Вы находитесь на странице: 1из 12

Atividades adicionais

Módulo 1
Módulo 1

1. (UFRJ) O desenho esquemático a seguir apresenta o contorno de uma ilha e a representação de seu rele­ vo em curvas de nível.

e a representação de seu rele­ vo em curvas de nível. A ilha apresenta duas elevações

A

ilha apresenta duas elevações que a população lo­

cal denominou, corretamente, de Morro do Ocidente

e Morro do Oriente.

a) Qual morro apresenta a encosta mais íngreme?

b) Qual o litoral mais escarpado?

Indique as elevações por seus nomes e justifique suas respostas.

2. (UNICAMP) A representação a seguir corresponde a uma porção de uma carta topográfica de escala 1: 50.000 e a distância entre as curvas de nível é de 20 metros. Basea­ do na carta, faça o que se pede:

 
 

(Adaptado de IBGE. Carta Topográfica Folha SF. 22­Z­C­II­4, Folha Santo Antonio da Platina/PR, escala 1: 50.000.)

Geografia

a) Considerando que a distância entre dois pontos hi­ potéticos (A e B) na carta é de 3,8 cm, qual a distân­ cia real em quilômetros entre esses dois pontos?

b) Utilizando os pontos cardeais, indique o sentido do escoamento das águas do rio.

c) Qual margem do rio é a mais indicada para culturas temporárias? Justifique.

3. (UNESP) Analise os mapas.

temporárias? Justifique. 3. (UNESP) Analise os mapas. (www.ibge.gov.br) Considerando as escalas utilizadas nos

(www.ibge.gov.br)

Considerando as escalas utilizadas nos mapas, é correto afirmar que:

a) o mapa 1 favorece maior detalhamento do terreno do que o mapa 2.

b) o mapa 2 abrange uma área menor do que o mapa 1.

c) assemelham­se, pois nos dois casos foi utilizada uma pequena escala.

d) retratam períodos diferentes de uma mesma lo­ calidade.

e) ambos os mapas apresentam o mesmo nível de

detalhe.

4. (VUNESP) Dentre as ciências ligadas à Cartografia, que se utiliza de técnicas para produzir mapas, a Geografia se destaca. Como se sabe, os mapas devem conter título, legenda, coordenadas geográficas e escala, o que nem sempre acontece, dificultando a sua inter­ pretação. Além do mais, todo mapa apresenta distor­ ções. Porém, a linguagem cartográfica é fundamen­ tal para a Geografia.

a) O que é escala?

b) Por que os mapas apresentam distorções e podem ser usados ideologicamente?

5. (FUVEST)

e podem ser usados ideologicamente? 5. (FUVEST) Indique o perfil topográfico que corresponde à linha XY

Indique o perfil topográfico que corresponde à linha XY na figura anterior:

a)

que corresponde à linha XY na figura anterior: a) b) c) d) e) 6. (FUVEST) Toda

b)

c)

d)

e)

6. (FUVEST) Toda representação da superfície terrestre sobre o plano – mapa – contém distorções. É, pois, necessário escolher adequadamente a projeção car­ tográfica em função do tema a ser representado.

Assim, indique a relação correta entre os temas e as projeções que se seguem:

I. Navegação marítima. II. Áreas de ocorrência da floresta tropical e da taiga. III. Regiões agricultáveis e desérticas.

e da taiga. III. Regiões agricultáveis e desérticas.   Projeção de Peters Projeção de Mercator a)
 

Projeção de Peters

Projeção de Mercator

a)

I

II e III

b)

II

I e III

c)

I e II

III

d)

I e III

II

e)

II e III

I

(FCC) As questões 7 e 8 devem ser respondidas com base na tabela a seguir, contendo cidades brasileiras que apresentam, aproximadamente, a mesma altitude.

 

Tempera-

Tempera-

Precipitação

Cidades

tura média

tura média

total anual

em janeiro

em julho

(média)

 

I 26,9°C

26,4°C

2.302

mm

 

II 24,2°C

12,2°C

1.286

mm

 

III 25,6°C

20,6°C

830 mm

7. Entre as alternativas seguintes, os dados da tabela per­ mitem afirmar que:

a) a cidade I está no interior, e a cidade II está no litoral.

b) a cidade I está no interior, e a cidade III está no litoral.

c) a cidade III está ao sul da cidade II.

d) a cidade II está ao sul da cidade I.

e) as três cidades estão em latitudes semelhantes.

8. A cidade I provavelmente está localizada:

a) nas proximidades do trópico de Capricórnio.

b) nas proximidades do Equador.

c) na região Sudeste do Brasil.

d) na região Sul do Brasil.

e) no sul da região Centro­Oeste do Brasil.

(FCC) A questão 9 está ligada ao quadro a seguir.

Cidades

Temperatura média do mês mais quente (°C)

Temperatura média do mês mais frio (°C)

Manaus

27,9

25,8

Recife

27,1

24,1

Cuiabá

27,1

22,6

Rio de Janeiro

26,1

20,8

Porto Alegre

24,1

14,3

9. Para apoiar a regra geral de que “a temperatura diminui com o aumento da latitude”, deveríamos tomar como exemplos os dados referentes à cidades de:

a) Manaus, Cuiabá e Porto Alegre.

b) Recife, Cuiabá e Rio de Janeiro.

c) Recife, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

d) Manaus, Recife e Cuiabá.

e) Manaus, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

10. (MACK) A existência de grandes cidades está associa­ da à constituição de microclimas urbanos que diferem do tipo climático da região onde a cidade está locali­ zada. Essa alteração climática não é produzida pela:

a) produção de calor por veículos e equipamentos industriais.

b) verticalização das áreas centrais e concentração de concreto e asfalto.

c) redução drástica das áreas verdes.

d) poluição atmosférica provocada pela queima de combustíveis fósseis.

e) alteração da dinâmica geral da atmosfera.

11. (FGV)

e) alteração da dinâmica geral da atmosfera. 11. (FGV) (Adaptado de M. Adas.) A ilustração anterior

(Adaptado de M. Adas.)

A ilustração anterior refere­se à chuva:

a) frontal, típica das regiões equatoriais continentais, como a da Bacia do Congo, na África.

b) orográfica, resultante da ascensão vertical das massas de ar, a exemplo da Região Amazônica.

c) orográfica, como consequência da massa de ar tropical atlântica em contato com a Serra do Mar.

d) de convecção, resultante da ascensão vertical das massas de ar, a exemplo das chuvas da Região Amazônica.

e) de convecção, resultante do contato entre massas de ar quentes e frias que periodicamente se inver­ tem, como no Sudeste Asiático.

12. (MACK) Nos meses de inverno a massa Polar Atlân­ tica penetra no território brasileiro, dividindo­se em três ramos, representados no mapa, provocando diferentes fenômenos meteorológicos.

no mapa, provocando diferentes fenômenos meteorológicos. Em A, B e C ocorrem, respectivamente: a) geadas, chuvas

Em A, B e C ocorrem, respectivamente:

a) geadas, chuvas orográficas e “friagem”.

b) “friagem”, geadas e chuvas frontais.

c) chuvas frontais, geadas e “friagem”.

d) “friagem”, chuvas orográficas e geadas.

e) chuvas orográficas, “friagem” e geadas.

13. (FAAP) Numa cidade A, licalizada no fuso de 30º leste, são 10 horas. Que horas serão numa cidade B localiza­ da no fuso de 120º leste?

a) 10 horas

b) 12 horas

c) 14 horas

d) 16 horas

e) 18 horas

14. (VUNESP) Verificando o mapa e considerando o Equador e Greenwich, é possível afirmar que o Brasil tem a maioria de suas terras nos hemisférios:

que o Brasil tem a maioria de suas terras nos hemisférios: a) Norte e Sul. b)

a) Norte e Sul.

b) Sul e Ocidental.

c) Sul e Oriental.

d) Oriental e Ocidental.

e) Ocidental e Norte.

15. (FUVEST) O anúncio oferece um apartamento para venda no município de São Paulo. A expressão ‘‘Face Norte’’ indica que o apartamento:

APTO-COBERTURA

R$190.000 – 2 Grs

Novo, 2 stes. americanas, living, lavabo, face norte, piscina, churrasqueira, local tranquilo, confira. Z­3­T: 531­XX00

(Adaptado de Folha de S. Paulo, 17.08.99.)

a) deve ter boa luminosidade por estar voltado para o Norte.

b) deve ter boa luminosidade pela manhã e à tarde graças à longitude de São Paulo.

c) está na Zona Norte, área muito valorizada, pois fica próxima aos mananciais do município.

d) deve ter boa luminosidade pela manhã e à tarde, pois fica na fachada frontal do prédio.

e) está na Zona Norte, próximo à Serra da Cantareira, em local elevado e livre das enchentes.

16. (FUVEST­Adap.) Em consequência da grande exten­ são territorial, da posição geográfica e da configura­ ção do seu território, o Brasil é abrangido por 3 (três) fusos horários. Assim, quando em São Paulo forem 12 horas, em Manaus e São Luís serão, respectiva­ mente?

a) 12 e 11 horas.

b) 11 e 12 horas.

c) 12 e 13 horas.

d) 13 e 12 horas.

e) 11 e 13 horas.

17. (FUVEST) Com base no mapa a seguir, que retrata os grandes quadros naturais do Brasil, responda a questão.

os grandes quadros naturais do Brasil, responda a questão. As áreas assinaladas com as letras A,

As áreas assinaladas com as letras A, B e C correspon­ dem, respectivamente, aos domínios:

a) das terras baixas da Amazônia, dos “mares de morros” florestados e das depressões semiáridas do Nordeste.

b) dos planaltos com cerrados e florestas­galerias, das depressões interplanálticas semiáridas do Nordeste e do planalto das araucárias.

c) das pradarias do sudoeste do Rio Grande do Sul, do planalto das araucárias e das depressões do Nordeste.

d) das terras baixas da Amazônia, dos “mares de morros” florestados e das pradarias do Rio Gran­ de do Sul.

e) dos planaltos com cerrados e florestas­galerias, das depressões semiáridas do Nordeste e das pradarias do sudoeste do Rio Grande do Sul.

18. (FUVEST) “Os rios são perenes e as chuvas, bem dis­ tribuídas durante o ano. Possui tanto solos ácidos e pobres em minerais, como manchas de terra roxa bastante exploradas pela agricultura. A floresta aci­ culifoliada (coníferas), característica deste domínio, foi profundamente alterada pela ocupação humana.”

O texto corresponde ao seguinte domínio morfocli­ mático:

a) Araucária: planaltos subtropicais com araucária.

b) Cerrado: chapadões tropicais interiores com cerra­ dos e florestas­galerias.

c) Pradarias: coxilhas subtropicais com pradaria mista.

d) Mares de Morros: áreas mamelonares tropicais atlânticas florestadas.

e) Amazônico: terras baixas florestadas equatoriais.

19. (UFSCar) Considerando os domínios morfoclimáticos e fitogeográficos do Brasil, assinale a alternativa que indica a sequência correta dos domínios intercepta­ dos pela linha, no sentido S­N.

dos domínios intercepta­ dos pela linha, no sentido S­N. a) Domínio das araucárias; domínio tropical atlântico;

a) Domínio das araucárias; domínio tropical atlântico; domínio dos cerrados; domínio equatorial amazô­ nico.

b) Domínio dos campos; domínio das araucárias; do­ mínio dos cerrados; domínio equatorial amazônico.

c) Domínio dos campos; domínio tropical atlântico; domínio pantaneiro; domínio amazônico.

d) Domínio das araucárias; domínio do Araguaia­To­ cantins; domínio do cerrado; domínio equatorial amazônico.

e) Domínio dos campos; domínio dos pinhais; do­ mínio do cerrado; domínio das florestas latifo­ liadas.

20. (VUNESP) Observe o quadro a seguir.

Bioma

Clima

Vegetação

Relevo

 

tropical e

   

Mata

Atlântica

subtropical

úmido

C

encostas e

serras

   

matas de

planaltos e

A

subtropical

úmido

araucárias e

campos

áreas

dissecadas

   

cerrados e

 

Pantanal

tropical

ecossistemas

D

aquáticos

     

depressões

Caatinga

B

xerófita

interpla­

nálticas

As letras A, B, C e D do quadro correspondem, res­ pectivamente, a:

a) Mata de Araucária; tropical; floresta latifoliada; planaltos com coxilhas.

b) Amazônia; tropical de altitude; floresta caducifó­ lia; planaltos tabuliformes.

c) Mata de Araucária; semiárido; florestas tropicais; planícies onduladas e planícies deprimidas ala­ gáveis.

d) Pradarias; tropical e semiárido; manguezais; serras.

e) Pradarias; equatorial úmido; floresta caducifólia; planícies.

21. (PUC) Com base na carta a seguir:

AS MASSAS DE AR QUE ATUAM NO BRASIL

base na carta a seguir: AS MASSAS DE AR QUE ATUAM NO BRASIL a alternativa que

a alternativa que melhor define a massa de ar consi­ derada é:

a) A massa tropical atlântica é quente e úmida, com atividade constante o ano inteiro, atingindo gran­ de parte do país, porém não interferindo muito na determinação dos climas brasileiros.

b) A massa equatorial continental tem origem nas la­ titudes baixas do interior da Amazônia, é quente,

seca e importante para se entender o inverno amazônico.

c) A equatorial atlântica é uma massa quente e úmi­ da; atua muito pouco em território brasileiro, mas é a grande responsável pelas abundantes chuvas de inverno no litoral nordestino.

d) A massa polar atlântica é fria, menos úmida que a tropical atlântica e a equatorial atlântica, atuando

intensamente no inverno nas regiões Sul e Sudes­ te do País.

e) A tropical continental é uma massa quente e úmi­ da, originária das áreas ciclonais de baixas latitu­ des, provocadora de chuvas torrenciais durante o verão, no sul do país.

22. (FUVEST) 23. (FUVEST) Considerando­se os mapas a seguir, temos sequencialmente destacadas, as seguintes forma­
22.
(FUVEST)
23. (FUVEST) Considerando­se os mapas a seguir, temos
sequencialmente destacadas, as seguintes forma­
ções vegetais originais:
(Adaptado de Ferreira, 2000.)
Os climogramas I e II correspondem, respectivamen­
te, às áreas assinaladas no mapa com as letras
a) caatinga, floresta litorânea e araucária.
b) cocais, mata atlântica e araucária.
a) A e B.
d) C e D.
c) cocais, mata atlântica e Pantanal.
b) A e D.
e) D e A.
d) caatinga, vegetação litorânea e campos.
c) B e C.
e) campos, floresta litorânea e araucária.

24. (UFSCar) Observe a sequência de mapas.

e araucária. 24. (UFSCar) Observe a sequência de mapas. Assinale a alternativa que indica, respectivamente, a

Assinale a alternativa que indica, respectivamente, a bacia com maior potencial hidrelétrico e a bacia que está sendo preparada para transformar­se em hidrovia de integração regional do Mercosul.

a)

b)

c) II e III.

I e III. I e IV.

d) IV e II. e) V e IV.

25. (VUNESP) A área assinalada no mapa e identificada com o número 1 caracteriza­se pela ocorrência de grandes terremotos.

1 caracteriza­se pela ocorrência de grandes terremotos. Assinale a alternativa que identifica as placas tectônicas

Assinale a alternativa que identifica as placas tectônicas envolvidas e a cordilheira que se formou na área, há milhões de anos, em função dos choques entre elas.

a) das Filipinas e Antártica; Alpes.

b) Pacífica e Africana; Atlas.

c) Caribe e Sul­Americana; Andes.

d) Indo­Australiana e Euro­Asiática; Himalaia.

e) Arábica e de Nazca; Pirineus.

26. (FGV) A teoria tectônica de placas é a mais nova in- terpretação da gênese e da dinâmica da litosfera,

) Esses

grandes blocos ou placas tectônicas incorporam es- truturas tanto da crosta continental como da crosta oceânica.

(J. Ross, 1995, p. 25.)

Com base nesta teoria, admite­se que:

a) a litosfera é formada pela crosta continental e ca­ racteriza­se principalmente por ser dividida em blocos que têm a mesma dimensão, à semelhança de grandes placas de cerâmica revestindo um piso.

sustentáculo do relevo terrestre e submarino. (

b) as placas apresentam­se fixas, registrando­se como significativo apenas o deslocamente continental que resultou na expansão do Oceano Pacífico e re­ dução do Oceano Atlântico.

c) as áreas geradoras de placas correspondem aos ter­ renos montanhosos dos fundos oceânicos, onde estão as dorsais mesoceânicas, locais de ocorrência de fortes atividades sísmicas e magmáticas.

d) a estrutura interna da Terra é considerada estável, uma vez que os movimentos tectônicos provo­ cam modificações e efeitos deformadores especi­ ficamente na parte externa da crosta.

e) as áreas de destruição de placas são marcadas pelo afastamento entre elas e, como
e) as áreas de destruição de placas são marcadas pelo
afastamento entre elas e, como resultado, tem­se a
destruição das montanhas orogênicas.
27. (FUVEST) Uma sequência de rochas similares encon-
tra-se na África, América do Sul, Índia e em outras terras
emersas, no hemisfério Sul. As rochas são principal-
mente de origem continental e indicam que, quando
se formaram, as terras do hemisfério Sul eram parte
de um mesmo supercontinente.
(Adaptado de Eicher, 1969.)
(Adaptado de Pritchard, 1979.)
201 7
201
7

O mapa representa a posição aproximada dessas

massas continentais no final do Período Jurássico.

O texto e o mapa fazem referência ao superconti­

nente chamado:

a) Avalônia

d) Gondwana

b) Laurásia

e) Atlântida

c) Eurásia

28. (VUNESP) O bloco diagrama representa o processo de formação de um fenômeno natural de grande magnitude, decorrente da movimentação de placas tectônicas.

decorrente da movimentação de placas tectônicas. (IPG , EUA.) Assinale a alternativa sobre o local e

(IPG , EUA.)

Assinale a alternativa sobre o local e as condições de movimentação das placas tectônicas e o consequen­

te fenômeno natural.

a) No fundo do oceano, com terremoto em profun­ didade, sem deslocamento do solo e propagação de ondas gigantes; tsunami.

b) Em superfície, sem deslocamento do solo oceâni­ co e propagação de ondas gigantes; maremoto.

c) No fundo do oceano, com deslocamento do solo sem propagação de ondas; terremoto.

d) No fundo do oceano, com terremoto em profun­ didade, deslocamento do solo e propagação de ondas gigantes; tsunami.

e) Em superfície, com terremoto em profundidade, deslocamento do solo oceânico e propagação de ondas; maremoto.

29. (UNICAMP) A sequência de mapas representada a se­

guir indica a posição das placas tectônicas em diferen­ tes períodos geológicos, evidenciando uma dinâmica constante, ora de formação de supercontinentes, ora

de continentes fragmentados separados por oceanos.

A partir da análise dos mapas, responda:

por oceanos. A partir da análise dos mapas, responda: (Adaptado de www.scotese.com) a) Por que as
por oceanos. A partir da análise dos mapas, responda: (Adaptado de www.scotese.com) a) Por que as

(Adaptado de www.scotese.com)

a) Por que as placas tectônicas se movimentam?

b) Como a dinâmica das placas tectônicas pode in­ terferir na distribuição biogeográfica de animais terrestres?

30. (PAS­PSC­UFAM) O texto abaixo é formado por tre­ chos da obra de ficção cientifica, Viagem ao Centro da Terra (1864), do escritor francês Júlio Verne, que nar­ ra as aventuras e mistérios pelo interior do planeta.

Toda a história do período hulheiro estava inscrita naquelas paredes escuras, e um geólogo poderia acom- panhar com facilidade as diversas fases. Os leitos de carvão eram separados por extratos de grés ou de argi- la compactos e como que esmagados pelas camadas superiores. Nessa era do mundo que precedeu a era secundá- ria, a Terra foi recoberta por uma vegetação compac- ta em virtude do calor tropical e da umidade persis- tente. Uma atmosfera de vapores envolvia todo o globo, escondendo ainda os raios do sol.

http://www.triplov.com/walkyria/viagem_centro_terra/capitulo_20.htm

– Acesso em: 10 set. 2009

O texto refere­se ao Período Carbonífero que acon­ teceu aproximadamente entre 360 a 286 milhões de anos durante a Era:

a) Mesozóica

d) Paleozóica

b) Cenozóica

e) Pré­cambriana

c) Proterozóica

31. (FGV) A combinação correta entre ambiente climá­ tico, processos erosivos e formas de relevo resultan­ tes dessa interação está contida na alternativa:

Ambiente

climático

Processo

exógeno

Exemplos de

formas de

predominante

 

relevo

 

intemperismo

topos arredon­

tropical

químico das

dados nas

úmido)

águas fluviais

áreas de serras

e

pluviais

e

planaltos

   

campos de

intemperismo químico maior que a ação eólica

 

dunas e

inselbergs

semi­árido

surgidos após

a pediplanação

tropical

intemperismo físico decor­ rente das varia­ ções térmicas

vales em U e

depressões

úmido)

interplanálticas

 

intemperismo químico maior que a ação eólica

topos arredon­

dados nas

áreas de serras

e

planaltos

semi­árido

intemperismo

químico das

águas fluviais

vales em U e

depressões

interplanálticas

e

pluviais

a) (quente e

b) árido e

c) (quente e

d) frio e seco

e) árido e

32. (FUVEST) Intemperismo é o nome que se dá ao con­ junto de processos que modificam as rochas, frag­ mentando­as (intemperismo físico) ou alterando­as (intemperismo químico). O predomínio de um tipo em relação a outro, nas diversas regiões da Terra, vai depender das temperaturas, combinadas ao vo­ lume das precipitações e do estado físico da água.

vo­ lume das precipitações e do estado físico da água. Observando o mapa, é correto afirmar

Observando o mapa, é correto afirmar que nas regiões A, B e C, há predomínio, respectivamente, do intem­ perismo:

 

A

B

C

a)

químico

físico

químico

b)

físico

químico

químico

c)

químico

químico

físico

d)

físico

físico

químico

e)

químico

físico

físico

33. (VUNESP) Um rio escava seu leito e aprofunda seu vale ao longo do tempo. Assinale a alternativa que contém fatores responsáveis pela maior intensidade

deste trabalho.

a) Vazão elevada, pequena velocidade da água es­ coada e transporte de poucos sedimentos.

b) Baixa pluviosidade, baixa declividade do terreno e pequena velocidade da água escoada.

c) Vazão elevada, alta velocidade da água escoada e transporte de grande quantidade de sedimentos.

d) Baixa declividade do terreno, alta velocidade da água escoada e transporte de grande quantida­ de de sedimentos.

e) Vazão elevada, baixa declividade do terreno e baixa pluviosidade.

34. (UFAM) Os agentes internos que participam na for­ mação do relevo são:

a) os abalos sísmicos, os solos e a ação dos ventos.
b) o vulcanismo, o intemperismo e os abalos sísmicos.

c) o tectonismo, o clima e a ação da água.

d) o tectonismo, o vulcanismo e os abalos sísmicos.

e) o tectonismo, os abalos sísmicos e os solos.

35. (UFAM) Sobre o solo de terra roxa considere as se­ guintes afirmações:

I. Foi responsável pelo sucesso da cultura cafeeira. II. Ocorre no oeste de São Paulo e no norte do Paraná. III. Solo originado do basalto (derrame vulcânico) de cor castanho­avermelhado.

De acordo com os itens anteriores, podemos dizer que:

a) apenas a afirmativa I é correta.

b) as afirmativas I, II e III são corretas.

c) apenas as afirmativas I e II são corretas.

d) apenas a afirmativa II é correta.

e) apenas as afirmativas I e III são corretas.

36. (ENEM) A água é um dos fatores determinantes para todos os seres vivos, mas a precipitação varia muito nos con­ tinentes, como podemos observar no mapa abaixo. MAPA DE DISTRIBUIÇÃO DOS GRANDES DESERTOS E DAS ÁREAS ÚMIDAS

DE DISTRIBUIÇÃO DOS GRANDES DESERTOS E DAS ÁREAS ÚMIDAS (Robert E. Ricklefs. A Economia da Natureza

(Robert E. Ricklefs. A Economia da Natureza, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 3 a ed. 1996. p. 55.)

Latitude (°) / Hemisfério

Temperatura média (°C)

60

/ Norte

0

30

/ Norte

10

10

/ Norte

24

10

/ Sul

28

30

/ Sul

14

60

/ Sul

9

Ao examinar a tabela da temperatura média anual em algumas latitudes, podemos concluir que as chuvas são mais abundantes nas menores latitudes próximas do Equador, porque:

a) as grandes extensões de terra fria das latitudes extremas impedem precipitações mais abundantes.

b) a água superficial é mais quente nos trópicos do que nas regiões temperadas, causando maior precipitação.

c) o ar mais quente tropical retém mais vapor de água na atmosfera, aumentando as precipitações.

d) o ar mais frio das regiões temperadas retém mais vapor de água, impedindo as precipitações.

e) a água superficial é fria e menos abundante nas latitudes extremas, causando menor precipitação.

37. (FUVEST) Tendo em vista as características físicas e as atividades econômicas numa escala global, qual das correla­ ções a seguir pode ser considerada correta?

a) Faixa das médias latitudes do hemisfério Sul – zonas agrícolas de produtos tropicais.

b) Zonas equatoriais e tropicais de ambos os hemisférios – cultura de cereais em grande escala.

c) Faixa de clima temperado do hemisfério Norte – grandes áreas industriais.

d) Regiões polares setentrionais – agricultura de jardinagem.

e) Regiões montanhosas e de planaltos – extração de minérios e cultura de vegetais de clima quente.

38. (FUVEST) Considere as características a seguir:

• Temperaturas médias superiores a 18°C com diferenças sazonais marcadas pelo regime de chuvas.

• Amplitude térmica anual inferior a 6°C.

• Circulação atmosférica controlada por massas equatoriais e tropicais.

• Regimes fluviais dependentes, basicamente, do comportamento da precipitação.

• Paisagens vegetais dominantes: florestas latifoliadas e savanas.

Tais feições ocorrem, predominantemente, em re­ giões: a) extratropicais de média latitude e elevada altitude.
Tais feições ocorrem, predominantemente, em re­
giões:
a) extratropicais de média latitude e elevada altitude.
b) intertropicais de baixa latitude e modesta altitude.
c) temperadas com forte influência dos oceanos.
d) de planícies inundáveis de alta latitude.
e) litorâneas de qualquer latitude.
39. (FGV) Observe o planisfério e a seqüência de tipos
climáticos apresentados a seguir.
Tipos Climáticos
1. Temperado
5. Semi­árido
2. Mediterrâneo
6. Tropical
3. Semi­árido
7. Equatorial
4. Desértico

No planisfério, essa sequência de tipos climáticos pode ser encontrada no eixo:

a) A­B

d) G­H

b) I­J

e) E­F

c) C­D

40. (UFAM) Considere o seguinte esquema que sinteti­ za uma situação que esta ocorrendo em algumas áreas da cidade de Manaus.

Retirada da Vegetação
Retirada da
Vegetação
Forte volume e intensidade das chuvas Intemperismo
Forte volume
e intensidade
das chuvas
Intemperismo

X

Ausência de cuidados com o solo
Ausência de
cuidados
com o solo

O esquema retrata, mais especificamente, o surgi­ mento:

a) dos lençóis freáticos.

b) das voçorocas.

c) da pediplenação.

d) das fontes geotermais.

e) da produção de nutrientes.

Respostas das Atividades adicionais Geografia 1 . O morro é o do Oriente. A encosta
Respostas das Atividades adicionais Geografia 1 . O morro é o do Oriente. A encosta
Respostas das Atividades adicionais Geografia 1 . O morro é o do Oriente. A encosta

Respostas das Atividades adicionais

Geografia

1. O morro é o do Oriente. A encosta mais íngreme está representada pelo menor espaçamento entre as cur­ vas de nível na posição sudeste do morro, indicando maior gradiente.

a)

b)

O litoral mais escarpado está representado pelo pro­ longamento da curva de nível de 50 metros até o mar, na posição sul do morro do Ocidente.

2. A escala é de 1 : 50.000, ou seja, cada centímetro na carta equivale a 0,5 km na realidade. Assim, se a dis­

a)

tância entre os dois pontos hipotéticos (A e B) na carta

é

de 3,8 cm, a distância real é de 1,9 km (3,8 0,5).

b)

O

escoamento das águas é observado no sentido apro­

ximado de nordeste para sudoeste.

c)

A margem direita é a mais indicada, pois o declive é

mais suave (o distanciamento entre as curvas é maior e

o

terreno, menos íngreme), facilitando o cultivo.

3. a

É

4. a indicação da proporção existente entre o mapa e a

a)

realidade.

b)

Porque os mapas são a representação plana (bidimen­ sional) de uma realidade “esférica” (tridimensional). Dependendo da projeção a ser utilizada, o resultado pode dar margem a diferentes interpretações, inclusive as de cunho ideológico.

5. d

10. e

6. e

11. d

7. d

12. b

8. b

13. d

9. c

14. b

15.

a

22. b

16.

b

23. b

17.

b

24. b

18.

a

25. d

19.

a

26. c

20.

c

27. d

21.

d

28. d

29.

a) Porque elas estão sobre um “mar de lava”, a estenosfera, por onde deslizam e tornam possível o seu deslocamen­ to lateral, por meio de movimentos convectivos, diver­ gentes e transformantes oriundos do manto superior (ou forças internas da Terra). b) Os continentes na sua evolução, passaram de uma massa continental única (Pangea) para os seis conti­ nentes atuais. Assim, ao longo desse processo, espé­ cies comuns em lugares diferentes e outras novas es­ pécies se formaram e se desenvolveram, devido ao processo de aproximação e afastamento das massas continentais oriundo do movimento das placas tectô­ nicas, o qual acabou influenciando na distribuição bio­ geográfica da fauna terrestre.

30.

d

36. c

31.

a

37. c

32.

d

38. b

33.

c

39. e

34.

d

40. b

35.

b