Вы находитесь на странице: 1из 3

INFORMAÇÃO PARA AGENDA

GALERIA DE ARTE ESPAÇO t


ASSUNTO: “Livre Arbítrio e Cª Ltd”
Exposição colectiva de Pintura, Comissariada por Fátima
Lambert.

INAUGURAÇÃO: 7 de Novembro de 2005 pelas 18:00h

DATA: 7 de Novembro a 31 de Dezembro de 2005

HORÁRIO: Segunda a sexta-feira, das 10:00h às 13:00h e das 14:00h às


18:00h.

LOCAL DE REALIZAÇÃO: Galeria Espaço t


Edifício Escola EB1 nº25 da Sé
Rua do Sol, nº14
4000-527 Porto

O Espaço t – Associação Para o Apoio à Integração Social e Comunitária terá


patente ao publico de 7 de Novembro a 31 de Dezembro de 2005 a
Exposição Colectiva de Pintura – “Livre Arbítrio e Cª Ltd” – Comissariada por
Fátima Lambert.

A exposição será inaugurada oficialmente no dia 7 de Novembro de 2005,


pelas 18:00h.
Esta exposição colectiva integra os seguintes artistas:
- Nuno Ramalho – Desenho
- Edgar Martins – Fotografia
- João Galrão – Escultura
- Inês Lousinha – Escultura / Instalação
- Graziela Fuentes – Fotografia
- A. Quintans – Fotografia
A Galeria de Arte do Espaço t pretende com a realização de 6 exposições
anuais, ser um espaço de convergência de diferentes tipos de Arte, desde a
arte “marginal” até á arte contemporânea.
Será assim um laboratório de experimentação artística, tendente à criação de
novos conceitos de Arte, nomeadamente: a arte como forma de comunicação
transversal entre diferentes públicos; a arte como forma de integração de
grupos, numa sociedade cada vez mais segregada e segregadora.
O estético está lá, nós queremos ir para além dele…

Participe Neste Projecto Divulgando-o!


Livre Arbítrio & Cª [Lda.]

Dá-se um nome às coisas e sentimo-nos mais satisfeitos. O mundo, HUM, o mundo.


Até que podia ser ou não (“…acreditava que também vira o mundo que eles tinham
visto.” James Cowan – O Sonho do Cartógrafo, Meditações de Fra Mauro na Corte de
Veneza do séc. XVI, Lisboa, Rocco, 2000).
Olham-se as imagens, reconhece-se um objecto ou um traço e a alma aquece.
Entendemos, embora, possa não ser necessário entender nada. Enfim!
Calam-se as dúvidas, HUM! Depois retomam-se e desdobram-se, ganham terreno e
decidem-se as situações. Sempre com a leveza certa, com a dose ponderada? HUM!
Faça-se o que se quer. Claro que precisa saber-se o que se quer. O QUÊ? Nada, assim-
assim ou tudo. Talvez; quiçá; possivelmente. HUM.
As imagens – fotos resistentes em papel, desenhos exigentes, objectos sensoriais,
virtualidades em fuga, eis um resultado exercido pelo livre arbítrio. Implementado
nos desejos, nas obsessões, pelo desalento ou pela força: é igual. Qual a resposta
certa: é, sim.
(“Espreita-nos para que aceitemos, para que pensemos noutra coisa ou nesse refúgio
das pequenas coisas que é, diz-se, não pensar em nada.” Jorge de Sena, Poesia I,
Lisboa, Edições 70, 1988).
Vale sempre, esse mapa inaugurado, essa [Cª] companhia [limitada] que é o livre
arbítrio.

Mª de Fátima Lambert