Вы находитесь на странице: 1из 16

VI Encontro Nacional sobre o Ensino de Sociologia na Educação Básica

06 a 08 de julho de 2019

GT08 - O UNIVERSO DIGITAL NO ESPAÇO DAS METODOLOGIAS DE ENSINO


DE CIÊNCIAS SOCIAIS/SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: EXPERIÊNCIAS,
LACUNAS E PERSPECTIVAS

“NÓS TRUPICA, MARX DURKHEIM”: O uso didático de memes nas aulas de


Sociologia

Simone de Oliveira Mestre (PPGAS/UFMG)

1
1

“O uso didático de memes nas aulas de Sociologia

Simone de Oliveira Mestre (PPGAS/UFMG)2

RESUMO

A necessidade de implementar inovações tecnológicas de ensino mesclada com a


dificuldade de “atrair” e “envolver” os alunos que estão cada vez mais conectados com
o mundo virtual fora do contexto escolar relevam dimensões desafiadoras de
incorporação de aspectos da Cibercultura na educação. Diante desse desafio,
apresentamos a partir do relato de experiência de criação e utilização “memes da
internet” em sala de aula, como uma possibilidade metodológica para engajamento
dos alunos no processo de aprendizado dos conteúdos sociológicos, sobretudo na
abordagem dos conceitos clássicos da Sociologia e seus precursores: Karl Marx,
Émile Durkheim e Max Weber. O compartilhamento desenfreado dos memes nas
redes sociais, principalmente entre jovens, relevam o grande poder de mobilização
dessa nova forma de linguagem em nossa atualidade, delineando um cenário no qual
o uso didático de memes se configuram como inclusão de Tecnologias da Informação
e Comunicação (TICs) em práticas educativas que dialogam com a realidade dos
alunos e possibilita trabalhar simultaneamente: o protagonismo dos alunos no
processo de ensino-aprendizagem, formas de abordar diferentes gêneros literários,
problematizar as implicações da informação e do fakenews na era da pós verdade,
promover um debate sobre a comunicação visual e virtual e suas dimensões sociais

Palavras chaves: TICS, memes, aulas, Sociologia.

1Fonte da imagem: Acervo pessoal de Simone Mestre.


2Professora de Sociologia e Doutoranda em Sociologia pela Programa de Pós-graduação em Sociologia da
Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Antropologia pela mesma instituição. Licenciatura e
Bacharelado pela Universidade Federal de Rondônia.

2
Apresentação

Neste texto apresento minha experiência de criação e utilização de “memes da


internet” nas aulas de Sociologia como uma prática metodológica que proporciona
maior engajamento dos alunos no processo de aprendizagem dos conteúdos
sociológicos, sobretudo na abordagem do pensamento clássico da Sociologia.
Portanto, o objetivo deste trabalho é compartilhar possibilidades didáticas para utilizar
memes em sala de forma, visando ampliar o interesse e a interação com e entre os
alunos por meio das tecnologia da informação e da comunidade (TIC) que dialogam
com a realidade dos alunos na atualidade.
A abordagem etnográfica foi utilizada para elaboração deste texto, cujo dados
empíricos são resultantes da minha experiência como professora do Componente
Curricular de Sociologia na rede pública de ensino com as turmas de ensino médio da
Escola Estadual Emílio De Vasconcelos Costa localizada na região central do
município de Sete Lagoas-MG em 2017.

Aspectos metodológicos

Para Hamurabi Oliveira a utilização da etnografia no contexto é fundamental,


pois permite “questionar nossas certezas, sair de onde estamos situados, e entrar em
contato com “outro”, além de proporcionar o aprofundamento no ensino que a
Sociologia se propõem uma vez que:

Remetendo-nos ao campo especifico da decência nas Ciências


Sociais, devemos destacar o continuum existente entre o
trabalho de campo, de caráter etnográfico, e a teoria etnográfica,
de modo que é o desenvolvimento daquele que dá ânimo a esta.
Categorias como relativismo, etnocentrismo, etc. ganham
sentindo ante a estrutura do trabalho de campo. A articulação
com os conhecimentos da antropologia, no âmbito da docência
no Ensino Médio, perpassa o “Estar lá”, o desenvolvimento do
trabalho etnográfico. (OLIVEIRA, p. 98. 2012).

Como professora e antropóloga, optei pela utilização da observação


participante como a principal técnica de coleta dos dados empíricos, visto que durante
minha permanência na escola e em sala de aula tive a possibilidade de “olhar, de

3
Ouvir e de Escrever”, elementos que segundo Cardoso de Oliveira (2019) consistem
em momentos estratégicos do fazer etnográfico.
Para romper com o padrão academicista dos tradicionais papers
(comunicações em grupo) dos Congressos, adotarei estilo mais dialógico no texto,
buscando responder as seguintes questões:

1. O que me levou a utilizar memes?


2. O que são memes e TICS?
3. Por que devemos usar memes nas aulas?
4. Quais as formas de utilizar memes nas aulas de Sociologia?

Essas perguntas serão apresentadas a seguir no formato de subtítulo, a ideia


e tentar recriar aqui uma espécie de diálogo direto com a(o) professora (o)
interessadas (os) em aprender como utilizar memes em suas aulas, em outras
palavras, pretendesse com essa estruturação do texto uma aproximação com as
necessidades e a realidade das(os) possíveis leitoras(es) deste trabalho que acredito
serem em sua maioria professoras(es em buscam experiências que de fato auxiliem
e possam ser facilmente adaptadas ou reaplicadas no cotidiano escolar.

1. O que me levou a utilizar memes?

Para além da teorias e das experiências que vivenciamos na licenciatura, na e


pós graduação dentro da faculdade, principalmente da Universidade Pública,
podemos constatar que nunca deixamos de estudar, principalmente quando optamos
por um curso na área de humanidades, provavelmente porque como cientista social,
estamos localizados em um “espaço de atividade continua que compara o
aprendizado com novas experiência e amplia o conhecimento mudando, nesse
processo a forma e o conteúdo da própria disciplina” (BAUMAN & MAY, 2010, p.11),
em suma, estamos em permanente condição de aprendizado.
Considerando essa argumentação, eu sempre busco direcionar as práticas
pedagógicas e a minha atuação como professora sincronizando quatro preceitos
fundamentais: O primeiro preceito é aperfeiçoamento teórico - aprendizado contínuo
da Ciências Sociais (sempre estou estudando algo novo e revisando algo que julgo já
dominar). O segundo consiste em manter um diálogo entre prática e teoria - trazer
para o cotidiano as melhores coisas vivencias em nossa formação e proporcionada

4
por nossas experiências de vida (tanto as que estão localizadas na esfera acadêmica
e profissional, como as que estão na esfera familiar e individual). O terceiro preceito é
estabelecer uma relação de alteridade com a comunidade escolar, principalmente com
os alunos. O último preceito consiste na busca por inovação em sala de aula – Pensar
em formas estimulantes de apresentar os conteúdos para ambas as partes (como
professora e para os alunos), foi esse quarto preceito, o “olhar” atendo na buscar por
novidades que poderiam atrair os alunos para aulas que encontrei no “Facebbok” i a
inspiração de trabalhar com dos memes em sala de aula.
Em maio de 2017, apareceu na minha timeline do facebook uma publicação
compartilhando a seguinte notícia do site Estadão: “Professor usa memes da Gretchen
para dar notas aos alunos”, se tratava da repercussão da ideia inovadora do Vitor
Lucas, professor do Componente Curricular de Língua Portuguesa em uma escola
públicade Belo Horizonte.
Segundo a reportagem, o Professor Vitor nos bons resultados colocava uma
foto da Gretchen feliz, na notas ruins, ela estava decepcionada, como podemos
observar na foto da reportagem.

Foto: Acervo pessoal/ Vitor Lucas, disponível em: < encurtador.com.br/nrvwz>. Acesso em 20.06.19.

A matéria enfatiza a repercussão positiva entre os alunos, a comunidade


escolar e os colegas de trabalho, mencionando inclusive que colegas de profissão da
escola onde Vitor Lucas trabalha também aderiram a ideia. Ao fazer a leitura dessa
reportagem e os comentários nas publicações das pessoas que compartilharam a

5
notícia do facebook, eu fiquei pensando no potencial metodológico nos significados
de usar memes em sala de aula, por isso adotei a ideia do professor Vitor para fazer
um experimento com meus alunos, queria saber como seria a recepção deles, darei
mais detalhe sobre essa experiência no item 4. (Quais as formas de utilizar memes
nas aulas de Sociologia).

2. O que são memes e TICS?

Foi relativamente fácil adaptar a ideia do professor Vitor Lucas, pois tenho muita
afinidade com as redes sociais, tenho conta nas principais redes sociais da atualidade:
instagram, facebook, whatsapp, youtuber e twitter. Logo, tenho muita facilidade para
compreender e interagir com a linguagem das redes sociais, principalmente com os
memes, os bodões, as gírias e as polêmicas viralizadas através delas.
Todavia, sei que grande parte dos (as) professores (as) de Sociologia não
possuem essa mesma facilidade, alguns optaram por não aderir a diversas redes
sociais, outros simplesmente não se sentem atraídos por elas e alguns por questão
culturais e geracionais simplesmente nem sabem do que se trata.
De forma simples, podemos definir memes como imagens em formatos
diversos e editados de maneira humorística, caricata ou sarcástica para espalhar uma
ideia ou uma mensagem. Para exemplificar apresento dois memes:

Meme 1 Meme 2

Fonte: Twitter MBL: Fonte: Blog Educação ou barbárie


Disponivel em: https://bit.ly/321sFd7. Disponivel em: https://bit.ly/2XHsGDR
Acesso em: 21.06.2019. Acesso em: 21.06.2019.

6
Como podemos observar esses memes apresentam de maneira irônica
discursos distintos. O primeiro meme ironiza o fato de uma deputada do Partido dos
trabalhadores - PT utilizar um aparelho Iphone, na concepção equivocada desse
movimento, o partido da Deputada faria parte de um movimento denominado por eles
como “Marxismo cultural” e que visa o fim do capitalismo, esses setores alimentam o
bordões como “é comunista, mas usa Iphone” ou “é comunista, mas toma Coca-Cola”
para disseminarem a ideia fictícia de que o Brasil estaria sendo dominados por
comunistas. Como resposta a esse equívoco, através da hasteg #esquerdaiphone os
internautas criaram o segundo meme que ironiza a falta de conhecimento sobre a
teoria marxista daqueles que criaram e compartilharam o primeiro meme.
Nesse exemplo, podemos perceber a utilização do meme como ferramenta de
desinformação e propagação das chamadas fake news nas redes sociais, a prática e
os perigos de utilizar memes para disseminação de fake news é alertada pelo
investigador Meneses que apresenta a seguinte argumentação:

Uma das características das fake news é que elas ‘não olham a
meios para atingir os fins’. Nesse sentido, é normal encontrar
não apenas textos, mas também fotos e vídeos falsos ou
parcialmente falsos, em simultâneo. O recurso cada vez maior a
fotos e vídeos falsos, tal como a memes, sobretudo pelo
aparecimento de aplicações/programas que os facilitam,
desvaloriza uma outra característica que as fake news tinham
até há poucos anos: terem uma aparência de notícia (título, lead,
etc) para reforçar a possibilidade de enganar os consumidores.
Ou seja, hoje assumem qualquer formato. Dessa forma, nem
tudo aquilo postado por terceiros aparece em nosso feed de
notícia, timeline ou página pessoal. E não poderia ser diferente.
Afinal, quantos contatos você tem no Facebook? Quantas
pessoas você segue no Instagram? (MENESES, p.38. 2018).

Se por um lado, os memes podem ser ferramentas de disseminação de “fake


News” e preconceitos”, por outro lado, não se pode ignorar que o “meme” é
caracterizado como um novo gênero textual (BLACKMORE, 2000, P. 06), portanto se
apresenta como uma ferramenta eficaz para utilização em salas de aula considerando
a seguinte exposição:
O advento das novas mídias digitais trouxe para o ambiente cibernético
inovadoras maneiras de se comunicar e usar a língua, passando esta a
ser mais dinâmica e visual. Em paralelo a isso, novos gêneros surgem
como resultado de alterações no ciberespaço. O meme é um dentre
estes e destaca-se por sua acentuada presença nas redes sociais.
Avaliando a sua importância no contexto atual, buscamos analisar a
configuração discursivo-visual presente neste gênero digital.
(GUERREIRO & SOARES, 186, 2016).
7
A argumentação apresentada acima reforça a importância da inovação
pedagógica através da adesão das mídias digitais ao processo de ensino-
aprendizado, nesse sentido, podemos perceber que ao utilizar memes em nossas
aulas, estamos aderindo as “tecnologias de informação e comunicação (TICs) na
educação que por sal vez consiste na adoção de técnicas utilizadas para potencializar
a comunicação e apresentar informações sobre os conteúdos a partir da interação em
um ambiente de colaboração entre alunas(os) e as(os) professoras(es) para criação
e interpretação desses memes com temáticas sociológicas.
Essa é a única forma possível para fazer da utilização das TICS possibilidades
reais de transformação educativa, como enfatiza Imbérnom (2010, p.36) “uso das TIC
signifique uma transformação educativa que se transforme em melhora, muitas coisas
terão que mudar. Muitas estão nas mãos dos próprios professores, que terão que
redesenhar seu papel e sua responsabilidade na escola atual”.

3. Por que devemos usar memes nas aulas?

Como mencionada, a utilização de memes em sala de aula se constitui como


uma TIC nfa educação que proporciona meios de fomentar o protagonismo das(os)
alunas(os) no processo de aprendizado, simultaneamente é uma maneira simples,
acessível e extremamente eficaz para atrair o interesse desses indivíduos para os
conteúdos sociológicos que são desenvolvidos na sala de aula.
Para além desses motivos e com base nas minhas observações etnográficas
proporcionadas através da minha atuação como professora, apresento alguns motivos
para utilizar o meme em sala de aula: a) É uma forma de valorizar os conhecimentos
obtidos na interação social das(os) alunas(os) fora da escola. b) Embora não seja uma
prática nova (inédita), ainda é pouco utilizada em sala de aula, o seu uso dará um
caráter inovador para a condução do seu trabalho docente. c) É eficaz para envolver
as(os) alunas(os) nas aulas de Sociologia, principalmente na condução de projetos
interdisciplinares e abordagem de temas da atualidade. d) É uma possibilidade de
alfabetização visual e desenvolver as concepções em torno da imagem e da estética.
e) Possibilita identificar, desenvolver e reconhecer as habilidades criativas e
argumentativa das(os) alunas(os) e f) Proporciona aprender com e sobre a realidade
deles. Ao responder a seguir, quais as formas de utilizar memes nas aulas de

8
Sociologia, fornecerei elementos e informações que podem contribuir com sua prática
em sala de aula.

4. Quais as formas de utilizar memes nas aulas de Sociologia?

Existem várias formas de utilizar memes em sala de aula, contudo, destaco


aqui em formato de tópicos as práticas que utilizei durante as aulas de Sociologia e
que obtive melhores resultados.

 Informar as notas das avaliações

Como mencionei, inspirada na prática do professor Vitor Lucas, fiz a


experiência de informar as notas das(os) alunas (os) através dos memes, apenas
adaptei a personagem, no lugar da “Gretchen”, coloquei o meme do momento que era
a Gloria Pires comentando o Oscar.
Utilizei a meme “Que desempenho” para os que alcançaram uma nota
excelente, para quem obteve média recebeu o meme “tá tranquilo, tá favorável”
enquanto os que ficaram abaixo da média receberam o meme “não sou capaz de
opinar”, como mostra a imagem abaixo.

Foto: Acervo pessoal/ Simone Mestre.

9
Embora a seleção dos memes não tenha sido um desafio, mas o fato de
escolher um meme condizente com o desempenho de cada estudante demandou um
tempo que como professores de sociologia não temos, pois como na maioria dos
Estados temos apenas uma aula por semana, acabamos sempre pegando mais
turmas o que implicar em temos muito mais avaliações para corrigir que os colegas
que trabalham com demais Componentes Curriculares.
Ainda assim, posso afirmar que como naquele momento em particular tinha
dificuldades de aproximação com algumas turmas, a prática foi essencial para
“quebrar o gelo”, contribuindo para que os alunos deixassem de me enxergar como a
professora chata de sociologia, ademais, a prática serviu como porta de entrada para
o desenvolvimento das propostas. Uma possibilidade para os professores que tem
muitas turmas é utilizar essa estratégia nas notas dos trabalhos em grupos ou em trio.

 Apresentar conceitos sociológicos clássicos

Se quando usei os memes para informar as notas contribuiu para minha


aproximação com as turmas, foi simplesmente um sucesso, quando utilizei memes
para apresentar os conteúdos da Sociologia Clássica. Os memes foram apresentados
através do Power Point (criação/edição e exibição de apresentações gráficas)
utilizando memes que elaborei conforme a demanda da aula, no caso, seriam os
conceitos dos sociólogos clássicos (Marx, Weber e Durkheim), para editar os memes
utilizei o PhotoScape.3

Foto: Acervo pessoal/ Simone Mestre

3 É um software gratuito e simples para edição de fotografia e imagens.


10
Foto: Acervo pessoal/ Simone Mestre

A maneira simples, direta e bem humorada de apresentar os conteúdos dessa


maneira reforçou a aproximação com os alunos e contribuiu para o crescimento do
interesse pelas temáticas das aulas, notei que muitas(os) das(os) alunas(os)
passaram a contribuir com as aulas e demonstravam que estavam mais confortáveis
em participar, pois de fato, os memes eram um linguagem que eles compreendiam e
tinham interesse em entender.
Houve então uma demanda dos alunos por novos memes e alguns relataram
que haviam pesquisado mais sobre o conteúdo na internet, foi quando tive a ideia de
realizar uma atividade onde as(os) próprias(os) alunas(os) deveriam elaborar seus
memes sociológicos, como irei apresentar no próximo tópico.

 Oficina de produção de memes

Percebendo o interesse das(os) alunas (os) pelos memes, preparei uma


sequência didática de três aulas que foram divididas da seguinte maneira: Primeira
aula - Roda de conversa sobre o que é um meme, o que chama atenção nele, quais
as ferramentas utilizadas em sua produção e quais os desdobramento deles na
sociedade.
Segunda aula – “Hora de colocar a mão na massa”, levei as turmas de
Sociologia para no laboratório de informática da Escola e orientei a elaborarem um

11
meme sobre os conteúdos de Sociologia trabalhados em sala de aula, na
oportunidade apresentei as ferramentas e o passo a passo para fazer seu próprio
meme, indicando sites que facilitam essa tarefa como: “Gera memes, Meme Mania,
Gerador de Memes4 entre outros.
Na terceira aula – momento de compartilhar, na ocasião os alunos
apresentaram os memes que elaboraram e apreciaram a produção dos demais,
levantei com eles os aspectos positivos, os destaque e conversamos sobre pequenos
equívocos. O envolvimento e a produção das(os) alunas(os) na atividade
proporcionou alcançar excelentes resultados que podem ser apreciados abaixo.

Fonte: Meme produzido pelo aluno Iago


Fonte: Meme produzido pelo aluno Itauam Santos
Emanoel Fernandes Metzker – 1ª série B
- – 1ª série B

 Utilizando memes como ferramenta de comunicação.

Para expor os trabalhos elaborados pelos estudantes na Oficina de produção


de memes e compartilhar os memes que eram utilizados na sala de aula, criei uma
página no facebook chamada “Sociologia com Paranauê” com a seguinte capa.

Foto: Acervo pessoal/ Simone Mestre

44
www.gerammes.com.br. www.mememania.com.br. https://www.canva.com/pt_br/criar/memes/.
12
O nome da página faz referência a gíria "manja do Paranauê", expressão que
significa ter conhecimento sobre algum assunto ou facilidade para entender algo, além
de ser um bordão utilizado corriqueiramente durante as aulas.
Com o tempo, a página passou a ter outras funcionalidades, como comunicar
sobre exercícios online que eram disponibilizados através do Google formulários,
prazo de correção das provas e também para postar os memes que os alunos me
mandavam entre outros, segue alguns exemplos:

Comunicado sobre atividades online

Interagir virtualmente Lembrar os conteúdos da avaliação

Fotos: Acervo pessoal/ Simone Mestre

13
 Avaliação

Considerando a que o “meme” se constitui como um gênero textual e a


necessidade de desenvolver a competência de "interpretar historicamente e/ou
geograficamente fontes documentais acerca de aspectos culturais" da matriz de
referências do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para Ciências Humanas, é
possível utilizar os memes nas embutidos nos itens da Avaliação bimestral do
Componente Curricular de Sociologia, conforme apresentado abaixo:

Fotos: Acervo pessoal/ Simone Mestre

Embora a utilização do meme tenha como um dos objetivos acrescentar um


aspecto mais descontraído para Avaliação, a questão apresentada acima teve como
referência o método de resposta ao item – TRI, o mesmo que é adotados pelo Instituto
Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) para
elaboração dos itens avaliativos do ENEM.
14
Ao receberem as avaliações com essa questão, as(os) alunas(os) ficaram
muito animado, relataram que a presença de um meme na avalição ao mesmo tempo
que acrescenta um aspecto mais informal para avaliação também evidenciava
aspectos complexos ao serem analisados, evidenciando o amadurecimento dos
alunos ao perceberem que coisas presentes no nosso cotidiano são adotados para
avaliar nossa compreensão crítica sobre a sociedade.

Considerações finais

Antes de apresentar minhas considerações finais, gostaria de compartilhar três


memes que selecionei entre os muitos que foram recebidos das(os) alunos(os)
durante o ano de 2017.

Auroria: Robert H. G. Oliveira Autoria: Marcus Vinicius de F. L. Autoria: Mellissa e Vitória Alves
Aluno da 1ª série A. Aluno da 1ª série A Aluna da 1ª série B

Compreendo que os memes apresentados acima representam as


possibilidades e as potencialidades do uso de memes em sala de aulas, além disso,
a experiência em sala de aula aqui compartilhadas reforçam o caráter inovador e as
possibilidade metodológicas dessa ferramenta. Espero que este texto possa contribuir
de alguma forma com a sua prática enquanto professora(o) do Componente Curricular
de Sociologia.

15
Referências:

BLACKMORE, Susan. The Meme Machine. Oxford, Reino Unido: Oxford University
Press, 2000.

BAUMAN, Zygmunt; MAY, Tim. Aprendendo a pensar com a Sociologia. Trad.


Alexandre Werneck. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

CARDOSO DE OLIVEIRA. Roberto. O trabalho do antropólogo: Olhar, Ouvir e


Escrever. Revista de Antropologia USP, São Paulo - SP, v. 39 nº 1, p. 13-37, 1996.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança


e a incerteza. 7. Ed. São Paulo: Cortez, 2010.

MENESES. João Paulo. Sobre a necessidade de conceptualizar o fenómeno das fake


news. Observatório (OBS*) Special Issue. 2018.

OLIVEIRA. Hamurabi. Etnografia na escola? Cultura e pesquisa. In: CARNIEL. F. &


FEITOSA, S. (Org.). A Sociologia em sala de aula: diálogos sobre o ensino e suas
práticas. Curitiba: Base Editorial. P. 2012.86-98.

SOARES, Neiva Mª Machado & GUERREIRO, Anderson. Os memes vão além do


humor: uma leitura multimodal para a construção de sentidos. Revista Texto Digital –
UFSC. Florianópolis, SC, v. 12, n. 2, p. 185-208, jul./dez. 2016.

16

Оценить