Вы находитесь на странице: 1из 129

COMEÇANDO

Versão 4.2

Manual do usuário
outubro 2003
TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

GETRAM v4.2 Introdução ii


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

1 INTRODUÇÃO................................................. .................................................. ......................................... 1

1.1 eu IST DE UMA BBREVIATIONS ................................................. .................................................. ........................ 1

2 JANELA PRINCIPAL................................................ .................................................. ........................................... 2

2.1 T ELE M ENU B AR ................................................. .................................................. ...................................... 2


2.2 T ELE D rawing UMA REA ................................................. .................................................. .............................. 2
2,3 T ELE T OOL B AR ................................................. .................................................. ....................................... 3
2.4 T ELE M ENSAGEM UMA REA ................................................. .................................................. .............................. 4

3 MEIO AMBIENTE EDITOR ............................................... .................................................. .................. 6

3.1 M AIN JANELA ................................................ .................................................. ........................................ 6


3.2 T ELE D rawing UMA REA EO G LIVRAR................................................. .................................................. ...... 6
3,3 M Oving ao redor da área REAL-WORLD ........................................... .................................................. .. 7
3,4 S ELEIÇÃO OBJETOS PARA EXIBIR .............................................. .................................................. ............. 8

4 OBJETOS ................................................. .................................................. .................................................. .... 9

4.1 S ELEIÇÃO OBJETOS ................................................ .................................................. ................................ 9


4,2 O Pening UM OBJETO ............................................... .................................................. ................................. 9

5 Construir uma rede ............................................... .................................................. .......................... 10

5.1 Eu INTRODUÇÃO ................................................. .................................................. ..................................... 10


5.1.1 Exercício 1................................................ .................................................. ......................................... 10
5.1.2 Fundo................................................. .................................................. ..................................... 10
5.1.3 Exercício 2 ................................................ .................................................. ......................................... 12
5.2 M SEÇÕES ANIPULATING ................................................ .................................................. ..................... 12
5,3 T HE acúmulo PROCESSO ............................................. .................................................. ............................ 14
5.3.1 Geração de seções ............................................... .................................................. ...................... 14
5.3.2 Junta-se ................................................. .................................................. ................................................ 15
5.3.3 Polysections ................................................. .................................................. .................................... 16
5.3.4 Exercício 3 ................................................ .................................................. ......................................... 20
5,4 J Unções ................................................. .................................................. ........................................... 20
5.4.1 Basics ................................................. .................................................. .............................................. 20
5.4.2 Exercício 4 ................................................ .................................................. ......................................... 23
5.4.3 Grupos de sinal ................................................ .................................................. .................................. 25
5.4.4 Exercício 5 ................................................ .................................................. ......................................... 26
5.5 S FACILIDADES ECÇÃO ................................................ .................................................. .............................. 28
5.5.1 Basics ................................................. .................................................. .............................................. 28
5.5.2 Lanes ................................................. .................................................. ............................................... 29
5.6 D ETECTORS ................................................. .................................................. .......................................... 30
5,7 VMS' S ................................................. .................................................. ................................................. 31
5,8 M ETERING ................................................. .................................................. ............................................ 32
5,9 B NOS S RANKING ................................................. .................................................. ............................................ 33
5.9.1 Exercício 6 ................................................ .................................................. ......................................... 33
5,10 P LINHA ÚBLICAS ................................................ .................................................. .......................................... 36
5.10.1 Rotas ................................................. .................................................. ......................................... 36
5.10.2 Horários ................................................. .................................................. .................................. 37
5.10.3 Exercício 7 ................................................ .................................................. .................................... 38
5.11 P ÚBLICAS T RANSPORTES P LANS ................................................. .................................................. .................. 40
5.11.1 Exercício 8 ................................................ .................................................. .................................... 41
5,12 C PLANOS ONTROLE ................................................ .................................................. .................................... 41
5.12.1 Junções ................................................. .................................................. .................................... 42
5.12.2 Exercício 9 ................................................ .................................................. .................................... 44
5.12.3 Medição................................................. .................................................. ..................................... 45
5.12.4 Exercício 10 ................................................ .................................................. .................................. 47
5.13 R ESULTADO C ONTAINERS ................................................. .................................................. ........................... 47
5.13.1 Exercício 11 ................................................ .................................................. .................................. 49
5,14 C ENTROIDS ................................................. .................................................. ........................................... 51
5.14.1 Exercício 12 ................................................ .................................................. .................................. 53
5.15 O / DM ATRICES ................................................. .................................................. .................................... 57

GETRAM v4.2 Introdução iii


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.15.1 Exercício 13 ................................................ .................................................. .................................. 59


5.16 ó Pening UMA REDE ............................................... .................................................. ............................. 60

6 AIMSUN: INTRODUÇÃO ............................................... .................................................. ...................... 62

7 AIMSUN JANELA PRINCIPAL DO ............................................... .................................................. ......................... 64

7.1 M ENU B AR ................................................. .................................................. ........................................... 64


7,2 T ELE S Tatus E C ONTROLE B AR ................................................. .................................................. ......... 65
7.3 T OOL B Uttons ................................................. .................................................. .................................... 65
7,4 T ELE S IMULATOR E MBIENTE ................................................. .................................................. .......... 65

8 Um início rápido para AIMSUN ............................................. .................................................. ................... 66

8.1 eu OADING A M ODELO ................................................. .................................................. .............................. 66


8.1.1 Carregar dados de rede ............................................... .................................................. ........................... 66
8.1.2 Dados demanda de carga de tráfego .............................................. .................................................. ................ 66
8.1.3 Load / criar incidentes .............................................. .................................................. ......................... 68
8.1.4 Carregar / Criar Mensagens-Acções ............................................ .................................................. ............ 70
8.1.5 Carga de dados Controle de Tráfego .............................................. .................................................. ................. 76
8.1.6 Carregando um Plano de Transporte Público ............................................. .................................................. ....... 77
8.2 P REPARAÇÃO DO E Xperiment ................................................. .................................................. ............... 78
8.2.1 Run Time Parameters ............................................... .................................................. ....................... 78
8.2.2 Modelando parâmetros globais ............................................... .................................................. ............ 79
8.2.3 Rota escolha Parâmetros ............................................... .................................................. ................. 80
8.2.4 Entrada ................................................. .................................................. ................................................ 83
8,3 S CONFIGURAR O S IMULATOR ' S O Utput ................................................. .................................................. .... 84
8.3.1 Local de saída ................................................ .................................................. ............................... 84
8.3.2 Estatisticas ................................................. .................................................. .......................................... 84
8.3.3 Modelos ambientais ................................................ .................................................. ..................... 90
8.4 E Xercise 14 ................................................. .................................................. ......................................... 91
8,5 R Unning SIMULAÇÃO ............................................... .................................................. .................... 92
8.5.1 Repetições ...: ............................................... .................................................. .................................. 93
8.5.2 Correndo AIMSUN de uma linha de comando DOS ........................................... ....................................... 93
8.5.3 Detalhe veículo ................................................ .................................................. .................................. 93
8.1.2 Animação suave ................................................ .................................................. ......................... 94
8,6 V isualizar S STATÍSTICAS ................................................. .................................................. ............................ 94
8.6.1 Córregos ................................................. .................................................. ........................................... 94
8.6.2 Relatórios ................................................. .................................................. ............................................ 95
8.6.3 Gráficos estatísticos ................................................ .................................................. .............................. 98
8.6.4 ferramenta de validação AIMSUN ............................................... .................................................. ................. 100

9 Outros utilitários AIMSUN ............................................... .................................................. .................. 103

9.1 S IMULATION UMA NÁLISE ................................................. .................................................. ...................... 103


9.1.1 Vehicle Coloring ................................................ .................................................. ............................ 103
9.1.2 Preferências ................................................. .................................................. ................................... 104
9.1.3 Exibindo número de veículos .............................................. .................................................. ........ 105
9.1.4 Exibindo Veículos Atributos ............................................... .................................................. ........ 105
9.1.5 Mostrar filas virtuais ............................................... .................................................. ....................... 107
9.2 ACESSO A INFORMAÇÕES ADICIONAIS .............................................. .................................... 107
9.2.1 Mostrar Cenário Informações ............................................... .................................................. ......................... 108
9.2.2 Mostrar Legend ................................................ .................................................. .................................. 108
9.2.3 Mostrar Janela Log ............................................... .................................................. ........................... 108
9.2.4 Abrindo um objecto ............................................... .................................................. ........................... 109
9.2.5 Mostrar os objectos ................................................ .................................................. .................................. 109

10 Calibração e validação dos modelos AIMSUN ............................................ ................. 111

10.1 M ETODOLOGIA PARA OS MODELOS PRÉDIO DE SIMULAÇÃO ............................................. .............................. 111


10,2 t HE validação do processo: B Uilding modelos de simulação válida e fidedigna ............................. 112
10.2.1 Casos específicos para a validação de modelos de simulação de tráfego .......................................... ................... 113
10.2.2 Desenvolver um modelo de simulação de trânsito com validade alta rosto com GETRAM ................................ 113
10.2.3 Testar as hipóteses do modelo empiricamente ........................................... ................................. 114

ANEXO I: TEDI MENU BAR COMANDOS ........................................... .................................................. . 115

GETRAM v4.2 Introdução iv


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

F ILE M ENU ................................................. .................................................. .................................................. ..... 115 E DIT M ENU .................................................
.................................................. .................................................. ..... 115 V IEW MENU ................................................ .................................................. ..................................................

..... 115 A Rrange MENU ................................................ .................................................. ................................................ 116 S MENU ECÇÃO ................................................

.................................................. .................................................. 116 C ONTROLE M ENU ................................................. ..................................................

............................................... 116 R ESULTADO M ENU ................................................. .................................................. .................................................. 116 O / DM ATRIX M ENU

................................................. .................................................. ......................................... 117 M TRANSYT ENU ................................................. ..................................................

............................................ 118 PT M ENU ................................................. .................................................. .................................................. ........ 118 W INDOWS M ENU

................................................. .................................................. .............................................. 118 H ELP ................................................. ..................................................

.................................................. ............... 118

ANEXO II: AIMSUN MENU BAR COMANDOS ........................................... ........................................... 119

F ILE ................................................. .................................................. .................................................. ................ 119 ó BJECTS .................................................


.................................................. .................................................. ......... 119 V IEW ................................................. .................................................. ..................................................

.............. 120 E Xperiment ................................................. .................................................. .................................................. ... 120 R ONU .................................................

.................................................. .................................................. ................ 121 R ELATÓRIOS ................................................. ..................................................

.................................................. ......... 121 P ATHS: ................................................ .................................................. .................................................. ............. 121 V ALIDAÇÃO: .....................................

.................................................. .................................................. . 122 W Indow ................................................. .................................................. .................................................. ......... 122

H ELP ................................................. .................................................. .................................................. ............... 122

GETRAM v4.2 Introdução v


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

1. INTRODUÇÃO

O objetivo deste documento é fornecer ao usuário uma rápida visão geral do editor de rede TEDI eo simulador AIMSUN. O
capítulo dois consiste em uma descrição dos diferentes elementos que compõem a janela principal do editor. O terceiro
capítulo apresenta o utilizador com a manipulação do visor editor e as diferentes formas de navegar em torno da área do
desenho. O capítulo quatro é uma pequena lição de como selecionar e objetos abertos. Isso é feito antes de aprender a
desenhar objetos uma vez que estes são tais operações básicas que o usuário deve estar familiarizado com estes antes de ir
para construir um modelo. Um modelo é construído passo-a-passo no capítulo seguinte e este é um primeiro exercício útil
para obter o usuário instalado e funcionando com TEDI. O último capítulo sobre TEDI apresenta algumas ajudas para a tarefa
de edição de uma rede, como origens e pontos de vista.

1.1 Lista de abreviações

• A: menu Organizar
• C: Menu de Controlo

• E: menu Editar
• EX: menu Experiment
• F: Menu Arquivo

• H: Menu Ajuda
• L: Menu Esquema
• O: Objetos do Menu
• OD: O / D menu Matrix
• P: Menu de Caminhos

• PT: Menu de Transporte Público

• Rep: Menu Relatórios


• Res: Menu de Resultado

• Execute: Executar menu

• S: Área de menu
• T: Menu de TRANSYT

• V: Menu de Ver
• Val: Menu de Validação
• W: menu do Windows

GETRAM v4.2 Introdução 1


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

2 JANELA PRINCIPAL

Ao lançar o editor gráfico TEDI, a janela mostrada na Figura 1.1 aparece. Esta é a janela principal em TEDI. Ele contém uma série
de áreas especiais, ou seja, a barra de menus, barra de ferramentas, Área de mensagem e Área de Desenho (área dentro da qual
a rede está situado, também chamada de área do mundo real).

Figura 2-1: Janela principal do editor gráfico TEDI

2.1 A Barra de Menus

A barra de menu está localizada na parte superior da janela e de cada menu o usuário acessa um conjunto de opções.
Embora a maioria destes é auto-explicativo, uma breve descrição de cada menu e suas opções é dada no Anexo I.

2.2 A área de desenho


A área de desenho é onde o tráfego de rede é exibido, fornecendo uma visão realista da
objetos. O usuário pode selecionar e manipular objetos, clicando diretamente e arrastando nesta área. Todos os objectos na
área de desenho pode ser directamente manipulada com o rato. Todas as operações possíveis são descritos em detalhe mais
tarde, mas três dos mais importantes são dignos de menção nesta fase: • Seleção de objetos . Objetos são selecionados
através de vários métodos: clicando sobre eles, a selecção da área e selecção pelo comando menu. Mantendo pressionada a
tecla 'Shift', o usuário pode selecionar mais de um objeto. Ctrl + clique seleciona um objeto e todos aqueles associados a ela.
Depois que um objeto é selecionado, ele pode ser aberto para visualização ou para atualizar, movendo-se, exclusão, etc.

GETRAM v4.2 Introdução 2


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

• abrindo objetos . Você abre um objeto clicando duas vezes sobre ele. Abrindo um objeto significa exibir sua caixa de
diálogo associada, que permite ao usuário ler e atualizar os parâmetros do objeto.

• alterações geométricas . Você pode mover um objeto arrastando-o com o mouse. Você também pode girá-lo e alterar o seu tamanho,
arrastando um ponto de atualização (ponto de atualização: conjunto de pequenos quadrados pretos que aparecem quando um objeto é
selecionado).

2.3 A Barra de Ferramentas

A barra de ferramentas é uma coluna de botões localizados no lado esquerdo da janela e abaixo da barra de menu que permite a
criação de objetos, tais como texto, blocos, seções e cruzamentos. Quando o utilizador clica num botão, destaca-se a mostrar que uma
operação tenha sido activado: a ferramenta permanece seleccionada até que o utilizador tenha terminado (ou abortada) de que o
funcionamento. O usuário pode cancelar uma operação escolhendo a Cancelar botão na janela de diálogo associada do objeto, ou
escapando a um modo de seleção (os dois primeiros botões). As ferramentas de desenho podem ser classificados em três tipos de
acordo com a função de:

botões de seleção . O primeiro e terceiro botão. O primeiro (seta) fornece o modo de selecção normal, enquanto que a terceira fornece o
modo de selecção por área.

botão zoom . O quarto botão. Fornece um 'zoom in' função. A tecla 'Shift' permite alternar entre 'zoom in' e
'zoom out'.
criação e manipulação de objetos botões . O segundo e os últimos dez botões. Estes permitem a criação direta e
posicionamento dos objetos, que são representados graficamente na área de desenho, ou seja, texto, blocos, seções,
polysections, junções e centroids.

Selecione: Esta é a ferramenta de seleção do mouse padrão; com ele o usuário pode clicar ou clicar duas vezes em diferentes
objetos na área de desenho para selecionar ou abri-los.
girar: Quando pressionado, é apresentada uma cruz no centro do objecto ou grupo de objectos. Em seguida, é possível
posicionar a cruz no centro de rotação desejada e arraste o objecto em torno dele.

Seleção por área: Este é o mesmo que Select, mas permite que todos os objetos dentro de um retângulo para ser
selecionado. O rectângulo é definido clicando sobre a posição de um dos vértices desejados e, em seguida, sem
libertar o botão, arrastando para a posição do vértice oposto e, em seguida, libertar o botão.

zoom: Quando pressionado, clicando na área de desenho amplia, tendo esse ponto como o centro da área a ser
exibido. Shift-clicar, ou seja, clicar mantendo a tecla Shift pressionada, se afasta. O botão do meio do mouse
também fornece a função de zoom. Para aumentar o zoom em uma área particular, você deve selecioná-lo
clicando no cargo de um dos vértices desejados e, sem soltar o botão, arrastando para a posição do vértice
oposto e, em seguida, liberando o botão.

Seção: Quando pressionado, o que permite a criação de novas secções na área de desenho clicando sobre a
origem e fim da seção. Uma secção é um conjunto de faixas contíguas.
Polysection: Quando pressionado, o que permite a criação de novos polysections na área de desenho clicando
nos vértices do polysection desejado e clicar duas vezes no ponto final.

Junção: Quando pressionado, o que permite a criação de novas junções. A junção, ou intersecção nos EUA,
é uma área em secções com diferentes direcções intersectam.
centróide: Quando pressionado, o que permite a criação de um novo centróide, clicando em seu local desejado. A
centróide é uma fonte-dreno de veículos.
Controlador: Quando pressionado, o que permite a criação de um novo controlador. Um controlador

GETRAM v4.2 Introdução 3


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

representa um elemento para o agrupamento de elementos de controlo de tráfego: grupos de sinais, detectores, de medição de rampa e
VMS.
Linha de onibus: Quando pressionado, o que permite a criação de novas rotas de ônibus (linhas públicas).

Ponto de ônibus: Quando pressionado, o que permite a criação e caracterização de paragens de autocarro.

detector: Quando pressionado, o que permite a criação de um detector clicando em seu local desejado.

VMS: Quando pressionado, o que permite a criação de um VMS clicando em seu local desejado.

Metering rampa: Quando pressionado, este permite a criação de um dispositivo de medição de rampa clicando no seu local
desejado.
Texto: Quando pressionado, o que permite a inserção de texto.

Polyline: Quando pressionado, este permite a inserção de uma linha contínua, clicando no vértice da linha
desejada, e um duplo clique no ponto final.
Polígono: Quando pressionado, o que permite a inserção de blocos, clicando no vértice do polígono desejado,
clicando duas vezes no último vértice.
Polygon automática: Quando pressionado, o que permite a geração automática de um polígono, clicando em um dos
polígonos do fundo carregado. Ele também pode ser usado para a geração automática de todos os edifícios do modelo
(altura aleatória usando mínimo conjunto de usuário e máximo).

Círculo: Quando pressionado, este permite a inserção de círculos (cilindros quando vistos como objectos 3D).

Gráfica objeto: Quando pressionado, o que permite a inserção de um dos objetos gráficos a partir da janela de
diálogo da biblioteca dos objetos gráficos.
Câmera: Quando pressionado, este permite a inserção de uma câmara a partir da qual a rede para ver ao
trabalhar em modo 3D.
Árvore: Quando pressionado, o que permite a inserção do objeto a 3D 'árvore'. Em seguida, é possível associar tal
objeto com um dos diferentes tipos de árvores na biblioteca dos objetos gráficos ou qualquer outra das imagens gráficas.

2.4 A Área de mensagem

A área de mensagem está localizado na parte inferior da janela e fornece dados tais como a posição do cursor do rato,
no mundo real, a escala, e as dimensões do objecto seleccionada, ver Figura 2-2. Por exemplo:

Figura 2-2: Área de mensagens: exibido quando uma secção é seleccionado

• Sempre exibida:
mundo real as coordenadas do ponteiro do mouse.
Escala: 1: ... escala do mapa, a relação entre as dimensões da janela da área de desenho e os do mundo
real. Ele permite edição direta, a fim de definir a relação de escala desejada.

• Ao seleccionar um objecto ou um conjunto de objectos:

Origem Seleção: Posição de um objeto selecionado ou conjunto de objetos.

GETRAM v4.2 Introdução 4


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Rotação: a janela em que a entrada do número de graus de rotação desejada para o objecto seleccionado ou conjunto de
objectos, como uma alternativa para a forma gráfica. Nível: janela na qual a entrada do nível desejado (ordem gráfica) para
um objecto seleccionado ou conjunto de objectos.

GETRAM v4.2 Introdução 5


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

3 MEIO AMBIENTE EDITOR

3.1 Janela principal

Depois de iniciar TEDI, a primeira operação é escolher se deseja abrir uma nova rede de tráfego ou um já existente. Vamos supor
não há redes armazenados, caso em que nós escolhemos para abrir uma nova rede ( Novo opção no Arquivo cardápio). Uma vez
aberta, a janela de TEDI aparece como mostrado na figura a seguir.

Figura 3-1: TEDI janela

Um número de áreas e ferramentas importantes aparecem nesta janela:

Barra de menu: Contém principais pontos de entrada do menu, como 'Arquivo', 'Editar', etc. clicando sobre eles
abre as opções associadas.
Barra de Ferramentas: Esta coluna na extremidade esquerda da janela contém as ferramentas descritas no ponto 1.3.

Área de mensagem: Contém algumas informações fixo e alguma informação dependente do contexto.
informação fixa é a localização do ponteiro em coordenadas do mundo real, e o fator de escala atual. Dependendo do
contexto (tendo seleccionado uma secção, por exemplo), os dados adicionais, tais como a posição de secção e a altura é
exibida. As duas últimas janelas permitem introduzir o número de graus para uma rotação de um objeto selecionado, e
introduzir a sua ordem gráfica

Área de Desenho: Esta é a área central onde todas as ações gráficas ter lugar ea
rede e fundos são exibidos.
Barras de rolagem: Situado em ambos os lados da zona do desenho, estes são usados ​para mover o ponto de vista de
um lugar para outro através do retângulo do mundo real. Eles são utilizados em conjunção com o controlo de zoom, a fim de
ver as outras áreas e / ou a um nível de detalhe diferente.

3.2 A Área de Desenho e Grid


A área do mundo real é uma janela retangular para o mundo real, a área em que o desenho

GETRAM v4.2 Introdução 6


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

pode ser realizada. O utilizador especifica o co-ordenadas mínimo e máximo para esta área, (Xmin, Ymin), (xmax, ymax),
como mostrado na Figura 3 -2.

(Xmin, ymax) (Xmax, ymax)

área de desenho

(Xmin, Ymin) (Xmax, Ymin)

Figura 3-2: Coordenadas para especificar o retângulo do mundo real

As coordenadas mínimas e máximas devem pertencem ao quadrante positivo. O tamanho do desenho está definido na Desenho
Área ... pasta na Edite preferencias opção, escolhida a partir do traçado
menu onde a caixa de diálogo modal na Figura 3-3 aparecerá. Isto é onde você especificar as coordenadas do fundo cantos
esquerdo e direito principais que definem o retângulo do mundo real e a distância entre pontos de grade.

A grade é uma característica comum em todos os programas de CAD. No Visão menus, duas opções estão associados com a grade: Vire
AutoGrid em e Mostre as grades. Quando a grade é ativado, os pontos finais de novas seções, textos, blocos, etc, estão limitados a
pontos de grade e seus pontos de atualização de pressão para os pontos de grade mais próximos quando criado. Selecionando a
opção Mostre as grades de traçado Menu faz com que a grade visível para o usuário. A opção muda para 'Hide grade' para que a
próxima vez que for escolhido ele esconde a grade. Escondendo a grade não significa que ele está desativado, assim como mostrando
que não ativá-lo. Desta forma, a grade pode ser usado apenas como referência de fundo, sem consequências geométricas,
mostrando-lo enquanto tê-lo desativado. Por padrão, a distância entre os pontos da grade é definido para 1 metro, mas pode ser
alterado no

Área de desenho pasta do Edite preferencias opção, como pode ser visto na Figura 3-3.

janela Preferências de diálogo - Desenho pasta Área: Figura 3-3

3.3 Movendo em torno da área do mundo real

As barras de rolagem horizontal e vertical pode ser usado para ver outras partes da área de mundo real. O usuário também pode
aplicar zoom in / out com o zoom ferramenta de zoom out é feito pressionando a tecla 'Shift' ao mesmo tempo. Para zoom in / out,
você pode selecionar o ícone de lupa ou usar o botão do meio do mouse, o que faz a mesma coisa. Se você estiver usando um
mouse com apenas dois botões, este efeito é obtido por prensagem dos dois botões simultaneamente. Uma maneira de utilizar o
zoom para mover é a aumentar até que a posição final desejada aparece no modo de exibição, e, em seguida, em aumentar nele.
Uma tática inicial depois de carregar o fundo poderia ser para exibir a área do mundo real todo ( desenho inteiro opção no Organizar menu)
e, em seguida, fazer zoom sobre ele. Outra maneira de mover-se ao redor do mundo real é de 'panorâmica'. Isto é feito movendo o
ponteiro do mouse e, em

GETRAM v4.2 Introdução 7


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Ao mesmo tempo, mantendo pressionado mais à direita botão do mouse. O resultado é, por vezes, mais conveniente do que
clicar nas barras de rolagem horizontal e / ou vertical. O último método para se movimentar é mudar o fator de escala. Isso é
feito digitando o novo valor da escala na caixa de texto diretamente (localizado na área de mensagem). Isto tem o mesmo
efeito que um zoom in / out, mas altera a escala pelo fator especificado.

3.4 Seleção de objetos para exibição

O usuário pode escolher o tipo de objetos para exibir e também se seus identificadores e / ou seus nomes devem ser
exibidos na área de desenho ou não. Isto é feito, indo para o traçado menu e escolher o Mostrar objetos ... opção. Uma
janela de diálogo, que contém três colunas para cada objecto. A primeira coluna indica se ou não este tipo de objecto é
apresentado, a segunda coluna refere-se ao identificador e a terceira coluna refere-se ao nome. Você pode alterar o
status de coluna com um único clique do mouse sobre a sua posição com o mouse (que, em seguida, muda de espaço
em branco para 'Sim' ou o contrário).

Figura 3-4: Show de diálogo objetos

GETRAM v4.2 Introdução 8


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

4 OBJETOS

Antes de aprender a desenhar uma rede, vamos aprender sobre a seleção ou a abertura de um objeto. Isso ajudará a simplificar as
explicações para vir.
TEDI usa os seguintes tipos de objetos: textos, blocos, as classes de veículos, centróides, polysections, seções e nós -
conjunturas e cruzamentos. classes de veículos são acessadas através do classes de veículos ... opção no Editar cardápio. O resto
dos objectos são geométrica e, portanto, são acedidos directamente dentro da área do desenho.

4.1 Seleção de objetos

Objectos na área do desenho são seleccionados como se segue:

• Selecionar um objeto . O usuário pode selecionar um objeto clicando nele. O objecto é, então, exibida como seleccionado. Para uma
seção, isso significa que a seção mostra suas alças de dimensionamento "ou 'pontos de atualização' enquanto roda transparente. Ao
seleccionar um objecto clicando, quaisquer objectos previamente seleccionados são desactivadas.

• A seleção de mais de um objeto . Para evitar anulando os objectos anteriormente seleccionadas, o utilizador tem de Shift-clique sobre o
objecto seguinte, (isto é, clique sobre esse objecto enquanto pressiona a tecla 'Shift'). O terceiro modo é controlar clique: um controle de
clique sobre um polysection irá seleccionar todos os segmentos (secções) que compõem o polysection, e um controlo de clique sobre
uma junção irá seleccionar a junção e todas as secções que lhe estão ligados.

Outro método de selecção de objectos múltiplos é 'por área'. Isto é feito pressionando primeiro o 'select pela área' botão nas ferramentas
de desenho, em seguida, clicando na área de desenho e movendo o mouse enquanto mantém pressionado o botão do mouse até uma
área de seleção é definida, representada graficamente como um retângulo tracejado. Todos os objetos completamente dentro do
retângulo tracejado são selecionados quando o botão do mouse é liberado. Os objectos seleccionados podem ser de tipo diferente.
objetos previamente selecionados são desmarcados, a menos que o usuário pressiona a tecla 'Shift' ao longo desta operação.

• desmarcando objetos . Como disse antes, a menos que o usuário mantém pressionada a tecla 'Shift' ao selecionar objetos,
todos os objetos previamente selecionados são desmarcados. O mesmo resultado é obtido clicando com o mouse em
qualquer outro lugar. Quando mais de um objeto foi selecionado e apenas um deles deve ser desmarcada, objetos
indesejados são desmarcados clicando Shift sobre eles.

Figura 4-1: Vista de uma seção selecionada

A chave 'Excluir' pode ser usado para excluir todos os objetos selecionados.

4.2 Abertura um objecto

Clicando duas vezes em um objeto, abre esse objeto (sua caixa de diálogo associada é exibida). A abertura de um objecto significa exibir as

suas propriedades (a sua abertura associada caixa de diálogo, o que permite ao utilizador para ler ou actualizar os parâmetros do objeto). Isso

é feito clicando duas vezes sobre ele na área de desenho. Apenas um objeto pode ser aberto por vez. A única excepção é para um conjunto de

secções: neste caso, os parâmetros comuns a todas as camadas (por exemplo, velocidade máxima) pode ser editado em simultâneo para

todos eles.

GETRAM v4.2 Introdução 9


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5 CONSTRUÇÃO DE UMA REDE

5.1 Introdução
Esta seção explica como construir a rede física ou geométrica, insira características tais como semáforos e detectores, definir
como esses elementos funcionarão, e definir as condições de tráfego para a rede. Tudo isso vai ser ilustrado através da
construção de uma rede hipotética.

Figura 5-1: Visualização inicial

5.1.1 Exercício 1

Vamos para Arquivo e selecione Novo. Então:


• Vamos para Preferências de desenho Area ( E), verifique se a distância entre os pontos da grade é de 1 metro (3,3 pés) e defina o tamanho
do mundo real para 1000 x 1000 metros
• Vamos para Mostrar Objetos ( V), escolher todos os objectos e da sua identificação para ser mostrado (V) clicando sobre as posições vazias
na Objeto e Identidade colunas
• Ampliar a imagem a uma escala conveniente de 800, alterando o número na Escala janela
• Vamos para Salvar como…( F) e salvar a rede

O resultado é mostrado na Figura 5-1.

5.1.2 Background

A primeira ajuda que precisa para construir um modelo é uma imagem gráfica ou um conjunto de imagens como um fundo, a ser
utilizado como um guia e uma referência. Isso ajuda ao editar grandes redes de tráfego, especialmente para a modelagem de seções
com as dimensões reais certas. As imagens devem ser armazenados preferencialmente em formato DXF, mas bmp, giff, TIFF, JPEG e
outros formatos também são reconhecidos. Uma vez carregado na área do desenho, que pode ser dimensionada, movido e rodado, de
modo a alinhá-los com outras origens e objectos de tráfego. Para acessar esses recursos, o usuário tem que escolher o

GETRAM v4.2 Introdução 10


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Fundo... opção (V), que mostra a caixa de diálogo apresentada na Figura 5-2.

Figura 5-2: DXF Gestor

Antes de poder usar uma imagem, tem que ser registrado. Isto é feito pressionando o botão 'Register ...'. Uma caixa de diálogo
onde o usuário simplesmente seleciona o arquivo de imagem, registra-lo, e repete a operação com todas as outras imagens de
interesse.
Depois que a imagem tenha sido registrado, ele pode ser carregado como um fundo. Isto é feito selecionando-o na caixa
de listagem e, em seguida, pressionando o botão 'Load'. Vários problemas podem surgir devido às diferentes origens
gráficas dos fundos. o Manual do usuário ( seção 5.3.5) explica como lidar com estes. O fundo pode agora ser aberto
clicando duas vezes em seu nome no DXF Gestor janela de diálogo. Isto abre uma janela de diálogo com duas pastas
para manipular o fundo e escolher as camadas para exibir (Figuras 5,3).

Figura 5-3: Caixas de diálogo para manipular o fundo e restringindo as camadas a serem exibidos

GETRAM v4.2 Introdução 11


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.1.3 Exercício 2

selecionar Fundo… e, na janela que aparece:


• Clique em registo ... e selecione o NNc1 fundo em
.. / Getram / Amostras / Donosti / Planero /
• Clique em Abrir para registrar o fundo
• Selecione o fundo NNc1.dxf e clique no Carga botão
• selecionar Desenho todo ( V)
• Arraste o fundo para separá-lo a uma curta distância a partir da origem
• Dê um duplo clique no nome do fundo na janela do Gerenciador de fundo
• Em Traduza para entrada (100, 100) e clique em entrar, a fim de ajustá-la em (100, 100) metros a partir da origem

• Selecione os Camadas pasta da janela de diálogo de fundo, selecione o ERAIKUNTZ camada e desactivar o Visível alternancia

• Feche a janela janela e Gerente de fundo do fundo


• Salvar a rede

Figura 5-4: Inicialmente secção tirada

5.2 seções Manipulando

Para desenhar uma seção, pressione o botão superior com duas pistas desenhadas sobre ele, escolha o ponto a partir do qual
você deseja que a seção para começar, e clique com o mouse, soltar o botão após o clique. O ponto de origem seção está
definido. Agora mova o mouse para o ponto em que você deseja que a secção de terminar e clique novamente. Você acabar com
algo como a seção na Figura 5-4. No entanto, o que realmente queremos é a seção mostrada na Figura 5-5.

GETRAM v4.2 Introdução 12


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-5: Nova seção

Para alterar a nossa secção de original para o desejado, você deve proceder da seguinte forma. Em primeiro lugar, mova a seção
selecionada clicando nele sem soltar o botão e arrastando-o para o local certo; não se esqueça de clicar bem dentro da seção,
onde o mouse mantém sua forma familiar de uma seta. Em segundo lugar, dar a secção a largura desejada, movendo o cursor
para um lado da secção, para o ponto no qual o cursor familiarizados muda para um círculo com um ponto no seu centro, e, em
seguida, arrastar única que do lado da secção, alargando- tanto quanto necessário. Como a seção amplia, o número de faixas
aumenta cada vez que há espaço suficiente para um novo. Repetir este processo com o bordo de ataque da seco, a fim de
ajustar o seu comprimento. Orientação da entrada e saída é feito clicando sobre os pontos nos vértices do retângulo e movendo o
cursor para a posição desejada do vértice escolhido enquanto pressiona o botão. A pista lateral é adicionado, clicando nos pontos
situados atrás daqueles nos vértices e puxando para fora, mantendo o botão pressionado. O comprimento e a largura desta faixa
do lado extra é ajustada da mesma forma como uma secção, arrastando o seu lado. Existem várias outras opções.

Nós podemos mudar a largura padrão das pistas das seções para editar clicando no Seções opção no preferências ( E)
janela e entrar na nova largura na janela de diálogo aberta para o efeito. Se nós só queremos alterar a largura da pista
de uma única seção, só é necessário abrir essa seção, selecione o Lanes pasta e alterar o valor no Largura da linha de janela.
finalmente, o
Seção menu contém o Número de pistas opção, o qual permite que o número de pistas da secção a ser ajustado sem a
necessidade de ajustar manualmente alterando a largura da secção. Outra opção na Seção menu é para mudar a direção dos
becos da seção. o mover para trás-avançar opções no Organizar menus, aumentar ou diminuir o valor absoluto do nível das
seções selecionadas em vez de configurar manualmente o valor do nível desejado na nível janela. Se existem várias seções
sobrepostas, as nível opção permite que a posição vertical desejada para a secção seleccionada para ser seleccionado. A
secção na figura 5-6 é o mesmo que a secção na Figura 5-5, mas com as pistas 2 metros em vez das faixas originais 3-metro
(s). A direcção mudou também (S), e que tem uma posição de nível-1 em relação à secção de nível-0 que foi adicionado
como uma referência (A).

GETRAM v4.2 Introdução 13


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-6: Transformado secção

5.3 O processo de acumulação

5.3.1 Geração de seções

Agora que você desenhou a primeira seção, você pode construir mais queridos. Na maioria das vezes o que você precisa fazer é
apenas adicionar mais uma seção na saída do inicial, a fim de ampliar ainda mais as pistas originais em uma direção diferente
devido a uma curva. Tudo que você tem a fazer é selecionar a seção que a sua nova seção tem de seguir, e pressione o botão
'secção' na barra de ferramentas. O resultado de fazer isto para a secção na Figura 5.5 é apresentado na Figura 5.7-A. Se você
queria a nova seção para deixar a entrada em vez da saída, você teria seguido o mesmo processo, mas pressionada a tecla Shift
enquanto pressiona o botão 'secção', (isto é, Shift-clique no ícone 'secção' ). O resultado de fazer isto para a secção na Figura 5-5
é apresentado na Figura 5-7-B.

Sua próxima tarefa é manipular a nova seção para sua conveniência. Digamos que você deseja que o resultado final mostrado
na Figura 5-8. A mudança de orientação e de comprimento pode ser feito clicando e mantendo o cursor bem no interior da
secção (não demasiado perto dos lados) e arrastando a secção para a orientação final desejado e comprimento: ela vai crescer
e rodar em torno da sua união com a mãe seção. Finalmente, o número de pistas é reduzido de três para dois, como se fosse
uma secção isolada, arrastando um lado com o rato. Em seguida, a seção de mãe é selecionada novamente e ícone 'secção'
pressionado novamente, para gerar a pista que segue a partir da pista lateral da seção mãe. Esta secção de uma pista é então
manipulada do mesmo modo como o anterior (arrastando-a para fazer crescer e rodar).

GETRAM v4.2 Introdução 14


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-7 (a - b): Nova Seção

Figura 5-8: Nova secção transformada mais rampa

5.3.2 junta

Outra tarefa importante é a de juntar duas seções. Por exemplo, muitas vezes você vai ter uma seção deixando uma saída
de estrada, que precisa ser ligado a uma entrada de estrada. Isto é verdade para a secção lateral (secção 3) que saem da
primeira secção tirada (secção 1) na Figura 5-11. Geramos seção da saída, mas a outra extremidade é ilimitado. De modo a
ligado a fim de secção 3 para a entrada para a via de aceleração da secção 5 (figura 5-11), as secções têm de estar
situados

GETRAM v4.2 Introdução 15


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

um tocar a outra pista-com-pista, de tal modo que a aparência visual é aproximadamente o mesmo que o
desejado para a final juntar (Figura 5-11). Uma vez feito isso, a etapa final envolve a seleção de ambas as seções
e escolher o Faça juntar opção no Seção cardápio. A junção entre duas seções é quebrada da mesma maneira.
Selecione ambos e escolher o
quebrar juntar opção no Seção cardápio. Ambos os casos têm outra opção, que pode fazer ou quebrar várias associações
simultaneamente, selecionando todos os setores envolvidos .

Figura 5-9: Fazendo uma junção

Muitas vezes, o usuário pode achar que as duas pistas a serem unidas têm diferentes larguras. Existem várias maneiras de
lidar com este problema, o mais popular é explicado na secção 5.5.3 do TEDI Manual do usuário.

5.3.3 Polysections

Polysections são destinados para os troços rodoviários que não são retas, mas que não têm mudanças no número de vias,
sem bifurcação e sem fusão. Em vez de ter de gerar secção após secção, o intervalo pode ser modelado em um único
passo usando um polysection. Você pode fazer isso clicando no início do intervalo de estrada, em seguida, clicando em
cada ponto onde se deseja uma mudança de direção, e clicando em seguida no final do polysection (Figura 5-10).
Finalmente, o início e o fim do polysection está ligado ao resto da rede através de junta (Figura 5-11).

GETRAM v4.2 Introdução 16


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-10: um polysection

A Figura 5-11: Ligação de um polysection à rede

GETRAM v4.2 Introdução 17


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-12: Fase 1 da construção de modelos, de forma global,

GETRAM v4.2 Introdução 18


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

GETRAM v4.2 Introdução 19


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.3.4 Exercício 3

Utilizando a metodologia descrita em 5.2 e 5.3, construir as secções de um futuro modelo mostrado na Figura
5.12. Construir a rampa da rotunda à saída sul (seção 16) com um polysection (seções 10, 11, 12, 13 e 14 na
foto).

5.4 junções

Uma vez que todas as seções necessárias de sua rede foram desenhados, seu fim com uma réplica geométrica da rede no mundo
real. Agora você tem que adicionar os entroncamentos; você deve definir as direções permitidas um veículo pode levar para onde
mais de duas secções se encontram. Para caracterizar uma junção, começamos organizando uma visão detalhada da junção de
interesse e, em seguida, pressionando o ícone 'Junção' na barra de ferramentas. Uma janela de diálogo aparecerá. A janela tem
três campos diferentes: Basics, Grupos de sinal, e Desista.

5.4.1 Basics

Este armazena as informações sobre os movimentos de ajuste permitidos no cruzamento. Para definir as aparas permitidos na
junção, pressione o Novo botão, em seguida, clique na pista origem e clique na seção de destino para o movimento transformando
desejado. O resultado pode ser visto na Figura 5-13.

GETRAM v4.2 Introdução 20


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-13: Criação de uma viragem

Se houver duas ou mais faixas de origem, você deve selecioná-los todos por Shift-clicando sobre eles na volta. O
procedimento anterior deve ser repetido com as pistas de destino, se você decidir fazer a distinção entre pistas de destino
(opção Preferências-Network no Editar cardápio). Caso contrário, quando você clica em uma pista da seção de destino,
todas as pistas serão selecionados como possível destino para os veículos na pista origem. Cada viragem pode ser
caracterizada por vários parâmetros:

Max. Rapidez: Isto representa a velocidade de rotação máxima. O editor calcula um valor da configuração geométrica da
junção e a velocidade máxima permitida através das secções. Este valor pode ser alterado, digitando o valor pretendido
directamente no 'Max. 'Slot de velocidade. o
'Auto Reavaliar Speed' opção reavalia a velocidade de rotação automaticamente sempre que houver uma alteração na configuração da
junção. Em caso de configurar manualmente a velocidade de rotação temos que certificar-se de que esta opção não está seleccionada,
de modo que a velocidade de rotação partimos não é substituído pelo auto calculada por esta opção.

advertências: O parâmetro 'avisos' tem três opções: nenhum, rendimento, stop. Nenhum significa nenhum sinal, e o rendimento
e parar de dizer que o sinal dado está presente na pista da origem. A função dessas opções é para simular o correspondente
tráfego condicionado.
Opcional: Este é o “joker” do objeto. Ele permite que qualquer informação adicional não incluído até agora, para a sua utilização, por
exemplo, com as extensões de GETRAM.
Função Custo: A biblioteca de funções de custo que pode ter sido editado pelo usuário, além de as predefinidas
utilizadas pelo simulador.
Inicial: função de custo para o utilizador alternativa que pode ter sido associado ao arco estatística (arco estatística = pistas da
secção a partir da qual a rotação é permitida mais que giram) e utilizados em

GETRAM v4.2 Introdução 21


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

o primeiro cálculo caminho no início da simulação.


Dinâmico: função alternativa de custo usuário que pode ter sido associado ao arco estatística e utilizado em cada atualização

caminho durante a simulação. o Basics pasta também permite editar algumas informações adicionais, incluindo o nome do

cruzamento e se é uma caixa amarela (caixa amarela: veículos tem que tentar não parar na área de junção).

A Figura 5-14: Junções de exercício 4

GETRAM v4.2 Introdução 22


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.4.2 Exercício 4

Vamos para Preferências à rede ( E) e selecione 'não' no Distinguir pistas destino em voltas.
Clique no Junção ícone da barra de ferramentas. Crie os seguintes voltas:

• Artigo 27: pistas 2-3 a secção 24, as pistas 1-2 com a secção 20

• Seção 19: duas pistas para a seção 24, definir um sinal de rendimento

• Clique no Está bem botão

Clique no Junção ícone da barra de ferramentas. Ative o caixa amarela alternancia. Crie os seguintes voltas:

• Secção 25: lane1 a secção 2, pistas 1-2 com a secção 17, as pistas 2-3 com a secção 4

• Seção 3: duas pistas para a seção 2

• Secção 1: pistas 1-2 com a secção 17, as pistas 2-3 com a secção 4

• Clique no Está bem botão

GETRAM v4.2 Introdução 23


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Clique no Junção ícone da barra de ferramentas. Crie os seguintes voltas:

• Seção 18: Pista 1 a seção 21, pistas 2-3 com a seção 23


• Seção 22: sua única pista para a seção 23, definir um sinal de rendimento

• Clique no Está bem botão

Clique no Junção ícone da barra de ferramentas. Ative o caixa amarela alternancia. Crie os seguintes voltas:

• Seção 6: duas pistas a Seção 3, a pista 1 para a seção 26


• Secção 4: Pista 1 no ponto 10, pistas 2-3 com a seção 5
• Secção 23: pista 1 para a secção 10, as pistas 1-2 para a secção 5, pistas 2-3 para a secção 26, pista 3 a secção 3

• Clique no Está bem botão

GETRAM v4.2 Introdução 24


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Clique no Junção ícone da barra de ferramentas. Crie os seguintes voltas:

• Artigo 21: a seção 28, a seção 31, sinal de rendimento

• Artigo 29: a seção 22, a seção 31


• Artigo 30: a seção 22, sinal de rendimento, a seção 28, sinal de rendimento

• Clique no Está bem botão

• Salvar a rede

5.4.3 Grupos de sinal

o Grupos de sinal pasta armazena os semáforos presentes no cruzamento e as aparas associados a cada um deles. Quando
o Grupos de sinal botão é pressionado, a exibição muda para o mostrado na Figura 5-15. Para semáforos de entrada, clique
no Novo botão. A lista de voltas da junção irá aparecer no Turnings não atribuídos janela. Clique em uma das voltas que você
quer ser ativa (permitido, dar lugar) quando esse semáforo ou grupo de semáforos é verde. Para associar aquele virar-se de
que a luz de tráfego que você deve, em seguida, clique no botão Adicionar uma vez que tenha sido selecionado, ou, como
um atalho, você deve ter clicado duas vezes na viragem na Turnings não atribuídos Lista. Aquele virar-se, então,
desaparecem do Turnings não atribuídos janela e aparecerá na Turnings atribuídos janela. Essa etapa deve ser repetida com
todos os movimentos de conversão que deseja associar a esse semáforo. Uma vez que é feito com o primeiro grupo de sinal
podemos gerar o próximo clique no Novo botão novamente e seguindo o mesmo processo. Geralmente grupos de sinais são
gerados até que não há aparas são deixados no Turnings não atribuídos

janela. Se deixarmos a transformar não atribuído, AIMSUN irá interpretar que esse movimento de rotação tem verde
permanente (ou uma luz intermitente se também definir um sinal de alerta para que o movimento de viragem). O resultado
para um dado exemplo é mostrado na figura a seguir. Não podemos ver como grupo de sinal de uma junção 2 controla as
aparas de secção de uma das secções 4 e 17. A viragem de 1 a 4 é de cor vermelha, pois é o seleccionado no Turnings
atribuídos lista, e o torneamento 25-4 é de cor preta, pois é o seleccionado no turnings não atribuídos Lista. É o código
gráfico da informação do Grupos de sinal pasta.

GETRAM v4.2 Introdução 25


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-15: Ligando fases

5.4.4 Exercício 5

Projetar os seguintes grupos de sinais:

Junção 2:
• Grupo 1: todas as voltas da seção 1

GETRAM v4.2 Introdução 26


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

• Grupo 2: a viragem da secção 3

• Grupo 3: todas as voltas da seção 25

Junction 4:
• Grupo 1: todas as voltas da seção 4 e secção 6

• Grupo 2: todas as voltas da seção 23

GETRAM v4.2 Introdução 27


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5,5 instalações Seção

Tipo 5.5.1 Basics Secção: Há oito opções diferentes para descrever uma seção: arterial, estrada, autoestrada, estrada
circular, on / off rampa, urbano estrada, rua e rua sinalizada. Cada um destes tipos implica valores diferentes para a
capacidade e velocidade máxima. O usuário pode criar novos tipos de seção e editar os já existentes ( Tipos
Preferências-Seção ( E)). Grande cuidado deve ser tomado ao editar os oito tipos básicos.

Figura 5-16: Pasta Basic.

Velocidade máxima: limite de velocidade legal da seção.

Capacidade: fluxo máximo da secção pode tomar. AIMSUN faz uso da capacidade somente com os modelos de escolha de rota. Não
há restrições de capacidade sobre a simulação da seção. Capacidade é um resultado de simulação microscópica, não uma restrição.

Zona 1: Distância a partir do próximo ponto de viragem em que os motoristas começar a procurar uma abertura à mudança

GETRAM v4.2 Introdução 28


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

pistas, se necessário.

Zona 2: Distância a partir do próximo ponto de viragem em que os motoristas começar a tentar forçar uma brecha para mudar de faixa, se
necessário.

Na rampa: Isto representa, de certa forma, a distância entre a extremidade da via de aceleração em que os motoristas começar a
procurar uma lacuna. Mais informações no Manual do Usuário AIMSUN.

velocidade caixa amarela: Veículos que viajam a esta velocidade ou mais lento, na junção que poderia ser encontrado na saída
desta seção, são consideradas como filas. Isto significa que, quando existe uma junção amarelo, um veículo que viaja em
direcção que através desta secção que detecta outros veículos na junção a esta ou a velocidades inferiores irá freio, parar e
esperar no fim da secção até que a fila limpa, antes de entrar .

Visibilidade distância: Este parâmetro é utilizado com os give-way algoritmos e representa a distância para o give-forma a partir do qual o
condutor pode começar a olhar para outros veículos de condução em direção a interseção de outras direções. É apenas necessita de ser
ajustado quando um give-forma está posicionado na extremidade da secção aberta.

custo definido pelo usuário: Este campo pode ser acessado usando as funções de editor de função. Pretende-se como a área em que o
usuário pode incluir quaisquer dados relevantes para as funções de custo que não pode já estar no conjunto de dados padrão de GETRAM.

dar forma máxima var tempo (iation): Esta variável permite implementar ajustes locais para o
tempo de maneira dar o máximo variável global. A quantidade fixada nesta janela vai ser adicionado ou subtraído para o tempo de
maneira dar o máximo a fim de definir mais ou menos agressivas condições para os motoristas sobre essa seção do modelo.

Altitude: Isto é onde você especificar (ou deixe em branco) a inclinação da seção. Isto é feito através da especificação da
altitude na origem e no final da secção (altitude inicial e final), ou pode ser feito através da especificação do grau de
inclinação da secção (em%) e se ele é ascendente ou descendente em o sentido do fluxo de tráfego.

Opcional: Um espaço livre, um espaço “Joker”, em que você pode entrar em qualquer possível parâmetro da secção não já
tratadas (para seu uso, por exemplo, as extensões de GETRAM). Uma explicação mais completa destes parâmetros e seu efeito
sobre a execução da simulação é dada no Manual do Usuário AIMSUN.

5.5.2 Lanes

Este é o campo:

para um controlo preciso da largura da pista

para seleccionar as pistas de uma secção para ser reservados para um subgrupo de classes de veículos a “desenhar” qualquer das linhas

contínuas que podem limitar as manobras de mudança de pista na secção.

para definir a velocidade máxima do pista no caso de todas as pistas da seção não compartilham uma velocidade máxima comum
Pode seleccionar pistas, especificando o número de vias reservadas, o lado da seção em que para colocá-los, as classes de veículos
que vão ser autorizados a circular sobre as pistas e se estes veículos serão obrigados a tomar essas pistas (obrigatórias) ou irá
levá-los somente se as condições de tráfego sobre eles são melhores do que em outros (opcional). Antes de reservar quaisquer
pistas, as classes de veículos devem ser definidos ( classes de veículos ( E) ou secção 5.2.9 manual Tedi).

GETRAM v4.2 Introdução 29


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-17: Lanes Pasta

As características da secção mostrada na Figura 5 -17 são:


- 1 obrigatória pista reservada para a direita para modelos de veículos classificados como 'Public'
- uma linha contínua que não permite que veículos na segunda pista para mudar para a primeira pista para os últimos
50 metros do total de 130 metros da seção
- em branco Rapidez janela, o que significa que a velocidade de topo da secção deverá ser o definido na Basics pasta

5.6 Detectores

A fim de criar um novo detector você precisa clicar no ícone do detector na barra de ferramentas e, em seguida, clique no
ponto na seção onde você quer posicionar o detector. O detector vai aparecer, ocupando apenas uma pista. Clicando e
arrastando a partir dos pontos de canto no detector ajusta a sua largura e comprimento, enquanto clicando e arrastando
a partir do meio do detector muda de posição.

GETRAM v4.2 Introdução 30


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-18: Detector janela de diálogo

Identidade: dar o detector de um nome ou um identificador apropriado.


Nome: campo adicional para atribuir um nome ao detector.
Distinguir tipo de veículo: esta opção, quando selecionada, faz com que o detector distinguir entre
diferentes tipos de veículos, dando as estatísticas tanto agregada para todo o tráfego e por tipo de veículo.
capacidades de medição: qualquer detector pode medir até sete variáveis ​diferentes, a saber:
Contagem, Velocidade, Presença, Ocupação, Densidade, Headway e veículo equipado.

5.7 VMS das

O processo para a criação e manipulação de um VMS é sensivelmente o mesmo que o descrito para detectores, com excepção
para o facto de VMS de ter dimensões fixas.

Identidade: dar o VMS um nome ou um identificador apropriado.


Nome: campo adicional para atribuir um nome ao detector.
Tipo: Existem dois tipos diferentes de VMS de, nomeadamente sinais de pórtico e pólos de Barra. este
diferenciação é incluída para uma questão de exaustividade; ele não tem efeito em simulações com AIMSUN.

Mensagem: Nesta janela, é mostrada uma lista de todos os possíveis mensagens do VMS. Se um determinado
mensagem é selecionado clicando o cursor sobre ele, seus conteúdos completos são mostrados na janela secundária na parte inferior da
janela de diálogo do VMS. Se um número de mensagem com nenhuma mensagem é seleccionado, uma nova mensagem pode ser
adicionado apenas digitando-o na janela secundária (e pressionando inserir no final do processo).

GETRAM v4.2 Introdução 31


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

11

A Figura 5-19: pasta VMS

5.8 medição
Para criar um dispositivo de ramp-medição, clique no ícone e na seção a ser medido. Um losango aparece,
representando o semáforo controlador. Você pode mudar sua posição clicando e arrastando a partir do meio
do losango.

A Figura 5-20: janela de diálogo Medição

GETRAM v4.2 Introdução 32


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Identidade: dar o medidor de rampa de um nome ou de um identificador apropriado.


Nome: campo adicional para atribuir um nome ao detector.
Tipo: zona com botões de alternância para selecionar se a meter o tempo de luz verde, para permitir fluxos de
pelotões predeterminadas de veículos, ou para impor um tempo de atraso, como um meio para modelar a paralisação de veículos,
devido a alguma facilidade de controlo, tal como uma barreira de portagem ou costumes.

5.9 paragens de autocarro

As paragens de autocarro são criados e manipulados da mesma forma que o resto do equipamento. O comprimento de uma paragem de
autocarro determina sua capacidade. A figura a seguir representa uma paragem de autocarro aberto.

Identidade: o código que identifica o ponto de ônibus.


Nome: campo adicional para atribuir um nome ao ponto de ônibus.
Tipo: esta opção caracteriza a paragem de autocarro como:

- Normal: paragem de autocarro na rua, isto é, blocos de ônibus da pista quando ela pára

- Bus Bay: ônibus sai da pista a uma pista lateral especial onde a paragem de autocarro está localizado.

- terminal de ônibus: estação de ônibus, os ônibus 'desaparecer' quando entram no terminal e voltar a entrar no
modelar nesse ponto quando iniciar sua rota novamente.
Capacidade: capacidade da parada em caso de terminal de ônibus: o número de autocarros que pode estacionar.
janela de informações: Esta janela exibe as linhas que parar neste ponto de ônibus, tanto o seu id
e nome.

Figura 5-21: Janela de diálogo Paragem

5.9.1 Exercício 6

Reproduzir a situação mostrada na Figura 5-22, que mostra o seguinte: Secção 6: um

VMS

Section 8: a medição rampa luz verde

Secção 14: uma unidade de medição rampa pelotão-fluxo para pelotões de 4 veículos

GETRAM v4.2 Introdução 33


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Secções 1, 3, 4, 5 e 6: um detector de circuito de duas pistas que mede ocupação e contar e distingue entre tipos.
Selecione os classes de veículos opção (E) e criar as classes privado e público. Lembre-se de validar quaisquer
alterações com o carry-retorno ao criar as classes.

Seleccione seções 5, 19 e 20. Abra-los simultaneamente com um duplo clique em qualquer um deles. Selecione os pistas pasta.
Escrever um '1' no número de vias, selecionar público de permitiu classe de veículos e configurá-los como obrigatório.

Secção 7: definir uma linha sólida para proibir mudança de faixa da pista 2 a pista 1, a partir de 50 metros a partir do início da seção
para o final

Seção 6: definir uma linha sólida para proibir mudança de faixa da pista 3 a pista 2, desde a origem até 50 metros desde a
origem da seção

Secções 5, 19 e 20: Jogo 10 metros normal ônibus pára Secção 7: definir uma

baía de ônibus 10 metros

Para garantir que você tem o tipo certo de seções, escolher o selecionar tudo opção (E) e clique duas vezes em uma
das seções. Isso abrirá a seção janela de diálogo. Clique no básico pasta e, se o tipo de seção não é arterial, mude.

GETRAM v4.2 Introdução 34


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-22: rede equipados.

GETRAM v4.2 Introdução 35


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.10 linha Pública

Para criar uma linha pública, você deve primeiro clicar no ícone e, em seguida, em qualquer área livre do modelo. O ponto
específico não é particularmente importante, porque o objeto criado (na área ampliada da Figura 5-23, o quadrado amarelo com
a vista frontal de um ônibus no mesmo) é apenas uma entidade gráfica em que clicar duas vezes quando queremos acesso ou
consultar os dados da linha pública representado por essa imagem. Este é um caso diferente da de outros objetos, tais como
detectores ou VMS do, que estão ligadas à seção em que são criados.

A Figura 5-23; Linha pública

5.10.1 Rotas

O processo de edição de rota envolve:


• Clicando sobre as seções que compõem a rota, um após o outro na mesma ordem e direção como a que o
ônibus vai seguir.
• Selecionando uma seção em que a linha tem uma parada e então selecionar qual das paradas em que única seção (no caso de
haver mais de um) nós queremos o ônibus para parar em. Finalmente, clicando

GETRAM v4.2 Introdução 36


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

no atribuir Parar botão.

5.10.2 Os horários

A figura anterior indica que existe uma segunda pasta de dados para além da pasta de Rota. Esta pasta é para horários,
como mostrado na figura a seguir.

A janela superior esquerda é uma lista dos diferentes horários criados até esse ponto. o Novo botão permite a criação
de novos horários. o Excluir botão apaga um calendário selecionado. o
Duplicado botão cria uma nova tabela de tempo exatamente como o selecionado, a fim de criar uma nova tabela de tempo muito
como um um já existente através da clonagem que a tabela de tempo e simplesmente corrigir as diferenças em vez de criar um
novo a partir do zero.
Depois de selecionar um calendário, você pode ver que os antigos botões são ativados e os diferentes períodos do
calendário aparecem listados na agendar Slices janela. o Novo, Excluir e Duplicado botões têm a mesma
funcionalidade que a horários, ao selecionar uma das fatias não só ativa o Excluir e Duplicado botões, mas mostra a
informação associada a essa fatia na metade direita da janela de diálogo ( figura 5-24).

Figura 5-24: Intervalo Horário

GETRAM v4.2 Introdução 37


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-25: Intervalo fixo

Uma fatia de programação é um período de tempo, durante o qual a geração veículo público segue um determinado padrão, e o tempo
gasto pelos veículos públicos da linha sobre um batente permanece mais ou menos constante.

Tipo de programação:

- Intervalo ( figura 5-24): este tipo de programação é seleccionado quando, para o intervalo de tempo do
fatia selecionada, os ônibus são gerados periodicamente em intervalos regulares.

- fixo ( figura 5-25): a segunda opção é fornecida, a de criar uma lista ou calendário com o
tempo de partida de cada ônibus.
Ligada à linha: Isso torna possível para tornar partida da linha editada condicionada à chegada de outro ônibus da
mesma linha ou uma linha diferente durante a simulação. O ônibus ligada irá verificar se um ônibus da linha está ligada
ao chegou durante o último período, antes de partir.
Tipo de Veículo: Antes de editar linhas de transporte público, você deve decidir que tipo de ônibus que você deseja simular, em
seguida, associá-los ao modelo usando o Tipos de veículos ... opção no PT cardápio. Esta opção deve ser usada exatamente da
mesma maneira como recipientes resultado (Seção
5,13).

5.10.3 Exercício 7

• selecionar biblioteca de tipos de veículos ... ( E)

• selecionar tipos de veículos ... ( PT)

• selecione os ônibus digite e pressione a Modelar botão

• fechar a Biblioteca de tipos de veículos

• selecione os ônibus Tipo no Tipos de veículos window (PT) e selecione a Classes pasta

• selecionar público e pressione o Adicionar botão

• feche o tipos de veículos janela Clique no

ícone da linha pública Clique ao lado da

origem da secção 7 Open (clique duplo) o

novo objeto

Com a janela de diálogo linha pública aberta, clique nas seções a seguir respeitando a direção do fluxo de tráfego:
Secções 7, 6, 26, 27, 20

GETRAM v4.2 Introdução 38


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Selecione secção 7 nas seções lista na janela de diálogo e atribuir a paragem de autocarro seção Select 20 nas

seções lista na janela de diálogo e atribuir a paragem de autocarro Selecione o horários pasta Clique em Novo ( calendário)

Selecione o sem nome calendário mudar seu nome para, por exemplo, manhã e pressione enter Clique em Novo ( fatias

de agendamento) Selecione o 00:00:00 fatia e alterá-lo para, por exemplo 08:00:00

Entrada de uma frequência programada de um autocarro a cada 3 minutos, com um desvio padrão de 30 segundos definir um tempo de paragem

de 30 segundos, com um desvio de 10 segundos para a paragem de autocarro primeiro (o um na secção 7), e de 20 segundos, com um desvio de

10 segundos para a segunda paragem de autocarro (a uma secção em 20)

Duplicado a fatia agendado, selecione-o e alterá-lo para 08:30:00

Altere a frequência média de partida para 00:02:30

duplicar o manhã tabela de tempo Alterar o nome do duplicado para, por exemplo, emergência e

pressione enter Selecione o 08:00:00 fatia alterar a frequência de 02:30 eo desvio na segunda paragem

de 20 segundos Selecione o 08:30:00 fatia alterar a frequência de 02:00 eo desvio em ambos pára a 20

segundos Clique em Está bem

Salvar a rede

Clique no ícone da linha pública Clique ao lado da

origem da seção 19 Abra (clique duas vezes) o

novo objeto

Com a janela de diálogo linha pública aberta, clique nas seções a seguir respeitando a direção do fluxo de tráfego:
Secções 19, 24, 25, 4, 5

Selecione a seção 19 nas seções lista na janela de diálogo e atribuir a paragem de autocarro Select seção 5 nas seções lista na janela

de diálogo e atribuir a paragem de autocarro Selecione o Tabelas tempo pasta e construir alguns horários da mesma forma como com

a primeira linha pública ( manhã e emergência tabelas de tempo)

GETRAM v4.2 Introdução 39


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-26: Linha 1 & 2

5.11 Planos de Transporte Público

Um plano de transporte público é uma atribuição de horários de linhas de transporte público. Você pode ter editado um conjunto
de calendários para cada linha para diferentes situações (por exemplo segunda-feira, emergência, feriados, etc), mas em cada
simulação você está indo só para usar um calendário específico para cada linha. Em vez de ter que escolher um calendário para
cada linha antes de cada simulação, você pode fazer a atribuição apenas uma vez no TEDI e guardá-lo como um plano de PT. A
janela de plano de PT mostra uma lista dos diferentes planos da PT no topo da janela. Quando um desses planos é selecionado,
podemos editar o seu nome na linha complementar na lista, e uma lista das diferentes linhas do modelo aparece no Linhas
disponíveis janela. Quando uma dessas linhas é selecionado, uma lista das diferentes tabelas de tempo projetado para essa linha
aparece no Tabelas tempo disponível

janela. Podemos, então, selecione a tabela de tempo, queremos associar a isso um plano de controle Adicionar -lo para a lista mais
direito que é uma janela informativa em que é apresentada uma lista do calendário que tem sido até agora atribuído a cada linha no
quadro do plano de PT editado.

GETRAM v4.2 Introdução 40


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-27: Plano de Transporte Público design

5.11.1 Exercício 8

selecionar Planos PT ( PT) Clique

em Novo

Selecione o novo plano e nomeá-la (por exemplo: manhã)

selecionar linha 1 no linhas disponíveis janela Selecione o manhã tabela

de tempo Clique em Adicionar

selecionar linha 2 no linhas disponíveis janela Seleccione a uma

das tabelas de tempo Clique em Adicionar

Clique Está bem

Salvar rede

5.12 Os planos de controle

Os planos de controle conter as definições para temporizações de semáforo, a sua condição (isto é: fixo), e as condições de trabalho para
medição rampa. Para criar ou alterar um plano de controle, você deve primeiro criar uma

GETRAM v4.2 Introdução 41


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

novo uma ou abrir um já existente (C). Se você, em seguida, reabrir o Ao controle menu, você vê que o
Junções ... e Medição... opções tornam-se acessíveis. Se o Junções ... opção for selecionada, uma janela de diálogo é aberta,
com uma lista dos nós da rede.

5.12.1 junções

Junções são selecionados clicando em seu id, listados na janela de diálogo.

A Figura 5-28: Ajustar o tráfego luz temporização

O plano de controlo para uma junção seleccionado está configurada da seguinte forma: Definir o tipo de junção: não controlada (luzes

de tráfego desactivado), fixo (ou pré-programado, temporizações Sinal com os valores estabelecidos no plano de controlo), externa

(somente significativo em combinação com um plano de controlo externo implementado utilizando as extensões GETRAM do GETRAM

GETRAM v4.2 Introdução 42


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

ambiente), excitação (segue os padrões NEMA), scats (obras ligadas a fezes). Colocou o offset: especificar em que ponto do ciclo, a
junção está situado no início da aplicação do plano de controlo. Em outras palavras, podemos definir o momento em que o ciclo se
inicia quando o plano de controlo é inicializada (por exemplo, um deslocamento de -3 significará que 0 segundos após o início da
aplicação do plano de controlo do estado das luzes de trânsito que serão definidos por segundo 3 no plano de controlo). Colocou o tempo
amarelo: o conjunto tempo amarelo não está inserido entre uma fase e o seguinte, mas ele substitui os segundos iniciais da fase de
vermelho. Por conseguinte, se para um determinado movimento de rotao, a sua fase verde é atribuído 34 segundos e o resto do
ciclo tem a duração 66 segundos, em seguida, definindo um 4 segundo tempo amarelo Modelaremos que semáforo como 34
segundos de luz verde mais 4 segundos de mais amarelo 62 segundos de luz vermelha. aperte o Novo botão para criar uma fase,
em seguida, selecione-o e definir a duração da fase no Duração

window (lembre-se de validar os dados de entrada, pressionando a tecla ENTER). Seleccionar os grupos

de sinais activo durante esta fase.

Pressione o botão New novamente e repita o procedimento até que o ciclo de controle para essa junção é concluída

NB: planos de controlo permitem controlar os sinais de trânsito de acordo com planos de tempo fixos ou para implementar sistemas
de preempção actuado e trânsito. Essas possibilidades são explicados no manual do usuário TEDI.

GETRAM v4.2 Introdução 43


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.12.2 Exercício 9

• Colocou o Preferências-fixados Fase Duração ( E) opção para sim. Criar um novo plano de controle (C). Ative o junções ... opção.

Defina as seguintes fases de junção 2: Tipo: Deslocamento fixo: 0 segundos Tempo amarela: 3 s

Fase 1: 37 s, os Grupos 1 e 2 da Fase activa 2: 5 s, não

há grupos activos (interfase) Fase 3: 23 s, grupo 3

activa

Fase 4: 5 s, não há grupos activos (interfase)

GETRAM v4.2 Introdução 44


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

• Defina as seguintes fases de junção 4: Tipo:

Deslocamento fixo: 4 segundos Tempo amarela: 3 s

Fase 1: 37 s, os Grupos 1 e 2 da Fase activa 2: 5 s, não

há grupos activos (interfase) Fase 3: 23 s, grupo 3

activa

Fase 4: 5 s, não há grupos activos (interfase)

• aperte o Dispensar botão. Guardar o plano de controlo (C), como, por exemplo, 08h00m.

5.12.3 medição

Se o Medição... opção for escolhida, uma janela de diálogo é aberta, contendo uma lista de metros de rede. Para medição
verde-claro, a janela de diálogo é apenas um caso especial de um a para junções, em que só há uma viragem, uma luz de
tráfego e 2 fases.

GETRAM v4.2 Introdução 45


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-29: Medição da luz verde

Os parâmetros a serem especificados são a duração do ciclo, a duração da fase de verde-clara do ciclo, e os valores
máximo e mínimo aceitável para este tempo de verde-clara se for alterada por um controlo externo.

O tipo de medição também precisa ser especificado, mas os tipos de medição têm o mesmo significado que para os
cruzamentos: lembre-se que descontrolado significa que a medição é desactivada, em vez de inexistente ( A Figura
5-29).
Para um contador de atraso, os parâmetros são o tempo médio veículos passam interrompido, eo desvio padrão daquela
média. ( A Figura 5-30).
Para a medição do débito, o fluxo desejado de veículos é especificado, e com ele os fluxos máximos e mínimos permitido no
caso de medição externa (GETRAM extensões). O fluxo desejado é conseguido, permitindo que os veículos, através de
medição em pacotes. O tamanho dos pacotes é definido com o tipo de medição no momento do posicionamento da medição
na sua secção. ( Figura 5-
31).

A Figura 5-30: medição de atraso

GETRAM v4.2 Introdução 46


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-31: Medição de Fluxo

5.12.4 Exercício 10

Abra o 08h00m controlar plano e ativar o medição… opção (C) Seleccione a medição de

vazão (Tipo: Flow) Defini-lo como tipo Fixo

Caracterizá-lo com uma taxa de fluxo inicial do veículo de 350 veículos / hora (conjunto todos três valores antes
validar as alterações pressionando ENTER) Selecione a medição

de tempo de verde (Tipo: verde) configurá-lo para Fixo

Caracterizá-la com um ciclo de 60 segundos e um tempo de verde inicial de 30 segundos Pressione o botão Dispensar Salve o plano de

controle (C) Ir para entroncamentos, seleccionar junção 2 e alterar o tempo para a fase de 1 a 43 segundos e o tempo para a fase 3 a 27

segundos

Selecione junção 4 e alterar o tempo para a fase 1 a 43 segundos eo tempo para a fase 3 a 27 segundos Ir para medição e mudar

o fluxo inicial da medição de vazão para 450 veículos / hora alterar o tempo de verde inicial da medição de tempo de verde para

40 segundos salvar o plano de controle (C) como 08h30m. Fechar o plano de controlo (C).

5.13 Containers Resultado

Um recipiente resultado é que os resultados de uma simulação são armazenadas, e também em que os dados de tráfego (fluxos,
proporções de torneamento) necessários para uma simulação de tráfego de entrada é armazenada e. O simulador tem que saber
todas as voltas, a proporção de veículos que levam cada viragem em um cruzamento, quantos veículos ocupam a rede no início da
simulação, etc. Consequentemente, o primeiro passo é criar um novo recipiente resultado e guardá-lo (R). O próximo passo é
selecionar as modalidades de veículos que vão circular. Isto é feito escolhendo o veículo biblioteca de tipos ... opção: pela primeira vez
no Editar menu e, em seguida, sem fechar a Tipos de veículos janela do Editar menus, na

Resultados cardápio. Depois de ter ambas as janelas abertas, as modalidades de veículos são adicionados ao modelo seja por
trazê-los a partir da biblioteca ( modelar botão) ou a criação de um novo tipo. Neste segundo caso, você pode decidir criar o tipo de
um modelo e, em seguida, decidir se você quiser levá-lo ao

GETRAM v4.2 Introdução 47


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

biblioteca geral ( a lib botão) ou o contrário. Um novo estado pode agora ser criado. Você pode criar tanto um estado
vazio ou um estado padrão. Um estado vazio é aquele que é criado inicialmente com nenhum veículo na rede,
enquanto o estado padrão é um com densidade de veículos uniforme em toda a rede. A verdadeira criação do Estado
vem caracterizando as condições iniciais de cada seção (ou seja: as proporções de torneamento), que é o que a Seções...
opção é para. A janela aberta por esta opção é a mostrada na Figura 5-32. Isso exibe as seguintes informações: na
seção 3 (nomeado terceira secção), carros que entram na seção 19 têm 20% de chance de ir para a seção 22. Há 5
carros na seção que vão seção 22 nos primeiros momentos da simulação, 0 pararam os carros, e os carros estão
tentando fluir neste direcção com uma velocidade média de 40 km / h. Outra entrada necessária é o fluxo de entrada
média de veículos sempre que caracterizam uma entrada para a rede. No exemplo mostrado na Figura 5-

32, o fluxo de entrada de carros é mostrado para ser 150 carros / hora, mas, neste caso, este número (criado como dados default) é
ignorada, uma vez que não tem nenhum significado para uma seção sem uma entrada ilimitada. Informações sobre uma
determinada seção é exibida clicando em seu ID na janela de diálogo. A janela de diálogo exibe os nomes das seções, bem como
suas identificações. Isso é porque ele é mais fácil encontrar uma seção especial se tiver um nome reconhecível, além de um ID.

Figura 5-32: Definir as características de tráfego de uma seção

GETRAM v4.2 Introdução 48


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Este processo de caracterização tem de ser repetido para cada classe de veículos provenientes de cada secção de entrada.

5.13.1 Exercício 11

• Criar um novo recipiente de resultado (R). Guardá-lo como, por exemplo, morning_peak
• selecionar biblioteca de tipos de veículos ... ( E)
• selecionar tipos de veículos ... ( R)
• Selecione os carro digite e pressione a Modelar botão
• Selecione os caminhão digite e pressione a Modelar botão
• Feche a Biblioteca de tipos de veículos
• Selecione o tipo de carro no Tipos de veículos window (Modelo) e selecione o Classes pasta
• selecionar privado e pressione o Adicionar botão
• Selecione os caminhão digite e associá-lo ao privado classe
• Feche o tipos de veículos janela
• Criar um Estado Novo como Empty (R)
• Ative o Seções... opção (R) caracterizar o

estado da seguinte forma:

Para o carro Tipo de Veículo


• Seção 1:
- carro: 25% com a secção 17, 75% a seção 4, 1200 carros / hora do fluxo de entrada.
- caminhão: 30% com a secção 17, 70% para a secção 4, 200 camiões / hora de fluxo de entrada.
• Secção 4:
- carro:

proveniente de uma secção de: 25% para o ponto 10, 75% a secção 5. que vem a partir da
secção 25: 50% a secção 10, 50% para a secção 5.
- caminhão: vindo da seção 1: 20% a seção 10, 80% a seção 5.

proveniente de secção 25: 50% a secção 10, 50% para a secção 5.

• Seção 6:
- carro:

proveniente de secção 8: 0% a secção 26, 100% para a secção 3. que vem a partir da
secção 7: 30% a secção 26, 70% para a secção 3.
- Truck: vindo da secção 8: 0% a seção 26, 100% a seção 3.

proveniente de secção 7: 30% a secção 26, 70% para a secção 3.


• Secção 7:
- 1100 carros / hora.
- 200 camiões / hora.
• Seção 9:
- 300 carros / hora.
- 10 camiões / hora.
• Secção 15:
- 800 carros / hora.
- 200 camiões / hora.
• Seção 18:
- carro: 50% a seção 21, 50% a seção 23.
- caminhão: 50% a seção 21, 50% a seção 23.

GETRAM v4.2 Introdução 49


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

• Seção 19:
- 400 carros / hora.
- 30 camiões / hora.
• Artigo 21:
- carro: 90% a seção 28, 10% a seção 31.
- caminhão: 90% a seção 28, 10% a seção 31.
• Seção 23:
- carro:

proveniente de secção 22: 0% a secção 10, 50% para a secção 5, 20% a secção 26, 30% para a secção 3.

proveniente de secção 18: 25% a secção 10, 25% para a secção 5, 25% a secção 26, 25% para a secção 3.

- caminhão: vindo de seção 22: 5% a seção 10, 55% para a seção 5, 15% a seção 26,

25% a secção 3.
proveniente de secção 18: 25% a secção 10, 25% para a secção 5, 25% a secção 26, 25% para a secção 3.

• Seção 25:
- carro: 30% a secção 2, 50% com a secção 17, 20% da secção 4.
- caminhão: 33% a secção 2, 33% com a secção 17, 33% da secção 4.

• Seção 27:
- carro: 70% a seção 20, 30% a seção 24.
- caminhão: 70% a seção 20, 30% a seção 24.
• Seção 29:
- carro: 50% a seção 31, 50% a seção 22, 300 carros / hora.
- caminhão: 50% a secção 31, 50% para a secção 22, 20 camiões / hora.

• Seção 30:
- carro: 75% a seção 22, 25% a seção 28, 300 carros / hora.
- caminhão: 80% a secção 22, 20% para a secção 28, 20 camiões / hora.

As seções ausentes (como a seção 16 e 17) são aqueles que estão embutidos na rede (não são seções de entrada
para o modelo para os veículos) e têm um destino único, de modo que não há proporção de giro e sem fluxo de entrada
e não é necessário caracterizá-los.

• Pressione o botão OK
• Salvar o estado como (R) 08h00m em tempo de 08:00:00
• Salvar o estado como (R) 08h30m em tempo de 8:30:00. Ir para as secções (R) e implementar as seguintes alterações:

Para o carro Tipo de Veículo


• Secção 7: 1200 carros / hora.
• Seção 9: 400 carros / hora.
• Seção 19: 500 carros / hora.
Pressione o botão OK

Salvar o estado (R)

• Feche o estado (R)


• Salve o cont resultado ainer (R)
• Fechar o recipiente resultado (R).

GETRAM v4.2 Introdução 50


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.14 Centróides

Figura 5-33: Abriu uma centróide e conectores

Ao trabalhar com matrizes O / D, os centróides localizados em uma rede representam origens e destinos. Cada centróide está
ligado à rede através de um ou mais conectores. Um conector é uma entidade virtual que os veículos usam para saltar de / para
o centróide de / para as seções de entrada / saída ou nós, veja a Figura 5-33.

Para criar uma nova centroid


Clique no ícone Centróides, (a forma círculo duplo). Clique na área de desenho na posição em que deseja que o centróide para
ser localizado. A centróide é então elaborado naquele local e dê um duplo clique sobre ele faz com que o diálogo Janela
Centróides a aparecer. Neste diálogo, você pode decidir introduzir um nome para o centróide e então proceder para definir as
ligações.

Para definir ligações


Se você deseja definir a "a" conexão do tipo (ou seja, 'Para objeto', exigindo, portanto, uma fonte de tráfego ou Origin), basta
clicar pela primeira vez no Novo botão (Centróide de diálogo) e, em seguida, clique na seção (ou nó) que pretende estabelecer
a ligação para. Se você quiser definir um tipo "de" conexão (meios 'do objeto', então uma pia ou destino do tráfego), primeiro
clique no Novo de botão

GETRAM v4.2 Introdução 51


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

e, em seguida, clique na seção (ou nó) para o qual você deseja conectar o baricentro. Para alterar um "para" Ligação do tipo
existente em um 'From' conexão do tipo, ou vice-versa, você deve excluir a conexão (usando o botão Excluir) e criá-lo
novamente. Uma vez que as ligações tenham sido definidos, clique no Atualizar botão para salvar as alterações. o Automático e
a considere Percentagens alterna são utilizados para configurar a maneira em que os veículos são inseridos através dos
conectores. Ele funciona da seguinte forma:

Se uso de origem Percentagens = desmarcada: os veículos que entram na rede a partir de que centróide são distribuídos entre
as diferentes conexões, levando em consideração seus destinos. Ou seja, eles são introduzidos através dessas conexões que
representam os caminhos mais curtos. Se uso de origem Percentagens = seleccionada: os veículos são introduzidos usando
como critérios apenas as proporções estabelecidos pela percentagem fixo associado com cada ligação. Se Use Destino
Percentagens = desmarcada: os veículos que saem da rede para que centroid utilizar a ligação no final do caminho calculada
pelos sistemas de escolha de rota, levando em consideração os custos das rotas.

Se uso de destino seleccionado Percentagens =: o fluxo em cada percurso é ajustado de tal maneira que o
fluxo de saída relativa através de cada uma das ligações de saída é o definido pelas percentagens. Se Auto
... = selecionadas: ao criar as ligações, cada conexão será atribuído o mesmo percentual, ou seja, os
veículos serão distribuídos igualmente entre todas as conexões. Se Auto ... = desmarcada: ao criar as
ligações, cada conexão será atribuído um 0% dos veículos gerados pelo centróide e, ao atualizar, ele irá
atribuir o mesmo percentual para todas as conexões, exceto quando adicionando uma ligação a uma um
conjunto de ligações que já existe. Então, enquanto as percentagens existentes somam 100% e a nova
conexão é atribuído um 0%, o resultado será ainda adicionar até 100% e a situação será guardado como
criado.

Um centróide também pode ser ligado a e ligado a partir de uma secção interna (secção não-entrada) ou junção. Isto significa que
qualquer seção ou junção na rede pode ser uma 'fonte' e 'sumidouro' de tráfego para o modelo, por exemplo, um parque de
estacionamento.

GETRAM v4.2 Introdução 52


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

5.14.1 Exercício 12

Abra o Mostrar objetos opção. Escolha mostrar centroids, sua ID e seus conectores. Crie os seguintes centroids:
Centróide 1 (id = 1): de-selecionar o considerar percentagens alternância, conectá-lo a secção 9 e seção 15 ( 'a'
conectores).

Centróide 2: conectado a secção 7 ( 'a' conector) e a secção 5 ( '' de conector).

GETRAM v4.2 Introdução 53


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Centróide 3: ligado a secção de 16 ( 'de').

Centróide 4: ligado a secção de 30 ( 'a') e a secção 31 ( 'de').

GETRAM v4.2 Introdução 54


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Centróide 5: ligado a secção de 29 ( 'a') e a secção 28 ( 'de').

Centróide 6: ligado a uma secção ( 'a') e na secção 2 ( 'de').

GETRAM v4.2 Introdução 55


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Centróide 7: ligada com a secção 19 ( 'a') e a secção 20 ( 'de').

GETRAM v4.2 Introdução 56


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Centróide 8: de-selecionar o considerar percentagens alternar, conectá-lo ao nó 5 ( 'a') e nó 5 ( 'de').

Com esta configuração, centroid 1 representa uma origem, centroid 3 representa um destino, eo resto representam
origem e destino simultaneamente.

5,15 O / Matrizes D

Uma vez que um conjunto de centroides foi editado como uma configuração de origens e destinos, que está pronto para editar uma matriz S /

D. Para definir uma matriz que tem de definir as diferentes períodos de tempo para uma matriz cortado em tempo, bem como definindo o

veículo flui a partir de cada origem para cada destino para cada tipo de veículo e intervalo de tempo. Depois de criar e guardar uma nova

matriz O / D (OD), a primeira coisa que é associar com que os tipos de veículos desejados de activação que opção (OD) na mesma maneira

como com recipientes de resultados (secção 4.6). Se o Afirmações opção é então escolhido, a janela mostrada na Figura 5-34 abre.

GETRAM v4.2 Introdução 57


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 5-34: Demonstrações janela de diálogo

A primeira coisa é definir o período de tempo que vai caracterizar a matriz. Isso é feito clicando no conjunto botão para
abrir a janela na Figura 5-35. Primeiro vamos definir o período de tempo no
De para caixas. Se uma matriz cortado-time é querido, há duas opções. Quando as diferentes intervalos têm o mesmo comprimento de
tempo, nós escrevê-lo na Definir comprimento do intervalo de caixa e uma lista dos diferentes intervalos aparecerá automaticamente na subintervalos
lista quando o Conjunto botão é pressionado.

Figura 5-35: Definir as características de tempo da matriz

Quando os intervalos têm diferentes comprimentos de tempo, a lista é gerada, criando os intervalos, um por um: Clicando sobre
o Novo botão, definindo a duração do tempo nas caixas na parte inferior, e

GETRAM v4.2 Introdução 58


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

pressionando a Entrar chave para validar as informações.

Uma vez que a caracterização tempo da matriz tiver sido concluída, é hora de voltar para a janela principal, o Afirmações janela. Agora, os
dados de tráfego tem de ser alimentado na matriz. Se tivermos diferentes densidades de tráfego em diferentes intervalos de tempo e não
temos a mesma proporção de veículos de cada classe, os dados têm de ser introduzidas de forma independente para cada intervalo de
tempo e cada classe de veículo. Receita: Definir tag classe para classe primeiro veículo e tag intervalo para primeiro intervalo de tempo.
Introduzir dados e alterar tag classe para a segunda classe de veículo, etc. Repita o procedimento para o resto dos intervalos de tempo.

NB: Sempre pressione Enter ou mudar a posição da matriz após a introdução de dados em uma posição e antes de alterar a tag
intervalo ou a tag classe. Ao introduzir dados específicos para cada modalidade de veículos e intervalo de tempo, ter cuidado e
sempre verificar as tags antes de entrar de dados: a entrada de dados com uma das tags definidas para 'all' irá atualizar todas as
informações para esse par origem-destino; ou seja, ele vai ser distribuído igualmente entre as diferentes modalidades de veículo e /
ou intervalos de tempo, a exclusão de quaisquer dados anteriormente introduzidos.

Se já temos toda a informação OD armazenados em algum outro aplicativo ou formato, a fim de salvar a todos nós este trabalho é
possível importar a demanda de tráfego a uma matriz OD enquanto TEDI pode ter acesso a um arquivo de texto em formato tabular .
As indicações precisas para uma manobra de importação deste tipo são detalhadas no Manual do Usuário TEDI.

5.15.1 Exercício 13

Criar uma matriz nova S / D e guardá-lo como, por exemplo, morning_peak.


• selecionar biblioteca de tipos de veículos ... ( E)
• selecionar tipos de veículos ... ( OD)
• Selecione os carro digite e pressione a Modelar botão
• Selecione os caminhão digite e pressione a Modelar botão
• Feche a Biblioteca de tipos de veículos
• Selecione o tipo de carro no Tipos de veículos window (Modelo) e selecione o Classes pasta
• selecionar privado e pressione o Adicionar botão
• Selecione os caminhão digite e associá-lo ao privado classe
• Feche o tipos de veículos janela
• Ative o Afirmações… opção (OD)
• aperte o Conjunto… botão
• No de para espaços definir o tempo de simulação 8:00 - 9:00
• em Definir comprimento do intervalo de escrever '30' e pressione o Conjunto botão
• Pressione OK'
• No Afirmações mudança janela Tipo de Veículo alternar para o 'carro' modalidade de veículo (não vamos entrar informação
separada para cada intervalo de tempo, a fim de não tornar o exercício muito cansativo)

• Definir os seguintes pares S / D:


De centróide 1: 30 para carros centróide 2, 800 a 3, 22-4, 30-5, 250 a 6, 50 a 7 e 50 a 8. De centróide 2:

60-3, 34-4, 60-5, 950-6, 60-7 e 50 a 8. de centróide 4: 50-2, 30-3, 30-5, 30-6, 30-7 e 50 a 8. de centróide 5:

50 a 2, 50 a 3, 24-4, 20 e 6, 20 a 7 e 20 a 8. de centróide 6: 700-2, 50-3, 34-4, 100-5, 100-7 e 100 a 8. de

centróide 7: 90-2, 50-3, 34-4, 100-5, 90-6 e 90-8.

GETRAM v4.2 Introdução 59


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

De centróide 8: 50-2, 50-3, 34-4, 50-5, 50-6 e 50-7.

• Guardar a matriz de S / D (OD) (não é necessário para fechar a matriz)


• No Afirmações janela mudar o 'carro' modalidade veículo para 'caminhão'
• Definir os seguintes pares S / D:
De um centróide: 80 camiões para centróide 3, 6-4, 6-5, 6-6, 6-7 e 6 a 8. A partir centróide

2: 10-3, 6-4, 10-5, 10-6, 10 a 7 e 10 a 8. de centróide 4: 6-2, 6-3, 6-5, 6-6, 6-7 e 6 a 8. a

partir centróide 5: 10-2, 6-3, 4 a 4, 6-6, 6-7 e 6 a 8. a partir centróide 6: 30-2, 10-3, 6-4,

10-5, 10-7 e 10 a 8. de centróide 7: 20-2, 10 a 3, 4-4, 10-5, 10-6 e 10 a 8. de centróide 8:

6-2, 6-3, 4-4, 6-5, 6-6 e 6-7.

• Pressione o botão OK, salvar a matriz (O / D) e fechá-lo (O / D).

5,16 Abertura de uma rede

Depois de iniciar TEDI, a primeira operação é escolher se deseja abrir uma nova rede de tráfego ou um já existente. No início
do manual um novo foi criado. Se a intenção é recuperar uma rede para continuar a trabalhar com ele, então o procedimento é
escolher o Rede aberta ... opção (F). Isso abre a caixa de diálogo modal mostrado na Figura 5-36. A caixa à esquerda da janela
de diálogo lista os arquivos no diretório atual. A coluna mais à esquerda na lista mostra o tipo de arquivo: ícone da pasta para o
diretório, ícone folha de papel para uma rede. O usuário pode inserir um diretório clicando nele duas vezes ou pressionando a Abrir
botão que aparece em vez do Carga uma vez que um diretório é selecionado. A fim de se mover para cima para o diretório
anterior, uma caixa de combinação na parte superior da caixa de listagem permite o acesso a um diretório pai. Um registro das
10 redes mais recentemente carregados e 10 diretórios visitados mais recentemente é mantido no arquivos

e diretórios cabeçalhos no topo das janelas. A seleção de uma dessas redes seleciona automaticamente para o
carregamento eo navegador salta automaticamente a ele, poupando-nos o problema de navegar através da estrutura de
diretório para o local final pretendido. Uma vez que a rede desejada aparece na caixa de lista, selecionando-o na caixa de
lista e clicando duas vezes sobre ele ou clicando sobre os 'Load' botão carrega.

GETRAM v4.2 Introdução 60


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 5-36: Caixa de diálogo para a abertura de uma rede existente

Figura 5-37: Visualização da rede “Amara”

GETRAM v4.2 Introdução 61


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

6 AIMSUN: INTRODUÇÃO

AIMSUN ( UMA dvanced Eu Nteractive M icroscopic S imulator para você Rban e N em Urbana N etworks), é um simulador de tráfego
microscópico que pode lidar com diferentes redes de tráfego: redes urbanas, rodovias, estradas, estradas de circunvalação, arterial
e suas combinações. Ele foi projetado e implementado como uma ferramenta para análise de tráfego para ajudar os engenheiros de
tráfego na concepção e avaliação dos sistemas de trânsito. Ele provou ser muito útil para testar novos sistemas de controle de
tráfego e políticas de gestão, seja com base em tecnologias tradicionais ou como uma implementação de sistemas de transporte
inteligentes.

AIMSUN pode ser usado para simular Aplicações Avançadas de Transporte telemáticas. Ele pode simular os sistemas de controlo de tráfego
adaptativos, tais como SCOOT, C-Regelaar e Equilíbrio; veículo acionado, sistemas de controle que dão prioridade aos transportes públicos,
sistemas de gerenciamento de tráfego avançado (usando VMS, as estratégias de acalmia de tráfego, políticas rampa de medição, etc), Veículo de
Orientação Sistemas, Transporte Público Veículo programação e controle Sistemas ou aplicativos destinados a estimar o impacto ambiental das
emissões de poluentes e consumo de energia. AIMSUN segue uma abordagem de simulação microscópica. Isto significa que o comportamento de
cada veículo na rede é continuamente modelado durante o período de tempo de simulação enquanto ele viaja através da rede de trânsito, de
acordo com diversos modelos de comportamento do veículo (por exemplo, um veículo que se seguem, pista mutação). AIMSUN é um simulador
discreta / combinada contínua. Isto significa que existem alguns elementos do sistema (veículos, detectores), cuja estados mudam continuamente
ao longo do tempo simulado, que é dividido em intervalos de tempo fixos curtos chamados ciclos de simulação. Existem outros elementos (sinais
de trânsito, pontos de entrada) cujos estados mudar discretamente em pontos específicos no tempo de simulação. O sistema fornece modelagem
altamente detalhado da rede de tráfego, que distingue entre diferentes tipos de veículos e motoristas, permite uma ampla gama de geometrias de
rede a ser tratada, e também pode modelar incidentes, conflitantes manobras, etc. A maioria dos equipamentos de tráfego presente em um tráfego
real de rede também é modelado em AIMSUN: semáforos, detectores de tráfego, sinais de Mensagem Variável, dispositivos de ramp-medição,
etc. Os dados de entrada requerido por AIMSUN é um cenário de simulação, e um conjunto de parâmetros de simulação que definem o
experimento. O cenário é composto por quatro tipos de dados: descrição da rede, planos de controle de tráfego, dados de demanda de tráfego e
planos de transporte públicos. A descrição da rede contém informações sobre a geometria da rede, transformando movimentos, layout de ligações
(ou seções) e junções e localização dos detectores ao longo da rede. Os planos de controlo de tráfego são compostas da descrição das fases e a
sua duração de cruzamentos controlados de sinal, a definição de prioridade para junções sem sinal e a informação de medição de rampa. Os
dados sobre a procura de tráfego podem ser definidos de duas formas diferentes: 1) os volumes de tráfego nas secções de entrada, as
proporções de torneamento e o estado inicial da rede; ou 2) uma matriz OD, que é o número de viagens que vão de cada centróide origem a
qualquer destino. No primeiro caso, os veículos são distribuídos estocasticamente ao redor da rede de acordo com as proporções de viragem nos
cruzamentos, enquanto no segundo caso, os veículos são atribuídos a rotas específicas da origem para o destino. Diferentes modos de seleção
de rota são implementados: fixa ou variável, estático ou dinâmico. Finalmente, um plano de transporte público compreende a definição de linhas
de ônibus (rotas e paragens de autocarro) e os calendários para cada linha, incluindo tempos de parada. veículos são atribuídos a rotas
específicas da origem para o destino. Diferentes modos de seleção de rota são implementados: fixa ou variável, estático ou dinâmico. Finalmente,
um plano de transporte público compreende a definição de linhas de ônibus (rotas e paragens de autocarro) e os calendários para cada linha,
incluindo tempos de parada. veículos são atribuídos a rotas específicas da origem para o destino. Diferentes modos de seleção de rota são
implementados: fixa ou variável, estático ou dinâmico. Finalmente, um plano de transporte público compreende a definição de linhas de ônibus
(rotas e paragens de autocarro) e os calendários para cada linha, incluindo tempos de parada.

Ambos os planos de controle de tráfego e dados de demanda de tráfego pode ser fixa ou variável ao longo do tempo. Os parâmetros de
simulação são valores que descrevem a experiência (tempo de simulação, o período de aquecimento, os intervalos de estatísticas, etc) e alguns
parâmetros variáveis ​utilizadas para calibrar os modelos (os tempos de reacção, mudando as zonas de faixa, etc.) fixo.

As saídas fornecidos pelo AIMSUN são uma representação gráfica de animação contínua do desempenho da rede de tráfego,
tanto em 2D e 3D, dados de saída estatísticos (fluxo, velocidade, tempo de viagem, atrasos, paradas), e os dados recolhidos pelos
detectores simulados (contagem, ocupação , Rapidez).

GETRAM v4.2 Introdução 62


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Ambos os dados estatísticos e de detecção pode ser gráficas (parcelas) ou numérica, este último pode ser armazenados em arquivos ASCII ou
banco de dados (Access ou ODBC).

Figura 6-1: Interface gráfica do usuário

GETRAM v4.2 Introdução 63


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

7 AIMSUN JANELA PRINCIPAL

A interface gráfica do usuário AIMSUN fornece todas as ferramentas necessárias para preparar experimentos de simulação, a
seleção de cenários para simular, definindo parâmetros de simulação, interagindo com o simulador enquanto ele está executando,
vendo a saída gráfica animada e análise de resultados estatísticos.

Esta interface de usuário é baseada em um sistema Windows. A janela principal inclui a barra de menus, as janelas de mensagens e os

botões de ferramentas. Na figura 6.1 apresenta esta janela principal, em que um exemplo de rede tenha sido carregado.

Figura 7-1: interface de utilizador gráfica AIMSUN

Bar 7.1 de Menu

A barra de menu está localizada na parte superior da janela e apresenta nove opções: Arquivo, Objetos, Vista, Experiência, Executar,
Reports, Caminhos, Validação e Window (Figura 7-2).

Figura 7-2: Barra de Menus

Embora a maioria destes é auto-explicativo, uma breve descrição de cada menu e suas opções é dada no Apêndice II.

GETRAM v4.2 Introdução 64


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

7,2 A Estado e barra de controle

A barra de estado com a escala, Tempo e Teclas de simulação está localizado na parte inferior da janela principal (ver
Figura 7-3).

Figura 7-3: Barra de status

A escala da imagem da rede é apresentado no formato 1: N. Esta janela de diálogo pode ser utilizada para introduzir directamente um
valor para a variável N, embora a escala também pode ser fixada usando a diminuir ou aumentar a função.

A hora ou Simulação relógio é exibido em horas, minutos e segundos e é atualizado automaticamente durante a execução da
simulação. O usuário não pode editar esta janela de diálogo diretamente. Os Botões de simulação são para selecionar as
diferentes formas de execução e parar a simulação, como no Menu Executar Comando, bem como para gravar simulações para
animação 3D:

Pare: execução pausas


Degrau: executa um único passo de tempo
Jogar: corre simulação
Fast Forward mode = lote: corre simulação sem saída gráfica (execução rápida)
Início: simulação 'Recua' ao ponto de partida
Registro: regista a simulação para a sua visualização posterior com o visualizador 3D, para os casos em que esta
opção é a preferida para a linha de simulação 3D
Bar Speed: para regular a velocidade de execução da simulação no modo de 'play'

7.3 botões de ferramentas

Os botões de ferramentas (Figura 7-4) estão localizados no lado esquerdo da janela principal e sobre e tem três ícones
correspondentes para as seguintes funções:

Figura 7-4: Barra de Ferramentas

Selecione (seta): o cursor do rato se torna uma seta; o usuário pode abrir qualquer objeto de rede clicando duas vezes sobre ele.

Zoom (lente): o cursor do rato torna-se uma lente de ampliação; clicando no botão esquerdo do mouse produz um
zoom-in, enquanto pressiona a tecla Shift ao mesmo tempo produz uma ZOOM- fora. Esta função é implementada no
botão do meio do mouse.
incidentes: o cursor do rato se torna uma seta; clicando em uma pista de qualquer seção o usuário pode definir incidentes (bloqueios
de pista).

7.4 O simulador Ambiente


As diferentes formas de se mover em torno da área do mundo real são exatamente os mesmos que para o editor TEDI explicado
no capítulo 2.

GETRAM v4.2 Introdução 65


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

8 A INÍCIO RÁPIDO PARA AIMSUN

Esta seção mostra como usar AIMSUN por meio de um exemplo simples. Abrange as funções básicas da interface do usuário
necessária para executar um experimento de simulação. Por uma questão de brevidade, cada passo é descrito em termos mais
simples; explicações mais amplas são dadas no Manual do usuário. As funções ilustrados aqui são o carregamento de uma rede, a
preparação de uma experiência de simulação, o funcionamento da simulação e a visualização de relatórios estatísticos.

8.1 Carregando um Modelo

Um modelo pode tráfego de rede consiste em quatro partes: a descrição da rede, os dados de demanda de tráfego, o plano de controle de
tráfego e o plano de transporte público. Portanto, para carregar um modelo de rede de tráfego que você tem que carregar esses quatro
componentes usando os seguintes comandos no menu Arquivo:

8.1.1 Carga de dados de rede

O primeiro passo consiste em carregar a topologia da rede, que inclui informações sobre seções, entroncamentos, voltas,
pistas, etc. Para fazer isso, selecione o comando Carga de Rede ( F) ea
Open Network janela aparecerá. A janela é exatamente o mesmo que o Open Network
janela para TEDI, e assim é a maneira de navegar e carregar a rede (seção 5.16).

8.1.2 Carga Tráfego Demanda de dados

Uma vez que a rede foi carregado, você pode continuar a carregar os dados de demanda de tráfego específico que você deseja usar para
alimentar a rede. Os dados de demanda de tráfego podem ser definidos de duas maneiras diferentes:

1) As correntes de entrada e proporções de torneamento (secção 5.13)


2) uma matriz OD (secção 5.15). Eles são exclusivos, assim você pode selecionar uma opção ou outra para um determinado prazo
simulação, mas não os dois simultaneamente. A Figura 1/8 mostra a janela de diálogo que aparece após a activação Resultado
de carga Tráfego ( F) de comando.

GETRAM v4.2 Introdução 66


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-1: Janela de Resultado tráfego de carga

Cada conjunto de dados de procura definidos como os fluxos de entrada e proporções de viragem é referido como um resultado
de tráfego. Uma rede pode vários resultados de tráfego. Uma lista com os resultados disponíveis para a rede atual é exibida.
Escolha um deles, clicando sobre ela ea lista dos estados que compõem este resultado irá aparecer. No exemplo rede selecione o
resultado tráfego 'uno_sim'. Uma lista de cinco estados, de tempos em tempos 00:00:00 01:00:00 aparecerá na caixa de listagem
estados. Você pode selecionar as que serão implementadas, clicando sobre eles. Em seguida, clique no botão Carregar para
aceitar o resultado e estados selecionados. Por exemplo, se foram selecionados estados 00h00m e 00h30m, a simulação faria
uso dos fluxos de entrada e de proporções girando em 00h00m por meia hora a partir do início da simulação. Nesse momento, a
entrada de fluxos e proporções que giram mudaria aos contidos no 00h30m. O nome do resultado Tráfego é exibida na área de
informação da janela principal.

Se estivesse a seleccionar para carregar uma matriz S / D, a janela mostrada na Figura 8-2 iria aparecer.

GETRAM v4.2 Introdução 67


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-2:: Carga O / janela D Matriz

Ambas as janelas exibir duas alterna para incidentes de carga e carregar mensagens iniciais. Estes dois utilitários são explicadas nas
próximas duas seções.

8.1.3 Load / criar incidentes

Os incidentes de trânsito pode ser simulado em AIMSUN. Consideramos um incidente de trânsito para ser qualquer evento de
trânsito que provoca pistas bloqueio ao longo de um determinado período de tempo. Exemplos de incidentes são: a carga Camião ou
descarga, um táxi pegar ou deixar um passageiro, um veículo dividido, obras rodoviárias, etc.

O usuário pode criar incidentes de trânsito a qualquer momento usando a barra de ferramentas. Para definir um incidente, pressione o botão de
Incidentes, como indicado na Figura 8-3.

Figura 8-3: Incidentes opção na barra de ferramentas

Quando este ícone parece ser pressionado para baixo, clique na seção e pista para identificar a posição exata em que o
incidente está a ocorrer, ea janela 'Incidente Definição' (veja a Figura 8-4) aparecerá.

GETRAM v4.2 Introdução 68


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-4: janela definição Incidente

É então necessário para introduzir o conjunto de variáveis ​que vai caracterizar o incidente: o comprimento, o momento
em que terá lugar ea duração do incidente.

A qualquer momento durante uma simulação, o usuário pode visualizar a lista de incidentes definidos para a execução atual
simulação. Isto é feito selecionando 'experimento / Incidentes' na barra de menu. A janela de log 'incidentes' aparece como
mostrado na Figura 8-5.

Um conjunto de incidentes podem ser salvos em um arquivo de registro, que pode ser utilizado para futuros experimentos de simulação. Isso é
feito usando botão de alternância dos Incidentes Load ', que pode ser encontrado tanto no 'Resultado carga Traffic' e os '/ Carga O D Matrix'
janelas (ver secção 7.1.2), quando o primeiro carregamento dos dados de demanda de tráfego.

Figura 8-5: janela de registo de incidente

O usuário também pode exibir dados de incidentes clicando duas vezes sobre o ícone do incidente diretamente na rede.
(Figura 8-6). Um incidente pode ser removido selecionando-o e clicando no botão 'Remover'. Isso faz com que o incidente
ao fim e ao Estado de Incidentes é alterada de 'Active' para 'Done', mas não é removido do log de incidentes.

GETRAM v4.2 Introdução 69


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-6: janela de diálogo Incidente

8.1.4 Carregar / Criar Mensagens-Acções

Em uma rede contendo Painéis de Mensagens Variáveis ​(seção 5.7), as mensagens podem informar os motoristas sobre incidentes,
congestão ou sugerir rotas alternativas. AIMSUN leva em conta a modelagem de VMS e sua influência sobre o comportamento do
condutor. As ações são usadas para modelar o efeito das diferentes mensagens electrónicas a partir das VMS de sobre os drivers de
leitura dessas mensagens. Os parâmetros de uma ação são as seções onde Entra em vigor e se muda a velocidade máxima da
seção, as proporções de giro, os fluxos de entrada, a próxima decisão de viragem de acordo com a origem e / ou destino ou os
destinos. Uma vez que as ações desejadas foram concebidos, então é possível para corresponder as mensagens de cada VMS às
ações que ocorrem quando eles são ativados. Em AIMSUN, mensagens em uma VMS podem ser ativados de maneiras diferentes:

1. Diretamente através da interface de usuário clicando no VMS e pressionando o botão 'Ativar Mensagem'. Qualquer mensagem na
caixa de lista de mensagens pode ser programada ou ativado a qualquer momento durante a simulação. (Figura 8-7).

2. Carregando um arquivo de log de mensagens (salvo em uma simulação anterior através da 'Experiment / VMS
Mensagens comando) para ser ativado durante a simulação.

GETRAM v4.2 Introdução 70


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-7: janela de diálogo VMS

Opção 2 está associada a alternância dos carregar mensagens iniciais 'no 'OD Matrix Load' e 'Load Tráfego Resultado'
janelas de diálogo na seção 8.1.2.

Cada mensagem tem uma lista de ações associadas com ele, que aparecem na caixa de listagem denominado 'Ações Mess' na
janela Informações VMS (veja a Figura 8-7). A caixa de lista chamada 'Actions' contém todas as ações disponíveis para essa
rede. Os usuários podem adicionar / remover ações de / para a lista de ações associadas a uma mensagem usando a parte
inferior da janela. Uma Ação representa o impacto que uma mensagem tem no comportamento dos condutores. Diferentes tipos
de acções são consideradas, dependendo se a simulação é realizada numa base Resultado Tráfego (fluxos de entrada e de
proporção transformando) ou no modo de simulação Rota-base. O usuário pode acessar as informações da ação de duas
maneiras, quer pela escolha do '/ Objects Acções' de comando na barra de menu, ou usando a área de Ações na janela de
informações 'do VMS. Selecionando o comando 'Objetos / Ações' irá exibir a janela de seleção de 'Ações' (veja a Figura 8-8). O
usuário pode criar, apagar ou editar ações nessa janela.

GETRAM v4.2 Introdução 71


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-8: Janela de seleção Ação

Ações para uma simulação Resultado tráfego com base


Quando a simulação é realizada em uma base Resultado Tráfego, a janela de informações 'Ação' mostrada na Figura
8-9 é exibida. Isto inclui uma área que contém a lista de seções onde a acção terá um impacto e três pastas de
tabulação: velocidade, Flow e virar. O usuário pode adicionar uma seção para a lista clicando no 'Adicionar' e, em
seguida, clicar na seção escolhida no visor rede.

Três tipos de ações podem ser definidas:

• Modificações para o Limite de velocidade: Clique no botão de alternância velocidade e digite o novo limite de velocidade para o conjunto
de seções selecionadas que pode ser visto na coluna 'Seções'. diferentes limites de velocidade pode ser definida para cada tipo de
veículo.

Figura 8-9: Ações velocidade Janela de Informações de diálogo (Resultado-Based)

• A modificação do Fluxo de entrada: Clique no fluxo de alternância botão e, para cada tipo de veículo, selecione a aumentar
ou diminuir a esse fluxo, como uma percentagem do fluxo de corrente. Para fazer isso, clique na caixa de listagem tipo de
veículo, selecione aumentar ou diminuir usando o '+, -' menu de opções e digite o valor necessário no campo de 'fluxo'. Por
exemplo, na Figura 8-10, 'Car
+ 0,20' significa um aumento de 20% no fluxo de entrada do carro para a secção 13.

GETRAM v4.2 Introdução 72


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-10: Ação Fluxo de Informações Janela de diálogo (Resultado-Based)

Figura 8-11: Acções-Turn Janela de Informações de diálogo (Resultado-Based)

• Modificações de transformar proporções: Clique no botão 'Turn' botão de alternância, em seguida, a lista de voltas selecionados, se
houver, para a seção corrente (aquele selecionado na caixa lista de seções no

GETRAM v4.2 Introdução 73


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

superior da janela) será exibida. Os identificadores na coluna 'voltas' aplicam-se às seções de destino
dos movimentos de viragem para a seção selecionada. O usuário pode adicionar ou remover voltas a
esta lista usando os botões 'Remover' 'Adicionar' ou. Selecionando uma das voltas e uma das entradas,
o usuário pode aumentar ou diminuir a proporção de veículos ter entrado na seção através da entrada
que se seguirá uma curva. O valor definido no 'Problema'. campo representa a percentagem de aumento
ou diminuição sobre a probabilidade de viragem actual. Por exemplo, na Figura 8-11, a probabilidade de
viragem para o tráfego que entra secção 1 de secção 11 e disposto para se transformar em secção 14
irá aumentar em 20% para todos os tipos de veículos.

Ações para uma simulação Route-Based


Quando a simulação é Route-base, a janela apresentada é aquele da Figura 8-12.

A Figura 8-12: ações-Re-encaminhamento Conformidade janela de diálogo (Rota-Based)

A primeira área contém a lista de seções impactadas pela ação. A segunda área é para definir modificações aos limites de velocidade, e a
terceira área, na parte inferior, é por definição acções um reencaminhamento. A área de re-roteamento contém um menu de opções para
selecionar os tipos de veículos, e três pastas de tabulação:

GETRAM v4.2 Introdução 74


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Compliance, Destino e novo rumo.

O usuário pode adicionar seções para a lista usando o botão 'Adicionar' e, em seguida, clicar na seção na Rede de Display.

• Modificações para o limite de velocidade (por tipo de veículo): isso funciona da mesma forma como modificações para o limite de
velocidade para a simulação baseada em resultados de tráfego.

• Reencaminhamento Actions: Isto é realizado através da definição do próximo turno e / ou definir um novo destino. Para
definir ações re-encaminhamento, clique no botão de alternância de roteamento Re (veja a Figura 8-12). A primeira
coisa a fazer é definir Conformidade ( δ). Este parâmetro indica a percentagem de veículos aceitar a recomendação.
Selecione uma das três opções: obrigatória, Aviso ou Informação. meios obrigatórios δ = 1, o que implica que o
re-encaminhamento será seguido por todos. meios de informação δ = 0, onde o sucesso da ação dependerá do
comportamento do condutor (aceitação de Orientação λ, um atributo veículo). Na opção de aviso o usuário pode definir δ
( 0 < δ < 1), que é o grau de aceitação.

• Modificação do centróide destino: Clique no botão de alternância Destino e, em seguida, selecionar um conjunto
de pares. O destino centroid anterior eo novo centroid destino compor cada par. Isto significa que os veículos
que vão para o destino anterior mudará para Nova destino assim que entrar em qualquer das seções afetadas
por esta ação.

A Figura 8-13: ações-Re-encaminhamento de destino janela de diálogo (Rota-Based)

GETRAM v4.2 Introdução 75


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-14: Acções-Re-roteamento novo rumo janela de diálogo (Route-Based)

• Modificação para a próxima viragem: clique no botão Ativar alternância Nova e digite a nova secção seguinte. Em seguida,
escolha entre todos ou destinos selecionados. Todos os destinos significa que todos os veículos que entram nas seções
afetadas vai dar o próximo giro especificado, independentemente do seu destino. destinos selecionados significa que apenas os
veículos que vão para esses destinos serão afetados pela nova vez. Em ambas as situações, o destino original pode ser perdido
se não há um caminho através do próximo turno especificado.

8.1.5 Carga Tráfego Data Control

O plano de controlo de tráfego é opcional e só é necessária quando os sinais de trânsito ou de medição controlados rampa são definidos
no modelo de rede. O plano de controlo consiste em especificar as temporizações para as fases de todos os cruzamentos controlados, e
os intervalos ou volumes que definem o controle de rampa de dosagem. Para carregar um ou mais planos de controle, usamos o Controle
de carga ( F) opção que abre a Carregar Plano de Controle janela mostrada na Figura 8-15.

GETRAM v4.2 Introdução 76


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-15: Carregar Plano de Controle Janela

Esta janela exibe uma caixa de listagem contendo os planos de controlo adequadas para a rede atual. Um plano é selecionado,
clicando sobre ela e, em seguida, definir o tempo desejado de aplicação do plano (lembre-se de pressionar ENTER) na janela de
edição de tempo para a direita do que com o nome do plano. Se mais de um plano de controle vai ser usado, repita o processo e,
em seguida, pressione o
Carga botão. O nome do plano ativo para cada período de tempo irá aparecer na caixa de diálogo correspondente da área de
informações na parte inferior da janela principal.

8.1.6 Carregando um Plano de Transporte Público

Para carregar um Plano de Transporte Público, os dados de demanda de tráfego (quer Tráfego resultado ou O / D Matrix) devem
ser carregados em primeiro lugar. Selecione o 'Arquivo / Carregar Transporte Público de comando na barra de menu, ou use o
atalho <Ctrl> <P>, eo' Load Transporte Público janela aparecerá na tela (veja a Figura 8-16). Esta janela exibe uma lista de
planos de transportes públicos disponíveis para a rede atual, contendo os nomes dos planos e as datas de criação ou última
modificação. Escolha um deles clicando sobre ele e pressione o botão 'Load'.

Figura 8-16: Carregar janela transportes públicos

GETRAM v4.2 Introdução 77


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Existe um módulo específico para o transporte público em Modelagem AIMSUN, que é aplicada sempre que um plano de
transporte público é carregado. Veículos de transporte público são gerados e introduzidos na rede através da primeira secção
de cada linha de bus e eles dirigem ao longo da rede a seguir a linha de bus e realizando os batentes correspondentes. Os
tempos de chegada são obtidos de acordo com o calendário de barramento correspondente, definida no horário.

Veículos de transporte público normalmente se comportam como qualquer outro veículo de acordo com modelos de mudança de pista
car-seguinte e. Só quando se conduz em uma seção (ou polysection), onde uma paragem de autocarro é alocado para essa linha, eles
mudam seu comportamento normal e agir adequadamente, a fim de parar no local apropriado. Isso significa que eles vão tentar passar para
a pista apropriada antes de chegar ao ponto de ônibus e eles vão desacelerar até parar no no local stop. Se a paragem de autocarro está
cheio quando um novo ônibus chega, ou seja, o espaço é ocupado por um outro ônibus e não há espaço para autocarros adicionais, o
ônibus irá esperar até que algumas folhas de ônibus e há espaço suficiente disponível. Um barramento vai parar na paragem por um
período determinado pelo calendário, e, em seguida, ele irá começar e continuar o seu percurso, seguindo a linha de autocarro até à
próxima paragem.

8.2 Preparação do Experimento

Antes de executar um experimento de simulação, diferentes conjuntos de parâmetros têm que ser definidas. Isto deve ser realizado
antes de executar um experimento de simulação, uma vez que não podem ser modificados uma vez por experimento de simulação foi
iniciado. Estes parâmetros são divididos nas seguintes categorias diferentes.

8.2.1 Run Time Parameters

- Simulado Data: Esta é a data (no dia formato / mês / ano) que está a ser simulado. Esta é a data que aparecerá
nos relatórios estatísticos.
- Simulado Hora inicial: tempo inicial (horas: minutos: segundos) para o relógio da simulação. Isto tem a concordar com o
resultado de tráfego ou O matriz / D carregado
- Warm-up Período: Duração (horas: minutos: segundos) do período de aquecimento. O objetivo deste período é para
encher a rede com os veículos antes de iniciar a simulação eficaz.
- Simulado End Time: Tempo (horas: minutos: segundos) quando a simulação vai terminar. Isto tem a concordar com o
resultado de tráfego ou matriz O / D carregado.
- Redesenhar Freqüência: Este parâmetro tem dois significados:
- m ( m número inteiro maior do que 0): a rede vai ser refrescada cada m etapas de simulação.

- 1 / N ( n número inteiro maior do que 0): a rede vai ser refrescada n vezes por etapa simulação.

GETRAM v4.2 Introdução 78


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

janela de correr parâmetros de tempo: Figura 8-17

8.2.2 Parâmetros Modelando Globais

Este é um conjunto de parâmetros acessíveis através do ' Experimento / Modelagem' comando (Figura 8-
18) e relacionado a modelos de comportamento veículo que é válido em toda a rede e que é definido nem ao nível do tipo
de veículo, nem ao nível de secção. Eles são usados ​para todos os veículos de condução em qualquer lugar na rede
durante todo o experimento de simulação.

- tempo de reacção do condutor (também etapa de simulação): Este é o tempo que leva para que um condutor reagir a mudanças de
velocidade do veículo anterior. Ele também é tomado como o Passo Simulation Time.
- O tempo de reação na parada: Este é o tempo que leva para um veículo parou para reagir à aceleração do veículo
da frente, ou para um semáforo mudar para verde.
- Fila velocidade: Veículos cuja velocidade diminui abaixo deste valor limiar (em m / s) são considerados para ser interrompido e,
por conseguinte, para juntar a uma fila.
- Fila velocidade Partindo: Veículos que são parados numa fila, cuja aumenta acima deste valor limiar (em m /
s) de velocidade são considerados para deixar a fila e já não para ser parado. Carro seguir:

- Número de veículos: Número máximo de veículos a serem considerados na variação de 2 pistas da Modelo-carro
seguinte, que é usada para modelar a influência de pistas adjacentes.
- Distância máxima: Distância máxima à frente (em metros) para ser considerado no 2-lane Car- seguinte modelo.

- Diferença Máxima Velocidade: diferença de velocidade máxima (em km / h) entre uma pista e da pista adjacente no
2-lane Car-modelo seguinte.
- Diferença máxima velocidade On-Ramp: diferença de velocidade máxima (em km / h) entre a pista principal e uma pista

rampa de acesso na 2-lane Car-modelo seguinte. Pista Mudança:

- Percentagem de ultrapassagem: Isto representa a percentagem da velocidade de um veículo que decide ultrapassar. Ele é usado para
modelar a decisão de ultrapassagem.
- Por cento recuperar: Esta é a percentagem da velocidade a partir do qual um veículo decide voltar para a pista mais lenta depois de
ultrapassar. Ele é usado para modelar a decisão de ultrapassagem.

GETRAM v4.2 Introdução 79


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

- On-Ramp Modelo: O usuário pode escolher se pretende utilizar o v3.2 On-Ramp modelo ou a v3.3, cujas diferenças são
explicados no Manual do Usuário AIMSUN.

Figura 8-18: General Modelando Parâmetros de diálogo do Windows

8.2.3 Parâmetros Route escolha

Existem dois modos de simulação Route-base, fixos e variáveis, dependendo se há apenas uma rota a partir de
qualquer seção para o destino, ou mais de um. Quando existem várias rotas, que podem ter sido calculado
periodicamente durante a simulação ou definido pelo usuário.

No modo fixo, é necessário nenhum modelo Route escolha, como há rotas alternativas estão disponíveis. Em

GETRAM v4.2 Introdução 80


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

o modo variável, os veículos podem ser atribuídos a caminhos, quer a aplicação de uma atribuição definido pelo utilizador (o utilizador define
uma probabilidade para cada caminho), ou aplicando uma escolha do modelo de rota. Quatro modelos alternativos Route escolha estão
disponíveis: binomial, Proporcional, Multinomial Logit e C-Logit. O usuário também pode definir sua / seu próprio modelo de escolha de rota
definida pelo usuário com o editor função de TEDI.

No modo variável, independentemente do modelo de Route Escolha usado, existem dois tipos de comportamento do motorista em relação à
atribuição de rota: estático e dinâmico. Referem-se à existência ou não de um veículo pode modificar o caminho real em rota, à medida que
novos caminhos se tornam disponíveis durante a viagem.

Fixa Modo rotas: Durante a simulação, os veículos são gerados em centroids origem e atribuído ao caminho mais curto para
o seu centróide destino. Não há necessidade de uma escolha do modelo de rota, como não há rotas alternativas. Não há
novas rotas são recalculados durante a simulação. Portanto, todos os veículos sempre seguir o caminho mais curto e
nenhuma decisão sobre a mudança para outro caminho pode ser feito durante a viagem. Existem dois modelos alternativos
rota fixa: o Fixa-Distância e a Hora marcada modelos.

- Fixo-Distância Modelo: os caminhos são calculadas no início de uma simulação se um período de aquecimento é definida ou não. Se houver
um período de aquecimento, não há novos caminhos mais curtos são calculados quando se termina, e, por conseguinte, as mesmas árvores
de caminhos mais curtos são utilizados durante o período de simulação estacionária as mesmas árvores de caminhos mais curtos são
utilizados.
- Modelo em tempo fixo funciona de forma semelhante ao Fixa-Distância Modelo, excepto quando um período de aquecimento é
definida. Neste caso, os caminhos iniciais são calculados no início do warm-up, mas quando o período de aquecimento acabou, no
entanto, e a simulação estacionária começa, novos caminhos iniciais são calculados.

Variável Rotas Mode: Este modo calcula periodicamente os novos caminhos mais curtos de acordo com os novos custos (isto é:
tempos de viagem) previstas pelo simulador, e um modelo de selecção da rota. O procedimento de simulação pode ser caracterizada
como se segue:

1. Calcular rotas iniciais mais curto, tendo como custos dos tempos de viagem estimados para cada arco (ou seja, comprimento da
secção de limite / velocidade mais o comprimento do turno / velocidade de viragem).
2. Simular para um período (por exemplo, 5 minutos), utilizando a informação disponível rotas.
3. Obter novos tempos médios de viagem como resultado da simulação.
4. Recalcular rotas mais curtas, tendo em conta os novos tempos de viagem.
5. Adicionar novas informações calculadas em 3 para o conhecimento dos motoristas.
6. Vá para o passo 2.

Se um período de aquecimento é definida, estes caminhos são calculadas no início do aquecimento. Se não, eles são
calculados no início do período de simulação parado. O utilizador pode definir o intervalo de tempo para o novo cálculo de
caminhos e o número máximo de árvores caminho a ser mantida durante a simulação. Quando o número máximo de árvores
de caminho (K) é atingido, os caminhos mais velhos serão retirados logo que nenhum veículo seguinte é los. Supõe-se que
os veículos só escolher entre as mais recentes árvores caminho K. Portanto, os mais antigos se tornarão obsoletos e em
desuso.

Atualmente, quatro modelos de escolha são implementadas. Estes modelos são o binomial, o Proporcional, o Logit
Multinomial e os modelos C-logit. Por outro lado, os usuários também podem definir seus próprios modelos Route escolha,
através do Editor de Função TEDI.

Quando uma matriz de S / D foi carregado em AIMSUN, isto significa que a experiência de simulação vai ser rota-base.
Antes de executar o modelo, o usuário pode definir qual o tipo de rota escolha do modelo a ser aplicado. Se você selecionar
a 'Experiment / Rota Choice', comando de menu, a 'janela Route escolha do modelo' aparecerá (veja a Figura 8-19).

GETRAM v4.2 Introdução 81


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-19: Janela de modelo Route escolha

Nesta janela, o usuário pode:


- escolher Fixed-Distância, Fixo-Time, binomial, Proporcional, Logit, C-Logit ou Usuário- modelos definidos escolha
rota usando o menu de opções
- definir o intervalo entre os novos cálculos de caminhos mais curtos (de campo 'ciclo' em horas: minutos: segundos)

- escolher o 'Número de Intervalos' para ser considerado em cada recálculo. Isto significa que, sempre que um modelo variável
(binomial, Proporcional, Logit, C-Logit ou definido pelo utilizador) é seleccionada, os novos caminhos irão ser calculado a cada
'ciclo'
- escolher as informações estatísticas recolhidas durante o último 'Número de Intervalos' a ser utilizado para o cálculo das
funções de custo
- escolher o parâmetro Capacidade Peso (para uma penalização de custos de acordo com a capacidade do arco) para ser usado
em cálculo dos custos de arco
- decidir se a 'Fornecer Times Travel' para além dos custos do 'Caminhos de diálogo'.

GETRAM v4.2 Introdução 82


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-20: Route-escolha janela modelo: C-Logit Model - modelo definido pelo usuário.

8.2.4 Input

Custos últimos: este menu define o caminho para o banco de dados com os custos de outras repetições ou dados recolhidos sobre os custos de

caminho. O usuário pode optar por carregar custos passados ​previamente guardados para serem usados ​em um novo experimento de simulação.

Por padrão Custo passado não é usado.

Nota: Todos estes parâmetros simulador são explicadas com mais detalhes no Manual do Usuário AIMSUN, e são fundamentais
para a calibração de um modelo.

GETRAM v4.2 Introdução 83


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-21: Path custa janela de entrada

8.3 Ajustar a saida do Simulator


Antes de executar um experimento de simulação, os dados a recolher e guardar tem de ser definido através do uso das quatro
características no saída ( Exp) opção do menu. Isto deve ser realizado antes de executar um experimento de simulação, uma vez que
não podem ser modificados uma vez por experimento de simulação foi iniciado.

8.3.1 Local de saída

Onde localizar os arquivos de saída ou banco de dados. Quando a saída é baseado em arquivos ASCII, ele é armazenado em arquivos de
texto no diretório de saída na pasta do recipiente resultado ou a matriz OD, e, quando a saída está em uma base de dados, ele preenche as
tabelas correspondentes

8.3.2 Estatísticas

Se deve ou não produzir resultados estatísticos, quantas vezes e qual a saída para produzir.

Reúna Statistics: A janela de estatísticas (veja a Figura 8-22), contém um botão de alternância que pode ser usado para indicar
se o usuário quer estatísticas a recolhidos durante a execução da simulação.

GETRAM v4.2 Introdução 84


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-22: Statistics Definição de diálogo Janela: Geral

Global ou periódica: Se o botão de alternância 'periódica' é pressionado, as estatísticas periódicas serão reunidos. Se não, será
coletado apenas estatísticas globais. Ao selecionar a opção periódica, o intervalo de tempo deve ser definida (horas: minutos:
segundos). Em modo periódico, as estatísticas globais também são fornecidos no final da simulação.

Se o botão de descarga é selecionado, os dados estatísticos periódicos serão apagados da memória a cada intervalo de tempo.
Supõe-se que o usuário tenha selecionado para armazenar as estatísticas periódicas necessárias em alguma outra maneira, como em
arquivos ou um banco de dados, ou ativando o botão de saída Store. O propósito da opção embutida é economizar memória durante a
execução da simulação. No entanto, quando a opção nivelada foi activada, não é possível visualizar as estatísticas periódicas atuais
através do comando 'Relatórios / Corrente / Relatório de Estatísticas', nem para mostrar parcelas de tempo através do comando 'Plot
Relatórios / Relatório Atual / Time'.

Saída da loja: O usuário pode especificar se ou não um arquivo de saída ou base de dados contendo os resultados estatísticos deve ser

produzido automaticamente durante a execução da simulação. As medidas estatísticos são apresentados em vários níveis de agregação:

• Sistema: estatísticas relativas a toda a rede.


• Secções: estatísticas para cada secção individual e, opcionalmente, para cada movimento de rotação.
• O / D Matrix: estatísticas para S / pares centroid D
• Streams: estatísticas para cada fluxo (conjunto de secções consecutivas).
• Transporte público: estatísticas para cada linha de transporte público.

Há também a opção de produzir os TRANSYT / 10 índices de desempenho padrão.

GETRAM v4.2 Introdução 85


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

O usuário também pode especificar se as estatísticas recolhidas devem ser discriminadas por tipo de veículo. Finalmente, o utilizador pode
solicitar dados de desvio para todas as medições, caso contrário apenas os valores médios para todas as medições são fornecidos.

O botão 'Output Store' só é usada para a criação automática de arquivos de saída ou bases de dados. Isto significa que se
o usuário optou por 'reunir estatísticas', seja periódica ou Global, será possível visualizar os resultados estatísticos durante
ou no final da simulação prazo. Isto pode ser feito através da interface de usuário, independentemente de haver ou não o
'Output Store' foi ativado.

Seções: o usuário deve especificar as seções desejadas na pasta aba 'Seções' (veja a Figura 8-23) usando qualquer um dos seguintes
botões de alternância:

• Todos: estatísticas para todas as partes da rede será impressa.


• Entradas: estatísticas para as seções de entrada só será impressa.
• Sai: estatísticas para as seções de saída só será impressa.
• Seleção: o usuário pode selecionar uma lista de seções, clicando sobre eles diretamente na representação gráfica da rede.
Somente estatísticas para estas secções serão impressos. informações seção pode ser detalhada para cada transformando
clicando movimento no botão de alternância 'Liga'.

janela de diálogo definição Estatística - seções: Figura 8-23

O / D Matriz: O utilizador pode especificar a origem e / ou centroides de destino para o qual a geração de dados estatísticos através da pasta
separador 'O / D Matrix' (ver a Figura 8-24). Os quatro seguintes botões de alternância são fornecidos:

• Origem: O / D estatísticas são listados por centróide origem.


• Para Todos: este é utilizado em conjunto com o botão Origem de alternância. Para cada centróide de Origem, os dados são divididos em
todas as centroids destino possíveis.

• Destino: O / D estatísticas são listados por centróide destino.


• De tudo: este é usado em conjunto com o botão de alternância de destino. Para cada centróide destino, os dados são
fornecidos para todos os centroids possível origem.

GETRAM v4.2 Introdução 86


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-24: Statistics Definição de diálogo Janela - O / D Matrix

Também é possível selecionar as estatísticas que recolhem para um jogo ou todos os pares O / D possíveis. Clicando sobre os 'pares' e no
'All' botão de alternância irá fornecer medições estatísticas para cada par O / D. No entanto, o usuário tem que ser cuidadoso ao escolher esta
opção por causa da enorme quantidade de dados pode produzir. Para evitar isso, o usuário pode selecionar um conjunto de pares O / D,
clicando no botão de alternância 'Seleção' e, em seguida, a escolha de um conjunto de pares.

streams: Ao selecionar o nível de córregos, o usuário pode especificar um conjunto de fluxos através da pasta guia 'Streams' (veja a
Figura 8-25), clicando primeiro na caixa de lista na qual os nomes dos fluxos disponíveis são apresentados. Fazendo isso destaca o
nome. Somente estatísticas para os fluxos selecionadas serão impressas.

Figura 8-25: Janela de diálogo definição Estatísticas - Streams

Transporte público: A pasta guia 'PT Lines' (veja a Figura 8-26) permite ao usuário especificar se deseja imprimir as estatísticas para todas
as linhas de transporte público, ou para imprimir estatísticas para um subconjunto seleccionado apenas, apenas clicando no botão de
alternância apropriada.

GETRAM v4.2 Introdução 87


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

janela de diálogo definição Estatística - Transportes públicos: Figura 8-26

Quando 'PT linhas selecionadas' é escolhido, selecione as linhas clicando na caixa de lista contendo os nomes das linhas PT
disponíveis. Fazendo isso destaca o nome. Somente estatísticas para as linhas de transporte público selecionado será impresso.

Índices TRANSYT / 10 Performance: Quando o 'TRANSYT Pred.' Alterne o botão for selecionado, as TRANSYT / 10 índices
de desempenho são fornecidos como saída de simulação. Veja a GETRAM- TRANSYT / 10 Interface de manual para detalhes.

Detecção: Se a rede contém detectores de tráfego, o usuário pode escolher o modelo de detecção de aplicar utilizando o
comando 'Experiment / saída / Detecção'. Para modelar Detecção Comum, clique no botão de alternância do 'Detecção
agregado' na janela 'Detection', como mostrado na Figura 8-27. Um intervalo de tempo de detecção pode então ser definido
(horas: minutos: segundos). Este parâmetro representa a frequência de saída de detecção de produção Files. Se o modelo
de rede inclui detectores, mas botão de alternância do 'agregado Model' não estiver selecionada, a simulação só vai
considerar os detectores para o tipo ETCMS Detecção Modelo e, portanto, dados de detecção só será acessível através
das funções GETRAM extensão.

Finalmente, os dados de saída de detecção pode ser impresso para arquivos ASCII ou para um banco de dados, impressas ou não em
tudo. Isso também é definida através da janela de diálogo 'detecção', selecionando 'Imprimir Out' Sim / Não. Se nenhuma impressão é
seleccionada, os dados de detecção de agregados só será acessível através das funções GETRAM extensão. Se a opção de impressão é
definido como 'Sim', a opção 'embutida' não é mais acinzentado. Ativando 'resplendor' significa que nenhum dado de detecção é
armazenado na memória, mas apenas impresso. Neste caso, não seria possível ver Plots Tempo de Detecção através do comando
'Relatórios / Corrente Gráficos / Tempo Plot'.

O conteúdo de arquivos de saída de detecção depende da capacidade de medição dos detectores. Existe uma linha de dados
para cada detector, que contém o identificador do detector e a lista de medições recolhidas.

GETRAM v4.2 Introdução 88


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 8-27: Detecção janela Modelo

caminhos: ou não para produzir dados estatísticos agregados de acordo com os caminhos da origem ao destino centroids.

- Caminho de Dados: Para cada caminho mais curto calculados, a definição de caminho (identificador, o seu tempo de cálculo, todas as
seções que o compõem, etc) e as estatísticas de caminho (o número de veículos chegou e o tempo médio de viagem).

- Os custos passados: O custo de cada arco para cada intervalo de escolha de rota. Esta saída é gerado somente quando a saída é
armazenada numa base de dados.

O usuário tem de activar os 'custos Salvar Arc em DB' botão de alternância ou 'Reunir Caminho de Dados' (via o comando 'Experiment /
Output / Paths'). As estatísticas caminho pode então ser gerado considerando o intervalo escolha de rota ou o intervalo de estatística.
Uma vez que o intervalo é selecionado, o usuário tem que selecionar 'todos' pares OD ou uma seleção deles. Esta seleção pode ser feita
por escrito o identificador centróide ou utilizando o botão Procurar. '*' É tratado como um identificador especial e isso significa que todos
os centroids, quer de origem ou destino. Por exemplo, na figura 8-28 o utilizador tenha seleccionado '03/02', '* / 4' e '05/04'. Neste caso, o
usuário deseja armazenar todos os caminhos que tenham qualquer centróide como origem e centroid 4 como destino, todos os caminhos
de centroid 2 a centróide 3, e todos os caminhos de centroid 4 a centroid 5.

GETRAM v4.2 Introdução 89


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 8-28: Passagens de saída janela de diálogo

8.3.3 Modelos ambientais

AIMSUN fornece dois modelos ambientais, ou seja, o consumo de combustível e Modelos Poluição de emissão. Os modelos
ambientais são seleccionados automaticamente por padrão, sempre que os dados correspondente é definido na biblioteca
de modelos de veículos. O nome do modelo selecionado será exibido na área de informação na parte inferior da janela
principal. O usuário pode optar por ativar ou desativar qualquer modelo antes de executar o experimento de simulação. Isto
é feito através do menu alargado mostrando a lista de modelos ambientais que aparece quando você selecionar a opção '/
Experiment modelos ambientais' comando.

Saída produzida pelo modelo de consumo de combustível para os diferentes níveis de agregação é a seguinte:

• Para toda a rede, a distância total percorrida (em km) por todos os veículos tendo terminado sua viagem e o combustível
total consumido por todos eles, em litros.
• Para cada seção e de viragem, o km total percorrida por todos os veículos que tenham atravessado essa seção e o combustível
total consumido por todos eles, em litros.
• Para cada rota, a distância total percorrida (em km) por todos os veículos que seguiram esse caminho e o combustível total
consumido por todos eles, em litros.

AIMSUN pode modelar as emissões de poluentes para todos os veículos na simulação. Tal como no modelo de consumo de
combustível, o estado do veículo (marcha lenta, cruzeiro, aceleração ou desaceleração) e a velocidade do veículo / aceleração é
utilizado para avaliar a emissão a partir de cada veículo para cada

GETRAM v4.2 Introdução 90


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

passo da simulação. Isso é feito por referência a tabelas de consulta para cada poluente, que dão emissões (em g / s) para cada
combinação relevante de comportamento do veículo, velocidade / aceleração. Existem diferentes conjuntos de tabelas de consulta
para cada tipo de veículo e para cada poluente. No momento, um máximo de três poluentes são considerados, correspondendo aos
três poluentes mais utilizados (monóxido de carbono, óxidos de azoto e hidrocarbonetos não queimados), mas o usuário pode
adicionar seu / sua própria.

Saída produzida pelo modelo de poluição para os diferentes níveis de agregação é:


• Para toda a rede, a distância total percorrida (em km) por todos os veículos que tenham terminado a sua viagem, e os
quilogramas de cada poluente emitida por todos eles.
• Para cada seção e de viragem, o km total percorrida por todos os veículos que tenham atravessado essa seção, e quilogramas
de cada poluente emitida por todos eles.
• Para cada rota, a distância total percorrida (em km) por todos os veículos que seguiram esse caminho, e quilogramas de
cada poluente emitida por todos eles.

8.4 Exercício 14

• No Windows:

- ir para 'Start'
- selecione 'Painel de Controle'

- abertas 'Ferramentas administrativas'

- aberto 'Fontes de dados (ODBC)'


- pelo usuário DNS clique em 'Adicionar'

- na nova janela de diálogo olhar para o 'Microsoft Access Driver', selecione-o e clique em 'Concluir'

- na nova janela de diálogo, selecione c: \ tmp \, anote 'GetramDB' como o nome do banco de dados e clique em 'Criar'

- Windows deve notificá-lo sobre o êxito da criação do banco de dados


• Abrir AIMSUN
• carga (F) a ( c: / arquivos de programas) TSS-Transport Simulação de Sistemas / getram / dados / samples / example rede

• carga (F) o uno_sim recipiente resultado


• na janela aberta, selecione os estados 00h00m e 00h30m
• aperte o Carga botão
• carga (F) os planos de controlo Plan1 e plan2:
Select Plan1

Select plan2 sem desmarcar Plan1

Definir o tempo para a sua activação em 00:30:00 (write '30' na janela do meio do tripleto e pressione ENTER)

- pressione o botão Load. Defina os seguintes

parâmetros de simulação:

• Run Time: Escrever '5' em janela de texto da 'ata linha de período de aquecimento'

• Modelagem de diálogo:

- Geral: Alterar o 'tempo de reação na paragem' para 1.35 segundos


- Carro seguir:
no caso de ele não estiver ativado, clique na alternância para ativar o 'Aplicar 2 lane Car

GETRAM v4.2 Introdução 91


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Seguinte opção Model'


alterar o 'Max velocidade Diferença' a 40 km / h (25 mph ou) alterar o 'Diferença máxima de
velocidade na rampa' a 60 km / h (56 mph ou)
- Pista Mudança:
alterar o 'por cento de ultrapassagem' para 0,94
alteração do 'cento recuperar' a 0,98
- pressione o botão 'Save'
- pressione o botão 'OK'
• Local de saída:
- Selecionar 'para ODBC banco de dados'

- clique no membro da lista que se torna acessível para visualizar todos os bancos de dados ao PC
- da lista de bancos de dados escolher o que você acabou de criar: GetramDB
- clique em 'Save'
- clique em 'OK'

• Estatisticas:

- verifique se o simulador vai reunir estatísticas a cada 5 minutos e que vai gerar um relatório com
estatísticas do sistema, as seções e os fluxos
- vá para a pasta 'seções' na janela de diálogo
- verificar se as estatísticas das seções incluirá uma seleção de seções: secções 7,
8, 22 e 23
- vá para a pasta 'correntes'
- verifique se as estatísticas dos fluxos será de 'uno (um)' fluxos e 'dos ​(dois)'
- clique em 'Save'
- clique em 'OK'

• Detecção:
- verifique que o simulador irá enviar estatísticas detector a cada minuto, mas que irá gerar nenhuma impressão
(será possível consultar as medidas de detecção durante a simulação, mas que os dados não serão guardados
para ocasiões futuras)

• Menu de arquivo:

- selecionar salvar cenário

- escreva example_result como o nome para o cenário

• Executar Menu: Selecione o Pare em… opção (Run) Na janela aberta, selecione o Parar No Tempo alternar (isso
ativa as janelas de edição) e anote 00:20:00.

8.5 Executando a simulação

Uma vez que uma rede e um resultado de tráfego (ou uma matriz OD) foram carregados (o plano de controlo é opcional) a simulação
está pronto para ser executado. Agora a opção Corre na barra de menus eo Toque botão na barra de ferramentas inferior aparecerá
ativa (aparece desactivado antes de carregar a rede e os dados de demanda de tráfego). Para executar a simulação com a exibição
animada, selecione o Corre
opção (Para ver os veículos individuais em movimento, certifique-se que a escala é definida para um valor inferior a 1: 3000 ou
apenas selecionar o comando Mínimo Carros Escala ( V)), ou clique no Toque botão ou pressione <Control> <R>. A simulação pode
correr mais rápido em 'modo de lote', que significa sem a

GETRAM v4.2 Introdução 92


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

animação. Isso pode ser feito selecionando a opção batch ( Executar) ou clicando no avanço rápido
botão ou pressionando as <Control> <B> chaves. Você pode mudar de um modo para o outro a qualquer momento,
selecionando o comando de menu apropriado, clicando no ícone de ferramenta apropriada na parte inferior da janela ou
pressionando a combinação de teclas adequada. A simulação irá parar quando o comando Pare ( Executar) seleccionado (ou
premindo <Controle> <S>, ou clicando no
Pare botão), e vai começar de novo a partir desse mesmo ponto quando Corre ou fornada são escolhidos novamente. Ele vai parar
completamente quando o relógio da simulação chega ao fim do tempo de simulação. Outra opção útil é a do controlador de
velocidade. Em computadores rápidos e / ou pequenas redes, a simulação pode correr muito rápido, a velocidade de deslocamento na
barra de ferramentas inferior dá-lhe a opção de ajustar a velocidade da simulação de tempo real para a capacidade máxima do
computador. A última ferramenta é a de executar uma única etapa de simulação. Isto é conseguido seleccionando o degrau

opção do corre menu ou pressionando o <Control> <Z> combinação de teclas ou clicando no


degrau botão (aquele entre Pare e Toque) na barra de ferramentas inferior.

8.5.1 Replications ...:

janela de diálogo para definir uma semente para o gerador de números aleatórios ou para programar a execução
automática de vários experimentos de simulação ou repetições. Pressione o botão 'simular' que se torna ativa quando o
número de repetições e suas sementes aleatórias foram definidas.

8.5.2 Correndo AIMSUN de uma linha de comando DOS

AIMSUN pode ser executado directamente a partir de uma MS-DOS comando. Você tem as seguintes opções:

1) Inicie AIMSUN e carregar um cenário:

c: \ ... \ GETRAM v4.2 \ AIMSUN c: \ scenario_path \ scenario.sce

2) Inicie AIMSUN, carregar um cenário e executar a simulação em modo Run: c: \ ... \ GETRAM v4.2

\ AIMSUN -run c: \ scenario_path \ scenario.sce

3) Inicie o AIMSUN, carregar um cenário e simulação executado no modo batch: c: \ ... \ GETRAM

v4.2 \ AIMSUN -batch c: \ scenario_path \ scenario.sce

Tudo isso leva em conta o fato de que c: \ ... \ GETRAM v4.2 \ significa o diretório onde aimsun.exe está
localizado, e c: \ scenario_path \ é a pasta onde o cenário chamado 'scenario.sce' está localizado .

Ao executar o simulador AIMSUN na modalidade de grupo a partir do console MS-DOS, se o simulador detecta que várias
repetições são definidos em arquivos de parâmetros, eles serão executados automaticamente.

Detalhe 8.5.3 Vehicle

Na animação 2D, os veículos podem ser desenhadas em dois diferentes níveis de detalhe: Baixo detalhe e detalhe alto. Desenho
veículos com detalhe alto diminui a velocidade da animação. Se você escolher baixo detalhe, veículos serão desenhados como
retângulos, caso contrário, serão desenhadas como veículos mais realistas (ver figura 8-29).

Há seis modelos gráficos de veículos realistas: carro, van, caminhão, ônibus, bicicletas e pedestres. Cada tipo de veículo tem um
modelo atribuído. Por padrão, se o veículo é definida como o transporte público, o modelo de ônibus é usado; nos outros casos, o
modelo é designado de acordo com o comprimento do veículo:

GETRAM v4.2 Introdução 93


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

• > = 10m caminhão

• 5m <= .. <10m furgão

• 1.5m <.. <5m carro

• 0.5m <.. <= 1,5m bicicleta ou moto


• <= 0,5m pedestre

O usuário pode mudar esta situação e definir seus / suas próprias atribuições na caixa de diálogo Preferências (menu Exibir).

A Figura 8-29: animação de simulação. Veículos detalhe alto

8.1.2 Smoother Animation

A frequência parâmetro redesenhar (Run Time de diálogo) tem duas interpretações: Para um número inteiro maior do que
zero (m), a rede irá atualizar a animação a cada m ciclos de simulador (realização de uma execução mais rápida). 1 / n (n>
0) irá actualizar a rede n vezes por ciclo simulador (realizando uma animação mais suave).

8.6 Exibição das estatísticas

Além da exibição animada da simulação, AIMSUN também saídas medidas estatísticas numéricos, tais como o fluxo, a velocidade, a
densidade, o tempo de viagem, tempo de atraso, etc. Estas variáveis ​podem também ser representados graficamente.

8.6.1 Streams

AIMSUN fornece a opção de definir fluxos como um conjunto de seções. A utilidade desses fluxos é que é então possível
também obter estatísticas como um todo para o conjunto de seções que a partir do fluxo.

Streams são definidos usando a janela de diálogo fluxos e selecionando-desmarcando as seções pertencentes à corrente
editada clicando sobre eles.

GETRAM v4.2 Introdução 94


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 8-30: Fluxos

8.6.2 Relatórios

Para exibir um relatório dos resultados estatísticos obtidos para o experimento de simulação atual, clique no Relatório Atual /
Estatística ( Rep) de comando. Você só será capaz de fazer isso se a simulação não está em execução. o Relatório de
estatísticas janela aparece, como mostrado na Figura 8-31.

Figura 8-31: Statistics relatar informações

O formato desejado da informação estatística é selecionado a partir desta janela exatamente da mesma

GETRAM v4.2 Introdução 95


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

forma que a saída está configurada nas pastas que partilha com o Estatisticas opção de menu (secções, OD Matrix, Streams, linhas
PT) (secção 8.3). As acções estatísticas que podem ser representados de acordo com dois tipos de período de tempo:

Globais: dados estatísticos recolhidos a partir do início até o final do experimento de simulação. Periódica: dados estatísticos recolhidos ao

longo períodos de tempo definidos pelo usuário Selecione global ou periódico clicando no botão de alternância apropriada no Relatório de

estatísticas
janela. Ao selecionar periódica, a lista com os diferentes períodos de tempo torna-se ativo e você pode selecionar um período,
clicando sobre ela.

As acções estatísticas que são apresentados em vários níveis de agregação: Sistema:

Statistics para toda a rede. Seções: Estatísticas para cada seção individual. S / D da matriz:

Statistics

Streams: Statistics para os fluxos seleccionados entre os que foram definidos (ver secção 7.1.1). PT Lines: Statistics para

linhas de transporte público.

Para selecionar as estatísticas de nível de sistema, pressione o botão e o 'Relatório do Sistema' Relatório Global sistema
janela será exibido, como mostrado na Figura 8-32 (desde que se tenha seleccionado previamente âmbito global).

Figura 8-32: Sistema janela Relatório Global

A informação que tem de ser especificado no caso de informação estatística para seções é: Seções: para quais seções você
deseja obter resultados (todos, entradas, saídas ...) Turnings: se deseja ou não que a informação seção a ser detalhado para
cada ciclo. Na Figura 8-33, os dados para o período de dois minutos executando 8:00:00-09:00:00, discriminado por tipo de
veículo, foi escolhido para uma variedade de secções (com os ID de 1, 7 , 9 ...). As seções são selecionados pelo desmarcada,
clicando sobre eles. Pressionando o botão OK produz a seguinte janela:

Figura 8-33: Seção Relatório

GETRAM v4.2 Introdução 96


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A próxima pasta está relacionada com as estatísticas sobre os pares origem-destino. Novamente, você tem um conjunto de opções
diferentes. No caso da figura 8-34, de selecção apenas três pares foi escolhido (pares de 1-5, 2-6, e 7-4). Os pares podem ser
selecionados por escrevê-las nas janelas de edição na parte inferior da pasta ou abrindo o navegador e clicando em pares que lhe
interessam.

Figura 8-34: Seleção de pares S / D

O resultado de pressionar o botão OK é mostrado na figura 8-35 na próxima página:

Figura 8-35: Seleção relatório par

GETRAM v4.2 Introdução 97


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A pasta cobrindo córregos, consiste em selecionar os fluxos de juros e pressionar o botão OK. Na figura 8-36 e 8-37
figura vemos corrente 'dos' selecionado e o resultado de pressionar o botão OK.

Figura 8-36: Seleção streams

Figura 8-37: Seleção Relatório de fluxo

8.6.3 estatísticos gráficos

Outra possibilidade é a de ver um gráfico da evolução de uma variável de tráfego ao longo do tempo.

A Figura 8-38: exibição gráfica de dados estatísticos

GETRAM v4.2 Introdução 98


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 8-39: exibição gráfica de dados estatísticos

Figura 8-40: representação variável toda a rede

Isto é feito selecionando o Gráficos atuais opção (Rep). Isto oferece-lhe duas opções, uma trama de tempo ou uma visualização da rede
inteira. o enredo tempo permite que você clique com o botão selecionar os identificadores das seções que deseja ser representado (figura
8-41) e, em seguida, para ver a evolução no tempo de uma magnitude tráfego específico durante a simulação (figura 8-39). Até nove seções
podem ser selecionados desta maneira. Você também pode selecionar a variável que você está interessado em uma das seguintes opções:
fluxo, velocidade, densidade, tempo de viagem, tempo de atraso, parar o tempo, pare número, comprimento da fila

GETRAM v4.2 Introdução 99


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

comprimento máximo e a fila média. Você, então, pressione o botão 'Monitor' e o gráfico de tempo é exibido (figura 8-39).
o toda a rede opção nos permite escolher uma determinada variável tráfego e obter uma coloração de toda a rede de
acordo com os valores dessa variável para cada seção (figura 8-40).

Figura 8-41: Janela de diálogo Gráfico

8.6.4 ferramenta de validação AIMSUN

A ferramenta de validação podem ser encontrados no comando Validação da barra de menus da interface gráfica AIMSUN. O
menu Validação tem dois comandos: Banco de Dados e Gráficos. A ferramenta de validação permite a comparação de dados
de dados e detector estatísticos recolhidos durante repetições anteriores na forma de parcelas de séries temporais e variáveis
​estatísticas. As repetições pode ser o resultado de uma única simulação, um cálculo da média de um conjunto de repetições, ou
interpretado como o de dados real. A única exigência é que todas as repetições que o usuário deseja comparar devem ser
armazenados no mesmo banco de dados. Para adicionar os dados reais e, em seguida, usar a ferramenta de validação para o
comparar com dados simulados, você deve adicionar os dados reais como uma nova replicação no banco de dados, de modo
que o formato dos dados reais coincide com as tabelas que AIMSUN gera.

O primeiro passo é selecionar o banco de dados, acessando o '/ banco de dados de validação ...' menu. No caso em que o banco de
dados selecionado pelo usuário requer autenticação, o usuário pode digitar o nome de usuário e senha.

GETRAM v4.2 Introdução 100


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 8-42: diálogo banco de dados Validação

O usuário pode, em seguida, selecione o menu 'Charts', onde uma lista de todas as repetições armazenados no banco de dados
selecionado é exibido. Para cada replicação da lista exibe um identificador, a data de assinatura e seu tipo (simulado, média ou real).
O usuário tem que selecionar o conjunto necessário de repetições. Depois disso, o usuário decide se as parcelas tempo estão
relacionados com dados estatísticos a partir de secções ou detectores, e em seguida, seleciona o identificador do elemento, seção
ou detector, clicando diretamente no elemento na tela de rede, usando o botão do navegador, ou escrevendo no identificador
diretamente.

Figura 8-43: Validation Tool

A variável a ser plotados podem ser selecionados usando o menu de opções 'variável'. Você, então, clique no botão Exibir e o
sistema desenha o enredo tempo. Cada janela de diálogo Plot Tempo tem o seu próprio menu de opções 'variável', o que
significa que a variável selecionada pode ser alterada a qualquer momento. Quando o utilizador selecciona o botão de
alternância 'coeficientes Calcular', o sistema exibe o seguinte para cada replicação: tamanho da replicação (N), o desvio médio
e do desvio padrão. Se houver apenas duas repetições, ele mostra o erro Mean Square, o coeficiente de determinação e
coeficiente de Theil (U, Um, Uc e EUA).

GETRAM v4.2 Introdução 101


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

A Figura 8-44: Comparando dois conjuntos de dados

GETRAM v4.2 Introdução 102


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

9 Outras utilidades AIMSUN

O experimento de simulação simples descrito no capítulo 7 deveria ter familiarizar-lo com as características básicas de AIMSUN.
Mas o simulador oferece muitas outras possibilidades interessantes, que podem ser classificados em dois grupos: análise de
simulação e variabilidade simulação dinâmica. O uso desses recursos não será explicado em detalhes aqui. Eles, no entanto, ser
delineado para que o usuário vai estar ciente de sua existência e referem-se ao Manual do usuário para mais informações em
profundidade.

Análise 9.1 Simulação

9.1.1 Vehicle Coloring

Esta opção do vista do menu permite que diferentes cores a serem atribuídas aos veículos de acordo com: o tipo de veículo cada

veículo pertence

o movimento de rotação que um veículo planeja tomar no próximo nó (Figura 9.1) o centróide origem que gerou o veículo
(simulação baseada em rota) o centróide de destino para o qual o veículo é dirigido (simulação baseada em rota) se o
veículo é perdeu (perdeu o seu caminho sob uma simulação usando uma matriz OD) ou não a última opção (Seção ...) só é
ativado quando a simulação começou, e permite que os veículos em uma polysection inteiro para ser colorido de acordo
com a sua origem / destino ( Figura 9-2). Selecione o desejado botão de alternância, origem ou destino, e depois clique em
uma seção e os veículos presentes nessa seção serão coloridas de acordo com sua procedência ou destino centroids. Se o
usuário seleciona uma seção que pertence a um polysection, veículos de todo o polysection são coloridos por suas origens
/ destinos

a linha de ônibus que um veículo de transporte público pertence (se o transporte público foi incluída no modelo).

As diferentes opções são exclusivos. Apenas uma pode estar ativa em um determinado momento. O usuário pode definir o
conjunto de cores através do comando 'View / Preferences'. Lembre-se de abrir o
lenda window (Win), a fim de ver o significado de cada cor.

GETRAM v4.2 Introdução 103


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 9-1: Ligando corantes dependentes

A opção 'View / Vehicle Coloring / Seções' é utilizado para visualizar a origem ou o destino centroids para todos os veículos que
estão em uma seção ou polysection específico. Uma janela solicitando que o usuário clique na seção desejada aparecerá (ver
figura 9-2).

Figura 9-2: veículos Cor em uma seção de origem ou de destino

9.1.2 Preferências

o preferências ( Ver) de diálogo tem três categorias: cores, fundos e formas. 'Cores' permite ao usuário personalizar as cores a
serem utilizadas para desenhar certos objetos. 'Fundos' é selecionar algumas preferências sobre imagens de fundo.
Finalmente, 'Formas' é selecionar o formato a ser usado para desenhar cada tipo de veículo. Ao selecionar um elemento da
área de Categoria, as preferências deste elemento são mostrados. cores

Por padrão, o simulador propõe uma paleta de 20 cores que o usuário pode mudar a qualquer momento. A categoria 'Cores'
está subdividida em quatro subcategorias: tipo de veículo, centróide Linha PT e padrão. A subcategoria 'Default' fornece acesso
à paleta de cores padrão. Os outros três permitir que você selecione o conjunto de cores para representar os objetos em cada
subcategoria sempre que subcategoria é escolhido como os parâmetros de coloração para os veículos da rede. No caso de

GETRAM v4.2 Introdução 104


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

'Centróide' e 'PT Linha', as linhas ou centroids a cor tem que ser seleccionado por 'permitindo' los (clique do mouse na
sua posição na coluna 'Ativar').

Figura 9-3: Preferências: Centróides coloração

9.1.3 Exibindo número de veículos

Esta opção no Visão menu permite-lhe visualizar informações sobre o número de veículos de cada tipo que está a conduzir actualmente
na rede. Quando esta opção é seleccionada, a janela de diálogo apresentada na Figura 9-4 é apresentada. Se esta janela for deixada
aberta enquanto a simulação estiver em execução, os dados na janela de diálogo será atualizado continuamente em cada passo da
simulação.

Figura 9-4: Número de veículos janela de diálogo

O Número de diálogo Veículos mostra o número de veículos que estão à espera em filas virtuais para entrar na
rede, o número de veículos que estão atualmente na rede, o número de veículos que já deixaram a rede, o
número de veículos perdidos que Atualmente na rede, eo número de veículos perdidos que não deixaram a rede
desde o início da simulação (se o modo baseado em rota está sendo usado).

9.1.4 Exibindo Veículos Atributos

O usuário também pode obter informações detalhadas sobre um determinado veículo, basta clicar duas vezes sobre ele. A janela de
diálogo veículo irá então aparecer e o veículo será realçado com uma cor diferente (ver Figura 9-5). Isso só pode ser feito quando a
execução da simulação foi interrompido. Agora, se o modelo é executado após a abertura da janela de diálogo do veículo, a
informação dinâmica contidas nesta janela de diálogo é atualizado continuamente, enquanto a simulação é executado até que o
veículo sai da rede.

GETRAM v4.2 Introdução 105


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 9-5: Janela de diálogo informações do veículo

Também é possível controlar o veículo usando uma continuamente rolagem vista automática, rede. Isso é feito
clicando no botão de alternância do 'seguir'. o Remover botão faz com que o

GETRAM v4.2 Introdução 106


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

veículo para ser removido da rede.

9.1.5 Mostrar filas virtuais

Quando você selecionar a opção Mostrar fila virtual do Visão menus, um sinal de trânsito aviso aparecerá em todas as
secções que têm filas de entrada (veja a figura 9-6). Clicando duas vezes em um desses triângulos irá abrir uma janela
de diálogo que mostra o número de veículos, detalhada por tipo de veículo, da fila da seção.

Figura 9-6: Limites de velocidade de exibição

9.2 ACESSO A INFORMAÇÕES ADICIONAIS


O menu 'Janela' contém um conjunto de comandos usados ​para gerenciar janelas de informação adicionais.

GETRAM v4.2 Introdução 107


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

9.2.1 Mostrar Informações Cenário

Figura 9-7: Janela de informações Cenário

Esta janela contém os nomes dos componentes incluídos no cenário atual, apenas no caso de você deseja chamar um deles.
Estes são: rede, resultado de tráfego (incluindo os estados) ou matriz O / D, distribuição chegadas, opções de inicialização,
lista de plano de controle e cronograma, plano de transportes públicos, os modelos ambientais e GETRAM extensão DLL do.

Durante a simulação, uma seta indica o estado eo plano de controle de tráfego que está ativo naquele momento.

9.2.2 Mostrar legenda

Dependendo da opção de exibição, seleccionados a legenda irá mostrar-lhe a gama de cores para as densidades, as cores
dos tipos de veículos, ou a cor de identificação da origem ou destino centroids. A Figura 9-8 mostra os diferentes tipos de
lendas.

Figura 9-8: Janela Legend

9.2.3 Mostrar a Janela Log

Esta janela de diálogo contém as mensagens de aviso que foram emitidos durante a sessão AIMSUN atual.

GETRAM v4.2 Introdução 108


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 9-9: Ligação janela de diálogo

9.2.4 Abertura um objecto

Clicando duas vezes em um objeto abre sua janela associada, onde tudo sobre ele é exibido. Um exemplo
disto é mostrado na figura 9-10.

A Figura 9-10: Aberto junção

9.2.5 Mostrar os objectos

O comando 'Ver / Mostrar os objectos' é para selecionar quais objetos para exibir na tela e se deve ou não exibir
seus identificadores e ou seus nomes. Ele funciona da mesma forma como recurso de TEDI (seção 3.4). É possível
visualizar os veículos sobre o fundo, com as seções e cruzamentos escondidos.

GETRAM v4.2 Introdução 109


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

GETRAM v4.2 Introdução 110


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

10 calibração e validação dos modelos AIMSUN

10.1 Metodologia para construção de modelos de simulação

A Figura 10-1 mostra o diagrama do processo metodológico de um estudo de simulação, que geralmente consiste nas
seguintes etapas:

1. Formular o problema e planejar o estudo: identificar a natureza do problema e os requisitos para encontrar uma
solução.
2. Coletar dados e formular o modelo: adquirir evidência empírica (processo de aquisição de conhecimento) sobre o
comportamento do sistema para formular hipóteses, e traduzi-las em termos de representação formal que constitui o
modelo do sistema.
3. Verifique se o modelo construído é uma representação válida do sistema para fins de estudo, ou seja, verificar se
as respostas dadas pelo modelo com o “e se ...?” Perguntas pode ser aceite como válido.

4. Traduzir o modelo formal em termos de um programa de computador


5. e 6. Verifique se o modelo de computador executa corretamente, ou seja, é livre de erros e fornece resultados aceitáveis.

7. Identificar os fatores de design que traduzem as perguntas “e se ...?” Em termos de experimentos de computador. Especificar
os procedimentos de amostragem experimentais para reunir os dados para a análise estatística que irá fornecer as respostas
esperadas.
8. e 9. Realizar os experimentos de simulação no computador e analisar os resultados.

Formular o problema e
1 planejar o estudo

Recolha de dados e
2
definir um modelo

Não

3 Válido?

Sim

Construir um programa de
4
computador e verificar

5 Faça corre-piloto

não

Válido?
6

sim

7 design Experiments

Faça corridas de produção


8

9 Analisar dados de saída

Figura 10-1: Etapas de um estudo de simulação

GETRAM v4.2 Introdução 111


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

O processo de aquisição de conhecimento também pode ser interpretado em termos de uma abstração do mundo real, o sistema
natural em estudo, levando em primeiros termos de uma representação primária do sistema ou modelo conceitual. Este modelo
conceitual pode ser objeto de um exercício de validação primário, a fim de verificar se todos os principais componentes do sistema
estão sendo levados em consideração, e estão adequadamente representados em termos de seus atributos. Isto significa um
refinamento no sentido da validação. A validação é, por conseguinte, uma actividade que deve ser realizado em cada passo do
processo, e não apenas no fim.

Modelos de computador devem ser eles próprios objectos de verificação, verificação de que o modelo de computador está livre de erros,
e validação, ou seja, a verificação de que o modelo de computador faz o que se espera que ele deve fazer.

Transformação

CONCEPTUAL modelo de
MODELO computador

Validação

Abstração Validação Verificação Implementação

SISTEMA COMPUTE
NATURAL SOLUÇÃO
Validação
(Experimentação)

Figura 10-2: etapas metodológicas detalhadas do processo de construção do modelo e da utilização

O modelo de computador livre de erros podem ser implementados e executados para fornecer as soluções que serão o objeto da
última verificação. Este último exercício de verificação consiste, muitas vezes, da comparação com a situação do mundo real
observado. O modelo de computador validados, então, tornar-se o “laboratório” para a realização de experimentos de simulação
que, adequadamente projetados, vai responder às perguntas, muitas vezes “e se ...?” Perguntas sobre o comportamento do
sistema sob as várias alternativas de projeto que configuram os cenários experimentais.

10.2 O processo de validação: construção de modelos de simulação válidas e credíveis

• Verificação: consiste na determinação de que um programa de computador executa simulação como pretendido, ou seja, a depuração do
programa de computador.
• Validação: está preocupado com a determinar se o modelo de simulação conceitual (em oposição ao programa de
computador) é uma representação precisa do sistema em estudo. Se um modelo é válido, então a decisão tomada com o
modelo deve ser semelhante aos que seriam feitas por experimentar fisicamente com o sistema (se isso fosse possível) O
teste mais definitivo de validade de um modelo de simulação é estabelecer que seus dados de saída de perto assemelham-se
os dados de saída que seria esperado a partir do sistema. Se os dados de saída de simulação comparam favoravelmente
com os dados de saída do sistema, em seguida, o modelo pode ser considerado “válido”.

Validação significa o processo de testes que o modelo que realmente representam uma alternativa viável e

GETRAM v4.2 Introdução 112


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

significa alternativa útil para a experimentação real. Isso requer o exercício de calibração do modelo, isto é, ajustando os parâmetros
do modelo até que concordam os dados de saída, resultando em estreita colaboração com o sistema de dados observados. Devemos
nos perguntar se este processo produz um modelo válido para o sistema, em geral, ou se o modelo é único representante do conjunto
particular de dados de entrada. Para responder a esta pergunta corretamente, o analista deve usar dois conjuntos independentes de
dados, um para calibração e outra para validação. O primeiro conjunto deve ser usado para calibrar os parâmetros do modelo, e o
segundo conjunto para executar o modelo calibrado e depois validar o modelo calibrado comparando os dados de saída para o
segundo dados do conjunto.

10.2.1 Específicos para a validação de modelos de simulação de tráfego

No caso dos sistemas de circulação, o comportamento do sistema real é geralmente definidas em termos de variáveis ​de tráfego,
fluxos, velocidades, ocupações, comprimentos de fila, e assim por diante, que podem ser medidos com detectores de tráfego em
locais específicos na rede rodoviária . Para validar o modelo de simulação do tráfego do simulador deve ser capaz de emular o
processo de detecção do tráfego e produzir série de observações simulados cuja comparação com as medições reais vai ser
utilizado para determinar se a precisão desejada em reproduzir o comportamento do sistema é conseguido. As técnicas estatísticas
serão utilizados para tal determinação. Para produzir dados de entrada com a qualidade exigida para conduzir uma análise precisa,
um processo de coleta de dados cuidadosa é necessária.

10.2.2 Desenvolver um modelo de simulação de trânsito com validade alta rosto com GETRAM

Os principais componentes de um modelo microsimulation tráfego são:

a) A representação geométrica da rede de tráfego rodoviário e objetos relacionados (detectores de trânsito, painéis de
mensagem variável, semáforos, etc.)
b) Representação de sistemas de gestão de tráfego (direcções de movimento do veículo, aparas permitidos e proibidos, etc), e de esquemas
de controlo de trânsito (faseamento, temporizações, deslocamentos)
c) Os modelos de veículos comportamentais individuais: carro seguintes, mudança de faixa, aceitação lacuna, etc.
d) A representação da demanda de tráfego:
padrões d.1) de fluxo de entrada em seções de entrada para o modelo de estrada e porcentagens de viragem nos cruzamentos

d.2) matrizes OD cortado-tempo para cada classe de veículos


e) Os modelos de rota-choice

TEDI garante um modelo geométrico exibindo uma “validade alta face” que até poderia ter sido ainda validados pelo
modelador através da inspeção visual facilitada pela exibição gráfica do modelo GETRAM.

GETRAM v4.2 Introdução 113


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Figura 10-3. Construção e verificar a validade de um modelo de rede de estradas geométrica com TEDI

10.2.3 Teste os pressupostos do modelo empiricamente.

No caso de um modelo de simulação de tráfego AIMSUN, o comportamento do modelo depende de uma rica variedade de
parâmetros do modelo. Resumindo, se se considera o modelo composto por entidades (ou seja, veículos, seções, junções,
interseções, etc.) cada um deles descrito por um conjunto de atributos (ou seja, parâmetros do, a mudança de faixa-carro seguinte,
aceitação abertura, velocidade limites de aceitação e de velocidade em secções, uma assim por diante), o comportamento do
modelo é determinada pelos valores numéricos destas parâmetros. Portanto, o processo de calibração terá o objetivo de encontrar
os valores destes parâmetros que irão produzir um modelo válido.

Alguns exemplos ajudarão a ilustrar essa dependência entre os valores dos parâmetros e comportamento do
modelo. comprimentos de veículos têm uma influência clara dos fluxos: como o veículo comprimentos de
aumento, diminuição e flui fila de comprimentos de aumento. No modelo de carro seguinte AIMSUN, a
velocidade do alvo, o limite de velocidade e a secção de aceitação velocidade, entre outros, definem a
velocidade desejada para cada veículo em cada secção. Quanto maior a velocidade alvo, maior a velocidade
desejada, em qualquer secção dada, resultando num aumento do fluxo de acordo com as relações de fluxo de
velocidade. Deste modo, como parte do processo de calibragem deve-se estabelecer um modelo particular a
influência dos parâmetros de aceleração e de travagem na capacidade das secções, ou seja, para as secções
de tecelagem. Similarmente,

GETRAM v4.2 Introdução 114


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

ANEXO I: Tedi comandos de menu BAR

Menu de arquivo

Novo: Abre uma nova rede.


Abrir...: Abre uma rede existente.
Fechar: Fecha a rede atualmente aberto.
Salve •: Salva a rede atualmente aberto.
Salvar como...: Salva a rede atualmente aberto, opcionalmente com um novo nome e formato.
Configurações da página: Define os diferentes parâmetros das condições de impressão.
Impressão: Envia o arquivo impressão para o periférico.
Importar ...: Importa uma rede EMME / 2 para o ambiente GETRAM. Esta opção está disponível apenas nas
versões equipadas com a interface EMME / 2.
Exportar…: Exporta a rede como um modelo EMME2. Esta opção está disponível apenas nas versões equipadas com
a interface EMME / 2.
Geração de relatório…: Gera um relatório sobre possíveis erros e sobre a geometria da rede.

Sair: Sai do aplicativo.

menu Editar

Desfazer: Uma operação de anulação simples que pode ser usado para corrigir as traduções de objectos indesejados.
refazer: operação inversa desfazer.
Cortar: Remove os objetos selecionados e os coloca na área de transferência.
Cópia de: Copia os objetos selecionados para a área de transferência.
Colar: Cópias da área de transferência para a área de desenho.
Claro: Exclui os objectos seleccionados.
Selecionar tudo: Seleciona todos os objetos na área de desenho.
Encontrar...: Encontra objetos na área de desenho.
classes de veículos ...: Especifica as classes de modalidades de veículos usados ​na rede.
biblioteca de tipos de veículos: Biblioteca com os tipos de veículos predefinidos.
Editor de função ...: Abre uma janela que possibilita a edição das funções de escolha de rotas e funções de custo.

Preferências ...: Especifica os parâmetros globais para configuração do editor.

vista do menu

Vire AutoGrid em: Isso permite que o usuário alterne entre uma grade de desenho ativos e inativos. Ativando a
grade significa que, ao criar novos objetos, pontos finais será restrito à rede.

Mostre as grades: Alterna entre ocultar e exibir pontos de grade.


Mostrar ponteiro linha: Mostra as duas linhas cuja intersecção define a ponta do cursor. Muda para “ponteiro linha
Hide”.
Mostrar objetos: Exibe uma caixa de diálogo modal, onde o usuário pode especificar, para cada objeto, seja para exibi-lo e / ou
seus identificadores.
Mostrar a velocidade seção: Exibe um sinal com a velocidade máxima permitida em cada seção.
Fundo... Define o pixmap de fundo para o conteúdo de um conjunto de arquivos gráficos.
Extrude camada de fundo: gerar automaticamente um ambiente 3D a partir de uma camada dxf.
desenho inteiro: Exibe todo o retângulo do mundo real na janela de exibição.

GETRAM v4.2 Introdução 115


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

menu organizar

Siga em frente: Move os objectos seleccionados para a frente. Isso significa incrementar o nível desses objetos, ou seja,
mostrando-lhes na frente de outros objetos.
Mover para trás: Move os objectos seleccionados para trás. Isto significa diminuir a prioridade desses objetos, ou seja,
mostrando outros objetos na frente deles.
Alinhar centros: Grupo: Grupos objetos gráficos (polylines, polígonos, texto) para a sua manipulação como um único item.

Desagrupar: operação inversa Grupo.


Gire objeto: Uma cruz aparece no centro do objecto seleccionado ou grupo de objectos. A cruz é o centro de
rotação e pode ser arrastado com o rato para a posição desejada. Você pode girar os objetos arrastando-os.

menu Section

Desativar pistas laterais: Desativa a criação / atualização / exclusão de pistas laterais nas seções. Isto é útil quando a modificação de uma
rede a uma escala elevada.
Faça juntar-se: Une as seções selecionadas, criando um novo nó automaticamente.
Quebra juntar-se: Quebra a junção entre as seções selecionadas. Isto pode eliminar o nó entre eles.

Faça polysection: grupos as seções selecionadas na ordem em que foram selecionados, criando um novo polysection
automaticamente.
Quebre polysection: desagrupa os componentes seleccionados de um polysection, transformando-os em secções isoladas.

Mude a direção: Altera a direção das seções selecionadas.


Número de raias: Exibe um submenu com as seguintes opções: “1”, “2”, “3”, “4”, “5”, “Mais ...”, “Default”. Todos
eles servem para alterar o número de faixas nas seções selecionadas. A opção “Padrão” determina o número de
pistas de acordo com a largura da seção e largura da pista padrão.

menu de controle

Novo Controle: Cria um novo plano de controle no modo de exibição atual.


Abrir Controle ... Abre um plano de controle existente.
Fechar Controle: Fecha o plano de controle atual.
Salve controle: Salva as alterações no plano de controle atualmente aberto.
Salve Controle como ... Mesmo que “Guardar Controle”, opcionalmente mudar o nome sob o qual ele é salvo.

Controle de importação: dados de controle de importação de arquivos Synchro


Excluir Controle ... Exclui planos de controle.
Junções ... Altera o plano de junções controle.
Doseamentos ... Altera o plano de controle de rampa metros.
Definições… Define alguns parâmetros gerais do plano de controle, como o, o tempo amarelo offset e uma ajuda de edição.

menu de resultado

Novo recipiente Resultado: Cria um novo recipiente resultado na visão atual.


Abra o recipiente resultado ... Abre um recipiente resultado existente.
Fechar Resultado recipiente: Fecha o recipiente resultado atual.

GETRAM v4.2 Introdução 116


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Salve recipiente Resultado: Salva as alterações no recipiente resultado atualmente aberto.


Salve recipiente resultado como ... Mesmo que “Salvar recipiente resultado”, opcionalmente mudar o nome como ele é salvo.

Import recipiente resultado de um arquivo ASCII ...: Esta opção permite importar os fluxos de entrada e de proporções
transformando resultar de um arquivo ASCII construir automaticamente um recipiente resultado GETRAM.

recipiente resultado de exportação de arquivo ASCII ...: Gerar arquivos ASCII com os dados correspondentes aos fluxos de
tráfego variáveis ​e transformando proporções a serem utilizados ao longo da simulação.

Import recipiente resultado de EMME / 2 ...: recurso de interface Emme / 2.


Excluir recipiente Resultado: Exclui resultar recipientes.
Tipos de veículos ...: Altera as modalidades de veículos no recipiente resultado atual.
Novo Estado: Cria um novo estado da rede no recipiente resultado atual.
Abrir Estado ... Abre um estado de rede existente.
Seções... Altera o estado nas seções.
Fechar Estado: Altera o estado nas seções.
Estado salvo: Salva as alterações no estado atual da rede.
Salve Estado como ... Mesmo que “Save State”, opcionalmente mudar o nome como ele é salvo.
Excluir Estado ... Exclui estados de rede.

O / D menu Matrix
Nova matriz S / D: cria uma nova matriz S / D.
Abrir matriz S / D: abre uma matriz O / D existente.
Guardar a matriz de S / D: salva as alterações na matriz de corrente A / D aberta S.
Guardar ó matriz / D como: salva as alterações, opcionalmente mudar o nome sob o qual a matriz é salvo (sem espaço no nome
do arquivo) com esta opção, também é possível definir uma (nova) a hora de início dos vários estados de rede.

Excluir matriz S / D: exclui matriz / D O (não é possível se a matriz é aberta).


Fechar matriz S / D: fecha a matriz atual O / D.
tipos de veículos: edita as modalidades de veículos na matriz de corrente O / D (o mesmo como com o recipiente resultado).

Afirmações: define os diferentes períodos de tempo para uma matriz do tempo em fatias, bem como definir o veículo flui de
cada origem para cada destino.

NB: Na simulação, o tempo de entrada de veículos, por tipo de veículo é gerado através da divisão do intervalo de tempo
pelo número de veículos, e, em seguida, assumindo que o momento exato da entrada de cada veículo segue uma
distribuição de probabilidade normal em todo o momento inicial derivado do distribuição uniforme. O desvio padrão desta
distribuição normal é uma percentagem da fracção de tempo atribuído a cada veículo, através da distribuição uniforme.

Caminho Definição: caminhos definidos pelo utilizador entre pares OD para ser usado em combinação com a escolha da rota
AIMSUN.
Atribuição caminho: Característica para atribuir uma determinada percentagem de uma demanda par OD para um dos caminhos
definidos pelo utilizador.
Importação de Emme / 2: Importações S / D a partir de matrizes EMME / 2 banco de dados.
Exportar para Emme / 2: Exportações S / D matrizes para EMME / 2 banco de dados.

Estas duas últimas opções estão disponíveis apenas nas versões equipadas com a interface EMME / 2.

GETRAM v4.2 Introdução 117


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

menu de TRANSYT

Este menu só está activa com a interface TRANSYT.

menu PT
PT Lines ...: janela de informações: lista das linhas da PT do modelo carregado.
PT Planos ...: Define combinações de diferentes calendários para diferentes linhas de transportes públicos.
Tipos de veículos ...: edita as modalidades de veículos na matriz de corrente O / D (o mesmo como com o recipiente resultado).

Linha trânsito de importação de Emme / 2: recurso de interface Emme / 2.

menu do Windows

Hide / Show Mapa: abre uma pequena janela secundária com uma vista de toda a rede e um retângulo indicando a área
visualizada naquele momento na janela principal do TEDI
Informações Hide / Show Objeto: abre uma pequena janela secundária que irá mostrar as informações sobre um objeto sempre que
um objeto é selecionado
Ocultar a janela / Show Log: abre uma pequena janela secundária com informações sobre a rede exibida quando
carregado e quaisquer outras mensagens de aviso / erro do processo de edição

Hide / Show Bar Status: para selecionar se deseja ou não exibir a Escala de outros parâmetros geométricos na parte
inferior da janela principal.
Esconder / Mostrar Barra de Ferramentas: para selecionar se deseja ou não exibir a barra de ferramentas no lado esquerdo da janela
principal.

Socorro

Conteúdo: on-line de acesso à informação.


licenças: tipo e estado da licença TEDI em uso.
Sobre TEDI: versão atual TEDI.

GETRAM v4.2 Introdução 118


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

ANEXO II: COMANDOS AIMSUN menu de bar

Arquivo

Inclui todas as operações relacionadas com o GETRAM Base de Dados e outros arquivos: cenários, redes, planos de controle, dados de
demanda de tráfego, ações relacionadas com sinais de mensagem e estado simulação.

- Carga Cenário: carrega um cenário de simulação, definido por uma rede, um resultado tráfego ou uma matriz OD, um plano de controle de
tráfego e um plano de transportes públicos.
- Recarregar Cenário: descarrega e carrega o cenário atual.
- Salve Cenário: salva a rede atualmente carregado, os dados de demanda de tráfego, plano de controle de tráfego e plano de transporte
público como um cenário de simulação.
- Descarregar Cenário: limpa o cenário de simulação atual.
- Carga de Rede: carrega uma descrição da rede (secções, junções e junções, aparas, detectores, sinais de mensagens
variáveis, medição rampa) e constrói a estrutura do modelo de simulação.

- Descarregar de rede: limpa o modelo de simulação da rede atual.


- Carregar Resultado de tráfego: carrega os dados de demanda de tráfego a serem simuladas, definidos como fluxos de entrada e
proporções de giro, e alimenta o modelo de simulação com esses dados.
- Descarregar Resultado de tráfego: limpa os dados de demanda de tráfego atuais.
- Carga OD Matrix: carrega a definição zonas de rede (centróides) e os dados de demanda para simular, definida como
uma matriz OD.
- Descarregar Matrix OD: limpa a definição da matriz OD e centroides corrente.
- Controle de carga: carrega um plano de controlo do tráfego, que consiste em grupos de sinais e as fases, e completa o modelo de
simulação com ele.
- Descarregar controle: limpa o plano de controle de tráfego atual.
- Carregue transportes públicos: carrega um plano de transportes públicos, consistindo de linhas de ônibus e horários.

- Descarregar transportes públicos: limpa o plano de transporte público atual.


- Extensões de carga: ela é usada para definir e o carregamento de um conjunto de bibliotecas DLL para ser usado durante a
execução de simulação. Ele só está disponível com o Kit 1 (GETRAM Extensions).
- Salvar mensagem-Acções: salva a definição de ação associada com as mensagens que podem ser utilizados nos Painéis de
Mensagens Variáveis ​(de VMS).
- Salve Estado atual: salva o estado atual da simulação como um novo resultado Estado na GETRAM Data Base, que
pode ser usado ou continuada em futuras experiências de simulação.
- Sair: sai AIMSUN.

objetos
Conjunto de opções para encontrar e visualizar informações sobre qualquer objeto dentro do modelo. Além disso, opções para editar
esses objetos. Estas opções são agrupadas em dois conjuntos: Mostrar e Editar.

(EXPOSIÇÃO)
- Seções: para encontrar uma secção e mostram as suas características (pistas, transforma permitidos em cada pista, os fluxos de
entrada, transformando proporções, detectores, de medição).
- junções: para encontrar uma junção e mostram as suas características (movimentos de viragem, grupos de sinais e de fases).

- detectores: para encontrar um detector e mostrar suas características (posição, comprimento, pistas, medir capacidades)

- doseamentos: para encontrar um dispositivo de medição de rampa e mostram as suas características (tipo, posição, os parâmetros
de controlo)
- VMS de: para encontrar uma mensagem sinal variável e mostrar suas características (posição, mensagens e ações aceitos). O
usuário também pode ativar mensagens que irão acionar a execução de

GETRAM v4.2 Introdução 119


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

suas ações associadas (impacto no comportamento do condutor).


- centróides: para encontrar um centróide e mostram as suas características (tipo, conexões, dados de matriz de OD). Isso também é
usado para selecionar um conjunto de centróides, a fim de colorir os veículos que vão para ou provenientes das centroids.

- controladores: para encontrar um controlador e mostrar suas características.


- Transporte público: para ver linhas de transportes públicos e paragens de autocarro.

(EDITAR)
- Ações: para editar e mostrar ações relacionadas a mensagens VMS.
- streams: para editar e mostram fluxos (conjunto de secções consecutivas, semelhantes a uma rota), que são utilizados para a única
finalidade de recolher dados estatísticos para análise.

Visão

Conjunto de opções relativas à apresentação da imagem da rede.

- Toda a rede: a escala é automaticamente convertido para o mínimo necessário para permitir que a imagem da rede
inteira para caber na janela.
- Mínimo Carros Escala: a escala é automaticamente convertido para o mínimo necessário para permitir que os carros sejam
representados individualmente.
- Coloring veículo: cores todos os veículos na rede a fim de identificar tanto o tipo de veículo, o movimento de rotação
seguinte, a origem ou o destino centróide (para alguns centroids previamente selecionados), os veículos de transporte
público, veículos perdidos, ou para colorir os veículos em uma seção de acordo com o seu destino.

- Número de veículos: para exibir, durante a execução da simulação, o número de veículos de condução na rede e
quantos estão esperando para entrar ou já deixaram a rede, distinguindo por tipo de veículo.

- Mostrar os objectos: para selecionar quais objetos devem ser exibidas ou não e se deve ou não exibir os nomes e
/ ou identificadores dos objetos exibidos.
- Limites de velocidade Show / Hide: para exibir a velocidade seção limita ícones na rede.
- Show / Hide filas virtuais: para exibir os ícones fila virtual na rede. Estes ícones são usados ​para acessar
a informação sobre veículos esperando para entrar na rede,
ou seja filas nas secções de entrada.
- Veículo Baixo / Alto detalhes: para selecionar o nível de detalhe a ser usada para o desenho do veículo.
- Show / Hide detectores Ocupados: Quando activado, os detectores serão realçadas com uma cor diferente,
sempre que um veículo atravessa.
- Fundo: para registrar e carregar arquivos DXF fundo.
- preferências: para selecionar as cores a serem usadas para destacando vários objetos quando eles são selecionados e as
cores para desenhar os diferentes tipos de veículos.

Experimentar

Conjunto de opções para a definição de parâmetros para o experimento de simulação.

- Tempo de execução: para especificar parâmetros de tempo (start-up e tempo final de simulação, período de aquecimento e frequência
redesenhar)
- Modelagem: para especificar os parâmetros de modelagem globais, relacionadas com os modelos de comportamento do veículo
utilizados na AIMSUN.
- Entrada: contém um menu completo com uma opção relacionada com as entradas de simulação:
- Os custos passados: para especificar onde encontrar Custos passado da seção, calculados em uma corrida de simulação
anterior e armazenadas em um banco de dados em formato ODBC.
- Saída: contém um menu completo com três opções relacionadas com as saídas de simulação:
- Local de saída: para especificar onde armazenar as saídas de simulação (estatística, de detecção e de simulação gravada) quer
como arquivos ASCII ou como um banco de dados, este último quer utilizando um formato ODBC ou diretamente em MS Access.

GETRAM v4.2 Introdução 120


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

- Estatisticas: para especificar parâmetros que definem a comunicação de dados estatísticos a ser produzido pela simulação (nível
de detalhe e periodicidade).
- Detecção: para especificar se deve ou não realizar a detecção, o tipo de detecção e frequência.

- caminhos: para especificar se ou não para reunir estatísticas sobre o uso Caminhos.
- repetições: para especificar se deseja fazer uma única ou uma corrida múltipla e os números usados ​como sementes iniciais
para o gerador aleatório. Em caso de múltiplos prazo, ele pode ser também especificado ou não para calcular a média das
repetições.
- Route Escolha: para especificar a escolha do modelo de rota a ser usada (fixo ou variável, estático ou dinâmico, binomial, Logit,
C-Logit ou definidos pelo utilizador) alguns parâmetros relacionados e.
- incidentes: para ver os incidentes Log File e localizar os incidentes, mostrando suas características e status (ativo, feitos
ou pendentes) e excluir ou salvá-los em um arquivo de log para experiências futuras.

- VMS Mensagens: para ver as mensagens de log de arquivo. O usuário pode carregar / salvar uma sequência de mensagens para ser
ativado no VMS de durante a simulação. O usuário também pode rastrear as mensagens ativadas durante a execução da simulação.

- Modelos ambientais: para definir se deve ou não considerar o consumo de combustível e / ou modelagem Pollution
Emission.

Corre

Diferentes formas de execução e parar a simulação.

- Corre: para executar a simulação com representação gráfica de animação contínua do tráfego. Se a escala é definida como o nível
mínimo carros ou inferior, todos os veículos são mostrados como eles se movem ao longo da rede, caso contrário, apenas uma gama
de cores que representam a densidade é exibida.
- Degrau: para executar um único passo da simulação, o display gráfico é atualizado.
- batch: para executar a simulação sem atualizar a exibição gráfica (isso é muito mais rápido do que o modo Run).

- Pare: para interromper a simulação imediatamente, Executar ou Batch.


- Início: para limpar o experimento de simulação atual.
- Pare em: para interromper a simulação quando um determinado período de tempo decorrido.

Relatórios

Opções para visualizar relatórios estatísticos e dados de detecção obtidos a partir de experimentos de simulação atuais ou anteriores. As
estatísticas recolhidas pelo AIMSUN são: fluxos médios, tempos de viagem, tempos de atraso, velocidades médias, densidade, pára e
comprimentos de fila. Todas estas variáveis ​podem ser especificadas em diferentes níveis de agregação: todo o sistema, seções, os
movimentos de conversão, córregos (conjunto de secções consecutivas), origem ou destino centroids ou O pares / dia. As estatísticas
podem ser (todo o tempo de simulação) global ou periódica (determinado intervalo de estatística predefinidos). Há três opções possíveis:

- Relatórios de arquivo: para carregar relatórios estatísticos armazenados em arquivos, que podem ter sido salvos de simulações
anteriores ou atuais. Ele também pode ser usado para carregar relatórios de detecção.
- Relatório Atual: para ver estatísticas ou dados de detecção reunidos durante o experimento de simulação atual.

- Gráficos atuais: para apresentar gráficos de séries de tempo dos dados estatísticos ou de detecção recolhidos durante a experiência
de simulação de corrente, ou para mostrar as partes da rede coloridos de acordo com uma gama de cores que representam valores
diferentes para um conjunto de medições de tráfego, tais como o fluxo, a velocidade, fila comprimento, etc.

caminhos:

Conjunto de opções relacionadas com a escolha de rotas e informações de caminho.

GETRAM v4.2 Introdução 121


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

- Shortest Paths Info: o usuário pode visualizar e obter informações sobre caminhos mais curtos individuais que estão sendo usados
​por veículos durante a simulação.
- Caminhos mais curtos Mostrar: o utilizador pode ver as diferentes combinações de caminhos mais curtos que estão a ser utilizados
pelos veículos durante a simulação.
- Caminhos definidos pelo usuário: o utilizador pode visualizar todos os caminhos definidos pelo utilizador.
- Inicial Atribuição Path: o utilizador pode ver todas as probabilidades considerados quando um veículo entra no sistema.

- Atribuição Caminho Dinâmico: o usuário pode visualizar todas as probabilidades considerados quando um veículo faz uma mudança
de caminho durante a viagem.

Validação:
Comandos da Ferramenta de validação para comparar diferentes conjuntos de dados (simulado vs. vs. real ou
simulada).

- Base de dados: para selecionar o banco de dados onde os dados são armazenados.
- médias: para calcular a média de um conjunto de repetições
- gráficos: para traçar como séries temporais os conjuntos selecionados de dados. O usuário pode selecionar previamente os
conjuntos de dados e variáveis ​para comparar, e os coeficientes para o cálculo.

Janela
Conjunto de opções para o gerenciamento de janelas.

- Mostrar Cenário Info: para abrir a janela de diálogo Cenário contendo a definição do cenário atual (de rede, dados de
demanda, plano de controle, plano de transportes públicos, etc.).
- Mostrar Legenda: para a janela Legend, que tanto fornece a escala de cores para a densidade ou para a
opção coloração veículo.
- Mostrar Janela de Registro: para abrir a janela de log contendo a lista de mensagens de aviso que ocorreram durante a
sessão.
- Hide / Show Bar Status: para selecionar se deseja ou não exibir a escala e hora na parte inferior da janela principal.

- Esconder / Mostrar Barra de Ferramentas: para selecionar se deseja ou não exibir a barra de ferramentas no lado esquerdo da janela
principal.

Socorro

Fornece informações gerais sobre o software.

- licenças: tipo e estado da licença AIMSUN em uso.


- Na versão: versão AIMSUN atual.

GETRAM v4.2 Introdução 122


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

GETRAM v4.2 Introdução 123


TSS-Transporte Sistemas de simulação outubro 2003

Nós da TSS de transporte Sistemas de simulação têm tentado fazer as


informações contidas neste manual o mais preciso possível. Não
podemos, no entanto, garantir que ele está livre de erros.

© 1997-2000 Sistemas de simulação TSS-Transporte. Todos os direitos


reservados

GETRAM v4.2 Introdução 124