Вы находитесь на странице: 1из 56

CAPÍTULO 3

DESCREVENDO CIRCUITOS LÓGICOS

1
3.1- Constantes e Variáveis Booleanas
• Na álgebra booleana as constantes e variáveis podem ter apenas dois valores
possíveis: 0 ou 1.
• As variáveis booleanas representam o nível de tensão presente em uma
conexão ou em um terminal de entrada/saída. O nível de tensão em circuitos
digitais é referido como valor lógico 0 ou 1.
A tabela abaixo mostra alguns termos usados para esses níveis lógicos.
Valor Valor

•A álgebra booleana tem apenas três operações básicas:


OR (OU), AND (E) e NOT (NÃO)
Estas operações básicas são denominadas operações lógicas. Elas são
fisicamente realizadas por circuitos eletrônicos, chamados por circuitos lógicos
(ou portas lógicas). 2
3.2-Tabela-verdade
• A tabela-verdade descreve como a saída de um circuito lógico depende dos níveis
lógicos presentes nas entradas do circuito.
• O número de combinações de entrada é igual a 2N para uma tabela-verdade de N
entradas. A lista de todas as combinações possíveis é uma sequência de contagem
binária, por isso é muito fácil preencher uma tabela sem esquecer nenhuma
combinação. muda depois duas contagem
muda a cada contagem
Exemplos: 8 4 2 1
23 22 21 20
saída
2
21 20 4
2
8
2
4
2

2
4
muda depois de 8 contagens 2
8
2
4
2
muda depois de 4 contagens
Tabela verdade segue a sequência de contagem binária muda a cada contagem 3
3.3- Operações OR (“OU”) e a Porta OR
Operação OR
A expressão booleana para a operação OR é: x = A + B
A expressão x = A + B é lida como “x é igual a A OR B”, o que significa que x será 1
quando A ou B forem 1.
Porta OR
Uma porta OR é um circuito que tem duas ou mais entradas, cuja saída é igual à
combinação OR das entradas.

Tabela-Verdade Símbolo padrão da porta OR

qualquer

saída nível ALTO quando qualquer uma das entrada for nível ALTO.

Símbolo alternativo da porta OR


todas

saída nível BAIXO quando todas as entrada for nível BAIXO.


4
Porta OR de 3 entradas

Sequência de contagem binária


A porta OR gera uma saída ALTA sempre que qualquer uma das entradas for
ALTA.

5
Exemplo 3.1- Exemplo do uso de uma porta OR em um sistema de alarme.

VT > VTR → TH será nível ALTO

VP > VPR → PH será nível ALTO

As saídas dos dois comparadores são normalmente nível BAIXO.

6
3.4- Operação AND (“E”) e a Porta AND
 A operação AND é similar a multiplicação convencional.
 A operação E resulta 0 (zero) se pelo menos uma das variáveis de
entrada for 0 (BAIXA)
 A expressão booleana para a operação AND é: X = A • B = AB — Leia
“X é igual a A e B ”.
Porta AND
Uma porta AND é um circuito que tem duas ou mais entradas, cuja saída é igual à
combinação AND das entradas.
Símbolo padrão da Porta AND
Tabela-Verdade
todas

saída nível ALTO quando todas as entrada for nível ALTO.

Símbolo alternativo da porta AND


qualquer

saída nível BAIXO quando qualquer uma das entrada for nível BAIXO.
7
Porta AND de 3 entradas

todas

A porta AND gera uma saída ALTA somente quando todas as entradas
forem ALTAS.

8
3.5- OPERAÇÃO NOT (NÃO) ou INVERSÃO
 A expressão booleana para a operação NOT: X = A
 É a operação cujo resultado é simplesmente o valor complementar ao que a
variável apresenta.
 O valor complementar será 1 se a variável vale 0 e será 0 se a variável vale 1.

X=A — Leia: A barra ou NÃO A

A
Também conhecido como complemento
A barra superior
representa a operação
NOT.
Tabela-verdade NOT

A' = A
Outro indicador de
inversão é o símbolo (').

9
Circuito NOT (INVERSOR)

Um circuito NOT é comumente chamado de INVERSOR.

Símbolo padrão do INVERSOR Símbolo alternativo do INVERSOR

Esse circuito tem uma única entrada, e a lógica da saída é sempre


oposta ao nível da lógica da entrada.

10
Aplicação típica da porta NOT

Queremos saber se a chave não está fechada (botão não está pressionado);
por isso, esse circuito fornece x verdadeiro quando isso ocorre.

A xA

chave aberta (chave não fechada) → A = 0 → x = A = 1 (verdadeiro)


chave não aberta (chave fechada) → A = 1 → x = A = 0 ( falso )

11
Resumo das operações Booleanas

Regras resumidas para OR, AND e NOT

12
3.6- DESCREVENDO CIRCUITOS LÓGICOS ALGEBRICAMENTE

Precedência de operador
Se uma expressão tiver operações AND e OR, a operação AND é realizada
primeiro, a menos que existam parênteses na expressão.
13
Circuitos com INVERSORES lógicos

14
3.7- AVALIANDO AS SAÍDAS DOS CIRCUITOS LÓGICOS

Estudar

3.8- IMPLEMENTANDO CIRCUITOS A PARTIR DE EXPRESSÕES BOOLEANAS

Estudar

15
3.9- PORTAS NOR E PORTAS NAND
Porta NOR (NÃO OU)
 A porta NOR é uma porta OR invertida.
 Expressão booleana x  A B
Tabela verdade
Símbolo padrão da NOR
qualquer

saída nível BAIXO quando qualquer uma das entrada for nível
ALTO.

Símbolo alternativo da NOR A B A B


todas
0 0 1
0 1 0
1 0 0
saída nível ALTO quando todas as entrada for nível BAIXO.
1 1 0
16
Porta NAND (NÃO-E)

 A porta NAND é uma porta AND invertida.


 Expressão booleana x  AB

Símbolo padrão da NAND Tabela verdade

todas

saída nível BAIXO quando todas as entrada for nível ALTO.

Símbolo alternativo da NAND


A B AB
qualquer
0 0 1
0 1 1
saída nível ALTO quando qualquer uma das entrada for nível 1 0 1
BAIXO. 1 1 0
17
3.10- TEOREMAS BOOLEANOS
Os seguintes teoremas ajudam a simplificar expressões e circuitos lógicos.
x é uma variável lógica que pode ser 0 e 1.
Teoremas para uma única variável

18
Teoremas com mais de uma variável

Leis comutativas

Leis associativas

Leis distributivas (podemos fatorar, colocar em evidência os


termos comuns)

(14) x  xy  x
(15a) x  xy  x  y
(15b) x  xy  x  y
19
Demonstrando teoremas

Os teoremas (14) e (15) não possuem equivalentes na álgebra comum. Cada


um deles pode ser provado testando todos os casos possíveis para x e y.

(14) x  xy  x
(15a) x  xy  x  y
(15b) x  xy  x  y

20
Testando todos os casos possíveis para provar o teorema (14)

Tabela de análise para teorema (14)


X
0
0 (14) x + xy = x
1
1
↑ ↑
-----------------------------------------------------------

Usando a algebra booleana para provar o teorema (14)

Fatorando o teorema (14)

21
Problema 3.22 - pag. 96
Prove os teoremas (15a) e (15b) testando todos os casos possíveis. Fazer

15a) x  xy  x  y 15b) x  xy  x  y

Exercício Extra 1
Prove os teoremas 15a e 15b usando a álgebra booleana.

Solução:
15a) x  xy  x  y
15b) x  xy  x  y
x = x.1 x = x.1
x.1  xy  x  y x.1  xy 
1 = y +1 1 = y +1
x(y  1)  xy  x(y  1)  xy 
↓ ↓

xy  x  xy 
↓ xy  x  xy 
y(x  x)  x  y(x  x)  x 
y.1  x  x  y y.1  x  y  x 22
3.11- TEOREMAS DE DeMORGAN

Teoremas de DeMorgan são extremamente úteis na simplificação de


expressões em que uma soma ou o produto das variáveis é invertida.

Cada um dos teoremas de DeMorgan pode ser facilmente comprovado por


meio da verificação de todas as combinações possíveis de x e y (testando
todos os casos possíveis).

23
Implicações dos teoremas de DeMorgan

Teorema (16)

Símbolo padrão da NOR Símbolo alternativo da NOR

x  y  x. y x.y  x.y  x  y  x  y
Onde: xx
24
Teorema (17)

Símbolo padrão da NAND Símbolo alternativo da NAND

xy ≡

xy  x  y
x  y  x  y  x . y  xy
Onde: x  x

25
Usando os teoremas de DeMorgan podemos provar que o símbolo alternativo é
equivalente ao símbolo padrão, onde pequeno círculo representa uma
operação de inversão.
Símbolo padrão da AND Símbolo alternativo da AND
x
y
xy ≡ xy

xy  xy  x  y x  y  x . y  xy
Símbolo padrão da OR Símbolo alternativo da OR
x
x y ≡ x. y
y

x  y  x  y  x.y x .y  x  y  x  y
Símbolo padrão do INVERSOR Símbolo alternativo do INVERSOR

x x
x x
26
3.12- UNIVERSALIDADE DAS PORTAS NAND E NOR

 Portas NAND ou NOR podem ser usadas para implementar as três operações
lógicas básicas:
OR , AND e NOT

 Proporciona flexibilidade e é muito útil no projeto de circuitos lógicos.

27
Universalidade da porta NAND
É possível implementar qualquer expressão lógica usando apenas portas
NAND e nenhum outro tipo de porta, como mostrado.

x  AB  AB

x  A  B  A  B  A.B
x  A. B  A  B  A  B
28
Universalidade da porta NOR
Portas NOR podem ser organizadas para implementar cada uma das
operações booleanas, como mostrado.

x  A  B  A.B  AB x  A.B  A.B  A  B

29
Exemplo 3.18 - pag. 74
Cada CI é quádruplo, significa que ele contém quatro portas lógicas idênticas em
um chip.

Circuito AND-OR
AND

x  AB  CD

OR

30
Circuito AND-OR

As portas NAND 3 e 5 estão conectadas


como INVERSORES em série, realizando
↙3 ↙5 uma dupla inversão no sinal, portanto
elas podem ser eliminadas do circuito.

Elimina as portas 3 e 5 e as 4 e 6, duplas


inversões.

Circuito NAND-NAND

x  AB.CD  AB  CD  AB  CD

31
Problema 3.36 -
Simplifique cada uma das seguintes expressões usando os teoremas de DeMorgan.

Obs: Sempre comece quebrando a barra mais externa para simplificar as


expressões.

Barra mais externa Barra mais externa Barra mais externa


↘ ↘ ↘
(a) ABC (c) ABCD (g) A( B  C ) D

Barra mais externa



(i) ABCD

Resposta: (a) A  B  C (c) A  B  CD

(g) A  B  C  D (i) AC  BC  D
32
3.13- SIMBOLOGIA ALTERNATIVA PARA AS PORTAS LÓGICAS
Os símbolos padrão e alternativo representam o mesmo circuito físico, para
cada porta; não há diferenças nos circuitos representados pelos dois símbolos.

Para converter um símbolo-padrão em um símbolo alternativo, siga os


seguintes passos:
 inverta cada entrada e saída do símbolo-padrão. Isso é feito acrescentando
círculos de inversão nas entradas e saída que não têm círculos, ou remova
os círculos, caso existam.

Trocar o símbolo da operação é:

Se o símbolo for troque por

Se o símbolo for troque por

33
Figura 3.33- Símbolos-padrão e alternativos para as portas lógicas

34
Interpretação de símbolos lógicos
Cada um dos símbolos das portas lógicas gera uma única interpretação de
como a porta opera.
Antes de demonstrar essas interpretações , temos que entender o conceito
de nível lógico ativo.

Conceito de nível lógico ativo


• Quando a linha de entrada ou de saída em um símbolo de um circuito lógico
não tem um pequeno círculo, diz que ela é ativa-em-ALTO.

• Quando a linha de entrada ou de saída em um símbolo de um circuito


lógico tem um pequeno círculo, diz que ela é ativa-em-BAIXO.

A ausência ou presença de um pequeno círculo determina o estado de


ativação (ativa-em-ALTO / ativa-em-BAIXO) de entradas e saídas de um
circuito, e isso é usado para interpretar a operação do circuito.

35
Método de interpretação de símbolos lógicos
Interpretação dos dois símbolos da porta OR
qualquer

qualquer , ou

todas

todas, e
Interpretação dos dois símbolos da porta AND
A Saída vai para o nível ALTO quando todas as
todas
B x  AB entradas forem para o nível ALTO

A Saída vai para o nível BAIXO quando


qualquer A + B = A . B qualquer entrada for para o nível BAIXO.
B
36
Níveis de acionamento
 Quando um sinal de lógica está no estado ativo (que pode ser ALTO ou
BAIXO), diz-se que está ativo ou acionado.

 Quando um sinal de lógica está no estado inativo (que pode ser ALTO ou
BAIXO) é dito ser inativo ou não acionado.

Identificando sinais lógicos ativos em nível BAIXO

A barra sobre um A ausência de uma


sinal significa ativo RD barra significa ativo RD
em BAIXO. em ALTO.

A presença de um círculo A ausência de um circulo em


em uma entrada ou saída uma entrada ou saída
também indica ativo BAIXO também indica ativo ALTO

A barra sobre o nome é simplesmente um modo de frisar que esses


sinais são ativos em nível BAIXO. Sempre vai existir um pequeno círculo
para indicar ativo BAIXO. 37
Identificando sinais de dois estados

 Um sinal pode ter dois estados ativos, com uma função importante no estado
ALTO e outra no estado BAIXO.
 É costume rotular esses sinais para que ambos os estados ativos estejam
aparentes.

Um exemplo comum é o sinal de ler / escrever


RD / WR

Quando esse sinal está ALTO, realiza-se a operação ler (RD);


Quando é BAIXO, realiza-se a operação escrever (WR).

38
3.14- Que simbologia de porta lógica usar
O uso adequado das simbologias das portas no diagrama de circuito pode tornar
a interpretação do circuito muito mais clara.
↓ Circuito usando apenas símbolo NAND padrão.
↙ Esta representação não facilita a interpretação do

↓ circuito.


↓ ↙ Circuito usando símbolos padrão e alternativo da NAND.
↓ Este diagrama deve ser usado quando a saída Z for ativa

↓ em nível ALTO. Esta representação facilita a
interpretação do circuito.

↓ Circuito usando símbolos padrão e alternativo da NAND.


↓ ↙ Este diagrama deve ser usado quando a saída Z for ativa

↓ em nível BAIXO. Esta representação facilita a
↓ interpretação do circuito

39
Método de interpretação de símbolos lógicos
Como obter as representações equivales de circuitos lógicos
Sempre que possível, escolha símbolos de portas para que:
• de acordo com o nível ativo desejado na saída, devemos primeiro escolher
o símbolo que deve ser usado na porta de saída
• entradas com círculos devem ser conectadas às saídas com círculos
↓ Primeiro símbolo a ser escolhido
↓ porta de saída, nível ativo desejado ALTO

↑ entrada com círculo


saída com círculo

• entradas sem círculos devem ser conectadas às saídas sem círculos

↓ Primeiro símbolo a ser escolhido


↓ porta de saída, nível ativo desejado BAIXO

↑ entrada sem círculo


saída sem círculo
40
Exemplo 3.20: Método de interpretação de símbolos lógicos

O circuito lógico mostrado na Figura 3.37 ativa um alarme quando a saída Z


for nível ALTO. Modifique o diagrama do circuito de modo que ele
represente mais efetivamente sua operação.

Figura 3.37

41
Solução: Método de interpretação de símbolos lógicos

símbolo alternativo da NOR


símbolo padrão da NOR
AND 2
↓ ↓

→ ↑ ↑ porta de saída,
nível ativo
↑ desejado ALTO
AND 1

O circuito agora tem saídas sem círculos


conectadas às entradas sem círculos.

Como a saída Z é ativa em nível ALTO , portanto o símbolo padrão da AND 2


não será substituído. O símbolo de porta NOR deve ser alterado para o
símbolo alternativo (não possui círculo na saída) para ser conectado na
entrada sem círculo da porta AND 2. O símbolo padrão da AND 1 não será
trocado pelo o seu alternativo (não possui círculo na saída ) para ser
conectado na outra entrada sem círculo da porta AND 2. 42
Problema 3.35 Método de interpretação de símbolos lógicos

A saída do circuito da Figura 3.55 gera um sinal ativo em nível BAIXO para apenas
uma combinação das entradas.
(a) Modifique o diagrama do circuito de modo que ele represente mais
efetivamente sua operação.
(b) Use o novo diagrama do circuito para determinar a condição de entrada que
ativará a saída. Faça isso analisando os níveis lógicos ativos das portas, no
sentido da saída para a entrada, sem utilizar a equação booleana nem a tabela
verdade. Mostre toda a sequencia de análise e conclua a resposta de forma
sintetizada.

Fig. 3.55

43
Solução: Método de interpretação de símbolos lógicos
a) conjunção
A ↓
B
M↓
→ x
N↑ ↑
C ↑ nível ativo
BAIXO

b) combinação de entrada que ativa a saída:

x = 0 quando M = 1 e N =1
passagens M = 1 quando A = 0 e B = 0
N = 1 quando B = 0 e C=1

resposta na forma sintetizada → x = 0 quando A = 0 e B = 0 e C=1

44
Problema 3.36 Interpretação de símbolos lógicos

(a) Determine as condições de entrada necessárias para ativar a saída Z na Figura


3.37(b) . Faça isso analisando os níveis lógicos ativos das portas, no sentido da saída
para a entrada, sem utilizar a equação booleana nem a tabela verdade. Mostre toda a
sequencia de análise e conclua a resposta de forma sintetizada.

(b) Admita que o estado BAIXO seja o estado ativo do alarme na saída Z. Modifique o
diagrama do circuito para representar mais efetivamente sua operação. Use esse novo
diagrama para determinar quais são os níveis lógicos ativos das entradas que ativam o
alarme. Use o mesmo método do item (a).

Fig. 3.37(b)

45
Solução:
M

N ↑
nível ativo
ALTO

a) as condições de entrada necessárias para ativar a saída Z

z = 1 quando M = 1 e N =1
passagens M = 1 quando A = 0 e B = 0
N = 1 quando C = 1 e D =1

resposta na forma sintetizada → Z = 1 quando A = 0 e B = 0 e C = 1 e D = 1

46
Método de interpretação de símbolos lógicos
Problema 3.38 , 3.39 e 3.40


nível ativo ALTO

A resposta deve ser dada em forma sintetizada, não em forma de tabela.

47
Método de interpretação de símbolos lógicos

Problema 3.41

Mostre toda a sequencia de análise e conclua a resposta de forma sintetizada.

48
Prob. 3.41
(a) Determine as condições de entrada necessárias para ligar o LED.
Mostre toda a sequencia de análise e conclua a resposta de forma sintetizada.

Solução: análise usando apenas os níveis lógicos ativo indicados pelos símbolos das portas
LUZ =0 quando M=1 ou N=1
passagens M=1 quando A=1 e B=1
M
N=1 quando A=0 e B=0
N ↑
Portanto: LUZ
LUZ = 0 quando A=1 e B=1 ou A=0 e B=0

↑resposta na forma sintetizada


(b) Verifique se o circuito funciona como um interruptor two-way (interruptores A e B).

Solução: A B LUZ
0 0 0 (Led ligado)
Os interruptores A e B acendem ou
0 1 1 (Led desligado)
apagam o LED, independentemente
1 0 1 (Led desligado das suas posições.
1 1 0 (Led ligado)
49
Problema 3.37

Modifique o circuito da Figura 3.40 de modo que seja necessário fazer A1 = 0 para
produzir LCD = 1 em vez de A1 = 1.

50
Método de interpretação de símbolos lógicos

Exercício Extra 1 (Exemplo 3.23)

Determine as condições de entrada necessárias para ativar a saída LCD do


circuito da Figura E1. Faça isso analisando os níveis lógicos ativos das portas,
no sentido da saída para a entrada, sem utilizar a equação booleana nem a
tabela verdade. Mostre toda a sequencia de análise e conclua a resposta de
forma sintetizada.

A1
A2
A3
LCD
A4

A0
IN
OUT
Figura E1

51
Método de interpretação de símbolos lógicos
Exercício Extra 2 (Exemplo 3.21)

(a) Quando a saída do circuito lógico da Figura P1 for nível BAIXO, ativará um
outro circuito lógico. Modifique o diagrama do circuito para representar
mais efetivamente sua operação.
(b) Use o novo diagrama do circuito para determinar as condições de
entrada necessárias para ativar a saída. Faça isso analisando os níveis
lógicos ativos das portas, no sentido da saída para a entrada, sem utilizar a
equação booleana nem a tabela verdade. Mostre toda a sequencia de
análise e conclua a resposta de forma sintetizada.

A
B
C
Z
Figura E2 D

52
3.15- Atraso de Propagação - 11a Edição

 O atraso de propagação (tp) é o tempo que um circuito leva para produzir


uma saída após receber uma entrada.
 A velocidade de um circuito lógico está relacionada ao atraso da
propagação.

tPLH – tempo de propagação de BAIXO para ALTO


tPHL – tempo de propagação de ALTO para BAIXO

t PLH  t PHL tPLH ≠ tPHL


tP 
2

53
Problema 3.32 - fazer

3.16- RESUMO DOS MÉTODOS PARA DESCREVER CIRCUITOS LÓGICOS


Estudar seção 3.16

54
Esses são os exercícios mínimos recomendados dos Capítulos 3
Lista de Exercícios do Capítulo 3 - 11ª Edição
SEÇÃO EXEMPLOS PROBLEMAS
Introdução
3.1
3.2
3.3 3.1, 3.2, 3.3A e 3.3B 3.1 a 3.5
3.4 3.4, 3.5A e 3.5B 3.6 a 3.10
3.5 Aplicação 3.1 3. 3.15
3.6
3.7 3.6
3.8 3.7 3.16
3.9 3.8 a 3.12 3.17 a 3.21
3.10 3.13 a 3.15 3.22, 3.23, 3.24
3.11 3.16, 3.17 3.25 a 3.32
3.12 3.18
3.13 3.19 3.33 a 3.41
3.14 3.20, a 3.23
3.15 3.42
3.16 3.24 3.47
55
Esses são os exercícios mínimos recomendados dos Capítulos 3
Lista de Exercícios do Capítulo 3 - 10ª Edição
SEÇÃO EXEMPLOS PROBLEMAS
Introdução
3.1
3.2
3.3 3.1, 3.2, 3.3A, 3.3B 3.1 a 3.5
3.4 3.4, 3.5A, 3.5B 3.6 a 3.10
3.5 Aplicação 3.1 3.11 a 3.15
3.6
3.7 3.6
3.8 3.7 3.16 a 3.21
3.9 3.8 a 3.12
3.10 3.13, 3.14, 3.15 3.22, 3.23, 3.24
3.11 3.16, 3.17 3.25 a 3.32
3.12 3.18
3.13 3.19 3.33 a 3.41
3.14 3.20, 3.21, 3.22, 3.23
3.15 3.42
3.16
--------------------------------------------------------------------- 56