Вы находитесь на странице: 1из 5

PERMANEÇAM FIRMES

Filipenses 4.1-5

1 Portanto, meus irmãos, a quem amo e de quem tenho saudade, vocês que são a
minha alegria e a minha coroa, permaneçam assim firmes no Senhor, ó amados!
2 O que eu rogo a Evódia e também a Síntique é que vivam em harmonia no
Senhor.
3 Sim, e peço a você, leal companheiro de jugo, que as ajude; pois lutaram ao meu
lado na causa do evangelho, com Clemente e meus demais cooperadores. Os seus
nomes estão no livro da vida.
4 Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!
5 Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.

GRANDE IDEIA: A alegria do cristão é permanecer em Cristo e reconhecer que ele


está perto.

INTRODUÇÃO:

No final do capítulo 3, Paulo afirmou que nossa maior alegria deve ser viver
neste mundo como um cidadão do céu. Já nesta vida terrena, devemos nos portar
como forasteiros revelando valores e atitudes típicas de quem almeja morar no
céu, com Jesus. Agora, no capítulo 4, o verso 1, termina a ideia anterior. Os irmãos
Filipenses eram amados de Paulo. Eram sua alegria e coroa. Observem que a igreja
é a maior recompensa deste velho apóstolo que estava preso por causa de Cristo.
Irmãos, saber que pessoas foram salvas e edificadas por nosso intermédio
deve ser a nossa maior alegria neste mundo. Na minha vida ministerial, passei por
muitas situações financeiras. Da falta de dinheiro para comprar comida até à
fartura de um alto salário, Deus me fez experimentar. Mas minha maior alegria
nunca foi e nem será as coisas materiais que eu possa conseguir, senão a satisfação
de saber que, de alguma forma, Deus me usou para abençoar e edificar a vida de
alguém. Creio que este fosse o sentimento de Paulo aqui. Sua maior recompensa
era ver a igreja edificada na Palavra. Mas como na vida cristã, é preciso terminar
bem e não apenas começar, Paulo então ensina a esta igreja que eles devem
permanecer firmes no Senhor. Observem que de cinco versículos, 4 vezes aparece
a palavra Senhor, acompanhada de algo para fazer.

Transição: O que é, na prática, permanecer firme no Senhor?


1.Viver em comunhão e harmonia.
2 O que eu rogo a Evódia e também a Síntique é que vivam em harmonia no Senhor.
3 Sim, e peço a você, leal companheiro de jugo, que as ajude; pois lutaram ao meu lado na causa do
evangelho, com Clemente e meus demais cooperadores. Os seus nomes estão no livro da vida.

A igreja em Filipos era muito boa, fora fundada por Paulo, em meio a
muitas lutas, até prisão ele passou. Mas Deus agiu de forma maravilhosa e ali se
estabeleceu uma igreja que sustentou financeiramente o apóstolo Paulo por todo
seu ministério. Ainda assim, esta igreja sofria com duas ameaças constantes – os
falsos mestres com seus ensinos heréticos e a falta de comunhão entre alguns
irmãos.
Parece interessante para mim que o problema de comunhão tivesse
nome: apenas duas irmãs estavam em crise: Evódia e Síntique. Eram mulheres que
já haviam demonstrado seu valor na obra de Deus. Trabalharam na fundação da
igreja ao lado do apóstolo, outros irmãos. Eram mulheres que comprovaram sua
salvação. Paulo evidencia que seus nomes estão no livro da vida. Mas eram
mulheres que, por algum interesse particular que não o de Cristo, se deixaram
levar pelo pecado e agora estavam brigadas. A situação era tão ruim que Paulo
pede a um irmão, que ele não cita o nome, que intervenha na situação para que a
comunhão seja restaurada.
Queridos, estes dois versos e esta situação nos dão lições importantes:
O pecado de poucos é suficiente para gerar conflito na igreja. Paulo não ignorou
como algo passageiro e pequeno o pecado destas irmãs em Cristo. Se a comunhão
delas estava quebrada, estava quebrada a comunhão na igreja. O problema
pessoal entre dois irmãos é um problema que afeta a todos. Às vezes as pessoas
falam ou fazem coisas que podem nos ferir. Muitos irmãos tendem a deixar que o
problema cresça. Nesta hora não é culpado apenas quem ofendeu. Mas o ofendido
que insiste em não perdoar, também é culpado. E, na maioria das vezes, a causa
do problema, a ofensa, é algo que passaria despercebido se fossem outros crentes
mais amadurecidos na fé.
Pessoas, verdadeiramente convertidas, podem falhar. Paulo afirmou que aquelas
irmãs tinham seus nomes no Livro da Vida. Eram verdadeiramente salvas. Mas
pecaram. Paulo afirma que eram mulheres que lutavam pela causa do evangelho.
Gente que amava a Cristo e sua igreja. Mas que falhou. Todos somos sujeitos às
falhas. Mas o que aprendemos aqui, é que todos precisamos voltar à harmonia no
Senhor.
Pessoas com problemas de comunhão devem ser confrontadas e
ajudadas. É interessante que Paulo peça a alguém para ajudar aquelas irmãs. Paulo
afirma que o problema de comunhão é um tipo de jugo, de peso, para quem lidera,
mas havia companheiros de jugo para auxiliar irmãos no retorno à harmonia no
Senhor. O desafio é que deixemos de ser os envolvidos em quebra de comunhão
e passemos para a condição de companheiros de jugo, prontos para auxiliar os
menos maduros que necessitam vencer seus pecados.
Mas permanecer firme no Senhor também inclui:

2. Lutar pela causa do Evangelho.


3 Sim, e peço a você, leal companheiro de jugo, que as ajude; pois lutaram ao meu lado na causa do
evangelho, com Clemente e meus demais cooperadores. Os seus nomes estão no livro da vida.

Ao citar e expor o problema de Evódia e Síntique, Paulo deixa claro que a


necessidade de harmonia entre aquelas irmãs, uma vez que elas lutaram pela
causa do Evangelho. O Evangelho é uma causa. Paulo diz que naquela igreja, estas
irmãs, bem como Clemente e outros irmãos foram cooperadores dele. A causa do
Evangelho envolve viver de modo digno, compatível de um seguidor de Cristo, de
um cidadão do céu, e envolve lutar para que Cristo e o estilo de vida de quem o
imita seja conhecido de todos.
A causa do Evangelho envolve testemunhar de Jesus. O testemunho do
crente não é apenas vivendo cristo, sendo parecido com ele no modo de pensar,
falar e agir, mas também insistindo na pregação. Irmãos, todos nós estamos
envolvidos na causa do evangelho. A bíblia diz que Deus me colocou aqui como
um aperfeiçoador dos santos. O pastor-mestre ensina, expõe a Palavra, para que
os irmãos, aprendendo mais sobre esta palavra, a compartilhem com outros. Onde
quer que você esteja, ali será seu campo de trabalho e seu ministério cristão. Servir
ao Senhor é assumir-se cristão onde você trabalha, onde você estuda, onde você
se diverte. Manter pecados no coração impediam Evódia e Síntique de cumprir
seus ministérios na igreja e na causa do Evangelho. Traziam ansiedade à igreja,
falaremos disso na nossa próxima reflexão. Assim, você e eu, precisamos resolver
nossas pendências para que Cristo seja refletido em nós. E você viva Jesus em
qualquer lugar. Compartilhar Cristo, lutar pela causa do Evangelho, isto é
permanecer firme no Senhor.
Mas há mais para fazer. Permanecer firme no Senhor, também inclui:

3. Optar por fazer de Cristo sua alegria.


4 Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!

Repitam comigo esse verso 4. Responda rapidamente: neste verso 4,


alegria é uma opção ou uma ordem a ser cumprida? Tem algumas coisas que me
deixam admirados na Bíblia, porque elas diferem completamente do que a
sociedade e as ciências modernas ensinam. Temos a ideia de alegria que como
resultado de algumas coisas ou momentos que se sucedem em nossas vidas. Mas
Paulo nos dá uma ordem para sermos alegres.
Ser alegre é um mandamento. A Bíblia vai nos ensinar que o Evangelho
trouxe alegria. O Reino de Deus é alegria. Paulo afirmou em Gálatas que alegria é
fruto do Espírito. Então a ordem de Paulo é: alegrai-vos no Senhor!
Outra questão que se destaca é que na ordem a alegria é para ser sempre.
Isto indica que ela estará acima das circunstâncias. Sabemos que sempre haverá
momentos em que o sofrimento chegará até nós. Paulo, na contramão do
consenso social, não diz que alegria é ausência de problemas, ou que seja algo que
dependa de nós. Alegria é mais do que podemos produzir em nós mesmos.
Então Paulo explica: nossa alegria é o Senhor. Ela é cristocêntrica. Nossa
alegria não está na solução de crises, ela é uma pessoa. Ela tem nome. E o nome
da nossa alegria é Jesus Cristo. Quem não tem Jesus não tem e não conhece a
verdadeira alegria. Mas quem tem a Jesus, experimenta essa verdadeira alegria.
Enquanto o mundo experimenta momentos de alegria, o salvo tem alegria
completa em Cristo, ainda que sofrendo crises, dor e problemas.
Isto é permanecer firme em Cristo, mas permanecer firme também inclui:

4. Viver o amor de Cristo na perspectiva da eternidade.


5 Seja a amabilidade de vocês conhecida por todos. Perto está o Senhor.

Algumas versões começam esta frase com as palavras “moderação” ou


“bondade”; “generosidade”; “equidade”, “generosidade”. Todas estas palavras
traduzem a palavra “epieikes”. Willian Hendriksen disse que não há em nossa
língua uma única palavra que expresse toda a riqueza contida nesse vocábulo
grego. Aristóteles, filósofo, usou a palavra para descrever não apenas aquilo que
é justo, mas melhor ainda que a justiça. Epieikeia é a qualidade do homem que
sabe que as leis e prescrições não são a última palavra. Jesus não aplicou a letra
da lei em relação à mulher apanhada em flagrante adultério. Ele foi além da
justiça. Ele exerceu a misericórdia (Jo 8.1-11).
Neste texto, Paulo está nos ensinando a abrir mão dos seus direitos, para
abençoar pessoas, crendo que é melhor sofrer injustiça do que praticar injustiça.
Ser amável neste verso é ter o espírito pronto para abrir mão da retaliação quando
você é ameaçado ou provado por causa da sua fé.
Mas observe que há uma evidência mais forte para justificar nossa
amabilidade, nossa moderação, nossa generosidade ou bondade. A evidência é
que o Senhor está perto. Há dois modos de pensar aqui e ambos são válidos. O
Senhor está perto pensando na questão de lugar. Cada ação sua está sendo
monitorada. Cristo habita em nós. Não há nada que você faça que ele não esteja
vendo. Este é um bom motivo para você agir de modo justo e amável. Mas também
ao ler que “Perto está o Senhor”, devemos pensar na perspectiva da eternidade.
Cristo volta a qualquer momento. Precisamos estar preparados agindo com amor,
justiça, com paciência, mesmo sofrendo o dano, pois Cristo está perto e virá para
julgar a nossa causa e nos recompensar.

CONCLUSÃO:
A alegria do cristão é permanecer em Cristo e reconhecer que ele está
perto. Mas lembre-se que, permanecer em Cristo inclui:
Viver em harmonia e comunhão; Lutar pela causa do evangelho; Optar por
fazer de Cristo sua alegria; Viver o amor de Cristo na perspectiva da eternidade.
Que Deus nos ajude nesta tarefa. Amém.