Вы находитесь на странице: 1из 61

HIGIENE E PROFILAXIA

CODÓ-MA
2018
CENTRO CIRÚRGICO
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

 CENTRO CIRÚRGICO: é um conjunto de áreas e instalações agrupadas


dentro de um hospital, onde permite a realização de atividades cirúrgicas nas
melhores condições de segurança para o paciente e de conforto para os médicos e
equipe de enfermagem.

 EQUIPE CIRÚRGICA: cirurgião, anestesista, auxiliar do cirurgião, enfermeiro,


instrumentador e circulante.
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

 UNIDADE DE CENTRO CIRÚRGICO: é composta pelo Centro cirúrgico


(CC) propriamente dito, pela Recuperação Pós- anestésica (RPA) e pelo Centro de
Materiais e Esterilização (CME).
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CIRURGIA: é o ramo da medicina que lida com enfermidade e
condições que necessitam, de técnicas operatórias.
 Diagnóstica;
Curativa;
Corretiva;
Paliativa.
ÁREAS DO CENTRO
CIRÚRGICO
ÁREAS DO CENTRO
CIRÚRGICO
ÁREAS DO CENTRO
CIRÚRGICO
ÁREAS DO CENTRO
CIRÚRGICO

área de trânsito privativo,


com limites definidos para
a circulação de pessoal e
equipamentos
ÁREA RESTRITA
PERÍODOS CIRÚRGICOS

Pré-operatório

Transoperatório

Pós-operatório
PRÉ-OPERATÓRIO
 OBJETIVOS:
a) elevar ao máximo as condições físicas e emocionais do cliente
para enfrentar o ato cirúrgico;
b) Prevenir desconfortos e complicações pós-operatórias.
 CLASSIFICAÇÃO:
a) Pré-operatório mediato: período que vai do momento da
internação até 24 horas antes da cirurgia
b) Pré-operatório imediato: período que inicia 24 horas antes
da cirurgia e termina quando o cliente é encaminhado ao
centro cirúrgico
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PRÉ
OPERATÓRIO MEDIATO - HIGIENE

 Colher material para exames (urina e fezes) para detectar


infecções e parasitoses que caso sejam encontradas deverão ser
tratadas durante o pré-operatório;
 Orientar quanto ao uso de comadre e compadre;
 Higiene corporal na manhã que antecede o ato cirúrgico;
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PRÉ
OPERATÓRIO MEDIATO - HIGIENE

comadre e compadre
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PRÉ
OPERATÓRIO IMEDIATO – HIGIENE
 Lavar os cabelos na manhã que antecede o ato cirúrgico;
 Higiene oral após as refeições e uma hora antes da cirurgia;
 Cortar as unhas, limpá-las e retirar esmaltes;
 Fazer enteróclise (conforme prescrição);
 Fazer tricotomia da área operatória uma hora antes de encaminhar
o cliente ao C.C.;
TRANSOPERATÓRIO
 Esta fase tem início quando o cliente entra na unidade do Centro
Cirúrgico até sua admissão na sala de recuperação pós-anestésica
(SRPA)

 É nesta fase que ocorre o ato cirúrgico e toda a preparação que


ele envolve
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO
TRANSOPERATÓRIO - HIGIENE

 Puncionar veia calibrosa;


 Colocar a touca na cabeça do cliente, cobrindo todo o couro
cabeludo;
 Colocar a sapatilha propé.
PÓS-OPERATÓRIO
 OBJETIVOS:
a) Restabelecer as funções orgânicas;
b) Prevenir os desconfortos e as complicações.

 CLASSIFICAÇÃO:
a) Pós-operatório imediato: período de 24 horas que se inicia
ao término do ato cirúrgico
b) Pós-operatório mediato: após 24 horas que se sucedem ao
ato cirúrgico
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS
OPERATÓRIO IMEDIATO - HIGIENE

 Conectar os tubos de drenagem, os frascos coletores e mantê-los


abertos;
CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS
OPERATÓRIO MEDIATO - HIGIENE

 Ajudar na higiene corporal e oral, se necessário;


 Curativo diário de acordo com as necessidades e prescrição;
BIOSSEGURANÇA → ÁREA
DE SAÚDE

 Aplicação e reflexão de princípios de


segurança para a proteção do meio ambiente,
da saúde do trabalhador e do paciente.
INFECÇÃO DE SÍTIO
CIRÚRGICO
 Toda infecção que acomete o sitio anatômico em que a cirurgia foi
realizada é denominada Infecção do Sitio Cirúrgico (ISC).

 O número de micro-organismos
presentes no tecido a ser operado
determina o potencial de
contaminação da cirurgia.
POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO
DA CIRURGIA
 LIMPA: tecidos estéreis ou passíveis de descontaminação,
ausência de processo infeccioso e inflamatório local, ex.:
mamoplastia.

 POTENCIALMENTE CONTAMINADA: realizadas em tecidos


colonizados por flora microbiana residente pouco numerosa, em
tecidos de difícil descontaminação e falhas técnicas discretas no
transoperatório, ex.: colecistectomia com colangiografia
POTENCIAL DE CONTAMINAÇÃO
DA CIRURGIA
 CONTAMINADA: tecidos abertos e recentemente traumatizados,
colonizados por microbiota bacteriana abundante de difícil
descontaminação - falha técnica grosseira, presença de inflamação
aguda sem supuração local – cicatrização pode se dar por
segunda intenção, ex.: cirurgia de reto e ânus.

 INFECTADA: processo infeccioso (supuração local), feridas


traumáticas com mais de seis horas de exposição, tecidos
desvitalizados ou necróticos, ex.: cirurgias com secreção purulenta
local – apendicectomia supurada.
HIGIENE E PROFILAXIA
HIGIENE E PROFILAXIA

 HIGIENE - um conjunto de procedimentos que tem a finalidade de


assegurar a proteção e bem-estar físico e psicológico dos pacientes,
evitando enfermidades.

 PROFILAXIA - aplicação de métodos e técnicas, de forma


individual e coletiva, com a intenção de manter e restaurar a saúde.
HIGIENE
 Durante a prática junto ao cliente deve-se:

 Explicar o procedimento;

 Preservar ao máximo a independência do paciente;

 Transmitir respeito;

 Avaliar sua capacidade de realizar o autocuidado;

 Assegurar a privacidade e conforto físico.


TIPOS DE HIEGINIZAÇÃO E
PRINCIPAIS OBJETIVOS
ORAL: manter o estado saudável da boca, bochechas, língua, dentes,
gengivas e lábios;

DOS CABELOS: conforto do paciente;

ÍNTIMA: eliminar odores, previne infecções e proliferação de fungos;

CORPORAL: evitar que micróbios, vermes e outros seres vivos,


penetrem no nosso corpo e nos causem doenças; estimular a
circulação sanguínea.
HIGIENE – TIPOS DE BANHO

 BANHO DE ASPERSÃO: banho de chuveiro;

 BANHO DE IMERSÃO: banho na banheira;

 BANHO DE ABLUÇÃO: jogando águas sobre o corpo;

 BANHO NO LEITO: usado para pacientes acamados ou em


repouso absoluto.
HIGIENE – BANHO NO LEITO

 BANHO COMPLETO NO LEITO: administrado para o paciente


totalmente dependente

 BANHO PARCIAL NO LEITO: consiste em banhar apenas as


regiões do corpo que provocariam desconforto quando ficam sem
banho, como as mãos, faces, axilas e área perineal
HIGIENE OCUPACIONAL

 Ciência responsável por antecipar, reconhecer, avaliar e


controlar os agentes ou processos produtivos utilizados que colocam
em risco a saúde e integridade do colaborador em seu ambiente de
trabalho.
HIGIENE OCUPACIONAL - FASES
 ANTECIPAÇÃO
 identificar os riscos que poderão ocorrer, no ambiente de
trabalho, ainda na fase de projeto, instalação, ampliação;

 RECONHECIMENTO
 preocupa-se com os riscos presentes, avaliando
profundamente o processo;
HIGIENE OCUPACIONAL - FASES
 AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO: quantificar de forma periódica
os agentes agressivos identificados nas fases anteriores, utilizando
para isso, instrumentação e metodologias adequadas;

 CONTROLE E MELHORIA CONTÍNUA


 garantir que o agente não chegue a valores mais agressivos;
 deve-se procurar a melhoria do processo afim de identificar
valores ainda menos agressivos.
HIGIENE DAS MÃOS
 As técnicas de higienização das mãos podem variar, dependendo
do objetivo ao qual se destinam. Podem ser divididas em:

 Higienização simples das mãos;

 Higienização anti-séptica das mãos;

 Fricção de anti-séptico nas mãos;

 Anti-sepsia cirúrgica ou preparo pré-operatório das mãos.


HIGIENE DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS

 Finalidade: remover os microrganismos que colonizam as


camadas superficiais da pele, assim como o suor, a oleosidade
e as células mortas, retirando a sujidade propícia à
permanência e à proliferação de microrganismos.

 Duração do procedimento: 40 a 60 segundos.


 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO SIMPLES DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO ANTI-SÉPTICA DAS MÃOS

 Finalidade: promover a remoção de sujidades e de


microrganismos, reduzindo a carga microbiana das mãos, com
auxílio de um anti-séptico.

 Duração do procedimento: 40 a 60 segundos.


HIGIENE DAS MÃOS
 HIGIENIZAÇÃO ANTI-SÉPTICA DAS MÃOS

 Técnica: igual àquela utilizada para higienização simples das


mãos, substituindo-se o sabão por um anti-séptico. Exemplo:
Clorexidina degermante a 4%.
HIGIENE DAS MÃOS
 FRICÇÃO DE ANTI-SÉPTICO NAS MÃOS (COM
PREPARAÇÕES ALCOÓLICAS)

 Finalidade: reduzir a carga microbiana das mãos (não há


remoção de sujidades). A utilização de gel alcoólico a 70% ou
de solução alcoólica a 70% com 1-3% de glicerina pode
substituir a higienização com água e sabão quando as mãos
não estiverem visivelmente sujas.
 Duração do Procedimento: 20 a 30 segundos.
HIGIENE DAS MÃOS
 FRICÇÃO DE ANTI-SÉPTICO NAS MÃOS (COM
PREPARAÇÕES ALCOÓLICAS)
HIGIENE DAS MÃOS
 FRICÇÃO DE ANTI-SÉPTICO NAS MÃOS (COM
PREPARAÇÕES ALCOÓLICAS)
HIGIENE DAS MÃOS
 FRICÇÃO DE ANTI-SÉPTICO NAS MÃOS (COM
PREPARAÇÕES ALCOÓLICAS)
HIGIENE DAS MÃOS
 FRICÇÃO DE ANTI-SÉPTICO NAS MÃOS (COM
PREPARAÇÕES ALCOÓLICAS)
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS

 Finalidade: eliminar a microbiota transitória da pele e


reduzir a microbiota residente;
 As escovas utilizadas no preparo cirúrgico das mãos
devem ser de cerdas macias e descartáveis, impregnadas
ou não com anti-séptico e de uso exclusivo em leito
ungueal e subungueal.
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS

 Para este procedimento, recomenda-se:


 Anti-sepsia cirúrgica das mãos e antebraços com anti-
séptico degermante.
 Duração do Procedimento: de 3 a 5 minutos para a primeira
cirurgia e de 2 a 3 minutos para as cirurgias subseqüentes
(sempre seguir o tempo de duração recomendado pelo
fabricante).
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
HIGIENE DAS MÃOS
 ANTI-SEPSIA CIRÚRGICA OU PREPARO PRÉ-OPERATÓRIO
DAS MÃOS
ATIVIDADE

 Quem foi Florence Nightingale?


 Discorra sobre a Teoria de Enfermagem de Florence
Nightingale.
 Quem foi Semmelweis e qual sua contribuição para a saúde
coletiva.
 Assistir o filme “Semmelweis – O Início”.