Вы находитесь на странице: 1из 4

Oxigenioterapia

Caso Clínico 1

RSN, 27 anos de idade, masculino, casado, analista de sistema, natural e procedente


de Belo Horizonte (Minas Gerais), com índice de massa corpórea (IMC) entre 30 e 40,
sem uso de nenhuma medicação, não e tabagista nem etilista, hígido até então,
procurou atendimento médico ambulatorial devido ao aumento da temperatura
corpórea, tosse seca, mialgia e rinorréia há três dias( acompanhado da esposa)
- Ao exame físico: consciente, orientado no tempo e espaço, colaborativo.
- Visivelmente cansado, taquidispneico, frequência respiratória de 40 irpm, em uso de
musculatura acessória e com tiragem intercostal moderada. Apresentava dor torácica
ao respirar; ausculta pulmonar presença de roncos difusos e estertores; oximetria de
pulso (Saturação de O2) de 80% em ar ambiente; pressão arterial (PA) de
120/80mmHg; Frequência cardíaca 100bpm; realizou nova radiografia do tórax, que
revelou infiltrado pulmonar disseminado em todos os campos pulmonares.
Você é o enfermeiro que está responsável por este paciente. Diante do cenário
apresentado descreva:

- Qual seria a recomendação de oxigenioterapia para esse paciente?


R: Máscara facial com reservatório com alta concentração de O2 e alto fluxo.
- Levante os principais problemas de enfermagem:
R: Aumento da temperatura corpórea, cansado, taquidispneico, frequência cardíaca
100bpm, FR de 40 irpm em uso de musculatura acessória com tiragem intercostal
moderada, dor torácica ao respirar, ausculta pulmonar presença de roncos difusos e
estertores, infiltrado pulmonar disseminado em todos os campos pulmonares.
- Descreva os principais diagnósticos de enfermagem para este paciente. (No mínimo 3
diagnósticos reais e 3 diagnósticos de risco).
R: Diagnóstico real 1: Fadiga
Característica definidora: Cansaço
Fator de risco: Condição fisiológica
*
Diagnóstico real 2: Hipertermia
Característica definidora: Taquipneia e taquicardia
Fator de risco: Doença
*
Diagnóstico real 3: Dor aguda
Característica definidora: Mudanças no parâmetro fisiológico e autorrelato de
característica da dor usando instrumento de dor padronizado
Fator de risco: Agente lesivo biológico.
*
Diagnóstico de risco 1: Risco de choque
Fator de risco: Hipoxemia e hipóxia
*
Diagnóstico de risco 2: Risco de integridade tissular prejudicada
Fator de risco: Volume excessivo de líquidos
*
Diagnóstico de risco 3: Risco de mucosa oral prejudicada
Fator de risco: Fator mecânico (dispositivo ventilatório)

- Descreva as principais intervenções de enfermagem para este paciente (prescrição de


enfermagem)
R:
*Lembrando que a oxigenioterapia ocorre sob prescrição médica esse caso clínico tem
o intuito de desenvolver o raciocínio clínico do estudante de enfermagem.

Caso Clínico 2
Paciente do sexo feminino, 25 anos, admitida na unidade de internação de infectologia
com diagnóstico de SIDA havia cinco anos, peso 56 kg, altura 165cm. Referindo quadro
clínico caracterizado por dispneia e tosse não produtiva associada à febre não aferida,
de várias semanas de evolução. Refere também uma dor continua nas costas a mais 6
meses. Consciente, orientada no tempo e espaço, contactuante. Sem déficits motores
ou sensitivos. Apresentando-se dispneica, frequência respiratória (FR) de 38 irpm e
saturação de oxigênio (SaO2) de 83%. Ausculta pulmonar com estertores bilaterais das
bases até terço médio. Hemodinamicamente estável com PA 110/70mmHg, FC
110bpm. Temperatura 37,7°C.
Você é o enfermeiro que está responsável por este paciente. Diante do cenário
apresentado descreva:
- Qual seria a recomendação de oxigenioterapia para esse paciente?
R: Máscara facial com reservatório com alta concentração de O2 e alto fluxo.
- Levante os principais problemas de enfermagem:
R: Dispneia, tosse, febre, dor nas costas, FR 38irpm e saturação de oxigênio (SaO2) de
83%. Ausculta pulmonar com estertores bilaterais das bases até terço médio.
Hemodinamicamente estável com PA 110/70mmHg, FC 110bpm. Temperatura 37,7°C.
- Descreva os principais diagnósticos de enfermagem para este paciente. (No mínimo 3
diagnósticos reais e 3 diagnósticos de risco).
R: Diagnóstico real 1: Controle ineficaz da saúde
Característica definidora: Falha em agir para reduzir fatores de risco
Fator de risco: Gravidade da condição percebida, suscetibilidade percebida e regime de
tratamento complexo
*
Diagnóstico real 2: Troca de gases prejudicada
Característica definidora: Dispneia, hipoxemia, padrão respiratório anormal e
taquicardia
Fator de risco: Desequilíbrio na relação ventilação-perfusão
*
Diagnóstico real 3: Dor crônica
Característica definidora: Autorrelato de característica da dor usando instrumento
padronizado de dor
Fator de risco: Distúrbio imunológico e condição relacionada a pós-trauma*
*
Diagnóstico de risco 1:
Fator de risco:
*
Diagnóstico de risco 2:
Fator de risco:
*
Diagnóstico de risco 3:
Fator de risco:

- Descreva as principais intervenções de enfermagem para este paciente (prescrição de


enfermagem)
R:

*Lembrando que a oxigenioterapia ocorre sob prescrição médica esse caso clínico tem
o intuito de desenvolver o raciocínio clínico do estudante de enfermagem.