Вы находитесь на странице: 1из 4

Disciplina: Proteção de Sistemas Elétricos de Potência

Professor: Thierry Silva Pereira


Aluno:

EXERCÍCIOS

1. Cite os seis princípios da eficácia de proteção e explique cada um deles.

2. Considerando-se o sistema de distribuição de energia elétrica mostrado na Figura 1, no qual


estão indicados em cor vermelha a quantidade de consumidores em cada bloco da rede,
calcule:

Figura 1

a) Os indicadores DEC e FEC para a chave (A), associados ao evento de interrupção


F3.
b) Os indicadores DEC e FEC totais para a chave (A), considerando-se todos os eventos
de interrupção registrados (F1, F2 e F3).
3. Considerando o TC apresentado na Figura 2, calcular:

Figura 2

a) A relação de transformação do TC.


b) A corrente secundária que passa pelo relé.
4. Em relação ao diagrama unifilar a seguir, para um TC – classe 10H400. Calcular:

Figura 3

a) Corrente no secundário do TC, quando passa no primário uma corrente de 480A.


b) A corrente do secundário para o curto circuito do terminal primário.
c) A máxima carga no secundário, para que o TC fique dentro da sua classe de exatidão.
5. Qual a carga máxima que se pode conectar no secundário do TC classe 5L200?
6. Especificar o TC – classe A5F20C100 segundo a ANSI.

7. Qual a máxima corrente de regime permanente que pode passar pelo alimentador do diagrama
da figura 4?
Figura 4

8. Um TC tem uma fiação (cobre) de 6 mm², cujo comprimento até a sala de operação é de 200
m. Qual a carga da fiação conectada no secundário do TC?
9. Definir a relação de transformação para um conjunto de TC’s para proteção, cuja carga
instalada no alimentador é de 750 kVA, corrente de curto-circuito trifásico de 1 kA e tensão de 13,8
kV.
10. Considerando que um TP tenha suas bobinas do ´rimário conectado a uma linha de
transmissão de 460 kV. Qual a relação de transformação do TP?
11. Dado o diagrama unifilar da figura 5. O TC deve alimentar simultaneamente, um amperímetro
com impedância de 0,116 Ω e potência de 2,9 VA, um medidor 1 com 0,044 Ω e potência de 1,10
VA, outro medidor 2 com impedância de 0,106 Ω e potência de 2,60 VA e um relé de sobrecorrente
com impedância de 0,35 Ω com faixa de Taps disponíveis de 4 -16A, conectado no seu Tap de 10A.
Considerar 10% a classe de exatidão do TC e fator de sobrecorrente de 20. Desconsiderar a
impedância da fiação e considerar a impedância interna do secundário do TC de 0,20 Ω.

a) Dimensionar o TC, quanto a sua relação de transformação.


b) Qual a impedância do relé?
c) Qual a carga total conectada no secundário do TC.
d) Especificar a classe de exatidão do TC pela ANSI.
e) Especificar a classe de exatidão do TC pela ABNT.

Figura 5
Pela NBR 6856 da ABNT, as correntes primárias do TC são de 5, 10, 15, 20, 25, 30, 40, 50,
60, 75, 100, 150, 200, 250, 300, 400, 500, 600, 800, 1000, 1200, 1500, 2000, 2500, 3000, 4000, 5000,
6000 e 8000A.
Os valores sublinhados são os usados segundo a norma ANSI.

Pela ANSI, as possíveis combinações das classes de exatidão dos TCs são dadas por:
10
20
2,5 50
𝐿
{ 5 } { } 100
𝐻
10 200
400
{800}
Chave 1: precisão do TC
Chave 2: reatância alta ou baixa
Chave 3: tensão máxima no secundário durante um CC

Pela ABNT, as possíveis combinações das classes de exatidão dos TCs são dadas por:
2,5
5
12,5
5 22,5
2,5
𝐴 10 25
{ } { 5 } {𝐹} { } {𝐶}
𝐵 15 45
10
20 50
90
100
{ 200 }
Chave 1: reatância alta ou baixa
Chave 2: Erro admissível da sua classe de exatidão
Chave 3: Fator de sobrecorrente
Chave 4: Valor do FS
Chave 5: carga no secundário do TC em VA definido para a 𝐼𝑁 = 5 𝐴 do TC
Chave 6: Valor da carga em VA