Вы находитесь на странице: 1из 4

O que são os fungos?

Os fungos, também chamados de bolores, mofos ou cogumelos, estão


interferindo constantemente nas nossas atividades diárias. Eles são tão
importantes que hoje constituem um reino à parte, lado a lado com os reinos
vegetal e animal. Fica difícil definir os fungos tal é a sua diversidade. No
entanto, eles possuem algumas características em comum que os distinguem
dos outros seres vivos.

Em geral, eles apresentam filamentos, as chamadas hifas, com paredes rijas,


ricas em quitina, o mesmo material que reveste insetos como besouros; têm
características heterotróficas, isto é, não possuem clorofila e, portanto,
necessitam de material orgânico para viver, sendo sua nutrição feita por
absorção de nutrientes graças à presença de enzimas que são por eles
produzidas e que degradam produtos como, por exemplo, celulose e amido.

Por outro lado, os fungos são eucarióticos, isto é, possuem um núcleo típico no
interior de suas células, comparável ao das plantas e animais. Reproduzem-se
por via sexual ou assexual e assim possuem divisões celulares do tipo mitose e
meiose, tendo sempre como produto final os esporos que são órgãos de
reprodução, resistência e disseminação. Na verdade, o reino dos fungos é um
dos mais numerosos. Estima-se que existam pelo menos um milhão e
quinhentas mil espécies de fungos espalhadas pelo mundo. Isso é muito mais
do que todas as espécies vegetais e animais somadas, excluindo-se os
insetos.

Os fungos unicelulares e microscópicos podem ser parasitas, causadores de


doenças, denominadas micoses ( Candida albicans que causa a candidíase ou
sapinho e Tinea pedis que causa a frieira ou pé-de-atleta), ou então
desenvolverem ação fermentativa, sendo qualificados como leveduras.

Doenças Causadas por Fungos


As micoses que aparecem comumente nos homens são doenças provocadas
por fungos. As mais comuns ocorrem na pele, podendo-se manifestar em
qualquer parte da superfície do corpo.
São comuns as micoses do couro cabeludo e da barba (ptiríase), das unhas e
as que causam as frieiras (pé-de-atleta).
As micoses podem afetar também as mucosas como a da boca. É o caso so
sapinho, muito comum em crianças. Essa doença se manifesta por multiplos
pontos brancos na mucosa.
Existem, também, fungos que parasitam o interior do organismo, como é o
caso do fungo causador da histoplasmose, doença grave que ataca os
pulmões.
As Micoses

As micoses são toda e qualquer infecção provocada pela atividade de fungos


microscópicos.
As micoses podem ser classificadas em:
Micoses superficiais e cutâneas
Micoses sistêmicas ou profundas
Micoses oportunistas.

As micoses superficiais e cutâneas são aquelas que atingem a epiderme e às


vezes a derme, compreendendo as dermatofitoses ou tinhas. Os fungos mais
comuns causadores desses distúrbios são:
Trichophyton purpureum que ataca a pele das regiões interdigitais dos pés,
sendo o agente etiológico do “pé-de-atleta” ou “frieira”.
Piedraia hortai, causa a dermatofitoses do couro cabeludo ou “peladas”.

As micoses que atingem as unhas são chamadas de onicomicoses, sendo


causadas por diversos gêneros e espécies de fungos.

As micoses sistêmicas ou profundas compreendem as infecções que atingem


os órgãos internos do corpo ou se difundem pela circulação sanguínea.
Entre elas temos:
A candidíase do tubo digestivo ou “sapinho” causada pelo fungo Cândida
albicans, que pode se localizar somente na boca ou se alastrar por todo
sistema digestivo.

A blastomicose pulmonar ou micose de Lutz causada pelo fungo


Paracoccidioides brasiliensis, que podem chegar ao SNC causando meningite
e encefalite grave.

As micoses oportunistas compreendem afecções que sobrevêm a outras


doenças, como:
Candidíase ou “sapinho” e as mucormicoses e a leucorréia (corrimento
vaginal), cujo um dos agentes etiológicos é a Cândida albicans.

As mucormicoses são doenças extremamente graves, disseminando pelo


organismo provocando lesões, causadas entre eles pelo Rhizopus stolonifer,
uma levedura, conhecida como “bolor de pão”.

Micoses:

O que são?

As micoses são infecções da pele causadas por fungos dermatófitos,


microorganismos que se alimentam de células mortas da pele (estrato córneo) e da
queratina das unhas e cabelo. Sobrevivem em ambientes fechados, ao mesmo
tempo quentes e húmidos.

As micoses podem ser superficiais, cutâneas ou subcutâneas. São, também


denominadas "Tinea", um termo do latim que significa verme, seguido da região
envolvida. As mais comuns são a Tinea pedis, Tinea corporis, Tinea cruris, Tinea
capitis, Tinea unguium (micoses cutâneas) e Tinea versicolor (micose superficial).
Os microorganismos envolvidos nestas infecções são muito variados. Estão
envolvidos dermatófitos do género Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton.

As duas principais micoses são o pé-de-atleta e as micoses das unhas


(onicomicoses), que partilham os mesmos factores de risco:

Andar descalço em espaços públicos e húmidos, como balneários e piscinas;

Má higiene dos pés e do calçado (meias e sapatos);

Calçado que não permita ventilação;

Não secar adequadamente os pés;

Diabetes, alterações da circulação e alterações do sistema imunitário.

Tinea pedis ou Pé-de-atleta

É uma das micoses mais conhecidas. O pé-de-atleta deve o seu nome por ser muito
comum entre desportistas, pelo uso prolongado de calçado favorável à acumulação
de humidade e porque frequentam duches públicos e balneários. Contudo, qualquer
pessoa pode desenvolver este tipo de micose.

A infecção pode localizar-se em qualquer zona do pé, mas é mais frequente nas
pregas entre os dedos. Causa comichão, descamação, maceração e fissuras na
pele, acompanhado de um odor desagradável. A pele da sola dos pés engrossa,
ficando irritada e causando comichão. Quando se coça, há risco de, através do
toque, a infecção passar para outras zonas do corpo, como axilas.

Tinea unguium ou Onicomicoses

É uma infecção mais comum em indivíduos com mais de 60 anos ou com outras
infecções fúngicas. A presença da infecção é denunciada primeiro por um pequeno
ponto branco ou amarelo por baixo da unha. À medida que os fungo avançam, a
unha fica descolorada, baça, mais espessa, quebradiça e deformada, podendo
haver dor. Em certos casos, a unha pode cair.

Tinea corporis

É mais frequente na puberdade e aparece nos braços, ombros, troco, cabeça e


pescoço, na pele que não tem pêlos. As lesões são ovais, eritematosas e
escamosas, com contorno inflamado, sendo o centro da lesão hipopigmentado
(branco) ou acastanhado. É transmissível por contacto com outras pessoas ou
animais e de outras zonas do corpo. O excesso de peso e o stresse são factores
predisponentes.

Tinea cruris

É comum no sexo masculino depois da puberdade. É transmissível de pessoa para


pessoa. As lesões são inflamatórias e escamosas, com uma margem activa que se
estende para baixo, desde a região inguinal até à face interna da coxa ou múltiplas
em anel. Por vezes podem afectar a região do períneo e perianal e afectar os
folículos pilosos.

Tinea capitis

É mais comum em crianças. É uma lesão circular no couro cabeludo com uma área
restrita de alopécia. Pode ser transmitida pelo contacto directo, por escovas de
cabelo, roupa ou por animais domésticos.

Tinea versicolor ou Pitirase versicolor

É uma infecção superficial causada por Pittyrosporum orbiculare. É mais comum em


indivíduos imunodeprimidos ou com a pele excessivamente oleosa ou com
hiperhidrose. As lesões são despigmentadas e aparecem no peito. abdómen e
costas em zonas ricas em glândulas sebáceas. Ficam mais escuras e visíveis no
Inverno e mais claras no Verão.