Вы находитесь на странице: 1из 8

Questões

1- Explique a finalidade do direito.

2- Explique a aplicabilidade do direito na empresa.

3- Explique:
a) Jurisprudência - a jurisprudência é uma expressão jurídica que é um
conjunto de decisões judiciais dadas por um Tribunal da Justiça.
Esse conjunto consta decisões e relações a casos que envolvem
questões parecidas. As decisões devem ser coerentes e ter uma
interpretação da lei de forma igual.
b) Costumes - Os costumes se tratam de práticas realizadas de forma
contínua por um determinado grupo de pessoas. No direito, estas
práticas são realizadas de forma reiterada e resultam em uma
espécie de fonte jurídica.
c) Doutrina - A doutrina constitui-se de um conjunto de estudos e
entendimentos produzidos por estudiosos do direito, juristas, filósofos
e também pesquisadores, os quais são utilizados no meio jurídico
como fonte de consulta.
d) Lei - Lei, é um princípio, um preceito, uma norma, criada para
estabelecer as regras que devem ser seguidas, é um ordenamento.
e) Analogia - A Analogia é um termo que pode ser definido como o
estabelecimento de uma semelhança entre dois ou mais objetos de
discussão. Na esfera do Direito, caracteriza-se pela inserção ou
integração, em um hiato jurídico, da legislação utilizada em um caso
parecido.
f) Equidade - Equidade é uma forma justa da aplicação do Direito,
porque é adaptada a regra, a uma situação existente, onde são
observados os critérios de igualdade e de justiça.
4- Explique direito objetivo e subjetivo.
O direito objetivo consiste nas previsões gerais e abstratas presentes no
ordenamento jurídico. É todo o conjunto de normas e regras vigentes em
um Estado, que devem ser respeitadas pela sociedade, sob pena de
sanções.
Exemplos: Todos os cidadãos possuem direito à educação e à saúde.
Direito à proteção das relações de consumo.
O direito subjetivo consiste nas prerrogativas conferidas pelo ordenamento
jurídico aos indivíduos. Assim, sempre que uma previsão do direito
objetivo ocorre de forma concreta, a norma incide sobre os indivíduos
envolvidos e eles passam a ser titulares de direitos subjetivos. Portanto,
o direito subjetivo é o resultado da incidência de uma norma jurídica a
um fato jurídico.
Exemplos: Direito de cobrança de um valor em dívida através de uma ação
judicial.
Direito de pedir indenização por um dano causado pela Administração Pública.
5- Explique direito público e privado. Explique ainda os ramos de direito.
O Direito Público é aquele responsável por criar normas que atribuem as
competências do Estado, bem como que dispõem sobre como deve se
dar a relação entre Estado e particular. Exemplo disso seriam as leis que
regulamentam crimes ou criam impostos.
Alguns ramos do Direito Público são: Direito Administrativo; Direito
Constitucional; Direito Tributário; Direito Ambiental; Direito Penal; Direito
Processual Penal; Outros.
O Direito Público, como a própria nomenclatura dá a entender, diz respeito
àqueles âmbitos de aplicação do direito que se tem por objetivo maior a
proteção do interesse da coletividade como um todo.
São ramos do Direito Privado: Direito do Consumidor; Direito Civil; Direito
Processual Civil; Direito Empresarial.
6- Explique o processo de elaboração de lei.

7- Pesquisar o histórico do direito do trabalho.


8- Quais são as espécies de trabalhadores.
Estágio profissional
Autônomo
Voluntario
Empregado doméstico
Eventual
Avulso
Temporário
Aprendiz
Rural
Cooperado
Terceirizado
Servidores Públicos
Representante Comercial ?
9- Explique os requisitos do vínculo de emprego.
Não eventualidade, subordinação, onerosidade, pessoalidade
10- Quais são as características do trabalho autônomo.
AUTÔNOMO é todo aquele que exerce sua atividade profissional sem vínculo
empregatício, por conta própria e com assunção de seus próprios riscos.
A prestação de serviços é de forma eventual e não habitual.
11- Explique o direito positivo e natural.
O direito natural é a ideia universal de justiça. É o conjunto de normas e direitos
que já nascem incorporados ao homem, como o direito à vida.
O direito positivo consiste no conjunto de todas as regras e leis que regem a
vida social e as instituições de determinado local e durante certo período
de tempo. A Constituição Federal é um exemplo de direito positivo, pois
assim como as outras leis e códigos escritos, serve como disciplina para
o ordenamento de uma sociedade.
12- Quais são as características do trabalho cooperado? Explique.

13- Pesquisar características, vantagens e desvantagens da terceirização,


conforme lei 13429/17.
14- Quais são as características do trabalho do estagiário?

15- Pesquisar os direitos trabalhistas do contrato de trabalho do empregado


● Reconhecimento de vínculo empregatício e registro da ctps
● Jornada de trabalho e horas extras
● Intervalos intrajornada (almoço) e interjornada (descanso)
● Estabilidades temporárias de garantia e permanência no emprego
● Acúmulo de função e desvio de função
● Justa causa no empregador/rescisão indireta
● Equiparação funcional e salarial
● Adicional de sobreaviso e prontidão
● Adicional noturno
● Adicional de transferência
● Adicional de periculosidade e insalubridade
● Prazo para pagamento e homologação das verbas rescisórias
● Prazo da prescrição para ajuizamento da reclamação trabalhista

16- Quais são as características do contrato de trabalho do empregado?

17- Quais são as características e os direitos previstos no contrato de


trabalho temporário?

18- Quais são as espécies de contrato a prazo determinado, conforme


CLT?

19- Explique a finalidade do direito do trabalho.

20- Explique o jus variandi do empregador.


O "jus variandi" é o direito que possui o empregador de alterar unilateralmente,
somente em casos excepcionais, as condições de trabalho de seus
empregados. O "jus variandi" é a faculdade que tem o empregador de
proceder unilateralmente, a mudanças não essenciais da relação de
trabalho, a fim de atender exigências do desenvolvimento da empresa.
21- Quais são as espécies de alteração de contrato de trabalho?

22- Explique a justa causa aplicada para a empresa.

23-Quais são as hipóteses legais de justa causa para o empregado?

1. Ato de Improbidade
A improbidade é toda ação ou omissão desonesta do empregado, que revelam
desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé, visando a uma
vantagem para si ou para outrem. Ex.: furto, adulteração de documentos
pessoais ou pertencentes ao empregador, etc.​
2. Incontinência de Conduta ou Mau Procedimento
São duas justas causas semelhantes, mas não são sinônimas. Mal
procedimento é gênero do qual incontinência é espécie.
A incontinência revela-se pelos excessos ou imoderações, entendendo-se a
inconveniência de hábitos e costumes, pela imoderação de linguagem ou de
gestos. Ocorre quando o empregado comete ofensa ao pudor, pornografia
ou obscenidade, desrespeito aos colegas de trabalho e à empresa.
Mal procedimento caracteriza-se com o comportamento incorreto, irregular do
empregado, através da prática de atos que firam a discrição pessoal, o
respeito, que ofendam a dignidade, tornando impossível ou sobremaneira
onerosa a manutenção do vínculo empregatício, e que não se enquadre na
definição das demais justas causas.​

3. Negociação Habitual
Ocorre justa causa se o empregado, sem autorização expressa do
empregador, por escrito ou verbalmente, exerce, de forma habitual,
atividade concorrente, explorando o mesmo ramo de negócio, ou exerce
outra atividade que, embora não concorrente, prejudique o exercício de sua
função na empresa.​
4. Condenação Criminal
O despedimento do empregado justificadamente é viável pela impossibilidade
material de subsistência do vínculo empregatício, uma vez que, cumprindo
pena criminal, o empregado não poderá exercer atividade na empresa.
A condenação criminal deve ter passado (transitado) em julgado, ou seja, não
pode ser recorrível.​
5. Desídia​
A desídia é o tipo de falta grave que, na maioria das vezes, consiste na
repetição de pequenas faltas leves, que se vão acumulando até culminar na
dispensa do empregado. Isto não quer dizer que uma só falta não possa
configurar desídia.
Os elementos caracterizadores são o descumprimento pelo empregado da
obrigação de maneira diligente e sob horário o serviço que lhe está afeito.
São elementos materiais como a pouca produção, os atrasos frequentes,
as ​faltas injustificadas​ ao serviço, a produção imperfeita e outros fatos que
prejudicam a empresa e demonstram o desinteresse do empregado pelas
suas funções.​
6. Embriaguez Habitual ou em Serviço
A ​embriaguez​ deve ser habitual. Só haverá embriaguez habitual quando o
trabalhador substituir a normalidade pela anormalidade, tornando-se um
alcoólatra, patológico ou não.
Para a configuração da justa causa, é irrelevante o grau de embriaguez e
tampouco a sua causa, sendo bastante que o indivíduo se apresente
embriagado no serviço ou se embebede no decorrer dele.
O álcool é a causa mais frequente da embriaguez. Nada obsta, porém, que
esta seja provocada por substâncias de efeitos análogos (psicotrópicos).
De qualquer forma, a embriaguez deve ser comprovada através de exame
médico pericial.​
Entretanto, a jurisprudência trabalhista vem considerando a embriaguez
contínua como uma doença, e não como um fato para a justa causa. É
preferível que o empregador enseje esforços no sentido de encaminhar o
empregado nesta situação a acompanhamento clínico e psicológico, com o
afastamento por auxílio-doença.
7. Violação de Segredo da Empresa
A revelação só caracterizará violação se for feita a terceiro interessado, capaz
de causar prejuízo à empresa, ou a possibilidade de causá-lo de maneira
apreciável.​
8. Ato de Indisciplina ou de Insubordinação
Tanto na indisciplina como na insubordinação existe atentado a deveres
jurídicos assumidos pelo empregado pelo simples fato de sua condição de
empregado subordinado.
A desobediência a uma ordem específica, verbal ou escrita, constitui ato típico
de insubordinação. A desobediência a uma norma genérica constitui ato
típico de indisciplina.​
9. Abandono de Emprego
A falta injustificada ao serviço por mais de trinta dias faz presumir o ​abandono
de emprego​, conforme entendimento jurisprudencial.
Existem, no entanto, circunstâncias que fazem caracterizar o abandono antes
dos trinta dias. É o caso do empregado que demonstra intenção de não
mais voltar ao serviço.
Por exemplo, o empregado é surpreendido trabalhando em outra empresa
durante o período em que deveria estar prestando serviços na primeira
empresa.​
10. Ofensas Físicas​
As ofensas físicas constituem falta grave quando têm relação com o vínculo
empregatício, praticadas em serviço ou contra superiores hierárquicos,
mesmo fora da empresa.
As agressões contra terceiros, estranhos à relação empregatícia, por razões
alheias à vida empresarial, constituirá justa causa quando se relacionarem
ao fato de ocorrerem em serviço.
A legítima defesa exclui a justa causa. Considera-se legítima defesa, quem,
usando moderadamente os meios necessários, repele injusta agressão,
atual ou iminente, a direito seu ou de outrem.​
11. Lesões à Honra e à Boa Fama​
São considerados lesivos à honra e à boa fama gestos ou palavras que
importem em expor outrem ao desprezo de terceiros ou por qualquer meio o
magoar em sua dignidade pessoal.
Na aplicação da justa causa devem ser observados os hábitos de linguagem no
local de trabalho, origem territorial do empregado, ambiente onde a
expressão é usada, a forma e o modo em que as palavras foram
pronunciadas, grau de educação do empregado e outros elementos que se
fizerem necessários.​
12. Jogos de Azar
Jogo de azar é aquele em que o ganho e a perda dependem exclusiva ou
principalmente de sorte.
Para que o jogo de azar constitua justa causa, é imprescindível que o jogador
tenha intuito de lucro, de ganhar um bem economicamente apreciável.​
13. Atos Atentatórios à Segurança Nacional
A prática de atos atentatórios contra a segurança nacional, desde que
apurados pelas autoridades administrativas, é motivo justificado para a
rescisão contratual.

24- Explique os requisitos legais para a alteração das condições do contrato


de trabalho.

Qualquer alteração contratual, conforme art. 468 da CLT, deve observar os


seguintes requisitos:
a) mútuo consentimento (concordância) das partes;
b) Que da alteração o empregado não sofra nenhum prejuízo, direta ou
indiretamente, não só pecuniários, mas de qualquer natureza (como
benefícios, ​jornada de trabalho​, vantagens, ​saúde e segurança​ e etc.)
anteriormente garantidos.
Portanto, qualquer alteração em desconformidade com os requisitos acima não
produzirá qualquer efeito no contrato de trabalho.

25- Quais são as hipóteses de rescisão do contrato de trabalho?

As hipóteses de rescisão indireta do contrato de trabalho encontram-se


previstas na CLT, em seu artigo 483:

Consolidação das Leis do Trabalho

Art. 483 - O empregado poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a


devida indenização quando:

a) forem exigidos serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários
aos bons costumes, ou alheios ao contrato;
b) for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor
excessivo;

c) correr perigo manifesto de mal considerável;

d) não cumprir o empregador as obrigações do contrato;

e) praticar o empregador ou seus prepostos, contra ele ou pessoas de sua


família, ato lesivo da honra e boa fama;

f) o empregador ou seus prepostos ofenderem-no fisicamente, salvo em caso


de legítima defesa, própria ou de outrem;

g) o empregador reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de


forma a afetar sensivelmente a importância dos salários.

Também o artigo 407 da CLT, prevê uma hipótese de rescisão indireta do


contrato de trabalho, em se tratando de não cumprimento por parte do
empregador, das medidas possíveis e recomendadas pela autoridade
competente para que o menor seja alterado na função.

Consolidação das Leis do Trabalho

Art. 407 - Verificado pela autoridade competente que o trabalho executado pelo
menor é prejudicial à sua saúde, ao seu desenvolvimento físico ou a sua
moralidade, poderá ela obrigá-lo a abandonar o serviço, devendo a
respectiva empresa, quando for o caso, proporcionar ao menor todas as
facilidades para mudar de funções.

Parágrafo único - Quando a empresa não tomar as medidas possíveis e


recomendadas pela autoridade competente para que o menor mude de
função, configurar-se-á a rescisão do contrato de trabalho, na forma do art.
483.