Вы находитесь на странице: 1из 79

FORMAÇÃO

TÉCNICA

Curso Técnico em Agronegócio

Introdução à Informática

SENAR - Brasília, 2015


R672i

SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.


Introdução à informática / Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. –
Brasília: SENAR, 2015.

ISBN: 978-85-7664-062-2

Inclui bibliografia.

1. Informática – Estudo e ensino. 2. Internet na educação. 3. Tecnologia


educacional. I. Serviços Nacional de Aprendizagem. II. Título.

CDU: 681.3
Sumário
Introdução à Unidade Curricular ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������  4

Tema 1: Histórico da Informática 7


 ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 

Tema 2: Conceitos básicos da Informática ���������������������������������������������������������������������������������������������  15

Tópico 1: Tipos de hardware �������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 17

Tópico 2: Unidades de medidas de dados ��������������������������������������������������������������������������������������� 19

Tópico 3: Tipos de software ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 21

Tópico 4: Tipos de computadores ������������������������������������������������������������������������������������������������������� 24

Tema 3: O Sistema Operacional Windows 7 ����������������������������������������������������������������������������������������  26

Tópico 1: Sistema Operacional �������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 28

Tópico 2: O Sistema Operacional Windows ������������������������������������������������������������������������������������ 30

Tópico 3: Utilitários e Aplicativos incluídos no Windows 7 ���������������������������������������������������� 36

Tema 4: Aplicativos para produtividade �������������������������������������������������������������������������������������������������� 39

  Tópico 1: Word ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 42

  Tópico 2: Excel ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������  53

  Tópico 3: Powerpoint ������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 63

Tema 5: Internet ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������  69

Tópico 1: História e conceitos principais da Internet �����������������������������������������������������������������  71

Tópico 2: Principais serviços disponíveis na Internet ���������������������������������������������������������������  73

Referências Bibliográficas ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 79
Introdução à Unidade
Curricular
Introdução à Unidade Curricular
Seja bem-vindo a unidade curricular Introdução à Informática, aqui vamos falar sobre os principais
conceitos da informática e principalmente, como ela pode ser útil em sua atuação profissional
como técnico em agronegócio. Ao final desta unidade curricular, você deverá ser capaz de:

• Reconhecer principais recursos educativos na utilização de computador com acesso à Internet;


• Diferenciar Hardware e Software;
• Distinguir os conceitos básicos de informática e principais programas;
• Utilizar principais recursos Word, Excel e PowerPoint;
• Utilizar principais programas para navegação no curso.

Você já sabe que nosso país é um dos líderes na produção agrícola mundial, é fácil perceber que
isso é possível pelo apoio tecnológico, não é mesmo? Utilizamos maquinários e ferramentas 5
que contribuem e são grandes responsáveis pelo alto desempenho da nossa produtividade.

Fonte: Shutterstock

Introdução à Informática
Porém, o que é relativamente novo, é a utilização de Tecnologias da Informação no campo.
No caso da produção agrícola, é possível encontrar programas de computador específicos
6 para aumentar a produtividade e contribuir com a produção, como, a Agricultura de Precisão,
que une a computação a equipamentos de posicionamento geográfico, os conhecidos GPS;
a Bioinformática que utiliza soluções computadorizadas para melhoria genética de plantas
e animais; e a Automação Agrícola com equipamentos que controlam tratores, semeadoras,
colhedoras, pulverizadores entre outros.

Tecnologias da Informação

Representa a área da Informática que trabalha com a organização e classificação de informações


para os mais diversos objetivos.

GPS

De maneira resumida, GPS é um sistema de posicionamento global (do inglês global positioning
system – GPS), ou seja, é um sistema de navegação por satélite que informa posição, hora e
condições atmosféricas para um aparelho receptor móvel.

Para que você possa compreender como usufruir dessas tecnologias e poder utilizá-las, em
breve, preparamos essa unidade curricular. O objetivo é propiciar os conhecimentos básicos
necessários para que você entenda melhor como funcionam as tecnologias da informação
e da comunicação e como podem ser aplicadas na informatização das propriedades rurais,
buscando o aumento da sua competitividade.

Fonte: Shutterstock

Dedique-se aos estudos, estes são os primeiros passos para adquirir conhecimentos que
serão fundamentais em sua jornada profissional.

Bons estudos!

Curso Técnico em Agronegócio


01
Histórico da
Informática
8

Tema 1: Histórico da Informática


Atualmente convivemos com os mais diversos dispositivos, além dos computadores pessoais,
existem tablets, smartphones, relógios, carros e até mesmo televisões com algum tipo de
capacidade computacional. É importante refletir sobre como chegamos até aqui e, para isso, é
preciso falar sobre o histórico da informática. Este primeiro tema foi elaborado para que você
desenvolva as seguintes competências:
• Reconhecer a origem e função da Informática.

• Identificar os componentes do processo de computação.

Fonte: Shutterstock

Curso Técnico em Agronegócio


Para começarmos, você sabe para que os computadores foram inventados?

Os computadores foram inventados para processar dados, o que significa realizar ações como
cálculos, ordenações, comparações, classificações, listagens entre outros. Mas afinal, o que é
um dado?

Dado é parte de uma informação, mas que sozinho, não significa


nada.

Por exemplo:
• 150
• g
• Azul

Já a informação, é o conjunto de dois ou mais dados, que juntos


criam significado.

Por exemplo:
• 150 metros
• 1 g
• Azul é a cor do céu

Uma informação depende de contexto e de interpretação, o que são atividades primordialmente


humanas. O computador foi desenvolvido para processar dados e então contribuir com a
análise de informações.

Para processar os dados, o computador realiza quatro operações principais:


• Entrada de dados 9
• Processamento de dados

• Saída de dados

• Armazenamento de dados

Veja a seguir o fluxo dos dados durante essas operações:

Entrada de Processamento Saída de


dados de dados dados

Armazenamento
de dados

Introdução à Informática
A necessidade de processar não é algo recente, as antigas civilizações já buscavam formas
para otimizar cálculos e operações que contribuíssem com a agricultura, com as construções,
10 com o comércio etc. Alguns dispositivos foram desenvolvidos afim de contribuir com essa
necessidade de otimização, visando o aumento de produtividade. Conheça alguns deles que
são marcos da história.

Ábaco

Instrumento que auxiliava as pessoas durante cálculos matemáticos. Foi criado há cerca de
5 mil anos, provavelmente na Índia, na Mesopotâmia ou no Egito. Arqueólogos encontram
versões de ábacos mesopotâmico, babilônio, egípcio, grego, romano, indiano, chinês, japonês,
russo e até mesmo asteca. Veja abaixo a foto de um ábaco antigo.

Fonte: Shutterstock

Régua de cálculo

Séculos depois, em 1638 depois de Cristo, foi criada a régua de cálculo por um padre inglês
chamado William Oughtred. Este instrumento facilitava a operação de multiplicação de números.

Calculadora mecância

Pouco tempo depois, em 1642, Blaise Pascal criou a primeira calculadora mecânica da história,
que era capaz de somar e subtrair. Logo depois em 1672, o alemão Gottfried Leibnitz evoluiu
a calculadora mecânica para que também fosse capaz de multiplicar e dividir.

Curso Técnico em Agronegócio


Tear programável

Já em 1801, o francês Joseph Maire Jacquard criou o primeiro tear programável, uma máquina
que era capaz de criar tecidos com desenhos já programados a partir de cartões perfuráveis.
Com base nesta, muitas outras invenções foram feitas, com destaque para as máquinas de
Charles Babbage em 1822 e Hermann Hollerith em 1890.

A primeira máquina Hollerith servia para gravar informações sobre o censo populacional
dos Estados Unidos, também por meio de cartões perfurados. Outras versões da máquina
feitas posteriormente, ganharam a capacidade de realizar operações mais complexas.
As máquinas fizeram tanto sucesso, que seu inventor fundou uma empresa chamada
International Business Machine, a famosa IBM. Abaixo a foto de 1940 de uma máquina Hollerith,
processando cartões perfurados.

11

Fonte: Shutterstock

Curiosidade

O
Você sabia que até hoje em muitos lugares do Brasil, o contracheque de
pagamento de salário é chamado de “holerite” por causa da popularidades das
máquinas Hollerith?

Introdução à Informática
12

Fonte: Wikipedia

Todas essas máquinas que vimos eram mecânicas, apenas com a Segunda Guerra Mundial foram
desenvolvidos os primeiros computadores eletrônicos. O primeiro surgiu em 1944 e foi chamado
de Mark I, o segundo foi lançado em 1946 e foi batizado de ENIAC, que era movido com mais de
17 mil válvulas e ocupava cerca de 180 metros quadrados, pesando mais de 30 toneladas.

Foi no final da década de 1960, com a invenção do transistor, que a computação começou
a dar saltos maiores. Os computadores ficaram cada vez menores e com maior poder de
processamento. Em 1976 foi lançado o Apple I, considerado o primeiro computador pessoal.

Fonte: Apple Inc.

Curso Técnico em Agronegócio


Fonte: Shutterstock

De lá para cá tivemos muitos avanços nessa área. Hoje em dia, telefones celulares e tablets
podem processar muito mais dados do que os seus antepassados eletrônicos das décadas de
1980 e 1990.

Curiosidade 13
Recentemente pesquisadores decifraram a máquina de Antikythera, ou também

O
conhecida como Anticítera, que funcionava como um antigo computador, criado
pelos gregos há mais de 2 mil anos e que servia para fazer cálculos astronômicos
muito complexos. No AVA você encontra um vídeo sobre essas descobertas, não
deixe de conferir!

Além das máquinas, o próprio conceito relacionado ao processamento de dados também


evoluiu. Esse termo “Processamento de Dados” foi muito utilizado a partir da década de 1950,
mas acabou sendo substituído por “Informática” e que, por sua vez, também foi substituído
por “Tecnologias da informação – TI”.

Introdução à Informática
14

Fonte: Shutterstock

Com a popularização da internet e dos serviços de comunicação, temos visto que é cada vez
mais comum utilizarem o termo “Tecnologias da Informação e da Comunicação – TIC” para
definir as atividades relacionadas ao processamento e à transmissão de dados e informações.

Curso Técnico em Agronegócio


02
Conceitos básicos da
Informática
16

Tema 2: Conceitos básicos da Informática


Agora vamos ver os dois conceitos principais que resumem os componentes tecnológicos da
informática: hardware e software. Espera-se que a partir deste tema você possa:
• Identificar o conceito de hardware.

• Identificar o conceito de software.

• Diferenciar hardware de software.

Hard em inglês significa sólido/concreto e, ware significa artigo/


Hardware utensílio. Nesse caso, hardware representa os equipamentos que
fazem parte de um computador ou os que estão conectados a ele.

Soft em inglês significa sutil/fácil de moldar e, ware como já vimos,


significa artigo/utensílio. Sendo assim, software significa a parte
abstrata do computador: programas, imagens, sons, dados e demais
Software informações que o computador executa pelo hardware.

Aqui no Brasil, é comum usarmos a expressão “programa de


computador” para definir um software.

Comentário do autor

Você acha que pode existir um software sem um hardware?

d Não pode, pois as funcionalidades de um software precisam de um meio físico


para existir. Não é possível executar um software como por exemplo o Windows,
sem que haja o computador.

Curso Técnico em Agronegócio


Tópico 1: Tipos de hardware
Os principais hardwares de um computador são:

Unidade Central de Processamento – CPU (do inglês ”Central Processing Unit”)

A CPU é o principal hardware, pois ela realiza


todo o controle do computador, além de
ser responsável pela busca, decodificação e
execução das instruções dos softwares.

Memória Principal

A Memória Principal armazena as instruções e


os dados que são processados pela CPU.

Sistema de Entrada e Saída


17

O Sistema de Entrada e Saída conecta a CPU


e a Memória Principal aos dispositivos de
armazenamento e aos outros dispositivos
externos com os quais interagimos.

Fonte das imagens: Shutterstock

Introdução à Informática
Os dispositivos externos também são chamados de Periféricos e podem ser classificados em 3 tipos:

18 Periféricos de entrada

São equipamentos que servem para inserir


informações no computador.

Exemplos: teclado, mouse, câmera, scanner,


microfone etc.

Periféricos de armazenamento

Servem para armazenar dados, tanto para uso


imediato quanto posterior.

Exemplos: HD (do inglês ”Hard Drive”), SSD (do


inglês ”Solid State Drive”), CD, DVD, pendrive etc.

Periféricos de saída

Representam os equipamentos que enviam


para o usuário ou até mesmo para outros
computadores, as informações que foram
processadas pelo computador.

Exemplos: monitor, caixas de som, impressora,


projetor etc.

Fonte das imagens: Shutterstock

Esses dispositivos externos periféricos, podem ficar dentro ou fora do computador. Por
exemplo, o HD fica dentro do gabinete do computador e a impressora, é um tipo de dispositivo
que fica no exterior.

Para conectar os dispositivos externos, existem “portas de conexão”, a mais popular é a USB,
do inglês Universal Serial Bus (Barramento Serial Universal).

Informações extras

Alguns dispositivos de hardware podem ser classificados como dois tipos

O diferentes. Por exemplos as placas de rede, elas podem ser classificadas como
periféricos de entrada e de saída, pois servem tanto para receber quanto para
enviar informações a outros computadores.

Curso Técnico em Agronegócio


Tópico 2: Unidades de medidas de dados
Falamos anteriormente que no final da década de 1960, com a invenção do transitor,
a computação começou a dar maiores saltos em sua evolução, o que também permitiu o
efeito da miniaturização. Normalmente feito do mineral Silício, o transistor é o principal
componente das CPUs dos computadores.

Miniaturização

Vem de miniatura, fala sobre o processo de tornar objetos de consumo cada vez menores.

Para se ter uma ideia da miniaturização que se alcançou, um processador Intel 8086, que
equipava as CPUs dos primeiros computadores pessoais (os “PCs” da IBM) tinha cerca de
29 mil transistores. Atualmente, um processador Intel Core i7, que equipa boa parte dos
computadores pessoais disponíveis para comercialização, possui cerca de 730 milhões de
transistores e praticamente o mesmo tamanho do seu antecessor.

Um transistor tem 2 estados principais de funcionamento:


• Ligado: estado chamado de “saturação”.

• Desligado: estado chamado de “corte”.

19

Fonte: Shutterstock

Por causa destes 2 estados, é utilizado o sistema de numeração binário para demonstrar as
operações que acontecem nos computadores.

O sistema binário utiliza apenas os numerais 0 e 1, enquanto o


sistema decimal que utilizamos diariamente, utiliza 10 símbolos, os
numerais de 0 a 9.

Introdução à Informática
Devido a diferença entre esses dois sistemas numéricos, algumas vezes é necessário fazer a
conversão de valores de um para outro. Veja a seguir o exemplo de conversões de números
20 decimais para binários.

Número decimal Número binário

0 0
1 1
2 10
3 11
4 100
5 101
1.250 10011100010

Também foram esses dois estados de funcionamento de um transistor, ligado e desligado, que
definiram a forma de se medir o tamanho dos dados que são armazenados e que trafegam
nos computadores e redes. A partir disso, foi formalizada a nomenclatura das unidades de
medida dos dados.

A unidade mínima de medida é chamada de ”bit”, cujo símbolo é a letra “b” minúscula e que
corresponde a um “0” ou um “1” do sistema binário.

Um “byte” equivale ao conjunto de 8 “bits” e foi criada porque nos primeiros computadores
pessoais, cada caractere, ou seja, cada letra, espaço ou numeral, tinha exatamente esse tamanho.

E assim como usamos prefixos para expressar grandes quantidades de algumas medidas,
como por exemplo, quilômetro para expressar mil metros ou quilograma para expressar mil
gramas, também existem prefixos para expressar maiores quantidades de bytes.

Veja a tabela abaixo demonstrando os prefixos multiplicadores para a unidade de medida byte.

Símbolo Nome Quantidade

B Byte 1 Byte

KB Kilobyte 1.000 Bytes

MB Megabyte 1 milhão de Bytes

GB Gigabyte 1 bilhão de Bytes

TB Terabyte 1 trilhão de Bytes

A medida “bit” também é utilizada para medir a velocidade com que os dados são transmitidos
por uma rede em segundos, por isso convencionou-se a unidade de medida “bps”, ou seja,
“bits por segundo”. Da mesma forma que existem os prefixos KB, MB, GB e TB, também é
utilizado Kbps que representa mil bits por segundo, Mbps que representa 1 milhão de bits por
segundo e assim por diante.

Curso Técnico em Agronegócio


Tópico 3: Tipos de software
Neste tópico vamos distinguir os diferentes tipos de software. Veja abaixo a descrição de cada um.

Software básico

É um conjunto de programas que gerenciam o funcionamento do hardware, realizando tarefas


básicas do computador, como acionar periféricos, gerenciar a CPU, manter o relógio e a data,
controlar o movimento do mouse, etc. O principal software desse tipo é o Sistema Operacional,
como o Windows e o Linux.

Software utilitário

São programas executados sobre um sistema operacional para facilitar ou configurar a operação
do computador pelo usuário. Alguns exemplos desse tipo de software são o painel de controle, o
mapa de caracteres e o configurador da impressora.

Software aplicativo

São programas utilizados para facilitar ou automatizar rotinas de trabalho e inclusive para o
lazer do usuário. Falaremos sobre exemplos de softwares aplicativos logo a seguir.

Vírus

São softwares maliciosos, que exploram falhas nos Sistemas Operacionais para serem instalados
e executados. Eles se diferem dos demais tipos de software por causa da sua capacidade de auto-
replicação e auto-transmissão de um computador para outro. Procure sempre manter um antivírus
instalado em seu computador, este é um tipo de software aplicativo que procura e elimina os vírus
que eventualmente tenham contaminado o Sistema Operacional. Alguns dos antivírus são pagos,
mas há também outros que são gratuitos. Entre os principais podem ser citados o Avast, o Norton
Antivírus, o McAfee Antivírus, o AVG, o Microsoft Security Essentials, e o Avira. 21

Informações extras

O primeiro vírus de computador foi criado em 1971, foi chamado de “The Creeper”

c (“a trepadeira”) e a única coisa que ele fazia era exibir na tela do usuário a
mensagem ”I’m the creeper, catch me if you can!” (“eu sou a trepadeira, me pegue
se for capaz!”). Para eliminar esse vírus dos computadores infectados, também
foi criado o que é considerado o primeiro antivírus, o “The Reaper” (“o ceifador”).

Introdução à Informática
Como mencionamos, softwares do tipo aplicativos servem para os mais diversos propósitos,
veja abaixo as utilidades dos principais.
22

Processadores São utilizados para produzir, formatar textos, incluir tabelas,


de texto gráficos e imagens, além de enviar para impressão.

São programas cuja base é uma matriz composta de colunas e


linhas, onde a interseção de uma coluna e de uma linha define
Planilhas de cálculo
uma célula da planilha. Em cada célula é possível realizar cálculos
matemáticos, dos mais simples até os mais complexos.

Gerenciadores de São programas utilizados para criar e apresentar slides que podem
apresentações auxiliar apresentações de negócios, aulas, resultados etc.

Gerenciadores de Programas que permitem a comunicação entre usuários ou entre


comunicação computadores.

Softwares São softwares que servem para executar ou editar imagens,


multimídia áudios ou vídeos.

Softwares para São programas que auxiliam ou automatizam atividades


aplicações profissionais específicas como: engenharia, desenho industrial,
específicas finanças, administração, educação, etc.

São aplicativos voltados ao entretenimento e à diversão dos


Jogos
usuários.

Assim como comentamos a respeito dos antivírus, de forma geral existem softwares que são
pagos e outros gratuitos. Porém, quando se paga por um software, você não está comprando
um programa de computador, na verdade você está pagando por uma licença de uso, ou seja,
uma permissão para utilizar o software de acordo com determinadas condições estabelecidas
pelo fornecedor. Mesmo que os termos da licença de uso estejam descritos em textos longos e
complicados, é importante que você leia para saber quais são as condições que deve respeitar.

Em relação aos softwares que são gratuítos, veja a seguir de que forma eles podem ser
classificados.

Curso Técnico em Agronegócio


Freeware

São softwares que podem ser instalados e utilizados sem qualquer custo.

Software Livre

São similares aos Freeware, mas a diferença principal é que os códigos originais utilizados para o
desenvolvimento de um software livre são abertos para o público.

Shareware, Demo, ou Trial

São softwares pagos oferecidos com algumas limitações, muitas vezes de tempo de uso ou de
funcionalidades, para que os usuários experimentem suas funcionalidades sem custo.

Beta

São softwares que ainda não estão totalmente prontos e, por isso, são oferecidos gratuitamente
para que os usuários experimentem e apresentem suas considerações para o fabricante.
A fase beta é considerada a última antes de um software ser considerado pronto para a
comercialização.

Comentário do autor

Apesar de serem gratuitos e terem os códigos originais de programação abertos


ao público, os Softwares Livres também são regulamentados por meio de regras

d de licenciamento que, entre outras coisas, evitam que pessoas ou empresas


utilizem esses códigos e os vendam como produtos. A “Licença Pública Geral
GNU” é o contrato que estabelece essas regras. Por meio do conteúdo da
unidade curricular no AVA, você pode acessar um link onde está publicado esse 23
contrato na internet.

Introdução à Informática
Tópico 4: Tipos de computadores
24 Existem diferentes tipos de computadores, cada um para atender uma necessidade diferente.
Vamos conhecer os principais e suas diferentes utilidades a seguir.

Servidor

É um computador cuja finalidade é “servir”


aplicativos ou arquivos para serem acessados
por outros computadores conectados em rede.
Servidores normalmente não têm monitor,
nem teclado ou mouse, e ficam ligados
permanentemente, instalados em locais
específicos chamados de “datacenters”.

Desktop

É um computador pessoal de mesa.

O termo “desktop” é uma expressão inglesa que


significa “mesa de trabalho”.

Neste tipo de computador o monitor, o teclado


e o mouse ficam conectados em um gabinete
que contem a CPU, o disco rígido, a unidade de
DVD entre outros periféricos.

Laptop ou Notebook

É um computador pessoal portátil.

“Laptop” em uma tradução literal significa “sobre


o colo” e a palavra “notebook” significa “caderno”.

Esse tipo de computador é leve e tem bateria para


permitir seu uso sem a necessidade de sempre
estar conectado a uma fonte de energia elétrica.

Curso Técnico em Agronegócio


Netbook

É uma versão mais simples dos laptops ou


notebooks, voltada principalmente para a
execução de softwares aplicativos simples e
para a navegação na internet.

O nome deriva da junção das expressões “net”,


que significa “rede” em inglês, com notebook.

Palmtop e Tablet

”Palmtop” em uma tradução literal significa


“sobre a palma da mão”.

É um computador com o tamanho um pouco


maior do que a nossa palma da mão, sendo
móvel, leve e com a tela sensível ao toque, ou seja,
”touchscreen”. Normalmente é utilizado com uma
caneta eletrônica específica para a tela.

O Palmtop está sendo substituído cada vez mais


pelo Tablet, que também tem a tela sensível ao
toque, mas que pode ser utilizado apenas com os
dedos, sem a necessidade da caneta eletrônica.

Smartphone

25
Também é um computador portátil, porém
com tela menor que um Tablet. Sua principal
diferença é agregar em um único aparelho as
funcionalidades de computador e de telefone
celular, uma vez que a expressão inglesa
“smartphone” significa “telefone esperto”, em
tradução literal.

Fonte das imagens: Shutterstock

Introdução à Informática
03
O Sistema Operacional
Windows 7
Tema 3: O Sistema Operacional Windows 7
Agora que já falamos sobre os principais conceitos da informática e que também já citamos
softwares específicos como os Sistemas Operacionais, vamos nos aprofundar um pouco mais
nesse assunto e principalmente no Windows 7, que atualmente é um dos mais populares no
Brasil. Ao final deste tema, você deverá ser capaz de:
• Reconhecer as funcionalidades dos sistemas operacionais.

• Utilizar os sistemas operacionais.

27

Fonte: Shutterstock

Para aproveitar ao máximo as funcionalidades disponíveis em seu computador, fique atento


ao conteúdo a seguir.

Introdução à Informática
Tópico 1: Sistema Operacional
28 Como vimos anteriormente, o Sistema Operacional é um software que gerencia o funcionamento
do hardware, ou seja, ele controla as operações básicas do computador e gerencia suas
interações com o ambiente. Sem o Sistema Operacional, o computador não teria nenhuma
utilidade.

Veja abaixo as principais funções de um Sistema Operacional.

Gerenciamento dos recursos de hardware do computador

Gerenciamento da CPU: organiza, prioriza e controla o uso do processador, da memória e o


sistema de entrada e de saída de dados.

Gerenciamento dos periféricos de entrada: identifica, controla e interpreta os comandos


recebidos por dispositivos como teclado, mouse, câmera etc.

Gerenciamento dos periféricos de armazenamento: identifica e controla todos os periféricos


de armazenamento conectados ao computador, como o disco rígido, os pendrives, a unidade de
DVD etc.

Gerenciamento dos periféricos de saída: identifica, controla e envia comandos e mensagens


para dispositivos como monitor, impressora, caixas de som etc.

Gerenciamento do acesso de usuários ao computador

O Sistema Operacional também é responsável por registrar e organizar os usuários que podem
acessar o computador. Cada usuário pode ter uma senha específica, o que garante a segurança
dos dados individualmente. Além disso, alguns Sistemas Operacionais permitem o cadastro de
usuários com diferentes permissões de acesso ao computador, como visitante, usuário padrão
ou administrador.

Gerenciamento dos dados armazenados no computador

Além de gerenciar os periféricos de armazenamento, o Sistema Operacional também


organiza todas as pastas e arquivos gravados. Isso é feito por meio de softwares utilitários
disponibilizados especificamente para esta finalidade.

Gerenciamento da instalação e da execução de softwares utilitários e aplicativos

Cada Sistema Operacional tem uma forma de gerenciar a CPU e demais hardwares de um
computador. Por este motivo, a forma de instalar, armazenar e executar softwares utilitários ou
aplicativos também é diferente de acordo com o Sistema Operacional utilizado. É por isso que os
softwares são desenvolvidos especificamente para determinados sistemas operacionais.

Curso Técnico em Agronegócio


Assim como mencionamos anteriormente a respeito dos softwares, os Sistemas Operacionais
também podem ser pagos ou gratuitos. Hoje há diferentes tipos e versões desses sistemas,
mas os principais são o Mac OS X, o Linux com suas diferentes distribuições, Ubuntu, Debian,
RedHat etc e o Windows.

O Mac OS X é um Sistema Operacional pago, desenvolvido e comercializado pela empresa


Apple, dos Estados Unidos. Conforme os termos de licenciamento deste software, o Mac OS
X só pode ser instalado em computadores fabricados pela própria Apple, os chamados “Mac”
(nome derivado de “Macintosh”, um tipo de maçã muito popular nos Estados Unidos).

Fonte: Shutterstock 29

O Linux é um Sistema Operacional desenvolvido e distribuído na forma de software livre. O


nome deriva de uma união do primeiro nome de Linus Torvalds, um Finlandês que criou a
primeira versão no início da década de 1990, e UNIX, um sistema operacional muito popular
para computadores de grande porte.

Por ser um software livre, o Linux é gratuito e os seus códigos originais de programação são
abertos e estão disponíveis para acesso público. Assim, diferentes versões desse Sistema
Operacional foram desenvolvidas por grupos de técnicos que tinham diferentes opiniões ou
objetivos para esse software. As principais versões conhecidas hoje são RedHat, Debian e
Ubuntu, como citamos acima.

Introdução à Informática
30

Fonte: Shutterstock

O Windows é atualmente o Sistema Operacional mais popular no Brasil e no mundo. É um


software pago, desenvolvido e comercializado pela empresa Microsoft, dos Estados Unidos. O
Windows pode ser instalado em qualquer computador cujo hardware seja compatível.

Tópico 2: O Sistema Operacional Windows

Fonte: Shutterstock

Curso Técnico em Agronegócio


O Windows é um Sistema Operacional multitarefa e para múltiplos usuários. Isto significa que
é possível cadastrar mais de um usuário para utilizar o computador, cada um identificado
por um nome e por uma senha. Cada usuário pode executar diversos softwares utilitários ou
aplicativos simultaneamente.

A primeira versão do Windows (1.0) foi lançada em 1985, já utilizando o mouse, mas com uma
interface que pouco lembra os sistemas atuais, veja a seguir.

Com o passar do tempo, o Windows evoluiu


para diferentes versões. Na década de 1990,
as versões mais comuns aqui no Brasil foram
a 3.0, o Windows 95 e o Windows 98. No
meio empresarial, o Windows NT também
foi bastante popular. Na década de 2000
surgiu o Windows 2000 e o conhecido
Windows XP, que ainda é utilizado em muitos
computadores hoje em dia, apesar de não
ter mais suporte oficial da Microsoft.

Em 2006 foi lançado o Windows Vista,


trazendo uma nova interface para o usuário.
Dois anos depois e com algumas melhorias de desempenho, a Microsoft lançou o Windows
7, sistema utilizado na maior parte dos computadores atualmente. Em 2012 foi lançado o
Windows 8, mas a versão anterior ainda é mais popular no mercado.

O Windows 7 é comercializado em diferentes edições, cada uma voltada para um determinado


público e com funcionalidades específicas. Veja a seguir as principais.

Windows 7 Versão mais básica, voltada a usuários com pouca experiência e para
Starter computadores com poucos recursos de hardware.
31
Versão voltada a usuários residenciais (famílias) que utilizam softwares
Windows 7
aplicativos pouco complexos, navegam na internet e utilizam fotos, vídeos e
Home Premium
músicas.

Edição do sistema operacional voltada a pessoas que utilizam o


computador tanto no ambiente residencial quanto no seu trabalho.
Windows 7
Tem funcionalidades específicas para executar softwares mais antigos
Professional
e também para realizar automaticamente cópias de segurança dos
arquivos do computador, o que é chamado de backup.

É a versão mais completa do sistema operacional. Tem todas as


funcionalidades das outras edições, com mais alguns outros recursos
Windows 7
avançados para gerenciamento de energia, maior segurança de acesso
Ultimate
ao computador e recursos para mobilidade voltados para o uso de
laptops em redes.

Introdução à Informática
A primeira tela que um usuário do Windows 7 vê quanto liga o computador é a chamada de
“tela de logon”, nela é preciso selecionar o usuário e inserir a senha de acesso.
32
Atenção

É sempre importante destacar que, principalmente em computadores portáteis,

` as senhas sempre devem ter algum tipo de complexidade, por exemplo


misturando números e letras. Nunca escolha senhas óbvias como a data de
nascimento, o próprio nome, 123 etc.

Veja abaixo um exemplo de tela de logon.

Após o logon, o usuário verá a área de trabalho do Windows 7. Esta tela também é chamada
de “desktop”, pois simula uma mesa de trabalho. No Windows os dados são armazenados
em pastas e arquivos, também simulando o que acontece com documentos no ambiente de
um escritório. Quando o usuário abre um arquivo, o Windows o exibe na área de trabalho, ou
seja, é similar ao processo manual de abrir uma gaveta de arquivo, pegar uma pasta, retirar
um arquivo e coloca-lo sobre a mesa. Veja na imagem abaixo um exemplo de desktop.

Curso Técnico em Agronegócio


O desktop do Windows 7 tem os seguintes elementos principais:
• Ícones

• Barra de Tarefas

• Botão Iniciar

Ícones são figuras que representam arquivos ou softwares que ficam gravados na própria área
de trabalho. Também podem representar atalhos para outros arquivos e softwares que estão
armazenados em outros locais. Portanto, um ícone pode abrir um documento, uma planilha,
uma música, um software, uma foto, uma pasta etc. Você pode incluir e excluir livremente os
ícones da área de trabalho. Alguns ícones, porém, são padrão do Windows: Meu computador,
Meus documentos, Windows Explorer e Lixeira.

A Barra de Tarefas ocupa toda a extensão da parte inferior da tela do Windows 7. É uma
das principais funções que garantem a produtividade do usuário. Essa barra mostra quais
arquivos e pastas estão abertos, mesmo que não estejam visíveis no momento. Dessa forma,
você pode alternar entre diferentes arquivos e pastas com rapidez.

O Botão Iniciar fica no canto inferior esquerdo da tela, integrado à barra de tarefas. Sua
função é dar acesso aos softwares instalados no Windows, além de permitir a busca rápida de
arquivos ou programas.

A área de trabalho do Windows também pode ser personalizada. Você pode, livremente, ativar
e desativar ícones padrão do Windows, pode trocar a cor de fundo e também pode trocar a
imagem de fundo (exceto na edição Starter).

O principal dispositivo que permite a interação com a área de trabalho do Windows é o mouse.
Normalmente os mouses têm 2 botões e uma roda entre eles. O movimento do mouse
movimenta um cursor que navegará pela tela. O botão esquerdo serve para selecionar e abrir
arquivos ou programas que estejam no local do cursor. O botão direito serve para abrir comandos
33
e informações especiais sobre um arquivo ou programa que estiver no local do cursor, por
exemplo: renomear o arquivo, verificar as propriedades do arquivo, etc. A roda serve para avançar
e retroceder rapidamente (“rolar”) as páginas durante a navegação em um arquivo.

Para selecionar um ícone, um arquivo ou uma


pasta no Windows, você precisa posicionar o
cursor do mouse sobre ele e em seguida, dar 1
clique com o botão esquerdo.

Para abrir, você precisa dar 2 cliques seguidos


rapidamente. O mesmo vale para os ícones na
área de trabalho.

Introdução à Informática
Para abrir um software no Windows, você deve primeiro dar 1 clique sobre o Botão Iniciar, e
depois dar outro clique sobre a opção “Todos os programas”. Alguns programas estão dentro de
34 pastas, outros podem ser acessados diretamente. Para abrir uma parte de programas ou abrir
um programa, você precisa colocar o cursor do mouse sobre o que deseja e dar apenas 1 clique.

Para mover um ícone ou um arquivo de lugar, é preciso pressionar o botão esquerdo do


mouse sobre o mesmo e manter o botão apertado. Enquanto estiver com o botão apertado,
você deve mover o mouse para o local onde deseja posicionar ou mover o objeto selecionado.
Quando soltar o botão, o arquivo será posicionado no local desejado.

Quando um arquivo, pasta ou programa é aberto, abre-se o que se chama de “janela”. Se você
prestar atenção ao canto superior direito de cada janela, verá que tem 3 símbolos importantes:
• Um traço (“–”),

• Um quadrado (“□”)

• Um “x”.

Ao clicar sobre o traço você pode minimizar a janela, deixando-a oculta. Para visualizá-la
novamente deve localizar o arquivo ou programa em execução na Barra de Tarefas e clicar
sobre o ele. Ao clicar sobre o quadrado, você pode maximizar a janela, fazendo com que ela
ocupe toda a extensão da área de trabalho. Ao clicar sobre o “x”, a janela é fechada. Veja na
imagem abaixo um exemplo de janela do Windows aberta.

Curso Técnico em Agronegócio


Para desligar o computador no Windows 7, você precisa clicar
sobre o Botão Iniciar e, em seguida, na opção “Desligar”. Ao
lado desta opção há uma pequena seta (“→”) que, ao ser
clicada, abre as seguintes opções de desligamento:

Abre a tela de logon para que um outro usuário possa usar o


Trocar usuário computador. Nessa opção, todos os programas e arquivos do
usuário atual permanecem abertos.

Fechar todos os documentos e programas, e voltar para a tela de


Fazer logoff
logon.

Caso o usuário precise sair da frente do computador por alguns


instantes, é possível “bloquear” o computador, que ficará na tela
Bloquear
de logon, aguardando que seja digitada a senha do usuário para
que possa ser utilizado novamente.

Fechar todos os documentos e programas, desliga o computador e


Reiniciar liga o equipamento novamente, carregando o Windows e voltando
para a tela de logon.

Coloca o computador em estado adormecido, desligando


parcialmente seus periféricos. Ao movimentar o mouse ou
Suspender pressionar qualquer tecla, o computador fica ativo novamente,
na tela de logon. Esta opção depende do tipo de hardware do
35
computador.

Você também já deve ter percebido que existem diversos tipos de arquivos, com diferentes
finalidades: programas, documentos, planilhas, fotos, músicas etc. Para facilitar a identificação
de cada um, foram criadas extensões contendo um ponto (“.”) e mais 3 ou 4 letras que são
colocadas logo após o nome do arquivo. Dessa forma, os arquivos gravados seguem a seguinte
regra: “nome-do-arquivo.extensão”.

Introdução à Informática
O quadro a seguir mostra os principais tipos de arquivos do Windows:

36
Extensão Tipo de arquivo Exemplos

.exe Software (programas) Word.exe

.txt
.doc Contrato.doc
.docx Documentos Ata de reunião.docx
.rtf Trabalho.txt
.pdf

.xls Orçamento mensal.xls


Planilhas eletrônicas
.xlsx Projeção de faturamento.xlsx

.ppt Trabalho de informática.pptx


Apresentações de slides
.pptx Minhas férias.ppt

.jpg
.jpeg
Praia.jpg
.png
Imagens Cachorro.png
.bmp
Desenho.bmp
.gif
.tif

.wav
.mp3 Jazz classico.mp3
.mid Áudio (músicas ou sons) Tropicalia.wma
.wma Sinfonia Mozart.aac
.aac

.avi
.mp4
Novela das oito.avi
.mov
Vídeo Clipe Michel.mp4
.rm
Formatura.mov
.rmvb
.wmv

Procure colocar nomes nos arquivos que expressem bem seu conteúdo, isso irá facilitar a
localização deles quando você precisar. O Windows permite nomes de arquivos com até 256
caracteres, o que é suficiente para colocar nomes significativos.

Tópico 3: Utilitários e Aplicativos incluídos no Windows 7


A maior parte dos softwares utilitários do Windows 7 ficam no “Painel de Controle”, apresentado
na imagem abaixo. Para acessar esse painel, você deve clicar sobre o Botão Iniciar e localizar o
item “Painel de Controle”, que é o quarto item de baixo para cima a partir do botão “Desligar”.

Curso Técnico em Agronegócio


Outro utilitário importante que existe no Windows 7 é o “Windows Explorer”, cuja função
é permitir a visualização e a manipulação, de todas as pastas e arquivos armazenados no
computador. Isso significa criar, mover, apagar, copiar e renomear qualquer item.

Como o Windows 7 é um sistema multiusuário, cada usuário, além de arquivos do sistema, só


possui acesso aos arquivos que criou ou gravou no disco.

Veja abaixo a janela do Windows Explorer.

37

Durante o dia a dia é importante organizar nossos documentos de papel em pastas e gavetas,
assim mantemos tudo em ordem e conseguimos recupera-los quando é necessário. No
computador também é importante organizar seus arquivos.

O Windows 7 permite que o usuário crie pastas para gravar e organizar seus arquivos, e
também oferece a funcionalidade de “biblioteca”, que organiza as pastas de acordo com o tipo

Introdução à Informática
de informação que será armazenada. Por padrão, a biblioteca do Windows 7 permite dividir
as pastas e arquivos em:
38 • Documentos

• Imagens

• Músicas

• Vídeos

Caso queira criar outras categorias, você pode clicar sobre o item “bibliotecas” na janela
Windows Explorer e depois clicar sobre o botão “Nova Biblioteca” que aparecerá na parte de
cima da janela. Outra opção é clicar com o botão direito sobre o item “bibliotecas”, posicionar o
cursor do mouse sobre a opção “Novo” e depois clicar com o botão esquerdo sobre “biblioteca”.
Após isso, você deve digitar o nome da biblioteca que deseja criar.

Para criar uma nova pasta, o procedimento é similar. Primeiramente é preciso clicar sobre o
local onde deseja criar essa nova pasta (por exemplo, dentro da biblioteca “Documentos”), e
depois clicar sobre o botão “Nova pasta”. Utilizar o botão direito também funciona para este
caso. Em seguida, você deverá preencher o nome da pasta que está criando.

O Windows 7 também inclui alguns softwares aplicativos simples, mas bastante úteis. Confira
a lista abaixo.

• Bloco de notas: Para a edição de textos simples, sem nenhum recurso de formatação.
Como o próprio nome diz, é útil para anotações rápidas e lembretes.

• Wordpad: Editor de texto com opções limitadas de formatação, mas já pode inserir
imagens, tabelas e outros objetos. Não deve ser confundido com o Microsoft Word, que é
mais completo.

• Paint: Editor de imagens com funcionalidades simples.

• Calculadora: Pode ser exibida nas formas padrão, científica, programador e estatística.

• Windows Movie Maker: Editor de vídeos, que permite inserir efeitos de vídeo, músicas de
fundo, narrações, legendas etc. Exporta vídeos finalizados para arquivos com a extensão “.wmv”.

Curso Técnico em Agronegócio


04
Aplicativos para
produtividade
40

Tema 4: Aplicativos para produtividade


Vivemos em um mundo globalizado, a competitividade entre as empresas ocorre em uma
escala mundial. Com a facilidade para se importar e exportar mercadorias e serviços, hoje
uma empresa brasileira tem concorrentes internacionais. Por causa disso, a pressão por
maior competitividade e produtividade é constante e cresce diariamente.

Alguns dos principais recursos que as organizações dispõem atualmente para serem mais
competitivas, estão relacionados às Tecnologias da Informação e da Comunicação. Utilizando
computadores com softwares adequados, é possível aumentar muito a produtividade das
pessoas, além de melhorar a qualidade do trabalho. É por este motivo que o computador
(hardware) e os softwares se disseminaram em todo o mundo. Neste tema você verá tópicos
que visam desenvolver as seguintes competências:
• Identificar os aplicativos.

• Diferenciar as funções dos aplicativos.

• Utilizar os aplicativos.

Especificamente sobre os softwares, passaram a ser desenvolvidos e comercializados os


chamados “aplicativos para produtividade”, que como o próprio nome já diz, seu objetivo
é fazer com que as pessoas sejam mais produtivas. A maior parte desses aplicativos está
voltada às necessidades de trabalho em escritório, por isso também podem ser chamados de
“aplicativos para escritório”.

Para esses softwares é comum encontrar “pacotes” contendo diversos aplicativos de


produtividade, sendo que os mais famosos para o sistema operacional Windows são:
• Microsoft Office

• Libre Office

• Open Office

Curso Técnico em Agronegócio


Comentário do autor

Mais recentemente, com a popularização da internet,


surgiram também aplicativos para produtividade

d
totalmente acessíveis pela web: o Google Apps e o Microsoft
Office 365. Falaremos especificamente sobre eles um pouco
mais adiante.

Fonte: Shutterstock

Para quem nunca trabalhou em escritórios


sem computadores, o termo “aplicativos de
produtividade” pode até soar estranho, pois
esse tipo de software já faz parte do dia a
dia de trabalho e parece não trazer tantas
vantagens. Porém, é importante pensar na
quantidade de trabalho que era necessária
para editar um documento na época
que apenas existia máquina de escrever,
gravuras, cola e tesoura. O mesmo vale Fonte: Shutterstock
para cálculos complexos que precisavam
ser feitos apenas com o auxílio de calculadora, ou ainda para apresentações feitas com slides
que passavam pelo processo de revelação especial de fotografias em filme ou a criação de
transparências feitas manualmente. Veja abaixo um exemplo de projetor de slides.

Pensando nessa situação, percebe-se que os softwares atuais para edição de texto, planilhas
eletrônicas e para apresentações, realmente trouxeram um ganho de produtividade considerável. 41

O Microsoft Office tem tido versões desde a década de 1990 e é considerado hoje o pacote
de aplicativos para produtividade mais popular no mundo. Atualmente na versão 2010, seus
principais aplicativos são: Word, Excel e Powerpoint.

Comentário do autor

d O Microsoft Office se trata de software pago. A instalação do Microsoft Office


2010 sem a respectiva licença de uso (que é paga), para uso pessoal ou
comercial, é prática ilegal e se configura como pirataria de software.

O Libre Office é um pacote de software equivalente ao da Microsoft, com a diferença de


ser um software livre, como o próprio nome sugere. Seus principais aplicativos são o Writer
(equivalente ao Word), o Calc (equivalente ao Excel) e o Impress (equivalente ao Powerpoint).

Introdução à Informática
Os aplicativos Word e Writer são chamados de “editores de texto” e, como o nome sugere,
servem para criar e editar documentos nos quais predominam os textos. Já o Excel e o Calc
42 são conhecidos como “planilhas eletrônicas”, ou “Planilhas de cálculo”, e serem principalmente
para realizar cálculos matemáticos organizados, considerando inclusive grandes volumes de
dados. Por fim, o Powerpoint e o Impress servem para criar apresentações de slides, para dar
suporte a pessoas que precisam expor ideias em reuniões, eventos, ou similares.

A seguir falaremos com mais detalhes sobre os aplicativos Word, Excel e Powerpoint, presentes
no pacote Microsoft Office 2010.

Tópico 1: Word
O Microsoft Word é um editor de textos completo. Além dos textos, pode incorporar desenhos,
imagens, tabelas, planilhase etc. A janela principal do Word abaixo.

Todo arquivo criado no Word tem o nome padrão de “Documento1”. Se mais um novo arquivo
é criado com um “Documento1” aberto, o nome será “Documento2”, e assim por diante. O
Word grava arquivos com a extensão padrão “.docx”, mas também pode gravar em outros
formatos. Assim, o arquivo “Documento1” terá o nome completo de “Documento1.docx”, mas
é claro que você pode escolher outros nomes para seus documentos.

Entre os formatos suportados pelo Word, estão:


• “.txt” (documentos de texto simples)

• “.rft” (documentos no formato de “texto rico”, criados por softwares como o WordPad)

• “.odt” (documentos no formato “Open Document”, criados por aplicados dos pacotes Libre
Office ou Open Office).

Curso Técnico em Agronegócio


Além de salvar documentos nesses formatos, o Word também
pode abrir esses documentos, mesmo que tenham sido editados
anteriormente em outros aplicativos.

No canto superior esquerdo da janela, está a barra de acesso rápido. Veja na imagem abaixo, além
do símbolo “W” que identifica a aplicação, há as opções para “Salvar” o documento, “Desfazer”
a última modificação no documento e “Refazer” (repetir) a última operação feita no documento.

Logo abaixo da barra de acesso rápido está o menu de opções principais do Word, que são:
• Arquivo

• Página Inicial

• Inserir

• Layout da página

• Referências

• Revisão

• Exibição

Cada uma dessas opções abre uma Aba com seus respectivos recursos, como veremos a seguir.

A primeira aba é “Arquivo”, que contém os comandos para criar um novo documento, salvar,
abrir documentos entre outros relacionados. Nesta aba você também encontra o comando para
“Imprimir” o documento, caso tenha uma impressora disponível conectada ao computador.
43

Introdução à Informática
A maior parte dos comandos utilizados para editar documentos no Word está na aba “Página
Inicial”. Os comandos desta aba estão divididos nas seguintes seções:
44 • Área de transferência

• Fonte

• Parágrafo

• Estilo

• Edição

Comentário do autor

Se você estiver em dúvida sobre qual comando é executado por um determinado

d botão ou caixa de seleção do menu de opções do Word, basta posicionar o


cursor do mouse e aguardar alguns instantes, então, aparecerá um breve texto
(uma “dica”) explicando qual é a função realizada.

O Windows 7 também permite que você execute comandos da área de transferência para
transferir dados entre aplicativos diferentes. No caso do Word, você pode selecionar trechos
de texto usando o mouse e então edita-lo de várias formas.

Para selecionar trechos de texto usando o mouse, basta pressionar o botão esquerdo e
arrastar o cursor na área que deseja manipular. O trecho selecionado ficará marcado com
uma sombra, normalmente da cor azul.

Depois de realizar a seleção, os principais comandos que você pode executar da área de
transferência são:

Copia o conteúdo para a área de transferência. Você também pode executar


este comando pressionando ao mesmo tempo as teclas “Ctrl” (chamada de
“control”) e “C”. Ao executar esse comando, o trecho selecionado é transferido
Copiar
para a memória do Windows 7 e fica pronto para ser colado dentro do próprio
documento, em outro documento, ou até mesmo em alguma outra aplicação
compatível e que esteja aberta.

Similar ao comando copiar, porém apaga do documento o conteúdo que foi


selecionado. Também transfere o conteúdo para ser colado posteriormente.
Recortar
Você também pode executar este comando pressionando ao mesmo tempo as
teclas “Ctrl” e “X”.

Curso Técnico em Agronegócio


Você deve posicionar o cursor do mouse na área onde quer colar o
conteúdo copiado ou recortado. Você também pode executar este comando
pressionando ao mesmo tempo as teclas “Ctrl” e “V”.

Colar Como já foi dito, o conteúdo pode ser colado dentro do próprio documento,
em outro documento, ou até mesmo em alguma outra aplicação compatível
e que esteja aberta. Lembre-se que apenas o último conteúdo copiado ou
recortado será colado. Os conteúdos copiados ou recortados anteriormente
são apagados da área de transferência.

Se você quiser selecionar todo o texto do documento, pressione


ao mesmo tempo as teclas “Ctrl” e “T”. Em alguns computadores
(especialmente os que têm versões em inglês do Windows) deve-se
utilizar as teclas “Ctrl” e “A”.

Na seção “Fonte” você encontra os principais


comandos para formatar textos. Fontes são
estilos diferentes de letras disponíves no
Windows 7 e que são utilizadas por todos os
aplicativos do Microsoft Office.
45
Veja na imagem ao lado que o primeiro
comando dessa seção é a caixa para selecionar qual fonte será utilizada no documento, ou
em parte do texto selecionada com o mouse. A fonte padrão do Word é “Calibri”. Para ver e
selecionar outras fontes para o documento, você deve clicar no símbolo “▼”, quando serão
mostradas as opções de fontes.

O próximo comando, também uma caixa para seleção, serve para definir qual será o tamanho
da fonte do documento ou do trecho selecionado. O tamanho desejado pode ser digitado
no campo e ação será concluída ao pressionar a tecla “Enter”, ou então clicar no símbolo
“▼” e depois clicar novamente no tamanho de fonte que deseja. Para facilitar o trabalho de
definição do tamanho de fonte, logo ao lado também aparecem os botões para aumentar
(“A▲”) ou para diminuir (“A▼”) o tamanho da fonte em um ponto.

Introdução à Informática
Ao lado há o botão, com as letras “Aa” para fazer algumas modificações na fonte do trecho de
texto selecionado no documento. Ao clicar nesse botão aparecem as opções:
46 • “Primeira letra da sentença em maiúscula”

• “minúscula”

• “MAIÚSCULAS”

• “Colocar Cada Palavra em Maiúscula”

• “aLTERNAR mAIÚSC./mINÚSC.”

O próximo botão possui as letras “Ab” juntamente com uma figura que lembra uma borracha
de apagar. Esse botão serve para limpar qualquer formatação realizada sobre o trecho de
texto selecionado, deixando-o da forma em que foi digitado originalmente.

Na linha de baixo da seção “Fonte” há os botões “N”, “I” e “S”, para


formatar o trecho de texto selecionado com os efeitos Negrito,
Itálico, ou Sublinhado, respectivamente.

Perceba que mais de um efeito pode ser aplicado ao mesmo trecho de texto. Especificamente
sobre o botão “S”, se você clicar no símbolo “▼” que está ao lado do mesmo, são mostradas
diferentes opções de sublinhado que pode ser aplicadas ao texto selecionado.

Em seguida aparece o botão “abc”, que aplica o efeito tachado (ou rasurado) no trecho
selecionado. O botão “X2” aplica o efeito subscrito, bastante útil em fórmulas químicas, por
exemplo: H2O. O botão “X2” aplica o efeito sobrescrito, utilizado em fórmulas matemáticas e
algumas unidades de medida, por exemplo: “x2 + y3”, e m2.

O botão “A” oferece diversas opções de efeitos sobre o texto selecionado, como vazado,
sombreado, destacado entre outros. O próximo comando está em um botão que contem as
letras “ab” juntas com o desenho de uma caneta realizando um traço em amarelo. Se trata da
função “marca texto”, realizando no texto selecionado um efeito similar às das canetas para
marcação de destaques em textos no papel. Ao clicar no símbolo “▼” que está ao lado deste
botão, o usuário terá acesso às diferentes cores que podem ser utilizadas neste recurso.

Por fim, o último botão dessa seção está na forma da letra “A” com um traço vermelho sob
a mesma. Este botão serve para definir diferentes cores para a fonte do trecho de texto
selecionado. Ao clicar no símbolo “▼” que está ao lado deste botão, você também terá acesso
às diferentes cores que podem ser utilizadas neste recurso.

Curso Técnico em Agronegócio


Fonte: Shutterstock

A próxima seção da aba “Pagina Inicial” do Word chama-se “Parágrafo”. Como o próprio nome
já diz, são comandos para realizar diferentes formatações em relação à forma de distribuição
do texto no documento.

Veja ao lado que na primeira linha de botões,


da esquerda para a direita, o primeiro botão
contém o desenho de 3 pontos juntos com 3
riscos ao lado de cada um. Esse recurso aplica
“marcadores” sobre o trecho de texto
selecionado. Ou seja, cada parágrafo do texto
selecionado se torna um item com um
marcador com um traço, seta, bolinha etc. Clicando sobre símbolo “▼” que está ao lado deste 47
botão, você tem acesso a diferentes opções de marcadores.

Em seguida aparece um botão parecido com o primeiro, mas com os numerais “1, 2 e 3”
juntos com 3 riscos ao lado de cada um. Esse recurso se chama “lista numerada”, e aplica um
numeral (ou uma letra) sequencial para cada parágrafo do texto selecionado. Novamente, ao
clicar sobre símbolo “▼” que está ao lado deste botão, você tem acesso a diferentes opções
de numeração ou de letras.

Você também encontrará, logo após, um botão que contém os caracteres “1”, “a” e “i”, também
com 3 riscos ao lado de cada um. Veja que os caracteres não aparecem alinhados como nos
botões anteriores, mas estão em níveis diferentes. Esse recurso se chama “Lista de vários
níveis”, útil para organizar o texto em itens e subitens.

Outro recurso útil para organizar o texto em itens e subitens é o recuo dos parágrafos, também
chamado por indentação. Os dois próximos botões servem, respectivamente, para diminuir o

Introdução à Informática
recuo, trazendo o texto mais para a esquerda, e para aumentar o recuo, levando o texto mais
para a direita da tela.
48
Em seguida há um botão com as letras “AZ” e uma seta apontando para baixo. Trata-se do
recurso para ordenar os parágrafos selecionados em ordem alfabética, numérica ou de data,
de acordo com o conteúdo. A ordenação pode ser crescente ou decrescente.

O último botão da primeira linha tem o símbolo “¶”, e serve para mostrar (ou ocultar) marcas
de parágrafo, ou seja, as quebras de linha e, outros símbolos de formatação do Word e que
normalmente estão ocultos.

Na segunda linha de botões da seção “Parágrafo” da aba “Pagina Inicial” do Word, você
encontra, inicialmente, 4 botões agrupados. Cada um desses botões contém um grupo de
linhas desenhadas, com diferentes alinhamentos. Nesse caso, as linhas desenhadas nos
botões procuram mostrar o que será feito em termos de alinhamento dos parágrafos do
trecho de texto selecionado. Da esquerda para a direta, cada botão representa o seguinte
alinhamento dos parágrafos, respectivamente: à esquerda, centralizado, à direita e justificado.

O próximo botão contém o desenho de um conjunto de linhas junto com duas setas, uma
apontando para cima e outra apontando para baixo. Sua função definir o espaçamento entre
as linhas do trecho de texto selecionado. A clicar sobre símbolo “▼” que está ao lado deste
botão, você tem acesso a diferentes opções para definir o espaçamento entre as linhas.

Em seguida tem um botão contendo o desenho de uma lata de tinta, que permite definir uma
cor de fundo para o trecho de texto selecionado. Ao clicar sobre símbolo “▼” que está ao lado
deste botão, você encontra diferentes opções de cores.

O último botão desta seção possui o desenho de uma “grade” com a linha de baixo sólida e as
demais pontilhados. A função deste botão é definir bordas para o trecho de texto selecionado.
Clicando sobre símbolo “▼” que está ao lado deste botão, o usuáriovocê tem acesso a
diferentes opções de bordas a serem aplicadas.

A próxima seção da aba “Página Inicial” do Word chama-se “Estilo”. Trata-se de diversas opções
de formatos de fonte e parágrafo pré-configurados (“estilos”). Nessa seção há o botão “Alterar
estilos”, que permite a alteração as propriedades de algum dos estilos já exibidos pelo Word,
além de criar novos estilos.

Curso Técnico em Agronegócio


A última seção da aba “Página Inicial” do Word é “Edição” e possui três comandos principais:

Para encontrar palavras ou expressões dentro de um documento.


Localizar É útil principalmente para encontrar trechos em documentos
longos.

A partir da localização de uma palavra ou expressão, pode-se


substituir por outras. Esta funcionalidade também permite que se
Substituir
faça a substituição caso a caso, ou substitua todas as ocorrências
da palavra ou expressão de uma só vez.

Permite que selecionar trechos ou elementos do documento. Ao


clicar sobre símbolo “▼” que está ao lado deste botão, você tem
acesso às opções:

“Selecionar Tudo” (todo o conteúdo do documento)

Selecionar “Selecionar Objetos” (tabelas, imagens, etc.)

“Selecionar Todo o Texto com Formatação Semelhante”


(comparado com o formato do texto onde está o cursor)

“Painel de Seleção” (exibe os elementos do documento par ao


usuário escolher o que selecionar).

Veja na imagem abaixo a localização desses recursos.

49

Comentário do autor

d Pratique tudo isso que você aprendeu. É muito importante que você teste seus
conhecimentos e utilize o Word para memorizar a função de cada uma das
ferramentas disponíveis.

A próxima aba do Word 2010 chama-se “Inserir” e, como o próprio nome já diz, possui
funcionalidades para inserir elementos adicionais aos textos. Os botões para inserir esses
elementos estão reunidos nas seguintes seções: Páginas,Tabelas, Ilustrações, Links, Cabeçalho
e Rodapé, e Texto. Veja uma imagem dessa aba a seguir.

Introdução à Informática
50

A seção “Páginas” possui as seguintes opções:

Insere uma folha de rosto no início do documento. Ao clicar sobre


Folha de rosto símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão, você tem
acesso a diferentes opções de folhas de rosto.

Como o próprio nome diz, insere uma página vazia no documento.


Página em branco Clicando sobre símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão,
o usuário tem acesso a diferentes opções de folhas de rosto.

Também, como o próprio nome diz, insere uma marca para


quebrar a página. Este comando é útil quando você quer garantir
que uma página seja finalizada, retomando o texto apenas no
Quebra de página
início da página seguinte. Ao clicar sobre símbolo “▼” que está na
parte de baixo deste botão, você tem acesso a diferentes opções
de quebra de página.

Em seguida você encontra uma seção com


apenas um comando. A seção “Tabelas”
contém o comando “Tabela”. Ao clicar sobre
símbolo “▼” que está na parte de baixo deste
botão, você vê inicialmente uma grade e,
passando o mouse sobre a mesma, poderá selecionar o tamanho da tabela a ser inserida no
documento (no local onde está o cursor), em quantidade de linhas e colunas. Além disso, há
algumas outras opções para inserir ou desenhar tabelas, incluir uma planilha do Microsoft
Excel 2010, além de algumas opções de tabelas pré-formatadas.

A próxima seção, “Ilustrações”, possui comandos para inserir diferentes tipos de imagens, veja
a seguir.

Imagem

Fotos e ilustrações. Clicando sobre símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão, você
vê opções para importar a imagem de um arquivo armazenado no computador, ou de outras
fontes disponíveis.

Curso Técnico em Agronegócio


Clip-Art

São arquivos de mídia, como ilustrações, fotografias, sons, animações ou filmes, que são
fornecidos no Microsoft Office. O símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão
disponibiliza diferentes opções deste comando.

Formas

São desenhos que você pode inserir no documento, como linha, círculo, retângulo, setas, balões
etc. Novamente, o símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão dá acesso às diferentes
opções deste comando.

SmartArt

São gráficos com desenhos mais sofisticados para serem usados em organogramas, fluxos de
trabalho etc.

Gráfico

Permite configurar e inserir diferentes tipos de gráficos baseados em conjuntos de dados, na


forma de linha, barra, pizza entre outros.

Instantâneo

Ao clicar no símbolo “▼” que está na parte de baixo deste botão, o usuário poderá clicar no
comando “Recorte de tela”, para selecionar uma parte ou toda a tela exibida no próprio Word ou
em outro aplicativo. É bastante útil para auxiliar na criação de manuais ou tutoriais sobre o uso
de softwares.

A seção, “Links” disponibiliza comandos para inserir atalhos


no documento, que podem ser dos seguintes tipos:
51

Permite vincular o acesso a endereços da internet no trecho


Hyperlink
selecionado do documento.

Permite colocar marcadores para identificar um local ou


seleção de texto, para uso futuro. Por exemplo, você poderá
Indicador usar um indicador para identificar um texto que deseja revisar
posteriormente. Então, em vez de ter que procurar pelo texto no
documento você poderá identifica-lo pelo respectivo indicador.

Introdução à Informática
Permite inserir links para itens dentro do próprio documento,
52 Referência cruzada para que você possa navegar, por exemplo, para trechos
contendo textos interrelacionados.

A próxima seção chama-se “Cabeçalho e Rodapé” e serve para configurar esses elementos
nas páginas dos documentos. Há comandos para configurar os elementos para Cabeçalho,
Rodapé, ou para inserir números de página, no topo ou no final das páginas do documento.

A próxima seção da aba “Inserir” chama-se “Texto”. Os principais recursos são a “Caixa de
Texto”, que permite inserir quadros contendo texto, e “WordArt”, que disponibiliza opções de
texto com desenhos estilizados. Veja essa seção abaixo.

A última seção desta aba chama-se “Símbolos”, e tem dois comandos principais:
• Equação: Para inserir fórmulas de equações matemáticas nos documentos.

• Símbolos: Para inserir símbolos tais como moedas (£, €, ¥, etc.), letras gregas (¶, ß, ∂, etc.)
entre outras opções.

Além dos comandos que vimos até aqui, o Word 2010 também disponibiliza diversas opções
com comandos mais avançados. Veja a seguir.

Curso Técnico em Agronegócio


Apresenta comandos para formatar opções de cores, margens e
Layout da página imagens de fundo. Com opções avançadas de recuo de parágrafo,
espaçamento entre linhas, e organização geral do documento.

Com comandos para inserir notas de rodapé, citações a outros


Referências textos ou documentos, legendas de ilustrações, além de índices e
sumários.

Comandos para inserir dados e formatar o documento para


a impressão de “mala direta”, quando um mesmo documento
Correspondências
impresso precisa ser endereçado para diversas pessoas ou
organizações.

Possui opções para revisão da escrita do documento (ver


comando “Ortografia e Gramática”) e revisão geral do texto, inserir
Revisão comentários, controlar alterações em um documento original
(quando várias pessoas trabalham em conjunto), comparar
versões ou para proteger um documento contra alterações.

Possui diferentes opções para exibição do documento na tela,


além de trazer elementos para facilitar a edição dependendo de
cada caso (ver “régua”, “linhas de grade” e “painel de navegação).
Exibição Atenção para a opção “Zoom”, que aumenta ou diminui o
conteúdo do documento na tela. Além disso, também há opções
para visualizar ao mesmo tempo diferentes documentos do Word
que estiverem abertos simultaneamente.

53

Tópico 2: Excel
O Microsoft Excel 2010 é basicamente uma planilha eletrônica com a principal finalidade de
realização de cálculos matemáticos, mas que também serve para outras funcões, devido a sua
organização na forma de tabelas.

As planilhas eletrônicas são muito importantes para o trabalho pessoal ou profissional, uma
vez que permitem inserir grandes volumes de dados nas suas tabelas e, assim, aproveitar
suas capacidades de realizar operações matemáticas e armazenamento para realizar cálculos
e outros tipos de trabalho que antes demandavam muito trabalho manual e traziam muitas
possibilidades de erros.

A janela de uma planilha do Excel é dividida em Colunas associadas a letras do alfabeto (A, B,
C etc.) e Linhas Numeradas (1, 2, 3, 4 etc.). O encontro de cada coluna e linha chama-se célula,

Introdução à Informática
nomeada com a letra da coluna, seguida do número da linha. Por exemplo: A10; B5; H98. Ou
seja, a célula é o elemento do Excel que recebe os dados e que também realiza as operações
54 (matemáticas, ou sobre textos).

Cada arquivo do Excel é chamado de “Pasta de Trabalho”, pois pode conter diversas planilhas.
Por isso, quando se abre um novo arquivo, o Excel segue o mesmo padrão do Word, porém
trocando a expressão “documento” por “pasta” e a extensão do arquivo para “xlsx”.

Portanto os arquivos chamam-se por padrão “Pasta1.xlsx”,


“Pasta2.xlsx” e assim por diante.

As planilhas disponíveis em uma pasta de


trabalho do Excel podem ser visualizadas no
canto inferior esquerdo da janela do aplicativo.
Por padrão, uma nova pasta de trabalho
contém 3 planilhas com os nomes “Plan1”,
“Plan2” e “Plan3”, acessadas por meio de abas.
A navegação entre as planilhas é feita clicando
com o botão esquerdo do mouse sobre os
nomes dessas planilhas.

Ao clicar com o botão direito do mouse


sobre o nome de qualquer uma delas, são
disponibilizadas algumas opções:

Curso Técnico em Agronegócio


Para inserir uma planilha em branco antes da planilha selecionada.
Inserir A aba ao lado da direito “Plan3” também executa o mesmo comando,
porém criando uma planilha após todas as planilhas já existentes.
Excluir Para excluir a planilha selecionada.

Renomear Para trocar o nome da planilha selecionada.


Para mover a planilha para outra posição, ou para criar uma cópia
Mover ou Copiar
idêntica da mesma planilha selecionada.
Opção para usuários avançados, para utilizar a linguagem de
Exibir código
programa utilizada pelo Excel.

Proteger planilha Bloqueia a planilha para edição.

Cor da guia Permite colocar uma cor específica na aba com o nome da planilha.
Para não exibir a planilha na lista de abas. Ela continuará ativa, porém,
Ocultar
não será exibida.

Selecionar todas
Permite selecionar todas as planilhas ao mesmo tempo.
as planilhas

Da mesma forma que o Word 2010, o Excel 2010 tem na sua janela uma barra de acesso rápido,
no canto superior direito, e também tem seu menu principal de opções dividido em abas.

Como já foi dito, o elemento básico do Excel é a “célula” e é importante que você saiba como
selecionar uma ou mais células. Para selecionar uma célula individualmente, basta clicar com
o botão esquerdo do mouse sobre ela. Para selecionar uma faixa de células, você deve clicar
com o botão esquerdo do mouse sobre a primeira célula, manter o botão pressionado, e
arrastar o cursor sobre as células que deseja.

Para selecionar uma coluna, basta clicar com o botão esquerdo do mouse sobre a letra da
mesma e, para selecionar uma linha, clicar sobre o número. Você também deve notar que a(s)
55
célula(s) selecionada(s) aparece(m) em uma caixa localizada logo abaixo do menu de opções
do Excel, na parte esquerda da tela.

Ao lado direito dessa caixa que mostra as células selecionadas está a linha de comandos
do Excel. Sempre que uma célula individualmente for selecionada, seu conteúdo (valor
ou fórmula) é mostrado nesse espaço. Se uma faixa de células for selecionada, apenas o
conteúdo da primeira célula é exibido neste espaço. Junto com essa linha existe um botão
com a expressão “ƒx”, que serve para inserir as funções do Excel na célula selecionada,
funcionalidade que será vista mais adiante.

A aba “Arquivo” do Excel 2010 tem as mesmas opções que vimos da aba “Arquivo” do Word
2010. Aliás, todos os aplicativos do Microsoft Office compartilham este recurso.

A aba “Página Inicial” do Excel 2010 também é a que contém os principais recursos utilizados
no aplicativo, porém tem algumas funcionalidades diferentes, orientadas às planilhas.

As seções “Área de transferência” e “Fonte” possuem as mesmas funcionalidades do Word,


porém, ao invés de textos são manipuladas células das planilhas que foram selecionadas.

Introdução à Informática
56

A seção “Alinhamento” tem alguns comandos diferentes. Os três primeiros botões dessa
seção servem para definir o posicionamento vertical dos conteúdos das células selecionadas.
O primeiro posiciona sempre no topo; o segundo, sempre no meio; o terceiro, sempre na
parte de baixo das células.

Logo ao lado, aparece um botão com as letras “ab” inclinadas, junto com uma seta. Esse
comando serve para definir a inclinação dos conteúdos das células selecionadas.

Em seguida você encontra o botão “Quebrar texto automaticamente”. Muitas vezes o conteúdo
de texto dentro de uma célula é maior que a sua largura. Normalmente, o Excel deixa esses textos
“invadirem” as células das colunas que estão à direita e que, muitas vezes, podem ter dados
que serão sobrepostos pelo texto. Para evitar isso, você deve selecionar a célula (ou as células)
contendo os textos com esse problema e clicar no botão “Quebrar texto automaticamente”,
que irá manter o texto dentro da largura definida para a coluna, quebrando-o em linhas dentro
da mesma célula, o que aumenta automaticamente a altura da linha.

Para aumentar ou diminuir a largura das colunas do Excel, você precisa posicionar o cursor do
mouse na divisão entre as letras que dão nome a cada coluna. Nesse momento, aparecerá o
símbolo “ ”. Ao manter pressionado o botão esquerdo do mouse e movendo-o lateralmente,
você poderá modificar a largura da coluna à esquerda. O procedimento para aumentar ou
diminuir a altura das linhas é similar, porém é preciso posicionar o cursor entre a divisão dos
números que dão nome às linhas.

O botão “Mesclar e Centralizar” serve para transformar as células selecionadas em apenas uma
única célula, ao mesmo tempo que centraliza o conteúdo tanto na vertical quanto na horizontal.
Para desfazer o comando, basta selecionar a célula mesclada e clicar novamente neste botão.

A próxima seção da aba “Página inicial” chama-se


“Número”, e contém comandos para definir a forma com
as quais os conteúdos das células são exibidos. O
primeiro comando é uma caixa de seleção, com
configurações pré-definidas. O padrão é “Geral”, ou seja,
sem formatação ou de acordo com o que foi inserido
originalmente. Clicando no símbolo “▼” que está ao
lado, você pode ver as opções que representam os tipos
principais de dados manipulados pelas fórmulas do
Excel, que serão vistas mais adiante: Número; Moeda;
Contábil; Data abreviada; Data completa; Hora;
Porcentagem; Fração; Científico; Texto, além do link
para definir outros formatos.

Curso Técnico em Agronegócio


Na linha de baixo da seção “Número”, você vê o primeiro botão contendo o desenho de
algumas moedas. Essa funcionalidade permite configurar números das células selecionadas
no formato de moeda, incluindo o seu respectivo símbolo. O símbolo “▼” que fica ao lado
abre as opções para as moedas mais utilizadas: Real, Dólar e Euro. Também tem a opção para
criar formatos para outras moedas.

Logo ao lado há um botão com o símbolo “%” que serve para formatar os números das células
selecionadas no formato de percentagem.

O próximo botão mostra “000” e serve para formatar números com o separador de milhar.
Por exemplo, o número 1000 será exibido como 1.000 ao acionar este botão.

O botão ao lado possui estampadas as expressões “←,0” e “,00”, e serve para aumentar as
casas decimais dos números das células selecionadas. O último botão da seção “Número”
possui as expressões “,00” e “→,0”, servindo para diminuir as casas decimais dos números das
células selecionadas.

A próxima seção da aba “Página inicial” do Excel se chama “Estilo”. São comandos que mudam
o visual das células selecionadas.

57
O primeiro comando se chama “Formatação Condicional”, e formata o visual das células
selecionadas conforme critérios definidos pelo usuário. Por exemplo, você pode pintar de
vermelho o fundo de todas as células que contenham números negativos, e de verde as que
contenham números positivos. Ao clicar nesse botão, você terá acesso a conjuntos de regras
e formatos sugeridos pelo Excel, ou para criar seus próprios conjuntos de regras e formatos.

O segundo comando se chama “Formatar como Tabela” e aplica estilos visuais pré-definidos
(com bordas, cores de fundo, fontes etc.) às células selecionadas. Ao clicar nesse botão você
verá as opções disponíveis.

O terceiro e último comando desta seção tem o nome de “Estilos de Célula”, e serve para
aplicar formatos visuais pré-definidos iguais para todas as células selecionadas.

Introdução à Informática
A seção “Células” da aba “Página inicial” serve para editar uma ou mais células da planilha. Veja
a seguir a imagem referente a essa seção.
58

O primeiro botão com o nome “Inserir” serve para colocar uma célula em branco no lugar da
célula selecionada. Clicando no símbolo “▼” que fica abaixo neste botão, você têm acesso às
opções adicionais:
• Inserir Células (mais que uma)
• Inserir Linhas na Planilha
• Inserir Colunas na Planilha
• Inserir Planilha

O botão “Excluir” deleta a célula selecionada. Na mesma forma que o botão anterior, o símbolo
“▼” mostra as opções adicionais:
• Excluir Células (mais que uma)
• Excluir Linhas da Planilha
• Excluir Colunas da Planilha
• Excluir Planilha

O último botão desta seção chama-se “Formatar”. Clicando sobre ele você tem acesso a
diferentes opções para organizar os conteúdos da planilha, com nomes auto explicativos:
• Altura da Linha
• Auto Ajuste da Altura da Linha
• Largura da Coluna
• Auto Ajuste da Largura da Coluna
• Largura Padrão (do Excel)
• Ocultar e Reexibir (Linhas, Colunas, ou Planilha)
• Renomear Planilha
• Mover ou Copiar Planilha
• Cor da guia
• Proteger Planilha
• Bloquear célula
• Formatar células

Curso Técnico em Agronegócio


A última seção da aba “Página Inicial” chama-se “Edição”. Ela apresenta recursos para editar e
organizar os dados da sua planilha, conforme apresentado na imagem a seguir.

O primeiro comando mostra o símbolo “∑” e o texto “Auto Soma” e, como o nome indica,
só funciona sobre números. Ao clicar sobre este botão o Excel soma os valores das células
selecionadas e insere uma célula ao final com o total. Clicando sobre o símbolo “▼” que está
ao lado deste botão, o usuário tem acesso a outras operações sobre as células selecionadas,
também inserindo o resultado em uma nova célula ao final:
• Média

• Contar Números

• Máx (mostra o maior número)

• Mín (mostra o menor número)

Logo abaixo está o botão “Preencher” que identifica uma série lógica dos números selecionados e
continua preenchendo automaticamente as células. Clicando no símbolo “▼” você pode escolher
se quer preencher abaixo, acima, à direita ou à esquerda. Por exemplo, se o usuário selecionou
células com os valores 0, 5, 10, 15, o Excel vai continuar preenchendo com “20, 25, 30, 35, ...”.

Em seguida aparece o botão “Limpar” que apaga as células selecionadas. Ao clicar no símbolo
“▼”, você vê as opções:
• Limpar tudo

• Limpar formatos 59
• Limpar Comentários

• Limpar Hiperlinks

Ao lado está o comando “Classificar e Filtrar”. Ele é útil para trabalhar na classificação de
informações dispostas em linhas a partir de determinadas informações (colunas), por exemplo,
para organizar cadastros de pessoas. Ao clicar nesse botão surgem as opções:
• Classificar do Menor para o Maior

• Classificar do Maior para o Menor

• Personalizar Classificação

• Filtro

Introdução à Informática
Considerando o exemplo do cadastro de pessoas, você pode selecionar uma das colunas
(digamos que seja uma coluna com ano de nascimento) e pedir a classificação dos conteúdos
60 do menor para o maior. Quando o Excel perguntar para “expandir” a seleção, você deve clicar
em “Sim”. Com isso, todas as células de conteúdo serão ordenadas de acordo com o critério
escolhido. Você pode ainda usar o recurso filtrar para mostrar apenas linhas de conteúdo com
determinadas características.

O comando “Localizar e Selecionar” é bastante similar ao que existe no Word, tendo, inclusive, a
opção para substituir conteúdos localizados. A diferença é que no Excel há opções específicas não
apenas para os conteúdos, mas também para localizar/substituir Fórmulas, Comentários, etc.

Vamos agora à próxima aba do Excel chamada “Inserir”. Nesta aba serão tratadas as seções
“Ilustrações”, “Gráficos”, “Links”, “Texto” e “Símbolos”. As seções “Ilustrações”, “Links”, “Texto” e
“Símbolos” do Excel 2010 têm recursos similares às do Word 2010.

A seção “Gráficos” oferece opções para mostrar de forma visual os dados de uma determinada
planilha (ou faixa de células), o que poderá ser muito útil no seu dia a dia. O Excel tem as
seguintes opções de Gráficos:
• Colunas
• Linhas
• Pizza
• Barras
• Área
• Dispersão
• Outros Gráficos

Para a maior parte dos gráficos do Excel você precisa fazer uma única seleção contendo os
rótulos (nomes colocados antes dos dados) e os dados (dispostos em uma única linha ou
coluna). Depois de selecionar os rótulos e dados, você deve escolher o tipo de gráfico que
deseja, e o Excel automaticamente faz o restante do trabalho.

Antes de escolher qualquer tipo de gráfico, analise qual é a melhor opção para
` cada situação.

Vamos ver como funciona a criação de um gráfico com o exemplo a seguir:

Os dados da figura mostram o faturamento de


uma determinada microempresa durante o
segundo semestre de 2013. Para visualizar essas
informações em um gráfico de linhas, inicialmente
é necessário selecionar os títulos das colunas e os
respectivos valores, no caso de A1 até B7.

Curso Técnico em Agronegócio


Em seguida, na aba “Inserir”, escolhe-se a opção “Linhas” da seção “Gráficos”. Neste exemplo foi
selecionado o gráfico de linhas com marcadores, para ficar mais fácil de visualizar o resultado
de cada mês.

Ao clicar sobre o botão do gráfico escolhido, o Excel traz o gráfico pronto, conforme a figura
a seguir:

61

Atividade

p Que tal fazer o seu próprio gráfico? Crie uma planilha igual à do exemplo acima,
mas experimente diferentes tipos de gráfico de Barras, de Linhas, e de Área.
Observe como cada gráfico apresenta a informação de um jeito diferente.

Introdução à Informática
Além do que você já aprendeu até aqui, é importante saber utilizar algumas funções do Excel
para as operações matemáticas básicas (soma, subtração, multiplicação e divisão). Para
62 isso, basta que você clique sobre a célula, digite o símbolo “=” (igual) e utilize os respectivos
operadores matemáticos:
• Soma: +
Exemplo: =A3+A2+B1+450

• Subtração: -

Exemplo: =D5-100+C5-B5

• Multiplicação: * (asterisco)
Exemplo: =A2*35*B5

• Divisão: /
Exemplo: =D45*C44/C44*100

Note que as funções descritas acima podem ser utilizadas juntas,


livremente. Para agrupar operações matemáticas em uma mesma
expressão (mesma célula), você deve utilizar parêntesis.

Alguns exemplos dessas situações:


• =A3+((0,5+B3)*C3-D3)

• =(F9/((F1+F2+F3)-(F4+F5+F6)))*50

Outra forma de utilizar as mesmas operações, e também outras funções disponibilizadas


pelo Excel é utilizando o botão “ƒx”, ao lado da linha de comandos. Essas funções aparecem
no conteúdo das células na forma “=função(parâmetros)”, onde os parâmetros são células,
números, datas, textos, etc., de acordo com o objetivo e a especificação de cada função.

No caso das operações básicas descritas anteriormente, as respectivas funções são as


seguintes:

Função “=SOMA(número;número;...)”. Podem ser inseridos até 255


números ou células, divididos por ponto e vírgula (“;”). Um “número”
também pode ser uma faixa de células. Neste caso deve ser utilizado o
símbolo dois pontos (“:”) entre a primeira e a última célula da faixa a ser
utilizada. Outra possibilidade é que um “número” seja uma outra função
Soma do Excel, ou uma expressão matemática. Exemplos:

=SOMA(25;A10;B10;C10;(D10*D11))

=SOMA(F1:F30;H1:30;I1:I30;(500-450))

=SOMA(B20;SOMA(A2:K2;50);99;B19)

Curso Técnico em Agronegócio


Neste caso também se utiliza a função “SOMA”. Porém, o número que está
subtraindo deve ser precedido do sinal “-”. Exemplos:

=SOMA(25;-20)
Subtração
=SOMA(A4:A50;-SOMA(B4:B50))

=SOMA(-5000;A44:H44)

Função “=MULT(número;número;...)”. Os parâmetros podem ser passados


da mesma forma utilizada para a função “SOMA”. Exemplos:
Multiplicação
=MULT(10;A2:A10;-SOMA(B2:B10))

=MULT(SOMA(H1:I10);(F1-G1))

Não há uma função direta equivalente no Excel. A Função


Divisão “=QUOCIENTE(número1;número2;...)” traz apenas a parte inteira do
resultado de uma divisão.

Atividade

p Aproveite o mesmo arquivo da atividade anterior e realize operações


matemáticas utilizando as funções demonstradas até o momento. Você também
pode pesquisar outras funções disponíveis no botão “ƒx”.

Tópico 3: Powerpoint
O Powerpoint é um aplicativo para elaborar apresentações de slides. Uma apresentação de
slides contém textos curtos e imagens, para servirem de suporte para uma apresentação
oral. Os slides normalmente são projetados em TVs ou Projetores capazes de ampliarem o
63
tamanho das imagens.

Algumas boas práticas para o desenvolvimento de apresentações de slides:


• Primeiro crie o conteúdo para uma apresentação, para depois desenvolver os slides.

• Os slides devem ter pouco conteúdo, senão ficam confusos.

• Os slides devem conter imagens, palavras ou expressões chave. Não devem conter textos
longos, pois esses devem ser falados pela pessoa que está realizando a apresentação.

• Preparare-se antes de apresentar os slides, pois os itens e imagens da apresentação devem


acompanhar a sua fala.

• Não se deve realizar apresentações olhando para os slides. Olhe para o público a maior
parte do tempo, trazendo a atenção para a tela apenas quando necessário.

Introdução à Informática
Além destas orientações, há mais dicas interessantes para quando você for criar
64
O uma apresentação de slides. No AVA você encontra um vídeo sobre o assunto.
Acesse e confira!

Agora que você já viu algumas dicas, vamos conhecer os recursos do Powerpoint 2010. A
imagem a seguir apresenta a janela inicial.

Os principais elementos desta tela são:


• Barra de acesso rápido no canto superior esquerdo, como todos os demais aplicativos do
Microsoft Office 2010.

• Menu de opções do Powerpoint 2010, dividido em abas, no topo da janela.

• Lista de slides, exibidos em uma barra que ocupa todo o lado esquerdo da janela, abaixo
do menu. Para selecionar um slide, basta clicar com o botão esquerdo do mouse sobre ele.

Dica

Para selecionar uma faixa de slides, é necessário clicar com o botão esquerdo

'
do mouse sobre o primeiro, segurar a tecla “shift” (em alguns computadores
apenas tem o símbolo “⇧”) e clicar sobre o último slide. Para selecionar slides não
sequenciais, deve-se manter a tecla “Ctrl” pressionada enquanto é feito um clique
sobre cada slide que deve ser selecionado.

• Slide atual, que ocupa a maior parte da área da janela, abaixo do menu.

• Anotações sobre o slide atual, área que fica logo abaixo de onde esse slide é exibido.

Curso Técnico em Agronegócio


Como nos demais aplicativos do Microsoft Office, as abas com as opções do menu principal
seguem o mesmo padrão. A aba “Arquivo” contém as mesmas opções presentes no
Word e do Excel, porém voltadas para os arquivos de apresentações. Novos arquivos do
Powerpoint também seguem a mesma padronização de nomes, porém utilizando a expressão
“Apresentação” seguida do respectivo numeral sequencial (1, 2, 3, ...) e com a extensão “.pptx”.

No Powerpoint 2010 a aba “Página Inicial” contém os principais comandos do aplicativo. Dentro
dessa aba, as seções “Área de transferência”, “Fonte”, e “Edição” possuem as funcionalidades
que você já conhece do Word.

Um slide em branco do Powerpoint é basicamente uma página com caixas de texto, imagens
e outros elementos. Na seção “Slides” da aba “Página inicial” você encontra algumas opções,
conforme mostra a figura a seguir.

O botão “Novo Slide” permite inserir um novo slide com mesmo layout do que estiver
selecionado. Ao clicar no símbolo “▼” na parte de baixo do botão, são mostradas opções de
layout (distribuição dos elementos no slide):
• Slide de título

• Título e conteúdo

• Cabeçalho da Seção

• Duas partes de Conteúdo

• Comparação 65

• Somente título

• Em branco (sem texto)

• Conteúdo com Legenda

• Imagem com Legenda

Comentário do autor

d Dependendo do “Design” da apresentação essas opções podem mudar. Você


verá esta aba mais adiante.

O botão “Layout” exibe as mesmas opções do botão anterior, mas que serão aplicadas nos
slides selecionados.

Introdução à Informática
O botão “Redefinir” faz com que os slides selecionados retornem às configurações de layout
originais do design da apresentação. Se você modificar fontes, tamanhos de caixas de texto, cores,
66 poderá usar este botão caso desejar retornar ao estado original do design da apresentação.

O botão “Seção” permite organizar a apresentação em trechos (seções). Este recurso é


interessante para separar slides com conteúdo e características específicas dentro da
apresentação. Ao clicar neste botão são abertas as opções:
• Adicionar seção (antes dos slides selecionados)

• Renomear seção (atual)

• Remover seção (apenas a marcação da seção, não os slides)

• Remover todas as seções

• Recolher tudo (mostrando apenas os nomes das seções)

• Expandir tudo (mostrando todos os slides)

A seção “Parágrafo” da aba “Página Inicial” tem quase todos os comandos idênticos aos do
Word. A novidade está nos três botões à direita:

Após selecionar uma ou mais caixas de texto do slide, clicando neste


botão o usuário escolhe uma das opções para a direção do texto
Direção do texto
(Horizontal; Girar todo o texto em 90º; Girar todo o texto em 270º;
Empilhado; “mais opções”).

Como o PowerPoint trabalha com caixas de texto, neste botão


Alinhar texto você pode alterar o alinhamento vertical do texto dentro da caixa
selecionada (em cima; no meio; embaixo).

Para converter e distribuir automaticamente os textos das caixas


Converter em
selecionadas em formas “SmartArt”, iguais àquelas disponíveis no Word
“SmartArt”
e no Excel 2010.

A seção “Desenho” permite que você insira diferentes tipos de desenhos nos slides das
apresentações: caixa de texto, linhas (com e sem seta), quadrados, círculos, elipses, traço
livre, setas, etc.

Curso Técnico em Agronegócio


Para inserir um desses elementos, você precisa clicar sobre eles no menu e, em seguida, clicar
no local do slide onde deseja colocar a forma. Se mantiver o botão pressionado e mover o
cursor do mouse, você poderá também redimensionar a forma.

Em um slide com muitos desenhos, é provável que haja sobreposições (um desenho sobre o
outro). Para organizar os desenhos, utilize o botão “Organizar”. Com ele você pode trazer os
desenhos selecionados mais para frente ou para trás, além de agrupar desenhos selecionados,
ou para deixá-los alinhados entre si.

Quando um ou mais desenhos estão selecionados, o Powerpoint ativa os seguintes comandos


desta seção:

São opções de cores para Fontes, Linhas de Contornos, e Preenchimento


Estilos rápidos dos desenhos selecionados. Clicando sobre este botão você tem acesso a
diversas opções pré-definidas.

Utilize para escolher como você quer preencher os desenhos


Preenchimento selecionados. Clicando sobre este botão, você tem acesso a diversas
da forma opções de cores, e ao efeito “Gradiente” (degradê). Você também pode
inserir uma imagem ou aplicar uma textura.

Serve para configurar a linha de contorno dos desenhos selecionados.


Contorno Além das mesmas opções de cores, você pode escolher a espessura da
da forma linha e se quiser aplicar efeitos tracejados. Se os desenhos selecionados
forem linhas, há opção de inserir setas nas pontas de início ou final.

Permite configurar efeitos visuais aos desenhos selecionados. Além das


Efeitos de
opções pré-definidas, você pode configurar efeitos de Sombra, Reflexo,
forma
Brilho, Bordas suaves, “Bisel” (alto ou baixo relevo), e Rotação 3D.

A aba “Inserir” do PowerPoint tem comandos muito similares aos do Word e do Excel, com 67
seções para “Tabelas”, “Imagens”, “Ilustrações”, “Links”, “Texto”, e “Símbolos”.

O destaque da aba “Inserir” fica para a seção “Mídia”, que permite inserir Vídeos ou Áudios
às apresentações. Para isso, você deve clicar no botão “Vídeo” ou no botão “Áudio” e selecionar
um arquivo compatível armazenado em alguma pasta do computador.

Introdução à Informática
Vamos agora para a aba “Design”. Ela serve para selecionar o tema visual que será aplicado
aos slides da apresentação. A seção mais importante nesta aba é a de “Temas”, que permite
68 que você escolha um tema visual que melhor lhe agrade. Ao selecionar um tema, ele será
aplicado em toda a apresentação.

Ao lado das opções de tema, você encontra 3 pequenos botões: o símbolo “▲”, o símbolo
“▼”, e também o símbolo “▼” com um traço em cima. Os dois primeiros navegam entre linhas
contendo os diferentes temas disponíveis. O último (com símbolo “▼” e um traço em cima)
mostra todos os temas e também algumas opções extras:
• “Habilitar atualizações de Conteúdo do Office.com”: permite que você baixe novos temas
disponibilizados pela Microsoft (depende de conexão com a internet).

• “Procurar Temas”: possibilita que você procure um tema do Powerpoint que esteja
armazenado na forma de arquivo no computador.

Ao lado dos temas para escolha, aparecem 3 botões:


• Cores: para escolher entre diversos esquemas de cores (fontes, imagens de fundo,
marcadores, etc.) do tema escolhido.

• Fontes: para selecionar diferentes combinações de Fontes para o tema escolhido.

• Efeitos: para selecionar alguns efeitos visuais aplicados aos slides.

Outra aba importante do Powerpoint é a “Apresentação de Slides”. Ela contém as


funcionalidades para comandar a execução de uma apresentação em tela cheia. A seção
importante nesta aba é “Iniciar Apresentação de Slides”.

Nesta seção, destacam-se os seguintes comandos:


• Do começo: inicia a execução da apresentação a partir do primeiro slide. Com isso, os
slides passarão a ocupar todo o espaço da tela, seja do próprio computador ou do projetor
ou TV utilizada. Para sair da apresentação você pode usar a tecla ESC do teclado.

• Do slide atual: inicia a execução da apresentação a partir do slide selecionado.

Atividade

p Explore os recursos do PowerPoint criando uma apresentação de slides sobre


algum assunto de seu interesse. Aproveite para observar como as diferentes
funcionalidades se comportam e troque ideias com seus colegas.

Curso Técnico em Agronegócio


05
Internet
70

Tema 5: Internet
A internet faz parte da vida profissional e pessoal de grande parte da população. Seu uso
trouxe avanços e desafios para empresas e pessoas e no meio agrário não é diferente. Neste
tema, você verá conteúdos a fim de que possa:
• Reconhecer a origem e funcionalidade da Internet.

• Utilizar os serviços da Internet.

• Diferenciar os recursos da Internet.

A internet é importante para a busca de informações e para comunicação com outros locais
do Brasil e do mundo. Também é um meio interessante para a divulgação de informações e
promoção de produtos rurais.

Fonte: Shutterstock

Curso Técnico em Agronegócio


Um agricultor, por exemplo, pode rapidamente consultar informações sobre a previsão do
tempo e compartilhar com a sua família e seus parceiros de trabalho. Ele também pode ter
um site exibindo informações da sua propriedade e dos produtos que vende.

Tópico 1: História e conceitos principais da Internet


A Internet tem suas raízes no período chamado de “Guerra Fria”, iniciado após a 2a Guerra
Mundial e que finalizou na década de 1980. Nesse período, Estados Unidos (EUA) e União
Soviética, as duas maiores potências mundiais da época, viviam em permanente tensão. Foi
então que no final da década de 1960 foram realizados projetos patrocinados pelos EUA, com o
objetivo de criar uma rede de computadores em locais diferentes que compartilhassem dados
e permanecessem funcionando mesmo que alguns desses locais fossem destruídos. Alguns
governos Europeus aliados dos EUA também passaram a desenvolver projetos similares, e
muitas universidades desses países participaram dessas iniciativas.

Passados alguns anos dos primeiros projetos militares e acadêmicos, já na década de 1970 já
havia diversas redes de computadores funcionando. O problema era que cada uma delas tinha
um protocolo diferente e, com isso, apesar dos computadores de cada rede conseguirem se
comunicar entre si, eles não conseguiam se comunicar com outras redes.

Protocolo

Protocolo é uma palavra muito utilizada em eventos ou procedimentos que exigem


comunicação. É necessário para se realizar uma comunicação estruturada e organizada, por isso
que eventos oficiais e processos organizacionais (como a matrícula em um curso) necessitam
do preenchimento do chamado “protocolo”. Para a comunicação entre computadores, não é
diferente. Uma rede de computadores necessita de regras bastante claras e estruturadas para
que os equipamentos troquem dados entre si.

Foi então que surgiu o chamado “Protocolo Internet”, simplesmente “IP” (do inglês “Internet 71
Protocol”). A palavra inglesa “net” significa “rede”, portanto, pode-se entender a palavra
Internet como “inter redes”. Assim, o IP pode ser entendido como sendo um protocolo para
estabelecer as regras para comunicação entre diferentes redes de computadores.

Cada computador conectado à internet recebe o que chamamos de “Número IP”, que irá
identificá-lo para os demais. Da mesma forma que o número de telefone de cada pessoa
identifica a sua respectiva linha telefônica, o número IP do seu computador identifica a sua
conexão com a internet.

A primeira regra para estabelecer a transferência de dados entre computadores foi chamada
de TCP/IP - “Protocolo de Controle de Transmissão” (do inglês “Transmission Control Protocol”),
do Protocolo da Internet (IP). Ainda hoje, é este o protocolo responsável porgarantir que os
dados de um arquivo enviado a partir de um computador no Brasil sejam transmitidos a outro
computador conectado à internet em qualquer lugar do mundo.

Introdução à Informática
72

Fonte: Shutterstock

O TCP/IP divide os dados a serem enviados em pequenos pacotes, e controla o recebimento


desses mesmos pacotes no destino. Se algum pacote estiver faltando, o TCP/IP pede que ele
seja transmitido novamente, garantindo que tudo seja efetivamente entregue.

Para transmissões de dados que não exigem tanto controle de entrega, como uma transmissão
de áudio ou de vídeo ao vivo, foi criado o protocolo UDP/IP, do inglês “User Datagram
Protocol” (Protocolo de Datagramas do Usuário). O UDP/IP estabelece as regras para que um
computador envie informações para outro utilizando a internet, mas diferentemente do TCP,
não faz o controle de entrega dos pacotes de dados (“datagramas”).

Comentário do autor

No Brasil, a internet começou no final da década de 1980, na Universidade de


São Paulo (USP), em conjunto com a Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado

d de São Paulo (Fapesp). O objetivo era compartilhar dados por meio de uma rede
de computadores com instituições de outros países. Apenas em 1991 a internet
foi liberada para outras instituições brasileiras, e seu uso comercial e para o
público em geral foi liberado apenas em 1995.

Inicialmente, a conexão com a internet era realizada principalmente por meio das linhas
telefônicas, com velocidades de cerca de 56 Kbps. Mais recentemente, a partir da segunda
metade da década de 2000 começaram a se popularizar as chamadas conexão de “banda
larga”, com velocidades de alguns Mbps e com possibilidade de acesso sem fio.

Curso Técnico em Agronegócio


Segundo dados da pesquisa “Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) Domicílios”
realizada pelo Centro de Estudo sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação
(Cetic.br) em 2013, o Brasil alcançou os 80,9 milhões de usuários de internet. Apesar desses
números importantes, a mesma pesquisa indicou que apenas 10% dos domicílios rurais
tem acesso à internet, contra uma média de 44% das residências nas cidades.

Comentário do autor

d
Como é o acesso à internet na sua região? Informe-se sobre os planos de
expansão da internet na sua cidade e procure incentivar as autoridades locais
para garantir o acesso nos locais mais remotos.

A Internet é, portanto, um conjunto de milhares (ou talvez milhões) de redes interconectadas


entre si, formando uma “teia”. Atualmente, a quantidade de equipamentos conectados
à internet já passou da casa de 1 bilhão e com os dispositivos móveis (principalmente os
telefones celulares), tende a crescer ainda mais.

Tópico 2: Principais serviços disponíveis na Internet


A internet deve ser compreendida como uma grande via, com diversos caminhos, por onde
os dados trafegam. Essa via pode servir a diferentes propósitos, como o e-mail, o acesso a
páginas de sites, a transferência de arquivos, etc. Cada um desses exemplos utiliza um serviço,
regido por regras de comunicação, os chamados protocolos.

O serviço mais popular da internet é o HTTP, do inglês “Hypertext Transfer Protocol”, ou


Protocolo de Transferência de Hipertexto. A partir do HTTP foi criada a WWW (“world
wide web”, ou teia de abrangência mundial”), apelidada pelos usuários de “web”. É na web
que você acessa sites, cada um contendo diversas páginas. Por isso que os endereços de
sites internet são precedidos de “http://” (protocolo que define o serviço) e iniciando por
“www”. Por exemplo, “http://www.embrapa.br” .
73

Fonte: Shutterstock

Introdução à Informática
No caso de páginas que exijam segurança na transmissão de dados, utiliza-se o HTTPS,
chamado de “HTTP seguro”. Nesse caso, os endereços das páginas são precedidos de “https://”
74 e a transmissão de dados é feita de forma segura por meio de códigos especiais, processo
chamado de criptografia.

Comentário do autor

As regras e especificações do protocolo HTTP e da WWW são hoje definidas e

d gerenciadas pelo “WWW Consortium”, uma entidade internacional. Assim, a web


não possui um “dono”, mas é definida a partir de um consórcio internacional que
congrega empresas, órgãos governamentais, e outras organizações.

Para acessar as páginas internet você deve utilizar um software aplicativo chamado “navegador”,
também chamado de “browser”. Os navegadores mais populares atualmente são:

• Microsoft Internet Explorer: É o navegador padrão, incluído no Windows.

• Mozilla Firefox: É considerado o mais seguro de todos, disponível para download em


http://www.mozilla.org/pt-BR/firefox

• Google Chrome: Desenvolvido pela conhecida empresa Google, disponível para download
em http://www.google.com/intl/pt-BR/chrome

A imagem acima apresenta o Internet Explorer (IE), da Microsoft, que é o navegador padrão,
pré-instalado nos computadores com sistema operacional Windows. Os sites e páginas
internet visitados no IE podem ser mostrados em diferentes janelas do aplicativo, ou então
em abas exibidas em uma mesma janela.

Curso Técnico em Agronegócio


No topo da janela você encontra os seguintes recursos principais (da esquerda para a direita):

Botão com
“Seta para a Permite que retornar à última página da internet visitada na mesma aba.
esquerda” (“←”)

Botão com
Permite retornar para a página da qual retornou utilizando o botão “seta
“Seta para a
para a esquerda”.
direita” (“→”)

É neste local que você deve digitar o endereço do site que deseja visitar.
Não há a necessidade de digitar o “http://” antes dos endereços dos
Barra de
sites. Por exemplo: ao digitar www.senar.org.br e pressionar “enter”, o
endereços
IE vai exibir a página principal do SENAR. A barra de endereços também
mostra o endereço da página que está sendo exibida no navegador.

Uma mesma janela pode ter diversas páginas abertas ao mesmo tempo.
Abas Para organizá-las, o IE as exibe na forma de abas, do lado direito da
barra de endereços.

O botão com o desenho de uma “casa” faz com que o IE exiba a página
Botões “casa”, inicial, que é mostrada sempre que o software é aberto pela primeira
“estrela”, e vez. O botão com o desenho de uma “estrela” mostra os site marcados
“engrenagem” como “Favoritos” pelo usuário. E o botão com o desenho de uma
“engrenagem” mostra opções de configurações mais avançadas do IE.

Para navegar em um site, você precisa identificar os “links” (“ligações”)


nas páginas que está visualizando. Ao movimentar o mouse sobre os
itens da página, você perceberá que o cursor mostra a figura de uma 75
“mão”. Para acessar o link na mesma janela ou aba você deve realizar
apenas 1 clique com o botão esquerdo.

Para abrir o link em uma nova aba, deve pressionar a tecla “Ctrl” enquanto

' clica. Para abrir o link em uma nova janela, deve pressionar a tecla “shift” (“↑”)
enquanto clica.

Alguns links disponibilizam arquivos para serem “baixados” (gravados) no computador,


operação que chamamos de download. Quando houver links deste tipo, o IE pergunta se
você deseja apenas abrir ou se quer salvar o arquivo em questão. Por padrão do Windows, os
arquivos baixados da internet são gravados na pasta “Downloads” dentro de “Meus Documentos”.

Introdução à Informática
Caso você queira instalar um outro navegador além do IE, acesse os endereços descritos
anteriormente e siga as instruções das páginas para baixar os arquivos de instalação do
76 software. Ao realizar o download do arquivo, você verá na pasta “Downloads” dentro de “Meus
Documentos” que existe um novo arquivo com extensão “.exe”.

Atenção

` Este tipo de arquivo executa aplicativos no Windows, portanto é importante ter


cuidado com eles. Você deve apenas baixar e executar arquivos “.exe” em sites
confiáveis.

Para executar a instalação do navegador, após realizar o download, faça um duplo clique com
o botão esquerdo sobre o arquivo com extensão “.exe” que foi baixado. Em seguida, basta
seguir as instruções que serão dadas na tela.

Agora, você já se perguntou onde ficam armazenados os sites e páginas da web que acessamos?
O conteúdo que acessamos pelos navegadores está armazenado em pastas de arquivos
dentro de servidores conectados à internet, cada um com o seu próprio IP. Mas imagine, seria
muito complexo gravar os números dos servidores e as pastas dos sites que você visita, não
é mesmo? Por exemplo, ao invés de “http://www.meusite.com.br”, teríamos que digitar algo
como “http://203.108.20.13/meusite”.

Para facilitar a memorização dos endereços dos servidores da internet, foi criado o DNS, do
inglês “Domain Name Service”, ou Serviço de Nomes de Domínios. O DNS funciona como uma
espécie de lista telefônica, associando automaticamente os nomes (como www.embrapa.
br) ao respectivo número IP do servidor, tudo sem que os visitantes precisem saber desse
número, pois basta saber o nome.

O DNS é um serviço prestado pela ICANN, uma entidade sem fins lucrativos

O
vinculada ao Governo dos EUA. Diferentemente da WWW, o DNS não é um
serviço mantido e gerenciado internacionalmente, pois é de propriedade do
Governo dos Estados Unidos da América.

Os endereços de organizações brasileiras na internet, segundo o DNS, terminam com a


expressão “.br”. Logo antes do “.br” há expressões como “.com”, “.gov”, “.edu”, etc., cada uma
caracterizando um tipo de organização. Por exemplo, um domínio terminado:

• “.com.br” pertence a uma organização do tipo Comercial (empresa) do Brasil;


• “.edu.br” pertence a uma organização educacional do Brasil; e
• “.org.br” pertence a uma organização do terceiro setor (sem fins lucrativos) do Brasil.

Para registrar um domínio de internet no Brasil, é preciso contratar um “provedor internet” e


registrar o domínio pelo site http://www.registro.br - a entidade Brasileira que mantém convênio
com a ICANN para prover o serviço DNS no nosso país.

Curso Técnico em Agronegócio


Outro serviço na internet é o FTP (do inglês “File Transfer Protocol”, ou Protocolo para
Transferência de Arquivos). Ele foi criado para permitir o envio de arquivos de um computador
para o outro. Portanto, quando um usuário realiza o “download” (baixar) um arquivo de um
site para o seu computador, está utilizando o FTP.

Fonte: Shutterstock

Vamos ver agora um serviço muito útil da internet que é a correspondência eletrônica, ou
“e-mail”. Este serviço permite o envio de mensagens assíncronas – ou seja, quando as pessoas
não estão falando ao mesmo tempo – entre “caixas postais eletrônicas” ou “endereços de
e-mail”. Um endereço de e-mail é escrito na forma “caixa_postal@domínio_internet”.

O símbolo “@” (arroba) é utilizado nos e-mails porque no vocabulário de

O
tecnologia na língua inglesa seu significado equivale a “em”. Portanto, o endereço
(fictício) “joao@senar.org.br” pode ser lido como “este é o e-mail do João, que
trabalha no SENAR, uma organização sem fins lucrativos que fica no Brasil”. 77

O e-mail utiliza dois protocolos para funcionar, um para enviar e outro para acessar as
mensagens recebidas. O protocolo para envio de mensagens se chama SMTP (do inglês “Simple
Mail Transfer Protocol”, ou “Protocolo para Transferência Simples de Correspondência”). Para
o acessar as mensagens é utilizado o POP (“Post Office Protocol”, ou “Protocolo de Agência de
Correio”). Mais recentemente também foi criado o protocolo IMAP (“Internet Message Access
Protocol”, ou “Protocolo de Acesso a Mensagens da Internet”), que possibilita mais recursos
que o POP para o acesso às mensagens da caixa postal.

Para quem ainda não tem uma caixa postal de e-mail, ou deseja ter uma caixa adicional, vale
lembrar que há empresas que disponibilizam este serviço gratuitamente. Atualmente, as
principais são o Google, com o serviço Gmail, e a Microsoft, com o serviço Live. Além dos e-mails,
ambas também oferecem aplicativos de produtividade online, que veremos em seguida.

Introdução à Informática
Há ainda mais dois serviços muito populares atualmente na internet: a transmissão de áudio
ou de vídeo (com áudio). Conteúdos previamente gravados podem ser visualizados sob
78 demanda pelos usuários, como no site http://www.youtube.com . Essa modalidade de acesso
a vídeos ou áudios se chama “streaming”.

Fonte: Shutterstock

Também há a possibilidade de transmissão de áudio ou vídeo em tempo real, por meio de


softwares aplicativos específicos para esse fim. Em ambos os casos (conteúdos gravados
ou transmissão em tempo real) podem ser utilizados os protocolos UDP/IP, RTP (“Real-time
Transfer Protocol”, ou “Protocolo de Transferência em Tempo Real”), ou ainda o RTCP (“Real-
time Transfer Control Protocol”, ou “Protocolo de Controle de Transferência em Tempo Real”).

1) Agora que você já conhece os principais serviços de internet, pode responder essa pergunta:
quantos protocolos, além do TCP/IP são utilizados para ler e enviar mensagens de e-mail
por meio do navegador internet? Quais seriam esses protocolos?.

Comentário do autor

Chegamos ao final da apostila dessa unidade curricular, sente-se mais preparado


para utilizar os recursos oferecidos pela informática? São diversas as possibilidades
para aumentar sua produtividade e que poderão contribuir com análises específicas

d durante sua atuação como técnico em agronegócio. Procure sempre se manter


atualizado, as tecnologias da informação estão sempre evoluindo e trazendo
novas possibilidades de uso. Aproveite esses conhecimentos e compartilhe suas
experiências no AVA com seus colegas de turma, será uma troca rica para seu
aprendizado. Até a próxima unidade curricular!

Curso Técnico em Agronegócio


Referências Bibliográficas
CAPRON, H. L.; JOHNSON, J. A. Introdução à Informática. São Paulo: Pearson Brasil, 2004.

VELLOSO, F. C. Informática: Conceitos Básicos. 7ed. São Paulo: Campus, 2004.

SOUSA, M. J. SOUSA, S. Microsoft Office 2010 – Para Todos Nós. Editora Lidel-Zamboni. 2011.

Resposta da atividade escrita 1

Se você pensou em pelo menos 3, parabéns! De início já se pode afirmar que o protocolo HTTP está
envolvido, pois o usuário está utilizando o navegador internet para ler e enviar suas mensagens.
Além desse, utiliza um outro protocolo para ler as mensagens (IMAP ou POP) e também outro
para enviar as mensagens (SMTP). Portanto, são utilizados pelo menos 3 protocolos para ler e
enviar mensagens por meio do navegador internet.

79

Introdução à Informática