Вы находитесь на странице: 1из 22

Agrupamento de

Escolas de Alvalade

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS Ensino Básico: 2ºciclo


______________________________________________________________________________
Avaliação
Cumprimento do Regulamento Interno e das regras de convivência e de
cidadania:
Atitudes
 autonomia
 cooperação
 empenho 25%
 material
 organização
 participação
Capacidades  responsabilidade

Formal (participação planeada)


25%
Oralidade Informal (participação espontânea, ativa e
pertinente) 15 (F) + 10 (I)

Leitura Fichas (interpretação/leitura/ /gramática)


*Conhecimentos Escrita Textos (diferentes tipologias) 50%
Educação literária
Testes
Gramática

*Tendo como referência as Aprendizagens Essenciais, as Metas Curriculares e os Programas para o ensino básico,
o aluno deve:
Conhecer, compreender e usar apropriadamente o português padrão (adquirindo métodos e técnicas de
trabalho, utilizando e desenvolvendo processos de pesquisa, de registo e tratamento da informação):
 ler e compreender textos escritos, incluindo textos literários e não literários de vários tipos;
 revelar autonomia na escrita de textos criativos e/ou sujeitos a técnicas e modelos diversificados.
 compreender textos orais de vários tipos;
 usar uma expressão oral fluente, correta e adequada a diversas situações de comunicação;
 explicitar, aplicar e sistematizar os aspetos fundamentais da gramática do Português.

Nota: As atividades desenvolvidas em DAC serão integradas na avaliação.

NÍVEIS DE AVALIAÇÃO
Os registos de classificação dos testes devem ser apresentados quantitativamente, em percentagem, de
acordo com os Critérios Gerais de avaliação do Agrupamento, de acordo com a seguinte tabela:
Muito Insuficiente: 0 - 19% (Nível 1)
Insuficiente: 20 - 49% (Nível 2)
Suficiente: 50 - 69% (Nível 3)
Bom: 70 - 89% (Nível 4)
Muito Bom: 90 - 100% (Nível 5)

CLASSIFICAÇÃO FINAL POR PERÍODO:

1º 2º 3º
Períodos
100% 100% (25% x MEDIA 1º P) + (25% x MEDIA 2º P) + (50% x MEDIA 3º P)
……………………………………………………………………………………………………………………………………………………
Tomei conhecimento dos critérios de avaliação da disciplina de Português:

O aluno: ____________________________________________________ ____ /___/2017

O Encarregado de Educação:____________________________________ ____ /___/2017


Ag r u pam en to d e Es cola s d e Al v ala de 2017.2018
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS



2º ciclo do Ensino Básico - 5º ano Inglês

Instrumentos Pontuação em
Competências Aprendizagens Específicas
de avaliação percentagem

Grelhas de registo de 10
observação
Compreensão Oral (L)

• Compreender discursos simples, articulados de forma clara e
Atividades formativas:
pausada;
expressão oral, audição,
• Identificar palavras e expressões em canções e textos
gramática; visionamento de
áudio/audiovisuais;
registos icónicos ou em vídeo
• Identificar a ideia global de pequenos textos orais.


Leitura (R) Atividades formativas: 5
• Ler frases e pequenos textos em voz alta; exercícios de leitura
• Compreender textos breves e simples;
•Localizar no mapa alguns países de expressão inglesa.
Atividades diversas de
Escrita (W) escrita: realização de
• Reconhecer informação que é familiar; trabalhos escritos com/sem 25
•Produzir frases simples, redigir mensagens e notas pessoais; pesquisa
•Descrever uma imagem;
Compreensão •Realizar trabalhos criativos para apresentar os mesmos ao Exercícios de vocabulário,
professor/ aos colegas; gramática, produção escrita e
Interação/ • Produzir um texto simples, de 20 a 30 palavras. expressão oral
Produção oral e 25
escrita Teste de avaliação
Léxico e Gramática (L and G)
Compreender formas de organização do léxico e conhecer algumas Ficha de auto/
estruturas elementares do funcionamento da língua. heteroavaliação



Grelhas de registo de
Interação Oral (SP) / Produção Oral (SP)
apresentação oral
• Interagir com o professor e/ou com os colegas em situações do dia
15
a dia;
Apresentação de um trabalho
• Exprimir-se, com ajuda, de forma adequada a diferentes
oral
contextos;

• Pronunciar com correção, expressões e frases familiares;
Atividades de simulação de
• Produzir corretamente sons, entoações e ritmos da língua;
situações de comunicação
• Expressar-se, com vocabulário limitado, em situações previamente

preparadas;

•Preparar, repetir e memorizar uma apresentação oral à turma ou a
Ficha de auto/
outros elementos da comunidade educativa.
heteroavaliação

Departamento de Línguas Estrangeiras


Ano letivo 2017/18
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

Atitudes e
Valores
• Cooperar com os outros. Observação direta

• Cumprir as regras de conduta na sala de aula.

• Revelar autonomia. Grelha de progressão da

• Demonstrar empenho pelas atividades propostas. aprendizagem
20
• Realizar os trabalhos de casa.

• Manter o caderno diário organizado. Fichas de Auto/

• Fazer-se acompanhar do material necessário para a aula. Heteroavaliação


Legenda:
Escrita- Compreensão- Interação/Produção
Compreensão - Atividades formativas e leitura: 15
Avaliação sumativa: 50


Oralidade- Compreensão- Interação/Produção
Atividades de simulação de situações de comunicação/Comunicações orais: 10
Apresentação de um trabalho oral: 5

Atitudes e Valores: 20 Total = 100%



INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

• O desempenho dos alunos nos diferentes domínios da Língua Estrangeira.

• Será aplicado, por período, pelo menos, um momento formal de avaliação com menção quantitativa que
inclui:

1 Um teste escrito onde serão testados a compreensão do oral ( instruções /interações orais) o funcionamento
da língua ( vocabulário e gramática), compreensão e produção de textos sobre assuntos conhecidos ou de
interesse pessoal;
2 Uma apresentação oral guiada e/ou participações orais sobre assuntos conhecidos, de interesse pessoal ou
pertinentes para o dia a dia.

Departamento de Línguas Estrangeiras


Ano letivo 2017/18
2.º CICLO
EDUCAÇÃO FÍSICA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 17/18 FLEX. CURRICULAR

A avaliação das aprendizagens dos alunos considerará três áreas, respeitando os seguintes patamares de sucesso no
desempenho, que se terão de verificar cumulativamente para o aluno ter sucesso na disciplina:

Área / Ano 5.º 6.º

3I 4I
Atividades Físicas
6 matérias de 6 diferentes subáreas

Aptidão Física ZSAF 1 Aptidão Aeróbia + 1 Força + 1 Flexibilidade

Conhecimentos Domínio competente dos temas

O instrumento de avaliação utilizado nas áreas das Atividades Físicas e da Aptidão Física é a observação direta e sistemática
utilizando-se para o seu registo fichas de verificação e/ou de registo descritivo com referência aos critérios. Na área das
Atividades Físicas, como procedimento de validação utilizar-se-á sempre que necessário a aferição entre professores.

1. ÁREA DAS ATIVIDADES FÍSICAS


Para os 5.º e 6.º anos, as subáreas de matérias selecionadas para o Projeto Curricular de EF da Turma, são as seguintes: Jogos;
JDC - Andebol, Basquetebol, Futebol e Voleibol; Ginástica – Solo, Aparelhos, Rítmica; ARE – Dança, Sociais, Tradicionais;
Atletismo; Patinagem; Outras – Natação e Desportos de Combate.

2.º ciclo 1 2 3 4 5 Obs


5.º ≤ 1I 2I 3I 4I 5I serão consideradas para classificação
as melhores matérias de 6 subáreas
6.º ≤ 2I 3I 4I 5I 6I diferentes

DESCRITORES TRANSVERSAIS
A atribuição de nível I (INTRODUÇÃO) numa matéria implica que o aluno cumpra os seguintes requisitos comuns a todas as
áreas: “(1) Relacionando-se cordialmente e com respeito (…); (2) Aceitando o apoio dos companheiros (…); (4) Cooperando nas
situações de aprendizagem e organização (…)”. in PNEF.

2. ÁREA DA APTIDÃO FÍSICA


Para os 5.º e 6.º anos, a verificação da zona saudável de Aptidão Física, realiza-se através dos Testes do FitEscola: Composição
Corporal – imc, perímetro da cintura, massa gorda; Aptidão Aeróbia – vaivém, milha; Aptidão Muscular – abdominais, extensões
de braços, impulsão horizontal, impulsão vertical, flexibilidade membros inferiores, flexibilidade ombros. ver Anexo III

3. ÁREA DOS CONHECIMENTOS


Para os 5.º e 6.º anos, será privilegiada uma lógica de trabalho de projeto que permita uma abordagem interdisciplinar. As
propostas curriculares terão o contributo dos seguintes temas:

2.º ciclo Temas


Identificação das capacidades físicas: resistência, força, velocidade, flexibilidade, agilidade e
5.º
coordenação geral
Fenómenos associados a limitações e possibilidades de prática de desporto e atividade física:
6.º
sedentarismo, evolução tecnológica, poluição, urbanismo, industrialização
A atribuição de sucesso nesta área implica que o aluno também domine os Critérios de Avaliação do seu ano de escolaridade e
os Regulamentos Específicos de cada uma das Atividades Físicas desenvolvidas em aula.

NOTAS:
 A avaliação dos alunos em CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO considera como descritores do seu desempenho em EF a
verificação dos DESCRITORES TRANSVERSAIS nos objetivos gerais da disciplina acima referidos.
 No 5º ano, as atividades desenvolvidas em DOMÍNIO DE AUTONOMIA CURRICULAR, no âmbito desta disciplina, serão
consideradas na avaliação.
 No final do 1.º período, na impossibilidade de lecionação das 6 subáreas, a classificação atribuída deverá recair apenas
sobre as matérias lecionadas.
 DOCUMENTOS ANEXOS: Anexo I – Descritores/Indicadores de Avaliação; Anexo II – Documento orientador para a
Autoavaliação; Anexo III – Tabelas do FitEscola - Zona Saudável.

Documento aprovado no CP de 24.10.2017


Agrupamento de Escolas de Alvalade
2º Ciclo do Ensino Básico Ano Letivo 2017/2018

Departamento de Matemática

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - MATEMÁTICA (5º ano)

Os critérios de avaliação das disciplinas lecionadas pelo grupo disciplinar estão de acordo com os respetivos
programas, aprendizagens essenciais e foram elaborados em articulação com o perfil dos alunos.

ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DO PERFIL DOS ALUNOS

A – Linguagem e textos

B – Informação e comunicação

C – Raciocínio e resolução de problemas

D – Pensamento crítico e pensamento criativo

E – Relacionamento interpessoal

F – Desenvolvimento pessoal e autonomia

G – Bem-estar, saúde e ambiente

H – Sensibilidade estética e artística

I – Saber científico, técnico e tecnológico

J – Consciência e domínio do corpo

ACPA
Instrumentos de avaliação/aspetos a considerar Ponderação

Testes sumativos 40 % A,B,C,I


Questões-aula 20%
Atividades realizadas na aula 25 % A,B,C,D,E,F,H,I
Domínio - Tarefas de natureza diversificada (exercícios do
cognitivo manual/caderno de atividades ou ficha de consolidação/
(Capacidades/ trabalho de pesquisa orientada, comunicar usando
conhecimentos linguagem matemática).
- Aquisição de técnicas específicas.
- Manuseamento de instrumentos de medida e desenho.
- Manuseamento de instrumentos de tecnologia digital
Comportamento, Responsabilidade A,B,D,E,F,G,I
Participação/empenho 15%
- Cooperação e respeito pelas regras definidas.
Domínio - Empenho na realização das tarefas na aula e em
casa.
sócio-afetivo
- Revelar hábitos de trabalho.
(Atitudes /
- Fazer-se acompanhar de todo o material exigido e
valores)
responsabilizar-se pela sua manutenção.
- Responsabilizar-se pelo caderno diário (exercícios
feitos em sala de aula, organização, rigor nas
construções, raciocínios e respostas completos).

Observações: Os pontos referidos no quadro serão avaliados através de grelhas de observação/trabalho de


grupo/trabalhos de pesquisa/relatórios. De seguida, podem identificar-se alguns instrumentos de trabalho,
que permitem aos alunos um feedback sobre o trabalho desenvolvido: atividades de diagnóstico; fichas de

auto-avaliação/auto-regulação; reflexão do aluno sobre o seu desempenho em cada teste; feedback


descritivo do docente, no final dos testes, sempre que se justifique; utilização de recursos educativos
digitais (R.E.D.).

Descritores das atitudes


Descritor Nunca Às vezes Sempre
Nível 0 1 2

Procedimentos de avaliação

- A classificação dos instrumentos de avaliação sumativa é expressa na escola de 0% a 100%.


- A realização de momentos formais de avaliação, de natureza escrita e oral, é previamente dada a
conhecer aos alunos; a realização de relatórios de atividades práticas não requer marcação prévia.
- Os alunos são sempre informados dos conteúdos e aprendizagens a avaliar.
- Os alunos são sempre informados dos critérios/propostas de correção.
- Nos enunciados dos testes de avaliação sumativos devem ser apresentada a percentagem atribuída a
cada questão.
- Os testes de avaliação devem ser entregues aos alunos antes da próxima avaliação sumativa,
devidamente classificados; a sua correção deve ter um caracter essencialmente formativo, e também
deverá ser realizada na mesma altura.
- As actividades desenvolvidas nos DAC no âmbito da disciplina serão consideradas na avaliação da
disciplina.
Agrupamento de Escolas de Alvalade

2.º Ciclo do Ensino Básico Ano Letivo 2017/2018

Departamento de Ciências Experimentais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO – CIÊNCIAS NATURAIS (5º e 6º ano)

Os critérios de avaliação das disciplinas lecionadas pelo grupo disciplinar estão de acordo com os
respetivos programas, aprendizagens essenciais e foram elaborados em articulação com o perfil
dos alunos.

Ponderação
Período INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO / PARÂMETROS
na avaliação ACPA
observável DE OBSERVAÇÃO
sumativa

CONHECIMENTO
Testes Sumativos 40%
A,B,C, I
SUBSTANTIVO Questões-aula 20%
Trabalhos de pesquisa orientada
(individuais ou em grupo); Fichas de
DOMÍNIO DOS CONHECIMENTOS e ATITUDES

consolidação; Apresentações orais;


CONHECIMENTO Caderno diário/portefólio; Glossário; A,B,C,D,E,
PROCESSUAL 20% F,H,I
Relatórios de atividades laboratoriais/ de
visitas de estudo; Mapas de conceitos;
Desde o início
do ano letivo

trabalho investigativo
Grelhas de observação onde são
identificadas as seguintes atitudes:
- Realiza as tarefas solicitadas para casa;
- Realiza as tarefas solicitadas na sala de
aula;
20% A,B,D,E,F,
ATITUDES - Cumpre as regras e normas de
G,I
funcionamento de sala de aula;
- Coopera com colegas e professor;
- Revela autonomia, espírito crítico e
criativo
- Realiza fichas de auto-regulação

Observações: Identificam-se alguns instrumentos de trabalho, que permitem aos alunos um


feedback sobre o trabalho desenvolvido: reflexão do aluno sobre o seu desempenho em cada
teste; feedback descritivo do docente, no final dos testes, sempre que se justifique; utilização
de recursos educativos digitais (R.E.D.).

Descritores das atitudes


Descritor Nunca Às vezes Sempre
Nível 0 1 2

Departamento de Ciências Experimentais – Grupo 230 1


ÁREAS DE COMPETÊNCIAS DO PERFIL DOS ALUNOS

A – Linguagem e textos

B – Informação e comunicação

C – Raciocínio e resolução de problemas

D – Pensamento crítico e pensamento criativo

E – Relacionamento interpessoal

F – Desenvolvimento pessoal e autonomia

G – Bem-estar, saúde e ambiente

H – Sensibilidade estética e artística

I – Saber científico, técnico e tecnológico

J – Consciência e domínio do corpo

Procedimentos de avaliação

- A classificação final em cada período resulta da média de todas as classificações obtidas até
ao momento, tendo em conta o peso atribuído a cada domínio;
- A classificação dos instrumentos de avaliação sumativa é expressa na escala de 0% a 100%.
- A realização de momentos formais de avaliação, de natureza escrita e oral, é previamente
dada a conhecer aos alunos; a realização de relatórios de atividades práticas não requer
marcação prévia.
- Os alunos são sempre informados dos conteúdos e aprendizagens a avaliar.
- Os alunos são sempre informados dos critérios/propostas de correção.
- Nos enunciados dos testes de avaliação sumativos deve ser apresentada a percentagem
atribuída a cada questão.
- Os testes de avaliação devem ser entregues aos alunos antes da próxima avaliação sumativa,
devidamente classificados; a sua correção deve ter um caracter essencialmente formativo, e
também deverá ser realizada na mesma altura.

NOTA: As atividades desenvolvidas nos DAC serão consideradas na avaliação das disciplinas
envolvidas.

Departamento de Ciências Experimentais – Grupo 230 2


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL

ENSINO BÁSICO Ano letivo 2017-18

1 – Princípios Gerais
Com base nos critérios gerais do AEA,os critérios específicos na disciplina de
História e Geografia de Portugal incidem sobre as aprendizagens de conteúdos
definidos nas metas, expressas no programa da disciplina de História e Geografia de
Portugal e no Plano Curricular de Turma e/ou Plano de Trabalho de Turma.
2 – Perfil do aluno - Áreas de competências
As competências são combinações complexas de conhecimentos, capacidades e
atitudes e são centrais no perfil dos alunos, na escolaridade obrigatória. São usadas
e trabalhadas com os alunos ao longo do programa da disciplina e são as seguintes:

Linguagens e textos ; Informação e comunicação; Raciocínio e resolução de problemas;


Pensamento crítico e pensamento criativo; Relacionamento interpessoal; Desenvolvimento
pessoal e autonomia; Bem-estar, saúde e ambiente; Sensibilidade estética e artística;
Saber científico, técnico e tecnológico; Consciência e domínio do corpo.
3 – Aprendizagens essenciais
As aprendizagens essenciais em História e Geografia de Portugal encontram-se
expressas no documento emanado da Direção Geral da Educação:
http://dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade
/ae_2oc_hgp_alterado_em_11_09.pdf
4 – Modalidades e instrumentos de avaliação
As aprendizagens são avaliadas nas seguintes modalidades: avaliação formativa;
avaliação sumativa; trabalhos individuais; trabalhos de grupo; pesquisas realizadas e
apresentadas em grupo turma, exposições orais; questão de aula; fichas de trabalho
realizadas na aula (atlas; frisos cronológicos; outros); participação em debates
organizados na sala de aula.
Em qualquer instrumento de avaliação o domínio da língua portuguesa terá um peso
de 5%.
5 – Classificação
A classificação resulta do encontro entre os dados recolhidos pela avaliação e a
observação do aluno em contexto escolar e particularmente no trabalho que realiza
em sala de aula. Assim na classificação são usados dados recolhidos em:

fichas de avaliação 50%


trabalhos presenciais 15%
intervenções orais 10%
trabalhos de casa 5%
atitudes e valores 20%
Ponderação final: (1ºperíodo+2ºperíodo+3ºperíodo):3
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Tomei conhecimento:
Assinatura do Encarregado de Educação do aluno
(preencher nome do aluno, turma e ano)

_________________________________________________________________________
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

2017/2018 Departamento de Informática


Grupo 550

Critérios Específicos de Avaliação


TIC 5º, 7º, 8º ano
// 2º e 3º ciclos do ensino básico

INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO
Instrumento Peso (%)
Projetos 30
(produtos, apresentação e discussão)
Trabalhos 20
(produtos)
Trabalho de aula 30
(grelha de observação)

Registos escritos individuais 20

Nota: No 5º e 7º ano, as atividades desenvolvidas nos Domínio de Autonomia Curricular (DAC) serão
consideradas na avaliação das disciplinas envolvidas.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
A Adquire a linguagem científica da disciplina revelando compreensão (conhecimento)
B Aplica o conhecimento adquirido em diferentes contextos
C Adota uma atitude crítica e responsável no uso de tecnologias e serviços digitais
D Planifica e desenvolve investigações online, de forma crítica e autónoma, verificando diferentes fontes
documentais e a sua credibilidade
E Utiliza ferramentas digitais de comunicação e colaboração de forma correta, segura e responsável,
respeitando as regras de conduta próprias de cada ambiente
F Comunica com correção linguística
G Mostra espírito de iniciativa e revela confiança em si próprio, tentando ultrapassar as dificuldades,
assumindo posições fundamentadas e tomando decisões
H Desenvolve novas ideias e soluções, de forma imaginativa e inovadora, como resultado da interação com
outros ou da reflexão pessoal, aplicando-as a diferentes contextos e áreas de aprendizagem
I Trabalha colaborativamente, presencialmente e em rede, participando ativamente nas atividades e
contribuindo para um bom clima no grupo e para o trabalho produzido, valorizando a diversidade de
opiniões
J Demonstra respeito por si, pelos outros e pelos espaços/equipamentos
K Reflete sobre o seu desempenho e identifica modos de melhorar
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

L Adota uma atitude responsável (cumpre as regras e normas de conduta, faz-se acompanhar pelo material
necessário para as atividades e respeita prazos)
CRITÉRIOS AVALIADOS EM CADA INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO

Instrumento Critério avaliado

A Adquire a linguagem científica da disciplina revelando compreensão (conhecimento)


B Aplica o conhecimento adquirido em diferentes contextos
D Planifica e desenvolve investigações online, de forma crítica e autónoma, verificando
diferentes fontes documentais e a sua credibilidade
Projetos F Comunica com correção linguística
H Desenvolve novas ideias e soluções, de forma imaginativa e inovadora, como resultado da
interação com outros ou da reflexão pessoal, aplicando-as a diferentes contextos e áreas
de aprendizagem

A Adquire a linguagem científica da disciplina revelando compreensão (conhecimento)


B Aplica o conhecimento adquirido em diferentes contextos
D Planifica e desenvolve investigações online, de forma crítica e autónoma, verificando
diferentes fontes documentais e a sua credibilidade
Trabalhos
F Comunica com correção linguística
H Desenvolve novas ideias e soluções, de forma imaginativa e inovadora, como resultado da
interação com outros ou da reflexão pessoal, aplicando-as a diferentes contextos e áreas
de aprendizagem

C Adota uma atitude crítica e responsável no uso de tecnologias e serviços digitais


E Utiliza ferramentas digitais de comunicação e colaboração de forma correta, segura e
responsável, respeitando as regras de conduta próprias de cada ambiente
G Mostra espírito de iniciativa e revela confiança em si próprio, tentando ultrapassar as
Trabalho de dificuldades, assumindo posições fundamentadas e tomando decisões
aula I Trabalha colaborativamente, presencialmente e em rede, participando ativamente nas
(grelha de atividades e contribuindo para um bom clima no grupo e para o trabalho produzido,
observação) valorizando a diversidade de opiniões
J Demonstra respeito por si, pelos outros e pelos espaços/equipamentos
K Reflete sobre o seu desempenho e identifica modos de melhorar
L Adota uma atitude responsável (cumpre as regras e normas de conduta, faz-se
acompanhar pelo material necessário para as atividades e respeita prazos)

A Adquire a linguagem científica da disciplina revelando compreensão (conhecimento)


B Aplica o conhecimento adquirido em diferentes contextos
Registos escritos F Comunica com correção linguística
individuais G Mostra espírito de iniciativa e revela confiança em si próprio, tentando ultrapassar as
dificuldades, assumindo posições fundamentadas e tomando decisões
K Reflete sobre o seu desempenho e identifica modos de melhorar
Critérios específicos de avaliação em
Educação Visual e Educação Tecnológica
Na avaliação em Educação Visual e Tecnológica, serão considerados os seguintes critérios
específicos de avaliação, sempre que aplicáveis aos diferentes itens e atividades objeto de
avaliação no âmbito da disciplina:

Conhecimentos / Compreensão — Em que medida os trabalhos e a participação do


aluno revelam a capacidade de pesquisa, o conhecimento e a compreensão dos conceitos
e ideias (a interpretação e tratamento da informação) necessários à resolução prática das
tarefas propostas

Originalidade / Criatividade — Em que medida o trabalho / desempenho do aluno não


se limita a reproduzir as referências consultadas, apresentado soluções que revelam a
compreensão do problema e capacidade para propor de forma inovadora, expressiva e
com sentido estético soluções adequadas à tarefa proposta

Planeamento / Organização — Em que medida o aluno identifica o problema, organiza


e planifica as atividades necessárias para cumprir a tarefa nos prazos propostos

Participação / Autonomia — Em que medida o aluno revela interesse, empenho,


responsabilidade e capacidade na resolução das tarefas que lhe são propostas

Trabalho em equipa — Em que medida o aluno partilha conhecimentos, contribui


ativamente para a resolução dos problemas, revelando abertura e espírito crítico na busca
da soluções construídas de forma partilhada

Conduta — Em que medida o aluno cumpre as regras de cidadania, cultivando relações


de afabilidade e interajuda com colegas e professores

Superação de dificuldades — Em que medida o aluno otimiza os recursos disponíveis,


o feedback do professor, a auto e heteroavaliação para superar as dificuldades na
realização da tarefa proposta

Capacidades / Competências — Em que medida ao longo do processo o aluno revela


capacidade de interpretação dos dados do problema e reflete criticamente sobre as suas
capacidades, usando o feedback do professor, a auto e heteroavaliação para superar
dificuldades e melhorar o seu nível de desempenho

Linguagem e Comunicação — Em que medida o aluno mobiliza conhecimentos,


materiais, tecnologias e vocabulários específicos para comunicar com rigor e de forma
expressiva e eficaz as suas propostas

Técnica / Rigor — Em que medida o aluno apresenta soluções que revelam o domínio
das técnicas e códigos específicos necessários à resolução de problemas e projetos
específicos (e.g., no domínio de materiais, na representação gráfica, na concretização de
artefatos e projetos, na manipulação dos instrumentos/ferramentas de trabalho, etc.)
Itens de avaliação, critérios aplicáveis e ponderação no apuramento da classificação final
em:

Educação Visual e Educação Tecnológica 2º ciclo

Itens de avaliação Critérios Ponderação

Atitudes e Planeamento/Organização
comportamentos Participação /Autonomia 20%
Trabalho em equipa
Conduta

Portefólio Originalidade/Criatividade
Pesquisas Planeamento/Organização
20%
Esboços Superação de dificuldades
Diário Gráfico Linguagem e Comunicação

Trabalhos práticos Planeamento /Organização


em sala de aula Conhecimentos/Compreensão
Originalidade/Criatividade
Participação/Autonomia 60%
Superação de dificuldades
Capacidades/Competências
Linguagem e Comunicação
Técnica/Rigor

Aprovado em reunião do Departamento de Artes a 4 de outubro de 2017.


Agrupamento de
Escolas de Alvalade

PERFIL DO ALUNO,
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS
E

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
NA

ÁREA CURRICULAR DE
EDUCAÇÃO MUSICAL

2º Ciclo

Ano letivo 2017/2018


2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO

EDUCAÇÃO MUSICAL
As Aprendizagens Essenciais (AE) apresentadas neste documento para o 2.º Ciclo do Ensino
Básico foram estruturadas a partir de três organizadores comuns à Educação Artística:

 Experimentação e criação;
 Interpretação e comunicação;
 Apropriação e reflexão.

Experimentação e criação: Pretende-se que se desenvolvam competências de


exploração/experimentação sonoro musicais, improvisação (tanto no sentido de variação sobre
uma estrutura musical pré-existente, como de criação/composição em tempo real) e
composição musical. É de salientar que foi dada particular relevância a esta dimensão de
experimentação/criação, visto considerar-se um domínio basilar para aprendizagens
significativas.

Interpretação e comunicação: Pretende-se que se desenvolvam competências relativas à


performance/execução musical, ou seja, cantar, tocar, movimentar, bem como as relativas a
formas de comunicar/partilhar publicamente as performances e/ou criações.

Apropriação e reflexão: Pretende-se que se desenvolvam competências referentes a processos


de discriminação, análise, comparação de elementos sonoro-musicais, com o propósito de
permitir escolhas fundamentadas em relação ao fazer e ao ouvir musical, através de uma
reflexão crítica sobre os universos musicais. Também existe neste organizador uma preocupação
na apropriação de terminologia e vocabulário específico da Música, visto permitir o domínio das
convenções musicais, útil na compreensão e na reflexão crítica

Os três organizadores expostos anteriormente foram elaborados de acordo com o currículo da


Educação Musical presente nas orientações do Ministério da Educação para os diferentes ciclos
de ensino. O referido modelo curricular contempla três grandes áreas interdependentes,
designadamente, a Audição, a Interpretação e a Criação/Composição. Tentou-se conciliar o
currículo da Música em vigor com os organizadores comuns da Educação Artística, por um lado,
por se enquadrarem conceptualmente nos três domínios musicais mencionados, e, por outro,
para facilitar a transversalidade das áreas do conhecimento uma vez que proporciona o
cruzamento entre conceitos e competências das diferentes artes, apesar das diferenças
intrínsecas de cada área artística.:
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

Perfil do Aluno
Áreas de desenvolvimento / Competências -chave

 (A)Linguagens e textos;
 (B) Informação e comunicação;
 (C) Raciocínio e resolução de problemas;
 (D) Pensamento crítico e pensamento criativo;
 (E) Relacionamento interpessoal;
 (F) Autonomia e desenvolvimento pessoal;
 (G) Bem-estar e saúde;
 (H) Sensibilidade estética e artística;
 (I) Saber técnico e tecnologias;
 (J) Consciência e domínio do corpo

3
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

ORGANIZADOR DESCRITORES DO PERFIL DOS


AE: CONHECIMENTOS, CAPACIDADES E ATITUDES
Domínio ALUNOS
Conhecedor/ sabedor/ culto/ informado
Improvisar peças musicais, combinando e manipulando vários elementos da música (timbre, altura, (A, B, G, I, J)
dinâmica, ritmo, forma, texturas), utilizando múltiplos recursos (fontes sonoras convencionais e não
Criativo (A, C, D, J)
convencionais, imagens, esculturas, textos, vídeos, gravações...) e com técnicas e tecnologias
EXPERIMENTAÇÃO Crítico/Analítico (A, B, C, D, G)
gradualmente mais complexas.
E CRIAÇÃO Compor peças musicais com diversos propósitos, combinando e manipulando vários elementos da música Indagador/ Investigador (C, D, F, H, I)
(altura, dinâmica, ritmo, forma, timbres e texturas), utilizando recursos diversos (voz, corpo, objetos Respeitador da diferença/ do outro (A, B,
sonoros, instrumentos musicais,etc.). E, F, H)
Respeitador da diferença/ do outro (A, B,
Cantar, a solo e em grupo, a uma e duas vozes, repertório variado com e sem acompanhamento
E, F, H)
instrumental, evidenciando confiança e domínio básico da técnica vocal, controlando o tempo, o ritmo e
a dinâmica, com progressiva destreza e confiança. Sistematizador/ organizador
Tocar um instrumento, a solo e em grupo, repertório variado, controlando o tempo, o ritmo e a dinâmica, (A, B, C, I, J)
INTERPRETAÇÃO E
com progressiva destreza e confiança.
COMUNICAÇÃO Interpretar, através do movimento corporal, contextos musicais contrastantes. Questionador (A, F, G, I, J)
Divulgar criações musicais, incluindo originais. Comunicador / Desenvolvimento da
Apresentar em contexto escolar, atividades artísticas em que se articula a música com outras áreas do linguagem e da oralidade
conhecimento. (A, B, D, E, H)
Autoavaliador (transversal às
Comparar características rítmicas, melódicas, harmónicas, dinâmicas, formais tímbricas e de textura em
áreas);
peças musicais de épocas, estilos e géneros musicais diversificados.
Utilizar, com crescente domínio, vocabulário e simbologias para documentar, descrever e comparar Participativo/ colaborador (B, C, D,
diversas peças musicais. E, F)
APROPRIAÇÃO E Investigar diferentes tipos de interpretações gravadas ou ao vivo de diferentes tradições e épocas
REFLEXÃO utilizando vocabulário apropriado. Responsável/ autónomo
Comparar criticamente estilos e géneros musicais, tendo em conta os enquadramentos socioculturais do (C, D, E, F, G, I, J)
passado e do presente.
Identificar criticamente a música, enquanto modo de conhecer e dar significado ao mundo pessoal e Cuidador de si e do outro
social. (B, E, F, G)
Critérios de Avaliação

Instrumentos de Avaliação
Avaliação Sumativa
Avaliação Formal TRABALHO REALIZADO EM AULA / FORA DA AULA ATITUDES E COMPORTAMENTOS

Interpretação / execução  Participação /envolvimento nas atividades da aula –


instrumental e/ou vocal 30% execução adequada das tarefas (trabalho individual e 50%  Material necessário 20%
Individual Prática de conjunto)  Respeito pelo outro
 Audição;  Empenho
 Interpretação;  Autonomia
 Leitura e escrita/composição
 Atividades de treino e estudo e/ou de pesquisa
Subtotal: 30% Subtotal: 50% Subtotal: 20%

Total: 100%

Avaliação Diagnóstica
Momento Objetivo Operacionalização

Início de cada ano letivo  verificar os níveis de aprendizagem e conhecimentos dos  Formular perguntas
alunos, de modo a tomar esses níveis como referência para a  Comentar audições
Ou planificação;  Executar peças vocais/instrumentais
 verificar os seus conhecimentos e capacidades;  Exercícios práticos rítmicos/auditivos e
Início de cada período letivo  Esta avaliação deve permitir ao aluno comprovar os seus outros de caracter mecânico/funcional
(caso se justifique em função próprios conhecimentos relativamente à matéria de ensino e, no âmbito da música ou produção
dos resultados observados no por outro lado, implicá-lo na participação da aprendizagem e sonora/musical
final do período anterior) na autoavaliação do seu progresso;
 Levar o aluno a verificar que uma nova aprendizagem
depende sempre de conhecimentos anteriores.
Agrupamento de
Escolas de Alvalade

Avaliação Formativa
Momento Objetivo Operacionalização

Ao longo do ano letivo  regular permanente o processo de ensino-aprendizagem  Observação direta e repetida do
(sempre que se justifique)  acompanhar de perto o aluno e assegurar-se das suas trabalho em aula;
aprendizagens em cada momento  Observação dos cadernos diários;
 identificar os seus pontos fortes e fracos a fim de lhe fornecer  Correção na sala de aula de trabalhos
orientações sobre o que é necessário corrigir ou melhorar e realizados pelos alunos,
sobre as medidas a tomar para o conseguir individualmente ou em grupo
 Exercício de compreensão e execução
de prática vocal/instrumental e/ou
auditiva;
 Comentários de documentos escritos,
visuais ou sonoros;
 Exercícios de autoavaliação

3
Agrupamento de Disciplina EMRC
Escolas de Alvalade Ano Letivo 2017/2018

Critérios de Avaliação

Os Critérios de avaliação que apresentamos têm como base o Novo Programa de EMRC.
Contudo procuram estar adaptados à realidade concreta da nossa comunidade, das nossas turmas e às
necessidades dos nossos alunos.
A avaliação em EMRC, tal como a das outras disciplinas que integram o currículo de cada ano, traduz-se
numa classificação, que no ensino básico usa a escala de 1 a 5 e no ensino secundário usa a escala de 0 a 20.

Domínios e Parâmetros de avaliação

Domínios Parâmetros %
 Aquisição e aplicação de 25
Aquisição de conhecimentos e conhecimentos em novas situações.
desenvolvimento de capacidades e  Aquisição e desenvolvimento de
competências de nível cognitivo. competências.
 Exprimir-se de forma clara e correta.
 Respeito por si próprio e pelos outros 25
 Cooperação com os outros
 Fraternidade para com os colegas
Atitudes e valores
 Trabalho autónomo
 Participação na vida da comunidade e
exercício de cidadania.
 Cumprimento das regras básicas na sala 15
de aula.
Comportamento
 Manifestar um comportamento adequado
aos diferentes espaços .
 Atenção, empenho e participação na 35
aula e nas atividades propostas
 Responsabilidade no cumprimento das
tarefas solicitadas e prazos estipulados
 Responsabilidade em trazer o material
Participação/Empenho necessário para o desenvolvimento das
atividades
 Curiosidade, interesse e participação
(acompanha, questiona, responde)
 Aquisição de hábitos de estudo e de
trabalho.

1
Modalidades da avaliação

As modalidades da avaliação conduzem-nos à perceção de que a avaliação não se esgota na classificação que
atribuímos aos alunos no final de cada período. São três:

 A avaliação diagnóstica é a que se realiza no início de cada ano de escolaridade. Ela pretende saber
em que ponto estão os alunos no processo das aprendizagens e conhecer a experiência humana de
cada aluno. O objetivo é adequar as estratégias usadas ao longo do ano e em cada unidade temática à
realidade concreta de cada aluno e de cada turma.
 A avaliação formativa assume um carácter contínuo e sistemático. O professor vai realizando esta
avaliação para verificar se os alunos estão a acompanhar o processo ensino/aprendizagem. Esta
avaliação visa a regulação do ensino (alteração, adaptação de estratégias, etc...) e da aprendizagem
(maior empenho do aluno, maior atenção, etc...).
 A avaliação sumativa realiza-se no final de cada período letivo. Utiliza a informação recolhida no
âmbito da avaliação formativa e produz um juízo globalizante sobre o conjunto das aprendizagens
que os alunos realizaram, tendo como ponto de partida a avaliação de diagnóstico.