Вы находитесь на странице: 1из 9

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

CURSO DE PSICOLOGIA
Estágio Básico:

NOME DA ALUNA E RA
Giulliana Fernandes Tavares – RA: 3018107494
Turma 2C – Período Matutino

RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO BÁSICO


PRÁTICAS EM ANÁLISE DO COMPORTAMENTO

Professora Orientadora: Letícia Tieme Monteiro

São Paulo
2018
SUMÁRIO:

- Introdução…………………………………………………….. Pág 03

- Objetivo………………………………………………………. Pág 04

- Método……………………………………………………….. Pág 04

- Resultados……………………………………………………. Pág 05

- Tabela e Diagrama………………………………….………… Pág 07

- Discussão……………………………………………………. Pág 07

- Considerações finais…………………………………………. Pág 08

- Referências Bibliográficas……………………………………. Pág 09


INTRODUÇÃO

A Análise do Comportamento é uma abordagem psicológica que busca compreender o ser


humano a partir de sua interação com seu ambiente. É importante ressaltar que o conceito
de ambiente, para a Análise do Comportamento, vai muito alem do seu significado
comum (Moreira, 2007). Nesse caso, ambiente refere-se ao mundo fisico (as coisas
materiais), ao mundo social (interaçao entre com outras pessoas), a nossa história de vida e a
nossa interação com nós mesmos.

A análise do comportamento surge através de uma posição behaviorista assumida por Skinner
(1961), porém é possível identificar a descrição de observações comportamentais nos
trabalhos de Darwin (1872) e Taine (1877), bem como os realizados por Goodenouch, no
ano de 1931, Thomas, Loomis e Arrigton em 1933 e Buhler em 1940. (Fagundes, 2015).
O Behaviorismo Radical, defendido por Skinner, fomece o embasamento filosófico da
Analise do Comportamento. Skinner parte da constatação de que há ordem e regularidade no
comportamento, e sua analise pretende tentar entender por que as pessoas se comportam da
maneira que se comportam em determinadas situações. Ao entender isso, torna-se possivel
fazer com que as pessoas possam se comportar de maneiras diferentes.

A observação comportamental é importante para os psicólogos, modificadores de


comportamento e pesquisadores, servindo-lhes como instrumento de trabalho, para
obtenção de dados que, entre outras coisas, (A) aumentem sua compreensão a
respeito do comportamento sob investigação, (B) facilitem o levantamento de
hipóteses ou estabelecimento de diagnostico, (C) que permitam acompanhar o
desenrolar de uma intervenção ou tratamento e testar seus efeitos ou eficácia
(Fagundes, 2015).

Todas as pessoas, no dia a dia, fazem algum tipo de analise do comportamento, em suas
relações, na vida social, na interação com outros individuos. Mas uma analise cientifica se
difere muito de uma analise corriqueira e de linguagem cotidiana. Os analistas do
comportamento são aquelas pessoas – pesquisadores ou profissionais – que analisam o
comportamento de forma cientifica. Um observador comportamental dirige sua atenção para
as condições ambientais em que determinado organismo se encontra, para a reação desse
indivíduo a essas condições, para as consequências que essa reação lhe traz e para os efeitos
que essas consequências produzem.
Os homens agem sobre o mundo, modificam-no e são modificados pelas
conseqüências de suas ações. (Skinner, 1957/1978).

OBJETIVO
O presente trabalho tem como objetivo utilizar o método de analise de comportamento para
que alunos e alunas do segundo semestre do curso de psicologia possam experenciar a
metodologia na prática, por meio da observação comportamental, utilizando como técnicas de
registro a linguagem cientifica e o registro cursivo.

MÉTODO
1) Participante
Mulher, “A.T.”, parda, entre 30 e 35 anos.

2) Situação / Ambiente
Para realização deste trabalho foi escolhido como ambiente a biblioteca da Universidade.
A Biblioteca se caracteriza por obter 25 mesas redondas com 5 cadeiras cada, duas dessas
mesas há pessoas sentadas em cada uma das cadeiras dispostas no círculo. Há 1 balcão para
retirada de livros e 2 atendentes. “A. T.” está sentada do lado direito de frente para um
computador. Há uma placa escrita "empréstimo" abaixo do seu computador.
Ambiente silencioso. A biblioteca dispõe de 15 estantes, de livros localizados no ambiente
atrás dos atendentes, 23 ventiladores espalhados pelas paredes ao longo da biblioteca, 3 salas
de estudo na direção oposta a porta entrada, uma sala ao lado da outra. 15 cabines de estudos
ao longo de toda uma parede, uma região com 10 computadores, no qual 7 deles estão sendo
usados por pessoas. Localizados ao lado das salas de estudo, do lado direito da porta de
entrada, há 3 computadores em fileira que tem fins de empréstimos de livros, 5 placas escritas
"silêncio" e 1 placa escrita “'proibido celular".

3) Equipamento / Material
Foram utilizados um relógio para cronometrar o tempo de cada etapa do processo e uma folha
de anotações para cada observadora.

4) Procedimento
Foi definida uma data e horário para iniciar o processo da primeira etapa da observação.
No dia combinado, as observadoras escolheram uma mesa próxima ao balcão onde a
participante se encontrava, se acomodaram em seus lugares e deram inicio ao registro dos
comportamentos da participante. Foram registrados 21 minutos de observação
comportamental, dividos em 7 minutos para cada observadora realizar o registro de forma
cientifica.
Na segunda etapa do processo, as observadoras escolheram dois comportamentos que eram
repetidos com alguma frequencia pela participante, e descreveram suas definições, para que
tivessem maior precisão no registro do segundo momento da analise comportamental:

1) “Digitar” – Ação ou resultado de digitar, de inserir dados, senhas, num computador


utilizando o movimento dos dedos para pressionar as teclas de um teclado alfanumérico.

2) “Passar a mão na cabeça” – Elevar um dos braços acima da altura do ombro, conduzir a
mão em direção a cabeça, acariciar com as mãos o couro cabeludo e superficie da cabeça.

As observadoras se encontraram novamente para realizar mais 10 minutos de analise


comportamental, porém nesta etapa, foram realizados somente os registros destes dois
comportamentos escolhidos.

RESULTADOS
1) Primeira etapa – 21 minutos de registro comportamental:

DE 0 À 7 MINUTOS DE OBSERVAÇÃO

O indivíduo apoia o rosto na mão esquerda, em seguida levanta o braço e passa a mão no
cabelo que está preso, franze a testa, digita algo no teclado do computador, então coloca a
mão sobre a boca e movimenta os olhos de um lado para o outro, levanta as sobrancelhas e
inclina levemente a cabeça, vira a mão e apoia a cabeça sobre ela. O indivíduo vira o rosto,
responde com a cabeça fazendo movimentos para cima e para baixo. Estica os braços e
boceja, coloca a mão no mouse e volta a digitar no teclado. Franze a testa, coloca a mão no
peito e coça, depois coloca a mão sobre o balcão. Abaixa levemente a cabeça e curva o corpo
para frente. Passa a mão no cabelo, depois se espreguiça levantando ambos os braços e
esticando seu corpo. Balança o corpo cerca de 4 vezes, digita no teclado do computador e
franze a testa. Move os olhos de um lado para o outro, levanta da cadeira em que estava
sentada, morde o lábio inferior, entrega um papel para uma pessoa que entra na biblioteca,
pega 5 livros, entrega para uma mulher e volta para a cadeira em frente ao computador.
Coloca a mão no mouse, boceja, abaixa a cabeça e olha em direção à tela do computador.

DE 7 A 14 MINUTOS DE OBSERVAÇÃO

Participante coloca a mão direita no mouse, movimenta-o para a esquerda, olha para baixo por
30 segundos. Uma mulher chega, o indivíduo olha em sua direção. Em seguida, chega uma
outra mulher no balcão e conversa com o indivíduo que lhe diz para verificar no sistema. Uma
terceira mulher chega e conversa com o indivíduo, que mexe no cabelo com a mão direita,
levando a mão até parte de trás da cabeça. Volta a digitar no teclado do computador, então se
levanta da cadeira e vai em direção aos computadores de pesquisa na área externa do balcão e
diz “de 20 a 30 dias” para 3 pessoas que estão em frente aos computadores, 2 delas estão
digitando nos computadores. Participante caminha em direção ao balcão, na parte de
devolução. Morde o lábio inferior. Uma mulher chega e lhe pergunta sobre como funciona a
devolução dos livros, a participante responde que ocorre em 15 dias. A mulher se retira e a
participante volta a se sentar em frente ao computador, apoia o braço direito na mesa e leva a
mão de encontro ao queixo, apoia a cabeça na mão. Leva então a mão direita em direção ao
teclado do computador, repousa a mão por 10 segundos aproximadamente, olha para a
esquerda em direção a porta de entrada, volta seu olhar para a tela de novo e digita no teclado.
Depois ergue a mão e passa no cabelo. Coça o nariz, olha em direção a tela do computador e
digita no teclado.

DE 14 A 21 MINUTOS DE OBSERVAÇÃO

O individuo franze as sobrancelhas, está com a mão direita sobre o mouse movimentando
ligeiramente enquanto apoia a cabeça na mão esquerda que cobre sua boca. Passa a mão
esquerda no cabelo, virando o rosto para a direita. Volta a franzir a sobrancelha, clica em um
dos botões do teclado com mais força usando a mão direita. Levanta ligeiramente da cadeira
quando uma menina se aproxima do balcão, o individuo segura um livro e pronuncia palavras
para a moça. Passa um papel em uma máquina de Scanner. A menina se retira, e o individuo
volta a olhar em direção ao computador, então flexiona as extremidades de sua boca para
cima expondo seus dentes. Uma outra mulher que está na parte de trás do balcão junto ao
indivíduo e fala com ela. Então o indivíduo se inclina para frente, pega o celular com a mão
direita e troca palavras com mulher, que então se retira e o individuo volta a se posicionar em
frente ao computador.
2) Segunda Etapa - Tabela de registro dos comportamentos escolhidos

3) Diagrama:
DISCUSSÃO
O registro da análise comportamental foi realizado junto a participante escolhida, conforme as
normas pré-estabelecidas para esse estudo.
No decorrer dessa experiência, constatou-se que na primeira etapa do processo, ao comparar
os registros de cada observadora, os comportamentos que mais se repetiam, como o
comportamento de “digitar” e o comportamento de “passar a mão na cabeça” não foram
frequentes em todas as três observações. Embora tenham sido os comportamentos mais
repetidos durante a observação de 21 minutos, ainda assim não eram suficientes para se
repetirem em um curto prazo de tempo de 10 minutos estipulados para a segunda etapa do
processo.
Na segunda etapa, após a escolha e a definição dos comportamentos, constatamos que a
analise foi prejudicada devido a má visibilidade da participante, que se encontrava atrás de
uma tela de computador. Ao comparar a média dos resultados obtidos na tabela de registro dos
comportamentos escolhidos pelas observadoras (0,55), contatamos que o resultado ficou
abaixo do valor mínimo para ser considerada uma análise fidedigna (0,65), média necessária
para obtenção de uma análise com maior precisão dos registros comportamentais.
Concluímos que poderíamos ter melhorado o resultado das análises, obtendo uma melhor
vizualização da participante, e até mesmo modificando o local de visão. Escolher e definir de
forma mais efetiva os comportamentos para que não haja divergências entre os observadores.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Creio que a experiência foi muito satisfatória para o objetivo deste trabalho, embora não
tenhamos alcançado a fidedignidade exigida para uma maior precisão dos resultados.
Esse processo nos fez refletir que talvez seja necessário um tempo maior de observação antes
de escolher e definir os comportamentos a serem analisados. Para alcançar resultados mais
objetivos, seria necessário também definir um critério mais específico, como por exemplo
fazer um maior estudo sobre os comportamentos a serem analisados, comparecer outros dias
no local para fazer observações mais detalhadas, buscar grupos experimentais, amostras com
maior número de participantes, etc. O local e ambiente escolhidos também não foram muito
favoráveis para a vizualização da participante, pois havia um balcão e uma tela de computador
de frente, no campo de visão do ponto onde escolhemos fazer a observação.
Por isso é necessário que esse estudo seja experenciado na prática, para que se possa
identificar e aprimorar os métodos de trabalho, afim de obter um resultado mais preciso.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

• FAGUNDES, A. J. da F. M, Descrição, Definição e Registro de Comportamento –


17 edição, 2015.

• MOREIRA, A.A. de M, Principios básicos de analise do comportamento, 2007.

• SKINNER, B. F, Sobre o Behaviorismo, 1993.

Оценить