Вы находитесь на странице: 1из 4

53 Impressõ es De Um Brasileirõ Sõbre A Argentina

Olá a todos! Me chamo Diogo e moro no país vizinho Argentina. País que tanto amamos
odiar e fazer piadas. Morando com los hermanos há 5 anos acho que já deu tempo pra aprender
alguns dos costumes mais estranhos de nossos vizinhos do sul.

Aqui ficam as minhas impressões sobre as diferenças que existem entre as duas culturas.

1 – Para começar já colocando um mito abaixo, acreditem, Argentino gosta de brasileiro. Verdade.
No geral eu sempre fui bem recebido ao dizer que era brasileiro e até hoje nunca fui discriminado
por isso. A rivalidade fica só no futebol mesmo.

2 – Aqui chega muito da cultura do Brasil. Quase todos argentinos podem mencionar pelo menos
uma música ou artista brasileiro. O contrário infelizmente não é verdadeiro, pois aqui tem muita
música boa.

3 – Eles não comem arroz e feijão. Não venha esperando ir a um restaurante e pedir arroz e feijão
pois vai ser muito difícil (impossível?) encontrar.

4 – A churrascaria daqui, a Parrilla, serve no geral carne com um acompanhamento. Batata frita,
purê de batata ou alguma salada. Não espere encontrar a diversidade do Brasil. Rodízio
praticamente não existe também.

5 – Na visão deles o Brasil é um gigante econômico e eles gostam do Lula e da Dilma. Vai
entender!

6 – Assim como nós imitamos os argentinos dizendo “la garantia soy yo”, coisa que eles não dizem,
eles nos imitam colocando “inho” ao final de qualquer palavra ou dizendo “o mais grande do
mundo”. Inventando um sotaque inexistente e dizendo que brasileiro fala assim.

7 – O Maradona é melhor que o Pelé. Sempre foi e sempre será. Qualquer opinião contraria com
um argentino não levará a lugar nenhum. Mas o mais lindo é ver um argentino com ciúmes das 5
taças do Brasil.

8 – Para provocar um brasileiro eles dizem que o Pelé perdeu a virgindade com um garoto. Nunca
tinha escutado essa história no Brasil, mas não coloco minha mão no fogo por ele, hehehe.

9 – Aqui não se discute tanto futebol quanto no Brasil. Como exemplo, um dia depois de um
clássico entre River e Boca, fui a faculdade e não escutei ninguém falando do jogo.

10 – Ainda no tema do futebol, a maioria dos times da primeira divisão são de Buenos Aires ou
região. Quase não existe futebol de qualidade no resto dos estados. O que evidencia a
concentração financeira que existe na região. Metade da população e riquezas do país se
encontram aqui.

11 – No interior no Brasil se uma casa não tem campainha e tem um portão, geralmente se bate
palma e se chama o nome da pessoa para que essa te atenda. Conte isso para um argentino e ele
vai achar isso a coisa mais ridícula e estranha de se fazer. Com certeza irá rir da sua cara.
12 – Aqui eles comemoram o dia do amigo saindo para tomar algo ou ir à balada e até mesmo
comprando um presente.

13 – A faculdade aqui não tem trote. Privada ou pública.

14 – Ao se formar os familiares e amigos vão à frente da faculdade e atiram ovo, farinha e coisas
do gênero no recém-formado.

15 – Assim como os brasileiros, os argentinos são muito sociais, e geralmente vão lhe acolher bem
seja no trabalho ou na faculdade. Fazer amigos não é difícil como o relatado em outros países em
posts anteriores.

16 – Entretanto eles são bastante racistas. E são abertos em dizer isso. Aqui não há negros como
no Brasil. Mesmo assim eles chamam as pessoas que vivem em bairros pobres de negros.

17 – Aqui existe violência, mas acredito que seja menor se comparado com qualquer cidade de
mesmo tamanho no Brasil.

18 – O 13° salário aqui se chama Aguinaldo e é pago metade em julho e metade em dezembro. É
sempre um prazer receber o Aguinaldo.

19 – Aqui as férias são de apenas 14 dias. Depois de 5 anos no trabalho passam a ter 3 semanas
até o máximo de 1 mês ao completar 10 anos no mesmo trabalho. Mudou de trabalho volta a ter
14 dias :S

20 – A presidente Cristina Kirchiner, o Vice e vários ministros estão envolvidos em vários casos de
corrupção, mais escancarados que no Brasil (acredite) e nada acontece. Mas isso não é muito
diferente no Brasil. Viva a América Latina.

22 – Argentina e Rio Grande do Sul compartem muitas similaridades culturais.

21 – Aqui se fala “che” assim como no Rio Grande do Sul, mas escrito sem o T no início.

22 – Se toma chimarrão, aqui chamado de mate. Porém, para quem toma, sempre fala que a erva
é diferente.

23 – Aqui também tem uma região chamada Pampa e o gaucho, sem acento no u mesmo.

24 – Buenos Aires é considerada como destino turístico gay. (Não que o Rio Grande do Sul tenha
algo a ver com isso) hehehe

25 – Os argentinos se cumprimentam com um beijo no rosto, mesmo homem com homem. E isso
não é considerado gay. Confesso que achei isso bem estranho no começo e a primeira vez que me
cumprimentaram assim achei que o argentino estava de zuera.

26 – A quantidade de pessoas que falam inglês ou tem algum domínio do idioma é, no geral, bem
maior que no Brasil.

27 – Apesar de estar bem mais ao sul, Buenos Aires tem o mesmo clima de uma cidade do Sul do
Brasil, como Porto Alegre ou Curitiba. Neve apenas no sul da Argentina.
28 – No Brasil, ao se comer um lanche com hambúrguer como um X-tudo, é um costume de a cada
mordida colocar Ketchup ou mostarda na parte a ser comida. Faça isso aqui e irão te olhar como
se estivesse usando seu sapato como prato para a sopa. Ou algo estranho no mesmo nível. O
costume aqui é levantar o pão e colocar o ketchup ou mostarda dentro e comer.

29 – Um prato popular aqui como o nosso arroz, feijão, bife e batata frita é carne empanada e
batata frita ou purê de batata.

30 – No documento de identificação deles, chamado DNI, o nosso RG, tem o endereço completo
onde a pessoa vive. Se você se muda, deverá atualizar o documento. Confesso que nunca atualizei
o meu, por uma questão de segurança.

31 – Para um argentino, a maioria dos brasileiros são negros e quase não existem brancos.

32 - Por mais próximos que os 2 países estejam, eles tem a mesma visão de nós que o resto do
mundo. Ou seja, muito do Brasil ainda é samba, futebol e mulher gostosa.

33 – O argentino tem uma rivalidade muito grande com o chileno. Devido ao apoio chileno aos
britânicos na guerra das Malvinas, brigas territoriais no passado entre outros motivos os chilenos
são vistos como um povo no qual não se pode confiar.

34 – Há uma grande rivalidade entre as pessoas que são de Buenos Aires, chamados Porteños,
com o resto do país. Algo do estilo paulista ou carioca com o resto do país. Só que aqui se reduz a
apenas uma cidade contra o resto.

35 – No ensino fundamental as escolas pedem que os alunos usem uma caneta-tinteiro para
escrever. Não sei qual o motivo, mas me pareceu estranho.

36 – Aqui não existe vestibular para entrar na universidade. Nas universidades públicas todos
devem fazer um curso preparatório que dura 1 ano chamado CBC. Geralmente demoram mais de
1 ano pois é necessário aprovar o curso, que não é fácil.

37 – Nas universidades particulares se faz apenas um curso de 2 semanas de espanhol e


matemática. Mesmo que não aprove o curso o aluno pode começar a faculdade e fazer a prova
outra vez mais tarde.

38 – Por alguma estranha razão ao se referir a matéria matemática, eles a fazem no plural. Por
exemplo: tirei um 10 em matemáticas.

39 – A nota mínima para passar em uma prova é 4. Pode parecer fácil mas na prática não é. Fiz
faculdade aqui e lhe digo que uma nota 2 é muito comum.

40 – Em Buenos Aires se perguntar um endereço a um argentino ele geralmente lhe dirá, sem
muita dificuldade, quantas quadras faltam para o destino. Seja 2, 5 ou 20 quadras. A numeração
das casas crescem em 100 por quadra, facilitando assim o cálculo.

41 – Há um costume aqui de falar uma palavra ao contrário para dar ênfase a mesma de uma
maneira engraçada. Por exemplo, a palavra Pateta seria Tatepa. E se diria: Você é um tatepa
mesmo, hein!

42 – Nas pizzarias não tem lata de azeite na mesa. E dificilmente alguém vai colocar ketchup na
pizza.
43 – O equivalente ao funk brasileiro é o reggaeton. E sim, sempre vai ter um infeliz no busão
escutando reggaeton no celular a todo volume.

44 – Você só irá encontrar no supermercado arroz em saco de no máximo 1 kg, e não existe feijão
em saquinho. Apenas a granel. Panela de pressão nas casas aqui é item raro. Se alguém tiver é
porque era da vó, quase sempre.

45 – Algo interessante que notei é que muitas bandas e cantores que são conhecidos aqui,
também são conhecidos no resto da América Latina, por compartir o mesmo idioma. Então um
argentino pode se encontrar com um mexicano e já ter várias coisas em comum. Estes mesmos
grupos não chegam a ser conhecidos no Brasil pela barreira do idioma. O nos faz estar mais
afastado culturalmente da região em que nos encontramos.

46 – O mesmo com os desenhos da infância e programas de TV. Já acompanhei uma conversa de


um equatoriano com argentinos e não conhecia nenhum dos programas mencionados. Entre eles
praticamente não havia diferenças entre os dois países.

47 – Você não conseguirá comprar coração de galinha na Argentina. Aqui ela é considerada carne
de segunda. Já fui a um açougue perguntar e me disseram que eles a jogam fora. Entretanto, ao
comprar galinha congelada no supermercado, a mesma vem com algumas partes internas da
galinha em um saco plástico. Ao procurar o maldito e delicioso coração de galinha, o mesmo não
se encontrava ali. Acredito que seja exportado pro Brasil.

48 – A gorjeta, aqui chamada de “propina”, não está incluída na conta em restaurantes. O costume
é deixar de acordo ao serviço prestado. Se não gostou não deixe nada. Alguns restaurantes em
zonas mais turísticas tem, geralmente, uma aclaração em português dizendo que a gorjeta não faz
parte da conta.

49 – Quase todo argentino que conheci já foi a alguma praia no Brasil. Notem que disse “quase
todo que conheci”. Obviamente que muitos não têm condições financeiras de ir. As praias aqui
têm água gelada e areia com pedra. Em compensação o sul da Argentina tem paisagens incríveis,
com montanhas e lagos, que valem muito a pena visitar.

50 – A maioria dos banheiros de casas e apartamentos, novos ou antigos, tem uma banheira. E
geralmente não há uma janela no banheiro.

51 – Todas as casas tem gás encanado. Isso é ótimo, pois você não precisa se preocupar em sair
pra comprar botijão de gás. E a conta é bem barata e só chega a cada dois meses.

52 – Todos os imóveis aqui tem o preço em dólar. Se você quiser comprar um imóvel e pagar em
pesos, poucos aceitariam. Uma herança do famoso “Uno a uno”, em que um peso valia um dólar.
Hoje, com as restrições para comprar dólar imposta pelo governo isso tem começado a mudar.

53 – Ônibus aqui não tem cobrador. Você sobe, diz ao motorista seu destino e este estipula o valor
segundo a distância a percorrer. Para pagar se usa um cartão magnético ou se coloca moedas em
uma máquina de moedas. Se está sem moeda ou cartão esqueça de pegar ônibus.