Вы находитесь на странице: 1из 3

Avaliação da disciplina de Economia Política

Livro: O Capital. Contribuição para a crítica da Economia Política. Livro I,


Vol. I
Autor: Karl Marx
Assunto: O Capital

Discente: Matheus Marinho Moura.


Docente: Cloves Barbosa
Curso: Direito.
Turma: 2018 – Noturno.

Marabá – PA
 Introdução:

“ Karl Marx disse: “De cada um, de acordo com sua capacidade; a cada
um, de acordo com suas necessidades”. Marx idealizou uma economia na qual
o problema da escassez seria abordado por meio de uma completa redistribuição
de riqueza e renda, dos proprietários de terra e capital para os trabalhadores.
Em sua visão, a justiça social, a igualdade econômica e o alívio de escassez
seriam alcançados quando a sociedade fosse organizada de tal forma que todos
fossem iguais, independentemente do nível de produtividade. ” (Pág. 31, Tudo o
que você precisa saber sobre economia. MILL, Alfred)
É fato que Karl Marx (1818 até 1883) e Friedrich Engels (1820 até 1895)
foram os idealizadores do Socialismo Científico no século XIX, essa teoria parte
da análise crítica e científica do capitalismo, observando sua dinâmica, sua
origem e, principalmente, suas contradições, as quais estão extremamente
presentes desde o início da Primeira Revolução Industrial até os dias atuais.
O presente trabalho tratará de destrinchar de forma simples e sucinta
sobre um aspecto que têm influência determinante nos escritos de Marx:
Contribuição para a crítica da Economia Política. Esse aspecto é o Capital.

 O Capital:

Assim como foi escrito por Marx, a circulação de mercadorias é a primeira


aparição do Capital. Dessa forma, como é explicitado no Dicionário financeiro:
“A definição de capital envolve uma perspectiva de longo prazo, que pressupõe
que seu uso tem como finalidade a geração de receitas futuras. ”, ou seja, capital
é a aplicação do dinheiro para gerar lucros a longo prazo.

Quando se trata do Capital, o dinheiro é o ponto de partida e o ponto de


chegada da forma de circulação, porém, no ponto de chegada não há uma
simples retomada do valor investido incialmente, mas sim um acréscimo de valor
e isso, curiosamente, gera a Mais-Valia, a qual está intrinsicamente atrelada ao
Capital. A fórmula criada por Marx é D – M – D’. Sendo D o valor em dinheiro
investido inicialmente em determinada mercadoria, M a mercadoria que sofre tal
investimento na forma de compra por exemplo e, por fim, D’ que representa o
dinheiro acrescido de Mais-Valia. Dessa forma, Capital (D’) = Dinheiro + Mais-
Valia. O resultado de tudo isso é, evidentemente, a troca de dinheiro por mais
dinheiro na esfera de circulação de mercadorias, ou seja, no mercado.
Porém, isso não é um uma ocorrência tão simples, pois implica em
descobrir alguma mercadoria passível de ser fonte de valor, que seja rentável,
na esfera de circulação do mercado, além disso, deve-se haver uma agregação
das matérias-primas necessárias e o meio de produção de determinada
mercadoria, tudo isso agregado à aplicação de força de trabalho.

Um exemplo evidente que caracteriza bem essa questão de surgimento


de capital são as vendas de bombons que ocorrem na turma de Direito 2018, o
custo de produção, ou seja, o investimento inicial em um único bombom (M) é
de aproximadamente R$ 1,10 (D) e são vendidos por R$ 2,00 (D’). Os 90
centavos de lucro caracterizam-se como Mais-Valia e o valor absoluto de R$
2,00 caracteriza-se como o Capital, ou seja, uma valorização do dinheiro
investido incialmente.

O fato de o movimento do capital ser insaciável fica claro no momento em


que os R$ 2,00 (D’) são usados como um novo investimento na compra de novas
matérias primas para produção de mais bombons. O capital torna-se, assim, uma
finalidade em si mesma.

 Conclusão:
O capitalista acaba por se tornar um entesourador racional. Assim como
foi escrito nas palavras de Karl Marx: “A multiplicação incessante do valor,
pretendida pelo entesourador ao procurar salvar o dinheiro da circulação, é
alcançada pelo capitalista mais esperto ao entrega-lo sempre de novo à
circulação”, ou seja, D – M – D’ passa a ser D’ – M – D’’ e assim sucessivamente,
autovalorizando o valor inicial do dinheiro e originando o Capital.

Nesse intuito, finaliza-se a análise do Capital, em específico da fórmula


geral criada por Marx D – M – D’, dos elementos necessários para dar origem ao
Capital e também do advento da Mais-Valia, partindo do exemplo da turma de
Direito 2018 o qual foi baseado no brilhante estudo elaborado por Karl Marx.

Оценить