Вы находитесь на странице: 1из 4

Romantismo – Primeira Geração

Nacionalismo e Indianismo

A primeira geração romântica no Brasil é o período que corresponde de 1836 a 1852, baseada
no binômio “Nacionalismo-indianismo”. Seu marco inicial foi a publicação de “Suspiros
Poéticos e Saudades” (1836) do escritor Gonçalves de Magalhães (1811-1882).

No Romantismo, o indivíduo sente-se em desajuste com a sociedade, por isso a necessidade de


fugir da realidade. Um dos mecanismos usados para fugir da realidade é voltar-se para
o passado.

No Romantismo europeu, a volta ao passado histórico leva à Idade Média, onde estão as origens
das nações europeias. Mas, como o Brasil não teve Idade Média, voltar ao passado significa
redescobrir o país antes da chegada dos europeus, quando era habitado por povos indígenas.

Características: Exaltação da natureza, criação do herói na figura do índio, sentimentalismo e a


religiosidade são algumas das características marcantes da chamada geração indianista.

Principais autores: Gonçalves Dias, Gonçalves de Magalhães e Araújo Porto Alegre.

A 1ª Geração do Romantismo teve como principal escritor o maranhense Gonçalves Dias. Ele,
apesar de não ter introduzido o gênero no Brasil (papel este de Gonçalves de Magalhães), foi o
responsável pela consolidação da literatura romântica por aqui.

Porém, o traço mais forte da obra romântica de Gonçalves Dias é o Indianismo. Ele é considerado
o maior poeta indianista brasileiro e possui em sua obra poemas como “I-Juca Pirama”, no qual a
figura do índio é heroica chegando até a ficar “europeizada”. Utilizador de alta carga dramática e
lírica em suas poesias, com métrica, musicalidade e ritmos perfeitos, Gonçalves Dias se
considerava uma “síntese do brasileiro”, por ser filho de pai português e mãe mestiça de índios
com negros. Talvez por isso tenha citado tanto as três raças em sua obra, todas de formas
distintas.

José de Alencar – O pai dos Romances Indianistas e Urbanos

Os romances do Romantismo levaram ao leitor da época uma realidade idealizada, com a qual
eles se identificaram (escapismo, fuga da realidade, típica característica do Romantismo). Entre
eles, o romance indianista foi o que mais fez sucesso entre o grande público, por trazer consigo
personagens idealizados, representados por índios. Esses “heróis” caracterizavam uma tentativa
dos autores de simbolizar uma tradição do Brasil, o que nem sempre acontecia, em virtude da
caracterização artificial do personagem, mais “europeizada” ainda que os indígenas de Gonçalves
Dias.

José de Alencar foi o maior autor da prosa romântica no Brasil, principalmente dos romances
indianistas e urbanos. Tentando estabelecer uma linguagem brasileira, Alencar consolidou a
modalidade no país e lançou clássicos como “O Guarani” e “Senhora”.

O indianismo de José de Alencar está presente no já citado “O Guarani”, além de outros clássicos
como “Iracema” e “Ubirajara”. Alencar defendeu o estabelecimento de um “consórcio entre os
nativos” (que fornecem a abundante natureza) e o europeu colonizador (que, em troca, oferece a
cultura, a civilização). Dessa forma, surgiu então o brasileiro. Em todo o momento, a natureza da
pátria é exaltada, um cenário perfeito para um encontro simbólico entre uma índia e um europeu,
por exemplo.

Já em seus romances urbanos, José de Alencar faz críticas à sociedade carioca, cidade onde
cresceu, levantando os aspectos negativos e os costumes burgueses. Nessas obras, há a
predominância dos personagens da alta sociedade, com a presença marcante da figura feminina.
Os pobres ou escravos são reduzidos ou quase não têm papel relevante nos enredos.

Assim é a premissa básica de histórias de Alencar como “Lucíola”, “Diva” e, claro, “Senhora”. As
intrigas de amor, desigualdades econômicas e o final feliz com a vitória do amor (que tudo
apaga), marcam essas obras, que se tornaram clássicos da literatura brasileira e colocaram José
de Alencar no hall dos maiores romancistas da história do Brasil.

Atividades

QUESTÃO 01

"Cantor das selvas, entre bravas matas


Áspero tronco da palmeira escolho,
Unido a ele soltarei meu canto,
Enquanto o vento nos palmares zune,
Rugindo os longos, encontrados leques."

Os versos acima, de Os Timbiras, de Gonçalves Dias, apresentam características da primeira


geração romântica. São elas:

A) apego ao equilíbrio na forma de expressão; presença do nacionalismo, pela temática indianista


e pela valorização da natureza brasileira.
B) resistência aos exageros sentimentais e à forma de expressão subordinada às emoções; visão
da poesia a serviço de causas sociais, como a escravidão.
C) expressão preocupada com o senso de medida; "mal do século"; natureza como amiga e
confidente.
D) transbordamento na forma de expressão; valorização do índio como típico homem nacional;
apresentação da natureza como refúgio dos males do coração.
E) expressão a serviço da manifestação dos estados de espírito mais exagerados; sentimento
profundo de solidão.

QUESTÃO 02

“Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros do que a asa da graúna,
e mais longos que seu talhe de palmeir.
O favo da jati não era doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu
hálito perfumado.
Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde
campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava
apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas.”
(ALENCAR, José de. Iracema. São Paulo: Scipione, 1994, p. 10)
Após a independência, século 19, a nova nação “precisava ajustar-se aos padrões de
modernidade da época. […] Havia a necessidade de auto-afirmação da Pátria que se formava.”
(NICOLA, José de. Literatura brasileira: das origens aos nossos dias. São Paulo: Scipione, 1998.
p. 125.)

No texto, temos uma das formas significativas do nacionalismo, sintetizado pelo:

A) realismo naturalista
B) sentimentalismo realista
C) romantismo indianista
D) bucolismo neoclassicista
E) nativismo modernista

QUESTÃO 03

Por que tardas, Jatir, que tanto a custo


À voz do meu amor moves teus passos?
Da noite a viração, movendo as folhas,
Já nos cimos do bosque rumoreja.

Eu sob a copa da mangueira altiva


Nosso leito gentil cobri zelosa
Com mimoso tapiz de folhas brandas,
Onde o frouxo luar brinca entre flores.
Gonçalves Dias

O texto confirma que:

A) os poetas românticos afastaram-se da rigidez dos modelos clássicos, buscando a adequação


entre conteúdo emotivo e linguagem musical.
B) a temática regionalista, explorada criticamente pelo Romantismo, representou a busca das
origens autenticamente nacionais.
C) somente a partir da segunda geração romântica os autores brasileiros conseguiram tematizar
aspectos da cultura nacional, afastando-se da tradição europeia.
D) a representação lírica da exuberante natureza brasileira é o aspecto mais significativo da
poesia da terceira geração romântica.
E) a primeira geração romântica, no Brasil, tem como traços estilísticos caracterizadores o
egocentrismo exacerbado, o tom lírico confessional e o erotismo amoroso.

QUESTÃO 04

TEXTO
Leia o trecho do romance Senhora, de José de Alencar, em que Aurélia fala com Seixas, e
responda.

– Mas o senhor não me abandonou pelo amor de Adelaide e sim por seu dote, um mesquinho
dote de trinta contos! Eis o que não tinha o direito de fazer, e que jamais lhe podia perdoar!
Desprezasse-me embora, mas não descesse da altura em que o havia colocado dentro de minha
alma. Eu tinha um ídolo; o senhor abateu-o de seu pedestal, e atirou-o no pó. Essa degradação
do homem a quem eu adorava, eis o seu crime; a sociedade não tem leis para puni-lo, mas há um
remorso para ele. Não se assassina assim um coração que Deus criou para amar, incutindo-lhe a
descrença e o ódio.

No trecho, observa-se uma crítica à sociedade burguesa do século 19, no que se refere

A) à infidelidade das esposas.


B) à supervalorização do trabalho.
C) às uniões por dinheiro e não por amor.
D) ao conformismo da classe operária.
E) à falta de ambição dos homens.

QUESTÃO 05

Leia a seguir quatro afirmações sobre o indianismo romântico. Julgue se os itens abaixo estão (C)
corretos ou (E) errados:

( ) O índio foi visto como motivo artístico e não como figura histórica; daí a forma idealizada com
que foi representado na literatura.
( ) A descrição do índio nas obras românticas reflete fielmente a realidade histórica da época: só
depois do Romantismo é que ele passou a ser idealizado.
( ) A corrente indianista pode ser vista como uma espécie de resposta brasileira ao medievalismo
dos escritores europeus.
( ) José de Alencar e Gonçalves Dias são os dois autores indianistas mais importantes
do Romantismo.