Вы находитесь на странице: 1из 96

Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 1

LÍNGUA PORTUGUESA

A Gramática
Contextualizada
Copyright©2009 by Centro de Formação de Corretores de Imóveis do Ceará.
Todos os direitos reservados.

Coordenação Editorial
Eloisa Vidal

Projeto Gráfico
Roberto Santos

Revisão
Vessillo Monte

Ícones e ilustrações
Antonio Eli Barbosa
Sumário

Objetivos do Módulo ..............................................................................................5


Unidade 1 – Formas de Expressão . ................................. 7
Objetivos da Unidade......................................................................................................................7
Aprofundando ..................................................................................................................................7
1. O Implícito ............................................................................................................................. 7
2. A Pressuposição ...................................................................................................................8
3. O Subentendido.....................................................................................................................9
4. A Implicatura . .....................................................................................................................9
Refletindo ........................................................................................................................................10
Hora da prática................................................................................................................................ 12
Preparando-se..................................................................................................................................14
Resumo ............................................................................................................................................. 17
Unidade 2 – Ortografia....................................................18
Objetivos da Unidade.................................................................................................................... 18
Aprofundando ................................................................................................................................ 18
1. Orientação Ortográfica para erros grosseiros ...................................................... 20
2. Alguns vocábulos derivados de verbos........................................................................ 22
3. Palavras cuja grafia apresenta dificuldade. ..............................................................23
4. Ortografia.................................................................................................................................23
Hora da prática............................................................................................................................... 25
Aprofundando................................................................................................................................ 25
4. Ortografia (continuação)............................................................................................. 25
Hora da prática................................................................................................................................27
Aprofundando................................................................................................................................ 29
5. Uso de certas palavras e expressões ............................................................................ 29
Resumo .............................................................................................................................................33
Unidade 3 – Estudo da Gramática.................................. 34
Objetivos da Unidade................................................................................................................... 34
Aprofundando ............................................................................................................................... 34
1. Regência Verbal ................................................................................................................ 34
Hora da prática................................................................................................................................35
Aprofundando.................................................................................................................................36
2. Concordância Nominal . .................................................................................................36
Hora da prática................................................................................................................................38
Preparando-se................................................................................................................................. 40
Aprofundando................................................................................................................................ 42
2. cOncOrdâncIA nOmInAl (cOntInuAçãO) ......................................................................... 42
Hora da prática .............................................................................................................................. 43
Preparando-se ................................................................................................................................ 45
Resumo .............................................................................................................................................47
Unidade 4 – Concordância Verbal ................................ 48
Objetivos da Unidade .................................................................................................................. 48
Aprofundando .............................................................................................................................. 48
1. nOrmA fundAmentAl, gerAl Ou básIcA ....................................................................... 48
2. nOrmAs especIAIs............................................................................................................... 48
Hora da prática ............................................................................................................................... 51
Preparando-se ................................................................................................................................ 52
Aprofundando ................................................................................................................................55
3. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO) .........................................................................55
Hora da prática ...............................................................................................................................58
Preparando-se ................................................................................................................................ 59
Aprofundando ................................................................................................................................ 61
4. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO) ......................................................................... 61
Hora da prática ...............................................................................................................................63
Preparando-se ................................................................................................................................ 64
Aprofundando ............................................................................................................................... 66
5. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO) ........................................................................ 66
Hora da prática ...............................................................................................................................68
Preparando-se ................................................................................................................................ 69
Resumo ............................................................................................................................................ 71
Unidade 5 – Crase........................................................... 72
Objetivos da Unidade ...................................................................................................................72
Aprofundando ...............................................................................................................................72
1. crAse ObrIgAtÓrIA .............................................................................................................73
2. crAse fAcultAtIvA............................................................................................................ 74
3. AusêncIA de crAse..............................................................................................................75
Hora da prática ...............................................................................................................................76
Preparando-se ................................................................................................................................ 80
Resumo ............................................................................................................................................86
AnexO 1 – regêncIA de Alguns verbOs................................................................................87
AnexO 2 – regêncIA nOmInAl ............................................................................................ 89
AnexO 3 – cOrreçãO de expressões InAdeQuAdAs ........................................................... 90
Estudando em Grupo ...................................................................................................................93
referêncIAs ............................................................................................................................ 96
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 5

Objetivos do Módulo
Este módulo tem o objetivo de levar ao aluno um aprimo-
ramento quanto ao uso da Língua Portuguesa bem como contri-
buir em sua preparação para o exercício da profissão de técnico
em transações imobiliárias.
Esperamos que todos os alunos tirem o máximo proveito, pois
o bom uso do idioma é peça fundamental para aquele cuja profissão
o leva a manter contato direto e constante com os clientes.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 7

Unidade 1 – Formas de expressão

Objetivos da Unidade

A unidade Formas de expressão tem como objetivos:


► Levar à compreensão dos alunos o entendimento daquilo que está além
do sentido léxico das palavras.
► Auxiliar o aluno na utilização da linguagem que está além do explícito,
tão presente no dia-a-dia.
► Instrumentalizar o aluno na comunicação técnico-cliente para o sucesso
da transação.
► Apresentar expressões extradenotativas que buscam promover a boa
fluência dessa comunicação.

Aprofundando

Nem tudo que é dito está expresso em palavras. Muitas vezes, uma parte essen-
cial da informação reside nas entrelinhas daquilo que está sendo literalmente passa-
do: é o caso das informações implícitas, das pressuposições, do subtendido e da im-
plicatura. Em cada um desses casos, o receptor recebe, além da mensagem explícita,
outra mensagem que também deve ser compreendida. O entendimento dessa outra
mensagem depende do que está sendo dito, mas sofre influência direta do contexto
no qual aquilo é falado/escrito e do conhecimento de mundo de quem recebe.

1. O ImplícItO

Implicitos são formas de expressão que permitem deixar a entender, sem


acarretar a responsabilidade de se ter dito ou que permitem recusar essa res-
ponsabilidade. Utilizam-se os princípios do implícito e dos pressupostos para
alcançar o não-dito no discurso.
8 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

2. A pressupOsIçãO
São informações que podem ser inferidas na enumeração de uma sentença.
Observemos a seguinte sentença: Pedro continua bebendo.
Analisando essa sentença, percebemos dois tipos de informação que ela
veicula. A primeira, tida como explícita, ou literal, diz: Pedro bebe atualmente.
Simultaneamente, percebemos que o verbo “continuar” veicula a segunda infor-
mação, tida como implícita: Pedro bebia antigamente. Daí, concluímos:

1. Pedro bebe atualmente.


2. Pedro bebia antigamente.

Alguns elementos gramaticais têm maior representatividade na produção


de implícitos, entre eles, destacam-se:
a) Prefixos: re, dês, em, in
Ana enriqueceu → Ana não era rica.
b) Verbos: continuar, parar, iniciar, romper etc.
João continua trabalhando → João trabalhava; João trabalha.
c) Advérbios
O leite está mais frio que o café → O café está frio.
d) Pronomes
Tuas irmãs são inteligentes como tu? → O interlocutor tem irmãs; o interlo-
cutor é inteligente.

Pode-se ainda falar em operadores argumentativos. São operadores que têm


por função introduzir, no enunciado, conteúdos pressupostos como é o caso de
já, ainda, agora. Vejamos os seguintes exemplos:
Pedro ainda mora em Fortaleza.
Pedro já não mora em Fortaleza.
Pedro morava em Fortaleza antes.
Pedro agora mora em Fortaleza.

Esses elementos linguísticos funcionam como marcadores de pressuposi-


ção e, além deles, existem outros.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 9

a) Verbos que indicam mudança ou permanência de estado: ficar, começar a,


passar a, deixar de, continuar, permanecer, tornar-se, virar...
Exemplo:
Paula deixou de estudar.
Paula continua estudando.

b) Verbos factivos, que são verbos de estado psicológico como: lamentar, lasti-
mar, sentir, saber etc.
Exemplo:
Marta lamentou ter dormido muito
Marta dormiu muito.

c) Certos conectivos circunstanciais, especialmente quando a oração por ele in-


troduzida vem anteposta: desde que, antes que, depois que, visto que...
Exemplo:
Desde que Telma ficou rica, não fala mais com os pobres.
Telma ficou rica e orgulhosa.

3. O subentendIdO
Os subentendidos compreendem formas implícitas que se distinguem da
pressuposição, sobretudo no aspecto linguístico. São informações que estão es-
condidas por trás de uma afirmação em um contexto determinado. Veja os se-
guintes exemplos:
Um sujeito X, com um cigarro na mão, pergunta ao interlocutor:
- Você tem fogo?
Ou, dependendo do gesto que a pessoa fizer, pode:
- Acenda-me o cigarro, por favor!

4. A ImplIcAturA
Outra forma de implícito frequentemente empregado pelos falantes diz res-
peito às implicaturas. É um tipo de inferência pragmática, baseada não no senti-
do literal das palavras, mas naquilo que o locutor pretendeu transmitir ao inter-
locutor; é necessária a compreensão da situação para se entender aquilo que está
sendo passado, senão as palavras acabam perdendo seu sentido.
10 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Refletindo

Exemplos de análises com o texto publicitário

Para uma melhor compreensão do assunto tratado, decidimos exibir análises


de alguns textos, mais especificamente do texto publicitário, devido ao seu caráter
eminentemente argumentativo e pela presença frequente no cotidiano das pessoas,
sem distinção de classe social, seja na mídia impressa seja na falada.

Agora com duplo tratamento para uma proteção.


(Anúncio da tintura creme L’orèal, extraído da Revista Elle, abr, 2001)

De acordo com o arcabouço teórico, vimos que o advérbio é um dos itens


gramaticais que apresentam recorrência significativa na produção de implícitos.
Em alguns textos, ele aparece como interlocutor de conteúdo pressuposto e, si-
multaneamente, funciona como “operador argumentativo”, classificação dada
por Ducrot (apud KOCH, 1998, p. 37) a certos elementos da gramática de uma
língua, os quais têm, como função, indicar a força argumentativa dos enunciados
e o sentido para o qual apontam.
No texto acima, o advérbio agora aparece como marca linguística da pressuposição,
uma vez que tal elemento veicula o conteúdo pressuposto de que antes o produto já tinha
um tratamento, mas não era duplo. É interessante verificar que tal conteúdo revela as pro-
priedades anteriores do produto anunciado, de modo que se podem inferir qualidades já
conhecidas pelo leitor, isto é, pressupõe-se uma versão anterior do produto.

Novo Dove light. O único com loção hidratante de fácil absorção.


(Anúncio do sabonete Dove, extraído da Revista Capricho, nov, 2000)

Neste texto, atente para o uso do adjetivo novo que leva a pressupor uma
versão anterior do produto, portanto, já conhecido do público consumidor, e,
simultaneamente, a ideia da inovação dele em relação à linha anterior.
Veja que este adjetivo se comporta de modo semelhante ao advérbio agora no
texto anterior quando ambos apresentam os produtos como inovadores. Tais itens
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 11

gramaticais são marcadores de pressuposição, uma vez que ajudam a recuperar o sen-
tido implícito e, no caso do anúncio, estimulam o consumidor a adquirir o produto.
No que diz respeito a textos publicitários com subentendidos, vale ressal-
tar que, em muitos casos, a imagem visual é determinante para a compreensão
do conteúdo implícito, uma vez que ela se configura como o próprio contexto.
Como estamos tratando somente do texto que compõe o anúncio, extraímos um
exemplo do texto com subentendido sem que a imagem visual fosse usada devi-
damente para a compreensão do conteúdo. Assim, temos:

Na verdade, você nunca é dono de um Patek Philippe. Você apenas cuida dele para a próxima geração.
(Anúncio do relógio Patek Philippe, extraído da Revista Veja, abr, 2001)

Neste texto, percebemos que, por trás da informação explícita, o anunciante


preferiu deixar para o leitor/ouvinte a responsabilidade em desvelar o conteúdo im-
plícito. Este conteúdo diz respeito às qualidades do produto anunciado, como a du-
rabilidade do relógio, por exemplo. Essa forma de argumentar é frequente nesse tipo
de texto quando o produto já goza de certo respaldo no mercado. Assim, o anuncian-
te compartilha com o leitor/ouvinte o já consagrado prestígio do produto.
Observe que o emprego dos subentendidos nesses textos se deve ao fato de
deixar para o leitor/ouvinte a responsabilidade em reconhecer as características
do produto, embora saibamos que o anunciante se preocupe em enaltecer as suas
qualidades implicitamente.
No que se refere ao emprego das implicaturas, percebemos que a intenção
do anunciante, ainda nos textos publicitários, é criticar indiretamente o concor-
rente. Senão, vejamos:

Brasileiro que sabe dar valor ao tempo usa Technos.


(Anúncio do relógio Technos, extraído da Revista Veja, dez, 2001)

Além de argumentar explicitamente, valorizando o produto, o anunciante


opta por essa forma de implícito para dizer que o consumidor que não compra
essa marca de relógio não sabe dar valor ao tempo, porque as outras marcas não
possuem qualidade.
12 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

De certa forma, há um elogio explícito para o consumidor que o usa e, um


desprezo, para quem não usa. Observe que um simples texto apresenta intenções
que, para o leitor desatento, podem passar despercebidas.
Partindo, então, dessas considerações práticas, é que propomos algumas
atividades de exploração dos sentidos do texto, para o professor poder trabalhar
esse conteúdo em sala de aula.
Serão apresentadas, a seguir, sugestões de atividades que exploram os sen-
tidos implícitos, criadas exclusivamente para as aulas de Língua Portuguesa. Na
análise que acabamos de fazer, trabalhamos com o anúncio que é um gênero mui-
to indicado para o assunto aqui discutido, entretanto, outros gêneros poderão
ser trabalhados com o mesmo propósito

Hora da prática

1. Observando o texto publicitário abaixo, podemos constatar duas informações


implícitas. Identifique-as:

Novo Bachá. O único com loção amaciante

a) ( ) Não existe sabão Bachá no mercado.


b) ( ) Já existe um sabão Bachá no mercado.
c) ( ) Já existe sabões com loção amaciante.
d) ( ) Não existe outro sabão com loção amaciante.

2. No texto da questão 1, duas palavras ajudam a identificar a informação implí-


cita, sublinheas:
Novo – Bachá – único – loção – amaciante – sabão.
Leia o texto a seguir e responda as perguntas:

Especialmente para você, o melhor prato do nosso cardápio. Sirva-se


Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 13

a) O texto vincula também uma informação implícita? Que informação é essa?


b) Existe alguma palavra responsável pela informação implícita? Qual?
c) Esse texto pode ser falado ou apenas escrito? Crie uma situação em que o fa-
lante empregue o texto acima.
d) Diga qual é a intenção do autor do texto.

3. Preste atenção! Comparando as palavras responsáveis pela formação implícita


no texto da questão 1 com as palavras do texto da questão 2, pode-se perceber
uma semelhança do ponto de vista gramatical (morfológico). Como se classi-
ficam essas palavras?

4. Leia a carta abaixo

Fortaleza, 15 de julho de 2003

Querida Lú

As férias em Fortaleza são legais. Todos os dias Rebeca e eu vamos à praia. Agora mesmo
ela foi pegar aquele sol. Ah! Esqueci de te dizer; peguei o seu biquíne de bolinha emprestado.
Não fique brava comigo, viu!
Lembra da Paulinha? Ela continua estudando para o vestibular e a Joana ainda mora na-
quela casa da Praia de Iracema.
Quando eu chegar aí te conto mais fofocas, tá?
Beijos
Teresa

Identifique as informações implícitas em cada trecho destacado:


a) “Agora mesmo ela foi pegar aquele sol”.
b) “... peguei o seu biquíni de bolinha emprestado”.
c) “Ela continua estudando para o vestibular”.
d) “... Joana continua morando naquela casa na Praia de Iracema”.

5. Nos trechos destacados na questão 4, as informações implícitas apresentam-se


marcadas por algumas palavras como as questões anteriores. Retire-as.
14 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

6. Para responder a questão abaixo, você deve ler o bilhete a seguir.

Júlia,
Você pode deixar seu caderno para eu copiar a aula de ontem? Preciso entregar a minha ta-
refa, a professora disse que é para nota. A Bete não quis me emprestar o caderno, você sabe,
ela é tão boazinha....
Valeu!!!
Roberta

a) Quais as informações implícitas no bilhete?


b) Que palavras dão a entender que Júlia tem um caderno, e Roberta tem uma
tarefa para entregar?
c) Você acha que Roberta concorda que Bete seja boazinha? Por quê?

Preparando-se

1. Há informações implícitas ou não laterais que apresentam palavras, que são


as marcas que dão pistas para que o leitor/ouvinte faça a correta interpetação
da mensagem. Entretanto, há outras informações implícitas que não apresentam
essas palavras, mas outros elementos que ajudam na interpretação. Assim, preste
atenção no texto publicitário abaixo e marque a informação correta.

Você não é dono de um Tic-Tac. Você apenas pode cuidar dele para outras pessoas.

a) ( ) Você nunca pode possuir um relógio Tic-Tac.


b) ( ) Não sabe nada sobre a qualidade do relógio.
c) ( ) Você não pode usar o Tic-Tac.
d) ( ) O relógio é durável, pois outras pessoas vão usá-lo.
e) ( ) Você não pode usar Tic-Tac porque tem que cuidar dele.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 15

2. Observe o seguinte diálogo entre amigos.

Marcos: – Alô, Ricardo! Quem fala aqui é Marcos. Como vai?


Ricardo: – Eu estou bem! E, aí como vão os negócios da empresa?
Marcos: – Vão bem. Estou te ligando porque gostaria de contratar o Daniel para trabalhar
na recepção da empresa. O que você acha disso.
Ricardo: – Bom, pelo que sei o Daniel, às vezes, parece que ele não tem muita habilidade em li-
dar com todo o tipo de gente, mas é um cara legal. Está sempre disponível, é amigo, divertido, é....
Marcos: – Ah, entendi... Obrigado pela informação, depois te ligo! Até logo.

Depois de ler o diálogo, escreva o trecho em que Ricardo não quis se com-
prometer explicitamente com o que disse sobre Daniel.

3. Observe a seguinte situação:

Um dia, andando na rua, José encontra Fernando, um amigo de infância, e o convida para
jantar em sua casa às oito horas da noite.
Fernando comparece na hora marcada. Depois de jantar, ficam conversando até tarde, e Fer-
nando não percebe que tinha que ir embora. Então, José olha o relógio e informa as horas sem
que Fernando perguntasse.

Agora responda:
a) Qual foi a intenção de José quando informou as horas?
b) Por que José preferiu dar uma informação tão implícita?

4. Continue a história do texto da questão 3 e mostre se Fernando foi capaz de


entender o que José quis dizer.

5. As pessoas, no dia-a-dia, costumam usar as chamadas “indiretas”, que são in-


formações implícitas. Diga em que situações você seria capaz de usar estas
informações e com quais intenções.
a) “Você está bêbado, não entendeu...”
16 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

b) “Qual foi? Qual é a tua agora?


c) “Sei que ele está me estranhando, mas não é por aí...”
d) “Fique certo de uma coisa: eu não nasci ontem, viu?”

6. Leia o texto publicitário.

Sua pele não é nenhum maracujá para ficar toda amassada. Creme facial Facebel.

Identifique as informações implícitas no texto.


a) ( ) O creme Facebel deixa sua pele enrugada.
b) ( ) Só o creme Facebel não deixa sua pele enrugada.
c) ( ) Outros cremes faciais deixam a sua pele enrugada.
d) ( ) Outros cremes faciais não têm qualidade.
c) ( ) Só o creme Facebel tem qualidade.

7. Depois de identificar as informações implícitas, responda:


a) Com que intenção o autor do texto usou as informações implícitas?
b) Por que o autor optou por dar uma informação implícita?

8. Leia com atenção a segunte situação.

Juliana é operadora de computador recém-formada. Querendo obter emprego em de-


terminada empresa, vai a um de seus professores, César, e pede-lhe que mande uma
carta recomendando-a para o emprego ao Dr. Aroldo, diretor da empresa. César es-
vreve a carta nos seguintes termos: Juliana tem excelente caligrafia e até hoje não
roubou nada da empresa.

Sobre o texto, identifique as informações corretas:


a) ( ) A resposta de César não atende o que exatamente Dr. Aroldo queria saber.
b) ( ) Dr. Aroldo não entendeu o que César quis dizer a respeito de Juliana.
c) ( ) Dr. Aroldo queria saber se Juliana estava apta a trabalhar como operadora
de computador.
d) ( ) Com a resposta de César, Dr. Aroldo foi capaz de entendê-la.
e) ( ) César não quis se comprometer com o que disse, por isso optou por uma
informação irrelevante para uma situação.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 17

Resumo

A unidade Formas de expressão trata de 4 (quatro) modalidades que estão


além da palavra literalmente escrita ou falada. Primeiramente, há o implícito, no
qual a mensagem encontra-se no não-dito ou na forma como a pessoa fala, fazen-
do com que o emissor não precise assumir responsabilidade por aquela informa-
ção. Depois, se estudou as pressuposições, nas quais o que é dito traz em si infor-
mações a mais que podem ser concluídas sem que seja necessário explicitá-las.
O subtendido, por sua vez, depende diretamente do contexto no qual as
sentenças são ditas: não é necessário citar explicitamente, mas emissor e receptor
sabem do que se trata. Por fim, temos as implicaturas, onde a mensagem expressa
não está no sentido literal das palavras: é essencial o conhecimento da situação
para que se compreenda aquilo que está sendo transmitido.
18 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Unidade 2 - Ortografia

Objetivos da unidade

A unidade de ortografia tem como objetivos:


► Auxiliar a escrita correta das palavras.
► Esclarecer as dúvidas mais comuns de grafia de palavras conhecidas
para, na hora da escrita, possa-se usar a forma correta.
► Compreender o uso de palavras que tem sua pronúncia semelhante, mas
trazem grafias e sentidos diferentes.

Aprofundando

Não são poucas as ocasiões nas quais uma letra em uma palavra muda com-
pletamente o sentido de uma frase inteira. Também não são poucos os casos em
que nós confundimos na hora de escrever: “essa palavra é com s ou com z?”, “é
com j ou com g?” são perguntas comuns em nosso dia-a-dia.
Para nos comunicarmos bem, é necessário grafar corretamente as palavras
que usamos na hora de escrever. Zelar pela integridade da mensagems que que-
remos passar é essencial para que possamos evitar ruídos e para que nosso inter-
locutor consiga nos responder adequadamente.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 19

Uma Senhora

Nunca encontro esta senhora que não me lembre da profecia de uma lagartixa ao
poeta Heine, subindo os Apeninos: “Dia virá em que as pedras serão plantas, as plantas
animais, os animais homens e os homens deuses”. E dá-me vontade de dizer-lhe: - A se-
nhora D. Camila amou tanto a mocidade e a beleza, que atrasou o seu relógio, a fim de
ver se podia fixar esses dois minutos de cristal. Não se desconsole D. Camila. No dia da
lagartixa, a senhora nos dará a beber o néctar da perenidade com as suas mãos eterna-
mente moças.
A primeira vez que eu a vi, tinha ela trinta e seis anos, posto só parecesse trinta e
dois, e não passasse da casa dos vinte e nove. Casa é um modo de dizer. Não há castelo
mais vasto do que a vivenda destes bons amigos, nem tratamento mais obsequioso do
que o que eles sabem dar às suas hóspedes. Cada vez que D. Camila queria ir-se embora,
eles pediam-lhe muito que ficasse, e ela ficava. Vinham então novos folguedos, cavalha-
das, música, dança, uma sucessão de cousas belas, inventadas com o único fim de impe-
dir que esta senhora seguisse o seu caminho.
Mamãe, mamãe, dizia-lhe a filha crescendo, vamos embora, não podemos ficar
aqui toda a vida.
D. Camila olhava para ela mortificada, depois sorria, dava-lhe um beijo e man-
dava-a brincar com as outras crianças. Que outras crianças? Ernestina estava então
entre quatorze e quinze anos. Era muito espigada, muito quieta, com uns modos natu-
rais de senhora. Provavelmente, não se divertia com as meninas de oito e nove anos; não
importa, uma vez que deixasse a mãe tranquila, podia alegrar-se ou enfadar-se. Mas é
triste! Há um limite para tudo, mesmo para os vinte e nove anos. D. Camila resolveu, en-
fim, despedir-se desses dignos anfitriões, e fê-lo ralada de saudade. Eles ainda instaram
por uns cinco ou seis meses de quebra; a bela dama respondeu-lhes que era impossível e,
trepando no alazão do tempo, foi alojar-se na casa dos trinta.
(Machado de Assis)
20 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

1. OrIentAçãO OrtOgráfIcA pArA errOs grOsseIrOs


Para evitar erros primários, o redator deve prestar atenção a alguns aspectos.

1. ÃO empregado nas formas oxítonas: caminhão, clarão, estão; e monossílabos:


dão, são, vão.

2. AM é indicado nas formas paroxítonas: caminharam, deram, viram.

Obs.: ão (futuro) e am (passado).

3. ÊS indica procedência: burguês (do burgo), chinês (da China), cortês (da cor-
te), inglês (da Inglaterra), japonês (do Japão), montês (do monte), montanhês
(da montanha).

4. EZ é formador de substantivo abstrato: altivez, rapidez, sensatez.

5. ISAR já traz S na palavra de origem: analisar (de análise), bisar (de bis), pequi-
sar (de pesquisa).

Cuidado com estas palavras: catequizar e catequese, enfatizar e ênfase, sin-


tetizar e síntese.

6. IZAR já traz Z na palavra primitiva ou não traz S ou Z: ajuizar (de juiz), cica-
trizar (de cicatriz), enraizar (de raiz), alfabetizar (de alfabeto) canalizar (de
canal), colonizar (de colono).

7. ESA indica procedência: chinesa, japonesa, montanhesa: ou feminino: barone-


sa, duquesa, princesa.

8. EZA forma substantivos abstratos: certeza, limpeza, pureza.

9. As formas dos verbos PÔR e QUERER são sempre escritas com S: propus,
pusera, puseste; quis, quisera, quisesse.

10. Após ditongo decrescente, escreve-se S: coisa, lousa, maisena, paisagem.

11. ENSE (sempre com som de s) indica procedência: cearense, piauiense, sobralense.

12. ISA forma feminino: papisa, poetisa, profetisa.


Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 21

13. SINHO/A já traz S na palavra de origem: casinha (de casa), lapisinho (de la-
pis), rosinha (de rosa).

14. ZINHO (A) já trá Z na palavra de origem: cicatrizinha, cruzinha, raizinha; ou


não trás S nem Z: cafezinho, pezinho, pozinho.

15. OSO forma adjetivos: dengoso, estudioso, populoso.

16. Os nomes próprios, geralmente são escritos com S: Luís, Luisa, Teresa.

17. O imperfeito do subjuntivo se escreve com SSE: afastasse, pulasse, quisesse.

18. Depois de EN, as palavras mais conhecidas são grafadas com X: engraxate,
enxaqueca, enxerido, enxuto.

19. Depois de ditongo decrescente, usa-se X, caixa, deixar, faixa.

20. Verbos terminados em OAR ou UAR são grafados com E, abençoe e abenço-
es (de abençoar) abotoe e abotoes (de abotoar) efetue e efetues (de efetuar),
habitue e habitues (de habituar).

21. Verbos acabados em UIR são grafados com I: contribui (de contribuir), pos-
sui e possuis (de possuir).

A palavra primitiva, muitas vezes, facilita a grafia da derivada.

Burguesia vem de burguês, por isso é com S.


Cruzmaltino vem de cruz, por isso é com Z.
Geleira vem de gelo, por isso é com G.
Harmônico vem de harmonia, por isso é com H.
Lapiseira vem de lápis, por isso é com S.
Matizar vem de matiz, por isso é com Z.
Meritíssimo vem de mérito, por isso é com I.
Mistura vem de misto, por isso é com S.
Prazeroso vem de prazer, por isso é com Z e não tem I.
Vasinho vem de vaso, por isso é com S.
22 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Cuidado
Harmonia, porém desarmonia
Humano, porém desumano

Sugestões! Para o abrandamento, ou eliminação desta falha lingüistica, o aluno


pode adotar as seguintes providências:
1. Participar ativamente do processo de comunicação, lendo muito e consultan-
do dicionário;
2. Examinar cada palavra escolhida, substituindo aquelas que apresentam dúvida;
3. Fazer uma revisão ou mais, se necessário, para filtrar as palavras escritas cor-
retamente, eliminando as erradas.

2. Alguns vOcábulOs derIvAdOs de verbOs


a) Verbos em cujo radical aparecem as terminações ND – RT – RG dão origem
a substantivos grafados com S.
Pretender → pretensão
Inverter → inversão
Aspergir → apersão.

b) Verbos terminados em DER – DIR – TER – TIR – MIR, quando a consoante


final do radical desparece, dão origem a substantivos grafados com SS.
Agredir → agressão
Ceder → cessão
Submeter → submissão
Repercutir → repercussão
Oprimir → opressão.

c) Verbos terminados em TER – TIR – DIR – MIR, quando a última consoante


do radical permanece, dão origem a substantivos grafados com ç.
Abster → abstenção
Repartir → repartição
Perder → perdição
Remir → remição.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 23

3. pAlAvrAs cujA grAfIA ApresentA dIfIculdAde


1. Boçal 16. Teimosice 31. Aprazível 46. Cochichar
2. Hiena 17. Maço 32. Tardiamente 47. Absorção
3. Chuchu 18. Ressurreição 33. Aborígine 48. Amnésia
4. Primazia 19. Íngua 34. Paletó 49. Ascensorista
5. Alazão 20. Caçote 35. Lêndea 50. Beliche
6. Lambugem 21. Compreensão 36. Ladroagem 51. Ojeriza
7. Chulé 22. Espontâneo 37. Rabugice 52. Adivinhação
8. Cassaco 23. Endossar 38. Mixaria 53. Ânsia
9. Laudo 24. Milanesa 39. Baixeza 54. Apreensão
10. Cintura 25. Rechaça 40. Ressaca 55. Ascensão
11. Coalhada 26. Babaçu 41. Amsterdamês 56. Assessoria
12. Aquiescência 27. Hibernal 42. Baliza 57. Cassetete
13. Sucinto 28. Cós 43. Hindu 58. Consciência
14. Candeeiro 29. Arrasado 44. Avoante 59. Desculpar
15. Maxixe 30. Cafuzo 45. Berinjela 60. Imprescindível

4. OrtOgrAfIA

1. J ou G (Fonema Palatal). Grafa-se com J a terminação aje e as apalavras de


origem ameríndia (indígenas).
Ex.: traje, laje, Itapajé, jiló, jerimum…
Observe: Garage (francês) garagem (português)
Age – verbo agir
Aja – verbo agir
Haja – verbo haver

2. O J não se transforma em G.
Ex.: Canja – canjica
Nojo – nojento
Gorja – gorjeiro
Granja – granjeiro
Sarja – sarjeta
24 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

3. Usa-se o G nas terminações ágio, égio, ígio, ógio, úgio.


Ex.: presságio, régio, litígio, relógio, refúgio.

4. Usa-se G nas terminações agem, igem, ugem, ege, oge.


Ex.: garagem, penugem, vertigem, frege, paragoge.
Exceções: lajem, pajem, lambujem.
Veja: Viagem (substantivo). Ele fez boa viagem
Viajem (verbo): Viajem bem

5. Usa-se G nas terminações ger e gir.


Ex.: Eleger, proteger, dirigir, rugir...

Obs.: O G transforma-se em J antes de A e O

Ex.: Eleger – elejo, elejas

6. Usa-se G nos vocábulos gerir e gestão.


Ex.: Sugerir, ingerir, digerir
Sugestão, ingestão, digestão.

7. Usa-se G em vocábulos derivados de outros que já apresentam essa letra.


Ex.: Viageiro – viagem - ferruginoso – ferrugem

8. Usa-se A inicial.
Agente, ágil, agiota…
Você conhece? Ajendro, ajenil, ajimex.

Exceções: palavras derivadas por prefixação de outros com J inicial.


Ex.: Ajeitar, ajesultar...

9. Em geral, após R grafa-se G.

Atenção para os vocábulos

Berinjela, alforge, falange, gengiva, gim, tigela, ginete, ginga,


gesso, gibi, genipapo, jia, jiboia, jirau, majestade, vagem, giclê,
gigolô, ogiva, gengibre, jérsei, trejeito.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 25

Hora da prática

1. Complete as palavras com G ou J.


___en ___ ibre ti____ela _____esto tre_____eito
má___ ico _____emada o____eriza passa_____em
dese___em en____eitada vora____em vanta____em
al____ema fri____ir via____eiro an____élico
____iboia li____eiro berin____ela ____ipe
____ilete no____ento amostra___em _____irau
pro___ eto coa____ir ____irândola via_____em (subst)
tra____e fuli____em o____iva via____em (verbo)
_____eitoso si____ilo ____ibi roupa____em
____esso passa___em encora___e a___ iota
bre___eiro mo_____i drá___ea here____e
a___itar me___era ______ia cafa_____este

Aprofundando

4. OrtOgrAfIA (cOntInuAçãO)
10. S ou Z (fonemas surdos e sonoros)
Usa-se S:
a) Em adjetivos pátrios: Ex.: japonês, filandês, portuguesa...
b) Em título nobre: Ex.: princesa, baronesa, duquesa...
c) Após ditongo decrescente: Ex.: maisena, lousa, Sousa, causa...
d) Nos verbos pôr e querer: Ex.: pus, puseste, pudera, puser... quis, quiseste, qui-
ser, quisera...
26 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

11. ES, ESA, ESIA, ISA – sufixos para substantivos


Ex.: Monte – montês
Pedra – pedrês
Montanha – montanhês
Papa – Papisa

12. EZ, EZA – sufixos para adjetivos.


Ex.: Árido – aridez
Certo – certeza
Altivo – altivez
Rico – riqueza

13. ISAR – terminação para as primitivas terminadas em IS, ISE, ISA, ISO
Ex: Bis – bisar
Análise – analisar
Friso – frisar
Pesquisa - pesquisar

14. IZAR – terminação para as primitivas não terminadas em IS, ISA, ISE, ISO
Ex.: Ácool – alcoolizar
Plural – pluralizar
Ameno – amenizar
Drama – dramatizar

Observação: Obviamente, palavras terminadas em IZ formarão verbo em


IZAR
Ex.: Cicatriz – cicatrizar
Raiz- enraizar
Correlação sufixal: ico – ismo – ista – izar
Ex.: Orgânico – organismo – organizar
Batismo – batista – batizar
Observe: Lápis – lapiseira – lapisinho
Adeus – adeusinho

15. Usa-se Z quando for consoante de ligação


Ex.: Caquizeiro (caqui + z + eiro)
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 27

Pâozinho (pão + z + inho)


Cafezal (café + z + al)

16. Grafam-se com S os sufixos gregos ASE, ESE, ISE, OSE


Ex.: Prófase, catequese, mesóclise, osmose...

17. O Z não finaliza palavras não oxítonas.


Ex.: Soares, Rodrigues, Álvares...

18. Terminações AZ, EZ, IZ, OZ, UZ palavras oxítonas


Ex.: Capaz, avidez, talvez, chafariz, feroz, capuz.

19. C, Ç (fonema)
a) Grafam-se com c ou ç os vocábulos de origem africana ou exótica
Ex.: Açúcar, cacimba, miçanga, açaí, Paraguaçu, juçara, paçoca
b) Usa-se c, ou ç após ditongo decrescente
Ex.: Beiço, calabouço, coice, foice...

Observe agora os homônimos mais comuns:


Acender: dar luz - Ascender: subir, elevar
Acento: inflexão de voz - Assento: onde sentamos
Caçar: perseguir - Cassar: tornar nulo
Decente: decoroso - Descente: que desce
Esperto: sagaz, ativo - Experto: perito
Tenção: intento - Tensão: qualidade do que é tenso

Hora da prática

1. Preencha as lacunas com S ou com Z:


bu____inar maga___ine lapi_____eira cafu___o
canali____ar capu___ cateque____e prejuí___o
do____ar cori___a aneste____ia va___io
fine____a vi___ita quero_____ene rego____ijar
go____ado profeti___ar trá_____ (prep) ga___olina
pra_____eroso amorti___ar tra_____(verbo) despe___a
28 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

poeti_____a Tere____a babo____eira anali___ar


ca____ulo atra____ar pre____ado qui___er
co____inhar matri___ ga____e pu___esse
carboni___ar parafra___ear bali_____a ma___ela
fertili____ar tra____eiro avi____inhar fu___ível
sutile____a a____eviche juí____a Lui___

2. Estabeleça a diferença entre:


a) vês x vez
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

b) trás x traz
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

c) esterno x externo
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

d) expiar x espiar
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

e) estrato x extrato
____________________________________________________________________________________
____________________________________________________________________________________

f) expira x espira
____________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

3. Complete com ES, ESA, EZ, EZA, ISAR, IZAR.


mat_____ sutil_____ civili_____
escrav_____ montanh____ campon_____
final_____ milan____ acid_____
fr_____ viuv____ pequ____
al_____ cert_____ nitid_____
rev_____ placid____ paral____
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 29

Aprofundando

5. Uso de certas palavras e expressões

Por que: usa-se no início de interrogação direta. Por que você chegou tão tarde?
Por quê: usa-se no final de interrogação direta. Você chegou tão tarde por quê?

Observação: nesse caso, troque pela expressão: o motivo pelo qual ou a razão-
pela qual. Ex: Não entendo o motivo pelo qual chegou tão tarde.

Por que: emprega-se ainda quando corresponde à expressão pelo(a) qual. Estava
fechada a porta por que (= pela qual) eu deveria passar.
Porque: quando se responde ou quando se dá a causa. Atrasei porque o trânsito
estava ruim. O trânsito está ruim porque é grande o fluxo de automóveis.
Porquê: trata-se de substantivo. O acento é diferencial. É o que diferencia do
porque conjunção. Eis o porquê de minha decisão.
Mas: é conjunção adversativa (porém, todavia, contudo, entretanto...). No texto,
funciona como conector argumentativo de oposição. Você diz que estudou, mas
suas notas não confirmam isso.
Más: é o contrário de boas (adjetivo). Fuja das más companhias. Nada fere tanto
como as más linguas.
Mais: usa-se como advérbio de intensidade (nesse caso, vem associado ao adjeti-
vo). Você está cada vez mais bela. Por favor, fale mais alto.
Funciona também como pronome indefinido (nesse caso, vem ligado a substanti-
vo). Gostaria de ter mais explicações. Quanto mais cabra mais cabrito.

Nota: Às vezes, mais funciona como advérbio de tempo: “Estou velha, ninguém repara mais
em mim”. (M. de Assis – Mem. Póstumas de Brás Cubas).
Em outros momentos, mais funciona como preposição acidental (com): “pai, vamos comer
mais aquele povo, debaixo daquele pé de pau”.
(Rachel de Queiroz – O Quinze).
30 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Mal: usa-se como conjunção temporal (logo). Mal terminou a aula, os alunos sa-
íram em disparada.
Mal: emprega-se como advérbio de modo (o contrário de bem). Escrevo mal, mas
falo bem.
Mal: é usado como substantivo (doença). Amigo, seu mal é preguiça.
Mau: tem função de adjetivo (é o contrário de bom). Coisa triste é homem mau!
Hoje está fazendo mau tempo. Este aluno peca pelos maus modos.
Senão: de outro modo, ao contrário, a não ser. Corra, senão perde o ônibus. Não
faças isso, senão te arrependerás. Esta moça não faz outra coisa senão namorar.
Se não: caso não. Se não chover, sairei à noite. Se não falei mal, por que me bates?
Sequer: ao menos. Deve ser usado em frases negativas ou acompanhado de nem.
Ele nem sequer olhou para trás. Não falou sequer uma palavra.
Se quer: caso queira. Se quer falar comigo, fale logo.
Onde: indica estaticidade (em que lugar). Veja onde está pisando.
Aonde: usa-se quando há movimento (para onde). Aonde você vai a esta hora?

Sugestão: Ao escrever, prefira palavras curtas e simples. Por exemplo: entre só e somente,
escolha só. Você poupa duas sílabas. Féretro ou caixão? Caixão é mais simples, mais curta e
mais conhecida. Óbito ou morte? Morte. Deixe óbito para os programas policiais. Em vez de
falecer, prefira o verbo morrer. No lugar de obviamente, use é claro. Troque morosidade por
lentidão. Comunica mais. Porque usar matrimônio, se pode usar casamento? Em vez de colo-
car, use pôr. Para que usar genitor e genitora, se o bonito é pai e mãe? Data natalícia cheira a
pedantismo. Então, use mesmo aniversário. Em vez de esposo e esposa, marido e mulher não é
mais bonito?

Outro fator que merece atenção é a concisão da linguagem. Às vezes, a troca


de uma oração por um termo nominal correspondente deixa a frase mais enxuta.
Compare:
A sociedade exige que os criminosos sejam punidos x A sociedade exige a puni-
ção dos criminosos.
Ninguém duvidava de que o plano tivesse êxito x Ninguém duvida do êxito do
plano.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 31

O Presidente diz que não fará alteração na política econômica x O Presidente


nega alteração na política econômica.

Outra estratégia para se obter a concisão é, sempre que posível, usar a voz ativa.
Veja:
A carta ao Presidente foi escrita pelo ministro x O ministro escreveu a carta ao
Presidente.
A fazenda foi invadida pelos sem-terra x Os sem-terra invadiram a fazenda.
Procure aplicar o termo adequado, sem pedantismo, mas com mais beleza.

Fazer:
Fazer uma fossa (cavar).
Fazer uma estátua (esculpir).
Fazer um trajeto de carro (percorrer).
Fazer jornalismo (cursar).
Fazer um artigo para o jornal (redigir ou escrever).
Fazer um discurso (proferir).

Pôr
Pôr mais uma palavra (acrescentar).
Pôr a sonda na ferida (introduzir).
Pôr, na frase, o futuro do subjuntivo (empregar).
Pôr a roupa no armário (guardar).
Pôr dinheiro no banco (depositar).

Dizer
Dizer poemas (declamar).
Dizer o segredo (revelar).
Dizer exemplos (citar).
Dizer uma história (contar)
32 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Ter
Ter boa reputação (gozar de).
Ter dor de cabeça (sentir).
Ter dez metros (medir).
Ter tantos quilos (pesar).
Ter aula (haver).

Ver
Ver a beleza do quadro (admirar).
Ver os melhores detalhes (observar).
Ver pela fechadura (espiar).

Cuidado para não ferir o óbvio. Veja as passagens abaixo.

Como todo o mundo sabe, o aluno sempre deve tentar escrever suas reda-
ções diárias com substantivos fortes e verbos precisos.
Ora, se todo o mundo sabe, não precisa mais dizer. Limpando o texto, ficará assim:
O aluno sempre deve tentar escrever suas redações diárias com substantivos for-
tes e verbos precisos.
O enunciado ficaria ainda melhor e mais conciso se o despojássemos do su-
pérfluo, que são adjetivos e advérbios. Veja como ficaria:
O aluno deve tentar escrever suas redações com substantivos e verbos.

Veja outras passagens:

O Congresso Nacional votará, na próxima semana, em regime de urgência urgen-


tíssima, o projeto.

Agora compare:
O Congresso Nacional votará o projeto, na próxima semana, em regime de urgên-
cia urgentíssima.
Para que na frase haja harmonia, devem evitar ecos. Veja este exemplo reti-
rado de um jornal renomado:
Houve muita confusão e provocação na reunião de representantes do Ceará e do
Maranhão. Quantos “ãos” em um só período!. Sem o eco, a frase fica bem melhor,
pois ficará assm:
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 33

Houve muita provocação e tumulto no encontro de representantes do Ceará e do


Maranhão.
Preocupe-se, portanto, com a pureza de sua redação. E, ao escrever, leve em
conta os conselhos de Montaigne que dizia: “O estilo deve ter três virtudes: cla-
reza, clareza, clareza:

Resumo

A unidade de ortografia procura funcionar como um guia para sanar as dúvidas


mais comuns na hora de escrever. Indo desde abordagens sobre a grafia correta das
palavras, passando por palavras de pronúncia semelhante, mas com escrita e signifi-
cado diferentes, chegando às formas diversas de escrever a mesma coisa e falando, por
fim, do quão importante é ser claro na hora de comunicar algo a outrem.
E é prezando por essa clareza que esse módulo busca explicar, de forma sim-
ples, as ocasiões mais comuns em que aparecem dúvidas e como solucioná-las.
Afinal, uma boa comunicação é essencial para qualquer relacionamento.
34 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Unidade 3 - Estudo da Gramática

Objetivos da unidade

A unidade de estudo de gramática traz como objetivos:


► Esclarecer a compreensão da regência verbal e nominal, buscando sem-
pre a boa fluência da comunicação.
► Compreender a transitividade verbal como essencial na hora de escrever
e de falar
► Identificar verbos que aceitam duas regências e têm seu sentido alterado
dependendo de cada uma delas.

Aprofundando

Você assiste algo ou alguém? Ou assiste a algo ou a alguém? Você aspira o


cargo ou o ar? É necessária ou são necessárias? Essas são algumas das dúvidas
mais comuns na hora de escrever ou falar. Esses e outros verbos e nomes podem
ter seus sentidos alterados, dependendo da forma como seus complementos são
colocados. A regência verbal e a regência nominal são essenciais na hora de defi-
nir o que a sentença está querendo dizer e, por isso, devemos estar sempre aten-
tos com a concordância: tudo para que a mensagem chegue a mais clara possível
ao nosso interlocutor.

1. regêncIA verbAl

Regência é a parte da sintaxe que trata da transição dos verbos (verbal) e


dos nomes (nominal). No Português do Brasil, há verbos que têm uma significa-
ção, dependendo da regência. Verbos assistir, ver, chegar, aspirar, morar, lembrar,
implicar, gostar, (com pronome relativo), visar, chamar, atender, comentar.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 35

Assistir
1. No sentido de ver, estar presente, este verbo é transitivo indireto e rege a pre-
posição a.
Exemplos: Assisti a essa cena. Assisti ao jogo Brasil x Argentina.
Quando está usado com este sentido, ou melhor, com esta regência, não
pode ser usado na voz passiva. Aliás, a passiva é propriedade dos verbos transiti-
vos diretos. Então, não se deve dizer: O jogo foi assistido por...Também não aceita
lhe como complemento. Neste caso, no lugar do lhe, usam-se as formas: a ele ou
ela. Assim: Quem for assistir a este jogo assista a ele até o fim.

2. No sentido de ajudar, prestar socorro é indiferente. Tanto pode se usado como tran-
sitivo direto como indireto. Assim, posso dizer assisto os ou aos necessitados.

Obs.: Sem a preposição a, pode ser usado na passiva.

3. Pode ser usado como transitivo indireto no sentido de caber, ser de direito.
Ex.: Não lhe assiste o direito de reclamar.

4. Pode ainda ser usado como intransitivo no sentido de morar. Neste caso, rege
a preposição em. Ex.: Assisto em Fortaleza há muitos anos.

Hora da prática

Saí de casa para assistir............... filme, mas, como médico, tive que assitir......
paciente.
Disseram-me que é um bom filme. Por isso, quem puder assista ... integralmente.
Ora, assisto... uma rua muito boa. Então, não... assiste o direito de reclamar.
Agora aponte o erro, se houver, e corrija-o.
A última partida Ceará x Fortaleza foi asistida por cerca de três mil pessoas.
36 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Aprofundando

Ver: este verbo só pode ser usado como transitivo direto. Exemplo:
Vi uma estrela tão longe, vi uma estrela tão fria....
Mariana esteve aqui, mas não a vi.

Chegar: trata-se de um verbo intransitivo. Quando estiver usado no sentido de


atingir um ponto, um lugar, o que indica movimento, pede a preposição a.
Ex.: Quando cheguei a casa, fui logo dormir.
De repente cheguei ao colégio.
Quando indica tempo, usa-se com a preposição em. Ele chegou em boa hora. Você
chegou na hora certa.

Aspirar: com a preposição a, significa desejar (verbo transitivo indireto). Aspiro


a esse cargo. Todos aspiramos à liberdade.

Cuidado: neste caso, não pode ser usado na voz passiva.

No sentido de respirar, é transitivo direto (não tem preposição). Aspiro um ar


puro. O atleta aspirou o pó da derrota.

2. cOncOrdâncIA nOmInAl
1. É bom – É proibido – É necessário – É permitido
Nas expressões constituídas do verbo SER mais um adjetivo, este varia
quando se refere a um substantivo feminino determinado por artigo ou pronome
possessivo ou demonstrativo.
Ex.: São proibidas as entradas de estranhos.
É proibido entrada de menores.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 37

2. Junto - Anexo - Incluso


Junto, Anexo e Incluso são palavras adjetivas, devem, portanto, concor-
dar com o nome a que se referem.
Ex.: Segue anexo o livro.
Seguem anexos os livros.
Vão inclusas as procurações.

A expressão “em anexo” fica invariável.


Ex.: Seguem em anexo as fotografias.

3. Obrigado – Agradecido – Grato


São palavras adjetivas, devem, portanto, concordar com o nome a que se referem.
Ex.: Dizendo obrigada, ela saiu feliz da vida.

4. Menos – Alerta – Pseudo


As palavras Menos e Alerta e o prefixo Pseudo são invariáveis.
Ex.: Soldados, fiquem alerta.
São pseudoartistas.

5. Bastante – Bastantes
Bastante poderá funcionar como pronome indefinido ou adjetivo quan-
do vier vinculado a um substantivo. Nessas situações, terá flexão normal. Já
quando vinculado a um verbo, adjetivo ou advérbio, não se flexionará, pois
será advérbio.
Ex.: Trazia bastantes novidades.
Estudei bastante esta lição.

6. Só – Meio – Todo
Meio só se flexionará junto de substantivo. Neste caso, é numeral ou adje-
tivo. Meio é invariável, quando equivale a “um tanto”: é advérbio.
A palavra Só varia, quando equivale a sozinho: é adjetivo.
Mariana continua só.
Todo varia sempre, mesmo quando advérbio.
Ex.: Aquela menina chegou toda encabulada.
38 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Hora da prática

Emprego dos vocábulos

Preencha as lacunas:

1. É bom – É proibido – É necessário – É permitido


a) É proibid___ entrada de estranhos.
b) É necessári___ a atenção de todos.
c) É necessári___ muita calma.
d) É proibid___ passagem de veículos.
e) Cerveja não é bo___ para a saúde.
f) Nossa cerveja também é bo___.
g) Água mineral é bo___ para o estômago.
h) É permitid___ permanência de veículos neste local.

2. Junto – Anexo – Incluso


a) Está inclus___ no total a taxa de serviços.
b) Estão inclus___ no total os seus percentuais de comissão.
c) Os recibos seguem anex___.
d) As crianças voltaram jun___.
e) Seguem, em anex___, as fotos solicitadas.

3. Obrigado – Agradecido – Grato


a) Saindo, ela disse: muito obrigad___.
b) Ao receber o presente, disse a telefonista: agradecid___.
c) Os alunos, até que enfim, me disseram obrigad___.
d) Vocês não são nenhuns coitadinhos para ficarem dizendo obrigad___ a todo
instante.
e) As meninas ficaram grat___.
f) Recebendo o presente da professora, o aluno disse: muito obrigad___.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 39

4. Menos – Alerta – Pseudo


a) Mais trabalho e men___ preguiça.
b) Soldados fiquem alert___.
c) São pseud___ - artistas.

5. Quite – Leso
a) Todos estão quit___ com a tesouraria do clube.
b) Tu também estás quit___?
c) Foi um crime de les___ - pátria.
d) Foi um crime de les___ - patriotismo.

6. Só – Meio – Todo

Observação: A expressão a “sós” é invariável.

a) Ela estava mei___ preocupada.


b) Eles estavam mei___ tristes.
c) Não sou homem de mei___ palavras.
d) Bebeu mei___ garrafa de cachaça.
e) As casas foram tod___ destruídas.
f) Eles não devem ficar s___.
g) S___ eles foram à excursão.
h) É meio-dia e mei___.
i) Os artistas s___ esperam ter seu talento reconhecido.
j) Gostaria de ficar a ___ com você.
40 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Preparando-se

1. Assinale a alternativa correta:


a) Será proibido a entrada aos retardatários.
b) Dado as circunstâncias, retirou-se.
c) O Governo destinou bastantes recursos para o BNH.
d) Seguem anexos três certidões.
e) Eu mesmo, disse ela, cuidarei disso.

2. Complete com as palavras corretas.


I. Correm _________________ aos processos vários documentos.
II. Paisagens as mais belas _______________________.
III. É ____________________ entrada às pessoas estranhas.
a) anexo – possíveis - proibida
b) anexos – possíveis - proibido
c) anexos – possível - proibida
d) anexos – possível - proibido
e) anexo – possível - proibida

3. Água às refeições é _____________ para a saúde. Essa é uma das muitas


preocupações que ___________________ tomar, se quer conservar silhueta.
a) mau – é preciso
b) mal – é preciso
c) má – é preciso
d) mau – são precisas
e) má – são precisas

4. Em que frase a concordância nominal não se fez corretamente?


a) Da terra brotaram água e fogo miraculosos.
b) Para esse trabalho é necessário paciência.
c) Percebi que a porta estava meio aberta.
d) Os filhos, de um modo geral, são tal qual os pais.
e) Envio-lhe anexos os atestados de nascimento.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 41

5. Dentre os trechos abaixo, há um errado no que se refere à concordância de


“possível”.
a) Paisagens as mais belas possíveis.
b) Paisagens o mais belas possíveis.
c) Paisagens o quanto possível belas.
d) Paisagens o mais belas possível.
e) Paisagens belas o mais possível.

6. Poucas coisas hoje sensibilizam ________________________, porque homens e mu-


lheres vivem ___________________ num mundo próprio.
a) consciência e dignidade humana – recolhidas.
b) consciência e dignidade humanas – recolhidos.
c) consciência e dignidade humana – recolhida.
d) consciência e dignidade humanas – recolhido.
e) consciência e dignidade humana – recolhidos.
42 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Aprofundando

2. cOncOrdâncIA nOmInAl (cOntInuAçãO)

1. Mesmo - Próprio
Quando vinculados a um substantivo, flexionam-se, exercendo a função de
pronome demonstrativo.
Ex.: Ela mesma falou assim.

Mesmo
Será invariável quando for conjunção concessiva, advérbio ou palavra deno-
tativa de inclusão.
Exs.: Mesmo vocês disseram isso.
Mesmo chovendo, nós iremos ao encontro.

2. Tal – Qual
Tal concorda como o nome anterior e Qual com o posterior.
Exs.: As filhas eram tais qual a mãe.
Os filhos eram tais quais os pais.

3. Possível
A palavra possível, quando acompanha expressões superlativas tais como
o mais, o melhor, a menos, a pior, as maiores, as menores, varia conforme o
artigo que integra essas expressões.
Exs.: As previsões eram as piores possíveis.
Recebemos a melhor notícia possível.

4. Particípios
Os particípios concordam normalmente com o substantivo a que se referem.
Exs.: Iniciados os trabalhos, todos saíram.
O material foi comprado pelo pedreiro.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 43

Observação: Quando o particípio integra um tempo composto conjugado


na voz ativa, permanece invariável.
Exs.: As professoras tinham feito muitas tarefas. (v. ativa)
As professoras tinham sido enganadas pelos vendedores. (v. passiva)

5. Concordância com a Ideia (siléptica)


Muitas vezes a concordância não é feita com a norma gramatical, mas com
a ideia ou com o sentido que está subentendido nela. A esse tipo de concordân-
cia dá-se o nome de concordância ideológica ou silepse.
Exs.: A dinâmica e populosa S. Paulo continuam sofrendo enchentes. (Silepse de
gênero).
Os estudantes somos interessados.(Silepse de pessoa)
Os “Sertões” conta a Guerra de Canudos.(Silepse de número)

Hora da prática

Preencha as lacunas:

1. Mesmo - Próprio
a) Elas mesm___ apresentaram suas experiências.
b) Ela própri___ fez as reclamações.
c) Eles própri___ resolveram mesm___ questões.
d) Mesm___ Luzia rendeu-se aos argumentos da amiga.
e) Elas viajarão mesm___.

2. Tal - Qual
a) As filhas eram t___ qu___ a mãe.
b) O filho era t___ qu___ os pais.
c) Os filhos eram t___ qu___ o pai.
d) Os filhos eram t___ qu___ os pais.
44 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

3. Possível

}
O mais
O menos
- possível
O melhor
O pior

}
Os mais ou as mais
Os menos ou as menos - possível
Os piores ou as piores
Os melhores ou as melhores

a) São exemplos o mais possív___ belos.


b) São paisagens o mais possív___ belas.
c) São paisagens as mais belas possív___.
d) As recepcionistas são moças as mais belas possív___.

4. Bastante – Longe
a) Você verá ainda bastant___ novidades.
b) Trabalhamos bastant___ e nada ganhamos.
c) Esses alunos são bastant___ curiosos.
d) Bastant___ pessoas compareceram à festa.
e) As notas não foram bastant___ para a sua aprovação.
f) Eles moram long___.
g) Andei long___ caminhos e long___ terras.

5. Caro – Barato: concordam com o nome a que se referem. Quando usados com
verbos de ligação ou modificam substantivo. São invariáveis, quando usados com
outros verbos, especialmente custar.
Preencha as lacunas:
a) A gasolina custa car___.
b) As peras custam car___.
c) As peras estavam car___.
d) Aquelas mercadorias custaram barat___.
e)Aqueles sapatos custaram car___.
f) Compra sempre produtos barat___.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 45

6. Particípios: concordam normalmente com o substantivo a que se referem.


Ficam invariáveis, quando constituem uma locução verbal com o verbo ter ouhaver.

Preencha as lacunas:
a) Iniciad___ os trabalhos, todos, saíram.
b) Iniciad___ a aula, o professor fez a chamada.
c) As questões foram explicad___ pelo professor.
d)As explicações tinham sido dad___ pelo professor.
e) O professor tinha explicad___ a questão.
f) As professoras tinham explicad___ as questões.

Preparando-se

1. Assinale a única frase imperfeita quanto à concordância nominal.


a) Achei muito simpático o ator e atriz.
b) Chegada a hora e a ocasião, partiram.
c) Tinha do nariz, face e boca monstruosos.
d) Tinha do idioma uma posse e um domínio incompletos.
e) O jogador teve uma partida e uma revanche demorada.

2. Idem à anterior:
a) O mar e o céu estavam serenos.
b) Tinham muitas joias e muitos vestidos caros.
c) A árvores cobre-se de flores amarelas.
d) Estudo as línguas inglesas e francesas.
e) Os cansados guerreiros travaram duros combates.
3. Comprou camisa _______________________ e sapatos ________________.
a) azul-marinho - gelo
b) azul-marinho - gelos
c) azuis-marinho - gelos
d) azul-marinhas - gelo
e) azul-marinhos - gelo
46 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

4. Não falavam _________________, porque tinham pouca idade. Era interessante vê-
los ______________________ em suas vistosas roupas _________________________.
a) direito – alegre – rubro-negro.
b) direito – alegres – rubras-negras.
c) direitos – alegres – rubro-negras.
d) direito – alegres – rubro-negras.
e) direitos – alegre – rubro-negras.

5. ____________________, verificou-se a insuficiência de fundos.


Felizmente, havia remetido as promissórias ________________ ao título.
a) Feitos os cálculos - anexas
b) Feito os cálculos - anexas
c) Feito o cálculo – anexo
d) Feitos o cálculo – anexa
e) Feitos os cálculos – anexa

6. Assinale a frase inadequada quanto às normas da gramática padrão.


a) Ela mesmo fez o discurso de posse.
b) Seguem anexas as fotografias do acidente.
c) O exercício encontra-se nas páginas um e dois.
d) Nós próprios assumimos a responsabilidade.
e) Os membros ficaram alerta.

7. Ela _____________ não sabia se as declarações deviam ou não ________________ ao


processo.
a) mesma – ir anexas
b) mesma – irem anexas
c) mesma – ir anexa
d) mesmo – ir anexo
e) mesmo – ir anexos
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 47

Resumo

Toda oração é composta por um sujeito, um verbo e um predicado. A boa


compreensão da gramática é essencial na hora de criar orações. A regência verbal
e a regência nominal normalmente causam muitas dúvidas e é necessário saná-las
para promover a boa comunicação.
Essa unidade procura servir como um guia para essas dúvidas: um lugar ao
qual se tem acesso rápido e fácil na hora de escrever e no qual se podem encontrar
as respostas para as dificuldades mais comuns.
Nem sempre o mais bonito ou o que estamos acostumados a utilizar é o
correto, por isso devemos estar atentos.
48 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Unidade 4 - Concordância Verbal


Objetivos da unidade
Esta unidade tem como objetivos:
► Empregar, corretamente, as formas verbais, obedecendo às diversas nor-
mas gramaticais.

Aprofundando

A concordância verbal é, basicamente, o elemento que harmoniza todas as ora-


ções; é ela que faz com que o sujeito, o verbo e o predicado estejam de acordo entre si.
Saber utilizar bem a concordância verbal, porém, não é tão simples quanto pa-
rece. Novamente, nem sempre o que é mais bonito ou mais usado é o correto. “A gente
vamos ou a gente vai?”, por exemplo, é uma dúvida mais comum que se imagina.
Por fim, empregar corretamente a concordância deixa as orações mais cla-
ras, além de corretas, permitindo que a Língua Portuguesa cumpra melhor seu
papel de promover a fluência da comunicação.

1. nOrmA fundAmentAl, gerAl Ou básIcA


O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa:
Eu compreendo a situação.
Nós compreendemos a situação.
Ela compreende a situação.
Tuas amigas compreendem a situação.

2. nOrmAs especIAIs

1. Caso do e
Sujeito composto por e – verbo no plural.
Pedro e Paulo evangelizaram Roma.
A vida e a morte vêm de Deus.
Note que tanto... quanto... como... não só... mas ainda... não apenas... mas
também... são locuções aditivas enfáticas (e); por isso, o sujeito composto ligado
alternadamente com elas leva o verbo para o plural.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 49

Tanto Pedro quanto Paulo evangelizaram Roma.


Não só a vida mas também a morte vêm de Deus.

2. Caso de ou e nem
O sujeito composto ligado por ou e nem deixa o verbo no singular quando
há exclusão, isto é, a ação verbal só pode ser aplicada a um dos núcleos, ou se quer
indicar essa exclusão. Leva o verbo para o plural, quando a ação verbal se aplica
a todos os núcleos:
Ou Pedro ou Paulo conquistará o lugar de presidente. (A ação só pode ser
aplicada a um dos dois, um exclui o outro).
Nem Pedro nem Paulo conquistará o lugar de presidente. (A ação só pode
ser aplicada a um dos dois, um exclui o outro).
Pedro ou Paulo viajará para o Rio. (Quis indicar que um exclui o outro).
A charneca ou o paul não se convertem em minha vida. (A ação verbal se
aplica a todos os núcleos: charneca e paul).
Nem a guerra nem a fome preocupam ainda a cidade. (A ação verbal se apli-
ca a todos os núcleos).

3. Caso das pessoas diferentes


Se os núcleos do sujeito composto forem de pessoas gramaticais diferentes,
o verbo irá para o plural, mas na pessoa que tiver prioridade. A primeira pessoa
tem prioridade sobre a segunda e a terceira pessoas.
Ex: Eu, tu e o Roberto estudaremos juntos.
A segunda tem prioridade sobre a terceira.
Ex: Tu e Ana sois testemunhas da verdade.
Também é correta a forma: Tu e Ana são testemunhas da verdade.

4. Caso do sujeito posposto


Estando o sujeito posposto ao verbo, pode este concordar com o núcleo mais
próximo ou com todos os núcleos:
Daí a pouco desabaram o teto e as paredes da capela. (O verbo concordou
com todos os núcleos: teto e paredes).
Aí vens tu e os teus companheiros de mentira. (O verbo concordou com o
núcleo mais próximo: tu).
Aí vindes tu e os teus companheiros de mentira. (O verbo, no plural, concor-
dou com todos os núcleos, prevalecendo a segunda pessoa: tu + eles = vós).
50 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Ou pagas tu ou eu. (Neste caso, o verbo só pode concordar com o núcleo


mais próximo – tu – porque, além da posposição do sujeito ao verbo, há a exclu-
são estudada na norma especial nº 2).
Do mesmo pai, nasceu Esaú e Jacó. (Não importa que o sujeito composto
seja constituído de nomes próprios, a regra de concordância permitirá o verbo no
singular ou no plural).

5. Caso do sujeito intercalado


Quando o verbo vem entre os dois núcleos do sujeito, concorda com o
primeiro.
Nações que o Reno frio lava e o Danúbio.

Foi esta lei que Cristo nos legou e os santos.

6. Caso do sujeito composto de infinitivos indeterminados


O verbo fica no singular. A norma não se alterará se esses infinitivos consti-
tuírem orações.
Comer, andar e dormir é proveitoso à saúde.
Acordar cedo, comer moderadamente e andar a pé conserva a saúde.

O verbo ficará no plural


a) Quando os infinitivos vierem determinados.
O comer, o andar e o dormir são proveitosos à saúde.
b) Quando os infinitivos apresentarem oposição de sentido:
Rir e chorar não se coadunam.
Rir de alegria e chorar de tristeza não se coadunam.

7. Casos de com
Sujeito acompanhado de um elemento ligado pela preposição com – o verbo
concorda apenas com o primeiro elemento, que é sujeito, figurando o segundo
elemento como um adjunto adverbial de companhia.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 51

O nosso santo Padre com todos os portugueses se despediu del-rei.


Também é correto pôr o verbo no plural, concordando com todos os ele-
mentos. Nessa situação, o com será conjunção aditiva.
O nosso santo Padre com todos os portugueses se despediram del-rei.

Suj. Composto

8. Caso de como, tanto quanto, tanto como (juntos), assim como, do mesmo
modo que
O verbo concorda apenas com o primeiro elemento.
O estudo, como os trabalhos, enobrece o espírito.
O trabalho, tanto como os estudos, enobrece o espírito.
Os estudos, tanto quanto o trabalho, enobrecem o espírito.

Entenda-se: Os estudos enobrecem o espírito, tanto quanto o trabalho (eno-


brece o espírito). O segundo elemento faz parte de uma oração subordinada
adverbial comparativa com o predicado

Hora da prática

Nos exercícios de 1 a 18, faça a concordância, escolhendo a forma verbal adequada:


1. Naquele dia _______________ dez alunos. (faltou/faltaram)
2. _________________ naquela época, fatos terríveis. (Aconteceu/Aconteceram)
3. Ainda _______________ quarenta blocos. (faltam/faltaram)
4. Ainda não _______________ os documentos. (chegou/chegaram)
5. ________________ cinco minutos para começar a aula. (falta/faltam)
6. _______________ quatro pessoas para fazer o trabalho. (Basta/Bastam)
7. Um bando _______________. (chegou/chegaram)
8. Um bando de alunos _______________. (chegou/chegaram)
9. A multidão ________________. (gritava/gritavam)
10. A multidão de torcedores _________________. (gritava/gritavam)
52 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

11. A maioria _________________ à aula. (faltou/faltaram)


12. A maioria dos alunos _______________ à aula. (faltou/faltaram)
13. Grande parte _______________ à cerimônia. (compareceu/compareceram)
14. Grande parte dos convidados ____________ à cerimônia. (compareceu/compa-
receram)
15. Minhas Gerais _____________ grandes escritores. (revelou/revelaram)
16. As Minas Gerais _____________ grandes escritores. (revelou/revelaram)
17. Os Estados Unidos _____________ milho. (exporta/exportam)
18. Campinas _____________ grandes jogadores. (revelou/revelaram)

Preparando-se

1. Não chove _________ meses; mas a esperança e vigor que sempre ______________ no
sertanejo não o _______________.
a) faz – existiu – abandonou
b) faz – existiram - abandonaram
c) fazem – existiu - abandonou
d) fazem – existira - abandonaram
e) fazem – existiu - abandonaram

2. ________ fazer cinco meses que não a vemos; ________ existir motivos imperiosos
para a sua ausência, pois, se não _____________ ela já nos teria procurado.
a) Vai – deve - houvessem
b) Vai – devem - houvesse
c) Vão – deve - houvessem
d) Vão – devem - houvesse
e) Vão – devem - houvessem

3. Como ____________ meses que a produção estava parada não ___________ peças
_____________ para entender a clientela.
a) faziam – haviam - suficientes
b) faziam – havia - suficiente
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 53

c) faziam – havia - suficientes


d) fazia – havia - suficientes
e) fazia – haviam - suficientes

4. Indique a alternativa correta:


a) Tratavam-se de questões fundamentais.
b) Comprou-se terrenos no subúrbio.
c) Precisam-se de datilógrafas.
d) Reformam-se ternos.
e) Obedeceram-se aos severos regulamentos.

5. Num dos provérbios abaixo não se observa a concordância prescrita pela gra-
mática. Indique-o:
a) Não se apanham moscas com vinagre.
b) Casamento e mortalha no céu se talha.
c) Quem ama o feio, bonito lhe parece.
d) De boas ceias, as sepulturas estão cheias.
e) Quem cabras não tem e cabritos vende, de algum lugar lhe vêm.

6. A essa altura, não ___________ mais ingressos, pois já ___________ dias que a casa
tem estado com a lotação esgotada.
a) deve haver - faz
b) deve haver - fazem
c) deve haverem - faz
d) devem haver - fazem
e) devem haver - faz

7. Complete as seguintes frases observando a concordância verbal e, depois, assi-


nale a opção certa:
I. Como __________ haver pessoas tão generosas. (Pode – imp. ind.)
II. ___________ - se, muito longe, os sinos na igreja. (Ouvir – imp. ind.)
III. ___________ muitos anos que ela não vai a festas. (Fazer – pres. ind.)
IV. Eles sempre se _________ com dignidade. (Haver – perf. ind.)
V. ___________ - se muitas pessoas dirigindo-se à matriz. (Ver – pres. ind.)
54 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

a) podia – ouviam – faz – houveram - veem


b) podiam – ouvem – fazem – houveram - vêm
c) podia – ouvia – faz – havia - veem
d) pôde – ouve – fazem – houveram - vêem
e) N.D.A.

8. Por falta de verba, ______________ as experiências e os estudos que se


____________.
a) foi suspenso – planejava fazer
b) foram suspensos – planejava fazer
c) foram suspensos – planejavam fazer
d) foram suspensos – planejavam fazerem
e) foi suspenso – planejavam fazer

9. Asseguro a V. Sa. que não ____________ incomodar-_____ com a elaboração dos


testes; __________ ficar tranqüilo.
a) precisa – se – pode
b) precisa – se – podes
c) precisas – te – podes
d) precisais – vos – podeis
e) precisa – vos – pode

10. De hoje em diante, _______________ as licenças mensais.


a) fica suspenso
b) fica em suspenso
c) ficam suspensas
d) ficam suspenso
e) fica suspensas
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 55

Aprofundando

3. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO)

1. Caso da gradação
Sujeito composto cujos núcleos, todos no singular, formam gradação (ausên-
cia de e) verbo no singular ou no plural.
A razão, o coração, a imaginação retrocede com espanto.
A razão, o coração, a imaginação retrocedem com espanto.
A gradação da gramática corresponde ao assíndeto de estilística. [o que é isso?]

2. Caso dos núcleos referentes à mesma pessoa ou coisa


O verbo fica no singular.
A rainha da Inglaterra e a Imperatriz das Índias concede-vos esta mercê.
(A rainha da Inglaterra é a mesma Imperatriz das Índias).
O médico e escritor João Mohana faz-se sacerdote católico.
O satélite da Terra ou a Lua não possui atmosfera.

3. Caso dos núcleos sinônimos


Verbo no singular ou no plural.
O desalento e a tristeza abalou-me.
O desalento e a tristeza abalaram-me.

4. Caso do aposto recapitulativo


Quando o sujeito composto se resume num aposto recapitulativo, como
tudo, nada, nenhum, ninguém, cada um, cada qual, o verbo concorda com o apos-
to recapitulativo.
Os berros, os argumentos, as risadas, tudo parou, num gélido silêncio.
Jogos, conversações, espetáculos, nada o tirava do seu retiro.
As plantas, rios, flores, prados, fontes, cada um com língua muda ao sol falava.

5. Caso de um e outro, nem um nem outro


Verbo no singular ou no plural:
56 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Um e outro disse a verdade.


Um e outro disseram a verdade.
Nem um nem outro empregado servia.
Nem um nem outro empregado serviam.
Uma e outra cousa era boa.
Uma e outra cousa eram boas.
(Observe que, se depois de um e outro vier um substantivo, ficará sempre no
singular o substantivo e a forma verbal no singular ou plural).
Uma e outra cousa eram boas./era/

6. Caso de mais de um
Quando o sujeito é a expressão mais de um, seguida ou não de substantivo, o
verbo:

I. Fica no singular, se não houver reciprocidade.


Mais de um soergueu-se.
Mais de um réu obteve a liberdade.
Mais de um professor tentou ajudá-lo.

II. Vai para o plural


a) Se houver reciprocidade.
Mais de um se esbofetearam.
Mais de um político deram-se as mãos.
b) Se a expressão mais de um estiver repetida.
Mais de um oficial... mais de um general foram mortos.

7. Caso do quem, o que, aquele que


a) O pronome quem é da 3ª pessoa do singular e para essa pessoa leva o verbo:
Sou eu quem paga.
Somos nós quem paga.
São eles quem paga.
És tu quem paga.
Sois vós quem paga.

Pode, porém, o verbo concordar, por atração, com o pronome pessoal anterior:
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 57

Sou eu que pago.


São eles quem pagam.
És tu quem pagas.

b) Com o que, aquele que, dá-se, semelhantemente, a dupla concordância: o verbo


concorda com esses pronomes, na 3ª pessoa, ou com o pronome pessoal anterior:
Sou eu o que pago.
Sou eu aquele que paga.
Sou eu o que pago.
És tu aquele que pagas./ paga
Somos nós os que pagam.
Somos nós aqueles que pagamos.
Somos nós aqueles que pagam.
Somos nós os que pagamos.
Sois vós os que pagam.
Sois vós aqueles que pagam.
Sois vós os que pagais.
Sois vós aqueles que pagais.

8. Caso do que
Quando o sujeito é o pronome que, o verbo concorda sempre com o pronome
pessoal ou substantivo antecedente:
Sou eu que pago.
És tu que pagas.
Somos nós que pagamos.
Sois vós que pagais.
São eles que pagam.
São os pobres que sofrem.

9. Caso do é que
É mera expressão de realce, em nada altera a concordância do verbo com o
seu sujeito.
Nós é que somos verdadeiros patriotas. (Nós (é que) somos verdadeiros pa-
triotas).
Vós é que sois responsáveis. (Vós sois responsáveis).
58 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

10. Caso de um dos que


No português moderno prefere-se o verbo plural.
Lês foi um dos que mais trabalharam.
No português clássico usava-se (e ainda pode usar, querendo) também o singular:
Ele foi um dos que mais trabalhou.

Hora da prática

Preencha corretamente:
1. Alguns de nós __________ o exercício. (resolveremos/resolverão).
2. Quais de vós ____________ o candidato? (apoiastes/apoiaram)
3. Poucos de nós ____________. (viajamos/viajaram)
4. Qual de nós ____________ a decisão? (aceitará/aceitaremos)
5. Algum de nós ____________ o prêmio. (entregará/entregaremos)
6. O relógio da igreja ____________ duas horas. (deu/deram)
7. O Amazonas ___________ longe. (fica/ficam)
8. “Os Lusíadas” _____________ a viagem de Vasco da Gama. (contam/conta)
9. Vossa Majestade ______________ e reunião. (compareceu/comparecestes)
10. Vossas Excelências ____________ a decisão. (apoiaram/apoiastes)
11. Vossa Alteza ____________ os problemas. (conhece/conheces)
12. Fui eu que ____________ o problema. (resolvi/resolveu)
13. Fomos nós que ___________ a dívida. (pagamos/pagou)
14. Ele foi um dos que ___________. (compareceu/compareceram)
15. Valéria fica uma das que ____________. (passou/passaram)
16. Fui eu quem ___________ o exercício. (resolvi/resolveu)
17. Fomos nós quem ___________. (colaborou/colaboramos)
18. Fomos nós quem ___________ a conta. (pagou/pagamos)
19. Mais de um clube ___________ o campeonato. (ganhou/ganharam)
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 59

Preparando-se

1. Os novos modelos trazem novidades que não ___________, mas enfeites que to-
dos _________.
a) se veem – vêm
b) se vê - vêm
c) se vêm – veem
d) se vê - veem
e) se vêem - veem

2. __________ três meses que não __________ os pássaros.


a) Faziam – vias-se
b) Fazia – viam-se
c) Fazia – se viam
d) Fazia – se via
e) Faziam – se viam

3. Já ______________ muitos anos que se alteraram algumas regras de acentuação, mas


__________ muitas pessoas que ainda ____________ ao grafar certas palavras.
a) deve fazer – há – hesitam
b) devem fazer – tem – excitam
c) deve fazerem – há – hesita
d) deve fazer – tem – hesitam
e) fazem – há – excitam

4. _____________ existir discos voadores, mas muitos testemunhos já __________ que


____________ considerar absurdo.
a) Podem – houve – podem
b) Pode – houve – podem
c) Podem – houveram – pode
d) Pode – houve - pode
e) Podem – houveram – podem
60 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

5. Aponte a concordância menos aceitável:


a) Isto são sintomas menos sérios.
b) Aquilo são lembranças de um triste passado.
c) Paula foi os sonhos de toda a família.
d) Aquela jovem tinha duas personalidades.
e) Pedrinho eram as preocupações da família.

6. ______________ dez horas que se ___________ iniciado os trabalhos de apuração dos


votos sem que se ______________ quais eram os candidatos vitoriosos.
a) Fazia – haviam – previsse
b) Faziam – haviam – previsse
c) Fazia – havia – previsse
d) Faziam – havia – previssem
e) Fazia – haviam – previssem

7. Alguns sócios deixaram a firma ___________ alguns meses, mas ainda ______________
resolver alguns pontos, antes que se ____________ a partilha das propriedades.
a) faz – faltam – definam
b) faz – falta – defina
c) fazem – faltam – defina
d) fazem – falta – defina
e) fazem faltam - definam

8. Já _____________ ser sete horas quando, ___________ a fumaça e o fogo, os bombei-


ros abandonaram o local do incêndio.
a) deveria - extinto
b) deveria - extinta
c) deveria - extintos
d) deveriam - extinta
e) deveriam - extintos

9. Em todas as opções, o verbo pode ir para o plural ou para o singular exceto em:
a) Um grande número de fugitivos ____________ (sair) pelas montanhas.
b) Um bando de papagaios _____________ (pousar) no laranjal.
c) Mais de um ciclista ____________ (caiu) da bicicleta.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 61

d) Pequena parte dos visitantes ____________ (estar) em silêncio.


10. Assinale a opção correta:
a) Mais de um retirante se afastou do serviço.
b) Qual de vós sabeis do retirante?
c) Podem haver, no campo, dias horríveis.
d) Espera-se dias mais propícios.

Aprofundando

3. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO)

1. Caso do pronome interrogativo ou indefinido + de nós ou de vós.


Quando o sujeito é um pronome interrogativo ou indefinido (qual, algum, ne-
nhum), seguido pela expressão de nós ou de vós.

a) Estando o primeiro pronome no singular, é com ele que se faz a concordância:


Qual de vós me arguirá de pecado?
Algum de vós duvidará?
Nenhum de nós sobreviverá.
b) Estando o primeiro pronome no plural, o verbo concordará com o pronome
indefinido ou pronome pessoal.
Quais de vós me arguirão de pecado?
Quantos de nós estarão arrependidos?
Alguns de nós sobreviverão.
Alguns de nós sobreviveremos.

2. Caso do coletivo
O sujeito deixa o verbo no singular.
A multidão bradava.
A turma debandou.
Estando o coletivo acompanhado de um adjunto plural, o verbo pode ficar no sin-
gular, concordando com o coletivo, ou ir para o plural concordando, por atração,
com o adjunto plural.
62 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

A multidão dos crentes tinha um só coração e uma só alma.


A multidão dos crentes tinham um só coração e uma só alma.
Um rancho de meninos descia ao jardim.
Um rancho de meninos desciam ao jardim.

3. Caso de perto de, cerca de, mais de, menos de


O verbo concorda com a palavra seguinte.
Perto de uma dúzia se perdeu.
Perto de cem tripulantes pereceram no naufrágio.
Cerca de um cento de frutas se estragou.
Cerca de um cento de frutas se estragaram. [ou um ou outro, não?]

4. Caso do plural material


Às vezes, a palavra está materialmente no plural, mas representa ideia de sin-
gular. E, por isso, o verbo fica no singular:
Casas é substantivo. (A palavra casas)
Homens está no plural. (A palavra homens)
“Nós funciona como sujeito da oração. (O pronome nós)

5. Caso do nome próprio no plural


Se o nome tiver artigo, o verbo se regerá pelo artigo.
O Amazonas corre majestoso para o oceano.
Os Pirineus separam a França da Espanha.
Se o nome não tiver artigo, ficará o verbo no singular.
Campos é a maior cidade fluminense.
Lavras fica na Região Sul.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 63

Hora da prática

Escolha a forma verbal adequada:


1. Mais de duas pessoas ___________ a reunião. (faltou/faltaram)
2. Mais de um aluno, mais de um professor ____________. (faltou/faltaram)
3. Mais de um veículo ___________. (chocou-se/chocaram-se)
4. Cerca de vinte pessoas _____________. (compareceu/compareceram)
5. Perto de trinta soldados _____________. (morreu/morreram)
6. _____________ o livro e as encomendas. (Chegou/Chegaram)
7. _____________ as encomendas e o livro. (Chegou/Chegaram)
8. A previsão e os resultados _____________. (falhou/falharam)
9. _____________ a previsão e os resultados. (Falhou/Falharam)
10. Livros, roupas, brinquedos, tudo _____________ fora de lugar. (estava/estavam)
11. Primos, tios, sobrinhos, ninguém ____________. (faltou/faltaram)
12. _____________ duas horas no relógio da igreja. (Bateu/Bateram)
13. A torre da igreja ____________ quatro horas. (bateu/bateram)
14. _____________ quatro horas na torres da igreja. (Bateu/Bateram)
15. _____________ - se em discos voadores. (Acredita/Acreditam)
16. ____________ - se de assuntos importantes. (Tratava/Tratavam)
17. ____________- se aos pedidos do mestre. (Obedeceu/Obedeceram)
18. _____________ - se em pessoas honestas. (Confia/Confiam)
19. _____________ - se casas. (Vende/Vedem)
20. _____________ - se apartamentos na praia. (Aluga/Alugam)
21. _____________ - se aulas de piano. (Dá/Dão)
22. _____________ - se roupas. (Reforma/Reformam)
23. _____________ muitos torcedores no estádio. (Havia/Haviam)
24. _____________ muitos torcedores no estádio. (Existia/Existiam)
64 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Preparando-se

1. A apuração dos dois crimes ____________ até que se ___________ provas decisivas:
a) vai continuar - encontrem
b) vão continuar - encontre
c) vão continuar - encontrem
d) vai continuarem – encontrem
e) vão continuarem - encontrem

2. Acredito que ____________ muitas enchentes, pois __________ fatos que __________
afirmá-lo.
a) haverão – ocorre - permitem
b) haverá – ocorre - permitem
c) haverá - ocorrem - permitem
d) haverão – ocorre - permite
e) haverão – ocorre - permite

3. Se V. Exa. _____________ partir, só me resta desejar-_____ que __________ feliz.


a) pensais – vos - seja
b) pensa – lhe – seja
c) pensais – vos - sejais
d) pensa – vos - sejais
e) pensais – lhe - seja

4. Assinale a opção certa:


a) Falta, para o término do semestre letivo, apenas dois meses.
b) Não podiam mais haver contemporizações.
c) Já vai fazer cinco anos que vivo aqui.
d) Não faltou, para entrevistar os recém-eleitos, repórteres de todos os jornais.

5. Se pluralizarmos as expressões grifadas, a opção em que o verbo não pode ficar


no plural é:
a) Vê-se ao longe viçoso mangueiral.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 65

b) Não se atribua ao colega este insucesso.


c) Aqui, precisa-se de muito operário.
d) Urge que se venda a fazenda.

6. Marque a alternativa em que o verbo não concorda com o sujeito:


a) Dever-se-ão usar todos os recursos?
b) Precisou-se de todos para a tarefa.
c) Precisaram-se todas as falhas do processo.
d) Fez-se, ao longo de todo o expediente, todos os reparos necessários.

7. Marque a frase em que há erro de concordância verbal:


a) Quais de vós sabem a verdade?
b) Qual de vós sabeis a verdade?
c) A maioria dos alunos sabia a verdade.
d) A maioria dos alunos sabiam a verdade.

8. A frase em que a concordância verbal está correta, encontra-se na opção:


a) 3/5 da turma compareceu à aula.
b) 55% dos candidatos obteve a classificação.
c) Quantos de vós ficastes sem explicação?
d) Qual de nós sabemos a respostas?

9. A propósito de “haver”, marque a opção correta:


a) Haviam pessoas interessadas na reunião.
b) Podem ter havido opiniões contrárias.
c) Tinha havido vários convites à população.
d) Os proponentes já deve haver solicitado socorros.

10. A propósito de “haver”, marque a opção correta:


a) Houveram dois casos de meningite naquela região.
b) Tinha havido alguns casos fatais no interior.
c) Devem ter havido mais casos em outras localidades.
d) As autoridades já deve haver tomado sérias providências.
66 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Aprofundando

3. cOncOrdâncIA verbAl (cOntInuAçãO)

1. Casos do verbo ser

a) O verbo ser pode seguir a regra geral concordando com o sujeito, e pode con-
cordar com o predicativo.
A vida é ilusões.
A vida são ilusões.

b) Quando, porém, o sujeito indica pessoa, é obrigatório a concordância com o


sujeito.
Esta menina é as alegrias da família.
Maria era as delícias dos pais.

c) Se o sujeito indicar quantia ou quantidade, o verbo concordará com o predicativo.


Dois mil cruzados são poucos.
Dois mil cruzados é pouco.
Duas colheres são suficientes.
Duas colheres é suficiente.

d) O verbo ser impessoal concorda com o predicativo.


É uma hora.
São duas horas.
Eram cinco horas da tarde.

2. Caso do verbo parecer

a) Também com o verbo parecer pode-se fazer a concordância com o predicativo.


Tudo na vida parecem espinhos e dores.

b) Quando o predicativo do sujeito é um infinitivo, o verbo parecer concorda com


o sujeito, na forma normal.
As estrelas parecem sorrir.
Pode-se, porém, usar outra construção.
As estrelas parece sorrirem.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 67
Neste caso, o verbo parecer é impessoal e a oração: As estrelas sorrirem é o predi-
cativo do sujeito. Outros entendem que esta oração é o sujeito de parece, que se
tornaria verbo intransitivo.

3. Casos dos verbos dar, bater, soar, referindo-se a horas.

a) Se houver o sujeito expresso relógio com ele o verbo concordará.


O relógio da Sé deu dez horas.

b) Não havendo o sujeito relógio, o verbo concordará com horas.


Deram oito horas.
Bateram duas horas.
Soaram quatro horas no relógio da Sé.

4. Casos de haver e existir


Haver, no sentido de existir, é verbo impessoal e, por isso, fica na 3ª pessoa do
singular, mas existir, que é verbo pessoal, tem de concordar com o seu sujeito.
Há outras soluções. (outras soluções – objeto direto)
Existem outras soluções. (outras soluções – sujeito)
O auxiliar do verbo impessoal também se torna impessoal. O auxiliar do verbo
pessoal também é pessoal:
Pode haver outras soluções. (outras soluções – objeto direto)
Podem existir outras soluções. (outras soluções – sujeito)

5. Casos de haver e fazer, indicando tempo decorrido.


São verbos impessoais ficam, pois, na 3ª pessoa do singular.
Há dez anos/que estudo aqui. (dez anos – objeto direto)
Vai fazer dez anos/que moro aqui. (dez anos – objeto direto)
Faz dez anos/que moro aqui. (dez anos – objeto direto)

6. Casos do verbo haver – pessoal

a) Como verbo auxiliar = ter.


Nada haviam resolvido (tinham resolvido)

b) Igual a obter.
Os condenados houveram comutação da pena ( obtiveram)

c) Igual a julgar.
Os conhecidos o haviam por digno e honesto.
68 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

d) Pronominal, igual a portar-se.


Os alunos se houveram com absoluta correção. (se portaram)

7. Haja vista
Hajam vista os últimos acontecimentos. (O verbo haver concordou com os últi-
mos acontecimentos, que se considerou o sujeito).
Haja vista os últimos acontecimentos. (Empregou-se haja vista como uma ex-
pressão fixa e invariável semelhante a veja, figurando os últimos acontecimentos
como objeto direto).

São também corretos:


Haja vista aos últimos acontecimentos, e Haja vista os últimos acontecimentos.

Observação: Não existe haja visto.

8. Um caso de silepse de pessoa

Os cearenses somos hospitaleiros. O verbo concordou, não com o termo ex-


presso – os cearenses, mas com a idéia de nós, nele contida, já que quem disse
a frase também é cearense e por isso se inclui no sujeito. Se quem fala não fosse
cearense, diria:
Os cearenses são hospitaleiros.

Hora da prática

Preencha corretamente.
1. ____________ haver muitos torcedores no estádio. (deve/devem)
2. ____________ existir muitos torcedores no estádio. (deve/devem)
3. _____________ de haver sérios problemas. (há/hão)
4. _____________ de existir sérios problemas. (há/hão)
5. Ainda ____________ resolver quatro exercícios. (falta/faltam)
6. O livro e as encomendas ______________. (chegou/chegaram)
7. Primos, tios, sobrinhos, todos ______________ à festa. (foi/foram)
8. Eu, tu e ele _____________ a tarefa. (fizemos/fizeste)
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 69

9. Ele, tu e eu _____________ o pedido. (confirmamos/confirmastes)


10. Tu e teu colega ____________ a tempo. (chegastes/chegaram)
11. Teus amigos e tu _____________ o problema. (sabeis/sabem)
12. O Corinthians ou o Santos _____________ campeonato. (ganharão/ganhará)
13. Fortaleza ou Recife _____________ bons lugares para as férias. (são/é)
14. _____________ uma hora e dez minutos. (são/é)
15. _____________ duas horas e quinze minutos. (é/são)
16. _____________ bem mais de uma hora. (é/são)
17. Daqui a Campinas _____________ cem quilômetros. (é/são)
18. Os culpados _____________ vós. (são/sois)
19. O responsável _____________ eu. (é/sou)
20. Capitu _____________ as preocupações de Bentinho. (era/eram)
21. Laís ____________ as alegrias da casa. (era/eram)
22. Aquilo _____________ tolices de criança. (era/eram)
23. Isto _____________ preocupações sem sentido. (é/são)
24. Cem milhões _____________ muito. (é/são)

Preparando-se

1. “Se não houvesse ingratidões, como haveria finezas?” (Manuel Bernardes).


Atentando para a concordância do verbo “haver” e do seu sinônimo “existir”,
assinale a opção correta:
a) Se não existisse ingratidões, como haveria finezas?
b) Se só houvessem finezas não existiriam ingratidões.
c) Só existirá finezas se houver ingratidões.
d) Existem finezas porque há ingratidões.

2. Se ________ mais tarefas a executar ________ mais elementos na equipe de trabalho.


a) houvessem – deveriam existir
b) houvesse – deveria existir
c) houvessem – deveria existir
d) houvesse – deveriam existir
e) houvessem – deveriam existirem
70 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

3. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase inicial:


V. Exa. __________ que eu _________ traga __________ jornal?
a) quer – lhe – vosso
b) quer – vos – seu
c) quereis – vos – vosso
d) quer – lhe – seu
e) quereis – lhe – vosso

4. Não __________ ainda sete horas, e já __________ muitas pessoas que __________ o
início do expediente.
a) seriam – haviam – aguardava
b) seriam – havia – aguardavam
c) seria – haviam – aguardava
d) seria – haviam - aguardavam
e) seria – havia - aguardavam

5. No dia marcado, ___________-se as provas, a que __________ de ___________ apenas


dois por cento dos candidatos.
a) realizou – deixou – comparecer
b) realizou – deixaram – comparecer
c) realizou – deixou – comparecerem
d) realizaram – deixou - comparecerem
e) realizaram – deixaram – comparecer

6. Assinale a alternativa com correta concordância verbal:


a) Rogo a V. Exa. vos digneis aceitar o meu convite.
b) As joias e o dinheiro ficou na gaveta.
c) Tu, eu e ele fostes ao encontro de José.
d) Antigamente deviam existir ali belas matas.
e) Antigamente deviam haver ali belas matas.

7. Se ___________ naqueles anos felizes, pensando nos tempos que ___________ de


chegar, não ______________ acontecido muitas coisas desagradáveis.
a) houverem – haviam – haveria
b) houvessem – haviam – haveriam
c) houvessem – havia – haveria
d) houvesse – havia – haveria
e) houverem – havia -haveriam
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 71

8. Considerando-se os verbos haver, fazer, e dar. Assinale a frase correta:


a) Sempre haverão vozes discordantes.
b) Vão fazer três anos, a contar do momento em que comecei o projeto.
c) Deu dez horas no relógio, é agora!
d) Deu duas horas na torre, é agora!
e) Hão de trazer o que me prometeram! Ora, se hão!

9. O campeonato foi vencido por Emerson, ____________ o seu extraordinário de-


sempenho nas últimas corridas realizadas na Europa.
a) hajam vista
b) haja vista
c) haja visto
d) hajam visto
e) haja vistas

10. Assinale o item que não apresenta erro de concordância:


a) Ainda resta cerca de vinte alunos.
b) Haviam inúmeros assistentes na reunião.
c) Tu e ele saireis juntos.
d) Foi eu quem paguei as suas dívidas.
e) Há de existir professores esforçados.

Resumo

A unidade de concordância verbal busca esclarecer as dúvidas mais frequen-


tes a respeito do tema. Dividida em tópicos serve como um guia de busca rápida
para aqueles que dela dispõem.
Nota-se que há sempre algum elemento na oração que guia a flexão verbal e é a
ele que devemos estar sempre atentos: assim, as coisas se tornam mais simples. Não
devemos, porém, desviar a atenção das formas invariáveis e de algumas expressões
que usamos bastante no dia-a-dia e, muitas vezes, não sabemos conjugar bem.
Por fim, observamos que a melhor forma de aprender a aplicar bem a con-
cordância verbal é exercitando.
72 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Unidade 5 - Crase

Objetivos da Unidade

Esta unidade destina-se a dar melhor compreensão de sua utilização: desde


os usos obrigatórios, passando pelos facultativos e chegando aos casos em que a
crase não pode ser usada.

Aprofundando

Ao contrário do que muita gente pensa, crase não é acento. O sinal gráfico usado
para marcá-la é o do acento grave, mas ela representa a união do artigo “a” com a pre-
posição “a” ou com algum pronome feminino também começado com a letra “a”.
Mesmo que a pronúncia de uma frase não mude independente da presença da
crase, o sentido dela pode mudar completamente e um bom exemplo disso é o nosso
hino nacional: “ouviram do Ipiranga as margens plácidas” é completamente diferente
de “ouviram do Ipiranga às margens plácidas”. Você sabe explicar por quê?
A crase é uma fusão de dois fonemas (vocálicos). Representa-se graficamen-
te a crase pelo acento grave. A crase, neste caso específico, pode ocorrer entre a
preposição “a” e o artigo definido “a” (as) ou com os pronomes demonstrativos
aquele, aquela, aqueles, aquelas e aquilo.
Ex.: Dei um presente à senhora Andrea

Prep. a + Artigo a

Obs.: O verbo “dar” é transitivo direto e indireto ao mesmo tempo e a palavra


senhora pede a antecedência do artigo feminino.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 73

Nota:
Vou à ponte metálica (correto)
Venho da ponte metálica (correto)
Venho de + a ponte metálica
Prep. a + Artigo a

Entreguei o bilhete àquela mulher = Entreguei o bilhete a + aquela mulher.


Vendi um terreno àquele homem = Vendi um terreno a + aquele homem.
Não dei importância àquilo = Não dei importância a + aquilo.

1. crAse ObrIgAtÓrIA

a) Troca de “a” por “ao” mediante uma palavra masculina


Ex.: Doei um hospital à comunidade.
Doei um hospital ao povo

b) Nas locuções adverbiais, nas conjuntivas e nas prepositivas, às vezes, às ton-


tas, às claras, às cinco horas, às dez horas da manhã, à medida que, às escuras,
às pressas.
Ex.: O barco navegava à deriva.
Os participantes embarcarão às seis horas.
À noite sairemos.

c) Os femininos que constituem tais locuções podem ficar subentendidos,


Ex. Fernando escreveu à Rui Barbosa. (à moda de)
Vovó cozinhava à mineira.

d) A palavra “distância” só admite crase se vier especificada.


Ex. Permanecemos à distância de cinco metros.

Nota: O adversário estava a distância.


Observe: Semáforo a 100 m. (= 100 m de distância). Semáforo à 100 m.
(= à distância de 100 m)

e) A palavra “casa” só admite crase se vier especificada.


74 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Ex. Dirigi-me a casa. (sem crase)


Dirigi-me à casa de Clara

f) As palavras que indicam localidade admitem crase quando pedirem obrigato-


riamente a antecedência do artigo.
Estou em Fortaleza. (o substantivo não exige o artigo)
Estou na Europa (o substantivo exige artigo)
Retornei a Fortaleza. (sem crase)
Retornei à Europa, ano passado.
Observe:
Estou em Fortaleza
Estou na Fortaleza de José de Alencar.

Nota: Os nomes de localidades que não pedem artigo se estiverem especifi-


cados, passam a exigi-lo.
Ex. Iremos à Roma Antiga.

g) A palavra terra só admite crase se não indicar “chão firme”.


Ex.: Os marujos foram a terra.
Os marujos foram à terra de seus ancestrais.

Observe:
Terra = nome do planeta
Os astronautas retornaram à Terra.

h) Exemplos: há casos em que os demonstrativos “a” (= aquela), as (= aquelas)


fundem-se com a preposição “a”.
Ex.: Entreguei o prêmio à que merecia.

2. crAse fAcultAtIvA

Usa-se facultativamente a crase:


a) Antes dos pronomes possessivos.
Ex.: Fiz a doação da casa a minha irmã.
Fiz a doação da casa à minha irmã.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 75

b) Antes dos nomes próprios (de pessoas).


Ex.: Deixo minha gratidão a Graça.
Deixo minha gratidão à Graça.

c) Após a preposição “até”.


Ex.: Fui até a igreja.
Fui até à igreja.

3. AusêncIA de crAse

a) Antes de palavras masculinas. Ex.: fiz referência a filmes antigos.


b) Pronomes indefinidos. Ex.: não contei o fato a ninguém
c) Pronomes demonstrativos. Ex.: todos já saíram a esta hora.
d) Pronomes de tratamento. Ex.: dirijo-me a Vossa Excelência.
e) Pronomes relativos. Ex.: esta é a obra a que me referia.
f) Entre palavras repetidas. Ex.: ficamos frente a frente.
g) Antes do verbo. Ex.: estou disposto a conversar.
h) Com “s” no singular e a palavra seguinte no prural. Ex.: refiro-me a amigas fiéis.
i) Antes do artigo uma. Ex.: entreguei as flores a uma mulher que se encontrava lá.
j) Antes do numeral. Ex.: contei de 1 a 3.

Observações: Usa-se crase antes do numeral “uma” em locução adverbial.


Ex.: Viajaremos à uma hora da manhã.

k) Antes do pronome pessoal do caso reto “ela”. Ex.: fiz alusão a ela.
i) Antes da expressão “Nossa Senhora”. Ex,: fiz promessa a Nossa Senhora.
76 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Hora da prática

Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as


lacunas da frase apresentada.

1. O orador, homem _________, usou de todos os recursos, __________ de eliminar


___________.
a) iminente – a fim – previlégios
b) eminente – afim – previlégios
c) iminente – afim – privilégios
d) eminente – a fim – privilégios
e) eminente – a fim – previlégios

2. V. Exa. ____________ de ____________ _____________ próprios a respeito das últimas


determinações do Ministério.
a) havereis – entender-vos – com nós
b) haverá – entender-se – com nós
c) havereis – entender-vos – conosco
d) havereis – entender-se – com nós
e) haverá – entender-se – conosco

3. ___________-lhe os documentos; nada ____________ a _____________.


a) enviamos – autorizá-los-á – devolver-lhos
b) enviamo – os autorizará – devolvê-los
c) enviamos – os autorizará – devolvê-los
d) enviamo – autorizá-los-á – devolver-lhos
e) enviamo – os autorizará – devolver-lhos

4. Os ____________ distribuídos ontem vêm provocando ____________ entre os alunos.


a) jornalzinhos – mal-entendidos
b) jornaizinhos – malentendidos
c) jornaisinhos – maus-entendidos
d) jornalsinhos – maus-entendidos
e) jornaizinhos – mal-entendidos
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 77

5. O prefeito ___________ as instruções referentes aos rios que ____________ na região


em enfoque pela prefeitura.
a) reaveu – deságuam
b) reouve – deságuam
c) reaveu – deságuam
d) reouve – deságuam
e) reouve – deságuam

6. Seriam aceitas as respostas que ____________ do coordenador e que ____________


com a verdade.
a) proviessem – condissessem
b) provissem – condissessem
c) proviessem – condizessem
d) provessem – condissessem
e) provessem – condizessem

7. ___________-se com atenção as promessas do candidato, ___________ que _________ elas.


a) ouvem – qualquer – sejam
b) ouve – qualquer – seja
c) ouvem – quaisquer – sejam
d) ouve – quaisquer – sejam
e) ouvem – quaisquer – seja

8. ____________ em todas as propostas do diretor; sobre elas não ____________ dúvidas.


a) será levado – devem haver
b) serão levadas – deve haver
c) será levado – deve haver
d) será levadas – devem haver
e) serão levadas – devem haver

9. São argumentos ____________ nada se pode opor.


a) com que
b) por que
c) para que
d) de que
e) contra que
78 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

10. É prudente ______________.


a) convencer-lhe o contrário
b) convencê-lo o contrário
c) convencê-lo do contrário
d) convencer-lhe ao contrário
e) convencer-lhe do contrário

11. Encontram-se frente ____________ frente, carrancudos; vão ___________ luta e,


para surpresa geral, põem-se ____________ rir.
a) a – a – à
b) à – à – à
c) à – à – à
d) a – à – a
e) a – a – a

12. Transpondo para a voz ativa a frase “Os alunos haverão de ser avaliados pela
justiça dos mestres”, obtém-se a forma verbal ...
a) haverá de avaliar
b) terão sido avaliados
c) avaliará
d) haverão de avaliar
e) terá de avaliar

13. Transpondo apara a voz passiva a frase “O professor vinha trazendo o resulta-
do das provas”, obtém-se a forma verbal.
a) eram trazidas
b) vinha sendo trazido
c) estavam sendo trazidas
d) vinham sendo trazidas
e) estava sendo trazido

14. Assinale a alternativa em que todas as palavras estão corretamente acentuadas.


a) contrôle – distância – garôa
b) miúdo – sózinho – ítem
c) bênção – longínquo – vezes
d) decôro – colégio – corôa
e) pólo – hífen – órgão
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 79

15. São masculinos os substantivos:


a) aguardente e tomate
b) alface e grafite
c) caução e couve
d) champanha e milhar

16. Está certa a flexão nominal de:


a) informação histórico-cultural
b) pica-paus amarelos-queimados
c) quebras-quebra latino-americanos
d) cédulas cores-de-rosa

17. Segue a norma gramatical regência da alternativa:


a) Alguns preferem mais o pássaro que o gato.
b) Muitos chegam cedo no trabalho.
c) O cronista antipatizou alguns.
d) O governo agradou à população.

18. O sinal indicativo de crase está corretamente empregado em:


a) Do ponto de vista médico, chegou-se à uma situação de calamidade para à
qual existem duas saídas possíveis.
b) Desde então, os messiânicos devem obediência à dois senhores, numa situa-
ção semelhante à que viveu o rebanho dos católicos durante a Idade Média.
c) O grande problema é que as regiões circunvizinhas encontrarão dificuldades
para se locomover para à cidade, visando à assistir ao jogo.
d) Os demais produtos terão preços e valores de financiamento destinados à ma-
nutenção da atividade, sem entraves à comercialização.

19. Concordância verbal está correta em:


a) Devem haver empregos que sobraram para nós.
b) Deve haver empregos que para nós sobrou.
c) Devem existir empregos que bastem para eles.
d) Deve existir empregos que bastou para eles.
80 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

20. A gramática aceita o emprego do verbo no singular ou no plural no caso da opção.


a) A maioria de nós pensa.
b) Cada um de nós envelhece.
c) Mais de vinte pessoas sabiam.
d) Qual de nós decide?

21. Colocou-se conforme a tradição gramatical o pronome átono do item.


a) Lhe vão devolver o prêmio.
b) Tinham-no observado à noite.
c) Olívia tinha observado-lhe as atitudes.
d) São excelentes as pessoas que ouvem-me.

22. Na frase: Quebrarão-se alguns tabús, referntes à questões salariais.


a) a concordância verbal está correta.
b) a colocação do pronome átono obedece à gramática.
c) o acento de tabús está gramaticalmente adequado.
d) o emprego do sinal de crase está coerente.

Preparando-se

1. Marque a alternativa que apresenta alguma incorreção quanto à grafia das palavras:
a) jibóia – jiló – berinjela
b) chávena – xaréu – xaxim
c) tensão – permissão – abdução
d) paralisar – analisar – traumatizar
e) emoção – obcessão – obcecado

2. Assinale a alternativa que apresenta as palavras acentuadas de acordo com as regras:


a) rúbrica – público – plebeu
b) arvaro – fogaréu – acrobáta
c) crisântemo – paródia – miosótis
d) orfão – anão – aneis
e) itens – parabéns – próton
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 81

3. Assinale a opção que completa adequadamente as lacunas na a frase abaixo:


____ muito tempo que o poeta está ____ espera da donzela ____ que o poema alude.
a) a – à – à
b) a – a – à
c) há – à – à
d) há – à – a
e) há – a – à

4. Assinale a opção em que o processo de formação de palavras está devidamente


caracterizado:
a) pão nosso = composição por justaposição
b) aventuroso = derivação sufixal
c) embonecar = composição por aglutinação
d) descanso = derivação regressiva
e) incerto = derivação prefixal

5. Assinale o item em que a flexão de número está correta:


a) Todos eram obrigados a usar uniformes verdes-oliva.
b) São graves os problemas socioseconômicos do país.
c) As meninas tinham os cabelos castanhos-escuros.
d) Bandeirolas azul-marinho eram agitadas pelo vento.
e) As festas cívicas-religiosas são prestigiadas pelo povo.

6. Observando a grafia e a acentuação, indique a alternativa em que todas as pa-


lavras estão corretas:
a) privilégio – espontâneo – ressurreição
b) má-criação – abstração – exitação
c) maciço – sisudez – classissismo
d) acessor – sargeta – senzala
e) incursão – propenção – mixto

7. Indique a alternativa em que o pronome sublinhado representa corretamente


o termo a que se refere:
a) Mulher apaixonada é ser fascinante, elas ficam irresistíveis quando se põem a
seduzir.
b) Entre a montanha e a praia é difícil escolher, cada um tem suas vantagens e
desvantagens.
82 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

c) A multidão protestava, mas depois que o locutor lhes deu todas as explica-
ções as ruas ficaram vazias.
d) Ele não nos estendeu a mão; com tanta culpa nos ombros, parece que as
sentia sujas.
e) Gosto de filmes policiais e de filmes românticos; estes me fazem devanear, e os
primeiros me excitam.

8. Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as la-


cunas da frase apresentada: “Espero ________ avisado de que não________ apar-
tes durante a exposição, mas proponho ________ logo em seguida”.
a) os tenha – lhes permitirei – ouvi-los
b) os tenha – permitirei-lhes – os ouvir
c) tenha-os – permitir-lhes-ei – ouvi-los
d) tenha-os – lhes permitirei – os ouvir
e) tenha-os – permitir-lhes-ei – os ouvir

9. “Se aceitas a comparação, distinguirás...” Se a forma “aceitas” for substituída


por aceitasses, a forma “distinguirás” deverá ser alterada para:
a) vais distinguir
b) distinguindo
c) distingues
d) distinguirias
e) terás distinguido

10. Assinale a única alternativa que não apresenta erro na conjugação do verbo.
a) Se tu se dispores a emprestar-me o dinheiro, não te esqueças de depositá-lo.
b) Quando meu advogado soube que o guarda me detera no trânsito, tomou to-
das as providências.
c) As provas que contessem menos erros seriam premiadas.
d) Se você vir meu amigo, entregue-lhe esta carta.
e) Quando ele compor seu poema, ficará realizado.

11. Marque o item que preenche as lacunas das frases:


I – O fazendeiro________ na discussão dos colonos, esperançoso de que se ______ o
tempo perdido.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 83

II – Os agricultores, desesperados com a seca, ______ às autoridades que _______ as


frentes de trabalho.
a) interveio – reouvesse – propuseram – mantivessem
b) interviu – reavesse – propunham – mantivesse
c) interveio – reouvesse – propõem – mantenha
d) interviu – reouvesse – propunham – mantivesse
e) interveio – reavesse – propuseram – mantivessem

12. “A ferida foi reconhecida grave”. A transposição da frase acima para a voz ativa
está corretamente indicada em:
a) Reconheceu-se a ferida como grave.
b) Reconheceu-se uma grave ferida.
c) Reconheceram a gravidade da ferida.
d) Reconheceu-se que era uma ferida grave.
e) Reconheceram como grave a ferida.

13. As expressões verbais compostas sublinhadas no trecho: “Iria morrer, quem


sabe se naquela noite mesmo? E que tinha ele feito de sua vida?” corresponde
às formas simples:
a) morria – fizera
b) morreria – fizera
c) morreria – faria
d) morreria – fez
e) morreria – fazia

14. “O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá manter-se, ou restituir-lhe, por sua


própria força, contanto que a faça logo. Ao fazer a discussão para o campo ju-
rídico, o antigo magistrado tentou amenizar o que dissera; a rigor, no entanto,
suscitou dúvidas cruéis; que quer dizer ‘por sua própria força’? Será a força física
do posseiro, ou essa é mais aquela que a ela se soma pelo emprego de armas?” Ob-
servando no texto as formas verbais sublinhadas, é correto concluir que:
a) tentou denota evento contemporâneo de dissera.
b) dissera situa o evento em ponto do tempo anterior a tentou.
c) será indica evento imediatamente posterior a tentou.
d) soma situa o evento referido no mesmo ponto do tempo indicado em será.
e) dissera descreve o quadro em que ocorrem os eventos denotados pelas de-
mais formas.
84 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

15. Assinale a alternativa que completa corretamente, na ordem, os verbos no in-


finitivo:
I. Meus pais sempre (vir) à minha casa.
II. Quando vocês (vir), ganharão os prêmios.
III. Se você (ver) meu material, entregue-me, por favor.
IV. Os olhos (ver)o que o coração deseja.
a) vêm – virem – ver – veem
b) vem – vierem – ver – vêm
c) vem – vierem – vir – vêm
d) veem – vierem – ver – vêm
e) vêm – vierem – vir – vêem

16. As palavras sublinhadas nas frases:


“Veio uma, mordeu-o, depois outra...”
“Mané Candeeiro falava pouco...”
“Desde dezoito anos que tal patriotismo lhe absorvia”.
“Faltava o assentimento de Botafogo, mas estava certo de obter”.
Classificam-se, respectivamente, como:
a) pronome – pronome – pronome – adjetivo
b) numeral – pronome – adjetivo – pronome
c) artigo – advérbio – pronome – adjetivo
d) numeral – adjetivo – adjetivo – pronome
e) pronome – advérbio – pronome – adjetivo

17. Assinale a alternativa que indica corretamente a classe de palavras a que per-
tencem os termos grifados da seguinte frase: Ainda que não dessem dinheiro,
poderiam colaborar bastante com um ou outro trabalho.
a) advérbio – conjunção – preposição – adjetivo
b) conjunção – preposição – advérbio – pronome
c) preposição – conjunção – pronome – advérbio
d) advérbio – adjetivo – conjunção – preposição
e) conjunção – advérbio – preposição – pronome

18. Em: “Porque eu continuarei a chamar guerra a toda esta época embaralhada de
inéditos valores...” as expressões sublinhadas são, respectivamente:
a) objeto direto, objeto indireto
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 85

b) predicativo, objeto indireto


c) objeto direto, objeto direto preposicionado
d) predicativo, objeto direto pleonástico
e) objeto direto, objeto indireto

19. Transpondo para a passiva a frase “Daqui a cinquenta anos já teremos avalia-
do os futurólogos de hoje”, obtém-se a forma verbal:
a) se avaliaram
b) se avaliarão
c) serão avaliados
d) foram avaliados
e) terão sido avaliados

20. Em qual alternativa as frases não se equivalem?


a) Comprar-se-iam jornais.
Jornais serão comprados.
b) Devem-se consultar os superiores.
Os superiores devem ser consultados.
c) Alugam-se casas.
Casas são alugadas.
d) Façam-se novas provas.
Novas provas sejam feitas.
e) Ouvir-se-ão vozes.
Vozes serão ouvidas.
86 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Resumo

A unidade de Crase mostra, basicamente, os casos mais comuns nos quais


se usam a crase ou nos quais ela é proibida, além de mostrar as ocasiões nas quais
seu uso é opcional.
Certamente agora você já compreende a diferença de uma frase na qual o “a”
tem a crase e uma em que ele não tem.
Se compreendermos o princípio da marcação gráfica, a união de duas vogais
“a” seguidas torna-se mais fácil compreender em que ocasiões a crase pode ser
usada ou não.
Por fim, lembramos que o uso correto da língua portuguesa é essencial para
a boa fluência da comunicação e, se estamos tentando nos fazer compreender
para um interlocutor, devemos fazê-lo o melhor possível.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 87

A���� 1 - R������� �� ������ ������


Alguns verbos costumam apresentar certas dificuldades de regência, ora
porque o uso popular se apresenta em desacordo com a norma culta, ora porque
têm mais de um sentido e, consequentemente, mais de uma regência.
Eis a regência de alguns verbos:

Verbo Classificação Significação Exemplo


Sorver, respirar, pretender, Os atletas aspiram com pra-
VTD desejar zer o ar das montanhas. O
Aspirar
VTI vereador recém-eleito aspira
a um alto cargo.
Estar presente, presenciar, Ontem assisti a um conserto de
acompanhar, prestar assistên- música erudita.
Assistir VTI, VTD ou VTI, VI cia, morar, residir (rege adjun- O médico assiste o doente (ou
to adverbial com a preposição a doente).
em) Mina comadre assiste em Santos.
Convocar, fazer vir, invocar Chamem a policia!
(exige a preposição por)cog- O pai chamava desesperada-
nominar, qualificar, denomi- mente pela filha.
Chamar VTD, VTI, VTD ou VTI nar + predicativo do objeto Chamava-o irresponsável.
Chamava-o de irresponsável.
Chamava-lhe irresponsável.
Chamava-lhe de irresponsável.
(Exigem a preposição a quan- Cheguei ao cinema vinte mi-
do indicam lugar) nutos atrasado.
Chegar e Ir VI
Vou ao cinema duas vezes
por semana.
(Quando não-pronominais) Que chateação! Esqueci o
(Quando pronominais, exi- nome dele.
Esquecer e Lembrar VTD, VTI gem a preposição de) Lembrei o nome dele.
Esqueci-me do livro.
Lembrei-me do fato.
Dar notícias, esclarecer (mes- Os jornais informaram o pú-
mo significado) blico consumidor.
A secretária informou a nota
Informar VTD, VTDI
do aluno.
A secretária informou o alu-
no da nota.
(Exigem adjunto adverbial Moro em São Paulo.
Morar e Residir VI
com a preposição em) Resido em Iguatu.
(Exigem a preposição a) O bom motorista obedece às
leis de trânsito.
Obedecer e Desobedecer VTI
Felipe desobedece a seus su-
periores.
(Quando o objeto é coisa) Paguei a conta.
(Quando o objeto é pessoa) Perdoei aos inimigos.
Pagar e Perdoar VTD, VTI, VTDI
Paguei a conta ao feirante.
Perdoei a ofensa ao menino.
88 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Querer antes, escolher entre Preferir o amor à guerra.


Preferir VTDI, VTD duas ou várias coisas dar pri- Preferimos a alegria, não
mazia, determinar-se por aceitamos a dor.
Desejar, estimar, querer bem Ela queria o disco da Gal,
(exige a preposição a) mas não o quer mais.
Querer VTD, VTI
Eu quero a meus amigos e
sempre lhes quis.
(Exigem a preposição com; Simpatizava com a ideia.
Simpatizar e Antipatizar VTI não são pronominais) Ao sermos apresentados,
antipatizei com ele.
Mirar, pôr visto, ter em vista, Visou o alvo e atirou.
pretender (exige a preposição a) O fiscal, aborrecido, visava
os passaportes.
Visar VTD, VTI
Homem sem escrúpulos, só
visava a uma posição de des-
taque.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 89

A���� 2 - R������� N������


Há, no quadro a seguir, uma relação de nomes com suas regências mais co-
muns. Consulte-a para resolver os exercícios propostos a seguir, se necessário.

REGÊNCIA DE ALGUNS NOMES


a acessível, adequado, alheio, análogo, apto, avesso, benéfico, cego, conforme, contíguo, desa-
tento, desfavorável, desleal, equivalente, fiel, grato, guerra, hostil, idêntico, inacessível, inerente,
indiferente, infiel, insensível, nocivo, obediente, odioso, oposto, peculiar, pernicioso, próximo (de),
superior, surdo (de), visível.
de amante, amigo, ansioso, ávido, capaz, cobiçoso, comum, contemporâneo, curioso, devoto, dife-
rente, digno, dessemelhante, dotado, duro, estreito fértil, fraco, incerto, indigno, inocente, menor,
natural, nobre, orgulhoso, pálido, passível, pobre, pródigo (em), temeroso, vazio, vizinho.
com afável, amoroso, aparentado, compatível, conforme, cruel, cuidadoso, descontente, furioso (de),
inconsequente, ingrato, intolerante, liberal, misericordioso, orgulhoso, parecido (a), frente (a, de).
contra desrespeito, manifestação, queixa.
em constante, cúmplice, diligente, entendido, erudito, exato, fecundo, fraco, forte, hábil, impossibi-
lidade (de), incansável, incerto, inconstante, indeciso, lento, morador, parco (de), perito, prático,
sábio, sito, último (de, a), único.
entre convênio, união.
para apto, bom, diligente, disposição, essencial, idôneo, incapaz, odioso, pronto (em), próprio (de), útil.
Para com afável, amoroso, capaz, cruel, intolerante, orgulhoso.
por ansioso, querido (de), responsável, respeito (a., de ).
sobre dúvida, influência, triunfo.
90 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

A���� 3 - C������� �� ����������


�����������
1. Espero que viajem hoje.
2. O pai sequer foi avisado.
3. O motorista infligiu o código de trânsito; então, o guarda infrigiu-lhe uma multa.
4. É o medo da violência que me aflige a alma.
5. Causou-me estranheza as suas duras palavras.
6. O fato passou desapercebido.
7. É esta a comida que ele gosta.
8. A mão aflita que rever seus filhos.
9. No momento, dói muito a minha cabeça.
10. Já é hora dele chegar.
11. Vai tudo bem, podes crer.
12. A casa está sita à rua Princesa Isabel.
13. Não quero que você fica triste.
14. Isto veio melhorar nossas vidas.
15. Eu não estava ao par do assunto.
16. Foi ótima minha estadia no Rio.
17. Passe a manteguera.
18. Deixe que eu intero o que falta.
19. A partir do meio dia haverá queima de fogos.
20. Ficaremos aqui do meio dia até meia noite.
21. Os artistas ganharam prêmios recordes.
22. Corra se não perderá o trem.
23.Todo país se comoveu coma tragédia.
24. Todos manifestantes foram presos.
25. Viva os campeões.
26. Todos comentavam sobre suas atitudes.
27. O juiz expulsou o jogador porque não tinha outra alternativa.
28. Pedro deita e se acorda muito cedo.
29. Esta moça pousará para revista.
30. Recebeu o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.
31. Por favor, abra parênteses.
32. Os cientistas hoje trabalham pela cura da AIDS.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 91

33. Ele tirou o 1º lugar entre cinco candidatos.


34. Não gosto de confusão tão pouco de briga.
35. Não me habitou com essas coisas modernas.
36. Mariana, atenda o telefone, por favor.
37. Esqueci de fazer a redação.
38. Pergunte para o amigo do lado...
39. Dois mil reais são poucos para esta obra.
40. Por favor, não aleje o rapaz.
41. Sairemos após ao espetáculo.
42. Não vai dizer que você não gosta de dançar.
43. Comprei duas gramas de ouro.
44. Eu custo a entender esta matéria.
45. Se você ver um poste no chão avise a Coelce.
46. O empregado recebeu tudo que tinha direito.
47. Ele interviu na conversa do amigo.
48. Taxou o amigo de infiel.
49. Você é a pessoa que eu mais gosto.
50. Faremos uma reunião a nível de universitários.
51. O político chegou a zero hora.
52. Fortaleza, 05/04/2006.
53. O incêndio foi devido a explosão de um bujão de gás.
54. A mercadoria só será entregue contra pagamento.
55. Este homem foi pego roubando.
56. Logo a polícia deteu o ladrão.
57. Eu ainda não havia intervido na questão.
58. A moça ficou toda arrupiada.
59. A cosinheira frige os ovos.
60. O diretor respondeu meu ofício.
61. Talvez eu vou logo no centro.
62. Visitei V. S. o Papa.
63. De onde vens Ricardo? - Venho de minha casa.
64. Marco disse para seu pai que iria viajar.
65. Embora tendo muita fé, abalou-se com o fato.
66. O rapaz deu rosas para a namorada.
67. Custei para aprender esta matéria.
92 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

68. Hoje, quando me acordei, lembrei muito de você.


69. O governo não viajou face às greves dos policiais.
70. A população brasileira está sendo vítima da dengue.
71. Ele se voltou contra seu próprio pai.
72. Aquele homem é um criminoso da própria mulher.
73. O aluno fez a tradução do inglês o português.
74. A vítima impretou mandato de segurança.
75. Os parlamentares apelaram ao governo...
76. O aluno exigiu tudo que tinha direito.
77. Aqui está o aluno que o pai é médico.
78. O aluno que eu te falei das qualidades dele é este.
79. O homem ao qual me refiro é este.
80. Moço, me empreste esta lápis que está perto de você.
81. De repente o menino levantou e saiu.
82. Houve um grande cataclisma naquela região.
83. Onde está meu óculos.
84. Vamos tirar a prova dos nove.
85. Não estou afim de viajar.
86. Fiz tudo para que você vinhesse.
87. Custo muito a acreditar em você.
88. Deparei-me com um grande obstáculo.
89. É esta a missão a que me propus.
90. Por favor deixe eu falar.
91. Falei com ela ao telefone.
92. Pergunte para o professor qual é o item correto.
93. Cem mil reais são pouco para se realizar este projeto.
94. Não gosto de mal trato tão pouco de humilhação.
95. Esqueci de fazer o trabalho.
96. Por favor, atenda o telefone.
97. Deu a luz a uma criança.
98. Prefiro mais estudar que ficar no ócio.
99. Tenho certeza que você vai ler este livro.
100. O rapaz ofereceu flores a namorada.
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 93

Estudando em Grupo

1. Reproduza o bilhete abaixo, corrigindo conforme os padrões cultos da lingua:

Fortaleza 03/01/2007
Presado Juca
Aqui vai um bilhete afim de por-lhe ao par dos problemas que me referi em nossa conversa
ao telefone. De inicio, quero lembrar-lhe de que assisti todas as dicussões e cheguei a seguinte
conclusão: por hora, é preciso prudeência. Mais vê se você dá um jeito de escrever logo para
mim poder dar-lhe uma resposta definitiva. Prefiro decidir-mos logo do que aguadarmos para
outra ocasião. Há um elemento do grupo que simpatizei desde o primeiro momento em lhe vi e
parece que nos ajudará. Custo a acreditar que ajam dificuldades. De qualquer modo, observo
de que convém considerarmos todas as questões que temos duvídas antes de chegarmos à uma
solução final. Pensa bem e não demore a responder.
Abraça-lhe o amigo que muito o quer.
Pedro

__________________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
94 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

2. Corrija o que você achar improcedente:


I – Ainda não se sabe como será conduzida as negociações sobre o destino da política
salarial na reunião que o presidente Lula convocou para amanhã a tarde no Palá-
cio do Planalto.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
II – Os vigias estavam alertas e fizeram os maiores esforços possível para salvar a em-
presa.Mas se esqueceram que os extintores estavam sem carga. Ver-se ai que qual-
quer desatenção implica em prejuízo. Mesmo assim as mulheres todas disseram
obrigado e os também.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
IV – Na entrada de uma fábrica estava escrito: “É proibido a entrada de estranhos, mas
aceita-se encomendas para o natal. As pessoas menos atentas leia bem o anúncio
para depois não chegarem em casa aborrecidas. E, se voltarem, não esqueçam de
trazer anexo ao contrato seus documentos.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
V – Construa um período, usando o verbo gostar em uma oração adjetiva.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
VI – Comente a regência do verbo assistir, com exemplos.
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
Língua Portuguesa - A Gramática Contextualizada 95

VII – Elabore períodos, usando todos os casos do verbo chamar.


_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________________
96 Centro de Formação de Corretores de Imóveis

Referências

ALMEIDA, Napoleão M. Gramática metódica da Língua Portuguesa. São Pau-


lo. Editora Saraiva. S.d.
BECHARA, Domingos P. Novíssima gramática da Língua Portuguesa. São
Paulo. Editora Nacional. S.d.
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro. Rio de
Janeiro. Editora Lucerna. 2001.
CUNHA, Celso F. Gramática da Língua Portuguesa. Brasília. Fundação Nacio-
nal do Material Escolar. s. d.
MAIA, Francisco Neto. Dicionário do Mercado Imobiliário. Bahia. Del Rey. 1998.
MARTINS, Dileta S. e VILBERKNOP, Lucia S. Português Instrumental. Rio
Grande do Sul. Prodil. 1989.

Оценить