Вы находитесь на странице: 1из 4

Veja como identificar, Saiba como proteger

evitar e denunciar nossas crianças e

os crimes de pedofilia ! adolescentes !

Prezados amigos,

A Internet é uma das mais poderosas ferramentas para a disseminação do


conhecimento. Contudo, como toda ferramenta criada pelo homem, pode ser utilizada
tanto para o bem quanto para o mal.

Um exemplo do mau uso da Internet é aquela feita pelos pedófilos, que se aproveitam
do anonimato da rede, para acintosamente divulgar material pornográfico contendo
abusos contra crianças e adolescentes, até contra bebês, ou para se aproximarem de
suas vítimas por meio das muitas salas de bate papo.

Alguns pequenos progressos já foram feitos para tentar acabar com esse crime na
Internet: a Google finalmente resolveu colaborar com o Ministério Público, no sentido de
agilizar a liberação de dados sobre álbuns do Orkut investigados por envolvimento em
crimes cibernéticos. Além disso, o Congresso Nacional se prepara para concluir projetos
referentes à tipificação de crimes cometidos pela rede mundial de computadores.

Todavia, ainda que venha a existir uma legislação rigorosa para coibir esse tipo de crime,
o melhor e o mais eficaz controle é aquele realizado não pelos poderes públicos, mas
pela própria sociedade. Assim, é extremamente importante que todos os pais se
aproximem ainda mais de seus filhos para saber também o que estes fazem na Internet,
com o objetivo de resguardá-los contra os eventuais riscos.

Como forma de combater a pedofilia, que é um dos distúrbios


mais degradantes já manifestados pelo homem, trago matéria
sobre o tema, incluindo formas de denunciar esse tipo de
crime deplorável e cruel.

Antônio Bulhões
Deputado Federal
Famoso mundialmente por suas unidades especiais dedicadas a caçar criminosos como
assassinos seriais (serial killers) e terroristas, o FBI – a Polícia Federal norte-americana – sabe
o perfil padrão de um pedófilo.
Lá como aqui, os agentes têm os traços característicos dos
que buscam aliciar menores para satisfazer fantasias sexuais.
Com base no estudo de casos recentes, a Polícia Federal
brasileira afirma que, na maioria, o pedófilo é um homem
entre 30 e 45 anos, solteiro e que mora sozinho.
É reservado, inseguro e tem dificuldade de manter relações
afetivas. Muitos deles foram consumidores vorazes de pornô-
grafia adulta antes de dar vazão às suas tendências pedófilas.
A descrição aproxima-se muito de outra, elaborada pela ONG Safernet, que ainda
conclui que o pedófilo virtual padrão do Brasil é em sua maioria das classes A, B e C.
Existem registros de pedofilia desde os tempos da Grécia Antiga.
Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB de Mato Grosso do Sul,
Michael de Andrade, a pedofilia é um híbrido de doença e crime, o que confunde as
autoridades.

Como sabem que também são caçados, os predadores sexuais que visam crianças
adolescentes procuram se refugiar entre os milhões de páginas e bilhões de trocas de
mensagens que ocorrem a cada dia na internet.
Criam códigos especiais e utilizam siglas e abreviaturas aparentemente inocentes e
desconhecidas da grande maioria.
“7yo”, por exemplo, é como os pedófilos se referem a
crianças de sete anos ( seven year old, em inglês ). Sob
pseudônimos singelos como “Pokémon” ou “Loverboy”
eles conseguem estabelecer contato com menores.
O site Safe Family Media pesquisou e descobriu que pe-
lo menos 20% dos menores de 12 anos estariam dispostos
a dar seu endereço eletrônico ou residencial, durante
um contato em salas de bate-papo na internet.
Chegar aos criminosos ainda esbarra em uma barreira legal, pois a Polícia Federal não
pode utilizar as mensagens ou a troca de imagens como prova. A orientação das
autoridades é reunir a maior quantidade de dados para fazer uma denúncia formal.
1) Na internet, pode e deve valer o velho ditado de não falar com estranhos. O
anonimato da rede abriga criminosos e pervertidos de toda espécie.

2) Procure, se possível, deixar o computador usado pelas cri-


anças em uma área de livre circulação da casa. Não per-
mita o uso da Internet com a porta trancada, ou mesmo
fechada.

3) A simples presença dos pais em casa pode, às vezes, ser


um elemento dissuasivo, mas não confie só nisto. Pergunte
e confira, rotineiramente, o que seu filho faz diante da tela
do computador.

4) Evite ao máximo o uso da Internet por tempo prolongado, em especial se o


computador estiver em local isolado.

5) Use o diálogo aberto para detalhar os riscos expostos na internet. Mais ainda, não
fique perdido no tempo e procure se informar sobre o assunto para poder
conversar melhor.

6) Fique atento a reações abruptas durante a navegação. Se uma criança desliga o


Monitor súbitamente, pode estar sendo alvo de um ataque. Se ela apaga a tela
ou se desçonecta da internet quando um adulto se aproxima, acenda o sinal de
alerta, mas sem pânico. Podem ser apenas confidências entre amigos.

7) Procure associar os nicknames (apelidos) dos contatos de


seus filhos nos bate-papos aos amigos ou amigas de carne
carne e osso, de forma tranqüila e sem usar de truculência.

8) Recomende aos filhos que nunca liguem a minicâmera


( webcam ) para pessoas desconhecidas. Estímulo visual é
um dos mais fortes entre os pedófilos.

O Projeto de Lei 3773/08 revisou as penas para crimes de Pedofilia, qualificando aqueles
relacionados ao uso da internet e aquisição de fotografia ou vídeo com cenas envolvendo
criança.

Foi aumentada a pena de reclusão para quem produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou
registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou
adolescente, sendo agravada em mais 1/3 se o infrator cometer o crime prevalecendo-se de
relações domésticas, de coabitação ou hospitalidade; de qualquer parentesco até o 3º grau; ou
de autoridade sobre a criança; ou ainda com o seu consentimento.
Isto se aplica também quem vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que
contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Publicar, divulgar, oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir ou


distribuir fotografia, vídeo ou outro registro implicará pena de
reclusão, valendo também para o prestador de serviço ou provedor
de internet, caso não desabilite o site com esse conteúdo após a
notificação por autoridade competente.

Simular a participação de criança ou adolescente em cena de sexo


explícito ou pornográfica por meio de adulteração, montagem ou
modificação de fotografia, vídeo ou qualquer outra forma de repre-
sentação visual também acarretará ao infrator pena de reclusão.

• Disque Denúncia (nacional):


100

• Brasil Contra a Pedofilia


www.brasilcontraapedofilia.org

• Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência


Sexual Contra Crianças e Adolescentes
www.comitenacional.org.br

• FBI
www.fbi.org/innocent.htm

• Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos (Safernet


Brasil)
www.denunciar.org.br

• Campanha Nacional de Combate à Pedofilia na nternet


www.censura.com.br/denunciar.htm

• Guia para uma Navegação Segura


www.navegueprotegido.org

• Conselho Tutelar
Informe-se junto à Prefeitura de seu Município

Fonte: Jornal do Senado - Edição de 23.06.08 .

CÂMARA DOS DEPUTADOS – Gabinete do Deputado Antônio Bulhões


Praça dos Três Poderes - Anexo IV – Gab 327 – Brasília (DF) – Cep: 70160-900
Fone: DF (61) 3215-5327 - SP (11) 5084-9724 – E-mail: contato@deputadoantoniobulhoes.com.br

ACESSE NOSSO SITE: www.deputadoantoniobulhoes.com.br

Похожие интересы