Вы находитесь на странице: 1из 5

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Comissão de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011

Aula Teórica 1 Anatomia Geral dos Ossos

28 Setembro 2010

Tecido: conjunto de células semelhantes que têm uma função semelhante.

Tecidos Esqueléticos: designação genérica dos tecidos que estão associados ao corpo humano (esqueleto).

Tecidos existentes no corpo humano:

- Tecido Nervoso

- Tecido Epitelial

- Tecido Muscular

- Tecido Conjuntivo

- Tecido Conjuntivo (propriamente dito) - Cartilagem Tecidos Conjuntivos Esqueléticos ou de Suporte - Osso
- Tecido Conjuntivo (propriamente dito)
- Cartilagem
Tecidos Conjuntivos Esqueléticos ou de Suporte
- Osso
- Sangue

> O tecido conjuntivo tem uma substância base matriz , mais ou menos abundante, no meio da qual estão dispersas células.

Funções dos Ossos:

- Suporte

- Movimento

- Protecção

- Armazenamento Mineral (99% do Cálcio do corpo está nos ossos)

- Hematopoiese

Ossada Esqueleto

corpo está nos ossos) - Hematopoiese Ossada ≠ Esqueleto “Amontoado” de ossos; pode ter todos os

“Amontoado” de ossos; pode ter todos os ossos do corpo humano ou não, não se encontram dispostos de um modo específico

A totalidade (206) dos ossos, arranjados e dispostos de acordo com a posição que ocupam no corpo humano

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Comissão de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011

Esqueleto

de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011 Esqueleto - Axial - Apendicular Crânio, Coluna Vertebral, Costelas,

- Axial

- Apendicular

Crânio, Coluna Vertebral, Costelas, Esterno* Ano Lectivo 2010/2011 Esqueleto - Axial - Apendicular Membros Superiores e Inferiores, Omoplatas, Osso Ilíaco

Membros Superiores e Inferiores, Omoplatas, Osso Ilíaco- Apendicular Crânio, Coluna Vertebral, Costelas, Esterno > O esqueleto axial surge primeiro durante o

> O esqueleto axial surge primeiro durante o desenvolvimento do ser humano, “brotando” deste o esqueleto apendicular numa fase posterior.

Formas dos Ossos:

>

Ossos

Longos

Exemplos:

Metacarpos e Metatarsos

Fémur,

Tíbia,

Perónio,

Rádio,

Cúbito,

Falanges

> Ossos Curtos Exemplos: Rótula, Ossos do Tarso e do Carpo

> Ossos Chatos Exemplos: Costelas, Esterno, Ossos Parietal, Temporal, Frontal e

Occipital

> Ossos Irregulares Exemplos: Vértebras, Pelve, Mandíbula

> Todos os ossos têm características próprias, denominadas acidentes anatómicos, que podem ser:

- Eminências: Cabeças, tubérculos, côndulos, epicôndulos, tuberosidades, trocânteres, espinhas, … - Depressões: Fossas, buracos, forames, incisuras, canais, sulcos, …

>

Esponjoso/Trabecular.

Numa

observação

sulcos, … > Esponjoso/Trabecular. Numa observação Existe no interior dos ossos, tornando-os mais leves; cria

Existe no interior dos ossos, tornando-os mais leves; cria Ama espaço para a medula óssea, parte do sistema hemolinfopoiético.

macroscópica,

existem

dois

tipos

de

osso:

Compacto

macroscópica, existem dois tipos de osso: Compacto e Muito compacto, envolve sempre o exterior do osso;

e

Muito compacto, envolve sempre o exterior do osso; também pode ser chamado osso cortical pois localiza- se no córtex do osso.

> Na maior parte dos casos, os espaços existentes nos ossos estão preenchidos por medula

óssea; nalguns casos (a excepção), estes espaços estão preenchidos por ar, pelo que passam a ser chamados ossos pneumáticos. Os ossos pneumáticos são sempre ossos irregulares e,

devido à sua estrutura, não podem ser sujeitos a grandes pressões.

> Na generalidade dos ossos, e no início da vida, os espaços existentes nos ossos contêm no

seu interior medula óssea vermelha (hematopoiética), que com o passar dos anos vai sendo progressivamente substituída por medula óssea amarela (adiposa). No entanto, a base do crânio, as vértebras, o esterno e as cristas ilíacas apresentam sempre medula óssea vermelha.

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Comissão de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011

> O osso vivo está revestido externamente (excepto em zonas articulares e de inserção de

tendões) por uma membrana de tecido conjuntivo, o periósseo. Esta membrana é fibrosa e algo elástica, e os ossos dependem dela para sobreviver, uma vez que na sua parte mais profunda possui células osteogénicas (produtoras de osso), e que a irrigação sanguínea dos

ossos é muitas vezes feita através do periósseo.

> Dentro do osso existe uma membrana semelhante ao periósseo, mas que é mais fina/menos espessa endósteo.

> Os ossos curtos e os ossos irregulares são muito parecidos, uma vez que em ambos os tipos de ossos a camada de osso compacto é fina, sendo o interior do osso completamente preenchido com tecido trabecular; a forma de vascularização e ossificação destes ossos é também semelhante.

> As trabéculas ósseas nunca estão dispostas aleatoriamente; estão ordenadas segundo

trajectórias preferenciais, o que é importante para a distribuição das forças ao longo do osso.

> Dentro do grupo dos ossos curtos existem:

- os ossos supranumerários, que excedem os comuns 206 ossos

- os ossos sesamóides, que se encontram sob tendões musculares (ex. rótula)

> Os ossos chatos (como, por exemplo, o osso parietal) são compostos por duas densas camadas de osso compacto (tábuas), separadas por uma camada de osso trabecular.

Ossos Longos

- Epífises: Extremidades distal e proximal (a proximal é mais espessa que a distal, mas

ambas são mais espessas que a diáfise).

- Diáfise: “corpo” do osso (aproximadamente cilíndrica).

- Metáfise: é a zona de transição entre diáfise e epífise, onde o diâmetro da diáfise vai

aumentando até atingir o diâmetro da epífise; é o local onde existem discos epifísiários que

permitem o crescimento do osso (com o tempo solidificam e deixa de se verificar crescimento ósseo).

- A camada externa de osso compacto é mais espessa na diáfise do que nas epífises.

- Na diáfise, além de algumas trabéculas, existe um espaço cavidade medular onde se encontra a medula óssea.

- As epífises têm muito mais osso trabecular do que osso compacto: novamente as

trabéculas estão dispersas segundo trajectórias preferenciais, para que o peso se distribua pela superfície distal do osso para que haja uma transição do peso mais uniforme para o osso

seguinte --- Teoria Trajectorial da Disposição das Lamelas Ósseas.

- Existem três tipos de epífises:

> De tracção (ex. trocânter maior do fémur)

> De pressão (ex. cabeça do fémur)

> Atávicas (ex. apófise coracóide da omoplata)

> Atávicas (ex. apófise coracóide da omoplata) São raras; eram ossos separados mas que se fundiram

São raras; eram ossos separados mas que se fundiram com a evolução humana

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Comissão de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011

> Histologicamente, todo o osso compacto ou esponjoso é osso lamelar, isto é, constituído por lamelas ósseas concêntricas, formando cilindros ordenados dispostos paralelamente uns aos outros e cujos eixos estão orientados na mesma direcção que o eixo do osso.

> A cada estrutura cilíndrica damos o nome de osteão ou sistema de Havers. Cada osteão toma

como centro o canal central do osteão ou sistema de Havers, que é por onde passam os vasos

sanguíneos e terminais nervosos, importantes para a manutenção da estrutura óssea.

> O osteão, em regra, não excede as 30 lamelas, uma vez que a partir deste número a espessura do osteão torna difícil que as lamelas mais periféricas sejam nutridas convenientemente (por difusão) a partir do canal central do osteão, pelo que as lamelas mais afastadas degeneram ou nem se chegam a formar por falta de nutrição.

> Uma vez que os cilindros não se adaptam perfeitamente uns aos outros (sobram espaços), existem lamelas intersticiais que vêm preencher os espaços entre os osteões.

> Na parte periférica do osso compacto e numa parte um pouco mais interna existem lamelas que dão a volta ao osso lamelas circunferenciais.

> No osso esponjoso, as lamelas podem estar também dispostas em camadas concêntricas mas

sem anel central ou, no caso de as estruturas serem mais finas, podem estar esticadas; estas

lamelas não necessitam de vasos sanguíneos pois são nutridas pelo endósteo (por difusão).

> Em todos os ossos longos existe um orifício denominado buraco nutritivo, por onde passam

uma veia (de maior calibre) e uma artéria (de menor calibre) para dentro do osso até à cavidade medular, de onde partem para irrigar todo o endósteo e a parte interna da camada cortical do osso, em sentido centrífugo. Apenas a parte periférica da camada cortical do osso é

irrigada centriptamente, pois é irrigada pelos vasos que vêm do periósseo.

> Numa fase inicial da vida, as metáfises são muito vascularizadas e irrigadas por sangue para promover o desenvolvimento e crescimento ósseo.

> Existe uma divisão linha epifisária que separa os vasos sanguíneos que irrigam a epífise dos vasos sanguíneos que irrigam as metáfises, uma vez que as epífises necessitam de ter os seus próprios vasos sanguíneos.

> Os ossos curtos, chatos e irregulares irrigam-se como as epífises.

> Se se analisar ao microscópio óptico uma porção de osso compacto ou osso trabecular,

poderemos ver uma matriz de tecido conjuntivo ósseo ossificada onde se encontram uma

grande variedade de células.

> Osso entrançado não é osso lamelar; é osso imaturo feito apressadamente (é o que se

forma primeiro). É mais irregular, não tem forma lamelar, estando as fibras de colagénio desorganizadas e os cristais de hidroxiapatite desarranjados. É um osso que estando calcificado é mais rígido que os tendões e tecidos musculares, mas mais frágil que ossos lamelares. Os osteoclastos e osteoblastos, ao actuarem no osso entrançado, transformam-no

em osso lamelar.

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Comissão de Curso 2010-2016 * Ano Lectivo 2010/2011

Osso Matriz Células Osteoclastos Osteócitos (1) (2)
Osso
Matriz
Células
Osteoclastos
Osteócitos
(1)
(2)
Inorgânica (60-70%)
Inorgânica
(60-70%)
Sais de Cálcio
Sais de Cálcio
Sais de Fósforo
Sais de
Fósforo
Orgânica (30-40%) Colagénio
Orgânica
(30-40%)
Colagénio
Osteoblastos (3) Osteóide (4)
Osteoblastos
(3)
Osteóide
(4)
(30-40%) Colagénio Osteoblastos (3) Osteóide (4) Sob a forma de cristais de hidroxiapatite ( 1) Células

Sob a forma de cristais de hidroxiapatite

(1) Células multi-nucleadas, removem detritos e ossos estragados; células derivadas da linha hemolinfopoiética. (2) São muito diferenciadas, estão dentro da estrutura óssea; não produzem nada, mas são muito importantes para o osso, pois se um osteócito morrer a matriz que o rodeia degenera; tem a função de perceber as variações hormonais, de iões que existem em circulação. (3) Produzem osso, ajudam a precipitar os sais e criam material orgânico; ficam “metidas” naquilo que produziram. (4) Matriz óssea antes de calcificada; é produzida pelos osteoblastos.