Вы находитесь на странице: 1из 42

Msc Almodevar Baldaia Silva

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA

1
1
Msc Almodevar Baldaia Silva UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA 1
Msc Almodevar Baldaia Silva UNIVERSIDADE CATÓLICA DE ANGOLA 1

Conceitos Gerais

PROGRAMA

Estrutura Atómica e Molecular

Elementos Químicos e Propriedades Periódicas

Ligações Químicas

Reacções Químicas

Medições e Unidades

Moles e Massa Molar; Determinação de Fórmulas Químicas

Cálculos Estequiométricos

Química Nuclear

Complementação (Laboratórios )

Regras de segurança

Material de Laboratório

Técnicas básicas de isolamento e purificação de substâncias

Msc Almodevar Baldaia Silva

2
2
•   Técnicas básicas de isolamento e purificação de substâncias Msc Almodevar Baldaia Silva 2

Módulo B

PROGRAMA

Ligações Químicas.

Tipos de ligações Químicas.(covalentes, iónica, metálica)

Teoria da ligação de valência. Teoria de hibridação de orbitais.

Geometria molecular; momento dipolar

Forças intermoleculares.

Classificação de reacções químicas

Conceitos básicos de estequiometria.

Cálculo estequiométrico

Acerto de equações químicas

Cálculos estequiométricos.

Quantidades de reagente e produtos

Reagentes limitantes

Rendimento da reacção

Msc Almodevar Baldaia Silva

3
3
e produtos • Reagentes limitantes •   Rendimento da reacção Msc Almodevar Baldaia Silva 3

*Símbolos de Lewis

Consiste no símbolo do elemento e

Ligações Químicas

nos electrões de valência

(representados por um ponto por cada electrão presente).

(representados por um ponto por cada electrão presente). Gilbert Newton Lewis Químico-Físico norte americano Figura
(representados por um ponto por cada electrão presente). Gilbert Newton Lewis Químico-Físico norte americano Figura

Gilbert Newton Lewis

Químico-Físico norte americano

Figura B. 1. símbolos de Lewis para os elementos representativos e gases nobres. (Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Msc Almodevar Baldaia Silva

4
4
e gases nobres. ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o ) Msc Almodevar Baldaia Silva

(23/10/1845-23/03/1946

1.Ligação iónica 2.Ligação covalente 3.Ligação metálica 4.Ligações intermoleculares

Regra de Octeto (Lewis)

Tipos de ligações químicas. Regra do Dueto e do Octeto

O átomo adquire estabilidade ao adquirir a configuração electrónica de gás

nobre (oito electrões de valência ns 2 np 6 )

Regra do Dueto

O átomo adquire estabilidade ao adquirir a configuração electrónica do gás

nobre hélio (dois electrões de valência ns 2 ) H, Li, B, Be.

² Excepções à regra de octeto (investigar)

Msc Almodevar Baldaia Silva

5
5
ns 2 ) H, Li, B, Be . ²   Excepções à regra de octeto (investigar)

Ligação iónica

Uma ligação iónica ocorre com transferência de electrões e dá-se entre átomos com diferença de electronegatividade extrema.

entre átomos com diferença de electronegatividade extrema. A ligação iónica é a força electrostática que mantém

A ligação iónica é a força electrostática que mantém os átomos ligados em um composto iónico.

Msc Almodevar Baldaia Silva

6
6
é a força electrostática que mantém os átomos ligados em um composto iónico. Msc Almodevar Baldaia

Exemplo 2.1. Outros exemplos são dados pelas reações:

Ca (s) + O 2(g)

Mg (s) + N 2(g)

Al (s) + O 2(g)

Li (s) + O 2(g)

2(g) A l (s) + O 2(g) L i (s) + O 2(g) C a O

CaO

M g 3 Mg 3

(s)

N 2(s)

A l 2 O 3(s) Al 2 O 3(s)

L i 2 O (s) Li 2 O (s)

Exercício 2.1. Escreva as estruturas de Lewis para os reagentes e produtos nas seguintes reacções:

Sr (s) + Se (s)

SrSe (s) (s)

Ca (s) + H 2(g)

Li (s) + N 2(g)

Al (s) + S 2(g)

CaH 2(s) Li 3 N (s) Al 2 S 3(s)
CaH
2(s)
Li 3
N
(s)
Al 2
S 3(s)

Msc Almodevar Baldaia Silva

7
7
N 2(g) A l (s) + S 2(g) CaH 2(s) Li 3 N (s) Al 2

Características dos compostos iónicos

-

São sólidos à temperatura ambiente;

-

Possuem altos pontos de fusão e de ebulição;

-

Quando fundidos ou em solução aquosa conduzem a corrente eléctrica;

-

Formam retículos cristalinos.

Msc Almodevar Baldaia Silva

8
8
aquosa conduzem a corrente eléctrica; -   Formam retículos cristalinos. Msc Almodevar Baldaia Silva 8

Ligações covalentes. Teoria da ligação de valência. Teoria de hibridação de orbitais.

A ligação covalente ocorre por partilha de dois ou mais electrões entre dois átomos.

H . + H . F

F

+

H-Hmais electrões entre dois átomos. H . + H . F F + F-F Pode ser

F-Felectrões entre dois átomos. H . + H . F F + H-H Pode ser apolar

Pode ser apolar quando da-se entre átomos de igual electronegatividade (átomos do mesmo elemento químico) ou polar quando ocorre entre átomos de diferente electronegatividade.

Estrutura de Lewis é a representação das ligações covalentes em que os pares de electrões compartilhados são representados como linhas ou pares de pontos entre dois átomos e os pares isolados de cada átomo são mostrados como pares de pontos no respectivo átomo. São representados apenas os electrões de valência.

Msc Almodevar Baldaia Silva

9
9
de pontos no respectivo átomo. São representados apenas os electrões de valência. Msc Almodevar Baldaia Silva

Ligação covalente dativa ou coordenada

Ocorre entre um átomo com estabilidade electrónica e outro (s) que necessitem de electrões para completar a sua camada de valência. Ex. SO 2 ; H 2 SO 4 ; O 3 ; NH 4

+

Ex. SO 2 ; H 2 SO 4 ; O 3 ; NH 4 + As

As substâncias covalentes geralmente apresentam temperatura de fusão e de ebulição inferiores às substâncias iónicas.

Quando a ligação origina compostos com grande número de átomos, geralmente indeterminados, forma estruturas denominadas macromoléculas. Em condições ambiente apresentam altas t.e e t.f

-

(SiO 2 ) n, grafite (C n ), diamante (C n ), Celulose (C 6 H 10 O 5 )

Msc Almodevar Baldaia Silva

10
10
, grafite ( C n ), diamante ( C n ), Celulose (C 6 H 1

Os átomos podem formar diferentes tipos de ligações covalentes.

Ligação simples é compartilhado apenas um par de electrões.

Ligação dupla são compartilhados dois pares de electrões.

Ligação tripla três pares de electrões são compartilhados por dois átomos.

Exemplo

H H C C H H
H
H
C C
H
H
O C O
O C O

N N N N N N

N N
N N
N N
N N

H C C

H

Comprimento de ligação é a distância entre os núcleos de dois átomos ligados covalentemente em uma molécula.

Msc Almodevar Baldaia Silva

11
11
distância entre os núcleos de dois átomos ligados covalentemente em uma molécula . Msc Almodevar Baldaia

Exercício

1.Qual é a diferença entre um símbolo e uma estrutura de Lewis?

2. Defina

Pares de electrões isolados Regra de octeto Comprimento de ligação

3. Diferencie ligações simples, duplas e triplas, dê exemplos (diferentes

dos vistos na aula).

4. Quantos pares de electrões isolados existem nos átomos negritados.

HI, NH 3 , MgO

Msc Almodevar Baldaia Silva

12
12
pares de electrões isolados existem nos átomos negritados. H I, N H 3 , Mg O

Teoria de Ligação de valência

Supõe que os electrões nos átomos ocupam orbitais atómicos dos átomos individuais. A formação de ligações dá-se pela sobreposição de orbitais atómicos. Ex. Molécula de H 2

de orbitais atómicos. Ex. Molécula de H 2 Msc Almodevar Baldaia Silva Fig potencial molécual de

Msc Almodevar Baldaia Silva

Fig

potencial

molécual de H 2 Raymond Chang, 11ª ediçã o)

B.5.Variação

na

da

energia

da

formação

13
13
molécual de H 2 Raymond Chang, 11 ª edi çã o ) B.5. Variação na da
Msc Almodevar Baldaia Silva Fig B.6. formação do orbital molecular ligante da molécula de H

Msc Almodevar Baldaia Silva

Fig B.6. formação do orbital molecular ligante da molécula de H 2 Raymond Chang, 11ª ediçã o)

14
14
Fig B.6. formação do orbital molecular ligante da molécula de H 2 Raymond Chang, 11 ª

Noção de ligação sigma e de ligação pi

A ligação entre os dois átomos de hidrogénio torna-se possível pela interpenetração dos orbitais incompletos.

possível pela interpenetração dos orbitais incompletos. Os orbitais atômicos (O.A) deformam-se após a
possível pela interpenetração dos orbitais incompletos. Os orbitais atômicos (O.A) deformam-se após a
possível pela interpenetração dos orbitais incompletos. Os orbitais atômicos (O.A) deformam-se após a

Os orbitais atômicos (O.A) deformam-se após a interpenetração e formam orbitais moleculares (O.M), como a interpenetração ocorreu ao longo do mesmo eixo a ligação é chamada de sigma (σ) e neste caso σ s-s , pois os dois orbitais são s.

Msc Almodevar Baldaia Silva

15
15
chamada de sigma ( σ ) e neste caso σ s - s , pois os
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16

Msc Almodevar Baldaia Silva

Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16
16
16
Msc Almodevar Baldaia Silva 16

Quando entre dois átomos ocorrer mais de uma ligação, a primeira será sempre sigma e as demais corresponderão a ligações pi (π), envolvendo os orbitais p, contidos em eixos paralelos.

A ligação π, é sempre formada pelos orbitais p, contidos em eixos paralelos π p-p

σp-p π p-p
σp-p
π
p-p
π σp-p π p-p
π
σp-p
π
p-p
contidos em eixos paralelos π p - p σp-p π p-p π σp-p π p-p σ
contidos em eixos paralelos π p - p σp-p π p-p π σp-p π p-p σ

σ

contidos em eixos paralelos π p - p σp-p π p-p π σp-p π p-p σ
π
π

Msc Almodevar Baldaia Silva

σ π 17
σ
π
17
paralelos π p - p σp-p π p-p π σp-p π p-p σ π Msc Almodevar

Hibridação

- Mistura de dois ou mais orbitais atómicos para fornecer o mesmo número de orbitais hibridos. Hibridação sp3 (Metano)

número de orbitais hibridos. Hibridação sp3 (Metano) Msc Almodevar Baldaia Silva F i g B.7. d

Msc Almodevar Baldaia Silva

F i g

B.7.

d e

f o r m a ç ã o h í b r i d o s

d e

o r b i t a i s m o l é c u l a

n a

m e t a n o

R aymond Chang, 11ª ediçã o)

18
18
b r i d o s d e o r b i t a i s

Hibridação Sp 3 , geometria tetraédrica ângulos de ligação de 109,5º. NH 3 (107,3).

NH 4 + ; NH 2 - ; RO - ; H 3 O + ; ROH

4 + ; NH 2 - ; RO - ; H 3 O + ; ROH
4 + ; NH 2 - ; RO - ; H 3 O + ; ROH

Fig B.8. geometrias do metano e do amoníaco Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Msc Almodevar Baldaia Silva

19
19
F ig B.8. geometrias do metano e do amoníaco Raymond Chang, 11 ª edi çã o

Hibridação sp 2 Molécula de BF 3

Hibridação sp 2 Molécula de BF 3 F igB.9. formação de orbitais híbridos sp 2 Raymond
Hibridação sp 2 Molécula de BF 3 F igB.9. formação de orbitais híbridos sp 2 Raymond
Hibridação sp 2 Molécula de BF 3 F igB.9. formação de orbitais híbridos sp 2 Raymond

FigB.9. formação de orbitais híbridos sp 2 Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Msc Almodevar Baldaia Silva

20
20
igB.9. formação de orbitais híbridos sp 2 Raymond Chang, 11 ª edi çã o ) Msc
Estes três orbitais sp 2 situam-se no mesmo plano, e o ângulo de ligação FBF

Estes três orbitais sp 2 situam-se no mesmo plano, e o ângulo de ligação FBF é de 120 0 . Deste modo a molécula do BF 3 é formada pelo recobrimento de um orbital híbrido sp 2 do boro com um orbital 2p do flúor.

A molécula é trigonal planar

Fig B.10. geometria da molécula de

BF

metano e do amoníaco

R aymond Chang, 11ª ediçã o)

3

Msc Almodevar Baldaia Silva

21
21
molécula de BF metano e do amoníaco R aymond Chang, 11 ª edi çã o )

Hibridação Sp

Hibridação Sp F ig B.11. formação de orbitais híbridos sp Raymond Chang, 11 ª edi çã
Hibridação Sp F ig B.11. formação de orbitais híbridos sp Raymond Chang, 11 ª edi çã
Hibridação Sp F ig B.11. formação de orbitais híbridos sp Raymond Chang, 11 ª edi çã

Fig B.11. formação de orbitais híbridos sp Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Msc Almodevar Baldaia Silva

22
22
F ig B.11. formação de orbitais híbridos sp Raymond Chang, 11 ª edi çã o )
A molécula do BeCl 2 tem geometria linear , uma vez que os dois orbitais

A molécula do BeCl 2 tem geometria linear , uma vez que os dois orbitais híbridos dispõem-se ao longo da mesma linha , de modo que o ângulo entre eles é de

180 0 .

Msc Almodevar Baldaia Silva

23
23
ao longo da mesma linha , de modo que o ângulo entre eles é de 180

HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d

PBr 5 sp 3 d

HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3
HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3
HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3
HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3
HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3
HIBRIDAÇÃO ENVOLVENDO ORBITAIS d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3

Arranjo bipiramidal trigonal

d PBr 5 sp 3 d Arranjo bipiramidal trigonal SF 6 sp 3 d 2 Octeto

SF 6 sp 3 d 2

Octeto expandido! Geometria octaédrica:

24
24
Msc Almodevar Baldaia Silva
Msc Almodevar Baldaia Silva

Exercício

Explicar a hibridação de moléculas com ligações duplas e triplas:

Exemplo : Hibridação do átomo de carbono nas moléculas de ácido cianídrico (HCN); dióxido de carbono; metanal (H 2 CO),

Msc Almodevar Baldaia Silva

25
25
moléculas de ácido cianídrico (HCN); dióxido de carbono; metanal (H 2 CO), Msc Almodevar Baldaia Silva

Geometria molecular

Arranjo tridimensional dos átomos em uma molécula.

Em uma ligação covalente, um par de electrões denominado par ligante mantem os átomos unidos, no entanto em uma molécula poliatómica há repulsão entre os diferentes pares ligantes.

A molécula adopta uma geometria que minimize essa repulsão.

Modelo de Repulsão dos pares electrónicos da Camada de Valência (RPECV)

-

-

As ligações duplas e triplas são tratadas como se fossem simples Se existirem duas ou mais estruturas de ressonância, o modelo aplica-se a qualquer uma delas.

Divisão das moléculas em duas categorias

1.

Moléculas em que o átomo central não tem pares isolados;

2.

Moléculas em que o átomo central tem um ou mais pares isolados;

Msc Almodevar Baldaia Silva

26
26
2.   Moléculas em que o átomo central tem um ou mais pares isolados; Msc Almodevar

Moléculas em que o átomo central não apresenta pares isolados.

Por uma questão de simplicidade consideraremos moléculas que possuem átomos de apenas dois elementos, A e B sendo A o átomo central.

Ab x ; x é um número inteiro 2,3,4 definição é linear.

(se x = 1, a molécula é diatómica, AB e por

A figura 2.14, apresenta cinco possíveis arranjos para os pares electrónicos em torno do átomo central A.

AB 2 ; AB 3 ; AB 4 ; AB 5 ; AB 6 .

Msc Almodevar Baldaia Silva

27
27
torno do átomo central A. AB 2 ; AB 3 ; AB 4 ; AB 5
Figura B.14. Arranjo espacial dos pares electrónicos a volta de um átomo central (A) em

Figura B.14. Arranjo espacial dos pares electrónicos a volta de um átomo central (A) em uma molécula, e geometria de algumas moléculas e iões simples nos quais o átomo central não possui pares isolados. (Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Msc Almodevar Baldaia Silva

28
28
átomo central não possui pares isolados . ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o )

Moléculas em que o átomo central tem um ou mais pares isolados.

1 - Forças repulsivas entre pares isolados

2 - Forças repulsivas entre pares ligantes e pares isolados

3 - Forças repulsivas entre pares ligantes

Designaremos as moléculas como AB x E y

A, átomo central B, átomo ligado ao átomo central E, par isolado localizado em A x e y são números inteiros

Msc Almodevar Baldaia Silva

29
29
ligado ao átomo central E, par isolado localizado em A x e y são números inteiros

AB 2 E : dióxido de enxofre (SO 2 )

Dois pares ligantes e um isolado; Arranjo trigonal planar; Geometria angular.

e um isolado; Arranjo trigonal planar; Geometria angular. Ângulo OSO menor do que o ângulo trigonal

Ângulo OSO menor do que o ângulo trigonal planar 120º.

Msc Almodevar Baldaia Silva

30
30
Geometria angular. Ângulo OSO menor do que o ângulo trigonal planar 120º . Msc Almodevar Baldaia

AB 3 E : amoníaco (NH 3 )

Três pares ligantes e um isolado; Arranjo tetraédrico; Geometria piramidal trigonal.

Arranjo tetraédrico; Geometria piramidal trigonal. O ângulo HNH (107,3º) é menor do que o ângulo

O ângulo HNH (107,3º) é menor do que o ângulo tetraédrico ideal

(109,5º).

Msc Almodevar Baldaia Silva

31
31
O ângulo HNH (107,3º) é menor do que o ângulo tetraédrico ideal (109,5º). Msc Almodevar Baldaia

AB 2 E 2 : água (H 2 O)

Arranjo tetraédrico; Dois pares isolados; Geometria angular ou em forma de V; O ângulo HOH (104,5º) é menor do que o ângulo tetraédrico (109,5º).

(104,5º) é menor do que o ângulo tetraédrico (109,5º) . Figura B.15. Representação dos tamanhos relativos

Figura B.15. Representação dos tamanhos relativos dos pares ligantes e isolados nas moléculas de metano amoníaco e água bem como dos ânglos de ligação de cada molécula. (Raymond Chang, 11ª ediçã o).

Msc Almodevar Baldaia Silva

32
32
dos ânglos de ligação de cada molécula. ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o )

AB 4 E : Tetrafluoreto de enxofre (SF 4 )

Quatro pares ligantes e um isolado; Cinco pares de electrões, bipiramidal trigonal; Geometria tetraédrica distorcida.

bipiramidal trigonal; Geometria tetraédrica distorcida. Figura B.16. Representação geométrica da molécula de
bipiramidal trigonal; Geometria tetraédrica distorcida. Figura B.16. Representação geométrica da molécula de
bipiramidal trigonal; Geometria tetraédrica distorcida. Figura B.16. Representação geométrica da molécula de

Figura B.16. Representação geométrica da molécula de tetrafluoreto de enxofre (ângulo S-F axial (173º), S-F equatorial (102º). (Raymond Chang, 11ª ediçã o).

Msc Almodevar Baldaia Silva

33
33
S-F axial (173º), S-F equatorial (102º). ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o ) .
Figura B.17a. Representação geométrica de moléculas e iões simples em que o átomo central tem

Figura B.17a. Representação geométrica de moléculas e iões simples em que o átomo central tem um ou mais pares isolados. (Raymond Chang, 11ª ediçã o).

Msc Almodevar Baldaia Silva

34
34
átomo central tem um ou mais pares isolados. ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o
Figura B.17b Representação geométrica de moléculas e iões simples em que o átomo central tem

Figura B.17b Representação geométrica de moléculas e iões simples em que o átomo central tem um ou mais pares isolados. (Raymond Chang, 11ª ediçã o).

Msc Almodevar Baldaia Silva

35
35
átomo central tem um ou mais pares isolados. ( Raymond Chang, 11 ª edi çã o

Exemplo 2.

Utilizando o modelo de repulsão dos pares electrónicos da camada de valência Preveja a geometria das seguintes moléculas:

1.

AsH 3

-

2.

OF 2

3.

AlCl 4

-

4.

5.

I 3 C 2 H 4

6.

SiBr 4

7.

CS 2

8.

NF 3

Msc Almodevar Baldaia Silva

36
36
C 2 H 4 6.   SiBr 4 7.   CS 2 8.   NF 3

Momento dipolar

É uma propriedade a que recorre-se para medir a polaridade de uma ligação covalente.

para medir a polaridade de uma ligação covalente. •   M omento de dipolo ( μ
para medir a polaridade de uma ligação covalente. •   M omento de dipolo ( μ

Momento de dipolo (μ) é expresso como o produto da carga Q pela distância entre elas.

μ = Q × r

Q, refere-se ao módulo da carga μ, é sempre positivo 1 D = 3,336 × 10 -36 C m

Moléculas diatómicas que apresentam átomos de elementos diferentes (HF, CO, NO) apresentam momento de dipolo e são chamadas de moléculas polares. Moléculas diatómicas apolares, apresentam átomos do mesmo elemento (H 2 , Br 2 , N 2 ) e não apresentam momento de dipolo.

Msc Almodevar Baldaia Silva

37
37
elemento (H 2 , Br 2 , N 2 ) e não apresentam momento de dipolo.

A existência de ligações covalentes polares é uma condição necessária, mas não suficiente para que uma molécula possua momento dipolar.

suficiente para que uma molécula possua momento dipolar. Exs ; NH 3 e NF 3 ,

Exs; NH 3 e NF 3, Cis e trans-1,2-dicloroetileno.

Msc Almodevar Baldaia Silva

38
38
momento dipolar. Exs ; NH 3 e NF 3 , Cis e trans -1,2-dicloroetileno. Msc Almodevar
Figura B.18. Momentos dipolares de algumas moléculas polares . ( Raymond Chang, 11 ª edi

Figura B.18. Momentos dipolares de algumas moléculas polares.

(Raymond Chang, 11ª ediçã o)

Exercício 3. Preveja se as moléculas abaixo possuem momento de dipolo a) AlCl 3 b) CH 2 Cl 2

Msc Almodevar Baldaia Silva

39
39
abaixo possuem momento de dipolo a)   AlCl 3 b)   CH 2 Cl 2 Msc
UCAN 1.   2. 3. FUNDAMENTOS DE QUÍMICA b) isótopos 40 18 Ar c) isótonos

UCAN

1.

2.

3.

UCAN 1.   2. 3. FUNDAMENTOS DE QUÍMICA b) isótopos 40 18 Ar c) isótonos Qual

FUNDAMENTOS DE QUÍMICA

b) isótopos

40

18

Ar

c) isótonos

Qual é a relação entre o argón

a) Isóbaros

Msc Almodevar Baldaia Silva

40 18 Ar c) isótonos Qual é a relação entre o argón a)   I sóbaros
Exercícios de revisão
Exercícios de revisão

e o potássio

40

19

K

d) nenhuma relação.

O átomo A tem número de massa 70 e é isóbaro de C que possui 41 protões.

átomo B possui 34 electrões e é isótopo de A e isótono de C . Determine os

números atómicos e e de massa de cada um dos elementos.

São dados três átomos A, B, C, determine o número atómico e o número de

massa de cada um deles sabendo que A tem 20 protões e número de massa 41, e C tem 22 neutrões. Sabe-se também que A e C são isótopos; B e C são isóbaros, e A e B são isótonos.

40
40
UCAN d) e) FUNDAMENTOS DE QUÍMICA b) Localize a espécie A na tabela periódica. 5-

UCAN

d)

e)

UCAN d) e) FUNDAMENTOS DE QUÍMICA b) Localize a espécie A na tabela periódica. 5- Rebata

FUNDAMENTOS DE QUÍMICA

UCAN d) e) FUNDAMENTOS DE QUÍMICA b) Localize a espécie A na tabela periódica. 5- Rebata

b) Localize a espécie A na tabela periódica.

5- Rebata sobre as seguintes afirmações:

covalente de coordenação. 2 valores

Msc Almodevar Baldaia Silva

periódica. 5- Rebata sobre as seguintes afirmações: covalente de coordenação. 2 valores Msc Almodevar Baldaia Silva
Exercícios de revisão
Exercícios de revisão

4- Os últimos electrões dos átomos A e B têm os seguintes valores de números quânticos :

n = 4 , l = 0 m l = 0; m s = +1/2 e n = 3 , l = 1 m l = +1; m s = -1/2.

a) Identifique-os entre as espécies: 17 Cl; 19 K; 22 Ti; 19 K + ; 17 Cl + ; 22 Ti 2+ .

Explique por que razão A tem maior raio do que B.

a) O Li 3 possui maior valor de primeira energia de ionização do que o Na 11. b) O 16 S é mais electronegativo do que o 17 Cl. c) O C 6 é mais denso do que o Si 14 .

Na molécula de CO 2 há formação de ligações covalentes polares e, de uma ligação

O KF é formado por meio de uma ligação iónica.

41
41
UCAN FUNDAMENTOS DE QUÍMICA Msc Almodevar Baldaia Silva

UCAN

UCAN FUNDAMENTOS DE QUÍMICA Msc Almodevar Baldaia Silva

FUNDAMENTOS DE QUÍMICA

UCAN FUNDAMENTOS DE QUÍMICA Msc Almodevar Baldaia Silva
UCAN FUNDAMENTOS DE QUÍMICA Msc Almodevar Baldaia Silva
Msc Almodevar Baldaia Silva
Msc Almodevar Baldaia Silva
Exercícios de revisão
Exercícios de revisão

5- Baseando-se no modelo de repulsão dos pares electrónicos da camada de valência estabeleça as geometrias das moléculas pentafluoreto de fósforo (PCl 5 ) e amoníaco (NH 3 ). a) Avalie a polaridade da molécula de amoníaco

42
42