Вы находитесь на странице: 1из 18

Direito e Justiça

• Direito Conjunto de regras(normas de


conduta) obrigatórias (imposto
coercitivamente pelo Estado) que garante
a convivência social (realização de
segurança) graças ao estabelecimento de
limites à ação de cada um de seus
membros( segundo os critérios de justiça).
• Justiça  “É a constante e firme vontade
de dar a cada um o que é seu” Ulpiano.

Direito e Justiça

“ Teu dever é lutar pelo direito, mas no dia


em que encontrares o direito em conflito
com a Justiça, luta pela Justiça”
Eduardo Couture em “ Mandamento dos
Advogados”
CRITÉRIOS DE JUSTIÇA
1. Critérios Formais::
1.1 Igualdade – tratamento igual para situações iguais
1.2 Proporcionalidade – aquinhoar desigualmente aos
desiguais na medida em que se desigualam
2. Critérios Materiais:
2.1 Mérito – valor individual, qualidade intrínseca da
pessoa.
2.2 Capacidade – obras realizadas, trabalho produzido –
(salário a ser pago / exames e concursos/imposto de
renda)
2.3 Necessidade – A cada um segundo suas
necessidades. Necessidades vitais
CLASSIFICAÇÃO DA JUSTIÇA
1. Justiça distributiva
– Estado (agente)
compete a repartição
dos bens e dos
encargos aos membros
da sociedade (ex. ensino
gratuito)
2.Justiça Comutativa
– Relações de troca entre
particulares. Critério da
igualdade quantitativa
(ex. compra e venda).
CLASSIFICAÇÃO DA JUSTIÇA
3. Justiça Geral
– Contribuição dos
membros da comunidade
para o bem comum
(pagamento imposto,
serviço militar)

4. Justiça social
– Proteção dos mais
pobres-
RELAÇÃO DE DIREITO E JUSTIÇA

Idéia de Justiça faz parte da essência do Direito.


Para a ordem jurídica ser legítima é indispensável
que seja a expressão da justiça.
Justiça é o valor supremo do direito.
Finalidade do Direito: Composição e a prevenção
de conflitos, com justiça, e a segurança nas
relações entre os indivíduos
SEGURANÇA JURÍDICA
Princípios de Direito Estabelecido
 Positividade do Direito – normas indicadoras dos direitos e deveres
das pessoas (códigos ou costumes).

 Segurança de Orientação – Normas devem ser dotadas de clareza,


simplicidade, univocidade (coerentes, uma única voz de comando) e
suficiência (plena de soluções para resolver quaisquer problemas
oriundos da vida social).

 Irretroatividade da Lei – Lei deve atingir apenas os atos praticados


na constância de sua vigência.

Estabilidade Relativa do Direito – Harmonizar as forças (conservadora


e de evolução) que atuam sobre o ordenamento jurídico.
SEGURANÇA JURÍDICA
Princípios de Direito Aplicado
 Prévia Calculabilidade da Sentença – Decisões judiciais e
administrativas devem assentar-se em elementos objetivos,
extraídos da ordem jurídica

 Respeito à Coisa Julgada – Dá-se a coisa julgada, quando a


decisão judicial é irrecorrível, não admitindo qualquer
modificação

 Uniformidade e Continuidade Jurisprudencial – Para que haja


certeza jurídica é indispensável que a interpretação do Direito,
pelos tribunais, tenha um mesmo sentido e permanência
SEGURANÇA JURÍDICA
Princípios Relativos à Organização do Estado.
Estado deve adotar certos padrões de organização interna.

Divisão Poderes – Legislativo / Executivo / Judiciário.

Organização do Poder Judiciário


DIREITO
Características:

Imperatividade – Impor um dever.

Atributividade – Conferir direito a outrem.

Coercibilidade – força para obrigar o sujeito.

Como ? Estado confere à norma jurídica o efeito da


sanção, que é a pena pelo descumprimento da norma
jurídica.

Juízos de comportamento obrigatório, em sentido estrito


dotados de imperatividade e atributividade, coercibilidade e
sanção = NORMAS JURÍDICAS
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS
Quanto à hierarquia:

a) Normas Constitucionais

b) Leis complementares, leis ordinárias, leis delegadas,


decretos legislativos e resoluções, medidas provisórias.

c) Decretos regulamentares

d) Outras normas de hierarquia inferior, tais como


portarias, circulares, etc.
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS
Quanto à natureza de suas disposições:

a) Normas Jurídicas substantivas ou materiais –


creiam, declaram e definem direitos, deveres e
relações jurídicas. (Ex. Código Civil )

b) Normas Jurídicas adjetivas ou processuais –


são as que regulam o modo e o processo, para
o acesso ao Poder Judiciário. (Ex. Código de
Processo Civil)
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS
Quanto à aplicabilidade:
a) Normas Jurídicas Auto-aplicáveis - normas que entram em
vigor independentemente de qualquer outra norma posterior.
Maior parte das normas jurídicas.
b) Normas Jurídicas dependentes de complementação – são
as que expressamente declaram sua necessidade de
complementação por outra norma ou complemento normativo
decorre inequivocadamente do sentido de suas disposições. Ex.
Participação dos Lucros (art. 7, XI CF)
c) Normas Jurídicas dependentes de regulamentação –
Designam geralmente que órgãos do Poder Executivo definirão e
detalharão sua aplicação e executoriedade. Surgem em forma de
decreto regulamentar (Ex. Dec. 99.684 de 8/11/1990 que
regulamentou a Lei 8.036 de 11/05/1990.
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS
Quanto à sistematização – baseia-se na origem, na forma e
no conteúdo da matéria jurídica regulada:
a) Constitucionais - postas por um poder constituinte para controlar
e validar todas as outras normas do sistema. Constituição.
b) Codificadas – são as que constituem um todo orgânico de normas
relativas a certo ramo do Direito e são fixadas numa única lei.
Código Civil, Código Penal...
c) Esparsas ou extravagantes – são aquelas editadas isoladamente
para tratar de temas específicos. Lei do Inquilinato, Lei que criou
o FGTS.
d) Consolidadas – são as que resultaram da reunião de uma série de
leis esparsas que tratavam de determinado assunto, o qual era
por elas amplamente regulado. Ex. CLT e CLPS.
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS
Quanto à obrigatoriedade

a) Normas de ordem pública – imperativas, não


podem ser modificadas por convenção dos
particulares.

b) Normas de ordem privada – permissivas,


permitem aos particulares estabelecer regras
por ato de vontade.
CLASSIFICAÇÃO DAS NORMAS JURÍDICAS

Quanto à esfera do Poder Público de que emanam

a) Federais.

b) Estaduais.

c) Municipais.