Вы находитесь на странице: 1из 5

MEMORIAL DESCRITIVO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO


1. OBRA: Medição Subterrânea
2. PROPRIETÁRIO: THIAGO FEIJÓ BACKES
3. FINALIDADE: Uso Residencial
4. ENDEREÇO: AV. PORTAL DE VILLE, 58 – Condomínio COUNTRY VILLE – Santa Cruz do Sul – RS

5. OBJETIVO: O presente memorial tem como objetivo descrever as especificações técnicas das instalações elétricas do quadro de medição de uma
casa Residencial.

6. ENTRADA DA INSTALAÇÃO CONSUMIDORA: A entrada de energia do prédio será em baixa tensão e derivará da rede da RGE que passa na
AVENIDA PORTAL DE VILLE. Esta entrada será subterrânea, através de caixa de passagem deixada pelo condomínio para esta finalidade, como
mostrado em planta. Sendo o ramal de entrada suprido a quatro cabos 16mm². O cabeamento do poste até a medição será feita com cabo 16mm²,
devidamente identificado cada cabo.

7. PAINEL DE MEDIÇÃO: A caixa de medição está localizado ao lado da casa, conforme indicado em planta. Esta caixa será de acrílico Tipo III, um
disjuntor geral de 3x63A. O neutro do quadro de medição será aterrado, através de um eletroduto de PVC de 20mm, sendo seu condutor de 10mm², e o
condutor de proteção deverá ser de 10mm² que deve ser na cor verde. Deixar no mínimo 0,30m de fio com as pontas devidamente isoladas.
A montagem da caixa de medição e padrão de entrada deve estar a no máximo 1 metro do limite do terreno ou alinhamento do muro com a via de acesso
e atender às diretrizes dispostas no documento GED-13, com ressalvas ao tipo de entrada do ramal que será subterrâneo ao invés de aéreo.

8. CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO: Os centros de distribuição serão alimentados a partir do Quadro de Medição. A alimentação será com eletrodutos e
condutores dimensionados de acordo com o quadro de carga. Os CDs possuem diversos circuitos de iluminação e tomadas todos eles atendendo as
recomendações da NBR-5410, bem como circuitos individuais para aparelhos de maior carga como chuveiros, tomadas para ar condicionado e tomadas.

9. CARGA INSTALADA E DEMANDADA: A carga a ser instalada é de 47,3kW e carga demandada será de 30,28 kVA.

10. ATERRAMENTO: O neutro será ligado à terra junto ao painel de medição por meio de condutor de cobre isolado na bitola de 10mm². O eletrodo de
terra será um bastão de aço cobreado com ponteira cravada no solo de (5/8” x 2400mm). As ligações do condutor com o eletrodo serão por meio de
conector de bronze tipo pressão.

11. CONDUTORES
11.1 Devem ser de cobre, unipolares ou multipolares, isolação para 0,6/1,0kV, em EPR, XLPE ou PVC, dotados de cobertura de PVC de acordo com as
NBR-7286, NBR-7287 ou NBR-7288, respectivamente, ou isolação em XLPE sem cobertura de acordo com a NBR-7285.
11.2 A bitola dos condutores do ramal de entrada subterrâneo deve ser dimensionada de acordo com as tabelas 1A ou 1B e itens 7.1.1 e 7.1.6 do
documento GED-13. Exclusivamente nas distribuidoras RGE e RGE Sul somente serão aceitos condutores de encordoamento classe 2, conforme NBR-
NM-280.
11.3 O condutor neutro será sempre da mesma bitola das fases e deve ter isolação na cor azul claro e as fases em cor distinta ao neutro, exceto condutor
com isolação na cor verde.

12. ESPECIFICAÇÕES DO ELETRODUTO/TUBO EXTERNO


12.1 Deve ser de aço-carbono zincado por imersão à quente, conforme NBR-5597, NBR-5598 ou NBR-5580, com identificação da norma gravada no
eletroduto/tubo, devendo a extremidade superior ser vedada com massa calafetadora para evitar a entrada de água, insetos, etc.
12.2 Deve possuir, no mínimo, 6 metros acima do solo, devendo terminar, no mínimo, a 300mm abaixo da fase mais baixa (existente ou futura).
12.3 Deve ser preso ao poste, na posição indicada no desenho 2, através de cintas ajustáveis ou amarração com arame zincado no 12BWG
e bandagens de 5 voltas, de 2 metros em 2 metros e no mínimo 3 bandagens.
12.4 A interligação do eletroduto/tubo externo à caixa de passagem deve ser feita com adaptador e curva de PVC ou tubo corrugado flexível em
polietileno de alta densidade (PEAD), de seção circular de igual diâmetro ao do eletroduto/tubo externo, e envelopada em concreto.
12.5 Em condomínios ou loteamentos fechados o eletroduto/tubo externo de descida junto ao poste da CPFL pode ser, no máximo, em número de 4, um
para cada ramal de entrada, e cada duto deve conter no máximo 4 condutores. Exceção se faz em condomínios ou loteamentos com lotes de no máximo
12 metros de frente, onde se permite a utilização até 6 eletrodutos/tubos para ramais de entrada num mesmo poste, de no máximo 40mm
(1.1/4”), com somatória de até 24 condutores de no máximo 35mm².
12.6 O eletroduto/tubo externo de descida deve ser dimensionado de acordo com as tabelas 1A e 1B do documento GED-13, sendo que para a categoria
C6 da tabela 1A deve-se utilizar eletroduto/tubo com diâmetro interno mínimo de 65mm ou 2.1/2”.
12.7 Devem ser instalados no máximo 2 eletrodutos/tubos em cada lado do poste no sentido longitudinal da rede, mantendo-se a parte da frente e de
trás do poste livre para o apoio de escada. Quando da situação citada no item 8.5, devem ser instalados no máximo 3 eletrodutos/tubos em cada
lado do poste.
13. DUTOS SUBTERRÂNEOS
13.1 O duto subterrâneo deve ser instalado à profundidade mínima de 60cm, podendo ser de tubo de PVC rígido envelopado em concreto ou tubos
corrugados de polietileno de alta densidade (PEAD), ambos de seção circular.
13.2 Para condutores até 50mm² utilizar dutos com diâmetro externo nominal de 63mm (diâmetro interno mínimo de 49mm).
13.3 Para condutores de 70mm² e 95mm² utilizar dutos com diâmetro externo nominal de 125mm (diâmetro interno mínimo de 99mm).
13.4 Deve ser utilizado um duto subterrâneo para cada ramal de entrada, e cada duto deve conter no máximo 4 condutores.
13.5 Todos os condutores do mesmo circuito (fases e neutro) devem ser instalados no mesmo duto.
13.6 As linhas de dutos devem ter uma declividade adequada para facilitar o escoamento para a(s) caixa(s) de passagem de eventuais águas de
infiltração, que deve ser no mínimo de 1%.
13.7 Para definição dos dutos dos ramais de entrada, considerar:
a) até 2 curvas de 90°, conforme mostrado no desenho 6, em dutos de ramais de entrada constituídos de cabos de seções iguais ou inferiores a 50mm²,
desde que o raio de curvatura dos dutos não seja inferior a 50cm (a curva horizontal sempre que possível deve ser feita com raios de curvaturas
superiores a 1 metro).
b) 1 curva de 90° poderá ser instalada para os ramais de entrada constituídos de cabos de seções 70mm² e 95mm², desde que o raio de curvatura dos
mesmos não seja inferior a 1 metro.
Nota: Para situações que não se enquadrem nos critérios acima, deve-se utilizar caixa de passagem. A interligação do duto subterrâneo ao padrão de
entrada e caixa de medição deve ser feita com adaptador e curva de PVC ou tubo corrugado flexível em polietileno de alta densidade (PEAD), de seção
circular de igual diâmetro ao do duto subterrâneo, e envelopada em concreto.
13.8 Sobre todos os dutos diretamente enterrados deverão ser instaladas fitas de advertência contínua, dispostas conforme documentos GED-4102 e
GED-4106.
13.9 A faixa de advertência deve atender os requisitos estabelecidos na padronização CPFL documento GED-3992.

14. CAIXA DE PASSAGEM


14.1 Junto ao poste é obrigatória a instalação de caixa(s) de passagem. ESTA CAIXA É EXISTENTE;
14.2 A caixa de passagem deve ter dimensões internas mínimas de 800mm x 800mm x 1200mm, com tampa de concreto ou metálica e fundo falso com
pedra britada no 2, para drenagem de água, com altura de 200mm.
14.3 Caixas pré-fabricadas ou pré-moldadas podem ser utilizadas, sendo que a responsabilidade pelo uso das mesmas cabe exclusivamente ao
responsável técnico pelo projeto e/ou execução.
14.4 A(s) caixa(s) deve(m) ser instalada(s) na base do poste, a no máximo 50cm do mesmo, podendo ser instalada uma única caixa para receber os
cabos dos 4 eletrodutos/tubos externos, ou 2 caixas, uma de cada lado do poste onde estão instalados o(s) eletroduto(s)/tubo(s), recebendo o(s) duto(s)
de cada lado, ficando a critério do projetista. São permitidas no máximo 2 caixas por poste.

15. CÁLCULO DA DEMANDA

RELAÇÃO DE CARGAS:
CASA (1) – Trifásico – C8

QUANT. TIPO DE CARGA UNIDADE (WATTS) SUBTOTAL (W)


62 Lâmpadas (60x100) 6200
82 Tomadas (77x100+5x600) 10700
5 Split 12000btus (5x1600) 8000
3 Chuveiro (3x5400) 16200
1 Aquecimento (1x1200) 1200
1 Forno Microondas (1x1500) 1500
1 Forno Elétrico (1x2000) 2000
1 Maquina Lavar Louça (1x1500) 1500

TOTAL: 47,3 kW

Identificação de consumidores ligados ou inativos a fazer parte do agrupamento (se houver):

UC Denominação atual CASA RESIDENCIAL

D=a+b+c+d+e+f+g+h+i
a)Demanda referente a tomadas e iluminação – Instalação Residencial
Item a, de acordo com a tabela 3: 0,24 (24%)

b) Demanda referentes a Chuveiros, Torneiras, Aquecedores de Água de Passagem e Ferros Elétricos.


Item b, de acordo com a tabela 4: 0,76 (76%)

d) Demanda de secadora de roupa, forno elétrico, máquina de lavar louça e forno de micro-ondas.
Item d, de acordo com a tabela 6: 0,70 (70%)

f) Demanda referente a condicionador de ar tipo janela. (Tabela 8)


Item f, de acordo com a tabela 9: 1,00 (100%)

Ar condicionado 12000Btus
Carga Instalada em Watts (W): 5x1600 = 8000 W
Pela Tabela 8 temos a carga instalada em VA:

5x1900 VA = 9500 VA
FD = 1, logo f = 9,5 x 1 = 9500 VA ou 9,5 kVA
f = 9,5 kVA

D= ((6200+10700)x0,24)+((16200+1200)x0,76)+((1500+2000+1500)x0,70)+(9,5x1,00) =

D= (4,06)+(13,22)+(3,50)+(9,5) = 30,28kVA

Dimensionamento dos ramais alimentadores da unidade de consumo: (Tabelas 1B do GED13):

Categoria de
Carga
Unidade de Consumo Atendimento Cabo (mm2) Disjuntor (A)
Instalada (W)
Trifásico 47300 C8 16 63

Tabelas 1B do GED13 e item 5 do GED4621:


49mm INTERNAMEnTE
Eletroduto Subterrâneo
63mm EXTERNAMENTE
Cabo 16mm2
Disjuntor Geral 63A
Eletroduto aterramento 20mm INTERNAMENTE
Bitola Condutor aterramento 10mm²
Caixa Medição Caixa tipo III

16. QUEDA DE TENSÃO:


Ramal de Entrada do prédio
Condutor: 16mm² - 0,6/1kV – EPR – CATALOGO DE REFERÊNCIA PRYSMIAN
https://br.prysmiangroup.com/sites/default/files/atoms/files/Guia_Dimensionamento_Baixa_Tensao.pdf
Queda de tensão do condutor: 2,03 V/A.km – FP 0,8
Distância aproximada: 16m+8m+4m = 28m = 0,028 km
Corrente nominal: 63 A
Queda de tensão entre no trecho entre rede secundária e a medição: 63x0,028x2,03=3,58V/380Vx100 = 0,94%
17. RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS:
Conforme artigo 14 da Resolução da ANEEL nº 414 de 09 de setembro de 2010, o ramal de entrada subterrâneo não poderá ultrapassar
propriedades de terceiros ou vias públicas, exceto calçadas, portanto a Distribuidora instalará poste em calçada defronte a edificação para instalação
deste ramal.
Exceção se faz quando tratar-se de loteamento/condomínio fechado, em que as vias não são públicas. A princípio a extensão máxima do ramal de
entrada subterrâneo deve ser de 30m, medido entre a ligação da rede secundária e caixa de medição; exceção para terrenos com áreas acima a
1000m² com frentes superiores a 30m, nesta situação é permitido ramais de até 45m com máxima queda de tensão admissível de 1%.
- Os condutores na parte superior do eletroduto/tubo externo e na caixa de medição, devem ter comprimento suficiente para fazer as pingadeiras,
ligações à rede de distribuição aérea e a conexão aos equipamentos de medição, na caixa de passagem deixar folga de 1 volta de cabo e de fácil acesso
ao eletricista da Distribuidora.
- Deverá ser feita a identificação, através de plaquetas/etiqueta de alumínio, dos condutores tanto na entrada como na saída das tubulações
nas caixas de medição e nas caixas de passagem. Tal identificação deve ser legível e indelével, gravado em baixo relevo, com tipo de altura
de 20mm, indicando o número do imóvel da unidade consumidora.
- Somente são permitidos circuitos com cabos únicos (um por fase e neutro), não sendo permitido duplicar, triplicar, quadruplicar, etc.

NÃO É PERMITIDO:
- Instalação de cabos diretamente enterrados no solo.
- Emendas ou qualquer alteração na isolação dos condutores dentro dos dutos externos e subterrâneos, e nas caixas de passagem.
- Curvas dos cabos com raio inferior a 12 vezes o seu diâmetro externo, salvo garantia expressa dos fabricantes.
- Dentro de condomínios ou loteamentos fechados, mais de 4 ramais subterrâneos de clientes distintos num mesmo poste, sendo que a somatória
dos condutores não deve ultrapassar a 16 condutores.
Exceção se faz em condomínios ou loteamentos com lotes de no máximo 12 metros de frente, onde se permite a utilização até 6 eletrodutos/ramais de
entrada num mesmo poste, de eletrodutos de no máximo 40mm (1,1/4”), com somatória de até 24 condutores de no máximo 35mm².
- Fora de condomínios ou loteamentos fechados, mais de 3 ramais subterrâneos de clientes distintos num mesmo poste, sendo que a somatória
dos condutores não deve ultrapassar a 12 condutores.
- Utilização de poste que tenha instalado religador, chave de manobra em carga ou outro equipamento de manobra e banco de capacitores.
- Compartilhamento de um mesmo poste por ramais de entrada subterrâneos em tensão primária e secundária.

18. CONSIDERAÇÕES FINAIS:


Os materiais utilizados na construção da obra serão de boa qualidade e provenientes de fornecedores cadastrados/homologados na RGE. As montagens
serão submetidas à fiscalização da companhia fornecedora de energia elétrica.
Os serviços devem ser realizados por empresa registrada no CREA, e atender normas de segurança NR-10.
Na construção do painel de medidores, se algum detalhe por ventura for omisso, a empresa deverá seguir o GED 13 e GED 10126 e outros que
porventura foram citados e que sejam necessários para o correto atendimento deste projeto, bem como a NBR 5410.

Santa Cruz do Sul, Abril de 2019.

EDERSON BOECK STRECK


Engº Eletricista - CREA-RS 137.407
Responsável Técnico

THIAGO FEIJÓ BACKES


Proprietário