Вы находитесь на странице: 1из 10

2.7.1.

Valores, normas e comportamentos

"0 homem vive, toma partido, crê numa multiplicidade de valores,


hierarquiza-os e dá assim um sentido à sua existência mediante
opções que ultrapassam incessantemente as fronteiras do seu
conhecimento efectivo."
Jean Piaget, Estudos Sociológicos, Forense

Os valores são formas de ser pensar e agir que um indivíduo ou uma


sociedade consideram como modelo de comportamento, como guia das
suas condutas.
O valor é um ideal que orienta as nossas condutas. Diariamente somos
confrontados com situações que aprovamos ou rejeitamos, com coisas
que consideramos bonitas ou feias, más ou boas. Os valores estão sempre
na base das nossas condutas, sejam eles valores éticos, estéticos, religio -
sos ou económicos.

A adesão a um valor não é só racional é também emocional. Os valores


têm uma carga afectiva que constitui um factor poderoso na orientação
das nossas condutas. É esta afectividade que muitas vezes impede a
mudança. Basta pensar em todos os movimentos que lutam contra a des-
criminalização do aborto ou contra o divórcio.

Os valores têm uma existência real em todas as sociedades. Estão nas


suas camadas mais profundas e surgem à superfície, tornam-se visíveis
sob a forma de normas.

As normas são comandos gerais que regulam os comportamentos


sociais e cuja violação tem, normalmente, consequências negativas para o
infractor.
Existem vários tipos de normas, com importâncias diferentes, que ten -
tam regular a vida em sociedade: morais, religiosas, sociais e jurídicas. A
infraccao de todas elas implica sanciies mais ou menos gravosas. Na base
de todas elas estao valores considerados como ideais a atingir, como
modelos de comportamento.

Essas normas, que tern na sua base valores, vao ser os comandos que
vao orientar os nossos comportamentos sociais, ou porque concordamos
corn elas ou porque tememos as suas consequencias. As normas, tendo
em conta que reflectem valores, tern por base os ideais dominantes numa
sociedade. Por essa mesma razao, tem a adesao de uma larga maioria das
comunidades a que se aplicam. Mudando os valores, fruto da evolucao
social, mudam as normas e mudam os comportamentos sociais.

normas comportamentos

2.7.2. A socializagio e a integragio social


A socializacao, como ja referimos em momento adequado, ~ urn pro -
cesso de interiorizacao e aprendizagem de cultura. Um processo de trans-
missao de cultura. Urn processo de transmissao dos valores, das normas e
dos comportamentos adequados em determinado grupo social. 0 objec -
tivo deste processo 6 a integracao dos novos elementos no todo social e a
adequacao dos seus comportamentos aos modelos vigentes nao pondo
assim em causa a coesao do grupo social.

Evidentemente, esta socializacao no sentido da adesao as normas vigen-


tes, nao implica a sua aceitacao nem evita os comportamentos considera-
dos desviantes. 0 individuo mantem a sua liberdade de agir, o seu livre
arbitrio, conhecendo, contudo, as consequencias do seu nao acatamento
das normas vigentes.

A socializacao 6, portanto, urn processo que permite a integracao social


dos individuos, orienta os seus comportamentos no sentido da aceitacao e
adequacao as normas e permite a coesao social e a sobrevivencia do pro -
prio grupo.

2.7.3. Ordem social e comportamentos


desviantes
As sociedades organizam-se corn o objectivo de evitar a desagregacao,
perpetuar um conjunto de instituicOes e valores fundamentais para a coe-
sao do grupo. Estabelecem um conjunto de regras imperativas que vao
disciplinar as interaccOes entre os seus membros, regras formais ou infor-
mais, que vao ser urn modelo de conduta para todos. E a esta ordem
imposta a sociedade que chamamos ordem social.
©0 aspecto visual pode reflectir
comportamentos não conformistas.
A sociedade espera que todos os seus membros
aceitem estas normas e adequem os seus
comportamentos aos modelos nelas estabelecidos. A
conformidade social é a adesão aos valores, às formas
de pensar, sen tir e agir dominantes numa sociedade. A
este tipo de comportamentos, conformes às normas,
Durkheim chamou comportamento nómicos.

Contudo, nem todos os indivíduos agem em


conformidade com as normas. As normas são
impostas ao livre arbít rio dos actores sociais que as
aceitam e agem em conformidade ou não as acatam,
rejeitando os valores que lhes estão subjacentes. Os
comportamentos resultantes desta rejeição e
desconformidade são os compo rt amentos desviantes
ou os comportamentos não conformistas. São
comportamentos que não estão em conformidade
porque se desviam dos valores e das normas que são
dominantes no meio social e, por isso mesmo, impostas
aos seus membros.

Nem todos os comportamentos em


desconformidade com as regras têm a mesma
gravidade, tendo em conta que as próprias normas
sociais têm importâncias diferentes. Por essa razão,
devemos distinguir, dentro destes comportamentos,
os comportamentos desviantes dos comporta mentos
não conformistas.

Os comportamentos desviantes são aqueles que violam


as regras mais importantes para a subsistência do
próprio grupo e, por isso mesmo, a sua violação
implica as sanções mais graves. São exemplo deste tipo
de comportamentos todos aqueles que a ordem social
considera criminosos, puníveis com pena de prisão
e/ou multa. O homicídio, o furto, ofensas corporais,
falsificação, ameaças, injúrias, etc. Como constituem
uma violação clara e directa das normas mais
importantes a censura social é muito maior, impondo
a intervenção da Ordem Jurídica.

Os comportamentos não conformistas são aqueles


que implicam violações mais ligeiras e, por essa
razão, são mais tolerados socialmente, excepto
pelas camadas mais conservadoras da sociedade.
São, normalmente, os comportamentos excêntricos dos
artistas e dos intelectuais, das camadas mais jovens da
população. Excentricidade na forma de vestir,
cabelos em crista, tatuagens, piercings ou novos tipos de
famílias como as homossexuais. Enfim, situações de
desconformidade com as regras sociais dominantes
mas que não implicam, normalmente, sanções ou às
quais são aplicadas sanções leves.

Muitas vezes estes comportamentos não


conformistas são o motor, a alavanca da evolução
social. Pequenas violações que se generalizam e pro-
vocam alterações na ordem social estabelecida
levando a uma evolução dos papéis sociais.
2.7.4. 0 controlo social e as sancoes sociais
Tendo em conta que a ordem social ~ composta
por um conjunto de regras imperativas, a violacao
das mesmas tern que ter como consequencia um
conjunto de sancOes sociais.

A sociedade vai exercer sobre os seus membros uma


press-do para que tenham urn comportamento em
conformidade corn as normas. E a esta accdo que
chamamos controlo social e que utiliza como
mecanismos a socializacao, a pressdo social e as
sancoes.
Atraves destes mecanismos a sociedade vai tentar
evitar a violacao das normas, no sentido de manter a
coesdo interna e evitar a desagregacao.

Ja vimos como a socializacdo, processo de


transmissao de cultura, nos inculca regras a que, mesmo
inconscientemente, obedecemos. Voluntariamente
aceitamos papeis, obedecemos a regras, agimos em
conformidade corn a ordem social.
Mas a prOpria sociedade exerce
permanentemente pressdo sobre os individuos para
que tenham comportamentos nOrnicos. Esta
pressdo social pode exercer-se de varias formas.
Urn individuo que nan segue as regras de cortesia e
convivencia social do grupo em que esta inserido,
pode ser excluido do mesmo, ostracizado, gozado,
olhado corn desconfianca. Se, pelo contrario, as aceita,
integra-se no grupo, sendo hem visto e aceite pelos
outros como membro de pleno direito do grupo. Esta
necessidade de ser aceite socialmente, de n~() sofrer
sancOes sociais, leva-nos a ter comportamentos em
conformidade corn as normas sociais.

As sancoes sdo tambem formas de controlo social.


Todas as sociedades tem um sistema de sancOes, de
premios e de castigos. As sancOes podem ser,
portanto, sancoes positivas (prernios, elogios,
bolsas de estudo, mesada, etc.) que se destinam a
reforcar a tendencia para obedecer
norma e sancOes negativas (repreensdo, exclusdo do
grupo, ironia, critica, corte de mesada, etc.) que se
destinam a enfraquecer a tendencia para infringir a
norma.

orientam os nossos
comportamentos,
EM SÍNTESE mudando os valores,
Os valores são formas mudam as normas e
de pensar e agir que mudam os compor-
um indivíduo ou uma tamentos,
sociedade consideram A socialização é o
como modelo. processo de
0 valor é um ideal que transmissão dos
orienta as nossas con- valores, das normas e
dutas dos comportamentos
Os valores são o substrato adequados, permitindo,
desta forma, a
das normas.
integração dos
As normas são indivíduos na
comandos gerais que sociedade.
regulam os As sociedades
comportamentos estabelecem um
sociais e cuja violação conjunto de regras
está sujeita a sanções. imperativas que vão
Existem vários tipos disciplinar as relações
de normas; sociais, entre os seus
morais, religiosas e membros. É a esta
jurídicas. A violação de ordem da sociedade
qualquer uma delas que chamamos ordem
está sujeita a sanções. social.
Tendo em conta que os A conformidade social
valores são o substrato é a adesão aos valores,

às

das normas e que estas formas de pensar,


sentir e agir domi- pressão social e de
nantes numa sanções.
7 sociedade.
Os comportamentos
As sanções podem
ser positivas, sanções
nómicos são aqueles que reforçam os
que estão de acordo comportamentos
com as normas. adequados, e
Os comportamentos negativas, sanções
desviantes são os que diminuemou
resultantes da rejeição enfraquecem a
das normas. Os indi- tendência para
víduos não acatam as infringir asnormas
normas e actuam vio-
lando-as.
Os comportamentos
desviantes são aqueles
que violam as regras
mais importantes para
a subsistência do
próprio grupo,
Os comportamentos
não conformistas
implicam violações
mais ligeiras e são,
normalmente,
tolerados pelas
sociedades, excepto
pelas camadas mais
conservadoras.
Os comportamentos
não conformistas são,
muitas vezes, a
alavanca que provoca a
evolução social,
0 controlo social é a
pressão que a sociedade
exerce sobre os seus
membros para que
tenham
comportamentos em
conformidade com as
normas
0 controlo social
exerce-se através da
socialização, da

Indique se as seguintes verdadeiras ou


falsas.
afirmacoes s~o
a) A sociedade na.o B — castigos fisicos;
tolera qualquer tipo
C — promessas de
de violacdo de
normas. uma vida eterna;
b) Na vida social so D — diversas formas de
tern influencia as controlo social.
normas juridicas.
2.4. Os comportamentos
c) Os valores estdo ndo conformistas
na base das normas. permitem a evolucdo
social. Esta afirmacao
d) Os e:
comportamentos
nOmicos s'ao aqueles A — falsa, porque
que violam as regras. contribuem para a
desagregacao
social;
151 Indique a alternativa
B — verdadeira,
mais correcta:
porque
2.1. Os valores s~o: contribuem para a
alteracao dos
A— formas de pensar valores e,
e agir; consequente-
mente, das
B— o substrato das normas;
normas;
C — ideal que orienta
as nossas condutas;
D — sdo verdadeiras
todas as alternativas.
2.2. A Ordem social ~:
A— urn conjunto de
regras morais;
B — urn conjunto de
regras imperativas;
C — urn conjunto de
normas de cortesia;
D — urn conjunto de
sociedades anOnimas.
2.3.A manutencao da
ordem social ~ assegu-
rada por:
A— recompensas
materiais;
C —falsa, porque Os valores tem uma
contribuem para a poderosa carga afectiva
mudanca; que condiciona os nossos
D —verdadeira, comportamentos.
porque 4.1. Relacione valores,
impedem a normas e comporta-
mudanca. mentos.
Distinga
4.2.

Utilizando os comportamentos
conceitos desviantes de
apresentados, comportamentos ndo
complete as conformistas.
seguintes 4.3. De exemplos de
afirmaciies de comportamentos ndo
modo a que sejam conformistas.
verdadeiras:
4.4. Diga o que entende
Conceitos: por controlo social.
· sancOes
· sancOes positivas
· sancOes negativas
· controlo social
· comportamentos
desviantes
· comportamentos
tido conformistas
· socializacao

a)Os comportamentos
......... sdo aqueles que
violam as regras mais
importantes da
sociedade, enquanto
os ............ constituem
violacbes mais
a
ligeiras.
0)............................0
~ realizado atraves
da ...... , de pres-
sdo social e das.........
c) As sancOes ..contribuem
para diminuir
a tendencia para
violar a norma e as
san-
cOes ....... reforcam a
obediencia as nor-
mas.