Вы находитесь на странице: 1из 75

NORMA

BRASILEIRA

ABNT NBR

15575-4

Quarta edição

19.02.2013

Válida a partir de

19.07.2013

Edificações habitacionais — Desempenho Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas — SVVIE

Residential Residential bbuuildddiiinnngs buildings — — Performance Performannce
Residential Residential bbuuildddiiinnngs buildings — — Performance Performannce

Part Part 4: 4: Requirements RRReeeqqquuuiiirrrements for for internal inttternal and and extterrnal external wall wall syst systems

ICS 91.040.01

ISBN 978-85-07-

04049-1

ABNT NBR 15575-4:2013

ABNT NBR 15575-4:2013 © ABNT 2013 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro

© ABNT 2013 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou utilizada por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito da ABNT.

ABNT Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar 20031-901 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: + 55 21 3974-2300 Fax: + 55 21 3974-2346 abnt@abnt.org.br www.abnt.org.br

ii

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-4:2013

 

Sumário

Página

Prefácio

ix

Introdução

xi

1

Escopo

1

2

Referências normativas

1

3

Termos e definições 4

4

Requisitos do usuário 4

5

Incumbências dos intervenientes 4

6

Avaliação de desempenho

4

7

Desempenho estrutural

5

7.1

Requisito – Estabilidade e resistência estrutural dos sistemas de vedação internos

externos

s s de ppproojeeettto – Deeesssllocamentos, fissuras e ocorrêênciiia de falhass noo
s
s
de ppproojeeettto
Deeesssllocamentos, fissuras e ocorrêênciiia de falhass noo

e

Critério – Estado-limite Estado-limite último últttiimmmo

Métodos de de avaliação avaliaaaçççãooo

Premissas de projeto

Nível de desempenho deseeempppeeenhooo

Requisito – Deslocamentos, fissuras e ocorrência de falhas nos sistemas de

vedações verttticais verticais internas internas e e externas externas

Critério – Limitação Liiimitação de de deslocamennntos, deslocamentos, fissuras fissuras e e descolament descolamentos

Método de e avaliação avaliação

5

7.1.1

5

7.1.2

5

7.1.3

5

7.1.4

6

7.2

6

7.2.1

6

7.2.2

7

7.3

Requisito – – Solicitações Solicitações de de cargas cargas prrrovenientes provenientes de de peças peças susp suspensas atuantes nos

sistemas dee de vedações vedações internas internas e e exterrrnass externas

Critério – Capacidade Caapppacidade de de suporte suporte para para as as peças peças suspensas suspensas

Critérios para paaraa avaliação avvvaliação de de outros outros dispositivos dispositivos

avaliaaaççção

Método de avaliação

e

Requisito – Impacto de corpo mole nos sistemas de vedações verticais internas

e

Critério – Resistência Resistência aaa a impactos iiimmmpppactos de de corpoo corpo mmole mole

Método de avaliação

Requisito – Impacto de corpo mole nos sistemas de vedações verticais internas

Impaaacccttooo de corpo mole noos sistemas de vedaaçõeees

externas, s, com com oou ou sseemmm sem funçção função esstrrutuuural estrutural

e

avaliação

Im acto de cor

o m

l

nos si

emas de veda ões

8

7.3.1

8

7.3.2

9

7.3.3

7.4

9

10

7.4.1

7.4.2

7.4.3

10

13

externas – para casas térreas – com ou sem função estrutural – Critério – Resistência a impactos de corpo mole

e

13

7.5

Requisito – Ações transmitidas por portas

16

7.5.1

Critério – Ações transmitidas por portas internas ou externas

16

7.6

Requisito – Impacto de corpo duro incidente nos SVVIE, com ou sem função

estrutural 16

7.6.1

Critério – Resistência a impactos de corpo duro 16

7.6.2

Método de avaliação

17

7.6.3

Nível de desempenho

17

7.7

Requisito – Cargas de ocupação incidentes em guarda-corpos e parapeitos de janelas

17

7.7.1

Critério – Ações estáticas horizontais, estáticas verticais e de impactos incidentes

em guarda-corpos e parapeitos 18

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

iii

ABNT NBR 15575-4:2013

7.7.2

Método de avaliação

18

8

Segurança contra incêndio

18

8.1

Generalidades 18

8.2

Requisito – Dificultar a ocorrência da inflamação generalizada

18

8.2.1

Critério – Avaliação da reação ao fogo da face interna dos sistemas de vedações

verticais e respectivos miolos isolantes térmicos e absorventes acústicos 18

8.2.2

Método de avaliação

21

8.3

Requisito – Dificultar a propagação do incêndio

21

8.3.1

Critério – Avaliação da reação ao fogo da face externa das vedações verticais que compõem a fachada 21

8.3.2

Método de avaliação

21

8.4

Requisito – Dificultar Dificultar a a propagaçççãããooo propagação dddo do incêndio incêndio e e preservar preservar a a est estabilidade estrutural

da edificação ão

Critério – Resistência esistênciaaa aaooo ao fffogooo fogo de de eleemmmentos elementos estrruturais estruturais e e de de com compartimentação

Método de avaliaçççãooo avaliação

Segurança no no usooo uso eee e na na opppeeerão operação

21

8.4.1

21

8.4.2

22

9

22

10

Estanqueidade ade 22

10.1

ho térmico térmico
ho térmico
térmico

Requisito – Infiltttraçããão Infiltração de de água água nos nos sistttemmas sistemas de de vveddões vedações verticaaa verticais externas (fachadas)

Critério – Estanqueidade stanqueeidade à à água água de de chuuuva, chuva, consideerando-se considerando-se a a açã ação dos ventos,

em sistemas s de de vedações vedações verticais verticais exttternnas externas (fachadas) (fachadas)

Nível de desempenho semppenho

Requisito – Ummmiddade Umidade nas nas vedações vedações verticcaiss verticais externas externas e e internas internas decorrente da

ocupação do o immóvvel imóvel

22

10.1.1

22

10.1.2

25

10.2

25

10.2.1

Critério – Estanqueidade stanqquueeeiidade de de vedões vedações verticcais verticais internas internas e e externa externas com incidência

direta de água ua – ÁÁÁreeeaaasss Áreas molhadas molhadas

25

10.2.2

Critério – Estanqueidade stanqueidddaaadddee de de vveedaçõõesss vedações verticais verticais internas internas e e exxttterna externas em contato com

áreas molháveis áveis

Desempenho

25

11

26

11.1

Generalidades des 26

11.2

Requisito – Adequação de paredes externas 26

11.2.1

Critério – Transmitância térmica de paredes externas

26

11.2.2

Critério – Capacidade térmica de paredes externas 27

11.3

Requisito – Aberturas para ventilação 27

11.3.1

Critério 28

12

Desempenho acústico

28

12.1

Generalidades 28

12.2

Métodos disponíveis para a verificação

29

12.2.1

Descrição dos métodos 29

12.2.2

Parâmetros de verificação 29

12.3

Requisito – Níveis de ruído permitidos na habitação 30

12.3.2

Critério – Diferença padronizada de nível ponderada, promovida pela vedação entre ambientes, verificada em ensaio de campo 31

iv

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-4:2013

13

Desempenho lumínico

32

14

Durabilidade e manutenibilidade

32

14.1

Requisito (paredes externas – SVVE)

32

14.1.1

Critério – Ação de calor e choque térmico

32

14.2

Requisito – Vida útil de projeto dos sistemas de vedações verticais internas

e externas 32

14.2.1

Critério – Vida útil de projeto 32

14.3

Requisito – Manutenibilidade dos sistemas de vedações verticais internas e

externas 33

14.3.1

Critério – Manual de uso, operação e manutenção dos sistemas de vedação vertical.

33

15

Saúde

Conforto antropodinâmico antropodinâmmmicooo

Adequação

Níveis de desempenho desemmmpppeeennnhho para para componentes componentes de de fffachada fachada parra para ens ensaios

ambiental

ão ambiennntaal

34

16

34

17

17.3.1

34

em laboratório atório Bibliografia

Anexos

Anexo A (normativo) ) DDeeterminação Determinação dda da resisttêênciaaa resistência dos dos SVVIIIE SVVIE às às solicitaçõ solicitações de peças

58

63

A.1

A.2

A.3

cesa pppaddrrooonnnizada padronizada ra L L
cesa pppaddrrooonnnizada
padronizada
ra L
L

suspensas as Método Método de de ensaio ensaio Princípio Diretrizes s

Aparelhagem geem

Equipamentos entooos de dddee laboratório laboratório

Mão-francesa

Cantoneira

Dispositivos vos especícoss específicos cooonnforme conforme especificação especificação do do ffooorrnecedo fornecedor da peça

suspensa a

35

35

35

35

A.3.1

35

A.3.2

35

A.3.3

36

A.3.4

36

A.3.5

A.4

Cargas faceando a parede 36 Preparação do corpo de prova 36

A.5

Execução do ensaio 36

A.6

Expressão dos resultados 37

A.7

Relatório de ensaio

37

Anexo B (normativo) Verificação da resistência a impactos de corpo duro – Método de

 

ensaio

38

B.1

Princípio

38

B.2

Diretrizes

38

B.3 Aparelhagem 38

B.4

Preparação dos corpos de prova 38

B.5

Execução do ensaio 38

B.6

Relatório de ensaio

39

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

v

ABNT NBR 15575-4:2013

Anexo C (normativo) Verificação, em laboratório, da estanqueidade à água de SVVE – Método de ensaio

40

C.1

Princípio

40

C.2

Diretrizes

40

C.3

Corpo de prova

40

C.4 Aparelhagem 40

C.5

Execução do ensaio 42

C.6

Expressão dos resultados 43

C.7

Relatório de ensaio

43

Anexo D (normativo) Verificação da permeabilidade à água de SVVIE – Método de ensaio 44

D.1 Princípio 44 D.2 Diretrizes 44 D.3 Aparelhagem m 44 D.4 Procedimento nto 45 D.5
D.1
Princípio
44
D.2
Diretrizes
44
D.3
Aparelhagem m
44
D.4
Procedimento nto
45
D.5
Expressão dos dos resssuulltttaaaddosss resultados
45
D.6
Relatório de ensaio
e
ensssaiiooo
45
Anexo E (normativo) Verificação eriiificcaaaççção dooo do comportamentto comportamento de de SVVE SVVE exposto exposto à à açã ação de calor e
E.1
choque térmico miiico – – Méétodo Método de de ensaio ensaio
Princípio
46
46
E.2
Aparelhagem m
46
E.3
Preparação dos dos corpos corpos de de prova prova
46
E.4
Procedimento ntoo de de ensaio ensaio
46
E.5
Expressão ddos dos reesultados resultados
47
E.6
Relatório de ensaio
e
ensaiio
48
Anexo F (informativo) Níveiss Níveis dddee de desempenho desempenho
49
F.1
Generalidades des
49
F.2
Solicitações de cargas provenientes de peças suspensas atuantes nos sistemas
s
de caargaaas ppproveenientes ddde pppeças suspensas atuuaaante
de vedações s externasss externas e e innntteeerrnas internas
49
F.3
Impacto de corpo corpo mole mole nooos nos sistttemmmaaasss sistemas de de vedações vedações vveeerrtticais verticais exter externas
e internas, com com ou ou sem sem função função esstrutural estrutural
50
F.3.1
Resistência a impacto de corpo mole – Sistemas de vedação vertical interna
F.3.2
de edificações 50
Resistência a impacto de corpo mole – Sistemas de vedação vertical de casas
51
F.4
térreas
Impacto de corpo duro incidente nos SVVIE, com ou sem função estrutural
Estanqueidade à água de chuva, considerando-se a ação dos ventos,
54
F.5
em sistemas de vedações verticais externas (fachadas) 55
F.6
Níveis de ruído permitidos na habitação
Níveis de desempenho para medição em campo
Níveis de desempenho da vedação externa
Níveis de desempenho da vedação entre ambientes
56
F.6.1
56
F.6.1.1
56
F.6.1.2
57
F.6.2 Níveis de desempenho para medição em laboratório
58

vi

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-4:2013

F.6.2.1

laboratório 58 Anexo G (normativo) Verificação do comportamento de SVVE sob ação de cargas horizontais

Níveis de desempenho para componentes de edificação para ensaios em

 

distribuídas – Método de ensaio (adaptado da ABNT NBR 5643)

60

G.1

Princípio

60

G.2 Aparelhagem 60

Balão plástico inflável 60

Manômetros Apoios Insuflamento de ar Relógios comparadores

60

60

G.2.1.1

G.2.1.2

G.2.1.3

G.2.1.4

G.2.1.5

G.3

G.3.1

G.3.2 Ensaio

62

G.4

61

61

61

61

61

Execução o do do ensaio ensaio

62 G.4 61 61 61 61 61 Execução o do do ensaio ensaio Corpo de prova

Corpo de prova prova

Resultados os

Figuras Figura 1 – Condições es ddee de exppossição exposição conforme conforme aas as regiões regiões braasileiras brasileiras

24

36

41

42

44

47

Figura A.1 – Esquema ma de de mão-francesa mão-francesa para para eensssaios ensaios de de peças peças suspensa suspensas,

como lavatórios atórios e e pprateleiras prateleiras

Figura C.1 – Esquema ma de de dispositivo dispositivo para para medddiçãão medição de de vazão vazão

Figura C.2 – Esquema maa de de monntagem montagem do do corpo corpo de de prova prova para para ensaio ensaio

Figura D.1 – Acoplamento meennto de de câmara câmara de de ensaio ensaio à à paarede parede

Figura E.1 – Esquema ma de dddeee montagem montagem e e instrumentação instrumentação do do corpo corpo de de prova prova

Tabelas

Tabela 1 – Critérios e e níveis níveis ddee de dddesempenho desempenho qqquannnto quanto a a deslocamentosss deslocamentos e e o ocorrência de falhas

sob ação de de cargasss cargas deee de ssseeerrviço serviço (vver (ver nnnota) nota)

6

8

Tabela 2 – Cargas de e ensaio ensaio e e criitérioos critérios pppaaarrraaa para peças peças suspensaasss suspensas fixadas fixadas

por mão-francesa francesa padrão padrão

Tabela 3 – Impactos de corpo mole para vedações verticais externas (fachadas) de edifícios

com mais de um pavimento Tabela 4 – Impacto de corpo mole para vedações verticais internas Tabela 5 – Impactos de corpo mole para vedações verticais externas (fachadas) de casas térreas, com função estrutural Tabela 6 – Impactos de corpo mole para vedações verticais externas (fachadas) de casas térreas, sem função estrutural Tabela 7 – Impactos de corpo duro para vedações verticais externas (fachadas) Tabela 8 – Impactos de corpo duro para vedações verticais internas Tabela 9 – Classificação dos materiais tendo como base o método ABNT NBR 9442 Tabela 10 – Classificação dos materiais tendo como base o método EN 13823 Tabela 11 – Condições de ensaio de estanqueidade à água de sistemas de vedações verticais externas

11

12

14

15

17

17

19

20

23

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

vii

ABNT NBR 15575-4:2013

Tabela 12 – Estanqueidade à água de vedações verticais externas (fachadas) e esquadrias Tabela 13 – Transmitância térmica de paredes externas Tabela 14 – Capacidade térmica de paredes externas Tabela 15 – Área mínima de ventilação em dormitórios e salas de estar Tabela 16 – Parâmetros acústicos de verificação Tabela 17 – Valores mínimos da diferença padronizada de nível ponderada, D 2m,nT,w, da vedação externa de dormitório Tabela 18 – Valores mínimos da diferença padronizada de nível ponderada, D nT,w, entre ambientes Tabela B.1 – Massa do corpo percussor de impacto, altura e energia de impacto Tabela F.1 – Cargas de ensaio e critérios para peças suspensas fixadas

49

50

Tabela F.3 – Impactos de de corpoo corpo mmooollleee mole para para vedaççções vedações verticais verticais externas externas (fach (fachadas)

52

Tabela F.4 – Impactos de de cccorrpppooo corpo moleee mole para para vedações vedações verticaiiis verticais externas externas (ffach (fachadas)

53

54

55

Tabela F.7 – Níveis de desempenho desempenho para para estanqueeeidade estanqueidade à à água água de de vedações vedações verticais externas

55

Tabela F.5 – Impactos dde de corpo corpo duro duro para para vedações vedações verticais verticais eexternas externas (faachhh (fachadas)

27

27

28

30

23

30

31

38

por mão-francesa ncesa padrão padrão

a da D nT,w sobre a inteligibilidddaddde da fala para ruído no D nT,w ça
a da D nT,w sobre a inteligibilidddaddde da fala para ruído no
D
nT,w
ça padrooonnnizzzada de nível ponderaada entre ambiennttes,,, D
e
reduçãooo sonooorrraaa pondeeraddo, R
, de fachadasss
w
e
redução sonnora ppooondddeeerrrado, R
R
w w

Tabela F.2 – Impacto de de corpo corpo molee mole ppaarrraaa para vedaçções vedações verticais verticais internas internas

de casas térreas, rreas, cccoommm com ffunção função estrutural estrutural

de casas térreas, rreeass, sssem sem fuunção função estrutural estrutural

Tabela F.6 – Impactos de de ccorppo corpo duro duro para para vedçções vedações verticais verticais internas internas

(fachadas) e e esquadrias esquadrias

Tabela F.8 – Influência da

sobre a inteligibilidade da fala para ruído no ambiente

interno em tornoo torno de de 35 35 dB dB a a 40 40 dB dB

56

56

57

58

59

Tabela F.9 – Diferença a ppadddronizada padronizada de de vel nível ponderadaa ponderada da da vedão vedação externa externa , D 2m,nT,w

para ensaios os de de cccampo campo

Tabela F.10 – Diferença padronizada de nível ponderada entre ambientes,

D nT,w para

ensaio de campo ampo

Tabela F.11 – Índice de redução sonora ponderado, R w , de fachadas

Tabela F.12 – Índice de redução sonora ponderado,

, , de de commpponentes componentes construtivos co

utilizados nas as vedações vedações entre entre ammbienttes ambientes

viii

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

Prefácio

ABNT NBR 15575-4:2013

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional de Normalização. As Normas

Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB), dos Organismos

de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais (ABNT/CEE), são elaboradas por Comissões de Estudo (CE), formadas por representantes dos setores envolvidos, delas fazendo parte: produtores, consumidores e neutros (universidades, laboratórios e outros).

Os Documentos Técnicos ABNT são elaborados conforme as regras da Diretiva ABNT, Parte 2.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) chama atenção para a possibilidade de que

alguns dos elementos deste documento podem ser objeto de direito de patente. A ABNT não deve ser

considerada responsável pela identificação de quaisquer direitos de patentes.

al confooormmeee EEditaaal nº 07, de 1116.07.2012 a 13.09.200012, co T 15575 entraaa emmm viiigggooor
al
confooormmeee EEditaaal nº 07, de 1116.07.2012 a 13.09.200012, co
T
15575 entraaa emmm viiigggooor 150 dias após suaa pppuublicação.

A

pela Comissão de Estudo Estudo deee de DDDeeesssempppenho Desempenho de de Edificações Edificações (CCCE-02:136.0 (CE-02:136.01). O Projeto circulou

ABNT NBR 15575-4 75-4 foi foi elaborada elaboooraaaddaaa no no Comitê Coommitê Brasileiro Brasileiro de de Construção Construçã Civil (ABNT/CB-02),

em Consulta Nacional conforme Edital nº 07, de 16.07.2012 a 13.09.2012, com o número de Projeto

ABNT NBR

Esta Norma, sob o títuuulo título gggeerall geral EEEdificões Edificações habitaciionais habitacionais Desempenho”, Desempenho”, t tem previsão de conter

as seguintes partes:

— Parte 1: Requisitos toss geraiis; gerais;

— Parte 2: Requisitos tos para para os os sistemas sistemas estruturaaais; estruturais;

— Parte 3: Requisitos tos paara para os os sistemas sistemas de de pisos; pisos;

— Parte 4: Requisitos tos pppaaaraaa para os os sistemas sistemas de de vedações vedações vverticais verticais internas internas e e exte externas – SVVIE;

— Parte 5: Requisitos tos ppparrraaa para ooosss os sistemas sistemas de de coberturas; coberturas;

— Parte 6: Requisitos tos paraa para osss os ssisssttemass sistemas hidroosssanitttários. hidrossanitários.

Esta parte da ABNT 15575 entra em vigor 150 dias após sua publicação. Devido à repercussão

que esta parte da ABNT BNT NBR NBR 15575 15575 terá tesobre sobbre as as atividades attiiiviidddaddes do do setor setor da da construção cons civil, bem como

necessidade de adequação de todos os segmentos desta cadeia produtiva, envolvendo projetistas, fabricantes, laboratórios, construtores e governo.

à

Esta quarta edição cancela e substitui a edição anterior (ABNT NBR 15575-4:2012), a qual foi tecnicamente revisada.

O Escopo desta Norma Brasileira em inglês é o seguinte:

Scope.

This part of ABNT NBR 15575 provides the requirements, criteria and methods for performance evaluation of internal and external wall systems (SVVIE) of residential buildings or their elements.

This part of ABNT NBR 15575 does not apply to:

works already completed;

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ix

ABNT NBR 15575-4:2013

construction in progress on the date of exigibility of this Standard;

projects filed in the competent organs of the date of exigibility of this Standard;

renovation and repair works;

retrofit of buildings;

temporary buildings.

This part of ABNT NBR 15575 is used as a procedure for performance evaluation of constructive systems.

The requirements provided in this part of ABNT NBR 15575 (Clauses 4 to 17) are supplemented

by the requirements provided ovided in in ABNT ABNT NBR NBR 1555555775-1 15575-1 to to ABNT ABNT NBR NBR 15575-6. 15575-6.

15575-1 to to ABNT ABNT NBR NBR 15575-6. 15575-6. This part of ABNT NBR BR 15575

This part of ABNT NBR BR 15575 15575 ppprooovvviiidddes provides criteria criteria fooor for thermal, thermal, acccooustic, acoustic, lumin luminous and fire safety

performance, that shall be be met met innndddivviidddually individually and and alone alone by by the the conflflicti conflicting g natuuure nature itself itself of the measurements

criteria, e.g., acoustic performance erformmmannccceee (wwwindow (window closed) closed) versus versus ventilation ventilation peerforrman performance (open window).

Requirements applicable le oonlllyyy only ffor for bbbuildddings buildings up up to to five five oors floors willl will be be specified specified in in thei their respective Clauses.

x

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

Introdução

ABNT NBR 15575-4:2013

A abordagem desta Norma explora conceitos que muitas vezes não são considerados em Normas

prescritivas específicas. A inter-relação entre Normas de desempenho e Normas prescritivas

deve possibilitar o atendimento aos requisitos do usuário, com soluções tecnicamente adequadas

e economicamente viáveis.

Todas as disposições contidas nesta Norma aplicam–se aos sistemas que compõem edificações habitacionais, projetados, construídos, operados e submetidos a intervenções de manutenção que atendam às instruções específicas do respectivo manual de uso, operação e manutenção.

Requisitos e critérios particularmente aplicáveis a determinado sistema são tratados separadamente em cada parte desta Norma.

são tratados separadamente em cada parte desta Norma. Esta parte da ABNT NBR NBR 15575 15575

Esta parte da ABNT NBR NBR 15575 15575 trata ttraataaa dos dos sistemas sisteemas de de vedações vedações verticais verticais internas in e externas das

edificações habitacionais, nais, que,, que, aaléémmm além ddda da vvoolumetrria volumetria e e da da compartimeentação compartimentação dos dos espaços da edificação,

integram-se de forma a muito muitooo estreita eesssttrreitaa aos aos demais demais elementos elementos da da construção, construção, recebendo influências

e

influenciando o desempenho sempeeenhhooo da da edificação edificação habitacional. habitacional.

Mesmo sem função estrutural, estrrrutuuurall, aaas as vedações vedações podem podem atuar atuaar ccomo como contraaven contraventamento de estruturas

reticuladas ou sofrer as aas ações ççõess decorrentes decorrentes das das deformações deformações das das estruturas, estruturas, requerendo r assim uma

análise conjunta do deseeemmmpenho desempenho dos dos elementos elementos qqqueee que interagem. interagem. Podem Podem també também interagir com demais

componentes, elementos ntos e e sistemas siiistemas da da edificação,,, edificação, como como caixilhos, caixilllhos, esquadrias, esquadrias, estruturas, coberturas,

pisos e instalações. . AAs As vedações vedações verticais verticais exxxercem exercem ainda ainda outras outras funções, funções, como estanqueidade

à

de suporte a esforços s ddee de uso, uso, compartimentação compartimentação em em casos casos de de incêndio incêndio etc. etc.

água, isolação térmica rmica e ee acústica, acústica, capacidade capacidaddde de de fixação xação de de peças pas suspensas, s capacidade

Podem também assumir umir função função estrutural, estrutural, devendo devendo ateender atender à à ABNT ABNT NBR NBR 15 15575-2. Alguns critérios

de desempenho definidos nidos nesta nesta parte parte da da ABNT ABNT NBR NBR 15575 15575 fazem fazem referência referência a SVVIE com função estrutural.

Requisitos aplicáveis s somenntee somente pppaarra para edificações edificações dde de aaaaté cinco cinco pavimentos pavimentos sssão são especificados em suas respectivas seções.

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

xi

NORMA BRASILEIRA

ABNT NBR 15575-4:2013

Edificações habitacionais – Desempenho Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas – SVVIE

1

Escopo

1.1

Esta parte da ABNT NBR 15575 estabelece os requisitos, os critérios e os métodos para

a avaliação do desempenho de sistemas de vedações verticais internas e externas (SVVIE)

de edificações habitacionais ou de seus elementos.

1.2 Esta parte da ABNT NBR 15575 não se aplica a:

1.2 Esta parte da ABNT NBR 15575 não se aplica a: — obras já concluídas; das;

— obras já concluídas; das;

— obras em andamento mento naaa na daaattaa data daa da entrada entrada em em vigor vigor destaa desta Norma; Norma;

— projetos protocolados ladooos nooos nos órrrgãooos órgãos competentes competentes aaté a a data data da da entrada entrada em em v vigor desta Norma;

— obras de reformas; ass;

retrofit de edifícios; os;

— edificações provisórias. isórias.

1.3

nho de sistemas construtivos. struutivos.

Esta parte da ABNT BNNNTTT NBR NBBR 15575 15575 é é utilizada utilizada como coomoo um um procedimento procedimento de de avaliação a do desempe-

1.4

tados pelos requisitos s estabelecidos estttabbbeeeleeecccidos nas nas ABNT ABNT NBR NBR 15575-1 15575-1 a a ABNT ABNT NBBR NBR 1115 15575-6.

Os requisitos estabelecidos stabeleeeciidos nesta nesta parte parte da da ABNT ABNT NBR NBR 15575 15575 (Seções (Seções 4 4 a 17) são complemen-

1.5

lumínico e de segurança ança ao ao fogggo, fogo, qqquuueee que devem devem ser ser atendiddos atendidos individduuual individual e e isol isoladamente pela própria

Esta parte da ABNT BNT NBBBR NBR 1155555775 15575 estabelece estabelece crrritérios critérios relativoss relativos ao ao deeesssemp desempenho térmico, acústico,

natureza conflitante dos dos critérios critérios deee de mediiiçççõõõeeesss, medições, por por exemplo,, exemplo, ddeseeempenho desempenho ac acústico (janela fechada)

versus desempenho de de ventilação ventilação (janela (janela aberta). aaberta))).

1.6 Requisitos aplicáveis somente para edificações de até cinco pavimentos são especificados

em suas respectivas seções.

2 Referências normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação deste documento. Para referências datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as edições mais recentes do referido documento (incluindo emendas).

ABNT NBR 5628, Componentes construtivos estruturais – Determinação da resistência ao fogo

ABNT NBR 5643, Telha de fibrocimento – Verificação da resistência a cargas uniformemente distribuídas

ABNT NBR 5674, Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

1

ABNT NBR 15575-4:2013

ABNT NBR 6118, Projeto de estruturas de concreto – Procedimento

ABNT NBR 8545, Execução de alvenaria sem função estrutural de tijolos e blocos cerâmicos – Procedimento

ABNT NBR 8800, Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios

ABNT NBR 8949, Paredes de alvenaria estrutural – Ensaio à compressão simples – Método de ensaio

ABNT NBR 9062, Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado

ABNT NBR 9442 Materiais de construção – Determinação do índice de propagação superficial de chama pelo método do painel radiante – Método de ensaio

ABNT NBR 10636, Paredes divisórias sem função estrutural – Determinação da resistência ao fogo –

Método de ensaio

redes divisórias sem funnnççããão estrutural – Determinação da squadriaaass eexxxtternaaas para
redes divisórias sem funnnççããão estrutural – Determinação da
squadriaaass eexxxtternaaas para edififificações – Parte 3: MMMéétodos d
iretriiizes para elaboração de mannuais de uso, operação

ABNT NBR 10821-3, Esquadrias externas para edificações – Parte 3: Métodos de ensaio

ABNT NBR 11675, Divisórias visórrrias leves llleves internas innnternas moduladas moduladas Verificação Verrificão da da resistência reeesis a impactos – Método de ensaio

ABNT NBR 11678, Divisórias isriass leves levess internas internas moduladas moduladas Verificação Verificação do do comportamento comport sob ação de

cargas provenientes de e peças peças suspensas suspensas Métooddo Método ddde de ensaio ensaio

ABNT NBR 11681, Divisórias isórias leves leves internas internas modulaaadass moduladas Procedimento Procedimento

ABNT NBR 14037, Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das

edificações – Requisitos ss paaaraa para elaboração elaboração e e apresentação apresentação dos dos conteúdos conteúdos

ABNT NBR 14323, Dimensionamento mensionaaamento de de estruturas estruturas dde de aaço aço de de edifícios edifícios em em sit situação de incêndio – Procedimento

ABNT NBR 14432, Exigências xigênciasss de dddeee resistência rreeesistênncia ao aoo fogo fogggo de de elementos elementoos construtivos connnssstrutiv de edificações – Procedimento

ABNT NBR 14718, Guarda-corpos arda-corpos para para eddificação edificação

ABNT NBR 14913, Fechadura de embutir – Requisitos, classificação e métodos de ensaio

ABNT NBR 14974-2, Bloco sílico-calcário para alvenaria – Parte 2: Procedimentos para execução de alvenaria

ABNT NBR 15200, Projeto de estruturas de concreto em situação de incêndio

ABNT NBR 15220-1, Desempenho térmico de edificações – Parte 1: Definições, símbolos e unidades

ABNT NBR 15220-2, Desempenho térmico de edificações – Parte 2:Métodos de cálculo da transmitância térmica, da capacidade térmica, do atraso térmico e do fator solar de elementos e componentes de edificações

ABNT NBR 15220-3, Desempenho térmico de edificações – Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habilitações unifamiliares de interesse social

2

© ABNT 2013 - Todos os direitos reservados

ABNT NBR 15575-4:2013

ABNT NBR 15220-5, Desempenho térmico de edificações – Parte 5: Medição da resistência térmica

e da condutividade térmica pelo método fluximétrico

ABNT NBR 15270-2, Componentes cerâmicos – Parte 2: Blocos cerâmicos para alvenaria estrutural

– Terminologia e requisitos

ABNT NBR 15575-1, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 1: Requisitos gerais

ABNT NBR 15575-2, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais

ABNT NBR 15575-3, Edificações habitacionais – Desempenho – Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos

, Alvenaria estruuutuuurrraaal – Bloccoos cerâmicccos – Parte 1: Projet , Alvenaaariaaa eeesstruttural – Blocos
,
Alvenaria estruuutuuurrraaal – Bloccoos cerâmicccos – Parte 1: Projet
,
Alvenaaariaaa eeesstruttural – Blocos cerâmicoss – Parte 2: Execu
,
Poortaaass de madddeira para edificações – Parte 2: Requisitttos
,
Alveennariiia eestrutural – Blocoss de concreto – Parte 1 – PPPro
ttto firre tests for products – Non-ccommbustibility test
t
off airrrbbbonnne sound insulation
s
– Meeeasssuurrreemment oof souunddd insssulation in buildings aaand
s
– Measurementt of sounddd iinsulllation iiinn buildings and

ABNT NBR 15812-1, Alvenaria estrutural – Blocos cerâmicos – Parte 1: Projetos

ABNT NBR 15812-2, Alvenaria estrutural – Blocos cerâmicos – Parte 2: Execução e controle de obras

ABNT NBR 15930-2, Portas de madeira para edificações – Parte 2: Requisitos

ABNT NBR 15961-1, Alvenaria estrutural – Blocos de concreto – Parte 1 – Projeto

ABNT NBR 15961-2, , Alvenaria Allvenaria estrutural estrutural Blocos Blocosss de de concreto concreto Parte Parte