Вы находитесь на странице: 1из 2

Faculdade Batista do Cariri

Disciplina: Metodologia do Trabalho Científico


Trabalho: Resumo
Professor: Pr Marcos Paulo
Aluno: José de Assunção Junior

A Espiral Hermenêutica, de Grant R. Osborne, tem como objetivo oferecer um


panorama abrangente dos princípios de interpretação que regem a leitura da Bíblia. O autor
toma como metáfora o seu desejo de ensinar seus leitores "a prepararem uma refeição de alta
qualidade com a Palavra de Deus, de modo que possam fornecer alimento sólido para as pessoas
que estiverem sob os seus cuidados", sejam eles pastores ou professores. Ele parte da ideia de
que "para o verdadeiro cristão, há pouquíssimas coisas tão importantes quanto estudar com
seriedade a Palavra de Deus".
Ele afirma que o empreendimento hermenêutico tem três aspectos básicos: é uma
ciência, pois faz classificações lógicas e ordenadas de certos princípios interpretativos; é uma
arte, pois exige competências que exigem a aplicação criativa dos princípios ao estudo das
passagens; é um ato espiritual, pois exige a dependência do Espírito Santo. Ela é dividida em
três níveis: a busca pelo significado do texto, a exegese, o que o texto significa para o leitor, o
devocional, e o ensino do significado do texto, a homilética, e as três são necessárias para o
sucesso no processo de estudo das Escrituras.
O livro é dividido em três partes: hermenêutica geral, análise de gênero e hermenêutica
aplicada. A primeira parte é subdividida nos capítulos “Contexto”, “Gramática”, “Semântica”,
“Sintaxe”, “Pano de Fundo Histórico e Cultural”, que tratam de como extrair o significado do
funcionamento das palavras escritas baseados no idioma original, identidade cultural da época,
construção de frases e concordância das orações, deixando bem claro tudo o que cada frase quer
dizer.
A segunda parte tem como objetivo explicar as aplicações dos princípios explicados nos
primeiros capítulos, encontrados no cânon bíblico. O autor afirma que o gênero é um fator
interpretativo de suma importância, pois o contexto pode ser totalmente diferente em um texto
apocalíptico ou poético. Os capítulos da segunda parte são “Lei do Antigo Testamento”,
“Narrativa”, “Poesia”, “Sabedoria”, “Profecia, “Apocalíptica”, Parábola, “Epístola” e “O
Antigo Testamento no Novo Testamento”, e descrevem todos os gêneros narrativos comumente
utilizados nas escrituras bíblicas, aonde cada uma aparece, sua função, contexto e importância
no cânon bíblico, apresentando as tendências de cada autor dos livros da Bíblia.
A terceira parte do livro trata da hermenêutica aplicada, a parte final do processo de
interpretação da Bíblia. Osborne afirma que uma exegese só pode ser considerada completa ao
chegar nessa fase, sendo aplicada e contextualizada para a sociedade atual de forma
compreensiva. Ela é dividida nos capítulos “Teologia Sistemática”, “Homilética 1:
Contextualização” e “Homilética 2: Sermão”, que apresentam o que é essencial para a
contextualização e o desenvolvimento de sermões bíblicos que reflitam a vida do pregador, uma
vez que “A Escritura não deve ser apenas aprendida; ela deve ser crida e depois proclamada”
(p. 530).
Sendo assim, conclui-se que o livro é uma obra indispensável para o aprendizado da
pregação bíblica. A densidade de informações, referências bibliográficas e a experiência do
autor fazem com que a obra seja completa, rica e apropriada para estudantes e pastores.