Вы находитесь на странице: 1из 214

PORTUGUÊS DO BRASIL PARA ESTRANGEIROS

BEM-VINDO!
A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO DA COMUNICAÇÃO

LIVRO DO PROFESSOR
BEM-VINDO!
A LÍNGUA PORTUGUESA
NO MUNDO DA COMUNICAÇÃO
Português do Brasil para Estrangeiros
Livro do Professor
9a edição | 2018

© Texto: Maria Harumi de Ponce – Silvia Andrade Burim – Susanna Florissi


© Diagramação: HUB Editorial

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida ou usada
sob qualquer forma ou meio, sem consentimento por escrito por parte do Editor.

Coordenação Editorial Susanna Florissi


Assistentes Editoriais Camilla Wootton Villela/Priscila Prado
Revisão Renata Lopes Del Nero/Lilian Jenkino/Simone Zaccarias
Capa | Projeto Gráfico | Editoração Cia. de Desenho

HUB EDITORIAL
Rua Alexandre Dumas, 552
Santo Amaro – 04717-000
São Paulo SP
Tel. 55 11 3661-1150
www.hubeditorial.com.br

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Ponce, Maria Harumi Otuki


Bem-vindo! : a língua portuguesa no mundo da comunicação : livro do professor / Maria Harumi
Otuki Ponce, Silvia Andrade Burim, Susanna Florissi. -- 5. ed. -- São Paulo : Hub Editorial, 2018.

“Português do Brasil para estrangeiros”


ISBN 978-85-8076-329-4

O método Bem-Vindo! é composto por:


• Livro do Aluno
• Livro do Professor
• Áudio – acesso na Nuvem por meio de senha
• Encarte de Respostas e Transcrição do Áudio
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Asiática
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Anglo-saxônica
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Latina

1. Português - Estudo e Ensino - Estudantes Estrangeiros 2. Português - Livro-texto para estrangeiros


3. Português para estrangeiro I. Burim, Silvia Andrade. II. Florissi, Susanna. III. Título.

18-15387 CDD-469.824

Índice para Catálogo Sistemático:


1. Português : Livros-texto para estrangeiros 469.824
2. Português para estrangeiros 469.824

Iolanda Rodrigues Biode - Bibliotecária - CRB-8/10014


AGRADECIMENTOS

Agradecemos às Professoras Camilla e Maria Luiza


que colaboraram com sugestões e dicas para
o enriquecimento da nova edição deste livro.
Professor,

Visando auxiliar e facilitar a preparação das aulas, tornando-as interessantes


e dinâmicas, pede-se atenção especial aos seguintes aspectos:

ƒƒ Recomenda-se apresentar os itens gramaticais ao longo da unidade e


não de uma só vez. Após a explicação, recorra a um exercício de fixação
constante da unidade.

ƒƒ Não deixe de comentar as informações interessantes para enriquecer o


conhecimento do aluno, sugeridas no símbolo , bem como de se valer
das atividades alternativas de conversação, adaptáveis às necessidades do
aluno, contidas no símbolo .

ƒƒ Cabe ainda lembrar que os PSIUs não precisam ser introduzidos em se-
quência na ordem em que aparecem no livro e que incluem vocabulário
novo girando sobre temas variados, com os quais, no momento apropriado,
pode-se incentivar e ampliar a conversação.

ƒƒ Aplicados a nativos de idiomas latinos, a critério do professor, alguns


exercícios e|ou atividades, aparentemente dispensáveis em função da
semelhança com a língua nativa do aluno, podem ser deixados de lado,
substituídos ou transformados em treino de pronúncia.

ƒƒ É muito importante que o professor esteja bem familiarizado com os temas


abordados e preparado para “desempenhar diversos papéis” no caso,
por exemplo, de atuar com o aluno em aulas individuais, para as quais a
maioria das atividades propostas pode ser adaptada.

Dividido em cinco grupos de quatro unidades de dez páginas cada, o livro


abrange os seguintes temas:
ƒƒ A pessoa e seus relacionamentos;
ƒƒ O país e sua língua;
ƒƒ A sociedade e sua organização;
ƒƒ O trabalho e suas características;
ƒƒ O lazer.

Os tópicos gramaticais fundamentais são apresentados nos quatro primeiros


grupos (unidades 1 à 16). O último grupo (unidades 17 a 20) contém uma
revisão geral, enriquecimento de vocabulário e prática de conversação.
As unidades 1 a 16 iniciam-se por um APRENDA, enfatizando o vocabulário
em diálogos situacionais independentes do enfoque gramatical de cada unida-
de. Essa página pode ser trabalhada como aquecimento no início de cada aula.

Nas unidades 1 a 8, os tempos verbais são apresentados em cores diferentes


para auxiliar o aluno a fixar as estruturas verbais e poder compará-las num
mesmo texto.

Nas unidades 1 a 16, a segunda página corresponde ao ESTUDO DE...,


tratando-se, de maneira simplificada, de alguns pontos gramaticais acompa-
nhados por exercícios de fixação na própria página ou ao longo da unidade.

Nas unidades 17 a 20, encontram-se CURIOSIDADES, informações, sobre


a Língua Portuguesa e os países onde figura como idioma oficial, e GENTE E
CULTURA BRASILEIRA, onde foram trabalhados os traços e personalidades
do caipira, do sertanejo, do gaúcho etc.

Três Apêndices ajudam alunos e professores na dura tarefa de explicar e en-


tender a gramática da Língua Portuguesa. Veja, no final do livro, o APÊNDICE I
(O Alfabeto), o APÊNDICE II (Gramática) e o APÊNDICE III (Vocabulário).

As últimas páginas de cada unidade se apresentam da seguinte forma:


ƒƒ da U. 1 à 8 – GRAMÁTICA: volta-se especialmente ao estudo das estruturas
verbais;
ƒƒ da U. 9 à 12 – HISTÓRIA DO BRASIL: um pouco de nossa História resumida
em quatro páginas, com sugestão de perguntas e lista de vocabulário;
ƒƒ da U. 13 à 16 – CORRESPONDÊNCIA E DOCUMENTOS DIVERSOS;
ƒƒ da U. 17 à 20 – TEXTOS com finalidade de ampliar e enriquecer ainda mais
o vocabulário do aluno.

Os números ao pé da página, no masculino e no feminino, têm duas funções:


numerar as páginas e ensinar os numerais.

O método Bem-Vindo! é composto por:


• Livro do Aluno
• Livro do Professor
• Áudio – acesso na Nuvem por meio de senha
• Encarte de Respostas e Transcrição do Áudio
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Asiática
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Anglo-saxônica
• Caderno de Exercícios voltado ao público de origem Latina
TODOS EM NOVA EDIÇÃO
BE M-V INDO!
A LÍNGUA PORTUGUESA NO MUNDO DA COMUNICAÇÃO

Grupo 1 EU E VOCÊ

U. 1 Prazer em Conhecê-lo 10
U. 2 Meu Presente, Meu Passado (1) 22
U. 3 Meu Presente, Meu Passado (2) 30
U. 4 Meu Futuro 37

Grupo 2 O BRASIL E SUA LÍNGUA

U. 5 Minhas Expectativas 46
U. 6 Meus Sonhos e Desejos 52
U. 7 A Chegada 59
U. 8 O País e O Idioma 68

Grupo 3 A SOCIEDADE E SUA ORGANIZAÇÃO

U. 9 O Lar 80
U. 10 O Bairro 89
U. 11 A Educação 101
U. 12 A Saúde 108
Grupo 4 O TRABALHO E SUAS CARACTERÍSTICAS

U. 13 O Local de Trabalho 118


U. 14 O Mercado de Trabalho 126
U. 15 A Cultura Brasileira no Trabalho 134
U. 16 Trabalho, Trabalho, Trabalho… 142

Grupo 5 DIVERSÃO - CULTURA

U. 17 Lazer em Casa 150


U. 18 Saindo de Casa 156
U. 19 Esportes 162
U. 20 Arte - Música 167

Script
Transcrição do Áudio 174

Anote
Espaço para suas Anotações 207
GRUPO 1
Eu e Você

Este Grupo apresenta o presente, o passado e o futuro.


O objetivo é dar ferramentas para que os
alunos possam falar de si mesmos, de suas
lembranças, hábitos, rotina, planos e também
cumprimentar e conhecer outras pessoas.
TÍTULO: PRAZER EM CONHECÊ-LO

U1
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Presente Simples, Pronomes Pessoais,


Pronomes Interrogativos

página 1
APRENDA
Lembre-se de que esta página • Juntamente com a expressão
foi idealizada para ser usada no “Boa noite!”, muitas vezes,
decorrer da unidade, interca- dizemos: “Bom descanso!”.
lando-se com as demais! NÃO
PRECISA SER DADA DE UMA SÓ Estas são algumas das variações
VEZ OU EM SEQUÊNCIA. que podem ser dadas aos pou-
cos; nunca de uma só vez.
1. Ao introduzir os cumprimen-
tos, não se esqueça de explicar Aproveite esta página
que “Oi”, “Olá” e “Tchau” são para falar dos anos
expressões mais informais; por- bissextos (aqueles em
tanto, não devem ser usadas em que, de quatro em quatro anos,
contextos formais, por exemplo, o mês de fevereiro tem 29 dias).
ao falar com superiores. Acres-
cente também: Leve um calendário,
preferencialmente com
• A expressão “Bom fim de se- cores distintas para os
mana!”, forma como os bra- dias de fim de semana e feriados.
sileiros costumam se despedir
numa sexta-feira. 2. A leitura do alfabeto é im-
• Se sabemos que a pessoa vai portante porque é diferente
viajar ou tem um programa em cada idioma. As letras k, w
(festa, churrasco etc.), costu- e y passaram a fazer parte do
mamos nos despedir com um alfabeto da Língua Portuguesa,
“Divirta-se!”. após entrar em vigor o Acordo
• Se a pessoa tem um jogo im- Ortográfico de 1990. Essas três
portante, uma entrevista de letras, porém, são utilizadas
emprego, uma prova difícil, principalmente para transcrever
dizemos: “Boa sorte!”. palavras estrangeiras ou de influ-
ência estrangeira. Para a fixação

10
do alfabeto, devem ser usados os vezes usada quando escrevemos
costumeiros exercícios de soletrar. os números por extenso, por
Não se esqueça de ensinar as exemplo, em cheques para se
expressões: “Como se escreve?” evitar fraudes. Porém, não é a
e “Como se soletra?” antes de forma gramaticalmente correta.
fazer exercícios de fixação. Chame a atenção para a dife-
rença entre UM|UMA (artigo)
Distribua aos alunos e UM|UMA (numeral). (Veja a
cartões contendo pa- lista de Números Cardinais no
lavras isoladas e peça- Apêndice IV, página 243.)
-lhes que, em pares, ditem um
ao outro as palavras que cada
um deles recebeu.

Não se esqueça de fa-


página 2
zer referência ao Apên-
dice I da página 202
ESTUDO DE…
do Livro do Aluno e chame a Lembre-se de que esta página
atenção para as vogais abertas e foi idealizada para ser usa-
fechadas. As nasais também são da no decorrer da unidade,
difíceis para alguns estrangeiros. intercalando-se com as demais!
Os japoneses, por exemplo, sen- NÃO DEVE SER DADA DE UMA
tem dificuldades para diferenciar SÓ VEZ, EM SEQUÊNCIA. Toda
o “r” do “l”, assim como para vez em que for trabalhar
pronunciar os seguintes sons: a página do Estudo de...
“rr”, “si”, “tu”, “fa”. Já os falantes não se esqueça de chamar
de espanhol têm dificuldade em a atenção do aluno para
pronunciar os fonemas repre- as páginas do Apêndice III
sentados por “ã”, “ão”, “lh”, “z” onde colocamos explicações
e “v”, como em “casa”, “velho”, de vários tópicos gramaticais
“cabelo”, “irmã”, “irmão”, dentre (páginas 205 a 218).
outros. Deve-se prestar atenção
à dificuldade de cada aluno e 1. Não se prenda demasiada-
estimular a pronúncia correta. mente à estrutura e às explica-
ções gramaticais, mas, ainda
Ao ensinar os números, assim, mostre claramente a
explique que apenas estrutura da frase em português.
o 1 (um) e o 2 (dois) Enfatize que, no uso oral, a ento-
variam em gênero (uma, duas) nação é extremamente importan-
e que HUM é a grafia muitas te para dar ideia de negação e,

11
especialmente, de interrogação. carro, os carros etc.), assim como
Use o áudio preparado para os adjetivos concordam com o
acentuar essa diferença. substantivo (um carro amarelo,
umas casas amarelas etc.).
Faça cartões com as
palavras abaixo, emba- 4. Mostre que, geralmente, o ad-
ralhe-os e coloque-os jetivo vem depois do substantivo,
sobre a mesa. Peça aos alunos embora existam exceções impli-
que formem frases, em pares. cando diferença de significado,
Carla gosta de pipoca. como, por exemplo: pessoa
grande|grande pessoa; pobre
Paulo e Maria são atores.
menino|menino pobre.
Os professores estão na sala.
As bolas azuis não custam muito. 5. Explique a existência de adje-
tivos que não variam em gênero,
Onde estão os diretores?
como, por exemplo: casa verde,
Forme outras frases, de acor- carro verde, livro azul, caneta
do com o nível e o número de azul etc.
alunos, recorte-as, cole-as em
cartões e proceda como ante- Introduza as Conjuga-
riormente. ções dos Verbos aos
poucos, começando
2. Explique a diferença entre o pelos verbos do primeiro texto:
artigo definido e o indefinido. ser, ter e estar. Depois, introduza
Dê exemplos: “Qual é a dife- os verbos regulares e por último
rença entre “o menino” e “um os verbos irregulares, também
menino”?”. A compreensão é aos poucos. Explique que os
sempre facilitada quando se verbos são divididos em três con-
usa a gramática em contextos, jugações, com terminações em
em frases simples, como, por “ar”, “er” (“or”) e “ir”, as quais
exemplo: “Dois meninos brincam determinam como os verbos são
na rua: um está com uma blusa conjugados. Os verbos termina-
amarela e um, com uma blusa dos em “or” são considerados
azul. O menino de blusa azul é verbos da segunda conjugação,
meu filho!”. pois originalmente vêm do latim
3. Explique também a importân- poer. Poucos verbos são termi-
cia da concordância nominal: nados em “or” (veja a página 10
os artigos variam de acordo – Gramática – como referência).
com o gênero e o número do
substantivo (a casa, as casas, o

12
página 3 “Quantos anos têm seus pais?”;
“Eles estão no Brasil?”; “Onde
eles moram?”.
1. Antes de apresentar o texto
“Eu e minha família”, esclareça Trabalhe com cartões
que a cor verde foi escolhida de visita para que o
para apresentar os verbos no aluno apresente outras
Presente do Indicativo, em con- pessoas a você. Prepare
traste com outros tempos ver- cartões variados com diversas
bais no decorrer das primeiras profissões e diferentes naciona-
unidades. lidades. Para treinar os números,
peça aos alunos que repitam o
Frases do texto como: número do telefone da firma e o
“Estou feliz em traba- da casa deles.
lhar.”; “Está contente
em estudar.”; “Estou estudan- 2. Toque o áudio primeiro com o
do.”; “Logo começaremos.”, não livro fechado e, depois, aberto.
devem ou precisam ser detalha- Solicite aos alunos que, nova-
damente explicadas do ponto mente, fechem o livro, tocando
de vista gramatical. Informe aos o áudio e parando a cada frase
alunos que tais aspectos serão ou a cada parte da frase (de
examinados posteriormente. acordo com o nível do grupo
ou do aluno). Alternando os
Se possível, trabalhe alunos, peça-lhes que repitam
estas perguntas antes de individualmente e, em seguida,
introduzir o texto: “Qual em grupo. Corrija a pronúncia.
é o seu nome?”; “Você é Cuidado para não se fixar de-
japonês?”; “Quantos anos você mais em um problema específico
tem?”; “A sua esposa é japone- para evitar inibir o aluno.
sa?”; “Qual é o nome dela?”;
“Quantos anos ela tem?”; “Vocês 3. Trabalhe os Pronomes Pessoais
têm filhos?”; “Qual é o nome usando o texto do livro.
deles?”; “Quantos anos eles
têm?”; “Há quanto tempo você 4. Ensine a conjugação dos
está no Brasil?”; “Estou no Brasil verbos ser, ter e estar, fazendo
há ______ dias|semanas|me- sempre referência à página 10.
ses|anos.”; “Onde você mora?”; Peça aos alunos que preencham
“Você gosta do Brasil?”; “Você
os espaços do exercício 1 so-
tem irmãos|irmãs?”; “Ele|a
é solteiro|a?”; “Ele|a está no mente com os verbos ser – ter
Brasil?’; “Onde ele|a mora?”; e estar. Dê alguns minutos para
que verifiquem as respostas com

13
um colega; então, toque o áudio irmão: médico - 37 anos - Espa-
(duas ou três vezes, dependendo nha - irmã: dentista - 32 anos -
do nível dos alunos) para que Portugal | Carlos - mexicano -
todos corrijam o exercício. Nas 18 anos - estudante - solteiro (ma-
segunda e terceira vezes, faça nhã - casa|tarde - faculdade) -
uma pausa quando necessário. família: pai, 1 irmão - pai: poli-
Podem surgir dúvidas entre: ser cial - México - irmão: 20 anos -
casada e estar casada. Explique estudante - México.
a diferença de significado. Uma
boa comparação é obtida com os 6. Usando as perguntas da trans-
exemplos: “Ela é gorda.” e “Ela ferência, sugira, como tarefa, que
está gorda.” (ideia de tempora- os alunos entrevistem um colega
riedade); “Sou feliz.” ou “Estou brasileiro e relatem a experiência
feliz.”; “Ele é bonito.” (sempre) à classe na aula seguinte.
ou “Ele está bonito.” (hoje).
Peça aos alunos que se
5. A transferência deve ser fei- apresentem. Por exem-
ta com o livro fechado. Nesta plo: “Muito prazer. Meu
oportunidade, o professor avalia nome é ______ e sou _____ (na-
a pronúncia e a entonação do cionalidade|faça referência ao
aluno. Repetem-se as questões PSIU da página 7). Tenho ________
várias vezes até que o próprio anos e sou _____ (profissão).
aluno possa entrevistar seu co- Sou (casado|solteiro) e (não)
lega de sala ou o professor sem tenho ____________ (número)
o auxílio do livro. ____ filhos.” etc. O professor
pode falar de si mesmo como
Uma variação desta ati- exemplo. Estimule o uso de
vidade pode ser com frases negativas, destacando o
cartões contendo infor- uso do não antes dos verbos.
mações sobre persona- Estimule-os também a utilizar os
gens fictícias. Os alunos devem, adjetivos (ex.: “sou feliz”; “estou
então, trabalhar em pares e res- contente”) e solicite informações
ponder como se as informações sobre os demais membros da fa-
fossem verdadeiras. Ex.: Louise - mília. Para exemplificar, coloque
francesa - 35 anos - advogada na lousa, no final ou começo da
(manhã - escritório|tarde - casa) - aula, estas estruturas:
casada - 1 filha - 8 anos - marido - Eu sou (nome).
36 anos - vendedor - família:
Eu tenho.... filhos.
pai, mãe, 1 irmão, 1 irmã -
pai: engenheiro - França, Paris - Você é (profissão).

14
Você tem.... anos. 2. Exercício 3: Os alunos devem
Ele é (nacionalidade). trocar informações em grupos
sobre as pessoas das fotos. De-
Ele tem.... (posses).
pois, em pares, devem praticar
Ela é (adjetivo). as perguntas e respostas a par-
Ela tem.... carro(s). tir das informações obtidas no
Eu estou no Brasil. livro. Faça conforme o exemplo
Você está em Portugal. do livro.
Ela está na Espanha etc. Esta é uma oportuni-
dade para os alunos
Sugestão de tarefa a ser
falarem sobre pessoas
desenvolvida em casa:
famosas de seus países.
usando o exemplo do
texto “Eu e minha famí- Use os modelos de car-
lia”, peça ao aluno que escreva tões abaixo, distribuin-
sobre sua própria realidade,
do-os aos alunos para
usando as estruturas gramaticais
que usem as informa-
aprendidas.
ções, respondendo às pergun-
7. PSIU – Chame a atenção dos tas dos colegas: “Qual é o seu
alunos para os apelidos que são nome?”; “De onde você é?” etc.
comumente utilizados no Brasil. Em seguida, faça um jogo de
O professor pode aproveitar para memória em grupo: “De onde
comentar sobre outros tipos de Dolores é?”; “Quantos anos tem
apelidos, e explicar o porquê Wilson?”. Refira-se aos nomes
deles. Exemplo: “bambu” (magro dos cartões.
e alto), “pituca” (pequena), “gê-
nio” (inteligente), “gambá” (não
gosta de tomar banho), “mestre” John Hodges - Estados Unidos -
(professor| aquele que orienta e americano - 20 anos - estu-
lidera) etc. dante - solteiro

Helen Johnson - Estados Uni-


página 4 dos - americana - 24 anos - se-
cretária - casada - mexicano -
2 filhos - 6 meses, 2 anos
1. Exercício 2: Peça aos alunos
que trabalhem em pares. Corrija
o exercício em grupo.

15
Manoel Fonseca - Portugal - Maria Aparecida da Silva -
português - 30 anos - advo- Brasil - brasileira - 33 anos -
gado - casado - portuguesa - médica - solteira
2 filhos - 5 e 7 anos
3. Exercício 4: Peça aos alunos
Marie Clair - França - francesa - que tragam fotos de seus ídolos,
36 anos - dentista - casada - de preferência de alguém que
francês - filha - 8 anos seja conhecido internacional-
mente, para fazer o joguinho de
adivinhação. No caso de aluno
Giovanni Tersarioli - Itália - individual, o professor também
italiano - 50 anos - vendedor deve levar uma foto.
de carros - casado - brasileira -
3 filhos -16,18 e 20 anos

página 5
Mirian Lee - China - chinesa -
47 anos - casada - chinês -
dona de casa - 1 filho - 1. Toque o áudio com o livro
20 anos fechado e faça perguntas de
compreensão do tipo: “O que
Benedita faz?”; “De onde ela
Wilson Nakashima - Japão - é?”; “Tem irmãos?” etc. Toque
japonês - 28 anos - engenhei- o áudio novamente e peça aos
ro - solteiro alunos que acompanhem o
texto. Até então, foram vistos os
verbos ser, ter e estar. Aproveite
Dolores Perez - Espanha - es-
a última fala de Benedita para
panhola - professora - apo-
apresentar as conjugações dos
sentada - 54 anos - casada -
verbos regulares no Presente
espanhol - 4 filhos - 19, 22,
do Indicativo. Faça referência à
26, 27 anos
página 10 e apresente o verbo
“partir” para exemplificar a ter-
Helmer Gunter - Alemanha - ceira conjugação.
alemão - 40 anos - policial -
2. Exercite também o diálogo e,
casado - alemã - 1 filho -
caso necessário, refaça-o com
16 anos
informações reais dos alunos.

16
Exercício 5: Após ter página 6
corrigido o exercício em
grupo, solicite que cada
aluno faça uma frase in- Pode-se escrever na lou-
correta a respeito do texto sobre sa as respostas, pedindo
Benedita Costa e que escolha aos alunos que incluam
um colega para corrigi-la. mais 3 informações em cada
item, para depois trabalhar oral-
3. Esta transferência, se os alu- mente o uso do verbo TER. Expli-
nos trouxerem fotos de suas que a diferença na acentuação
famílias, permite que possam do tem singular e do têm plural.
trocar informações verdadeiras Ex.: “Quem tem...?, Eu tenho ...”
sobre si mesmos. Encoraje-os ou “Marcelo tem ...”. Escreva os
a serem bem curiosos! Ex.: “Ah, nomes dos possuidores. Releia
esta é sua irmã. Bonita moça, as frases ou peça que os alunos
hein! Quantos anos ela tem? o façam. A ideia é estimulá-los
Ela tem namorado? Seus pais a a repetir várias vezes o verbo ter.
deixam viajar sozinha?” etc.
1. Exercício 7: Enfatize novamen-
Monte com os alunos te a diferença de uso dos verbos
uma miniárvore genea- SER e ESTAR, antes ou mesmo
lógica somente com os depois de os alunos preenche-
nomes dos familiares. rem as lacunas com os verbos.
Em seguida, os alunos devem Para colocar as ‘informações
trocar as árvores genealógicas sobre você e um amigo’, peça
e tentar adivinhar quem são as aos alunos que circulem pela
pessoas: avô, tia, cunhado etc. sala enquanto você toca uma
música. Quando a música pa-
4. PSIU – coalhada; ovo quente;
rar, os alunos devem verificar
omelete; pão doce|de forma|in-
quem está ao seu lado e fazer o
tegral|baquete|pãozinho fran-
exercício, colocando informações
cês; frios (presunto, mortadela,
sobre os dois.
copa, salame etc.); queijo pra-
to|do reino|de minas etc. 2. Exercício 8: Peça aos alunos
que circulem novamente pela
sala dançando ao som da mú-
sica. Quando a música parar
novamente, eles devem entre-
vistar o colega que estiver ao
lado, e formule frases com as

17
informações colhidas. Para aulas para o escritório?”; “Adachi fala
individuais, o aluno deve entre- português?” etc.
vistar o professor. Se o professor
já tiver sido entrevistado para o 3. O exercício 9 pode ser su-
exercício 7, poderá fazer o papel gerido como tarefa e corrigido
de algum outro personagem, oralmente na aula seguinte ou,
como um cantor, um político, um ainda, ser usado como atividade
amigo etc. de aquecimento no início da
aula.

4. Na transferência, encoraje os
alunos a descobrir o que eles têm
página 7 em comum com os colegas de
sala. Sugerimos que o professor
1. Toque o áudio com o livro faça as perguntas a um aluno,
aberto e peça aos alunos que que faz as mesmas questões ao
observem os verbos na cor ver- colega ao lado, e assim por dian-
de, conjugados no Presente do te. Após todos terem respondido,
Indicativo. o professor pergunta: “Quem
lembra o que Rose faz nas horas
Neste texto, são intro- livres?”; “Ela fala espanhol?”; “E
duzidas as horas. Se José?”. E, por fim, cada aluno
achar que ainda não diz o que tem em comum com
deve trabalhar com tal assunto, alguém da sala.
adie a explicação. Caso con-
trário, use a página APRENDA 5. O exercício 10 é importantíssi-
da unidade 2 e faça perguntas, mo, pois, na narrativa, os alunos
como: “A que horas acorda|al- podem e devem ser incentivados
moça|começa|termina” etc. a usar suas próprias estruturas
e seu próprio vocabulário. Não
Quando se referir ao os interrompa demais. Corrija
café da manhã use o apenas erros com a conjugação
PSIU da página 5. do Presente para evitar inibição.
Os alunos devem usar estas
2. Após ter trabalhado bem o informações como guia para
vocabulário do texto, faça per- entrevistar o colega e responder
guntas simples para verificar às questões. Ex.: A – “Por que
a compreensão: “Que tipo de você veio ao Brasil?”; B – “Estou
pessoa é Adachi?”; “Por que ele aqui a serviço.”
está no Brasil?”; “Como ele vai

18
6. PSIU – Apresente outras na- alunos façam o exercício e com-
cionalidades: peruana, inglesa, pletem as perguntas. Enfatize o
chinesa, escocesa, irlandesa, fato de que pode haver mais de
boliviana, mexicana etc. (Veja uma possibilidade de respostas.
o Apêndice IV da página 220.)
Explore bem este con-
teúdo, para aumentar
consideravelmente o
página 8 vocabulário e para se fazer exer-
cícios de conjugação de verbos.
1. Exercício 11: Dê alguns minu- 2. Trabalhe a transferência em
tos para que os alunos comple- pares ou trios. O aluno ouve o
tem o exercício antes de tocar o colega sobre a rotina dele|dela,
áudio. Depois, corrija-os, fazen- e depois a relata para o restante
do uma pausa após cada item. da turma.
Faça-os repetir cada frase. Toque
o áudio mais uma vez, mas, ago- Enquanto um aluno es-
ra, com o livro fechado, os alunos tiver falando sobre sua
só repetem as frases uma a uma. rotina, os demais devem
interrompê-lo com per-
2. Exercício 12: Todas as informa-
ções necessárias para formar fra- guntas do tipo:
ses estão nos textos da unidade. “Você acorda sempre bem-hu-
morado?”; “Quanto tempo você
Exercício 13: O profes- leva para tomar um café da ma-
sor pode chamar dois nhã bem caprichado?”; “O trân-
ou três alunos (depen- sito é sempre muito pesado para
dendo da classe) para você ir de casa ao trabalho?” etc.
secretariar os grupos. Divide-se
a sala em dois ou três times e to- Peça que os alunos fa-
dos do grupo podem acrescentar çam a programação de
informações ao verbo dado no uma semana de segun-
infinitivo. da a domingo e relatem
aos colegas de sala. Este mesmo
exercício poderá ser usado na
U. 2 para exercitar o Pretérito
página 9 Perfeito. É um bom exercício para
memorizar os dias da semana e
as horas também.
1. Exercício 14: O professor
deve dar um tempo para que os

19
3. PSIU – frutos do mar, peixe, Ler: leio, lê, lemos, leem, (lês,
camarão, lagosta, siri, carangue- leis); Passear: passeio, passeia,
jo, bacalhau, farofa, peru, ches- passeamos, passeiam, (passeias,
ter, purê, macarrão, lasanha, passeais); Poder: posso, pode,
nhoque etc. podemos, podem, (podes, po-
deis); Preferir: prefiro, prefere,
Prepare um minicardá- preferimos, preferem, (preferes,
pio com os pratos mais preferis); Saber: sei, sabe, sa-
comuns da mesa do bra- bemos, sabem, (sabes, sabeis);
sileiro. Peça aos alunos Sentir: sinto, sente, sentimos,
que formem frases com as gravu-
sentem, (sentes, sentis); Trazer:
ras apresentadas. Complemente,
trago, traz, trazemos, trazem,
se necessário, com perguntas
(trazes, trazeis); Ver: vejo, vê,
do tipo: “De quais comidas você
vemos, veem, (vês, vedes).
sente falta quando fica longe do
seu país?”.
SUGESTÃO PARA MATERIAL
VISUAL: bandeiras de diversos
página 10 países; profissões (gravuras);
pratos típicos brasileiros e verbos
irregulares.
Nesta página são apre-
sentados alguns verbos
irregulares.
Observe que os verbos regulares
têm as terminações sinalizadas
em verde.
No quadro ATENÇÃO, enfatiza-
-se o uso da palavra não antes
dos verbos na forma negativa.

OUTROS VERBOS IRREGULARES


No Presente do Indicativo – Dar:
(eu) dou, (você, ele|a) dá, (nós)
damos, (vocês, eles|as) dão, (tu
dás, vós dais); Dizer: digo, diz,
dizemos, dizem, (dizes, dizeis);

20
ANOTAÇÕES
TÍTULO: MEU PRESENTE, MEU PASSADO (1)

U2
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Pretérito Perfeito, Pronomes Possessivos,


Pronomes Reflexivos e Conjunções

página 11
APRENDA
Horas: Uma sugestão marcada (Tenho hora marcada
para o aprendizado das com o dentista hoje.); não ver a
horas é levar relógios hora de (Estou ansiosa. Não vejo
desenhados, em que os alunos a hora de receber o presente.);
deverão colocar os mostrado- melhor hora (A melhor hora do
res com as horas ditadas pelo dia é quando chego em casa e
professor. encontro minha esposa e meus
filhos.); vir em boa hora (O seu
Algumas expressões telefonema veio em boa hora.
com “hora”: estar na Eu estava muito deprimida.); isto
hora (Está na hora de é hora? (Isto é hora de chegar?
um aumento de salário.); em Você está quase duas horas
cima da hora (Vamos chegar em atrasado!).
cima da hora.); perder a hora
(Não consegui acordar cedo. Explique a diferença
Perdi a hora e cheguei atrasado entre meio-dia e meio
ao serviço.); hora “H”(O socorro e meio-dia e meia. Para
chegou na hora H.); horas e se referir à hora (12:30) é IN-
horas (Fiquei horas e horas pre- CORRETO dizer meio-dia e meio
so no trânsito.); em outra hora (um dia e meio). A forma correta
(Vamos conversar em outra hora; é meio-dia e meia (12:30 = meio
agora estou muito ocupado.); dia + meia hora).
fazer hora (Como ainda faltava
uma hora para o encontro, entrei Números ordinais:
no shopping para fazer hora.); Pr o v i d e n c i e c a r t õ e s
fazer hora extra (Como o traba- com números isolados
lho estava acumulado, tivemos para que os alunos montem
que ficar até quase meia-noite os números ordinais ditados
fazendo hora extra.); ter hora pelo professor. Acrescente:

22
1000 - milésimo|1005 - milésimo seja feito o exercício 10 da pá-
quinto|1.000.000 - milioné- gina 17.
simo etc. Expressão: “Esta é a
milionésima e última vez que eu Peça aos alunos que
digo a mesma coisa! Preste mais completem cada uma
atenção na próxima vez.” das frases da gravura
com um advérbio. Ex.:
Enfatize o uso de mas- lentamente, profundamente,
culino e feminino e de calmamente, alegremente etc.
singular e plural para
os ordinais. Dê exemplos e, 3. Preposição + artigo: Expli-
como tarefa, solicite aos alunos que que as contrações com a
que façam frases com alguns dos preposição “em” são, às vezes,
ordinais. opcionais (ex.: Ficamos em um
[ou: num] hotel perto da praia.
Moramos nos Estados Unidos [e
não: em os Estados Unidos] por
página 12 um ano.). O mesmo não ocorre
com outras contrações que são
ESTUDO DE… obrigatórias. Sugerimos que seja
feito o exercício 5 da página 15.
1. Possessivos: Para os alunos
que falam inglês como primeiro Conjugações: Após a lei-
ou segundo idioma, este ponto tura, peça que um aluno
não deveria apresentar maiores comece uma frase e
problemas. O problema maior, pare na conjunção para
neste caso, é o uso de seu|sua = que um outro colega a termine.
dele|dela, que tentamos enfati- Ex.: “Quero muito ver aquele
zar no quadro. Explique e forme filme, mas...”; “Ana está com dor
algumas frases com os alunos. de cabeça, por isso...” etc.
Sugerimos que seja feito o exer-
cício 11 da página18.

Seu – contrário de página 13


meu e NÃO de você
Seu – igual a dele|dela
1. Desta vez, a cor vermelha foi
2. Reflexivos: Comente a dife- introduzida para indicar o Pre-
rença entre pronome reflexivo térito Perfeito do Indicativo. O
(Eu me cortei.) e recíproco (Eles tempo verbal deve ser explicado
se abraçaram.). Sugerimos que antes de ser feita a leitura e|ou

23
de ser tocado o áudio. Caso ne- página 14
cessário, faça uso da página 20,
sempre salientando as cores dos
verbos. Os verbos no Presente 1. Exercício 4: Este exercício,
(cor verde) mostram o contraste a ser feito em pares, deve ser
entre os tempos em que as ações muito bem explicado antes.
acontecem. Não se esqueça de falar sobre
a diferença entre o ‘Estado do
2. Exercício 1: Sugestão de per- Rio de Janeiro’ e a ‘cidade do
guntas: Quando ele nasceu?; Rio de Janeiro’. Caso a aula seja
Quem ficou orgulhoso com o seu individual, faça o exercício duas
nascimento?; Quem foi convida- vezes invertendo-se os papéis:
do para a festa?; Quantos anos ora o aluno é o personagem A,
ele tem?; Qual é o nome da sua ora o B.
irmã?; Onde ele trabalha?; O que
ele faz nos fins de semana? etc. Explique a diferença
entre onde (estático) e
3. PSIU – Os cortes de carnes aonde (ideia de mo-
em muitos países são diferentes vimento). “Onde você mora?”;
dos cortes no Brasil. Mencione “Aonde|Para onde você vai de-
também que, normalmente, em pois da aula?”.
churrascos, podemos ter peixe,
frango, coração de galinha, lin- Após o exercício diri-
guiça, salsicha e porco e que as gido, mude os pares
carnes mais apreciadas são: ma- e peça que façam o
minha, picanha e alcatra. (Veja o mesmo exercício, agora
Apêndice IV da página 223.) com situações reais. Circule pela
classe, ajudando com o vocabu-
Mencione que o chur- lário e corrigindo possíveis erros.
rasco é muito comum
(especialmente nas re-
giões Sul, Sudeste e Centro-Oes-
te) em festas e comemorações. página 15
Existem empresas especializadas
em oferecer esse tipo de serviço,
mas, muitas vezes, os próprios 1. Exercício 5: Volte ao “Estudo
anfitriões se responsabilizam de”, caso não tenha sido feito,
por fazê-lo. Muitos edifícios já antes deste exercício ou de pe-
contam com churrasqueiras, não di-lo como tarefa. Fale da dife-
só na área comum, mas também rença, inclusive a de pronúncia,
nas varandas dos apartamentos. entre pelo (substantivo), pelo

24
(contração da preposição com o (fizeram) no ano anterior, para
artigo) e pelo (verbo pelar). Ex.: que, posteriormente, possa(m)
1 – Andamos umas duas horas usar estes temas em perguntas
pelo parque. 2 – Tenho tanto feitas um ao outro.
medo que me pelo! 3 – O pelo
da ovelha é muito macio.

2. Exercício 6: Visa reforçar o página 16


uso do Perfeito. Pode ser feito
em casa e corrigido em aula.
Informe ao aluno que não é 1. Exercício 7: Exercício de revi-
necessário usar os desenhos na são dos verbos ser, ter e estar.
sequência, podendo-se, até, in- Esta, assim como todas as ativi-
cluir outras informações. As ilus- dades em que se sugere o uso
trações são dicas de vocabulário. do telefone, deve ser feita com
os alunos sentados de costas uns
3. O professor deve estender-se para os outros (ou para o profes-
bastante nesta transferência sor). Mostre o uso de donde (=
para estimular o uso do Perfei- de onde).
to. Conforme a conversação for
De acordo com as di-
acontecendo, tente estimular o
ferentes realidades dos
uso do Presente em contraste
alunos, o professor deve
com o Perfeito. montar situações em
tiras de papel e passá-las para
4. PSIU – Explique o que é uma
os alunos para que as pratiquem
cocada: doce feito com bastante
(não se esqueça de mudar os
açúcar e coco. Pode ser branca
pares a cada nova atividade).
ou marrom. Solicite nomes de ou-
Tente criar situações, possibili-
tras frutas e fale de sobremesas tando ao(s) aluno(s) inventar(em)
preferidas. Outras sobremesas: suas próprias desculpas no caso
pudim, mousse, quindim, bomba de recusas. Aqui estão algumas
de chocolate, gelatina etc. Fru- sugestões:
tas: maçã, pera, abacaxi, limão,
pinha, jabuticaba, cajá, caju, 1 – A = você B = um amigo
acerola, pitanga, graviola etc. B acaba de voltar de uma viagem
(Veja Apêndice IV da página 222.) de negócios. Telefone a ele e
pergunte sobre a viagem, o ob-
Sugere-se que o profes- jetivo da viagem, os negócios, o
sor vá listando na lousa tempo de permanência, o clima,
o que o(s) aluno(s) fez os costumes, a comida etc.

25
2 – A = você B = um cliente de meus pais! Sempre sonhei
B lhe telefona para fazer uma re- com este dia!
clamação sobre um produto com Vocês sabem o que eu fiz neste
defeito, que ele comprou de sua dia tão especial? Convidei ami-
empresa. Como você contornaria gos para ir beber, é claro! Depois
essa situação? assistimos a um filme para maio-
res de 18 anos. Depois fui fazer
3 – A = você B = um cliente matrícula em uma autoescola.
Você marcou um almoço de Quero dirigir logo!
negócios com B, mas surgiu um À noite, minha família deu uma
imprevisto e você tem de des- festa em casa para comemorar
marcar o encontro. Explique-se e meu aniversário. Convidaram
marque a reunião para outro dia. meus amigos mais próximos
Verifique a disponibilidade de B. e alguns vizinhos. Ganhei um
monte de presentes... Comemos,
2. Antes de ler o texto, trabalhe bebemos, dançamos, cantamos e
somente com o tema e o voca- conversamos muito! Foi um dia
bulário apresentado, para que bem legal!
o aluno formule perguntas, cujas
O que eu vou fazer amanhã?
respostas espera encontrar no
Ir à minha primeira aula na
texto. Pode-se acrescentar um autoescola.
jogo para a execução deste exer-
cício: o aluno A joga a bola para
um colega (B) e faz a pergunta.
O colega B, por sua vez, deverá página 17
responder de acordo com o que
espera encontrar no texto. A che-
cagem será feita através da leitura 1. Exercício 9: Antes do exercí-
do texto e cada um receberá um cio de audição, trabalhe com o
ponto a cada informação correta. vocabulário novo que aparece
Ganha quem acumular maior no áudio, tais como: ‘acabaram
número de pontos. Veja abaixo o de...’ (chegaram agora), ’tava
texto que deverá ser entregue aos o maior sol’ (fez muito calor),
alunos no dia da atividade. ‘deixou a gente ir’ (permitiu),
“tá na hora de...” (é hora de...),
Blog diário – Um dia Especial na pipoca, intervalo|recreio (coffee
vida da Aninha... break) etc. Trabalhe também as
Ontem foi meu aniversário. expressões de despedida: ‘Até
Completei 18 anos! Agora sou mais’, ‘A gente se vê...’ ou o ‘Até
adulta e posso beber, dirigir e até qualquer dia’ que aparecem no
me casar, mesmo sem permissão exercício seguinte etc.

26
Explique que, na escri- mas deixe livre para o aluno ima-
ta, não se inicia a frase ginar a situação e a expressão
com pronome oblíquo, adequada para essa situação.
o que é muito comum na lingua-
gem falada. Ex.: “Me disseram 3. Exercício 13: Enfatize a possi-
que você vai ser promovido!”. bilidade de se usar cada conjun-
ção diversas vezes.
2. Leia o relato sobre uma ma-
nhã inusitada, dando ênfase ao
uso dos reflexivos. Trabalhe a
transferência, pedindo também página 19
que os alunos relatem as ações
do dia a dia, como levantar-se,
pentear-se, lavar-se, vestir-se, 1. Exercício 14: Faça a revisão de
trocar-se etc. adjetivos e pronomes possessivos
antes de pedir aos alunos que
3. PSIU – Sugerimos levar para façam o exercício. Sugerimos
a aula fotos dos peixes listados fazê-lo em aula em voz alta.
(Veja Apêndice IV da página 223.)
2. Exercício 15: Fale um pouco
Fale de peixe fresco, sobre a festa do Boi-Bumbá,
congelado, frito, assa- que é a encenação da história
do, grelhado, empana- contada no Brasil.
do, filé de peixe etc.
3. PSIU – Se possível, use meios
de transporte na conversação.
Sugestão de perguntas para
página 18 discussão: “Você já viajou de
trem?”, “Como foi?”, “Quando
foi a última (ou primeira vez)
1. Exercício 11: Enfatize que os
que...?”, “Pra onde você foi?”,
pronomes possessivos em portu-
“Quanto tempo levou?”, “Qual
guês concordam com as pessoas
é o meio de transporte mais pe-
gramaticais a que se referem, bem
como com aquilo ou aquele que rigoso|seguro?”, “Você já sofreu
lhe cabe ou lhe pertence. Pense algum acidente de...?”, “Você
em várias situações que possibi- tem medo de viajar de...?” “Já
litem ao aluno usar tanto o “meu pediu carona de caminhão?”,
carro”, quanto o “o meu”... “Você costuma dar carona?” etc.

2. Exercício 12: Colocamos uma


expressão para cada ilustração,

27
página 20 vistes). Alguns Verbos Irregulares
na 1ª pessoa somente: Ler (eu li);
Ficar (eu fiquei – explique que a
Não se esqueça do irregularidade ocorre na escrita;
quadro ATENÇÃO! Ao pela pronúncia, o verbo é regu-
introduzir o verbo gos- lar); Jogar (eu joguei); Trocar-se
tar, enfatize o uso da preposição (eu me troquei).
de: gostar de + algo|alguém.
“Gosto de carro novo.” “Gosto de
meu pai.” “Gosto dele.” Indique SUGESTÃO PARA MATERIAL
que quando é seguido de uma
VISUAL: Verbos Irregulares; pei-
ação no infinitivo também pede
xes; vaquinha (com os cortes de
preposição. “Gosto de estudar.”
“Gostamos de viajar.” Ao intro- carne); legumes e verduras.
duzir o verbo começar, saliente o
uso da preposição “a” + verbo no
infinitivo: “Começo a trabalhar.”
Ao introduzir o verbo terminar,
enfatize o uso da preposição “de”
+ verbo no infinitivo: Termino de
fazer a tarefa. Quando introduzir
os verbos ir, vir, voltar ou viajar,
destaque o uso obrigatório das
preposições a ou para: “Ir à Rús-
sia.” “Vir ao Brasil.” “Voltar aos
EUA.” “Viajar à Europa.”

OUTROS VERBOS IRREGULARES


No Pretérito Perfeito do Indica-
tivo:
Dar: dei, deu, demos, deram,
(tu deste, vós destes). Dizer:
disse, disse, dissemos, disseram,
(tu disseste, vós dissestes). Sa-
ber: soube, soube, soubemos,
souberam, (tu soubeste, vós
soubestes). Trazer: trouxe, trou-
xe, trouxemos, trouxeram, (tu
trouxeste, vós trouxestes). Ver:
vi, viu, vimos, viram, (tu viste, vós

28
ANOTAÇÕES
TÍTULO: MEU PRESENTE, MEU PASSADO (2)

U3
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Imperfeito do Indicativo, Gerúndio,


Comparativos|Superlativos

página 21
APRENDA
1. As fotos das estações do chuvisco, neblina, cerração,
ano foram escolhidas para dar tempestade, tufão, ciclone, chu-
margem à discussão por meio va de granizo, neve, relâmpago,
de perguntas, como, por ex.: “O trovão, umidade do ar, seca,
que o brasileiro faz em deter- inundação etc.
minada estação? Como são as
estações em outros países? Qual 2. Dependendo do nível dos
é a estação de que (cada aluno) alunos, ao introduzir o vocabu-
mais gosta? Por quê?”. Incen- lário das luas, trabalhe também
tive os alunos a falar sobre as o de “maré alta, maré baixa” e
características de cada estação a expressão: “A maré não está
do seu país. para peixe.”.

Traga um artigo de jor-


nal ou uma gravação
para que o aluno se página 22
acostume a ler, ouvir
e entender uma previsão do ESTUDO DE…
tempo. O tempo é sempre um
assunto que surge naturalmente Para exercitar a separação silábi-
numa conversação. Em um país ca, sugerimos exercícios orais ou
como o Brasil, onde as estações escritos (tipo ditado) que podem
não são muito definidas, tem-se, ser feitos facilmente sem tomar
em algumas regiões, o clima das muito tempo. Peça aos alunos
quatro estações no mesmo dia. que consultem esta página quan-
do precisarem separar sílabas na
Dê também, se for escrita, até que se acostumem
oportuno, o seguin- com este aspecto do idioma.
te vocabulário: garoa,

30
página 23 1. Exercício 1: Após preencher os
espaços com os verbos indicados,
faça perguntas sobre o texto para
O texto sobre Petrolina verificar a compreensão. Ex.:
introduz o Imperfeito do “Onde o autor e Josefa frequen-
Indicativo (azul-celes- taram a escola primária?” “Por
te), em contraste com o Pretérito que o autor gostava do interior?”
Perfeito do Indicativo (vermelho). “Quais são as características de
Indique, no mapa do Brasil, onde uma cidade grande e|ou do inte-
fica Petrolina (no interior do Es- rior?” “Qual é a tendência atual:
tado de Pernambuco). migrar do interior para a cidade
Recorte tiras de papel grande ou vice-versa?” “Onde
com as frases a serem a vida é mais fácil|difícil?” etc.
completadas por cada
Exercite o uso de “Me
um dos alunos, com
lembro de que...”, “Me
base ou não em suas próprias
recordo de que...”, “Acho
experiências. Reforce o uso dos
que...”, “Se (eu) não me enga-
tempos verbais – Presente, Preté-
no...”, quando se está relatando
rito Perfeito e Imperfeito – antes
alguma lembrança do passado.
de iniciar:
Outras expressões do texto po-
“Aos 10 anos ________________.” deriam ser trabalhadas: “passar
o dia fora”; “estar dois dias fora”;
“Aos 23 anos ________________.” “comer fora”; “dormir fora” etc.

“Aos 35 anos ________________.” Segundo o padrão da


etc. norma culta em por-
tuguês, não podemos
Em seguida, junte as tiras se- iniciar uma frase com o pronome
gundo um critério cronológico e oblíquo; no entanto, é muito fre-
peça a um aluno que leia em voz quente este uso na língua falada.
alta para a classe, como se fosse
a história de uma pessoa (um PSIU – Peça ao aluno que con-
colega de classe, por exemplo). jugue o verbo (referente ao
Como ficou? Viável? Absurdo? hobby) no Presente, Perfeito e
Caso a aula seja individual, Imperfeito.
peça para que o aluno escreva
pensando em diferentes pessoas
ao preencher as frases. O que
aconteceria?

31
página 24 passada de sua vida: quando
crianças, quando estudantes,
quando tinham (...) anos, quan-
1. Na transferência, faça com do moravam em (...) etc.
que o aluno dê o máximo de
informações possível. Pode-se Tarefa – Redação: es-
trabalhar em pares com cada creva sobre sua infância
aluno apresentando à classe as e a do seu colega. (O
informações obtidas do com- professor pode introduzir a estru-
panheiro. Encoraje o uso do tura do comparativo da página
Imperfeito e a narrativa de fatos seguinte.)
exóticos ou extraordinários (di-
ferentes, interessantes) da vida
do aluno.
página 25
2. Exercício 2: Leve imagens de
diferentes tipos de computado-
res, celulares e outros aparelhos Antes de fazer o exercí-
eletrônicos. Pergunte aos alunos cio 4, introduza o com-
quais tecnologias eles conhe- parativo e o superlativo
cem, qual foi o primeiro modelo e não se esqueça de chamar a
de celular que tiveram e como atenção para a concordância
acham que serão os meios de nominal. Ex.: “As cataratas do
comunicação no futuro. Iguaçu são mais visitadas do
que o Pantanal.”; “O doce mais
Peça aos alunos que gostoso das festas infantis é o
elaborem um poema brigadeiro.”
no Pretérito Perfeito,
a partir de verbos que Figuras, desenhos,
indiquem ação. Um concurso de fotos etc. são sempre
poemas poderia incentivá-los! úteis para a introdução
do comparativo. Apresente pri-
3. Exercício 3: Os alunos ouvem meiro os adjetivos do Apêndice
sobre o que Alejandro fazia de Gramática da página 209.
na Espanha antes de vir para
o Brasil. Feito o exercício, os Exercício 4: Depois de
alunos relatam o que ouviram. responder às pergun-
Peça, então, que falem sobre si tas do livro, peça aos
mesmos. Caso estejam em seu alunos que, em pares,
próprio país, solicite que falem elaborem cartões de visitas
sobre uma determinada etapa de personagens fictícios e os

32
apresentem à classe, utilizando 1. Exercício 9: Explique o sentido
o comparativo e o superlativo. de conferência. O diálogo está
introduzindo o verbo estar
(presente) + Gerúndio (cor mar-
rom) (veja a página 30). Revise
página 26 o verbo estar no presente, ex-
plique a formação do Gerúndio
e enfatize as cores dos verbos.
1. Continue o tema da transfe- No diálogo, chame a atenção
rência, solicitando ao aluno que para os seguintes pontos:
entreviste seu colega e, depois, – Como atender um telefonema
que cada um fale sobre uma na firma. (Dizer o nome da firma
diferença encontrada entre eles. ou do Departamento e, depois,
Incentive o uso dos adjetivos o seu próprio nome.) – Expres-
mais comuns listados na página sões comuns: “Como estão as
209 do Apêndice III. coisas?”; “Como estão indo as
palestras?”; “Estou sentindo sua
falta.”; ”Que saudades...”; “Es-
tou enferrujando.”; “Parabéns!”;
página 27 “Dar (bons) resultados”; “Prestar
atenção”; “O máximo possível”
Exercício 8: Utilize os etc. Faça sempre um exercício
adjetivos do quadro para de compreensão oral. Estimule
praticar outras compa- o uso do comparativo: as dife-
rações também, como a renças entre o local da palestra
cidade onde eles moram atual- (Paula e Jorge) e o local onde
mente com a mesma cidade há está Bernardo. Exercite o diálo-
cinquenta anos. Peça, ainda, go em pares (com os alunos de
que levem fotos de quando costas um para o outro), primeiro
eram crianças, para que façam com os livros abertos e, depois,
comparações. fechados, estimulando frases
criativas usando o vocabulário
Sugestões para compa- aprendido. A ideia aqui é pra-
ração: a – o Brasil e o ticar o Gerúndio. Circule pela
país materno; b – a vida sala, corrigindo e incentivando.
do aluno antes e depois
de vir ao Brasil (se estiver no PSIU – Elabore cartões
país); c – a vida de um estudante com as seguintes dicas:
e a vida de um trabalhador. chegou atrasado (Por
que é que você chegou

33
atrasado?); estar com dor de (Por Mais sugestões para
que é que você está com...?); es- início de fofocas: “Tadeu
tar sem fome (Por que é que...?); está de carro novo. De
pegaram meu livro (Quem foi onde saiu o dinheiro?”;
que...?); ir almoçar (Onde é “Carlos perdeu o emprego e
que...?|Com quem é que...?). parece que está passando dificul-
Entregue a cada aluno uma tira dades.”; “Tiago saiu da escola.
de papel com frases sobre diver- Será que foi expulso?”; “Marina
sas situações sendo vivenciadas estava jantando num restaurante
pelos personagens, e então faça ‘chique’ com o chefe.” etc.
perguntas do tipo: “Por que é que
2. Exercício 11: O objetivo deste
ele está nesta situação?” O aluno
exercício é chamar a atenção
deverá fazer uso da expressão é
do aluno para a relação verbo e
que nas respostas.
tempo (antes, depois, hoje).

Sugira o uso dos três


tempos verbais empre-
página 28 gados no exercício 11
para fofocar sobre de-
1. Exercício 10: Explique o sig- terminada pessoa (pode ser
nificado da palavra “fofoca” a usado o nome de uma pessoa
partir da imagem e da seguinte famosa, do noticiário interna-
cional etc.). Por exemplo: “Antes
pergunta: “O que você acha que
ele|ela era... Depois... Agora...”.
os dois homens estão fazendo|
dizendo?”. Após ter trabalhado
o diálogo e o exercício, inicie:
“Agora vamos fofocar!”. Além página 29
das expressões usadas comu-
mente para fofocar, exercite
o uso das expressões: “Agora 1. Exercício 12: Prolongue o
que você tocou no assunto...”; exercício, incluindo conversação
“Eu já tinha notado...” etc. O do tipo: “Por que ele está abrindo
vocabulário sobre o estado civil a porta?”; “Ele está em casa?”;
do PSIU da página 25 pode “Quem está lá?”; “Por que o
ser usado, talvez, no diálogo menino está chorando?”; “Você
das fofocas. chora muito?” etc. Este exercício
deve ser feito com o livro fechado
para que os alunos tentem desco-

34
brir o que está acontecendo. Só
depois, olhando as ilustrações,
os alunos completam o exercício.

Peça ao aluno que ima-


gine o que aconteceu
antes dessas cenas e
continue a conversação,
incluindo diálogos, monólogos
etc.

página 30

Ao falar sobre o quadro


ATENÇÃO, sugira que
os alunos formem fra-
ses sobre sua realidade.

SUGESTÃO PARA MATERIAL


VISUAL: mapa com previsão do
tempo.

35
ANOTAÇÕES
TÍTULO: MEU FUTURO

U4
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Futuro

página 31
APRENDA
1. Objetiva-se fazer o aluno geralmente usado para valores
adquirir prontamente conheci- muito altos; 4. Cheque nominal:
mentos necessários para fazer escreve-se o nome no campo “a
compras: o dinheiro, o cheque ________”. Este cheque só pode
(atualmente, menos comum no ser sacado e|ou depositado
Brasil). Explique que, ao con- na conta do beneficiário. Caso
trário do que ocorre em outros um cheque não seja nominal,
lugares, no Brasil, os bancos é chamado de cheque “ao por-
fornecem talões de cheques e tador” e pode ser sacado e|ou
que o cheque substitui o dinheiro depositado na conta-corrente
nas transações. Trate dos dife- de qualquer pessoa; 5. Cheque
rentes tipos de pagamentos e das pré-datado: usado em compras
expressões mais usuais. Não se com pagamento posterior, para
esqueça de falar de: ser compensado geralmente em
30|60 dias e com juros. Não
1. Cheque especial: o banco
é uma transação oficialmente
dá um limite de crédito e cobra
reconhecida.
juros quando tal valor é usado.
Alguns bancos dão de sete a Explique que, normal-
dez dias de “empréstimo” sem mente, quando fazemos
cobrança de juros; 2. Cheque compras com cheques,
cruzado: passam-se dois traços os estabelecimentos pe-
diagonais no meio do cheque dem um documento de identifica-
sobre a assinatura, indicando ção, além do endereço e do nú-
que o cheque pode apenas ser mero de telefone do cliente. Avise
depositado e nunca sacado; 3. ainda que é possível endossar um
Cheque administrativo: com- cheque nominal, isto é, assinar
prado no banco, considerado atrás para que outra pessoa possa
como dinheiro, num valor “x” e depositá-lo ou recebê-lo.

37
Providencie cópias de pontuação (lembre-se de que,
cheques em branco e em espanhol, por exemplo, o
peça aos alunos que ponto de interrogação é coloca-
preencham um cheque do também no início da frase, na
cruzado e nominal ao professor posição invertida).
ou um aluno a outro da classe.
Se achar interessante, faça dita- Faça mais exercícios
do de valores. como este em forma
de ditado, pedindo aos
Leve exemplos de todas alunos que marquem
as nossas moedas e as sílabas tônicas das palavras,
notas. aproveitando para exercitar a
escrita também.
Exercite o uso do dinhei-
ro, somar, subtrair, divi-
dir e multiplicar, usando
cartões com desenhos página 33
de diferentes mercadorias e seus
valores os mais atualizados pos-
síveis para que os alunos façam 1. No texto que introduz o Futuro
compras (em pares), efetuem e do Indicativo, o personagem di-
recebam pagamentos e provi- vaga sobre o seu futuro. Explique
denciem troco. o tempo verbal, introduzindo as
formas e o uso, lançando mão da
2. Explique nosso sistema de página 40. Leia o texto, ouça o
vendas a prazo, em “x” vezes etc. áudio e pergunte aos alunos se
já tiveram|ainda têm esse tipo
de questionamento.

página 32 2. Na transferência, faça com


que os alunos, de olhos fecha-
ESTUDO DE… dos, formulem quatro ou cinco
perguntas sobre o futuro deles e
A noção de sílaba tônica e sílaba sobre o que mais gostariam de
átona é importante para que o saber. Liste perguntas na lousa,
aluno pronuncie corretamente usando-as na conversação.
as palavras. Os tipos de frases
vão determinar a entonação a 3. Exercício 1: Sugere-se apenas
ser empregada. Leve os alunos o verbo para que o aluno use
a associar o tipo de frase à sua sua criatividade e coloque o

38
complemento que desejar. Por classe em dois grupos, cada um
exemplo, conhecer: conhecerei elaborando cinco perguntas de
novas pessoas; conhecerei uma compreensão.
pessoa especial; conhecerei gen-
te famosa etc. 2. Exercício 3: Verifique quais
perguntas não foram feitas pelos
4. Exercício 2: Estimule a cria- grupos e peça para que respon-
tividade dos alunos e peça que dam. Como tarefa, por exemplo,
imaginem um país muito atípico peça que respondam por escrito.
onde coisas impossíveis podem
se realizar (para tornar a ativi- 3. Ao usar a transferência, explo-
dade mais interessante e para re bem a conversação. Pode-se
que haja mais debate). pedir aos alunos que escrevam
uma redação sobre o tema
PSIU – Seria recomen- “Minha Vida”, respondendo às
dável que o professor perguntas da transferência.
conseguisse fotos ou
4. Exercício 4: Peça aos alunos
desenhos das flores menciona-
que imaginem o local onde cada
das para facilitar a compreensão.
um vai passar suas próximas
Aprofundar-se ou não no tema férias e que o descrevam.
das flores vai depender do inte-
resse dos alunos.

página 35
página 34
1. Exercício 5: Pode ser treinado
o uso do “Eu acho que...”, já que
1. O texto reforça o uso do Ge- pode haver múltiplas possibili-
rúndio e a outra forma de futuro dades para o que vai acontecer.
usando o verbo ir + verbo no
Infinitivo (preto). Antes de iniciar 2. Música: Procure a música na
os trabalhos com o texto, reveja internet e ouça com seus alunos;
o verbo ir (no Presente). Ao ler o além de trabalhar os verbos no
texto, não se esqueça de chamar futuro, veja também os verbos
a atenção dos alunos para as no passado. Estimule seus alunos
cores dos verbos. a fazerem uma encenação: um
aluno é a cartomante e o outro
Após ler o texto (e an- é o cliente. Quais as previsões
tes do exercício 3), o possíveis?
professor pode dividir a

39
3. Use o PSIU para simular uma Exercício 9: Deixe os
ida ao zoológico com os alunos. alunos trabalhando em
Traga mais desenhos de animais, grupos e circule ajudan-
fale de animais de estimação. do e corrigindo. Peça
Pergunte se conhecem alguém para que desenhem a cidade e
que tenha um diferente, se con- depois que um representante de
cordam em manter animais em cada grupo a apresente à classe.
apartamentos, se crianças devem Incentive os demais alunos a
ter bichinhos de estimação (fale fazerem perguntas (usando o
também de bichinhos de pelúcia, Futuro) sobre o que eles pode-
bichinhos virtuais) etc. rão fazer naquele país quando
o visitarem etc.

página 36
página 37
1. Exercício 6: Antes do exercí-
cio, pergunte aos alunos se eles 1. Exercício 11: Faça os alunos
acreditam nas ciganas; se algum praticarem o uso de expressões
deles já pediu a alguma cigana como: “Que coincidência!”;
que lesse sua mão; pergunte se “Não é possível! Eu também.”;
a cigana acertou nas predições “Fazer a faculdade”; “Sair da
ou não etc. faculdade” etc.

2. Exercício 7: Após os alunos 2. Exercício 12: O objetivo deste


terem dado mais sugestões, exercício é fazer com que os alu-
toque o áudio. nos se inter-relacionem e descu-
bram pontos em comum, assim
3. Exercício 8: Encorage os alu- como praticar as expressões de
nos a dar detalhes|justificativas coincidência.
para suas informações. Ex.:
“Provavelmente vou me casar 3. PSIU – Traga fotos de pássaros
com João porque estamos apai- para ilustrar a explicação.
xonados e temos muitas coisas
em comum, além dos mesmos
ideais.” Sugerimos que, en-
quanto um aluno fala, os demais página 38
interrompam fazendo perguntas
curiosas|indiscretas. 1. Exercício 13: Após escrever as
frases sobre as intenções de Luís,

40
peça que o aluno A entreviste o e realmente úteis para o ser
aluno B sobre seus planos futuros humano.
e, então, apresente-os à classe.
Peça que abusem da imaginação Peça aos alunos que
e que sejam criativos. formulem novas man-
chetes. Divida-os em
2. Atividade em pares: Incentive grupos, incentivando a
os alunos a escolherem países conversação de modo que todos
diferentes, exóticos, estranhos, participem e façam perguntas
mas dos quais tenham um co- pertinentes.
nhecimento mínimo sobre al-
gum aspecto de sua cultura (ou Leve diversos artigos
inventá-lo). de jornal, recortando
separadamente o título
3. Exercício 14: Deixe que cada e o artigo. Embara-lhe
aluno escreva uma continuação tudo para que o aluno encontre
da história e, depois, peça que o título adequado para cada um
o colega vizinho a leia para a dos artigos. A ideia pode ser
classe. trabalhada em pares ou como
jogo entre grupos.
4. Exercício 15: Devem ser usa-
dos os Pronomes Interrogativos Leve recortes de artigos
na formulação de três perguntas, de jornais ou revistas
como: o quê, quem, como, onde, para que o aluno pense
quando etc. Ex.: Márcia está em um título adequado
estudando engenharia na USP? para os mesmos. A atividade
O que Márcia está estudando na pode ser realizada em grupos e,
USP? Onde Márcia está estudan- então, elege-se o melhor título.
do engenharia?
2. Exercício 17: Trata-se de um
exercício para se empregar todos
os tempos verbais estudados até
página 39 agora. Chame a atenção para
a cor representando os tempos
verbais!
1. Exercício 16: Procure também
outras manchetes, especialmen- 3. PSIU – Traga fotos das aves
te de notícias que falem sobre para ilustrar a explicação.
avanços tecnológicos. Pergunte
aos seus alunos quais novidades
eles consideram mais relevantes

41
página 40

Chame a atenção dos


alunos para a grafia e
pronúncia do ão, sem-
pre futuro da 2a e 3a pessoas
do plural. Compare com a do
passado am. Ex.: Eles cantarão
no próximo domingo. Eles canta-
ram no domingo passado.

1. Enfatize que o Futuro exem-


plificado no quadro é muito mais
usado no português coloquial.

SUGESTÃO PARA MATERIAL


VISUAL: flores; aves; pássaros.

42
ANOTAÇÕES
GRUPO 2
O Brasil e sua Língua

Este Grupo apresenta o Brasil e seu idioma, ampliando o


conhecimento anteriormente adquirido pelos alunos
sobre o país, seus costumes e suas características,
bem como sobre a Língua Portuguesa e sobre
onde é falada no mundo. Trata também das expectativas
dos alunos antes de vir ao Brasil e de sua chegada no país.
TÍTULO: MINHAS EXPECTATIVAS

U5
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Presente do Subjuntivo, Futuro do Subjuntivo


e Pronomes Oblíquos

página 41
APRENDA
A partir desta unidade, esta- Dê bastante ênfase à
remos apresentando diálogos feira, algo muito co-
situacionais. Foram escolhidas mum no Brasil. Explique
as situações mais comuns com como funciona a montagem, a
que um estrangeiro se depararia periodicidade, as versões nos
chegando ao Brasil. São apenas shopping centers, as brincadeiras
exemplos; portanto, sugerimos (ex.: “Mulher bonita não paga,
ao professor formular perguntas mas também não leva.”), a
diversas para que os alunos, por alegria dos feirantes etc. A feira
meio do uso, consigam memo- acontece uma vez por semana,
rizar as expressões mais costu- sempre na mesma rua do bairro,
meiras. Na parte do vocabulário de manhã bem cedo até por volta
relevante, listamos os termos e das 12h30 ou 13h. Aos sábados
as palavras relacionadas a cada e domingos, alonga-se até, mais
situação. Seu uso vai depender ou menos, 14h (dependendo da
da criatividade dos alunos e do região). Aproximando-se o final
professor. da feira, os feirantes costumam
baixar os preços dos produtos.
1. O objetivo desta página é, Os sacolões estão se tornando
além de introduzir uma va- comuns em cidades como São
riedade de pesos e medidas, Paulo. As mercadorias são ven-
ensinar ao aluno como deve didas por quilo, geralmente a um
pedir determinado produto nos preço único. Além disso, normal-
supermercados, padarias, feiras mente, há um estacionamento
etc. Deve-se chamar a atenção disponível.
para a concordância nominal:
Imagine-se indo às com-
½ quilo = meio quilo; 250 g =
pras com os alunos. Crie
duzentos e cinquenta gramas etc.
situações em diversas

46
lojas onde um aluno é o vende- alunos para a pronúncia de cada
dor e o outro, o comprador. Esta acento gráfico, e explique como
é uma oportunidade para rever o os acentos poderão facilitar na
preenchimento de cheques (veja identificação das pronúncias.
o Aprenda, da página 31 – U. 4). Apresente vários exemplos de
palavras oxítonas, paroxítonas e
Peça aos alunos que es- proparoxítonas, sem acento, as-
crevam uma receita de sim como exemplos de palavras
um prato típico de seu com acento agudo (vogais aber-
país, usando as informa- tas), circunflexo (vogais fecha-
ções da última parte da página das), til (vogal nasal) e também
(Ingredientes de receita). com acento grave (contração da
preposição a com a vogal a). Os
alunos nem sempre dão a devida
importância aos acentos.
página 42
ESTUDO DE…
página 43
1. Recomenda-se fazer muitos
exercícios de acentuação. Faça
uma listagem de palavras acen- 1. Inicie com as duas primeiras
tuadas das lições anteriores, e perguntas sobre o país. Caso o li-
exercite-as para fixação. Este vro esteja sendo usado no Brasil,
tópico continua no Estudo de... pergunte com “fazia”, “sabia”.
da U. 6. “Qual a imagem que você fazia
do Brasil?”; “O que você já sabia
2. Atenção para o símbolo de Re- antes de vir?”
visão: vai ser usado mais vezes,
especialmente a partir da U. 9, 2. O texto “Na sala de aula”,
onde começam os exercícios de introduzindo o Presente do Sub-
fixação da gramática vista da juntivo (cor rosa) deve ser, em um
U. 1 à U. 8. primeiro momento, usado para
verificar a compreensão oral e
Explique com muitos para descobrir as informações
exemplos a importância errôneas que os alunos 1 e 2
de conhecer as sílabas escreveram nas suas redações.
tônicas de cada palavra para Erros do aluno 1: falar espanhol
poder pronunciá-las correta- (correto: português); capital: Rio
mente. Chame a atenção dos de Janeiro (correto: Brasília);

47
Carnaval em abril (correto: 3. Nesta transferência, tanto os
época imediatamente anterior à alunos quanto o professor po-
Quaresma. Tempo de folia que dem trazer muitas informações
precede à Quarta-feira de Cin- adicionais sobre o Brasil. No caso
zas, normalmente, no fim de fe- de um aluno com sua viagem já
vereiro ou início de março). Erros marcada para o país, exercite o
do aluno 2: os brasileiros gostam uso do Presente do Subjuntivo
de rumba (correto: samba); de falando sobre suas expectativas e
fumar dentro de casa (correto: receios. Caso já esteja no Brasil,
a maioria dos fumantes procura fale sobre viagens a outras re-
lugares arejados para fumar). giões e|ou a outros países.
Aproveite para discutir com os
Ao apresentar o PSIU,
alunos sobre estes aspectos.
não deixe de falar so-
“No Brasil não se fala espanhol.
bre o termo “crente” e
Quais são então os países em explique os dois senti-
que se fala espanhol?”; “Os dos desta palavra: “aquele que
brasileiros gostam é de samba e acredita” – inclusive a expressão
não de rumba.”; “Onde se dança “Crente que abafa!” (aquele que
rumba?”; “Alguém sabe dançar acredita que está agradando
rumba?”; “Fumar dentro de casa muito) – e aquele que segue
depende de cada família, mas é certas religiões protestantes –
proibido fumar em certos luga- muitas vezes não bebe, as mu-
res. Sabem onde?” etc. lheres não cortam os cabelos,
não usam calças compridas etc.
Chame a atenção para Não demore muito neste tópico
o uso do Presente do porque é muito delicado para
Subjuntivo no texto. alguns povos.
Liste na lousa as expressões
com que normalmente ocorre:
“Quero que”; “É pena que”;
“Tomara que”; “Receio que”; página 44
“Exijo que”; “Talvez”; “Quem
sabe”; “para que”. Peça, então,
que os alunos completem com 1. Exercício 2: Alerte que as ex-
informações de sua realidade. pressões nos balões podem ser
Em exercícios posteriores, são usadas em quaisquer das sete
introduzidas outras expressões frases, sem que estejam numa
acompanhando os verbos no ordem definida.
Presente do Subjuntivo.

48
página 45 primeiramente, com as infor-
mações do áudio e, em seguida,
com as suas próprias:
1. Exercício 4: Em todas as men-
sagens, deve-se usar o Presente – Quando eu tiver a minha casa
do Subjuntivo. própria,...................................
– Se tiver tempo, ........................
2. Exercício 5: Peça que os alunos
só escrevam palavras-chave que – Se o trabalho não tomar todo
os auxiliem na discussão das se- o meu tempo, ...........................
melhanças entre Pedro e Raquel. Coloque o áudio mais uma vez
e peça que os alunos acompa-
3. Na transferência, encoraje os nhem o texto no livro.
alunos a falarem sobre a família;
o trabalho|carreira profissional; 2. Na transferência, peça aos
planos de viagem; estudo; lazer alunos que façam uma lista
etc. individualmente e que, depois,
trabalhem em pares comparan-
PSIU – Pergunte aos do seus desejos.
alunos: “Quais os esta-
belecimentos que você 3. Antes de pedir que completem
gostaria que houvesse perto o exercício 6, faça-o oralmente.
da sua casa e quais o que você Pergunte se já estiveram em
preferiria que estivessem longe? uma situação semelhante. Em
Por quê?”. Apresente a ideia de caso positivo, o que fizeram?
“centro da cidade” (ou simples- Caso contrário, o que acham
mente “centro”). que farão?

4. Exercício 7: Peça que os alunos


escrevam os cinco pré-requisitos
página 46 para a felicidade e os leiam, em
seguida, em voz alta. O que há
1. O texto introduz o Futuro do em comum?
Subjuntivo (cor cinza). Alerte os
alunos que esse tempo verbal
normalmente ocorre com as
conjunções Quando ou Se. página 47
Antes da leitura, peça
que ouçam o áudio e 1. Exercício 9: Deixe que os alu-
completem as frases nos usem a criatividade e criem
colocadas no quadro; suas próprias frases.

49
Enfatize a diferença signo de cada aluno. Pergunte
entre o uso do SE e se acreditam realmente no que
QUANDO no Subjunti- está escrito; se isso é só “coisa de
vo: usa-se SE para um futuro in- mulher”; se acreditam em outros
certo, com alguma possibilidade tipos de “predição do futuro” etc.
de não acontecer, e QUANDO Peça aos alunos que descrevam
para um futuro praticamente as características do seu próprio
certo. signo, compare as descrições e
incentive a conversação.
PSIU – Distribua aos alu-
nos uma folha contendo
os advérbios de frequên-
cia. Os alunos fazem página 50
uma frase para cada advérbio.
Ex.: “Dificilmente tomo bebida
Chame a atenção para o verbo
alcoólica.” Recolha os papéis e
haver no Presente do Subjuntivo
os redistribua, trocando-os, de
(usado no português mais for-
forma que cada aluno fique com
mal) e os verbos caber e ver no
o papel de outro. Os alunos leem
Futuro do Subjuntivo: “Espero
as frases e, de acordo com as
que haja tempo para terminar
informações, tentam descobrir
o relatório.”; “Se o livro couber
quem foi seu autor.
na estante, deixe-o lá.”; “Assim
que você vir o restaurante, vire à
direita e siga sempre em frente.”.
página 48
SUGESTÃO PARA MATERIAL
1. Exercício 11: Enfatize para os
VISUAL: frutas, verduras e ali-
alunos que os verbos poderão ser
mentos de supermercado.
usados somente uma vez.

página 49

PSIU – Leve o jornal


do dia com a parte de
Horóscopos para que
se leia em sala sobre o

50
ANOTAÇÕES
TÍTULO: MEUS SONHOS E DESEJOS

U6
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Imperfeito do Subjuntivo, Futuro do Pretérito


e Preposições

página 51
APRENDA
Após a leitura do diálogo, ressal- vezes forem necessárias, alter-
te que, no Brasil, é mais comum nando os personagens, até que
usarmos Sr. + primeiro nome os alunos consigam, sem ler o
do que Sr. + sobrenome e que, texto, produzir o mesmo diálogo,
para mulheres é mais comum ou semelhante.
usarmos “dona” do que “Sra.”.
Usa-se ainda “doutor”|”douto-
ra” (não necessariamente título
de doutorado, médico ou advo- página 52
gado) para indicar pessoa com
posição superior à de quem fala. ESTUDO DE…
Usa-se Sr. e Sra., no lugar de No exercício sobre Acentuação, é
“você”, para pessoas mais velhas importante que a segunda parte
ou a quem se deve respeito, ou também seja feita para que, por
ainda com quem não se tem meio da justificativa, os alunos
intimidade. memorizem as regras. Após
explicar, veja o Apêndice II para
1. Ressalte também que, normal- saber mais sobre as mudanças
mente, a gorjeta é de 10% do na ortografia, e assim explicar
valor da conta. Se achar interes- aos alunos sobre diferenças de
sante, fale também das gorjetas, grafia que poderão encontrar
dadas na época do Natal aos nas ruas ou mesmo em outros
porteiros, aos entregadores de livros nesse período de transição.
alguma encomenda em casa
etc.: a famosa “cervejinha”.

2. Coloque o áudio, trabalhe o


vocabulário e pratique os diálo-
gos em pares ou trios, quantas

52
SUGESTÃO DE DITADO: – ............................, viajaria
• Amanhã pela manhã, a irmã com meu noivo!
de Joanília visitará seu irmão Ouvido o áudio e conferidas as
mais novo que ficará na casa respostas, sugira que completem
de sua avó até depois de as orações com outras informa-
amanhã. ções diferentes das do texto. Em
seguida, explique a gramática e
• Às vezes, não dá para entender
trabalhe o vocabulário.
o que estão falando; é uma
língua meio cantada, mas Prepare cartões com pe-
agradável de se ouvir. ríodos incompletos, isto
• Os responsáveis pela área é, apenas com orações
de Comércio Exterior sempre no Imperfeito do Sub-
vêm nos visitar no início de juntivo ou no Futuro do Pretérito
cada semana para nos pôr a do Indicativo e distribua-os aos
par dos negócios relevantes alunos para que completem os
da empresa. períodos oralmente.

2. Durante a transferência (em


aulas para grupos), peça que
os alunos circulem pela sala,
página 53 fazendo as duas perguntas aos
colegas e, depois, relatem a
1. O texto introduz o Imperfeito todos do grupo. Ex.: Se Lucas
do Subjuntivo (cor laranja) e o pudesse mudar algo em sua vida,
disse que moraria numa cidade
Futuro do Pretérito (cor verde­
mais tranquila.
‑clara) juntos, como normalmen-
te são usados em português. Por que em determina-
da frase se usa o Futuro
Escreva no quadro parte do Presente e em outras
das orações que apare- o Futuro do Pretérito? Futuro do
cem no texto para que Presente: “Quando chegar em
os alunos, ao ouvirem casa, ligarei para você.” Usamos
o áudio, completem as infor- essa estrutura, pois acreditamos
mações: que isso realmente acontecerá.
– Se eu tivesse tempo e di- Futuro do Pretérito: “Se eu falas-
nheiro para viajar muito, se italiano, mandaria meu currí-
............................. culo para a Pirelli.” Usamos essa
estrutura para indicar que o fato
– Para que pudesse me comuni-
não é realidade no momento.
car bem nas viagens, ................

53
página 54 página 55

1. Exercício 2: Comente que os 1. Exercício 4: Pode ser dire-


brasileiros costumam dar “des- cionado à discussão em grupo.
culpas esfarrapadas”, principal- Verifique se há alguma coisa em
mente para os atrasos, fazendo comum nas respostas dos alunos
uso de frases que comecem com para cada item sugerido.
SE, como as do exercício.

2. Peça que os alunos tentem


memorizar algumas das pergun- página 56
tas da transferência e, então, in-
terroguem seu colega e relatem
a todos na sala. Para prolongar 1. Exercício 6: Antes de tocar o
a conversação, acrescente a per- áudio, incentive a conversação
gunta: “O que você jamais faria com perguntas do tipo: “Vocês
naquelas situações? Por quê?”. costumam ler as seções de con-
selhos em revistas?”; “E ouvir
3. Formas polidas são apre- programas de rádio do tipo que
sentadas nesta página com uso o ouvinte liga contando um pro-
específico para pedidos, con- blema e o psicólogo responde no
vites, oferecimentos etc. Deixe ar, dando conselhos?” etc.
clara a diferença entre o uso do
Futuro do Pretérito nestes casos Exercício 7: Aproveite
e naqueles apresentados ante- para revisar o Presente
riormente. do Indicativo e o Pretérito
Imperfeito do Indicativo,
4. Exercício 3: Ensine também por exemplo o item 4: “Quais ati-
as expressões usadas mais for- tudes aborrecem você?” “Quais
malmente: “por obséquio”; “por atitudes aborreciam você e hoje
gentileza”; “fazendo o favor”; “se não aborrecem mais?”
não for incômodo” etc. O aluno
deve completar o exercício indi- Exercício 8: Trabalhe
vidualmente, comparar as suas com outros adjetivos
respostas com as de um colega que indiquem o estado
e praticá-las em pares antes de de ânimo das pessoas,
apresentar os diálogos ao grupo. como: animada, relutante, zan-
As repostas podem variar. gada, alegre, radiante etc. Você
pode preparar várias carinhas
com essas expressões e perguntar

54
ao aluno o estado de espírito dele geralmente são mais interrom-
naquele momento e o motivo pidas?”; “Quando você menos
pelo qual está assim. gosta de ser interrompido?” etc.

3. PSIU – Pode-se explicar cada


sentimento por meio de situa-
página 57 ções, como, por exemplo, sau-
dade: “Estou longe da família e
sinto falta deles.”; raiva: “Estudei
1. Antes de fazer a leitura do
e não consegui tirar boa nota.”;
texto, pergunte: “Você preci-
medo: “Estou tremendo porque
sou|precisará|precisaria de
um cão está rosnando para mim,
um visto para visitar o Brasil?”.
mostrando os dentes afiados.”
Caso os alunos não tenham esta
etc.
informação, pergunte: “Para que
órgão precisamos telefonar para
conseguir esta informação?”.

Leve fotos do fenômeno página 58


do encontro das águas
do mar e do rio que 1. Exercício 11: Visa fazer uma
não se misturam e ficam distin- revisão da gramática em geral.
tamente separadas (o fenômeno Foi colocado também um exer-
da “pororoca” = ex.: encontro cício de separação silábica (as
das águas dos rios Negro e palavras do final da linha devem
Solimões). ser obrigatoriamente separadas).
2. Exercício 9: Feitos os exercí-
cios, peça aos alunos que falem
sobre ações, fatos, acontecimen-
página 59
tos que ocorreram ao mesmo
tempo durante o dia da aula.
Depois, faça o mesmo com ativi- 1. Exercício 12: Feitos os exercí-
dades que estavam acontecendo cios e corrigidas as respostas com
quando foram interrompidas. o áudio, solicite aos alunos que,
Aproveite as situações narradas como tarefa, elaborem um texto
para incentivar a conversação e, depois, invertam a ordem dos
com perguntas e respostas. Per- parágrafos ou a posição das fra-
gunte também: “Quais são as ses. Peça que as tragam para a
atividades do seu dia a dia que aula seguinte. O professor deve,

55
na ocasião, recolher as composi- falada pelos índios, embora não
ções (com as frases misturadas) possuindo registro escrito, teve
e redistribuí-las entre os alunos grande influência na configura-
para que cada um reconstrua a ção do português do Brasil, com
composição na ordem adequa- palavras como: guaraná, aba-
da. Deve-se, então, solicitar que caxi, Tietê, Pernambuco, Iguaçu
leiam as composições em voz e muitas outras.
alta e que façam as correções
necessárias caso a ordem ainda 2. Peça aos alunos que recontem
não seja a apropriada. a história, cada um uma parte,
com suas próprias palavras.
DIA DO ÍNDIO: o dia
3. Use o exercício para uma
19 de abril, desde o
discussão sobre os índios: sua
primeiro Congresso In-
realidade, como vivem, o que
ternacional Indigenista realizado
sofrem, como ajudá-los etc.
no México em 1940, é dedicado
ao índio das três Américas. 4. Exercício 13: Explore o voca-
No Brasil, as comemorações bulário e discuta as questões.
começaram a partir de 1944. Encoraje os alunos a comentar
De lá para cá, as homenagens cada cartão-postal: “Você já es-
acontecem por meio de eventos teve lá?”; “Este lugar parece com
realizados em todas as regiões algum onde você já esteve?”;
do país. Apesar disso, podemos “Você passaria férias em algum
verificar que a população civili- destes lugares?” etc.
zada brasileira não dá a devida
atenção aos povos indígenas, 5. As abreviações do PSIU, os
os quais, quando do descobri- pronomes de tratamento, são
mento do Brasil, totalizavam importantíssimos antes do nome
em média dois milhões e, hoje, do destinatário ao enviar uma
não passam de duzentos mil. correspondência. Ilmo.|a., Ex-
Apesar da existência da FUNAI mo.|a. sr.|a., V. Exa. etc. São
(Fundação Nacional do Índio), usados na correspondência for-
órgão público que os protege mal, geralmente para pessoas
de forma bastante limitada, os com cargos superiores.
índios brasileiros continuam
tendo suas terras e sua privaci-
dade invadidas. Concentram-se
principalmente no Amazonas e
em Góias. O tupi-guarani, língua

56
página 60 SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-
SUAL: palavras isoladas para que
os alunos as acentuem; parte de
Chame a atenção para frases no Imperfeito do Subjunti-
os verbos que seguem a vo para os alunos completarem;
mesma forma de saber. expressões coloquiais populares;
Caber – “Se coubesse mais roupa itens da casa etc.
na mala, tenho certeza de que
ela levaria todo seu guarda-rou-
pa.” Haver – “Se houvesse mais
diálogo entre os coordenadores,
não teríamos tantos mal-enten-
didos.“

Corte frases em tiras e distribua-


-as entre os alunos. Peça-lhes
que circulem pela sala tentando
encontrar a continuação|o iní-
cio de suas frases para praticar
os tempos verbais estudados
nesta unidade. Sugestões: “Se
eu encontrasse dinheiro na rua,
certamente o colocaria no bolso
e continuaria caminhando.”|“Se
eu ganhasse na loteria, viajaria
pelo mundo e compraria uma
casa nova.”|”Quando ficar mais
velho, mudarei para um lugar
mais calmo.”|”Quando eu voltar
de viagem, farei contato.”|”Se
eu visse um fantasma, sairia cor-
rendo.”|”Se eu me atrasar, vou
perder o avião.”|“Se eu tivesse
mais amigos, não me sentiria tão
sozinho.”|”Se eu não me sentir
muito bem, chamarei o médico.”.

57
ANOTAÇÕES
TÍTULO: A CHEGADA

U7
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Imperativo, Plural dos Substantivos

página 61 página 62
APRENDA ESTUDO DE…
Fazer pedidos em uma pizzaria, 1. Ao explicar os pronomes
lanchonete, restaurante é uma demonstrativos e os pronomes
necessidade básica de qualquer indefinidos, saliente que exis-
estrangeiro recém-chegado, que tem os variáveis e os invariá-
muitas vezes tem de hospedar-se veis. Diferencie os pronomes
em um hotel, e não está disposto demonstrativos|indefinidos e
a sair em busca de um restauran- adjetivos demonstrativos|inde-
te para o seu almoço ou jantar. finidos. Os adjetivos qualificam
Muitas vezes são homens de ou explicam os nomes (Esta casa
negócio que no seu corre-corre é minha.|Outra pessoa pode
diário, longe da família, querem responder.), ao passo que os
tomar uma refeição tranquila- pronomes substituem os nomes
mente, em sua casa, assistindo (Esta aqui é minha.|O outro
a um filme ou a uma partida de pode responder.).
futebol.
Enfoque: 1. Enquanto
Faça variações, levando os pronomes variáveis
um cardápio de uma (este, esta, esse, aquele
lanchonete ou de um etc.) podem ser usados como ad-
restaurante de comida brasileira, jetivos demonstrativos, isto é, po-
italiana, chinesa ou japonesa, dem acompanhar um substantivo
por exemplo. Explique os tipos (este livro), os invariáveis (isto,
de comida baseando-se no
isso, aquilo etc.) funcionam so-
cardápio.
mente como pronomes demons-
trativos, não sendo, portanto,
acompanhados por substantivos.
2. Os pronomes demonstrativos,
muitas vezes, são utilizados jun-
tamente aos advérbios de lugar

59
(aqui, aí, ali, lá). Ex.: Esta caneta Enfoque também: O
aqui é minha.|Aquele menino ali pronome “outrem” não
(lá) é filho do João. 3. Os pro- é muito usado na lin-
nomes demonstrativos variáveis guagem coloquial.
no masculino têm pronúncia
fechada (este, esse, aquele), e, 2. Para exemplificar o uso dos
no feminino, pronúncia aberta pronomes indefinidos, coloca-
(esta, essa, aquela). 4. Quando o mos um pequeno diálogo mos-
verbo ocorre depois do pronome trando como uma pessoa pode
com significado negativo, não se responder às perguntas sem dar
emprega a palavra “não”. (Ex.: uma “resposta definida”. O pro-
fessor pode fazer uma pergunta
“Nada falou.”). Quando, porém,
a cada aluno para que responda
ocorre antes desses pronomes,
“sem responder”. Esta atividade
haverá dupla negação. (Ex.:
pode também ser realizada em
“Não falou nada.”; “Não havia
pares.
chegado ninguém.”). 5. Ressalte
o uso de “alguém”, “ninguém”
para pessoas e “algo”, “nada”
para coisas. página 63
Como exercício, peça
aos alunos que res- 1. Como o título da unidade in-
pondam às perguntas dica (“A chegada”), o estrangeiro,
de forma negativa. Ex.: ao vir ao Brasil, terá o primeiro
“Você conhece alguém daqui? contato com o português a bordo
Não, não conheço ninguém da- do avião: as instruções da aero-
qui.”; “Vocês têm algo a dizer? moça e as palavras do coman-
Não, não temos nada a dizer.”; dante. Usualmente, são dadas
”A polícia tem alguma prova instruções, empregando-se o
contra ela? Não, a polícia não Imperativo (cor verde-oliva).
tem nenhuma prova contra ela.”;
”Vamos ler algum romance neste 2. Comece a explicar o uso do Im-
semestre? Não, não vamos ler perativo dando diversos tipos de
nenhum romance neste semes- instruções. Ex.: O professor antes
tre.”; ”Está tudo certo? Não, não de uma prova: escreva(m); per-
está nada certo.” gunte(m); responda(m); leia(m)
com atenção; não veja(m); não
use(m); não converse(m); não
copie(m); comece(m) etc. Depois,

60
peça aos alunos para que deem é rígida. A Alfândega funciona
as seguintes instruções: 1. Aos por amostragem, mas, se uma
transportadores de uma mudan- pessoa está muito carregada
ça: levar; tomar cuidado; colo- de bagagem, será fatalmente
car; carregar; embalar; amarrar abordada pelos fiscais. Outra
etc. 2. À empregada doméstica: informação importante se refere
chegar cedo; lavar; passar; ar- ao limite de compras permitido
rumar; ir comprar; passar pano; na entrada no país.
colocar; terminar até (...) horas
etc. Podem ser usadas imagens O professor pode fa-
representando estas e outras zer vários exercícios de
situações com os verbos listados. conversação (atividades
em pares) semelhantes
3. O Imperativo é usado também ao primeiro diálogo, “pedindo
como solicitação (pedido), geral- informações”. Sugere-se trazer
mente acompanhado de um “Por mapas da cidade e perguntar
favor”, ou ordem, como aparece onde fica o correio; o banco; o
nos diálogos no aeroporto. Faça hospital; o parque; a escola etc.
alguns exercícios para que o O vocabulário do PSIU, página
aluno possa entender o seu uso. 63 (Vias), pode ser utilizado
Entregue a cada aluno tiras de para desenvolver esta atividade.
papel, com indicações de ordem No Brasil, quando se pede uma
ou pedido (o verbo deve estar no informação deste tipo, o brasi-
Infinitivo): sentar-se, levantar-se, leiro provavelmente vai utilizar
abrir a janela, vir para cá, fechar
algumas destas referências para
a porta, pôr a mão na cabeça,
indicar o caminho, principal-
andar em círculos, colocar a mão
mente: quadra ou quarteirão;
no ombro do colega, mostrar o
semáforo; passarela; rua ou
diário etc. Cada aluno lê a sua
avenida (paralela ou perpendi-
tira e dá ordens ou faz o pedido a
cular). O conhecimento destas
um colega. As mesmas instruções
palavras facilita o entendimento
podem ser dirigidas a uma única
das explicações. Trabalhe com o
pessoa, que atuaria como robô
mapa de uma cidade real, como
e teria que obedecer às ordens
recebidas. São Paulo, por exemplo. Tam-
bém com uma planta do interior
4. Na Alfândega: Saliente a de uma casa, loja ou prédio,
dificuldade em se trazer equi- pergunte onde fica o banheiro;
pamentos eletrônicos para o a sala do gerente; o elevador;
Brasil. Comente que a Alfândega a seção de roupa masculina|

61
feminina etc. Pode-se começar rápido porque o bebê está para
a atividade dizendo: “Você está nascer etc. Convém ensinar as
aqui (num determinado ponto). expressões: “cortar caminho”,
Como você pode chegar ao .... “contramão”, “mão única” etc.
(outro ponto)?”. Incentive o aluno a fazer uso do
vocabulário do PSIU das páginas
5. PSIU – “A Rua tal é travessa 65, 67 e 69 neste exercício.
da Av. tal” significa que é per-
pendicular à avenida, isto é, que 1. Exercício 1: Toque o áudio uma
corta a avenida. Pela Nova Lei de vez, sem chamar a atenção para
Código de Trânsito, o pedestre os itens solicitados pelo exercício.
deveria cruzar a rua na faixa O aluno deve verificar quais in-
de pedestres, mas o brasileiro formações consegue captar. Ou-
está acostumado a atravessar ve-se outra vez o áudio para que
em qualquer lugar e perder este o aluno se atenha a informações
hábito pode levar muito tempo. não obtidas na primeira vez em
Por outro lado, os motoristas que o áudio foi tocado.
não respeitam muito a faixa de
pedestres também. Ao mencio- 2. Exercício 2: Antes de fazer o
nar passarela (para pedestres), exercício, explique o significa-
fale também sobre viaduto (para do de expressões coloquiais e
carros) e sobre rotatória. populares como: “dá pra...” ou
“não tem erro, viu?” e o uso da
dupla negação: “não tem erro,
não, viu?”
página 64
Leve mapas simplifica-
das ou mapas turísticos
Em relação ao diálogo para serem aproveita-
“Ao sair do aeroporto”, das em atividades diversas, tais
peça aos alunos para como elaborar diálogos pareci-
usarem frases-chave, mas ins- dos como o do exercício 2.
trua-os para variar, como, por
exemplo, puxando conversa com
um motorista de táxi (geralmente
os motoristas do Brasil gostam
de bater-papo). Ou também
inventar situações: congestiona-
mento (acidente, hora de pico);
sua esposa precisa ir ao hospital

62
página 65 Explique o que é “açúcar cristal”.
É importante falarmos das fazen-
das, dos costumes enraizados.
1. Exercício 3: Partes desse texto Faça perguntas|Solicite redações
podem ser usadas como ditado. sobre pratos tradicionais|pratos
Todos nós tivemos, mais cedo ou que evocam culturas|momen-
mais tarde, algum tipo de rela- tos específicos|lembranças em
cionamento com a jardinagem. seus alunos. Não há como seus
Estimule a conversação sobre o alunos não terem nada a rela-
primeiro contato dos alunos com tar sobre esse assunto. Fale de
a terra, com a ação de “plantar” “romeu-e-julieta” – tradicional
(na escola, em casa, com os sobremesa de goiabada com
pais?), com o cultivo e a colheita queijo – de geleia de goiaba etc.
de frutas e verduras. Alguns alu- Não deixe de mencionar o “bicho
nos com certeza terão como hob- da goiaba”. Pergunte: “O que é
by a jardinagem, outros prova- pior do que encontrar um bicho
velmente cultivam temperos em na goiaba?” Resposta: “Encon-
casa ou no seu jardim. Incentive trar meio bicho na goiaba que
a descrição desse tipo de prá- você acaba de morder.”
tica em seus países de origem.
Aproveite para apresentar outros 3. PSIU – O vocabulário do PSIU
termos relacionados: raiz, se- desta página e o das páginas 67
mente, enxerto, florir, dar frutos, e 69 está voltado aos estrangei-
espécies nativas, quintal, pá, en- ros que pensam em dirigir um
xada, tesoura, rastelo, aguar|re- carro no Brasil. Todo motorista
gar, aparar, podar, adubar| já deve estar familiarizado com
fertilizar, arar, cavar, colher etc. os símbolos, que, geralmente,
são internacionais, mas sempre
2. Exercício 4: Caso esteja no é bom saber o significado deles
Brasil, leve um pedaço de goia- em português. Para facilitar a
bada (cascão ou não) para a compreensão, para cada sig-
aula. Leve também fotos de nificado colocamos o símbolo
goiabas vermelhas e brancas. correspondente.
Esse é um exercício que deve
gerar grande interesse sobre a
nossa cultura em geral, pois nos
remete a tradições, à nossa his-
tória e ao conceito de passarmos
a tradição “de pai para filho”.

63
página 66 se acompanhada de “por favor”;
“por gentileza”; “por obséquio”.
No que se refere ao pedido,
1. Exercício 5: Dependendo do existem diversas expressões de
interesse de seus alunos, traga grande utilidade para os alunos,
mais informações sobre os títulos como as que aparecem no exer-
Dez Mandamentos e Carandiru cício: “Você poderia...”; “Você
e os dois diretores, Alexandre não gostaria de...”; “Você se
Avancini e Hector Babenco. Po- importaria...”; “Eu gostaria muito
de-se solicitar uma pesquisa a que...”; “Você poderia, por genti-
respeito aos seus alunos. leza...”. Aproveite para exercitar
estas expressões, fazendo o exer-
Traga resenhas de fil- cício ao contrário. O professor diz
mes que estejam sendo um verbo no Imperativo dando
exibidos atualmente uma ordem e o aluno elabora
nos cinemas de sua cidade. Você uma frase exprimindo pedido.
pode encontrar essas resenhas
em jornais, revistas e em sites
relacionados a filmes. A pesquisa
pode ser realizada em duplas ou página 67
em grupos e depois apresentada
ao professor e à classe.
1. Exercício 8: Explique a regra
Exercício 6: Há nestas do Plural dos Substantivos na
frases vocabulário de- página 70. Chame a atenção
notando sentimento, para aqueles com os quais só os
como: “admirar” e “sentir pena”. artigos vão para o plural. Ex.: o
ônibus – os ônibus.
Aproveite para introduzir outras
palavras e discutir sobre pes- Pratique o mesmo tipo
soas, lugares ou coisas que o de diálogo ao telefone,
aluno: adora; detesta; respeita; pedindo informações
odeia; tem medo de etc. Não se sobre algum evento e sobre
esqueça de que se trata de um acomodações ou instalações.
exercício de revisão do Presente Comente a diferença entre “Uni-
do Subjuntivo! versidade” (um conjunto de Fa-
culdades) e “Faculdade”.
2. Exercício 7: Chame a atenção
dos alunos para estes dois as- 2. Exercício 9: Explique, também
pectos: ordem e pedido. A ordem na página 70, o Plural dos Subs-
pode se transformar em pedido tantivos Compostos.

64
página 68 página 69

1. Exercício 10: Neste outro 1. Exercício 11: Trata-se de


exercício sobre o Plural dos um exercício de compreensão
Substantivos, o professor deve oral, mas que pode também ser
chamar a atenção para as di- aproveitado para, em grupos ou
versas mudanças feitas quando pares, inventar-se um diálogo
se coloca o substantivo no plu- semelhante, falando sobre uma
ral. Normalmente as palavras viagem (imaginária), realizada
ligadas a um substantivo, como há pouco tempo, parte feita em
artigo, adjetivo, pronome e ver- grupo, parte, sozinho. Nem to-
bo, flexionam-se, variando tanto dos os itens serão mencionados
em gênero quanto em número. no diálogo.

2. O texto “Outros Meios de Verifique se os alunos


Transporte” deve ser trabalhado já viajaram sozinhos,
como atividade de compreensão em grupos, em pacotes
oral (áudio), compreensão de lei- turísticos, com a namorada etc.
tura e discussão do tema: “Qual Pergunte sobre as vantagens e
é o meio de transporte mais desvantagens de cada tipo de
usado no seu país?”; “Qual é o viagem.
seu preferido?”; “Você tem medo
de usar algum destes meios de
transporte?”; “Há algum meio
de transporte que você nunca página 70
utilizou?” etc.

3. Aproveite o enunciado da Chame a atenção do


transferência para tratar de pa- aluno para o fato de o
lavras que nunca aparecem no Imperativo ter a mesma
singular, com exceção de férias, forma conjugada no Presente do
que, no singular, tem outro sig- Subjuntivo.
nificado (veja a U. 15 na página
142). Outras palavras apresen- 1. Plural dos Substantivos – cha-
tam significados diferentes no me a atenção para os invariáveis
singular e no plural: bem|bens; e para as palavras que admitem
costa|costas; letra|letras; venci- mais de uma forma de plural.
mento|vencimentos.

65
2. Plural dos Substantivos Com-
postos – faça ditados, por exem-
plo, para que o aluno assimile a
escrita (com ou sem hífen) destas
palavras, pedindo para que se-
jam colocadas no plural.

SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-


SUAL: outros sinais de trânsito,
flora brasileira.

66
ANOTAÇÕES
TÍTULO: O PAÍS E O IDIOMA

U8
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 8, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Voz Passiva

página 71
APRENDA
Restaurantes são os pri- feito (p.f.); comercial; marmitex;
meiros lugares que os entrega em domicílio, disk-pizza
estrangeiros provavel- etc.
mente frequentam ao chegar ao
Acrescente as expres-
Brasil. No diálogo, incluem-se os
sões: “A conta, por fa-
pratos mais comuns (do dia a dia)
vor.”; “Aceita cartão
do brasileiro, além de expres-
de crédito?”; “Posso pagar com
sões para uso em restaurantes,
cheque (de outra praça)?” etc.
que podem ser empregadas em
situações criadas para facilitar Não se esqueça de falar de
as variações na conversação. refrigerantes e de guaraná (tipi-
Colocam-se, além disso, alguns camente brasileiro).
tipos de restaurantes que os
Comente que o serviço
brasileiros costumam frequen-
(= gorjeta) é de 10% do
tar. Todos os temas devem ser
total consumido. Muitas
aproveitados para se falar sobre
vezes o serviço já está incluído
a diferença que existe entre o
na conta. Se houver dúvidas,
Brasil e o país de origem de
pode-se perguntar ao garçom.
cada aluno. “É comum comer
Fale também sobre o costume
fora?”; “Que tipo de restaurante
de dar gorjetas às pessoas que
é mais popular?”; “É permitido
fumar nos restaurantes?”; “E prestam algum tipo de serviço
em bares, cafés?” etc. Explique (manobrista, frentista de posto
que, em algumas cidades, como etc.). O couvert é opcional na
São Paulo, é proibido fumar em maioria dos restaurantes e pode
determinados lugares públicos. ser dispensado. Em restaurantes
mais simples, normalmente con-
Fale sobre: prato do siste apenas de pão e manteiga,
dia; sugestão da casa; mas, em churrascarias e em
sugestão do chef; prato restaurantes mais sofisticados, é

68
geralmente muito rico com patês, muralha (aumentativo); sala –
alguns frios etc. saleta (diminutivo); homem –
homenzarrão (aumentativo) etc.
Existem palavras ou expressões
que acompanham os substanti-
página 72 vos e dão a ideia de diminutivo
ou aumentativo: minipizza; uma
ESTUDO DE… ferida de nada; um carro e tanto;
um supertalento etc. que, na
1. O aumentativo e o diminutivo linguagem coloquial, são tão
transmitem, na maioria das ve- usadas quanto as formas do di-
zes, um sentimento de carinho minutivo e do aumentativo.
(carinha sorrindo) ou de ironia
(carinha triste). Estes sinais, a 2. Há substantivos que, origi-
carinha sorrindo (o afetivo) e nalmente aumentativos e dimi-
o chorando (o pejorativo) são nutivos, perderam ao longo do
utilizados no ex. 9 da página tempo esses valores e adquiri-
77. Enfatize também o uso da ram significados especiais. É o
entonação na comunicação oral. caso de portão (aumentativo de
O tom de voz indicará ao aluno porta); folhinha (calendário); car-
o sentido pejorativo ou afetivo. tão; cartilha; pastilha; cavalete;
Ouvindo as frases (áudio), os lingueta etc.
alunos podem distinguir essas
diferenças. Comparativamente
falando, o diminutivo é mais
usado do que o aumentativo. página 73
Coloque no quadro al-
gumas palavras para 1. “O País e o Idioma”, tema
serem passadas para o desta unidade, aparece em di-
aumentativo e o dimi- versos textos e exercícios. Nesta
nutivo. Sugira palavras como: página se introduz a Voz Passiva
amigo; garoto; garrafa; sala; e se aborda mais o aspecto geo-
criança; gato; tapete; carro etc. gráfico do Brasil. Para introduzir
a gramática, não se esqueça de
Explique que há aumen- ressaltar a formação do Particípio
tativos e diminutivos Passado dos verbos irregulares
formados de maneira e os que são irregulares apenas
diferente. Veja alguns exemplos: no Particípio Passado (veja a
muro – mureta (diminutivo)| página 80). Peça que os alunos

69
identifiquem a Voz Passiva no Traga fotos de sabiás
texto e, então, explique o tópico e explique que “onde
gramatical. canta o sabiá” se refere
ao Brasil, a terra “onde canta o
Use o mapa do Brasil sabiá”.
na última página do
livro do aluno e situe as 2. Exercício 1: Antes de fazer o
cinco regiões em que o exercício da Voz Passiva, trabalhe
país está dividido. Toque o áudio com os alunos sobre os aconte-
com os alunos olhando o mapa. cimentos mencionados no texto:
Depois de ouvirem uma ou duas A quem se refere quando diz,
vezes, peça para relatarem as por exemplo, “um presidente se
informações apreendidas. matar”, “um negro eleito presi-
dente dos Estados Unidos” etc?
Desenhe o mapa com as
O que ele pensa sobre “a morte
divisões regionais para
do telefone de discar”, “a volta
que os alunos digam,
do disco de vinil”, “a queda do
por exemplo, o nome
Muro de Berlin” etc? Quais são
das regiões, os lugares turísticos
os eventos que ele presenciou,
ou as características mais impor-
ouviu ou viu na TV?
tantes de cada região e também
os países que fazem limite com 3. PSIU – Dê informações sobre a
o Brasil. bandeira do Brasil e o significado
Boto cor-de-rosa: De dos seus símbolos. Por exemplo:
forma simplificada, con- as cores (como está escrito no
te a lenda segundo a PSIU); os dizeres da faixa branca
qual, ao anoitecer, o boto cor- “Ordem e Progresso” e as estre-
-de-rosa dos rios da Amazônia, las (são 27 estrelas, cada uma
transforma-se em homem para correspondente a uma Unidade
conquistar as moças da região. da Federação. A estrela da par-
Trabalhe lendas do(s) país(es) te superior representa o Pará).
dos alunos. O lema “Ordem e Progresso”
expressa os ideais positivistas
Saliente que, em todo elaborados por Augusto Comte:
o território brasileiro, “Nenhuma ordem legítima pode-
fala-se português. Não rá daqui em diante se estabele-
há dialetos, embora haja sota- cer e, principalmente, durar, se
ques diferentes, variações quanto não for plenamente compatível
a vocabulário e mesmo quanto a com o progresso. Nenhum gran-
aspectos gramaticais. de progresso poderá se realizar

70
eficazmente se não tender em página 75
última análise para a evidente
consolidação da ordem.”
1. Exercício 6: Resposta para o
Peça aos alunos que material no áudio. Verbos na Voz
apresentem a Bandeira Passiva: 6.
de seus países à classe.
2. PSIU – O Hino Nacional (letra
de Joaquim Osório Duque Estra-
da; música de Francisco Manoel
página 74 da Silva) tem algumas palavras
que podem apresentar proble-
1. Exercício 2: Após fazer o exer- mas de compreensão: plácidas:
cício de áudio, peça aos alunos serenas, tranquilas, mansas,
que escolham um dos parques sossegadas; brado: clamor,
para apresentar à classe, ob- grito; fúlgidos: de fulgente, que
tendo mais informações sobre tem fulgor, brilhante, cintilante;
ele e confeccionando um cartaz
penhor: garantia, segurança,
sobre o local, do ponto de vista
do turismo, para convencer os prova; vívido: que tem vivacida-
colegas a visitar o local. Use au- de, ardente, intenso; impávido:
mentativos e diminutivos, além sem pavor, destemido, afoito,
da Voz Passiva. intrépido; colosso: estátua des-
comunal, objeto de enormes
2. Exercício 3: Timor faz parte da dimensões; florão: armamento
CPLP - Comunidade dos Países circular do feitio de uma flor,
de Língua Portuguesa. Pesquise
abóbada; garrida: sineta, roda
e atualize-se sobre a situação de
de ferro que se põe sob pedras
Timor. Procure outras informa-
ções importantes|curiosas sobre grandes para deslocá-las; lába-
o país. Discuta a importância de ro: estandarte dos exércitos ro-
um idioma para a unidade de manos, distintivo de nação, par-
uma nação. Fale de dialetos. O tido, pavilhão, pendão; flâmula:
país do aluno tem dialetos? O pequena chama, bandeirola
Brasil não tem e o idioma único terminada em bico usada para
garante a unidade da nação. sinalização em festividades ou
Revise a Voz Passiva. como adorno.
3. Exercício 4: Trabalhe as duas
formas: Ativa e Passiva, conforme
o exemplo dado.

71
página 76 informações mais importantes
do país escolhido e faça uma
apresentação a partir do quadro
1. Antes da leitura, peça aos elaborado.
alunos que pesquisem sobre as
origens das palavras no Brasil. 2. Exercício 9: Sugerimos usar
De onde vem certos nomes de as carinhas que apareceram no
frutas, aves, comidas e até de ESTUDO DE: se o uso for afetivo,
nomes de pessoas? uma carinha sorrindo; se pejora-
tivo, uma carinha chorando.
Trabalhe com a música
“Tu Tu Tu Tupi”, de Co- 3. PSIU – Trazemos aqui algumas
coricó, para mostrar a palavras que têm significados di-
riqueza da nossa língua ferentes no Brasil e em Portugal.
graças à influência indígena. As palavras são tão diferentes
que podem surgir frases muito
2. Exercício 8: Aproveite o exer- engraçadas, imaginadas pelos
cício para falar de alguns tipos alunos.
de macacos que temos no Brasil,
A lista de palavras segue na p. 79
partindo do sagui. Temos o sa-
também.
gui‑leãozinho, o menor primata
brasileiro. Peça uma pesquisa
sobre os macacos considerados
em vias de extinção também.
página 78

Exercício 10 e 11: Su-


página 77 gestão 1: peça aos alu-
nos que imaginem ser
Antônio e que escrevam
1. Texto: “Você conhece a Guiné
a carta-convite a Roberto. Su-
Equatorial?”: peça aos alunos
gestão 2: peça aos alunos que
que façam um quadro com as
trabalhem em pares – o aluno
informações do texto, para uma
A escreve uma carta-convite ao
visualização imediata do que é
aluno B, que, por sua vez, vai
mais importante sobre o país.
escrever uma carta-resposta re-
Peça aos alunos que escolham
cusando amavelmente o convite.
um dos países vizinhos do Brasil
Trabalhe depois em forma de
e façam o mesmo, ou seja, um
diálogo. Crie outras situações:
quadro com um resumo das
um convite para uma festa, para

72
viajar juntos a algum lugar, para positiva pela lembrança. Dizer,
um almoço ou um jatar, para ir à em poucas palavras, o quanto
casa de alguém para uma visita fica feliz em ser lembrado é a
etc. A ideia é treinar a recusar melhor saída. 2. Se não tiver
um convite por escrito, em forma certeza, diga apenas que você
de carta|e-mail, ou oralmente, precisava verificar a disponibi-
pelo telefone. A atividade escrita lidade para a data, mas sem
pode ser passada como tarefa e parecer prepotente. Mesmo que
o telefonema, praticado em sala isso não seja verdade, jamais
de aula. deixe passar a sensação de “des-
culpa esfarrapada”, mas sim, que
Providencie textos para deseja participar. Fique atento
serem discutidos sobre ao prazo de confirmação de sua
o tema (“recusar um presença. Não somente para jus-
convite”), tais como o que segue, tificar a ausência, mas para que
retirado de um site: a organização do evento planeje
Não importa o tipo de convite, a recepção. O quanto antes res-
mas a probabilidade de receber ponder deixa a sensação de que
um e não poder comparecer é está preocupado com o convite,
muito grande. Algumas vezes mesmo não podendo compare-
você poderá ir, em outras, talvez cer. Deixe as portas abertas para
não. Em alguns casos é difícil e uma nova oportunidade. Mesmo
constrangedor recusar o pedido, que não goste do evento ou da
ainda sendo de pessoas que você pessoa, é preciso ficar atento,
estima muito. Mas há algumas pois novos encontros podem ser
dicas que podem salvar você ótimos para seu círculo de rela-
nesse momento constrangedor cionamento. Isso também man-
e ajudar a recusar um convite tém uma postura íntegra sobre a
educadamente, sem desmerecer postura de quem o convidou sem
o convite, mesmo que não seja gerar qualquer tipo de ofensa.
importante, não irá ofender nin- Assim poderá respirar aliviado
guém. Instruções: 1. Seja educa- e não terá sentimentos ásperos.
do já no ato de receber o convite. (Fonte: http://www.assimsefaz.
Trate a pessoa que o convidou com.br/sabercomo/como-recu-
com muita cordialidade. Isso sar-um-convite-educadamente)
independente de gostar ou não
da pessoa e de participar ou não.
Transmita sempre uma impressão
de consideração e apreciação

73
página 79 algo que não seja somente “ob-
jeto grande”.

1. Exercício 12: Compreensão de 3. PSIU – É importante passar o


leitura: o objetivo desta atividade significado de algumas palavras
é identificar as diferenças entre o no Brasil, antes de trabalhar o
português do Brasil e o de Portu- vocabulário do português de Por-
gal, mas discuta também sobre o tugal. Diferenças entre “cueca”
português falado nas fronteiras, e “calcinha”, por exemplo, são
como é o caso da do Uruguai, muito importantes.
que sofre forte influência do
português.

2. Exercício 13: O objetivo desta página 80


atividade é verificar se os alunos
conseguem usar os verbos e suas
conjugações adequadamente. ATENÇÃO 1: o Particí-
Mas ao mesmo tempo podem pio Passado dos verbos
conhecer como uma cidade co- varia em gênero e nú-
meça a tomar uma característica, mero. ATENÇÃO 2: há verbos
como é o caso da cidade de Itu, que possuem duas formas de
conhecida como a Terra dos Particípio Passado: uma regular,
Exageros, onde tudo é gigante, outra irregular. Nesse caso, os
levando os moradores e turistas irregulares são usados apenas
a fazerem uso dos aumentativos. para a formação da Voz Passiva.
Para a formação dos Tempos
Peça aos alunos que fa-
çam uma pesquisa sobre Compostos utiliza-se, geralmen-
alguma cidade, cuja pe- te, o Particípio Passado regular.
culiaridade é conhecida ATENÇÃO 3: conforme já visto
por muitos, a ponto de se tornar anteriormente, algumas destas
uma cidade turística. O professor palavras, quando usadas no sin-
pode indicar as cidades para que gular, mudam de significado: As
os alunos façam a pesquisa. férias – a féria (dinheiro ganho
num dia); belas-artes – bela arte
Comente sobre algu- (arte bonita) etc.
mas palavras como
“orelhão” (portão, sa-
colão, cartão, colchão, cordão,
fogão, caixão etc.) que designam

74
SUGESTÃO PARA MATERIAL
VISUAL: cardápios; músicas po-
pulares brasileiras com espaços
para completar as letras; mapa
do Brasil com os números dos
parques para o exercício 2.

75
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
GRUPO 3
A Sociedade e sua Organização

Este Grupo destina-se a apresentar o dia a dia


no Brasil e as especificidades brasileiras ao se procurar
onde morar; a manutenção da residência; o bairro; os
sistemas de educação e saúde. A última página de cada
Unidade deste grupo contém um texto bastante resumido
de nossa História, do Descobrimento até os dias atuais.
TÍTULO: O LAR

U9
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Advérbios (1), Discurso Indireto

página 81
APRENDA
1. O objetivo desta página é radores em geral possam circular
ensinar ao aluno os procedi- mais livremente. Muitos têm
mentos típicos envolvidos com o grandes áreas verdes. Fiador|a:
aluguel de uma casa ou de um pessoa que se responsabiliza
apartamento no Brasil. Pergunte por pagar o aluguel e demais
inicialmente ao aluno se já pas- despesas caso o inquilino não o
sou por esta experiência, pois faça. Normalmente, não é aceita
disso depende definir o tempo como fiador uma pessoa que não
adequado para se trabalhar a possua imóveis no município em
página 81. Inicie pelo vocabulá- que o imóvel será alugado ou
rio para, então, ouvir o áudio e, que seja parente do inquilino.
por último, fazer a leitura. Algumas vezes, substitui-se o fia-
dor por um depósito antecipado
2. VOCABULÁRIO RELEVANTE: de três aluguéis (também alu-
Esclareça que, no Brasil, a pa- gueres) do imóvel em questão.
lavra condomínio refere-se não IPTU: Imposto Territorial Urbano
apenas ao rateio das despesas – deve ser pago pelo morador
de um prédio pagas pelos mo- ao município e pode ser pago
radores, mas também a um ou em parcela única ou parcelado
mais edifícios ou casas em uma em dez vezes. Zona: As cidades
área fechada, às vezes, com maiores são divididas em zonas.
outras benfeitorias, tais como: Normalmente não é possível se
piscina, quadras esportivas, sede abrir uma loja numa zona resi-
social etc. Devido ao problema dencial, que pode também ser
de segurança, muitas vezes, subdividida em letras. Por exem-
esses Condomínios se tornam plo, se for Zona A, não se podem
verdadeiros clubes cercados por construir edifícios, e assim por
muita segurança para que as diante. “Zona” é também o termo
crianças, os adolescentes, os mo- popularmente usado para área

80
de muita prostituição. Há ainda página 82
as expressões coloquiais: “Que
zona!”; “Foi uma zona total”; ESTUDO DE…
em que a palavra “zona” indica
“bagunça”; “baderna”. A apresentação dos advérbios é
feita em duas etapas (Unidades
3. No diálogo, “suíte” é o termo 9 e 10). Não se precipite ensi-
usado para definir quarto + nando-os todos de uma só vez!
banheiro. As dependências de
empregada geralmente se cons- Ao apresentar os advér-
tituem de um pequeno quarto bios de lugar, exercite-
e um banheiro também muito -os fazendo perguntas
pequeno. Num apartamento, sobre, por exemplo, fotografias
e mesmo numa casa, normal- de revistas. Antes de introduzir as
mente ficam próximas da área locuções prepositivas, faça uma
de serviço. revisão das contrações (ex.: de
+ o = do etc.), exercitando-as
Após a primeira leitu- bastante. Diferencie o uso de em
ra, repita-a trocando cima, acima, embaixo e abaixo.
papéis. Atenção para
a entonação! Faça, então, as Dependendo do espa-
perguntas de compreensão e de ço disponível, organize
transferência para a situação real uma caça ao tesouro.
dos alunos. Estenda a conversa- Antes da aula, esconda
ção para problemas que podem um brinde (qualquer coisa pode
acontecer quando se aluga uma ser usada, mas, se possível, algo
casa ou um apartamento, tais que seja bem brasileiro, como
como: problemas com fiador; um Sonho de Valsa) em algum
dias específicos permitidos pelo lugar da sala|escola e distribua
regulamento interno do prédio pistas em outros lugares (cinco
para que sejam feitas as mudan- aproximadamente para cada
ças; existência de contas venci- dupla). Escreva a primeira dica
das (atrasadas) deixadas pelo numa tira de papel (uma para
inquilino anterior (especialmente cada dupla) e a entregue aos
de luz, gás etc.) etc. alunos. Use o máximo possível
de advérbios de lugar.

Para os advérbios de
modo, você pode esco-
lher fotos que permitam

81
respostas para perguntas do tipo: com maquetes e desenhos muito
(foto de um rapaz fazendo pro- bem elaborados. Geralmente,
va) “Como João deve responder nos estandes, serve-se água, ca-
às perguntas?”; (foto de mãe fezinho, refrigerante e até algum
penteando uma criança) “Como salgadinho. Mencione também
Georgette está penteando seu os lançamentos de projetos no-
filho?” etc. vos geralmente precedidos por
um coquetel e distribuição de
Dê atenção especial às panfletos e balões. Em cidades
locuções adverbiais e grandes, os panfletos anuncian-
utilize-as em diversas do os imóveis são distribuídos
frases para que os alunos com- nas principais esquinas das
preendam bem o seu uso. Faça imediações do imóvel.
aqui os exercícios 3 e 11.
Explique a palavra
closet e ressalte que, no
português, assim como
página 83 em outros idiomas, a influência
de palavras estrangeiras é muito
grande.
1. Primeiramente, os alunos
devem ouvir o texto “Em um Explique que, no Bra-
estande de vendas”, acompa- sil, os salões de festas
nhando a planta da página 84. dos prédios são muito
Na segunda audição, o professor usados, especialmente na co-
deve pedir que os alunos anotem memoração de aniversários.
toda e qualquer informação extra Geralmente se paga uma taxa ao
que achem importante quando Condomínio pela utilização des-
se tem interesse em adquirir um tes espaços. Aproveite para expli-
imóvel. car que as festas de aniversário
de crianças no Brasil são muito
2. Toque mais uma vez o áudio
elaboradas (se possível, traga
para que os alunos acompanhem
o texto. fotos) e que, às vezes, opta-se
por contratar bufês (firmas espe-
Comente que um es- cializadas neste tipo de festa) e,
tande é geralmente até mesmo, realizar a festa nas
construído no lugar dependências do próprio bufê.
onde se localizará o imóvel
depois de pronto. Muitas vezes,
os estandes são muito luxuosos

82
3. PSIU – Geminada: parede com apresentação para a turma toda
parede da (de) outra casa – espe- ou para discussão em pares.
cialmente típico de vilas: uma se- Num segundo momento, siga as
quência de casinhas uma ao lado instruções do exercício.
da outra, geralmente em ruas
sem saída; sobrado: casa de dois 2. Feito o exercício 2, peça a
andares; quitenete: apartamento segunda parte como tarefa, a
geralmente muito pequeno, sem ser comentada na aula seguinte.
divisão entre sala e quarto; seria
bom diferenciá-lo de apartamen-
to de um dormitório.
página 85
No Brasil, nas férias
e|ou fins de semana,
Exercício 4: Escreva os
é possível alugar apar-
tempos verbais Presente,
tamentos, casas, sítios, chalés
Imperfeito e Perfeito na
por dia ou temporada, princi- lousa. Leia o enunciado
palmente no litoral (na praia), sem prender-se às respostas.
na montanha ou no campo. É Toque o áudio com os exemplos
possível também alugar sítios e escreva os verbos conjugados
para comemorações de um dia sob o título adequado. Frise o
(churrascos; confraternizações uso de antigamente, quando eu
de funcionários de uma empresa tinha uns dez anos e hoje. Dê al-
[geralmente no final do ano]; guns minutos para que os alunos
aniversários; casamentos etc.). façam suas anotações enquanto
você circula na sala ajudando
com o vocabulário. Inicie a dis-
cussão. É interessante acrescentar
página 84 às informações já escritas na lou-
sa os verbos empregados pelos
1. O exercício 1 pode ser mais alunos durante a discussão.
proveitoso se feito em duas
Exercício 5: Os alunos
etapas. Na primeira, use foto-
precisam de dicionários
cópias para que os alunos façam
para este exercício. To-
as modificações que acharem
que o áudio, parando após cada
importantes ou adequadas às
situação, e deixe que o façam em
suas necessidades (e da sua
pares, preenchendo o quadro
família). Tais fotocópias podem
com as informações adequadas.
ser reproduzidas em slides para

83
Estimule os próprios alunos a empregada doméstica). Diálogo
trabalharem o vocabulário e dê D – “Corre!” (forma coloquial).
apenas as explicações de expres- O imperativo correto, segundo
sões de uso cotidiano constantes a norma culta, seria “corra!”.
nos diálogos da página 86 do Diálogo E – Explique que apesar
livro-texto. de derrubar a parede, pode-se
precisar de cimento, areia e
Observação: num edifício ou tijolos para algum arremate
condomínio, geralmente o zela- (acabamento). Diálogo F – “tô”
dor faz quase todos os pequenos (abreviação de estou); “aguenta”
e médios reparos nos aparta- (sinônimo de espere); “Se Deus
mentos, sendo remunerado ou quiser!” – expressão muito usada
gratificado à parte. indicando esperança de algo dar
certo ou vir a ocorrer no futuro
(Até amanhã, se Deus quiser!).

página 86 Veja com os alunos se


já passaram por estes
problemas; se preci-
EXPRESSÕES de uso
saram de ajuda ou se
diário no Brasil (que
eles mesmos consertaram o
talvez não sejam fa-
que estava danificado; se estes
cilmente encontradas em dicio-
consertos ou reparos são caros
nários): Diálogo A – “Não tem
ou baratos em seus países de
jeito, não, senhora!” e “Não
origem etc. Amplie o vocabulário
dá, não.”, salientando o uso da
com palavras adequadas a cada
negação dupla. Comente que a
situação. Crie situações para
palavra azulejos não muda de
serem trabalhadas em pares.
acordo com a cor (não existe a
palavra “verdelejos”, por exem- 1. Diferencie conserto (ato de
plo). Diálogo B – “Nossa, Dona!” arrumar algo danificado) de con-
exclamação de surpresa usada certo (composição ou espetáculo
apenas para senhoras, pois não musical).
dizemos “Nossa, Dono!” quando
falamos com um homem. Diá- 2. Comente sobre lojas chama-
logo C – “patroa” usado para das de “Cemitério dos Azulejos”,
definir esposa (além do uso que comercializam azulejos anti-
comum de dona de alguma em- gos ou fora do mercado por não
presa em relação ao funcionário mais serem produzidos.
e da dona de casa em relação à

84
página 87 em pares. Explique que todas
as grandes cidades brasileiras
possuem um guia similar para
1. O PSIU desta página deve ser que as pessoas possam localizar
trabalhado antes dos demais os endereços mais facilmente.
exercícios.

2. Antes de apresentar o exercí-


cio 6, volte à página 82 e retome página 88
as informações mais importan-
tes. Então, leia o enunciado e dê
alguns minutos para o trabalho Escute o áudio com o
em pares. texto introdutório ao
exercício 9 e discuta se
Exercício 7: Pode-se va- esta realidade é comum também
riar este exercício, pe- no país de origem do aluno. Dis-
dindo que os alunos se cuta valores pagos a diaristas e a
sentem, em pares, um empregadas domésticas. Estenda
de costas para o outro, e solici- a discussão para os seguintes
tando que um aluno descreva um tópicos: “Que outras opções po-
cômodo da sua casa para que dem ser discutidas para resolver
o colega o desenhe. Acabado estes problemas?”; “O caso em
o trabalho, os pares discutem o que a esposa trabalha fora e o
resultado final e, depois, inver- marido fica em casa cuidando
tem os papéis. dos filhos já ocorre em alguns
países. No seu país isso seria um
Exercício 8: Caso ne- problema? Por quê?”. Prepare
cessário, elabore mais a lousa com antecedência com
exercícios deste tipo. os mesmos títulos encontrados
Peça aos alunos que passem as no exercício 9. Sob cada título,
instruções (em pares), como se escreva as perguntas feitas pe-
estivessem ao telefone (sentados los alunos. Quando os assuntos
de costas um para o outro). estiverem se esgotando, faça
uma votação para eleger as
Use uma imagem am- três perguntas mais importantes
pliada da página de um sob cada tópico. Sugestões de
Guia e peça explicações perguntas: 1. “Qual foi o seu
sobre como chegar a de- último emprego? E por que você
terminados lugares. Em seguida, o deixou?”; 2. “O que você faz
essa situação pode ser exercitada atualmente?”; 3. “Com quem

85
mora? Você é formado(a)? Qual 1. Exercício 12: Dicas para con-
o seu grau de escolaridade?”; versação: “O que deixaria|deixa
4. “Você sabe cozinhar, passar você muito furioso|aborreci-
etc.?”; 5. “Tem algum problema do|recompensado|preocupa-
em trabalhar nos fins de sema- do|chocado?”
na?”; “E quanto a, em caso de
necessidade, trabalhar até mais 2. Trabalhe também em pares:
tarde?” etc. Peça aos alunos que formem
suas próprias frases e que as
Exercício10: Toque o áudio pelo comparem com as dos colegas.
menos duas vezes e oriente os
alunos a anotar somente pala- 3. Exercício 13: Explique ono-
vras-chave que auxiliam a relatar matopeia: vocábulo ou série de
os acontecimentos. O resumo vocábulos cuja pronúncia imita
escrito deve ser feito como tarefa o som natural da coisa ou coisas
(veja o texto do áudio). significadas, como: tique-taque;
cocorocó; gluglu etc.
Transferência: Dê al-
guns minutos para que 4. PSIU – Dê como tarefa uma
os alunos respondam pesquisa, em um site|livro de
às questões e, então, etiqueta, de como “pôr uma
façam as mesmas perguntas mesa corretamente.”
aos colegas comparando suas
respostas e opiniões.

página 90
página 89 Para melhor aproveita-
mento dos textos neste
Retome com os alunos o grupo, sugerimos que:
ESTUDO DE..., pedindo- 1. A leitura seja feita em sala
-lhes que leiam as frases de aula. 2. Os alunos sejam
da primeira coluna do avisados de que os textos não
exercício 11 tentando deduzir o são adaptados. 3. Numa leitura
significado das expressões em deste tipo, não se deve tentar
itálico. Ao reler cada frase, dirija compreender toda e qualquer
a atenção para a segunda coluna palavra lida, mas tentar enten-
e incentive a conversação. der o todo, o assunto geral. 4.
Seja feita uma primeira leitura,
dando-se ênfase à pronúncia: a –

86
o professor lê um parágrafo e SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-
pede a um ou outro aluno que o SUAL: tipos de moradia; outros
releia; b – o professor relê as pa- eletrodomésticos; louças e talhe-
lavras problemáticas e pede que res (uma mesa posta); mobília.
os alunos as repitam em coro, e
assim por diante. 5. Sejam discu-
tidas as palavras-chave que, caso
não entendidas, comprometem a
compreensão do texto. 6. Sejam
feitas perguntas de compreensão
aos alunos para averiguar o en-
tendimento.

HISTÓRIA DO BRASIL (1)

I. Vocabulário: têxteis: relati-


vos a tecidos; promover: dar
impulso a; incursões: invasões;
imunizados: a salvo de deter-
minadas doenças; devastações:
destruições vandálicas; filões:
enchimentos da crosta terres-
tre de substância hidrotermal;
prescindir: dispensar, renunciar;
mediação: intervenção; príncipe
regente: aquele que exercia o
governo, nas monarquias, du-
rante a minoridade.

II. Sugestão de questões para


discussão ou pesquisa:1. O que
é o Tratado de Tordesilhas?; 2.
Por que os indígenas não foram
utilizados como escravos?; 3.
O que aconteceu no dia 7 de
setembro de 1822?

87
ANOTAÇÕES
TÍTULO: O BAIRRO

U10
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Advérbios (2), Artigos Definidos

página 91
APRENDA
1. Aqui aparecem diversas si- de.”; “O recado será dado assim
tuações ao telefone para que que...”; “Mais alguma coisa?”;
o aluno pratique as expressões “Por enquanto é só” etc. Pode-se
mais comuns em determinados acrescentar também o seguinte
contextos. Na primeira situação, vocabulário: mudo; ocupado;
disca-se um número errado. Na está em outra linha (ligação);
segunda, liga-se à casa de uma chamada interurbana (DDD);
amiga e nas outras duas, são internacional (DDI); a cobrar; te-
feitos telefonemas comerciais a lefonista; PABX; telefone público
um supermercado, em que se (“orelhão”|cabine de telefone);
deixa um recado e se pede um cartão; celular; caixa postal; se-
retorno, e a um banco, falando- cretária eletrônica; mensagem;
-se com um gerente sobre uma lista ou catálogo telefônico etc.
aplicação financeira.
2. No primeiro diálogo, explique
Expressões a serem tra- que, no uso coloquial da língua,
balhadas: “Não tem na língua falada, muitas vezes,
ninguém com esse usa-se (ou não) o artigo “a” na
nome aqui, não, senhor.”; “Des- frente do nome próprio (ex.:
culpe, foi engano.”; “Quem Marisa – a Marisa). (Isso depen-
gostaria?”; “Com quem gostaria de muito também da região do
de falar?”; “Um momento, por país.)
favor, vou chamá-lo|a.”; “Alô,
quem fala?”; “Seria só com 3. No segundo diálogo, “Nossa!
ele|a?”; “Posso ajudá-lo|a?”; Que legal!” é uma expressão
“Gostaria de deixar um recado.”; enfática para dizer que se gos-
“Poderia dar-me um retorno?”; tou muito de algo mencionado
“Estou retornando a ligação anteriormente por outra pessoa.
de...”; “Volto a ligar mais tar-

89
4. Nos terceiro e quarto diálogos, 2. Advérbios: faça a leitura e dê
peça aos alunos que indiquem as as explicações devidas. Elabore
falas mostrando tratar-se de uma frases e peça aos alunos que
conversação comercial. criem outras. Como de costume,
os exercícios aparecem mais
5. No telefonema ao banco é adiante. Contudo, podem ser
necessário explorar o significado feitos logo após as explicações
dos termos bancários, como: dos advérbios. É possível, ainda,
aplicação, (valor do) resgate, explicar alguns dos advérbios
reaplicação (automática), ven- (afirmação, dúvida, negação,
cimento da aplicação, CDB de por exemplo) e trabalhar com
30 ou de 60 dias etc. Podem-se perguntas e respostas. Ex.: P:
empregar ainda alguns outros “Você virá à próxima aula?” R:
termos, como: conta-corrente, “Certamente|Sim|Não|Talvez.”;
correntista, poupança, investi- P: “Não sabia que você gostava
mento etc. de samba.” R: “Realmente eu
gosto|Jamais gostei|Nunca gos-
Prepare outras situações tei.”; P: “Você fez o trabalho?”
possíveis para as quais R: “Não fiz nada|Certamente
se utiliza o telefone: que sim|Claro.”; P: “Como ela
pedir informações, fazer é inteligente, não é mesmo?” R:
reclamações, receber um tele- “Realmente|Sem dúvida.”
fonema a cobrar etc. Em pares
ou trios, trabalhe com tiras de Em relação aos advér-
papel onde estejam definidas as bios de intensidade e
funções de cada aluno. de tempo, frases podem
ser colocadas no quadro
para que o aluno acrescente os
advérbios adequados (incluindo
página 92 os outros já estudados). Ex.: a)
Estudei para a prova e estou com
ESTUDO DE… dor de cabeça. (Estudei demais
para a prova hoje e estou com
1. Nesta unidade, o ESTUDO uma dor de cabeça muito forte.);
DE... está dividido em duas b) Não tenho frio (Quase nunca
partes tratando de advérbios e tenho frio); c) Estou tonto! (Estou
de artigos definidos, respectiva- realmente meio tonto ainda!); d)
mente. Apresente cada uma das Eu tinha confiança nele. (Antes
partes em aulas separadas. eu tinha mais|menos confiança
nele.)

90
3. Artigos definidos: apresenta- 1. Toque o áudio, num primeiro
mos algumas novas regras para momento, com o livro fechado e
o uso dos artigos e algumas peça que os alunos reportem o
exceções. É importante salien- que conseguiram entender.
tar que essas regras devem ser
memorizadas, principalmente a 2. Reveja o APRENDA da U. 5
de que normalmente países e com informações sobre a fei-
acidentes geográficos requerem ra|os feirantes.
artigo, mas, cidades e estados,
não. Não se esqueça de ressaltar 3. Trabalhe a compreensão de
que o substantivo simples, em leitura do texto, oralmente, atra-
geral, requer o uso de um artigo vés de perguntas e respostas ou
definido ou indefinido. pedindo que os alunos façam um
resumo oral com as informações
obtidas (cada aluno elabora uma
parte, usando as suas próprias
página 93 palavras) e compara-as com as
informações dadas pelos alunos
às perguntas do item anterior.
OS BAIRROS – Fala-se
Pode-se realizar a interpretação
sobre como funciona
do texto também em forma de
um bairro no Brasil. jogo, em grupos, que preparam
Com os livros fechados, pergunte quatro perguntas cada, e aquele
aos alunos o que lhes vem à ca- que conseguir responder ganha
beça ao ouvir a palavra “bairro”. determinado número de pontos.
Escreva as definições no quadro O que somar mais pontos é o
e procure estender o assunto vencedor.
comparando nossa divisão de ci-
dades grandes com a divisão das 4. Leia o texto enfatizando a
cidades nos países de origem dos pronúncia. Peça a um ou outro
alunos. Faça perguntas do tipo: aluno que o leia. Corrija erros
“O que um bairro não precisa de pronúncia muito graves, que
oferecer?”; “Você já ouviu falar comprometam a compreensão.
em algo parecido com um ‘Jornal Proceda à repetição em grupo
de Bairro’?”; “O que você acha das palavras que apresentam
que deveria anunciar?”; “Em que maior dificuldade de pronúncia.
tipo de bairro se daria uma festa
italiana ou uma Oktoberfest?”. 5. Solicite que, em pares, um
aluno dite ao seu colega um dos
parágrafos escolhidos pelo pro-
fessor. Inverta os papéis, fazendo

91
o mesmo exercício, com outro 7. PSIU – Verifique se algum alu-
parágrafo. no conhece alguém que é|foi (ou
precisa|precisou ser) hóspede de
Discuta as informações alguma das Casas mencionadas.
novas. Não se esqueça Discuta o porquê de as pessoas
de explicar: “Festa Juni- ficarem neste tipo de moradia;
na”, “pastel” e “caldo de cana”. “Haveria outras soluções”; “Em
Trabalhe também com a fixação alguns países, os hospícios foram
do vocabulário novo, como por fechados e as famílias convivem
exemplo: organizar, promover, com seus parentes ou os colocam
concentrar, consistir, implantar, em casas abertas (os doentes
prestar serviços, acostumar-se, podem sair durante o dia). E no
circular etc. país de origem dos alunos?”.
Divida os alunos em
pequenos grupos. Esta-
beleça que estão par-
ticipando da reunião página 94
de uma Organização de Bairro.
Apresente o mesmo problema 1. Exercício 2: Revise muito
para os grupos para que encon- bem a Voz Passiva em todos os
trem soluções adequadas para tempos verbais simples. Faça o
resolvê-lo. Após alguns minutos, exercício e, se possível, leve fotos
cada grupo escolhe um repre- de revistas|jornais de lugares|
sentante, que deve apresentar as cidades|bairros antigos e novos
soluções do seu grupo à classe. para exercitar o mesmo tipo de
No final, vota-se na melhor so- atividade.
lução para o problema.
Em um condomínio de
6. Exercício 1: Pode ser solicitado apartamentos, o uso
como tarefa. Caso os alunos ain- dos elevadores é sem-
da encontrem muitos problemas pre um problema. Discuta sobre
com o tempo Imperfeito, revise a utilização correta dos eleva-
primeiro a gramática e, depois, dores com os alunos. Destaque
faça o exercício oralmente em algumas das dicas de utilização,
aula. Não se esqueça de en- como a seguir; 1. Para chamar
fatizar que algumas palavras o elevador, aperte o botão uma
deverão ser excluídas e outras, única vez; a insistência não
substituídas. aumenta a velocidade e pode
danificar o equipamento; 2.
Aperte apenas o botão do andar

92
desejado; sua viagem será mais Espaço Gourmet, Churrasqueira
rápida e confortável; 3. Espere com Forno de Pizza, Fitness
as pessoas saírem para entrar; Center, Sauna, Brinquedoteca,
isso melhora o fluxo de passa- Cinema, Playground|Child Care,
geiros e aumenta a eficiência Salão de Festas, Lan House, Pis-
no transporte; 4. Não segure ta de Cooper etc. Discuta com
a porta do elevador; a porta é os alunos sobre as vantagens
um componente de segurança. e desvantagens de ter esses
Não exerça peso, pressão nem espaços em seu condomínio.
a segure aberta; isso prejudica Quais espaços são dispensáveis
a viagem dos demais passagei- ou indispensáveis? Quais alunos
ros; 5. Não exceda o limite de usariam e quais não usariam de
peso permitido. Todo elevador maneira nenhuma? Discuta tam-
é projetado para transportar um bém sobre o uso de estrangei-
limite máximo de peso. Verifique rismo cada vez mais frequente.
a placa de capacidade no interior
da cabine; 6. Cuidado com os
degraus. Às vezes, formam-se
degraus quando a cabine não página 95
para nivelada com o pavimento;
7. Proteja as crianças. Jamais
permita que elas andem sozinhas 1. Exercício 6: Revisão do Preté-
no elevador; 8. Em caso de in- rito Perfeito do Indicativo e do
cêndio, use as escadas; 9. Antes Futuro. As sentenças a serem
de entrar no elevador, verifique construídas devem abranger a
se a cabine está no pavimento; ideia contida em cada desenho,
10. Não fique atrás da porta no em relação às ações realizadas
pavimento: alguém pode abrir pelos personagens e, talvez,
com força e aí... etc. a consequência dessa ação,
Muitos condomínios, por seguida da expressão: “mas a
questão de segurança, lição valeu! Com certeza... da
estão aumentando os próxima vez...”.
espaços de lazer, para
que os condôminos possam ter 2. Exercício 7: Revisão da Voz
uma boa qualidade de vida, Passiva. Peça aos alunos que ob-
sem precisar sair do condomínio. servem o primeiro quadro (antes)
Peça aos alunos que pensem nos e diga: “De manhã o quarto esta-
espaços de lazer construídos nos va completamente desarrumado:
condomínios modernos. Que as roupas estavam penduradas
espaços seriam? Sugestão: Pis- na cama; os sapatos e as meias e
cinas, Quadras Poliesportivas, até a almofada estavam jogados

93
no chão; os brinquedos estavam ou negativos para cada um dos
espalhados no chão; o livro aber- bairros mencionados.
to com as páginas amassadas
estava atirado no chão; o tapete 4. Exercício 9: Discuta qual a
estava enrugado; a cama estava informação e o lugar provável
desfeita; a gaveta do armário onde encontraríamos estes car-
estava aberta com roupas pen- tazes. Alugam-se casas = casas
duradas nela; a cortina estava são alugadas|encontram-se
aberta.”. Depois, solicite que se em frente a casas cujos donos
detenham no segundo desenho desejam alugá-las; Vendem-se
e que digam o que foi feito. mudas (muda = planta tirada do
Pode-se trabalhar em pares: um viveiro para plantação definitiva)
aluno olha o primeiro desenho = mudas são vendidas|encon-
e o outro, o segundo, e cada tram-se em frente a viveiros de
um faz a descrição do quarto no plantas, casas de jardinagem
desenho que lhe cabe observar. etc.; Fazem-se traduções = tra-
Chame a atenção para o uso da duções são feitas|podem ser en-
Voz Passiva. Pode-se puxar con- contrados em frente a agências
versa perguntando se o quarto onde são feitos esses serviços,
do primeiro desenho é do aluno mas podem ser vistos em frente
A ou B. “Como estará o quarto a casas residenciais, em anúncios
de C agora?”; “Como os colegas de jornais, uma vez que qualquer
imaginam o quarto de D?”. Po- pessoa que domine uma língua
de-se variar, introduzindo-se “ser estrangeira pode estar ofere-
mudado”, fazendo-se perguntas
cendo seus serviços, inclusive
como: “O que você acha que
como “bico”; Leem-se Búzios =
precisaria ser mudado em seu
búzios são lidos|encontram-se
quarto?”; “E em sua casa em
em frente a casas de videntes e
geral?” etc.
em anúncios de jornais.
3. Exercício 8: Recomenda-se Observação – Neste caso, as
discutir os problemas bairro a orações estão na Voz Passiva
bairro, interrompendo o áudio Sintética e o SE é um pronome
ao final do diálogo sobre cada apassivador ou partícula apassi-
um deles. Estimule os alunos vadora. Os verbos são transitivos
a discutirem as vantagens e diretos (pedem complemento
as desvantagens descritas no sem preposição) e se flexionam,
áudio. Verifique se concordam no singular ou no plural, de
ou não com os personagens e acordo com o sujeito. (Pode-se
se veem outros pontos positivos também acrescentar que muitos

94
destes cartazes não vêm escritos Joel e Célia vão arrumar o quarto
corretamente, como “Aluga-se e vão apagar as luzes ao sair.”
casas.” no lugar de “Alugam-se
casas.”). Estimule os alunos a
usar a imaginação. O
5. PSIU – Siglas de Estados por aluno|alguém como
Região: Região Norte – Acre, gerente deixando reco-
Amazonas, Rondônia, Roraima, mendações à sua secretária; ma-
Pará, Amapá, Tocantins. Região rido à esposa; patroa à emprega-
Nordeste – Maranhão, Piauí, da doméstica etc. Esta atividade
Ceará, Bahia, Rio Grande do pode ser solicitada como tarefa
Norte, Paraíba, Pernambuco, e trabalhada depois, oralmente,
Alagoas, Sergipe. Região Cen- em pares.
tro-Oeste – Mato Grosso, Mato
Grosso do Sul, Goiás, Distrito 2. Exercício 11: Revisão do Pre-
Federal. Região Sudeste – São sente do Subjuntivo. Revise com
Paulo, Minas Gerais, Espírito os alunos a forma que deve
Santo, Rio de Janeiro. Região tomar o verbo depois de “espe-
Sul – Paraná, Santa Catarina, Rio ro que”, “desejo que”, “tomara
Grande do Sul (veja o mapa na que”. Respostas possíveis: “Espe-
última página do livro). ro que Maria Bethânia cante as
músicas de que a senhora|você
mais gosta.”; “Lembre-se de que
comida pesada à noite não lhe
página 96 faz bem.”; “Tomara que você
consiga um autógrafo de Maria
Bethânia.”; “Não deixe de cantar
1. Exercício 10: Revisão do Futuro junto com ela.”; “Desejo que
do Presente. Toque o áudio e, na todos se divirtam.”; “Cuidado
primeira instância, trabalhe com
ao subir e descer as escadas do
as recomendações deixadas pe-
teatro.”.
los pais a Joel e Célia. Pergunte:
“Se você fosse o pai|a mãe e
fosse viajar, quais as recomen-
dações que você deixaria a seus página 97
filhos?”. As orações no período
podem ser completadas não ape-
nas com “ou”, como ocorre no 1. Exercício 12: Revisão do Im-
exercício, mas também com “e”. perfeito do Subjuntivo e do Futu-
Ex.: 2. “Quando se levantarem, ro do Pretérito. Individualmente

95
ou em pares, solicite aos alunos fazer o exercício, é importante
que completem as frases com as frisar que existem várias opções
soluções prováveis. Em seguida, de respostas que devem ser bem
toque o áudio e verifique se as exploradas. Pergunte também
soluções propostas por Edson que profissionais poderiam ser
coincidiram com as dos alunos. chamados para ajudar a resolver
Caso contrário, peça opiniões o problema apresentado.
sobre elas.
Trabalhe em pares: um é
Explique: a) Casa dos o profissional e o outro
Silva. Reforce o sentido é o Sr. Silva. O Sr. Silva
de caseiro. b) Caso os deve: 1. telefonar para
alunos não conheçam Cam- marcar hora com o profissional;
pos do Jordão, leve um mapa 2. apresentar o problema ao pro-
para mostrar onde se situa e fissional; 3. pedir um orçamento
explique que é um lugar muito (explique o termo); 4. negociar
procurado na época de inverno, o preço; 5. negociar a compra
nos fins de semana e feriados. do material necessário para
Geralmente, é frequentado pela executar o serviço; 6. marcar
data para a entrega do serviço
classe média e alta paulista,
terminado; 7. fechar o negócio.
mas oferece também hotéis e
O profissional tem as seguintes
pousadas mais em conta. Fale
características: é uma pessoa
do Festival de Inverno de música
muito ocupada; é careiro (ex-
clássica, que acontece todos os
plique o termo); não tem tempo
anos, em julho, trazendo artistas
para comprar o material.
mundialmente famosos e em
que alunos de música clássica, 2. Exercício 13: Comentários
de canto e de vários instrumen- possíveis: Certamente as mulhe-
tos musicais, bolsistas ou não, res brasileiras têm uma posição
passam o mês todo estudando mundial privilegiada no que
e se aperfeiçoando em contato diz respeito à licença-materni-
com outros estudantes, músicos dade.|A lei é bem interessante
e maestros. Caso possível, leve quanto ao tempo disponível para
material extra para ilustrar suas as funcionárias que se tornam
explicações. c) Antes de fazer o mães.|Jamais devemos contestar
exercício, ressalte que o portu- a remuneração integral dispo-
guês usado por Tomás é o do nibilizada pela lei brasileira.|O
dia a dia, com expressões mais risco de desemprego talvez seja
simples, mais corriqueiras. Ao o motivo para que muitas mulhe-

96
res voltem ao trabalho antes do nia quando nos visitam. Temos
prazo estipulado pelo benefício. sempre que insistir para que se
sintam em casa. (2) O gerente
3. Exercício 14: O objetivo foi direto|curto e grosso: Não
deste exercício é revisar o uso faço exceções! Por favor, faça
do Imperfeito do Subjuntivo e uma exceção e me atenda na
do Futuro do Pretérito, além de frente! (3) Faz anos que não nos
relembrar o vocabulário sobre vemos!|Você sabe quantos anos
as partes do corpo humano e faz que ele se foi? (4) Vamos via-
os adjetivos. Exemplo: “Se eu jar! Faça as malas!|Não suporto
pudesse definir|escolher a minha fazer as malas! (5) Não faço
apresentadora|o meu apresen- questão de levantar cedo, muito
tador ideal, eu optaria por um pelo contrário, até gosto.|Elas
rapaz alto, moreno, magro, de fazem questão de uma explica-
olhos verdes” etc. ção, pois não gostaram nada do
atraso do voo. (6) Vocês fazem
Aproveite para praticar
bem em levar casacos: está muito
descrições físicas das
frio! (7) Ela não está? Não faz
pessoas. Ex.: mostre fi-
mal. Volto mais tarde!|Você fez
guras, fotos de algumas
mal em não contar ao médico.
pessoas e peça aos alunos que
Você sabe que fumar faz mal ao
as descrevam aos seus colegas.
seu pulmão. (8) Eles são muito
Pode-se também fazê-los circu-
fofoqueiros: fazem comentários
lar pela sala e, a um sinal do
sobre todos!|Por favor, não faça
professor, ficar de costas com o
comentários sem sentido! Ou-
colega mais próximo, para que
tras expressões com fazer: Fazer
descrevam diferentes fotografias
concessões (ex.: A professora vai
um ao outro. Discuta sobre a
fazer uma concessão e deixar o
possibilidade de se escolher ca-
aluno refazer a prova.); Fazer
racterísticas, habilidades, dados
falta (ex.: A família sente muitas
físicos e psicológicos de um filho.
saudades do pai. Ele faz muita
A ideia é criar bastante polêmica
falta.); Fazer hora (ex.: Fui ao
e dar chance ao aluno de discutir
shopping fazer hora.); Fazer um
e defender o seu ponto de vista
bico (ex.: Faz um bico aqui e ali
sobre o assunto.
para ganhar algum dinheiro a
4. PSIU – Explique as expressões mais.); Fazer fila (ex.: No Brasil,
usando vários exemplos. (1) Não as pessoas fazem longas filas nos
faça cerimônia, sirva-se à von- bancos para pagar suas contas. ).
tade!|Eles fazem muita cerimô-

97
página 98 página 99

1. Exercício 15: Faça uma revisão 1. Exercício 16: Explique o exercí-


do Imperativo para que, neste cio e peça que a mensagem seja
exercício, seja empregado de escrita como tarefa e entregue
forma que os alunos deem mais a outro aluno para que este a
exemplos do que poderia ser dito responda.
em cada situação. O Imperativo
é usado aqui não somente para Instrua os alunos a uti-
dar ordens ou recomendações, lizarem os advérbios
como também para pedidos (de aprendidos nesta uni-
desculpas). dade. Palavras como
“nunca”; “jamais”; “certamente”;
Variações de situações “talvez”; “antes”; “sempre”; “de-
para que o aluno ver- pois”; “de vez em quando”; “hoje
balize o pensamento dos em dia”; “sem dúvida”; “quase”;
personagens usando o “tão”; “demais” etc. podem,
Imperativo: 1. pai reclamando do com certeza, ser utilizadas ao se
filho fazendo barulho na sala de escrever uma mensagem.
visitas; 2. marido à mulher num
2. PROCON – entidade gover-
shopping center; 3. instrutor de
namental que presta serviços de
uma autoescola a uma de suas
proteção ao consumidor. Oriente
alunas; 4. médico a um paciente
os alunos (principalmente os que
com febre; 5. professor aos alu-
já estão no Brasil ou os que pre-
nos no dia da prova. tendam vir) sobre suas funções.
Exercício de transição: Apresente Qualquer reclamação contra
também outras frases, retiradas comerciantes ou fabricantes de
de manchetes de jornal, por produtos podem ser encaminha-
exemplo, e peça para os alunos das aos escritórios do Procon.
se reunirem em grupos e escre- Existe uma entidade parecida no
verem outras possibilidades, com país de origem dos alunos?
base na página 92. 3. Exercício 17: Trata-se de
um exercício sobre expressões
usadas para dar informações
recebidas de terceiros ou uma
maneira de fazer fofoca sobre a
“vida alheia”. Primeiro, exercite
relatando sobre a Olimpíada

98
Rio 2016 e, em seguida, sobre o página 100
atleta Thiago Braz. Ressalte o uso
das expressões “sabe-se que”,
“dizem que”, “ouvi falar que” e HISTÓRIA DO BRASIL (2)
“os jornais falam que”.
I. Vocabulário: Latifundiário:
PSIU – Explique as Expressões relativo a latifúndio (propriedade
usando vários exemplos. (1) O rural, característica de países
que Pedrinho gostaria de tomar subdesenvolvidos, de mono-
no seu café da manhã? (2) Todos cultura, explorada por um só
os dias eles tomam o trem bem proprietário.) Regime oligárqui-
cedinho.|Não gosto de tomar co: governo de poucas pessoas,
ônibus; estão sempre lotados. pertencentes ao mesmo partido,
(3) Quem vai tomar conta das classe ou família. Monopólio es-
crianças na nossa ausência?|Por tatal: posse, direito ou privilégio
favor, me ajude: não posso tomar exclusivos do estado.
conta de tudo sozinha! (4) Vou
II. Sugestão de questões para
tomar a liberdade de sugerir
discussão ou pesquisa: 1. Quais
uma alternativa.|Tomei a liber-
as consequências da guerra da
dade de chamar Luís também,
Tríplice Aliança para o Brasil? 2.
embora soubesse que alguns
Por que ocorreu a Revolução de
de vocês não aprovariam. (5)
30? 3. Quais presidentes foram
Senhor, tome cuidado, o chão
mencionados no texto e em que
está escorregadio!|Tome muito
contribuíram para o País?
cuidado ao retirar dinheiro do
caixa eletrônico. (6) O Presidente
decidiu tomar medidas drásticas
contra a falta de seriedade de SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-
seus funcionários.|Que medi- SUAL: o corpo humano; aciden-
das você pretende tomar para tes geográficos; mapa do Brasil
resolver este problema? (7) Não com Estados e capitais.
vamos tomar parte da reunião;
não fomos convocados.|Quem
tomou parte dessa decisão?
PARABÉNS... ESTAMOS NO MEIO
DO LIVRO!

99
ANOTAÇÕES
TÍTULO: A EDUCAÇÃO

U11
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Pronomes Relativos, Verbos Compostos

página 101
APRENDA
1. Explique primeiramente o VO- Compare o ensino no
CABULÁRIO RELEVANTE sobre Brasil e o ensino nos
o sistema de ensino brasileiro. países de origem dos
Estenda-se sobre o problema alunos. Aproveite para revisar
do ensino nas Escolas Públicas e o comparativo e os tempos Pre-
compare-o ao das Escolas Par- sente, Perfeito e Imperfeito do
ticulares. Faça, então, a leitura Indicativo.
dos diálogos.
2. Reveja o VOCABULÁRIO RE-
Em vários outros países, LEVANTE, verificando se todas as
não só o ensino é gra- palavras foram bem entendidas
tuito; muitas vezes, o pelos alunos. Universidade: con-
material e as refeições também junto de Faculdades. Os cursos,
o são. Informe aos alunos que nas faculdades, podem ser se-
nem sempre isso é verdadeiro mestrais ou anuais, dependendo
no Brasil (embora o Governo da instituição que os ministra.
esteja fazendo um esforço para Cursinho: curso preparatório
melhorar a situação) e que, para o Vestibular (exame clas-
muitas vezes, a lista de material sificatório para ingresso na fa-
escolar é entregue aos pais para culdade, dividido em três áreas:
que providenciem a compra do humanas, exatas e biológicas).
necessário. No caso deste diálo- Calouro: aluno que ingressa na
go, a escola é particular e os pais faculdade para cursar o primei-
precisam providenciar também ro ano ou semestre. Veteranos:
o uniforme (que varia de escola
aqueles que já cursaram o pri-
para escola, havendo inclusive
meiro ano ou semestre. Crédi-
aquelas que não o exigem, ou
tos: pontos designados a cada
apenas se exige a camiseta com
matéria por algumas faculdades.
o logotipo da escola).
Para receber o diploma, é preciso

101
atingir certo número de créditos. (houvesse) caído; Futuro – Tiver
Matérias: básicas (obrigatórias); (houver) roubado; Infinitivo:
eletivas ou optativas (a escolher Pretérito Impessoal: Ter (haver)
no ato da matrícula, a cada ano lido; Pretérito Pessoal: Ter (haver)
ou semestre para completar o fingido; Gerúndio – Tendo (ha-
número de créditos necessários). vendo) estudado. Verbos Com-
Normalmente, as matérias ou postos: explique que os verbos
disciplinas obrigatórias dão ao “ter” e “haver” dão a ideia do
aluno um número maior de cré- tempo verbal como no exemplo:
ditos que os obtidos nas optativas “Eu tenho tentado estudar, mas
ou eletivas. não tenho conseguido.”, sabe-
mos que estamos falando do
tempo presente, embora com
uma ideia de continuidade.
página 102
Segundo Ernani Terra,
em seu Curso Prático
Os pronomes relativos de Gramática, damos
se relacionam com um o nome de “locução verbal” ao
termo antecedente e conjunto formado por um verbo
dão início a uma oração. Expli- auxiliar seguido de um verbo em
que a diferença entre variáveis e uma forma nominal. Nas locu-
invariáveis e exemplifique. Peça ções verbais, o auxiliar tem a fun-
aos alunos que façam frases ção de ampliar a significação do
como tarefa, usando os prono- verbo principal. “Amanhã deverá
mes relativos. chover.” Nesse caso, o auxiliar
deverá amplia a significação do
Os auxiliares “ter” e
verbo principal (chover), expri-
“haver” formam, com
mindo ideia de certeza.
os particípios dos ver-
bos principais, os Tempos Com-
postos, conforme segue: Modo
Indicativo: Pretérito Perfeito
página 103
– Tenho (hei) cantado; Pretérito
Mais-que-perfeito – Tinha (ha-
via) saído; Futuro do Presente – 1. Converse com seus alunos
Terei (haverei) partido; Modo sobre a trajetória de ensino de
Subjuntivo: Pretérito Perfeito – cada um: onde estudou; como
Tenha (haja) bebido; Pretérito era o sistema educacional; se
Mais-que-perfeito – Tivesse existe ensino público em seu

102
país; como é o vestibular. Se página 105
alguém estudou em escola in-
ternacional, pergunte como foi
a experiência. Antes de ler o texto des-
ta página sobre Escolas
2. Questione também o que eles Estrangeiras no Brasil,
acham do sistema tradicional, prepare-se para pos-
as vantagens e desvantagens, síveis perguntas dos alunos,
e como imaginam que serão as pesquisando sobre escolas bilín-
escolas daqui a cinquenta anos. gues ou internacionais em sua
localidade.
PSIU – Explique “reforço”: aulas
particulares ou na própria escola, 1. Exercício 6: Dê aos seus alunos
para complementar os estudos algum tempo em aula (ou passe
de alunos que apresentem algu- o exercício como tarefa) e, então,
ma dificuldade no aprendizado. faça um levantamento na lousa
para comparar suas ideias.

2. Exercício 7: Antes de iniciar o


página 104 exercício, volte ao ESTUDO DE...
(verbos compostos) e revise o uso
desses três tempos verbais. Lem-
1. Exercício 3: Exercite oralmente bre-se: 1) para acontecimentos
e sugira o exercício escrito como rotineiros (tenho estudado); 2)
tarefa. para acontecimentos anteriores
a outros, ocorridos no passado
Peça aos alunos que (tinha estudado); 3) para acon-
montem um exercício tecimentos completados em um
parecido com o 3 (tare- determinado momento no futuro
fa), para que seja feito (terei estudado).
um jogo na aula seguinte.
Amplie a conversação
2. Exercício 5: Enfatize que o com perguntas do tipo:
uso das palavras no quadro é “Você tem praticado
extremamente informal. Estimule esportes?”; “Tem con-
o aluno a adivinhar a forma com- versado com seus filhos?”; “Sua
pleta da palavra e a elaborar, esposa|seu marido tem traba-
oralmente, pequenos diálogos lhado muito?”; “Quem tem lhe
ou situações em que poderia telefonado mais?”; “Você tem
usar essas expressões. tido grandes preocupações?”;

103
“Quais os problemas que têm 2. Exercício 10: Antes de iniciar
afligido mais o seu dia a dia?”; o exercício, revise o Imperfeito
“Quais têm sido suas maiores do Subjuntivo. Leia o exemplo
alegrias?” etc. O professor pode e, então, peça aos alunos que
pedir aos alunos que façam per- façam uma lista dos problemas
guntas uns aos outros usando a enfrentados no dia a dia. Siga as
mesma estrutura gramatical. instruções do exercício, colocan-
do os problemas mais diversos
PSIU – Estas são as dis- para a sala como um todo e
ciplinas mais comuns solicite alternativas. Pratique a
nas escolas de Ensino estrutura conforme o exemplo.
Fundamental e Ensino Médio no
Brasil. Compare com as matérias 3. Exercício 11: Passe a música
dos países de seus alunos. Atual- completa para seus alunos.
mente, desde a promulgação da Converse com eles sobre “arre-
LDB (Lei de Diretrizes e Bases – pendimentos” e do que eles se
9394|96), o ensino nas escolas, arrependem de não terem feito.
tanto públicas quanto privadas
divide-se em: Ensino Fundamen- PSIU – Carteira de Es-
tal (do primeiro ao nono ano) e tudante – no Brasil,
Ensino Médio (três séries). Antes muitas vezes, pode ser
dos seis anos de idade, a criança usada, além de como identi-
pode frequentar o Berçário (des- ficação, para obter descontos
de bebê), o Maternal, o Jardim e nas entradas de cinema, teatro,
o Pré-primário (“prezinho”). museus, exposições etc. Normal-
mente, só é válida a expedida
pela UNE (União Nacional dos
Estudantes). Há também a ISIC
página 107 (International Student Identity
Card) que tem validade interna-
cional, oferecendo-se descontos
1. Exercício 9: Faça uma revisão em passagens aéreas, albergues,
do uso do Gerúndio. Coloque ingressos para museus, cinemas,
os alunos na situação descrita bilhetes de metrô, passagens de
no exercício e veja que tipo de trem e ônibus etc.
perguntas fariam às pessoas
sendo interrogadas (escreva as
perguntas na lousa). Ouça o
áudio e compare as perguntas.

104
página 108 entre os alunos?

PSIU – Monitor: estudante esco-


1. Discuta com seus alunos o lhido como auxiliar do professor
título do texto, “Em organizações para ajudá-lo nas correções de
globais, culturas globais”. Con- provas, substituí-lo em aulas
versem sobre a globalização e a mais simples etc.; Docente: pro-
sua importância em diferentes fessor; Catedrático: professor
ambientes, como o trabalho e dono da cátedra aquele que tem
relacionamento pessoal. mais experiência, responsável
maior pela disciplina; Professor
Orientador: aquele que orienta
o aluno na escolha e desenvol-
página 109 vimento da tese de Mestrado ou
Doutorado; Auxiliar de Ensino:
normalmente, estudantes, ain-
1. Exercício 13: Vamos treinar da não oficialmente habilitados
aqui os Tempos Compostos do para o Magistério, que lecionam,
Modo Subjuntivo (tenha, tivesse, geralmente na Pré-escola ou
tiver + particípio passado). Veja nas quatro primeiras séries do
novamente o ESTUDO DE... (pá- Ensino Fundamental, ou atuam
gina 102.) com o professor da classe como
2. Exercício 14: Leia as instruções colaboradores.
e, em seguida, veja se os alunos
conhecem todas as palavras no
quadro. Peça que identifiquem
a palavra na sua forma original: página 110
casarão - casa; velhotes - velhos;
sitiozinho - sítio; chapelão - cha- HISTÓRIA DO BRASIL (3)
péu; sacolões - sacolas; cafezi-
nho - café; riacho - rio; saleta - I. Vocabulário: triunfa (triunfar):
sala; jovenzinhos - jovens; vila- vencer, prevalecer; moratória:
rejo - vila; cidadezinha - cidade; adiamento de prazo para pa-
minutinhos - minutos; barbaça - gamento de uma dívida; espiral
barba; rapagão - rapaz. inflacionária: ondulação infla-
cionária (processo crescente de
3. Ao fazer a transferência, enco- inflação); disseminada: dispersa-
raje os alunos a mencionar pelo da, espalhada, difundida.
menos três coisas sobre cada
item. Há alguma coincidência

105
II. Sugestões de questões para
discussão ou pesquisa:1 – Que
fatos contribuíram para o fim do
regime militar? 2 – Qual foi a
importânica do Plano Cruzado
para a economia brasileira?
3 – Em que ano, pela primeira
vez no País, ocorreram as elei-
ções diretas para a presidência
da República? Quem foi eleito?
4 – Quem foi Chico Mendes?
5 – Que medidas foram toma-
das pelo presidente Fernando
Collor na tentativa de controlar
a inflação? E o que o levou ao
impeachment?

SUGESTÃO PARA MATERIAL


VISUAL: material escolar (gra-
vuras); modelos de documentos
acadêmicos; outros diminutivos
e aumentativos de substantivos
(com frases ilustrativas).

106
ANOTAÇÕES
TÍTULO: A SAÚDE

U12
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 4 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Crase

página 111
APRENDA
VOCABULÁRIO RELEVANTE: bula? E as contra indicações?”;
Convênio Médico – assistência 4 – “No seu país, é possível com-
médica particular, paga men- prar remédios sem prescrição
salmente pelo indivíduo ou médica?”
pela empresa ou por ambos;
Honorários – pagamentos feitos Antes de iniciar os diá-
a profissionais liberais (médi- logos, fale sobre as es-
cos, advogados, dentistas etc.); pecialidades médicas.
Internar-se – hospitalizar-se; Pergunte se já estiveram em um
Receber alta – obter autorização ou pretendem ir a um Spa (local
do médico para sair do hospital onde as pessoas se internam
ou encerrar um tratamento, para recuperar-se de stress (ou
medicação ou terapia; Bula – es- estresse), para fazer uma dieta
pecificações de um remédio que de emagrecimento, para um dia
acompanham sua embalagem; de relaxamento etc.) Compare
Marcar retorno – segunda visita o sistema de saúde brasileiro ao
ao médico, não paga por ser dos países de origem dos alunos.
uma consulta só para acompa-
nhamento clínico do paciente,
verificação de resultados de exa-
mes laboratoriais ou outros etc. página 112
Encoraje os alunos a
usar esse vocabulário ESTUDO DE…
em diferentes situações:
“Crase” é o nome dado
1 – “Você já sofreu al-
gum acidente?”; 2 – “Você costu- à fusão da preposição
ma comprar algum remédio sem “a“+ artigo definido
receita médica?”; 3 – Ao comprar feminino (no singular ou plural).
um remédio, você sempre lê a É indicada pelo acento grave ”`”.

108
Por algum tempo, pronuncie a amigo está tendo problemas de
Crase nos exemplos com um “a” estresse e vem se aconselhar
longo, enfatizando-a para que os com você. Monte um diálogo
alunos percebam sua utilização. com seu colega, em que um pede
conselhos e o outro dá conse-
1. Fique atento: Cite alguns lhos.”. “Que tipo de conselhos
exemplos com palavras mascu- você daria ao seu amigo?” De-
linas nas quais a crase não é pois desse exercício, peça a um
empregada. Ex.: Voltarei a pé e a outro aluno, alternadamente,
pra casa.|Ando a cavalo sempre que leiam o texto. Discuta sobre
que posso. cada uma das dicas menciona-
das e pergunte: “Qual item lhe
2. Peça aos alunos que elaborem
parece ser o mais importante?”.
muitas frases (oralmente) com as
diferenças apresentadas em Para Trabalhe o vocabulário
Lembrar! Passe aos exercícios 1 do texto com palavras
e 2 da página 114 para fixar o escritas em cartões e
aprendizado. seus sinônimos, em ou-
tros. Distribua-os aos alunos,
pedindo-lhes que circulem pela
sala, e descrevam a palavra até
página 113 que se encontre um sinônimo
para ela. Faça com que os pró-
prios alunos escolham as pala-
Antes de ler o texto,
vras a serem trabalhadas nos
pergunte aos alunos
cartões, procurando, inclusive,
qual a situação mais
o seu sinônimo no dicionário.
estressante que eles enfrentam
Os grupos alternam os cartões.
no dia a dia. “Que futuros pro-
blemas de saúde física e mental 2. Use o exercício de transferên-
poderão ter devido ao estres- cia para que cada aluno fale so-
se?”; “Que soluções poderiam bre o seu estresse. Liste as causas
evitá-lo?”. do estresse na lousa e discuta
sobre algum item que não tenha
1. Antes de ler o texto, mencione sido mencionado no texto.
que ele se refere ao estresse e
que as causas podem ser um dos PSIU – Se você achar conveniente
itens mencionados e que apare- e, dependendo do interesse dos
cem destacados no texto. Lance alunos, pode ser introduzido
uma questão aos alunos: “Um o seguinte vocabulário: rosto,

109
olho, nariz, boca, orelha, cabelo, 3. PSIU – Câimbra ou cãibra (dor
dente, língua, ombro, pescoço, no músculo, geralmente devido a
unha etc. excesso de exercício, dá-se mais
frequentemente à noite); Coriza
(líquido que corre do nariz, mes-
mo que não se esteja realmente
página 114 resfriado).

1. Caso os exercícios 1 e 2 ainda


não tenham sido feitos, reveja o página 116
ESTUDO DE... (Para Lembrar!).

2. Medicina caseira: Comente a 1. Exercício 4: Antes de ler o


diferença entre medicina caseira texto, discuta com seus alunos
e as demais práticas médicas. sobre o tema “estresse”. “Algum
Antes de tocar o áudio, veja se dos alunos está estressado? Por
os alunos sabem uma receita quê?”, “Em que situações eles
para cada item mencionado ou o ficam estressados?”, “As causas
que costumam fazer quando têm de estresse são sempre as mes-
algum desses problemas. Peça- mas?”, “Como eles lidam com
-lhes que, como tarefa, escrevam essa situação?”, “O que cada um
uma receita de medicina caseira.
faz para sair dessa situação?”,
Caso não conheçam nenhuma,
“Quanto tempo dura uma situa-
solicite que pesquisem entre seus
conhecidos|familiares. ção de estresse?” etc.

Antes de ler o exercício


4, faça com que leiam
as perguntas do exercí-
página 115 cio (a), para que foquem a leitura
em encontrar as respostas a
1. Antes de trabalhar o texto, essas perguntas. É uma maneira
coloque o título na lousa: “O que de direcionar a atenção do aluno
você não deve fazer”. Encoraje para alguns tópicos específicos
os alunos a falarem sobre erros referentes ao tema abordado.
de medicação que tenham pra-
ticado, sofrido ou, simplesmente,
ouvido.

2. Exercício 3: Observe que as


soluções são inadequadas.

110
página 117 página 118

1. Exercício 5: Antes de ler o texto 1. Exercício 7: Depois de fazer


e ouvir o áudio, peça aos alunos o exercício, escreva uma frase
para responderem às questões como: “Fui ao parque com An-
do “Tente lembrar de”. Após a dréa e com Antônio.”, e peça aos
leitura e uma primeira audição, alunos que ajudem o interlocutor
comente o vocabulário e verifi- a entender melhor a frase acres-
que as respostas. Toque o áudio centando mais informações,
quantas vezes forem necessárias. fazendo perguntas como: “A qual
parque foi?”, “Quem é Andréa?”,
2. Exercício 6: Antes de ler o tex-
“Quem é Antônio?”, para que ao
to, comente sobre o significado
final tenha uma frase como: “Fui
de “Arrasar nos salões” e depois
ao parque que fica em frente ao
discuta a questão apresentada:
supermercado Real, com Andréa,
“Você conhece todas estas mo-
dalidades de dança? Elas são com quem estudei na faculdade,
típicas de que países?”. Leia o e com Antônio, de quem lhe falei
texto e veja se o aluno concorda ontem.”, por exemplo.
ou discorda das afirmações e
No exercício comple-
discuta as duas últimas questões:
mentar do exercício
“Quais são as danças que você já
8 (Agora escreva um
praticou ou gostaria de praticar.
anúncio como o de Giovani,
Por quê?” e “Para gastar calorias,
você escolheria dança, ginástica colocando seus dados.), faça um
ou algum esporte? Por quê?”. mural com os anúncios de todos
os alunos. Peça aos alunos que
PSIU – Embora o professor não escolham um deles para respon-
precise conhecer todos os termos der. Agora, no mural, coloquem
médicos e todas as doenças, é o anúncio e ao lado a resposta,
bom dispor de um vocabulário para que todos possam lê-los.
para dar conta de doenças ou Em seguida, cada um deve es-
sintomas mais comuns ou fre- colher um (anúncio e resposta)
quentes como: gripe; cefaleia; para apresentar à classe.
rouquidão; diarreia; vômito; en-
joo (veja o PSIU da página 115). 2. Exercício 9: Antes de iniciar o
exercício, peça que os alunos re-
pitam as expressões: Isso é fácil!;
Não sei e não quero saber! Esta
atividade pode também ser feita

111
em grupos, todos circulando na intermediário. Faça o exercício
sala entrevistando os colegas. Ao conforme o enunciado, mas não
término do exercício, sugira que deixe de comentar sobre a lin-
os alunos relatem as habilidades guagem coloquial, que pode ser
que têm em comum. diferente dos usos do exercício.

página 119 página 120


1. Exercício 10: Explique o signifi-
HISTÓRIA DO BRASIL (4)
cado das partes FITO e TERAPIA,
que significam técnicas de utili- I. Vocabulário: Chacina: ma-
zação de vegetais no tratamento tança; Comitês: grupos de pes-
de doenças. Da mesma maneira, soas incumbidas de tratar dado
espere que os alunos cheguem
assunto; Culminar: chegar ao
ao significado das palavras
auge, ao apogeu; Delinquên-
HIDRO – TERAPIA, CROMO –
cia: ato de cometer falta, crime,
TERAPIA, MUSICO – TERAPIA e
delito. Ser cassado: tornar nulo
AROMA – TERAPIA.
e sem efeito; Indiciar: acusar,
2. Exercício 11: Enfatize as dife- denunciar; Falsidade Ideológica:
rentes entonações em cada caso. ideias, convicções e princípios
filosóficos falsos; Lavagem
Para que os alunos pra- de dinheiro: estratégias para
tiquem as expressões esconder a origem de algum
estudadas, peça que dinheiro recebido ilegalmente;
contem as novidades, Corrupção: Ação ou efeito de
inventando|imaginando situa- corromper, ação ou resultado
ções diversas de alegria, es- de subornar (dar dinheiro) uma
panto, medo etc. Exemplo: A: ou várias pessoas em benefício
“Ganhei na loteria!” B: “Hein? próprio ou em nome de uma ou-
Puxa! Parabéns!” A: “Acho que tra pessoa; suborno; Empossar:
os ladrões vão voltar.” B: “Credo! tomar posse.
Por que está dizendo isso?”
II. Sugestão de questões para dis-
3. Exercício 12: Este é um exer- cussão ou pesquisa: 1. Que fatos
cício de revisão dos pronomes marcantes ocorreram no período
oblíquos, um tópico gramatical de 1992|1993 e indignaram a
cujo uso continua sendo difícil, população, desencadeando mo-
mesmo para os alunos do nível vimentos de cidadania? 2. Que

112
modificações a implantação do
Plano Real trouxe para a econo-
mia brasileira? 3. Que medidas
sucederam ao Plano Real? E
quais foram as consequências?
4. Quais foram as duas megapri-
vatizações realizadas em 1998?
5. Como será conhecida Dilma
Rousseff do ponto de vista da
História do Brasil? 6. A que se
deve a onda de protestos que
ocorreu no seu governo, desde
junho de 2013? 7. Explique a
Operação Lava Jato. Faça uma
pesquisa a respeito.

Peça aos alunos que façam um


resumo da história do
Brasil desta época ou
que elaborem pergun-
tas aos colegas. Assim, o pro-
fessor poderá verificar o nível
de aprendizado de seus alunos.

SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-


SUAL: partes do corpo humano;
dependências e placas (sinali-
zação, avisos) de um hospital;
fotos de alguns remédios bem
conhecidos como: hyrudoide,
merthiolate, aspirina, novalgina
etc.; especialidades médicas +
especialistas.

113
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
GRUPO 4
O Trabalho e suas Características

Este grupo apresenta vocabulário e situações


referentes ao ambiente, ao local e ao mercado de trabalho.
Fala-se de globalização, de qualidade, de comunicação,
enfim, de tudo que se relaciona às empresas modernas.
TÍTULO: O LOCAL DE TRABALHO

U13
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Conjunções

página 121
APRENDA
A ideia é mostrar ao aluno um emprego. O que eles devem
modelo de currículo para que fazer? Primeiro ver os anúncios
ele saiba quais os dados impor- de empregos no jornal local.
tantes que nele devem constar. Depois enviar o currículo ao
Peça, como tarefa, que o aluno Departamento de Recrutamento
faça seu próprio currículo. e Seleção da empresa e ficar
esperando a chamada para uma
Não esqueça de explicar entrevista. Você pode ser admi-
os diferentes tipos de tido como estagiário e depois de
documentos que são pe- um certo tempo de experiência
didos aos brasileiros. RG (Carteira ser efetivado no cargo. Com o
de Identidade); CPF (Cadastro de tempo, e, dependendo do seu
Pessoa Física); CIC; Certificado de
desempenho, você pode ser
Reservista (Carteira de Alistamen-
promovido. As transferências da
to Militar para os homens); Título
central para a filial, ou vice-ver-
de Eleitor (Carteira para votar nas
sa, também fazem parte da vida
eleições federais) - (Presidente da
do trabalhador. Os funcionários,
República, Senadores, Deputados
motivados por uma promoção,
Federais - nas eleições estaduais -
trabalham nas empresas até a
Governador, Deputados Esta-
aposentadoria, a não ser que
duais - e nas eleições municipais -
sejam demitidos por diversos
Prefeito, Vereadores). Discuta
com os alunos os tipos de docu- motivos ou recebam melhores
mentos que são expedidos por propostas de trabalho ou, de
cada país. repente, resolvam tornar-se
autônomos, abrindo seu próprio
VOCABULÁRIO RELE- negócio. Aproveite para pergun-
VANTE: Peça aos alu- tar àqueles que estão trabalhan-
nos que imaginem que do como obtiveram o emprego.
estão procurando um Como foi a entrevista? Que

118
tipo de perguntas lhe fizeram? mos da oração que têm a mesma
Àqueles que nunca trabalharam, função gramatical) e as conjun-
pode-se perguntar sobre os re- ções subordinativas (que ligam
ceios ou anseios quanto ao tra- duas orações, sendo uma delas
balho futuro. Pode-se expandir dependente da outra). Ressalte
a discussão perguntando onde que não é necessário memorizar
gostariam de trabalhar; em que os nomes das conjunções, que
tipo de empresa não gostariam foram colocados para facilitar a
de trabalhar etc. No Brasil, para compreensão do significado de
ter a garantia dos direitos de tra- cada tipo.
balhador, é preciso ter registro na CONJUNÇÕES COORDENATI-
Carteira de Trabalho. É possível VAS: Aditivas ligam orações ou
trabalhar sem a carteira assinada palavras, expressando ideia de
no país dos alunos? Quais são adição; Adversativas unem duas
os trabalhos não registrados? orações ou palavras, expressan-
Comente sobre a condição tra- do ideia de contraste; Alternati-
balhista das empregadas domés- vas ligam orações ou palavras,
ticas e das diaristas. expressando ideia de alternância
ou escolha, indicando fatos que
se realizam separadamente;
Conclusivas ligam à anterior
página 122 uma oração que expressa ideia
de conclusão ou consequência
ESTUDO DE… e Explicativas ligam à anterior
uma oração que a explica, que
1. Este tópico deve ser explica- justifica a ideia nela contida.
do aos poucos! As informações
CONJUNÇÕES SUBORDINATI-
constantes desta página devem
VAS: Causais introduzem uma
ser usadas para consultas pos-
oração que é causa da ocorrên-
teriores.
cia da oração principal; Conses-
Explique as conjunções: sivas introduzem uma oração
palavras ou locuções que expressa ideia contrária à da
invariáveis que ligam principal, sem, no entanto, impe-
orações ou termos semelhantes dir sua realização; Condicionais
da mesma oração. Estabeleça introduzem uma oração que
também a diferença entre con- indica a hipótese ou a condição
junções coordenativas (aquelas para a ocorrência da principal;
que ligam orações de sentido Conformativas introduzem uma
completo e independente ou ter- oração em que se exprime a

119
conformidade de um fato com mais acertar ou mais se aproxi-
outro; Finais introduzem uma mar das informações do grupo
oração que expressa a finali- adversário.
dade ou o objetivo com que se
realiza a principal; Proporcionais Em grupos, os alunos
introduzem uma oração que devem elaborar uma
expressa um fato relacionado pequena narrativa de
proporcionalmente à ocorrência modo a usar conjunções
da principal; Temporais introdu- de pelo menos três classes dife-
zem uma oração que acrescenta rentes, em apenas dois minutos.
uma circunstância de tempo ao O professor pode escolher as pa-
fato expresso na oração princi- lavras, colocando-as no quadro.
pal; Comparativas introduzem Por exemplo: segundo|de forma
uma oração que expressa ideia que|ao passo que|tanto quanto.
de comparação com referência Ex.: “Segundo o professor, Jorge
à oração principal; Consecutivas é muito estudioso, ao passo que
introduzem uma oração que Alberto detesta estudar. O pro-
expressa a consequência da fessor disse que nós precisamos
principal. estudar tanto quanto Jorge de
forma que possamos falar fluen-
2. Depois de examinar o signifi- temente o português.” Vence o
cado de cada grupo de conjun- grupo que primeiro entregar ao
ções lendo os exemplos, faça o professor a narrativa com o uso
exercício 2 da página 123 e os correto das conjunções.
exercícios 9 e 10 da página 126.
Não se esqueça de que o exercí-
cio 14 da página 128, referente
ao texto “Trabalhar em casa exi- página 123
ge estabelecer metas”, também
foi elaborado para exercitar as
conjunções. 1. Exercício 1: Leia cada um
dos anúncios e explique as
Em grupos, os alunos abreviações que são feitas
devem formar uma geralmente em jornais para
oração com cada tipo economizar espaço: c| =
de conjunção. Em seguida, um com; exp.= experiência; p| =
grupo deve ler parte da oração para; CV = curriculum vitae;
e o outro grupo deve completá- peq. = pequeno; sup. =
-la tentando descobrir o que foi educação superior; m|f =
escrito. Vence aquele grupo que masculino|feminino; pret.

120
sal. = pretensão salarial; de amigos que não víamos há
CP = Caixa Postal; a|c = anos.|Quando saí do cinema,
aos cuidados; Depto. = dei de cara com meu noivo e
Departamento; pgto. = outra menina! (9) Está bem...
pagamento; FGTS = Fundo vou dar o braço a torcer e voltar
de Garantia por Tempo de atrás na minha decisão.|Ela é
Serviço. Discuta cada anúncio, durona... nunca dá o braço a
e profissão neles contida, antes torcer. Outras expressões: Dar
de ouvir o áudio para fazer o o que falar (ex.: “Você vai com
exercício 1. essa saia curta? Vai dar muito o
que falar.”); dar na vista (ex.: A
PSIU – Explique as Expressões falsificação do documento foi tão
usando vários exemplos. (1) Não mal feita que deu logo na vista.);
gosto de dar esmola aos pedintes dar pano pra manga (ex.: A
nas ruas.|Ele sempre dá esmolas polêmica deu pano pra manga.);
aos velhos. (2) Puxa! Como estas dar em cima (ex.: Ele deu muito
crianças dão trabalho!|Espero em cima dela mas ela não quis
que este relatório não me dê namorar com ele.)
muito trabalho! (3) Às cinco em
ponto, ele deu no pé!|O ladrão
roubou a bolsa da senhora
e depois deu no pé. (4) Não página 124
conte nenhum segredo para ele,
com certeza dará com a língua
1. No exercício 3, chame a aten-
nos dentes.|Que coisa! Você
ção sobre o tempo composto do
tinha que contar tudo, não é? verbo (“ter” + verbo no Particípio
Você está sempre dando com Passado) e, se possível, use esse
a língua nos dentes. (5) Não tempo verbal nas explicações,
tenho horário, mas vou tentar que podem ser as mais incomuns
dar um jeito. Não deu jeito, não possíveis. Pode ser trabalhado
consegui encaixar seu pedido individualmente, em pares ou
para entrega até quinta. (6) em grupos pequenos.
Ih... falei besteira! Dei um fora
imenso! Eu a chamei pra dançar Exercício 4: Trabalhe em
mas ela me deu um fora e não pares: peça que um dos
quis dançar comigo. (7) Saia alunos (aluno A), pense
daqui... dê o fora!|Vou dar o em uma semana bem
fora antes que o chefe chegue! atribulada e dite as tarefas a
(8) Estávamos andando na rua seu|sua secretário|a (aluno B).
e demos de cara com um casal Depois inverta os papéis.

121
página 125 O exercício 6 pode ser
pedido como tarefa para
uma encenação na aula
1. Antes da leitura do texto, dis- seguinte.
cuta com seus alunos a diferença
entre chefe e líder. Pergunte PSIU – Pergunte sobre a automa-
quais são as características de ção dos locais de trabalho. Fale
um chefe ideal; pratiquem ad- sobre a substituição da máquina
jetivos como: organizado(a), de escrever pelo computador e a
compreensivo(a); proativo(a); do telex pelo fax ou e-mail.
pontual etc.

2. No Aeroporto. Encoraje os
alunos a praticarem o diálo- página 126
go em duplas. Num primeiro
momento, os dois alunos leem
(sempre com a técnica de ler 1. Exercício 7: O aluno deve per-
a frase, memorizá-la e dizê-la ceber a mudança de significado
olhando para o colega). Em se- entre as duas frases menciona-
guida, um dos alunos continua das, diferenciadas apenas pelo
lendo sua parte enquanto o outro uso da vírgula.
fecha o livro e tenta responder
2. Exercício 8: As diferenças são:
às perguntas, completando o 1a) Todas as empresas que não
diálogo. Faça o mesmo com investem no treinamento de
o outro colega. Finalmente os seus funcionários...1b) Estou me
dois fecham o livro e praticam o referindo a determinadas empre-
diálogo. Os alunos devem ficar à sas, cuja característica seria não
vontade para usar outras frases investir no treinamento de fun-
e expressões. Sugira novas situa- cionários. 2a) Um determinado
ções: um colega estrangeiro, em país. 2b) Todos os países que não
programa de intercâmbio, vindo proporcionam incentivos fiscais.
para ficar em sua casa; um ami- 3a) Um determinado diretor. 3b)
go de muitos anos que retorna a Todos os diretores que são muito
seu país de origem após casar-se exigentes. 4a) O escritório tem
e ter três filhos; um parente que mais de cinco empregados, mas
viaja para tentar ganhar a vida cinco deles moram longe. 4b) O
fora do seu país e retorna muito escritório tem só cinco emprega-
rico... dos e todos eles moram longe.

122
3. Exercício 10: Chame a atenção jeto para ser apresentado a toda
dos alunos para as conjunções, a sala ou ao professor.
pois, se não estiverem domi-
nando seu significado, não será 2. Exercício 12: Na página se-
possível completar as frases guinte, há um texto sobre traba-
adequadamente. lhar em casa, mas discuta, antes,
as perguntas sugeridas sobre um
escritório virtual.

página 127 PSIU – Questões para discussão:


“Como está a economia do seu
país?”; “O custo de vida é alto?”;
1. Exercício 11: Sugestões de “Existe inflação?”; “Os juros ban-
respostas: 1. Logo que chegar a cários são altos?”; “Que tipo de
Fortaleza, informe-se sobre as investimentos se pode fazer?”;
maravilhas que o Estado ofere- “Investir na compra de ações,
ce; 2. Quando visitar a praia de na Bolsa de Valores, é um bom
Iracema, não deixe de ir à Ponte negócio ou é muito arriscado?”.
Metálica e ao Centro Cultural
Dragão do Mar; 3. O Beach Park é
uma atração imperdível, por isso
não deixe de visitá-lo; 4. Divirta- página 128
‑se nas lindas praias do Ceará,
entretanto não abuse do sol. Use
No texto, peça que os
sempre protetor solar; 5. Mesmo
alunos sublinhem as con-
que você fique apenas três dias
junções. O professor deve
em Fortaleza, não deixe de co-
colocá-las no quadro e,
nhecer as Dunas em Aquiraz.
na hora da discussão sobre a com-
O comércio e o turismo preensão do texto, pedir ao aluno
cearense podem gerar para que complete as orações que
utilizam essas conjunções.
ou aumentar a deman-
da de vários tipos de empregos,
como: guia turístico, corretor
de imóveis, agente de viagem,
vendedor, artesão, em hotelaria
página 129
(arrumadeira, garçom, cozinhei-
ro...), entre outros. A pesquisa Exercício 15: Revisão
sobre outra cidade brasileira dos discursos direto e
deve ser sugerida como um pro- indireto. Cuidado com

123
os tempos verbais: ao se referir
a um tempo passado, utiliza-se
o tempo composto (“tinha” +
Particípio Passado) no discurso
indireto e ao se referir a um
tempo presente, o Imperfeito do
Indicativo simples.

1. Exercício 16: Somente usamos


o aumentativo ou diminutivo dos
números em situações informais.
São gírias faladas, principal-
mente pelos jovens ou colegas
próximos.

página 130

As últimas páginas deste grupo


foram dedicadas a diversos tipos
de documentos e correspon-
dências. Nesta unidade, apre-
senta-se uma circular. Chame
a atenção para os diferentes
tipos de introdução, conteúdo e
encerramento.

SUGESTÃO PARA MATERIAL


VISUAL: anúncios de empregos
para que se identifiquem as
abreviações; objetos de escritório
(ilustrações); organograma de
uma empresa.

124
ANOTAÇÕES
TÍTULO: O MERCADO DE TRABALHO

U14
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Prefixos, Sufixos, Superlativo Absoluto

página 131
APRENDA
1. Toque o áudio e faça pergun- 4. Hora extra: horas trabalhadas
tas para saber quais informações além do horário normal, às vezes
os alunos conseguiram enten- com remuneração maior. 5. Tur-
der. Por exemplo: 1. Para que no: às vezes a empresa trabalha
tipo de trabalho Carlos está se em períodos diferenciados, em
candidatando? 2. Onde ele se “turnos” diferentes: turno do
formou? 3. Qual é a experiência dia, turno da noite etc. 6. Bater
profissional dele? 4. O que ele cartão: introduz-se um cartão
está fazendo atualmente? 5. O em uma máquina e ela registra
que é necessário para que Car- a hora da entrada e da saída do
los seja aprovado e admitido na funcionário, ficando registrados
empresa? Depois, faça a leitura os eventuais atrasos ou faltas.
da entrevista em pares. 7. Diária: pagamento por dia.
É também usada nos hotéis
2. VOCABULÁRIO RELEVANTE: onde a diária (estadia por dia)
1. Mão de obra: trabalhadores, custa um certo valor. 8. Descon-
operários. Normalmente, usa-se to em folha: quando algumas
em expressões como: mão de despesas dos funcionários, tais
obra assalariada, mão de obra como cursos dentro da empresa,
especializada, mão de obra refeições, transportes são des-
barata, mão de obra cara etc. contados no holerite (folha de
2. Jornada de trabalho: número pagamento). 9. Encargos sociais:
de horas trabalhadas por dia. INSS (Instituto Nacional de Se-
Ex.: Ele cumpre uma jornada de guridade Social); PIS (Programa
trabalho de 8 horas. 3. Horário de Integração Social), COFINS
de expediente: hora de funciona- (Contribuição de Fim Social);
mento ou atendimento de um co- 10. Abono Salarial: enquanto
mércio, escritório, lugares onde o aumento salarial significa um
há atendimento ao público etc. aumento fixo a que se tem direito

126
mensalmente, o abono é uma reler (como o prefixo RE significa
gratificação não incorporada ao repetição, o aluno pode deduzir
salário, um benefício provisório e o significado da palavra reler =
que pode ser retirado a qualquer repetir a ação de ler). Então, o
momento. que significará reescrever, re-
nascer, relembrar, recontar etc.
Trabalho em pares: um Depois das explicações, faça os
aluno é o entrevistador e exercícios 11 e 12 da página138.
o outro, o entrevistado.
Distribua cartões: um,
com o nome da vaga para o en-
trevistador e outro, com o nome página 133
da profissão, para o entrevistado.
O candidato pode não ser da
mesma área que a empresa 1. Trabalhe a compreensão do
está oferecendo a vaga, mas texto e, depois, peça a opinião
por precisar muito do emprego, dos alunos sobre o modo de vida
deve tentar ao máximo impres- de Rosana.
sionar o entrevistador. Pergunte
aos alunos, caso eles fossem O tema pode ser usado
realmente de um Departamento em debate. Divida a
de Seleção de Pessoal, se fariam classe em dois grupos:
as mesmas perguntas ou outras? os que concordam e os
Incentive-os a utilizar o vocabu- que discordam. Debata o tema,
lário relevante. cada um defendendo as suas
razões. Caso todos tenham a
mesma opinião, faça um sorteio
para dividir a classe em dois gru-
página 132 pos. Cada um defende o parecer
que lhe foi determinado. Para o
ESTUDO DE… debate, deve ser atribuído aos
grupos tempo suficiente para
Deve-se ressaltar que prepararem a sua defesa.
há muitos outros pre-
fixos e sufixos e que o Exercício 1: Antes de
conhecimento da formação das começar, explique que,
palavras, ou seja, prefixo + radi- no Brasil, em dezem-
cal + sufixo, ajuda a assimilar e bro, devido ao aumento no
a entender melhor o significado volume de vendas, o comércio
dos termos. Por exemplo: ler - costuma contratar pessoas para

127
trabalhar somente naquele pe- página 134
ríodo, como “bico” (= trabalho
temporário).
1. Exercício 3: Sugestão de
2. Exercício 2: Peça aos alunos vantagens: contato com estran-
que leiam para ver se entendem geiros, possibilidade de viagens
todas as informações contidas ao exterior, possibilidade de
nos anúncios, principalmente as aprender outros idiomas, co-
abreviações. Pergunte o porquê nhecer cultura e métodos de
das abreviações e explique que trabalho diferentes etc. Des-
os anúncios, no Brasil, são co- vantagens: quem não conhece
brados por espaço e são caros. A línguas estrangeiras pode não
seguir, o significado das abrevia- ter possibilidades de promoções,
ções: p|= para; c| = com; TR = você tem de se adaptar a culturas
Ticket Refeição; hc = horário completamente diferentes, às
comercial; VT = Vale Transpor- vezes com dificuldade etc.
te; op. = operadora; p|min. =
por minuto; masc. = masculino; 2. Exercício 4: Revisão de advér-
Inform. = Informações; sal. + bios e locuções adverbiais – As
com. = salário + comissão; CP = pessoas que não trabalham em
Caixa Postal. um escritório, podem trocar o
Fale sobre a palavra “escritório” pela “casa”, fazendo
“sacoleira”. Trata-se as modificações necessárias:
de pessoas que car- 1. Arruma a mesa da cozinha?
regam “sacos” ou “sacolas” de 3. Organiza sua despensa? 5.
mercadorias para vender. Muitas Lê, mais de uma vez, a mesma
vezes, atravessam a fronteira do carta? 8. Marca visitas de última
país trazendo mercadorias de hora? 9. Fica acordado até de-
contrabando. pois da meia-noite? 10. Esquece
de apagar as luzes antes de
PSIU – Providencie uma amostra dormir?
de cada tipo de cartão listado
aqui para facilitar o entendi- 3. Peça que os alunos usem as
mento. Quais são os cartões expressões do quadro para falar
mais e os menos usuais? Quais como ou quando arrumam suas
os mais práticos? Quanto ao uso mesas no escritório, limpam suas
do cartão de transporte (ônibus), gavetas etc. Ex.: ”Normalmente
existe atualmente a polêmica so- me esqueço de apagar as luzes
bre o uso da catraca eletrônica. ao sair da sala no final da tarde.”
Discuta o assunto com os alunos.

128
página 135 Aplicação das forças e faculda-
des humanas para alcançar um
determinado fim. 2. Atividade
1. Antes de começar a leitura, coordenada, de caráter físico
pergunte a seus alunos quais ou intelectual, necessária à
são os métodos que eles con- realização de qualquer tarefa,
sideram mais eficientes para serviço ou empreendimento.
motivar um funcionário. Escreva Fonte: Minidicionário Aurélio
cada sugestão na lousa e monte 2. Que condições de trabalho
frases do tipo: “Você será mais as empresas devem propiciar
eficiente se…” para praticarem aos funcionários para poderem
o Subjuntivo. cobrar resultados mais rápidos
e eficazes? 3. Quais são, geral-
2. PSIU – Explique o que faz cada mente, as expectativas das em-
uma das agências. Por exemplo: presas ao contratarem um novo
“Agência de Turismo”, onde você funcionário? E quais são as ex-
pede para fazer reservas de pas- pectativas do recém-contratado?
sagens, de hotel, pede informa-
ções turísticas e, às vezes, vende No exercício de reda-
ou compra moeda estrangeira. ção, trabalhe primei-
Não se esqueça de explicar a ramente em grupos,
diferença entre “emprego” e fazendo uma lista de palavras-
“recolocação” (emprego no mes- ‑chave para cada item: 1. Como
mo cargo do último emprego, motivar funcionários (aumento
geralmente para profissionais de salário, prêmio, participação
em altos cargos, gerentes, dire- nos lucros da empresa...); 2.
tores etc.). Como aumentar a produtividade
(salas de descanso e massagem,
pagamento de horas extras,
diminuição da jornada de tra-
página 136 balho...); 3. Como reduzir custos
(redução do quadro de funcio-
1. Sobre o texto: “Nova Direção” nários, bloqueio dos telefones
1. Antes de ler o texto, comente para ligações para celulares,
a diferença entre trabalho e campanhas contra o desperdício
emprego. Emprego (ê) sm. 1. de luz, água...).
Ato de empregar. 2. Cargo ou
ocupação em serviço particular,
público etc. Trabalho sm. 1.

129
página 137 considera o meio ambiente um
importante fator nas decisões
do dia a dia, levando em conta
1. Veja o Apêndice III, página todos os seus processos, contro-
214, para consultar a lista de lando desperdícios e melhorando
adjetivos e seus superlativos. continuamente a gestão e seus
controles ambientais. PNQ: Prê-
PSIU – Explique cada um dos cer- mio Nacional da Qualidade. Mo-
tificados atribuídos às empresas delos de gestão de qualidade de
com qualificações correspon- software (área de informática).
dentes. ISO 9000: as normas
desta série servem para demons-
trar que a empresa trabalha
com qualidade, estabelecendo página 138
orientações, recomendações,
diretrizes para escolha e uso
destas normas. ISO, sigla de uma 1. Os exercícios 11 e 12, que se
organização internacional (Inter- referem a prefixos, devem ser
trabalhados logo após a intro-
national Standard Organization),
dução dos prefixos, na página
fundada em 23/02/47, com sede
do Aprenda.
em Genebra, na Suíça, que ela-
bora normas internacionais e as 2. Exercício 13: As respostas
avalia através de vários comitês podem variar. Coloque-as, então
compostos por especialistas dos no quadro e compare o resul-
diversos países membros. O tado. “Quais foram os critérios
Brasil participa da ISO através da mais valorizados?”; “E quais os
Associação Brasileira de Normas menos escolhidos? Por quê?”
Técnicas (ABNT), sociedade pri-
vada, sem fins lucrativos, tendo
como associados pessoas físicas
e jurídicas. Ela é reconhecida página 139
pelo governo brasileiro como o
Foro Nacional de Normalização.
ISO 9002: modelo para garan- 1. Exercício 14: Toque o áudio
tia da qualidade em Produção, e faça com que os alunos com-
Instalação e Serviços Associa- pletem as perguntas. Cheque
dos. ISO 14000: adotando um as respostas. Depois trabalhe
sistema de Gestão Ambiental, em pares: um aluno no papel
ou seja, a norma ISO 14001, a da Dona Zélia, fazendo as per-
empresa poderá demonstrar que guntas, e o outro, no papel do

130
Sr. Monastério, respondendo a ca que os avanços tecnológicos
essas perguntas. modificam a organização do tra-
balho nas empresas. Bierrenbach
2. Exercício 15: Revisão do Fu- prevê que, no futuro, não serão
turo do Subjuntivo. poucos os executivos que traba-
lharão em suas próprias casas.
3. Exercício 16: Após comentar
Outro tema a ser debatido é a
as previsões, leia o texto original,
possível “dessincronização” entre
abaixo, para os alunos.
os departamentos em razão da
“Previsões para próximos anos aceleração das tarefas, propor-
falam em maior personalização cionada pela tecnologia. “Sin-
dos produtos” cronizar as atividades em uma
Dentro de algumas décadas, os companhia é mais complexo do
consumidores poderão acionar que os gestores pensam”, pontua
remotamente linhas de produ- Toffler. No Brasil, a futurologia,
ção industrial. Será possível, bastante criticada em rodas uni-
então, comandar as máquinas versitárias sob a argumentação
para que trabalhem com o tipo de ausência de embasamento
de material, cor e dimensões científico, já é praticada. A fu-
desejados para produzir um item turista Rosa Alegria, 46, montou
único, personalizado. Será a era em São Paulo consultoria que se
do “sob encomenda em larga dedica à análise de tendências.
escala”. O cenário é traçado Já passaram por suas mãos or-
pelo futurista Alvin Toffler, 75, ganizações como a Electrolux e
em entrevista à Folha. “O consu- o Banco do Brasil. A partir de um
midor poderá apertar um botão estudo interdisciplinar, ela auxilia
em São Paulo e, virtualmente, gestores a se prepararem para o
ativar uma linha de produção futuro. “Não faço previsões. Esse
em Taiwan”, ilustra. Progressivo termo está associado à adivinha-
aumento do grau de personifica- ção. Procuro entender como as
ção do consumo será resultado, mudanças estão acontecendo”,
segundo avalia, do que chama explica.
de “processo de demassificação”, Fonte: Folha de S. Paulo – Texto
que ocorre em sentido oposto à de Rosa Alegria
massificação.
“Trabalho em casa”
E não é apenas no chão de fábri-

131
PSIU – Não se esqueça de co-
mentar que um organograma
varia muito de empresa para
empresa. Sugira que os alunos
desenhem o organograma da
empresa onde trabalham. (Veja
o Apêndice IV, página 221.)

página 140

Não se esqueça de, no


final de cada unidade,
fazer uma retrospec-
tiva do que foi estudado. Faça
um quadro na lousa para que
os alunos possam visualizar os
conhecimentos adquiridos até
então.

SUGESTÃO PARA MATERIAL


VISUAL: gravuras de profissões
diversas ainda não estudadas;
equipamentos de informática
(ou de uma sala de informática).

132
ANOTAÇÕES
TÍTULO: A CULTURA BRASILEIRA NO TRABALHO

U15
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Flexão do Substantivo, Pretérito


Mais‑Que‑Perfeito

página 141
APRENDA
1. Exercício 1: Discuta com seus cuja mudança de número acarre-
alunos os pontos positivos e ne- ta mudança de sentido; as quatro
gativos presentes no ambiente formas de flexão de gênero e pa-
de trabalho brasileiro. Vocês lavras que dão ideia de conjunto
também podem discutir sobre (coletivos). Veja o Apêndice III,
temas como carga horária, sa- página 215.
lário‑mínimo, férias, licença‑ma- Não se esqueça de salientar a
ternidade, aposentadoria etc. observação no rodapé da página
antes de introduzir o tempo ver-
2. Exercício 2: Fale também bal Pretérito Mais-que-Perfeito
sobre os restaurantes por quilo, (simples). Ressalte o fato de que,
tão comuns no Brasil, e discuta embora pouco usual na lingua-
com seus alunos sobre o horário gem coloquial, aparece muito
de almoço no ambiente de tra- nos textos literários.
balho brasileiro e de seus países
de origem: qual a duração, o
que comem, existe um cardápio
específico dependendo do dia da página 143
semana etc.
1. Antes de trabalhar o texto, ini-
cie uma conversação dando ênfa-
página 142 se às seguintes questões: “Por que
é importante conhecer a cultura
ESTUDO DE… do país com o qual se mantém
relações de trabalho?”; “Vocês já
Enfatize a importância ouviram alguma história em que,
do gênero e do número devido ao não conhecimento da
de alguns substantivos, cultura e dos costumes de um país
em palavras que nunca devem ou de um Estado, os negócios não
ser usadas no plural; palavras deram certo?”.

134
Curiosidades: Faça car- Os europeus
tões com nomes de paí- A Europa divide-se em dois
ses e suas curiosidades blocos comportamentais. Itália,
para que os alunos os Espanha, Grécia, Bélgica, Ho-
relacionem. Aproveite a opor- landa, Áustria e Suíça pertencem
tunidade para que os alunos ao mesmo grupo. São formais,
falem sobre as curiosidades de rápidos em suas decisões e man-
seus países. “Quais foram os têm a palavra quando fecham
maiores choques culturais que um negócio. As mulheres são
já tiveram?”
admiradas e respeitadas pelo
Os árabes seu posicionamento profissio-
1. Se o encontro for seguido de nal. França, Espanha e Portugal
um almoço ou jantar, não recu- são os latinos do velho mundo.
se a comida por mais estranha Com temperamento informal,
que possa parecer. Eles ficam valorizam o tempo para refletir,
extremamente ofendidos e essa por isso suas decisões são lentas.
atitude mina um bom negócio. Os americanos
Experimente e finja que está
comendo. Certamente, os anfi- Não gostam do contato físico,
triões ficarão satisfeitos. porque o consideram rude e,
assim como os ingleses, valori-
2. As cores também são muito zam a pontualidade. As reuniões
representativas. O branco, sím- iniciam‑se e terminam sempre
bolo de paz e harmonia para no horário marcado, mesmo
os ocidentais, é usado entre os
sem concluir definitivamente o
árabes em caso de luto, o azul
assunto.
e o verde significam traição. Na
hora de presenteá-los, evite reló- Os latinos
gios, pois truncam os negócios, e Os latinos são velhos conhecidos.
objetos cortantes e pontiagudos. Alegres e extrovertidos, gostam
Apesar de adorarem presentes, do contato físico. A pontualida-
normalmente eles não os abrem de não é uma de suas maiores
na hora em que os recebem. virtudes e as resoluções não
Os japoneses costumam ser rápidas.
Influenciados pelo budismo, os Fonte: Revista Inovação – Texto
japoneses refletem longamente de Gilda Fleury – Babel Moderna
sobre as decisões a serem toma-
das, por isso o resultado final de Dramatização: Grupo
uma negociação é extremante A – Dia 21 de abril é
lento. feriado e, este ano, a

135
data acontece em uma terça- mana de férias coletivas (= todos
-feira (data fictícia). Devido às os funcionários entram em férias)
boas vendas nos primeiros me- na semana após a Páscoa. Um
ses do ano, sua empresa vem comitê representando os funcio-
trabalhando com horas extras nários da produção marcou uma
diariamente. Os funcionários reunião com você para esta tarde
estão cansados e a produção e você resolveu recebê-los. Hoje
está caindo. Devido ao estresse é dia 10 de abril.
geral, os acidentes de trabalho
vêm aumentando. Você faz parte 2. PSIU – Solicite dados conhe-
do comitê de negociação da sua cidos pelos alunos sobre outras
área de produção e procura a possibilidades de treinamento
Gerência para negociar uma dentro de empresas. Relacione
folga de cinco dias, ou seja, de na lousa os treinamentos pelos
sábado a quarta. Grupo B – Você quais os funcionários já passa-
é Gerente de Produção de uma ram. Foram interessantes? O que
empresa do ramo de alimentos esses treinamentos acrescenta-
especializada em produtos à ram ao conhecimento anterior
base de cacau. Dia 21 de abril é dos alunos?
feriado e, este ano, a data acon-
tece em uma terça-feira. Devido
às boas vendas nos primeiros
meses do ano, sua empresa vem página 144
trabalhando com horas extras
diariamente. Há quinze dias os
1. Exercício 4: Dê tempo aos
seus funcionários começaram a
alunos para que preencham o
apresentar sérios sinais de can-
quadro. Depois, em pares (de
saço e a causar mais acidentes
preferência de nacionalidades
de trabalho. Desde então, você
diferentes), estimule-os a manter
implantou turnos diferencia-
uma conversação a respeito do
dos para que os trabalhadores
assunto. Em seguida, troque os
pudessem ter mais horas de
pares para discutir o caso de um
descanso. A produção não pode
trabalhador brasileiro.
parar, pois, com a proximidade
da Páscoa, os pedidos aumenta- O costume de usar ou
ram e os contratos precisam ser não uniforme depende
cumpridos. Você já negociou com da empresa, da seção
o RH (= Recursos Humanos) um ou até do tipo de trabalho; os
aumento de salário de acordo crachás estão cada vez mais
com a produtividade e uma se- difundidos, muitas vezes visando

136
à segurança e ao controle da 2. Explique os dois casos de
entrada na empresa; muitos sujeito indeterminado e faça os
deles têm um código eletrônico exercícios.
para ser usado como cartão de
ponto ou ticket-refeição; mar- 3. Podem ser enfatizadas as duas
car ponto é obrigatório para possibilidades de respostas para
quem recebe hora extra; não cada oração. 1 – “Falou-se sobre
é obrigatório para quem tem novos projetos.”; “Falaram sobre
certa flexibilidade no horário novos projetos.”. 2 – “Dormia-se
de entrada e saída e, portanto, demais naquela casa.”; “Dor-
não recebe pelas horas extras;
miam demais naquela casa.”.
as visitas aos clientes devem
3 – “Precisa-se de uma secretária
ser marcadas com antecipação,
embora, informalmente, para executiva bilíngue.”; “Precisam
visitar amigos em suas casas, de uma secretária bilíngue.”.
normalmente, não seja necessá- 4 – “Acredita-se na vida após a
rio aviso antecipado; os almoços morte.”; “Acreditam na vida após
(jantares, com menos frequência) a morte.”
de negócios são muito comuns;
mas raramente se passa o fim de
semana com os clientes (no Bra-
sil, costuma-se dedicar o fim de página 145
semana à família); reuniões para
discutir projetos, negócios, onde
são valorizadas as opiniões de Exercício 6: Peça aos
todos, fazem parte da rotina de alunos que leiam a
uma empresa; como já foi visto mensagem e depois
nos textos anteriores, as com- trabalhem em pares.
pensações para cobrir os feriados Dramatize o telefonema com um
prolongados dependem de cada aluno sentado de costas para o
empresa; tirar férias uma vez por outro: o aluno A faz o papel de
ano é obrigatório por lei, mas é Sílvia e o aluno B, o de Eliza.
facultativo ao trabalhador “ven-
der” (parte das) férias; quer dizer, 2. Exercício 8: Deve ser trabalha-
oficialmente você tira férias, mas, do em pares: oriente os alunos a
na realidade, você trabalha re- praticarem as expressões comu-
cebendo dinheiro em troca. Essa mente usadas para aceitar ou
prática é comum quando as em- recusar os pedidos dos colegas.
presas estão sobrecarregadas de Para formular os pedidos, res-
trabalho e não podem dispensar salte a diferença entre ser polido
o funcionário. ou não, mediante o uso (ou não)

137
de expressões como: “desculpe dam. Ligue para o Sr. Prado para
mas...”; “será que eu poderia...”; solicitar uma reunião urgente
“você não se importaria se eu...” com ele sobre problemas com
etc. As respostas podem variar. os filhos. Deixe recado com a
secretária. (2) A – Você é dentista
PSIU – Dê dicas sobre como es- e tem como cliente o Sr. Xavier,
crever um e-mail. Presidente de uma empresa.
Ligue para a secretária do Sr.
Xavier, pedindo desculpas, mas,
devido a problemas pessoais de
página 146 saúde, precisará desmarcar a
consulta de amanhã. Tente mar-
1. Exercício 9: Toque o áudio e car outra data. (3) A – Você é um
verifique o que os alunos, com agente de viagens. Passe para
o livro fechado, conseguem o Sr. Lopes sua programação
apreender. Num segundo mo- de viagem. Dia 23: SAO – NY -
mento, leia o diálogo e mostre Voo 900 da American Airlines às
como os recados foram anotados 23:00, assento A23. Dia 24: NY –
nos formulários apropriados. LA – Voo 334 às 16:00 e dia 29:
Toque o áudio, dando um tempo LA – SAO – Voo 901 – American
entre um recado e outro para Airlines. Você reservou também
que os alunos preencham os quartos nos hotéis solicitados
formulários. Toque novamente pelo Sr. Lopes e as reservas já
para verificação e, então, confira foram confirmadas.
com os alunos.

2. Toque novamente o áudio


com os recados. Faça então o página 147
exercício de discurso indireto
em pares.
1. Exercício 10: Deve ser prepa-
Pratique em pares outras rado como tarefa, mas antes de
situações de recados. solicitar a apresentação, reveja
Não se esqueça de que o quadro com as frases que
exercícios de telefone- podem ajudar os alunos. Estas
mas dão melhores resultados se apresentações devem ser bem
os alunos se sentarem de costas completas e os alunos devem
uns para os outros. Exemplos: (1) trazer material extra. Sugeri-
A – Você é a Diretora da escola mos incentivar o uso de slides,
onde os filhos do Sr. Prado estu- panfletos, fotos, gráficos etc. É

138
interessante mostrar aos alunos 2. Transferência – Os alunos
a importância deste trabalho, já podem desejar falar também de
que, muitas vezes, são solicitadas eventos que não se relacionam
apresentações das empresas em ao trabalho. Incentive a partici-
que trabalhamos, da nossa área, pação de todos.
dos nossos produtos, do sistema
de produção, dos Certificados de Sugestão para trabalho
Qualidade da empresa etc. em grupos – Divida a
turma em grupos para
2. “Em uma reunião de ne- que seja organizada
gócios”: as respostas poderão uma Conferência Internacional
variar de acordo com a interpre- sobre Acidentes do Trabalho.
tação de cada resposta. Além da Conferência, deve ser
preparada, em paralelo, uma
PSIU – Pergunte aos alunos se já Feira de Equipamentos, Produ-
participaram de um Conference tos e Serviços sobre o mesmo
Call (= usa-se um aparelho tema. Distribua marcadores, cola,
tipo alto-falante no centro da papel etc. Dê tempo suficiente
mesa e todos se comunicam para que os grupos elaborem
ao mesmo tempo com outra uma apresentação adequada e,
localidade como se fosse uma então, peça para que elejam um
reunião) em outro idioma. Quais representante que apresentará
as dificuldades que surgiram? o trabalho à classe. Estimule os
Que serviços de entrega rápida demais alunos a fazerem pergun-
os alunos conhecem? (DHL, tas e a apresentarem problemas
do tipo: 1 – “Tenho um visitante
FEDERAL EXPRESS, UPS etc.) No
com problemas nas pernas que
Brasil, temos serviço de moto-
precisará usar cadeira de rodas:
queiros, cobrado por hora para
há condições apropriadas?” 2 –
fazer recebimento e entrega de
“Quero um estande de 4x5m,
encomendas, cartas, documen-
qual o custo?” etc.
tos etc.
3. Exercício 12: Antes de fazer
o exercício, chame a atenção
dos alunos sobre o item “Não
página 148 esqueça!”.

1. Exercício 11: Toque o áudio,


para que o aluno preencha o
quadro.

139
página 149

1. Exercício 13: Estimule seus


alunos a também realizarem en-
trevistas entre si, especialmente
entre aqueles que trabalham em
empresas no Brasil. Peça que
montem um perfil do entrevista-
do para, em seguida, escreverem
um artigo.

2. Exercício 14: Pergunte quais


trabalhos voluntários os países
de origem dos seus alunos mais
precisam e se eles planejam rea-
lizar algum trabalho voluntário
no Brasil. Estimule-os a pesquisar
diferentes voluntariados brasilei-
ros, desde as grandes organiza-
ções até grupos pequenos.

PSIU – Explique cada um dos ser-


viços bancários. DOC: Depósito
em conta-corrente diretamente
de uma agência para outra,
mesmo de bancos diferentes;
manutenção da conta: taxa co-
brada para manutenção de conta
corrente aberta quando a mesma
não está sendo usada.

SUGESTÃO PARA MATERIAL VI-


SUAL: símbolos de avisos comuns
dentro de uma empresa ou esta-
belecimentos públicos; exemplos
de trabalhos voluntários.

140
ANOTAÇÕES
TÍTULO: TRABALHO, TRABALHO, TRABALHO…

U16
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Forma e grafia de algumas palavras e


expressões

página 151 página 152


APRENDA ESTUDO DE…

Copie as perguntas feitas aos três 1. Estude cada uma das expres-
estrangeiros em tiras de papel. sões com seus alunos, solicitan-
Coloque os alunos em pares e do que, após cada explicação,
distribua as tiras para cada um elaborem frases. Cuidado ao
para que façam uma pequena ensinar as grafias e os acentos!
entrevista. Caso você esteja tra- Veja o Apêndice III das páginas
balhando fora do Brasil, use os 215, 216 e 217.
verbos no Tempo Futuro.
2. Faça o exercício 6 da página
1. Ouvidas as entrevistas de 155 para verificar a assimilação.
Walter e Dolores, peça aos alu-
nos que anotem as respostas e
verifiquem possíveis problemas
de vocabulário. página 153
2. Leia em voz alta as três en-
trevistas, em pares: um aluno 1. Exercício 1: Antes de fazerem
sendo o entrevistador e o outro, as comparações, selecione cada
o entrevistado. Trabalhe pergun- inovação e peça que os alunos
tas como: “Qual dos três está qualifiquem cada uma delas.
aproveitando mais a estadia no Faça pares de adjetivos opostos.
Brasil?”; “Quem gosta mais do Por exemplo: Impressão em 3D –
Brasil?”; “Quem está há mais barato|caro; rápido|devagar;
tempo no Brasil?” etc. eficiente|ineficiente.

2. PSIU – Explique cada termo e


veja se os alunos conhecem algo
sobre o processo de privatização
que aconteceu nos últimos anos
no Brasil. Averigúe a opinião dos

142
alunos sobre as razões deste pro- página 155
cesso e se ocorreu o mesmo nos
seus países de origem etc. Edital:
ordem oficial ou Translado de 1. Exercício 6: Caso este exercício
édito (ordem judicial que se faz ainda não tenha sido feito, reveja
pública por anúncios ou editais), o Estudo de... (página 152).
destinado ao conhecimento de
todos, para afixar em lugares pú- 2. Exercício 7: Verifique a com-
blicos ou anunciar na imprensa preensão das palavras “demi-
periódica. Concessão: privilégio tido” e “desempregado” e faça
que se obtém do Estado para oralmente uma breve revisão
uma exploração (geralmente de do Particípio Passado, antes do
prestação de serviço). Concessio- exercício.
nário(a): que ou aquele(a) que
obteve uma concessão. Exercício 7 (cont.): Tente
prolongar a conversa-
ção, incentivando a dis-
cussão com perguntas
página 154 do tipo: “Você já esteve desem-
pregado?”; “Caso ficasse de-
sempregado hoje, o que faria?”;
1. Discuta com seus alunos a “Quais são as causas principais
importância de empresas sus- do desemprego no mundo?”; “O
tentáveis no mundo e pergunte advento do computador trouxe
como é, no país de cada aluno, mais desemprego?”; “Você acha
a questão da sustentabilidade: a que há mais homens ou mulhe-
reciclagem do lixo, energia solar, res desempregados no mundo?”;
compostagem etc. “A partir de que idade se torna
difícil arrumar um novo empre-
2. Exercício 5: Pesquise empresas
go? Por quê?”; “Você acha que
brasileiras e dê opções para seu
isto é regra em todo o mundo?”.
aluno poder pesquisar. Deixe
esta atividade de pesquisa como Peça aos alunos que
tarefa, para que seja apresen- escrevam em tiras de
tada para toda a sala na aula papel o que eles têm
seguinte. feito (de mais diferente) nos
últimos tempos. Recolha as tiras
e coloque-as em um envelope.
Circule pela classe pedindo aos
alunos que sorteiem uma tira e

143
tentem adivinhar quem é o autor terminar o ditado corretamente
da frase. Peça aos alunos que en- será o vencedor. Aproveite e
trevistem o aluno que a escreveu. peça para que façam a divisão
silábica das seguintes palavras:
PSIU – Explique o signi- investir, trabalhar, Argentina,
ficado de cada campa- ritmo, assinar, funciona etc.
nha. Divida os alunos
em grupos e solicite a 3. Exercício 10: Complete o diá-
logo enfatizando o uso do “se”
cada grupo que desenvolva uma
no Imperfeito do Subjuntivo e no
campanha. Você pode deixar que
Futuro do Subjuntivo.
os grupos escolham seu próprio
tema dentre os listados no PSIU
ou que eles optem por algum
outro. Os alunos devem montar página 157
o calendário da campanha, de-
senvolver o projeto, encontrar
maneiras de financiamento etc. 1. Exercício 11. Antes de discutir
as questões sugeridas e trabalhar
o texto, escreva em duas colu-
nas: CARREIRAS PROMISSORAS
página 156 e PROFISSÕES MAIS ANTIGAS.
“Quais foram as cinco mais vo-
tadas de cada lista?” Sugira uma
1. Exercício 8: Faça o exercício terceira coluna para discussão:
do áudio e depois o de transfe- PROFISSÕES DO FUTURO.
rência: discuta a rotina, queixas e
2. Exercício 12: Pode ser indi-
planos para o futuro de cada um.
cado como trabalho em pares
2. Exercício 9: Este é um exercí- ou como tarefa. Neste exercício
comparativo, explore bem as
cio de divisão silábica. Pode ser
diferenças de vocabulário. Con-
indicado como tarefa, ordenan-
dições de trabalho: segurança,
do-se as sílabas para encontrar estabilidade, bom ambiente de
a palavra correta. Saliente que trabalho, cooperação, colabora-
a primeira sílaba já é indicada. ção, camaradagem, boa instala-
ção, bom salário, local propício,
Pode ser usado como incentivo, metas, liderança etc.
ditado. Divida os alunos Qualidade de vida: estabilidade
em pares e solicite a um financeira, equilíbrio mental,
deles que dite o texto custo de vida, lazer, tempo, sa-
para o outro. O primeiro par a tisfação, trabalho|emprego etc.

144
3. Exercício 13: Pergunte aos página 159
alunos o que eles terão feito
até o ano 2030. Acrescente à
pergunta o que um jovem de 16 1. Antes da leitura do texto,
anos terá feito até lá. Liste as solicite aos alunos que digam o
ações na lousa e, então, toque que lhes vem à mente ao falar
o áudio pedindo aos alunos que sobre Programa de Qualidade e
mantenham os livros fechados. Produtividade. Depois, compare
Compare a lista na lousa com as suas ideias com as do texto
as colocações do áudio. Solicite e responda às perguntas do
aos alunos que abram os livros Exercício 15.
e façam o exercício.
PSIU – Discuta cada termo: “Em
PSIU – Organizações Filan- que situações cada um deles é
trópicas são aquelas que não usado?”; “Que tipos de acordos
pagam impostos ao Governo. já precisaram fazer durante a
LBV – Legião da Boa Vontade; vida?”; “Que tipos de nego-
CASAS ANDRÉ LUÍS – casa de
ciações?”; “Já participaram de
assistência que segue orientação
alguma greve (quando estudan-
Espírita; APAE – Associação de
tes, na universidade, no traba-
Pais e Amigos dos Excepcionais;
ADERE - oficina ocupacional a lho)?”; “Que tipo de campanhas
partir dos 16 anos. lhes interessaria mais?” (Liste
as campanhas mencionadas e
discuta-as.); “O que é uma ação
trabalhista?”; “Que profissionais
página 158 são envolvidos quando há uma
ação trabalhista?” etc.

1. Exercício 14: Peça aos alunos


que mantenham os livros fecha-
dos e leiam as frases propostas SUGESTÃO PARA MATERIAL
para dar sugestões. Pergunte, VISUAL: dicas de costumes e
então, em que situações as cultura de outros países (comida,
usariam. Faça o mesmo com vestuário, língua etc.); objetos
aceitar|recusar sugestões. Peça recicláveis e tempo de decom-
que abram os livros e proceda posição quando não reciclados.
à leitura das explicações. Em
seguida, faça o exercício, soli-
citando o máximo de exemplos
possível. Estenda as possibilida-
des de conversação.

145
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
GRUPO 5
Diversão – Cultura

Este grupo foi dividido em Unidades que tratam do lazer em


casa, fora de casa, os esportes, a arte e a música brasileira.
Apresenta ainda informações sobre nossa gente, nossa literatura,
e sobre os países onde a língua portuguesa é o idioma oficial.
TÍTULO: LAZER EM CASA

U17
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Regência Nominal, Numeral


Multiplicativo|Fracionário

página 161
CURIOSIDADES
Antes de iniciar a leitura deu aos brasileiros traços e per-
do texto, sugerimos que sonalidade diferenciados. Apesar
sejam feitas algumas da influência marcante do portu-
perguntas sobre o tema proposto guês e do negro em sua forma-
para verificar o conhecimento do ção, a origem remonta ao índio.
aluno sobre o assunto. Sugestões O gaúcho, o caboclo, o caipira,
de perguntas: “Onde a Língua o sertanejo, todos nós, falamos,
Portuguesa é falada?”; “De que discutimos e nos entendemos de
língua se originou o Português?”; norte a sul.” Sugira a leitura do
“A Língua Portuguesa sofreu al- texto como tarefa e o discuta em
guma transformação?”; “O que aula. Convém, primeiramente,
explica a diferença regional de apresentar o vocabulário. A parte
sotaque?”; “Você tem ideia de (2) continua na U. 18.
quantas pessoas falam português
no mundo?”. 2. VOCABULÁRIO: palpite –
pressentimento, suspeita; sacis
(saci pererê) – um dos persona-
gens mais populares do folclore
página 162 brasileiro, negrinho de uma só
perna, de cachimbo e com bar-
GENTE E rete vermelho que persegue os
CULTURA BRASILEIRA viajantes ou lhes arma ciladas
Os textos aparecem em todas pelo caminho; curupira - segun-
as unidades deste grupo com do a crendice popular, habita
intuito de mostrar as diferenças as matas e é um índio cujos
culturais existentes num país tão pés apresentam o calcanhar
vasto como o Brasil. para diante e os dedos para
trás; bombacha – calças muito
1. ”Quem somos, afinal?” (1) – largas em toda a perna, salvo
“Uma fusão de raças e culturas no tornozelo, onde são presas

150
por botões, típicas, sobretudo, mais popular e mais vendida no
do vestuário regional gaúcho; Brasil) e “gospel” (música religio-
boleadeira – aparelho empre- sa de origem americana).
gado pelos campeiros para laçar
animais, constituído por três a) Traga a letra de uma
bolas (de ferro, pedra e marfim) música com algumas
envolvidas num couro espesso; palavras ou frases fora
chimarrão – bebida típica gaú- de ordem e peça aos
cha feita com mate cevado sem alunos que, ao ouvirem o áudio,
açúcar; roçado – terreno onde se coloquem-nas em seus devidos
roçou ou queimou o mato e que lugares; b) Dite algumas pala-
está preparado para a cultura; vras de uma música e outras
palafita – estacaria que sustenta diferentes. Ao ouvir o áudio, os
as habitações lacustres (aquelas alunos devem assinalar as que
que estão sobre ou às margens não estão (ou as que estão) na
de um lago); chapada – planalto; música; c) Traga videoclipes de
caatinga – tipo de vegetação músicas; d) Dê o título de uma
característica do Nordeste brasi- música e peça aos alunos que
leiro; gibão – espécie de casaco discutam o provável conteúdo; e)
curto que se veste sobre a cami- Distribua a letra de uma música
sa; colete; capanga – espécie de e peça aos alunos que lhe deem
bolsa pequena usada a tiracolo um título apropriado; f) Através
pelos viajantes para levar peque- de músicas regionais de vários
nos objetos. estilos, podem ser trabalhados os
diferentes aspectos geográficos
do Brasil; g) Grave pequenos
trechos de diversos estilos de mú-
página 163 sica e toque-os em sala para que
os alunos tentem identificá-los.

1. Exercício 1: Peça aos alunos PSIU – Canja: caldo de ga-


que completem os espaços en- linha com arroz e temperos.
quanto ouvem o áudio. Trabalhe Expressões: dar uma canja (dar
o vocabulário e a pronúncia e, uma chance, ou fazer algo sem
então, cante com eles. receber por isso. Ex.: Quando
um músico dá uma canja, ele
2. Exercício 2: Estabeleça um canta sem receber por isso.),
diálogo sobre o assunto Música, Carpaccio: fatia finíssima, quase
fazendo as perguntas propostas. transparente, de carne ou peixe,
Explique os termos “sertaneja” servida com queijo ralado, dife-
(música do tipo country, cada vez rentes tipos de molho e torradas.

151
página 164 um filme e convidem os colegas
para assistir a ele.

1. Exercício 4: Para entrevistar


os colegas, os alunos devem
fazer perguntas do tipo: “Você página 165
assiste à televisão?”; “Com que
frequência você lê livros?”; “Você
acessa a Internet todos os dias?” 1. Exercício 5: Sugira que os
etc. Depois de terem completa- alunos façam a resenha do filme
do o quadro, verifique quais as como tarefa para depois comen-
respostas mais frequentes entre tá-la em aula.
os alunos.
2. Exercício 6: As respostas po-
2. Se o assunto já tiver sido bem dem variar. Peça que os alunos
explorado no exercício anterior, comparem seus pontos de vista.
esta transferência pode ser
3. Exercício 7: Mencione o nome
sugerida como atividade escrita
de novelas que foram sucesso
(tarefa).
também no exterior como: “A
Discuta a questão “os Escrava Isaura”, “Dancing Days”,
programas de TV de- “Roque Santeiro” etc.
veriam passar por uma
4. Exercício 8: Traga
censura prévia” da se-
algumas revistas conhe-
guinte forma: divida a classe em
cidas para que os alunos
dois grupos, um grupo a favor
escolham algum artigo
e outro contra, independente
de seu interesse para discussão.
da opinião pessoal de cada
um. Os grupos se reúnem para
formular sua argumentação. O
professor deve ser o mediador,
estimulando todos a falarem.
página 166
Quando sentir que a discussão
está esfriando, passe para a Antes do exercício 10, comente
opinião real dos alunos. sobre as cartas. Pergunte aos
alunos qual a última vez que
Traga outras resenhas escreveram uma carta (comer-
de filmes de jornais e cial|particular) e qual foi a última
sites conhecidos para que receberam. Em seguida,
que os alunos escolham introduza o exercício.

152
1. Exercício 10: estimule seus de dendê; farofa: farinha torrada
alunos a escreverem cartas entre com manteiga ou gordura, e às
eles ou a outros brasileiros. Se vezes, misturada com ovos, azei-
possível, ensine-os a postar nos tonas, carnes etc.; moqueca de
Correios e trabalhe com vocabu- peixe: prato típico brasileiro, em
lário de carta, como envelope, geral de peixes ou mariscos que
selo, carteiro, destinatário. consta de um guisado tempe-
rado com salsa, coentro, limão,
Traga o filme “Central cebola e sobretudo leite de coco
do Brasil”, cuja história e azeite de dendê; feijoada:
gira em torno de uma prato típico brasileiro, prepara-
professora aposentada do com feijão-preto, toucinho,
que escreve cartas para melho- carne‑seca e carne de porco
rar sua renda e que se envolve salgada e linguiças. Acompanha
com o problema de um menino couve, arroz branco, farinha e a
à procura de seu pai. Pode ser famosa Caipirinha; vatapá: prato
vista apenas uma parte do filme típico da cozinha baiana, muito
ou exibido todo, um pouco em apimentado, feito com peixe ou
cada aula. É importante que galinha, a que se adicionam leite
este filme seja visto junto com de coco, camarões secos, pão
os alunos, para que possa haver da véspera, amendoim e casta-
uma discussão direta a cada nha‑de‑caju torrados e moídos,
momento importante. Podem- e que se tempera com azeite de
-se mostrar diferenças sociais, dendê e outros condimentos.
regionais, de sotaque etc. É
realmente uma obra-prima e,
além disso, representou o Brasil
na corrida ao Oscar de “melhor página 167
filme estrangeiro” em 1999 (sem
sucesso, infelizmente).
1. Exercício 11: Peça que seus
PSIU – Acarajé: comida típica alunos pesquisem a expectativa
baiana - bolinho feito de massa de vida de seus países e que
de feijão-fradinho, frito em azei- comparem quais medidas o
te de dendê, e que se serve com governo toma com os idosos do
molho de pimenta, cebola e ca- Brasil x do seus países de origem.
marão seco; bobó de camarão: Pergunte sobre a idade para
camarão refogado ao qual se aposentadoria e quais atividades
adicionam leite de coco e azeite os idosos costumam realizar.

153
2. Exercício 12. Título original 2. PSIU – Origami – é uma téc-
do texto: “Malhação não tem nica japonesa de dobraduras de
idade”. papel para criar formas; bonsai –
também é uma técnica japo-
2. PSIU – Caipirinha: bebida nesa para o cultivo de plantas
típica brasileira feita com pinga, em miniatura. Peça aos alunos
suco de limão, açúcar e gelo; que têm hobbies inusitados que
refrigerantes mais consumidos tragam uma explicação|façam
no Brasil: Coca-Cola e Guaraná; uma apresentação sobre os seus
outros: Soda, Fanta Uva, Fanta hobbies.
Laranja, Água Tônica etc.

página 170
página 168
A partir desta unidade, toda
1. Leia o quadro ATENÇÃO!, última página traz um artigo
à esquerda, com os alunos e de assunto geral com intuito de
peça que tentem elaborar ou- ampliar o vocabulário do aluno.
tros exemplos antes de iniciar o A leitura pode ser feita em clas-
exercício 13. se ou mesmo em casa. Devem
ser discutidas as dúvidas de
2. Exercício 13: Veja o Apêndice
vocabulário e o professor pode
III, páginas 217 e 218.
preparar questões para verificar
3. Exercício 14: Os alunos ou- a compreensão.
vem quatro sotaques regionais
diferentes. Enfatize que se trata
do português coloquial falado, e SUGESTÃO PARA MATERIAL
com um sotaque bem carregado. VISUAL: doces e salgadinhos
típicos brasileiros; ferramen-
tas|instrumentos relacionados a
hobbies caseiros.
página 169

1. Na transferência, pergunte
também a opinião dos alunos
sobre comida congelada, feita
sob encomenda etc.

154
ANOTAÇÕES
TÍTULO: SAINDO DE CASA

U18
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Regência Verbal

página 171

CURIOSIDADES
Antes da leitura do tex- cultura da cana e à fabricação
to, peça aos alunos que do açúcar. (O senhor do engenho
façam uma pesquisa era o proprietário dessas terras,
sobre a localização e informa- dono dos escravos que ali tra-
ções relevantes sobre o arqui- balhavam.); senzala – grupo de
pélago de Cabo Verde. Peça que alojamentos, casas, barracões
troquem informações entre eles dentro das fazendas, onde os
e montem um resumo em grupo. escravos moravam; recluso –
fechado; seringueira – árvore
Depois, passe à leitura do texto da qual se extrai a borracha;
e peça-lhes que sublinhem as in- seringalista – proprietário de
formações novas e acrescente-as seringal; formação ou mata
ao texto do grupo. de seringueiras; singrando as
matas – (singrar = navegar);
matas de restinga – terrenos de
litoral, arenosos e salinos, onde
página 172 vegetam plantas herbáceas e
arbustivas características desses
GENTE E lugares; manguezal – terreno
CULTURA BRASILEIRA pantanoso das margens das la-
goas e dos rios, onde em geral
“Quem somos, afinal?” (2) – vegeta o mangue (nome dado a
continuação do texto da página diversas plantas de várias famí-
162. Outros personagens típicos lias); coivara – troncos e galhos
do povo brasileiro. não queimados inteiramente.
(A roça de coivara consiste em
VOCABULÁRIO: mestiçagem – empilhar esses troncos e galhos,
cruzamento de raças ou espécies para de novo lhes lançar fogo e
diferentes; engenho – estabe- desembaraçar o terreno); por-
lecimento agrícola destinado à tuguês quinhentista – língua,

156
especialmente escrita, com ca- na hora, pescaria, caminhadas,
racterísticas peculiares ao que banhos em rios, natureza etc.).
se praticava no século XVI (qui-
nhentista: relativo ao século XVI). 3. PSIU – Frasqueira: bolsa ou
caixa térmica, onde, normal-
mente, guardam-se alimentos ou
maquiagem e pequenos objetos.
página 173
Providencie imagens das
palavras que aparecem
1. Exercício 1: Antes da leitura, no PSIU.
trabalhe o tema: mochileiro,
mochila, mochilada, mochilão
e pergunte se conhecem os
termos: hostel e backpacker. página 174
Trabalhe o texto, pedindo aos
alunos que procurem no dicio-
1. Antes de ler o texto “Por que
nário as palavras desconhecidas
viajar sozinho?”, procure saber
e peça para que troquem ideias
a opinião de seus alunos sobre
sobre o conteúdo do texto em
gostar ou não de viajar sozinho.
pares ou em grupo, responden- Aproveite para fazer o exercício
do às perguntas escritas abaixo de conversação, abaixo do texto,
do texto. sobre as vantagens e desvanta-
gens de viajar sozinho.
2. Faça o exercício 1 conforme o
enunciado. Peça que preencham 2. Peça a cada aluno que leia,
individualmente e depois, em individualmente, o texto, subli-
pares, verifiquem as sugestões nhando as palavras cujo signifi-
dos colegas. cado não tenha ficado muito cla-
ro e tirem suas dúvidas com seus
Ao falar sobre hospe-
colegas. Caso ninguém saiba o
dagem, fale também
significado de uma palavra, peça
sobre os hotéis-fazen-
para procurar primeiramente
da, tão em moda hoje em dia
no dicionário e depois, tirar as
no Brasil. Veja com os alunos as dúvidas com o professor.
diversas opções de lazer que es-
ses hotéis oferecem (cavalgadas, 3. Exercício 2: Assim como fize-
visitas a plantações de café ainda mos com o texto “Por que viajar
em produção, comida caseira e sozinho?”, o aluno deve tentar
típica de fazenda, leite tirado definir algumas palavras do texto

157
sem fazer uso do dicionário, de- 2. “Fuga para o interior”: Toque
duzindo seu significado apenas o áudio com o livro fechado e
pelo contexto. faça perguntas de compreensão,
como: “O que, até pouco tem-
Faça os alunos opina- po atrás, era privilégio restrito
rem sobre a diferença às grandes capitais?”; “O que
entre a música cantada mudou?”. Solicite, em seguida,
e a música instrumental. Será que os alunos leiam o texto em
que eles concordam com o que voz alta, uma parte cada um, e,
diz o texto? então, trabalhe o vocabulário.

4. Exercício 3: Cada aluno se en- 3. PSIU – Repelente: líquido de


carregará de preencher uma par- cheiro forte que se passa na pele
te do quadro, ou seja, um aluno para evitar picadas de insetos.
deverá atentar-se à descrição do Fale um pouco sobre acampa-
local ideal de cada personagem, mento: “Com que frequência
enquanto o outro se concentrará você acampava ou ainda acam-
em saber o motivo pelo qual ele pa?”; “Onde?”; “Com quem?”;
considera esse o local ideal. “Houve alguma experiência
embaraçosa|divertida?”.
A ideia é trabalhar a
compreensão auditiva,
de diferentes maneiras.
página 176

página 175 1. Exercício 5: Trata-se de um


exercício de acentuação, apro-
veitando para listar os nomes
1. Exercício 4: Em pares, encoraje das profissões e dos profissionais
os alunos a praticar o diálogo que trabalham em cada local
várias vezes, usando as diferen- comercial.
tes expressões em: aceitando
o convite, outras perguntas e Que tal incluir outros
recusando o convite. locais comerciais, tais
como companhia aé-
Simule o diálogo ao rea, loja de roupas, banco etc.?
telefone. O aluno deve,
então, sentar de costas 2. Exercício 6: Infração Gravíssi-
para o colega. ma: Dirigir veículo sem possuir
Carteira Nacional de Habilitação;

158
Infração Grave: Transitar em página 177
marcha à ré.; Infração Média:
Ter seu veículo imobilizado na
via.; Infração Leve: Estacionar o Exercício 8: Antes de
veículo afastado. Explique que ler o texto, discuta com
há multas municipais e multas os alunos sobre o uso
estaduais. Pode-se verificar to- de aplicativos para celular ou
das as informações referentes à computador. Faça uma listagem
Carteira Nacional de Habilitação dos Apps mais usados e úteis a
(inclusive para estrangeiros), a cada um.
veículos, normas etc. pelos sites
dos Detrans de cada Estado. Em 1. Exercício 8: Faça os exercícios
São Paulo, por exemplo, o en- a. e b. discutindo o resultado com
dereço é www.detran.sp.gov.br. os colegas.
Este é sempre um assunto muito
2. Exercício 9: Este é um exercício
importante, pois quase todos os
de regência verbal, ou seja, es-
estrangeiros precisam dirigir no
Brasil. tudar as preposições que acom-
panham sempre certos verbos.
Exercício 7: Revisão do Chamar a atenção dos alunos
Imperativo. Leve para para a diferença de significado
a sala outros informa- de um verbo acompanhado ou
tivos publicitários para não de uma preposição.
ilustrar o exercício. Peça, como
tarefa, que os alunos refaçam O uso das preposições é
alguns folhetos de produtos já um tópico difícil aos es-
existentes ou ainda criem um trangeiros, necessitan-
novo e divulguem sua imagem do, portanto, de muita
em folhetos “chamativos”, usan- prática. Elabore outros exercícios
do o Imperativo. Algo simples e de gramática estrutural ou de
curto, pois a atividade seguinte, conversação para a sua assimi-
de redação, requer maior em- lação.
penho.
PSIU – Pergunte se eles real-
3. Redação: esse exercício deve mente trouxeram todos estes
ser dado como tarefa. Sugerimos itens. “Tiveram referências de
que os trabalhos, uma vez pron- amigos?”; “Quais?”; “Tiveram
tos, sejam colocados em local dificuldade em tirar o visto?”.
visível para que todos possam
ter acesso a eles.

159
página 178 bebidas que costumamos levar à
praia. Normalmente, é enchido
com gelo para ajudar na refri-
1. Exercício 10: Os alunos devem geração.
tentar explicar as palavras subli-
nhadas, sem ter que, necessaria-
mente, achar um sinônimo para
elas. Encoraje-os a colocá-las página 180
em um outro contexto ou até
mesmo a fazer mímica, como,
por exemplo, ao tentar explicar Deixe que o aluno leia
a palavra: arremessar. o texto em casa, pro-
curando as palavras
desconhecidas no dicionário,
ampliando seu vocabulário. Em
página 179 classe o professor tirará as dú-
vidas dos alunos. Faça com que
o aluno escolha 6 palavras que
1. Atividade em pares: Caso os
aprendeu com este texto. Escre-
alunos não demonstrem grande
va-as no quadro. O professor
interesse por pescaria ou não te-
escolherá os mais representati-
nham tido nenhuma experiência
vos para o dia a dia dos alunos
deste tipo, mude o tema para
para formar frases. O professor
outro esporte ou hobby.
pode pedir para que utilize pelo
2. Exercício 11 e 12: Tratam-se menos duas palavras em uma
de dois exercícios de revisão da mesma frase. Há várias formas
Voz Passiva. Se for necessário, de se trabalhar textos.
ofereça explicações extras a res-
peito, para que consigam fazer
os exercícios a contento. SUGESTÃO PARA MATERIAL
VISUAL: bagagens e apetrechos
PSIU – Esteira: espécie de tapete,
de viagem; itens de praia; artigos
feito de junco ou de material
para pesca.
sintético, que se estende na areia
da praia e sobre a qual se deita
ou senta pra tomar sol; isopor:
recipiente feito de isopor, mate-
rial que mantém a temperatura
fria (ou quente) dos alimentos e

160
ANOTAÇÕES
TÍTULO: ESPORTES

U19
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Uso do Dicionário

página 181
CURIOSIDADES
Antes de iniciar a leitura do texto, época. Incentive a leitura de
sugerimos que sejam feitas algu- textos literários, começando com
mas perguntas sobre o tema pro- pequenas crônicas, contos, com
posto para verificar o conheci- vocabulário acessível. Aos mais
mento do aluno sobre o assunto. interessados, recomende a lei-
Perguntas podem ser feitas após tura de diversos autores e livros
a leitura: Guiné-Bissau: 1. “Qual significativos.
era a situação econômica e social
VOCABULÁRIO: sermão: discur-
de Guiné-Bissau na década de
so cristão, pregação no púlpito
1950?” 2. “Qual a importância
(templos, igrejas etc.); poesia
da fundação do Movimento dos
lírica: gênero de poesia em que
Capitães?” 3. “Quais foram as o poeta expressa as suas emo-
medidas tomadas pelo governo ções individuais; poesia satírica:
depois da proclamação da inde- relativo a sátira – composição
pendência?”. poética destinada a censurar ou
ridicularizar defeitos ou vícios;
realismo: representação artística
ou literária das cenas da nature-
página 182 za tais como se apresentam na
realidade; naturalismo: estilo li-
GENTE E terário que enfoca a reprodução
CULTURA BRASILEIRA exata da natureza nas artes, sem
excluir os aspectos feios e repug-
Aqui apresentamos um resumo
da literatura brasileira para que nantes da natureza e da vida.
os alunos tomem conhecimento
das principais correntes literá-
rias, assim como dos escritores
que mais se destacam em cada

162
página 183 temente trajados” significa que
não podem estar mal vestidos,
enquanto que “devem estar
1. Verifique primeiro o conheci- trajados” dá a ideia de que não
mento dos alunos a respeito da podem estar nus. 6. “jamais sem
capoeira, fazendo as seguintes camisa” dá ideia mais imperati-
perguntas: “O que é capoeira?”; va de que sempre devem estar
“A capoeira é um esporte?”; “É usando camisa.
uma arte marcial?”; “Você pre-
cisa ser forte para praticá-la?”; 4. PSIU – Como o futebol é o es-
“Quais os instrumentos que a porte mais popular do Brasil, se
acompanham?”. houver interesse, explique com
desenhos e|ou figuras, as posi-
2. Toque o áudio e discuta as ções de cada jogador e o resto
informações novas a respeito do do vocabulário. Para ilustrar a
tema “capoeira”.
aula, leve trechos de gravações
3. Exercício 1: Leia o texto pres- de uma partida ou artigos sobre
tando atenção às palavras gri- jogos. Aproveite para falar tam-
fadas. As frases mudam de bém sobre o PSIU da página 185,
sentido com o uso ou não dos sobre times de futebol. Explique
advérbios? Explique: 1. “Grupos também os termos “pelada”,
tradicionais” abrange todos os “torcedor”, “torcida”, “assistir
grupos que sejam tradicionais a um clássico” (jogo entre dois
enquanto que “grupos mais tra- times famosos, como Corinthians
dicionais” só se refere a alguns e Palmeiras), “verdão” (Palmei-
mais tradicionais. 2. “A capoeira ras), “rubro e negro”(Flamengo),
joga contra outro” é exatamente “palmeirense” (torcedor do Pal-
o oposto de “A capoeira nunca meiras), “corinthiano” (torcedor
joga contra outro”. 3. “começou do Corinthians), “são paulino”
a ser ensinada nos anos 1930” (torcedor do São Paulo) etc.
significa que antes não se ensi-
nava, enquanto que “começou a
ser ensinada regularmente nos
anos 1930” significa que já era página 184
ensinada antes dos anos 1930.
4. “quem joga sempre deve 1. Faça a compreensão oral do
começar” significa que não há texto e, em seguida, o exercício
exceção. 5. “devem estar decen- 3. Solicite com antecedência aos

163
alunos que tragam o dicionário trajetória de superação; pode ser
para que verifiquem, por exem- atletas brasileiros ou atletas de
plo, se a palavra “conquista” seus países de origem. Depois,
aparece da mesma maneira no troque os textos entre eles.
dicionário deles. Explique as
outras abreviações de termos
gramaticais. Ex.: S.f. = Substan-
tivo feminino. página 186
2. Nas palavras “preferido”,
“aplaudida” e “feito”, incenti- Pergunte da relação de
ve-os a descobrirem o infinitivo seus alunos com o es-
dos verbos. Peça que averigúem porte e alimentação. Há
todas as palavras derivadas, e os alguém que faz ou já fez
antônimos e sinônimos de cada dieta? Tem alguma dica para ter
palavra do quadro. Para o uso do uma vida mais saudável? Reco-
verbo “pegar” temos “pegar um menda algum aplicativo para
resfriado”, “pegar um ônibus”, acompanhar exercícios? Estimule
“os dois se pegaram na saída do o debate.
colégio”, “pegar um objeto dos
outros” etc. Explique o significa-
do de cada uso.
página 187

página 185 1. Exercício 8: Feita a entrevista,


o entrevistador relata oralmente,
as informações obtidas sobre o
1. Exercício 4: Este exercício candidato.
também é uma boa oportuni-
dade para revisar os números. Para a atividade de re-
Peça aos alunos que pesquisem dação, peça aos alunos
mais informações ainda sobre que imaginem ter en-
a Rio 2016 e organize-os em trevistado um candidato
pares. Cada um irá ditar um para algum outro cargo, à esco-
valor enquanto o outro escreve lha deles.
por extenso.
2. Exercício 9: Toque o áudio e
2. Exercício 5: Como tarefa, peça escreva as modalidades melhor
que os alunos escrevam a histó- adaptadas a cada uma das per-
rias de atletas que tiveram uma sonagens.

164
3. Exercício 10: Faça perguntas abertura dos Jogos Olímpicos,
para saber o motivo por que os no Rio. Diga-lhes que eles serão
alunos praticam este ou aquele voluntários no evento e peça-
esporte. Ex.: “Quem pratica es- -lhes que escrevam quais são as
porte para emagrecer?”; “Para expectativas para os dias seguin-
ter um corpo mais flexível?”; tes; quais jogos desejam assistir;
“Para fortalecer os músculos?”; qual esporte mais gostam; qual
“Para melhorar a respiração?”; o jogo mais concorrido; para
“Para obter uma melhor coorde- qual país estão torcendo.
nação motora?”; “Para ficar em
forma?” etc.

4. Exercício 11: As frases se pare- página 189


cem muito uma com a outra, mas
as possibilidades de ocorrência
Comente também sobre outros
ou não são totalmente diferen-
esportes radicais que podem
tes. Portanto, cuidado com o seu
ser praticados no Brasil, como
uso. Explicação da mudança de
windsurf, bungee jumping, asa-
sentido, que pode ser adaptada
-delta, escalada, rapel etc. Peça
a outras frases: a. “Se você ouvir
para que pesquisem sobre cada
a explicação, entenderá.” = Há esporte e, depois, escrevam
uma possibilidade real de se uma mensagem convidando um
entender a explicação. b. “Se amigo para praticar um desses
você ouvisse a explicação, en- esportes num fim de semana.
tenderia.” = A possibilidade de
se entender a explicação é mais
remota, mas não impossível. c.
“Se você tivesse ouvido a expli- SUGESTÃO PARA MATERIAL
cação, teria entendido.” = Não VISUAL: desenho de um campo
há possibilidade nenhuma de se de futebol com as posições dos
ter entendido a explicação. jogadores; o mesmo para o jogo
de tênis, basquete, vôlei (confor-
me o interesse dos alunos); ou-
tros símbolos de times de futebol.
página 188

Após a leitura dos textos sobre


a Rio 2016, imagine com seus
alunos que vocês estão na

165
ANOTAÇÕES
TÍTULO: ARTE – MÚSICA

U20
Nº- DE HORAS PARA COBRIR A UNIDADE:
De 3 a 6, dependendo da língua materna e do número de
alunos no grupo

GRAMÁTICA: Revisão Geral

página 191
CURIOSIDADES
Leve um mapa do mun- situação interna?”; 5. “Quais as
do para mostrar melhor personalidades timorenses que
a localização dos dois se destacaram em meio a esse
países e, se possível, conflito? Por quê?”.
mais informações retiradas de
jornais em português sobre a 2. VOCABULÁRIO: Timor: ines-
situação de Timor nos dias de gotável – sem fim; sândalo – tipo
hoje. Entre em contato com as de madeira; política genocida
Embaixadas no seu país e peça (genocídio) – de destruição total
material extra sobre os mesmos. ou parcial de um grupo nacio-
nal, étnico; menção – alusão,
1. Sugestões de perguntas: São
referência, indicação; massivo –
Tomé e Príncipe: 1. “Navios
de massa, de grande número
de vários países usavam a ilha
de pessoas; ativistas – pessoas
somente como escala para
envolvidas com|em um movi-
abastecimento?”; 2. “Quem
mento. São Tomé e Príncipe:
trouxe o germe da insurreição
escala – parada; germe – início,
ao Brasil do qual resultaram os
semente; quilombos – povoados
quilombos?”; 3. “Qual a base da
de escravos fugidos; mero – sim-
economia do país?”. Timor: 1.
ples; interlocutor – mediador;
“No decorrer da História, em que
círculos – grupos; seca – perío-
se baseou a economia de Timor
do de pouca ou sem nenhuma
Oriental?”; 2. “Em que ano so-
chuva; unipartidário – de um
freu a invasão da Indonésia?”,
só partido; multipartidário – de
“Como aconteceu?”; 3. “Qual a
vários partidos.
reação da Subcomissão de Direi-
tos Humanos da ONU diante do
acontecido?”; 4. “Os jornalistas
tiveram livre acesso ao país
para fazer reportagens sobre a

167
página 192 página 193
GENTE E
1. Esta unidade precisa de muito
CULTURA BRASILEIRA material para demonstração
sobre o folclore brasileiro e suas
1. Leve para a aula exemplos de
manifestações. Caso fora do
cada estilo de música menciona-
Brasil, faça contato com a Embai-
do no resumo. Caso os alunos
xada do Brasil e solicite material
mostrem interesse, solicite como
ilustrativo.
tarefa uma pesquisa mais apro-
fundada sobre o estilo preferido 2. Toque o áudio intercalando
de cada um. trechos em que os alunos estão
com os livros ora fechados, ora
2. VOCABULÁRIO: roça – interior
abertos. VOCABULÁRIO: “garra a
do país, onde se cultiva a terra;
prosiá” – se pôr a conversar; car-
faixas – divisões de uma grava-
regadas – cheias; picando fumo –
ção|disco; militância – batalha,
cortando tabaco; compadre –
luta, dedicação, atuação, prática,
padrinho de um filho, amigo;
exercício, ação de militante (com-
crina – cabelos do cavalo; trajes –
batente, ativista); intimismo –
roupas; pica-pau – pássaro
de íntimo, confidencial; fusão –
que pica ininterruptamente o
mesclagem, mistura.
tronco das árvores à procura
Se algum aluno souber de alimento; sabugo – espiga
tocar um instrumento, de milho sem grãos; reina-
peça que ensaie alguma ções – malandragens de crian-
música brasileira para ça; cuca – jacaré (personagem
apresentá-la à classe. Com ante- de história infantil); barro –
cedência, providencie cópias da lama seca; capuz – tipo de boi-
letra da música escolhida. Exami- na; surrado – aquele que levou
ne o vocabulário e a pronúnica uma surra|pisa|que apanhou;
com os alunos para, no momento duende – gnomo habitante das
da apresentação, todos poderem matas; matraqueantes – que
cantar juntos. fazem o som típico da matraca
(instrumento de percussão for-
Comente que muitos mado por tabuinhas movediças
dos ritmos musicais fo- que, ao serem agitadas, batem
ram acompanhados por numa prancheta em que se
danças da moda. Ex.: lambada, acham presas e produzem uma
axé etc. série rápida de estalos secos);

168
touceira – moita, conjunto de; etc.; concubina – mulher; assom-
sereia – ser que é meio mulher bra – assusta; relincha – emite o
e meio peixe e que encanta os som feito pelos cavalos; sina –
pescadores e marinheiros. destino. Peça aos alunos que
leiam o texto acompanhando o
3. PSIU – Explique os provérbios áudio. Trabalhe o vocabulário
e peça como tarefa que os alu- e verifique a compreensão do
nos criem situações em que eles texto.
possam se encaixar.
3. Ao usar a transferência, peça
aos alunos que façam uma apre-
sentação ilustrada ao restante
da classe sobre algum evento e
página 194 alguma personagem folclórica
do seu próprio país.
1. Exercício 3: Toque o áudio
tantas vezes quantas forem ne-
cessárias. Coloque no quadro
palavras-chave de cada lenda,
página 195
como por exemplo: A Festa da
Moça Nova – menina, mulher, 1. Exercício 5: Discuta e liste na
preparativos, macacos, virgem, lousa as vantagens e as desvan-
convidados, monstro, lua cheia, tagens das transformações de
jejum, pais da moça, demônio, uma metrópole como São Paulo,
três dias e três noites, outros antes de ler o texto. Pergunte
índios, conselhos. O Quilombo – se alguém conhece Adoniran
festa tradicional, alagoana, fuga Barbosa e sua famosa música
de escravos, dois grupos, pretos “Trem das Onze”. Significado
e caboclos, Rei, mocambo, rou- das palavras: megalópole des-
bo, resgate, guerra. vairada: cidade grande, confusa,
sem rumo; exaltação: emoção,
2. “Preferência Nacional” – VO- vibração; radioator: ator de
CABULÁRIO: tagarelando – con- rádio; lugares da palavra: onde
versando muito; nana – dorme; há gente para conversar, lugar
nenê – bebê; brasis – nome dado onde nasce a cultura; transfigu-
na época do Descobrimento aos ração da sociedade: mudança
habitantes do Brasil; acometem – negativa da sociedade; quem te
atacam, assaltam; açoite – ins- viu quem te vê: só vendo para
trumento de tiras de couro; acreditar; estou calejado: estou
calafrios – estremecimentos do acostumado; melancólico: triste
corpo causados por febre, frio e saudoso.

169
2004 foi o ano da co- PSIU – Dê um Provérbio
memoração dos 450 para cada grupo de alu-
anos da Fundação da nos, pedindo-lhes que
Cidade de São Paulo. Peça aos o expliquem e deem
alunos que pesquisem sobre a exemplos para o restante da
história da cidade de São Paulo. classe.
Algumas informações: Em 25
de janeiro de 1554, os padres
Manoel da Nóbrega e José de
Anchieta fundaram o Colégio página 196
dos Jesuítas, ao redor do qual
iniciou-se a construção das pri-
1. Exercício 6: Pode ser indicado
meiras casas de taipa que dariam
como tarefa para posterior dis-
origem ao povoado de São Paulo
cussão em aula. Para estimular
de Piratininga. Em 1560 ganhou
a conversação, faça perguntas
foro de Vila e pelourinho, mas a
do tipo: “Por que se tomam tais
distância do litoral, o isolamento
medidas?”; “No seu país exis-
comercial e o solo inadequado
tem normas parecidas?”; “Se
ao cultivo de produtos de ex-
você precisasse votar na melhor
portação, condenaram a Vila a
ideia, qual escolheria?”; “Dentre
manter-se, durante muito tem-
estas medidas, existe alguma
po, numa condição sem muita
antipática, ridícula etc.?”; “Qual
importância. Em 1681, foi con-
regra você jamais obedeceria e
siderada cabeça da Capitania de
por quê?”.
São Paulo e, em 1711, a Vila foi
elevada à categoria de Cidade. VOCABULÁRIO que pode trazer
Dela partiram as “bandeiras”, problemas: oprimiram – subju-
expedições organizadas para garam, tiranizaram; zabumba –
procurar minerais preciosos nos bumbo; louvações – atos ou efei-
sertões distantes. No início do tos de louvar; comes e bebes –
Século XIX, com a Independência modo popular e informal de se
do Brasil, São Paulo firmou-se chamar a comida e a bebida;
como capital da província e sede corrupios – rodopios em rápidos
de uma Academia de Direito, círculos diminutos; gingados –
convertendo-se em importante inclinações para um e outro lado
núcleo de atividades intelectuais ao andar, bamboleios; tiara –
e políticas. formada por três coroas umas
a outras sobrepostas (porque a
três esferas chega a jurisdição

170
do Pontífice romano: ao Céu, à a fé cristã; perícia – habilidade;
Terra, e debaixo da Terra); mau- trave – viga de madeira; osten-
-olhado – acredita-se que cause tação – exibicionismo.
desgraça, más vibrações, coisas
negativas; engenho – moenda de 2. No Brasil, na Páscoa costu-
cana-de-açúcar; andores – es- mam-se trocar ovos de chocolate
pécie de tabuleiros retangulares ou pombas pascais (feitas da
portáteis e ornamentados, sobre mesma massa do panettone).
os quais se conduzem imagens
nas procissões; saveiro – embar-
cação de fundo chato, de forma
semelhante à meia-lua; devotos – página 198
que têm devoção, religiosos,
piedosos; romeiros – peregrinos 1. Faça a leitura do quadro e
que se dirigem a algum local re- certifique-se de que os alunos
ligioso; nave – espaço, na Igreja, entenderam o uso das expres-
desde a entrada até o santuário, sões. Peça exemplos de frases
ou o que fica entre fileiras de co- (pode ser indicado como tarefa).
lunas que sustentam a abóbada.
2. Exercício 12: As interpretações
podem variar, mas, de maneira
geral, no primeiro texto, o narra-
página 197 dor se refere a um determinado
tempo: Presente, Perfeito, Imper-
feito ou Futuro, enquanto que,
1. Exercício 9: Lembre-se de que
no segundo texto, utilizando o
a melhor maneira de se exercitar
Tempo Composto dos verbos, o
uma conversação ao telefone é
narrador se refere a um tempo
sentar os alunos de costas um
contínuo: no presente, passado
para o outro. Considere vá-
ou futuro. Ex.: “Tento dormir mas
rios tipos de relacionamentos:
não consigo pegar no sono.” –
formal, entre amigos íntimos,
se refere ao presente; “Tenho
entre colegas de trabalho etc.
tentado dormir, mas não tenho
VOCABULÁRIO: arrasta – leva
conseguido pegar no sono.” – se
consigo; citação – quando algo é
refere a um tempo contínuo de
mencionado; grinaldas – enfeites
um determinado passado até o
redondos feitos de flores, folhas
momento presente.
e galhos; mouros – aqueles que
não são batizados, que não têm

171
página 199 as ruas dançando e cantando em
coro as músicas mais populares
do carnaval; corsos: desfiles de
1. Você sabia: Veja os prêmios carros; anônimas: sem nome
brasileiros mais importantes e ou assinatura ou denominação;
simule entre seus alunos a en- agremiações: reuniões; alegoria:
trega de alguns desses prêmios. exposição de um pensamento
Peça que escrevam um discurso sob forma figurada; ala: for-
de agradecimento e reproduzam mação de pessoas em fileiras;
o dia da entrega. Trabalhe voca- mestre-sala: figurante que faz
bulário como: troféu, medalha, par com a porta-bandeira no
roupa de gala, homenagem etc. desfile das escolas de samba;
porta-bandeira: pessoa que leva
2. Compare os prêmios brasi-
uma bandeira em desfile; quesi-
leiros aos dos países de origem
to: ponto ou questão sobre que
dos alunos ou a outros prêmios
se pede resposta (opinião, juízo
internacionais.
ou esclarecimento); adereços:
objetos de adorno, ornamentos,
enfeites.
página 200 Muito provavelmente,
os alunos já viram um
PARABÉNS, CHEGAMOS À ÚLTI- desfile carnavalesco ou,
MA PÁGINA! COMEMORE COM até mesmo, participaram de um.
UM VERDADEIRO CARNAVAL NA Desta forma, traga um vídeo e,
AULA (com direito a serpentinas, após ter trabalhado o vocabulá-
confete e tudo mais!). rio, peça que narrem esse evento
como se fossem jornalistas ou
TEXTO: “Carnaval no Brasil” locutores de rádio. Vale tudo!

VOCABULÁRIO: pagã: pessoa


que não foi batizada; orgias:
farras, desordens, tumultos; SUGESTÃO PARA MATERIAL
cordões|blocos: grupos de car- VISUAL: provérbios embaralha-
navalescos ou participantes de dos para que os alunos tentem
folguedo popular, que saem ordená-los; ilustrações de um
juntos e muitas vezes com a mes- casamento: igreja, altar, tapete,
ma indumentária ou fantasia; arranjos, véu, grinalda, buquê,
ranchos: blocos carnavalescos ou aliança, padrinhos, noivinha|o,
grupos de foliões que percorrem coral etc.

172
ANOTAÇÕES
SCRIPT
Transcrição dos textos em áudio.
Estes textos reproduzem a linguagem falada sem a preocupação
de apresentar a pontuação e as regras da linguagem culta.
sabe que a maioria dos meus proble-
UNIDADE 1 mas resolvi assim?
B: Você mora perto daqui?
A: Morei aqui ao lado durante 3 anos.
Página 3 - Exercício 1: Faça o exer- Há 2 meses me mudei para o bairro
cício 1, ouça o áudio e corrija as vizinho. Mas, sempre que tenho um
respostas. tempinho, dou uma passadinha por
O nome dela é Mary e é americana. aqui porque gosto muito deste lugar.
Ela tem 19 anos e é estudante. É muito B: Não moro aqui, mas trabalho
alegre e inteligente. Está no Brasil há 3 naquele prédio ao lado do correio.
meses e está contente em viver aqui. É Aproveito meu horário de almoço
solteira e seus pais estão nos Estados para vir aqui.
Unidos. Ela tem duas irmãs. Uma tem A: Aqui atrás tem uma quadra de
17 anos e está no Canadá. A outra tem tênis, um campo de futebol, diversas
21 anos e está na Espanha. As duas churrasqueiras e um parquinho para
são estudantes e são solteiras também. as crianças. Você já conhece?
B: Já trouxe meu filho ao parquinho e
fizemos churrasco no domingo passa-
Página 8 - Exercício 11: Faça o exer- do com alguns amigos... mas nunca
cício 11, depois, ouça o áudio e corrija pratiquei esporte aqui.
as respostas. A: Você joga tênis?
1. Eu acordo muito cedo todos os dias. B: É o meu esporte preferido!
2. João e Lucas estudam em uma A: Então, que tal uma partida no
escola particular. domingo?
3. Carla escreve cartas para suas ami- B: Está bem, mas não jogo muito bem,
gas na Itália todas as semanas. hein! Ah! Você pode me emprestar uma
4. O açougueiro vende carne fresca. raquete? A minha quebrou!
5. Você abre a porta do escritório todos
os dias às 8 horas da manhã.
Página 17 - Exercício 9: Hoje é
segunda-feira e algumas crianças
acabaram de chegar à escola. Ouça o
UNIDADE 2 áudio e responda às questões do livro.
César: Oi, pessoal! Como foi o fim de
semana? Você viajou, Pedro?
Página 13 - Exercício 2: Ouça o áudio Pedro: Hahan, fui pra casa de meus
e escreva os verbos no tempo em que avós na praia. Tava o maior sol!
aparecem no diálogo. César: E você, Zezinho?
A: Olá! Você sempre vem aqui? José: Fiquei em casa. Joguei video-
B: Nem sempre. Eu venho quando te- game o dia inteiro no sábado e, no
nho algum problema e preciso pensar. domingo, meu pai me levou pro clube.
A: É verdade! Aqui é um lugar ideal E você, Andréa?
para descansar e pensar com calma. Andréa: Eu fiquei em casa também. No
Eu também faço a mesma coisa. Você sábado, assistimos a um filme muito

176
legal. Meu irmãozinho fez até pipoca e Página 24 - Exercício 3: Alejandro
minha mãe deixou a gente ir pra cama vai falar sobre o que ele fazia quando
bem mais tarde... estava na Espanha. Ouça e responda
(O sinal toca...) V (verdadeiro) ou F (falso).
César: Ops! Tá na hora de ir pra Na Espanha, eu morava em Madri e
aula. Tchau. A gente se vê na hora trabalhava em Toledo. Saía de casa
do intervalo. cedo pois ia de ônibus e levava mais ou
Pedro: Tchau. Até mais! menos uma hora até o escritório. Era
Andréa e José: A gente se vê, Tchau. um pouco cansativo, por isso sempre
tinha comigo uma revista, um jornal ou
até mesmo um walkman para ouvir as
notícias. Minha esposa saía de casa um
pouco mais tarde, por volta das 7h30
UNIDADE 3 para levar as crianças à casa da avó,
depois, ia trabalhar.
Eu trabalhava das oito da manhã às
Página 23 - Exercício 1: Faça o exer- oito da noite todos os dias, exceto no
cício 1 e verifique, ouvindo o áudio, se final de semana. Era uma loucura.
você conjugou os verbos corretamente. O telefone não parava de tocar e os
Quando saímos de Petrolina algumas papéis cobriam minha mesa. Depois
coisas mudaram. Não havia mais tanta do expediente, íamos com frequência
liberdade. Os estudos também eram tomar uma cervejinha e continuávamos
difíceis. Josefa já tinha oito anos. Que falando sobre os negócios. Duas vezes
menina chata! por semana, ía às aulas de golfe. Era
Nós moramos lá até meus 14 anos. divertido porque pelo menos naquelas
Então, meu pai procurou emprego em horas não pensava no trabalho!
outro lugar e fomos para Recife. Para
Josefa aquilo era muito, muito difícil.
Nós tínhamos feito muitas amizades Página 26 - Exercício 5: Ouça o áu-
em Petrolina. Mas enfim, nos acostu- dio e preencha os dados sobre Marta
mamos. Foi lá que fizemos vestibular, e Marina.
ingressamos na universidade, nos for- Marta e Marina são irmãs gêmeas
mamos e nos casamos. Foi em Recife e têm 14 anos, mas são bastante
que iniciamos nossa vida profissional. diferentes. Marta é mais esperta e
Hoje eu sou médico e Josefa é arqui- inteligente do que Marina, mas é me-
teta. Eu sou casado e tenho dois filhos: nos alegre e simpática. Marta gosta
um casal. Pretendo fazer o caminho mais de estudar e Marina gosta mais
inverso e ir morar no interior. Josefa de praticar esportes e de vestir-se bem.
estudou muito, fez até pós-graduação Marta gasta sua mesada em livros e
fora do Brasil. Hoje mora em Porto Marina gasta todo o seu dinheiro em
Alegre com seu marido Jean-Paul e roupas e sapatos.
seus filhos Françoise e Peter. Tenho Marina tem mais amigos do que Marta
saudades deles. e já tem um namorado.
Marta é tão alta e bonita quanto Marina,
mas ainda não tem namorado, porque

177
não se interessa muito por diversão. Ela Página 29 - Exercício 12: Os sons
é séria e mais responsável. referem-se às ilustrações do livro do
aluno.

Página 27 - Exercício 9: Ouça o


diálogo novamente e responda às
perguntas que serão feitas depois. UNIDADE 4
(1) O que Paula e Jorge estão fazendo
no exterior?
(2) Que idioma eles estão usando na Página 32 - Agora ouça o áudio
conferência? e indique os tipos de frases e suas
(3) Quem está entendendo tudo? Paula pontuações. Circule também a sílaba
ou Jorge? tônica de cada palavra.
(4) Por que eles estão engordando? 1. Você é brasileiro?
(5) Por que Jorge disse que “está en- 2. Ele não fala português.
ferrujando”? 3. Que lindo!
(6) O que o chefe está aguardando 4. É proibido fumar.
ansiosamente? 5. Com quem você mora?

Página 36 - Exercício 7: Agora ouça o


Página 28 - Exercício 10: Você conhece
áudio e compare suas anotações com
a palavra “fofoca”? Faça o exercício do
as previsões da cigana.
livro e verifique se as respostas coinci-
A cigana:
dem com o nosso diálogo.
1. Você vai se casar com uma moça
A: Olhe ali! Não é a Ana? loira, alta e de olhos azuis.
B: É, sim. O que ela está fazendo lá? 2. Você vai ganhar muito dinheiro e
A: Eu acho que ela está esperando João. vai comprar uma linda casa no campo.
B: Por que você acha que ela está espe- 3. Você vai ficar famoso e conhecer
rando João? muitas pessoas interessantes.
A: Você não sabia que os dois estão 4. Você vai arrumar um novo emprego
namorando? e será bem sucedido.
B: Não, mas agora que você tocou no 5. Um parente de muito longe vai
assunto, realmente eu já tinha notado mudar para São Paulo e morará em
que eles estavam sempre saindo juntos! sua casa.
A: Eu acho que eles já estão até noivos! 6. O prefeito vai construir prédios
Olhe o anel que Ana está usando! novos na sua vizinhança.
B: Você não acha que Ana mudou 7. Seus amigos vão preparar uma festa
muito ultimamente? Olhe só a saia surpresa para você no seu próximo
curta que ela está vestindo? Ela não aniversário. Ops! Agora já não será
era assim, não! mais surpresa!!!
A: É, como as amizades mudam as 8. Muita gente vai te pedir dinheiro
pessoas, não é mesmo? emprestado e você não vai recusar.
9. Você vai ser uma pessoa muito
generosa e feliz.

178
O rapaz: Puxa! Acho que vou ser Página 45 - Exercício 5: Trabalhe em
uma nova pessoa daqui em diante. pares. Ouça o áudio. Um de vocês
Obrigado. Quanto vou ter que pagar anota o que Raquel diz e o outro,
por essa meia hora? anota o que Pedro diz. Compare as
Cigana: Quinhentos reais. duas partes do diálogo. Há alguma
Rapaz: O que? (Ele desmaia.) semelhança no futuro dos dois?
Raquel: Pedro, o que você vai fazer
quando terminar o colegial?
Página 38 - Exercício 14: Ouça parte Pedro: Eu vou viajar pelo mundo e
de uma história. Como você acha que ganhar muito dinheiro. Eu quero ser
a história continua? um jogador de futebol bem famoso!
Célia era uma menina de 8 anos Raquel: Eu também quero viajar muito,
e gostava muito de brincar com os mas... (Pedro interrompe.)
animais. Mas sua mãe não a deixava Pedro: O que? Não me diga que você
criar animais em casa. Ela dizia que também quer ser jogador de futebol?
Raquel: É claro que não, Pedro. Se eu
os animais eram muito sujos e cheios
estudar muito vou conseguir entrar
de pulgas. Por isso, Célia nunca teve
numa universidade pública. Serei uma
um animal de estimação em sua vida.
excelente aluna e em quatro anos me
Então, ela brincava com os animais
formarei em Guia de Turismo. Arruma-
dos vizinhos e dos seus amigos. Um
rei um ótimo emprego e poderei viajar
dia, no caminho de volta da escola,
pelo país inteiro. E meus pais não
encontrou uma caixa de papelão com precisarão gastar dinheiro com altas
2 filhotes de cachorro dentro. Eram mensalidades de universidades parti-
lindos! O que você acha que Célia culares. E você? Vai só jogar futebol?
vai fazer? Pedro: Bem, ah, eu também vou fazer
alguma coisa na universidade, mas ain-
da não decidi qual curso devo escolher.
Raquel: Acho que você deve fazer
UNIDADE 5 Educação Física. Você vai estudar
algum idioma?
Pedro: Acho que sim! Quando eu
Página 44 - Exercício 2: O que você terminar o colegial, meus pais querem
diria a um colega nas situações que que eu vá para os EUA por um ano
você vai ouvir agora? para estudar inglês.
1. (torcida) Raquel: Uau! Eu adoro inglês! Mas, por
2. (subindo correndo a escada) enquanto, vou estudar aqui mesmo.
3. (menino chorando) Quando eu tiver muito dinheiro aí sim,
4. (cachorro correndo atrás do ladrão) vou fazer uma viagem para o exterior
5. (acidente de carros) e praticar o inglês. Afinal, vou precisar
6. (preparando o almoço|jantar) estudar bastante pra poder conversar
7. (aeroporto: última chamada de vôo) com os turistas. E você também vai
precisar do inglês para poder viajar
pelo mundo.

179
Pedro: É. Eu concordo. Mas eu não
gosto de inglês. Eu quero estudar UNIDADE 6
espanhol. Meu pai quer que eu es-
tude inglês! Por mim, só terminaria o
colegial e começaria a jogar futebol. Página 52 - Ouça o áudio e acentue
Raquel: Ah! Entendi. Então você quer as palavras do livro, justificando-as.
viajar, ganhar dinheiro, mas estudar... lábio|caju|ninguém|Itu|pés|céu|
nada! Não creio que isso seja possível. suíço|viúvo|faísca|cair|
Pedro: Na verdade, acho que ainda caqui|pontapé|relógio|família|
é cedo para decidir alguma coisa. biólogo|agradável|escolher|
Quando eu terminar o colegial, vou telegramas
pensar melhor no assunto. (o sinal
toca) Tchau, Raquel vejo você depois
da aula. Página 56 - Exercício 6: Você vai ouvir
Raquel: Tchau! uma senhora ligando para um pro-
grama de rádio chamado Consultório
Aberto. Ela vai expor um problema e
Página 46 - Exercício 8: Você vai pedir conselhos. Responda as pergun-
ouvir uma cigana lendo a mão de tas do livro.
Mauro. Escute com atenção e, depois, Rita: (desesperada) Ah!, vocês não vão
preencha as frases do livro com as acreditar. Meu filho de 17 anos, quase
informações do áudio. 18, me pediu para pegar o carro do
No passado, você teve muitas opor- pai sem que ele soubesse. Sidão, meu
tunidades para melhorar a sua vida, marido, estava viajando e eu então
mas você não soube aproveitá-las. deixei o menino pegar o carro para
Haverá outras oportunidades no dar só umas voltinhas na vizinhança.
futuro, quando você menos esperar. Foi o que ele me disse. Mas o menino
Saiba aproveitá-las. Quando estiver voltou para casa só no dia seguinte,
em dificuldades haverá sempre às 5 horas da manhã. E pior! Com
alguém para ajudá-lo. Esse alguém o carro todo batido. E sabem o que
está sempre perto de você. Vejo muito ele me disse? Mamãe, ontem não foi
dinheiro, mas logo pode desaparecer. meu dia de sorte! E agora, o que devo
Significa que, quando fizer um ne- fazer? Meu marido volta de viagem a
gócio, deverá tomar muito cuidado. semana que vem.
Quanto às viagens, se forem curtas Conselheiro A: Acalme-se D. Rita. Este
não haverá problemas, mas as viagens não é o fim do mundo! Felizmente seu
longas deverão ser evitadas. No amor, filho não se machucou. Se eu fosse a
encontrará uma pessoa muito especial, senhora, primeiramente eu conversaria
se souber esperar. Quanto à saúde, com seu filho, tentaria entender o que
se não se cuidar estará vulnerável realmente aconteceu, aí, então, dividi-
a diferentes tipos de doenças. Mas ria o problema com ele. Talvez vocês
não se preocupe; viverá por muitos e pudessem levar o carro ao mecânico e
muitos anos. à funilaria antes de seu marido voltar.
O carro estava no seguro?

180
Conselheiro B: D. Rita, o que a senhora de se aproximar do homem branco.
fez é inaceitável. Como a senhora Seu pai sempre lhe dizia: nunca fale
permitiu que seu filho pegasse o carro com os homens brancos e nunca se
sem licença de motorista. Isso foi uma aproxime da cidade grande. Mas
grande irresponsabilidade! Se eu hoje Poti já é adulto e faz planos para
fosse a senhora, telefonaria imediata- o futuro. Sonha em ir para a grande
mente a seu marido explicando o que cidade e lá fazer amigos. Quem sabe
aconteceu. E quanto a seu filho... Ah! até trabalhar com eles? Poti quer que
Que menino! Eu lhe daria umas boas os índios e os homens brancos sejam
palmadas e o deixaria de castigo por amigos. Embora Poti não conheça
uns 5 finais de semana. Talvez mais! nenhum homem branco, sente que eles
Conselheiro C: Bem, na minha opi- não podem ser tão ruins quanto lhe
nião, o que foi feito está feito. Se eu dizem. Se pudesse viver entre eles, po-
fosse a senhora não mentiria a seu ma- deria demonstrar que é possível uma
rido. Ele vai lhe entender e lhe perdoar. convivência amistosa. Quando isso
Vocês devem resolver o problema to- acontecer, Poti será, provavelmente o
dos juntos, como uma família unida. Se índio mais feliz da floresta.
você não dissesse nada a seu marido,
cedo ou tarde, ele descobriria tudo e,
aí, as coisas ficariam muito piores. Seu
filho já é bem crescidinho e ele deveria
ajudar nas despesas do conserto com
UNIDADE 7
sua mesada. Dessa forma ele sentiria
o peso da responsabilidade. Boa sorte
D. Rita! Página 64 - Exercício 1: Ouça o áu-
Locutor: E este é o final de mais um dio e preencha o quadro do livro com
programa Consultório Aberto. Espe- as informações pedidas.
ramos por vocês no próximo sábado, Comandante: Senhoras e senhores,
às 9 horas em ponto! Não percam e bem-vindos ao vôo 744 com destino
participem! Sua ligação é muito impor- a Brasília. São exatamente 7 horas e
tante! Disque 885-4320. 33 minutos. Sou o comandante Lúcio
Palma e tenho como tripulação os
senhores João Faria e Márcio Dias.
Página 59 - Exercício 12: Faça o A temperatura no momento é de 20
exercício do livro, ouça o áudio e graus centígrados. Faremos uma via-
verifique se você colocou as frases na gem de aproximadamente 3 horas,
ordem correta. com escala em Belo Horizonte. Agora
O Índio Poti nossas aeromoças irão apresentar
O índio Poti mora na floresta perto da o sistema de segurança de nossa
grande cidade. Nasceu e cresceu na aeronave. Tenham todos uma ótima
floresta e nunca saiu de lá. Sempre viagem.
ouvia coisas horríveis sobre os homens Aeromoça: Bom dia. Acompanhem
brancos. Quando criança, Poti gostava atentamente nossas instruções de
de ver, de longe, a grande cidade. segurança. Esta aeronave possui seis
Seu pai lhe explicava sobre o perigo saídas. Duas dianteiras, duas sobre

181
as asas e duas traseiras. Em caso Fernando de Noronha. Você precisa
de despressurização, máscaras de conhecer esses lugares! A Natureza
oxigênio cairão automaticamente do está preservada e as paisagens são
compartimento sobre suas cabeças. lindas! Os 4 dias que fiquei lá passa-
Para correta utilização, observem as ram tão rápido! Valeu a pena ter ido!
aeromoças. Outras informações estão Edna: Para tão longe você deve ter ido
no manual de segurança que se encon- de avião, suponho!
tra no bolso em frente a seu assento. Peter: Até Natal, de avião, mas, depois,
de barco porque Fernando de Noro-
nha é uma ilha.
Página 69 - Exercício 11: Ouça como Edna: Você sabe onde foram John, Lu-
Peter, Edna e seus amigos planejaram cas e Philippe? Sei que depois que nos
sua viagem de férias ao Brasil de modo despedimos no Rio, viajaram juntos,
a conhecer o máximo possível do país mas não sei para onde.
e dê as informações solicitadas. Cuida- Peter: Eles me disseram que foram
do que parte da viagem foi em grupo, visitar Ouro Preto em Minas Gerais e
mas, em alguns momentos, os amigos Salvador na Bahia. Eles, sim, conse-
resolveram visitar lugares diferentes. guiram ir de ônibus para lá. Parece
Peter: Oi Edna! Como foi a sua que adoraram as casas coloniais de
viagem? Ouro Preto e acharam interessante
Edna: Foi simplesmente maravilhosa! Salvador pela Cidade Alta e Cidade
Depois que terminamos a nossa visita Baixa. John e Lucas gostaram muito
ao Rio eu fui a Brasília visitar uma da comida baiana, mas Philippe não
amiga que mora lá. Adorei o Palácio se acostumou com a comida feita com
da Alvorada! É mais bonito pessoal- azeite de dendê. Parece que ele ficou
mente do que por foto. Pena que tudo muito ruim do estômago, mas já está
esteja longe um do outro. Se não tiver bem. Ficaram 2 dias em Ouro Preto
um carro a vida na cidade de Brasília e 2 em Salvador.
deve ser muito difícil. Depois minha Edna: Eu falei com Karen e Martha
amiga me levou para a Pousada do ontem e elas foram para o sul do país.
Rio Quente. Voltei super descansada! Primeiro foram a Foz do Iguaçu para
Me sinto até mais jovem! ver as cataratas e depois para Vila Ve-
Peter: Que bom! E você foi de ônibus lha onde viram os monumentos feitos
ou avião? pela erosão e por último foram tomar
Edna: De avião, porque já não havia banho de sol na praia do Balneário
mais passagem de ônibus. Mesmo que Camboriú. Disseram que em todos
tivesse acho que não aguentaria uma esses lugares havia muitos turistas e
viagem tão longa de ônibus e não teria muita fila para tudo. Parece que ado-
tempo para curtir Brasília. Fiquei 3 dias raram as paisagens, mas da próxima
e achei pouco. E você, Peter? vez vão tentar ir numa época fora de
Peter: Depois dos 3 dias de passeios temporada para aproveitar melhor e
por Pão de Açúcar, Corcovado, Petró- ficar não 5 dias, mas 7 ou 8.
polis e aqueles banhos de sol mara- Peter: Parece que todos aproveitamos
vilhosos nas praias de Copacabana, bem este feriadão. Aonde vamos nas
Ipanema e Leblon, eu fui a Natal e a próximas férias?

182
montanhas e praias, e sua atração
UNIDADE 8 mais conhecida e procurada é a
Trilha do Ouro, de 100 quilômetros.
Chega-se ao Parque por estrada de
Página 74 - Exercício 2: Locutor: São terra a partir de São José do Barreiro.
muitos os parques nacionais brasileiros Há uma pousada muito procurada
que você pode visitar. Ouça o áudio e no interior do Parque: a Pousada dos
circule, no mapa, os números referen- Veados, que pode ser contactada pelo
tes aos parques mencionados. telefone 771192. O código de área é
Dando continuidade ao nosso progra- 0125. Voltando ao norte, no Estado do
ma sobre a natureza brasileira, vamos Piauí, encontramos o Parque das Sete
dar uma volta pelos nossos parques. Cidades com 7 formações rochosas
Como são muitos, dividiremos nossa e áreas de cerrado e caatinga. O
matéria em dois programas. Estão acesso é asfaltado até a entrada e tem
prontos? Apertem os cintos. Vamos alojamento e restaurante. Para os que
começar pelo Pico da Neblina, no Mu- gostam de mergulho, o Brasil oferece
nicípio de São Gabriel da Cachoeira, o Parque de Fernando de Noronha, o
no Amazonas. O Pico tem a maior área número 10 no mapinha que aparece
com o mais alto volume de chuvas do na sua tela. O parque encontra-se a
Brasil. O acesso é feito apenas por 360 quilômetros de Natal e 545 de
via aérea ou fluvial. Infelizmente, não Recife. É um arquipélago com acesso
dispõe de acomodação nem de loco- aéreo, dispondo de acomodações
moção. Mais informações com o IBA- e restaurantes simples. Na mesma
MA da Amazônia pelos telefones (092 linha de turismo, o número 20 no
– código) 2373721 ou 3718. Nossa mapa representa o Parque Marinho de
próxima parada é o Cabo Orange, no Abrolhos, a 70 quilômetros do litoral
Município de Calçoene e Oiapoque, sul da Bahia. Não há permissão para
no Amapá. Tem uma área de 619.000 permanência em terra firme e os visi-
hectares cheios de manguezais e tufos tantes devem hospedar-se nas cidades
de floresta tropical. As visitas podem do litoral e de lá visitá-lo de barco. Para
ser feitas por via marítima ou fluvial quem gosta de animais, o ideal é visitar
mas não dispõe de acomodações. o Parque do Pantanal Mato-grossense
Informações pelo telefone do IBAMA: pois lá encontramos a maior concen-
código: (096) fone: 2222574. Lá no tração de fauna das 3 Américas. O
Sul, no Paraná, temos, no Município acesso é feito através do Rio Paraguai,
de Foz de Iguaçu, no Parque de Igua- a partir de Porto Jofre. Os visitantes
çu. O acesso é feito por via aérea e precisam de autorização do IBAMA.
terrestre e dispõe de infraestrutura de No Estado do Rio de Janeiro, pode-se
acomodações e serviços com hotéis, visitar também o Parque Itatiaia, um
campings e restaurantes. Subindo um dos mais frequentados do país. Tem
pouco, no Município de Angra dos Reis serras, vales, quedas d’’agua e cerca
e Parati, no Rio de Janeiro, encontra-se de 600 espécies de aves. Chega-se por
o Parque da Serra da Bocaina, com via terrestre pela BR-116, entrada para

183
Itatiaia ou pela Rodovia das Flores. Os R: E o piso? Alguma ideia?
dois últimos parques do programa de M: Na sala, tábua corrida e, nos quar-
hoje são na verdade chapadas: a dos tos, piso frio, cerâmica.
Guimarães e a Chapada Diamantina. R: Nada de carpete?
A primeira tem o número 13 no mapa M: Não, Laurinha e Mauro são alér-
e é um ótimo passeio para quem gosta gicos... Cerâmica é mais fácil para
de caça e pesca. Não oferece acomo- limpar.
dações, mas é permitido acampar. R: Vamos por partes: a sala... a lareira
Mais informações na Prefeitura do fica, é muito bonita, não é?
Município pelo telefone 065 7911245. G: Sim, gostamos muito.
A Chapada Diamantina fica na Bahia R: Bem, aqui no lavabo, um pequeno
e é formada por um relevo de mon- armário... Os móveis da sala serão
tanhas de pedras e vales profundos. feitos por um marceneiro ou compra-
Mais dados com o IBAMA do Estado. dos prontos?
Até o próximo programa... divirtam-se! G: Já temos bastante coisa. Vamos de-
vagar!!! Vamos pular para a cozinha.
R: Aqui está um pequeno projeto: os
armários, o espaço para o freezer,
a geladeira, o micro ondas, a lava-
UNIDADE 9 -louça...
M: Não gostei muito da cor da fórmica.
R: Poderemos discutir isto mais tarde.
Página 84 - Exercício 1: Agora ouça
M: Por favor, enche o quarto de em-
os compradores conversando com o
pregada de prateleiras... Quero muito
seu arquiteto e desenhe, na planta, as
mudanças a serem feitas: espaço para despensa. Poderíamos
R : Parabéns! Belo apartamento. ter um armário para o material de
M: É, nós também gostamos. limpeza, as vassouras, etc..., na área
G: Já tem alguma sugestão? de serviço?
R: Sim, algumas. Vamos lá! Se eu fosse R: Claro! E não vamos mexer no
vocês, tiraria a churrasqueira, pois banheiro de serviço! É tão pequeno...
tenho experiência com outros clientes Que coisa!!
que se queixaram muito da fumaça G: Nos demais banheiros e nos quar-
que se espalha pelo apartamento. tos, gostaríamos de armários simples,
M: É, já tinha pensado nisso. Eu tam- mesmo os embutidos... Práticos mas
bém gostaria de tirar a hidromassa- sem muitos enfeites.
-gem, a acho meio inútil. R: Está bem. Vocês conhecem algum
G: Concordo! Prefiro apenas um belo marceneiro? Eu tenho um ótimo para
chuveiro forte, daquele tipo de prego! apresentar.
R: Estou anotando... Fui visitar o G: Por que você não conversa com ele
apartamento e achei os azulejos da e pede um orçamento? Nós também
cozinha muito decorados... Será difícil conhecemos um. Poderemos ter dois
desenharmos os móveis para combinar orçamentos para comparar...
com eles.
M: Sim, mas não temos verba para
mudá-los agora.

184
Página 84 - Exercício 3: Jogo dos porque eu gosto muito de ler e tenho
Advérbios: um montão de livros que agora estão
1. O menino correu pra casa para na sala.
conversar com o irmão. B: Como gostaria de ter meu próprio
2. O professor explicou a lição e agora quarto também! Eu durmo num quarto
os alunos estão entendendo. com minhas três irmãs, que dormem
3. Eles estão lendo o livro na biblioteca em dois beliches, por falta de espaço.
para poder entendê-lo. C: Venha me visitar qualquer dia destes!
4. Lá está o computador que compra- B: Obrigada. Vou sim!
mos na loja.
5. Os cães ladram todas as noites e
ninguém consegue dormir. Página 88 - Exercício 10: Ouça o
6. Os trabalhadores discutem com o áudio em que uma rede de televi-
presidente um aumento de salário. são entrevista um ladrão pego em
flagrante pela polícia. Depois, faça
um resumo da entrevista utilizando o
Página 87 - Exercício 7: Você vai ou- Discurso Indireto.
vir Camila descrevendo o seu quarto. TV: Onde você foi preso?
Coloque os objetos mencionados nos
L: Quando estava saindo de um su-
lugares indicados por ela:
permercado.
B: Oi, Camila, ouvi dizer que você se
TV: Por que a polícia o prendeu?
mudou?
L: Porque saí do supermercado sem
C: Pois é, foi no sábado passado.
pagar.
B: E que tal a nova casa?
C: Não é muito grande, mas é nova TV: Foi intencional?
e aconchegante. Agora tenho até um L: Eu não tinha dinheiro para pagar!
quarto só para mim. Estou desempregado há 5 meses!
B: Que legal! E como ele é? TV: O que você estava tentando levar?
C: Bem, deixe-me ver... Perto da porta L: Uma lata de leite para o meu filho.
está uma cômoda com duas gavetas. Ele tem 6 meses e estava chorando
Sobre a cômoda tem uma foto mi- de fome! Se você tivesse um filho cho-
nha. Ao lado dela uma cadeira. Perto rando de fome e você, sem dinheiro,
da janela colocamos a cama com a o que faria?
mesinha de cabeceira e em cima dela TV: Poderia ter recorrido a parentes,
um abajur. Encostado à parede, do amigos...
outro lado da janela, está uma bonita L: Não tenho nem parentes nem
penteadeira que minha mãe me deu. amigos ricos. Todos estão na mesma
Eu me penteio na frente do espelho situação que eu.
da penteadeira todas as manhãs. TV: Mas existem entidades filantrópi-
Coloquei um abajur em cima dela cas, de caridade...
para poder me maquiar, mesmo no L: Não ia me rebaixar tanto! Tenho
escuro. Estou pensando em comprar meu orgulho.
uma escrivaninha para poder estudar e TV: Mas você não podia ter deixado
fazer minhas tarefas aí. Provavelmente, de lado o seu orgulho pelos seus
vou precisar de uma estante também familiares?

185
L: Agora me arrependo do que fiz. Mas muito complicado. Você já tentou re-
hoje de manhã, quando ouvi o choro produzir o som do “th”? A professora
do meu filho não pude raciocinar di- disse que temos que colocar a língua
reito. Só pensei: tenho que conseguir entre os dentes e soprar! Aí é uma
leite pra ele! “molhação” - chove pra todo lado -
TV: Acho que agora é um pouco tarde, (thanks, think...). Mas não vou desistir
não acha? tão facilmente! Vou começar a pôr em
L: É... É tarde demais! Arruinei tudo! A prática as dicas da professora: repetir,
minha vida, a vida da minha família... repetir cada expressão ou frase nova
E agora? O que vai ser deles? Quem como se fosse um papagaio, ler muito
cuidará deles? Meu Deus! para aumentar o vocabulário e deixar
TV: Luciana, em uma entrevista exclu- a timidez de lado: participar bastante
siva para o programa Voz do Povo! em sala de aula.
Boa Tarde! Leonardo: Desde cedo já gostava
muito de dançar, sempre quis entrar
numa escola de dança, mas meus
pais nunca deram muita atenção a
UNIDADE 10 isso. Insisti algumas vezes, mas eles
sempre mudavam de assunto. Hoje sou
formado em física e leciono há 2 anos,
Página 94 - Exercício 5: Ouça Fábio, mas nunca abandonei meu sonho de
Solange e Leonardo falarem sobre dançar! Sou bailarino, mesmo contra a
o que eles estão tentando aprender. vontade de meus pais, que aos poucos
Como estão praticando? Que proble- estão aceitando a ideia. Faço aulas
mas estão encontrando? de ballet 3 vezes por semana e estou
Fábio: Nunca pensei que fosse tão di- ensaiando muito para minha primeira
fícil aprender a tocar este instrumento. apresentação no final deste ano.
As cordas desafinam. Meu dedo já está
dolorido e tenho até torcicolo quando Página 95 - Exercício 8: Ouça o
fico mais de meia hora praticando.
áudio e faça uma lista das vantagens
Mas não vou desistir! Até o fim do ano
e das desvantagens de se morar em
vou ser um dos melhores tocadores de
cada um dos 4 bairros:
violino da orquestra municipal. Vou
Bairro A: Eu estou satisfeita com o meu
continuar com minhas aulas diárias
com Dona Neli e vou praticar não bairro. É limpo e arborizado. Eu adoro
uma, mas duas horas por dia em frente o verde! A segurança também é um
do espelho. fator importante. Nunca ouvi falar em
Solange: Já estudo inglês há 10 meses assaltos ou roubos neste bairro. E olhe
e não consigo sair do “verb to be”: “I que eu vivo aqui há mais de 30 anos!
am, you are, he is...”, “Do, Doesn’t”, Conheço todo o pessoal do bairro. É
“ Do you have money?, Does she que temos uma associação chamada
live?...”. Acho tão difícil falar essa “Associação Amigos do Bairro”. Aí
língua. Ouvir... tudo bem. Até que nos conhecemos e discutimos sobre
entendo alguma coisa, mas falar... é eventuais problemas que apareçam

186
e tentamos encontrar as soluções em perder tempo para levar meus filhos
prol da melhoria do bairro. Não tenho para a escola e posso ir andando fazer
do que me queixar. a feira da semana. As frutas e verduras
Bairro B: O problema do meu bairro desta feira são sempre fresquinhas e
é que há muitas crianças, moleques baratas. Agora muitas mães, de outros
eu diria, que ficam brincando de bairros, que têm os filhos nesta escola
bola até tarde da noite na rua. Vira reclamam do transporte. Dizem que os
e mexe estão batendo na porta da ônibus passam com pouca frequência
gente pedindo para pegar a bola e perdem muito tempo trazendo ou
que caiu no nosso quintal. O nível de levando os filhos para a escola. Além
cultura do pessoal aqui é o que me disso, se eu pudesse falar com o pre-
preocupa. Vivem dizendo palavrões, feito, eu lhe pediria, além do problema
não respeitam os outros e ah... (ainda do transporte, que cuidasse um pouco
não sei qual dos vizinhos), mas vem à mais da limpeza deste bairro. Às vezes
noite jogar lixo no quintal da gente. É passam-se três, quatro dias e nada de
o cúmulo! Estou sempre com a cabeça coletarem o lixo que vai se acumulando
quente por causa destes vizinhos. Na nas ruas... No verão, então, é a coisa
primeira oportunidade, me mudo da- mais desagradável do mundo!
qui. Estou aqui só porque o aluguel é
barato e fica perto do meu trabalho.
Bairro C: Aqui nós encontramos de Página 97 - Exercício 12: Ouça o
tudo: açougue, padaria, supermer- áudio e dê a sua opinião sobre as
cado, hospital, farmácia, escolas... soluções dadas para Tomás.
Temos até um mini-shopping center! A: Seu Edson, a piscina tá com vaza-
mento... Já tentei consertar mas não
Praticamente você não precisa sair
sei não... A água já baixou uns dois
do bairro para nada. É o que mais
palmos!
me agrada neste bairro. Se não fosse
* : Se a água continuasse baixando,
pela falta de uma área verde, um
telefonaria para a empresa que faz a
parque, por exemplo, eu diria que é o
manutenção da piscina.
bairro ideal! Você pode perguntar para B: Desculpe incomodar, seu Edson,
qualquer morador daqui, que vão dizer mas estourou o gerador e, assim, a
a mesma coisa. Bom, talvez alguns bomba que puxa a água para a horta
reclamem do movimento dos carros, não funciona...!
justamente por causa do comércio e * : Se o gerador estourasse, eu com-
das escolas que temos aqui, mas eu praria um novo gerador.
acho que a comodidade de ter tudo à C: Seu Edson, não está dando! Preciso
mão, compensa isso, não é mesmo? de um aumento... A Josefa está doente
Bairro D: Meu marido reclama muito e, aqui, os médicos não sabem o que
dizendo que é barulhento. É que mora- está havendo com ela... Tenho que
mos perto de uma escola e de uma rua levá-la para São Paulo.
onde, todas as quartas-feiras, vêm os * : Se o caseiro me dissesse isso, eu ten-
feirantes e armam as barracas de feira. taria dar-lhes o maior apoio possível.
Eu não acho ruim já que não preciso D: O jardineiro não veio, seu Edson!

187
O churrasco é na próxima semana, o 47. bacia 48. difícil 49. chão 50.
senhor vai trazer aquele pessoal todo exame 51. nascimento 52. compar-
da empresa e os jardins estão que é tilhar 53. mesma 54. personagem
mato só... 55. ritmo 56. música 57. musical
* : Se o jardineiro que você chamou 58. perfeito 59. exterior 60. cálculo
não viesse, eu pediria ao caseiro para 61. xícara 62. cruz 63. passatempo
que ele mesmo o fizesse. 64. excelente 65. piscina 66. chur-
E: Boa noite, seu Edson! Tô ligando rasco 67. milharal 68. exigir 69.
porque o senhor pediu pra chamar manutenção 70. táxi 71. exausto
o chaveiro pra fazer mais três chaves 72. auxílio 73. fixo 74. experiência
do cadeado do portão... Achei meio 75. peixe 76. sexta-feira 77. chuva
caro e, assim, tô ligando pra pedir 78. jardim 79. jeitoso 80. viagem
autorização... Vai ficar em cinquenta
reais, tudo bem?
* : Se o chaveiro estivesse pedindo Página 107 - Exercício 9: Um casal
muito pra fazer 3 chaves, chamaria está sendo acusado de ter assaltado
outro pra fazer mais um orçamento. uma loja de sapatos no centro da cida-
50 reais é demais! de. Os policiais estão interrogando as
duas pessoas separadamente. Ouça os
depoimentos e marque as contradições
das respostas.
Depoimento 1 - Rosa
UNIDADE 11 P: Bem, Rosa, o que você estava fazen-
do ontem às 17 horas?
R: Estava com meu namorado an-
Página 104 - Exercício 4: Ouça o dando na cidade, olhando as vitrines.
áudio e escreva as palavras sendo Nunca fazemos compras nesta época.
ditadas. É tudo muito caro!
1. foguete 2. gaivota 3. pequeno P: Então, vocês não compraram nada?
4. exigente 5. guaraná 6. moleque R: Só um par de chinelos para a mãe
7. quintal 8. cabeça 9. guloso 10. do meu namorado e depois tomamos
requeijão 11. tesoura 12. goleiro um sorvete na padaria em frente à
13. guerra 14. crânio 15. pátio 16. igreja da praça.
campeão 17. quadro 18. língua P: Você viu alguma coisa diferente por
19. aproximar 20. preguiça 21. volta das 17h30, ali na praça?
cachoeira 22. chapéu 23. beterraba R: Quando a gente estava saindo da
24. pirulito 25. égua 26. competição padaria, um homem estava correndo
27. cavalo 28. embalagem 29. hos- feito louco em direção ao metrô e um
pital 30. céu 31. automóvel 32. policial estava tentando pegá-lo.
calma 33. futebol 34. algodão 35. P: Vocês tentaram, de alguma forma,
carregado 36. remédio 37. perigo ajudar a polícia?
38. irritado 39. arrumou 40. pessoal R: Não, não. Pegamos nossas saco-
41. garagem 42. firma 43. açougue las, chamamos um táxi e fomos pra
44. exercício 45. viajar 46. cédula minha casa.

188
P: SACOLAS!!! Mas você não comprou A: Não, não é de bebida, não! É uma
só um par de chinelos? enxaqueca que às vezes me atormenta.
Depoimento 2 - Luís B: O que você está tomando?
P: Bem, Luís, o que você estava fazendo A: Só um analgésico que comprei na
ontem às 17 horas? farmácia, mas não está adiantando
L: Estava passeando com minha noiva muito, não!
no centro da cidade, fazendo algumas B: Olha, eu tenho um tratamento que
compras de Natal. é uma tradição de família. Você não
P: Qual foi a última coisa que vocês quer experimentar?
compraram? A: Faço qualquer coisa pra me livrar
desta dor!
L: Acho que foi um par de chinelos
B: É só colocar rodelas frias de batata
para minha mãe. Ela está fazendo
nas têmporas e a sensação de frio pa-
aniversário hoje. E eu não sei o que
rece que interfere na dor. Compressas
estou fazendo aqui.
de água gelada fazem o mesmo efeito.
P: A que horas vocês foram embora? A: Ah, mas isso é fácil! Vou experimen-
L: Por volta das 20 horas. tar agora mesmo! Obrigado.
P: Para onde vocês foram?
L: Fomos ao cinema e depois para a 1. Vocês querem saber o que eu faço
minha casa. quando tenho problemas de saúde?
P: Ahh! Para a sua casa. Nunca tomo esses remédios indus-
L: É sim senhor. Do cinema, fomos pra trializados. Podem fazer bem para
minha casa, andando e conversando um certo sintoma, mas é quase certo
sobre o filme. Minha casa fica a dois que prejudica alguma outra parte do
quarteirões do cinema. seu organismo, principalmente o seu
P: Alguma coisa está errada. Acho que estômago ou o intestino. Experiência
estamos entrevistando pessoas com própria! Por isso, quando começo
álibis bem diferentes... a tossir, como um sintoma de uma
gripe ou resfriado, fervo folhas de
guaco com limão, noz-moscada e
depois adoço com mel. A proporção
UNIDADE 12 do preparo é dez gramas para um litro
de água. Toma-se uma xícara desse
preparado por dia. Para mim, é tiro e
Página 114 - “Medicina Caseira” queda! Experimente!
Você vai ouvir algumas receitas fáceis
e baratas que a vovó ensinava e que 2. A: Nossa! O que foi que aconteceu?
os médicos aprovam. Faça anotações. B: Fui pra praia e exagerei no banho
Ouça o áudio e relacione as informa- de sol.
ções aos problemas mencionados. A: Você passou alguma coisa?
A: Hoje estou que não aguento! B: Sim, mas o ardor continua o mesmo!
B: O que aconteceu? A: Eu nunca experimentei, mas um
A: É a minha dor de cabeça... amigo meu me disse que folhas espre-
B: Ressaca? midas da dália podem ser colocadas

189
sobre ardências na pele e são muito A: Bom, se vocês duas estão dizendo
eficazes não só para queimaduras, isso, acho que vou provar. Depois lhes
mas para picadas de insetos também. conto o resultado.
Quem sabe te ajude...
B: Não custa tentar. Acho que mal não
vai fazer. Página 117 - Exercício 5: Faça o
exercício 5, ouça o áudio e verifique
3. Vocês se lembram de como eu es- se suas informações estão corretas.
tava ontem? Fui a uma festa na noite “Dengue no Bairro! Pode ser Fatal!”
anterior e exagerei na bebida! Vocês A Dengue é causada por um vírus
sabem que eu não sou de tomar... transmitido pela picada do pernilongo-
Bem, em casa a minha avó tem um -rajado, o Aedes aegypti. Ele tem o
remédio mágico pra tudo. Me viu corpo preto e branco e pica durante o
todo caído, com a cabeça latejando dia. Muitos deles ainda não estão con-
e ela me fez mastigar duas folhas de taminados e, portanto, não transmitem
alcachofra. Depois de um tempo, já a doença. Vamos agir rapidamente e
estava bem melhor! Acredite e experi- acabar com os locais onde eles se re-
mente se quiser! produzem. Este pernilongo já está em
quase todos os bairros de Campinas,
4. A: Experimente esta receita e você inclusive no nosso! Já temos caso de
vai até esquecer que estava com dor dengue no bairro! Nesta situação, a
de dente: um gargarejo com o suco doença pode se espalhar rapidamente.
da fruta da amoreira é ótimo pra isso. Há quatro tipos (variedades) do vírus
B: Em casa nós fazemos bochechos da dengue. Seja qual for o tipo que se
com chá de erva-cidreira morna. Se o pega pela primeira vez, os sintomas
dente estiver aberto, é bom amassar são os mesmos, ou seja: 1 - dores
folhas de hortelã e colocar no local. no corpo, 2 - dores nos olhos e com
Eu faço isto desde que era criança. dificuldade para olhar a claridade, 3 -
C: Acho que vou tentar usar a receita febre alta, 4 - manchas avermelhadas
de vocês duas. Não aguento mais ou grosseiros na pele. A pessoa fica
esta dor! doente por quase duas semanas. Cada
pessoa só pega uma vez cada tipo de
5. A: Eu tenho dó do meu filho que dengue, podendo ter, então, até quatro
chora por causa de umas assaduras vezes dengue.
no bumbum. CUIDADO! Depois de ter tido dengue
B: Olha eu não sei se serve pra assa- pela primeira vez, nas outras vezes,
duras de bebê, mas folhas de picão, você pode ter a DENGUE HEMOR-
RÁGICA. Nem todos apresentam este
esmagadas, empregadas em emplas-
sintoma, mas nas pessoas em que a
tros aliviam bastante inflamações da
doença se manifesta mais gravemente,
pele. Não quer provar?
10 a 20% das pessoas morrem. Esta
C: Em casa, usamos muito banhos com
situação se agrava quando há uma
água fervida de picão para qualquer
grande epidemia e os hospitais não
problema da pele: alergias, coceiras,
conseguem atender todo mundo.
bolhas...
A dengue hemorrágica não é outro

190
tipo de dengue, mas sim, resultado PASSE ESSAS INFORMAÇÕES PARA
da reação do organismo, que já foi OUTROS, ESPECIALMENTE VIZINHOS!
sensibilizado pela primeira dengue. Sem os focos de pernilongo ao redor
A melhor coisa é não ter a primeira (cem a quinhentos metros), sua família
dengue! estará segura!
COMO PREVENIR? Conheça os há-
bitos do pernilongo e elimine os
criadouros! Página 118 - Exercício 8: Leia o
O pernilongo-rajado coloca seus ovos anúncio do livro e ouça a resposta que
em lugares que acumulam água limpa ele recebeu de três pessoas. Responda,
e parada em casas, quintais e terrenos a seguir, as perguntas do livro.
baldios. Nesses locais, os melhores 1. Oi! Meu nome é Rosana, tenho 18
criadouros são: 1 - vasos com água e anos e moro em Recife, Pernambuco.
plantas aquáticas ou flores, 2 - pratos Estudo Biologia e adoro viajar, conhe-
embaixo de vasos ou xaxim, 3 - latas, cer outras terras, outras culturas, outras
4 - garrafas e vidros, 5 - pneus, 6 - pessoas. Gosto muito de ler, ouvir
copos e sacos plásticos, 7 - Bromélias música e caminhar. Li o seu anúncio
ou qualquer planta que acumule água e resolvi escrever esta carta porque
em seu interior, 8 - caixas d’água ou me interessa muito saber sobre Mato
tambores destampados, 8 - buracos Grosso. Durante as férias do próximo
em árvores, 9 - locais onde se prepara ano, estou planejando visitar a sua
concreto ou massas em construções terra, principalmente o Pantanal. Sou
que formam verdadeiras bacias, e fascinada pela Natureza e faço parte
qualquer recipiente que acumule água.
de um movimento que defende a pre-
O pernilongo pode procriar até mes-
servação da Natureza. Gostaria que
mo em uma tampinha de garrafa que
você me desse maiores informações,
contenha água. A fêmea coloca ovos e
não só sobre o Pantanal, mas sobre
as larvas se desenvolvem rapidamente,
diversos lugares de Mato Grosso que,
virando pernilongos adultos em cinco a
de repente, eu poderia visitar. Gostaria
sete dias com o calor. Somente fêmeas
de saber qual é o seu hobby, qual é
picam porque precisam de sangue
o seu interesse por Pernambuco, para
para produzir ovos. Uma fêmea que
contenha o vírus da dengue transmite fazermos uma troca de informações.
para todos os seus filhos, que ao pica- Mas aqui vão algumas informações
rem uma pessoa também transmitem a respeito de Recife: é a capital do
a doença. O pernilongo voa distâncias Estado de Pernambuco, junto ao oce-
de até cem metros! ano Atlântico, na confluência dos rios
VAMOS ACABAR COM O MOSQUITO Capibaribe e Beberibe.
DA DENGUE! Os canais dividem a cidade em vários
Elimine de sua casa e quintal todos os distritos, como os de São José, centro
criadouros! Organizem-se em grupos comercial e financeiro situado em uma
em cada quadra para limpeza de ter- península; Boa Vista, centro residencial
renos! Fiquem vigilantes com o lixo nos e comercial em terra firme e Santo
terrenos! Contribua com a Sociedade Antônio, um distrito de escritórios
do Bairro! governamentais que se encontra na

191
ilha de Antônio Vaz. Devido a seus patrimônio cultural da humanidade
numerosos canais, algumas vezes pela agência das Nações Unidas para
Recife é chamada de a “Veneza da a Educação, Ciência e Cultura (UNES-
América”. Suas principais indústrias CO). Ela foi resultado da aglutinação,
são o refino do açúcar, as fábricas de para fins administrativos, de uma série
algodão, as fundições, o abacaxi em de povoados dedicados ao garimpo do
conserva, o processa-mento de tomate ouro. O desenvolvimento da produção
e a produção de cimento, papel, teci- de ouro nos garimpos teve sua fase
dos e produtos de couro. É a sede da mais importante entre 1730 e 1760
Universidade Federal de Pernambuco quando mais de 35.000 kg do metal
(1946), da Universidade Católica de foram extraídos. No século XIX, apesar
Pernambuco (1951) e da Universidade da decadência econômica ocorrida
Rural Federal de Pernambuco (1954). com o esgotamento do ouro, a cidade
De empório comercial no século XIX a ainda era politicamente importante,
centro industrial do Nordeste no século pois, em 1823, foi elevada a capital
XX, Recife foi alargando sua importân- da província de Minas Gerais, com o
cia regional até dividir com Salvador a nome de Ouro Preto. Em 1897, a ca-
hegemonia política, cultural e econô- pital foi transferida para a recém cons-
mica sobre todo o Nordeste, situação truída Belo Horizonte, mas a cidade
que se reflete até no carnaval: só em assumiu posteriormente sua função de
Recife se encontram multidões dan- centro histórico. Da década de setenta
çando nas ruas que possam competir em diante, intensificou-se sua função
com as que seguem os trios elétricos turística motivada pelos trabalhos de
na capital da Bahia. restauração do acervo artístico e arqui-
Será que isto é suficiente? O que mais tetônico da cidade e pela organização
você gostaria de saber? sistemática dos festivais de inverno da
Aguardo ansiosamente sua resposta. Universidade Federal de Ouro Preto,
Rosana de Melo Ferreira nos meses de junho e julho. Todo esse
2. Olá, estou respondendo ao seu processo de preservação foi premiado
anúncio de domingo. Sou pernambu- pela UNESCO em 1980. Talvez você
cano de nascença, mas, atualmente, re- já soubesse de tudo isso, não é mes-
sido em Ouro Preto, Minas Gerais. Meu mo? Acho que, sabendo a área de
nome é Alberto, 19 anos, estudante de seu interesse, poderemos fazer trocas
Química, que adora esportes radicais. de informações muito úteis a ambos.
Resolvi escrever porque gostaria que Escreva-me.
você me desse informações sobre a Atenciosamente,
sua terra. Como saí muito pequeno de Alberto de Souza Ramos Filho
Pernambuco, não posso lhe dar infor- 3. Olá, Giovanni! Sou Kátia e tenho
mações sobre ele, mas você já conhece 19 anos como você. Também sou
Ouro Preto? Ouro Preto, onde moro estudante de Medicina, em São Paulo,
agora, tem seus encantos. Como você mas sou de Manaus. Seu anúncio cha-
já deve saber, é uma cidade histórica e mou minha atenção, primeiro porque
muitas casas mantêm ainda seu estilo temos muito em comum (idade e área
colonial. Desde 1980, é considerada de especialização) e, segundo, porque

192
gostaria de me corresponder com al- do seu papel na região amazônica
guém de outros lugares do Brasil, para levou à implantação da Zona Franca
fazer troca de informações. de Manaus, que fez com que a ci-
Bem, aqui vai algumas informações dade entrasse num novo período de
sobre mim: sou alta, nem muito gorda, crescimento.
nem muito magra, nem muito feia nem Transformou-se também no princi-
muito bonita, morena, cabelos e olhos pal centro de turismo ecológico do
castanhos. Além dos estudos, passo o país, através dos admiráveis “hotéis
tempo praticando natação e andando da selva” que reúnem o conforto da
de bicicleta no parque. Gosto também civilização com o contato direto com
de fazer compras e assistir televisão a natureza exuberante dos arredores
(embora não me sobre muito tempo da cidade.
para isso). Gostaria que você escre- Não vou escrever nada sobre São Pau-
vesse mais sobre si mesmo, sobre o lo, onde estou morando agora, porque
curso de medicina da sua faculdade. provavelmente você já a conhece.
Escreva-me também sobre a sua terra. Se você puder responder a esta minha
Você estaria interessado em conhecer a carta, ficarei muito feliz.
minha terra, Manaus? Aqui vão algu- Aguardando sua resposta, despeço-
mas informações sobre ela: é a capital -me.
do Estado do Amazonas e constitui Abraços,
um porto às margens do rio Negro, Kátia Montenegro
próximo de sua confluência com o rio
Solimões para formar o Amazonas. A
cidade, na qual podem atracar transa-
tlânticos, é um dos principais portos em UNIDADE 13
processo de desenvolvimento da Bacia
Amazônica e estende sua influência
aos vizinhos estados de Roraima, Acre Página 123 - Exercício 1: Ouça o
e o norte de Rondônia, que escoam por áudio e identifique para qual das
ali seus produtos. Manaus experimen- posições abaixo os candidatos estão
tou a partir de 1890 seu período áureo, sendo entrevistados:
com a riqueza produzida pelo boom 1) A: Trouxe o seu currículo?
da borracha. Os donos de seringais B: Aqui está.
enriqueceram além do previsível e A: Vejo que você fez Técnico em
foram construídas residências suntu- Informática. Você já tem experiência
osas, o esplêndido Teatro Amazonas, no ramo?
onde faziam temporada as melhores B: Trabalhei três anos como analista de
companhias de ópera européias e sistemas em uma empresa multinacio-
belos edifícios públicos. nal e, dois em uma empresa nacional.
O fim do ciclo da borracha teve pro- A: Você domina todas as linguagens
fundo efeito sobre a cidade, que viu que colocamos no anúncio?
decair seu comércio, diminuir a arre- B: Algumas nunca cheguei a usar
cadação e perder a glamurosa vida nestes cinco anos de experiência, mas
da belle époque. Mas a importância tenho conhecimento de todas elas

193
através do curso Técnico em Informá- Eu era encarregada da folha de
tica. Tenho certeza de que não haverá pagamento dos funcionários. Depois,
nenhum problema. quando meu pai resolveu fechar a loja,
A: Gostaríamos de fazer um teste. Você comecei a trabalhar em um hospital
se importaria? para fazer o mesmo tipo de trabalho.
B: Não, senhor. Estou à sua disposição. E: Fez algum tipo de curso sobre o
A: Então, por aqui, por favor. assunto?
2) C: Vejamos... Você se formou há 3 F: Na verdade, não. Aprendi com as
anos, fez residência no Rio, trabalhou pessoas experientes que me passaram
no Posto de Saúde da Prefeitura por ... todos os seus conhecimentos. Depois,
quantos anos? foi só prática.
D: Um ano. Depois comecei a traba- E: Por que você deixou o emprego no
lhar na Santa Casa de Misericórdia. hospital?
Na verdade, ainda continuo traba- F: Porque ficava muito longe da mi-
lhando lá. nha casa. Precisava tomar três ônibus
C: E por que você quer trabalhar para ir e três para voltar. Perdia muito
conosco? tempo.
D: Bom, desde que me formei, sempre E: Muito bem. Vamos analisar bem
trabalhei com a prefeitura. Foi uma o seu caso e entraremos em contato.
ótima experiência, mas o que eles F: Obrigada pela atenção.
nos pagam é muito pouco. Por isso,
paralelamente gostaria de trabalhar
em uma clínica particular, não somente Página 124 - Exercício 4: Ouça o
pelo dinheiro, mas muito mais por áudio e preencha a agenda de Ana. Al-
uma experiência diferente. Sei que gumas anotações já foram feitas, mas
em clínicas particulares os médicos três delas estão erradas. Corrija-as e
têm mais recursos, principalmente em complete o restante das informações:
equipamentos. Ana: Bom dia, Seu Otávio. Como foi
C: Por que você escolheu esta espe- o final de semana?
cialidade? Chefe: Bem, obrigado. E você?
D: Eu adoro crianças! Acho que o Ana: Não muito bem. Peguei um
sorriso de uma criança compensa resfriado e...
qualquer sacrifício. Chefe: Espero que esteja melhor, pois
C: Muito bem. Estaremos entrando em a semana vai ser longa.
contato com você na próxima semana. Ana: Ah! sim senhor. (Atchim!) Já estou
Muito obrigado por ter vindo. bem melhor.
D: Eu é que agradeço. Chefe: Pegue a agenda e venha até
3) E: Quantos anos de experiência? minha sala, por favor.
F: Quase dez anos. Ana: Sim , senhor. (Atchim!)
E: Sempre no mesmo ramo? Chefe: Vamos começar com as priori-
F: Na verdade, trabalhei por sete anos dades da semana. Hoje, primeiramen-
na loja do meu pai, fazendo todo o te, reserve uma passagem ida e volta
trabalho administrativo. Foi aí que para Buenos Aires na 6ª feira dia 14, o
aprendi tudo sobre a área de pessoal. primeiro vôo. Confirme a passagem na

194
5ª feira para evitar qualquer problema. g. Pode me dar um pedaço? Unzinho
Ana: Sim, senhor (Atchim!) só, vai ...
Chefe: Hoje, ainda, ligue para o se- h. Ela é sempre a primeirona da classe!
nhor Pablo Costa da MGT e marque Nunca tirou abaixo de 9.
nossa reunião para 6ª feira às 12h, se
possível. Deverei estar em Buenos Aires
por volta das 10h. Amanhã, 3ª feira,
não se esqueça de enviar os convites
do coquetel de Natal a todos os nossos
UNIDADE 14
clientes. Imprima, primeiro, uma lista
atualizada dos cadastros de clientes.
4ª feira é aniversário de minha esposa. Página 139 - Exercício 14: O Sr.
Compre rosas vermelhas, um cartão e Monastério acabou de retornar de
uma caixa de chocolates. uma viagem de negócios em Nova
Ana: Sim, senhor. Aposto que ela vai Iorque. No escritório, a Sra. Zélia lhe
ficar muito feliz! faz algumas perguntas. Ouça o áudio
Chefe: Ligue para o clube na 5ª feira e e complete o exercício do livro.
cancele meus jogos de tênis, pois vou Zélia: Seja bem-vindo, Sr. Monastério.
receber dois fornecedores do Japão M: Obrigado. Já era tempo!
aqui no escritório. Reserve a sala de Z: Quantos dias o senhor ficou em
reuniões para as 9 horas e também Nova Iorque!
uma mesa no restaurante “Sendai” M: Trinta e cinco dias, precisamente.
para três pessoas às 13 horas. Z: Como foi a viagem?
Ana: Atchim, Atchim... Sim, senhor.
M: Apesar de cansativa, foi um su-
Chefe: Vou direto para o aeroporto na
cesso. Fechamos um contrato muito
6ª feira e só retornarei para o escritório
na 2ª pela manhã. É só, por enquan- lucrativo para a empresa. Refiro-me a
to... Ah! e não esqueça... uns cinquenta mil reais mensais!
Z: Nossa! Quanto tempo o senhor
levou para convencê-los?
Página 129 - Exercício 17: Ouça o M: Uma semana foi o suficiente para
áudio e escreva por extenso os núme- mostrar a eles todo nosso potencial.
ros que você ouve nas frases: Z: E por que o senhor demorou tanto
a. Você tem cinquinho pra emprestar? para voltar?
b. O grupo dos quarentões tem mais M: Precisei acertar alguns detalhes de
fôlego do que os jovens! programação e instalação.
c. As frutas daqui são de primeiríssima Z: Onde vamos abrir mais uma filial?
qualidade!
M: Em Portugal, perto de Lisboa.
d. Você tem certeza de que consegue
Z: Quando será a inauguração?
comprá-lo com um cenzinho?
e. Você está louca, mulher? Gastar M: Ainda não temos data marcada,
duzentão nessa porcaria? mas com certeza, será antes de junho
f. Alexandre, cinquentão? Imagine! deste ano.
Com aquele corpo de atleta, não Z: O que eles acharam do prazo
acredito! estimado?

195
M: Concordaram sem problemas e 3) C: Bom dia, Dona Marta. Fez boa
não vêem a hora de ter por lá uma loja viagem?
de doces caseiros brasileiros. M: Bom dia, foi muito bom mas estou
Z: Parabéns, Sr. Monastério! cansadíssima! Alguém ligou na minha
ausência?
C: Não, senhora, mas o Sr. Pedro, o
caseiro da sua chácara, esteve aqui.
UNIDADE 15 M: E o que ele queria?
C: Disse que precisa deixar o emprego
de caseiro, por motivos pessoais. Pro-
Página 146 - Exercício 9: Vamos blemas familiares, me parece. Disse
agora ouvir 3 pessoas passando reca- que tem uma pessoa de inteira con-
dos: preencha as anotações do livro e fiança para ficar em seu lugar. Deixou
discuta com seu colega. o telefone dessa pessoa se interessar à
1) A: Bom dia, Sr. Toledo. senhora. Disse que viria amanhã para
T: Bom dia, Dona Elza. Algum recado acertar tudo pessoalmente.
pra mim? M: Mas o Pedro está comigo há tanto
A: Sim, senhor. Seu primo que está na tempo! Eu gostava muito dele! Ele
Itália ligou e disse que está vindo ao não disse quais eram esses “motivos
Brasil em julho para passar as férias pessoais”?
com a família. Ele disse que iria tele- C: Não, senhora.
fonar outra vez no domingo à noite.
T: Disse quanto tempo ficaria no Brasil? Página 148 - Exercício 10: Ouça
A: Não, senhor. Mas disse que preten- o áudio e preencha as informações
dia visitar seus tios no Paraná e seu solicitadas no livro.
irmão em Pernambuco. 1) B: Hotel Mendonça, boa tarde!
T: Obrigado. A: Boa tarde! Sou Álvaro, da BCD
2) B: Bom dia, Sr. Silvério. Dormiu Turismo. Gostaria de falar com Dona
bem? Elza sobre a sala para a conferência
S: Bom dia, Lúcia. Dormi igual a marcada para a próxima semana.
uma pedra. B: Um momento, vou transferir a
B: Tenho um recado urgente do Sr. ligação.
Mendes, da ABC Turismo. E: Alô, Seu Álvaro? Aqui é Elza. Tudo
S: Sim? Espero que não seja cobrança. bem?
B: Não, senhor. O Sr. Mendes disse que A: Tudo Bem. Estou ligando para saber
não conseguiu reservar a passagem sobre a sala para a conferência de que
para amanhã, por causa do feriadão. lhe falei na semana passada.
Parece que deixou feita a reserva para E: Gostaria de ter alguns detalhes para
2a feira de manhã, no primeiro vôo. poder organizar tudo. Quantas pessoas
Disse também que vai ficar de olho em estarão participando?
algum cancelamento. A: Calculamos de cento e cinquenta a
S: Meu Deus! Não posso ficar aqui cento e oitenta pessoas.
até 2a feira! Ligue pra ele, por favor. E: É um número grande de participan-

196
tes! Qual é o número de conferencistas? H: Sim. Uma mesa retangular para
A: São sete conferencistas. servir os nossos convidados especiais.
E: Sete conferencistas... E que tipo de São 5 pessoas. Gostaria que providen-
material vão necessitar? ciassem também um microfone para o
A: Uma mesa grande com um micro- condutor da recepção.
fone para cada conferencista, além de Estamos preparando também uma
vídeo, retro, tela para projeção... E ah! faixa de boas vindas para ser colocada
por favor poderia providenciar água e atrás da mesa principal. Isso é possível,
café para cada um dos conferencistas? eu suponho...
E: Água e café... Um adorno de flores A: Naturalmente! Nossos funcioná-
no centro da mesa será suficiente? rios se encarregarão de fixar a faixa.
A: Me parece ótimo! Vamos também E sobre a comida a ser servida na
ter um intervalo de manhã e um à tar- recepção?
de. Seria bom servir café, chá, sucos, H: Ah, sim! Quanto ao cardápio...
salgadinhos e biscoitos para todos os 3) A: Hotel Mendonça, às suas ordens.
participantes. I: Gostaria de reservar uma sala para
E: A que horas vão ser os intervalos? uma reunião, na sexta feira que vem.
A: O da manhã às 10h30 e o da tarde A: Empresa ou particular?
às 15h. I: É uma reunião da diretoria da Imó-
E: Às 10h30 e 15h... Não se preocupe, veis Gonzaga.
seu Álvaro. Tudo estará conforme seu A: Quantos participantes?
pedido. I: Vinte e duas pessoas.
A: Obrigado. A: Algum equipamento extra?
2) A: Hotel Mendonça, bom dia! I: Um quadro branco, um vídeo e um
H: Bom dia! Sou Henrique da Dante gravador são imprescindíveis.
Empreendimentos e necessitamos de A: Microfone também?
um local para a realização de uma I: Não creio que seja necessário. Vocês
recepção. têm serviços de xerox, em caso de
A: Pois não. Para quantos participantes? necessidade?
H: A nossa previsão é para quarenta A: Temos uma copiadora no andar
ou cinquenta pessoas. térreo, disponível a todos os nossos
A: Que tipo de recepção os senhores clientes. Alguma bebida ou comida
pensam fazer? Tipo “buffet”, sem para ser servida durante a reunião?
colocar as mesas para os convidados I: Somente água para cada um. Fare-
ou tipo jantar, com assentos para cada mos um intervalo para um cafezinho
convidado? às 11 horas. Providenciem canapés,
H: Nós estamos pensando em oferecer salgadinhos e docinhos, por favor.
um jantar para os convidados. Há A: Muito bem, senhor. A reserva já
alguma sala com mesas e cadeiras está anotada.
suficientes?
A: Para esse número de convidados
não há problema. Como deseja a
disposição das mesas? Alguma mesa
para convidados especiais?

197
dade. Encontrava pessoas com traços
UNIDADE 16 orientais e, ao lado, havia pessoas
muito louras, dobrando a esquina,
encontrava um negro...
Página 151 - Entrevistas ? - Como é a sua vida, atualmente?
Entrevista com Walter - Peru
D - Muito boa: formei uma família,
? - Com quem e quando você veio
graças ao trabalho consegui comprar
ao Brasil?
uma casa e tenho muitos amigos.
W - Em 1990, com minha esposa, que
Durante quinze anos fui secretária
estava com seis meses de gravidez.
executiva, mas me realizei com meu
? - Qual era a sua expectativa quanto
trabalho como professora. Mas com
à vida no Brasil?
luta e esperança como a da maioria
W - Obter maior oportunidade de
trabalho na minha área profissional. dos brasileiros.
? - Qual foi o seu maior choque ao ? - Compare o Brasil com a Espanha.
chegar ao Brasil? D - Ambos são paises latinos; portanto,
W - A instabilidade econômica dessa as pessoas são amigáveis e hospita-
época e a burocracia brasileira. leiras, mas me parece que o futuro no
? - Como é a sua vida, atualmente? Brasil pode ser mais excitante porque
W - Já com o visto permanente e apresenta maiores riscos e, assim,
com intenções de radicar-me defi- nossa vida se transforma numa cons-
nitivamente no Brasil, levo uma vida tante aventura. A Espanha é a terra
tranquila, em todos os sentidos, junto dos meus antepassados e o Brasil é a
com minha família. terra dos meus descendentes. Os dois
? - Compare o Brasil com o Peru. países estão unidos em mim. Tenho
W - Do ponto de vista econômico o carinho pelos dois.
Brasil tem uma maior renda per capita;
climaticamente, o Brasil é melhor para a
agricultura e a população em geral, pois Página 156 - Exercício 8: Três pes-
há mais área verde e menos poluição. soas, em estágios diferentes da vida,
Socialmente falando, acho que os dois vão falar sobre o seu dia-a-dia e seus
países têm problemas similares. planos para o futuro. Anote as infor-
Entrevista com Dolores - Espanha mações, inclusive as queixas, escreven-
? - Com quem e quando você veio do na última coluna as sugestões para
ao Brasil? melhorar a vida delas.
D - Vim sozinha, em 1962, porque (Sílvio): Meu nome é Sílvio, sou esta-
meus pais já moravam aqui. giário desta empresa há seis meses.
? - Qual era a sua expectativa quanto Atualmente recebo treinamentos na
à vida no Brasil? minha área. Mas já não aguento mais
D - Vim visitar meus pais. Vim só com ficar só ouvindo explicações e fazen-
esta intenção, mas conheci aqui meu do trabalhos de menor importância.
futuro marido e acabei ficando. Gostaria de terminar logo o colégio,
? - Qual foi o seu maior choque ao fazer a faculdade. Mas por enquanto,
chegar ao Brasil? preciso ter paciência e ser um estagi-
D - A mistura de raças porque na ário exemplar para ser efetivado e,
Espanha existe uma maior uniformi- com empenho, poder receber muitas

198
promoções. Quero chegar muito alto. as definições de algumas palavras e
(Mateus): Sou engenheiro e trabalho tente encontrá-las no texto.
nesta empresa há quinze anos. Às 1. Partidários, seguidores.
vezes, o meu trabalho é externo: ins- 2. Ferimentos, contusões.
pecionar obras. Mas a maior parte do 3. Período de trabalho.
meu dia é fazer reunião com o meu 4. Diminuição
grupo de projeto, visitar e almoçar com
clientes. Por isso tenho de trabalhar de Página 168 - Exercício 14: Ouça os
terno e gravata, usar crachá, bater o diálogos e complete os espaços em
cartão todos os dias e dar satisfação branco. Observe os diferentes sotaques
aos meus chefes. Já não suporto isso! regionais.
O meu sonho é tornar-me autônomo (do Interior de SP)
e ter meu próprio negócio, minha A. Tô procurando um subrado pra
própria empresa. Quero ser dono de morá. Minha muié qué uma casa
mim mesmo, sem ter de dar satisfações bem grande!
a ninguém. B. Por quê?
(Jorge): Eu me aposentei há dois A. Tem mais dois fio chegando.
anos. A minha rotina consiste em B. E o senhô quer perto da cidade?
acordar às 5 horas, no mesmo horário A. É claro, ôme! Meu filho vai sê doutô,
de quando era empregado. Depois, vai estudar Medicina na faculdade da
faço meu passeio matinal pelo parque
cidade.
e me encontro com alguns colegas
B. Num dá pra ser um sitiozinho perto
também aposentados, para um bate-
da cidade, uns dez km de carro?
-papo. Em casa, leio livros, assisto à
A. Num dá, não. Quero morá bem no
TV. Odeio não ter o que fazer. Tenho
centro da cidade.
saudades da disciplina, dos regula-
mentos da empresa onde trabalhava. (do Rio)
Odeio também fazer fila para receber A. Pô, já são cinco horas e as meninas
a mísera aposentadoria que recebo ainda não chegaram da excursão.
todos os meses. Mas um dia vou abrir B. Calma, Roberto! Talvez elas estejam
um pequeno negócio para, assim, ter no trânsito. Tu não acabou de ouvir
o que fazer e também poder ajudar o que a estrada foi interditada e o ônibus
meu filho no orçamento familiar. Mi- teve que desviar por um caminho muito
nha meta é alcançar uma estabilidade mais longo?
física, emocional e financeira. A. É, tu tem razão. Acho melhor a
gente esperar mais um pouco antes de
tomar quaisquer providências.
(do Norte)
A. Ô Zé, assim não dá! Já falei a Ri-
UNIDADE 17 cardo que você tem que vir aqui visitar
esse cliente urgente. Ele já tá aperriado
demais! O pedido que ele fez ainda
Página 167 - Exercício 11: Ouça o não foi entregue e já estourou o nosso
áudio e acompanhe o locutor lendo o prazo.
texto “Ginástica Lenta”. Agora, ouça

199
(do Sul) poderia passar as férias inteiras jogan-
B. Bá, tche! Já despachei esse pedido, do ou assistindo a um jogo de futebol.
há muito tempo, pela transportadora (Celina): Pra mim férias tem que ser
“Digan”. Vou verificar onde foi parar num lugar tranquilo, longe do corre-
esse pedido e assim que tiver solucio- -corre da cidade, com muito verde,
nado esse problema, irei pessoalmente riacho, uma cabana sem rádio nem
falar com o cliente. Ah! E já aproveito televisão. Não quero ter nada que
para comer um vatapá aí com vocês me lembre o trabalho, a agitação da
da filial. cidade. É que, geralmente, quando
A. Combinado! Vê se me liga assim tiro férias, é porque estou realmente
que tiver notícias! E quando vier pra estressada. Preciso ter um tempo pra
cá, não esqueça de trazer este tal de esquecer que existe o bendito desse
chimarrão de que vocês tanto falam. relógio que me faz lembrar a todo
Quero ver se é bom mesmo! momento a hora pra sentar, hora pra
B. Bá, tche! Já vou pôr na mala pra não levantar, hora pra telefonar, hora pra
esquecer. Até breve! Tchau. falar com o chefe...
(Kátia): Eu passo a maior parte das mi-
nhas férias em lojas, shopping centers,
supermercados. Acho que sou uma
consumidora sem concorrente. Meus
UNIDADE 18 pais e meus amigos já acham que isso
é doença! E talvez seja mesmo! Viajando
ou não viajando, tendo ou não tendo
Página 174 - Exercício 3: Ouça o dinheiro, preciso estar perto de um
áudio e descubra qual o lugar ideal estabelecimento comercial.
para passar as férias mencionado por
cada um dos personagens e o motivo
da preferência:
(Manuel): Nas próximas férias quero
ir a alguma praia. Mas não qualquer
UNIDADE 19
praia. Tem que ter ondas muito fortes
para poder surfar. Pra mim surfe na Página 185 - Exercício 6: Ouça os
praia é o máximo! Desde que peguei o instrutores explicando a prática de
gosto por este esporte, férias pra mim certos esportes. Siga suas instruções
é sinônimo de surfe. fazendo mímicas e adivinhe a que
(Dalton): Não preciso ir muito longe esporte eles se referem.
para ter minhas férias ideais. Como 1. Mantenha o seu braço reto. Seus
sou fanático por futebol, uma pelada olhos devem estar sempre acompa-
com meus amigos, no campinho perto nhando a bola. Não se mexa dema-
da minha casa, já dá esse ar de férias siado. Coloque a bola no campo do
pra mim. Agora, se puder ir assistir a adversário, bem longe do oponente
um jogo do meu timão num estádio, para que ele não possa rebater.
seria legal! Poderia ir até todos os dias, 2. Deite-se de costas. Não entre em
se possível. Um campeonato, então! Eu pânico. Sinta a água. Mantenha seu

200
corpo reto e bem devagarinho bata “A FESTA DA MOÇA NOVA”
suas pernas com força. É a festa da menina que se torna mu-
3. Lembrem-se dos três toques na lher e é mais um ritual dos Tucunas.
bola. Alice levante a bola à Susi. Susi Os preparativos demoram vários dias
veja bem a bola, dê um salto e bata com o preparo de uma trombeta, de
na bola com o máximo de força que tambores, de várias máscaras que
puder, para que a bola possa furar o representam macacos e enfeites, além
bloqueio inimigo. Coloque a bola em de um compartimento onde a virgem
algum “buraco” no terreno do adver- ficará reclusa. Os convidados ajudam
sário. A bola queima se ela pegar na na construção do cubículo com folha-
rede. Portanto, muito cuidado! gens e madeira. Um dos personagens
Ouça mais uma vez e escreva no livro principais da festa é um monstro de
as instruções dadas. mais de dois metros de altura que
vive na água e que é representado por
uma máscara com cara de serpente e
Página 187 - Exercício 9: Ouça o que boca sem dentes. No dia da lua cheia,
cada um dos nossos personagens es- a virgem iniciada entra no cubículo e
pera alcançar da prática de algum es- é guardada por duas tias maternas,
porte e, consultando a tabela do livro, responsáveis pela festa. A virgem é
diga qual é o esporte que melhor se depilada e pintada de azul devendo
adapta às necessidades de cada um. permanecer em jejum durante a festa.
A. Para mim o maior problema é o Os pais da moça oferecem comida
peso; portanto, a queima de calorias e bebida aos convidados enquanto
é o mais importante. Quero tam- tambores tocam sem parar. Finalmente
bém desenvolver minha capacidade alguém anuncia que da mata vem
cardiorrespiratória, sem aumentar a um demônio, mascarado de maca-
massa muscular. co, que salta no meio dos presentes
B. O que eu mais quero é aumento da fazendo gestos obscenos enquanto
massa muscular. As outras coisas não os índios continuam comendo, be-
são importantes e nem me interessam. bendo e divertindo-se. Outro macaco
C. Eu gostaria de praticar um esporte aparece então e ronda o cubículo da
seguro, sem riscos, que aumente virgem batendo um bastão no chão.
minha flexibilidade e coordenação A virgem é, contudo, defendida pelas
motora. E, se eu puder emagrecer vigias. Após três dias e três noites de
praticando esporte, melhor ainda. festa, os pais da moça retiram-na da
reclusão e um velho com um tição na
mão aproxima-se informando que o
perigo já passou. A virgem, usando
UNIDADE 20 saiote vermelho e cocar de penas
coloridas, começa a dançar junto com
os outros índios enquanto as tias dão
Página 194 - Exercício 3: Ouça as conselhos, avisando que a moça deve
lendas e reconte as estórias com suas ser ativa, trabalhadeira e boa mulher
palavras. respeitando o marido.

201
“O QUILOMBO” “O MARACATU”
É uma festa tradicional alagoana que Nasceu no Recife, das procissões em
dramatiza a fuga dos escravos que fo- louvor a Nossa Senhora do Rosário
ram buscar um local onde se esconder dos Negros que batiam o xangô (can-
e se defender, formando o Quilombo domblé) o ano inteiro. É um cortejo
dos Palmares. Na penúltima semana simples que do sagrado passou para o
de outubro, em Aracaju, Propriá, Pa- profano, para o carnavalesco. Atribui-
rapitinga, Neópolis e São Cristóvão, -se sua origem ao Sudão da África por
os palmarinos e ‘Caboclinhos’ lutam causa da presença da lua crescente
neste bailado. O Quilombo se divide nos seus estandartes, além de certos
em dois grupos distintos: pretos e ca- animais africanos como o elefante e o
boclos, cada qual com o seu Rei. Cada
leão. Para alguns sociólogos o nome
Rei tem o seu Secretário que tem as
maracatu significa procissão; para
funções de Carteiro e de Embaixador.
outros significa debandar. No começo
No bando de preto, há uma Rainha,
deste século, o maracatu tinha um
Catirina e o Pai do mato. Os trajes dos
participantes são simples, mas bem cunho altamente religioso e era dan-
cuidados. Os pretos usam calças azuis çado em frente das igrejas. Hoje é uma
e meia até o joelho. Os caboclos usam mistura de música primitiva e de teatro
calções e tangas de penas. Os Reis e que acontece no carnaval pernambu-
a Rainha usam roupas pomposas. Em cano. A RAINHA DO MARACATU dá
praça pública, é armado um grande um sabor especial ao maracatu, pois,
mocambo feito com palhas de coquei- com sua presença fixa-se a linha de
ro. Ali dentro, é colocado tudo o que matriarcado, tão do gosto africano.
pode ser ‘roubado’: canoas, cadeiras, Os cantos e as danças são em louvor
animais, etc. O ‘roubo’ precisa de um da boneca (calunga), ponto de concen-
resgate e isto faz parte da brincadeira. tração das atenções dos participantes e
Os caboclos ‘roubam’ a Rainha dos do público. Os personagens principais
pretos. O Rei dos pretos envia uma do maracatu são a rainha e a dama-
carta determinando que ela seja solta -do-paço. As figuras masculinas, como
ou então ele declarará guerra e incen- dom Henrique - o rei do maracatu e
diará o mocambo. Quando se prepa- o índio tupi, não são muito importan-
ram para a guerra, há o resgate do tes. No Recife, no carnaval, desfilam
que foi ‘roubado’. Os negros atacam clubes, blocos, troças (bloquinhos),
e incendeiam o mocambo. A Rainha é caboclinhos e o maracatu, com suas
‘posta à venda’ e as autoridades locais várias nações (grupos humanos). Cada
a ‘compram’. Os caboclos vencem os
maracatu traz o nome de sua ‘nação’,
palmares e há muita música. O Terno
como por exemplo: Estrela brilhante,
de Zabumba alegra a festa.
Cambinda velha e o famoso Elefante,
fundado no século XIX. O maracatu
Página 195 - Exercício 4: Você vai deu origem a um ritmo musical mais
ouvir descrições de eventos folclóricos. lento do que o frevo que se propagou
Identifique o desenho que corresponde pelo Ceará e Alagoas.
a cada evento folclórico.

202
“DANÇA-DE-FITAS” branco, o saiote ou bata e o chocalho
É uma tradição milenar. Faz-se um metálico mostram a influência do es-
pau-de-fita com o mastro sustentado cravo. O índio aparece nas penas e na
no centro da dança por um menino. seta tupi. O Bumba-meu-boi é dividido
Da ponta do mastro, saem pares de fi- em três categorias: o Boi-de-matraca,
tas que são seguradas por oito ou doze o Boi-de-ilha e o Boi-de-orquestra.
pessoas para começar a dança. A mú- O mais expressivo é o primeiro onde
sica é geralmente tocada por sanfona, todos os participantes participam ba-
violões e pandeiros. É praticada por tendo pares de tabuinhas. São usados
ocasião das festas natalinas. Ao exe- ainda a matraca, pandeiros grandes
cutar a dança, as fitas são trançadas e chocalhos. Há muita cantoria e os
em torno do mastro central. Em Santa vaqueiros não saem de cena até que
Catarina, antes da dança-de-fitas, a festa tenha terminado. O Boi-de-ilha
acontece a dança da jardineira, em é mais lento e tem acentuado sabor
que pares de dançadores conduzem africano, enquanto o Boi-de-orquestra
um arco enfeitado de flores. apresenta influências modernas e não
é tão puro.
“O FREVO”
O frevo é filho legítimo da capoeira.
O capoeirista (ou capoeira) sai no Página 196 - Exercício 7: Ouça e
carnaval dançando o frevo à frente anote no livro as crenças e superstições
mencionadas no texto e discuta-as com
dos cordões e das bandas de música,
seus colegas.
executando passos semelhantes aos
Hoje é sexta-feira, dia 13 de junho.
da capoeira. O frevo é uma dança Nossa! Sexta-feira 13! Você acredi-
coletiva, do carnaval pernambucano. ta em superstições? Eu tenho uma
É tão frenético e alucinante, que cada amiga chamada Aline. Ela é muito
um, por si, ferve ao seu modo, até a supersticiosa. Acredita em tudo! Na
exaustão. O frevo não tem nada de sexta-feira 13, ela não sai de casa, de
religiosidade. Usa apenas o guarda- jeito nenhum! Até falta às aulas.
-chuva do maracatu que dá um grande Aline, de manhã, sempre acorda com
equilíbrio ao passista. A música do o pé direito e a primeira coisa que
frevo parece um pouco com a mar- faz, todos os dias, é bater na madeira
chinha carioca. três vezes e ler o horóscopo. Quando
sai, nunca esquece de levar a figa e a
“BUMBA-MEU-BOI” pata de coelho. Na porta da casa dela,
Na realidade, a história nasceu prova- tem uma ferradura (dessas de cavalo)
velmente no Maranhão onde é o mais para dar sorte, diz ela. Nunca passa
debaixo de uma escada e, quando
rico de todo o Brasil. Os participantes
vê um gato preto, ela dá meia-volta.
passam o ano todo preparando as rou-
Toma muito cuidado ao mexer com
pas para as festas. No traje típico do
espelhos: afinal, quebrar espelho dá 7
‘vaqueiro do boi maranhense’, nota-se
anos de azar! Quando tem pesadelos,
a influência das três etnias. As calças costuma dormir com um raminho de
brancas mostram a influência do arruda debaixo do travesseiro.

203
Como ela quer se casar logo costurou tocam fole (sanfona ou harmônica),
um fio de cabelo seu no vestido de adufes (pandeiro), caixa de guerra
noiva de uma amiga. E, no dia do (tambor) e zabumba. Ao chegar nas
casamento dessa amiga, foi ela quem portas das casas ou na praça, cantam
conseguiu agarrar o buquê de noivas. pedidos de licença, fazem louvações
Agora está convencida de que vai ser aos donos da casa e agradecem os
a próxima a se casar e espera ansio- comes e bebes oferecidos. Depois,
sa o aparecimento do seu príncipe cantam a retirada ou despedida. Os
encantado. participantes dos Reisados acreditam
ser continuadores dos Reis Magos e
têm uma função religiosa. No Reisado
Página 196 - Exercício 8: Ouça o alagoano, encontramos alguns perso-
áudio e preencha o quadro que apa- nagens que se apresentam também no
rece no livro. Bumba-meu-boi. A parte coreográfica
é muito simples: corrupios, gingados,
“AS CARETAS” galopes, pisa-mansinho... Em todas as
Tanto no Piauí como no Maranhão, representações os lugares de destaque
na noite de Sexta-feira da Paixão, são destinados ao Rei, à Rainha ou a
saem grupos de mascarados com- Mateus e à Lira. Os chapéus dos parti-
postos exclusivamente por homens cipantes são ricamente enfeitados. Há
com disfarces horrendos e caretas cópias da tiara do papa, reproduções
assustadoras. Normalmente, um não de fachadas de igrejas, etc. Em Maceió
conhece o outro e o encontro é feito no os chapéus são riquíssimos e alguns
cemitério local. Alguns levam chicotes, levam meses e meses para serem
enxadas e cavadeiras para cavar o confeccionados. São as peças mais
chão e plantar bananeiras e palmeiras. atraentes por serem enfeitados de fitas
Por que plantar estas árvores? Porque douradas, de estrelas e espelhinhos.
em seus galhos é impossível alguém Os espelhos têm uma função mágica
enforcar-se. Na verdade, as caretas pois funcionam como um amuleto. Ser-
realizam uma espécie de testamento vem para o choque de retorno: todo o
de Judas e uma corda é deixada para mal, os maus olhados, os maus desejos
a pessoa mais malquista da comuni- que baterem nos espelhos, voltarão
dade. Dessa maneira, as caretas se contra quem os desejou.
vingam das pessoas que oprimiram
esta ou aquela pessoa durante o ano. “A FESTA DE IEMANJÁ, A RAINHA
DO MAR”
“REISADO” No tempo da escravidão, quando os
Foi introduzido no Brasil-Colônia pelos senhores de engenho impunham a
portugueses. É um espetáculo popular religião católica aos escravos, eles,
das festas de Natal e Reis cujo palco em espírito, cultuavam os seus deuses
é a praça pública, a rua. A partir de africanos e, dos lábios para fora,
24 de dezembro, saem à rua os vá- invocavam os nomes dos santos dos
rios Reisados, cada bairro com o seu, seus donos. Assim, por exemplo, Santa
cantando e dançando. Os músicos Bárbara é a mesma Iansã africana,

204
Oxalá é o Senhor do Bonfim, etc. Ie- (enfeites), tornam a festa ainda mais
manjá é considerada a Mãe das Águas típica do lugar. Fora da igreja, são
e é amada e cultuada pelos baianos. armadas barraquinhas onde se servem
A maior festa de Iemanjá, na Bahia, é comidas e bebidas típicas. A festa dura
no dia 2 de fevereiro no Rio Vermelho, de quinta a domingo à noite e muitas
onde se reúnem todos os candomblés figuras importantes do meio artístico e
da Bahia, levando flores e presentes político participam das comemorações.
(espelhos, jóias, pentes e perfumes).
Passam andores cheios de oferendas
e o povo entra nos saveiros e leva
os presentes para lançá-los em alto
mar. Se Iemanjá gostar dos presentes,
eles ficarão no fundo do mar; se não
gostar, eles voltarão para a praia.
Na igreja da Conceição da Praia,
contudo, as velas estão acesas desde
8 de dezembro, para Nossa Senhora,
pelos devotos de Iemanjá. Em algumas
outras cidades de praia do Brasil, a
festa de Iemanjá dá-se no mesmo dia
da festa de Nossa Senhora, no dia 8
de dezembro.

“A LAVAGEM DO BONFIM”
Em janeiro, todos os anos, milhares
de romeiros chegam ao Santuário do
Senhor do Bonfim, na Bahia. Desde
1745, o Senhor do Bonfim é o padro-
eiro do Brasil. A festa começa dentro
da igreja, em cima de uma colina,
e se estende pelas ladeiras e praças
vizinhas. O Senhor do Bonfim é o
Oxalá africano. A lavagem do Bonfim
é uma das maiores festas religiosas
populares da Bahia e é realizada
numa quinta-feira de janeiro. O ritual
começou há um século com a lavagem
da nave central da igreja. Atualmente,
são lavadas apenas as escadarias. Os
fiéis levam água, vassouras e flores,
fazendo uma verdadeira procissão
de carrocinhas, carros e bicicletas
enfeitadas. As baianas típicas, vestidas
de branco, cheias de balangandãs

205
206
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES
ANOTAÇÕES

Похожие интересы