Вы находитесь на странице: 1из 5

ANTES QUE O MUNDO ACABE!

1 Pedro 4.7-11
7 Ora, o fim de todas as coisas está próximo; 1) sede, portanto, criteriosos e
sóbrios a bem das vossas orações.
8 Acima de tudo, porém, 2) tende amor intenso uns para com os outros, porque
o amor cobre multidão de pecados.
9 3) Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração.
10 4) Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons
despenseiros da multiforme graça de Deus.
11 Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve,
faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus
glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos
séculos dos séculos. Amém!

Grande Ideia: Quem sabe que o fim está próximo tem atitudes que o preparam
para este momento.

INTRODUÇÃO:

O que você faria se soubesse que sua vida acabará amanhã a noite? Em 2
Reis 20.1 lemos que o profeta Isaías procurou o Rei Ezequias que estava doente
com uma mensagem de Deus para ele, dizendo: “Por aquele tempo Ezequias ficou
doente, à morte. O profeta Isaías, filho de Amoz, veio ter com ele, e lhe disse: Assim
diz, o Senhor: Põe em ordem a tua casa porque morrerás, e não viverás”. A
sequencia do texto diz que Ezequias virou o rosto e chorou e pediu a Deus que se
lembrasse de como havia andado com integridade e fidelidade diante de Deus,
fazendo o que era certo. E Deus atendeu sua oração e lhe curou a enfermidade e
lhe deu ainda mais 15 anos de vida. Por outro lado, há história registra milhares
de pessoas que, mesmo sendo leais, mesmo vivendo pela fé, morreram servindo
ao Senhor, de forma que o que aconteceu com Ezequias não é uma regra ou uma
doutrina que se aplica a todas as pessoas que amam a Deus e lhe obedecem.
Mas a pergunta continua, e se fosse com você? E se Deus lhe disse que sua
vida terminará amanhã a noite?
Nosso texto fala da expectativa daqueles irmãos sofredores pela fé na
volta de Jesus e no fim de todas as coisas. Do modo como o texto sagrado é escrito,
temos a consciência de que eles esperavam a volta de Jesus para aqueles dias. O
fato de Jesus não ter voltado no tempo deles, não invalida a promessa da sua volta
e exige de nós um modo de vida que contemple essa expectativa, ou você sabe o
dia que Jesus voltará? Ou você sabe com toda certeza que estará vivo amanhã?
Nosso texto nos convida para um estilo de vida que inclua a expectativa
do fim de todas as coisas, do nosso encontro triunfante com Jesus, e estabelece 4
atitudes que devemos ter, enquanto aguardamos este momento:

1. Ser criterioso, sóbrio e vigilante na oração


7 Ora, o fim de todas as coisas está próximo; sede, portanto, criteriosos e sóbrios
a bem das vossas orações.

Pedro faz o alerta – o fim está próximo! Você está preparado para ele?
Nesta advertência, nosso apóstolo nos conclama a sermos criteriosos. O que tem
a ver a ideia de ser criterioso com a volta de Jesus e o fim deste planeta? A palavra
traduzida aqui traz a ideia de ter a mente saudável, de ter autocontrole diante das
coisas da vida. Vamos nos lembrar do contexto histórico que aqueles irmãos estão
vivendo. Perseguições do governo, risco de morte devorado por feras ou
queimado vivo; perseguições do povo que zombava da fé daqueles irmãos, que os
denunciava, que não entendiam porque uma vida santa, se podiam se entregar às
paixões imorais.
Mas agora, diante da tentação de afastar-se da fé, Pedro os lembra, Jesus
vai voltar, este mundo pecaminoso será julgado e acabará. Vocês precisam estar
preparados. Tenham controle de si mesmos diante deste mundo! Não se deixem
levar pelos padrões mundanos e pecaminosos. Posicionem-se contra o pecado.
Mantenham-se controlados diante do sofrimento. Fiquem firmes!
Além disso, Pedro lhes afirma que precisam ser sóbrios. Sóbrio é o
contrário de ébrio, que é uma pessoa alcoolizada, que perdeu o controle de si
mesmo. Pedro apela para a calma e o comedimento dos irmãos.
Num mundo marcado por festas regadas de álcool e imoralidade, Pedro
convida os irmãos a se controlarem. A manterem a cabeça no lugar.
Os conselhos de Pedro são atualizadíssimos. Como nos servem para os dias
de hoje. Estamos vendo pela TV vários casos de erro médico. Olhamos para as
faculdades de medicina e vemos os futuros médicos alcoolizados, drogados,
descontrolados, completamente conduzidos pelo pecado. O mesmo acontece com
a sedução deste mundo para com adolescentes, jovens, crianças. O pecado se
apresenta como um caminho bom, mas pela Palavra, sabemos que o final dele é a
morte, o distanciamento completo de Deus.
Meus irmãos em Cristo, é tempo de mantermos a cabeça no lugar! É
tempo de repensarmos nossas atitudes e adequá-las à vontade boa, agradável e
perfeita de Deus. Tomem cuidado com o mundo que é sedutor, com o pecado que
é destruidor de vidas, destruidor de famílias, destruidor de futuro, e que conduz à
morte e ao inferno. O fim está próximo!
Pedro nos lembra que não somente devemos ter autocontrole e vencer as
tentações, mas também devemos ser vigilantes na oração. A oração é qualificada
por uma vida autocontrolada com a ajuda do Espírito Santo.
O fim está próximo! Dediquem-se à oração, para que com a ajuda do
Espírito de Deus tenhamos condições de sermos sóbrios, criteriosos,
autocontrolados. Sem a oração não iremos muito longe. Ela é a nossa maneira de
contato direto com o Senhor. Deus deseja que oremos. Jesus orava. Deus é
poderoso para resolver todas as questões, e suficientemente gracioso para
socorrer seus filhos que o buscam em oração.
Pedro continua em seu alerta, o fim está próximo! Portanto:

2. Ser amoroso com os outros


8 Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão
de pecados.
A maior marca da igreja neste mundo é o amor pelas pessoas. É falando e
agindo com amor pelos outros que demonstramos que, de fato, somos de Jesus.
Pedro no convoca a amar uns aos outros. A amar de forma mútua, onde
ninguém pode apenas esperar ser amado, mas também de forma proativa, de
amar antes dos outros. Pedro começa dizendo: acima de tudo ou antes de tudo,
antes de qualquer ação ou palavra, é preciso exercer amor determinado, intenso,
contínuo em relação ao outro. Somente com amor, poderemos desconsiderar as
limitações do outro.
A motivação para o amor é Cristo. A palavra traduzida para amor aqui é
ágape, que nos fala de um amor sacrificial, altruísta. Pedro argumenta que o amor
cobre multidão de pecados, o amor oculta o pecado, esconde o conhecimento do
pecado, noutras palavras, ele esquece que o outro pecou e age para com ele
atendendo suas necessidades.
O que Pedro tem em mente é o grande amor de Jesus para conosco, nos
perdoando dos pecados. Agindo em nosso favor, mesmo quando ainda éramos
pecadores (Rm 5.8).
Qual sentimento você tem para com aquele que lhe prejudica em alguma
situação? Como você tem reagido diante de ações praticadas por outrem que lhe
tragam dor e sofrimento? O fim está próximo! Com base nesta realidade, você é
convidado a amar, a perdoar, a agir se esquecendo das falhas do outro, visando a
salvação e o bem estar do outro. Assim como Cristo nos amou e agiu em nosso
favor não levando em consideração os nossos pecados, mas, pela sua graça,
convida-nos ao arrependimento não antes de agir por nós, mas depois de haver
sofrido, morrido e ressuscitado em nosso lugar, assim nós, como aprendemos em
1 João 3.16, “... devemos dar a nossa vida pelos irmãos”.
O fim está próximo!

3. Seja generoso sem falsidade!


9 Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração.
Um ato de amor naqueles dias de perseguição e morte para os cristãos era
encontrar casa de irmãos dispostos a hospedar alguém, mesmo sem conhece-lo
direito, visando à preservação de sua vida. Hospedar alguém que necessitava de
proteção e repouso era um ato de amor na prática.
Chama atenção a expressão no final do versículo: “sem murmuração”. A
palavra grega traz a ideia de alguém que não está satisfeito, que tem um desprazer
em hospedar o outro, mas guarda isso em seu coração. Hospitalidade é receber
bem alguém, e receber em casa aquele que precisa do nosso encorajamento,
apoio, proteção, do nosso teto, e Pedro nos lembra que isto precisa ser sem
falsidade, sem fingimento, sem sentimentos ruins escondidos no coração.
A Bíblia nos manda ser hospitaleiros. Desde o Velho Testamento temos
essa orientação. Êxodo 22.21 lembra aos judeus que assim como eles foram
estrangeiros no Egito, deviam tratar os estrangeiros com cuidado. No Novo
Testamento vemos que Jesus e, também os apóstolos, foram muitas vezes
hospedados por pessoas. Mateus 25.35 Jesus nos lembra que hospedar alguém
que precisa é fazer ao próprio Cristo. Hospedar pessoas é compartilhar do amor
que recebemos de Cristo, mas isso deve ser feito sempre para a glória de Cristo.

4. Servir aos outros com sua capacidade.


10 Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da
multiforme graça de Deus.
11 Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus
supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence
a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!

Uma das coisas mais interessantes na igreja, é que todo crente em Cristo
se torna um servo de outros servos no objetivo de servir a Cristo. É por isso que
não pode existir os sem-igreja, pois estes não estariam cumprindo sua missão de
servir a Cristo, servindo aos irmãos com sua capacidade, com o dom que recebeu.
No verso 10, a ordem é servir uns ao outros. Existe duas palavras gregas
para servo: uma delas é doulos que se refere ao servo, na condição de escravo que
tem um dono; a outra é diácono, que se refere ao servo, na condição de garçom.
A palavra utilizada por Pedro é diakoneo e indica que cada cristão deve aliviar as
necessidades de outro, deve atender à mesa, deve cuidar do outro naquilo que o
outro precisa. Pedro segue no verso afirmando que todo cristão tem uma
capacidade, tem algo que sabe fazer para atender o outro. Assim, quando usamos
o que sabemos fazer para abençoar a vida de outro, devemos fazer isso como bons
administradores da graça de Deus, que é multiforme, ou seja, se apresenta de
várias maneiras. Na lista de Pedro, há pelo menos duas coisas que se pode fazer
em relação ao irmão: falar e servir. Nem todos são mestres ou pregadores; assim,
como nem todos sabem fazer alguns serviços que, às vezes, ficam nos bastidores.
Num culto público aqui no templo, há os que cantam, os que ensinam, os
que pregam, assim também há os que limpam o templo, os que fazem o lanche da
cantina, os que carregam aparelhos, os que dirigem a Kombi. Enfim, cada um, com
sua capacidade deve usar o que sabe fazer para abençoar a vida de outros, com a
finalidade única de glorificar a Deus. Isso fazemos porque somos de Cristo. Assim,
damos gloria a Deus com nossas ações, porque um dia fomos alcançados por Jesus.
E a Jesus pertencem a glória e o dominío (poder) eternamente.
O fim está próximo! E devemos usar nossos dons e talentos para abençoar,
edificar os irmãos e ajudar na salvação de outras vidas.

CONCLUSÃO:
O fim está próximo! E quem sabe que o fim está próximo tem atitudes
que o preparam para este momento.
É amoroso, generoso, hospitaleiro, serve de acordo com o que Deus lhe
capacitou a servir, mas mantém a cabeça no lugar, é autocontrolado e vigia em
oração, para não ser enganado pelo pecado, pelo mundo, enfim, pelo diabo.
O fim está próximo! O que você fará se este fim de sua vida for amanhã?
Crer em Cristo e tê-lo como salvador é o passo inicial para quem ainda não
fez esta decisão. Dedicar-se à oração e às atitudes que abençoam seu próximo, são
os passos para os que se preparam para a eternidade.
Mesmo em meio aos sofrimentos desta vida, Cristo é a nossa esperança!
O fim está próximo! Esteja preparado!
Amém.