Вы находитесь на странице: 1из 5

O lado criativo da tecnologia – Aplicação de Arduíno na montagem de um

“CUBO LED”.
The creative side of technology - Arduino application in mounting a “LED
CUBE”.

Trabalho apresentado como requisito para a obtenção da aprovação na disciplina de


Programação, dos cursos de Engenharia Civil e Engenharia de Produção da
Universidade Ibirapuera.

Introdução
O presente artigo indica a construção de um CUBO LED, que tem como foco a
programação e montagem de emissores de luz. Trivialmente formado por
vibrações da mesma frequência conhecida como CUBO LED, com resolução
8x8x8, controlado por uma placa de Arduíno UNO que é capaz de coletar
dados externos e, através de sensores ligados ao seu terminal de entrada,
emitir um sinal correspondente capacitados para ligar equivalente 512 leds,
usando programação em código C++.
Nesse projeto cada diodo assume um papel no espaço que ocupa, gerando
uma união programada para acender e apagar em intervalo de tempo
preestabelecido, gerando inúmeros movimentos e formas.
O cubo LED é famoso por sua beleza, a humanidade tem um grande encanto
pela luz e os efeitos luminosos por sua vez chama muita atenção. Futuramente
pode ser usado como ferramenta de estudos como: conceitos de desenho,
geometria, percepção visual e principalmente na simulação com vista a
produção de determinado produto.
O desenvolvimento de tal projeto passa por várias etapas que trazem à tona a
necessidade e importância para a introdução dos conceitos básicos de elétrica,
calculo, tecnologia dos materiais, soldagem, programação em código C++ aos
alunos da UNIB – Universidade Ibirapuera.
No futuro, poderá ser usado como instrumento de estudo pois é um incentivo
ligadas as áreas de design, elétrica, computação, artes, projeto de produto
entre outros.

Objetivo
 Demonstrar o aplicação de gerenciamento de portas dos controladores
micros de imagens no controle de luz.
 Desenvolver de maneira correta uma programação de um cubo por meio
de Arduíno UNO.
 Obter bases de programação em Arduíno, criando um programa com
uma sequência lógica que é demonstrada por um sistema digital
projetado para executar um programa desenvolvido.
 Reconhecer como funciona um CUBO LED 8x8x8 e como elaborar um
protótipo

Materiais Utilizados

 1 – Uln2803  Furadeira
 8 – 74HC595  Soldador, estanho, alicate de
 512 Led’s de 5mm corte
 64 Resistor  3 Barra de terminais macho
 1 Protoboard de 830 pontos (32 vias)
 Jumpers  1 Arduíno UNO
 Gabarito de madeira  Cabo IDE de HD

Funcionamento Teórico

LED
Led é componente eletrônico que permite a passagem de corrente em apenas
uma direção, emitindo luz. É um componente sólido, sem filamentos ou gases,
o que é muito conveniente graças a sua longa vida útil e seu baixo consumo.

Arduíno
O Arduíno é uma placa que permite a automação de projetos eletrônicos e
robóticos, possuem funcionamento semelhante ao de um pequeno computador,
no qual, pode-se programar a maneira como suas entradas e saídas devem se
comportar em meio aos diversos componentes externos que podem ser
conectados nas mesmas.

Resistor
O resistor é um componente elétrico passivo que tem a função primária de
limitar o fluxo da corrente elétrica em um circuito. A sua função é resistir à
passagem da corrente elétrica, por isso, a maior parte deles é feita com carvão
em pasta, componente que é isolante elétrico

Jumper
É um segmento de fio condutor soldado diretamente às ilhas de uma placa
de circuito impresso com a função de interligar dois pontos do circuito,
estabelecendo uma função elétrica entre eles. Quando está conectado a pelo
menos dois pinos, está fechado. Quando está conectado apenas a um pino ou
a nenhum pino, está aberto.

Circuitos integrados
 Circuito integrado Uln2803, permite que o Arduino controle de maneira
simples 8 portas de um circuito de até 50V.
 O circuito integrado 74HC595 é um tipo de registrador de deslocamento,
geralmente usado para o controle de led’s, display 7 segmentos, matriz
de led’s e teclado

Protoboard
Serve para montar e testar de forma rápida um circuito eletrônico e termos a
prova de seu funcionamento antes de partirmos para uma montagem final.

Metodologia

Tratou-se a um trabalho relativo, onde foi baseado as ideias e opinião de cada


componente do grupo discutindo qual a melhor proposta para se desenvolver
em um projeto de programação, a criatividade, bom senso e flexibilidade no
enfrentamento de situações dos estudantes foram no quesito “como fazer”.
A execução desse projeto tem como base o pensamento de Arthur C. Clarke
que diz “Qualquer tecnologia suficientemente avançada é equivalente à
mágica”, falava-se em substituir o homem pela máquina, mas o que podemos
perceber é que houve uma integração entre eles, gerando competição entre as
empresas de forma acirrada onde estas procuram introduzir continuamente
novos produtos para que não percam parte do seu mercado. Portanto, o
desenvolvimento de novos produtos é encarado como uma atitude importante,
podendo ser usada como forma de aperfeiçoamento do desempenho
profissional.

Processo
Desenvolvimento da estrutura
Para o desenvolvimento da estrutura do cubo de led, primeiramente,
produzimos um gabarito de madeira para nos aproximar da simetria entre as
dimensões, para isso, realizamos furos, com uma broca de número 5mm (a
mesma medida da lente do led), com 8x8 de configuração, totalizando 64 furos.
O gabarito nos deu apoio no momento da soldagem e no auxiliou com relação
as distâncias entre os leds.

Soldagem
Após posicionarmos os leds no gabarito, dobramos os cátodos (negativos) para
que todos ficassem na posição horizontal e soldamos uns nos outros. Após isso,
dobramos apenas 3 mm das pontas dos anodos (positivo) em 90° , facilitando a
soldagem nos anodos das camadas acima. Com o cubo de led estruturalmente pronto,
fizemos a conexão dos fios Jumpers. Soldamos 64 fios nos respectivos anodos que
sobraram da última camada e nos anodos conectamos apenas um fio em cada
camada do cubo de led. Em seguida, com os jumper conectados ao cubo, encaixamos
alguns conectores machos nos fios para facilitar a inserção e a retirada dos mesmos à
protoboard.

Conexões com a protoboard


Para conectar todos os componentes eletrônicos utilizamos 3 Protoboards. Primeiro
conectamos o Arduino nos pinos de 1 a 15 da protoboard, o ULN2803 nos pinos de
23 à 31 e em seguida os oito deslocadores de bits (74HC595) com dois furos de
distância uns dos outros. Com esses elementos conectados , ligamos o positivo da
protoboard no pino 5 Volts, do Arduino, após isso ligamos o GND no negativo da
protoboard, conectamos o pino 9 do ULN2803 no negativo e o pino 10 no positivo da
protoboard, com isso, conectamos os pinos do Arduino nos respectivos pinos do
ULN2803, 9 no 1; 8 no 2; 7 no 3; 6 no 4; 5 no 5; 4 no 6; 3 no 7 e 2 no 8 . Para
alimentar os componentes 74HC595 ligamos os pinos “16” aos pinos “10” e
conectamos ao positivo da protoboard, com isso ligamos os pinos “13” aos “8” e
conectamos ao negativo da protoboard, repetimos esse processo com todos os
componentes 74HC595 do circuito. Após isso, conectamos o pino “data” do Arduino ao
“14” dos componentes 74HC595, depois o pino “LED” do Arduino ao pino “12” do
deslocador de bits e o pino “CLOCK” ao pino “11” , após essa etapa, conectamos
todos os “74HC595” interligados seus respectivos pinos “11” e “12”. Para aumentar as
portas de ligação do Arduino ligamos todos os deslocadores de bits na parte superior
da placa aonde será conectado os resistores, e após esse processo, finalizamos as
ligações conectando os resistores e os fios de alimentação dos LEDs do Cubo.

Programação
Para manipularmos os códigos de programação baixamos o programa “IDE” Arduino e
inserimos o drive no Arduino. Para esse projeto o algoritmo utilizado é cumprido e
bastante complexo, para pessoas com baixo ou quase nenhum conhecimento de
programação, por isso, baixamos o código da internet (link na bibliografia), para o
desenvolvimento do projeto. A linguagem utilizada para programar o microcontrolador
é a C++ com algumas modificações. No caso proposto, todos os códigos foram
desenvolvidos pelo programador Liam Jackson e expostos em seu website pessoal
<jacksonliam.blogspot.com>. Os seus códigos em C e C++ foram utilizados como
bibliotecas destinadas às extensas Strings e ao controle dos temporizadores, evitando,
desse modo, um programa ainda maior e servindo, enfim, como Núcleos para o
programa principal em Arduino.

O autor explana, ainda, que dentro do código está inserido uma matriz bidimensional
de 8 bytes, onde cada byte se refere a uma coluna ou linha no Cubo de LED. Se um
bit é 1, o LED estará aceso, já se for 0, o LED estará apagado. As rotinas de efeitos
externos manipulam esse array (sequência não ordenada de dados). Isso explica,
portanto, os blocos de código em base hexadecimal, já que se num efeito o LED piscar
diversas vezes, um código binário seria praticamente inelegível e pouco prático.

Além disso, os temporizadores digitais são absolutamente necessários não apenas para a
criação de efeitos surpreendentes, mas também para evitar que os LEDs não queimem, já que
um compilador pode executar milhões de instruções por segundo no caso de um Loop.

Para a compilação, usa-se o padrão do arduino, disponível gratuitamente em seu website


oficial. Não são necessários outros compiladores para as bibliotecas, pois a IDE Arduino é
flexível e é capaz de suportá-las. Uma vez instalado o Software Arduino, deve-se extrair as
bibliotecas para a pasta Libraries do compilador, abrir o código através da aba 'Arquivo' e
selecionar a placa (modelo do arduino) e porta serial em que ela está inserida na aba
'Ferramentas'. Por fim, para a execução do código, basta um clique em 'Carregar'.