Вы находитесь на странице: 1из 14

CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

Série: 4º Ano - Ensino Fundamental Professora: Olinda


Aluno: _____________________________________Data: ___/___/2015

AULA 3: ONDE O SOM SE PROPAGA?

Atividade 2 da página 26 do livro Som: Como você poderia demonstrar que o som se propaga
(ou não) nos meios sólidos, líquidos e gasosos?

 Com os materiais disponíveis para esta aula, investigue se o som se propaga ou não
nesses meios.
 Registre abaixo o que você observou.

___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
_________________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 3: ONDE O SOM SE PROPAGA?

 Atividade 3 da página 26 do livro Som:

Em qual meio o som se propaga mais rápido? Para saber, você vai realizar uma simulação da
propagação do som nos diferentes meios.

Registre os dados na tabela abaixo:

Em qual meio o som se propaga mais rapidamente?


Meio Quantidade de alunos Tempo de
material no percurso do som propagação
GÁS
LÍQUIDO
SÓLIDO

Observando a propagação do som


A propagação do som ocorre melhor em materiais que possuem partículas mais unidas, como
materiais sólidos e líquidos.

A propagação do som ocorre melhor em materiais sólidos e líquidos

Os órgãos responsáveis pela nossa audição são os nossos ouvidos, mas como o som chega até
eles para que possam ser interpretados pelo nosso cérebro?

O som chega até nossos ouvidos a partir de ondas sonoras, e ele se propaga por materiais
sólidos, líquidos e gasosos, como o ferro, a água e o ar.

As ondas sonoras precisam de um meio material para se propagar, e se propagam com


velocidades diferentes, de acordo com o meio material. O som se propaga melhor em materiais
que possuem as partículas mais juntas, ou seja, se propaga melhor em materiais sólidos e
líquidos
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 1: COMO PRODUZIMOS SONS?

Como a Voz é Produzida?

A saúde vocal é considerada um aspecto importante da saúde geral e qualidade de vida,


pois a voz é o seu principal instrumento de trabalho e importante recurso nas relações, com
implicações relevantes no processo ensino-aprendizagem.
As alterações de voz são responsáveis por queixas, licenças médicas, afastamentos e
readaptações funcionais, representando prejuízos para o trabalhador e para toda a sociedade.
"A voz é um componente importante na comunicação interpessoal, uma vez que transmite
palavras, mensagens e sentimentos. Devido a isso, torna-se responsável pelo sucesso das
interações humanas, tanto em âmbito privado quanto em âmbito profissional." (Behlau, Dragone,
Nagano, pág. 10, 2004).
A voz é produzida por meio do ar que vem dos pulmões e que, ao chegar à laringe, faz as
pregas vocais vibrarem.
Na laringe, as cordas vocais estão na posição horizontal. Quando respiramos, elas se
afastam e ao falarmos elas se aproximam e vibram.
Depois de passar pela Laringe, a voz passa pelas cavidades da garganta, da boca e do
nariz, que funcionam como alto-falantes. Após essa amplificação, o som é modificado pelas
estruturas da língua, dos lábios, dos dentes e do palato, dando origem às palavras.
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 2: COMO OUVIMOS?

InfoEscola » Biologia » Corpo Humano » Anatomia » Audição


Por Thais Pacievitch

A audição é um dos cinco sentidos. O ouvido é o responsável pela capacidade de ouvir,


ou seja, pela audição e pelo equilíbrio do corpo. É composta por três estruturas: orelha interna,
orelha média, e orelha externa.

- Ouvido externo: É composto pela orelha, ou seja, pelo pavilhão auricular e pelo meato acústico
externo. No ouvido externo as ondas sonoras são concentradas.

- Ouvido médio: É composto pela membrana timpânica, ou tímpano, como já foi chamado. A
membrana auditiva é um conjunto de três ossículos (martelo, bigorna e estribo) e da tuba
auditiva. Do ouvido médio, as ondas sonoras são transmitidas ao nervo auditivo.

- Ouvido interno: É composto por três estruturas, (vestíbulos, cóclea, e ductos semicirculares) que
são preenchidas por um liquido. Dentro da cóclea existem as células ciliadas. O ouvido interno
aloja as terminações do nervo auditivo.

As vibrações sonoras que se propagam pelo ar, são captadas pelo pavilhão auricular e são
direcionadas ao interior da orelha. Quando essas vibrações chegam até a membrana timpânica,
que é uma pele rígida e fina que divide o canal auditivo e o ouvido médio, a mesma vibra. A
membrana timpânica transmite, então, as vibrações para aos três ossículos da orelha média
(primeiro o martelo, depois a bigorna e por último, o estribo), que por sua vez, transmitem as
mesmas para a orelha interna, onde as vibrações fazem o liquido do interior da cóclea se
movimentar. Dentro da cóclea, as células ciliadas captam esses movimentos e os transmitem, por
meio de impulsos nervosos que percorrem um nervo até o córtex cerebral, onde a informação
será interpretada.
A orientação postural, ou seja, o equilíbrio do corpo está relacionado ao sistema auditivo.
O sistema vestibular, ou como é mais conhecido, o labirinto, é a parte do ouvido responsável pelo
equilíbrio.
No decorrer do dia, as pessoas são expostas a diversos tipos de sons, como do trânsito, de
músicas ou pessoas conversando. O som, quando é alto demais é conhecido por poluição
sonora, pois pode criar problemas auditivos.
O som é medido em decibéis (dB). As pessoas com o aparelho auditivo considerado
normal podem ouvir ruídos a partir de dez decibéis. Até oitenta e cinco decibéis, qualquer ruído é
inofensivo, mas acima de cento e vinte decibéis, os sons podem causar dor e prejudicar a
audição.
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

Série: 4º Ano - Ensino Fundamental Professora: Olinda


Aluno: _____________________________________Data: ___/___/2015

AULA 4: COMO PRODUZIR SONS GRAVES E AGUDOS?

 Registro da aula: USO DO METALOFONE.

___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
_________________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 4: COMO PRODUZIR SONS GRAVES E AGUDOS?

Atividade 4 da página 34 do livro Som: Diferença entre o som do tubo longo e do tubo curto?
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
_________________________________________________________________

Altura do som - Sons agudos e graves

Altura é uma das características do som. Ela permite-nos distinguir um som agudo de um
som grave.O ouvido humano consegue distinguir os sons graves dos agudos. Para dar um
exemplo, a voz da mulher é mais aguda (fininha) do que a voz grave do homem (grossa).
Os sons graves possuem frequências mais baixas do que os sons agudos.
Na natureza podes encontrar sons agudos como o piar dos passarinhos e sons graves como o
mugido da Vaca.Nas notas musicais regista-se um leque muito grande de sons que vão desde os
muito graves aos muito agudos.
No que respeita à sua altura, os sons podem ser classificados em sons agudos e sons graves.
Os sons graves, também chamados baixos, são sons com maior comprimento de onda
(pequena frequência).
Os sons agudos, ou altos, tem um menor comprimento de onda (maior frequência).
Observe as ondas sonoras na figura apresentada ao lado.

Fig. 1 - Altura do som


CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 1: SOMOS IGUAIS OUDIFERENTES?

Por que somos seres únicos?

Olhe ao redor e vai perceber como todas as pessoas são diferentes. Rostos, corpos,
comportamentos e personalidades, todos parecem únicos e especiais. Agora pense na
humanidade como um todo. Somos cerca de 7 bilhões, mas estimativas sugerem que 100 bilhões
de pessoas viveram e morreram nos últimos 50 mil anos. Até onde sabemos, todas elas são, ou
foram, totalmente únicas. O mesmo se aplica a todos os seres humanos que ainda estão por
nascer.
Há na nossa espécie uma quantidade incrível de variação. Quanto mais buscamos
tecnologias para confirmar identidades, mais descobrimos qualidades que tornam cada um de
nós especial. Algumas, como DNA e digitais, são óbvias. Outras, nem tanto. Então, sim, sua mãe
estava certa: você é muito, muito especial. Mas não confie apenas na palavra dela. Veja abaixo
10 traços que, de acordo com a ciência, são seus e de mais ninguém.

DNA

Uma parcela de apenas 0,5% do DNA dos humanos é distinto entre as pessoas e seria
responsável pela infinidade de diferenças que vemos. Mas tão pouco seria suficiente para
explicar todas as variações que encontramos? Na teoria, sim. E muito. Nosso genoma contém
cerca de 3,2 bilhões de letras de código de DNA; 0,5% disso seria 16 milhões de letras. O código
possui quatro letras, então o número de combinações possíveis é igual ao número 4 elevado a 16
milhões. O gigantesco resultado dá um número de possíveis genomas muitas e muitas vezes o
suficiente para que todas as pessoas que já existiram tenham DNAs diferentes.
Assim, probabilidade de alguém ter exatamente o mesmo genoma que você é zero. Isso
vale até para gêmeos idênticos. Apesar de serem 100% iguais no momento da concepção, os
genomas dos gêmeos se diferenciam logo em seguida, fruto de pequenas mudanças e mutações
aleatórias que ocorrem sempre que o DNA é copiado. E quanto mais velhos os gêmeos, mais
diferentes eles são.
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ
DIGITAIS

O tamanho e formato delas são determinados, em grande parte, pelos genes. Mas a
formação de impressões digitais no feto também é influenciada por fatores sutis, como a pressão
das paredes uterinas e até os movimentos do fluido amniótico.
Assim, as digitais de gêmeos idênticos podem ser bastante parecidas, mas as diferenças
são grandes o suficiente para serem detectadas. Na datiloscopia, essas distinções são
conhecidas como “minúcias” e incluem variações como a bifurcação ligeiramente deslocada de
uma linha em cada gêmeo ou uma presilha (um dos traços formados pela impressão) mais
fechada. O mesmo vale para as marcas nos dedos dos pés.

OLHOS

A íris de cada olho é especial o suficiente para que diversos países, como Reino Unido,
Canadá e EUA aceitem uma imagem digital dela como prova de identidade. Mas a aparência das
íris é hereditária. Então, como olhos que são iguais aos de toda a família podem, ao mesmo
tempo, serem totalmente únicos?

A resposta está na complexidade da estrutura da íris, uma grande mistura de músculos, tendões,
vasos sanguíneos e células pigmentadas que produzem cor, profundidade, sulcos, cristas e
manchas. A cor e a textura geral da íris é determinada geneticamente, o que explica as
semelhanças hereditárias. Mas o reconhecimento de íris usado em aeroportos ignora a cor e
concentra-se nos detalhes dos sulcos, cristas e pintas. Essas características dependem da
localização exata dos tendões, músculos e células pigmentadas à medida que a íris se
desenvolve antes do nascimento, fatores aleatórios e não são controlados pelos genes.
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

Série: 5º Ano - Ensino Fundamental Professora: Olinda


Aluno: _____________________________________Data: ___/___/2015

AULA 3: O QUE MOVE O SANGUE?

 Registro da aula: MONTAGEM DE UMA VÁLVULA (figura 1) MONTAGEM DE UM


MODELO DE BOMBEAMENTO DE LÍQUIDO (figura 2).

___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
_______________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 3: O QUE MOVE O SANGUE?

Atividade 9 da página 32 do livro Corpo Humano: Desenhe o modelo de bombeamento de


líquido e responda:

 Que peça do modelo representa o coração? E qual representa os vasos sanguíneos?


 O sangue é representado por qual parte do modelo?
___________________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
__________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

Série: 5º Ano - Ensino Fundamental Professora: Olinda


Aluno: _____________________________________Data: ___/___/2015

AULA 4: POR QUE O CORAÇÃO FAZ TUM-TUM?

 Registro da aula: ESCUTANDO OS BATIMENTOS DO CORAÇÃO.

___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
_______________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ

AULA 4: POR QUE O CORAÇÃO FAZ TUM-TUM?

Atividade 3 da página 41 do livro Corpo Humano: REGISTRO DAS PULSAÇÕES.

 Em repouso:
___________________________________________________________________
__________________________________________________________

 Após atividades físicas:


__________________________________________________________
__________________________________________________________
CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO DARWIN ARACRUZ
Entendendo o sistema circulatório

O sangue flui através dos vasos sanguíneos que formam uma rede fechada dentro do
organismo humano.
Existem dois sistemas principais: a circulação sistêmica e a pulmonar, também chamados
de grande circulação e pequena circulação. Cabe lembrar que estes dois sistemas se comunicam
e são interdependentes.
A circulação sistêmica se inicia no ventrículo esquerdo (VE) – que é a câmara cardíaca
responsável por bombear o sangue oxigenado proveniente dos pulmões para todo os órgãos e
tecidos do nosso corpo. Este sangue viaja através de vasos sanguíneos que possuem uma
camada elástica e muscular bastante desenvolvidas chamadas artérias, que vão se ramificando à
medida que atingem os órgãos e tecidos. Após a troca de oxigênio e metabólitos em nível celular,
o sangue retorna ao coração através de vasos menos resistentes, porem mais distensíveis,
chamadas de veias. Portanto, artérias são vasos que levam o sangue do coração para algum
órgão/tecido e veias são vasos que trazem o sangue de volta para o coração.
Quando o sangue chega ao coração através das veias, ele desemboca no átrio direito.Está
fechado o circuito da circulação sistêmica (ou grande circulação).
Resumindo: o sangue rico em oxigênio sai do coração através do VE e, após
“oxigenar”diversos órgãos e tecidos, retorna ao coração pelo AD.
O sangue que retorna da circulação sistêmica é pobre em oxigênio e, portanto, precisa ser
oxigenado novamente para ser bombeado. Para isso, o sangue passa do AD para o ventrículo
direito (VD) que, por sua vez, o bombeará para o pulmão. Inicia-se, então a circulação pulmonar
(ou pequena circulação). Assim que passa pelo pulmão, o sangue é novamente oxigenado e
retorna para o coração através do átrio esquerdo (AE). Está fechado o circuito da circulação
pulmonar.
Daqui em diante, o ciclo se repete: o sangue oxigenado passa do AE para o VE que o
bombeia para todos os órgãos e tecidos do corpo.