Вы находитесь на странице: 1из 4

Whey protein: história e propriedades

Não há dúvidas de que a proteína do soro do leite, popularmente conhecida por whey protein, vem sendo
consumida cada vez mais por praticantes de musculação e outras modalidades em geral. Este
suplemento já é comprovadamente a proteína de maior disponibilidade biológica do mundo e sua melhor
propriedade anabólica consiste na rapidez com que é disponibilizada para absorção no tecido muscular.
O que muitos não sabem, no entanto, é que a utilização da whey acompanhou os atletas de fisiculturismo
desde os primeiros anos da prática deste esporte no mundo. A evolução das pesquisas em torno de
processamentos que permitiram a extração de uma proteína cada dia mais pura e de estudos que
apresentam e discutem novas propriedades medicinais da whey já comprovam que ela pode e deve ser
utilizada também por não-atletas como auxiliar na melhora da qualidade de vida de tais indivíduos.
Relata-se a primeira descoberta desta proteína em 6000 A.C., quando acidentalmente uma porção de
leite de vaca ou cabra coagulou e formou o soro do leite, separando-o naturalmente da coalhada. Em 420
A.C. documentou-se o primeiro registro médico a respeito desta substância, quando Hipócrates -
considerado o pai da medicina moderna - aplaudiu os benefícios da mesma para o bem estar do ser
humano.
O uso popular da whey como tônico da saúde iniciou-se na Inglaterra e na Itália, em 1650, onde era
vendida na forma líquida. Seu consumo, com o tempo, expandiu-se por todo o mundo. Em 1930 já
estavam em andamento pesquisas a respeito desse material. O grande problema, no entanto, estava nos
altos índices de colesterol, sódio, lactose e gordura existentes no soro.
Somente em 1980 desenvolveu-se o processo de microfiltração, pelo qual já se era possível extrair uma
whey com baixos índices de gordura e composta por 80% de proteínas. O primeiro produto com sabor, da
marca Designer, foi comercializado em 1993 com sucesso, tornando-se rapidamente popular e acessível
devido também à sua redução de custo.

Em 1997 a National Whey Conference, em Chicago, constatou as inúmeras propriedades deste


suplemento, dentre as quais se podem destacar:

- Alta quantidade de BCAA’s por porção (25g a cada 100 de whey hidrolisado), o que atribui ao seu
consumo a propriedade de preservação do tecido muscular;

- Baixo peso molecular, garantindo assim que os aminoácidos sejam absorvidos intactos pela corrente
sanguínea através da parede intestinal;

- Inibição da metástase, supressão da angiogênese e indução da apoptose (morte celular) em células


cancerígenas, comprovando sua atividade antitumoral. Há registros, por exemplo, de melhora da
apoptose em 56% nos casos de tumor cerebral com a administração de 120g de whey protein por dia;

- Inibição da proliferação de radicais livres através do aumento da glutationa, um poderoso antioxidante.


Seus efeitos só perdem para a melatonina;

- Supressão do apetite por meio da liberação do hormônio colecistoquinina, regulador dos níveis de fome;
Podem destacar-se também dentre as principais atividades fisiológicas desta proteína:

- Prevenção da indigestão, reduzindo cerca de 53% a liberação ácida no estômago;

- Inibição da ligação de diversas toxinas aos seus receptores específicos, dentre elas a salmonela e a
cólera;

- Aumento da resposta imune e, consequentemente, redução do processo inflamatório no estômago;

- Inibição da adesão do tártaro ao tecido dentário, prevenindo a cárie;

- Redução do risco de infarto agudo do miocárdio (IAM) ao impedir a agregação plaquetária;

- Controle dos níveis de triptofano, precursor da serotonina, e consequentemente melhora da depressão


nervosa;

- Redução da sensibilidade à insulina.


Todas as propriedades supracitadas favorecem a inclusão da whey protein em dietas direcionadas a
controle de peso, depressão, distúrbios gastrointestinais, males do sistema cardiovascular, prevenção e
redução de tumores e em pacientes com doenças degenerativas, como auxiliar no controle da perda de
massa magra.

Os atletas que buscam hipertrofia obtêm benefícios por meio da administração de whey protein após o
treino, momento em que ocorre um fenômeno fisiológico denominado “anorexia pós-treino”, caracterizado
pelo aumento do tempo utilizado pelo organismo para assimilar os macronutrientes provenientes do
alimento pré-digerido. Enquanto os demais tipos de proteína requerem mais de uma hora para completar
sua absorção pelo plasma sanguíneo, a proteína hidrolisada do soro fica disponível para o tecido
muscular em cerca de dez minutos, o que a torna um excelente anti-catabólico e redutor dos níveis de
cortisol neste horário.

É importante salientar que as melhores fontes de whey são as provenientes dos processos de hidrólise
enzimática e troca iônica. O processo de aquecimento induz à oxidação protéica e preserva quantidades
consideráveis de sódio, gordura e colesterol, o que minimiza o valor nutricional e a disponibilidade
protéica no produto final.
A proteína 100% hidrolisada do soro é considerada em até 300% superior aos demais subtipos de whey
com relação à sua absorção, disponibilizando-se com o tamanho de 1 a 3% de um peptídeo protéico
normal. O peso molecular da proteína, dado em dáltons, é um indicador importante quando se deseja
verificar a eficácia da sua absorção. Quanto mais leve, melhor o aproveitamento. A proteína hidrolisada
pesa cerca de 1 a 3 mil dáltons enquanto a isolada tem peso de 5 a 9 mil dáltons e a concentrada de 18 a
30 mil dáltons. A administração da proteína hidrolisada do soro do leite em conjunto com uma fonte
alimentar de energia rápida após o treinamento com pesos garante, com isto, a manutenção do estado
anabólico pelos próximos 50 minutos, depois dos quais se recomenda fazer outra refeição sólida com o
uso de uma proteína de alto valor biológico.

Concluem-se então os inúmeros benefícios da whey protein não apenas para desportistas mas também
para indivíduos comuns na colaboração para uma saúde plena e estável, ao contrário do que muitos
profissionais da saúde costumam alegar. Esperamos que daqui a alguns anos a divulgação das tantas
propriedades terapêuticas deste produto se amplie a fim de se divulgue sem nenhum receio sua
recomendação como uma substância funcional à saúde humana.

Por: Isabella Yansen – Graduanda em nutrição pela Unifesp

WHEY PROTEIN

Todos os atletas necessitam de uma dieta equilibrada, e normalmente possuem uma necessidade maior
do que as comumente adotadas.

Desta forma surge a importância de integrar determinados suplementos a nossa dieta.

Atletas voltados ao culturismo necessitam de uma quantidade protéica elevada.

Porém para atingirmos uma quantidade protéica diária com alimentos sólidos, esta deveria ser muito
grande além da desvantagem da associação de gorduras que compõe esses alimentos resultando num
acúmulo de gordura corporal indesejável.

O Whey Protein começou a ser desenvolvido a aproximadamente três décadas atrás, a partir da proteína
do soro do leite.

Ao longo dos anos esta tecnologia foi sendo aprimorada aumentando a qualidade desta proteína.

Estudos demonstram grande eficácia no aumento da massa magra e na diminuição da gordura corporal
além do aumento no sistema imunológico.

Trata-se de um produto anticatabólico e anabólico que aperfeiçoa a desempenho esportivo.

Ele possui um riquíssimo teor de aminoácidos essenciais e de cadeia ramificada (BCAA’s) que tem
fundamental importância no ganho de massa magra.

Alguns estudos comprovaram que a utilização deste suplemento tem demonstrado uma maior
sensibilidade a insulina quando comparado a outras fontes de proteína.
Whey Protein é considerada a proteína de maior Valor Biológico (VB).

Quanto maior o VB maior será a sua capacidade de retenção de nitrogênio.

Seu VB é qualificado como 159 enquanto a albumina é de 88, a caseína 71 e o peito de frango 79.

O whey protein é rapidamente absorvida pelo intestino chegando intacta na corrente sanguínea, tornando-
se perfeita para a ingestão pós-treino.

Enfatiza-se que o Whey Protein não deve ser considerado como fonte única de refeição.
Ela pode ser administrada em refeições como time release.

A refeição sólida entra com a absorção lenta, enquanto a whey entra como a absorção rápida, ou então
ingerindo em conjunto com albumina ou caseína, que são excelentes fontes de proteína de lenta
absorção assim melhorando seu rendimento e diminuindo o catabolismo.

Recomenda-se a administração de soja junto com whey em uma refeição do dia, preferencialmente no
café da manhã, pois a soja estimula a produção natural dos hormônios da tireóide T3 e T4 auxiliando no
aumento da temperatura corporal e manutenção ou perda de peso, caso o atleta esteja em dieta pre-
contest.
No entanto a proteína da soja deve ser utilizada na forma isolada, pois é essa a que proporciona os reais
benefícios.

Outro aspecto importante é que o Whey se for administrada isoladamente tenderá a ser utilizada como
fonte de energia para os músculos, portanto sempre que for administrada, utilize-a com uma fonte de
carboidratos.

Aconselha-se consumir Whey Protein logo após o treino, pois ela é imediatamente absorvida pelo
organismo.

Isto não ocorre com os alimentos sólidos, pois estes necessitam ser assimilados e absorvidos pelo corpo,
o que leva cerca de 25 a 40 minutos dependendo do alimento ingerido.

Após um treinamento intenso, os níveis de cortisol no corpo estarão em um nível elevado, causando
desta forma um canibalismo muscular.

Desta forma o Whey Protein poderia ser consumido em conjunto com uma fonte de carboidrato como, por
exemplo, a dextrose.

Faça a refeição sólida, sempre contendo proteínas de lenta absorção com carboidratos complexos,
ambos isentos de gordura, entre 40 minutos à uma hora após a suplementação.

Dê preferência para Whey Protein na forma ionizada e/ou hidrolisada.


Fontes desse suplemento os quais são obtidos por aquecimento, além de destruir os aminoácidos
diminuindo a qualidade da proteína, possuem muita lactose e sódio.

WHEY PROTEIN ISOLADA MICROFILTRADA: Contém baixas concentrações de lactose e gordura e


90% de proteína.

É extraída por membrana cerâmica através de um processo chamado cross-flow de micro filtração.

E introduzida uma substância chamada glicomacropeptídeo (GMP) que é uma substância bioativa do soro
formada por 64 aminoácidos, facilitando sua assimilação.

WHEY PROTEIN CONCENTRADA DO SORO BIOATIVO: Sua extração permite a liberação dos
componentes bioativos responsáveis pela aceleração do anabolismo, reparação tecidual, recuperação
muscular e liberação dos hormônios IGF I, TGF - B1 e TGF – B2 além de outros aminoácidos
considerados essenciais.

WHEY PROTEIN HIDROLISADA: É extraída através de um processo chamado hidrólise enzimática o que
confere a essa matéria prima, o título de proteína de maior velocidade de absorção dentre todos wheys
assimiladas no músculo.

Ela tem 92% das proteínas alcançada no processo de extração.

WHEY PROTEIN ISOLADA ION EXCHANCE: É extraída através de um processo chamado de troca
iônica onde permite que se alcance 95% das proteínas.

Ela é de alto valor biológico (High – VB) dando maior aporte de proteínas nobres concentradas, com um
teor extremamente baixo em gorduras e carboidratos.

WHEY PROTEIN CONCENTRADO: Conhecidas também como lactam albumina, e é a mais completa
fonte de proteínas existente.

É a mais tradicional forma de whey, obtida através da proteína do soro do leite, com vários aminoácidos
essenciais sendo 8 aminoácidos essenciais aos quais não são produzidos pelo organismo e devem provir
da dieta.
Esta whey é rica também em aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA’s) Esta forma é a maior fonte de
BCAA’s existente entre os alimentos.

Os principais horários de administração do whey são: - o café da manhã: período de abstenção de


nutrientes devido às várias horas de sono e estar com os níveis de cortisol alto.

Não há necessidade de administrar com carboidrato de alto IG (Índice Glicêmico).

- o período imediatamente após o treino, que é o principal horário devido ao fato da necessidade imediata
de aminoácidos no sangue.

Nesse horário administre whey com um carboidrato de alto IG, facilitando sua assimilação.

- antes de dormir em conjunto com uma caseína ou alguma proteína de lenta absorção minimizar o
catabolismo induzido pelo sono.

Se optar por administrar apenas whey nesse período adicione uma colher de azeite de oliva caso não
tenha uma caseína ou outra proteína, pois a mesma irá retardar a absorção do whey minimizando o
catabolismo.

Neste horário não consuma carboidratos.


Foi comprovado através de teses e estudos que o whey ISOLADO promoveu os maiores resultados
quanto a melhora na composição corporal e a sua ingestão provou ser 5 vezes mais expressiva quanto a
com quem usou apenas caseína e outras proteínas.

Além desses benefícios essa proteína também melhorou muito a resistência relativa ao exercício
resistido.

"As informações e sugestões contidas nesse site têm caráter meramente informativo, e não substituem o
aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação
física.

" Não incentivamos, comercializamos ou recomendamos o uso de qualquer produto.

Todo material é meramente informativo e extraído de fontes especializadas publicadas mundialmente.

Fonte: http://www.ekofitness.com/emagrecimento/exibi/whey-protein