Вы находитесь на странице: 1из 8

Questionário referente ao Conteúdo do Módulo 01

Obs: Não é Avaliativo, apenas elaborei para ajudá-los a memorizar o conteúdo


para a prova Presencial. Respondem que em breve passarei as respostas para
que possam conferir se acertaram.

1 – Fale sobre a Atividade de Inteligência no Brasil no período de


1990 a 1999.
Sob a escusa de sepultar eventuais violações praticadas pelo Serviço Nacional de
Informações, o primeiro governo eleito sob o novo regime democrático
encerrou suas atividades no dia 15 de março de 1990. Mas ainda no governo
anterior, o então presidente José Sarney já havia procurado diminuir a atuação do
Serviço. Fato este que deixou o país praticamente inerte no que se refere à
matéria de Inteligência governamental, iniciando um período de paralisação e
descrédito da atividade no Brasil.

2 – Qual a autuação do SISBIN e qual a sua responsabilidade?


Este Sistema atua em várias áreas de interesse do Estado e da sociedade e é
responsável pelo processo de obtenção e análise de dados e informações e
pela produção e difusão de conhecimentos necessários ao processo decisório
do Poder Executivo, em especial no tocante à segurança da sociedade e do
Estado, bem como pela salvaguarda de assuntos sigilosos de interesse nacional.

03 – Qual a Agencia Central do SISBIN?


A Agência Centrao do SISBIN é a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

4 – Oficialmente quando foi criado o Primeiro Serviço de


Inteligência do Brasil?
Oficialmente, o primeiro serviço de Inteligência no Brasil foi criado em 1956, no
governo do Presidente Juscelino Kubitschek, apesar de existir no papel desde
o mandato de Eurico Gaspar Dutra, denominado Serviço Federal de Informação e
Contra-Informação (SFICI). Referida Instituição permaneceu em funcionamento
até meados dos anos de 1964. O SFICI foi absorvido pelo Serviço Nacional de
Informações (SNI), criado pela Lei nº 4.341, em 13 de junho de 1964, com o
objetivo de supervisionar e coordenar as atividades de informações e contra-
informações no Brasil e exterior.
5 – O que é a CGI? A quem ela está subordinada? E por que o
curso CIAI é organizado pela CGI?
A CGI é a Coordenação-Geral de Inteligência (CGI), e está subordinada à
Secretaria Nacional de Segurança Pública, é a Agência Central do Subsistema de
Inteligência de Segurança Pública (SISP) - conforme preconiza o § 1° do Art. 2° do
Decreto n° 3.695, de 21 de dezembro de 2000 c/c o § 2°, Art. 1º da Resolução n°
01, de 15 de julho de 2009 – e o curso CIAI é organizado pela CGI porque ela
possui, dentre suas atribuições, a incumbência de propor a execução de cursos
para o treinamento de pessoal na área de Inteligência de Segurança Pública.

06 – Qual a importância da Ciência, para o profissional de


Inteligência?

A ciência, como forma de produção do conhecimento, é especialmente


interessante para o profissional de Inteligência, já que busca identificar
importantes atributos por meio de metodologia própria, referenciados na Doutrina
Nacional de Inteligência de Segurança Pública (DNISP).

7 – Atualmente como funciona a Inteligência no Brasil?

Atualmente, a atividade de Inteligência no Brasil funciona como um sistema com o


escopo de fazer uma composição cooperativa entre as diversas estruturas que
atuam nessa área. Tendo sido criado no ano de 1999 o Sistema Brasileiro de
Inteligência (SISBIN), instituído pela Lei nº 9.883, de 7 de setembro de 1999.

08 – Quais os principais órgãos que compõem o SISP?

Este subsistema é coordenado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública


(SENASP) do Ministério da Justiça. Os principais órgãos do SISP são o
Departamento de Polícia Federal (DPF) e o Departamento de Polícia Rodoviária
Federal (DPRF), no Ministério da Justiça, além de componentes do Ministério da
Fazenda (COAF, COEPI e SRF), do Ministério da Integração Regional, do
Ministério da Defesa (SPEAI), do Gabinete de Segurança Institucional da
Presidência da República (ABIN e SENAD), além das polícias civis e militares dos
26 estados e do Distrito Federal.

Conforme visto, o SISP tem como órgão central a Secretaria Nacional


de Segurança Pública (SENASP/MJ), integrando também sua estrutura os
Ministérios da Justiça, Fazenda, Defesa e Integração Nacional e o Gabinete
de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI).
O §2º do Art. 2º do Decreto 3.695/2000 cita que os órgãos de inteligência dos
Estados e do Distrito Federal poderão compor o SISP desde que mediante
ajustes específicos e convênios. Na prática, este convênio é feito entre a
Unidade Federativa e a CGI/SENASP.
9- Quando os países ocidentais passaram a se preocupar em
produzir conhecimentos no âmbito interno? E por qual motivo se
deu essa preocupação?

Somente a partir do fim da guerra fria que os países ocidentais passaram a dar
especial atenção à necessidade de se produzir conhecimentos também no âmbito
interno, haja vista o crescente aumento da violência, do narcotráfico, tráfico de
armas, corrupção e outros crimes conexos.

10 – De uma maneira geral quais são os órgãos e entidades da


Administração Pública compõem o SISBIN? Em que legislação há
essa previsão?
A Lei nº 9.883/1999 determina que todos os órgãos e entidades da Administração
Pública Federal, com capacidade de produção de conhecimento de interesse das
atividades de Inteligência, deverão constituir o SISBIN. Cria, também, a
possibilidade de incorporação, mediante convênio, das unidades da Federação,
como órgãos derivados.

11 – Qual a origem da Atividade de Inteligência no Brasil? Em que


governo, qual a data e qual o organismo criado?

A origem da Atividade de Inteligência no Brasil situa-se no governo do


Presidente Washington Luiz, em 29 de novembro de 1927, quando se criou o
Conselho de Defesa Nacional (CDN), organismo que foi encarregado de
coordenar a reunião de informações relativas à defesa do país.

12 – O que é a ABIN e a quem ela está diretamente subordinada?


A referida lei criou a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), e destacou-a
como órgão central do SISBIN, diretamente subordinado à Presidência da
República, a partir do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

13 - Após a Década Perdida, quando o País retorna a dar ênfase a


Inteligência Governamental?

Somente no ano de 1999, com a criação do Sistema Brasileiro de Inteligência


(SISBIN) e da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) por meio da Lei 9.883,
é que o país retoma de fato às atividades de inteligência governamental.

14 – O que é o SISP?

SISP é o Subsistema de Inteligência de Segurança Pública (SISP).


15 – Qual a principal atribuição do SISBIN e qual o decreto que
define essa atribuição?

Com o intuito de organizar o Sistema Brasileiro de Inteligência foi publicado o


Decreto nº 4.376, em 13 de setembro de 2002, que dispõe sobre o
funcionamento e organização do SISBIN. A principal atribuição desse órgão é
integrar as ações de planejamento e execução da atividade de Inteligência do
país, tendo por finalidade ofertar subsídios ao Presidente da República.

16 – Quando o SISP foi criado e com qual objetivo?


O SISP foi estabelecido em dezembro de 2000, por meio do decreto-executivo
3.695, para organizar de forma cooperativa os fluxos de informação nas áreas de
inteligência criminal, inteligência de segurança (ou interna), bem como
contrainteligência.

17 – A Resolução Nº 1, de 15 de julho de 2009, que regulamenta o


Subsistema de Inteligência de Segurança Pública – SISP, trata a
Inteligência no âmbito policial se valendo de técnicas especiais
de investigação. A que “Investigação” a Resolução se refere?

A Resolução não se refere à investigação no sentido de se buscar autoria e


materialidade por meio de obtenção de provas, mas às Ações de Inteligência, que
são procedimentos e medidas realizadas para dispor de dados necessários e
suficientes para a produção do conhecimento.

18 – Qual o Conceito de Inteligência de Segurança Pública,


conforme a Resolução que regulamentou o SISP?

O conceito de Inteligência de Segurança Pública, (ISP) encontrado na Resolução


Nº 1, de 15 de julho de 2009, que regulamenta o Subsistema de Inteligência de
Segurança Pública – SISP, é:
“É a atividade permanente e sistemática, via ações especializadas, que visa
identificar, acompanhar e avaliar ameaças, reais ou potenciais, sobre a segurança
pública e produzir conhecimentos e informações que subsidiem o planejamento e
a execução de políticas de Segurança Pública, bem como ações para prevenir,
neutralizar e reprimir atos criminosos de qualquer natureza, de forma integrada e
em subsídio à investigação e à produção de conhecimentos.”

19 – Qual o Conceito de Inteligência Policial de acordo com a


Resolução que regulamentou o SISP?

Em relação à Inteligência policial, a Resolução supracitada tratou de diferenciá-la


da Inteligência de segurança pública, definindo que:
É o conjunto de ações que empregam técnicas especiais de investigação, visando
a confirmar evidências, indícios e a obter conhecimentos sobre a atuação
criminosa dissimulada e complexa, bem como a identificação de redes e
organizações que atuem no crime, de forma a proporcionar um perfeito
entendimento sobre a maneira de agir e operar, ramificações, tendências e
alcance de condutas criminosas.

20 – O que é o SISBIN e com qual objetivo foi criado?


O SISBIN e o Sistema Brasileiro de Inteligência, e tem como objetivo integrar
as ações de planejamento e execução das atividades de Inteligência do país, com
vistas a subsidiar o Presidente da República nos assuntos de interesse nacional.

21 – Segundo a DNISP o conteúdo de um conhecimento de


Inteligência poderá ser aproveitado em investigações policiais
como prova? Quando? E como deve ser o procedimento para tal?

De acordo com a DNISP, em situações excepcionais, quando a metodologia que


culminou no conhecimento de Inteligência adequar-se também às regras
processuais penais, o seu conteúdo poderá ser aproveitado em investigações
policiais como prova. Para tanto, o conteúdo referido deverá ser extraído e compor
um Relatório Técnico (RT) que transmite, de forma excepcional, análises técnicas
e de dados, destinado na produção de provas.

22 – Por qual motivo se faz necessário o procedimento


mencionado na questão anterior?

Este procedimento ocorre porque enquanto a investigação policial está orientada


pelo modelo de persecução penal previsto e regulamentado na norma processual
própria - tendo como objetivo a produção de provas (autoria e materialidade
delitiva) - a Inteligência Policial Judiciária está orientada para a produção de
conhecimento e, apenas excepcionalmente, à produção de provas. Nesse sentido,
é de suma importância que o profissional de Inteligência saiba exatamente quais
são os limites legais da atividade de Inteligência e, sobretudo, os de polícia
judiciária.

23– Qual o órgão central do SISP?


A Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) é o órgão central do
Subsistema de Inteligência de Segurança Pública (SISP).

Questionário referente ao Conteúdo do Módulo 02


24– Qual o órgão responsável pelo controle externo da atividade
de inteligência?

25– Uma questão que pode gerar confusão entre a Atividade de


Inteligência e a Investigação, refere-se à terminologia adotada
nos documentos produzidos. Explique detalhadamente a
diferenciação pelos documentos entre atividade de Inteligência e
Investigação?

26– Cite um dos aspectos mais relevantes na diferenciação entre


Investigação Policial e a Inteligência Policial Judiciária?

27– Explique a diferenciação entre Investigação e Atividade de


Inteligência pelo significado da verdade:

28– Ainda sobre a diferenciação entre Investigação Policial e a


Inteligência Policial Judiciária, se pensarmos nesta diferenciação
pela finalidade, como poderíamos diferenciá-las? Reforce a sua
resposta citando 03 Finalidades da Atividade de Inteligência.

29– Inteligência e Investigação apresentam pontos congruentes?


Se sim, exemplifique.

30– Explique o que é a Infiltração e diga se a infiltração de


Agentes Policiais é um artifício de meio de prova na investigação
ou na Produção do Conhecimento para o assessoramento da
Inteligência?

31– Qual a importância da Atividade de Inteligência no combate à


criminalidade?

32– Estudamos as diversas diferenças entre a Atividade de


Inteligência e a Investigação. Mas elas são totalmente
dissociáveis? Explique.

Questionário referente ao Conteúdo do Módulo 03

33– Explique cada uma das Inteligências de ISP mencionadas na


DNISP.
34– Referente aos Profissionais de Inteligência de Segurança
Pública (ISP) qual a função do Encarregado de Caso?

35– Como regra geral os Profissionais de ISP devem executarem


prisões? O que preconiza a DNISP?

36– Os ramos da ISP são dissociáveis? Explique.

37– Em quais níveis, a Inteligência de Segurança Pública (ISP)


assessora o processo decisório, por meio da produção de
conhecimentos?

38– A Inteligência de Segurança Pública (ISP) segue


determinados princípios, que constituem síntese de pontos
fundamentais e guia das características da atividade. Os
princípios da ISP são as proposições diretoras - as bases, os
fundamentos, os alicerces, os pilares - que orientam e definem os
caminhos da atividade. A aplicação de um deles deve ser
harmônica aos demais. Quais são estes princípios? Explique
cada um deles.

39– Qual a importância de identificar o nível de assessoramento


na produção de um conhecimento de Inteligência?

40– Quais as Finalidades da Inteligência de Segurança Pública


(ISP) segundo Doutrina Nacional de Inteligência de Segurança
Pública (DNISP)?

41– Quais são as principais características da Inteligência de


Segurança Pública (ISP)?

42– Qual o conceito de Inteligência de Segurança Pública (ISP)


segundo Doutrina Nacional de Inteligência de Segurança Pública
(DNISP)?

43– Quantos e quais os RAMOS que compõem a atividade de


Inteligência de Segurança Pública (ISP)? Explique cada um deles.

44– Referente aos Profissionais de Inteligência de Segurança


Pública (ISP), quais são as 02 Funções essenciais diretamente
envolvidas na Produção do Conhecimento? Explique a função de
cada uma delas.
45– Quem são os profissionais de Inteligência de Segurança
Pública (ISP)?

46– A Doutrina Nacional de Inteligência de Segurança Pública


seja um instrumento que visa padronizar todos os procedimentos
da área de Inteligência na segurança pública. Porém, é inegável
que as diversas instituições da comunidade de Inteligência têm
diferentes atribuições e campos de atuações.
Desta forma, levando-se em conta as peculiaridades de cada
Instituição, a Doutrina tratou de diferenciar algumas espécies de
ISP. Quais são as espécies de ISP mencionadas na DNISP?

Похожие интересы