Вы находитесь на странице: 1из 4

Exposição Bíblica.

Por: João Ricardo Ferreira de França.


jrcalvino9@gmail.com
“Tiago .2:14-22 14 Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras?
Porventura a fé pode salvá-lo? 15 E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento
quotidiano, 16 E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as
coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? 17 Assim também a fé, se não tiver as obras, é
morta em si mesma. 18 Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as
obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé. 19 Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os
demônios crêem e tremem. 20 Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que a fé sem as obras é
inoperante? 21 ;ão foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o
altar o próprio filho, Isaque? 22 Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi
pelas obras que a fé se consumou,”
14
Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Tiago após chamar
atenção dos crentes por estarem fazendo acepção de pessoas, e indicar o caminho do amor para a
solução do favoritismo dentro da Igreja; ele, agora volta a questão fundamental: Como eu deve Ter ou
manifestar a minha fé em Cristo? No versículo 8 deste capítulo temos a chave hermenêutica para esta
nova seção que Tiago inaugura.
Veja como o apóstolo começa esta nova seção de seu livro: “Meus irmãos” no texto grego
original temos a expressão: “avdelfoi, mou” o apóstolo mais uma vez fala em termos de família, somos
uma família é posso continuar a ser franco e objetivo em minhas colocações pastorais. Tiago não evita
o termo de chamá-los de “meus irmãos”, porque de fato pertencem a mesma família, ou seja, eram
membros da família de Deus.

que aproveita se alguém disser que tem fé - o escritor sagrado não para em termos familiares, mas
por ser membro do corpo de Cristo, ou seja, participante da família de Deus, vai dirento ao ponto. Ele
pergunta sobre a questão do proveito de declarar-se crente! Que proveito há se cada um de vocês se
declarem crentes – ou possuir fé! Há algo intrínseco na sua profissão de fé. O cristianismo imóvel, que
não muda vidas, que não valoriza pessoas é um cristianismo fraco e vazio do conteúdo da fé.
Observe a expressão “que proveito há” no texto grego temos “Ti, o;feloj” a tradução poderia
ser “que bem há?” é uma questão que precisa ser refletida – tom é de cobrança aqui na carta – mas note
que esta cobrança nasce do fato de o crente ser de fato diferente. O nosso declarar ser crente no leva
inevitávelmente a uma resolução. Qual resolução? O de manifestar o bem neste mundo! Os crentes
existem para trazer o bem, aliviar a dor dos que sofrem. O nosso cristianismo está longe disso!
Precisamos aprender com o grande pastor Tiago.
Palavras e atitudes devem ser confundidas e assimiladas. Declarar-se crente é agir com tal! Se
você se diz crente mais age como se fosse um ímpio, isso é uma declaração notória de que o seu
cristianismo é tudo menos o autêntico cristianismo.
e não tiver as obras? Tiago sumariza tudo de forma clara. De que forma o nosso cristianismo ou a
nossa profissão de fé é manifestada.? O autor bíblico não pensa duas vezes e nos diz que há uma
necessidade de obras. As obras evidenciam a nossa fé. Uma fé que não pode ser demonstrada com
obras deve ser questionada. Mas, preciso dizer uma coisa. As boas que fazemos não provém de nós.
Mas elas são predestinadas por Deus (Ef.2.8-10 - Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto
não vem de vós, é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie; 10 Porque somos
feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos
nelas.). Não posso pensar sobre essa questão sem avaliar a doutrina da predestinação. Como saber se
sou eleito? Não há evidência mais clara e prática a não ser que seja a manfiestação das boas obras!
Outra questão, Tiago ao escrever isso está dizendo: “a fé verdadeira é operosa” a palavra obras
aqui no grego é o substantivo “e;rga” de onde vem a nossa palavra “energia’, “ operação” . Tiago está
relembrando aos seus leitores que a verdadeira fé ela não é inativa. Ele sempre age, sempre se move,
sempre está em atividade.
Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? Tiago termina este versículo com uma pergunta de natureza
retórica. E no texto original esta própria pergunta se responde? Literalmente a frase poderia ser
traduzida assim: “ A fé não pode salvá-lo?” mas o foco está no tipo de fé que alguém está a exercer.
Uma fé que não é operosa. Todavia, algo precisa se adito aqui: Ninguém é salvo simplesmente porque
crê. Mas, quando alguém é alvo da graça soberana a fé lhe é destinada como um meio pelo qual o
homem recebe esta graça. (Ef.2.8), e quando esta fé se manifesta as ações externas testificam dela. É
exatamente isso que Tiago está dizendo aqui.
15
E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, - Tiago começa
agora aplicar estes conceitos de forma prática. Ou seja, de que forma a Igreja pode manifestar sua fé? O
apóstolo apresenta um caso hipotético dentro da comunidade da fé. Ele fala de dois irmãos que
“estiverem carecidos de roupas”, logicamente este crente é um pobre que precisa do socorro da Igreja.
Tiago apresenta os termos de forma gritante. Imagine o contexto, os crentes que haviam abandonado os
judaísmo e agora abraçaram o cristianismo, e os seus bens estão sendo confiscados, estavam sendo
delatados pelos seus patrícios, e agora, sem roupa: o que fazer?
Porém, Tiago não termina com a questão da roupa. Mas desce um pouco mais, ele chega até a
questão da ausência “do alimento diário”. Os judeus que se declaravam cristãos não podiam mais Ter
um emprego entre os seus patrícios, e agora? O que fazer para socorrer a família? O filho pede um pão
e tudo que você tem é uma pedra para dar-lhe. Era essa a situação. Para quem recorrer? Certamente
deveria se recorrer à Igreja de Cristo, a igreja que prega o amor, a reconciliação. O crente pensa irei até
a Igreja , pois, é a minha verdadeira família. Esses iriam procurar a Igreja.
16
E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas
necessárias para o corpo, que proveito virá daí?

Qual é a resposta da Igreja para as necessidades deste irmão? A resposta é espiritual. “ Vá em


paz! Deus cuidará de você”. Queridos isso é complicado. Primeiro porque a Igreja deve compreender-
se como mãe dos fiéis. Como aquela que está disposta a curar relacionamentos. A igreja deve restaurar
as relações do homem com Deus e do homem consigo mesmo! A mão de Deus deveria ser vista na
Igreja. É tarefa nossa mostrar ao mundo o amor de Deus. Mas como se não socorremos o nosso irmão
necessitado dentro da nossa comunidade? A despedir os irmão com “ide em paz” o termo grego para
paz “eivrh,nh|” indica o desejo de que houvesse paz e prosperidade, tanto física e espiritual na vida
daqueles crentes; notem, Tiago mostra como a Igreja é hipócrita quando age desta forma.

e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? A missão da Igreja não é
apenas espiritual. Mas também focaliza o homem como a Imago Dei. Não é apenas a vossa alma que
deve ser cuidada, mas o vosso corpo também. A igreja tem uma responsabilidade integral, o homem
deve ser visto desta forma. Essa é a tarefa da Igreja. Ou seja, socorrer a alma e o corpo. Tiago coloca
isso de forma clara, devemos cuidar dos domésticos da fé; conforme o apóstolo Paulo: “1 Timóteo 5:8
Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior
do que o descrente.”. Chamo sua atenção para o uso da expressão “necessário para o corpo” no texto
grego temos duas palavras “evpith,deia tou/ sw,matoj” que indica aquilo que mantém o corpo de pé. Ou
seja, os crentes deveriam de fato socorrer aquele que carece de alimento. Tiago termina essa sentença
com a mesma pergunta que fizera no versículo 14 – “Que proveito há nisso?” Uma fé que não socorre o
outro não é merecida de ser chamada de fé. Não existe proveito em uma vida que se professa cristã e
não age como cristã.
17
Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. Aqui aprendemos com Tiago que
fé nunca opera ou se manfiestação sozinha. Ele deve gerar obras. Tiago compara uma fé inoperante a
um corpo sem vida. A fé que não é operosa está ensimesmada. É uma profissão de fé morta, sem
contúdo e sem relevância para testemunhar no mundo. Uma vida que não expressa fé está vazia de
significado. Este é um tipo de fé que não se importa com o próximo, este com certeza é um dilema da
Igreja atual.
18
Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as
obras, te mostrarei a minha fé.

Tiago agora antecipa-se a um futuro oponente. E informa que o oponente tenta colocar as coisas
em antíteses. Como se houvesse uma dualidade entre fé e obras. Alguns neste mundo enfatizam a fé,
outros enfatizam as obras, todavia, o escritor bíblico diz de modo claro: “mostre-me essa tua fé sem as
obras”. Tiago não está dizendo aqui que isso é possível. Mas está dizendo que tal pessoa jamais poderá
evidenciar sua fé se não agir em consonância com a mesma. O cuidado mútuo é uma destas evidências,
e se isso, não ocorrer que fé é essa que não pode ser avaliada e vista? Tiago mostra a impossibilidade
de crer sem a manifestarão visível de fé.
As boas obras: obediência a palavra de Deus, o socorrer ao outro, o respeitar as autoridades
constituídas no estado, na família e na Igreja são obras que uma fé operosa manifesta. É sobre isso que
Tiago está a falar neste texto. De que forma ele mostra a fé: com a suas obras.
19
Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem. Tiago agora chega ao
extremo que a fé em si mesma não nos salva. Ele coloca algo bastante singular. Tiago pergunta se o seu
oponente a credita na existência de Deus como único? A resposta é positiva. A fé em Deus é uma
evidência de não somos ateus. Mas, o escritor sagrado coloca algo chocante: até os demônios crêem e
tremem. Existe algo peculiar aqui. Tiago mostra que fé que alguns professam Ter nada significa, se não
gera uma atitude de obediência a palavra de Deus. O Diabo e os seus demônios são crentes, mas não
obedecem a lei de Deus. Eles estremecem diante da soberania de Deus, mas não possuem um coração
regenerado, e não podem fazer nada de bom, pois, não procede de uma fé verdadeira. De uma fé
operosa, então ,esta fé é destituída de significado salvador.

. 20 Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que a fé sem as obras é inoperante? 21 6ão foi
por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho,
Isaque? 22 Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé
se consumou,”
Tiago agora, mostra que o homem insensato não pensa corretamente. De que forma a fé pode
ser vista como inoperante? Quando ela não tem obras. Este é o argumento de Tiago aqui. Todavia
observe que o apóstolo tenciona mostrar que isso é uma verdade ensinada no Antigo Testamento. O
exemplo máximo que o autor usa é Abraão. Como esse patriarca do Antigo Testamento foi justificado?
Não foi pela fé apenas, mas pelas obras também. A fé dele se tornou evidenciada quando ele ofereceu
seu filho Isaque sobre o altar.
A fé operava de forma conjunta com as obras do patriarca. Se a sua fé não lhe motiva a
obedecer a palavra de Deus. Há algo de deficiente nesta sua fé. Ele é uma fé antinominista – contrária
a lei de Deus - que não se submete a Deus e a sua palavra. Seu eu creio eu obedeço esta é a questão
que Tiago coloca aqui. De que forma a fé se consumou? Tiago nos diz que foi pela obras que a fé se
consumou.
Note a fé é casada com as obras! Este é o princípio imperecível do autêntico cristianismo. A fé
não salva, mas a graça de Deus sim, e esta fé é um meio pelo qual esta graça se me é apresentada, e tal
fé me leva a praticar as boas obras que foram planejadas por Deus desde toda a eternidade.

Aplicações:

1. Devemos rejeitar a dicotomia entre fé e obras: Como Igreja devemos saber quem precede
primeiro. A fé antecede as obras, mas tal ordem não nos autoriza a criar essa dicotomia que tem
sido pregada.
2. Devemos entender que somos salvos pela graça: O grande problema hoje sobre esta questão é que
muitos entendem que somos salvos pela fé; não é isto que a Bíblia ensina, pois, a lei de Deus nos
ensina que somos salvos somente pela graça soberana de Deus e que a fé é uma conseqüência
desta graça divina.
3. Devemos praticar um evangelho onde veja o homem como a Imago Dei: Sanar as feridas do
corpo e da alma do homem é tarefa da Igreja. Quando eu estendo a mão em auxílio ao irmão eu
estou de fato praticando o evangelho e valorizado a Imagem de Deus no homem.