Вы находитесь на странице: 1из 51

-PÚBLICO-

N-2802 06 / 2008

CONTEC
Comissão de Normalização
Técnica
Folhas de Dados de Instrumentação
Coletânea
SC-10
Instrumentação e
Automação Industrial 1a Emenda

Esta é a 1a Emenda da PETROBRAS N-2802 e se destina a modificar o seu texto na(s) parte(s)
indicada(s) a seguir:

- Inclusão da Seção 5.

- Anexo A:

Alteração nos formulários.

- Anexo B:

Alteração do título das folhas 10/13 e 11/13 do formulário.

NOTA As novas páginas das alterações efetuadas estão localizadas nas páginas originais
correspondentes.

_____________

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 1 página


-PÚBLICO-

N-2802 03 / 2008

Folhas de Dados de Instrumentação


Coletânea

Padronização

Cabe à CONTEC - Subcomissão Autora, a orientação quanto à interpretação do


texto desta Norma. O Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma é o
responsável pela adoção e aplicação das suas seções, subseções e
enumerações.

Requisito Técnico: Prescrição estabelecida como a mais adequada e que


deve ser utilizada estritamente em conformidade com esta Norma. Uma
CONTEC eventual resolução de não segui-la (“não-conformidade” com esta Norma) deve
Comissão de Normalização ter fundamentos técnico-gerenciais e deve ser aprovada e registrada pelo
Técnica Órgão da PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada por verbos de
caráter impositivo.

Prática Recomendada: Prescrição que pode ser utilizada nas condições


previstas por esta Norma, mas que admite (e adverte sobre) a possibilidade de
alternativa (não escrita nesta Norma) mais adequada à aplicação específica. A
alternativa adotada deve ser aprovada e registrada pelo Órgão da
PETROBRAS usuário desta Norma. É caracterizada por verbos de caráter
não-impositivo. É indicada pela expressão: [Prática Recomendada].

Cópias dos registros das “não-conformidades” com esta Norma, que possam
contribuir para o seu aprimoramento, devem ser enviadas para a
SC - 10 CONTEC - Subcomissão Autora.

Instrumentação e Automação As propostas para revisão desta Norma devem ser enviadas à CONTEC -
Industrial Subcomissão Autora, indicando a sua identificação alfanumérica e revisão, a
seção, subseção e enumeração a ser revisada, a proposta de redação e a
justificativa técnico-econômica. As propostas são apreciadas durante os
trabalhos para alteração desta Norma.

“A presente Norma é titularidade exclusiva da PETRÓLEO BRASILEIRO


S.A. - PETROBRAS, de uso interno na Companhia, e qualquer reprodução
para utilização ou divulgação externa, sem a prévia e expressa
autorização da titular, importa em ato ilícito nos termos da legislação
pertinente, através da qual serão imputadas as responsabilidades
cabíveis. A circulação externa será regulada mediante cláusula própria de
Sigilo e Confidencialidade, nos termos do direito intelectual e propriedade
industrial.”

Apresentação
As Normas Técnicas PETROBRAS são elaboradas por Grupos de Trabalho
- GTs (formados por Técnicos Colaboradores especialistas da Companhia e das suas Subsidiárias),
são comentadas pelas Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias, são aprovadas pelas
Subcomissões Autoras - SCs (formadas por técnicos de uma mesma especialidade, representando
as Unidades da Companhia e as suas Subsidiárias) e homologadas pelo Núcleo Executivo (formado
pelos representantes das Unidades da Companhia e das suas Subsidiárias). Uma Norma Técnica
PETROBRAS está sujeita a revisão em qualquer tempo pela sua Subcomissão Autora e deve ser
reanalisada a cada 5 anos para ser revalidada, revisada ou cancelada. As Normas Técnicas
PETROBRAS são elaboradas em conformidade com a Norma Técnica PETROBRAS N-1. Para
informações completas sobre as Normas Técnicas PETROBRAS, ver Catálogo de Normas Técnicas
PETROBRAS.

PROPRIEDADE DA PETROBRAS 4 páginas, 2 formulários e GT


-PÚBLICO-

N-2802 03 / 2008

Prefácio
Esta Norma visa reunir as Folhas de Dados de Instrumentação existentes em normas da Empresa, e
outras, as dispondo em 2 anexos: Anexo A Dados de Processo e Anexo B Dados de Instrumentos.
Em ambos, são apresentados os formulários padronizados seguidos pelas respectivas instruções de
preenchimento, perfazendo, cada par, um número de anexo com 2 folhas. Atenção às proposições
colocadas na Seção 4 - Condições Gerais. Outras Folhas de Dados podem ser incorporadas; e
existentes podem ser suprimidas ao longo do tempo. Portanto, ao serem referenciadas, que sejam
pelo título e não pela letra do anexo.

1 Escopo

1.1 Esta Norma padroniza os conteúdos mínimos das Folhas de Dados de Processo e de
Instrumentos a serem utilizadas, respectivamente, nos projetos básicos e de detalhamento de
Instrumentação na e para a PETROBRAS.

1.2 Esta Norma se aplica aos procedimentos iniciados a partir da data de sua edição.

1.3 Esta Norma contém somente Requisitos Técnicos.

2 Referências Normativas

Os documentos relacionados a seguir são indispensáveis à aplicação desta Norma. Para referências
datadas, aplicam-se somente as edições citadas. Para referências não datadas, aplicam-se as
edições mais recentes dos referidos documentos (incluindo emendas).

PETROBRAS N-381 - Execução de Desenhos e Outros Documentos Técnicos em Geral;

PETROBRAS N-1882 - Critérios para Elaboração de Projetos de Instrumentação;

PETROBRAS N- 1883 - Apresentação de Projeto de Instrumentação/Automação;

ANSI/FCI 70-2 - Control Valve Seat Leakage;

ASME B 36.10 - Welded and Seamless Wrought Steel Pipe;

ASME BPVC-I - Section I: Rules for Constructions of Power Boilers;

ASME PTC 19.3 - Part 3: Temperature Measurement Instruments and Apparatus;

ASME BPVC-VIII-SET - Section VIII - Pressure Vessels Set (Divisions 1, 2 and 3);

ISA-TR 20 - 2001 - Specifications Forms for Process Measurement and Control Instruments;

ISA 20-1981 - Specifications Forms for Process Measurement and Control Instruments,
Primary Elements and Control Valves.

NOTA Referências específicas a cada Folha de Dados são feitas no campo NOTAS da respectiva
Folha de Dados.

3 Termos e Definições

CAE (“Computer Aided Engineering”) - Sistema de auxílio a projetos de engenharia baseado em


banco de dados integrado entre as disciplinas de um projeto.

2
-PÚBLICO-

N-2802 03 / 2008

4 Condições Gerais

4.1 As Folhas de Dados, definidas nesta Norma, devem ser reproduzidas para a sua utilização
rotineira, se não estiverem em base de banco de dados magnéticos.

4.2 As Folhas de Dados apresentadas atendem às especificações colocadas na PETROBRAS


N-1883.

4.3 O conteúdo mínimo das Folhas de Dados deve ser aquele definido pelo padrão ISA 20-1981,
acrescido do conteúdo dos formulários dos Anexos A e B desta Norma

4.4 As Folhas de Dados de Processo e as respectivas instruções de preenchimento são


apresentadas no Anexo A.

4.5 As Folhas de Dados de Instrumentos e as respectivas instruções de preenchimento são


apresentadas no Anexo B.

4.6 O formato dos formulários constantes dos Anexos A e B é o modelo recomendado para
apresentação.

4.7 Para sistemas CAE, recomenda-se que as Folhas de Dados sigam o formato definido no padrão
ISA TR 20 - 2001, atentando para o conteúdo mínimo exigido em 4.3.

4.8 As Folhas de Dados de Instrumentos definidas na presente Norma, depois de preenchidas,


devem ser os documentos que contém os requisitos técnicos para a compra dos instrumentos.

NOTA 1 No caso em que o projeto requeira o uso da língua estrangeira fica a cargo do usuário a
tradução dos formulários.
NOTA 2 No caso em que as Folhas de Dados estejam apresentadas em Inglês, ou seja de outra
origem que não desta Norma, deve-se observar o definido em 4.3 relativamente ao
conteúdo mínimo e demais Condições Gerais cabíveis.

4.9 As Folhas de Dados, depois de preenchidas, devem constituir documentos permanentes do


projeto.

4.10 Nas Folhas de Dados de Instrumentos devem ser registradas exigências de certificação,
quando assim exigidas de modo compulsório ou de modo eventual.

4.10.1 Não havendo campos específicos no formulário, os registros devem ser lançados no campo
de NOTAS do respectivo formulário como reforço às Especificações Técnicas ou determinações de
normas referentes.

4.10.2 A falta destes registros no formulário não invalida as determinações das Especificações
Técnicas pertinentes ou normas referentes.

3
-PÚBLICO-

N-2802 03 / 2008

4.11 O cabeçalho e o rodapé devem ser preenchidos de acordo com a PETROBRAS N-381. Caso
seja necessário usar folha de continuação, utilizar o modelo aplicável do Anexo A da PETROBRAS
N-381.

5 Índices dos Anexos

a) Anexo A - Folhas de Dados de Processo:


— índice de revisões - folha 01/15;
— válvulas de controle - folha 02/15;
— pressão e pressão diferencial - folha 04/15;
— temperatura - folha 06/15;
— nível - folha 08/15;
— vazão - folha 10/15;
— válvulas de segurança e alívio - folha 12/15;
— instrumentação (diversos) - folha 14/15;
b) Anexo B - Folhas de Dados de Instrumentos:
— índice de revisões - folha 01/13;
— poços para instrumentos de temperatura - folha 02/13;
— válvulas de segurança e de alívio - folha 04/13;
— válvula on-off - folha 06/13;
— elemento primário de vazão tipo orifício calibrado - folha 08/13;
— analisador de O2 (Tipo Zr O) - folha 10/13;
— analisador de Ph - folha 12/13.

______________

/ANEXOS A e B

4
-PÚBLICO-
No
FOLHA DE DADOS
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:

PROCESSO

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 01/15.
-PÚBLICO-
No REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA:
de

PROCESSO - VÁLVULAS DE CONTROLE

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, kg/h
VAZÃO

06 MÁXIMA, kg/h
07 MÍNIMA, kg/h
2
08 À VAZÃO OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
A MONT.
PRESSÃO MAN.

2
09 À VAZÃO MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
10 À VAZÃO MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
11 À VAZÃO OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
A JUS.

2
12 À VAZÃO MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
13 À VAZÃO MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
14 PRESSÃO DE PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
P MÁXIMA, kPa (kgf/cm )
2
15
P DO SISTEMA

2
16 DINÂMICO A MONTANTE, (kPa) (kgf/cm )
(VER NOTA 1)

2
17 ESTÁTICO A MONTANTE, (kPa) (kgf/cm )
2
18 DINÂMICO A JUSANTE, (kPa) (kgf/cm )
2
19 ESTÁTICO A JUSANTE, (kPa) (kgf/cm )
TEMP.

20 OPERAÇÃO, C
21 PROJETO, C
22 DENSIDADE A 20 C / 4 C
23 DENSIDADE À TEMP. OPERAÇÃO
VISCOSIDADE À TEMP. OPERAÇÃO,
LÍQUIDO

24
(Pa.s)(cP)
2
25 PRESSÃO VAPOR ABS., (kPa) (kgf/cm )
2
26 PRESSÃO CRÍTICA ABS., (kPa) (kgf/cm )
% VAPORIZADA EM MASSA A JUSANTE (EM
27
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO NORMAL)
28 MASSA MOLAR (kg/kmol)
29 Cp / Cv
GÁS/VAPOR
(COND. OP.)

FATOR DE COMPRESSIBILIDADE A
30
MONTANTE
3
31 VOL. ESPECIF. ENTRADA, m / kg
3
32 VOL. ESPECIF. SAÍDA, m / kg
33 GRAU DE SUPERAQUECIMENTO, C
34 AÇÃO EM CASO DE FALHA
CLASSE DE VAZAMENTO REQUERIDA
35
(VER NOTA 2)
36 FLUXOGRAMA
37 NOTAS APLICÁVEIS
38 REVISÃO

NOTA 1 P DINÂMICO NA VAZÃO DE OPERAÇÃO E P ESTÁTICO NO SENTIDO DO FLUXO.


NOTA 2 SEGUNDO ANSI/FCI 70-2.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 02/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE CONTROLE


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR A VÁLVULA DE CONTROLE SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM
01
VIGOR PARA O PROJETO (EXEMPLO: TV-1223001).
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO (EXEMPLO: GÁS NATURAL, NAFTA ETC.).

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS 2 FASES.

04 INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADA A VÁLVULA DE CONTROLE EM POLEGADAS.
INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES
05
DE CADA FASE.
INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES DE
06
CADA FASE.
INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES DE
07
CADA FASE.
INDICAR A PRESSÃO DA LINHA A MONTANTE DA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES DE VAZÃO NORMAL, NAS CONDIÇÕES
08/09/10
DE VAZÃO MÁXIMA E MÍNIMA, RESPECTIVAMENTE.
INDICAR A PRESSÃO DA LINHA A JUSANTE DA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES DE VAZÃO NORMAL, MÁXIMA E MÍNIMA,
11/12/13
RESPECTIVAMENTE.
14 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA A MONTANTE DA VÁLVULA DE CONTROLE.
INDICAR O DIFERENCIAL DE PRESSÃO MÁXIMO, CONTRA O QUAL A VÁLVULA DEVE ABRIR OU FECHAR (ESTE DADO
15
SERVE PARA ESPECIFICAR O ATUADOR).

INDICAR A PERDA DE CARGA (P) QUE OCORRER NO SISTEMA (TUBULAÇÃO, EQUIPAMENTOS, ACESSÓRIOS),
16/18 PRECEDENTE À VÁLVULA DE CONTROLE E QUE A SUCEDEM, RESPECTIVAMENTE, QUANDO O SISTEMA ESTIVER EM
VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO. DADOS NECESSÁRIOS PARA A SELEÇÃO DA CARACTERÍSTICA DA VÁLVULA.

INDICAR AS PRESSÕES NORMAIS, A MONTANTE E A JUSANTE DA VÁLVULA, QUANDO A VAZÃO PASSANTE POR ELA
17/19
FOR NULA.
20 INDICAR A TEMPERATURA DE OPERAÇÃO NORMAL DA VÁLVULA.

21 INDICAR A TEMPERATURA MÁXIMA NA VÁLVULA, EM OPERAÇÃO OU PRÉ-OPERAÇÃO.

22 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA A 20 °C / 4 °C PARA LÍQUIDOS.

23 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA À TEMPERATURA DE OPERAÇÃO PARA LÍQUIDOS.


EXPLICITAR OS DADOS DE PROCESSO DO FLUÍDO EM ESCOAMENTO PELA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES NORMAIS
24 a 27
QUANDO ESTE FLUÍDO FOR LÍQUIDO OU BIFÁSICO COM FASE LÍQUIDA.
EXPLICITAR OS DADOS DE PROCESSO DO FLUIDO EM ESCOAMENTO PELA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES NORMAIS
28 a 33
QUANDO ESTE FOR GÁS OU BIFÁSICO COM UMA DAS FASES SENDO GÁS OU VAPOR.
34 INDICAR O TIPO DE FALHA (FALHA ABRE-FA, FALHA FECHA-FF OU FALHA ESTACIONÁRIA-FE).

35 INDICAR A CLASSE DE VAZAMENTO SEGUNDO A ANSI/FCI-70-2.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA/PROCESSO OU NÚMERO DO DESENHO NO QUAL A
36
VÁLVULA DE CONTROLE ESTÁ REPRESENTADA.

EXPLICITAR QUAIS AS NOTAS QUE SÃO APLICÁVEIS ÀQUELA VÁLVULA QUE ESTÁ SENDO ESPECIFICADA; INCLUIR
37 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS À CORRETA ESPECIFICAÇÃO DA VÁLVULA, TAIS COMO: SÓLIDOS SUSPENSÃO,
FLUIDOS CORROSIVOS ETC.

INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
38
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 03/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - PRESSÃO E PRESSÃO DIFERENCIAL

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
2
05 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
2
PRES. MAN. OU

06 MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )


DIFERENCIAL

2
07 MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
08 BAIXA/MUITO BAIXA, (kPa) (kgf/cm )
ALARME
2
09 ALTA/MUITO ALTA, (kPa) (kgf/cm )
2
10 PARADA, (kPa) (kgf/cm )
2
11 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
OPERAÇÃO, C
TEMP.

12
13 PROJETO, C
14 DENSIDADE DO LÍQUIDO À TEMP. OP.
15 DENSIDADE DO LÍQUIDO À 20 ºC / 4 C
16 VISCOSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP., (Pa.s) (cP)
FLUIDO

17 VISCOSIDADE DO LÍQ. À 20 ºC, (Pa.s) (cP)


18 MASSA MOLAR (kg/kmol)
19 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
20 POLIMERIZA À TEMP. AMB.? (S/N)
21 CONTÊM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO? (S/N)
22 FLUXOGRAMA
23 NOTAS APLICÁVEIS
24 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 04/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - PRESSÃO E PRESSÃO DIFERENCIAL


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.


INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA OU A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO ONDE DEVE SER INSTALADO O
04
INSTRUMENTO.
05 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) NORMAL DE OPERAÇÃO.

06 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) MÁXIMA DE OPERAÇÃO.

07 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) MÍNIMA DE OPERAÇÃO, SE NECESSÁRIO.

08/09/10 ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA.

11 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

12 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

13 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

14 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO, PARA LÍQUIDOS.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA A 20 ºC / 4 ºC PARA LÍQUIDOS.

16/17 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO E A 20 ºC, PARA LÍQUIDOS.

18 INDICAR A MASSA MOLAR, PARA GASES E VAPORES.

19 a 21 RESPONDER “SIM OU NÃO”, CONFORME A RESPOSTA À PERGUNTA FORMULADA.

22 INFORMAR NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ REPRESENTADO.

23 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.


INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
24
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 05/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - TEMPERATURA

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, °C
06 MÁXIMA, °C
TEMPERATURA

07 MÍNIMA, °C
08 PROJETO, °C
09 BAIXA / MUITO BAIXA, °C
ALARME
10 ALTA / MUITO ALTA, °C
11 PARADA
2
12 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
13 FLUXOGRAMA
14 NOTAS APLICÁVEIS

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, °C
06 MÁXIMA, °C
TEMPERATURA

07 MÍNIMA, °C
08 PROJETO, °C
09 BAIXA/MUITO BAIXA, °C
ALARME
10 ALTA/MUITO ALTA, °C
11 PARADA
2
12 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
13 FLUXOGRAMA
14 NOTAS APLICÁVEIS
15 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 06/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - TEMPERATURA
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM
01
VIGOR PARA O PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.


INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O
04
INSTRUMENTO.
05 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

06 INDICAR A TEMPERATURA MÁXIMA DE OPERAÇÃO.

07 INDICAR A TEMPERATURA MÍNIMA DE OPERAÇÃO.

08 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

09 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA ALARME DE TEMPERATURA BAIXA E MUITO BAIXA.

10 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA ALARME DE TEMPERATURA ALTA E MUITO ALTA.

11 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA PARADA DE EMERGÊNCIA.

12 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA OU DESENHO NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ
13
REPRESENTADO.
14 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.
INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
15
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 07/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - NÍVEL

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO INFERIOR
GERAL

03 FLUIDO SUPERIOR
04 EQUIPAMENTO
NÍVEL (VER NOTAS)

05 NORMAL, mm
06 MÁXIMO, mm
07 MÍNIMO, mm
08 BAIXO / MUITO BAIXO, mm
ALARME
09 ALTO / MUITO ALTO, mm
10 PARADA, mm
PRES.

2
MAN.

11 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )


2
12 PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
TEMP.

13 OPERAÇÃO, C
14 PROJETO, C
15 DENSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP.
16 DENSIDADE DO LÍQ. À 20 C / 4 C
VISCOSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP., (Pa.s)
INFERIOR

17
(cP)
18 VISCOSIDADE DO LÍQ. A 20 C, (Pa.s) (cP)
19 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
20 POLIMERIZA À TEMP. AMB? (S/N)
FLUÍDO(S)

21 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)


22 DENSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP.
23 DENSIDADE DO LÍQ. A 20 C / 4 °C
SUPERIOR

VISCOSIDADE DO LÍQ. A TEMP. OP., (Pa.s)


24
(cP)
25 VISCOSIDADE DO LÍQ. A 20 C, (Pa.s) (cP)
26 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
27 POLIMERIZA À TEMP. AMB? (S/N)
28 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)
29 FLUXOGRAMA
30 NOTAS APLICÁVEIS
31 REVISÃO

NOTA 1 COTAS DOS NÍVEIS EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA INFERIOR OU GERATRIZ INFERIOR DO EQUIPAMENTO.
NOTA 2 PARA CADA EQUIPAMENTO INDICADO NO ITEM 4, DEVE SER FORNECIDO UM DESENHO SIMPLIFICADO
CONTENDO, NO MÍNIMO, SUAS DIMENSÕES E AS COTAS DOS NÍVEIS NORMAL, MÍNIMO E MÁXIMO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 08/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - NÍVEL
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO INFERIOR DE PROCESSO.

03 INDICAR O FLUIDO SUPERIOR DE PROCESSO, NO CASO DE INTERFACE LÍQUIDO/LÍQUIDO.

04 IDENTIFICAR O EQUIPAMENTO ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 INDICAR A COTA DO NÍVEL NORMAL EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.

06 INDICAR A COTA DO NÍVEL MÁXIMO, EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.

07 INDICAR A COTA DO NÍVEL MÍNIMO, EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.


ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA, INDICANDO AS COTAS EM
08/09/10
RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.
11 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO.

12 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DO EQUIPAMENTO.

13 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

14 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DO EQUIPAMENTO.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

16 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 ºC EM RELAÇÃO A ÁGUA A 4 ºC.

17/18 INDICAR A VISCOSIDADE NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO E A 20 ºC.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO FOR SUPERIOR À TEMPERATURA
19
AMBIENTE.
20 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZAR A TEMPERATURA AMBIENTE.

21 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.


DEVEM SER PREENCHIDOS SOMENTE EM CASO DE MEDIÇÃO DE NÍVEL DE INTERFACE DE LÍQUIDO/LÍQUIDO
22 a 28
CONFORME ITEM 15 A 21 RESPECTIVAMENTE.
29 INDICAR NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA, NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ REPRESENTADO.

30 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS REFERENCIADAS.


INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
31
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 09/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VAZÃO

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, (kg/h)
06 MÁXIMA, (kg/h)
07 MÍNIMA, (kg/h)
VAZÃO

BAIXA / MUITO BAIXA, (kg/h)


3
(m /h)
08 ALARME
ALTA / MUITO ALTA, (kg/h)
3
(m /h)
3
09 PARADA, (kg/h) (m /h)
2
PRES.

10 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )


MAN.

2
11 PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
OPERAÇÃO, C
TEMP.

12
13 PROJETO, C
14 DENSIDADE A TEMP. OP.
15 DENSIDADE A 20 °C / 4 C
LÍQUIDO

16 VISCOSIDADE A TEMP. OP., (cP) (Pa.s)


17 PT. FLUIDEZ SUP. A TEMP. AMB.? (S/N)
18 POLIMERIZA A TEMP. AMB.? (S/N)
19 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)
20 MASSA MOLAR (kg/kmol)
GÁS/VAPOR

21 Cp / Cv
22 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE
23 TÍTULO DO VAPOR %
24 CONTÉM LÍQ. EM SUSPENSÃO? (S/N)
P MÁXIMO ADMISSÍVEL, kPa (kgf/cm )
2
25
26 FLUXOGRAMA
27 NOTAS APLICÁVEIS
28 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 10/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VAZÃO
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA.

06 INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

07 INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

08/09 ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO, EM VALOR ABSOLUTO, PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA.

10 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA, A MONTANTE DO ELEMENTO PRIMÁRIO.

11 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA.

12 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

13 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA.

14 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NA TEMPERATURA DE OPERAÇÃO.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 °C EM RELAÇÃO À ÁGUA A 4 °C.

16 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO EM CENTIPOISE OU Pa.s.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO FOR SUPERIOR À TEMPERATURA
17
AMBIENTE.
18 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZAR À TEMPERATURA AMBIENTE.

19 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.

20 INDICAR A MASSA MOLAR.

21 INDICAR A RELAÇÃO ENTRE CALORES ESPECÍFICOS, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO.

22 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO.

23 INDICAR O TÍTULO DE VAPOR, EM PORCENTAGEM, SOMENTE PARA VAPOR D’ÁGUA.

24 INDICAR “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER LÍQUIDO ARRASTADO.

25 INDICAR A PERDA DE CARGA MÁXIMA ADMISSÍVEL NO ELEMENTO PRIMÁRIO.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA OU DESENHO NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ
26
REPRESENTADO.
27 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.
INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
28
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 11/15.


-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE SEGURANÇA / ALÍVIO

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, (in)
05 CRITÉRIO PARA DIMENSIONAMENTO
VAZÃO

06 LÍQUIDO, (kg/h)

07 VAPOR OU GÁS, kg/h


2
08 OPERAÇÃO, (kPa) (kg/cm )
PRES. MANO.

2
09 AJUSTE, (kPa) (kg/cm )
PRESSÃO

2
CONSTANTE, (kPa) (kg/cm )
CONTRA

10
2
11 MÁXIMA, (kPa) (kg/cm )
VARIÁVEL 2
12 MÍNIMA, (kPa) (kg/cm )
13 OPERAÇÃO, C
TEMP.

14 ALÍVIO, C
15 PROJETO, C
16 MÍNIMA A JUSANTE, C
17 DENSIDADE À TEMP. ALÍVIO
LÍQ.

18 VISCOS. À TEMP. ALÍVIO, (cP) (Pa.s)


19 MASSA MOLAR (kg/kmol)
VAPOR
GÁS/

20 CP / CV
21 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE
22 SOBREPRESSÃO (%)
23 CONTATO C/ FLUÍDO CORROSIVO? (SIM/NÃO)
24 FLUXOGRAMA
25 EQUIPAMENTO PROTEGIDO
26 NOTAS APLICÁVEIS
27 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 12/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE SEGURANÇA / ALÍVIO


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR A VÁLVULA SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO (POR EXEMPLO, PSV-1223001).
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADA A VÁLVULA.


ESPECIFICAR O CRITÉRIO DE DIMENSIONAMENTO DA CAPACIDADE REQUERIDA DA VÁLVULA TAL COMO: FOGO,
05
DESCARGA BLOQUEADA, ALÍVIO TÉRMICO, FALHA DO SISTEMA DE ÁGUA DE RESFRIAMENTO.
INDICAR A VAZÃO DE LÍQUIDO ALIVIADO PELA VÁLVULA E A UNIDADE DE VAZÃO. SE O ESCOAMENTO FOR
06
BIFÁSICO, PREENCHER TAMBÉM O ITEM 7.
INDICAR A VAZÃO DE VAPOR OU GÁS ALIVIADA PELA VÁLVULA. SE O ESCOAMENTO FOR BIFÁSICO, PREENCHER
07
TAMBÉM O ITEM 6.
08 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

09 ESPECIFICAR A PRESSÃO DE AJUSTE DE VÁLVULA DE SEGURANÇA/ALÍVIO.

10 INDICAR A PRESSÃO NA DESCARGA DA VÁLVULA, SE FOR CONSTANTE.

11 INDICAR A MÁXIMA PRESSÃO “SUPERIMPOSTA” NA DESCARGA DA VÁLVULA, QUANDO DA ABERTURA DA VÁLVULA.

12 INDICAR A MÍNIMA PRESSÃO NA DESCARGA DA VÁLVULA, SEM FLUXO.

13 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

14 INDICAR A TEMPERATURA NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO, DE ACORDO COM A(S) SEGUINTE(S) NORMA:
15
EXEMPLO: VASOS DE PRESSÃO: NORMA ASME BPVC-VIII-SET.

16 INDICAR A MENOR TEMPERATURA QUE OCORRE DURANTE O ALÍVIO PELA PSV.

17 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NA TEMPERATURA DE ALÍVIO.

18 INDICAR A VISCOSIDADE, NA TEMPERATURA DE ALÍVIO.

19 INDICAR A MASSA MOLAR.

20 INDICAR A RELAÇÃO ENTRE OS CALORES ESPECÍFICOS, NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

21 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

22 INDICAR A SOBREPRESSÃO, EM RELAÇÃO À PRESSÃO DE AJUSTE.

23 RESPONDER “SIM” OU “NÃO”, CONFORME A RESPOSTA À PERGUNTA FORMULADA.

24 INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA NO QUAL A VÁLVULA ESTÁ REPRESENTADA.

25 IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO PROTEGIDO (TAG OU DESCRIÇÃO).

26 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS À VÁLVULA.


INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
27
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PEROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 13/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - INSTRUMENTAÇÃO (DIVERSOS)

01 IDENTIFICAÇÃO

02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
EQUIPAMENTO OU DIÂMETRO NOMINAL DA
04
LINHA
05

06 VARIÁVEL DE MEDIÇÃO

07

08
DADOS ESPECÍFICOS

09

10

11

12

13

14

15

16 NORMAL
PRESSÃO

17 DE PROJETO

18

19 UNIDADE
TEMPERATURA

20 NORMAL

21 DE PROJETO

22

23 UNIDADE

24 NORMAL
VAZÃO

25 MÁXIMA

26 MÍNIMA

27 UNIDADE

28 DENS. REL. À TEMP. OP.

29 DENS. REL. A 20 °C / 4 °C
CARACTERISTICAS DO FLUIDO

30 VISCOSIDADE À TEMP. OP. (Pa.s)(cP)

31 MASSA MOLAR (kg/kmol)

32 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE

33 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMBIENTE?

34 POLIMERIZA À TEMP. AMBIENTE?

35 CONTÉM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO?

36

37

38 NOTAS APLICÁVEIS

39 NOTAS:

40 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A – FOLHA 14/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - INSTRUMENTAÇÃO (DIVERSOS)


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO CONFORME O FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA
01
EM VIGOR PARA O PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

06 ESPECIFICAR A VARIÁVEL DE MEDIÇÃO.


PREENCHER OS TÍTULOS DOS CAMPOS RELACIONANDO-OS AOS DADOS DE PROCESSOS NECESSÁRIOS À
07 a 15
ESPECIFICAÇÃO DO INSTRUMENTO.
16 INDICAR PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

17 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

18 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

19 INDICAR A UNIDADE DE PRESSÃO UTILIZADA.

20 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

21 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

22 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

23 INDICAR A UNIDADE DE TEMPERATURA UTILIZADA.

24 INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA.

25 INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

26 INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

27 INDICAR A UNIDADE DE VAZÃO UTILIZADA.

28 UTILIZAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

29 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 °C EM RELAÇÃO A ÁGUA A 4 °C, PARA LÍQUIDOS.

30 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

31 INDICAR A MASSA MOLAR, PARA GASES OU VAPORES.

32 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO É SUPERIOR À TEMPERATURA
33
AMBIENTE.
34 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZA À TEMPERATURA AMBIENTE.

35 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTÉM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.

36 e 37 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

38 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO, DESCRITAS NO ITEM 39.

39 RESERVADO PARA NOTAS.


INDICAR A ÚLTIMA REVISÃO CORRESPONDENTE AO ITEM. UTILIZAR "0" (ZERO) PARA O ORIGINAL E LETRAS
40
MAIÚSCULAS, EM ORDEM ALFABÉTICA, PARA AS REVISÕES SUBSEQUENTES ("A", "B" ETC).

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 15/15.


-PÚBLICO-
No
FOLHA DE DADOS
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:

INSTRUMENTOS

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 01/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - POÇOS PARA INSTRUMENTOS
DE TEMPERATURA

1 MATERIAL: AISI 304 AISI 306 OUTRO:

2 CONSTRUÇÃO: TORNEADO DE UMA BARRA OUTRA:

3 TIPO: CÔNICO CILÍNDRICO COM REBAIXO NA EXTREMIDADE

4 FABRICANTE (REFERÊNCIA):

5 MODELO (REFERÊNCIA):

1" ADMITIDO 1" ADMITIDO


3/4" PARA FLANGE U 3/4" PARA ROSCA U

P
1/2" 1/2"
NPT NPT
OU BSP OU BSP

L L
1/4" 1/4"

6 7 8 9 10 11
SERVIÇO TEMPERATURA CONEXÃO DIMENSÃO
AO NOTAS
IDENTIFICAÇÃO NORMAL MÁXIMO “U” “L”
LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO PROCESSO APLICÁVEIS
(°C) (°C) (P) (mm) (mm)

NOTA 1 CONICIDADE NECESSÁRIA A RESISTÊNCIA MECÂNICA, CONFORME ASME PTC 19.3 E O 8.2.4.8 DA PETROBRAS N-1882.
NOTA 2 OBRIGATÓRIA APRESENTAÇÃO DE EVIDÊNCIAS QUANTO ÀS VERIFICAÇÕES DE RESISTÊNCIA CONFORME A PETROBRAS
N-1882 (NÃO ISENTA O FORNECEDOR DAS RESPONSABILIDADES).
NOTA 3 INDICAR NO CAMPO “NOTAS” O TIPO DE SOLDA REQUERIDA PARA A FIXAÇÃO DO CORPO DO POÇO COM O FLANGE,
CONFORME EM 8.2.4 DA PETROBRAS N-1882.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 REV. A ANEXO B - FOLHA 02/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - POÇOS PARA INSTRUMENTOS
DE TEMPERATURA
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO

01 INDICAR O MATERIAL DO POÇO.

02 INDICAR O TIPO DE CONSTRUÇÃO.

03 DEFINIR O TIPO.

04 e 05 INDICAR, SE NECESSÁRIO, CONFORME COMPRADO.


IDENTIFICAR O POÇO SEGUNDO O FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR
06
NO PROJETO (EXEMPLO: TW122301).
INDICAR A LOCALIZAÇÃO E FUNÇÃO DO INSTRUMENTO INDICANDO, NO MÍNIMO, O DIÂMETRO DA LINHA ONDE ESTÁ
07
INSTALADO.
08 INDICAR AS TEMPERATURAS DE OPERAÇÃO (NORMAL E MÁXIMA).

09 INDICAR O TIPO, DIMENSÃO E CLASSE DE PRESSÃO DA CONEXÃO DO POÇO AO PROCESSO.


INDICAR AS DIMENSÕES “U” E “L” PARA POÇOS EM EQUIPAMENTOS OU LINHAS DE ACORDO COM A PETROBRAS
10
N-1882.
11 NUMERAR NESTA COLUNA AS NOTAS A SEREM DESCRITAS NO ITEM 12.

12 RESERVADO PARA NOTAS.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 03/13.
-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - VÁLVULAS DE SEGURANÇA
E DE ALÍVIO
1 IDENTIFICAÇÃO
2 FLUXOGRAMA
3 SERVIÇO
4 QUANTIDADE
No LINHA / EQUIPAMENTO
GERAL

5
6 ESPEC. TUB. ENTR. SAÍDA
7 SEGURANÇA OU ALÍVIO
8 BOCAL TOTAL / REDUZIDO
9 FOLE OU PILOTO OPERADA
10 TIPO DE CASTELO
11 DIÂM.: ENTR. SAÍDA
CONEXÕES

12 TIPO DAS CONEXÕES

13 CLASSE / ACABAMENTO

14
15 CORPO
16 SEDE DISCO
MATERIAIS

17 GUIAS ANÉIS
18 SEDE RESILIENTE
19 MOLAS FOLES
20 HASTE
21 CAP. ROSC. / APARAFUSADO
OPÇÕES

22 ALAVANCA: SIMPLES / ENGAXET.


23 INDIC. PARA TESTE (MANÔMETRO)
24 DISCO DE RUPTURA
25 “CODE” OU NORMA
CRITÉRIO: FOGO /
26
OUTRO
27 FLUIDO ESTADO
28 VAZÃO
PRESSÃO PRESSÃO PRESSÃO
29
NORMAL ALÍVIO PROJETO
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO

TEMP. TEMP.
30 TEMP. ALÍVIO
NORMAL PROJETO

31 DENS. RELAT. PESO MOLEC.


CONSTANTE
32 CONTRAPRESS. VARIÁVEL MÁX./MÍN.
TOTAL
33 SOBREPRESSÃO (%)
34 VISCOSIDADE COND. ALÍVIO
35 CP/CV FATOR Z
36 PRESSÃO ATMOSFÉRICA (Abs)
37 PRESSÃO DE TESTE: OP | BANCADA
SEC. VIII DIV. 1
CÓDIGO ASME

38 TESTE DE CAPACIDADE DE VAZÃO


CERTIC.

39 TESTE DE VEDAÇÃO
40 TESTE DE ABERTURA
41 PRESSÃO DE AJUSTE DA MOLA
42 ÁREA CALC. SELECIONADA
VÁLVULA

43 DENOMINAÇÃO DO ORIFÍCIO
44 FAIXA DA MOLA
45 FABRICANTE
46 MODELO

47 UNIDADES: VAZÃO (kg/h) PRESSÃO (kPa) (kgf/cm2g) TEMPERATURA (ºC) VISCOSIDADE (Pa.s) (cP) ÁREA (sq in)

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 04/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - VÁLVULAS DE SEGURANÇA
E DE ALÍVIO
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAÇÃO(ÕES) - TAG, CONFORME O FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA
1
EM VIGOR PARA O PROJETO.
2 IDENTIFICAÇÃO DO FLUXOGRAMA (NUMERAÇÃO).

3 ÊNFASE NA IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO PROTEGIDO.

4 QUANTIDADE DE EQUIPAMENTOS DE MESMA ESPECIFICAÇÃO, DE ACORDO COM ITEM 1.

5 LOCAL DE INSTALAÇÃO.

6 ESPECIFICAÇÕES DE TUBULAÇÃO DAS CONEXÕES (MATERIAL).

7 CONFORME CLASSIFICAÇÃO ASME BPVC-I, PARÁGRAFO PG-67 (NOTA DE PÉ DE PÁGINA).

8 ESPECIFICAR CONFORME CONSTRUÇÃO DE ENTRADA.

9 ESPECIFICAR TIPO: DE FOLE OU PILOTO OPERADA.

10 TIPO DE CASTELO - ABERTO OU FECHADO.

11 BITOLAS EM POLEGADAS.

12 CONEXÕES FLANGE OU ROSCAS.

13 CLASSE DE PRESSÃO E ACABAMENTO. EX. 150# RF; NPT.

14

15 a 20 ESPECIFICAR MATERIAL DE CADA ITEM.

21 ESPECIFICAR O “CAP” SE NÃO DISPUSER DE ALAVANCA DE ATUAÇÃO MANUAL.

22 ESPECIFICAR O TIPO DE ALAVANCA, SE HOUVER.

23 SIM OU NÃO.

24 SE UTILIZADO, ESPECIFICAR MATERIAL.

25 DECLARAR O CODE OU NORMA DE REFERÊNCIA.


NO PRIMEIRO CAMPO, INDICAR SE CRITÉRIO DETERMINANTE PARA APLICAÇÃO DO DISPOSITIVO É (OU NÃO) FOGO;
26
SE NÃO FOR FOGO EXPLICITAR O CRITÉRIO NO SEGUNDO CAMPO.
DECLARAR AS CONDIÇÕES DE PROCESSO. NO ITEM 33 - ESPECIFICAR EM % O ADICIONAL DE PRESSÃO
27 a 36
TOLERÁVEL EM RELAÇÃO À PRESSÃO DE AJUSTE.
37 ESPECIFICAR O VALOR DA PRESSÃO DE TESTE: OP - CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO | CONDIÇÕES DE BANCADA.
ANOTAR OS NÚMEROS DOS CERTIFICADOS, DE EXIGÊNCIA OBRIGATÓRIA, CONFORME
38 a 40
ASME BPVC-VIII DIVISION 1.
41 ANOTAR O VALOR DA PRESSÃO DA MOLA.

42 ANOTAR A ÁREAS PARA A SEDE: A CALCULADA E A SELECIONADA.

43 DE ACORDO COM O CATÁLOGO, A DENOMINAÇÃO APLICADA.

44 ANOTAR O RANGE DA MOLA.

45 ANOTAR O NOME DO FABRICANTE.

46 ANOTAR O MODELO DESIGNADO PELO FABRICANTE DA VÁLVULA.


UNIDADES APLICÁVEIS AOS ITENS CORRESPONDENTES. CASO NECESSÁRIA EXPRESSÃO EM OUTRAS UNIDADES,
47
ANOTAR JUNTO AO VALOR.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 05/13.
-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - VÁLVULA ON-OFF

1 IDENTIFICAÇÃO:

2 SERVIÇO:

o
3 LINHA N :
4 TIPO
5 FIRE SAFE NORMA
6 MATERIAL DO CORPO
7 MATERIAL DO OBTURADOR
8 MATERIAL DA SEDE
VÁLVULA

9 MATERIAL DOS PARAFUSOS E PORCAS


10 DIMENSÃO NOMINAL: CORPO SEDE
11 CONEXÕES / NORMA
12 LUBRIFICADOR
13 CLASSE DE VEDAÇÃO / NORMA
14 TORQUE (Nm): FECHAMENTO ABERTURA MÁXIMO ADMISSÍVEL
15 NORMA DE PINTURA
16 TIPO
17 MATERIAL DO ATUADOR
18 FLUIDO DE ACIONAMENTO
ATUADOR

PRESSÃO
19 NORMAL MÍNIMA MÁXIMA ADMISSÍVEL
ACIONAMENTO
20 TORQUE DESENVOLVIDO: FECHAMENTO ABERTURA
21 POSIÇÃO DE FALHA
22 ACUMULADOR DE ENERGIA: MATERIAL VOLUME
23 TEMPO DE ATUAÇÃO TESTE “PARTIAL STROKE”
24 VÁLVULA SOLENÓIDE TENSÃO CONSUMO
ACESSÓRIOS

25 CHAVE FIM DE CURSO: QUANTIDADE POSIÇÕES


26 CHAVE FIM DE CURSO: TIPO TENSÃO E CORRENTE MÁX.
27 CLASSIFICAÇÃO DOS INVÓLUCROS CONEXÕES ELÉTRICAS
28 OUTROS
29 FLUIDO DO PROCESSO ESTADO FÍSICO
CONDIÇÕES DE PROCESSO

30 VAZÃO: NORMAL MÍNIMA MÁXIMA


PRESSÃO
31 NORMAL MÍNIMA MÁXIMA
ENTRADA:
32 PRESSÃO SAÍDA: NORMAL MÍNIMA MÁXIMA
33 Δ P MÁXIMO PARA DIMENSIONAMENTO DO ATUADOR
34 TEMPERATURA NORMAL MÍNIMA MÁXIMA
35 DENSIDADE CONDIÇÃO OPERAÇÃO PESO MOL.
36 VISCOSIDADE CONDIÇÃO OPERAÇÃO
37 FABRICANTE E MODELO DE REFERÊNCIA
38 NOTAS APLICÁVEIS

NOTA 1 UNIDADES DE ENGENHARIA: PRESSÃO - kPa; ETC.


NOTA 2 LEGENDA: NA - NÃO APLICÁVEL ETC.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 06/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - VÁLVULA ON-OFF


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
TAG, CONFORME FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO (POR EXEMPLO, SDV-1223001).
02 SUCINTAMENTE, SERVIÇO A SER EXECUTADO. EXEMPLO: CORTE GÁS COMB. PARA H-9999.

03 IDENTIFICAÇÃO DA LINHA ONDE SERÁ INSTALADA.

04 TIPO DA VÁLVULA (EXEMPLO: ESFERA; BORBOLETA TRIEXCÊNTRICA ETC).

05 ANOTAR SIM, SE “FIRE-SAFE”; E A NORMA REFERENTE.

06 ESPECIFICAR O MATERIAL.

07 ESPECIFICAR O MATERIAL.

08 ESPECIFICAR O MATERIAL. CITAR O MATERIAL RESILIENTE SE HOUVER.

09 ESPECIFICAR O MATERIAL.

10 AS DIMENSÕES EM POLEGADAS.

11 TIPO DAS CONEXÕES, CLASSE DE PRESSÃO, TIPO DE ACABAMENTO. NORMA DA CLASSIFICAÇÃO.

12 SE UTILIZADOS, SIM / NÃO.

13 CLASSE E A NORMA DE TESTE DE ESTANQUEIDADE.

14 INFORMAR OS VALORES CALCULADOS, NECESSÁRIOS PARA ACIONAMENTO DA VÁLVULA.

15 INDICAR A NORMA DE PINTURA.

16 TIPO DO ATUADOR EMPREGADO (PNEUMÁTICO COM DIAFRAGMA; PISTÃO; HIDRÁULICO).

17 ESPECIFICAR O MATERIAL.

18 ESPECIFICAR O FLUIDO DE ACIONAMENTO (EXEMPLO: AR; FLUIDO HIDRAULICO ETC).

19 ESPECIFICAR AS PRESSÕES DE ACIONAMENTO DO ATUADOR.

20 INFORMAR OS VALORES DE TORQUE DESENVOLVIDO PELO ATUADOR NO FECHAMENTO E NA ABERTURA.


INFORMAR SE A POSIÇÃO DA HASTE AVANÇA, RECOLHE OU ESTACIONA EM RELAÇÃO AO ATUADOR EM CASO DE
21
FALHA DA ENERGIA.
3
INFORMAR O MATERIAL E A CAPACIDADE DO ACUMULADOR EM m . CASO NÃO HAJA, INDICAR “NA” (NÃO
22
APLICÁVEL).
TEMPO PARA CURSO COMPLETO EM SEGUNDOS. SE REQUERIDO TESTE “PARTIAL STROKE”, INDICAR “SIM” OU
23
“NÃO”.
ESPECIFICAR A TENSÃO DE ALIMENTAÇÃO E O CONSUMO DA VÁLVULA SOLENÓIDE. CASO NÃO REQUERIDO,
24
INDICAR “NA” (NÃO APLICÁVEL).
ESPECIFICAR A QUANTIDADE DE CHAVES DE FIM DE CURSO E INDICAR A POSIÇÃO DAS MESMAS (EXEMPLO:
25
“ABERTA” E “FECHADA”).
ESPECIFICAR O TIPO DA CHAVE (EXEMPLO: MAGNÉTICO) E A TENSÃO DE ALIMENTAÇÃO DO CONTATO COM A
26
RESPECTIVA CORRENTE MÁXIMA (EXEMPLO: 24Vcc @ 2A).
INFORMAR A CLASSIFICAÇÃO DOS INVÓLUCROS (IEC) QUANTO À ADEQUAÇÃO À ATMOSFERA EXPLOSIVA, BEM
27
COMO O TIPO DAS CONEXÕES ELÉTRICAS.
28 INDICAR, SE HOUVER OUTROS ACESSÓRIOS, POR MEIO DE NOTAS.

29 a 36 INFORMAR OS DADOS DE PROCESSO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 07/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - ELEMENTO PRIMÁRIO DE VAZÃO
TIPO ORIFÍCIO CALIBRADO

1 IDENTIFICAÇÃO
2 SERVIÇO
o
3 LINHA N :
4 PRESSÃO DE PROJETO
5 IDENTIFICAÇÃO DO INSTRUMENTO ASSOCIADO
6
7 VAZÃO MÁXIMA PARA CÁLCULO
CALIBRADO

8 DIÂMETRO SELECIONADO
ORIFÍCIO

9 P NAS CONDIÇÕES DE VAZÃO MÁXIMA


10 MATERIAL
11
12 CONFIGURAÇÃO
ADAPTADOR

13 CONEXÕES AO PROCESSO
14 MATERIAL
15 MODELO DO INSTRUMENTO A SER ACOPLADO
16
SUPORTE

17 MATERIAL
18 CONEXÕES AO PROCESSO
19 CONEXÕES AO INSTRUMENTO
20
21 FLUIDO/ESTADO FÍSICO
22 VAZÃO: NORMAL/MÁXIMA
23 PRESSÃO NORMAL
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO

24 TEMPERATURA NORMAL
25 DENSIDADE RELAT. NAS COND. DE OPERAÇÃO
26 DENSIDADE RELATIVA A 20 °C/4 °C
27 VISCOSIDADE NAS COND. DE OPERAÇÃO (Pa.s) (cP)
28 MASSA MOLAR (kg/kmol)
29 TÍT. DE VAPOR (%) OU GRAU DE SUPERAQUEC.
30 FATOR DE COMPRESS. NA PRESSÃO NORMAL
31
32
33
34 UNIDADES: VAZÃO/PRESSÃO/TEMPERATURA
35 NOTAS APLICÁVEIS
36 FABRICANTE E MODELO DE REFERÊNCIA
37 NOTAS:

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 08/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:
INSTRUMENTOS - ELEMENTO PRIMÁRIO DE VAZÃO
TIPO ORIFÍCIO CALIBRADO
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO

01 IDENTIFICAR O ELEMENTO PRIMÁRIO, SEGUNDO O FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A


NORMA EM VIGOR NO PROJETO (EXEMPLO: FE-2111001).
02 INDICAR O SERVIÇO A QUE SE DESTINA (EXEMPLO: ENTRADA DO RECEBEDOR R-050).

03 IDENTIFICAR A LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O ELEMENTO PRIMÁRIO (EXEMPLO: 8” PE 410.005 AC).

04 INDICAR A CLASSE DE PRESSÃO DA LINHA.

05 IDENTIFICAR O INSTRUMENTO DE PRESSÃO DIFERENCIAL ASSOCIADO, CASO EXISTENTE OU COMPRADO EM


SEPARADO (EXEMPLO: FT-211101).
06 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

07 ESPECIFICAR, DE ACORDO COM A UNIDADE ADOTADA NO ITEM 34, A VAZÃO MÁXIMA UTILIZADA PARA CÁLCULO,
CORRESPONDENTE A 100 % DE INDICAÇÃO DO TRANSMISSOR (EXEMPLO: 6).

08 ESPECIFICAR O DIÂMETRO DO ORIFÍCIO SELECIONADO A PARTIR DOS VALORES PADRONIZADOS PELOS


FABRICANTES E A UNIDADE DE MEDIDA UTILIZADA (EXEMPLO: 0,64 mm).
ESPECIFICAR A PRESSÃO DIFERENCIAL EM FUNÇÃO DA VAZÃO MÁXIMA PARA CÁLCULO E DIÂMETRO DE ORIFÍCIO
09 SELECIONADO, NOS ÁBACOS DISPONÍVEIS NOS CATÁLOGOS DE FABRICANTES, E A UNIDADE UTILIZADA.
(EXEMPLO: 4 340 mmH20).
10 ESPECIFICAR MATERIAL COMPATÍVEL COM AS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO (EXEMPLO: ASTM A 240 Gr 316).

11 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

12 ESPECIFICAR SE A INSTALAÇÃO NO PROCESSO É “EM LINHA” OU “EM CURVA U”.


o
ESPECIFICAR A DIMENSÃO NOMINAL INCLUINDO N DE FIOS POR POLEGADA, SÍMBOLO DA SÉRIE E
13
FORMA DA ROSCA (EXEMPLO: 1/2” - 14 NPT).
14 ESPECIFICAR MATERIAL COMPATÍVEL COM AS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO (EXEMPLO: AISI 316).
INDICAR, CASO EXISTENTE OU COMPRADO EM SEPARADO, O MODELO DO INSTRUMENTO A SER
15
ACOPLADO.
16 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

17 ESPECIFICAR MATERIAL COMPATÍVEL COM AS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO (EXEMPLO: AISI 316).

ESPECIFICAR CONFORME O TIPO:


- SOLDADA - ESPESSURA DA PAREDE DO TUBO DE ACORDO COM O ASME B 36.10 OU OUTRA
(EXEMPLO: SCH 140).
18 - ROSCADA - NÚMERO DE FIOS POR POLEGADA, SÍMBOLO DA SÉRIE E FORMA DE ROSCA (EXEMPLO:
1/2” - 14 NPT).
- FLANGEADA - NORMA, CLASSE DE PRESSÃO E ACABAMENTO DAS FACES (EXEMPLO: 1 1/2”
ASME B16.5 150 FR).

19 ESPECIFICAR A DIMENSÃO NOMINAL INCLUINDO NÚMERO DE FIOS POR POLEGADA, SÍMBOLO DA


SÉRIE E FORMA DE ROSCA. (EXEMPLO: 1/2 - 14 NPT).
20 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

21 a 30 INDICAR AS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DA LINHA.

31 a 33 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

34 INDICAR UNIDADES DE MEDIDA UTILIZADA.


RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO, DESCRITAS NO
35
ITEM 37.
36 ESPECIFICAR FABRICANTE E MODELO DE REFERÊNCIA.

37 RESERVADO PARA NOTAS.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 09/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE O2 (TIPO ZrO)

1 IDENTIFICAÇÃO

2 SERVIÇO

3 ESCALA DE INDICAÇÃO O2
4 TIPO DE ALOJAMENTO
UNIDADE CONTROLE

5 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA
6 TIPO SINAL SAÍDA
7 RANGE DO SINAL DE SAÍDA
8 MONTAGEM
9 INVÓLUCRO (IEC)
10 CLASSIF. ÁREA (IEC)
11
12
o
13 N DE UNIDADES
14 MATERIAL TUBO AMOSTRA
15 COMPR. TUBO AMOSTRAGEM
UNIDADE ANÁLISE

16 INVÓLUCRO (IEC)
17 AR INSTRUM. DISPONÍVEL
18 ALCANCE PARA TEOR DE O2
19 CONEXÃO DE AR
20 ALIMENTAÇÃO P/ AQUECIMENTO.
21 MONTAGEM
22 CLASSIF. ÁREA (IEC)
23
24 PURGA AR (AUT/MAN)
ACESS. E OPCIONAIS

25 FILTRO P/ GÁS
26 ALARME
27 IND. REMOTO
28 COMPR. CABO INTERLIG.
29
30
31 PRESS. TEMP.
COND. OP.

FLUIDO / ESTADO
NORMAL % O2
32
MAX. % O2

33 FABRICANTE DE REFERÊNCIA
34 MODELO DE REFERÊNCIA

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B – FOLHA 10/13.
-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE O2 (TIPO ZrO)


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
01 IDENTIFICAR CONFORME PROJETO (TAG).

02 CONFORME O PROJETO.

03 INDICAR A ESCALA.

04 EXEMPLO: NORMAL; DUPLO; PARA SISTEMAS MÚLTIPLOS; COM PURGA; A PROVA DE EXPLOSÃO ETC.

05 ESPECIFICAR A TENSÃO.

06 EXEMPLO: LINEAR; LOGARÍTMICA.

07 EXEMPLO: 0 - 10 Vcc; 1 - 5 Vcc; 4 - 20 mA.

08 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

09 CONFORME A CLASSE.

10 CONFORME A CLASSE.

11

12

13 ESPECIFICAR.

14 EXEMPLO: INOX 316; CERÂMICA.

15 ESPECIFICAR.

16 CONFORME A CLASSE.

17 ESPECIFICAR A PRESSÃO, SE USADO.

18 ESPECIFICAR.

19 ESPECIFICAR BITOLA E TIPO DE CONEXÃO.

20 ESPECIFICAR A TENSÃO ELÉTRICA.

21 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

22 CONFORME A CLASSE.

23

24 ESPECIFICAR, CASO DE LIMPEZA DO SISTEMA DE AMOSTRAGEM.

25 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

26 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

27 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

28 INDICAR.

29

30

31 INDICAR.

32 INDICAR A COMPOSIÇÃO DA AMOSTRA NORMAL DA AMOSTRA EM PERCENTAGEM DOS COMPONENTES.

33

34 INDICAR.

35 INDICAR.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 11/13.
-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE pH

1 IDENTIFICAÇÃO

2 SERVIÇO

3 FUNÇÃO
4 CAIXA TAM. NOM. COR
5 MONTAGEM
6 INVÓLUCRO (IEC)
7 CLASSIF. ÁREA (IEC)
GERAL

8 ALIMENTAÇÃO
9 CARTA: TAM. GRADUAÇÃO
ACIONAM. VELOCIDADE
10 Nº PTS. INDIC. REGISTRO
ESCALA: TIPO
11
GRADUAÇÃO
12
13 SINAL DE SAÍDA
14 MODO DE CONTROLE
TRANSMISSOR /
CONTROLADOR

15 AÇÃO DIRETA / REVERSA


16 CHAVE AUTO-MANUAL
PTO DE PTO DE CHAVE
17 AJUSTE AJUSTE
LOCAL REMOTO l/r
18 IND. LOCAL
ACESSÓRIOS SISTEMA DE AMOSTRAGEM

19 ALCANCE
20 TIPO
CORPO
MAT.

21
ELET. REF. ELET. MED.
22 MÁX. PRES. ESTÁTICA
23 COMP. INSERÇÃO
24 CONEXÃO ELÉTRICAS.
25 CONEXÕES AO PROCESSO
26 COMP. CABO
27 LIMPEZA ULTRASSÔNICA
28 ALARME
29 COMPENSADOR TEMP.
30
31 FLUÍDO
CONDIÇÕES
OPERAÇÃO

32 TEMP. NORMAL MÁX.


33 PRES. NORMAL MÁX.
34 pH NORMAL
35 FABRICANTE DE REFERÊNCIA
36 MODELO DE REFERÊNCIA

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 12/13.
-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE pH
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
01 IDENTIFICAR CONFORME PROJETO (TAG).

02 CONFORME O PROJETO.

03 INDICAR A ESCALA.

04 EXEMPLO: NORMAL; DUPLO; PARA SISTEMAS MÚLTIPLOS; COM PURGA; À PROVA DE EXPLOSÃO ETC.

05 ESPECIFICAR A TENSÃO.

06 EXEMPLO: LINEAR; LOGARÍTMICA.

07 EXEMPLO: 0 - 10 Vcc; 1 - 5 Vcc; 4 - 20 mA.

08 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

09 CONFORME A CLASSE.

10 CONFORME A CLASSE.

11

12

13 ESPECIFICAR.

14 EXEMPLO: INOX 316; CERÂMICA.

15 ESPECIFICAR.

16 CONFORME A CLASSE.

17 ESPECIFICAR A PRESSÃO, SE USADO.

18 INDICAR A EXISTÊNCIA OU NÃO (SIM/NÃO).

19 ESPECIFICAR BITOLA E TIPO DE CONEXÃO.

20 ESPECIFICAR A TENSÃO ELÉTRICA.

21 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

22 CONFORME A CLASSE.

23

24 ESPECIFICAR, CASO DE LIMPEZA DO SISTEMA DE AMOSTRAGEM.

25 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

26 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

27 ESPECIFICA, SE NECESSÁRIO.

28 INDICAR.

29

30

31 INDICAR.

32 INDICAR A COMPOSIÇÃO DA AMOSTRA NORMAL DA AMOSTRA EM PERCENTAGEM DOS COMPONENTES.

33

34 INDICAR.

35 INDICAR.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 13/13.
-PÚBLICO-

N-2802 03 / 2008

4.11 O cabeçalho e o rodapé devem ser preenchidos de acordo com a PETROBRAS N-381. Caso
seja necessário usar folha de continuação, utilizar o modelo aplicável do Anexo A da PETROBRAS
N-381.

______________

/ANEXOS A e B

4
-PÚBLICO-
o
N
FOLHA DE DADOS
CLIENTE: FOLHA
de
PROGRAMA:

ÁREA:

TÍTULO:

PROCESSO

ÍNDICE DE REVISÕES

REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

REV. 0 REV. A REV. B REV. C REV. D REV. E REV. F REV. G REV. H


DATA
PROJETO
EXECUÇÃO
VERIFICAÇÃO
APROVAÇÃO
AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 01/15.
-PÚBLICO-
No REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA:
de

PROCESSO - VÁLVULAS DE CONTROLE

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, kg/h
VAZÃO

06 MÁXIMA, kg/h
07 MÍNIMA, kg/h
2
08 À VAZÃO OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
A MONT.
PRESSÃO MAN.

2
09 À VAZÃO MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
10 À VAZÃO MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
11 À VAZÃO OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
A JUS.

2
12 À VAZÃO MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
13 À VAZÃO MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
14 PRESSÃO DE PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
P MÁXIMA, kPa (kgf/cm )
2
15
P DO SISTEMA

2
16 DINÂMICO A MONTANTE, (kPa) (kgf/cm )
(VER NOTA 1)

2
17 ESTÁTICO A MONTANTE, (kPa) (kgf/cm )
2
18 DINÂMICO A JUSANTE, (kPa) (kgf/cm )
2
19 ESTÁTICO A JUSANTE, (kPa) (kgf/cm )
TEMP.

20 OPERAÇÃO, C
21 PROJETO, C
22 DENSIDADE A 20 C / 4 C
23 DENSIDADE À TEMP. OPERAÇÃO
VISCOSIDADE À TEMP. OPERAÇÃO,
LÍQUIDO

24
(Pa.s)(cP)
2
25 PRESSÃO VAPOR ABS., (kPa) (kgf/cm )
2
26 PRESSÃO CRÍTICA ABS., (kPa) (kgf/cm )
% VAPORIZADA EM MASSA A JUSANTE (EM
27
CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO NORMAL)
28 MASSA MOLAR (kg/kmol)
29 Cp / Cv
GÁS/VAPOR
(COND. OP.)

FATOR DE COMPRESSIBILIDADE A
30
MONTANTE
3
31 VOL. ESPECIF. ENTRADA, m / kg
3
32 VOL. ESPECIF. SAÍDA, m / kg
33 GRAU DE SUPERAQUECIMENTO, C
34 AÇÃO EM CASO DE FALHA
CLASSE DE VAZAMENTO REQUERIDA
35
(VER NOTA 2)
36 FLUXOGRAMA
37 NOTAS APLICÁVEIS

NOTA 1 P DINÂMICO NA VAZÃO DE OPERAÇÃO E P ESTÁTICO NO SENTIDO DO FLUXO.


NOTA 2 SEGUNDO ANSI/FCI 70-2.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 02/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE CONTROLE


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR A VÁLVULA DE CONTROLE SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM
01
VIGOR PARA O PROJETO (EXEMPLO: TV-1223001).
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO (EXEMPLO: GÁS NATURAL, NAFTA ETC.).

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS 2 FASES.

04 INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADA A VÁLVULA DE CONTROLE EM POLEGADAS.
INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES
05
DE CADA FASE.
INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES DE
06
CADA FASE.
INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA. EM CASO DE ESCOAMENTO BIFÁSICO, INDICAR AS VAZÕES DE
07
CADA FASE.
INDICAR A PRESSÃO DA LINHA A MONTANTE DA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES DE VAZÃO NORMAL, NAS CONDIÇÕES
08/09/10
DE VAZÃO MÁXIMA E MÍNIMA, RESPECTIVAMENTE.
INDICAR A PRESSÃO DA LINHA A JUSANTE DA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES DE VAZÃO NORMAL, MÁXIMA E MÍNIMA,
11/12/13
RESPECTIVAMENTE.
14 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA A MONTANTE DA VÁLVULA DE CONTROLE.
INDICAR O DIFERENCIAL DE PRESSÃO MÁXIMO, CONTRA O QUAL A VÁLVULA DEVE ABRIR OU FECHAR (ESTE DADO
15
SERVE PARA ESPECIFICAR O ATUADOR).

INDICAR A PERDA DE CARGA (P) QUE OCORRER NO SISTEMA (TUBULAÇÃO, EQUIPAMENTOS, ACESSÓRIOS),
16/18 PRECEDENTE À VÁLVULA DE CONTROLE E QUE A SUCEDEM, RESPECTIVAMENTE, QUANDO O SISTEMA ESTIVER EM
VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO. DADOS NECESSÁRIOS PARA A SELEÇÃO DA CARACTERÍSTICA DA VÁLVULA.

INDICAR AS PRESSÕES NORMAIS, A MONTANTE E A JUSANTE DA VÁLVULA, QUANDO A VAZÃO PASSANTE POR ELA
17/19
FOR NULA.
20 INDICAR A TEMPERATURA DE OPERAÇÃO NORMAL DA VÁLVULA.

21 INDICAR A TEMPERATURA MÁXIMA NA VÁLVULA, EM OPERAÇÃO OU PRÉ-OPERAÇÃO.


EXPLICITAR OS DADOS DE PROCESSO DO FLUÍDO EM ESCOAMENTO PELA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES NORMAIS
22 a 27
QUANDO ESTE FLUÍDO FOR LÍQUIDO OU BIFÁSICO COM FASE LÍQUIDA.
EXPLICITAR OS DADOS DE PROCESSO DO FLUIDO EM ESCOAMENTO PELA VÁLVULA, NAS CONDIÇÕES NORMAIS
28 a 33
QUANDO ESTE FOR GÁS OU BIFÁSICO COM UMA DAS FASES SENDO GÁS OU VAPOR.
34 INDICAR O TIPO DE FALHA (FALHA ABRE-FA, FALHA FECHA-FF OU FALHA ESTACIONÁRIA-FE).

35 INDICAR A CLASSE DE VAZAMENTO SEGUNDO A ANSI/FCI-70-2.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA/PROCESSO OU NÚMERO DO DESENHO NO QUAL A
36
VÁLVULA DE CONTROLE ESTÁ REPRESENTADA.

EXPLICITAR QUAIS AS NOTAS QUE SÃO APLICÁVEIS ÀQUELA VÁLVULA QUE ESTÁ SENDO ESPECIFICADA; INCLUIR
37 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS À CORRETA ESPECIFICAÇÃO DA VÁLVULA, TAIS COMO: SÓLIDOS SUSPENSÃO,
FLUIDOS CORROSIVOS ETC.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 03/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - PRESSÃO E PRESSÃO DIFERENCIAL

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
2
05 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )
2
PRES. MAN. OU

06 MÁXIMA, (kPa) (kgf/cm )


DIFERENCIAL

2
07 MÍNIMA, (kPa) (kgf/cm )
2
08 BAIXA/MUITO BAIXA, (kPa) (kgf/cm )
ALARME
2
09 ALTA/MUITO ALTA, (kPa) (kgf/cm )
2
10 PARADA, (kPa) (kgf/cm )
2
11 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
OPERAÇÃO, C
TEMP.

12
13 PROJETO, C
14 DENSIDADE DO LÍQUIDO À TEMP. OP.
15 DENSIDADE DO LÍQUIDO À 20 ºC / 4 C
16 VISCOSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP., (Pa.s) (cP)
FLUIDO

17 VISCOSIDADE DO LÍQ. À 20 ºC, (Pa.s) (cP)


18 MASSA MOLAR (kg/kmol)
19 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
20 POLIMERIZA À TEMP. AMB.? (S/N)
21 CONTÊM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO? (S/N)
22 FLUXOGRAMA
23 NOTAS APLICÁVEIS
24 REVISÃO

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 04/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - PRESSÃO E PRESSÃO DIFERENCIAL


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.


INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA OU A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO ONDE DEVE SER INSTALADO O
04
INSTRUMENTO.
05 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) NORMAL DE OPERAÇÃO.

06 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) MÁXIMA DE OPERAÇÃO.

07 INDICAR A PRESSÃO (OU PRESSÃO DIFERENCIAL) MÍNIMA DE OPERAÇÃO, SE NECESSÁRIO.

08/09/10 ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA.

11 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

12 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

13 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

14 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO, PARA LÍQUIDOS.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA A 20 ºC / 4 ºC PARA LÍQUIDOS.

16/17 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO E A 20 ºC, PARA LÍQUIDOS.

18 INDICAR A MASSA MOLAR, PARA GASES E VAPORES.

19 a 21 RESPONDER “SIM OU NÃO”, CONFORME A RESPOSTA À PERGUNTA FORMULADA.

22 INFORMAR NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ REPRESENTADO.

23 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 05/15.


-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - TEMPERATURA

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, °C
06 MÁXIMA, °C
TEMPERATURA

07 MÍNIMA, °C
08 PROJETO, °C
09 BAIXA / MUITO BAIXA, °C
ALARME
10 ALTA / MUITO ALTA, °C
11 PARADA
2
12 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
13 FLUXOGRAMA
14 NOTAS APLICÁVEIS

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, °C
06 MÁXIMA, °C
TEMPERATURA

07 MÍNIMA, °C
08 PROJETO, °C
09 BAIXA/MUITO BAIXA, °C
ALARME
10 ALTA/MUITO ALTA, °C
11 PARADA
2
12 PRESSÃO DE PROJETO MAN., (kPa) (kgf/cm )
13 FLUXOGRAMA
14 NOTAS APLICÁVEIS

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 06/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - TEMPERATURA
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM
01
VIGOR PARA O PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.


INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O
04
INSTRUMENTO.
05 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

06 INDICAR A TEMPERATURA MÁXIMA DE OPERAÇÃO.

07 INDICAR A TEMPERATURA MÍNIMA DE OPERAÇÃO.

08 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

09 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA ALARME DE TEMPERATURA BAIXA E MUITO BAIXA.

10 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA ALARME DE TEMPERATURA ALTA E MUITO ALTA.

11 ESPECIFICAR O PONTO DE ATUAÇÃO PARA PARADA DE EMERGÊNCIA.

12 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA OU DESENHO NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ
13
REPRESENTADO.
14 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 07/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - NÍVEL

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO INFERIOR
GERAL

03 FLUIDO SUPERIOR
04 EQUIPAMENTO
NÍVEL (VER NOTAS)

05 NORMAL, mm
06 MÁXIMO, mm
07 MÍNIMO, mm
08 BAIXO / MUITO BAIXO, mm
ALARME
09 ALTO / MUITO ALTO, mm
10 PARADA, mm
PRES.

2
MAN.

11 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )


2
12 PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
TEMP.

13 OPERAÇÃO, C
14 PROJETO, C
15 DENSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP.
16 DENSIDADE DO LÍQ. À 20 C / 4 C
VISCOSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP., (Pa.s)
INFERIOR

17
(cP)
18 VISCOSIDADE DO LÍQ. A 20 C, (Pa.s) (cP)
19 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
20 POLIMERIZA À TEMP. AMB? (S/N)
FLUÍDO(S)

21 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)


22 DENSIDADE DO LÍQ. À TEMP. OP.
23 DENSIDADE DO LÍQ. A 20 C / 4 °C
SUPERIOR

VISCOSIDADE DO LÍQ. A TEMP. OP., (Pa.s)


24
(cP)
25 VISCOSIDADE DO LÍQ. A 20 C, (Pa.s) (cP)
26 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMB.? (S/N)
27 POLIMERIZA À TEMP. AMB? (S/N)
28 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)
29 FLUXOGRAMA
30 NOTAS APLICÁVEIS

NOTA 1 COTAS DOS NÍVEIS EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA INFERIOR OU GERATRIZ INFERIOR DO EQUIPAMENTO.
NOTA 2 PARA CADA EQUIPAMENTO INDICADO NO ITEM 4, DEVE SER FORNECIDO UM DESENHO SIMPLIFICADO
CONTENDO, NO MÍNIMO, SUAS DIMENSÕES E AS COTAS DOS NÍVEIS NORMAL, MÍNIMO E MÁXIMO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 08/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - NÍVEL
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO INFERIOR DE PROCESSO.

03 INDICAR O FLUIDO SUPERIOR DE PROCESSO, NO CASO DE INTERFACE LÍQUIDO/LÍQUIDO.

04 IDENTIFICAR O EQUIPAMENTO ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 INDICAR A COTA DO NÍVEL NORMAL EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.

06 INDICAR A COTA DO NÍVEL MÁXIMO, EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.

07 INDICAR A COTA DO NÍVEL MÍNIMO, EM RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.


ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA, INDICANDO AS COTAS EM
08/09/10
RELAÇÃO À LINHA DE TANGÊNCIA OU GERATRIZ INFERIOR.
11 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO.

12 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DO EQUIPAMENTO.

13 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

14 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DO EQUIPAMENTO.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

16 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 ºC EM RELAÇÃO A ÁGUA A 4 ºC.

17/18 INDICAR A VISCOSIDADE NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO E A 20 ºC.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO FOR SUPERIOR À TEMPERATURA
19
AMBIENTE.
20 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZAR A TEMPERATURA AMBIENTE.

21 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.


DEVEM SER PREENCHIDOS SOMENTE EM CASO DE MEDIÇÃO DE NÍVEL DE INTERFACE DE LÍQUIDO/LÍQUIDO
22 a 28
CONFORME ITEM 15 A 21 RESPECTIVAMENTE.
29 INDICAR NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA, NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ REPRESENTADO.

30 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS REFERENCIADAS.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 09/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VAZÃO

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA, in
05 OPERAÇÃO, (kg/h)
06 MÁXIMA, (kg/h)
07 MÍNIMA, (kg/h)
VAZÃO

BAIXA / MUITO BAIXA, (kg/h)


3
(m /h)
08 ALARME
ALTA / MUITO ALTA, (kg/h)
3
(m /h)
3
09 PARADA, (kg/h) (m /h)
2
PRES.

10 OPERAÇÃO, (kPa) (kgf/cm )


MAN.

2
11 PROJETO, (kPa) (kgf/cm )
OPERAÇÃO, C
TEMP.

12
13 PROJETO, C
14 DENSIDADE A TEMP. OP.
15 DENSIDADE A 20 °C / 4 C
LÍQUIDO

16 VISCOSIDADE A TEMP. OP., (cP) (Pa.s)


17 PT. FLUIDEZ SUP. A TEMP. AMB.? (S/N)
18 POLIMERIZA A TEMP. AMB.? (S/N)
19 CONTÉM SÓL. EM SUSPENSÃO? (S/N)
20 MASSA MOLAR (kg/kmol)
GÁS/VAPOR

21 Cp / Cv
22 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE
23 TÍTULO DO VAPOR %
24 CONTÉM LÍQ. EM SUSPENSÃO? (S/N)
P MÁXIMO ADMISSÍVEL, kPa (kgf/cm )
2
25
26 FLUXOGRAMA
27 NOTAS APLICÁVEIS

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 10/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VAZÃO
INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR O DIÂMETRO NOMINAL DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA.

06 INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

07 INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

08/09 ESPECIFICAR OS PONTOS DE ATUAÇÃO, EM VALOR ABSOLUTO, PARA ALARME E/OU PARADA DE EMERGÊNCIA.

10 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA, A MONTANTE DO ELEMENTO PRIMÁRIO.

11 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA.

12 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

13 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA.

14 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NA TEMPERATURA DE OPERAÇÃO.

15 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 °C EM RELAÇÃO À ÁGUA A 4 °C.

16 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO EM CENTIPOISE OU Pa.s.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO FOR SUPERIOR À TEMPERATURA
17
AMBIENTE.
18 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZAR À TEMPERATURA AMBIENTE.

19 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.

20 INDICAR A MASSA MOLAR.

21 INDICAR A RELAÇÃO ENTRE CALORES ESPECÍFICOS, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO.

22 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO.

23 INDICAR O TÍTULO DE VAPOR, EM PORCENTAGEM, SOMENTE PARA VAPOR D’ÁGUA.

24 INDICAR “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTIVER LÍQUIDO ARRASTADO.

25 INDICAR A PERDA DE CARGA MÁXIMA ADMISSÍVEL NO ELEMENTO PRIMÁRIO.


INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA OU DESENHO NO QUAL O INSTRUMENTO ESTÁ
26
REPRESENTADO.
27 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 11/15.


-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE SEGURANÇA / ALÍVIO

01 IDENTIFICAÇÃO
02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
04 EQUIP. OU DIÂM. NOM. DA LINHA, (in)
05 CRITÉRIO PARA DIMENSIONAMENTO
VAZÃO

06 LÍQUIDO, (kg/h)

07 VAPOR OU GÁS, kg/h


2
08 OPERAÇÃO, (kPa) (kg/cm )
PRES. MANO.

2
09 AJUSTE, (kPa) (kg/cm )
PRESSÃO

2
CONSTANTE, (kPa) (kg/cm )
CONTRA

10
2
11 MÁXIMA, (kPa) (kg/cm )
VARIÁVEL 2
12 MÍNIMA, (kPa) (kg/cm )
13 OPERAÇÃO, C
TEMP.

14 ALÍVIO, C
15 PROJETO, C
16 MÍNIMA A JUSANTE, C
17 DENSIDADE À TEMP. ALÍVIO
LÍQ.

18 VISCOS. À TEMP. ALÍVIO, (cP) (Pa.s)


19 MASSA MOLAR (kg/kmol)
VAPOR
GÁS/

20 CP / CV
21 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE
22 SOBREPRESSÃO (%)
23 CONTATO C/ FLUÍDO CORROSIVO? (SIM/NÃO)
24 FLUXOGRAMA
25 EQUIPAMENTO PROTEGIDO
26 NOTAS APLICÁVEIS

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 12/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - VÁLVULAS DE SEGURANÇA / ALÍVIO


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR A VÁLVULA SEGUNDO O FLUXOGRAMA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA EM VIGOR PARA O
01
PROJETO (POR EXEMPLO, PSV-1223001).
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADA A VÁLVULA.


ESPECIFICAR O CRITÉRIO DE DIMENSIONAMENTO DA CAPACIDADE REQUERIDA DA VÁLVULA TAL COMO: FOGO,
05
DESCARGA BLOQUEADA, ALÍVIO TÉRMICO, FALHA DO SISTEMA DE ÁGUA DE RESFRIAMENTO.
INDICAR A VAZÃO DE LÍQUIDO ALIVIADO PELA VÁLVULA E A UNIDADE DE VAZÃO. SE O ESCOAMENTO FOR
06
BIFÁSICO, PREENCHER TAMBÉM O ITEM 7.
INDICAR A VAZÃO DE VAPOR OU GÁS ALIVIADA PELA VÁLVULA. SE O ESCOAMENTO FOR BIFÁSICO, PREENCHER
07
TAMBÉM O ITEM 6.
08 INDICAR A PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

09 ESPECIFICAR A PRESSÃO DE AJUSTE DE VÁLVULA DE SEGURANÇA/ALÍVIO.

10 INDICAR A PRESSÃO NA DESCARGA DA VÁLVULA, SE FOR CONSTANTE.

11 INDICAR A MÁXIMA PRESSÃO “SUPERIMPOSTA” NA DESCARGA DA VÁLVULA, QUANDO DA ABERTURA DA VÁLVULA.

12 INDICAR A MÍNIMA PRESSÃO NA DESCARGA DA VÁLVULA, SEM FLUXO.

13 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO.

14 INDICAR A TEMPERATURA NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO, DE ACORDO COM A(S) SEGUINTE(S) NORMA:
15
EXEMPLO: VASOS DE PRESSÃO: NORMA ASME BPVC-VIII-SET.

16 INDICAR A MENOR TEMPERATURA QUE OCORRE DURANTE O ALÍVIO PELA PSV.

17 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA NA TEMPERATURA DE ALÍVIO.

18 INDICAR A VISCOSIDADE, NA TEMPERATURA DE ALÍVIO.

19 INDICAR A MASSA MOLAR.

20 INDICAR A RELAÇÃO ENTRE OS CALORES ESPECÍFICOS, NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

21 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES DE ALÍVIO DA VÁLVULA.

22 INDICAR A SOBREPRESSÃO, EM RELAÇÃO À PRESSÃO DE AJUSTE.

23 RESPONDER “SIM” OU “NÃO”, CONFORME A RESPOSTA À PERGUNTA FORMULADA.

24 INDICAR O NÚMERO DO FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA NO QUAL A VÁLVULA ESTÁ REPRESENTADA.

25 IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO PROTEGIDO (TAG OU DESCRIÇÃO).

26 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS À VÁLVULA.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 13/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - INSTRUMENTAÇÃO (DIVERSOS)

01 IDENTIFICAÇÃO

02 FLUIDO
GERAL

03 ESTADO FÍSICO
EQUIPAMENTO OU DIÂMETRO NOMINAL DA
04
LINHA
05

06 VARIÁVEL DE MEDIÇÃO

07

08
DADOS ESPECÍFICOS

09

10

11

12

13

14

15

16 NORMAL
PRESSÃO

17 DE PROJETO

18

19 UNIDADE
TEMPERATURA

20 NORMAL

21 DE PROJETO

22

23 UNIDADE

24 NORMAL
VAZÃO

25 MÁXIMA

26 MÍNIMA

27 UNIDADE

28 DENS. REL. À TEMP. OP.

29 DENS. REL. A 20 °C / 4 °C
CARACTERISTICAS DO FLUIDO

30 VISCOSIDADE À TEMP. OP. (Pa.s)(cP)

31 MASSA MOLAR (kg/kmol)

32 FATOR DE COMPRESSIBILIDADE

33 PT. FLUIDEZ SUP. À TEMP. AMBIENTE?

34 POLIMERIZA À TEMP. AMBIENTE?

35 CONTÉM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO?

36

37

38 NOTAS APLICÁVEIS

39 NOTAS:

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A – FOLHA 14/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

PROCESSO - INSTRUMENTAÇÃO (DIVERSOS)


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
IDENTIFICAR O INSTRUMENTO CONFORME O FLUXOGRAMA DE ENGENHARIA E EM CONFORMIDADE COM A NORMA
01
EM VIGOR PARA O PROJETO.
02 INDICAR O FLUIDO DE PROCESSO.

03 INDICAR O ESTADO FÍSICO DO FLUIDO DE PROCESSO.

04 INDICAR A IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO OU DA LINHA ONDE DEVE SER INSTALADO O INSTRUMENTO.

05 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

06 ESPECIFICAR A VARIÁVEL DE MEDIÇÃO.


PREENCHER OS TÍTULOS DOS CAMPOS RELACIONANDO-OS AOS DADOS DE PROCESSOS NECESSÁRIOS À
07 a 15
ESPECIFICAÇÃO DO INSTRUMENTO.
16 INDICAR PRESSÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

17 INDICAR A PRESSÃO DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

18 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

19 INDICAR A UNIDADE DE PRESSÃO UTILIZADA.

20 INDICAR A TEMPERATURA NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

21 INDICAR A TEMPERATURA DE PROJETO DA LINHA OU EQUIPAMENTO.

22 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

23 INDICAR A UNIDADE DE TEMPERATURA UTILIZADA.

24 INDICAR A VAZÃO NORMAL DE OPERAÇÃO DA LINHA.

25 INDICAR A VAZÃO MÁXIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

26 INDICAR A VAZÃO MÍNIMA DE OPERAÇÃO DA LINHA.

27 INDICAR A UNIDADE DE VAZÃO UTILIZADA.

28 UTILIZAR A DENSIDADE RELATIVA NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

29 INDICAR A DENSIDADE RELATIVA DO FLUIDO A 20 °C EM RELAÇÃO A ÁGUA A 4 °C, PARA LÍQUIDOS.

30 INDICAR A VISCOSIDADE, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.

31 INDICAR A MASSA MOLAR, PARA GASES OU VAPORES.

32 INDICAR O FATOR DE COMPRESSIBILIDADE Z, NAS CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO.


INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O PONTO DE FLUIDEZ DO FLUIDO DE PROCESSO É SUPERIOR À TEMPERATURA
33
AMBIENTE.
34 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO POLIMERIZA À TEMPERATURA AMBIENTE.

35 INDICAR COM “SIM” OU “NÃO” SE O FLUIDO DE PROCESSO CONTÉM SÓLIDOS EM SUSPENSÃO.

36 e 37 RESERVADO PARA INFORMAÇÕES ADICIONAIS.

38 RELACIONAR, SE NECESSÁRIO, OS NÚMEROS DAS NOTAS APLICÁVEIS AO INSTRUMENTO, DESCRITAS NO ITEM 39.

39 RESERVADO PARA NOTAS.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.

FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO A - FOLHA 15/15.


-PÚBLICO-
NO REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE O2 (TIPO ZR O)

1 IDENTIFICAÇÃO

2 SERVIÇO

3 ESCALA DE INDICAÇÃO O2
4 TIPO DE ALOJAMENTO
UNIDADE CONTROLE

5 ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA
6 TIPO SINAL SAÍDA
7 RANGE DO SINAL DE SAÍDA
8 MONTAGEM
9 INVÓLUCRO (IEC)
10 CLASSIF. ÁREA (IEC)
11
12
o
13 N DE UNIDADES
14 MATERIAL TUBO AMOSTRA
15 COMPR. TUBO AMOSTRAGEM
UNIDADE ANÁLISE

16 INVÓLUCRO (IEC)
17 AR INSTRUM. DISPONÍVEL
18 ALCANCE PARA TEOR DE O2
19 CONEXÃO DE AR
20 ALIMENTAÇÃO P/ AQUECIMENTO.
21 MONTAGEM
22 CLASSIF. ÁREA (IEC)
23
24 PURGA AR (AUT/MAN)
ACESS. E OPCIONAIS

25 FILTRO P/ GÁS
26 ALARME
27 IND. REMOTO
28 COMPR. CABO INTERLIG.
29
30
31 PRESS. TEMP.
COND. OP.

FLUIDO / ESTADO
NORMAL % O2
32
MAX. % O2

33 FABRICANTE DE REFERÊNCIA
34 MODELO DE REFERÊNCIA

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B – FOLHA 10/13.
-PÚBLICO-
O
N REV.
FOLHA DE DADOS
FOLHA
de
TÍTULO:

INSTRUMENTOS - ANALISADOR DE O2 (TIPO ZR O)


INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO
CAMPO DESCRIÇÃO
01 IDENTIFICAR CONFORME PROJETO (TAG).

02 CONFORME O PROJETO.

03 INDICAR A ESCALA.

04 EXEMPLO: NORMAL; DUPLO; PARA SISTEMAS MÚLTIPLOS; COM PURGA; A PROVA DE EXPLOSÃO ETC.

05 ESPECIFICAR A TENSÃO.

06 EXEMPLO: LINEAR; LOGARÍTMICA.

07 EXEMPLO: 0 - 10 Vcc; 1 - 5 Vcc; 4 - 20 mA.

08 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

09 CONFORME A CLASSE.

10 CONFORME A CLASSE.

11

12

13 ESPECIFICAR.

14 EXEMPLO: INOX 316; CERÂMICA.

15 ESPECIFICAR.

16 CONFORME A CLASSE.

17 ESPECIFICAR A PRESSÃO, SE USADO.

18 ESPECIFICAR.

19 ESPECIFICAR BITOLA E TIPO DE CONEXÃO.

20 ESPECIFICAR A TENSÃO ELÉTRICA.

21 EXEMPLO: PAREDE; PAINEL.

22 CONFORME A CLASSE.

23

24 ESPECIFICAR, CASO DE LIMPEZA DO SISTEMA DE AMOSTRAGEM.

25 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

26 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

27 ESPECIFICAR, SE NECESSÁRIO.

28 INDICAR.

29

30

31 INDICAR.

32 INDICAR A COMPOSIÇÃO DA AMOSTRA NORMAL DA AMOSTRA EM PERCENTAGEM DOS COMPONENTES.

33

34 INDICAR.

35 INDICAR.

AS INFORMAÇÕES DESTE DOCUMENTO SÃO PROPRIEDADE DA PETROBRAS, SENDO PROIBIDA A UTILIZAÇÃO FORA DA SUA FINALIDADE.
FORMULÁRIO PERTENCENTE À PETROBRAS N-2802 ANEXO B - FOLHA 11/13.