Вы находитесь на странице: 1из 13

PRINCÍPIOS DE

MACROECONOMIA
TRADUÇÃO DA 5a EDIÇÃO NORTE-AMERICANA

N. GREGORY MANKIW
Universidade de Harvard

Tradução:
Allan Vidigal Hastings
Elisete Paes e Lima

Revisão Técnica:
Carlos Roberto Martins Passos (in memoriam)
Manuel José Nunes Pinto
Economista, com especialização em Finanças e Economia de Empresas,
é mestre em Administração. Ex-reitor do Centro Universitário da Fecap,
atualmente é coordenador de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Faculdade de Economia da Faap.

Austrália • Brasil • Japão • Coreia • México • Cingapura • Espanha • Reino Unido • Estados Unidos

macro_0.indd III 23.09.09 17:28:38


PREFÁCIO: PARA O ESTUDANTE

“Economia é o estudo da humanidade nos afazeres cotidianos.” Assim escreveu Alfred Marshall, o grande
economista do século XIX, em seu livro Princípios de economia. Embora tenhamos aprendido muito sobre
economia desde a época de Alfred Marshall, essa definição é tão verdadeira hoje quanto o foi em 1890,
quando a primeira edição do livro foi publicada.
Por que você, como aluno de economia no início do século XXI, deve se envolver no estudo desse assun-
to? Existem três razões.
A primeira é que isso o ajudará a entender o mundo em que vive. Há muitas perguntas sobre economia
que poderão aguçar sua curiosidade. Por que é tão difícil encontrar apartamentos em Nova York? Por que as
companhias aéreas cobram menos por uma passagem de ida e volta se a pessoa passa a noite de sábado no
destino? Por que o cachê de Johnny Depp é tão alto nos filmes em que atua? Por que o padrão de vida é tão
baixo em muitos países africanos? Por que alguns países têm altas taxas de inflação, enquanto outros têm
preços estáveis? Por que é fácil conseguir emprego em determinadas épocas e tão difícil em outras? Essas
são apenas algumas das perguntas que um curso de economia ajuda a responder.
A segunda razão é que você pode se tornar um participante mais perspicaz na economia. Na vida diária,
você toma muitas decisões econômicas. Como aluno, decide quantos anos permanecer na escola. Depois
que consegue emprego, decide quanto gastar, quanto economizar e como investir sua poupança. Algum dia,
você poderá dirigir um pequeno negócio ou uma grande empresa e terá de decidir que preços cobrar pelos
produtos que oferece. As ideias desenvolvidas neste livro apresentam novas perspectivas sobre como tomar
essas decisões. Você não ficará rico apenas com o estudo de economia, mas terá algumas ferramentas que
poderão ajudá-lo neste empreendimento.
A terceira razão é que o estudo de economia proporcionará melhor entendimento sobre o potencial e
sobre os limites da política econômica. As questões econômicas estão sempre na mente dos formuladores
de políticas em todas as esferas do governo: municipal, estadual e federal. Quais são os ônus associados a
formas alternativas de tributação? Quais os efeitos do livre comércio com outros países? Qual a melhor
forma de proteger o meio ambiente? De que forma o déficit orçamentário do governo afeta a economia?
Como eleitor, você ajuda a escolher as políticas que orientam a alocação de recursos da sociedade. Entender
economia ajuda a pôr em prática essa responsabilidade. Quem sabe um dia você mesmo poderá ser um
formulador de políticas.
Portanto, os princípios de economia podem ser aplicados a muitas situações da vida. Se, no futuro,
você estiver lendo um jornal, dirigindo um negócio, ou administrando o país, ficará satisfeito por ter estu-
dado economia.

N. Gregory Mankiw
Setembro de 2008

macro_0.indd IX 23.09.09 17:28:42


SUMÁRIO

PARTE 1 Conclusão 16
INTRODUÇÃO 1 Resumo 17
Conceitos-Chave 17
CAPÍTULO 1 Questões para Revisão 17
Problemas e Aplicações 17
DEZ PRINCÍPIOS DE ECONOMIA 3
Como as Pessoas Tomam Decisões 4
Princípio 1: As Pessoas Enfrentam Tradeoffs 4 CAPÍTULO 2
Princípio 2: O Custo de Alguma Coisa É
Aquilo de que Você Desiste para Obtê-la 5 PENSANDO COMO UM ECONOMISTA 21
Princípio 3: As Pessoas Racionais Pensam na O Economista Como Cientista 22
Margem 6 O Método Científico: Observação, Teoria e
Princípio 4: As Pessoas Reagem a Mais Observação 22
Incentivos 7 O Papel das Hipóteses 23
Como as Pessoas Interagem 8 Modelos Econômicos 23
Princípio 5: O Comércio Pode Ser Bom para Nosso Primeiro Modelo: O Diagrama do Fluxo
Todos 8 Circular 24
Princípio 6: Os Mercados São Geralmente Nosso Segundo Modelo: A Fronteira de
uma Boa Maneira de Organizar a Atividade Possibilidades de Produção 25
Econômica 8 Microeconomia e Macroeconomia 27
NOTÍCIAS: Incentivo no Pagamento SAIBA MAIS SOBRE: Quem Estuda
Princípio 7: Às Vezes os Governos Podem Economia?
Melhorar os Resultados dos Mercados 10
O Economista como Conselheiro de
SAIBA MAIS SOBRE: Adam Smith e a Mão
Políticas 29
Invisível
Análise Positiva versus Análise Normativa 29
Como a Economia Funciona 12 Economistas em Washington 30
Princípio 8: O Padrão de Vida de um País Por que nem Sempre os Conselhos dos
Depende de Sua Capacidade de Produzir Economistas São Seguidos 31
Bens e Serviços 12 NOTÍCIAS: A Economia do Futebol Americano
Princípio 9: Os Preços Sobem Quando o
Governo Emite Moeda Demais 13 Por que os Economistas Divergem 32
Divergências quanto ao Julgamento
Princípio 10: A Sociedade Enfrenta um
Científico 33
Tradeoff de Curto Prazo entre Inflação e
Desemprego 13 Divergências Quanto a Valores 34
NOTÍCIAS: Por que Estudar Economia Percepção e Realidade 34
SAIBA MAIS SOBRE: Como Ler Este Vamos em Frente 35
Livro NOTÍCIAS: Economia Ambiental

macro_0.indd XV 23.09.09 17:28:43


XVI SUMÁRIO

Resumo 37 PARTE 2
Conceitos-Chave 37 OFERTA E DEMANDA I:
Questões para Revisão 37 COMO FUNCIONAM
Problemas e Aplicações 38 OS MERCADOS 63
Apêndice Gráficos: Uma Breve Revisão 40
Gráficos de Uma só Variável 40 CAPÍTULO 4
Gráficos de Duas Variáveis: O Sistema de
Coordenadas 41 AS FORÇAS DE MERCADO DA OFERTA
Curvas no Sistema de Coordenadas 42 E DA DEMANDA 65
Inclinação 44
Mercados e Competição 66
Causa e Efeito 46 O que É Mercado 66
O que É Competição 66
Demanda 67
CAPÍTULO 3 A Curva de Demanda: A Relação entre Preço e
INTERDEPENDÊNCIA E GANHOS Quantidade Demandada 67
Demanda de Mercado versus Demanda
COMERCIAIS 49
Individual 68
Uma Parábola para a Economia Moderna 50 Deslocamentos da Curva de Demanda 69
Possibilidades de Produção 50 ESTUDO DE CASO: Duas Maneiras de
Especialização e Comércio 52 Reduzir a Quantidade Demandada
de Tabaco
Vantagem Comparativa: a Força Motriz da
Especialização 54 Oferta 73
Vantagem Absoluta 54 A Curva de Oferta: A Relação entre Preço e
Custo de Oportunidade e Vantagem Quantidade Ofertada 73
Comparativa 54 Oferta do Mercado versus Oferta
Vantagem Comparativa e Comércio 55 Individual 74
SAIBA MAIS SOBRE: O Legado de Adam Deslocamentos da Curva de Oferta 74
Smith e David Ricardo Oferta e Demanda Reunidas 76
O Preço do Comércio 57 Equilíbrio 76
Aplicações da Vantagem Comparativa 57 Três Passos para Analisar Mudanças do
Tiger Woods Deve Cortar sua Própria Equilíbrio 79
Grama? 57 NOTÍCIAS: O Mercado de Gás Hélio
Os Estados Unidos Devem Comerciar com
Conclusão: Como os Preços Alocam
Outros Países? 58
Recursos 83
NOTÍCIAS: As Mudanças no Comércio
Internacional NOTÍCIAS: Preços Aumentam Após
Desastres Naturais
Conclusão 59
Resumo 85
Resumo 60
Conceitos-Chave 86
Conceitos-Chave 60
Questões para Revisão 86
Questões para Revisão 60
Problemas e Aplicações 87
Problemas e Aplicações 60

macro_0.indd XVI 23.09.09 17:28:44


SUMÁRIO XVII

CAPÍTULO 5 ESTUDO DE CASO: Filas nas Bombas de


Gasolina
ELASTICIDADE E SUA APLICAÇÃO 89 ESTUDO DE CASO: Controle de Aluguéis
A Elasticidade da Demanda 90 no Curto e no Longo Prazos
A Elasticidade-Preço da Demanda e Seus Como os Preços Mínimos Afetam os
Determinantes 90 Resultados de Mercado 116
Calculando a Elasticidade-Preço da ESTUDO DE CASO: O Salário Mínimo
Demanda 91 NOTÍCIAS: Presidente Cháves versus o
O Método do Ponto Médio: Uma Maneira Mercado
Melhor de Calcular Variações Percentuais e Avaliando o Controle de Preços 120
Elasticidades 91
Impostos 121
A Variedade das Curvas de Demanda 92
Como os Impostos Cobrados dos Vendedores
Receita Total e Elasticidade-Preço da
Afetam os Resultados de Mercado 122
Demanda 94
Como os Impostos Cobrados dos Compradores
Elasticidade e Receita Total ao Longo de uma
Afetam os Resultados de Mercado 123
Curva de Demanda Linear 96
ESTUDO DE CASO: O Congresso Pode
NOTÍCIAS: Demanda de Energia
Distribuir o Ônus de um Imposto sobre a
Outras Elasticidades da Demanda 98 Folha de Pagamento?
A Elasticidade da Oferta 99 Elasticidade e Incidência Tributária 126
A Elasticidade-Preço da Oferta e Seus ESTUDO DE CASO: Quem Paga os
Determinantes 99 Impostos sobre Bens de Luxo?
Calculando a Elasticidade-Preço da Oferta 99
Conclusão 128
A Variedade das Curvas de Oferta 100
Resumo 128
Três Aplicações da Oferta, da Demanda e da
Conceitos-Chave 129
Elasticidade 102
Boas Notícias para a Agricultura Podem Ser Questões para Revisão 129
Más Notícias para os Agricultores? 102 Problemas e Aplicações 129
Por Que a Opep Não Conseguiu Manter
Elevado o Preço do Petróleo? 104
A Política de Proibição das Drogas Aumenta ou
PARTE 3
Diminui os Crimes Relacionados a Elas? 105 OFERTA E DEMANDA II:
MERCADOS E BEM-ESTAR 133
Conclusão 107
Resumo 107
Conceitos-Chave 108 CAPÍTULO 7
Questões para Revisão 108
CONSUMIDORES, PRODUTORES E
Problemas e Aplicações 108
EFICIÊNCIA DOS MERCADOS 135
Excedente do Consumidor 136
CAPÍTULO 6 Disposição para Pagar 136
Usando a Curva de Demanda para Medir o
OFERTA, DEMANDA E POLÍTICAS DO
Excedente do Consumidor 137
GOVERNO 111 Como um Preço Baixo Eleva o Excedente do
Controle de Preços 112 Consumidor 138
Como os Preços Máximos Afetam os O que o Excedente do Consumidor
Resultados do Mercado 112 Mede? 139

macro_0.indd XVII 23.09.09 17:28:44


XVIII SUMÁRIO

Excedente do Produtor 140 Conceito-Chave 168


Custo e Disposição para Vender 140 Questões para Revisão 168
Uso da Curva de Oferta para Medir o
Problemas e Aplicações 168
Excedente do Produtor 141
Como um Preço Mais Alto Aumenta o
Excedente do Produtor 142
Eficiência de Mercado 143
CAPÍTULO 9
O Planejador Social Benevolente 144 APLICAÇÃO: COMÉRCIO
Avaliação do Equilíbrio de Mercado 145 INTERNACIONAL 171
NOTÍCIAS: Especulação de Ingressos
Os Determinantes do Comércio 172
ESTUDO DE CASO: Deveria Haver um
O Equilíbrio sem Comércio 172
Mercado de Órgãos Humanos?
Preço Mundial e Vantagem Comparativa 173
NOTÍCIAS: O Milagre do Mercado
Os Ganhadores e Perdedores no Comércio
Conclusão: Eficiência e Falha de Internacional 173
Mercado 150 Ganhos e Perdas de um País Exportador 174
Resumo 151 Ganhos e Perdas de um País Importador 175
Conceitos-Chave 151 Os Efeitos de uma Tarifa 177
Questões para Revisão 152 SAIBA MAIS SOBRE: Cotas de Importação:
Outro Modo de Restringir o Comércio
Problemas e Aplicações 152
Lições para a Política Comercial 179
Outros Benefícios do Comércio
Internacional 180
CAPÍTULO 8 NOTÍCIAS: Os Ganhadores do Livre
APLICAÇÃO: OS CUSTOS DA Comércio Devem Compensar os Perdedores?
TRIBUTAÇÃO 155 Os Argumentos em Favor da Restrição ao
Comércio 182
O Peso Morto dos Impostos 156 O Argumento dos Empregos 182
Como um Imposto Afeta os Participantes do O Argumento da Segurança Nacional 182
Mercado 156
NOTÍCIAS: Terceirização a Longa Distância
Peso Morto e Ganhos Comerciais 159 (Offshore Outsourcing)
Determinantes do Peso Morto 160 NOTÍCIAS: Avaliando o Livre Comércio
ESTUDO DE CASO: O Debate sobre o Peso O Argumento da Indústria Nascente 184
Morto O Argumento da Competição Desleal 186
O Peso Morto e a Receita Fiscal Conforme os O Argumento da Proteção como Instrumento
Impostos Variam 163 de Barganha 186
ESTUDO DE CASO: A Curva de Laffer e a ESTUDO DE CASO: Acordos Comerciais e a
Economia do Lado da Oferta Organização Mundial do Comércio
SAIBA MAIS SOBRE: Henry George e o
Conclusão 187
Imposto Territorial
NOTÍCIAS: A Caminho da França Resumo 188
Conceitos-Chave 188
Conclusão 167
Questões para Revisão 189
Resumo 167
Problemas e Aplicações 189

macro_0.indd XVIII 23.09.09 17:28:45


SUMÁRIO XIX

PARTE 4 CAPÍTULO 11
DADOS MEDINDO O CUSTO DE VIDA 215
MACROECONÔMICOS 193
O Índice de Preços ao Consumidor 216
Como É Calculado o Índice de Preços ao
CAPÍTULO 10 Consumidor 216
MEDINDO A RENDA NACIONAL 195 Problemas no Cálculo do Custo de Vida 218
SAIBA MAIS SOBRE: O Que Há na Cesta
Renda e Despesa da Economia 196 do IPC?
Mensuração do Produto Interno Bruto 197 NOTÍCIAS: Contabilizando a Mudança na
“PIB É o Valor de Mercado...” 198 Qualidade
“...de Todos...” 198 O Deflator do PIB versus o Índice de Preços ao
“...os Bens e Serviços...” 198 Consumidor 221
“...Finais...” 198 Corrigindo as Variáveis Econômicas dos
“...Produzidos...” 199 Efeitos da Inflação 222
“...em um País...” 199 Valores Monetários em Diferentes Épocas 223
“...em um Dado Período de Tempo” 199 Indexação 224
SAIBA MAIS SOBRE: O Sr. Índice Vai a
Os Componentes do PIB 200
Hollywood
Consumo 200
Taxas de Juros Reais e Nominais 225
Investimento 200
ESTUDO DE CASO: As Taxas de Juros da
SAIBA MAIS SOBRE: Outras Medidas de
Economia Norte-Americana
Renda
Compras do Governo 201 Conclusão 227
Exportações Líquidas 202 Resumo 227
ESTUDO DE CASO: Os Componentes do Conceitos-Chave 228
PIB dos Estados Unidos
Questões para Revisão 228
PIB Real versus PIB Nominal 203 Problemas e Aplicações 228
Um Exemplo Numérico 203
O Deflator do PIB 205
ESTUDO DE CASO: O PIB Real na História PARTE 5
Recente A ECONOMIA REAL NO
PIB e Bem-Estar Econômico 207 LONGO PRAZO 231
NOTÍCIAIS: A Economia Subterrânea
ESTUDO DE CASO: Diferenças
Internacionais no PIB e na Qualidade CAPÍTULO 12
de Vida PRODUÇÃO E CRESCIMENTO 233
Conclusão 210
Crescimento Econômico ao Redor do
SAIBA MAIS SOBRE: Quem Ganha nas
Mundo 234
Olimpíadas?
Produtividade: Seu Papel e Seus
Resumo 211
Determinantes 235
Conceitos-Chave 212 SAIBA MAIS SOBRE: Uma Imagem Vale
Questões para Revisão 212 Mais que Mil Estatísticas
Problemas e Aplicações 212 SAIBA MAIS SOBRE: Você É Mais Rico do
que o Norte-Americano Mais Rico?

macro_0.indd XIX 23.09.09 17:28:46


XX SUMÁRIO

Por que a Produtividade É tão Poupança e Investimento nas Contas da


Importante 238 Renda Nacional 264
Como a Produtividade É Determinada 239 Algumas Identidades Importantes 265
SAIBA MAIS SOBRE: A Função de O Significado da Poupança e do
Produção Investimento 266
ESTUDO DE CASO: Os Recursos Naturais O Mercado de Fundos Disponíveis para
São uma Limitação ao Crescimento? Empréstimos 267
NOTÍCIAS: Medindo o Capital Oferta e Demanda de Fundos para
Crescimento Econômico e Políticas Empréstimos 267
Públicas 243 Política 1: Incentivos à Poupança 269
Poupança e Investimento 244 Política 2: Incentivos ao Investimento 270
Rendimentos Decrescentes e o Efeito de NOTÍCIAS: Em Louvor aos Avarentos
Alcance 244 Política 3: Déficits e Superávits Orçamentários
Investimento Estrangeiro 246 do Governo 272
Educação 246 ESTUDO DE CASO: A História da Dívida
NOTÍCIAS: A Promoção do Capital Humano Pública dos Estados Unidos
Saúde e Nutrição 248 Conclusão 276
Direitos de Propriedade e Estabilidade Resumo 276
Política 249
Conceitos-Chave 277
Livre-Comércio 250
Questões para Revisão 277
Pesquisa e Desenvolvimento 250
Crescimento Populacional 251 Problemas e Aplicações 277
NOTÍCIAS: Fugindo de Malthus
Conclusão: A Importância do Crescimento
no Longo Prazo 255 CAPÍTULO 14
Resumo 255 AS FERRAMENTAS BÁSICAS DAS
Conceitos-Chave 256 FINANÇAS 279
Questões para Revisão 256 Valor Presente: Medindo o Valor do Dinheiro
Problemas e Aplicações 256 no Tempo 280
SAIBA MAIS SOBRE: A Mágica da
Composição e a Regra de 70
CAPÍTULO 13 Administrando o Risco 282
Aversão ao Risco 282
POUPANÇA, INVESTIMENTO E SISTEMA
Os Mercados de Seguros 283
FINANCEIRO 259 SAIBA MAIS SOBRE: As Peculiaridades do
Instituições Financeiras na Economia dos Seguro Saúde
Estados Unidos 260 Diversificação do Risco Específico da
Mercados Financeiros 260 Empresa 284
Intermediários Financeiros 262 O Tradeoff entre Risco e Retorno 286
SAIBA MAIS SOBRE: Números Avaliação de Ativos 287
Importantes para os Observadores do Análise Fundamentalista 287
Mercado de Ações A Hipótese dos Mercados Eficientes 288
Juntando Tudo 264

macro_0.indd XX 23.09.09 17:28:46


SUMÁRIO XXI

ESTUDO DE CASO: Passeios Aleatórios e Saúde do Trabalhador 313


Fundos de Índice Rotatividade do Trabalhador 314
NOTÍCIAS: Neurofinanças Qualidade do Trabalhador 314
Irracionalidade do Mercado 290 Esforço do Trabalhador 314
Conclusão 292 ESTUDO DE CASO: Henry Ford e o Salário
Extremamente Generoso de $ 5 por dia
Resumo 292
Conclusão 315
Conceitos-Chave 292
Resumo 316
Questões para Revisão 293
Conceitos-Chave 316
Problemas e Aplicações 293
Questões para Revisão 316
Problemas e Aplicações 317
CAPÍTULO 15
DESEMPREGO E SUA TAXA NATURAL 295
PARTE 6
Identificando o Desemprego 296
Como se Mede o Desemprego? 296
MOEDA E PREÇOS NO LONGO
ESTUDO DE CASO: Participação de PRAZO 319
Homens e Mulheres na Força de Trabalho na
Economia Norte-Americana
CAPÍTULO 16
A Taxa de Desemprego Mede o que
Queremos? 300 O SISTEMA MONETÁRIO 321
Por quanto Tempo os Desempregados Ficam O Significado da Moeda 322
Sem Trabalho? 301 As Funções da Moeda 322
NOTÍCIAS: O Aumento do Desemprego Tipos de Moeda 323
Entre Homens Adultos
NOTÍCIAS: Lições Monetárias
Por que Sempre Há Algumas Pessoas do Iraque
Desempregadas? 302
Moeda na Economia Americana 325
SAIBA MAIS SOBRE: Os Números do
SAIBA MAIS SOBRE: Cartões de Crédito,
Trabalho
Cartões de Débito e Moeda
Procura de Emprego 305 ESTUDO DE CASO: Onde Está a Moeda
Por que o Desemprego Friccional é Corrente?
Inevitável 305
O Sistema do Federal Reserve 328
NOTÍCIAS: Políticas de Desemprego nos
A Organização do Fed 328
Estados Unidos e na Europa
A Comissão Federal do Mercado
Política Pública e Procura de Emprego 307
Aberto 329
Seguro-Desemprego 308
Os Bancos e a Oferta de Moeda 329
Legislação do Salário Mínimo 309 O Caso Simples do Sistema de 100% de
Sindicatos e Negociação Coletiva 310 Reserva Bancária 330
SAIBA MAIS SOBRE: Quem Recebe o Criação de Moeda por Meio do Sistema de
Salário Mínimo? Reservas Bancárias Fracionárias 330
A Economia dos Sindicatos 311 O Multiplicador da Moeda 331
Os Sindicatos São Benéficos ou Prejudiciais à Os Instrumentos de Controle Monetário do
Economia? 312 Fed 333
A Teoria dos Salários de Eficiência 313 NOTÍCIAS: A Crise Financeira de 2008

macro_0.indd XXI 23.09.09 17:28:47


XXII SUMÁRIO

Problemas com o Controle da Oferta de Um Custo Especial da Inflação Inesperada:


Moeda 335 Redistribuições Arbitrárias de
ESTUDO DE CASO: Corridas aos Bancos e a Riqueza 358
Oferta de Moeda ESTUDO DE CASO: O Mágico de Oz e o
A Taxa de Fundos Federais 337 Debate da Prata Livre
Conclusão 338 Conclusão 360
Resumo 338 Resumo 360
Conceitos-Chave 339 Conceitos-Chave 361
Questões para Revisão 339 Questões para Revisão 361
Problemas e Aplicações 339 Problemas e Aplicações 361

PARTE 7
CAPÍTULO 17 A MACROECONOMIA DAS
ECONOMIAS ABERTAS 365
CRESCIMENTO DA MOEDA E
INFLAÇÃO 341
CAPÍTULO 18
A Teoria Clássica da Inflação 342
O Nível de Preços e o Valor da
MACROECONOMIA DAS ECONOMIAS
Moeda 342 ABERTAS: CONCEITOS BÁSICOS 367
Oferta de Moeda, Demanda de Moeda e
Os Fluxos Internacionais de Bens e
Equilíbrio Monetário 343
Capital 368
Os Efeitos de Uma Injeção de Moeda 345 O Fluxo de Bens: Exportações, Importações e
Uma Breve Olhada no Processo de Exportações Líquidas 368
Ajuste 345 ESTUDO DE CASO: A Crescente Abertura
A Dicotomia Clássica e a Neutralidade da Economia dos Estados Unidos
Monetária 346 NOTÍCIAS: Quebrando a Cadeia de
Velocidade e Equação Quantitativa 348 Produção
ESTUDO DE CASO: Moeda e Preços O Fluxo de Recursos Financeiros: Fluxo
Durante Quatro Hiperinflações Líquido de Capitais Externos 372
O Imposto Inflacionário 350 Igualdade das Exportações Líquidas e
O Efeito Fisher 351 Investimento Externo Líquido 373
NOTÍCIAS: Receita Para um Desastre Poupança, Investimento e Sua Relação com os
Econômico Fluxos Internacionais 374
Os Custos da Inflação 354 Juntando Tudo 375
Queda no Poder Aquisitivo? A Falácia da ESTUDO DE CASO: O Déficit Comercial dos
Inflação 354 Estados Unidos É um Problema Nacional?
Custos de Sola de Sapato 354 Os Preços das Transações Internacionais:
Custos de Menu 355 Taxas de Câmbio Real e Nominal 378
Variabilidade dos Preços Relativos e a Taxa de Câmbio Nominal 378
Alocação Distorcida de Recursos 356 SAIBA MAIS SOBRE: O Euro
Distorções Tributárias Induzidas pela Taxa de Câmbio Real 380
Inflação 356 NOTÍCIAS: Como um Dólar Fraco
Confusão e Inconveniência 358 Impulsiona as Exportações

macro_0.indd XXII 23.09.09 17:28:47


SUMÁRIO XXIII

Uma Primeira Teoria da Determinação da ESTUDO DE CASO: Investimento de Capital


Taxa de Câmbio: Paridade do Poder de Chinês
Compra 382
Conclusão 408
A Lógica Fundamental da Paridade do Poder
de Compra 382 Resumo 409
Implicações da Paridade do Poder de Conceitos-Chave 409
Compra 383 Questões para Revisão 409
ESTUDO DE CASO: A Taxa de Câmbio
Problemas e Aplicações 410
Nominal Durante uma Hiperinflação
Limitações da Paridade do Poder de
Compra 384 PARTE 8
ESTUDO DE CASO: O Padrão Hambúrguer FLUTUAÇÕES ECONÔMICAS NO
Conclusão 387 CURTO PRAZO 413
Resumo 387
Conceitos-Chave 387 CAPÍTULO 20
Questões para Revisão 388 DEMANDA AGREGADA E OFERTA
Problemas e Aplicações 388 AGREGADA 415
Três Fatos-Chaves sobre as Flutuações
Econômicas 416
Fato 1: As Flutuações Econômicas São
CAPÍTULO 19
Irregulares e Imprevisíveis 416
TEORIA MACROECONÔMICA DA ECONOMIA Fato 2: A Maioria das Variáveis
ABERTA 391 Macroeconômicas Flutua
Conjuntamente 416
Oferta e Demanda de Fundos para
Fato 3: Com a Queda na Produção, o
Empréstimos e de Câmbio 392
Desemprego Cresce 418
O Mercado de Fundos de Empréstimo 392
O Mercado de Câmbio de Moeda Explicando as Flutuações Econômicas no
Estrangeira 394 Curto Prazo 418
SAIBA MAIS SOBRE: Paridade de Poder de Pressupostos da Economia Clássica 418
Compra como um Caso Especial NOTÍCIAS: Indicadores Incomuns
Equilíbrio na Economia Aberta 396 A Realidade das Flutuações no Curto
Investimento Externo Líquido: O Elo entre os Prazo 420
Dois Mercados 397 O Modelo de Demanda Agregada e Oferta
Equilíbrio Simultâneo nos Dois Mercados 398 Agregada 420
SAIBA MAIS SOBRE: Desembaraçando A Curva de Demanda Agregada 421
Oferta e Demanda Por que a Curva de Demanda Agregada Tem
Inclinação Negativa 422
Como Políticas e Eventos Afetam uma
Economia Aberta 400 Por que a Curva de Demanda Agregada se
Déficits Orçamentários do Governo 400 Desloca 424
NOTÍCIAS: Qual É a Causa do Déficit NOTÍCIAS: O Estímulo Fiscal de 2008
Comercial dos Estados Unidos? A Curva de Oferta Agregada 426
Política Comercial 402 Por que a Curva de Oferta Agregada É Vertical
Instabilidade Política e Fuga de Capitais 405 no Longo Prazo 427

macro_0.indd XXIII 23.09.09 17:28:48


XXIV SUMÁRIO

Por que a Curva de Oferta Agregada de Longo SAIBA MAIS SOBRE: Taxas de Juros no
Prazo se Desloca 427 Longo e Curto Prazos
O Uso da Demanda e da Oferta Agregada Variações na Oferta de Moeda 457
Para Representar o Crescimento e a Oferta O Papel das Metas de Taxas de Juros na
de Longo Prazo 430 Política do Fed 457
Por que a Curva de Oferta Agregada Tem NOTÍCIAS: O FOMC Apresenta Explicações
Inclinação Positiva no Curto Prazo 430 ESTUDO DE CASO: Por que o Fed Fica de
Por que a Curva de Oferta Agregada de Curto Olho no Mercado de Ações (e Vice-Versa)
Prazo se Desloca 434
Como a Política Fiscal Influencia a Demanda
Duas Causas das Flutuações Agregada 460
Econômicas 435 Alterações nas Compras do Governo 461
Os Efeitos de um Deslocamento na Demanda O Efeito Multiplicador 461
Agregada 436
Uma Fórmula para o Multiplicador de
SAIBA MAIS SOBRE: Neutralidade Despesas 462
Monetária Revisitada
Outras Aplicações do Efeito Multiplicador 463
ESTUDO DE CASO: Dois Grandes
O Efeito Deslocamento 463
Deslocamentos na Demanda Agregada:
SAIBA MAIS SOBRE: Como a Política Fiscal
A Grande Depressão e a Segunda Guerra
Pode Afetar a Oferta Agregada
Mundial
Alterações nos Impostos 465
ESTUDO DE CASO: A Recessão de 2001
Os Efeitos de um Deslocamento na Oferta Usando a Política para Estabilizar a
Agregada 441 Economia 466
ESTUDO DE CASO: O Petróleo e a A Favor da Política Ativa de Estabilização 466
Economia ESTUDO DE CASO: Keynesianos na Casa
SAIBA MAIS SOBRE: As Origens da Branca
Demanda Agregada e da Oferta Agregada O Caso Contra uma Política Ativa de
Estabilização 468
Conclusão 445
Estabilizadores Automáticos 469
Resumo 445
Conclusão 469
Conceitos-Chave 446
Resumo 470
Questões para Revisão 446
Conceitos-Chave 470
Problemas e Aplicações 447
Questões para Revisão 471
Problemas e Aplicações 471

CAPÍTULO 21
A INFLUÊNCIA DAS POLÍTICAS MONETÁRIA CAPÍTULO 22
E FISCAL SOBRE A DEMANDA O TRADEOFF ENTRE INFLAÇÃO E
AGREGADA 451 DESEMPREGO NO CURTO PRAZO 475
Como a Política Monetária Influencia a A Curva de Phillips 476
Demanda Agregada 452 Origens da Curva de Phillips 476
A Teoria da Preferência pela Liquidez 453 Demanda Agregada, Oferta Agregada e a
A Inclinação Negativa da Curva de Demanda Curva de Phillips 477
Agregada 455

macro_0.indd XXIV 23.09.09 17:28:48


SUMÁRIO XXV

Deslocamentos na Curva de Phillips: O Papel Contra: Os Formuladores de Políticas não


das Expectativas 478 Deveriam Tentar Estabilizar a Economia 502
A Curva de Phillips no Longo Prazo 479
A Política Monetária Deveria Ser Feita por
O Significado de “Natural” 480 Regras, e não Discricionariamente? 503
Reconciliando Teoria e Evidência 481 A Favor: A Política Monetária Deveria Ser
A Curva de Phillips de Curto Prazo 482 Feita por Regras 503
O Experimento Natural para a Hipótese da Contra: A Política Monetária Não Deveria Ser
Taxa Natural 483 Feita por Regras 504
Deslocamentos na Curva de Phillips: O Papel O Banco Central Deveria Buscar Inflação
dos Choques de Oferta 485 Zero? 505
NOTÍCIAS: O Retorno da Estagflação? A Favor: O Banco Central Deveria Buscar a
Inflação Zero 505
O Custo de Reduzir a Inflação 489
A Taxa de Sacrifício 489 NOTÍCIAS: Metas de Inflação
Expectativas Racionais e a Possibilidade de Contra: O Banco Central não Deveria Buscar
Desinflação sem Custo 490 Inflação Zero 508
A Desinflação de Volcker 491 O Governo Deveria Equilibrar Seu
A Era Greenspan 492 Orçamento? 509
Os Desafios de Bernanke 493 A Favor: O Governo Deveria Equilibrar Seu
NOTÍCIAS: Gerenciando Expectativas Orçamento 509
Contra: O Governo Não Deveria Equilibrar
Conclusão 495 Seu Orçamento 510
Resumo 496
A Legislação Tributária Deveria Ser
Conceitos-Chave 496 Reformada para Estimular a Poupança? 511
Questões para Revisão 497 A Favor: A Legislação Tributária Deveria Ser
Reformada para Estimular a Poupança 511
Problemas e Aplicações 497
NOTÍCIAS: Lidando com Déficits
Contra: A Legislação Tributária Não
PARTE 9 Deveria Ser Alterada para Estimular a
CONSIDERAÇÕES FINAIS 499 Poupança 514
Conclusão 515

CAPÍTULO 23 Resumo 516


Questões para Revisão 516
CINCO DEBATES SOBRE POLÍTICA
Problemas e Aplicações 517
MACROECONÔMICA 501
O Formuladores de Políticas Monetária
Glossário 519
e Fiscal Deveriam Tentar Estabilizar a
Economia? 502 Índice 523
A Favor: Os Formuladores de Políticas
Deveriam Tentar Estabilizar a Economia 502

macro_0.indd XXV 23.09.09 17:28:49