Вы находитесь на странице: 1из 15

PERDA DE CARGA

1.Perda total ht é determinada por:

h_t=h_i+h_g+h_e+h_a+h_f

h_i= Perda de carga ao longo do trecho de aproximação (m);


h_g= Perda de carga na grade do sistema de adução (m);
h_e= Perda de carga na entrada da tomada dágua (m);
h_a= Perda de carga no conduto adutor (m);
h_f= perda de carga das singularidades porventura existentes entre a tomada dágua e a chaminé de equilíbrio;
1.1 PERDA DE CARGA AO LONGO DO TRECHO DE APROXIMAÇÃO ( hi )

2
Vi sendo Vi a velocidade de arproximação e g a aceleração da gravidade
hi =0,1× (m)
2g
Vazão de projeto: 6.70 m³/s Vi = 0.84 m/s
Largura do canal de aproximação: 4.00 m

Profundidade do canal de aproximação: 2.00 m hi = 0.36 cm

1.2. PERDA DE CARGA NA GRADE ( Hg )

Fórmula de Kirschemer: 1,3


e1 V 2g
h g =k g ×
( )
e2
× ×senθ1 =
2g
Largura da grade =
Altura da grade =
3.00 m
3.00 m
kg = coeficiente de escoamento relacionado na Tabela 1 kg = 2.42
e1 = espessura das barras retangulares ou diâmetro das barras redondas (mm) e1 = 10.00 mm
e2 = espaçamento entre as barras (mm) e2 = 80.00 mm
Vg = velocidade de aproximação da água a montante da grade (m/s) Vg = 0.74 m/s
ϴ1 = inclinação das barras em relação à direção da velocidade vg ϴ1 = 75.00 ° 1.31 rad
hg = 0.4422906 cm
1.3. PERDA DE CARGA NA ENTRADA DA TOMADA D'ÁGUA ( He )

2
V 0.31 cm Área = 20.00 m²
he =k e × =
2g V = 0.34 m/s
Ke = coeficiente que depende da geometria da tomada d'água Ke = 0.54
1.4. PERDA DE CARGA NO TÚNEL ADUTOR ATÉ A CHAMINÉ DE EQUILÍBRIO ( Ha )
Método de Darcy-Weisbach
Q 6.70 m³/s Vazão de adução
L 200.00 m Comprimento do túnel
b 3.50 m Base da seção do túnel
h 3.00 m Altura da seção do túnel
∅ 4.08 m Diâmetro hidráulico do túnel
A 15.31 m² Área da seção do túnel
h

v 0.44 m/s Velocidade média do escoamento


n 0.04 Coeficiente de rugosidade de manning
f 0.11 Fator de atrito de Darcy-Weisbach b
h Túnel 5.38 cm Perda de carga total

f=124,58∙n^2/∅^0,333 h_Túnel=f∙(L∙v^2)/(∅∙2g)
R_H=A/p ∅=4∙R_H
1.5. PERDA DE CARGA NO CONJUNTO DE SINGULARIDADES ( Hf )

V2
h f =0,1× = 0.10 cm
2g
V = velocidade do escoamento no túnel adutora ( m/s);
1.6. PERDA DE CARGA TOTAL ( HT )

h_t=h_i+h_g+h_e+h_a+h_f= 0.36 + 0.44 + 0.31 + 5.38 + 0.10 = 6.59 cm

2. DETERMINAÇÃO DA ÁREA TRANSVERSAL DA CHAMINÉ ( AC)

V2 LC × A T
Ac> × = 19.28 m D= 4.95 m DADOTADO = 8.00 m AC = 50.27 m²
2g ( H gm −hT ) hT

Ac = área interna da seção transversal da chaminé (m²)

Hgm = queda bruta mínima (m) Hgm = 20.20 m


At = área interna da seção transversal do conduto adutor (m²) At = 13.10 m²
V = velocidade do escoamento na tubulação adutora ( m/s); V= 0.44 m/s
Lc = complimento do conduto adutor desde a tomada dágua até a chaminé de equilíbrio (m); Lc = 200.00 m
ht = perda de carga total até a chaminé de equilíbrio (m) ht = 0.07 m
3. DETERMINAÇÃO DA MÁXIMA ELEVAÇÃO ( YE)

Y E =Z E ×V ×
√ AT ×. LC
g× A C
2 1 h
∴ Z E =1− k + k 2 ∴ k= t
3 9 V √ g× A C
A T ×LC

Ac = área interna da seção transversal da chaminé (m²) AC = 50.27 m²


At = área interna da seção transversal do conduto adutor (m²) At = 13.10 m²
V = velocidade do escoamento na tubulação adutora ( m/s); V= 0.44 m/s
Lc = complimento do conduto adutor desde a tomada dágua até a chaminé de equilíbrio (m); Lc = 200.00 m
ht = perda de carga total até a chaminé de equilíbrio (m) ht = 0.07 m

k = 0.07 ZE = 0.96 YE = 0.97 m


4. DETERMINAÇÃO DA DEPLEÇÃO MÁXIMA
4.1. DETERMINAÇÃO DA DEPLEÇÃO MÁXIMA ( YD )

Y D =Z D×V ×
√ A T ×. LC
g× AC
∴ Z D é obtido em função de k = '
h'T
V
h't = perda de carga total até a chaminé de equilíbrio com h a calculado com um f = 0,02 (m)
√ g× A C
A T × LC
h't = 0.02 m

LC V 2 ZD= YD =
ha =f × × = 0.01 m k' = 0.02 0.95 0.96 m
D 2g
4.2. DETERMINAÇÃO DA DEPLEÇÃO MÁXIMA ( Y'D )

Y 'D =Z 'D×V ×
√ A T ×. LC
g× AC
∴ Z 'D é obtido em função de k = '
h'T
V √ g× A C
A T × LC
YE= 0,96

k' = 0.02 Z 'D= 0.51 Y'D = 0.51 m


5. ALTURA TOTAL DA CHAMINÉ DE EQUILÍBRIO
YD = 0,96

H C =Y E + ( Y D ouY 'D ) +Y e +Y d +Y R
YE = elevação do nível dágua;
YD ou Y'D = depleção do nível dágua;
Ye = acréscimo de segurança na altura de elevação do nível dágua;
Yd = acréscimo de segurança na altura de depleção do nível dágua;
YR = depleção do nível dágua do reservatório;

HC = 0.97 + 0.96 + 1.00 + 1.00 + 0.00 = 3.93 m

D-
rad
m/s

m/s

NAMÁX.
D - 8,00
PERDA DE CARGA
1.PERDA DE CARGA CONDUTO FORÇADO

h_CONDUTO=h_L+h_C+h_B+h_E+h_VB
h_L= Perda de carga linear na tubulação (m);
h_C= Perda de carga nas curvas (m);
h_B= Perda de carga na bifurcação (m);
h_E= Perda de carga no estreitamento da tubulação (m);
h_VB= Perda de carga na válvula borboleta (m);

1.1 PERDA DE CARGA LINEAR NA TUBULAÇÃO ( hL )


Método de Moody-Rouse
6 −16 0,125

((
64 8
) (( ε 5,74 2500
) ( )) )
2
L Vi onde, f= +9,5 ln + 0,9 −
h L=f × ( m)
φ 2g Re 3,7x φ Re Re
f = fator de atrito (adimensional);
Vi= Velocidade na tubulação (m/s);
∅= diâmetro da tubulação (m);
Re = número de Reynolds;
L = comprimento da tubulação (m);
g = aceleração da gravidade (m/s²);

Qvazão= 12.00 m³/s ∅= 2.50 m Vi = 2.44 m/s ε= 0.40 mm ε/∅ = 0.00016


L= 140.00 m f= 0.013383296542776 hL = 22.828 cm Re= 6.11E+06

1.2 PERDA DE CARGA NAS CURVAS ( hC )

hc =hc90 ° + hc60 ° +h c45°


hc90°= perdas nas curvas com 90° com a horizontal;
hc60°= perdas nas curvas com 60° com a horizontal;
hc45°= perdas nas curvas com 45° com a horizontal;
1.2.1 PERDA DE CARGA NAS CURVAS ( hC90° )

L V 2i hC90° = 0.00 cm
hcurva=(f × +ξ )× (m)
φ 2g
f = fator de atrito (adimensional); ζ = k x número de curvas
Vi= Velocidade na tubulação (m/s); k = 0.20
∅= diâmetro da tubulação (m); Número de curvas = 0.00 un.
L = comprimento da curva (m); L = 0.00 m
g = aceleração da gravidade (m/s²);

1.2.2 PERDA DE CARGA NAS CURVAS ( hC60° )


2
L V hC90° =
hcurva=(f × +ξ )× i (m) 0.00 cm
φ 2g
f = fator de atrito (adimensional); ζ = k x número de curvas
Vi= Velocidade na tubulação (m/s); k = 0.08
∅= diâmetro da tubulação (m); Número de curvas = 0.00 un.
L = comprimento da curva (m); L = 0.00 m
g = aceleração da gravidade (m/s²);
1.2.2 PERDA DE CARGA NAS CURVAS ( hC45° )

L V 2i hC45° = 9.98 cm
hcurva=(f × +ξ )× (m)
φ 2g
f = fator de atrito (adimensional); ζ = k x número de curvas
Vi= Velocidade na tubulação (m/s); k= 0.03
∅= diâmetro da tubulação (m); Número de curvas = 2.00 un.
L = comprimento da curva (m); L = 50.00 m
g = aceleração da gravidade (m/s²);
1.2.3 PERDA DE CARGA TOTAL NAS CURVAS ( hC )

hc =hc90 ° + hc60 ° +h c45° = 0.00 + 0.00 + 9.98 = 9.98 cm

hc90°= perdas nas curvas com 90° com a horizontal;


hc60°= perdas nas curvas com 60° com a horizontal;
hc45°= perdas nas curvas com 45° com a horizontal;

1.3 PERDA DE CARGA NA BIFURCAÇÃO ( hB )


2
L Vi
h B =( f × +ξ B )× (m)
φ 2g
ζB = coeficiente de perda de carga na bifurcação
Qe= 12.00 m³/s
Qa= 6.00 m³/s
Ângulo da bifurcação = 60°
ζB = 0.00
L= 0.00 m
hC90° = 0.00 cm

1.4 PERDA DE CARGA NO ESTRANGULAMENTO DA TUBULAÇÃO ( hE )


V 12
h E =k ×
2g
∅ 1= 3.00 m ∅ 2= 3.50 m D2/D1 = 1.17
Q1= 12.00 m³/s Q2= 12.00 m³/s α= 30°
V1= 1.70 m³/s V2= 1.25 m³/s hE = 0.73 cm

1.5 PERDA DE CARGA NA VÁLVULA BORBOLETA ( hVB )

V 2VB ∅VB= 2.50 m VVB= 2.44 m³/s QVB= 12.00 m³/s k= 0.15
h VB=k× ( m)
2g hVB =
4.57 cm
1.6 PERDA DE CARGA TOTAL NO CUNDUTO FORÇADO
h_CONDUTO=h_L+h_C+h_B+h_E+h_VB = 22.83 + 9.98 + 0.00 + 0.73 + 4.57
h_CONDUTO= 38.11 cm
coeficiente K

Coeficiente k
120
Coeficiente k

coefi
120

100 f(x) = 0.1589586575 exp( 0.1084617001 x )


R² = 0.997757115
80

60

40

20
Abertura em °
0
0 10 20 30 40 50 60 70
VÁLVULA BORBOLETA
ABERTURA K
0 0.15
5 0.24
10 0.52
15 0.9
20 1.54
25 2.51
30 3.91
40 10.8
50 32.6
60 118
PERDA DE CARGA
1.PERDA DE CARGA NO CANAL DE FUGA

Qe= 2.5 m³/s vazão


B= 6 m Largura
H= 3 m Profundidade
L= 140 m Comprimento 0, 00155 1
23+ +
I= 0 m/m inclinação do talude S n
C=
n 0,00155
RH=

Am=
1.50 m Raio hidráulico 1+
√ Rh( 23+
S )
18.00 m² Área molhada
Pm= 12.00 m Perímetro molhado
V= 0.14 m/s Velocidade 2
V
n= 0.025 coeficiente de rugosidade S= 2
C ×RH
C= 47.72 coeficiente de Ganguillet e Kutter
S= 5.6E-06 Perda de carga unitária m/m

V2
hCanal de fuga=L×
( )
C2 R H
(cm ) = 0.08 cm
0.00
47.7185528