Вы находитесь на странице: 1из 37

Aula 08

Turma: Química I

Tabela Periódica

Prof. Ricardo Fernandes dos Santos

Ipanguaçu, RN
Tabela Periódica

Tabela periódica dos elementos (IUPAC)

2
Tabela Periódica

3
Tabela Periódica

Famílias ou grupos

▪ Na tabela periódica há 18 colunas, sequências verticais de


elementos. Cada uma delas é um grupo, ou família,
de elementos.

▪ Por determinação da IUPAC os grupos são numerados


atualmente de 1 a 18, mas ainda é comum utilizar uma
representação com letras e números.

▪ A disposição dos elementos na tabela periódica é tal que


elementos com propriedades semelhantes ficam em um
mesmo grupo.
4
Tabela Periódica

Elementos representativos (Grupos Principais)

▪ Os elementos dos grupos 1, 2, 13, 14, 15, 16, 17 e 18


apresentam um comportamento químico relativamente menos
complexo (mais periódico) que o dos demais e são
frequentemente denominados elementos representativos.

▪ o grupo 1, ou IA: metais alcalinos;

▪ o grupo 2, ou IIA: metais alcalinoterrosos;

▪ o grupo 3, ou IIIA: família do boro;

▪ o grupo 4, ou IVA: família do carbono;

▪ o grupo 5, ou V: família do nitrgênio; 5


Tabela Periódica

▪o grupo 16, ou VIA: calcogênios;

▪o grupo 17, ou VIIA: halogênios;

▪o grupo 18, ou VIIIA: gases nobres.

6
Tabela Periódica

Metais de Transição (Elementos de Transição)

▪ Os elementos dos grupos 3 a 11 são denominados


metais de transição, sendo que os lantanídios e os
actinídios são especificamente denominados metais de
transição interna.
▪ Os elementos do Grupo 12 (Zn, Cd e Hg) não são considerados
metais de transição, pois como seus orbitais estão completos, as
propriedades destes elementos estão mais próximas das dis
metais do grupo principal do que dos metais de transição.

7
Tabela Periódica

Número de camadas eletrônicas e período


de um elemento

O número de camadas é igual ao número do período.

ADILSON SECCO
1o P

2o P

3o P

4o P

5o P

6o P

7o P
8
Tabela Periódica

▪ Elementos do 1o período apresentam átomos com 1 camada


eletrônica; do 2o período, átomos com 2 camadas...

ADILSON SECCO
1o P

2o P

3o P

4o P

5o P

6o P

7o P

9
Tabela Periódica

Camada de valência e grupo do elemento

▪ A camada mais externa do átomo de um elemento químico é


aquela envolvida diretamente no estabelecimento de ligações
com outro(s) átomo(s).

▪ Ela é denominada camada de valência. Os elétrons dessa


camada são chamados elétrons de valência.

▪ Elementos de um mesmo grupo da tabela periódica


apresentam o mesmo número de elétrons na
camada de valência.

10
Tabela Periódica

▪ O elemento hélio (Z = 2) é uma exceção. Seus átomos


apresentam 2 e– na última camada, mas ele não é colocado
no grupo 2.

▪ Suas propriedades são semelhantes às dos gases nobres e,


por essa razão, ele é colocado no grupo 18.

▪ Quando oito elétrons estão presentes na camada de valência,


sua configuração é ns2np6 e o elemento é um gás nobre. Está
é uma configuração estável, e os gases nobres tem pouca
tendência a reagir. A configuração ns2np6 é chamada de
octeto, e a generalização desta configuração de especial
estabilidade é conhecida por regra do octeto.
11
Tabela Periódica

Blocos s, p, d e f.

12
Tabela Periódica

13
Tabela Periódica

▪ Um metal conduz eletricidade, tem brilho, é maleável e dúctil;

▪ Um não metal não conduz eletricidade e não é maleável nem


dúctil;

▪ Um metaloide tem a aparência e algumas propriedades


físicas de um metal, mas, geralmente, se comporta
quimicamente como um não metal.

14
Tabela Periódica

Periodicidade das Propriedades dos


Átomos
Carga Nuclear Efetiva
𝑍𝑒𝑓 = 𝑍 − 𝑆
Z: carga do núcleo;
S: número médio de elétrons
protetores

15
Tabela Periódica

Carga nuclear efetiva


•A carga nuclear efetiva é a carga sofrida por um elétron em um
átomo polieletrônico.

•A carga nuclear efetiva não é igual à carga no núcleo devido ao


efeito dos elétrons internos.

•Os elétrons estão presos ao núcleo, mas são repelidos pelos


elétrons que os protegem da carga nuclear.

•A carga nuclear sofrida por um elétron depende da sua distância


do núcleo e do número de elétrons mais internos.

•Quando aumenta o número médio de elétrons protetores (S), a


carga nuclear efetiva (Zef) diminui.
•Quando aumenta a distância do núcleo, S aumenta e Zef diminui.
16
Tabela Periódica

Raio atômico

É a metade da distância entre os núcleos de dois átomos


vizinhos.

17
Tabela Periódica

Raio Covalente

O raio atômico também pode ser chamado de raio covalente


quando o elemento é um ametal ou um metaloide, e usamos a
medida da distância entre os núcleos de átomos vizinhos
unidos por uma ligação.

Raio de Wan der Walls

É a metade da distância entre centros de

átomos vizinhos em uma amostra de gás

nobre solidificada.

18
Tabela Periódica

19
Tabela Periódica

Tendências periódicas
nos raios atômicos

• À medida que o número quântico principal aumenta (ex.,


descemos em um grupo), a distância do elétron mais externo
ao núcleo aumenta. Consequentemente, o raio atômico
aumenta.

• Ao longo de um período na tabela periódica, o número de


elétrons mais internos mantém-se constante. Entretanto, a
carga nuclear aumenta. Conseqüentemente, aumenta a atração
entre o núcleo e os elétrons mais externos. Essa atração faz
com que o raio atômico diminua.

20
Tabela Periódica

Raio iônico

É a parte do íon(cátion ou ânion) na distância entre íons


vizinhos em um sólido iônico.
Toma-se o raio do íon óxido
como 140 pm.

21
Tabela Periódica

22
Tabela Periódica

•Os cátions deixam vago o orbital mais volumoso e são menores do


que os átomos que lhes dão origem.

•Os ânions adicionam elétrons ao orbital mais volumoso e são


maiores do que os átomos que lhe dão origem.

23
Tabela Periódica

Tendências dos tamanhos dos íons

• Para íons de mesma carga, o tamanho do íon aumenta à


medida que descemos em um grupo na tabela periódica.

• Todos os membros de uma série isoeletrônica têm o mesmo


número de elétrons.

• Quando a carga nuclear aumenta em uma série isoeletrônica,


os íons tornam-se menores :

O2- > F- > Na+ > Mg2+ > Al3+


24
Tabela Periódica

Energia (ou potencial) de ionização

▪ Energia de ionização (EI) é a energia mínima necessária para


se remover um elétron de um átomo que se encontra no
estado fundamental e gasoso.

25
Tabela Periódica

• A primeira energia de ionização, I1, é a quantidade de energia


necessária para remover um elétron de um átomo gasoso:
Cu(g) → Cu+(g) + e-.

• A segunda energia de ionização, I2, é a energia necessária para


remover um elétron de um íon gasoso:

Cu+(g) → Cu2+(g) + e-.

• Quanto maior a energia de ionização, maior é a dificuldade para


se remover o elétron.

26
Tabela Periódica

27
Tabela Periódica

28
Tabela Periódica

Variações nas energias de


ionização sucessivas

• Há um acentuado aumento na energia de ionização quando um


elétron mais interno é removido.

29
Tabela Periódica

Tendências periódicas nas


primeiras energias de ionização

• A energia de ionização diminui à medida que descemos em um


grupo.

• Isso significa que o elétron mais externo é mais facilmente


removido ao descermos em um grupo.

• À medida que o átomo aumenta, torna-se mais fácil remover


um elétron do orbital mais volumoso.

• Geralmente a energia de ionização aumenda ao longo do


período.

• Ao longo de um período, Zef aumenta. Consequentemente,


fica mais difícil remover um elétron. 30
Tabela Periódica

• São duas as exceções: a remoção do primeiro elétron p e a


remoção do quarto elétron p.

• Os elétrons s são mais eficazes na proteção do que os elétrons


p. Conseqüentemente, a formação de s2p0 se torna mais
favorável.

• Quando um segundo elétron é colocado em um orbital p,


aumenta a repulsão elétron-elétron. Quando esse elétron é
removido, a configuração s2p3 resultante é mais estável do que
a configuração inicial s2p4. Portanto, há uma diminuição na
energia de ionização.

31
Tabela Periódica

Afinidade Eletrônica

▪ É a energia liberada quando um átomo gasoso, no estado


fundamental recebe um elétron.

•A afinidade eletrônica é a alteração de energia quando um átomo


gasoso ganha um elétron para formar um íon gasoso:

Cl(g) + e- → Cl-(g)

•A afinidade eletrônica pode ser tanto exotérmica (como o


exemplo acima) quanto endotérmica:

Ar(g) + e- → Ar-(g)
32
Tabela Periódica

• Analise as configurações eletrônicas para determinar se a


afinidade eletrônica é positiva ou negativa.

• O elétron extra no Ar precisa ser adicinado ao orbital 4s, que


tem uma energia significativamente maior do que a energia do
orbital 3p.

33
Tabela Periódica

34
Tabela Periódica

35
Tabela Periódica

EI versus AE
Elementos EI AE Tendência
Metais Baixa Baixa A perder e−
Não metais Alta Alta A ganhar e−

36
Tabela Periódica

Professor: Me. Ricardo Fernandes

ricardo.fernandes@ifpr.edu.br

Оценить