Вы находитесь на странице: 1из 14

O Superintendente e a Gestão da Escola

Dominical

Superintendente

No Hebraico: O termo “superintendente” procede do latim e significa, “aquele


que dirige na qualidade de chefe”; “aquele que inspeciona”, “aquele que
supervisiona”. No hebraico, o paqîd é descrito como: inspetor, encarregado,
capataz. O termo descreve um subordinado especial (Gn 41.34) posto em uma
posição de “supervisão de outros”. O paqîd era um funcionário real de confiança
que administrava o trabalho e funções dos soldados, sacerdotes e levitas no
Antigo Testamento. Em 2 Cro 31.13; 34.10,12,17 é o administrador do Templo.

No Grego: O proistemi (Rm 12.8) é o que “preside”, literalmente “aquele que


está à frente de”; “liderar” ou “dirigir”. De acorco com Paulo, os líderess são
pessoas capacitadas sobrenaturalmente pelo Espírito Santo para administrar,
presidir e liderar atividades executadas pelo Corpo de Cristo para o crescimento
do Reino de Deus.

Contemporâneo: Se eventualmente admitirmos as atuais mudanças


administrativas da educação brasileira na ED, chamaríamos a função do
superintendente ou diretor de: “Gestor da Escola Dominical”. A mudança de
nomenclatura envolve também uma alteração de rumo ou mudança política e
administrativa dos antigos paradigmas ou modelos de organização escolar.

Funções Gestoras do Superintende da ED

1. Criar projetos de qualidade educacional (Projetos participativos)

2. Análise crítica do projeto educacional (Análise participativa)

3. Administrar os recursos humanos e materiais:


4. Selecionar com base na capacidade das pessoas de atenderem às
especificações das atividades docentes;

5. Criar um ambiente de cooperação que promova a excelência e uma relação


sólida e segura entre os professores e alunos, alunos e professores,
superintendente e professor, professor e superintendente; superintendente e
alunos, alunos e superintendente;

6. Envolver todos os professores e alunos na garantia da qualidade da Escola


Dominical;

7. Criar programas de capacitação continuada para os professores;

8. Atender as necessidades materiais da Escola Dominical;

9. Atender os alunos:
 Quem são os alunos?
 Que necessidades eles têm?
 Como melhor aprendem?
 Como são estimulados à busca do conhecimento?
 Como é a relação professor-aluno?
 Qual o conteúdo ensinado?
 Como respondem ao conteúdo ensinado?

10. Atender os professores:


 Quem são os professores?
 Que necessidades eles têm?
 Como ensinam?
 Como são estimulados à busca do conhecimento?
 Como se relacionam com a igreja?
 Qual a formação dos professores?
 Como usam os recursos educacionais oferecidos?

Como Agem os Superintendes Eficazes?

1. Definem objetivos claros;

2. Exibem confiança e receptividade com relação aos outros;

3. Discutem fatos abertamente;

4. Solicitam e ouvem ativamente o ponto de vista dos outros;

5. Utilizam a gestão participativa para criar um abiente de cooperação e


participação;

As Habilidades do Superintendente Eficaz


1. Habilidade de planejamento;

2. Habilidade de manejo e controle do orçamento;

3. Habilidade de organização;

4. Habilidade de resolver problemas criativamente;

Competências administrativas e pedagógicas


 Habilidade de comunicar eficazmente;
 Habilidade de mobilizar a equipe escolar e a igreja local;
 Habilidade de desenvolver equipe

A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL


A ESCOLA DOMINICAL E A RESPONSABILIDADE DO SUPERINTENDENTE

O superintendente da escola bíblica dominical é muito mais que uma simples pessoa que
faz a abertura e encerramento da escola dominical e promove a comemoração de algumas
datas importantes e eventos especiais. O superintendente ou diretor (a) da EBD é o irmão
ou irmã em Cristo designado (a) pela igreja para administrar a escola dominical com
competência e seriedade, visando a edificação e a maturidade do corpo de Cristo.

Antes de tudo, o superintendente deve ser alguém verdadeiramente compromissado com


Deus e a igreja. Deve ser exemplo dos fiéis, não neófito, mas pessoa qualificada para
comandar o corpo de Cristo. Deve ser assíduo e pontual no cumprimento de seus deveres,
irrepreensível na moral, são na fé, prudente no agir, discreto no falar e exemplo de
santidade de vida. Qualidades que devem acompanhar, no mínimo, todo crente, e
principalmente aquele que recebeu a graça da liderança; a saber: pastor, presbítero,
diácono, professor, etc.

Além disso, o superintendente deve ser uma pessoa preparada academicamente. Destaco a
palavra "academicamente" de propósito. O que isso quer dizer? Quer dizer que o
superintendente não precisa necessariamente ser um expert em educação cristã, mas
precisa ter noção do que ela significa e representa. Afinal de contas, é com professores que
o superintendente está lidando e é a qualidade do bom ensino que ele estará
supervisionando. Pensando nisso, um experiente diretor de escola dominical escreveu aos
superintendentes: "Os seus professores ensinam com qualidade? Ou estão se repetindo
diante da classe? Preparam devidamente a lição, ou já se acostumaram aos improvisos?". E
continua: "Que os seu professores não se contentem com o preparo já conseguido.
Incentive-os a ler, a estudar, a pesquisar, a descobrir novas metodologias, a se tornarem
especialistas não apenas no currículo e na aula a ser ministrada, como também na
pedagogia e na didática".

Como eu disse o superintendente não precisa ser um especialista, mas é necessário que
tenha algum conhecimento pedagógico. Se tiver experiência como professora, melhor ainda.

Some-se a isto a visão do superintendente. Se o superintendente pensar administrativa e


pedagogicamente, o que é ideal, ele não apenas saberá conduzir a igreja bem, no sentido
de unidade de propósitos, mas também zelará pelo aperfeiçoamento de seus professores.
Promoverá encontros, congressos e uma série de eventos que ajudarão na formação e
reciclagem dos professores.

O superintendente é o carro-chefe da escola dominical que, em comum acordo com o


pastor, melhorará toda a escola dominical quando melhorar seus professores. Quando se
investe na liderança da escola dominical todo mundo sai ganhando.
Finalmente, mas não menos importante, o superintendente precisa ser dinâmico a fim de
dinamizar sua escola dominical. Para isso precisa se atualizar e se inteirar do trabalho de
outros superintendentes. Deve ser uma pessoa inovadora, com idéias saudáveis que
revigoram a escola dominical. Eu acredito na escola dominical porque, como dissemos no
início deste artigo, é uma bênção de Deus e por isso deu certo. Entretanto, a escola
dominical precisa passar por um processo constante de revitalização. Meu irmão
superintendente: torne a sua escola dominical dinâmica, criativa, bíblica e funcional. Algo
que dá gosto de se vê e participar. Promova, juntamente com seu pastor e professores, a
vigor e a saúde da escola dominical através da motivação de seus alunos. Evite a rotina, a
monotonia e aquela mesmice insuportável. As aulas da escola dominical devem ser
prazerosas. Da criança ao adulto que levantam cedo para ir à igreja, a escola dominical
deve ser algo que valha a pena por causa do conteúdo e didática do ensino e (por que
não?) por causa do agradável local de estudo. Olhe com carinho para tudo isso e Deus, com
certeza, o recompensará.

A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL


A ESCOLA DOMINICAL E A RESPONSABILIDADE DO PASTOR

Como ministro do evangelho, sei que não são poucas e nem pequenas as
responsabilidades do pastor. Comecemos com algumas de suas atribuições. Compete ao
pastor: orar com o rebanho e por este; apascentá-lo na doutrina cristã; exercer as suas
funções com zelo; orientar e superintender as atividades da igreja, a fim de tornar eficiente a
vida espiritual do povo de Deus; prestar assistência pastoral; instruir os neófitos, dedicar
atenção à infância e à mocidade, bem como aos necessitados, aflitos, enfermos e
desviados; governar.

Escrevendo aos efésios, diz o grande pastor e apóstolo Paulo: "E ele mesmo (Jesus)
concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para
pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu
serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todo chegue à unidade da fé e do
pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da
plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para
outro, e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela
astúcia com que induzem ao erro" (Ef 4.11-15).

Pelo que podemos perceber das atribuições e vocação do pastor, o ensino (no mais amplo
sentido do termo) é a característica prioritária do ministério pastoral. O zelo e a
responsabilidade doutrinária do pastor o tornam necessariamente ligado à escola dominical.
Ele é o superintendente ex-officio da escola dominical. Por isso mesmo, ao pastor nunca
deve faltar à informação necessária acerca do que está sendo ensinado na escola
dominical. Para isso, o superintendente deve ser seu maior aliado. Um verdadeiro braço
direito na condução da igreja. O superintendente que não estiver disposto a andar com o
seu pastor não conseguirá promover a paz e a unidade no corpo de Cristo. Enfim, o pastor
precisa saber o que o professores ensinas ao seu rebanho, quem ensina e como se ensina.
Esta informação ele adquirirá primeiramente com o superintendente e através das
constantes reuniões com o conselho de ensino.

O pastor deve ser um verdadeiro conselheiro no meio de seus auxiliadores. Diálogo é


fundamental. É imprescindível que o pastor e a liderança da escola dominical falem uma só
língua e se ajudem mutuamente, conforme recomenda Paulo em 1 Coríntios 1.10: "Rogo-
vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma cousa, e
que não haja entre vós divisões; antes sejais inteiramente unidos, na mesma disposição
mental e no parecer". A escola dominical agradece!

Ademais, pela experiência e formação pastoral que tem, o pastor precisa estar atento às
carências de seus professores e superintendente. Ele deve zelar pelo aprimoramento de
sua escola dominical investindo pesado em sua liderança. Precisa indicar e sugerir bons
livros, mostrando a importância e valor da leitura. Também, é necessário que o pastor
incentive a sua liderança a participar de e a promover eventos educacionais. Acredite: O
pastor é a chave que abre a porta do sucesso da escola dominical. Se você, pastor, tiver
visão pedagógica, além de administrativa é claro, ninguém segurará sua escola dominical. O
Espírito Santo gosta de pessoas assim e quer usar pessoas assim.

Além disso, é necessário que o pastor tenha propósitos permanentes e bem definidos para
a escola dominical. Quais devem ser os objetivos do pastor para a escola bíblica dominical?
São basicamente estes: 1) promover a edificação da igreja na Palavra para o serviço, 2)
ganhar vidas para Cristo e discipulá-las e 3) formar líderes capacitadores.

Que Deus nos ajude.


Re: Ao Superintendente + Reunião de Profs.
# por Sirlei nossa » 24 Jun 2008 19:21

Reunião de Professores
Texto para reflexão

A floresta ameaçada
(Chico dos Bonecos – Adaptação: Maria Irene Pereira Vale)

Os bichos da Brejaúva viviam contentes na floresta. A natureza era boa


e esbanjava saúde.
Mas... Alguma coisa estranha começou a acontecer. As árvores eram
derrubadas e os rios estavam imundos. E os bichos? Os bichos viviam
brigando e não conversavam uns com os outros.
Então... Alguns bichinhos tomaram uma atitude: convidaram a bicharada
da floresta da Brejaúva para "Um grande encontro geral". Tico-tico,
Marreco, Sapo, Coelho, todos saíram por aí avisando, convidando,
anunciando.. .
No dia marcado para a reunião, na hora marcada, no local marcado
(debaixo da enorme paineira), começou a reunião:
_ Esta floresta está muito esquisita! Precisamos acabar com essa
esquisitice e fazer dessa floresta uma festa!
Assim começou o "Grande encontro geral". A conversa estava muito
animada, mas logo começou uma confusão danada! Cada bicho tinha uma mania!
A Onça só quer mandar em todo mundo.
O Papagaio só fala, fala sem parar e não fala nada que se aproveite.
O Boi é aquela molezazaza.. . Pesadão, sossegado, parado, tranqüilo.
Não sabe da força que tem. Fica remoendo as idéias. Demora uma
eternidade para falar alguma coisa.
A Preguiça encosta numa pedra e puxa aquela soneca...
O Cavalo é uma brutalidade! Dá coices sem parar!
A Coruja nunca dá opinião. Está sempre de cara feia, mas presta uma
atenção...
A Borboleta não pára quieta. Pula de um assunto para o outro. Não sabe
o que está acontecendo na reunião, colhendo apenas o que já está pronto.
O Macaco sempre fazendo macaquices, tempo todo...
O Pavão fica sempre de leque aberto. Considera-se o mais bonito, o
mais inteligente, o sabe tudo. Só quer aparecer.
A Cobra traiçoeira, perigosa, esperta e oportunista. Envenena o grupo.
Está sempre fazendo fofoca.
O Gato fica em cima do muro. Mia... Mia... Não decide por uma posição.
É covarde e está sempre na tocaia.
O Pombo sempre de conversinhas com o colega do lado.
O Urubu só vê carniça. É pessimista e descrente. Só quer ver o grupo
morrer. Não acredita que propostas de modificações surtam efeito.
A Galinha d'angola não acredita em sim mesma. O seu lema é "tô
fraco... tô fraco...”
O Pato só quer sombra e água fresca. Não se envolve com nada e não
quer saber de nada.
A Cigarra é omissa. Só gosta de cantar e está sempre na sua. O mundo
pode acabar que ela não se preocupa.
O Leão é o todo poderoso, o rei de todos. Domina o grupo e faz tudo
sozinho. Quando urra, todos se calam.
O Ratinho fica escondido pelos cantos. Tem medo dos outros animais.
Sempre calado, se sente inferior.
A Hiena não tem opinião própria. Puxa o maior saco do leão e só gosta
de quem está no poder.
A Lagartixa concorda com tudo com a cabeça. Quando diz alguma coisa,
fala: "É isto mesmo".
A Formiga trabalhadora e ativista. Faz muita coisa, mas sem pensar.
Não planeja e nem avalia. Vive abarrotada de serviço.

Amiga e amiga, responda com exatidão:


Como pode essa bicharada chegar a uma conclusão?
Essa reunião atrapalhada, sem mão nem contramão, vai virar uma
bananada, vai trazer chateação!
Responda com urgência!
Chega de confusão!
Como pode a bicharada resolver a situação?

Questões
1. Com qual (is) desse(s) bichos você se identifica?
2. Com essa reunião atrapalhada dos bichos, que conclusão pode
tirarem para melhorar a nossa atuação na escola Bíblica, na igreja, em nosso ambiente
de
Como Organizar Uma Ebf VOLTAR
Fonte: www.pibsg.org.br

Escola Bíblica de Ferias é um trabalho especial que visa alcançar o segmento infantil. Ela
contribui para a formação de hábitos cristãos, alem de funcionar como agente incentivador
da Escola Dominical.
Ela procura atingir vários objetivos ao mesmo tempo:

• Evangelizar crianças não-evangélicas, conduzindo-as a Cristo;


• Procura despertar nos responsáveis o prazer de ver seus filhos glorificando a Deus
durante os dias do evento;
• Procura desenvolver atividades diversificadas durante o período da E.B.F.
• Dar oportunidade às crianças evangélicas de crescerem no conhecimento da Palavra de
Deus de uma maneira dinâmica e alegre;
• Dar oportunidade aos responsáveis de crescimento espiritual, participando de palestras,
dinâmicas, oficinas e comunhão.
• Levantar pessoas para o trabalho no Ministério infantil.

1- Planejamento

Tema: XXXXXXXXXXXX

- Equipe de Trabalho

• Coordenador: liderança, organização e supervisão de todo o trabalho;


• Professores: separados para lecionar nas classes;
• Auxiliares: cooperação com os professores;
• Apoio logístico e segurança: observação da disciplina das crianças, inclusive nos
corredores e banheiros. No mínimo, 20 pessoas devem ajudar a estabelecer a ordem no
recinto, mantendo-se sempre atentos e qualquer movimento de crianças que provoque
tumulto e algazarra, pessoas estranhas;
• Equipe médica: profissionais na área da saúde, preparados para atender a
emergências;
• Artes e cenografia: desenhar, projetar e articular os espaços que serão usados, com
cenários, decoração de acordo com o tema;
• Teatro e dança: pessoas responsáveis pelos ensaios e apresentações de peças e
musicais;
• Louvor: criação ou escolha do hino oficial e demais cânticos;
• Programação visual e divulgação: pessoal para criar logomarca, confeccionar cartazes e
divulgação do evento;
• Recepção: fornecer relatórios, fichas de inscrições, organizar crachás, além de registrar
as decisões por Cristo. Também se encarrega de distribuir as lembrancinhas aos
participantes da E.B.F.
• Responsáveis pelo lanche: organização e distribuição dos lanches;
• Responsáveis pela recreação: Organizar atividades e material para as mesmas com
antecedência;
• Responsáveis pela limpeza: Além dos funcionários (caso a Igreja tenha), pedir as
equipes que deixem os locais limpos, onde atuaram;

2-Divulgação

A propaganda é um poderoso instrumento de divulgação. Ela poderá ser feita através de


recursos audiovisuais tais como: jornais de bairro, cartazes espalhado pela igreja, faixas de
tecido ou plástico fixado em ruas ou lugares estratégicos, divulgação em rádios e nas
escolas públicas e particulares através de folhetos etc.
O primeiro passo é divulgar entre as crianças nas classes dominicais.

3- Programação

A duração do evento de acordo com a necessidade e realidade da igreja, no mínimo de 2


dias à uma semana , separando-se duas horas e meia para cada reunião diária. As reuniões
podem ocorrer no período da manhã ou tarde; tudo vai depender da disponibilidade da
maioria.
A programação deve incluir atividades interessantes. Assim, os matriculados não desistirão
por falta de estímulo.

4- Organização

O primeiro trabalho da E.B.F. começa a partir das inscrições, que devem ser feitas
gradativamente durante os trabalhos normais da igreja. Para tanto, utiliza-se uma mesa
localizada no pátio, onde o secretário fará as inscrições e estará pronto a prestar maiores
informações e esclarecimentos. Um cartaz deve ser fixado perto da mesa para divulgar e
incentivar a participação das crianças.
No ato da matrícula os inscritos receberão um documento contendo as normas da E.B.F. São
elas:

- Normas para professores e auxiliares

• Obedecer ao horário de chegada, ou seja, 15 minutos antes do início do trabalho;


• Procurar oferecer as crianças um tratamento especial, dando-lhe amor, atenção e
carinho;
• Preparar o material didático com antecedência, o qual deve ser atraente, objetivo e
criativo;
• Chamar a criança sempre pelo nome. Assim ela se sentirá valorizada;
• Em caso de indisciplina, procure contornar o problema com sabedoria, principalmente
tratando-se de visitantes;
• Os auxiliares devem procurar cooperar onde houver necessidade, ficando sempre
atentos e prontos a prestar socorro em qualquer situação;
• Tentar compreender cada criança e ter cuidado de não cometer injustiças ou deixá-la
triste;
• Esteja sempre alegre e orando em espírito para que o Senhor opere no coração dos
pequeninos;

- Normas para os pequeninos

• Depois de entrarem no templo, são proibidos de saírem sozinhos da classe, ir ao


banheiro ou ficarem nos corredores. Só poderão fazê-lo acompanhados do auxiliar ou
supervisor;
• É proibido retirarem-se do templo, exceto com responsável;
• É proibido riscarem os bancos e paredes da igreja;
• Exige-se silêncio total quando estiver ouvindo a mensagem;
• O comportamento é fundamental para alcançar as premiações
• O certificado será fornecido a todos os que comparecerem, no mínimo, durante quatro
dias;
• Devem decorar os versículos para terem direito aos prêmios
• Convidar amiguinhos dá direito ao premio máximo da E.B.F.

5- Confecção de materiais e Compras

A confecção de materiais da E.B.F. deve ser organizada com uma antecedência mínima de 3
meses. Serão necessários:

• Pasta de material do professor;


• Preparo de literatura específica para novos convertidos;
• Prêmios para os que levarem os maiores números de visitantes, conseguirem memorizar
maior quantidade de versículos, vencerem em concursos de conhecimentos bíblicos etc..
• Material para ornamentação de ambientes;
• Lembrancinhas para visitantes
• Material para a confecção de trabalhos manuais;
• Preparo de faixas para divulgação;
• Preparo de convites individuais para distribuição antecipada;
• Confecção de cânticos e versículos visualizados feitos em cartolina ou em transparência
para retroprojetor;
• Crachás para serem fixados na blusa da criança ao entrar no templo;
• Preparo de atividades para cada classe de acordo com a idade;
• Compra de todos os produtos a serem utilizados na alimentação;
• Material de limpeza.

Obs: O planejamento do cardápio para o lanche pode contar com a participação dos pais.

6- A ordem do programa (Sugestão)

14:00 horas - Recepção


Desfile no quarteirão da igreja. A Bandinha irá à frente com as crianças menores, e as
demais crianças irão à retaguarda empunhando as bandeirinhas. Todas devem cantar
alegremente o hino oficial da E.B.F. Os supervisores poderão distribuir bandeirinhas para as
crianças da rua e convidá-las a participar do trabalho.
14h15min horas - Entrada no templo
14h20min horas - Oração e leitura bíblica
14h25min horas - Juramento a Bíblia “Prometo ser fiel a minha Bíblia, obedecendo as
suas leis, procurando amar esconder a sua palavra no meu coração para não pecar”
14:30 horas - Corinhos -- Saudação aos visitantes
14:40 horas - História dramatizada relacionada ao tema, (uso de fantoches, peça e ou
musicais)
14:50 horas - Divisão das classes
Chamada – 5 minutos
História Bíblica – 15 min
Versículo prático e aplicação prática – 5 min
Pergunta escrita ou oral – 5 min
Atividades (Trabalhos manuais) – 20 min
16:00 horas - Retorno ao templo (devido ao grande número de participantes, não
retornamos para o templo)
16:05 horas - Cântico
16:25 horas - Recreação e lanche
17:00 horas - Oração de encerramento, entrega de lembranças e saída por faixa-etária.

7- Culto de encerramento

• Louvores
• Especial com fantoches
• Apresentação dos pais
• Palavra do pastor
• Entrega dos diplomas e agradecimentos
• Peça especial: Musical “Sementes da transformação.
• Oração e encerramento
8- Atividades para Adultos

Sugerimos que sejam organizadas palestras, dinâmicas e oficinas interessantes


direcionadas aos responsáveis pelas crianças, pois muitos deles moram longe e precisam
ficar na igreja esperando pelos filhos. As palestras evitarão que fiquem ociosos no templo.
Caso seja possível, oferecer um lanche.

Gincana Dos Talentos VOLTAR


Fonte: Luciana Alencar

Objetivo:Estimular a participação dos alunos flutuantes; aumentar o número


de alunos da EBD; trabalhar questões problemáticas das classes (EX: mal
comportamento, atrasos, etc)

Desenvolvimento: Inicia-se a gincana contando a Parábola da Dracma


Perdida. Ao final perguntam-se quem gostaria de ganhar moedas ou notas
em cada aula EBD, após as respostas, explica-se que por cada critério
avaliado o aluno que conseguir alcançar o objetivo receberá uma moeda
que se chamará DRACMA (mostrar um modelo) e a cada 10 dracmas ele
poderá trocar por uma nota que se chamará TALENTO (mostrar um
modelo). Após um período (3 meses, por exemplo) haverá uma feira
chamada Feira dos Talentos e cada aluno levará suas dracmas e seus
talentos para comprar o que quiserem da feira.

Sugestões de Critérios para serem avaliados:


• Pontualidade (1 dracma);
• Participação (1 dracma);
• Comportamento (1 dracma);
• Bíblia (1 dracma);
• Oferta (1 dracma);
• Visitante (1 dracma);
• Novo aluno (10 dracmas)

OBSERVAÇÕES:
• Aquele que levar um novo aluno para a EBD receberá 10 dracmas, porém
se perder o aluno perderá 15 dracmas;
• Os critérios avaliados poderão ser adaptados de acordo com a realidade de
cada classe;
• No caso de desenvolver a gincana em mais de uma classe da EBD, ter o
cuidado de colocar a mesma quantidade de critérios para todas as classes
não importando se serão diferentes;
• Os alunos de turmas menores (até 5 anos, por exemplo) gostam muito de
cofrinho, sendo assim, o ideal seria preparar um para cada criança (pode ser
uma caixa de sapato encapada e com o nome do aluno);
• Os alunos de turmas maiores gostam muito de competir, nesse caso, o
ideal seria preparar um cartaz bem bonito com o nome de cada um e em
cada aula coloca-se o número de dracmas arrecadadas;
• Evite entregar aos alunos suas dracmas ou talentos para levarem para
casa, pois poderão perdê-las ou esquecer de trazê-las no dia da feira.

Aula com a História da Dracma Perdida


Parábola da dracma (moeda) perdida
Versículo para decorar: “O Senhor disse: Com amor eterno Eu te amei...”
(Jeremias 31:3)

Objetivo: Saber que somos importantes e preciosos para Deus.

Dinâmica:

Com antecedência, esconder 10 moedas (ter cuidado com moedinhas e


crianças pequenas, nesse caso o ideal seria confeccionar moedas de EVA)
em volta da sala. Colocar algumas à vista e outras mais escondidas.
Inicie dizendo: Eu perdi 10 moedas e gostaria que vocês me ajudassem a
procurá-las. Cada um que encontrar, por favor, mostre para mim.
Vocês tiveram muito trabalho ao procurar minhas moedas. Vamos contá-las
e ter certeza que encontramos todas elas. Se todas foram encontradas,
continuar. Se algumas ainda estiverem perdidas, pedir que as crianças
procurem até achá-las.
Após a contagem pergunte as crianças:
• Como você se sente quando acha uma moeda?
• O que você faz quando perde alguma coisa?
• O que faz quando encontra alguma coisa que perdeu?
• Como se sente quando não consegue encontrar o que perdeu?
Da mesma forma como moedas perdidas são importantes e preciosas para
nós: Somos importantes e preciosos para Deus.

Estudo da Bíblia - Lucas 15:8-10 (ler a história com as crianças)

A história de hoje fala de uma mulher que perde UMA de suas 10 moedas.
Ela procura por todo o lugar, até que a encontra. Ela fica tão feliz em ter
achado sua moeda que conta para todos os seus amigos e pede para eles
virem e celebrarem com ela.
Deus nos ama tanto que Ele está constantemente nos procurando e nos
salvando, para que possamos celebrar e viver com Ele para sempre.
Essa parábola, assim como a da Ovelha Perdida, descreve a perda de
alguma coisa. A ovelha perdida sabe que está perdida, deixou o pastor e o
rebanho, e não pode salvar-se por si... A dracma perdida representa os que
estão perdidos, mas não estão conscientes de sua condição. Nesta parábola,
Cristo ensina que mesmo os que são inconscientes precisam ser procurados
para serem reconduzidos a Deus. "

Em seguida faça algumas perguntas, como: O que a mulher perdeu? O que


ela fez para encontrar o que perdera? Após as respostas dos alunos
enfatize: Nós somos como a moeda. E Deus é como a mulher. As pessoas
que não conhecem a Deus estão perdidas para Ele. Mas Deus nos ama tanto
que continua procurando por aqueles que estão perdidos. Ele deseja que
essas pessoas Lhe pertençam e vivam com Ele no Céu. Por isso, Ele não
pára de procurar essas pessoas que estão perdidas.
A história que Jesus contou sobre a moeda perdida realmente nos fala que
cada pessoa é importante e preciosa para Deus. As moedas representam
pessoas, como vocês e eu.

Teatro
Vocês vão representar a mulher em nossa história de hoje. À medida que eu
for contando a história, vocês farão a encenação.
Uma mulher possuía dez moedas de prata. Elas eram muito preciosas para
ela, por isso cuidava bem delas. Certo dia, ela percebeu que uma delas
estava faltando. Para ter certeza disso, ela verificou de novo. Ela as contou.
E verificou que havia apenas nove! Quando a mulher percebeu que sua
moeda estava perdida em algum lugar da sua casa, primeiro ela acendeu a
luz para clarear o ambiente e depois começou a procurar muito
cuidadosamente em cada cantinho da casa. E então, depois de muito
procurar e não achar, ela pegou uma vassoura e varreu cuidadosamente a
casa inteira, procurando atentamente por sua moeda. Primeiro varreu uma
parte da casa, depois a outra, sempre com muita atenção, ela varria muito
bem o piso enquanto procurava por sua moeda. De repente ela viu alguma
coisa brilhando no chão e se abaixou para olhar. E ali estava sua moeda! Ela
ficou tão feliz que correu para contar a suas amigas e vizinhas dizendo:
Encontrei minha moeda perdida. Venham comemorar comigo.

Seguem abaixo os modelos de Dracmas e Talentos:

FEIRA DOS TALENTOS - Culminância da Gincana dos Talentos

Foi maravilhoso ver os alunos correndo para tentar comprar tudo o que queriam com as
dracmas e talentos que conseguiram ganhar durante os 4 meses de gincana.

VOLTAR
Estante Organizadora
Fonte: Luciana Alencar
VOLTAR

Mural Dos Componentes Da Classe


Fonte: Luciana Alencar

VOLTAR
Mural Ajudante Da Tia
Fonte: Luciana Alencar

Mural em E.V.A. e T.N.T. (cortina)


Para Ajudante do Dia. Ótima sugestão
Para incentivar seus alunos e o melhor
Fonte: Luciana Alencar

Prática sugestão de mural para


Aniversariantes do Mês feito em E.V.A.

Potes Organizadores VOLTAR


Fonte: Luciana Alencar

Prática sugestão de Potes Organizadores


Encapados com E.V.A. para guardar os
Materiais dos seus alunos.

Оценить