os vestibulandos
estudarem.
Porém essa construção está totalmente errada, pois o verbo é transitivo indireto, portanto resta a
alguém. Então vestibulandos funciona como objeto indireto e não como sujeito. Nenhum verbo concorda com o
objeto indireto.
Quando houver, na oração, um verbo transitivo indireto, com a prep. a, seguido de um substantivo
feminino, que exija o artigo a, ocorrerá o fenômeno denominado crase, que deve ser caracterizado pelo acento
grave (à ou às).
Assisti à peça das meninas do terceiro colegial.

VI ou VTD

Pisar pode ser VI ou VTD. Quando for VI, admitirá a prep. em, iniciando Adjunto Adverbial de Lugar.
• Pisei a grama para poder entrar em casa.
• Não pise no tapete, menino!

Exercícios Sobre Regências Verbal e Nominal

Para o exercícios de 01 a 19, marcará com “C” as alternativas corretas e com “I “ as incorretas:

01) ( ) A greve geral não agradou os diretores.


02) ( ) Você aspirava ao cargo? Sim, aspirava-lhe.
03) ( ) O residente assiste o cirurgião na operação
04) ( ) Não atenderam seu pedido por falta de amparo legal
05) ( ) Quero-a para esposa e companheira
06) ( ) Vamos proceder uma investigação minuciosa
07) ( ) Devemos visar, acima de tudo ao bem da família
08) ( ) Às vezes, chamavam- o tolo e arrogante
09) ( ) O pai custava sentir a revolta do filho
10) ( ) Já respondi todos os cartões
11) ( ) Supressão da liberdade implica, não raro, em violência
12) ( ) Lembrei-me que era tarde e corri
13) ( ) Avisei-o que os fiscais chegaram
14) ( ) Obedecia-lhe porque o respeitava
15) ( ) Aos amigos, perdoa-lhes todas as ofensas
16) ( ) Os guias ainda não foram pagos
17) ( ) À vida prefere a honra
18) ( ) Afinal, simpatizei-me com a proposta...
19) ( ) Lemos e gostamos muito de seus poemas

Para as questões de 20 a 22, assinale a alternativa, preenchendo as lacunas corretamente:

20) Obedeça- ___, estime-___ e ___ sempre que precisar

a) os – os- recorra a eles


b) lhes – os – recorra a eles
c) os – lhes – recorra-lhes
d) lhes – lhes – recorra-lhes

21) Os encargos ______nos obrigaram são aqueles _____o diretor se referiu

a) de que, que
b) a que, a que
c) a cujos, cujo
d) de que, de que

3ª Etapa 41
Língua Portuguesa

22) Alguns demonstram verdadeira aversão _______ exames, porque nunca se empenharam o suficiente _____
utilização do tempo ______ dispunham para o estudo

a) por, com, que


b) a, na, que
c) a, na, de que
d) com, na, que

23) Assinale a incorreta:

a) O trabalho ansiava o rapaz


b) O rapaz ansiava por trabalho
c) Você anseia uma vaga
d) Aquele espetáculo ansiava-o

24) Ansiava ____ encontrá-lo, a fim de ____ pelo sucesso:

a) por, cumprimentá-lo
b) por cumprimentar-lhe
c) em, cumprimentar-lhe
d) para cumprimentar-lhe

25) Assinale a substituição errada:

a) Aspiro o pó – Aspiro-o
b) Aspiro ao sucesso – Aspiro-lhe
c) Aspiro ao sucesso – Aspiro a ele
d) Aspiramos o ar – Aspiramo-lo

26) Assinale a substituição incorreta:

a) O médico assiste o doente – O médico assiste-o


b) O médico assiste ao doente – O médico assiste-lhe
c) O doente assiste ao programa – O doente assiste-lhe
d) O doente assiste ao programa – O doente assiste a ele

27) Assinale a opção em que o verbo ASSISTIR é empregado com o mesmo sentido que apresenta em :
“Não direi que assisti às alvoradas do Romantismo”:

a) Não se pode assistir indiferente a um ato de injustiça


b) Não assiste a você o direito de me julgar
c) É dever do médico assistir a todos os enfermos
d) Em sua administração, sempre foi assistido por bons conselheiros

28) Leia os períodos e selecione, depois, a opção correta:

1. O povo assistiu ao jogo? Sim, o povo assistiu a ele


2. O professor aspirava o cargo de diretor da escola
3. A enfermeira não assistiu o jogo porque assistia a um doente
4. Os que vestem roupas delicadas e finas são os que assistem nos palácios dos reis

a) Apenas os períodos 1 e 4 são corretos


b) Todos estão corretos
c) Apenas os períodos 2 e 3 são corretos
d) Apenas o 1º período é correto
29) Assinale a correta:

3ª Etapa 42
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
a) Custa-me descobrir qual a correta
b) Custei a resolver os problemas
c) Custei rever a matéria
d) Custou-me para explicar a ele
30) Assinale a incorreta:
a) Esqueceu-me a carteira
b) Eu me esqueci da carteira
c) Eu esqueci da carteira
d) Esqueceu-se a carteira

Concordância Verbal

Estudar a concordância verbal é, basicamente, estudar o sujeito, pois é com este que o verbo concorda. Se o sujeito
estiver no singular, o verbo também o estará; se o sujeito estiver no plural, o mesmo acontece com o verbo. Então,
para saber se o verbo deve ficar no singular ou no plural, deve-se procurar o sujeito, perguntando ao verbo Que(m)
é que pratica ou sofre a ação? ou Que(m) é que possui a qualidade? A resposta indicará como o verbo deverá
ficar.
Por exemplo, a frase.
As instalações da empresa são precárias tem como sujeito As instalações da empresa, cujo núcleo é a palavra
instalações, pois elas é que são precárias, e não a empresa; por isso o verbo fica no plural.
Até aí tudo bem. O problema surge, quando o sujeito é uma expressão complexa, ou uma palavra que suscite
dúvidas.

Coletivo

Quando o sujeito for um substantivo coletivo, como, por exemplo, bando, multidão, matilha, arquipélago,
trança, cacho, etc., ou uma palavra no singular que indique diversos elementos, como, por exemplo, maioria,
minoria, pequena parte, grande parte, metade, porção, etc., poderão ocorrer três circunstâncias:

A) O coletivo funciona como sujeito, sem acompanhamento de qualquer restritivo:


Nesse caso, o verbo ficará no singular, concordando com o coletivo, que é singular.

Ex.
• A multidão invadiu o campo após o jogo.
• O bando sobrevoou a cidade.
• A maioria está contra as medidas do governo.

B) O coletivo funciona como sujeito, acompanhado de restritivo no plural:


Nesse caso, o verbo tanto poderá ficar no singular, quanto no plural.

Ex.
• A multidão de torcedores invadiu / invadiram o campo após o jogo.
• O bando de pássaros sobrevoou / sobrevoaram a cidade.
• A maioria dos cidadãos está / estão contra as medidas do governo.

C) O coletivo funciona como sujeito, sem acompanhamento de restritivo, e se encontra distante do verbo:
Nesse caso, o verbo tanto poderá ficar no singular, quanto no plural.

Ex.
• A multidão, após o jogo, invadiu / invadiram o campo.
• O bando, ontem à noite, sobrevoou / sobrevoaram a cidade.
• a maioria, hoje em dia, está / estão contra as medidas do governo.

Um milhão, um bilhão, um trilhão:

3ª Etapa 43
Língua Portuguesa

Com um milhão, um bilhão, um trilhão, o verbo deverá ficar no singular. Caso surja a conjunção e, o verbo ficará
no plural.

Ex.
• Um milhão de pessoas assistiu ao comício
• Um milhão e cem mil pessoas assistiram ao comício.

Mais de, menos de, cerca de...


Quando o sujeito for iniciado por uma dessas expressões, o verbo concordará com o numeral que vier
imediatamente à frente.

Ex.
• Mais de uma criança se machucou no brinquedo.
• Menos de dez pessoas chegaram na hora marcada.
• Cerca de duzentos mil reais foram surripiados.

Quando Mais de um estiver indicando reciprocidade ou com a expressão repetida, o verbo ficará no
plural.

Ex.
• Mais de uma pessoa agrediram-se.
• Mais de um carro se entrechocaram.
• Mais de um deputado se xingaram durante a sessão.

Nomes próprios no plural


Quando houver um nome próprio usado apenas no plural, deve-se analisar o elemento a que ele se refere:

A) Se for nome de obra, o verbo tanto poderá ficar no singular, quanto no plural.

Ex.
• Os Lusíadas imortalizou / imortalizaram Camões.
• Os Sertões marca / marcam uma época da Literatura Brasileira.

B) Se for nome de lugar - cidade, estado, país... - o verbo concordará com o artigo; caso não haja artigo, o verbo
ficará no singular.

Ex.
• Os Estados Unidos comandam o mundo.
• Campinas fica em São Paulo.
• Os Andes cortam a América do Sul.

Obs.: Se o nome de lugar possuir artigo, mas este, por alguma razão, não for utilizado, a concordância
com o artigo permanecerá sendo a regra, ou seja, o verbo continuará concordando com o artigo.

Ex.
• EUA vencem o México na oitavas de final da Copa do Mundo.
Qual de nós / Quais de nós

Quando o sujeito contiver as expressões ...de nós, ...de vós ou ...de vocês, deve-se analisar o
elemento que surgir antes dessas expressões:

A) Se o elemento que surgir antes das expressões estiver no singular (qual, quem, cada um, alguém,
algum...), o verbo deverá ficar no singular.

Ex.
• Quem de nós irá conseguir o intento?
• Quem de vós trará o que pedi?
3ª Etapa 44
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
• Cada um de vocês deve ser responsável por seu material.

B) Se o elemento que surgir antes das expressões estiver no plural (quais, alguns, muitos...), o verbo
tanto poderá ficar na terceira pessoa do plural, quanto concordar com o pronome nós ou vós.

Ex.
• Quantos de nós irão / iremos conseguir o intento?
• Quais de vós trarão / trareis o que pedi?
• Muitos de vocês não se responsabilizam por seu material.

Sujeito sendo pronome relativo

Quando o pronome relativo exercer a função de sujeito, deveremos analisar o seguinte:

A) Pronome Relativo que:


O verbo concordará com o elemento antecedente.

Ex.
• Fui eu que quebrei a vidraça. (Eu quebrei a vidraça)
• Fomos nós que telefonamos a você. (Nós telefonamos a você)
• Estes são os garotos que foram expulsos da escola. (Os garotos foram expulsos)

B) Pronome Demonstrativo o, a, os, as + Pronome Relativo que:


O verbo concordará com o pronome demonstrativo, ficando, então, na terceira pessoa do singular, ou na terceira
pessoa do plural.

Ex.
• Fui eu o que quebrou a vidraça. (O que quebrou a vidraça fui eu)
• Foste tu a que me enganou. (A que me enganou foste tu)
• Fomos nós os que telefonaram a você. (Os que telefonaram a você fomos nós)
• Fostes vós os que me engaram. (Os que me engaram fostes vós)

C) Pronome Relativo quem: O verbo ficará na terceira pessoa do singular.

Ex.
• Fui eu quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça fui eu)
• Foste tu quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça foste tu)
• Foi ele quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça foi ele)
• Fomos nós quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça fomos nós)
• Fostes vós quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça fostes vós)
• Foram eles quem quebrou a vidraça. (Quem quebrou a vidraça foram eles)

Um dos ... que


Quando o sujeito for iniciado pela expressão Um dos que, deveremos analisar o seguinte:
A) É certo que o elemento é o único a praticar a ação:
O verbo ficará no singular. Por exemplo, a frase O Corinthians é um dos times paulistas que mais vezes foi
campeão estadual tem o verbo no singular, pois é certo que, dos times de São Paulo, o
Corinthians foi mais vezes campeão - 24 vezes.

B) É certo que o elemento não é o único a praticar a ação:


O verbo ficará no plural. Por exemplo, a frase Casagrande é um dos ex-jogadores de futebol que trabalham
como comentarista esportivo tem o verbo no plural, pois é certo que, além de
Casagrande, há outros ex-jogadores de futebol, trabalhando como comentarista esportivo - Falcão,
Júnior, Tostão, Rivelino...

3ª Etapa 45
Língua Portuguesa

C) Não se sabe se o elemento é o único a praticar a ação ou não: O verbo tanto poderá ficar no plural, quanto no
singular. Por exemplo, a frase São Paulo é uma das cidades que mais sofre / sofrem com a poluição é
facultativo, pois não há como medir se São Paulo é a que mais sofre, ou se,
além dela, há outras que sofrem tanto. Outra explicação também é a questão de se querer dar ênfase ao
elemento: se se quiser enfatizar o problema em São Paulo, coloca-se o verbo no singular.

Nenhum dos ... Que


Quando o sujeito for iniciado pela expressão Nenhum dos que, o primeiro verbo ficará no plural, e o segundo, no
singular.

Ex.
• Nenhum dos alunos que me procuraram trouxe o material.
• Nenhuma das pessoas que chegaram atrasadas tem justificativa.

Porcentagem + Substantivo
Quando o sujeito for formado por porcentagem e substantivo, existirão três regras:

A) Porcentagem + Substantivo, sem modificador da porcentagem:


Facultativamente o verbo poderá concordar com a porcentagem ou com o substantivo.

Ex.
• 1% da turma estuda muito.
• 1% dos alunos estuda / estudam muito.
• 10% da turma estuda / estudam muito.
• 10% dos alunos estudam muito.

B) Porcentagem + Substantivo, com modificador da porcentagem:


O verbo concordará com o modificador, que pode ser pronome demonstrativo, pronome possessivo, artigo...

Ex.
• Os 10% da turma estudam muito.
• Este 1% dos alunos estuda mais.

C) Mais de, menos de, cerca de, perto de, antes da porcentagem:
Polícia Rodoviária Federal
Apostila de Português para Concursos 141
O verbo concordará apenas com a porcentagem.

Ex.
• Mais de 1% dos alunos estuda muito.
• Menos de 10% da turma estudam muito.

Pronomes de Tratamento
Os pronomes de tratamento são pronomes de terceira pessoa, portanto tudo que se referir a eles deverá estar na
terceira pessoa.

Ex.
• Vossa Senhoria deve trazer seus documentos consigo.
• Vossa Excelência tem que se contentar com seus assessores.

Silepse de Pessoa
Também chamada de concordância ideológica, a silepse de pessoa é a concordância, não com a palavra escrita, mas
sim com o que ela significa. Por exemplo, nós somos brasileiros, portanto, ao utilizarmos a palavra brasileiros,
poderemos concordar o verbo com a idéia que essa palavra nos evoca - nós – e dizer Os brasileiros estamos
torcendo pelo sucesso do Presidente.

Ex.
3ª Etapa 46
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
• Os professores nos reciclamos anualmente. (Nós nos reciclamos)
• Os alunos deveis estudar mais. (Vós deveis)

Núcleos ligados pela conjunção "e"

01) Verbo após os núcleos:


Ficará no plural o verbo que estiver após o sujeito composto cujos núcleos sejam ligados pela conjunção
e:

Ex.
• O hotel e a cidade são maravilhosos.
• Machado de Assis e Guimarães Rosa estão entre os melhores escritores do mundo.
Obs.: Quando os núcleos forem sinônimos ou estiverem formando gradação, o verbo deverá ficar no
singular.

Ex.
• "A lisura e a sinceridade freqüenta pouco o Congresso Nacional." lisura = sinceridade.
• "Cada rosto, cada voz, cada corpo lhe lembrava a amada."
• "Um olhar, um arquejar de sobrancelhas, um aceno com a cabeça bastava para a paquera ser
bem sucedida."

02) Verbo antes dos núcleos:


Facultativamente ficará no plural ou concordará com o núcleo mais próximo o verbo que estiver antes do
sujeito composto cujos núcleos sejam ligados pela conjunção e:

Ex.
• É maravilhoso o hotel e a cidade.
• São maravilhosos o hotel e a cidade.
• É maravilhosa a cidade e o hotel.

Sujeito composto por pessoas diferentes


Se o sujeito for formado por pessoas diferentes (eu, tu, ele, ela ou você), o verbo ficará no plural, concordando
com a pessoa de número mais baixo na seqüência (1ª, 2ª ou 3ª).
Não havendo a 1ª pessoa (eu ou ), e havendo a 2ª pessoa (tu ou vós), o verbo tanto poderá ficar na 2ª pessoa do
plural, quanto na 3ª pessoa do plural.
Continuam valendo as regras anteriores, ou seja, se o verbo vier depois do sujeito composto, ficará no plural; se
vier antes, concordará com o mais próximo ou ficará no plural.

Ex.
• Teté e eu passamos as férias em Águas de Santa Bárbara.
• Passei as férias em Águas de Santa Bárbara eu e Teté.
• Passamos as férias em Águas de Santa Bárbara eu e Teté.
• Tu e Walmor estais equivocados.
• Tu e Walmor estão equivocados.
• Estás equivocado tu e Walmor.
Polícia Rodoviária Federal
Apostila de Português para Concursos 142
• Estais equivocados tu e Walmor.
• Estão equivocados tu e Walmor.

Núcleos ligados pela conjunção ou


Quando os núcleos do sujeito composto forem ligados pela conjunção ou, deve-se analisar se há ou não exclusão,
ou seja, analisar se um elemento, ao praticar a ação, impede que o outro também a pratique.

01) Havendo idéia de exclusão:


Quando houver um elemento praticando a ação e, com isso, impedindo que o outro também a pratique, o verbo
ficará no singular.
3ª Etapa 47
Língua Portuguesa

Ex.
• Dida ou Marcos será o goleiro titular da seleção.
• O Presidente ou o Governador fará o discurso de abertura do Congresso.

02) Não havendo idéia de exclusão:


Quando não houver um elemento praticando a ação e, com isso, impedindo que o outro também a
pratique, o verbo ficará no plural.

Ex.
• Dida ou Marcos poderão ser convocados para a Copa de 2002.
• O Presidente ou o Governador estarão presentes na abertura do Congresso.

Núcleos ligados pela preposição "com"

01) Verbo após os núcleos:


Facultativamete ficará no plural ou concordará com o primeiro núcleo o verbo que estiver após o sujeito composto
cujos núcleos sejam ligados pela preposição com.

Ex.
• O gerente com os funcionários dará início à promoção de descontos.
• O gerente com os funcionários darão início à promoção de descontos.

02) Verbo antes dos núcleos:


Concordará com o núcleo mais próximo o verbo que estiver antes do sujeito composto cujos núcleos
sejam ligados pela preposição com.

Ex.
• Dará início à promoção de descontos o gerente com os funcionários.

Aposto resumidor / conectivos correlatos


O Aposto resumidor é normalmente representado por pronome indefinido (tudo, nada, ninguém, alguém,
todos...) ou por pronome demonstrativo (isto, isso, aquilo...), resumindo o sujeito
composto. O verbo, excepcionalmente, concordará com o aposto resumidor.

Ex.
• Brinquedos, roupas, jogos, nada tirava a angústia daquele jovem.
• Amigos, parentes, companheiros de trabalho, ninguém se incomodou com sua ausência.
Quando o sujeito composto tem os elementos ligados por conectivos correlatos: assim ... como, não só ... mas
também, tanto ... como, nem ... nem, o verbo ficará no plural. O singular é raro.

Ex.
• Tanto o irmão como a esposa ignoraram seu pedido de ajuda.
• Não só Pedro mas também Eduardo estão à sua procura.

Um e outro / um ou outro / nem um nem outro


Um e outro
Quando o sujeito for a expressão um e outro, o substantivo correspondente a ela ficará no singular, o
adjetivo no plural e o verbo facultativamente no singular ou no plural.

Ex.
• Um e outro aluno indisciplinados será punido.
• Um e outro aluno indisciplinados serão punidos.
Polícia Rodoviária Federal
Apostila de Português para Concursos 143
Um ou outro Quando o sujeito for a expressão um ou outro, o verbo ficará no singular.

3ª Etapa 48
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
Ex.
• Um ou outro esteve à sua procura.
Nem um nem outro Quando o sujeito for a expressão nem um nem outro, o verbo ficará no singular,
porém há gramáticos que o admitem no plural.

Ex.
• Nem um nem outro terá coragem de se revelar.
• "Nem um nem outro compareceram."(Carlos Góis)

Verbos Especiais

01) O verbo Ser:


A) Quando o verbo ser e o predicativo do sujeito forem numericamente diferentes (um no singular, outro no plural),
o verbo deverá ficar no plural.

Ex.
• O vestibular são as esperanças dos estudantes.
• Tudo são flores, quando se é criança.

B) Se o sujeito representar uma pessoa ou se for pronome pessoal, o verbo concordará com ele.

Ex.
• Aline é as alegrias do namorado.
• O Presidente é as esperanças do povo brasileiro.

C) Se o sujeito for uma quantidade no plural, e o predicativo do sujeito, palavra ou expressão como muito, pouco, o
bastante, o suficiente, uma fortuna, uma miséria, o verbo ficará no singular.

Ex.
• Cem reais é muito, por esse produto.
• Duzentos gramas de carne é pouco.
D) Na indicação de horas ou distâncias, o verbo concordará com o numeral.

Ex.
• Era meio-dia, quando ele chegou.
• São duas horas.
• É 1h58min.

E) Na indicação de datas, o verbo poderá ficar no singular, concordando com a palavra dia, ou no plural,
concordando com a palavra dias.

Ex.
• É 1º de outubro. = É dia 1º de outubro ou É o primeiro dia de outubro.
• É 15 de setembro = É dia quinze de setembro.
• São 15 de setembro = São quinze dias de setembro.

02) O verbo Haver:


O verbo haver é impessoal, no sentido de existir, de acontecer ou indicando tempo decorrido; por isso fica na 3ª
pessoa do singular - caso esteja acompanhado de um verbo auxiliar, formando uma locução verbal, ambos ficarão
no singular. Nos outros sentidos, concorda com o sujeito.

Ex.
• Havia um mês, nós estávamos à sua procura.
• Poderá haver confrontos entre os policiais e os grevistas.
• Os alunos haviam ficado revoltados.

Haja vista:
3ª Etapa 49
Língua Portuguesa

A) Com a prep. a: haver no singular; vista invariável;

Ex.
• Haja vista ao exemplo dado.
• Haja vista aos exemplos dados.

B) Sem a prep. a: haver no singular ou concorda com o substantivo; vista invariável.

Ex.
• Haja vista o exemplo dado.
• Haja vista os exemplos dados.
• Hajam vista os exemplos dados.

03) O verbo Fazer:


O verbo fazer é impessoal, indicando tempo decorrido e fenômeno natural; por isso fica na 3ª pessoa do singular -
caso esteja acompanhado de um verbo auxiliar, formando uma locução verbal, ambos ficarão no singular. Nos
outros sentidos, concorda com o sujeito.

Ex.
• Faz três meses que não o vejo.
• Faz 35º no verão, em Londrina.
• Deve fazer cinco anos que ele morreu.

04) Outros verbos impessoais:


Os outros verbos impessoais, que também ficam na terceira pessoa do singular, são os seguintes:

Fenômenos da natureza:
• Chove há três dias sem parar.
• Choveram pedras. Nesse caso, o verbo não é impessoal, pois o sujeito está claro.

Passar de, indicando horas:


• Já passa das 11h30.
• Já passava das oito horas, quando ela chegou.

Chegar de e bastar de, no imperativo:


• Chega de firulas! Vamos ao assunto.
• Basta de conversas, meninos!

05) Os verbos Dar, Bater e Soar:


Concordam com o sujeito, que pode ser:

A) o relógio, a torre, o sino...

Ex.
• O relógio deu quatro horas.
• O sino soou cinco horas.

B) as horas.
O numeral que marca as horas funcionará como sujeito, quando o relógio, a torre, o sino funcionarem como adjunto
adverbial de lugar - com a prep. em, ou quando eles não aparecerem na oração.

Ex.
• No relógio, deram quatro horas.
• No sino, soaram cinco horas.
• Bateram sete horas.

3ª Etapa 50
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR
06) O verbo Parecer + infinitivo:
Quando o verbo parecer surgir antes de outro verbo no infinitivo, duas ocorrências podem acontecer:

A) Pode ocorrer a formação de uma locução verbal. Nesse caso, o verbo parecer concordará com o sujeito, e o
verbo no infinitivo ficará invariável.

Ex.
• As meninas parecem estar nervosas.
• Os alunos parecem estudar deveras.

B) Pode ocorrer a formação de um período composto, com o verbo parecer na oração principal, invariável, e o
verbo no infinitivo, formando oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo, concordando com o
sujeito.

Ex.
• As meninas parece estarem nervosas.
• Os alunos parece estudarem deveras.
• Nesses dois casos, se desenvolvermos as orações, teremos:
• Parece as meninas estarem nervosas. Proveio de Parece que as meninas estão nervosas.
• Parece os alunos estudarem deveras. Proveio de Parece que os alunos estudam deveras.

07) A Partícula Apassivadora:


O verbo na voz passiva sintética, construída com o pronome se, concorda normalmente com o sujeito. A maneira
mais fácil de se comprovar que a oração está na voz passiva sintética é passando-a para a voz passiva analítica:
Alugam-se casas muda para Casas são alugadas. Sempre que for possível essa transformação, o se será chamado de
Partícula Apassivadora. Para relembrar esse estudo clique aqui.

Ex.
• Entregam-se encomendas. = Encomendas são entregues por alguém.
• Ouviram-se muitas histórias. = Muitas histórias foram ouvidas.
• Sabe-se que ele não virá. = Que ele não virá é sabido.

08) O Índice de Indeterminação do Sujeito:


O pronome se, sendo índice de indeterminação do sujeito, deixa o verbo na terceira pessoa do singular; haverá I.I.S.
quando surgir na oração VI, sem sujeito claro; VTI, com OI; VL, com PS e VTD, com
ODPrep. Para relembrar esse estudo clique aqui.

Ex.
• Morre-se de fome no Brasil.
• Assiste-se a filmes interessantes.
• Aqui se está satisfeito.
• Respeita-se a Robertoldo.
Exercícios
Para as questões de 01 a 32 seque o código abaixo. Assinale com “C” as alternativas corretas e com “I “as
incorretas:
01) ( ) À autora e à leitora do romance só interessam a verdade
02) ( ) Tu e teu colega devereis comparecer ao tribunal
03) ( ) Juro que tu e tua mulher me pagam
04) ( ) Não quero que fique contra ela o pai e os amigos
05) ( ) Casarás com a prima e sereis felizes para sempre
06) ( ) Aflição, dores, tristezas, nada o fazia abandonar a luta
07) ( ) A tranqüilidade e a calma transmite segurança ao público.
08) ( ) Um grito, um gemido, um sussurro acordava a pobre mãe.
09) ( ) A viúva com o resto da família mudaram-se para Santiago
10) ( ) A riqueza ou o poder o livrou do processo
11) ( ) Alunos ou aluno farão a homenagem
3ª Etapa 51
Língua Portuguesa

12) ( ) Ler e escrever provocam entusiasmo na juventude


13) ( ) O jovem como o adulto têm os mesmos conflitos
14) ( ) Um e outro vício nega os foros da natureza
15) ( ) Mais de um atleta completaram o percurso da maratona
16) ( ) Não serei eu um dos alunos que cruzaremos os braços
17) ( ) O bando assaltou a joalheira e, depois, fugiram pelas ruas
18) ( ) Um grande número de pessoas observavam os atores
19) ( ) Os dez por cento da comissão desapareceu
20) ( ) Quantos de nós será aprovado neste concurso?
21) ( ) Os Lusíadas imortalizaram Camões
22) ( ) Não mais viajaremos, haja visto os problemas
23) ( ) Já não se fazem planos mirabolantes
24) ( ) Fala-se de festas em que se assistem a filmes instrutivos
25) ( ) A partir de agora, sou eu quem passa a transmitir o jogo
26) ( ) Com certeza ainda faltam discutir todas as questões
27) ( ) Faz muitos anos que não chovem flores em minha vida, mas houve casos de chover tomates.
Basta apenas de problemas
28) ( ) Tudo são apenas sonhos, pois o homem é suas cinzas
29) ( ) São seis e meia da tarde e hoje é seis de março de 1999
30) ( ) Cem mil reais é menos do que preciso
31) ( ) O herói és tu, embora a maioria sejam homens valorosos
32) ( ) Mentiras era o que me pediam, sempre mentiras.

Crase

A palavra crase provém do grego (krâsis) e significa mistura. Na língua portuguesa, crase é a fusão de duas
vogais idênticas, mas essa denominação visa a especificar principalmente a contração ou fusão da preposição a
com os artigos definidos femininos (a, as) ou com os pronomesdemonstrativos a, as, aquele, aquela, aquilo,
aquiloutro, aqueloutro .

Para saber se ocorre ou não a crase, basta seguir três regras básicas:

01) Só ocorre crase diante de palavras femininas, portanto nunca use o acento grave indicativo de crase diante de
palavras que não sejam femininas.

Ex. O sol estava a pino. Sem crase, pois pino não é palavra feminina.
Ela recorreu a mim. Sem crase, pois mim não é palavra feminina.
Estou disposto a ajudar você. Sem crase, pois ajudar não é palavra feminina.

02) Se a preposição a vier de um verbo que indica destino (ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer, dirigir-se...),
troque este verbo por outro que indique procedência (vir, voltar, chegar...); se, diante do que indicar procedência,
surgir da, diante do que indicar destino, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase.

Ex. Vou a Porto Alegre. Sem crase, pois Venho de Porto Alegre.
Vou à Bahia. Com crase, pois Venho da Bahia.
Obs.: Não se esqueça do que foi estudado em Artigo.
03) Se não houver verbo indicando movimento, troca-se a palavra feminina por outra masculina; se, diante da
masculina, surgir ao, diante da feminina, ocorrerá crase; caso contrário, não ocorrerá crase.

Ex. Assisti à peça. Com crase, pois Assisti ao filme.


Paguei à cabeleireira. Com crase, pois Paguei ao cabeleireiro.
Respeito as regras. Sem crase, pois Respeito os regulamentos.

Casos especiais

01) Diante das palavras moda e maneira, das expressões adverbiais à moda de e à maneira de, mesmo que as
palavras moda e maneira fiquem subentendidas, ocorre crase.
3ª Etapa 52
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

Ex. Fizemos um churrasco à gaúcha.


Comemos bife à milanesa, frango à passarinho e espaguete à bolonhesa.
Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.

02) Nos adjuntos adverbiais de modo, de lugar e de tempo femininos, ocorre crase.

Ex. à tarde, à noite, às pressas, às escondidas, às escuras, às tontas, à direita, à esquerda, à vontade, à revelia ...

03) Nas locuções prepositivas e conjuntivas femininas ocorre crase.

Ex. à maneira de, à moda de, às custas de, à procura de, à espera de, à medida que, à proporção que...

04) Diante da palavra distância, só ocorrerá crase, se houver a formação de locução prepositiva, ou seja, se não
houver a preposição de, não ocorrerá crase.

Ex. Reconheci-o a distância.


Reconheci-o à distância de duzentos metros.

05) Diante do pronome relativo que ou da preposição de, quando for fusão da preposição a com o pronome
demonstrativo a, as (= aquela, aquelas).

Ex. Essa roupa é igual à que comprei ontem.


Sua voz é igual à de um primo meu.

06) Diante dos pronomes relativos a qual, as quais, quando o verbo da oração subordinada adjetiva exigir a
preposição a, ocorre crase.

Ex. A cena à qual assisti foi chocante. (quem assiste assiste a algo)

07) Quando o a estiver no singular, diante de uma palavra no plural, não ocorre crase.

Ex. Referi-me a todas as alunas, sem exceção.


Não gosto de ir a festas desacompanhado.

08) Nos adjuntos adverbiais de meio ou instrumento, a não ser que cause ambigüidade.

Ex. Preencheu o formulário a caneta.


Paguei a vista minhas compras.
Nota: Modernamente, alguns gramáticos estão admitindo crase diante de adjuntos adverbiais de meio, mesmo não
ocorrendo ambigüidade.

09) Diante de pronomes possessivos femininos, é facultativo o uso do artigo, então, quando houver a preposição a,
será facultativa a ocorrência de crase.

Ex. Referi-me a sua professora.


Referi-me à sua professora.

10) Após a preposição até, é facultativo o uso da preposição a, portanto, caso haja substantivo feminino à frente, a
ocorrência de crase será facultativa.

Ex. Fui até a secretaria.


Fui até à secretaria.

11) A palavra CASA:


A palavra casa só terá artigo, se estiver especificada, portanto só ocorrerá crase diante da palavra casa nesse caso.

3ª Etapa 53
Língua Portuguesa

Ex. Cheguei a casa antes de todos.


Cheguei à casa de Ronaldo antes de todos.

12) A palavra TERRA:


Significando planeta, é substantivo próprio e tem artigo, conseqüentemente, quando houver a preposição a, ocorrerá
a crase; significando chão firme, solo, só tem artigo, quando estiver especificada, portanto só nesse caso poderá
ocorrer a crase.

Ex. Os astronautas voltaram à Terra.


Os marinheiros voltaram a terra.
Irei à terra de meus avós.

Exercícios

Para as questões de 01 a 34, assinale com ”C” as frases corretas e com “I “as Incorretas:

01) ( ) A assistência às aulas é indispensável


02) ( ) É expressamente proibida a entrada de pessoas estranhas
03) ( ) Nunca te dirijas à pessoas despreparadas
04) ( ) Não vai a festa nem a igreja: não vai a parte alguma
05) ( ) Usarias um bigode à Salvador Dali?
06) ( ) Notícias ruins vêm à jato, as boas à cavalo
07) ( ) Esta novela nem se compara a que assistimos
08) ( ) Não me referi a essas caixas, mas as que estão na sala
09) ( ) Florianópolis possui muitas praias, as quais visitaremos
10) ( ) Prefiro esta matéria a aquela que estudávamos
11) ( ) Obedecerei àquilo que for determinado em lei
12) ( ) O deputado foi a Grécia comprar vinho
13) ( ) O professor foi a Taguatinga comprar pinga
14) ( ) Vocês, caros alunos, ainda visitarão a Europa
15) ( ) Gostaria de ir a Curitiba dos pinheirais
16) ( ) Chegou a casa e logo se jogou na cama
17) ( ) Jamais voltou à casa paterna
18) ( ) Irei a cada de meus pais
19) ( ) Os turistas foram à terra comprar flores
20) ( ) Os marujos desconheciam à terra do capitão
21) ( ) Acabarão chegando à terra dos piratas
22) ( ) Será que aqueles astronautas voltarão a Terra?
23) ( ) A polícia observava os manifestantes a distância
24) ( ) Via-se, a distância de cem metros, uma pequena rocha
25) ( ) Diga a Adriana que a estamos esperando
26) ( ) Avisa a Adriana, minha filha, que amanhã teremos prova
27) ( ) O diretor fez alusões a sua classe e não a minha
28) ( ) O cônsul enviou vária cartas as suas filhas
29) ( ) O conselheiro jamais perdoou a Dona Margarida
30) ( ) Esta alameda frondosa vai até à chácara de meu pai
31) ( ) Os meninos cheiravam a cola
32) ( ) Eles viviam à toa, mas sempre à procura de dinheiro
33) ( ) Enriqueciam a medida que os vizinhos se empobreciam
34) ( ) Estamos esperando desde às oito horas da manhã

35) Nas manchetes a seguir, assinale a alternativa em que não ocorre crase:

a) Cárter acusa Israel de criar obstáculos a paz


b) Presidente sírio pede a ajuda do Parlamento par vencer a corrupção
c) Itália pede a Alemanha extradição de nazistas
d) Poço na bacia de Campos leva Petrobrás a maior jazida já descoberta
3ª Etapa 54
CURSO TÉCNICO EM ENFERMAGEM
CENTRO EDUCACIONAL IMPAR

36) Assinale a alternativa com erro:

a) Você já esteve em Roma? Eu irei logo a Roma


b) Refiro-me à Roma antiga, na qual viveu César
c) Fui a Lisboa de meus avós, pois lá todas as coisas têm gosto da minha infância
d) Já não agrada ir a Brasília. A gasolina está muito cara

37) Marque a alternativa em que a crase é facultativa:

a) Contei o caso à Maria


b) Paguei o que devia à dona da loja
c) Saiu às quinze horas
d) Por desobedecer às regras do jogo, fui expulso

38) A crase está errada na alternativa:

a) Fiz alusão à Roma antiga


b) Fazes referências à criaturas estranhas
c) Saíram às pressas
d) Obedecendo à ordem geral, compareceu ao desfile

39) Não ocorre crase:

a) Pediu desculpas a S. Exª


b) Assistiremos a missa
c) não o levaremos aqueles sombrios lugares
d) Lá estaremos as dezessete horas
Polícia Rodoviária Federal
Apostila de Português para Concursos 174

40) ____noite, todos os operários voltaram ____ fábrica e só deixaram o serviço _____ uma hora da manhã:

a) Há – à - à
b) A – a - a
c) À – à - à
d) À – a - há

41) Assinale a alternativa em que a lacuna da primeira frase deve ser preenchida com a e a da Segunda com à:
a)
I. As moças não gostam de andar ___ cavalo.
II. Ele percorreu o Brasil de ponta ___ ponta
b)
I. Essa é a tua caneta, eu me refiro ____ minha
II. Ele quer as coisa ___ ferro e fogo
c)
I. Regresso ___ casa paterna tal qual filho pródigo
II. Quem tem boca vai ___ Roma
d)
I. Apresento minhas desculpas ___ Vossa Excelência
II O menino voltou ___ escola com novo ânimo

42) Preencha corretamente as lacunas:

1. Apesar da insistência, não compareci ___ jantar


2. Ganhou uma jóia semelhante ___ que lhe haviam roubado
3. Naquele dia, não atendeu ___ nenhuma chamada
3ª Etapa 55
Língua Portuguesa

4. Aludiu ___ outras obras do autor

a) aquele – à – a - à
b) aquele – a – à - a
c) àquele – à – à - a
d) àquele – à – a – a

3ª Etapa 56