Вы находитесь на странице: 1из 6

Área do retângulo

As figuras planas possuem dimensões que possibilitam o cálculo de sua área. Essas figuras são diferenciadas pelo
número de lados que elas possuem, ou seja, a sua nomenclatura e o cálculo da sua área dependerão do número de
lados que a figura possuir.

Uma figura plana nada mais é que um plano que possui uma forma específica e para que ela exista é preciso que
tenha no mínimo três lados. Veja abaixo a relação dos lados com a nomenclatura de algumas figuras planas.

3 lados = triângulo
4 lados = quadrilátero
5 lados = pentágono
6 lados = hexágono
7 lados = heptágono

O retângulo é um quadrilátero, pois possui 4 lados que podem ou não ser iguais. Quando os lados forem diferentes
ela continua recebendo o nome de retângulo, agora quando os 4 lados forem iguais o retângulo poderá ser chamado
de quadrado.

O cálculo da área desses dois tipos de retângulos é calculado da mesma forma. Como possuem duas dimensões:
base e altura, o cálculo da sua área é o produto da base pela altura.

Para compreender melhor como chegamos à conclusão de que a fórmula do cálculo da área de um retângulo é base
x altura, veja a explicação abaixo:

Considere o retângulo com a superfície dividida em quadradinhos de lados iguais a um centímetro.

Nesse retângulo obtivemos 5 colunas de quadradinhos e 3 linhas de quadradinhos, assim para saber a quantidade
de quadrados que essa figura possui em sua superfície basta multiplicarmos 5 x 3 = 15 quadradinhos. Como cada
lado do quadradinho é igual a 1centímetro, podemos dizer que as dimensões desse retângulo são iguais a:

Aplicando o mesmo raciocínio do cálculo da quantidade de quadradinhos iremos encontrar a área da superfície desse
retângulo da seguinte forma:
A = 5 cm x 3 cm
A = 15 cm2

Assim, provamos que o cálculo da área de um retângulo é:

A = BASE x ALTURA

Representando a base como b e a altura como h, simplificamos a fórmula:

A = b x h 
Caso esse retângulo seja um quadrado (todos os lados iguais), podemos dizer que a base e a altura terão mesmo
valor, assim iremos representá-las como sendo os lados do quadrado, representados pela letra l.
Portanto, a área de um quadrado pode ser indicada da seguinte forma:

A=lxl
A = l 2

Teorema de Pitágoras

Considerado um dos mais importantes teoremas da Matemática, o Teorema de Pitágoras foi desenvolvido por
Pitágoras de Samos, filósofo grego que viveu no séc. VI a.C., fundador da mística Escola Pitágorica.

O Teorema de Pitágoras pode ser aplicado em qualquer triângulo retângulo no intuito de determinar uma das medidas
quando conhecidas as outras duas. O Teorema não se restringiu somente ao triângulo retângulo, de acordo com
estudos da época, eram conhecidos os números inteiros e as frações, sendo através das aplicações do Teorema
iniciado o estudo dos números irracionais.

O Teorema consistia na seguinte relação:

“A medida do quadrado da hipotenusa é igual à soma das medidas dos quadrados dos catetos”

A relação dos números irracionais com o Teorema de Pitágoras consiste no cálculo da medida da diagonal do
quadrado, observe:

Dado o quadrado ABCD com lados medindo 1 unidade, vamos determinar a sua diagonal. A diagonal divide o
quadrado em dois triângulos retângulos, sendo assim, podemos notar que a diagonal do quadrado é a hipotenusa
dos dois triângulos retângulos. Aplicando o Teorema de Pitágoras temos:
Veja que √2 não possui raiz exata, com o auxílio de uma calculadora chegaremos ao seguinte resultado
1,414213562... . Esse tipo de número não era conhecido, pois depois da vírgula não formava períodos como os
racionais. Essa situação colocou em dúvida a descoberta de Pitágoras por algum tempo, pois não se tinha uma
explicação definida para esse tipo de numeral, contrariando toda a teoria de representar um número através de uma
relação (fração).
Com o passar dos séculos e a evolução da Matemática, os números irracionais foram aceitos e introduzidos nos
conceitos matemáticos, tornando o Teorema de Pitágoras ferramenta imprescindível nos estudos relacionados à
Geometria.

Exemplos
1 – Determine a medida da hipotenusa do triângulo representado pela figura a seguir:

2 – Dado o triângulo retângulo a seguir, determine a medida do cateto y.

Área do trapézio
A área do trapézio é definida pela metade do produto da soma das bases multiplicada pela altura.
O trapézio é um quadrilátero que possui dois lados paralelos chamados de base maior e base menor e dois lados
não paralelos.

Considere um trapézio de base maior B, base menor b e altura h.


A área do trapézio será dada por:

Observe que a área do trapézio é a metade do produto entre a soma das bases pela altura.

Exemplo 1. Calcule a área de um trapézio de bases medindo 10 cm e 5 cm e altura 6 cm.

Solução: O problema nos forneceu

B = 10 cm
b = 5 cm
h = 6 cm

Substituindo esses valores na fórmula da área, obtemos:

Exemplo 2. Determine a medida da base maior de um trapézio com 150 cm2 de área, 10 cm de altura e base menor
medindo 12 cm.

Solução:

Dados
A = 150 cm2
h = 10 cm
b = 12 cm
B=?

Substituindo os dados na fórmula da área, obtemos:


Exemplo 3. Num trapézio de 8 cm de altura, a base maior é o dobro da base menor. Determine a medida dessas
bases sabendo que a área desse trapézio é 180 cm 2.

Solução:

Dados

A = 180 cm2
h = 8 cm
b=x
B = 2x

Substituindo os dados na fórmula da área do trapézio, obtemos:

Assim, b = 15 cm e B = 30 cm.

Exemplo 4. Determine a altura de um trapézio de 45 cm2 de área, base maior medindo 11 cm e base menor com 7
cm de comprimento.

Solução:

Dados
A = 45 cm2
B = 11 cm
b = 7 cm

Substituindo os dados na fórmula da área, teremos: