Вы находитесь на странице: 1из 289

@Andrey’s Translations

TRADING
PRICE
ACTION
TRADING
RANGES
Trading Price Action
CONSOLIDAÇÕES
ANÁLISE TÉCNICA DE GRÁFICOS DE PREÇO BARRA POR BARRA PARA O
TRADER SÉRIO

AL BROOKS
Eu gostaria de dedicar este livro à minha filha, Skylar Brooks, que é terna, doce, sensível,
incrivelmente realizada, confiante e persistentemente esperançosa. Ela quer que o mundo
seja um lugar melhor e está fazendo mais do que a maioria de nós para torna r isso possível.
Meu principal objetivo é apresentar uma série de livros abrangentes sobre price action que aborda
a maior preocupação entre os leitores, que foi o quão difícil meu livro anterior Reading Price Charts Bar
by Bar, era para ler. Sou profundamente grato a todos os comentários construtivos que os leitores
forneceram e aos comentários dos participantes nos meus webinars diários ao vivo. Muitos desses
comentários foram incrivelmente perspicazes e eu os incorporei nesta edição atual. Também sou grato a
todos os traders que estiveram na minha trading room ao vivo, porque eles me deram a oportunidade de
dizer as coisas repetidamente até que eu pudesse claramente articular o que estou vendo e fazendo. Eles
também fizeram muitas perguntas que me ajudaram a encontrar as palavras para se comunicar de
maneira mais eficaz, e eu coloquei essas palavras nesses livros.
Gostaria de dar um agradecimento especial a Victor Brancale, que passou longas horas revisando
os manuscritos e fornecendo centenas de edições e sugestões muito úteis, e a Robert Gjerde, que
construiu e administra meu site e me deu um feedback sincero sobre o assunto. Finalmente, quero
agradecer a Ginger Szala, diretor editorial da revista Futures, por me dar oportunidades contínuas de
publicar artigos e falar em webinars, e por me dar conselhos úteis sobre como se envolver mais com a
comunidade de trading.
List

Todos esses termos são ordenados por ordem alfabética e definidos em um jeito
prático para ser útil aos traders e não necessariamente do jeito teórico como
frequentemente descrito pelos analistas técnicos. Pule essa parte e volte apenas
quando encontrar um termo específico deste livro para mais informações.

Termos Genéricos do livro + [Bônus do tradutor :)]

aninhado Algumas vezes um padrão tem uma versão menor de um padrão


comparável aninhado dentro dele. Por exemplo é comum em um padrão de ombro
cabeça ombro, o ombro direito ser também uma configuração de ombro cabeça
ombro menor.

armadilha Uma entrada aqui imediatamente reverte para a direção oposta antes
do alvo de lucro do scalper ser alcançado, prendendo traders na sua nova posição
e forçando eles a cobrir como perda. Isso também pode assustar traders para fora
de um bom trade.

arame farpado Uma consolidação (consolidação ) de 3 ou mais barras que se


sobrepõem largamente e uma ou mais é uma doji. É um tipo de consolidação
"fino" com sombras grandes e frequentemente barras compridas.
arranhar Um trade próximo do fechamento que dá ou pouco lucro ou pouco
prejuízo.

arriscado Trades de 50% ou menos de chance de fracasso.


barra de sinal A barra imediatamente antes da barra na qual uma ordem de
entrada é preenchida. (barra de entrada). Essa é a barra final de uma
configuração.
barra de pullback Uma barra que reverte a barra anterior por no mínimo um
tique. Em uma tendência de alta é uma barra com uma mínima abaixo da barra
anterior.
barra de entrada A barra na qual um trade é colocado
barra de pausa Uma barra que não estende a tendência de alta a barra de pausa
tem uma máxima que está no mesmo nível ou abaixo da anterior, ou uma barra
pequena com uma máxima que é somente um tique ou tão alta quanto a barra
anterior quando a barra anterior é uma barra de tendência de alta forte. É um
tipo de pullback.
barra de reversão Uma barra de tendência na direção oposta da tendência.
Quando uma perna de baixa está revertendo para cima, uma barra de reversão
de alta é uma barra de tendência de alta e a descrição clássica inclui uma sombra
no fundo e um fechamento acima da abertura e próximo da máxima. Uma barra
de reversão de baixa é uma barra de tendência de baixa em uma perna de alta, e
a descrição tradicional inclui uma sombra na máxima e um fechamento abaixo da
abertura e próximo do fundo.
borda Uma borda de alta é uma pequena faixa de negociação com fundo
criado por duas ou mais barras com mínimas idênticas. e, Uma borda de baixa é
uma pequena consolidação com topo criado
por duas ou mais barras com alturas idênticas.
canal estreito Um canal onde a linha de tendência e a linha canal são muito
próximas e os pullbacks são pequenos e duram no máximo de uma a três barras.
clímax Um movimento que foi longe e rápido demais e agora reverteu a direção
ou para uma consolidação ou para uma tendência inversa. A maioria dos clímaces
terminam com rompimentos de canais de tendência e reversão, mas a maioria
dessas reversões resultam em trading ranges e não em uma tendência inversa.
continuidade Após o movimento inicial, como um rompimento, é uma ou mais
barras que estendem o movimento. Traders costumam ver a continuação na
próxima barra e em diversas barras depois dela esperando por uma tendência
onde eles possam ficar para fazer mais lucro.
contra tendência Um trade ou uma configuração que que está na direção oposta
da tendência atual(a direção "sempre-ativo" atual). Isso é uma estratégia
perdedora para a maioria dos traders, dado que o risco é normalmente no mínimo
tão grande quanto a recompensa e a probabilidade é raramente alta o suficiente
para fazer a equação do trader favorável.
day trade Um trade cujo fechamento é no mesmo dia da entrada.

doji Uma vela com corpo pequeno ou sem corpo nenhum. Em um gráfico de 5
minutos o corpo seria um ou dois tiques. e, mas em um gráfico diário o corpo
poderia ter 10 ou mais tiques e ainda assim aparecer quase inexistente nem os
compradores nem vendedores controlam a barra todas as barras são ou barras de
tendência ou barras de ausência de tendência. E essas barras de ausência
tendência são chamadas dojis.
escada Um empurrão para o novo extremo em uma caixa de negociação ou um
canal amplo onde há uma série de três ou mais suingues de tendência que se
assemelham há uma consolidação inclinada é mais ou menos contida em um
canal. Após o rompimento, existe um pullback de rompimento que se retrai no
mínimo discretamente para a consolidação anterior o que não é um requisito e
outras consolidações em tendência. Tradings dos dois lados estão disputando,
mais um dos lados está levemente mais forte, contribuindo para inclinação.

escadas encolhidas um padrão de escadas onde o rompimento mais recente é


menor do que o anterior. São séries de três ou mais topos em uma tendência de
alta ou fundos em uma tendência de baixa onde cada rompimento para um novo
extremo é por poucos tiques do que o rompimento anterior indicando momentum
diminuindo. Isso pode ser um padrão de três empurrão. Mas isso não pode se
assemelhar a uma cunha e pode ser qualquer série de swings amplos em uma
tendência.

EMA Veja exponential moving average (EMA)


exponential moving average (EMA) Os gráficos nesses livros usam média móvel
exponencial de 20 barras mas qualquer média móvel pode ser útil.
fade Colocar uma operação na direção oposta da tendência. Por exemplo, vender
um rompimento de alta que você espera que falhe e reverta para baixo.
consolidação Área de preços onde o mercado está lateral, como consolidações ,
canais estreitos, e padrões de continuidade como triângulos, flâmulas, ombro-
cabeça-ombro etc. As consolidações mais comuns são os retângulos, canais
horizontais onde o preço se insere dentro de um suporte e uma resistência
também horizontais.
falha fracassada Uma falha que falhou (wtf?), resultado na direção do
rompimento original, e portanto, um pulback de rompimento. Desde que haja um
segundo sinal é mais confiável. Por exemplo se há um rompimento acima de uma
consolidação e a barra após o rompimento é uma barra de reversão de baixa, se o
mercado negociar abaixo daquela barra, o rompimento falhou. Se o mercado
então negocia acima da máxima de uma barra anterior dentro de poucas barras
seguintes, o falso rompimento falhou e agora o rompimento está continuando.
Isso significa que o rompimento falhou se tornou uma pequena bandeira de touro
e somente um pullback do rompimento.
falha de 5 tiques Um trade no Emini que alcançou 5 tiques além da barra de
sinal e então reverteu. Por exemplo um rompimento de uma bandeira de touro
corre 5 tiques e então a barra fechou, a próxima barra tem a mínima que é a mais
baixa. A maioria das ordens de limite que pegam um ponto de lucro Falham a
serem preenchidas desde que o movimento usualmente tenha que ir um tique
além da ordem antes dela ser preenchida. Isso normalmente é uma configuração
para fazer um trade na direção oposta.
falha O movimento onde o stop de proteção é atingido antes do lucro do scalper
ser assegurado, geralmente resultando em movimento na direção oposta que fez
traders presos saírem com perda. Atualmente alvo do scalper no EMINI de 4
tiques normalmente requer um movimento de 6 tiques e o alvo no QQQQ de 10
tiques requer um movimento de 12 centavos
flat Refere-se ao trader que não está atualmente em nenhuma posição.
fractal Cada padrão é um fractal de um padrão em um gráfico de um time Frame
maior. Isso significa que cada padrão é um micro padrão em um time frame
maior e cada micro padrão é um padrão em um time frame menor.
fundo duplo Uma formação gráfica na qual a mínima da barra atual é
aproximadamente a mesma da mesma da barra anterior essa mesma anterior
pode ser somente uma barra antes ou 20 ou mais barras anteriores não tem que
ser a mínima do dia exatamente é comumente formam-se bandeiras de alta (uma
bandeira de alta de duplo fundo).
fundo duplo(pullback) Uma configuração de compra composta por um fundo
duplo seguida de um pullback profundo que forma um fundo mais alto.
fundo duplo (bandeira de alta) Uma pausa ou bandeira de alta uma tendência de
alta que tem dois picos para baixo para aproximadamente o mesmo preço e então
reverte de volta para a tendência de alta.
gap Um gap entre quaisquer duas barras de preço no gráfico. Um gap de
abertura é uma ocorrência comum e está presente se a abertura da primeira
barra do dia está além da máxima ou mínima da barra anterior (a última barra
de ontem) ou do dia inteiro. um gap de média móvel é presente quando a mínima
de uma barra está acima de uma média móvel plana ou decrescente, ou a
máxima de uma barra está abaixo de uma média móvel plana ou crescente. Gaps
tradicionais(rompimento, medida e exaustão) em gráficos diários tem
equivalentes intradiários na forma de várias barras de tendência.
HFT Veja high-frequency trading (HFT) .
high-frequency trading (HFT) Também conhecida como trading a
partir de algoritmos ou 'trading de caixa preta', é um tipo de trading
computadorizado
no qual firmas colocam milhões de ordens em um dia em milhares de ações
para fazer lucros de scalps tão pequenos com um centavo cujo trading é baseado
em análise estatística ao invés de fundamentalista.
HTF Veja higher time frame (HTF) .
ii Duas barras inside consecutivas na qual a segunda está dentro da primeira. O
final de uma perna é uma configuração de rompimento e pode se tornar uma
bandeira ou setup de reversão. Uma versão menos confiável é um ii "corpo
somente" onde você ignora as sombras. Aqui, o segundo corpo está dentro do
primeiro corpo no qual está dentro do corpo depois dele.
iii Três barras inside em fila, além de ser um padrão mais confiável do que um ii.
inside bar Uma barra cuja máxima está no mesmo nível ou abaixo da máxima da
barra anterior e uma mínima está no mesmo nível ou acima da mínima da barra
anterior.
instituição Também chamada de "dinheiro inteligente”, refere-se aos fundos de
pensão, companhias de seguro, bancos, corretoras, traders individuais grandes ou
qualquer outra entidade que negocia em volume suficiente para impactar o
mercado. O movimento do mercado é o cumulativo efeito de muitas instituições
colocando trades, e uma simples instituição sozinha normalmente não consegue
mover o mercado por muito tempo. Instituições tradicionais colocam suas
operações baseadas em análise fundamentalista, e eles costumam ser o fator
determinante da direção do mercado. No entanto, Firmas HFT são um tipo
especial de firma institucional e seu modo de operar é baseado em estatísticas
não em fundamentos. Instituições tradicionais determinam a direção e o alvo,
mas os matemáticos determinam o caminho que o mercado toma para chegar lá.

ioi Inside-outside-inside—São três barras consecutivas onde a segunda barra é


uma barra outside, e a terceira é uma inside. Ela é normalmente uma
configuração de rompimento no qual um trader procura comprar acima da inside
bar ou vender abaixo dela.
longo Uma pessoa que compra uma posição em um mercado ou a sua posição
atual. Resumindo, compra.
contratos É a menor quantidade de posição que pode ser negociada no mercado.
Também chamada de contrato quando se refere a Eminis ou outros futuros.
meltdown Uma sequência de compra em um pico ou um canal de baixa estreito
sem correções significativas e que estende além do que os fundamentalistas
poderiam prever.
melt-up a mesma coisa que meltdown (veja acima) só que para tendência de alta.
micro Qualquer padrão tradicional informe de uma até 5 barras e ainda assim
vale embora seja normalmente negligenciado. Quando eles se formam é uma
micro versão do padrão. Cada micro padrão é um padrão tradicional e um garfo
em um menor time frame, e cada padrão tradicional é um micro padrão em um
time frame maior.
modo de rompimento Quando em uma consolidação com topos e fundos, o
mercado tende a ir lateral do rompimento. Ex: se o mercado rompe para cima,
espera-se uma continuidade em forma de tendência de alta ou de uma
consolidação em tendência de alta.

money stop Um stop baseado em uma quantidade de dólar fixa ou número de


pontos como dois pontos nos EMInis ou um dólar em uma ação.
moving average gap bar (gap bar) Uma barra que não toca a média móvel. O
espaço entre a barra e a média móvel é o gap. O primeiro pullback em uma
tendência forte que resulta em uma barro gap de média móvel é usualmente
seguida pelo teste de um extremo de tendência. Por exemplo quando há uma forte
tendência de alta e uma correção que finalmente tem uma barra uma máxima
abaixo da Média móvel, isso normalmente é uma configuração de compra para
um teste da máxima da tendência.

news ("notícias") Informação inútil gerada pela mídia o único propósito de vender
anúncios e fazer dinheiro para as emissoras isso não é relacionado com o trading,
é impossível e avaliar e deve ser sempre ignorado.
oio Outside-inside-outside, an outside barra outside, seguida por inside e depois
por uma outside.
oo Outside-outside, an duas outside consecutivas.

outside bar Uma barra que tem uma máxima que acima ou no mesmo nível da
máxima da barra anterior e uma mínima que é abaixo da mínima da barra
anterior, ou uma barra com a mínima que abaixo ou no mesmo nível da mínima
da barra anterior e a máxima que é acima da máxima da barra anterior.
overshoot (ultrapassagem) O mercado supera um preço anterior significância
como ponto de swing ou uma linha de tendência.
perna Uma pequena tendência que rompe uma linha de tendência de qualquer
tamanho; o termo é utilizado somente quando há no mínimo duas pernas no
braço. É qualquer pequena tendência que seja parte de uma tendência maior e
que pode ser uma correção (um movimento de contra tendência), o swing é uma
tendência é o mercado lateral, ou um movimento a favor da tendência em uma
tendência que ocorre entre duas correções dentro de uma tendência

pip Um tique no mercado cambial (forex). No entanto, alguns fornecedores de


dados fornecem cotações com uma casa decimal extra, que deve ser ignorada

pressão compradora Compradores fortes estão se reafirmando e suas compras


estão criando barras de tendência de alta, barras com sombras nos fundos, e
reversões de duas barras. O efeito é cumulativo e usualmente é seguido
eventualmente por preços maiores.
pressionando os suas compras Em uma tendência de alta, compradores
Adicionam suas compras em um pico de alta assim que o mercado compre uma
novo topo porque eles esperam uma nova perna para aproximadamente um
movimento medido.
pressionando seus curtos Em uma tendência de baixa os vendedores adicionam
os seus curtos em um pico de baixa assim que o mercado rompe pra uma nova
mínima, porque eles esperam uma nova perna para baixo para
aproximadamente um movimento medido.
price action Ação de preços, em inglês. Qualquer alteração do preço em qualquer
tipo de gráfico ou time frame.
provavelmente Pelo menos 60 porcento de chance.
pullback de rompimento Um pequeno pullback de uma até cerca de 5 barras que
ocorre dentro de poucas barras depois de um rompimento. Desde que você veja
isso como um pullback, você espera que o rompimento continue e o pullback seja
uma configuração para aquela continuação. Se ao invés disso você pensou que o
rompimento fosse falhar, você não deveria usar o termo 'pullback' e ao invés disso
deveria ver o pullback como um falso rompimento. Por exemplo, se havia um
rompimento de 5 barras acima de uma LTB mas você acreditou que aquela
tendência de baixa continuaria, você poderia estar considerando uma venda
nessa bandeira de baixa e não comprar o pullback imediatamente após ela
romper para baixo.
razoável A configuração com uma equação de trader favorável.

recompensa O número de Tiques que um Trader espera fazer de trade. Por


exemplo se o trailer sai com maior tem de limite no alvo de lucro, esse é o número
de tiques entre o preço de entrada e o alvo de lucro.
E ssa é uma razão pela qual não há outro livro abrangente sobre price action escrito por um trader. Demora

milhares de horas e a recompensa financeira é escassa em comparação com a da trading. No entanto, com minhas
três meninas agora fora da faculdade, eu tenho um vazio para preencher e este foi um projeto muito satisfatório. Eu
originalmente planejei atualizar a primeira edição do Reading Price Charts Bar by Bar (John Wiley & Sons, 2009),
mas quando eu terminei, decidi entrar em detalhes sobre como eu vejo e opero os mercados. Eu estou
metaforicamente ensinando a você como tocar violino. Tudo o que você precisa saber para ganhar a vida está nesses
livros, mas cabe a você passar as incontáveis horas aprendendo seu ofício. Depois de um ano respondendo a milhares
de perguntas de traders no meu site www.brookspriceaction.com, acho que encontrei maneiras de expressar minhas
ideias com muito mais clareza, e esses livros deveriam ser mais fáceis de ler do que aquele. O livro anterior se
concentrava na leitura da ação do preço, e essa série de livros é centrada em como usar a ação do preço para negociar
os mercados. Desde que o livro cresceu para mais de quatro vezes mais palavras do que o primeiro livro, John Wiley
& Sons decidiu dividi-lo em três livros separados. Este primeiro livro aborda as noções e tendências da ação de
preços. O segundo livro é sobre as consolidações (consolidação ), gerenciamento de ordens e a matemática do trading,
e o livro final é sobre reversões de tendência, day trading, gráficos diários, opções e as melhores configurações para
todos os time frames. Muitas dos gráficos também estão em Reading Price Charts Bar by Bar, mas a maioria foi
atualizada e a discussão sobre os gráficos também foi amplamente reescrita. Apenas cerca de 5% das 120.000
palavras desse livro estão presentes nas
570.000 palavras desta nova série, portanto os leitores encontrarão pouca duplicação.
Minhas metas ao escrever esta série de três livros são descrever minha compreensão de por que as trades
cuidadosamente selecionadas oferecem grandes proporções de risco / recompensa e apresentar maneiras de lucrar com
essas ‘configurações’. Estou apresentando um material que espero que seja interessante para traders profissionais e
estudantes na escola de trades, mas também espero que até mesmo os traders iniciantes possam encontrar algumas
ideias úteis. Todos olham para os gráficos de preços, mas geralmente apenas por breves instantes e com um objetivo
específico ou limitado. No entanto, cada gráfico tem uma quantidade incrível de informações que podem ser usadas
para fazer trades lucrativos, mas muita coisa disso só pode ser usada efetivamente se traders gastarem tempo para
cuidadosamente entender o que cada barra no gráfico está dizendo pra eles sobre o que os traders institucionais estão
fazendo.

Noventa por cento ou mais de todos os trades em grandes mercados são feitos por instituições, o que significa que
o mercado é simplesmente uma coleção de instituições. Quase todos são lucrativos ao longo do tempo, e os poucos que
não são logo saem do mercado. Como as instituições são lucrativas e elas próprias são o mercado, todo trade que você
faz, tem um trader lucrativo (uma parte da coleção de instituições) tomando o outro lado de seu trade. Nenhum trade
pode ocorrer sem uma instituição disposta a tomar um lado e outro disposto a aceitar o outro. Os trades de pequeno
volume feitos por indivíduos só podem ocorrer se uma instituição estiver disposta a fazer o mesmo trade. Se você
quiser comprar a um determinado preço, o mercado não chegará a esse preço, a menos que uma ou mais instituições
também queiram comprar a esse preço. Você não pode vender a qualquer preço a menos que uma ou mais instituições
estejam dispostas a vender lá, porque o mercado só pode ir a um preço onde haja instituições dispostas a comprar e
outras que estejam dispostas a vender. Se o Emini está em $1.24 e você está comprando com um stop de venda de
proteção em $1.22, seu stop não pode ser atingido a menos que haja uma instituição que também esteja disposta a
vender em $1.22. Isso é verdade para praticamente todos os trades.
Se você negociar 200 contratos Emini, então você está negociando o volume institucional e, portanto, você é
efetivamente uma instituição, e às vezes você será capaz de mover o mercado um tique ou dois. A maioria dos traders
individuais, no entanto, não tem capacidade de movimentar o mercado, não importa o quão estupidamente eles
estejam dispostos a negociar. O mercado não irá executar seus stops. O mercado pode testar o preço de seu stop de
protetivo, mas não tem nada a ver com a seu stop. Só testará esse preço se uma ou mais instituições acreditarem que
é financeiramente seguro vender e outras instituições acreditarem que é lucrativo comprar lá. A cada tique, há
instituições comprando e vendendo outras instituições, e todas têm sistemas comprovados que farão dinheiro
colocando esses trades. Você deve sempre estar negociando na direção da maioria dos dólares institucionais, porque
eles controlam para onde o mercado está indo.
No fechamento do dia, quando você olha para uma impressão do gráfico do dia, como você pode saber o que as
instituições fizeram durante o dia? A resposta é simples: sempre que o mercado subia, a maior parte do dinheiro
institucional era comprada e, sempre que o mercado caía, mais dinheiro entrava nas vendas. Basta pensar em
qualquer segmento do gráfico em que o mercado subiu ou desceu e estudar cada barra, e logo você perceberá muitos
padrões repetitivos. Com o tempo, você começará a ver esses padrões se desdobrar em tempo real, e isso lhe dará
confiança para colocar seus trades. Algumas das ações de preço são sutis, portanto, esteja aberto a todas as
possibilidades. Por exemplo, às vezes, quando o mercado está numa alta forte, uma barra será negociada abaixo da
mínima da barra anterior, mas a tendência continua mais alta. Você tem que assumir que muito dinheiro estava
comprando no mesmo nível e abaixo da mínima da barra anterior, e isso também é o que muitos traders experientes
estavam fazendo. Eles compraram exatamente onde os traders fracos foram stopados com uma perda ou onde outros
traders fracos entraram curto, acreditando que o mercado estava no começo de uma queda.

Uma vez que você se sinta confortável com a ideia de que as tendências fortes geralmente têm pullbacks e que
muito dinheiro está comprando-as em vez de vendê-las, você estará em posição de fazer alguns bons trades que você
achava que eram exatamente a coisa errada a fazer. Não pense muito sobre isso. Se o mercado está subindo, as
instituições estão comprando constantemente, mesmo em momentos em que você acha que deve se livrar do seu longo
com uma perda. Seu trabalho é seguir o comportamento deles e não usar muita lógica para negar o que está
acontecendo bem na sua frente. Não importa se isso parece contra intuitivo. Tudo o que importa é que o mercado está
subindo e, portanto, as instituições estão comprando predominantemente e você também deve.
As instituições são geralmente consideradas como dinheiro inteligente, o que significa que são suficientemente
inteligentes para ganhar a vida negociando, e elas negociam um volume alto todo dia. Televisões ainda usam o termo
instituições para se referir a fundos mútuos, bancos, corretoras, seguradoras, fundos de pensão e fundos de hedge;
essas empresas costumavam contabilizar a maior parte do volume e, em sua maioria, negociam os fundamentos. Sua
negociação controla a direção do mercado em gráficos diários e semanais e muitas dos grandes swings intradiários.
Até uma década ou mais atrás, a maioria das decisões comerciais foram tomadas e a maior parte das trades foi feita
por traders muito inteligentes, mas agora está sendo cada vez mais feita por computadores. Eles têm programas que
podem analisar instantaneamente os dados econômicos e imediatamente colocar os trades com base nessa análise,
sem que uma pessoa esteja envolvida no trade. Além disso, outras empresas negociam grandes volumes usando
programas de computador que colocam trades com base na análise estatística da ação do preço. A negociação gerada
por computador agora responde por até 70% do volume do dia.
Os computadores são muito bons em tomar decisões e jogar xadrez e ganhar no Jeopardy! Gary Kasparov
durante anos fez as melhores decisões de xadrez do mundo, mas um computador tomou as melhores decisões em 1997
e o derrotou. Ken Jennings foi anunciado como o maior jogador de Jeopardy! de todos os tempos, mas um computador
o destruiu em 2011. É apenas uma questão de tempo até que os computadores sejam amplamente aceitos como os
melhores tomadores de decisão para o trade institucional.

Como os programas usam análise matemática objetiva, deve haver uma tendência para as áreas de suporte e
resistência se tornarem mais claramente definidas. Por exemplo, projeções de movimento medido devem se tornar
mais precisas à medida que mais volume é negociado com base em lógica matemática precisa. Além disso, pode
haver uma tendência para canais estreitas mais longos à medida que os programas compram pequenos pullbacks no
gráfico diário. No entanto, se programas suficientes entrarem longo ou curto nos mesmos níveis chave, as vendas
podem se tornar maiores e mais rápidas. Será que as mudanças serão dramáticas? Provavelmente não, já que as
mesmas forças gerais estavam operando quando tudo era feito manualmente, mas mesmo assim deveria haver algum
movimento em direção à perfeição matemática à medida que mais emoção fosse removida da negociação. À medida
que essas outras empresas contribuem cada vez mais para o movimento do mercado e as instituições tradicionais
usam cada vez mais os computadores para analisar e colocar seus trades, o termo instituição está se tornando
vago. É melhor para um trader individual pensar em uma instituição como qualquer uma das entidades diferentes
que negociam grande volume para um contribuinte significativo da ação de preços.
Como esses programas de compra e venda geram a maior parte do volume, eles são os contribuintes mais
importantes para a aparência de cada gráfico e criam a maior parte das oportunidades comerciais para investidores
individuais. Sim, é bom saber que a Cisco Systems (CSCO) teve um relatório de lucros sólido e está avançando e, se
você for um investidor que deseja manter ações por muitos meses, faça o que as instituições tradicionais estão
fazendo e compre a CSCO. No entanto, se você é um day trader, ignore as notícias e veja o gráfico, porque os
programas criarão padrões que são puramente estatisticamente baseados e não têm nada a ver com fundamentos,
mas oferecem grandes oportunidades de negociação. As instituições tradicionais que fazem trades com base nos
fundamentos determinam a direção e a meta aproximada de uma ação nos próximos meses, mas, cada vez mais, as
empresas que usam análise estatística para fazer trades diários e outros trades de vender prazo determinam o
caminho para essa meta. ou baixa do movimento. Mesmo em um nível macro, os fundamentos são apenas
aproximados, na melhor das hipóteses. Olhe para os acidentes em 1987 e 2009. Ambos tiveram quedas e recuperações
(Veja recuperação na lista de termos usados nesse livro) violentos, mas os fundamentalistas não mudaram
violentamente na mesma venda período de tempo. Em ambos os casos, o mercado foi sugado ligeiramente abaixo da
linha de tendência mensal e reverteu acentuadamente a partir dele. O mercado caiu por causa dos fundamentos
percebidos, mas a extensão da queda foi determinada pelos gráficos.
Existem alguns padrões grandes que se repetem em todos os time frames e em todos os mercados, como
tendências, faixas de negociação, clímax e canais. Há também muitos padrões menores que podem ser traduzidos
baseados apenas nas barras mais recentes. Esses três livros são um guia abrangente para ajudar os traders a
entender tudo o que veem em um gráfico, dando-lhes mais oportunidades de fazer trades lucrativos e evitar trades
perdedores.

A mensagem mais importante que posso fornecer é: foque nos melhores trades absolutos, evite as piores
configurações, use um objetivo de lucro (recompensa) que seja pelo menos tão grande quanto seu stop de proteção
(risco) e trabalhe para aumentar o número de ações que você está negociando. Eu reconheço tranquilamente que cada
uma das minhas razões por trás de cada configuração é apenas a minha opinião, e meu raciocínio sobre por que um
trade funciona pode estar completamente errado. No entanto, isso é irrelevante. O importante é que a ação de preço
de leitura é uma maneira muito eficaz de negociar, e tenho pensado muito sobre por que certas coisas acontecem do
jeito que acontecem. Estou confortável com minhas explicações e elas me dão confiança quando coloco um trade; no
entanto, eles são irrelevantes para meus trades, então não é importante para mim que eles estejam certos. Assim
como posso reverter minha opinião sobre a direção do mercado em um instante, também posso reverter minha
opinião sobre por que um determinado padrão funciona se me deparo com uma razão mais lógica ou se descubro uma
falha em minha lógica. Eu estou fornecendo as minhas opiniões porque elas parecem fazer sentido, eles podem ajudar
os leitores a se tornarem mais confortáveis negociando certas configurações, e podem ser intelectualmente
estimulantes, mas não são necessários para qualquer trading de price action.

Os meus livros são muito detalhados e difíceis de ler e são direcionados a traders sérios que querem aprender o
máximo possível sobre a leitura de gráficos de preços. No entanto, os conceitos são úteis para traders em todos os
níveis. Os livros cobrem muitas das técnicas padrão descritas por Robert D. Edwards and John Magee (Technical
Analysis of Stock Trends, AMACOM, 9th ed., 2007) e outros, mas concentre-se mais em barras individuais para
demonstrar como as informações que eles fornecem podem melhorar significativamente a relação risco / recompensa
da negociação. A maioria dos livros aponta três ou quatro trades em um gráfico, o que implica que tudo o mais no
gráfico é incompreensível, sem sentido ou arriscado. Acredito que há algo a ser aprendido em cada tique ( caso tenha
dúvidas, veja tique na Lista de termos usados nesse livro ) ocorre durante o dia e que há muito mais grandes trades
em cada gráfico do que apenas os mais óbvios; mas, para vê-los, você precisa entender a ação do preço e não pode
descartar nenhuma barra como sem importância. Eu aprendi realizando milhares de operações 'através de um
microscópio' que algumas das coisas mais importantes podem ser muito pequenas.
Eu leio gráficos barra por barra e procuro por qualquer informação que cada barra esteja me dizendo. Eles são
todos importantes. No fechamento de cada barra, a maioria dos traders se pergunta: “O que acabou de acontecer?”
Com a maioria das barras, eles concluem que não há nada que valha a pena ser negociado no momento, então não
vale a pena tentar entender. Em vez disso, eles escolhem esperar por algum padrão mais claro e geralmente maior. É
como se eles acreditassem que a barra não existia, ou a consideram apenas atividade de programa institucional que
não é negociável por um trader individual. Eles não se sentem como se fossem parte do mercado nestes tempos, mas
estes tempos constituem a grande maioria do dia. No entanto, se eles olharem para o volume, todas as barras que
estão ignorando terão tanto volume quanto as barras que estão usando para as bases de seus trades. Claramente,
muita negociação está acontecendo, mas eles não entendem como isso pode ser e essencialmente fingem que não
existe. Mas isso é negar a realidade. Sempre há trades acontecendo e, como trader, você deve entender por que está
ocorrendo e descobrir uma maneira de ganhar dinheiro com isso. Aprender o que o mercado está lhe dizendo é muito
demorado e difícil, mas isso lhe dá a base de que você precisa para ser um profissional bem-sucedido.

Ao contrário da maioria dos livros sobre gráficos de velas, em que a maioria dos leitores se sente compelida a
memorizar padrões, esses três livros fornecem uma justificativa para o motivo pelo qual determinados padrões são
configurações confiáveis para os traders. Alguns dos termos usados têm significado específico para os técnicos de
mercado, mas significados diferentes para os traders, e estou escrevendo isso inteiramente da perspectiva de um
trader. Estou certo de que muitos traders já entendem tudo nesses livros, mas provavelmente não descreveriam a
ação do preço da mesma forma que eu. Não há segredos entre os traders bem-sucedidos; todos eles conhecem
configurações comuns e muitos têm seus próprios nomes para cada um. Todos eles estão comprando e vendendo
praticamente ao mesmo tempo, pegando os mesmos swings e eles todos tem suas próprias razões para tomar um
trade. Muitos operam price action intuitivamente sem nunca sentir a necessidade de articular por que um
determinado setup funciona. Espero que eles gostem de ler minha compreensão e perspectiva sobre a ação do preço e
que isso lhes dê algumas ideias que melhorarão suas operações já bem-sucedidas.
O objetivo da maioria dos traders é maximizar os lucros de trading por meio de um estilo compatível com suas
personalidades. Sem essa compatibilidade, acredito que é praticamente impossível negociar com lucro a longo
prazo. Muitos traders se perguntam quanto tempo levará para que sejam bem-sucedidos e estejam dispostos a perder
dinheiro por algum tempo, mesmo que por alguns anos. No entanto, levei mais de 10 anos para poder negociar com
sucesso. Cada um de nós tem muitas considerações e distrações, então o tempo irá variar, mas um trader tem que
trabalhar através da maioria dos obstáculos antes de se tornar consistentemente lucrativo.
Tive vários problemas importantes que precisaram ser corrigidos, incluindo a criação de três filhas maravilhosas que
sempre encheram minha mente com pensamentos sobre elas e sobre o que eu precisava fazer como pai delas. Isso foi
resolvido à medida que envelheciam e se tornavam mais independentes. Então, levei muito tempo para aceitar
muitos traços de personalidade como reais e imutáveis (ou pelo menos concluí que não estava disposto a mudá-los). E
finalmente havia a questão da confiança. Eu sempre fui confiante ao ponto de arrogância em tantas coisas que aqueles
que me conhecem ficariam surpresos que isso fosse difícil para mim. No entanto, no fundo, acreditei que realmente
nunca chegaria a uma abordagem consistentemente lucrativa que eu gostasse de empregar por muitos anos. Em vez
disso, comprei muitos sistemas, escrevi e testei inúmeros indicadores e sistemas, li muitos livros e revistas, fui a
seminários, contratei professores e entrei em salas de bate-papo. Conversei com pessoas que se apresentavam como
traders bem-sucedidos, mas nunca vi seus extratos de contas e suspeitei que a maioria pudesse ensinar, mas poucos,
se algum, poderiam operar consistentemente. Normalmente no trading, aqueles que sabem não falam e aqueles que falam
não sabem.
Isso tudo foi extremamente útil porque mostrou todas as coisas que eu precisava evitar antes de se tornar bem-
sucedido. Qualquer não trader que analise um gráfico concluirá de forma inconstante que a negociação tem que ser
extremamente fácil, e isso faz parte do apelo. No fechamento do dia, qualquer um pode pensar em qualquer gráfico e
ver pontos de entrada e saída muito claros. No entanto, é muito mais difícil fazê-lo em tempo real. Há uma tendência
natural de querer comprar o valor exato e nunca ter o trade de volta. Em caso afirmativo, um novato terá a perda
para evitar uma perda maior, resultando em uma série de trades perdidas que acabarão por romper a sua banca na
corretora. Usar grandes stops resolve isso até certo ponto, mas, invariavelmente, os investidores logo atingirão
algumas grandes perdas que os colocarão no vermelho e os deixarão com medo de continuar usando essa abordagem.

Deveria você então ficar preocupado com o fato de que, disponibilizar as informações nesses livros criaria muitos
grandes traders de price action, todos fazendo a mesma coisa ao mesmo tempo, removendo assim os participantes
finais necessários para direcionar o mercado para seu alvo de preço? Não, porque as instituições controlam o mercado
e já têm os traders mais inteligentes do mundo e esses traders já sabem tudo que está nestes livros, pelo menos
intuitivamente. A todo momento, há uma bandeira de alta institucional extremamente inteligente, tendo o lado
oposto do trade sendo colocado por um urso institucional extremamente inteligente. Uma vez que os jogadores mais
importantes já sabem a ação do preço, ter mais jogadores que sabem disso não vai inclinar a balança de nenhuma
forma. Por isso, não me preocupo com o fato de que o que estou escrevendo impedirá que a ação do preço funcione. Por
causa desse equilíbrio, qualquer vantagem que alguém tenha sempre será extremamente pequena, e qualquer
pequeno erro resultará em uma perda, não importa quão bem uma pessoa leia um gráfico. Embora seja muito difícil
ganhar dinheiro como trader de mercado sem uma ação de preço pouco compreendida, esse conhecimento por si só
não é suficiente. Leva muito tempo para aprender a negociar depois que um trader aprende a ler gráficos, e a
negociação é tão difícil quanto a leitura de gráficos. Escrevi estes livros para ajudar as pessoas a aprenderem a ler
melhor as tabelas e a negociar melhor, e se você puder fazer as duas coisas bem, você merece poder tirar dinheiro das
contas dos outros e colocá-las nas suas.
A razão pela qual os padrões que todos vemos se desdobram é porque essa é a aparência que ocorre em um
mercado eficiente, com inúmeros traders fazendo ordens por milhares de razões diferentes, mas com o volume de
controle sendo negociado com base na lógica do som. Isso é exatamente o que parece, e tem sido assim para sempre.
Os mesmos padrões se desdobram em todos os time frames em todos os mercados ao redor do mundo, e seria
simplesmente impossível que tudo isso fosse manipulado instantaneamente em tantos níveis diferentes. A ação do
preço é uma manifestação do comportamento humano e, portanto, na verdade, tem um fundo genética. Até que
evoluamos, provavelmente permanecerá praticamente inalterado, assim como não foi alterado nos 880 anos de
gráficos que revi. A negociação de programas pode ter mudado um pouco a aparência, embora eu não consiga
encontrar nenhuma evidência para apoiar essa teoria. Caso contrário, isso faria os gráficos mais suaves, porque não
houve emoção e aumentou grandemente o volume. Agora que a maior parte do volume está sendo negociada
automaticamente por computadores e o volume é tão grande, o comportamento irracional e emocional é um
componente insignificante dos mercados e os gráficos são uma expressão mais pura das tendências humanas.
Como a ação do preço vem do nosso DNA, ela não mudará até que evoluamos. Quando você olha para os dois
gráficos da Figura I.1, sua primeira reação é que eles são apenas alguns gráficos comuns, mas observe as datas no
fundo. Esses gráficos semanais da Dow Jones Industrial Average da era da Depressão e da Segunda Guerra Mundial
têm os mesmos padrões que vemos hoje em todos os gráficos, apesar de a maioria do volume atual ser comercializado
por computadores.
Se todos de repente se tornarem scalpers de ação de preços, os padrões menores podem mudar um pouco por
algum tempo, mas com o tempo, o mercado eficiente vencerá e os votos de todos os traders serão destilados em
padrões de ação de preço padrão porque esse é o resultado inevitável de inúmeras pessoas se comportando
logicamente. Além disso, a realidade é que é muito difícil negociar bem e, embora basear os trades na ação de preço
seja uma abordagem sólida, ainda é muito difícil fazê-lo com sucesso em tempo real.
FIGURA I.1 O Price Action não mudou ao longo do tempo

Não há traders suficientes que o façam tudo isso bem o suficiente, tudo ao mesmo tempo, para ter alguma
influência significativa ao longo do tempo sobre os padrões. Basta pensar em Edwards e Magee. Os melhores traders
do mundo usam essas ideias há décadas e continuam a trabalhar, novamente pelo mesmo motivo - os gráficos têm a
mesma aparência, porque essa é a impressão digital imutável de um mercado eficiente, repleto de um grande número
de pessoas inteligentes usando um grande número de abordagens e time frames, todos tentando ganhar o máximo de
dinheiro possível. Por exemplo, Tiger Woods não está escondendo nada do que ele faz no golfe, e qualquer um é livre
para copiá-lo. No entanto, muito poucas pessoas podem jogar golfe bem o suficiente para ganhar a vida com isso. O
mesmo vale para o trading. Um trader pode saber praticamente tudo o que há para saber e ainda perder dinheiro,
porque é muito difícil fazer todo esse conhecimento de uma maneira que consistentemente faça dinheiro.
Por que tantas escolas de trades continuam recomendando Edwards e Magee quando o livro é essencialmente
simplista, usando linhas de tendência, rompimentos e pullbacks como base para a negociação? É porque funciona e
sempre tem e sempre funcionará. Agora que quase todos os traders têm computadores com acesso a dados intraday,
muitas dessas técnicas podem ser adaptadas ao day trading. Além disso, os gráficos de velas fornecem informações
adicionais sobre quem está controlando o mercado, o que resulta em uma entrada mais oportuna com menor risco.
Edwards and Magee’s foca na tendência de um modo geral. Eu uso essas mesmas técnicas básicas, mas presto muita
atenção às barras individuais no gráfico para melhorar a relação risco / recompensa, e dedico uma atenção
considerável aos gráficos intradiários.
Pareceu-me óbvio que, se alguém pudesse simplesmente ler os gráficos bem o suficiente para poder entrar nos
momentos exatos em que o movimento decolaria e não voltaria, esse trader teria uma enorme vantagem. O trader
teria uma máxima porcentagem de ganhos, e as poucas perdas seriam pequenas. Eu decidi que este seria o meu ponto
de partida, e o que eu descobri foi que nada tinha que ser adicionado. De fato, quaisquer adições são distrações que
resultam em menor lucratividade. Isso parece tão óbvio e fácil que é difícil para a maioria das pessoas acreditar.
Eu sou um day trader que confia inteiramente na ação do preço nos gráficos intradiários do Emini S & P 500
Futures, e eu acredito que ler bem price action é uma habilidade inestimável para todos os traders. Os iniciantes
muitas vezes têm uma crença profunda de que algo mais é necessário, que talvez alguma fórmula matemática
complexa que pouquíssimo uso lhes daria apenas a vantagem de que precisam. O Goldman Sachs é tão rico e
sofisticado que seus traders precisam ter um supercomputador e um software de alta potência que lhes dê uma
vantagem que garanta que todos os traders individuais estejam fadados ao fracasso. Eles começam a pensar em todos
os tipos de indicadores e brincar com as entradas para personalizar os indicadores para torná-los perfeitos. Todo
indicador funciona em parte do tempo, mas para mim eles ofuscam em vez de elucidar. Na verdade, sem sequer
pensar em um gráfico, você pode fazer uma ordem de compra e ter 50% de chance de estar certo!
Não estou descartando indicadores e sistemas por ignorância de suas sutilezas. Eu gastei mais de 10.000 horas
escrevendo e testando indicadores e sistemas ao longo dos anos, e isso provavelmente é muito mais experiência do
que a maioria tem. Esta extensa experiência com indicadores e sistemas foi uma parte essencial do meu sucesso como
trader. Os indicadores funcionam bem para muitos traders, mas o melhor sucesso vem quando o trader encontra uma
abordagem que é compatível com sua personalidade. Meu maior problema com indicadores e sistemas foi que nunca
confiei totalmente neles. Em cada configuração, eu vi exceções que precisavam ser testadas. Eu sempre quis o último
centavo fora do mercado e nunca fiquei satisfeito com o retorno de um sistema se eu pudesse incorporar uma nova
reviravolta que o tornaria melhor. Você pode otimizar constantemente, mas como o mercado está sempre mudando de
tendência fortes para consolidações restritas e, em seguida, voltando novamente e suas otimizações baseadas no que
aconteceu recentemente, elas logo falharão à medida que
o mercado passar para uma nova fase. Eu sou simplesmente muito controlador, compulsivo, inquieto, observador e
desconfiado para ganhar dinheiro a longo prazo com indicadores ou sistemas automatizados, mas eu sou extremista
em muitas coisas e a maioria das pessoas não tem esses mesmos problemas.

Muitos traders, especialmente iniciantes, são atraídos por indicadores (ou qualquer outro poder superior, guru,
comentarista de TV ou boletim informativo que eles querem acreditar que irá protegê-los e mostrar seu amor e
aprovação deles como seres humanos, dando-lhes muito dinheiro), esperando que um indicador mostre quando entrar
em um trade. O que eles não percebem é que a grande maioria dos indicadores é baseada em price action simples e,
quando estou operando, simplesmente não consigo pensar rápido o suficiente para processar
o que vários indicadores podem estar me dizendo. Se houver uma tendência de alta, um pullback e uma recuperação
para uma nova máxima, mas a subida tem muitas barras sobrepostas, muitos corpos vendedores, alguns pequenos
pullbacks e sombras proeminentes no topo das barras, qualquer trader experiente veria que é um teste fraco da
tendência alta e que isso não deveria estar acontecendo se a tendência de alta ainda fosse forte. O mercado está
quase certamente em transição para uma consolidação (consolidação ) e possivelmente para uma tendência de baixa.
Os traders não precisam de um oscilador para dizer isso. Além disso, os osciladores tendem a fazer com que os
investidores busquem reversões e se concentrem menos nos gráficos de preços. Estas podem ser ferramentas eficazes
na maioria dos dias, quando o mercado tem duas ou três reversões com duração de uma hora ou mais. O problema
surge quando o mercado está em uma tendência forte. Se você se concentrar muito em seus indicadores, verá que eles
estão formando divergências durante todo o dia e você pode se encontrar entrando repetidamente na contra tendência
e perdendo dinheiro. Quando você chegar a aceitar que o mercado está tendendo, você não terá tempo suficiente para
recuperar suas perdas. Em vez disso, se você estivesse simplesmente olhando para um gráfico de barra ou vela, veria
que o mercado está claramente tendendo e você não seria tentado pelos indicadores a procurar por reversões de
tendência. As reversões bem-sucedidas mais comuns primeiro rompem uma linha de tendência com forte momentum
e, em seguida, recuam para testar o extremo, e se os investidores se concentrarem demais nas divergências, muitas
vezes negligenciarão esse fato fundamental. Colocar um trade por causa de uma divergência na ausência de um
aumento de momentum de contra tendência anterior que rompimento uma linha de tendência é uma estratégia
perdedora. Aguarde o rompimento da linha de tendência e veja se o teste do antigo extremo reverte ou se a tendência
antiga é retomada. Você não precisa de um indicador para lhe dizer que uma forte reversão aqui é um trade de alta
probabilidade, pelo menos para um scalp, e quase certamente haverá uma divergência, então por que complicar seu
pensamento adicionando Alguns especialistas indicador recomendam uma combinação de time frames, indicadores,
contagem de ondas e retrações e projeções de Fibonacci, mas, quando chegar a hora de fazer o trade, eles o farão
somente se houver uma boa configuração de price action. Além disso, quando eles veem uma boa configuração de price
action, eles começam a procurar indicadores que mostrem divergências, diferentes intervalos de tempo para testes de
média móvel, contagens de onda ou configurações de Fibonacci para confirmar o que está na frente deles. Na
realidade, eles são traders de price action que estão negociando exclusivamente a ação de preço em apenas um
gráfico, mas não se sentem confortáveis em admiti-lo. Eles estão complicando seus trades ao ponto de que eles
certamente estão perdendo muitos, muitos trades porque a sua super-análise leva muito tempo para eles fazerem
suas ordens e eles são forçados a esperar pela próxima configuração. A lógica simplesmente não está lá para tornar o
simples tão complicado. Obviamente, adicionar qualquer informação pode levar a uma melhor tomada de decisão e
muitas pessoas podem processar muitas entradas ao decidir se deve ou não negociar.

Ignorar dados por causa de uma ideologia simplista é burrice. O objetivo é ganhar dinheiro, e os traders devem fazer
todo o possível para maximizar seus lucros. Eu simplesmente não consigo processar vários indicadores e time frames
bem no tempo necessário para colocar minhas ordens com precisão, e acho que ler cuidadosamente um único gráfico é
muito mais lucrativo para mim. Além disso, se eu confiar em indicadores, acho que fico preguiçoso em minha leitura
de ação de preço e, muitas vezes, sinto falta do óbvio. A ação do preço é muito mais importante do que qualquer outra
informação, e se você sacrifica um pouco do que está lhe dizendo para obter informações de outra coisa, você está
provavelmente tomando uma decisão ruim.
Uma das coisas mais frustrantes para os traders quando eles estão começando é que tudo é muito subjetivo. Eles
querem encontrar um conjunto claro de regras que garantam um lucro e odeiam como um padrão funciona em um
dia, mas falha em outro. Os mercados são muito eficientes porque você tem inúmeras pessoas muito inteligentes
jogando um jogo de soma zero. Para um trader ganhar dinheiro, ele tem que ser consistentemente melhor do que
cerca de metade dos outros traders por aí. Como a maioria dos concorrentes são instituições lucrativas, um trader tem
que ser muito bom. Sempre que existe uma vantagem, ela é rapidamente descoberta e desaparece. Lembre-se, alguém
tem que estar tomando o lado oposto do seu trade. Não demorará muito tempo para descobrir o seu sistema mágico e,
quando o fizerem, deixarão de lhe dar dinheiro. Parte do apelo da negociação é que ela é um jogo de soma zero com
margens muito pequenas, e é intelectualmente satisfatório e gratificante financeiramente poder identificar e
capitalizar essas oportunidades pequenas e rompimentos. Isso pode ser feito, mas é um trabalho muito difícil e
requer disciplina implacável. Disciplina simplesmente significa fazer o que você não quer fazer. Somos todos
intelectualmente curiosos e temos uma tendência natural para experimentar coisas novas ou diferentes, mas os
melhores traders resistem à tentação. Você tem que se ater às suas regras e evitar emoções, e você tem que esperar
pacientemente para levar apenas os melhores trades. Tudo isso parece fácil quando você olha para um gráfico
impresso no fechamento do dia, mas é muito difícil em tempo real enquanto você espera barra por barra e, às vezes,
hora a hora. Uma vez que uma grande configuração apareça, se você estiver distraído ou indeciso, você sentirá falta
dela e será forçado a esperar ainda mais. Mas se você conseguir desenvolver a paciência e a disciplina para seguir um
operacional, o potencial de lucro é enorme. Existem inúmeras maneiras de ganhar dinheiro negociando ações e
Eminis, mas todas
exigem movimento (bem, exceto por opções de venda). Se você aprender a ler os gráficos, vai captar um grande
número dessas transações lucrativas todos os dias sem saber por que alguma instituição iniciou a tendência e sem
saber o que qualquer indicador está mostrando. Você não precisa de software ou analistas dessas instituições porque
eles mostrarão o que estão fazendo. Tudo o que você precisa fazer é pegar carona (copiar os trades dos traders do lado
certo do mercado) em seus trades e terá lucro. A ação do preço informará o que eles estão fazendo e permitirá uma
entrada antecipada com um stop estreita.
Descobri que sempre faço muito mais dinheiro minimizando o que devo considerar ao fazer um trade. Tudo o que
preciso é de um único gráfico no meu computador portátil sem indicadores, exceto uma média móvel exponencial de
20 barras (EMA), o que não requer análise demais e esclarece muitas boas configurações a cada dia. Alguns traders
também podem pensar em o volume porque um pico de volume anormalmente grande às vezes chega perto do fim de
uma tendência de baixa, e o próximo novo fundo ou dois geralmente proporcionam compras lucrativas. Picos de
volume também às vezes ocorrem em gráficos diários quando um sell-off é exagerado. No entanto, não é confiável o
suficiente para justificar minha atenção.
Muitos traders consideram a ação do preço apenas quando negociam divergências e pullbacks de tendência. De
fato, a maioria dos traders que usam indicadores não negociam a menos que haja uma barra de sinal forte, e muitos
entrariam em uma barra de sinal forte se o contexto estivesse certo, mesmo que não houvesse divergência. Eles
gostam de ver um forte fechamento em uma grande barra de reversão, mas na realidade isso é uma ocorrência
bastante rara. As ferramentas mais úteis para entender a ação do preço são linhas de tendência e linhas de canal de
tendência, topos e fundos anteriores, rompimentos e falsos rompimentos, tamanhos de corpos e sombras em velas e
relações entre a barra atual e as várias barras anteriores. Em particular, como a abertura, máxima, mínima e
fechamento da barra atual se comparam à ação das várias barras anteriores, diz muito sobre o que acontecerá a
seguir. Os gráficos fornecem muito mais informações sobre quem está no controle do mercado do que a maioria dos
traders percebe. Quase todas as barras oferecem pistas importantes sobre onde o mercado está indo, e um trader que
descarta qualquer atividade como barulho está deixando passar muitos trades lucrativos a cada dia. A maioria das
observações desses livros está diretamente relacionada à colocação de trades, mas alguns têm a ver com simples
tendências curiosas de ação de preço, sem confiabilidade suficiente para ser a base de um trade.
Eu pessoalmente confio principalmente em gráficos de vela para meus Emini, futuros e negociação de ações, mas a
maioria dos sinais também é visível em qualquer tipo de gráfico e muitos são até mesmo evidentes em gráficos de
linha simples. Concentro-me principalmente em gráficos de vela de 5 minutos para ilustrar princípios básicos, mas
também discuto gráficos diários e semanais. Como eu também negocio ações, forex, futuros de notas do tesouro e
opções, discuto como a ação de preço pode ser usada como base para esse tipo de negociação.
Como trader, vejo tudo em tons de cinza e estou constantemente pensando em termos de probabilidades. Se um
padrão está sendo configurado e não é perfeito, mas é razoavelmente semelhante a uma configuração confiável, ele
provavelmente se comportará de maneira semelhante também. Perto é geralmente perto o suficiente. Se algo se
assemelhar a uma configuração de livro de trading, a negociação provavelmente se desdobrará de maneira
semelhante à negociação da configuração do livro de trading. Esta é a arte de negociar e leva anos para se tornar bom
em negociar na zona cinzenta. Todos querem regras ou indicadores concretos e claros, além de salas de bate-papo,
boletins informativos, hotlines ou tutores que lhes digam exatamente quando entrar para minimizar os riscos e
maximizar o lucro, mas nada disso funciona no longo prazo. Você tem que assumir a responsabilidade por suas
decisões, mas precisa primeiro aprender como fazê-las e isso significa que você precisa se acostumar a operar na
névoa cinzenta. Nada é tão claro quanto preto e branco, e eu tenho feito isso por tempo suficiente para perceber que
qualquer coisa, não importa o quão improvável, pode e vai acontecer. É como física quântica.
Todo evento concebível tem uma probabilidade, e também eventos que você ainda precisa considerar. Não é
emocional, e as razões pelas quais algo acontece são irrelevantes. Observar para ver se o Federal Reserve (FED) corta
as taxas hoje é uma perda de tempo porque há uma interpretação tanto otimista quanto pessimista de qualquer coisa
que o FED faça. O importante é ver o que o mercado faz, não o que o FED faz.

Se você pensar sobre isso, o trading é um jogo de soma zero e é impossível ter um jogo de soma zero onde as regras
funcionem consistentemente. Se trabalhassem, todos os usariam e então não haveria ninguém do outro lado do trade.
Portanto, o trade não poderia existir. As diretrizes são muito úteis, mas regras confiáveis não podem existir, e isso
geralmente é muito problemático para um profissional que está começando a acreditar que o trading é um jogo que
pode ser muito lucrativo se você puder criar apenas o conjunto certo de regras. Todas as regras funcionam a maior
parte do tempo e geralmente apenas o suficiente para fazer você acreditar que precisa ajustá-las um pouco para que
elas funcionem o tempo todo. Você está tentando criar um deus da trading que irá protegê-lo, mas está enganando a
si mesmo e procurando uma solução fácil para um jogo em que apenas soluções difíceis funcionam. Você está
competindo contra as pessoas mais inteligentes do mundo, e se você for esperto o bastante para criar um conjunto de
regras infalível, o mesmo acontecerá com eles, e então todos enfrentarão o dilema do jogo de soma zero. Você não pode
ganhar dinheiro negociando a menos que você seja flexível, porque você precisa ir onde o mercado está indo, e o
mercado é extremamente flexível. Ele pode dobrar em todas as direções e por muito mais tempo do que a maioria
imaginaria. Ele também pode reverter repetidamente todas as barras por um longo, longo tempo. Finalmente, pode e
fará tudo entre os dois. Nunca fiquei chateado com isso, e apenas aceite-o como realidade e admire-o como parte da
beleza do jogo.
O mercado gira em torno da incerteza. Durante a maior parte do dia, todo mercado tem uma probabilidade
direcional de 50 a 50 de um movimento equidistante para cima ou para baixo. Com isso quero dizer que, se você nem
sequer pensar em um gráfico e comprar qualquer ação e, em seguida, fizer uma ordem, cancela a outra ordem (OCO)
para sair em uma ordem de limite de lucro X centavos acima de sua entrada ou em uma proteção Parar em x
centavos abaixo de sua entrada, você tem cerca de 50 por cento de chance de estar certo. Da mesma forma, se você
vender qualquer ação em qualquer ponto do dia sem pensar em um gráfico e então colocar uma ordem de limite de
lucro X centavos abaixo e um stop de proteção X centavos acima, você tem 50% de chance de ganhar e cerca de 50%
de chance de perder. Existe a exceção óbvia de o X ser muito grande em relação ao preço da ação. Você não pode ter x
de US $60 em uma ação de US $50, porque você teria uma chance de 0% de perder US $60. Você também não pode
ter X por US $499, porque as chances de perder US $49 também seriam mínimas. Mas se você escolher um valor
para XX que esteja dentro do alcance razoável, isso geralmente é verdade. Quando o mercado é 50-50, é incerto e
você não pode racionalmente ter uma opinião sobre sua direção. Esta é a bandeira registrada de uma consolidação
(consolidação ), portanto, sempre que você estiver incerto, assuma que o mercado está em uma consolidação . Há
breves tempos em um gráfico quando a probabilidade direcional é maior. Durante uma forte tendência, pode ser entre
60% e 70%, mas isso não pode durar muito, porque gravitará em direção à incerteza e a um mercado de 50%, no qual
tanto os compradores quanto vendedores sentem que há valor. Quando existe uma tendência e algum nível de certeza
direcional, o mercado também gravitará em direção a áreas de suporte e resistência, que geralmente são algum tipo
de afastamento medido, e essas áreas são invariavelmente onde a incerteza retorna e uma consolidação se
desenvolve, pelo menos brevemente.
Nunca assista as notícias durante o dia de trading. Se você quiser saber o que um evento de notícias quer dizer, o
gráfico à sua frente lhe dirá. Repórteres acreditam que a notícia é a coisa mais importante do mundo, e que tudo o
que acontece tem que ser causado pela maior notícia do dia. Como os repórteres estão no trade de notícias, as notícias
devem ser o centro do universo e a causa de tudo o que acontece nos mercados financeiros. Quando o mercado de
ações foi vendido em meados de março de 2011, eles o atribuíram ao terremoto no Japão. Não importava para eles
que o mercado começou a vender-se três semanas antes, após um clímax de compra. Eu disse aos membros da minha
sala de bate-papo no fechamento de fevereiro que as chances eram boas de que o mercado tivesse uma correção
significativa quando vi 15 barras consecutivas de tendência de alta no gráfico diário depois de uma corrida de alta
prolongada. Este foi um clímax de compra extraordinariamente forte e uma declaração importante do mercado. Eu
não tinha ideia de que um terremoto iria acontecer em algumas semanas, e não precisava saber disso, de qualquer
forma. O gráfico estava me dizendo o que os traders estavam fazendo; eles estavam se preparando para sair de seus
longos e ficar vendidos.
"Especialistas" em televisão também são inúteis. Invariavelmente, quando o mercado faz um grande movimento,
o repórter encontra um especialista convincente e convincente que o previu e o entrevistou, levando os espectadores a
acreditar que esse especialista tem uma capacidade incomum de prever o mercado, apesar da realidade não revelada
de que esse O mesmo especialista esteve errado em suas últimas 10 previsões. O estudioso, então, faz algumas
previsões futuras, e espectadores ingênuos atribuirão significância a isso e deixarão que isso afete sua negociação. O
que os telespectadores podem não perceber é que alguns especialistas estão otimistas 100% do tempo e outros são
pessimistas 100% do tempo, e outros ainda apenas oscilam para as cercas o tempo todo e fazem previsões ultrajantes.
O repórter simplesmente corre para aquele que é coerente com as notícias do dia, o que é totalmente inútil para os
traders e, na verdade, é destrutivo porque pode influenciar suas trades e fazê-las questionar e desviar-se de seus
próprios métodos. Ninguém está consistentemente certo em mais de 660% das vezes nessas grandes previsões, e
apenas porque os especialistas são convincentes não os torna confiáveis. Há pessoas igualmente inteligentes e
convincentes que acreditam no contrário, mas não estão sendo ouvidas. Isto é o mesmo que assistir a um julgamento e
ouvir apenas o lado da defesa do argumento. Ouvir apenas um lado é sempre convincente e sempre enganoso, e
raramente é melhor do que 50% confiável.

Os compradores e vendedores institucionais estão colocando trades o tempo todo, e é por isso que há incerteza
constante sobre a direção do mercado. Mesmo na ausência de notícias de última hora, os canais de trades transmitem
entrevistas durante todo o dia e cada repórter escolhe um especialista para seu relatório. O que você precisa perceber
é que ela tem 50% de chance de escolher o caminho certo em termos da direção do mercado na próxima hora. Se você
decidir confiar no especialista para tomar uma decisão de negociação e ele disser que o mercado vai se vender depois
do meio-dia e, em vez disso, ele continua subindo, você vai querer entrar curto? Você deve acreditar nesse 'trader'
muito convincente em uma das principais empresas de Wall Street? Obviamente, ele está ganhando mais de um
milhão de dólares por ano e eles não pagariam muito, a menos que ele fosse capaz de prever corretamente e
consistentemente a direção do mercado. Na verdade, ele provavelmente pode e ele é provavelmente um bom analista
de ações, mas ele quase certamente não é um day trader. É tolice acreditar que só porque ele pode ganhar 15% ao ano
administrando dinheiro, ele pode prever corretamente a direção do mercado nas próximas duas horas. Faça as
contas. Se ele tivesse essa capacidade, ele estaria ganhando 1% duas ou três vezes por dia e talvez 1.000% ao ano.
Como ele não está, você sabe que ele não tem essa capacidade. Seu time frame é de meses e o seu é de minutos. Já
que ele é incapaz de ganhar dinheiro por dia de negociação, por que você iria querer fazer um trade com base em
alguém que é um fracasso comprovado como um day trader? Ele mostrou que ele não pode ganhar dinheiro
negociando o dia pelo simples fato de que ele não é um bom dia de negociação. Isso imediatamente diz a você que se
ele negociar, ele perde dinheiro porque se tiver sucesso nisso, é o que ele deveria estar fazendo no momento e faria
muito mais do ficar falando na TV. Mesmo que você esteja mantendo trades por meses a fio em uma tentativa de
duplicar os resultados de seu fundo, ainda é tolice seguir seu conselho, porque ele pode mudar de ideia na próxima
semana e você nunca saberia disso. Gerenciar um trade que você colocou é tão importante quanto a colocação do
mesmo. Se você está seguindo o especialista e espera ganhar 15% ao ano, como ele, você precisa seguir a gestão dele,
mas não tem capacidade de fazê-lo e perderá com o tempo empregando essa estratégia. Sim, você fará um grande
trade ocasional, mas pode simplesmente fazer isso comprando aleatoriamente qualquer ação. A chave é se a
abordagem gera mais de 100 trades, não acima de uma ou duas. Siga os conselhos que você dá aos seus filhos: não se
engane e acredite que o que você vê na televisão é real, não importa o quão polido e convincente pareça ser.

Como eu disse, haverá analistas que verão as notícias como otimistas e outras que vão vê-las como pessimistas, e a
repórter poderá escolher uma para seu relatório. Você vai deixar um repórter tomar decisões comerciais por você?
Isso é insano! Se o repórter pudesse negociar, ela seria uma trader e ganharia centenas de vezes mais dinheiro do que
ganha como repórter. Por que você permitiria que ela influenciasse sua tomada de decisão? Você pode fazê-lo apenas
por falta de confiança em sua capacidade, ou talvez esteja procurando por um pai que a ame e proteja. Se você está
propenso a ser influenciado pela decisão de um repórter, não deve fazer o trade. O especialista que ela escolhe não é
seu pai, e ele não vai proteger você ou seu dinheiro. Mesmo se o repórter escolher um especialista que esteja correto
na direção, aquele "especialista" não vai ficar do seu lado te ajudando a operar, e você certamente vai ser stopado com
perda em algum pullback.

Estações de notícias financeiras não existem para fornecer serviço público. Eles estão no trade para ganhar
dinheiro, e isso significa que eles precisam de um público tão grande quanto possível para maximizar sua receita de
publicidade. Sim, eles querem ser precisos em seus relatórios, mas seu objetivo principal é ganhar dinheiro. Eles
estão plenamente conscientes de que podem maximizar o tamanho do público apenas se quiserem assistir. Isso
significa que eles têm que ter convidados interessantes, incluindo alguns que farão previsões ultrajantes, outros que
são professorais e tranquilizadores, e alguns que sejam apenas mulheres gostosas; a maioria deles tem que ter algum
valor de entretenimento. Embora alguns convidados sejam grandes traders, eles não podem ajudá-lo. Por exemplo, se
eles entrevistarem um dos traders de títulos mais bem-sucedidos do mundo, ele normalmente só falará em termos
gerais sobre a tendência nos próximos meses, e fará isso apenas algumas semanas depois de já ter colocado seus
trades. Se você for um day trader, isso não o ajudará, porque todo mercado em alta ou
baixa no gráfico mensal tem quase tantos movimentos para cima no gráfico intraday quanto pra baixo, e haverá
trades longos e vendidos todos os dias. O tempo deles é muito diferente do seu, e o trade deles não tem nada a ver
com o que você está fazendo. Eles também costumam entrevistar um grafista de uma grande empresa de Wall
Street, que, embora suas credenciais sejam boas, estará baseando sua opinião em um gráfico semanal, mas os
espectadores esperam obter lucros dentro de alguns dias. Para o grafista, essa tendência de alta que ele está
recomendando a compra ainda estará intacta, mesmo que o mercado caia 10% nos próximos meses. Os
telespectadores, no entanto, terão suas perdas muito antes disso, e nunca se beneficiarão do novo topo que vem três
meses depois. A menos que o grafista esteja lidando com seus objetivos e time frames específicos, o que quer que ele
diga é inútil. Quando a televisão entrevista um day trader, ele fala sobre os trades que ele já realizou, e a informação
é atrasada demais para ajudá-lo a ganhar dinheiro. Até o momento ele está na televisão, o mercado já pode estar indo
na direção oposta. Se ele estiver falando enquanto ainda está em seu day trade, ele continuará a administrar o seu
trade muito tempo depois que sua entrevista de dois minutos terminar, e ele não irá administrá-lo enquanto estiver
no ar. Mesmo se você entrar no trade no exato momento em que ele está, ele não estará lá quando você
invariavelmente terá que tomar uma decisão importante sobre sair quando o mercado se voltar contra você, ou
quando o mercado entrar em sua direção e você estiver pensando em tomar lucros. Assistir televisão para
aconselhamento de trading sob quaisquer circunstâncias, mesmo depois de um relatório muito importante,
é uma maneira de perder dinheiro e você nunca deve fazê-lo.
Amigos e colegas oferecem opiniões simplesmente para você ignorar. Ocasionalmente, os traders me dizem que têm
uma ótima configuração e querem discutir comigo. Eu invariavelmente os deixo com raiva de mim quando digo que
não estou interessada. Eles me percebem imediatamente como egoísta, teimoso e fechado, e quando se trata de
trading, sou tudo isso e provavelmente muito mais. As habilidades que fazem dinheiro são geralmente vistas como
falhas para o leigo. Por que eu não leio mais livros ou artigos sobre negociação ou converso com outros traders sobre
suas ideias? Como eu disse, o gráfico me diz tudo o que preciso saber e qualquer outra informação é uma distração.
Várias pessoas ficaram ofendidas com a minha atitude, mas acho que em parte vem de mim recusar o que elas estão
apresentando como algo útil para mim quando, na verdade, elas estão fazendo uma oferta, na esperança de que eu
retribuirei com algumas aulas particulares. Eles ficam frustrados e irritados quando eu digo a eles que não quero
ouvir falar sobre as técnicas de negociação de outra pessoa. Eu digo a eles que eu nem mesmo dominei os meus e
provavelmente nunca o farei, mas tenho certeza de que farei mais dinheiro aperfeiçoando o que já sei do que tentando
incorporar abordagens que não sejam de ação de preço em minhas trades. Pergunto se James Galway ofereceu um
belo avião para Yo-Yo Ma e insistiu para que Ma começasse a aprender tocar flauta porque Galway ganha tanto
dinheiro tocando sua flauta, se Ma aceitasse a oferta? Claramente não. Ma deve continuar a tocar violoncelo e, ao
fazê-lo, ganhará muito mais dinheiro do que se também começasse a tocar a flauta. Eu não sou Galway ou Ma, mas o
conceito é o mesmo. A ação de preço é o único instrumento que quero jogar, e acredito firmemente que farei muito
mais dinheiro dominando-o do que incorporando ideias de outros traders bem-sucedidos.
Os gráficos, não os especialistas na televisão, dirão exatamente como as instituições estão interpretando as notícias.
Ontem, os lucros da Costco aumentaram 32% no trimestre e acima das expectativas dos analistas (veja a Figura I.2).
O COST ficou na abertura, testou a diferença na primeira barra e depois subiu mais de um dólar em 20 minutos. Em
seguida, deslizou para baixo para testar o fechamento de ontem. Ele teve duas recuperações que romperam as linhas
de tendência de baixa, e ambos falharam. Isso criou um topo duplo (barras 2 e 3) com bandeira ou tripla superior
(barras 1, 2 e 3), e o mercado mergulhou $$3, abaixo da mínima do dia anterior. Se você não tivesse conhecimento do
relatório, teria entrado vendidos com os rompimentos de linha de tendência de baixa que falharam nas barras 2 e 3 e
teria vendido mais abaixo da barra 4, que foi um pullback que seguiu o rompimento abaixo da mínima de ontem.
Você teria revertido para longo na grande barra de reversão 5 , que foi a segunda tentativa de reverter o rompimento
abaixo da mínima de ontem e uma reversão climática do rompimento do fundo da linha de canal de tendência de
baixa íngreme.

FIGURA I.2 Ignore as notícias

Por outro lado, você poderia ter comprado a abertura por causa do relatório de alta, e então preocupado sobre por
que a ação estava em colapso em vez de subir como previsto pelos analistas de TV, e você provavelmente teria
vendido o seu longo no segundo mergulho até a barra 5 com uma perda de $$2.
Qualquer tendência que cubra muitos pontos em poucas barras, o que significa que há uma combinação de barras
e barras grandes que se sobrepõem apenas minimamente, acabará por ter um pullback. Essas tendências têm um
momentum tão forte que as chances favorecem a retomada da tendência após o pullback e, em seguida, um teste da
tendência extrema. Normalmente, o extremo será ultrapassado, desde que o pullback não se transforme em uma
nova tendência na direção oposta e se estenda além do início da tendência original. Em geral, as chances de que um
pullback volte à para o extremo da tendência anterior cai substancialmente se o pullback refizer 75% ou mais. Para
um pullback em uma tendência de baixa, nesse momento, é melhor enxergar o pullback como uma nova tendência de
alta, em vez de um pullback em uma velha tendência de baixa. A barra 6 foi de cerca de 70 por cento de pullback e,
em seguida, o mercado testou o clímax de baixa na abertura no dia seguinte.

FIGURA I.3 Mercados podem cair em notícias de alta

Só porque o mercado dá um gap para cima em um item de notícias não significa que ele continuará subindo,
apesar do quão altista for a notícia.
Conforme mostrado na Figura I.3, antes da abertura da barra 1 em ambos os gráficos (YAHOO) (diariamente à
esquerda, semanalmente à direita), a notícia informava que a Microsoft estava pensando em comprar o Yahoo! por
US$$31 por ação, e o mercado subiu quase a esse preço. Muitos traders presumiram que tinha que ser fechado,
porque a Microsoft é uma das melhores empresas do mundo e, se quisesse comprar o Yahoo!, certamente poderia
fazer isso acontecer. Não só isso - a Microsoft tem tanto dinheiro que provavelmente estaria disposto a adoçar o trade,
se necessário. Bem, o CEO do Yahoo!! disse que sua empresa valia mais de US $$40 por ação, mas a Microsoft nunca
respondeu. O acordo se evaporou lentamente, junto com o preço do Yahoo! Em outubro, o Yahoo! estava 20 por cento
abaixo do preço em que estava antes do anúncio do acordo e 50 por cento menor do que no dia do anúncio, e continua
a cair. Tanto para fundamentos fortes e uma oferta de aquisição de um pretendente sério. Para um trader de price
action, um grande movimento para cima em um mercado de baixa é provavelmente apenas uma bandeira de baixa, a
menos que o movimento seja seguido por uma série de fundos mais altos e topos mais baixos. Isso pode ser seguido
por uma bandeira de touro e depois mais recuperação, mas até que a tendência seja confirmada, você deve estar
ciente de que a tendência semanal maior é mais importante.

I.4 Mercados podem cair em Notícias Otimistas.

A única coisa deve importar é o gráfico. Se você não puder descobrir o que está dizendo, não negocie. Aguarde
clareza. Isso sempre virá. Mas uma vez lá, você deve colocar o trade assumir o risco e seguir seu plano. Não mude
para um gráfico de 1 minuto nem diminua seu stop, porque você perderá. O problema com o gráfico de 1 minuto é que
ele tenta você por oferecer muitas entradas com barras menores e, portanto, menor risco. No entanto, você não será
capaz de tomar todos eles e em vez disso, você escolherá a cereja, o que levará à morte da sua conta porque você
invariavelmente escolherá muitas cerejas ruins. Quando você entra em um gráfico de 5 minutos, seu trade é baseada
em sua análise do gráfico de 5 minutos, sem qualquer ideia de como é o gráfico de 1 minuto. Você deve, portanto,
confiar em seus stops e alvos de cinco minutos, e apenas aceitar a realidade de que o gráfico de 1 minuto se moverá
contra você e atingirá um stop de um minuto com frequência. Se você observar o gráfico de 1 minuto, você não estará
dedicando sua atenção total ao gráfico de 5 minutos e um bom trader irá retirar seu dinheiro de sua conta e colocá-lo
na dele. Se você quiser competir, você deve minimizar todas as distrações e todos os insumos além do que está no
gráfico na sua frente, e confiar que, se você ganhar, ganhará muito dinheiro. Vai parecer irreal, mas é muito real.
Nunca questione isso. Apenas mantenha as coisas simples e siga suas regras simples. É extremamente difícil fazer
consistentemente algo simples, mas, na minha opinião, é a melhor maneira de operar. Em última análise, como um
trader entende melhor e melhor a ação do preço, o trading se torna muito menos estressante e, na verdade, é muito
chato, mas muito mais lucrativo.

Embora eu nunca aposte (porque a combinação de probabilidades, risco e recompensa é contra mim, e eu nunca
quero apostar contra a matemática), existem algumas semelhanças com o jogo, especialmente nas mentes daqueles
que não negociam. Apostar é um jogo de azar, mas prefiro restringir a definição a situações em que as probabilidades
são ligeiramente contrárias a você e você perderá com o tempo. Por que essa restrição? Porque sem ele, todo
investimento é uma aposta, pois há sempre um elemento de sorte e um risco de perda total, mesmo que você compre
imóveis para investimento, compre uma casa, inicie um trade, compre uma ação blue-chip ou até mesmo compre.
Títulos do Tesouro (o governo pode optar por desvalorizar o dólar para vender o tamanho real de nossa dívida e, ao
fazê-lo, o poder de compra dos dólares que você receber de volta desses títulos seria muito menor do que quando
comprou originalmente os títulos).
Alguns traders usam a teoria dos jogos simples e aumentam o tamanho de um trade após um ou mais trades
perdidos (isso é chamado de estratégia Martingale). Contadores de cartas de blackjack são muito semelhantes aos
traders de consolidação . Os contadores de cartas estão tentando determinar quando a matemática foi longe demais
em uma direção. Em particular, eles querem saber quando as cartas remanescentes no baralho são provavelmente
sobrepostas com cartas de face. Quando a contagem indica que isso é provável, eles fazem um trade (aposta) baseada
na probabilidade de que um número desproporcional de cartas de rosto esteja aumentando, aumentando as chances
de ganhar. Os traders de consolidação estão à procura de momentos em que acham que o mercado foi longe demais
em uma direção e depois colocam um trade na direção oposta (um fade (veja o que é na lista de termos usados neste
livro)).

Eu tentei jogar poker online algumas vezes sem usar dinheiro real para encontrar semelhanças e diferenças do
trading. Eu descobri rapidamente que havia um problema para mim: eu estava constantemente ansioso por causa da
injustiça inerente devido à sorte, e eu nunca quero que a sorte seja um grande componente das chances de meu
sucesso. Esta é uma diferença enorme e me faz ver o jogo e o trading como totalmente diferentes, apesar da percepção
pública. No trading, todos recebem as mesmas cartas para que o jogo seja sempre justo e, ao longo do tempo, você é
recompensado ou penalizado inteiramente devido à sua habilidade como trader. Obviamente, às vezes você pode
operar corretamente e perder, e isso pode acontecer várias vezes seguidas devido à curva de probabilidade de todos os
resultados possíveis. Há uma chance real, mas microscópica, de que você possa operar bem e perder 10 ou mesmo 100
vezes ou mais em sequência; mas não me lembro da última vez em que vi até quatro bons sinais falharem
seguidamente, então essa é uma chance que estou disposto a aceitar. Se você operar bem, com o tempo você deve
ganhar dinheiro porque é um jogo de soma zero (exceto para corretagens, que deve ser pequeno se você escolher um
corretor apropriado). Se você é melhor do que a maioria dos outros traders, você vai ganhar o dinheiro deles.
Existem dois tipos de jogo que são diferentes dos jogos puros de azar, e ambos são semelhantes aos de trading.
Tanto nas apostas esportivas quanto no pôquer, os jogadores estão tentando tirar dinheiro de outros apostadores e
não da casa e, portanto, podem criar chances a seu favor se forem significativamente melhores que seus
competidores. No entanto, as “corretagens” que eles pagam podem ser muito maiores do que aquelas que um trader
paga, especialmente com apostas esportivas, onde o vig é geralmente de 10%, e é por isso que jogadores esportivos
incrivelmente bem-sucedidos como Billy Walters são tão raros: ser pelo menos 10% melhor do que a concorrência
apenas para empatar. Os jogadores de poker de sucesso são mais comuns, como pode ser visto em todos os shows de
poker na TV. No entanto, mesmo os melhores jogadores de poker não fazem nada comparável ao que os melhores
traders fazem, porque os limites práticos para o tamanho de negociação são muito menores.
Eu pessoalmente acho que o trading não é estressante, porque o fator sorte é tão pequeno que não vale a pena ser
considerado. No entanto, há uma coisa que trading e jogar poker compartilham, e esse é o valor da paciência. No
poker, você ganha muito mais dinheiro se esperar pacientemente para apostar apenas nas melhores mãos, e os
traders ganham mais quando têm paciência para esperar pelas melhores configurações. Para mim, esse tempo de
inatividade prolongado é muito mais fácil no trading porque consigo ver todas as outras “cartas” durante os tempos
lentos, e é intelectualmente estimulante procurar fenômenos sutis de ação de preço.
Há um ditado importante no jogo que é verdadeiro em todos os empreendimentos, e isso é que você não deve
apostar até ter uma boa mão. No trading, isso é verdade também. Espere por um bom setup antes de fazer seu trade.
Se você negocia sem disciplina e sem um método sólido, então está confiando na sorte e na esperança de seus lucros, e
sua negociação é inquestionavelmente uma forma de jogo.
Uma comparação infeliz é de não-traders que assumem que todos os day traders, e todos os traders do mercado
para esse assunto, são jogadores viciados e, portanto, têm alguma doença mental. Eu suspeito que muitos são
viciados, no sentido de que estão fazendo mais por excitação do que por lucro. Eles estão dispostos a fazer apostas de
baixa probabilidade e perder grandes quantias de dinheiro por causa da enorme pressa que sentem quando
ocasionalmente ganham. No entanto, os traders mais bem-sucedidos são essencialmente investidores, apenas como
um investidor que compra imóveis comerciais ou uma pequena empresa. As únicas diferenças reais de qualquer outro
tipo de investimento são que o prazo é menor e a alavancagem é maior.
Infelizmente, é comum os iniciantes ocasionalmente apostarem, e isso invariavelmente lhes custa dinheiro. Todo
trader bem-sucedido negocia com base em regras. Quando os trader sempre se desviam dessas regras por qualquer
motivo, eles estão apostando na esperança e não na lógica e estão apostando. Traders iniciantes muitas vezes se
descobrem apostando logo após ter algumas perdas. Eles estão ansiosos para ficarem inteiros novamente e estão
dispostos a arriscar para que isso aconteça. Eles farão trades que normalmente não aceitariam, porque estão ansiosos
para recuperar o dinheiro que acabaram de perder. Uma vez que eles estão agora tomando um trade que eles
acreditam ser um trade de baixa probabilidade e eles estão tomando por causa da ansiedade e da tristeza por causa
de suas perdas, eles agora estão apostando e não negociando. Depois que perdem a aposta, sentem-se ainda pior. Não
só eles estão ainda mais para baixo no dia, mas eles se sentem especialmente tristes, porque eles se deparam com a
realidade de que eles não têm a disciplina para manter o seu sistema quando sabem que a disciplina é um dos
ingredientes críticos para o sucesso.
Curiosamente, os pesquisadores de neurofinanças descobriram que as imagens de scanners cerebrais de traders
prestes a fazer um trade são indistinguíveis das imagens de viciados em drogas que estão prestes a sofrer um ataque.
Eles descobriram um efeito de bola de neve e um desejo crescente de continuar, independentemente do resultado de
seu comportamento. Infelizmente, quando confrontados com perdas, os traders assumem mais risco do que menos,
muitas vezes levando à morte de suas contas. Sem conhecer a neurociência, Warren Buffett compreendeu claramente
o problema, como visto em sua declaração: "Desde que você tenha inteligência comum, o que você precisa é o
temperamento para controlar os momentums que levam outras pessoas a ter problemas em investir." Os grandes
traders controlam suas emoções e constantemente seguem suas regras.
Um ponto final sobre a jogatina: Existe uma tendência natural para assumir que nada pode durar para sempre e
que todo comportamento regride para uma média. Se o mercado tiver três ou quatro trades perdedores, certamente as
probabilidades favorecem o próximo vencedor. É como sacudir uma moeda, não é? Infelizmente, não é assim que os
mercados se comportam. Quando um mercado está tendendo, a maioria das tentativas de reverter falha. Quando está
em uma consolidação , a maioria das tentativas de rompimento falha. Isso é o oposto do cara e coroa, onde as
probabilidades são sempre 50-50. No trading, as probabilidades são mais de 70% ou melhores do que o que acabou de
acontecer continuará acontecendo de novo e de novo. Por causa da lógica do cara e coroa a maioria dos traders começa
a considerar a teoria dos jogos.
As técnicas de Martingale funcionam bem em teoria, mas não na prática, devido ao conflito entre matemática e
emoção. Esse é o paradoxo do martingale. Se você duplicar (ou até triplicar) o seu tamanho de posição e reverter a
cada perda, você teoricamente ganhará dinheiro. Embora quatro perdas seguidos sejam incomuns nos 5 minutos são
essencialmente investidores, apenas como um investidor que compra imóveis comerciais ou uma pequena empresa.
As únicas diferenças reais de qualquer outro tipo de investimento são que o prazo é menor e a alavancagem é maior.
I.4 Crashes são comuns

A propósito, o conceito de que os mesmos padrões aparecem em todos os time frames significa que os princípios
da matemática fractal podem ser úteis para projetar sistemas de trading. Em outras palavras, cada padrão se
subdivide em padrões de ação de preço padrão em time frames menores, e as decisões de negociação baseadas na
análise de ação de preço, portanto, funcionam em todos os time frames.

Eu tentei agrupar o material nos três livros em uma sequência que deveria ser útil para os traders.

Livro 1: Trading Price Action Trends: Technical Analysis of Price Charts Bar by Bar for the Serious
Trader

• As noções básicas de ação de preço e velas. O mercado ou está tendendo ou está em uma consolidação . Isso é verdade
em todos os períodos até mesmo em uma barra individual, que pode ser uma barra de tendência ou uma barra de
não-tendência (doji).

• Linhas de tendência e linhas de canais de tendência. Estas são ferramentas básicas que podem ser usadas para
destacar a existência de tendência e faixas de negociação.

• Tendências Esses são os componentes mais visíveis e lucrativos de todos os gráficos.

Livro 2: Trading Price Action Trading Ranges (Este Livro): Technical Analysis of Price Charts Bar by Bar for the
Serious Trader

• Rompimentos. Estas são as transições de consolidações em tendência.

• Gaps. Os rompimentos geralmente criam vários tipos de gaps intradiários que podem ser úteis para os traders, mas
esses gaps são evidentes apenas se você usar uma definição ampla.

• Ímãs , suportes e resistências. Uma vez que o mercado rompe e começa seu movimento, muitas vezes é atraído por
certos preços, e esses ímãs muitas vezes configuram reversões.
• Pullbacks. Estas são transições de tendência para faixas de negociação.
• Faixas de negociação. Essas são áreas de atividade de preços amplamente paralelas, mas cada perna é uma
tendência pequena e uma consolidação inteira é geralmente um pullback em uma tendência em um gráfico de um
time frame mais alto.

• Ordem e gerenciamento de trade. Os traders precisam do maior número possível de ferramentas e precisam entender
o scalping, o swing trading e o escalonamento dentro e fora dos trades, bem como a forma de entrar e sair nos stops
de ordens de limite

• A matemática do trading. Existe um fundamento matemático para todas as trades, e quando você vê por que as
coisas estão se desdobrando do jeito que estão, o trade se torna muito menos estressante.

Livro 3 Trading Price Action Reversals: Technical Analysis of Price Charts Bar by Bar for the Serious Trader

• Reversões de tendência. Estes oferecem as melhores taxas de risco / recompensa de qualquer tipo de trade, mas como
a maioria falha, os traders precisam ser seletivos.
• Day trading. Agora que os leitores entendem a ação do preço, eles podem usá-lo para negociar. Os capítulos sobre o
day trading operação da primeira hora e exemplos detalhados mostram como Gráficos diários, semanais e mensais.
Esses gráficos têm configurações de ação de preço muito confiáveis.
• Opções. Price action pode ser usado efetivamente em opções.
• Melhores trades. Alguma configurações de ação de preço são especialmente bons, e os iniciantes devem se concentrar
nelas.
• Diretrizes. Existem muitos conceitos importantes que podem ajudar a manter os
investidores focados. Se você se deparar com um termo que não lhe é familiar, deverá ser capaz de encontrar sua
definição na Lista de Termos no início do livro.

Alguns livros mostram gráficos que usam o fuso horário da localização do mercado, mas agora que a negociação é
eletrônica e global, isso não é mais relevante. Como eu negocio na Califórnia, os gráficos estão no horário padrão do
Pacífico (PST). Todos os gráficos foram criados com a TradeStation. Como cada gráfico tem dezenas de eventos de
ação de preço que ainda não foram cobertos, descrevo muitos deles imediatamente após a discussão principal em
“Discussão mais detalhada deste gráfico”. Mesmo que você ache isso incompreensível quando o ler pela primeira vez,
você entenderá isso em uma segunda leitura dos livros. Quanto mais variações dos padrões standard você enxergar,
melhor será possível identificá-los conforme eles estão se desenvolvendo em tempo real. Eu também costumo apontar
um ou dois principais trades no gráfico. Se preferir, você pode ignorar essa discussão suplementar na sua primeira
leitura e, em seguida, examinar os gráficos novamente depois de concluir os livros, quando a discussão mais
aprofundada for compreensível. Uma vez que muitas dos configurações são excelentes exemplos de conceitos
importantes, embora ainda não cobertos, muitos leitores apreciarão ter a discussão se voltarem aos livros
novamente.
No momento da publicação, estou publicando uma análise diária do fim do dia do Emini e fornecendo uma leitura
do gráfico em tempo real durante o dia de negociação. no site www.brookspriceaction.com.
Todos os gráficos dos três livros estarão em formato maior no site da John Wiley & Sons no site
www.wiley.com/go/tradingtendências. (Veja a página “Sobre o site” na parte de trás do livro.) Você poderá ampliar
para ver os detalhes, baixar os gráficos ou imprimi- los. Ter uma impressão de um gráfico quando a descrição tiver
várias páginas facilitará a continuidade do comentário.
Eis algumas características que são comumente encontradas em tendências fortes:

1. Há um grande gap de abertura.


2. Há topos e fundos em tendência.
3. A maioria das barras são barras na direção da tendência.
4. Tem muita pouca sobreposição das dos corpos de barras consecutivas. Por exemplo, em um pico de alta, muitas
barras têm mínimas que são no mesmo preço ou um tique abaixo do fechamento da barra anterior, de modo que os
traders que estão procurando comprar com uma ordem de limite no fechamento da barra anterior para não tenham
suas ordens preenchidas e eles tem que comprar mais alto.
5. Há barras que têm pequenas sombras ou não têm sombras, em qualquer direção, indicando urgência. Por exemplo,
em uma tendência de alta se uma barra de tendência de alta abre na sua mínima e sobe, traders estavam ansiosos
para comprar assim que a barra anterior fechou. Se ela fecha na sua máxima traders continuaram a comprar
fortemente na antecipação de novos compradores entrando assim que a barra fecha. Eles estavam desejosos de
comprar até o fechamento porque eles estavam com medo de que se eles esperassem a barra fechar, eles teriam que
comprar um tique ou dois mais altos.

6. Ocasionalmente, há gaps entre os corpos (por exemplo, a abertura de uma barra poderia estar acima do fechamento
da barra anterior em uma tendência de alta.
7. Um gap de quebra aparece na forma de uma forte barra de tendência no início da tendência.
8. Gaps de medida ocorrem quando o teste de rompimento não sobrepõe o ponto de rompimento. Poe exemplo, o
pullback de um rompimento de alta não cai abaixo da máxima da barra onde o rompimento ocorreu.
9. Microgaps de medida ocorrem quando o teste de rompimento não sobrepões o ponto de rompimento. Por exemplo, o
pullback do rompimento de alta não cai abaixo da máxima da barra onde o rompimento ocorreu.
10. Microgaps de medida aparecem onde tem uma forte barra de tendência e um gap entre a barra antes dela e a barra
depois dela. Por exemplo, se a mínima da barra depois de uma barra forte de alta, em uma tendência de alta está no
mesmo preço ou acima da máxima da barra antes da barra de tendência, isso é um gap e um teste de rompimento e
um sinal de força.
11. Clímaces grandes não aparecem.
12. barras não muito grandes aparecem (nem mesma barras grandes de tendência). Normalmente, as barras de
tendência maiores são contra-tendência, prendendo traders que buscam trades contra-tendência e deixando passar os
trades a favor da tendência. As configurações contra a tendência sempre parecem melhores que as a favor da
tendência.
13. Nenhuma ultrapassagem significativa de linha de tendência acontece, e as menores resultam em apenas correções
laterais.
14. Há correções laterais depois de rompimentos de linhas de tendência.
15. Cunhas fracassadas e outras configurações fracassadas ocorrem.
16. Há uma sequência de gap de 20 barras (20 ou mais barras que não tocam a média móvel, discutida no livro 2)
17. Poucos trades contra tendência (se tiver...) são encontrados.
18. Há pequenos, infrequentes, e na maioria das vezes, pullbacks laterais. Por exemplo, se a faixa média do Emini é 12
pontos, os pullbacks vão provavelmente ser menos que três ou quatro pontos, e o mercado vai normalmente ir por
cinco ou mais barras sem um pullback.

19. Há um senso de urgência. Você vai se encontrar esperando por incontáveis barras em busca de uma boa configuração
a favor da tendência e ela nunca vem, mas ainda sim o mercado continua lentamente seguindo a tendência.

20. Os pullbacks têm configurações fortes. Por exemplo, os pullbacks alta 1 e alta 2 (discutidos melhor no proximo título
e ainda mais no livro 2) em uma tendência de alta tem fortes barras de reversão de alta coma barras de sinal.

21. Nas tendências mais fortes, os pullbacks têm barras de sinal fracas, fazendo muitos traders não tomá-las, forçando os
traders a perseguir o mercado. Por exemplo, em uma tendência de baixa, as barras de sinal para uma venda de baixa
2 são normalmente pequenas barras de alta em picos de duas ou três barras e algumas das barras de entrada sãa
barras outside para baixo. Tudo está em tendência: fechamentos, topos, fundos ou corpos.

22. Pullbacks de duas pernas repetidos configuram entradas a favor da tendência.


23. Não há fechamento de duas barras de tendência consecutivas no lado oposto da média móvel.

24. Se a tendência vai longe e rompimento muitos níveis de resistências, como média móvel, topos anteriores e linhas de
tendência, e cada um por muitos tiques.
25. Tentativas de reversão na forma de picos contra a tendência não têm continuidade, falham e se tornam bandeiras na
direção da tendência.
Quanto mais das seguintes características que um rompimento de alta tiver, mais provável será o rompimento:
• A barra de rompimento tem um corpo grande de alta e sombras pequenas ou sem sombras. Quanto maior a barra,
mais provável o rompimento vai ser.
• Se o volume da barra grande de rompimento for 10 a 20 vezes o volume médio das barras recentes, a chance de
continuidade de compra e um possível movimento medido aumentam.
• pico vai muito longe, dura várias barras, e rompe muitos níveis de resistência, como médias móveis, topos e linhas de
tendência, e cada uma por muitos tiques.
• Como a primeira barra do rompimento está se formando, ela gasta maior parte do tempo perto da sua máxima e os
pullbacks são pequenos (menos que que 1/4 da máxima da barra crescente.)
• Há um senso de urgência, você pode sentir que tem que comprar, mas quer esperar um pullback que pode nunca vir.
• As próximas duas ou 3 barras também tem corpos de alta que são no mínimo o tamanho médio das barras de alta e
de baixa recentes. Mesmo se os corpos são relativamente pequenos e as sombras proeminentes, se a barra de
continuidade (a barra depois da barra de rompimento inicial) for grande, as chances da tendência continuar são
maiores.
• O pico cresce até 10 barras sem pullback por mais do que uma barra ou assim por diante.
• Uma ou mais barras no pico tem uma mínima que está no mesmo nível ou só um tique abaixo do fechamento da
barra anterior.
• Uma ou mais barras tem uma abertura que está acima do fechamento da barra anterior
• Uma ou mais barras no pico tem um fechamento na máxima da barra ou um tique abaixo da máxima.
• A mínima da barra após a barra de tendência de alta está no mesmo nível ou acima da máxima da barra antes da
barra de tendência de alta, criando um micro gap, o que é um sinal de força. Estes gaps algumas vezes se tornam
gaps de medida. Embora não seja significante para o trading, de acordo com a Teoria das Ondas de Elliot elas
provavelmente representam o espaço entre uma Onda 1 e a Onda 4 num time frame menor, o que pode tocar mas não
se sobrepor.
• O contexto geral deixa o Rompimento mais provável. como uma continuação de uma tendência após um pullback, ou
um fundo mais alto ou um teste de fundo mais baixo de um fundo de baixa após um rompimento forte acima da LTB
• O mercado teve sérias tendências fortes de alta recentemente Tem uma crescente pressão compradora na
consolidação , representada por muitas barras grandes de alta, e as barras de tendência de alta são claramente mais
proeminentes que as barras de tendência de baixa na faixa.
• O primeiro pullback ocorre só depois de 3 ou mais barras de rompimento. O primeiro pullback só dura uma ou duas
barras e ela segue uma barra que não é uma barra forte de reversão de baixa.
• O primeiro pullback não atinge o preço de rompimento.
• O rompimento reverte muitos fechamentos e máximas. Por exemplo, quando tem um canal de baixa e barras
compridas de alta se formam, essa barra de rompimento tem uma máxima e um fechamento que é acima das
máximas e fechamentos de 5 ou mesmo 20 mais barras. Um número grande de barras revertidas pelo fechamento da
barra de alta é um sinal mais forte que um número similar de barras revertidas pela máxima.

Eis as características de um rompimento forte de baixa:

• A barra de rompimento tem um corpo grande de alta e sombras pequenas ou sem sombras. Quanto maior a barra,
mais provável o rompimento vai ser.
• Se o volume da barra grande de rompimento for 10 a 20 vezes o volume médio das barras recentes, a chance de
continuidade de compra e um possível movimento medido aumentam.
• O pico vai muito longe, dura várias barras, e rompe muitos níveis de resistência, como médias móveis, topos e linhas
de tendência, e cada uma por muitos tiques.
• Como a primeira barra do rompimento está se formando, ela gasta maior parte do tempo perto da sua máxima e os
pullbacks são pequenos (menos que que 1/4 da máxima da barra crescente.)
• Há um senso de urgência, você pode sentir que tem que vender, mas quer esperar um pullback que pode nunca vir.
• As próximas duas ou 3 barras também tem corpos de baixa que são no mínimo o tamanho médio das barras de alta e
de baixa recentes. Mesmo se os corpos são relativamente pequenos e as sombras proeminentes, se a barra de
continuidade (a barra depois da barra de rompimento inicial) for grande, as chances da tendência continuar são
maiores.
• O pico cai até 5 ou 10 barras sem pullback por mais do que uma barra ou assim por diante.
• Uma ou mais barras no pico tem uma máxima que está no mesmo nível ou só um tique abaixo do fechamento da
barra anterior.
• Uma ou mais barras tem uma abertura que está no mesmo nível ou um tique abaixo do fechamento da barra anterior
• Uma ou mais barras no pico tem um fechamento na mínima da barra ou um tique acima da mínima.
• A máxima da barra após a barra de tendência de alta está no mesmo nível ou acima da máxima da barra antes da
barra de tendência de alta, criando um micro gap, o que é um sinal de força. Estes gaps algumas vezes se tornam
gaps de medida. Embora não seja significante para o trading, de acordo com a Teoria das Ondas de Elliot elas
provavelmente representam o espaço entre uma Onda 1 e a Onda 4 num time frame menor, o que pode tocar mas não
se sobrepor.
• O contexto geral deixa o Rompimento mais provável. como uma continuação de uma tendência após um pullback, ou
um topo mais baixo ou um teste de topo mais alto de um topo de alta após um rompimento forte acima da LTA.
• O mercado teve sérias tendências fortes de baixa recentemente. Tem uma crescente pressão vendedora na
consolidação , representada por muitas barras grandes de baixa, e as barras de tendência de baixa são claramente
mais proeminentes que as barras de tendência de alta na faixa.
• O primeiro pullback ocorre só depois de 3 ou mais barras de rompimento. O primeiro pullback só dura uma ou duas
barras e ela segue uma barra que não é uma barra forte de reversão de baixa.
• O primeiro pullback não atinge o preço de rompimento.
• O rompimento reverte muitos fechamentos e máximas. Por exemplo, quando tem um canal de alta e barras
compridas de alta se formam, essa barra de rompimento tem uma mínima e um fechamento que é abaixo das
máximas e fechamentos de 5 ou mesmo 20 mais barras. Um número grande de barras revertidas pelo fechamento da
barra de baixa é um sinal mais forte que um número similar de barras revertidas pela mínima.

A barra de sinal mais conhecida é a barra de reversão e o mínimo que uma barra de reversão de alta deve ter é um
fechamento acima da sua abertura (um corpo de alta) ou um fechamento acima de seu ponto médio. As melhores
barras de reversão de alta possuem mais de uma das seguintes características:

• Abertura abaixo do fechamento da barra anterior e fechamento acima da abertura e acima o fechamento da barra
anterior.
• A sombra de baixo que aproximadamente um terço a 1/2 da máxima da barra e sombra superior pequena ou
inexistente.
• Não muita sobreposição com as barras anteriores.
• A barra após a barra de sinal não pode ser uma doji inside bar ao invés disso é uma forte barra de entrada (uma
barra de tendência de alta com corpo relativamente grande e sombras pequenas
• Um fechamento que reverte (fecha acima) dos fechamentos e máximas de mais de uma barra

O mínimo que uma barra de reversão de baixa deveria ter é ou um fechamento abaixo da sua abertura (uma vela de
baixa) ou um fechamento abaixo do seu ponto médio. As melhores barras de reversão de baixa têm:

• Uma abertura perto ou acima do fechamento da barra anterior e o fechamento bem abaixo do fechamento da barra
anterior.
• Uma sombra superior que é aproximadamente um terço ou a metade da máxima da barra e sombra inferior pequena
ou inexistente
• A barra depois da barra de sinal não é uma doji inside, ao invés disso é uma forte barra de entrada (uma barra de
tendência de baixa com corpo relativamente grande e sombras pequenas
• Um fechamento que reverte (fecha abaixo) dos fechamentos e extremos de mais de uma barra

Eis as características que são comuns em fortes reversões de alta:

• Existe uma forte barra de reversão de alta com grande corpo e pequenas sombras ou sem sombras
• As próximas duas ou três barras também tem corpos de alta com no mínimo o tamanho médio dos corpos recentes de
alta e baixa
• O pico vai de 5 a 10 barras sem corrigir por mais do que uma barra e ela reverte muitas barras, topos e fundos, e
bandeiras de baixa da tendência anterior de baixa
• Uma ou mais barras do pico tem uma mínima que está no mesmo nível ou apenas um tique abaixo do fechamento da
barra anterior
• Uma das barras no pico tem uma abertura acima do fechamento da barra anterior.
• Uma das barras no pico tem um fechamento na máxima da barra ou apenas um tique abaixo da sua máxima
• O contexto geral torna reversão provável, como um fundo mais alto ou um teste de mínima mais baixa do Fundo de
baixa após um forte rompimento acima da linha de tendência de baixa
• O primeiro pullback ocorre somente depois de três ou mais barras. o primeiro pullback dura somente uma ou duas
barras e em seguida por uma barra que não é uma barra de reversão forte de baixa
• O primeiro pullback não atinge o ponto de rompimento.
• O pico vai muito longe rompimento diversos níveis de resistência, como médias móveis, topos e Fundos anteriores, e
linhas de tendência e cada um por muitos tiques.
• Como a primeira barra de reversão está se formando ela gasta mais do seu tempo próximo da sua máxima e os
pullbacks são menos que um quarto da máxima da barra crescente.
• Há um senso de urgência você sente que você tem que comprar, mas você quer um pullback, ainda que ele nunca
venha
• O sinal a segunda tentativa de reversão dentro das poucas barras anteriores (um segundo sinal).
• reversão começou como um rompimento da linha de tendência de canal da velha tendência
• Ela está revertendo o topo ou fundo significativo (se ela rompe abaixo de um forte fundo anterior e reverte para cima)
• As correções dos topos 1 e 2 têm fortes barras de reversão de alta para barras de sinal.
• As correções são pequenas e laterais
• Haviam rompimentos anteriores de tendência de baixa anteriores (esse não é o primeiro sinal de força de alta)
• O pullback para testar a mínima de baixa falta momentum, como evidenciado por ter muitas barras sobrepostas com
muitas senda barras de tendência de alta.
• O pullback que testa o fundo de baixa falha na média móvel ou na tendência de curso anterior
• O rompimento reverte muitos fechamentos e máximas. Por exemplo quando há um canal de baixa uma grande barra
de alta se forma, essa barra de rompimento tem uma máxima e o fechamento que está acima das máximas e
fechamentos de cinco ou mesmo de 20 ou mais barras. Um grande número de barras revestidas pelo fechamento da
barra de alta é um sinal ainda mais forte que o número similar de barras revertida somente na sua máxima.

Eis as características que são comuns em fortes reversões de baixa:


:
• Uma forte barra de reversão com uma grande barra de baixa com sombras pequenas ou sem sombras.
as próximas duas ou três barras também têm corpo de baixa que são no mínimo otamanho médio dos corpos recentes
de alta e baixa
• O pico cresce de 5 a 10 barras sem corrigir por mais do que uma barra, e entãoreverte muitas barras, topos e Fundos,
e bandeiras de alta na tendência de alta anterior.
• Uma ou mais barras no pico tem topo que está no mesmo nível ou apenas umtique acima do fechamento da barra
anterior
• Uma ou mais barras do pico tem uma abertura que está abaixo do fechamento da barra anterior
• Uma ou mais barras no pico tem um fechamento na sua mínima ou apenas um tique acimada sua mínima.
• O contexto geral torna a reversão provável um topo mais baixo ou um teste de topomais alto de alta após um forte
rompimento abaixo da linha de tendência de alta
• O primeiro pullback ocorre somente depois de três ou mais barras, dura somente uma ou duas barras e segue uma
barra que não é uma barra forte de reversão de alta. O primeiro pullback não atinge um ponto de rompimento. (preço
de entrada)
• O pico vai muito longe e rompe vários níveis de suporte como média móvel, topos e fundos anteriores, e linhas e
tendências, e cada um por muitos tiques.
• Assim que a primeira barra de reversão está se formando, ela passa a maior parte do seu tempo perto da sua mínima
e as correções são menos que um quarto da máxima da barra crescente
• Há um senso de urgência. Você talvez queira vender, mas quer antes um pullback, que talvez nunca venha.
• O sinal é a segunda tentativa de reversão dentro das poucas barras interiores (um segundo sinal)
• A reversão começou como uma reversão de um comprimento de um canal de tendência da velha tendência
• Ela está revertendo a uma área de um topo ou fundo significativo (Ex: rompe acima de um forte topo e reverte para
baixo)
• Os pullbacks da baixa 1 e 2 têm fortes barras de reversão de baixa para barras de sinal. Os pullbacks são pequenos e
laterais.
• Tudo está em tendência: fechamentos, máximas e mínimas.
Havia correções da baixa 1 e 2 têm fortes barras de reversão de baixa para barras de sinal
• Para o pullback testar o topo de alta falta momentum, como evidenciado por ter muitas barras que se sobrepõem com
muitas delas senda barras de tendência de baixa.
• O pullback que testa a máxima de alta fracassa na média móvel ou na velha LTA.
• O rompimento reverte muitos fechamentos recentes e mínimas. Por exemplo quando existe um canal de alta e uma
grande barra de baixa se forma, essa barra de rompimento tem uma mínima e um fechamento que são abaixo das
meninas e fechamentos de cinco ou mesmo 20 ou mais barras. O grande número de barras invertidas pelo fechamento
da barra de baixa é um sinal mais forte do que o número similar de barras revertidas por somente sua mínima
Rompimentos:
Transição para uma
nova tendência
O mercado está sempre tentando romper, e então o mercado tenta fazer com que cada rompimento falhe. Este é o
aspecto mais fundamental de todas as negociações e está no centro de tudo o que fazemos. Uma das habilidades mais
importantes que um trader pode adquirir é a capacidade de determinar com segurança quando um rompimento terá sucesso
ou falhará (criando uma reversão). Lembre-se, cada barra de tendência é um rompimento, e há compradores e vendedores na
parte superior e inferior de cada barra de tendência de alta e de baixa, não importa quão forte a barra apareça. Como cada
barra de tendência é um rompimento e as barras de tendência são comuns, os traders precisam entender que precisam
avaliar cada uma das poucas barras o dia todo, se um rompimento continuará ou não e, em seguida, será revertido. Este é o
conceito mais fundamental no trading, e é crucial para o sucesso financeiro de um trader entendê-lo. um rompimento de
qualquer coisa é a mesma. Mesmo uma reversão climática como um fundo V é simplesmente um rompimento e, em seguida,
um falso rompimento. Há traders colocando trades com base na crença de que o rompimento será bem-sucedido, e outros
traders fazendo trades na direção oposta, apostando que ele falhará. Quanto melhor os traders avaliarem se um rompimento
terá êxito ou fracassará, melhor posicionados estarão para ganhar a vida como trader. O rompimento será bem-sucedido? Se
sim, procure operar nessa direção. Se não (e se tornar um falso rompimento, que é uma reversão), então procure negociar na
direção oposta. Toda negociação se resume a essa decisão.
Rompimento é um termo enganador porque implica que ele se refere apenas a um mercado que tenta fazer a transição de
uma consolidação para uma tendência, mas também pode ser um clímax de compra ou venda que tenta reverter em uma
tendência na direção oposta. A coisa mais importante para entender sobre rompimentos é que a maioria das falhas falha. Há
uma forte propensão para o mercado continuar o que vem fazendo e, portanto, há uma forte resistência à mudança. Assim
como a maioria das tentativas de acabar com uma tendência falha, a maioria das tentativas de terminar um consolidação e
começar uma tendência também falha.
Um rompimento é simplesmente um movimento além de algum ponto anterior de significância, como uma linha de tendência
ou uma de compra ou de venda anterior, incluindo a de compra ou de venda da barra anterior. Esse ponto torna-se o ponto de
rompimento, e se o mercado voltar mais tarde para testar esse ponto, o pullback é o teste de rompimento (um pullback de
rompimento que atinge a área do ponto de rompimento). O espaço entre o ponto de rompimento e o teste de rompimento é o
gap de quebra. Um rompimento significativo, que torna a posição sempre-ativo claramente em alta ou em baixa e
provavelmente terá continuidade por pelo menos várias barras, quase sempre aparece como uma barra de tendência
relativamente grande sem sombras significativas. "sempre-ativo" é discutido em detalhes no terceiro livro, e isso significa que
se você tivesse que estar no mercado o tempo todo, seja comprado ou vendido, a posição sempre-ativa é qualquer que seja sua
posição atual. O rompimento é uma tentativa do mercado de reverter a tendência ou mudar de uma consolidação para uma
nova tendência.
Sempre que o mercado estiver em uma consolidação , ele deve ser considerado em modo de rompimento. Há negociações
bilaterais até que um lado desista e o mercado se torne fortemente unilateral, criando um pico que se torna um rompimento.
Todos os rompimentos são picos e podem ser constituídas por uma ou várias barras de tendência consecutivas. Rompimentos
de um tipo ou de outro são muito comuns e ocorrem com a mesma frequência que qualquer número de barras em todos os
gráficos. Como é discutido no Capítulo 6 sobre gaps, todas os rompimentos são funcionalmente equivalentes a gaps, e como
toda barra de tendência é um rompimento (e também um pico e um clímax), também é um gap. Muitos rompimentos são
facilmente esquecidos, e qualquer uma pode estar saindo de muitas coisas ao mesmo tempo. Às vezes, o mercado terá
configurações em ambas as direções e, portanto, está no modo de rompimento; às vezes isso é chamado de estar em uma área
de inflexão. Os traders estarão prontos para entrar na direção do rompimento em qualquer direção. Como os rompimentos
são uma das coisas mais comuns de todos os gráficos, é imperativo compreendê-los, sua continuidade e sua falha. A máxima
da barra anterior é geralmente um topo de swing em algum gráfico de time frame menor, portanto, se o mercado se move acima da
máxima da barra anterior, ele está rompendo acima de um time frame menor. Além disso, quando o mercado rompimento acima de
um topo anterior no gráfico atual, essa alta é simplesmente a máxima da barra anterior em algum gráfico de time frame mais alto. O
mesmo vale para a mínima da barra anterior. Geralmente, é um fundo de swing em um gráfico de time frame menor, e qualquer fundo
de swing no gráfico atual geralmente é apenas a mínima da barra anterior em um gráfico de time frame mais alto.
É importante distinguir um rompimento em uma nova tendência a partir de um rompimento de uma pequena consolidação dentro de
uma consolidação maior. Por exemplo, se o gráfico em sua tela estiver em uma consolidação e o mercado romper acima de uma pequena
consolidação na metade inferior da tela, a maioria dos traders assumirá que o mercado ainda está dentro da consolidação maior e ainda
não em uma tendência de alta. O mercado pode estar simplesmente formando um teste de vácuo de compra do topo da consolidação
maior. Devido a isso, os traders inteligentes não comprarão os fechamentos das barras de tendência de alta forte perto do topo da tela.
Na verdade, muitos venderão seus longos para obter lucros e outros venderão, esperando que a tentativa de rompimento falhe. Da
mesma forma, mesmo que comprar uma configuração de alta 1 em um pico forte possa ser um ótimo trade, ele é ótimo apenas em uma
tendência de alta, não no topo de uma consolidação , onde a maioria das tentativas de rompimento falhará. Em geral, se houver um
grande rompimento de alta, mas ainda estiver abaixo da máxima das barras na metade esquerda da tela, certifique-se de que há uma
forte reversão de tendência em andamento antes de procurar comprar perto do topo do pico. Se você acredita que o mercado ainda pode
estar dentro de uma consolidação , considere comprar somente pullbacks, em vez de procurar comprar perto do topo do pico.
Os grandes traders não hesitam em entrar em uma tendência durante sua fase de pico, porque esperam uma continuidade
significativa, mesmo se houver um pullback imediatamente após sua entrada. Se ocorrer um pullback, eles aumentam o tamanho de
sua posição. Por exemplo, se há uma forte rompimento de alta que dura várias barras, mais e mais instituições ficam convencidas de
que o mercado se tornou sempre-ativo em alta com cada novo tique mais alto, e à medida que se convencem de que o mercado vai subir,
começam a comprar e eles pressionam os trades, comprando mais enquanto o mercado continua a subir. Isso faz com que o pico cresça
muito rapidamente. Eles têm muitas maneiras de entrar, como ordem de mercado, comprar um pullback de um ou dois tiques,
comprar acima da barra anterior em um stop ou comprar em um rompimento acima de um topo de swing anterior. Não importa como
eles entram, porque o foco deles é conseguir pelo menos uma pequena posição, e depois procurar comprar mais, à medida que o
mercado se eleva ou recua. Porque eles vão adicionar assim que o o mercado vai mais alto, o pico pode se estender por muitas barras.
Um trader iniciante vê o pico crescente e se pergunta como alguém poderia estar comprando no topo de um movimento tão grande. O
que eles não entendem é que as instituições estão tão confiantes de que o mercado em breve ficará mais alto que comprarão todo o
caminho, porque não querem perder o movimento enquanto aguardam um pullback. Os iniciantes também têm medo de que seus
stops precisem estar abaixo da parte inferior do pico, ou pelo menos abaixo do ponto médio, que fica longe. As instituições sabem disso e
simplesmente ajustam seu tamanho de posição a um nível em que seus dólares em risco são os mesmos de qualquer outro trade.
Em algum nível de resistência, os primeiros compradores obtêm alguns lucros e, em seguida, o mercado recua um pouco.
Quando isso acontece, os traders que querem uma posição maior rapidamente compram, mantendo assim o pullback inicial pequeno.
Além disso, os compradores que perderam as entradas anteriores usarão o pullback para finalmente ficarem comprados. Alguns
traders não gostam de comprar picos, porque eles não gostam de arriscar muito (o stop geralmente precisa ficar abaixo da parte inferior
do pico). Eles preferem se sentir como se estivessem comprando a um preço melhor (um desconto) e, portanto, vão esperar por um
pullback antes de comprar. Se todo mundo está querendo comprar um pullback, por que algum iria se desenvolver? É porque nem todo
mundo está procurando comprar.

Traders experientes que compraram prematuramente sabem que o mercado pode reverter a qualquer momento, e uma vez que eles
acham que o mercado chegou a uma área de resistência onde eles acham que o lucro pode entrar ou o mercado pode reverter, eles terão
lucros parciais. começarão a escalonar para fora de seus longos), e às vezes venderão toda a posição. Estes não são os compradores que
estão procurando comprar alguns tiques mais baixos no primeiro pullback. Os traders experientes que estão obtendo lucros parciais estão
escalonando para fora porque têm medo de uma reversão, ou de um pullback mais profundo, onde poderiam comprar de volta muitos
tiques mais baixos. Se eles acreditassem que o pullback só iria durar por alguns tiques, e então a alta continuaria, eles nunca teriam
saído. Eles sempre obtêm seus lucros em algum nível de resistência, como um alvo de movimento medido, uma linha de tendência, uma
linha de canal de tendência, uma nova alta ou no fundo de uma consolidação acima. A maior parte da negociação é feita por
computadores, então tudo tem uma base matemática, o que significa que as metas de obtenção de lucro são baseadas nos preços na tela.
Com a prática, os traders podem aprender a identificar áreas onde os computadores podem ter lucros, e podem obter seus lucros pelos
mesmos preços, esperando que um pullback ocorra. Embora as tendências tenham inércia e ultrapassem a maioria das áreas de
resistência, quando uma reversão finalmente chega, ela sempre estará em uma área de resistência, seja ou não óbvia para você.
Às vezes, o pico terá uma barra ou um padrão que permitirá que vendedores agressivos tomem um pequeno scalp, se acharem que o
pullback é iminente e que há espaço suficiente para um lucro. No entanto, a maioria dos traders que tentar isso vai perder, porque a
maioria dos pullbacks não vai longe o suficiente para um lucro, ou equação do trader é fraca (a probabilidade de fazer um scalp vezes o
tamanho do lucro é menor do que a probabilidade de perder vezes o tamanho do stop de proteção). Além disso, os traders que aceitam a
venda esperam tanto por seu pequeno lucro que acabam perdendo o tempo muito mais lucrativo que se forma alguns minutos depois.
Os traders entram na direção do rompimento ou na direção oposta, dependendo se esperam ou não o sucesso. Eles são crentes ou
descrentes? Há muitas maneiras de entrar na direção do rompimento. Uma vez que os traders sentem um senso de urgência porque
acreditam que um movimento significativo pode estar em andamento, eles precisam entrar no mercado. Entrando durante um
rompimento é difícil para muitos traders porque o risco é maior e o movimento é rápido. Eles frequentemente congelam e não aceitam o
trade. Eles estão preocupados com o tamanho da perda potencial, o que significa que eles estão se importando demais para negociar. Eles
precisam reduzir o tamanho de sua posição para mais ou menos um tamanho “não me importo”, para que possam entrar rapidamente no
mercado. A melhor maneira de fazer um trade assustador é negociar automaticamente apenas um terço ou um quarto do seu tamanho
normal de negociação e usar a grande escala necessária. Eles podem pegar um grande movimento, e fazer muito em uma pequena posição
é muito melhor do que não fazer nada em seu tamanho habitual de posição. É importante evitar cometer o erro de não se importar ao
ponto de você começar a negociar configurações fracas e depois perder dinheiro. Primeiro, aponte uma boa configuração e depois entre no
modo “Eu não me importo”.
Assim que os traders sentem que o mercado está sempre ativo, eles acreditam que uma tendência está em andamento e
eles precisam entrar o mais rápido possível. Por exemplo, se houver um forte rompimento de alta, eles podem comprar o
fechamento da barra que os fez acreditar que a tendência começou. Eles podem precisar ver a próxima barra também ter
um fechamento de alta. Se eles esperarem e conseguirem que aquela barra de alta feche, eles podem comprar assim que a
barra fechar, seja com uma ordem de limite no nível do fechamento da barra ou com uma ordem de mercado. Eles
poderiam esperar pela primeira pausa ou pela barra de pullback e colocar uma ordem de limite para comprar no
fechamento, um tique acima da mínima, no mínimo, ou um tique ou dois abaixo da mínima.
Eles podem colocar uma ordem de limite para comprar qualquer pequeno pullback, como um pullback de uma a quatro
tiques no Emini, ou um pullback de 5 a 10 centavos em uma ação. Se a barra de rompimento não for muito grande, a
mínima da próxima barra poderá testar a máxima da barra antes do rompimento, criando um teste de rompimento. Eles
podem colocar uma ordem de limite para comprar em ou logo acima da a máxima dessa barra e arriscar para a mínima da
barra de rompimento. Se eles tentarem comprar em uma barra de pausa ou abaixo dela e não forem preenchidos, eles
poderão colocar uma ordem de compra com stop em um tique acima da máxima da barra.
Se o pico for forte, eles podem tentar comprar a primeira configuração alta 1, que é um pullback de rompimento.
Anteriormente, eles podem pensar em um gráfico de 1, 2 ou 3 minutos e comprar na mínima de uma barra anterior ou
abaixo dela, acima de uma barra de sinal alta 1 ou alta 2 ou com uma ordem de limite na média móvel. Uma vez dentro,
eles devem administrar a posição como qualquer trade de tendência, e procurar um swing para um alvo de movimento
medido para obter lucros e não sair com um pequeno scalp. Os compradores esperam que todas as tentativas dos
vendedores fracassem e, portanto, procurem comprar cada uma delas. Eles comprarão perto do fechamento de cada barra
de tendência de baixa, mesmo que a barra seja grande e feche em baixa. Eles comprarão quando o mercado cair abaixo da
mínima da barra anterior, qualquer fundo anterior e qualquer nível de suporte, como uma linha de tendência.
Eles também comprarão todas as tentativas do mercado de subir, como em torno da máxima de uma barra de tendência
de alta ou quando o mercado se movimentar acima da máxima da barra anterior ou acima de um nível de resistência. Isso
é exatamente o oposto do que os traders fazem em mercados fortes, quando vendem acima e abaixo das barras, e acima e
abaixo da resistência e do suporte. Eles vendem acima das barras (e em torno de cada tipo de resistência), incluindo as
barras de tendência de alta, porque eles veem cada movimento para cima como uma tentativa de reverter a tendência, e a
maioria das tentativas de reversão de tendência falham. Eles vão vender abaixo das barras (e em torno de todo tipo de
suporte), porque eles veem cada movimento para baixo como uma tentativa de retomar a tendência de baixa, e esperam
que a maioria tenha sucesso.
Como a maioria das tentativas de rompimento falha, muitos traders entram em rompimentos na direção oposta. Por
exemplo, se houver uma tendência de alta e formar uma barra grande de tendência de baixa fechando em baixa, a maioria
dos traders esperam que essa tentativa de reversão fracasse, e muitos comprarão no fechamento da barra. Se a próxima
barra tiver um corpo de alta, eles comprarão no fechamento da barra e acima da sua máxima. O primeiro alvo é a máxima
da barra de tendência de baixa, e o próximo alvo é um movimento medido para cima, igual à máxima da barra de
tendência de baixa. Alguns traders usarão um stop inicial de proteção que é aproximadamente o mesmo número de tiques
que a máxima da barra de tendência de baixa, e outros usarão seu stop normal, como dois pontos no Emini. A informação
vem rapidamente durante um rompimento, e os traders geralmente podem formular opiniões cada vez mais fortes com o
fechamento de cada barra subsequente. Se houver uma segunda barra forte de tendência de baixa e, em seguida, uma
terceira, mais traders acreditarão que a posição sempre-ativo reverteu para baixo, e os vendedores terão menos. Os
compradores que compraram o pico de baixa logo decidirão que o mercado irá mais baixo nas próximas barras e, portanto,
sairão dos longos. Não faz sentido para eles segurar seus longos quando acreditam que o mercado cairá mais no futuro
próximo. Faz mais sentido para eles venderem os seus longos, aceitar a perda e depois comprar novamente a um preço
mais baixo, uma vez que pensam que a tendência de alta será retomada. Como os compradores se tornaram vendedores,
pelo menos nas próximas barras, não há mais ninguém para comprar, e o mercado cai para o próximo nível de suporte. Se
o mercado se recuperasse depois daquela primeira barra de baixa, os vendedores veriam rapidamente que estavam
errados e comprariam de volta seus curtos. Sem ninguém deixado para trás e todos estão comprando (os novatos iniciando
novos longos e os vendedores comprando de volta seus curtos), o mercado provavelmente se recuperará, pelo menos por
mais algumas barras.
Os traders têm que avaliar um rompimento em relação ao gráfico inteiro e não apenas a perna atual. Por exemplo, se o
mercado está se expandindo em um pico forte, olhe o gráfico lateral-esquerdo da tela. Se não houver barras no nível do
preço atual, a compra fecha e arrisca abaixo do pico do pico, geralmente, é uma boa estratégia. Como o risco é grande, o
trade é pequeno, mas como um rompimento forte tem pelo menos 60% de chance de atingir um movimento medido que é
aproximadamente igual ao tamanho do pico, a equação do trader é boa (a probabilidade de sucesso aumenta o potencial
recompensa é maior do que a probabilidade de falha vezes o risco). No entanto, quando você olha a lateral esquerda da
tela, se você ver que o rompimento atual ainda está abaixo das máximas de 20 ou 30 barras antes, o mercado ainda pode
estar em um consolidação . Consolidações regularmente têm picos de alta agudos que correm para o topo, apenas para
reverter. O mercado então corre para o fundo e essa tentativa de rompimento também falha. Por causa disso, comprar os
fechamentos de barras fortes de tendência de alta perto do topo da consolidação é arriscado, e geralmente é melhor
procurar comprar pullbacks em vez disso. Os traders devem negociar o mercado como um consolidação até que esteja
claramente em uma tendência.
Um movimento acima de um topo anterior em uma tendência de alta geralmente levará a um dos três resultados: mais
compra, obtenção de lucro ou venda. Quando a tendência é forte, os compradores fortes pressionam (adicionam) seus longos
comprando o rompimento acima do topo anterior e haverá um aumento de algum tipo de movimento medido. Se o mercado
subir bastante acima do rompimento para permitir que um trader faça pelo menos um scalp lucrativo antes que haja um
pullback, então presuma que houve principalmente novas compras na alta. Se for lateral e o rompimento mostrar sinais de
fraqueza (discutido mais adiante), suponha que houve lucro e que os compradores estão querendo comprar novamente um
pouco mais baixo. Se o mercado reverte bastante, assuma que os vendedores fortes dominaram a nova máxima e que o
mercado provavelmente será negociado por pelo menos um par de pernas e pelo menos 10 barras.
Na ausência de algum evento noticioso raro e dramático, os investidores não mudam repentinamente de extremamente
otimistas para extremamente pessimistas. Existe uma transição gradual. Um trader torna-se menos otimista, depois neutro e
depois baixista. Uma vez que traders suficientes fizerem essa transição, o mercado reverte para uma correção mais profunda
ou para uma tendência de baixa. Toda empresa de trading tem sua própria medida de excesso e, em algum momento, empresas
suficientes decidem que a tendência foi longe demais. Eles acreditam que há pouco risco de perder uma grande subida se
deixarem de comprar acima da alta histórica e comprarem apenas em pullbacks. Se o mercado hesitar acima da alta histórica,
o mercado está se tornando bilateral, e os fortes estão usando a nova máxima para obter lucro. A obtenção de lucros significa
que os traders ainda estão otimistas e estão procurando comprar um pullback. A maioria dos novos topos são seguidos por lucros.
Cada nova alta é um topo potencial, mas a maioria das tentativas de reversão falha e se torna o começo de bandeiras de alta,
apenas para ser seguida por outra nova alta. Se uma recuperação para testar a alta tem vários pequenos pullbacks dentro da
perna, com muitas barras sobrepostas, vários corpos de baixa e sombras grandes no topo das barras, e a maioria das barras de
tendência de alta são fracas, então o mercado está tornando-se cada vez mais bilateral. Os compradores estão tendo lucros no
topo das barras e comprando apenas no fundo das barras, e os vendedores estão começando a vender no topo das barras. Da
mesma forma, os compradores estão tendo lucros enquanto o mercado se aproxima do topo da tendência de alta e os vendedores
estão em curto. Se o mercado ficar acima da máxima, é provável que o lucro e a venda sejam ainda mais fortes.
Tomar lucros significa que os traders ainda são altistas e que estão procurando comprar um pullback. A maioria dos novos
topos são seguidos por tomada de lucros. Cada novo topo é um potencial topo final, mas a maioria das reversões falha e se
tornam o começo de bandeiras de alta, somente para ser seguida por outra mínima de alta. Se uma recuperação até o teste da
máxima tem muitos pullbacks pequenos dentro de uma perna para cima com muitas barras se sobrepondo, muitos corpos de
baixa, e grandes sombras nos topos das barras, e a maioria das barras de tendência de alta são fracas, o mercado está
começando a se tornar bilateral.
Os compradores estão tomando lucros, nas máximas das barras e os vendedores estão começando a vender nos topos das
barras. Similarmente, os compradores estão tomando lucros assim que o mercado se aproxima do topo da tendência de alta e os
ursos estão vendendo mais. Se o mercado vai acima da máxima da alta é provável que a tomada de lucros e a venda sejam
ainda mais fortes.
A maioria dos traders não gosta de reverter, então se eles estão antecipando um sinal de reversão, eles preferem sair de seus
longos e então esperar por aquele sinal. A perda desses compradores na última perna na tendência contribui para a fraqueza da
recuperação para a alta final. Se houver uma forte reversão para baixo depois que o mercado romper acima da alta anterior, os
fortes vendedores estarão assumindo o controle do mercado, pelo menos no curto prazo. Quando isso acontece, os compradores
que esperam comprar um pequeno pullback acreditam que o mercado cairá ainda mais. Eles, portanto, esperam para comprar
até que haja um pullback muito maior, e sua ausência de compra permite que os vendedores direcionem o mercado para uma
correção mais profunda com duração de 10 ou mais barras e muitas vezes com duas ou mais pernas. Sempre que há uma nova
tendência, os investidores revertem sua mentalidade. Quando uma tendência de alta reverte para uma tendência de baixa, eles
param de comprar acima de barras em stops e compram abaixo de barras em ordens de limite, e começam a vender acima de
barras em ordens de limite e vender abaixo de barras nos stops. Quando a tendência de baixa reverte para uma tendência alta,
eles param de vender abaixo das barras nos stops e vendem acima das barras em ordens de limite, e começam a comprar barras
acima dos stops e compram abaixo das barras em ordens com limite.
Há uma situação em que o rompimento de uma tendência de alta é rotineiramente enfrentado por vendedores agressivos que
geralmente assumem o mercado. Um pullback é uma tendência menor na direção oposta, e os traders esperam que isso termine
em breve e que a tendência maior seja retomada. Quando há uma baixa histórica em uma forte tendência de baixa, o mercado
geralmente terá duas pernas para cima na tendência de alta menor. À medida que o mercado supera a máxima da primeira
perna, está saindo acima de um topo anterior em uma pequena tendência de alta. No entanto, uma vez que a maioria dos traders
verá o movimento como um pullback que terminará muito em breve, os traders dominantes no rompimento geralmente serão
vendedores agressivos, em vez de novos compradores agressivos, e a menor tendência de alta geralmente reverterá para baixo na
direção da tendência de baixa grande depois de sair acima do primeiro ou segundo topo de swing no pullback.
O mesmo é verdade para os novos fundos em uma tendência de baixa. Quando a tendência de baixa é forte, os vendedores
fortes pressionam seus curtos adicionando suas posições no rompimento a um novo fundo e o mercado continuará a cair até
atingir algum alvo de movimento medido. À medida que a tendência enfraquece, a ação do preço em um novo fundo será menos
clara, o que significa que os vendedores fortes estão usando o novo fundo como uma área para obter lucros sobre seus curtos, em
vez de uma área para adicionar aos seus curtos. À medida que a tendência de baixa perde ainda mais força, os compradores
fortes acabarão por ver um novo fundo como um ótimo preço para iniciar os longos e eles serão capazes de criar um padrão de
reversão e então uma recuperação significativa.
À medida que uma tendência amadurece, ela normalmente transita para uma consolidação , mas as primeiras
consolidações que se formam geralmente são seguidas por uma continuação da tendência. Como os compradores e os
vendedores fortes agem assim que uma tendência amadurece? Em uma tendência de alta, quando a tendência é forte, os
pullbacks são pequenos porque os compradores fortes querem comprar mais em um pullback. Como eles suspeitam que
pode não haver um pullback até que o mercado esteja muito mais alto, eles começam a comprar em pedaços, mas
implacavelmente. Eles procuram por qualquer motivo para comprar, e com tantos grandes traders no mercado, haverá
alguma compra para cada razão imaginável. Eles colocam ordens de limite para comprar alguns tiques e outras ordens de
limite para comprar alguns tiques acima da mínima da barra anterior, na mínima da barra anterior e abaixo da mínima
da barra anterior. Eles colocam ordens de stop para comprar acima da máxima da barra anterior e em um rompimento
acima de qualquer swing anterior. Eles também compram no fechamento de qualquer barra de tendência de alta ou de
baixa. Eles veem a barra de tendência de baixa como uma breve oportunidade de comprar a um preço melhor e a barra de
tendência de alta como um sinal de que o mercado está prestes a subir rapidamente.
Os vendedores fortes são espertos e veem o que está acontecendo. Uma vez que eles acreditam, assim como os
compradores fortes, que o mercado vai subir mais dentro de pouco tempo, não faz sentido para eles estarem vendidos. Eles
apenas se afastam e esperam até que possam vender mais. Quanto mais alto? Cada instituição tem sua própria medida de
excesso, mas, uma vez que o mercado chegue a um nível de preço em que as firmas suficientes acreditem que não pode
subir mais, elas começarão a ser mais baixas. Se um número suficiente deles rondar o mesmo nível de preços, mais e mais
barras de tendência de baixa se formam e as barras começam a ter as sombras nos topos. Estes são sinais de pressão de
venda, e dizem a todos os traders que os compradores estão ficando mais fracos e que os vendedores estão se tornando
mais fortes. Os compradores fortes acabam parando de comprar acima do último topo e, em vez disso, começam a lucrar à
medida que o mercado sobe para uma nova alta. Eles ainda estão otimistas, mas estão se tornando seletivos e comprarão
apenas pullbacks. Como os dois lados aumentam a negociação e os sell-offs têm mais barras de tendência de baixa e duram
mais barras, os compradores fortes vão querer comprar apenas no fundo da consolidação desenvolvimento e vai olhar a ter
lucros no topo. Os vendedores fortes começam a vender em novos topos e agora estão dispostos a subir ainda mais alto.
Eles podem obter lucros parciais perto do final da consolidação em desenvolvimento, se acharem que o mercado pode
reverter para um novo patamar, mas continuarão buscando novas altas. Em algum momento, o mercado se torna um
mercado 50-50 e nem os compradores nem os vendedores estão no controle; eventualmente os vendedores se tornam
dominantes, uma tendência de baixa começa, e o processo oposto se desdobra.
Uma tendência prolongada muitas vezes terá um rompimento extraordinariamente forte, mas pode ser um clímax
exaustivo. Por exemplo, em uma tendência de alta prolongada, todos os compradores e vendedores fortes adoram ver uma
ou duas barras de tendência de alta, especialmente se for excepcionalmente grande, porque esperam que seja uma
oportunidade breve e extraordinariamente grande. Uma vez que o mercado está perto de onde os compradores e os
vendedores querem vender, como perto de um alvo de movimento medido ou uma linha de canal de tendência,
especialmente se o movimento for o segundo ou terceiro clímax de compra consecutivo, eles se afastam. A ausência de
venda pelos traders mais fortes resulta em um vácuo acima do mercado. Os programas que detectam o momentum no início de
uma barra veem isso e rapidamente compram repetidamente até que o momentum diminua.
Como poucos traders fortes estão vendendo, o resultado é uma ou duas barras relativamente grandes de tendência de alta.
Este pico de alta é apenas o sinal que os traders fortes estão esperando, e uma vez lá, eles aparecem do nada e começam a
vender. Os compradores obtêm lucros em seus longos e os vendedores iniciam novos curtos. Ambos vendem agressivamente no
fechamento da barra, acima de sua máxima, no fechamento da barra seguinte (especialmente se for uma barra mais fraca), e no
fechamento da barra seguinte, especialmente se as barras estão começando a ter corpos de baixa. Eles também estão abaixo da
mínima da barra anterior. Quando eles veem uma barra de baixa forte, eles vendem no seu fechamento e abaixo de sua mínima.
Os programas de momentum também levam lucros. Tanto os compradores quanto os vendedores esperam uma correção maior, e
os compradores não considerarão comprar novamente até pelo menos uma correção de 10 barras e duas pernas, e mesmo assim,
apenas se o sell-off parecer fraco. Os vendedores esperam o mesmo sell-off e não estarão ansiosos para obter lucros muito cedo.
Traders fracos veem essa grande barra de tendência de alta no caminho oposto. Os compradores fracos, que estavam sentados
nos bastidores esperando por um pullback fácil para comprar, veem o mercado fugindo deles e querem ter certeza de que vão
pegar a próxima perna, especialmente porque a barra é muito forte e o dia está quase no fim. sobre. Os vendedores debilitados,
que venderam cedo e talvez entraram em colapso, ficaram aterrorizados com a rapidez com que a barra subiu para uma nova
máxima. Eles têm medo de compras implacáveis, então compram de volta seus curtos. Esses traders fracos estão negociando na
emoção e estão competindo contra computadores, que não têm emoção como uma das variáveis em seus algoritmos. Visto que os
computadores controlam o mercado, as emoções dos traders fracos os condenam a grandes perdas em grandes barras de
tendência ao fim de uma tendência de alta exagerada.

Uma vez que uma tendência de alta forte começa a ter pullbacks que são relativamente grandes, os pullbacks, que são sempre
pequenas faixas de negociação, comportam-se mais como consolidações do que como bandeiras de alta. A direção do rompimento
se torna menos certa, e os traders começam a pensar que um rompimento de baixa é quase tão provável quanto um rompimento
de alta. Uma nova alta é agora uma tentativa de rompimento acima de uma consolidação , e as chances são de que ela irá falhar.
Da mesma forma, uma vez que uma forte tendência de baixa começa a ter pullbacks relativamente grandes, esses pullbacks
comportam-se mais como consolidações do que como bandeiras de baixa, e, portanto, um novo fundo é uma tentativa de romper
abaixo de uma consolidação e as probabilidades são de que falhará.
Cada consolidação está dentro de uma tendência de alta ou de baixa. Uma vez que a negociação bilateral é forte o suficiente
para criar a consolidação , a tendência não é mais forte, pelo menos enquanto a consolidação estiver em vigor. Haverá sempre um
rompimento da faixa, eventualmente, e se for lateral e positivo e é muito forte, o mercado está em uma tendência de alta forte. Se
é lateral negativo e forte, o mercado está em uma forte tendência de baixa.
Uma vez que os vendedores estejam fortes o suficiente para empurrar um pullback bem abaixo da linha de tendência de alta e da
média móvel, eles estarão confiantes o suficiente para que o mercado provavelmente não suba muito e eles estarão
agressivamente vendidos acima da alta histórica. Neste ponto, os compradores terão decidido que deveriam comprar apenas um
pullback profundo. Uma nova mentalidade agora é dominante na nova máxima. Já não é um lugar para comprar, porque já não
representa muita força. Sim, há lucro com os compradores, mas a maioria dos grandes traders agora olha para o novo topo como
uma grande oportunidade para iniciar a venda. O mercado atingiu o ponto de inflexão, e a maioria dos traders parou de procurar
comprar pequenos pullbacks e, em vez disso, está procurando vender recuperações. Os vendedores são dominantes e a forte venda
provavelmente levará a uma grande correção ou mesmo a uma reversão de tendência. Após o próximo empurrão forte, os
vendedores procurarão um topo mais baixo para vender novamente ou aumentar suas posições vendidas, e os compradores que
compraram o pullback ficarão preocupados com a possibilidade de a tendência ter revertido ou pelo menos que haverá uma queda
muito maior. Em vez de esperar por um novo topo de alta para obter lucros em seus longos, eles agora terão lucros em um topo
mais baixo e não olharão para comprar novamente até depois de uma correção maior.
Os compradores sabem que a maioria das tentativas de reversão fracassam, e muitos que seguiram a tendência não sairão de seus
longos até que os vendedores tenham demonstrado a capacidade de empurrar o mercado para baixo com força. Visto que estes
compradores veem essa impressionante pressão de venda, eles então procurarão uma manifestação para finalmente sair de seus
longos. Seu suprimento limitará a recuperação, e sua venda, somada à venda por vendedores agressivos e a tomada de lucros por
parte dos compradores que viram o sell-off como uma oportunidade de compra, criarão uma segunda perna para baixo.
Se o mercado entrar em uma tendência de baixa, o processo será revertido. Quando a tendência de baixa é forte, os traders
venderão abaixo das mínimas anteriores. À medida que a tendência enfraquece, os vendedores terão lucros em novas baixas e o
mercado provavelmente entrará em uma consolidação . Após uma forte recuperação acima da linha de tendência de alta e da
média móvel, os vendedores terão lucros em um novo fundo e os compradores fortes comprarão agressivamente e tentarão
assumir o controle do mercado. O resultado será uma recuperação de baixa maior ou possivelmente uma reversão para uma
tendência de alta.
Uma situação semelhante ocorre quando há um pullback que é grande o suficiente para fazer os traders se perguntarem se a
tendência reverteu. Por exemplo, se houver um pullback profundo e acentuado em uma tendência de alta, os traders começarão a
se perguntar se o mercado se reverteu. Eles estão observando movimentos abaixo de mínimas anteriores, mas isso está no
contexto de um pullback em uma tendência de alta, em vez de como parte de uma tendência de baixa. Eles observarão o que
acontece quando o mercado cai (rompe) abaixo de um fundo de swing anterior. O mercado cairá longe o suficiente para os
vendedores, que entraram em um stop de venda abaixo desse fundo de swing, para obter lucro? O novo fundo encontrou mais
vendedores do que compradores? Se sim, isso é um sinal de que os vendedores são fortes e que o pullback provavelmente irá mais
longe. A tendência pode até ter revertido.
Outra possibilidade no rompimento para um novo fundo é que o mercado entre em uma consolidação , o que é uma evidência de
que os curtos tiveram lucro e que houve compras inexpressivas pelos compradores. A alternativa final é que o mercado reverta
após o rompimento para uma nova mínima. Isso significa que houve compradores fortes abaixo do patamar baixo apenas
esperando o mercado testar lá. Este é um sinal de que o sell-off é mais provável que seja apenas um grande pullback em uma
tendência de alta contínua. Os curtos de cima levaram os lucros do rompimento para a nova mínima, porque acreditavam que a
tendência ainda era de alta. Os compradores fortes compraram agressivamente porque acreditavam que o mercado não cairia
mais e que se mobilizaria para testar a alta.
Sempre que houver um rompimento abaixo da mínima, os traders observarão atentamente as evidências de que os
compradores voltaram ou que os vendedores tomaram o controle. Eles precisam decidir qual influência é maior na nova mínima e
usarão o comportamento do mercado para tomar essa decisão. Se houver um rompimento forte, então a nova venda é dominante.
Se o movimento do mercado é incerto, então a obtenção de lucro pelos vendidos e a fraca compra pelos compradores estão
ocorrendo, e o mercado provavelmente entrará em uma consolidação . Se houver uma forte reversão, a compra agressiva pelos
compradores é o fator mais importante.
Às vezes, quando o mercado está em uma tendência fraca, há uma grande barra de rompimento na direção da tendência. Essa
barra de rompimento geralmente age como um pico, e geralmente é seguida por várias outras barras de tendência, mas elas
geralmente se sobrepõem e têm sombras. Essas barras criam um canal de alta estreito. Como com qualquer tendência de pico e canal, o
mercado geralmente testa de volta o início do canal, que nesse caso é a área do gap de abertura. Por exemplo, se houver um swing de
alta relativamente fraco e, em seguida, o mercado chegar ao topo com uma grande barra de tendência de alta, e isto é seguido por três
ou quatro barras de tendência de alta menores, estas barras normalmente funcionam como um canal. Quando o mercado desce para a
área da primeira dessas barras de canal, geralmente fica um pouco abaixo de sua mínima, e isso coloca o mercado na área de gaps que
foi criada pela barra de rompimento. O gap é tanto um gap de medida quanto um gap de quebra, e o teste do gap é geralmente seguido
por uma retomada da tendência ao invés do início de uma reversão para baixo.
Uma inflexão é um termo matemático que significa que houve uma mudança de direção. Por exemplo, se houver uma onda horizontal
que sobe e desce repetidamente, quando a onda está descendo, em algum ponto a inclinação muda de íngreme para baixo para menos
acentuada para baixo quando começa a formar um fundo. Por exemplo, o meio da letra S é o ponto de inflexão na curva, porque é o
ponto em que a inclinação começa a mudar de direção. No trading, uma inflexão é apenas uma área onde você espera uma reversão de
tendência, que pode ou não se desenvolver. Como o movimento pode ir em qualquer direção, o mercado está em modo de rompimento e
os traders estarão prontos para entrar na direção do rompimento. Em ambos os casos, o mercado frequentemente fará um movimento
medido, que é um movimento que cobre aproximadamente o mesmo número de pontos que o padrão que o levou a ele. Por exemplo, um
topo duplo geralmente leva a um rompimento lateral positivo ou negativo. Após o rompimento, o mercado muitas vezes vai além do
ponto de rompimento para um alvo de movimento medido que é aproximadamente o mesmo número de pontos de distância que a
distância do fundo para o topo do topo duplo. Muitas vezes há um gap entre o ponto de rompimento e o primeiro pullback, e o meio do
gap frequentemente leva a um movimento medido (os gaps de medida são discutidos no Capítulo 6 sobre gaps).
As situações do modo rompimento podem se comportar de maneira oposta em um consolidação . Por exemplo, se houver uma
configuração de modo de rompimento no meio de um consolidação , pode haver mais compradores do que vendedores abaixo da barra e
mais vendedores do que compradores acima. Se a situação é muito incerta para fazer com que os traders acreditem que eles têm uma
boa equação do trader, geralmente é melhor esperar pela clareza. Nos extremos de uma consolidação , três coisas podem acontecer: pode
haver (1) uma reversão, (2) um falso rompimento e é seguida por uma reversão, ou (3) um rompimento bem-sucedido. Apenas um dos
três leva a uma tendência. Isso é consistente com o conceito de que a maioria das tentativas de rompimento falha.
Quando há um rompimento contra uma tendência, os traders de tendência contrária estão tentando criar um canal (uma tendência
de pico e canal) ou alguma outra forma de uma nova tendência após o pico. No entanto, os traders de tendência são geralmente capazes
de reverter o rompimento dentro de algumas barras, transformando-o em uma bandeira. Por exemplo, se houver um canal de baixa que
tenha uma grande barra de tendência de alta ou dois que quebrem acima do canal, os compradores estão esperando formar um canal de
alta após um pullback. No entanto, eles geralmente falharão e o pico de alta será simplesmente parte de uma bandeira de baixa. Os
vendedores viram o pico como uma grande oportunidade para adicionar aos seus curtos a um preço breve e alto, que representava
corretamente valor para eles.

FIGURA I.1 Novos topos encontram novos compradores, tomadores de lucro e vendas

Quando uma tendência de alta ultrapassa o topo anterior, haverá novos compradores, tomadores de lucro e vendedores (veja a
Figura PI.1). Se a tendência que precedeu o rompimento está começando e é muito forte, haverá alguns lucros, como após as
barras 5, 12 e 17, mas os novos compradores vão dominar os vendedores, e a tendência será retomada rapidamente. Mais tarde
na tendência, haverá muito menos novas compras e muito mais lucro, como após a barra 19. Há muitas medidas de excesso, e
uma vez que empresas de trading suficientes acreditam que a tendência de alta é exagerada, elas terão lucros em seus longos e
compre novamente apenas após uma correção de 10 barras e duas pernas. Eu uso a frase “10 barras e duas pernas”
frequentemente, e minha intenção é dizer que a correção durará mais e será mais complexa do que um pequeno pullback. Isso
geralmente requer pelo menos 10 barras e duas pernas, e às vezes pode resultar em uma reversão de tendência.
Sempre que há um rompimento, este pode falhar e levar a uma reversão de tendência. A chance de uma reversão bem-
sucedida é maior se o contexto estiver correto e a barra de reversão for forte. Se a barra de rompimento e o pico que levam ao
rompimento for mais forte que a barra de reversão, e a chance de uma reversão climática não for grande, as chances são de que a
tentativa de reversão falhe em algumas barras e forme uma configuração de pullback que levará a uma retomada da tendência.
Por exemplo, a barra 12 era uma pequena barra de reversão de baixa, mas seguiu um pico de três barras muito mais forte e o
mercado estava tendendo para um canal estreito o dia todo, após um grande gap. Isso fez com que as chances de uma reversão
bem-sucedida fossem pequenas, de modo que os compradores compraram na máxima da barra antes da 12. A barra seguinte era
uma doji e, portanto, uma barra de entrada fraca para os vendedores, então certamente haveria mais compradores do que
vendedores. acima de sua máxima. Tornou-se uma barra de sinal de compra de pullback de rompimento (aqui, uma configuração
de compra alta 1). A barra seguinte era uma barra de alta e mais compradores compravam acima de sua máxima. Em geral, as
chances de um sinal de compra bem-sucedido são maiores quando os traders esperam entrar em uma barra alta. A barra 14 era
a barra de rompimento, mas fechou em sua baixa e formou uma barra de reversão de baixa, que é um sinal fraco de venda em
face de um canal de alta tão estreito.
Os compradores eram tão agressivos que não queriam que uma venda desencadeasse. Eles colocaram ordens de limite e acima
da mínima da barra de baixa, e havia ordens de compra suficientes para subjugar os vendedores. A venda nunca desencadeou e
o mercado continuou a se recuperar. A barra 14 foi simplesmente outro pullback do rompimento (e também foi o rompimento), e
os traders compraram acima da alta da barra 15, que era outro sinal de compra de pullback de rompimento.
Outro exemplo de comparação da força do rompimento com a da reversão ocorreu no rompimento da barra 5. A barra de baixa
após a barra 5 era a barra de sinal para o falso rompimento da bandeira de alta de uma barra número 4 e o rompimento acima
da barra 3. O sinal de baixa era pequeno comparado com o pico da barra 3 até a barra 4 e era portanto improvável para reverter
a tendência. A próxima barra foi uma configuração de compra de pullback de rompimento, mas tinha um corpo de baixa, que não
é uma barra forte de sinal de compra. A barra depois teve um corpo de alta e, portanto, comprar acima da sua máxima tinha
uma maior probabilidade de sucesso.
A barra 10 foi um rompimento de uma bandeira de alta ii, mas a barra de rompimento era uma barra de reversão de
baixa, que é uma barra de rompimento fraca. Isso aumentou as chances de que o rompimento falhasse. A barra de
rompimento também era a barra de sinal para a falha no rompimento.
A correção às vezes rompe a linha de tendência de alta e cria pressão de venda suficiente para os vendedores se
tornarem agressivos na próxima nova alta, já que estavam na barra 25. Ainda havia alguns lucros sendo obtidos pelos
compradores, mas muito pouca nova compra. Os vendedores assumiram o controle até o fim.
Tanto os compradores quanto os vendedores estavam ansiosos para o final e forte rompimento até a barra 19. Eles
gostaram de ver um grande pico de alta depois de uma tendência de alta, porque a correção esperada proporcionou a
ambos uma oportunidade de negociação temporária. Foi o terceiro clímax de alta consecutivo sem uma correção desde a
mínima da barra 11 (barras 11 a 12 e 15 a 17 foram as duas primeiras), e os clímax consecutivos de compra
freqüentemente levam a uma correção de duas pernas com duração de cerca de 10 barras e caindo abaixo do média móvel.
Tanto os compradores fortes quanto os vendedores venderam no fechamento do pico de alta de duas barras antes da barra
19, acima de sua máxima, no fechamento da barra 19 (especialmente porque tinha um corpo de baixa), e abaixo de sua
mínima. Os compradores não queriam comprar novamente e os vendedores não tiveram lucro em seus curtos até que a
correção de duas pernas estivesse completa, o que estava na barra 21 até a área da barra 24. O sell-off foi forte o suficiente
para ambos pensarem que o mercado pode ter uma tendência de reversão para uma tendência de baixa após um teste de
topo mais baixo ou topo mais alto da máxima da barra 19, e isso resultou na venda da barra 25 até o fechamento.
Como a maioria das tentativas de reversão falha, os traders geralmente dão fade nelas. A barra 22 foi uma forte
tendência de tendência a ter uma tendência de alta, e muitos traders compraram seu fechamento. Seu primeiro alvo foi
um movimento para a máxima da barra, que ocorreu duas barras depois, e então um movimento medido para cima, que foi
alcançado no fechamento do dia.
A barra de baixa após a barra 5 era uma configuração de modo de rompimento. Uma vez que era uma barra de baixa
depois de um rompimento de alta acima da barra 3, topo de swing, era uma configuração de venda de falso rompimento.
Foi também um pullback de uma barra em um rompimento de alta, por isso foi uma configuração de compra de alta 1
pullback de rompimento. Nesse caso, como o pico de três barras era bem forte, era mais provável que os compradores
superassem os vendedores tanto abaixo quanto acima da barra. Alguns compraram na parte baixa de baixa dentro da
barra com ordens de limite, enquanto outros compraram acima e acima da barra 6 com ordens de stop.
FIGURE PI.2 Rompimento de alta de baixo volume em uma tendência de alta

Como mostrado na Figura PI.2, o Emini estava em uma tendência de baixa no gráfico de 60 minutos à esquerda e
muitos traders queriam comprar um movimento medido para baixo, baseado na altura do pico inicial da barra 1 para a
barra 2. Os vendedores recompraram seus curtos para lucrar, e os compradores agressivos compraram para iniciar os
longos, esperando uma possível reversão de tendência e teste do início do canal de baixa (um fundo mais baixo depois da
barra 2). A chance de pelo menos duas pernas para cima foi aumentada pela reversão para baixo a partir da barra 3 da
barra de gap de média móvel e rompimento acima da linha de tendência de baixa (as reversões são abordadas no terceiro
livro).
O gráfico de 5 minutos à direita reverteu após cair um tique abaixo do alvo de movimento medido de 60 minutos (a
barra 4 é a mesma hora nos dois gráficos). A barra 5 era uma grande barra de reversão de alta com uma pequena sombra,
e os compradores esperavam uma forte reversão. No entanto, a barra tinha apenas 23.000 contratos, ou cerca de três vezes
mais que uma barra média de 5 minutos. Quando a barra média de 5 minutos tem de 5.000 a 10.000 contratos, a maioria
das reversões de alta com prolongada continuidade tem cerca de 5 a 10 vezes esse volume, ou pelo menos 40.000 a 50.000
contratos. As barras mais confiáveis têm mais de 100.000 contratos.
Os traders não precisam se preocupar com o volume porque o gráfico dirá o que eles precisam saber, mas ver um
grande volume em uma grande barra de tendência que está aumentando aumenta as chances de haver continuidade e,
geralmente, pelo menos algum tipo de movimento medido. Quando há uma tendência forte de baixa e a reversão vai por
apenas duas barras e depois faz pullback, e a segunda barra para cima tem uma sombra grande, a reversão não é forte.
Traders mais experientes podem pensar em o volume e vê-lo como mais um sinal de que a reversão não é forte, ou eles
podem pensar em o gráfico de 60 minutos e ver a tendência forte de baixa. No entanto, todos os day-traders precisam ver é
o gráfico de 5 minutos para colocar seus trades. Eles teriam comprado a barra 5 assim que ela estava se formando,
enquanto fechava e também acima da sua máxima. Eles também teriam comprado a barra 7 ioi (inside-outside-inside),
alta 4 bandeira de alta na média móvel. Como eles estavam comprando uma forte alta, deveriam ter assumido que tinham
pelo menos 60% de chance de fazer uma recompensa que fosse pelo menos tão grande quanto o risco. Eles poderiam ter
escolhido um stop de dois pontos, uma vez que isso funcionava bem ultimamente, e então usavam um alvo de lucro de dois
pontos. Outro trader que comprou na barra 5 pode estar disposto a arriscar abaixo do nível 5 (cerca de quatro pontos), e
sua alvo de lucro pode ter sido a mesma que ele teve que arriscar. O stop para o trader que comprou acima da barra 7
estaria abaixo da mínima da barra 7 ou abaixo da barra antes dela. O risco dela era de cerca de dois pontos, e ela poderia
ter segurado por dois pontos ou por um movimento acima da máxima da barra 6 (aqui, também era cerca de dois pontos).
Í

Exemplo de como operar


em um rompimento

Muitos iniciantes acham que os rompimentos são difíceis de negociar porque o mercado se movimenta rapidamente, exigindo decisões
rápidas, e muitas vezes tem barras grandes, o que significa que há mais risco e os traders então precisam reduzir seu tamanho de posição.
No entanto, se um trader aprender a identificar um que provavelmente será bem-sucedido, a equação do trader pode ser muito forte.

FIGURA PI.2 Rompimentos são configurações confiáveis

Quando uma discussão de gráfico é executada em várias páginas, lembre-se de que você pode acessar o site da Wiley
(www.wiley.com/go/tradingranges) e visualizar o gráfico ou imprimi-lo, permitindo que você leia a descrição no livro sem para voltar
várias páginas para ver o gráfico.
Rompimentos bem-sucedidos, como os rompimentos de alta na Figura 1.1, têm uma excelente matemática, mas podem ser
emocionalmente muito difíceis de negociar. Eles acontecem rapidamente e os traders sabem instintivamente que o risco é para o fundo
do pico (eles colocam seu stop de proteção a um tique abaixo da barra mais baixa do pico de alta, como abaixo da barra 14), que é muitas
vezes maior do que tolerância ao risco usual. Eles querem um pullback, mas sabem que provavelmente não vai vir um até que o
mercado esteja em alta, e têm medo de comprar no mercado porque estão comprando no topo de um pico.
Se o mercado reverte no próximo tique, eles terão comprado no topo de um pico e seu stop de proteção está muito longe. No
entanto, o que muitas vezes alguns não conseguem entender é que a matemática está do seu lado. Uma vez que há um forte pico em um
rompimento como esse, a probabilidade de pelo menos um movimento medido baseado na altura do pico é de pelo menos 60% e pode até
ser às vezes de 80%. Isso significa que eles têm pelo menos 60% de chance de fazer pelo menos o mesmo risco inicial, e se o pico
continuar a crescer depois de entrarem, o risco permanece o mesmo, mas o alvo de movimento medido fica cada vez mais alto. Por
exemplo, se os traders compraram no fechamento da barra 15 no gráfico de 5 minutos dos Futuros de 10 anos do Tesouro Americano na
Figura 1.1, eles arriscariam a um tique (um 64º de um ponto) abaixo do fundo do pico de duas barras que é um tique abaixo da mínima
da barra 14, ou sete tiques abaixo do preço de entrada. Neste ponto, uma vez que os traders acreditavam que o mercado estava sempre-
ativo em alta, eles pensavam que havia pelo menos 60% de chance de subir mais dentro de algumas barras. Eles também deveriam ter
assumido que haveria pelo menos um movimento medido. Como o pico era de seis tiques, o mercado tinha pelo menos 60% de chance de
subir pelo menos seis tiques antes de cair em seus stops de proteção.
No fechamento da barra 19, o pico tinha aumentado para 17 tiques de altura e, como ainda era um pico de rompimento, ainda havia
pelo menos 60% de chance de pelo menos um movimento medido para cima. Se os traders estivessem flat neste momento, eles poderiam
ter comprado pequenas posições no mercado e arriscado a um tique abaixo da barra 14 do pico, ou 18 tiques, para fazer 16 tiques (se o
mercado subisse 17 tiques, eles poderiam saia com 16 tiques de lucro). Os traders que compraram a barra 15 perto ainda estavam
arriscando sete tiques para abaixo da mínima da barra 14, mas agora tinha uma chance de 60 por cento do mercado negociando 17
tiques acima da máxima da barra 19, o que seria um lucro de 28 tiques (14/32). O pico terminou na barra 19, uma vez que a próxima
barra era uma inside de baixa, em vez de outra barra forte de tendência de alta. Este foi o primeiro de uma série de pullbacks na fase de
canais da tendência de alta. A barra 24 ficou acima do alvo de movimento medido e o mercado foi negociado ainda mais alto cerca de
uma hora depois. Na prática, a maioria dos traders teriam estreito seus stops à medida que o pico aumentasse, então eles teriam arriscado
menos do que o que acabamos de discutir. Muitos traders que compraram o fechamento da barra 15 poderiam ter alongado seus stops para
abaixo da barra 17, uma vez que ela fechou, porque eles não queriam que o mercado caísse abaixo de uma barra de tendência de alta tão forte. Se
o fizesse, eles teriam acreditado que sua premissa estava errada e eles não gostariam de arriscar uma perda maior. Quando a barra 19 fechou e
os traders perceberam que se tratava de uma barra de tendência de alta, muitos poderiam ter colocado seus stops de proteção no micro gap de
medida criado pela rompimento da barra 17. A barra de baixo 18 estava acima da máxima da barra 16, e esse gap é um sinal de força. Os traders
iriam querer que o mercado continuasse em alta e não negociassem abaixo da barra 18 e no gap, então alguns traders teriam seguido suo stop
para baixo da mínima da barra 18. Muitos traders experientes usam picos para pressionar seus trades. Eles aumentam os seus longos à medida
que o pico continuava, porque eles sabem que o pico tem uma equação excepcional e que a grande oportunidade será breve. Um trader precisa ser
agressivo quando o mercado está oferecendo negociações com fortes equações de trader. Ele também precisa negociar pouco ou nada quando isso
não acontece, como em uma consolidação estreita.
O pico de alta que começou na barra 5 inverteu o mercado para sempre-ativo, para a maioria dos traders. Quando o mercado negociou acima
da barra 11, bandeira de baixa em forma de cunha, é provável que tenha aproximadamente um movimento medido. A barra 15 foi a segunda
barra de tendência de alta consecutiva e confirmou a rompimento na mente de muitos traders. Ambas as barras 14 e 15 eram fortes barras de
tendência de alta com corpos de bom tamanho e sem sombras significativas. Houve uma boa pressão de compra desde a mínima da barra 5, como
visto por muitas barras de tendência de alta, pouca sobreposição, e apenas algumas barras de tendência de baixa e a ausência de fortes e
consecutivas barras de tendência de baixa.
O mercado poderia ter estado nos estágios iniciais de uma tendência de alta, e os traders inteligentes estavam procurando por um rompimento
de alta. Eles estavam ansiosos para ficar comprados assim que as barras 14 e 15 estourassem, e os traders continuavam comprando
implacavelmente em pedaços até a máxima da barra 19.
A coisa mais importante que os traders devem obrigar-se a fazer, e geralmente é difícil, é assim que eles acreditam que existe um pico de
rompimento, eles devem ter pelo menos uma pequena posição. Quando eles se sentem esperando por um pullback, mas
temendo que não venha para muitos mais barras, eles devem assumir que o rompimento é forte. Eles devem decidir onde o
stop de proteção do pior caso seria, o que geralmente é relativamente distante, e usar isso como stop. Como o stop será
grande, sua posição inicial deve ser pequena se entrarem tarde. Uma vez que o mercado se mova na direção deles e eles
possam estreitar o stop, eles podem procurar aumentar sua posição, mas nunca devem exceder seu nível de risco normal.
Quando todo mundo quer um pullback, ele geralmente não vem por muito tempo. Isso ocorre porque todos acreditam que o
mercado em breve será maior, mas eles não acreditam necessariamente que cairá em breve. Traders inteligentes sabem
disso e, portanto, começam a comprar em pedaços. Como eles têm que arriscar até o fundo do pico, eles compram
pequenos. Se o risco for três vezes normal, eles comprarão apenas um terço do seu tamanho normal para manter seu risco
absoluto dentro de sua faixa normal. Quando os compradores fortes continuam comprando em pequenos pedaços, essa
pressão de compra contraria a formação de um pullback. Os vendedores fortes veem a tendência e eles também acreditam
que o mercado em breve será maior. Se eles acham que será maior em breve, eles vão parar de entrar curto. Não faz
sentido para eles vender se eles acham que eles podem vender a um preço melhor depois de mais algumas barras.
Portanto, os vendedores fortes não estão em curto e os compradores fortes estão comprando em pequenos pedaços, caso não
haja pullback por muito tempo.
Qual é o resultado? O mercado continua subindo mais. Uma vez que você precisa estar fazendo o que os traders
inteligentes estão fazendo, você precisa comprar pelo menos uma pequena posição no mercado ou em um pullback de um
ou dois tiques e risco para o fundo do pico. Mesmo que o pullback comece no próximo tique, as probabilidades são de que
não caia muito antes que os compradores inteligentes o vejam como valor e comprem de forma agressiva. Lembre-se, todo
mundo está esperando para comprar um pullback, então quando ele finalmente chegar, será apenas pequeno e não durará
muito. Todos os traders que estavam esperando para comprar verão isso como a oportunidade que eles queriam. O
resultado é que sua posição voltará a ser lucrativa muito em breve. Quando o mercado estiver alto o suficiente, você pode
tentar obter lucros parciais ou tentar comprar mais em um pullback, que provavelmente terá um preço acima da entrada
original. O ponto importante é que, assim que você decidir que comprar um pullback é uma ótima ideia, você deve fazer
exatamente o que os compradores fortes estão fazendo e comprar pelo menos uma pequena posição no mercado.
Alguns traders gostam de comprar rompimentos à medida que o mercado se move acima de um topo de swing
anterior, entrando em um stop de compra a um tique acima da alta histórica. Em geral, a recompensa é maior, o risco é
menor e a probabilidade de sucesso é maior ao entrar em pullbacks. Se os traders comprarem esses rompimentos, eles
normalmente terão que realizar um pullback antes que possam obter muito lucro. Geralmente, é melhor comprar o
pullback do que o rompimento. Por exemplo, em vez de comprar acima da barra 6 à medida que o mercado subia para a
barra 9, a equação do trader era provavelmente mais forte para uma compra acima da barra 10 em vez disso.
O mesmo é verdade para a barra 11 acima da barra 9. Com cada rompimento, os traders têm que decidir se este terá
sucesso ou falhará. Se eles acreditarem que ele será bem-sucedido, eles procurarão comprar o fechamento das barras de
rompimento ou de continuidade, e abaixo da mínima da barra anterior e acima da máxima da barra anterior. Se
acreditarem que irá falhar, não comprarão e, se estiverem comprados, sairão de suas posições. Se eles acreditam que a
falha será negociada o suficiente para um scalp, eles podem vender apenas por um scalp. Se eles acham que o fracasso
levará a uma reversão de tendência, eles podem tentar segurar uma venda. Neste caso particular, como o mercado
movimentou-se fortemente acima da barra 9 e da barra 11 topo duplo, foi razoável comprar o rompimento, mas os traders
que compraram o fechamento da barra 15 entraram em torno do mesmo preço e tiveram uma razão mais sólida o trade
(comprando o fechamento de uma forte barra de tendência de alta em um forte pico de alta). Se qualquer tendência de alta ou
rompimento que não pareça forte o suficiente para comprar perto do pico, como no fechamento da barra mais recente, a equação do
trader é mais forte se os traders esperarem para comprar os pullbacks.
A barra 22 foi a segunda barra de um rompimento de um padrão ii e, portanto, o início de uma possível configuração de reversão de
bandeira final. Este foi provavelmente um clímax de compra menor (discutido no livro 3 no capítulo sobre as reversões de clímax). Nesse
ponto, a equação do trader era mais forte para comprar um pullback do que para comprar o fechamento da barra 22. O mesmo acontecia
com a barra 24. Assim que uma tendência se torna mais bilateral, é melhor procurar comprar pullbacks. Uma vez que a negociação de
dois lados se torne forte o suficiente e os pullbacks anteriores tenham sido mais profundos e duradouros por mais de cinco barras, os
traders podem começar fazer scalp de venda, como na reversão de duas barras na barra 24 (vender abaixo da mínima da então barra de
baixa que se seguiu). Depois que o mercado tiver se transformado em uma consolidação , os vendedores começarão entrar curto em swing
trades, esperando pullbacks mais profundos e uma possível reversão de tendência.
Outros exemplos de configurações de compra de pullback de rompimento nesta tendência incluem a máxima da barra 8 alta 2 e bandeira
de alta (um pullback de recuperação até a barra 6, que saiu do canal de baixa da barra 3 para barra 5), a máxima da barra 12 e alta 2 até
a média móvel (barra 11 rompeu acima da consolidação e fora da máxima da barra 10, bandeira de alta e alta 1; o primeiro empurrão
para baixo foi a barra de baixa que formou duas barras após barra 11), a barra 14 e outside de alta (traders poderia ter comprado assim
que ela virou uma outside, mas a probabilidade de sucesso foi maior se eles compraram acima da barra 14, porque era uma barra de
tendência de alta), a barra 20 ii, a alta 2 na barra 23 (barra 23 era a barra de entrada), e a máxima da barra 25 alta 2 (todos os fundos
duplos são padrão alta 2). A barra de sinal é mais confiável quando tem um corpo de alta.
Em geral, sempre que houver um pullback inicial em uma tendência que acaba de se tornar fortemente sempre-ativo em alta, um
trader deve imediatamente colocar um stop de compra para comprar acima da máxima do pico. Isso ocorre porque muitos traders têm
medo de comprar abaixo da mínima da barra anterior ou acima de uma máxima 1, pensando que o mercado pode ter um pullback de
duas pernas. No entanto, se eles esperarem por um pullback de duas pernas, perderão muitas das tendências mais fortes. Para
evitar que eles fiquem fora de uma tendência forte, os traders precisam adquirir o hábito de fazer aquele último stop de compra. Se
eles comprarem a alta 1, eles podem cancelar seu stop de compra. Mas se eles perderem as entradas anteriores, pelo menos entrarão
na tendência, que é o que precisam fazer. Por volta da barra 19, a tendência era claramente muito forte e era provável que
continuasse por cerca de um movimento medido com base na altura do pico. Assim que o mercado deu sinal de um possível pullback,
os traders precisaram colocar suas ordens de stop de compra de pior caso acima da máxima do pico. A barra após a barra 19 era uma
barra de tendência de baixa e um possível início de um pullback. Eles precisavam colocar um stop de compra a um tique acima da
barra de 19, no caso de a tendência rapidamente ser retomada. Se, ao contrário, comprassem a barra 20, a alta 1 teria cancelado o
stop de compra acima da barra 19. No entanto, se deixassem passar a compra da alta 1 por qualquer motivo, pelo menos teriam sido
arrastados para a tendência à medida que o mercado se movesse. para o novo topo. Seu stop de proteção inicial teria ficado abaixo do
pullback menor mais recente, que no caso era a mínima da barra 20.
A barra 24 foi um pico de duas barras e o terceiro clímax de compra consecutivo sem correção. Não havia tempo suficiente para
uma correção de 10 barras e duas pernas, de modo que poucos vendedores estavam dispostos a vendê-la, especialmente porque a
subida das barras 5 e 12 tinha pouca pressão de venda. No entanto, alguns compradores usaram como uma oportunidade para obter
lucros, o que acabou por ser uma decisão razoável, uma vez que o mercado não voltou acima de sua máxima pelo resto do dia. Os
traders sabem que a maioria das tentativas de reverter uma tendência falha, e muitos gostam de vender as tentativas. A barra
antes da barra 12 era uma grande barra de tendência de baixa, que era um rompimento abaixo da linha de tendência e uma
tentativa de reverter a barra do rompimento de barra. Compradores compraram o fechamento da barra de tendência de baixa,
esperando um movimento de volta para o seu pico, e provavelmente um movimento medido para cima igual à máxima da barra.
Como eles viram que a barra 12 tinha um fechamento de alta, eles compraram o fechamento da barra 12 e acima de sua máxima.
um rompimento de baixa bem-sucedido geralmente é seguido por outra barra de tendência de baixa ou pelo menos uma barra de
doji, e se houver um corpo de alta, mesmo um pequeno, as chances de uma tentativa fracassada de rompimento tornam-se maiores,
especialmente quando a barra está no média móvel em uma tendência de alta. Os vendedores queriam um canal de baixa após o
pico de baixa, ou algum outro tipo de tendência de baixa, mas os compradores viram o a barra de baixa crescer como uma
oportunidade de comprar durante um breve desconto.
Os picos de baixa, especialmente em gráficos diários, podem ser devidos a itens de notícias, mas a maioria não consegue seguir
adiante, e os fundamentalistas altistas de longo prazo vencem, levando a um rompimento de baixa fracassado e a uma retomada da
tendência de alta. Os vendedores ficam animados e esperançosos por causa das terríveis notícias, mas a notícia é geralmente um
evento menor de um dia e trivial comparado à soma de todos os fundamentalistas.
FIGURA 1.2 Pullbacks de rompimento
A Figura 1.2 mostra que, quando um swing de alta tem um rompimento ascendente, o mercado geralmente volta a
testar o gap de quebra. O mercado vendeu até a barra 8 e depois reverteu. A barra 12 era uma barra de gap de média
móvel de segunda entrada de venda, mas falhou. Em vez de testar o fundo da tendência de baixa, o mercado rompeu para
cima na barra 13. A mínima da barra após a barra de rompimento e a máxima do ponto de rompimento da barra 11
criaram um gap de quebra. Tanto o meio quanto o topo da primeira perna até a barra 11 podem levar a um movimento
medido para cima. Depois que a barra 13 subiu, havia um canal estreito de quatro barras que terminava na barra 15 e
depois um teste até o fundo do canal. O teste da barra 19 também foi testado no gap de quebra, o que geralmente acontece
nessas situações.
O sell-off da barra 5 à barra 8 não teve pullbacks, e a barra depois da barra 8 foi a primeira barra que negociou
acima da máxima da barra anterior. Por que os traders experientes recomprariam seus curtos altamente lucrativos
quando o primeiro pullback em uma tendência forte geralmente falha? Eles aprenderam que devem sempre procurar
razões para obter lucros parciais ou totais, especialmente quando são grandes, porque esses lucros podem desaparecer
rapidamente, especialmente após um possível clímax de venda. Aqui, houve três clímaces de venda consecutivos (as
descidas para as barras 6, 7 e 8), e a barra inside após a barra 7 era uma possível bandeira final (esses padrões são
discutidos no livro 3). As chances eram altas de que o mercado fosse corrigido por cerca de 10 barras, provavelmente para
a média móvel, a mínima da barra 4, ou mesmo a máxima da barra 5. Os vendedores viram isso como uma grande
oportunidade de garantir seus lucros em torno da barra 8, esperando pelo menos uma recuperação de 10 barras, e depois
tentar vender de novo muito mais, se uma configuração de venda se desenvolver. O movimento foi tão forte que não havia
padrão de venda, e os vendedores estavam felizes por terem lucrado sabiamente, e não estavam preocupados com a
ausência de outra boa chance de curto.
Se eles mantivessem seus curtos, todos os seus lucros teriam se transformado em perdas. O lucro é a causa do
primeiro pullback em qualquer tendência forte. Os vendedores que perderam o selloff estavam esperando por um pullback
que lhes permitia vender, mas eles nunca tiveram essa oportunidade.

Os vendedores que perderam o sell-off para a barra 4, ou que lucraram na barra 4 e queriam vender novamente em
um pullback, tiveram sua chance na mínima da barra 5 baixa b2 na média móvel. Ele tinha um corpo de baixa e também
era uma configuração venda de gap de 20 barras (discutida mais adiante neste livro).
Í

Sinais de força em uma


tendência

O critério mínimo para que um rompimento seja bem-sucedida é que um trader poderia entrar no rompimento e fazer pelo menos o
lucro de um scalper. Os rompimentos mais fortes resultarão em tendências fortes que podem durar dezenas de barras. Há sinais
precoces que aumentam a probabilidade de um rompimento ser forte o suficiente para atingir um ou mais alvos de movimento
medidos. Por exemplo, quanto mais das seguintes características um rompimento de alta tiver, maior a probabilidade de o rompimento
ser forte:

• A barra de rompimento tem um grande corpo de tendência de alta e pequenas sombras ou nenhuma sombra. Quanto
maior a barra, maior a probabilidade de sucesso.
• Se o volume for 10 a 20 vezes o volume médio de barras recentes, a chance de compra de continuidade e um possível movimento medido
aumentam.
• O pico vai longe, dura muitas barras e rompe diversos níveis de resistência, como médias móveis, topos anteriores e linhas de tendência, e cada
um por muitos tiques.
• À medida que a primeira barra da barra de rompimento está se formando, ela passa a maior parte do tempo perto de sua
máxima e os pullbacks são pequenos (menos de um quarto da máxima da barra crescente).
• Existe um senso de urgência. Você sente que precisa comprar, mas quer um pullback, mas isso nunca acontece.
• As próximas duas ou três barras também têm corpos de alta que são pelo menos o tamanho médio dos corpos de alta e de
baixa. Mesmo se os corpos forem relativamente pequenos e as sombras forem proeminentes, se a barra de continuidade (a
barra após a barra de rompimento inicial) for grande, as chances de a tendência continuar são maiores.
• O pico cresce de cinco a 10 barras sem recuar por mais de uma barra ou mais.
• Como um rompimento de alta vai acima de um topo anterior significativo, o movimento acima do topo vai longe o
suficiente para os scalpers fazerem um lucro se eles entraram em um stop em um tique acima desse topo.
• Uma ou mais barras no pico tem uma mínima que está no mesmo preço ou apenas um tique abaixo do fechamento da
barra anterior. Uma ou mais barras no pico têm uma abertura que está acima do fechamento da barra anterior.
• Um ou mais barras no pico tem um fechamento na máxima ou apenas um tique abaixo da máxima.
• A mínima da barra depois de uma barra de tendência de alta é no mesmo preço ou acima da máxima da barra antes da
barra de tendência de alta, criando um microgap, que é um sinal de força. Esses gaps às vezes se tornam gaps de medida.
Embora não seja significativo para negociação, eles provavelmente representam um espaço entre a máxima de uma onda
de Elliot 1 e a onda de Elliot de pullback 4, que pode tocar, mas não se sobrepor.
• O contexto geral torna provável um rompimento, como a retomada de uma tendência após um pullback, ou um teste de
fundo mais baixo ou fundo mais alto após um forte rompimento acima da linha de tendência de baixa.
• O mercado teve vários dias de tendência de alta forte recentemente.
• Houve uma pressão de compra crescente na consolidação , representada por muitas barras de tendência de alta grande, e
as barras de tendência de alta foram claramente mais proeminentes do que as barras de tendência de baixa na faixa.
• O primeiro pullback ocorre somente após três ou mais barras de rompimento.
• O primeiro pullback dura apenas uma ou duas barras e segue uma barra que não é uma barra de reversão de baixa forte.
O primeiro pullback não atinge o ponto de rompimento e não atinge um stop de zero a zero (o preço de entrada).
• rompimento reverte muitos fechamentos e altas recentes. Por exemplo, quando há um canal de baixa e uma grande barra
de alta, essa barra de rompimento tem uma máxima e uma estreita que estão acima dos máximos e fechamentos de cinco
ou até 20 ou mais barras.
• Um grande número de barras revertidas pelo fechamento da barra de alta é um sinal mais forte do que um número similar de
barras revertidas pela sua máxima.
Quanto mais características um rompimento de alta tiver, maiores as chances de que ele falhará e se tornará um
consolidação ou mesmo uma reversão.

• A barra de rompimento tem um corpo de alta pequeno ou de tamanho médio e uma sombra grande no topo.
• A barra seguinte tem um corpo de baixa e é uma barra de reversão de baixa ou uma barra inside de baixa; essa barra se fecha perto ou
abaixo dela, e o corpo é mais ou menos do tamanho dos corpos médios das barras antes do rompimento (não apenas um corpo de baixa
de um tique).
• O contexto geral faz um rompimento improvável, como uma recuperação para testar o topo de um dia de consolidação , mas a
recuperação tem barras de baixa, muitas barras sobrepostas, barras com pontas proeminentes e alguns pullbacks ao longo do caminho.
• O mercado está em uma consolidação há vários dias.
• A barra após a barra de rompimento é uma barra forte de reversão de baixa ou uma barra inside de baixa.
• A barra após uma barra de tendência de alta tem uma mínima que está abaixo da máxima da barra antes da barra de tendência de
alta. O primeiro pullback ocorre duas barras após a reversão.
• O pullback se estende por várias barras.
• A retomada da tendência depois que o pullback parar e o mercado formar um topo mais baixo com uma barra de sinal de baixa.
• O pico rompe acima de um nível de resistência como um topo, uma linha de tendência de baixa, ou uma linha de tendência de alta por
apenas um tique ou mais, e depois reverte para baixo.
• O pico mal rompe acima de um único nível de resistência, mas recua antes de romper acima de outros níveis que são apenas um pouco
mais altos.
• Um trader que comprou em um stop acima de um topo anterior não seria capaz de fazer o lucro de um scalper antes que houvesse um
pullback.
• À medida que a barra de rompimento está se formando, ela retrai mais de dois terços da máxima da barra.
• Quando a barra de rompimento está se formando, ela retrai para pelo menos um terço de sua altura duas ou mais vezes.
• O pullback cai abaixo do ponto de rompimento. Não há gaps entre a mínima de qualquer barra e a máxima da barra duas barras antes.
O pullback cai abaixo do nível baixo da primeira barra do pico.
• O pullback atinge o stop de zero a zero.
• Existe uma sensação de confusão. Você sente que não tem certeza se o rompimento terá êxito ou fracassará.

Quanto mais das seguintes características que um rompimento de baixa tiver, maior a probabilidade de o rompimento ser forte:

• A barra de rompimento tem um grande corpo de tendência de baixa e pequenas sombras ou nenhuma sombra. Quanto maior a barra,
maior a probabilidade de sucesso.
• Se o volume for de 10 a 20 vezes o volume médio de barras recentes, a chance de vendas subsequentes e um possível movimento de
baixa aumenta.
• O pico vai muito longe, dura várias barras e rompe vários níveis de suporte, como a média móvel, os baixos de swing anteriores e as
linhas de tendência, e cada um por muitos tiques.
• À medida que a primeira barra da barra de rompimento está se formando, ela passa a maior parte do tempo próxima de sua mínima e
os pullbacks são pequenos (menos de um quarto da máxima da barra crescente).
• Existe um senso de urgência. Você sente que tem que vender, mas quer um pullback, mas isso nunca acontece.
• As próximas duas ou três barras também têm corpos de baixa que são, pelo menos, o tamanho médio dos corpos de alta e baixa
recentes. Mesmo se os corpos forem relativamente pequenos e as sombras estiverem proeminentes, se a barra de continuidade (a barra
após a barra de rompimento inicial) for grande, as chances de a tendência continuar são maiores.
• O pico cresce para cinco a 10 barras sem recuar por mais de um bar ou mais.
• À medida que um rompimento de baixa fica abaixo de um mínimo significativo anterior, o movimento abaixo da baixa vai longe o
suficiente para que os scalpers tenham lucro se entrarem em um stop a um tique abaixo desse fundo.
• Uma ou mais barras no pico tem uma máxima que está em ou apenas um tique acima do fechamento da barra anterior. Uma ou mais
barras no pico tem uma abertura que está abaixo do fechamento da barra anterior.
• Uma ou mais barras no pico fecha na mínima ou apenas um tique acima da mínima.
• A máxima da barra após uma barra de tendência de baixa é igual ou abaixo da mínima da barra antes da barra de tendência de baixa,
criando um microgap, que é um sinal de força. Esses gaps às vezes se tornam gaps de medida. Embora não seja significativo para
negociar, eles provavelmente representam o espaço entre uma mínima da onda 1 de Elliot e o pullback da onda 4, as quais podem se
tocar mas não se sobrepor.
• O contexto geral torna provável um rompimento, como a retomada de uma tendência após um pullback, ou um teste de topo mais baixo
ou topo mais alto após um forte rompimento abaixo da linha de tendência de alta.
• mercado teve vários dias de tendência forte de baixa recentemente.
• Houve uma crescente pressão de venda na consolidação , representada por muitas barras de tendência de grande baixa, e as barras de
tendência de baixa foram claramente mais proeminentes do que as barras de tendência de alta na faixa.
• O primeiro pullback ocorre somente após três ou mais barras de rompimento.
• O primeiro pullback dura apenas uma ou duas barras e segue uma barra que não é uma barra forte de reversão de alta. O primeiro
pullback não atinge o ponto de rompimento e não atinge um stop de zero a zero (o preço de entrada).
• O rompimento reverte muitos fechamentos e mínimas recentes. Por exemplo, quando há um canal de alta e uma grande barra de baixa
se forma, essa barra de rompimento tem uma mínima e um fechamento que estão abaixo das mínimas e fechamentos de cinco ou até
20 ou mais barras. Um grande número de barras revertidas pelo fechamento da barra de baixa é um sinal mais forte do que um
número semelhante de barras revertidas por sua mínima.

Quanto mais das seguintes características que um rompimento de baixa tiver, mais provavelmente ele falhará e levará a
uma consolidação ou a uma reversão:

• A barra de rompimento tem um corpo de tendência de baixa de tamanho pequeno ou médio e uma sombra grande no fundo.
• A barra seguinte tem um corpo de alta e é uma barra de reversão de alta ou uma barra inside de alta; essa barra fecha no mesmo preço
ou perto de sua máxima, e o corpo é aproximadamente do tamanho dos corpos médios das barras antes do rompimento (não apenas um
corpo de alta de um tique).
• O contexto geral torna improvável um rompimento, como um sell-off para testar a mínima de um dia de consolidação , mas o sell-off tem
barras, muitas barras sobrepostas, barras com sombras proeminentes e alguns pullbacks ao longo do caminho.
• O mercado esteve em uma consolidação há vários dias.
• A barra após a barra de rompimento é uma barra forte de reversão de alta ou uma barra inside de alta.
• A barra depois de uma barra de tendência de baixa tem uma máxima que está acima da mínima da barra antes da barra de tendência
de baixa.
• O primeiro pullback ocorre duas barras após a reversão.

• O pullback se estende por várias barras.

• A retomada da tendência após o stop do pullback, e o mercado forma um fundo mais alto com uma barra de sinal de alta.

• O pico rompe abaixo de um nível de suporte como um fundo de swing, uma linha de tendência de alta ou uma linha de canal de
tendência de baixa apenas por um tique ou mais e, em seguida, reverte para cima.
• O pico quase não desce abaixo de um único nível de apoio, mas recua antes de romper abaixo de outros níveis que são um pouco
menores. Um trader que vendesse em um stop abaixo de um swing anterior não poderia fazer o lucro de um scalper antes que houvesse
um pullback. Quando a barra de rompimento está se formando, ela retira mais de dois terços da máxima da barra.
• Quando a barra de rompimento está se formando, ela é puxada para pelo menos um terço de sua altura duas ou mais vezes.
• O pullback sobe acima do ponto de rompimento. Não há gaps entre a altura de qualquer barra e a mínima da barra duas barras antes.
O pullback sobe acima da altura da primeira barra do pico.
• pullback atinge o stop de zero a zero.
• Existe uma sensação de confusão. Você sente que não tem certeza se o rompimento terá êxito ou fracassará.

Para um trader, o rompimento implica força e uma possível nova tendência. Segue-se um período de negociação bilateral onde os compradores
e os vendedores concordam que há valor e ambos estão dispostos a tomar posições. Durante o rompimento, os dois agora concordam que o
mercado deve encontrar valor a outro preço e o rompimento é um movimento rápido em busca desse novo preço. O mercado prefere a incerteza e
rapidamente se move em busca dela. Um rompimento é um período de certeza. Compradores e vendedores estão certos de que os preços dentro
do rompimento são muito altos em um rompimento de baixa ou muito baixa em um rompimento de alta, e as chances de continuidade são
geralmente cerca de 60 a 70 por cento. O mercado move-se rapidamente em busca de um nível de preços em que tanto os compradores quanto os
vendedores concordam que há valor para eles iniciarem trades. Isso significa que há mais uma vez incerteza, e ninguém sabe qual lado vencerá e
conseguirá criar o próximo rompimento. A incerteza é a marca registrada de um consolidação , portanto, um rompimento é uma busca por um
consolidação , por incerteza, e uma probabilidade direcional de 50 por cento de um movimento equidistante. O canal que segue o pico geralmente
cria uma parte superior e inferior aproximada da consolidação que geralmente segue.

À medida que o mercado está subindo no canal, a probabilidade direcional de um movimento equidistante se desgasta e, na verdade, favorece
uma reversão quando atinge o final do canal. Isso ocorre porque os rompimentos da consolidação geralmente falham e as probabilidades
favorecem a volta para o meio da faixa em que a probabilidade direcional é neutra. Esse meio da faixa é o alvo do rompimento, e sua localização é
desconhecida até que ele seja formado. um rompimento começa com uma barra de tendência, que pode ser grande ou pequena, mas geralmente
é pelo menos um pouco grande em comparação com o tamanho das barras recentes. Lembre-se, todas as barras de tendência devem ser vistas
como rompimentos, picos, gaps e clímax. Quando ela é pequena, é fácil ignorar sua importância, mas se for seguido por alguma ação de preço
lateral e, em seguida, por um movimento direcional constante, um rompimento está em andamento. Os rompimentos mais fáceis de detectar
ocorrem quando uma barra de tendência excepcionalmente grande movimenta rapidamente o mercado para fora de uma consolidação e logo é
seguida por outras barras de tendência na mesma direção. Se o rompimento é uma barra de tendência única ou uma série de barras de
tendência, é um pico. Como mencionado anteriormente, quase todas as tendências podem ser consideradas como algum tipo de tendência de pico
e canal. Por exemplo, se uma barra de alta tiver um fechamento forte e as barras seguintes também tiverem fechamentos fortes, sombras
pequenas ou inexistentes, sem barras de pullback, e houver muito pouca sobreposição entre os corpos de alta consecutivos barras de tendência,
então o mercado provavelmente irá mais para cima de onde está no momento atual em algum momento antes que o mercado reverta para além
do início do movimento de rompimento. Se a tendência continuar, eventualmente seu ímpeto diminuirá e geralmente haverá algum tipo de
canal.
Um dos conceitos mais importantes no trading é que a maioria das falhas fracassa. Por causa disso, entrar em cada rompimento na direção do
rompimento é uma estratégia perdedora. No entanto, muitas vezes há eventos de ação de preço que aumentam a probabilidade de sucesso de um
rompimento. Por exemplo, se houver uma forte tendência de baixa e depois uma recuperação de duas pernas para a média móvel, vender o
rompimento descendente desta bandeira de baixa é um trade sensato. No entanto, se o mercado não está em uma tendência e há muitas barras
sobrepostas e muitas barras com sombras grandes, o mercado está em equilíbrio. Tanto os compradores quanto os vendedores estão confortáveis
em tomar posições e uma consolidação está se desenvolvendo. Se o mercado, então, tiver uma barra de tendência de alta que se estende ao topo ou
até mesmo acima da consolidação , os vendedores que estavam dispostos a vender no meio da faixa serão ainda mais agressivos a esse preço
melhor. Além disso, os compradores que ficaram felizes em comprar no meio da faixa ficarão hesitantes em comprar mais e, em vez disso, serão
rápidos em sair no topo da faixa. Esse comportamento dos compradores e dos vendedores cria uma atração magnética no meio da faixa, e o
resultado é que a maior parte da negociação estará no meio da faixa. Mesmo quando o mercado conseguir sair e viajar por talvez um movimento
medido igual à altura da faixa, a atração magnética ainda tenderá a atrair o mercado de volta ao alcance. Isto é o que torna as reversões de
bandeiras finais tão confiáveis (discutidas no livro 3). Se você pensar em qualquer gráfico, notará muitas barras de tendência de alta e de
baixa com corpos relativamente grandes e sombras pequenas. Cada uma delas é uma tentativa de rompimento e quase todas não levam
a uma tendência e, em vez disso, a consolidação continua. Em um gráfico de 5 minutos da Emini, eles provavelmente representam
programas de compra e venda que tentam movimentar o mercado. Alguns algoritmos são projetados para diminuir essas barras de
tendência, esperando que a maioria falhe. Traders experientes farão isso também quando acreditarem que o rompimento provavelmente
falhará. Por exemplo, se houver um rompimento na forma de uma grande barra de tendência de alta, esses programas podem vender o
fechamento da barra, acima de sua máxima, no fechamento da próxima barra ou duas, ou abaixo de suas baixas. Se um número
suficiente de dólares de negociação de programa vier no lado do fade (o lado da venda), eles irão sobrecarregar os programas que estão
tentando iniciar a tendência de alta, e a consolidação continuará. Eventualmente, um rompimento será bem-sucedido. A barra de
rompimento será grande, os pullbacks à medida que a barra estiver se formando serão pequenos, e o rompimento terá uma boa
continuidade nas várias barras seguintes. Os programas que estão tentando vender o movimento estão falhando e eles cobrirão suas
posições perdedoras e levarão a tendência adiante. A força atrairá outros traders de tendência, muitos dos quais são traders de
momentum e entrarão rapidamente sempre que virem o momento.
Uma vez que todos estejam convencidos de que o mercado está tendendo agora, ele pode ir muito antes de haver um pullback. Por que
é que? Considere um exemplo de um rompimento de mercado em uma forte tendência de alta com um pico formado por três fortes barras
de tendência de alta.
Os traders acreditam que o mercado será maior em algum momento antes e não estão confiantes de que cairá nas próximas barras.
Isso faz com que os vendedores recomprem seus curtos, aumentando ainda mais o mercado. Os compradores que estão subinvestidos
acreditam que o mercado está subindo na venda e que ganharão mais dinheiro simplesmente comprando no mercado ou em um pullback
de dois ou três tiques, do que se esperassem por oito ou dez. pullback ou um pullback para a média móvel. Isso também eleva o mercado.
Como os compradores e os vendedores estão basicamente comprando no mercado à medida que sobe, o pullback nunca vem, ou pelo
menos não vem por cinco ou mais barras depois que o mercado está bem acima do preço atual.
Isso é discutido em mais detalhes no Capítulo 8, mas os traders estão dispostos a comprar no mercado a qualquer momento em um
rompimento porque acreditam que as chances são melhores do que 50-50 de que eles farão pelo menos tantos pontos quanto estão
arriscando. Quando o rompimento é forte, a probabilidade é geralmente de 60 a 70% ou mais. Se eles comprarem o Emini de 5 minutos
no tique máximo quando o topo do pico estiver quatro pontos acima do pico do pico, eles acreditam que as probabilidades são
provavelmente de 60% ou melhores do que o mercado subirá mais quatro pontos antes dos quatro pontos de stop serem atingidos. Como
você pode ter certeza disso? Porque é matematicamente insensato ter seu risco igual à sua recompensa se a chance de sucesso for muito
inferior a 60%, e as instituições, portanto, não estariam assumindo essa função. Como o mercado ainda está subindo, as instituições estão
assumindo o trade. Como o trade permanece valido enquanto o mercado se mantiver acima do fundo do pico, eles estarão arriscando
até o fundo do pico. Eles sabem que o pico geralmente atinge cerca de um movimento medido, de modo que seu alvo de lucro, que
é sua recompensa, é igual ao seu risco. Se o pico crescer mais dois pontos antes de parar, o pico terá seis pontos de altura. Se esse é
o fim do pico, eles assumirão que há cerca de 60% de chance de que o mercado suba mais seis pontos antes de cair seis pontos. Isso
significa que todos os compradores que compraram mais baixo têm 60% de chance de que o mercado suba mais seis pontos antes
de seu stop de quatro pontos ser atingido. Por exemplo, os compradores que compraram quando o pico tinha quatro pontos de
altura estão agora arriscando quatro pontos para totalizar oito pontos em uma aposta de 60%, o que é uma ótima situação
matemática. Eles esperam que o mercado tenha 60% de chance de testar seis pontos acima do fechamento do pico, que é dois
pontos acima de sua entrada, dando a eles um alvo de lucro de oito pontos.
Quando um rompimento é bem-sucedido e leva a uma tendência, o momentum diminui após o movimento rápido inicial, e
sinais de trade bilateral se desenvolvem, coma barras sobrepostas, sombras crescentes, barras de tendência na direção oposta e
barras de pullback. Mesmo que a tendência possa continuar por muito tempo, essa parte da tendência geralmente é refeita e se
torna parte de uma consolidação . Por exemplo, em um padrão de tendência de pico e canal de alta, o pico é o rompimento e o canal
geralmente se torna a primeira perna de uma consolidação e, portanto, geralmente fará um pullback. Normalmente, o mercado
eventualmente recua até o início do canal, completando a segunda perna da consolidação incipiente. No exemplo do rompimento
de alta, o mercado geralmente tentará se recuperar desse suporte. Isso resulta em uma bandeira de alta em forma de fundo duplo
que às vezes leva a um rompimento acima da nova faixa, e outras vezes evolui para uma consolidação prolongada, como um
consolidação estreito ou um triângulo. Menos frequentemente, é seguido por uma reversão.
No gráfico de 5 minutos da Emini, geralmente há muitas tentativas de sair todos os dias, mas a maioria falha após uma ou
duas barras de tendência. Eles provavelmente representam o início de um programa de trade por alguma instituição, mas ficam
sobrecarregados com programas opostos de outras instituições. Quando instituições suficientes tiverem programas funcionando na
mesma direção e ao mesmo tempo, seus programas poderão levar o mercado a um novo nível de preços e o rompimento será bem-
sucedido. No entanto, nada é 100% certo e até mesmo os mais fortes falham em 30% das vezes.
Quando um rompimento é muito forte, haverá três ou mais barras de tendência com pequenas sombras e muito pouca
sobreposição. Isso significa que os traders não estão esperando por um pullback significativo. Eles temem que possa não haver um
pullback até que o mercado tenha percorrido um longo caminho e queiram ter certeza de capturar pelo menos parte da tendência.
Eles entrarão no mercado e em pequenos pullbacks de um ou dois tiques, e suas ordens implacáveis darão força à tendência e
lutarão contra a formação de um pullback significativo.
As barras de rompimento geralmente têm grande volume e, às vezes, elas terão de 10 a 20 vezes o volume de uma barra
média. Quanto maior o volume e mais barras no pico, maior a probabilidade de haver uma continuidade significativa. Antes do
rompimento, tanto os compradores quanto os vendedores estavam escalando suas posições, lutando pelo controle do mercado e
tentando criar um rompimento bem-sucedido em sua direção. Uma vez que haja um rompimento claro, o lado perdedor cobrirá
sua grande posição rapidamente com uma perda, e o lado vencedor entrará ainda mais agressivamente. O resultado é uma ou
mais barras de tendência, geralmente com alto volume. O volume nem sempre é especialmente alto, mas quando é 10 ou mais
vezes a média das barras recentes, a probabilidade de um rompimento bem-sucedida, o que significa que haverá continuidade
para muitas barras, é maior. Além disso, o volume pode ser excepcionalmente alto em rompimentos que falham em poucas
barras, mas isso é menos comum. O volume não é confiável o suficiente para garantir segui-lo, e as grandes barras de tendência
que compõem o pico já lhe dirão se o rompimento provavelmente será bem-sucedido. Tentar pensar no volume além disso, na
maioria das vezes, distrairá você e atrapalha sua capacidade de operar no seu melhor.
Todos os rompimentos bem-sucedidos devem ser vistos como picos, pois a maioria é seguida por canais e cria um padrão de
tendência de pico e canal. No entanto, o rompimento também pode falhar e a consolidação que o precedeu se torna uma bandeira
final, se for uma bandeira em uma tendência. Na verdade, a maioria dos rompimentos falha, mas a barra de rompimento é tão
comum que a maioria dos traders nem percebe que houve uma tentativa de rompimento. Menos comumente, o mercado pode
entrar em um consolidação estreita após o rompimento, e isso geralmente é seguido pela retomada da tendência, mas às vezes o
rompimento desse consolidação estreita pode estar na outra direção, resultando em uma reversão.
Um rompimento pode ser uma única barra de tendência grande ou uma série de barras de tendência grandes ou pequenas, e a
rompimento geralmente se torna parte de um dos padrões de tendência discutidos anteriormente. Por exemplo, se houver uma
tendência a partir da abertura”, é provável que haja um rompimento abaixo do padrão do dia anterior. Se a tendência for
ordenada, ela pode ser seguida por um consolidação estreita por várias horas e, em seguida, o dia pode se transformar em uma
retomada da tendência até o fechamento. Se, em vez disso, o rompimento estiver acelerando para baixo, com cada barra
resultando em uma inclinação mais íngreme, e o gráfico assumir uma aparência parabólica e, portanto, climática, ela poderá ser
seguida por um pullback e depois por um canal. O dia pode se tornar um dia de tendência de pico e canal de baixa
Às vezes, depois que o mercado está em uma tendência forte para muitas barras, ele cria uma barra de tendência
excepcionalmente grande na direção da tendência. Aquela barra grande tipicamente se torna um rompimento para uma
tendência ainda mais íngreme, mais forte, ou pelo menos outra perna na tendência, ou pode significar um fim clímax da
tendência. Se o mercado fizer pullback por algumas barras e não refazer muito da barra de rompimento, as chances de sucesso do
rompimento são boas, e os traders entrarão na alta 1 pullback de rompimento se este for um rompimento de alta (ou uma venda
baixa 1 em um rompimento de baixa).
A tendência pode continuar mesmo se o pullback for além do ponto de rompimento, mas quanto mais profundo o pullback,
maior a probabilidade de que o rompimento falhe e o mercado se reverterá. Nesse caso, a barra grande representará um final
climático da tendência em vez de um rompimento. Se o pullback for bastante profundo, os investidores podem hesitar em entrar
a favor da tendência por cerca de uma hora. Por exemplo, se houver uma grande barra de tendência de alta que supere um topo
de swing ou consolidação , mas o pullback é bastante profundo, talvez um pouco abaixo do topo do topo de swing, os traders não
terão certeza se o rompimento falhou ou se a recuperação está um pouco exagerada. Os compradores, neste caso, muitas vezes
não vão comprar por cerca de 10 barras ou mais, e o mercado freqüentemente entra em uma pequena consolidação . Em vez de
comprar uma alta 1, eles provavelmente vão esperar por uma alta 2, especialmente se ele for formado depois de uma hora ou
mais. Se a consolidação estiver acima da média móvel e cerca de uma hora tiver se passado, os compradores procurarão comprar
um pullback de duas pernas para os lados ou para baixo. Às vezes, o movimento lateral é seguido por uma segunda perna para
baixo. Essa segunda perna pode levar a um novo topo, ou a uma reversão de tendência e mais vendas. Uma vez que haja um
pullback, que é um pequeno consolidação , os traders procurarão que a tendência seja retomada.
O rompimento do pullback tem um alvo inicial de um movimento medido aproximado igual à altura da consolidação . Muitos
traders obterão lucros parciais ou totais nessa área, e traders agressivos de contra-tendência iniciarão novas posições.
As falhas mais fáceis de detectar são aquelas em que o mercado rapidamente reverte a direção e não faz nenhuma tentativa
significativa de continuar na direção do rompimento. Isso é mais provável de acontecer quando há outra evidência de uma possível
reversão, como um rompimento acima de uma linha de canal de tendência e, em seguida, uma reversão para baixo com uma barra
de sinal forte.
O rompimento pode ser de qualquer coisa, como uma linha de tendência, uma consolidação , ou a de compra ou de venda do dia
ou ontem. Não importa, porque eles são todos negociados da mesma forma. Dê fade nele se ele falhar e entre na direção do
rompimento se a tentativa de reversão falhar e, portanto, se transformar em um pullback de rompimento. Entre no rompimento
apenas se for muito forte. Um exemplo disso é se houver uma forte tendência de alta e, em seguida, um pullback de duas barras
para uma configuração alta de 1 compra. Os traders podem comprar em um tique acima da máxima da barra anterior, e eles
podem comprar mais em um rompimento para uma nova alta, colocando uma ordem para comprar em um stop em um tique
acima da antiga alta. Geralmente, no entanto, é melhor comprar um pullback ou procurar um falso rompimento.
Na maioria dos dias, os traders olham para os novos topos e fundos como possíveis configurações de fade. Em um dia de forte
tendência, no entanto, os rompimentos geralmente estão em grande volume e há muito pouco pullback, mesmo em um gráfico de 1
minuto. É claro que os traders de tendência estão no controle. Por exemplo, quando uma tendência de alta é forte, os traders de
ações de preço estarão comprando em altos e altos pullbacks em vez de esperar por um rompimento acima da alta anterior da
tendência. Eles estão sempre tentando minimizar o risco do trade. No entanto, uma vez que uma forte tendência está em
andamento, entrar a favor da tendência, por qualquer motivo, é um bom trade. Em uma tendência forte, cada tique é uma entrada
a favor da tendência, para que você possa simplesmente entrar no mercado a qualquer momento e usar um stop razoável. Se
houver um rompimento com uma barra de tendência grande e a barra ainda não estiver fechada, você terá que tomar uma
decisão. Se você acabou de sair de parte do seu trade e agora está pensando em fazer o restante, considere sempre quanto risco
você tem. Uma maneira de ajudar a decidir se você deve continuar a manter sua posição de swing é perguntar a si mesmo o que
faria nesse momento se não estivesse ocupando uma posição. Se você estiver disposto a entrar no mercado usando uma posição do
tamanho do balanço e o stop de proteção do balanço, então você deve permanecer em sua posição atual de swing. Se, em vez disso,
você achar que seria arriscado demais entrar no mercado com essa quantidade de risco, você deve sair da sua posição no mercado.
Quando há um rompimento, compradores e vendedores a veem como uma oportunidade. Por exemplo, se o mercado tiver um
topo de swing e depois fazer um pullback, tanto os compradores quanto os vendedores entrarão à medida que o mercado se
movimentar acima do patamar anterior. Os compradores estarão comprando o rompimento porque veem isso como um sinal de
força e acreditam que o mercado irá subir o suficiente acima de sua entrada para que eles saiam com lucro. Os vendedores
também verão o rompimento como uma oportunidade de ganhar dinheiro. Por exemplo, os vendedores podem vender em uma
ordem de limite no nível desse topo anterior ou talvez em alguns tiques acima dela. Se o mercado reverte e desce, eles procurarão
sair com lucro. Se, no entanto, o mercado continuar, eles procurarão aumentar sua posição vendida se acharem que o mercado
pode recuar para testar o rompimento. Uma vez que a maioria dos pullbacks vem de volta ao topo de swing anterior, eles podem
sair nesse teste de rompimento no zero a zero em sua primeira entrada e com lucro em sua segunda entrada mais alta.
Quando os investidores pensam em rompimentos, eles geralmente têm imediatamente a imagem de um consolidação . No
entanto, o rompimento pode ser de qualquer coisa. um rompimento comum que muitos traders negligenciam é uma bandeira
rompendo na direção inesperada, como uma bandeira de baixa saindo do topo ou uma bandeira de alta saindo de um fundo. Por
exemplo, se houver uma tendência razoavelmente forte para baixo e os traders não tiverem certeza se uma baixa negociável virá e
eles virem uma bandeira de baixa, eles podem começar a comprar abaixo da mínima das barras anteriores, esperando uma baixa
1 e depois uma baixa 2 ou até mesmo um baixa 3 fracassar.
Às vezes, a bandeira de baixa terá uma boa forma e acionará a venda de bandeira baixa 2 ou venda de bandeira de baixa em
forma de cunha e, em seguida, imediatamente reverter para uma ou duas barras de tendência de alta.
Este rompimento geralmente cria um gap de medida que leva a um movimento medido. Os traders entrarão no rompimento e
em qualquer pequeno pullback; e, como os vendedores foram aprisionados, provavelmente não ficarão ansiosos para reduzir o
volume até que o mercado tenha pelo menos duas pernas para cima. O oposto é verdadeiro de bandeiras de alta em tendências de
alta.
Há um tipo especial de rompimento que às vezes ocorre em dias de tendência na hora final. Por exemplo, se o mercado está
tendendo para baixo sem sinal de um pullback, pode haver uma ou duas barras grandes de tendência de baixa que saem do
fundo do canal de baixa. Pode haver um pequeno pullback e, em seguida, um segundo rompimento breve para uma nova
mínima. Em outras ocasiões, o mercado simplesmente se move de lado implacavelmente sem grandes barras de tendência.
O que provavelmente está acontecendo em ambos os casos é que os gerentes de risco nas empresas de trading estão
dizendo aos seus traders que descobriram que estão do lado errado do mercado e que precisam vender suas posições no
mercado. Os mergulhos geralmente não têm muito sucesso, já que se devem principalmente à venda forçada. É provável
que alguns programadores inteligentes antecipem isso e tentem capitalizá-lo projetando programas para breve,
aumentando o tamanho do clímax de vendas. Os programas de dinâmica também fazem parte da forte tendência. Pode
haver ou não um salto para o final depois que um ou dois vendem clímax. O oposto é verdadeiro em dias que terminam
com picos ou canais fortes. Os gerentes de risco estão dizendo aos seus traders para recomprar seus curtos antes do
fechamento, e como o mercado está subindo rapidamente, os programas de momentum detectam isso e também compram
implacavelmente enquanto o momentum continua.
Um dos objetivos dos traders é fazer o que as instituições estão fazendo. Muitos rompimentos são feitos de grandes barras
de tendência que têm o maior volume do dia. Estes são os momentos em que as instituições estão negociando mais
fortemente, e eles estão fazendo isso porque esperam que o movimento tenha um atraso prolongado. Tão assustador e
emocional como o mercado pode sentir durante um grande rompimento, as instituições veem como uma grande
oportunidade, como indicado pelo volume, e você também deve. Tente aprender a negociar rompimentos porque eles têm
uma excelente equação de trader. Se for necessário, basta negociar apenas uma posição de um terço (um tamanho “não me
importo”), apenas para obter experiência. O movimento muitas vezes será grande o suficiente para que você possa fazer
tanto quanto você faz em um trade de rotina usando seu tamanho de posição total.

FIGURA 2.1 Rompimentos acontecem várias vezes por dia


Rompimentos de algum tipo ocorrem a cada poucas barras em cada gráfico, como mostrado na Figura 2.1 no gráfico diário de
Forex do Euro/USD Estritamente falando, se a máxima de uma barra estiver acima da máxima de qualquer barra anterior ou
a mínima da barra estiver abaixo da mínima de qualquer barra anterior, será um rompimento dessa barra.
Além disso, cada barra de tendência é um rompimento (lembre-se do livro 1, cada barra de tendência é um pico, rompimento,
gap e clímax). Muitos tipos diferentes de rompimentos e falhas são destacados neste gráfico.
A barra 1 rompeu acima de uma linha de canal de tendência e foi seguida por um rompimento abaixo da mínima na
próxima barra, configurando uma reversão de duas barras, que foi acionada na barra de entrada da barra 3. A barra 2 foi
uma segunda tentativa de ultrapassar o canal de alta e rompeu acima de mais uma reversão de duas barras, mas os
rompimentos falharam e o mercado reverteu.
A barra 4 foi um rompimento abaixo de um fundo de swing e foi a sexta barra de um clímax de venda abaixo da barra 2.
Como a faixa da barra era grande e tinha pequenas sombras, poderia representar um clímax de venda que precisava de
uma correção antes de ter continuado a venda. Este foi o caso, porque a barra 5 era uma barra forte de reversão de alta
que transformou a barra 4 em um falso rompimento.
Houve um pullback de duas pernas para a média móvel e a barra 8 saiu da bandeira de baixa. A barra 9 rompeu acima
da linha de tendência de baixa.
A barra 10 rompeu acima de um topo de swing, mas virou um falso rompimento quando a próxima barra foi negociada
abaixo de sua mínima. Barra 12 caiu abaixo da barra de entrada 9 e abaixo da barra de sinal antes disso.
A barra 13 tentou reverter de volta para cima e criar um falso rompimento, mas esse falso rompimento fracassou na
reversão da barra 14 para baixo. A barra 14 também foi uma reversão de falso rompimento acima de uma linha de
tendência micro e acima de uma barra de reversão de alta. Quando um falso rompimento não consegue reverter o mercado,
ela se torna um pullback de rompimento.
A barra 16 rompeu acima da linha de tendência de baixa falhou e a barra reverteu para baixo em uma reversão para
baixo, caindo abaixo da linha de tendência de bandeira de baixa das três barras anteriores.
As barras 16 a 18 criaram um rompimento de quatro barras compostas de barras fortes de tendência de baixa com
corpos grandes, pequenas sombras e muito pouca sobreposição. Os compradores que se transformaram em longos dentro
da consolidação finalmente capitularam e não apenas pararam de comprar, mas tiveram que vender rapidamente suas
grandes posições compradas sem esperar por um pullback. Eles não estavam confiantes de que um pullback viria em breve
e estavam confiantes de que o mercado cair dentro de algumas barras. Isso significa que sair no mercado ou em um
pequeno pullback dentro da barra era a melhor opção. O longo sell-off e a falta de compra por várias barras contribuíram
para a força do sell-off. Quando um rompimento é tão forte quanto esse, ele geralmente é seguido por um canal e
geralmente leva a um movimento medido desde a abertura da primeira barra até o fechamento da barra final no pico. A
mínima da barra 36 estava logo abaixo daquela projeção de movimento medida, e isso acabou com o canal. O mercado,
então, normalmente volta para testar o primeiro sinal de compra razoável após o pico, que era a máxima da barra inside
19. Se chegar lá, o próximo tenta testar o início do canal de baixa, que era a máxima da barra 20.
A barra 20 foi uma tentativa de fazer com que o rompimento de quatro barras falhe, mas quando um rompimento é tão
forte, geralmente há continuidade e a falha normalmente falhará e apenas se tornará um pullback de rompimento, como
aconteceu aqui. O mercado reverteu para baixo, logo abaixo do ponto de rompimento da barra 15 e da média móvel.
Sempre que um mercado recua sem tocar em um nível de resistência, os vendedores são muito fortes porque não estão
esperando que a resistência seja tocada. Os vendedores estão com medo de que os compradores não consigam levar o
mercado até lá, então os vendedores têm ordens de limite logo abaixo. Este é um sinal de urgência dos vendedores.
Esse gap entre o ponto de rompimento (a mínima da barra 15) e o pullback de rompimento (a máxima da barra 20)
geralmente se torna um gap de medida e geralmente é o ponto médio aproximado do movimento. O início da tendência de
baixa foi a máxima da barra 2, e o mercado finalmente caiu abaixo do gap em mais do que o número de pontos entre a
máxima da barra 2 e o meio do gap de medida. O rompimento e a forte reversão para baixo no teste de rompimento
estabeleceram a tendência de baixa como muito forte, e os traders só deveriam procurar por shorts pelo resto do dia. Pode
haver um scalp de compra ou dois, mas um trader deve aceitá-los apenas se ele for capaz de reverter imediatamente de
volta para a tendência assim que uma barra cair abaixo da mínima da barra anterior, indicando que o pequeno pullback
pode estar terminando.
A propósito, os traders das ondas de Elliot veem o pullback como o topo da onda 4 e o ponto de rompimento como o fundo
da onda 1. As duas não podem se sobrepor se a onda descendente 3 entre elas na verdade é a onda 3, que é geralmente a
onda mais forte da tendência.
A barra 22 era uma barra de baixa de grande alcance que quebrou abaixo do fundo de um canal de quatro barras. Foi
sem dúvida o terceiro clímax de vendas consecutivas (o primeiro foi a barra 14 e o segundo foi o pico de quatro barras até
aa barra 18). O mercado geralmente tem pelo menos uma correção de duas barras, de 10 barras, após dois ou três clímax
consecutivos. Aqui, no entanto, esse pico de quatro barras de baixa foi a característica mais marcante do dia e foi o início
de um forte rompimento. Sim, foi um pico e, portanto, um clímax de venda, mas era tão grande que o caráter do mercado
mudou e qualquer contagem teve que começar de novo. Uma vez formado, os traders decidiram que haveria uma forte
queda, e um canal é o padrão mais comum que segue um forte pico. Os canais costumam ter três empurrões antes de
serem corrigidos, e este também teve. Os três empurrões foram as barras 18, 25 e 36, e eles foram seguidos por uma
recuperação fraca até o fechamento. A barra 23 foi uma tentativa de reversão após a barra 22 vender o clímax e
ultrapassar o fundo do canal de três barras. No entanto, é um erro estar procurando por um longo tempo baseado nessas
poucas barras quando a a tendência principal é de baixa. O mercado está sempre tentando reverter as tendências, e é fácil
ficar preso à emoção de um padrão de fundo, como acontece em tempo real; mas você nunca deve perder de vista a grande
figura. Esse pico de quatro barras era muito forte e a posição sempre-ativa ainda estava em baixa. Qualquer tentativa de
um fundo neste ponto quase certamente resultará em uma bandeira de baixa, como aconteceu aqui. O mercado sempre
tem inércia e, quando está em tendência, espera que todas as tentativas de reversão fracassem.
Barra 25 foi uma segunda tentativa de reverter após o rompimento abaixo das barras 20 a 21 canais. Uma vez que as
barras de sinal para ambas as tentativas tinham corpos de alta fortes, o mercado poderia testar a média móvel. A maioria
dos traders não deve aceitar esse trade e, em vez disso, deve ficar de fora. Muito frequentemente, os traders fazem um
scalp contra-tendência por um certo ponto e depois não voltam a vender, e deixam de fazer quatro ou mais pontos no trade
a favor da tendência. Pode ser difícil mudar sua mentalidade rapidamente de volta para venda, se você simplesmente
estiver comprado, e se você não puder fazer isso facilmente, não tome o scalp de tendência contrária e, em seguida, caso vá
perder o swing para baixo.
A barra 26 rompeu o topo do canal, como esperado.
A barra 27 quebrou acima da linha de tendência de baixa e acima do ponto de rompimento da barra 18, mas falhou e
reverteu para baixo na barra seguinte. A barra 28 foi um rompimento de uma bandeira de três barras de baixa.
Bar 29 quebrou abaixo da barra 26 barra de entrada de compra, mas encontrou compradores, como visto pela sombra
grande. Barra 32 foi outro teste de uma linha de tendência de baixa e, portanto, uma tentativa de rompimento, mas
falhou.
A barra 35 era outra grande barra de tendência de baixa e, portanto, outro clímax de venda possível. Quando o mercado
começa a formar o segundo e terceiro clímax vendem dentro de uma venda espaço de tempo, é provável que reverta pelo
menos uma correção de duas pernas.
A barra 36 quebrou abaixo do movimento medido, mas não encontrou vendedores. Em vez disso, encontrou negociações
tranquilas, o que pode estar sinalizando uma falha nas barras 22 a 34. Uma bandeira de baixa horizontal, após uma longa
tendência de baixa, muitas vezes se torna uma bandeira final e é normalmente seguida por pelo menos duas pernas laterais e
para cima.
A barra 36 também foi o terceiro empurrão para baixo no canal de baixa e isso geralmente leva a pelo menos uma tentativa de
reversão.
A barra após a barra 36 quebrou acima da máxima da barra 36 e tornou-se a barra de entrada para a compra.
A barra 37 era uma barra de rompimento acima da linha de tendência de baixa, e certamente havia muitos stops de compra
para vendas acima desta barra porque seu corpo de baixa grande representava forte venda. Uma vez que o mercado ficou acima
da sua máxima, muitos vendedores decidiram que não havia mais força suficiente para ficarem vendidos e eles compraram de
volta seus curtos (cobriram curtos) até o fechamento.

FIGURA 2.2 Bandeiras podem romper na direção menos provável

Às vezes, as bandeiras podem romper na direção inesperada e levar a movimentos medidos. Na Figura 2.2, houve uma falha na
bandeira de baixa em forma de cunha que rompeu para cima na barra 9. O gap de medida entre a altura do ponto de ruptura da
barra 7 e o teste de rompimento da barra 10 levou a um movimento medido para cima quase perfeito.

A barra 3 foi uma configuração baixa 1, mas depois de três corpos de alta fortes e a barra 2 sendo um clímax de venda, era
provável que falhasse. Traders agressivos teriam comprado em ordens limitadas no mesmo preço e abaixo da mínima da barra 3.
A barra 5 era uma barra de entrada para uma venda de baixa 2, mas depois da forte barra outside 4, o mercado poderia estar
fazendo uma mínima do dia. Mais uma vez, os traders agressivos teriam vendido muito abaixo ou abaixo da mínima da barra de
sinal baixa. A barra 7 era uma barra de sinal para uma venda de bandeira de baixa em forma de cunha, mas o mercado estava
em um canal de alta e a barra outside 4 fez o trade de sempre-ativo em alta.
Em vez de vender abaixo da barra 7, os vendedores deveriam ter esperado para ver se o mercado tinha um fundo mais alto. Os
compradores compraram muito acima da barra 8, esperando um movimento medido da bandeira de baixa em forma de cunha
fracassada.
Houve, então, uma falha na configuração de compra acima da barra 22 e a barra de entrada era uma barra de tendência de alta.
Esso rompimento também levou a um movimento medido. A barra 21 foi o fundo de um canal de baixa em um dia de alta e a
barra 22 foi o pullback do rompimento desse canal, então os traders de alerta pensaram que a baixa 2 tinham uma excelente
chance de falhar e levar a um teste da máxima do dia.
A mínima da barra 26 reverteu as mínimas das últimas 12 barras (estava abaixo das mínimas) e os fechamentos das 13 barras
anteriores. Seu fechamento reverteu essas mesmas mínimas, o que é significativo porque um fechamento abaixo de uma mínima
é mais um sinal de força do que simplesmente uma mínima que está abaixo de uma mínima anterior. Quanto mais mínimas e
fechamentos forem revertidos, mais forte será a reversão. Cada trader que comprou durante essas 12 barras anteriores está
agora segurando um trade perdedor e vai procurar por qualquer pequeno salto para se livrar de seus longos. Muitos venderam na
próxima barra e criaram a sombra no topo da barra. Além disso, esses compradores provavelmente não vão querer comprar
novamente por pelo menos algumas barras.
FIGURA 2.3 Pequena barra de rompimento

Como mostrado na Figura 2.3, embora as barras grandes de rompimento, como as barras 3 e 19, muitas vezes levem a grandes
tendências, às vezes uma pequena barra de rompimento como a barra 12 pode ser o início de um movimento prolongado. Após o
pico da barra 9, os traders se perguntaram se a recuperação até a barra 11 poderia se tornar uma baixa 2 bandeira de baixa na
média móvel (barras 10 e 11 foram os dois empurrões para cima). No entanto, ao invés de romper para baixo, o mercado rompeu
acima da barra 10 e da barra 11 topo duplo (isso fez da recuperação uma bandeira final, já que era a bandeira final da tendência
de baixa, embora nunca tenha cedido para baixo). A barra de rompimento número 12 era pequena, mas era o suficiente para
fazer os traders começarem a descartar a noção de que o movimento para a barra 11 era uma bandeira de baixa, e começaram a
se perguntar se a barra 9 era um clímax de venda exaustivo, que poderia corrigir 10 ou mais barras. A barra após a barra 12
também era pequena, mas tinha dois sinais de força: um corpo de alta e uma mínima que não caía abaixo da máxima da barra 11
(o ponto de rompimento). Embora a recuperação até a barra 14 não cobrisse muitos pontos, foi uma tendência implacável e se
tornou a primeira de duas pernas para cima (a segunda começou com a barra 18 fundo duplo com barra 15, e o triângulo formado
pelas mínimas das barras 13 , 15 e 18).
Í

E m gráficos de 5 minutos da maioria dos mercados, geralmente há pelo menos alguns rompimentos significativos e bem-

sucedidos todos os dias. A maioria dos rompimentos começa com uma única barra de tendência que geralmente é maior que as barras
anteriores e não tem sombras ou apenas sombras pequenas. Nos rompimentos mais fortes, haverá uma série de barras de tendência
com muita pouca sobreposição. Por exemplo, em um forte rompimento de alta no gráfico de 5 minutos da Emini, assim que a barra de
abertura for fechada, alguns traders colocarão ordens de limite para comprar ao preço de fechamento dessa barra. Se a próxima barra
for aberta a esse preço e imediatamente for negociada sem cair abaixo desse preço, as ordens de limite provavelmente não serão
preenchidas e esses traders altistas ficarão presos de fora do mercado. Eles experimentarão um senso de urgência porque têm medo de
perder o movimento e procurarão comprar o mais rápido possível, usando uma ordem de mercado ou uma ordem de limite para comprar
um tique ou dois tiques ou um pequeno pullback, ou mudarão para um time frame menor como 1 ou 2 minutos e, em seguida, entrarão
em um pullback alta 1 ou alta 2. Isso é difícil de fazer emocionalmente e é comparável a pular de um trampolim alto. O que pode
funcionar nas duas situações é simplesmente fazê-lo: apertar o nariz, fechar os olhos com força, tensionar todos os músculos do corpo e
confiar que você não vai se machucar muito e que os sentimentos ruins acabarão rapidamente. Se você está negociando o Emini, basta
comprar o pequeno pullback e confiar no seu stop. Se o rompimento for bom, seu stop não será atingido e você terá uma boa chance de
fazer dois ou até seis ou mais pontos nas próximas barras enquanto arrisca cerca de dois pontos.
Se, em vez de ter várias barras de tendência de alta em sequência, a barra após um rompimento de uma ou duas barras é uma barra
pequena, uma doji, uma barra inside, uma barra com sombras grandes ou uma barra de tendência de rompimento pode falhar. Isso
poderia levar a uma reversão de volta para a consolidação , uma reversão de tendência para uma tendência de baixa ou uma reversão
fracassada, que é simplesmente um pullback de uma ou duas barras, seguido por uma retomada do movimento ascendente. Quando o
rompimento for bem-sucedido, criará alguma variante de uma tendência de pico e canal.
Uma entrada de destaque parece enganosamente fácil quando você a vê no gráfico no fechamento do dia. No entanto, em tempo real,
as configurações tendem a ser pouco claras ou claras, mas assustadoras. Entrando no rompimento ou depois que a barra de rompimento
fecha é difícil de fazer, porque o pico de rompimento geralmente é grande, e os traders têm que decidir rapidamente arriscar muito mais
do que costumam fazer. Como resultado, muitas vezes acabam optando por esperar por um pullback. Mesmo que reduzam seu tamanho
de posição de modo que o risco de dólar seja o mesmo de qualquer outro trade, o pensamento de arriscar duas ou três vezes mais tiques
os assusta. Entrar em um pullback é difícil porque cada pullback começa com uma pequena reversão, e os traders temem que o pullback
seja o começo de uma correção profunda.
Se a reversão é só por uma barra ou duas e estabelece uma entrada de pullback de rompimento, eles têm medo de entrar porque
estão preocupados que o mercado pode estar entrando em uma consolidação e eles não querem comprar no topo se o mercado estiver ter
um rompimento de alta, ou vender no fundo, se houver um rompimento de baixa. As tendências fazem tudo o que podem para manter
os traders de fora, que é a única maneira de manter os investidores perseguindo o mercado o dia todo.
Quando uma configuração é fácil e clara, o movimento geralmente é um scalp pequeno e rápido. Se o movimento for percorrer um
longo caminho, tem que ser incerto e difícil de tomar, para manter os investidores à margem e forçá-los a perseguir a tendência.
Você ouvirá regularmente os especialistas discutirem uma venda de um ou dois dias em uma ação resultante de um relatório ruim,
como um relatório de lucros decepcionante ou um movimento na administração. Eles estão decidindo se a notícia é apenas um evento de
um dia em uma forte tendência de alta, ou se mudará a perspectiva para as ações nos próximos meses. Se eles concluírem que as
probabilidades favorecem a tendência de alta, eles comprarão ao redor do fundo de um pico de baixa. Se eles acham que a notícia foi tão
severa que a ação vai permanecer sob pressão por meses, eles não comprarão, e de fato procurarão se livrar de seus longos na
próxima recuperação. Traders técnicos veem o sell-off como um rompimento de baixa e avaliam a ação em termos da força do
rompimento. Se o pico parece forte, eles vão vender recuperações, e talvez até o fechamento da barra, esperando um pico maior,
um pico e um canal, ou algum outro tipo de tendência de baixa. Se parecer fraco em relação à tendência de alta, eles comprarão
perto do limite e da mínima da barra de tendência de baixa, esperando um falso rompimento e a tentativa de reversão de
tendência de se tornar apenas mais uma bandeira de alta

.
FIGURA 3.1 Rompimentos com muitas barras de tendência consecutivas são
geralmente fortes
Os rompimentos mais fortes têm um senso de urgência e têm várias barras de tendência seguidas, como aconteceu no dia de tendência
partir da abertura do RSX, o fundo negociado em bolsa da Market Vectors (ETF) da Rússia mostrado na Figura 3.1. O mercado rompeu
acima da consolidação que se formou na última hora de ontem. Observe como as mínimas de várias barras no rompimento não caíram
abaixo do fechamento da barra anterior. Isso significa que os compradores que esperavam o fechamento da barra e imediatamente
colocavam ordens de limite para comprar no nível daquele fechamento provavelmente não teriam suas ordens preenchidas e ficariam
presos do lado de fora do mercado. O mercado estava fugindo deles e eles sabiam disso e então tomariam qualquer razão para ficarem
comprados. Essa urgência fez com que o mercado subisse acentuadamente.

Esta série de barras deve ser considerada como um pico de alta. Um pico de alta é geralmente seguido por um canal de alta, e juntos
eles constituem uma tendência de pico e tendência de alta.
A barra 6 era uma barra inside e a primeira pausa, e geralmente é uma entrada de compra e confiável de alta em um dia de tendência
de alta a partir da abertura.

No entanto, quando a tendência é tão forte quanto neste caso em questão, você pode simplesmente fazer uma ordem a mercado ou
comprar por qualquer motivo. Choveu em algum lugar da Amazônia no ano passado? Então compre. Alguém no time de basquete do
seu filho marcou um ponto no ano passado? Então compre mais. Você precisa comprar e segurar a compra porque provavelmente há
uma chance melhor do que 70% de que o mercado faça um movimento medido para cima igual ou maior que a altura aproximada do
pico (a mínima da barra ou abertura da barra 1 até o fechamento ou alta da barra 4 ou 8, e adicione muitos pontos ao fechamento
dessas barras). A probabilidade exata nunca é dá pra saber, mas por experiência, esse é um rompimento muito forte e a probabilidade
do movimento medido provavelmente é maior que 70% aqui. O movimento medido da abertura da barra 1 até o fechamento da barra 4
foi o nível de preço em que o mercado parou no topo da barra 8. O movimento medido com base na abertura da barra 1 até o
fechamento da barra 8 foi excedido por 3 centavos no fechamento do dia (não mostrado).
FIGURA 3.2 Rompimentos bem-sucedidos precisam de continuidade.

Rompimentos são comuns no gráfico de 5 minutos da Emini, mas os fortes e bem-sucedidos que têm várias barras de continuidade,
como na barra 1 e na barra 11 da Figura 3.2, geralmente acontecem apenas uma a três vezes por dia.
Barra 1 rompeu acima do topo de uma pequena cunha, e tinha uma pequena sombra na parte superior e inferior e era uma barra
grande de tendência de alta.
A barra 2 era uma pequena barra inside de baixa e é uma barra de sinal tanto para um falso rompimento quanto para uma pausa
longa. Lembre-se de que uma barra inside é uma consolidação de uma barra e uma configuração para um rompimento em qualquer
direção. Os rompimentos geralmente levam a movimentos medidos, e um padrão comum é um movimento medido da abertura ou
mínima do pico até o fechamento do pico ou a máxima do pico, e então projetado para cima a partir do fechamento do pico ou máxima
do pico. Aqui, o movimento para a máxima da barra 3 do dia foi um movimento medido da abertura até o fechamento da barra de
rompimento, barra 1.
A faixa de abertura geralmente leva a um rompimento para um movimento medido, mas geralmente há várias possibilidades para
os pontos de medida e é melhor observar primeiro o alvo mais próximo. Os traders devem pensar na mínima da barra 4 até a máxima
da barra 5. Uma vez que o movimento medido foi excedido, os traders devem pensar em outras possibilidades. Uma cunha fracassada
geralmente leva a um movimento medido, mas os traders precisam considerar todas as opções que podem ver. Por exemplo, eles
podem pensar na mínima da barra 7 até a altura da cunha (duas barras depois da barra 9). No entanto, a cunha começou na barra 4,
e a barra 7 fundo mais baixo pode ser vista como uma ultrapassagem da mínima da barra. O mercado tentou formar uma bandeira de
baixa em forma de cunha que começava na mínima da barra 4, e tinha três empurrões para cima (barra 5, e os picos antes e depois da
barra 9). Usando a mínima da barra 4 para o topo da cunha para uma projeção de movimento medido que foi ultrapassado por apenas
um tique na máxima da barra 14 do dia.
O objetivo de encontrar esses alvos de movimento medido é encontrar áreas razoáveis para obter lucros e, se houver uma forte
configuração de contra-tendência, iniciar negociações na direção oposta.
A barra 6 foi um rompimento forte para uma nova mínima do dia, mas foi revertida pela barra 7 e outside de alta.
Quando os traders viram a ação lateral para barra 8, eles estavam pensando que isso era um possível pullback de rompimento
(uma bandeira de baixa) e poderia ser seguida por outro movimento para baixo. Você deve sempre considerar alternativas de alta e de
baixa. Em vez de mais vendas, o mercado subiu rapidamente. Como pode uma barra de tendência tão forte ser revertida tão
rapidamente? Se as instituições tivessem um grande número de ordens de compra, elas gostariam de preenchê-las com os melhores
preços, e se achassem que o mercado provavelmente testaria abaixo da mínima da barra 4 antes de subir, eles esperariam para
comprar até depois desse teste. Como o mercado está se aproximando de sua zona de compra, não faz sentido comprar porque elas
acreditam que o mercado estará um pouco mais baixo nos próximos minutos. Então esses compradores ansiosos estão se afastando. A
ausência dos compradores mais fortes cria um desequilíbrio lateral de venda, então o mercado tem que cair rapidamente para que os
vendedores encontrem alguém disposto a assumir o outro lado de seu trade. O resultado é uma grande barra de tendência de baixa.
Uma vez que o mercado está em um nível em que os compradores acham que ele não cairá mais, eles aparecem do nada e começam a
comprar pesadamente e implacavelmente, sobrecarregando os vendedores. Os vendedores percebem o que está acontecendo e param
de vender e começam a comprar de volta seus curtos. Isso significa que tanto os compradores quanto os vendedores acreditam que o
mercado irá subir, e isso cria uma probabilidade direcional de um movimento equidistante de 60% ou mais em favor dos compradores.
Em outras palavras, há uma chance de 60% ou mais de o mercado subir dois pontos antes de cair dois pontos, e subir três pontos
antes de cair três pontos. De fato, há provavelmente uma chance maior do que 60% de que o mercado saia acima da faixa de abertura
e tenha um movimento medido antes que haja um pullback de dois pontos, e esse é um ótimo trade para os compradores.
As barras 9 e 10 foram pullbacks de rompimento após novas máximas do dia.
Bar 11 foi um rompimento da cunha que começou com a máxima da barra 5. Foi um forte pico de duas barras, e foi seguido por
mais dois empurrões para cima. Canais de alta após picos muitas vezes têm três empurrões para cima, onde o topo do pico é o
primeiro empurrão.
A barra 12 era um pullback de rompimento alta 2 em uma tendência de alta e é uma ótima opção de compra.
A barra 13 foi outro pullback de rompimento, mas uma vez que levaria a um terceiro empurrão para cima, os compradores tiveram
que ser cautelosos. Uma vez que a barra 14 atingiu cinco tiques acima da entrada de compra, muitos compradores mudaram seus
stops para o zero a zero porque estavam se perguntando se a barra 14 levaria a um pullback comprido (10 barras ou mais) de duas
pernas ou até mesmo uma reversão de tendência. Portanto, a barra 15 era um sinal ruim para os compradores, que esperavam que
qualquer recuperação terminasse abaixo da barra 14 e fosse seguido por pelo menos mais uma perna para baixo. Traders agressivos
venderam acima de sua máxima, porque um sinal de compra que provavelmente fracassará significa que os traders podem ficar
vender onde os traders inexperientes simplesmente compraram e teriam cerca de 60% de chance de o mercado cair dois pontos para o
stop de proteção dos compradores fracos antes que o mercado atinja sua ordem de limite de lucro de seis tiques acima. Eles estão
arriscando seis tiques para ganhar oito tiques e estão 60% confiantes de que vencerão, e essa é uma aposta lógica.
A barra 16 foi um rompimento para baixo de um topo de ombro-cabeça-ombro (a linha de pescoço é traçada entre as mínimas das
barras 12 e 17), mas como a maioria dos padrões de ‘reversão’ de alta são realmente apenas bandeiras de alta, havia uma boa chance
de que o rompimento falhasse. Os compradores poderiam ter comprado acima doa pequena doji inside que se seguiu, mas isso seria
um pouco arriscado porque as barras doji não são barras de sinal confiáveis. Uma vez que eles viram a barra de tendência de alta
número 17, a compra da bandeira de cunha se tornou um padrão mais confiável. Comprar acima de uma barra forte aumenta as
chances de sucesso porque o mercado já mostrou alguma força. Como fortes rompimentos geralmente têm várias barras de tendência
em uma linha e não uma pequena barra doji para a próxima barra, os traders viram isso como um aviso de que o rompimento de
baixa era fraco.

FIGURA 3.3 Olhe os gráficos não as notícias.

Como mostra a Figura 3.3, algumas notícias devem ter sido divulgadas, o que levou a uma forte liquidação às 10:30 da
manhã. Você nunca deve prestar atenção às notícias, além de saber quando será lançado, porque isso cria uma distância
entre você e o que você tem que fazer. É preciso pensar que você precisa se reconciliar com o gráfico, o que só pode reduzir
seu lucro. O gráfico mostra tudo o que você precisa saber. Algo aconteceu que fez as instituições venderem agressivamente,
e essa é toda a informação de que um trader precisa. É hora de procurar configurações de venda.
A barra 1 era uma barra de tendência de alta forte que prendia os primeiros compradores que compravam o padrão de
velas ou uma reversão de time frame menor. Uma compra nem sequer foi acionada neste gráfico de 5 minutos, uma vez
que a próxima barra não foi acima da máxima da barra 1. Esses compradores saíam abaixo da mínima da barra 1 e não
queriam comprar novamente até que mais ação do preço se desdobrasse. Você poderia colocar uma ordem para vender em
um stop a uma tique abaixo da mínima da barra 1, que é onde esses longos terão seus stops de proteção e, como eles
cobrem, fornecerão bastante combustível para baixo. Se ele for atingido, você sabe que os longos que ficaram presos sairão
e não quererão comprar novamente em breve, e os vendedores inteligentes estarão adicionando seus curtos. Sem ninguém
para comprar, o mercado quase certamente proporcionará o lucro de um scalper e, provavelmente, muito mais que isso.
A barra 5 é a terceira barra sobreposta e pelo menos uma das barras era doji (todas as três eram). Isso é um arame
farpado, que geralmente é um padrão de continuação e, como em qualquer consolidação , você nunca deve comprar na
resistência ou vender no suporte. Você pode dar fade em barras pequenas em seus extremos e, uma vez que todas as faixas
horizontais de negociação são ímãs e muitas vezes se transformam em bandeiras finais, você pode esperar que um
rompimento na barra de tendência falhe e procurar uma reversão de volta à faixa. Aqui, a barra 7 fechou acima de seu
ponto médio e, portanto, atendeu ao requisito mínimo para uma barra de reversão, e seguiu um terceiro clímax de venda
consecutivo. Isso geralmente é seguido por uma correção de pelo menos 10 barras e duas pernas.
Barras 3 e 5 eram armadilhas clássicas de padrão de velas. Os traders que memorizam padrões de reversão de velas
estarão ansiosos para comprar essas velas muito grandes com longas sombras de alta porque elas verão as longas sombras
e as fechadas perto das altas como evidência de que os compradores estavam ganhando controle.
Quando você vê uma grande barra com uma longa sombra e um pequeno corpo em uma tendência de baixa, isso lhe diz
que se você comprar acima de sua máxima, você está pagando demais. Em uma tendência de baixa, você quer comprar no
fundo, não no topo de uma enorme barra com um corpo pequeno quando o mercado está em um canal de baixa estreito e
não houve força de alta anterior ou rompimento de lbginha de tendência. A barra 5 era uma armadilha de padrão de vela
ainda melhor do que a da barra 3, já que era uma doji lápide, que os aprendizes de velas adoram. Além disso, o mercado foi
negociado acima da máxima da barra, parecendo confirmar a força dos compradores, e foi uma segunda tentativa de um
fundo (um fundo duplo com barra 3). Mas o que deu errado? Quando você vê essas velas grandes de corpo pequeno em uma
forte tendência onde ainda tem que haver um rompimento de linha de tendência, você deve ficar animado porque elas são
ótimas armadilhas e, portanto, perfeitas configurações de venda. Apenas espere pela pequena barra que geralmente segue.
Sua falta de continuidade faz com que esses compradores iniciais tenham muito medo. Todo mundo sabe onde esses
compradores estão colocando seus stops, então é exatamente aí que você deve colocar sua entrada de venda. Quando você vê essas
grandes velas de doji, você também vê força de alta, mas depois assume que, como o preço estava pairando na máxima dessas barras e os
compradores estavam agora em equilíbrio com os vendedores, as altas dessas barras provavelmente estar no meio ou no topo de um
consolidação e não em um fundo.
O movimento lateral de duas pernas para a barra 6 quebrou uma linha de tendência. Os traders então sabiam que os compradores
estavam ficando ansiosos para comprar, então uma configuração de compra perfeita seria um falso rompimento para novas mínimas.
Traders espertos apenas esperaram um rompimento de uma ou duas barras abaixo das barras 3 e 5 e então começaram a colocar ordens
de compra em um tique acima da máxima da barra anterior. Eles estavam preparados para continuar movendo as ordens se não fossem
preenchidos. Se o movimento continuasse muito baixo, eles teriam esperado por outro rompimento de linha de tendência antes de tentar
comprar novamente, porque a tendência teria continuado e essa configuração não teria sido acionada. Os compradores anteriores, com
duas ou três derrotas, esperariam pela confirmação desta vez e entrariam tarde, e isso forneceria combustível adicional para o movimento
ascendente depois que a ação de preço desencadeasse.
Embora a barra 7 tivesse um corpo de baixa, pelo menos, fechou acima de seu ponto médio, indicando alguma força. Presumivelmente,
os compradores foram um pouco cautelosos depois de perder nas entradas das barras 1, 3 e 5. Além disso, foi um falso rompimento do
arame farpado, que muitas vezes forma a bandeira final de uma tendência. As chances eram altas de que esta seria uma compra
lucrativa, e os traders espertos a antecipariam, então não havia desculpa para perdê-la.
A barra de entrada tinha um corpo de alta, embora pequeno, que era construtivo. Além disso, era uma variante de inside de corpo (seu
corpo estava dentro do corpo da barra de sinal, que é uma versão mais fraca de uma barra inside), o que significava que os vendedores
não assumiam o controle. Nesse ponto, os longos estavam se sentindo confiantes porque o stop de proteção não foi atingido na barra após
a entrada, como foi o caso dos compradores anteriores.
As próximas três barras foram todas as barras de tendência de alta com fechamentos acima do fechamento anterior, então os
fechamentos estavam em uma tendência alta. É razoável supor que haverá duas pernas para cima, mas quase certamente haverá um
stop antes da segunda perna. O stop de zero a zero não foi atingido pelo movimento violento na barra 8, que se transformou em uma
barra outside de alta e no início da segunda perna para cima (um fundo mais alto). Sempre que há uma forte barra outside que
interrompe o mercado em uma nova tendência, sua mínima é o início da tendência e toda a contagem de barras é redefinida. Por exemplo,
a reversão de duas barras na barra 9 foi uma configuração de baixa 1 e não baixa 2.

Os alvos para a recuperação eram as máximas da barra de sinal de alta na baixa (as máximas das barras 3 e 5 e possivelmente a barra 2). A
barra 9 excedeu o alvo final em um tique. O momento foi tão forte que a mínima da barra 8 foi provavelmente apenas parte da primeira perna
para cima e não o início da segunda perna e, em vez disso, deve haver um maior pullback e depois uma segunda perna (terminou na barra 11).
A barra 11 montou uma mínima de 2 a menos da máxima da mínima da barra 8.
Í

Quando uma tendência é forte e há um pullback, cada rompimento além de um extremo anterior é uma entrada válida a favor
da tendência. O rompimento geralmente tem um volume forte, uma barra de rompimento grande (uma barra de tendência forte)
e continuidade nas várias barras seguintes. O Dinheiro Inteligente (as grandes instituições) está claramente entrando no
rompimento. No entanto, essa raramente é a melhor maneira de operar um rompimento, e os traders de price action quase
sempre encontram uma entrada de ação de preço anterior como uma alta 1 ou alta 2 em uma tendência altista. É importante
reconhecer que, quando uma tendência é forte, você pode entrar a qualquer momento e obter lucro se usar um stop adequado.
Uma vez que os traders veem que uma tendência é forte, alguns traders não aceitam as primeiras entradas porque esperam um
pullback maior, como um pullback de duas pernas para a média móvel. Por exemplo, se o mercado se tornou claramente sempre-
ativo em alta e o pico inicial de alta tem três barras de tendência de bom tamanho com pequenas sombras, um trader pode ter
medo de que o movimento tenha sido um pouco difícil e decida que ele quer esperar uma configuração de compra alta 2. No
entanto, quando uma tendência é muito forte como essa, as duas primeiras entradas geralmente são apenas configuração de alta
1. Os traders agressivos farão ordens com limite para comprar abaixo da mínima da barra anterior, esperando que qualquer
tentativa de reversão falhe. Uma vez que o mercado esteja abaixo da mínima da barra anterior, eles esperarão que uma
configuração de compra alta 1 leve a pelo menos um novo topo e, provavelmente, um movimento medido para cima, com base na
altura do pico de alta. Se os traders não conseguirem nenhuma dessas duas entradas antecipadas, devem se treinar para
garantir que entrem nessa forte tendência. Quando eles estão olhando para o início do pullback, eles devem colocar um stop de
compra em um tique acima da altura do pico, no caso de o pullback ser de apenas uma barra e reverter rapidamente. Se eles
falharem em aceitar qualquer uma das entradas anteriores e o mercado começar a subir sem eles, eles serão levados pelo o
mercado e não serão deixados para trás. Nos trades mais fortes, você normalmente verá que a barra que rompimento acima do
pico de alta é geralmente uma grande barra de tendência de alta, e isso indica que muitos compradores fortes acreditam que há
valor comprando o novo topo. Se é uma ótima entrada para muitos deles, é uma ótima entrada para você também.
Uma maneira rápida de determinar a força de uma tendência é ver como ela reage depois de ultrapassar os extremos de
tendência anteriores. Por exemplo, se uma tendência de alta tem um pullback e depois rompimento acima da máxima do dia,
encontra mais compradores ou vendedores no rompimento? Se o mercado se movimentar o suficiente para que os compradores
tenham pelo menos um lucro de um scalper, o rompimento encontrou mais compradores do que vendedores. Essa é uma das
marcas registradas de uma forte tendência. Em contrapartida, se o mercado subisse para um novo topo, mas depois revertesse
para baixo dentro de uma barra ou duas, o rompimento encontraria mais vendedores do que compradores, o que é mais
característico das consolidações e o mercado poderia estar se transformando em uma consolidação . Observar como o mercado se
comporta em um novo topo dá uma pista sobre se ainda há uma forte tendência em vigor.
Caso contrário, mesmo que a tendência ainda esteja em vigor, ela é menos forte e os longos devem estar tendo lucros no novo
extremo, e até mesmo procurando ficar aquém, em vez de comprar o rompimento para a nova alta ou tentar comprar um
pequeno pullback. O oposto é verdadeiro em tendências de baixa.
Em geral, se você está entrando em um stop em um novo extremo, você deve scalpear a maior parte ou todo o seu trade, a
menos que a tendência seja especialmente forte. Se assim for, você pode segurar a maior parte ou toda a sua posição. Por
exemplo, se o mercado está em uma forte tendência de alta, os compradores vão comprar acima do topo mais recente em um
stop, mas a maioria sai do mercado. Se o mercado é extremamente forte, eles podem segurar a maior parte de sua posição. Se
não, os vendedores estarão vendidos a cada novo topo com uma ordem de limite no topo anterior ou ligeiramente acima, e eles
vão adicionar em preços mais altos. Se o mercado cair depois de sua primeira entrada, eles sairão com lucro. Se, em vez disso, o
mercado continuar, eles esperam que o topo anterior seja testado por um pullback dentro algumas barras, e isso permitiria que
eles saíssem da primeira entrada no zero a zero e saíssem da entrada mais alta com lucro
FIGURA 4.1 Rompimentos fortes têm muitas barras fortes de tendência
consecutivas
Como mostrado na Figura 4.1, a recuperação da barra 4 topo mais alto se tornou uma forte tendência de alta (fundo mais
alto após um rompimento de linha de tendência), com sete barras de tendência de alta consecutivas à medida que o mercado
reverteu máxima da barra 1. Com tanto ímpeto, todos concordaram que a barra 5 seria ultrapassada antes que houvesse um sell-
off abaixo do início da tendência de alta na barra 4. O mercado estava no modo sempre-ativo e provavelmente teria um
movimento aproximado de até com base no pico de alta do barra 4 ao barra 5 ou da faixa de abertura do barra 1 ao barra 2 e,
portanto, os compradores poderiam comprar no mercado, em qualquer pullback, na ou abaixo da mínima de qualquer barra,
acima da máxima de qualquer pullback, no fechamento de qualquer barra, e em um stop acima do topo mais recente.
Traders de rompimento teriam comprado acima de todos os topos anteriores, como nas barras 5, 6, 8, 11, 13 e 16. Na
barra 5, o mercado estava claramente sempre-ativo em alta. Os compradores agressivos colocam ordens de limite para comprar
na mínima da barra anterior, esperando que o pullback inicial seja apenas uma barra ou mais e que o mercado seja revertido em
alta 1. A compra abaixo da barra anterior é geralmente uma entrada mais baixa do que a anterior. compra acima da alta 1. Se os
traders preferissem entrar nas stops e não comprassem na mínima da barra após a barra 5, eles teriam comprado na barra 6 alta
1 à medida que ela se movesse acima da barra anterior.
Se eles estivessem, ao invés disso, esperando por um pullback mais profundo, como uma alta 2 na média móvel e não pegassem
nenhuma dessas duas entradas, precisavam se precaver de perder a forte tendência. Eles nunca devem se deixar cair fora de
uma grande tendência. A maneira de fazer isso seria colocando um stop de compra do pior caso em um tique acima da máxima do
pico de 5 barras. A entrada seria pior, mas pelo menos eles entrariam em um trade era provável que continuasse por pelo menos
um movimento medido baseado na altura do pico de alta. A barra 6 era uma grande barra de tendência de alta sem sombras, o
que indicava que muitos compradores fortes compravam na mesma barra. Uma vez que os traders viram que os compradores
fortes compraram o rompimento para o novo topo, eles deveriam ter certeza de que o trade era bom. Suo stop de proteção inicial
estava abaixo do fundo mais recente, que era a barra de sinal alta 1 antes da barra 6.
Os traders de pullback teriam entrado mais cedo em todas as instâncias, nos pullbacks de rompimento, que eram
bandeiras de alta - por exemplo, na máxima da barra 6 e alta 1, na máxima da barra 8 e alta 2, na barra 10 e bandeira de cunha
fracassada, na máxima da barra 12 e alta 2 e falha de rompimento da linha de tendência (não mostrada), e a máxima da barra 15
alta 2 teste abaixo da média móvel (primeiro gap média móvel) e fundo duplo com barra 12 (a alta 2 foi baseada nas duas pernas
claras e maiores abaixo da barra 14). Os traders de rompimento estão iniciando seus longos na área exata em que os traders de
ações de preço estão vendendo seus lucros dos longos. Em geral, não é aconselhável comprar onde muitos traders inteligentes
estão vendendo. No entanto, quando o mercado é forte, você pode comprar em qualquer lugar, inclusive acima da máxima, e ainda
obter lucro. No entanto, a relação risco / recompensa é muito melhor quando você compra pullbacks do que quando você compra
rompimentos.
A compra cega de rompimentos é burrice, e o Dinheiro Inteligente não teria comprado a barra 11 porque foi um possível
terceiro empurrão depois que a barra de rompimento excepcionalmente forte número 6 reiniciou a contagem e formou o primeiro
empurrão para cima. Além disso, eles não teriam comprado o rompimento da barra 16, que era um teste topo mais alto do topo
anterior na barra 14 depois de um rompimento de linha de tendência, já que havia muito risco de reversão de tendência. É muito
melhor dar fade nos rompimentos quando elas falham ou entram na direção do rompimento depois que elas se afastam. Quando
os investidores acham que um rompimento parece muito fraco para comprar, em geral eles vendem e acima da máxima anterior.
Os vendedores podem ganhar dinheiro em rompimentos acima dos topos anteriores, vendendo o rompimento e
adicionando em preços mais altos. Então, quando o mercado voltar para testar o rompimento, eles podem sair de toda a posição
vendida e lucrar com a segunda entrada e sair em torno do zero a zero na primeira venda. Esta estratégia teria sido possível se
um urso institucional vendesse assim que o mercado se movesse acima barras 5, 7, 9 e 14. Por exemplo, assim que o mercado
fizesse pullback da barra 7 topo de swing, os vendedores poderiam colocar ordens para entrar curto ou ligeiramente acima dessa
altura. Seus curtos seriam preenchidos durante a barra 8. Eles então acrescentariam às suas posições de venda quando achassem
que o mercado poderia começar a fazer um pullback de novo ou a alguns pontos acima. Eles então tentariam sair de todos os seus
curtos em uma ordem de limite no preço da entrada original, na máxima da barra 7. Como os vendedores estão comprando de
volta seus curtos no teste de abertura e porque os compradores estão adicionando os seus longos nessa mesma área, o pullback
muitas vezes termina com esse preço e o mercado mais uma vez sobe.
A reversão na barra 4 foi um rompimento da bandeira final da tendência de baixa. Às vezes, as reversões de bandeiras finais vêm
de fundos mais altos e não de fundos mais baixos. O teste do antigo extremo pode exceder o antigo extremo ou ficar aquém do
esperado. A barra 15 foi o fim da bandeira final na tendência de alta, e a reversão na barra 16 foi de um novo extremo (um topo
mais alto).

FIGURA 4.2 Uma forte tendência geralmente tem continuidade no próximo dia

Como mostrado na Figura 4.2, ontem (apenas a hora final é visível) era um dia de tendência forte de alta a partir da
abertura, então as chances eram altas de que haveria continuidade suficiente hoje para fechar acima da abertura, e
mesmo se houvesse foi um pullback na abertura hoje, a tendência de alta provavelmente atingiria pelo menos um novo
topo nominal. Os traders estavam todos esperando por uma configuração de compra.
A barra 2 foi um pequeno fundo mais alto depois de uma configuração de alta 4, e um fundo duplo com o pullback final de
ontem. A barra de sinal tinha um fechamento de baixa, mas pelo menos o seu fechamento estava acima do seu ponto
médio. Os traders que perderam essa entrada viram o mercado formar um forte pico nas duas ou três barras seguintes e
decidiram que o mercado estava agora sempre-ativo em alta. Traders inteligentes compraram pelo menos uma pequena
posição no mercado, para o caso de não haver pullback até que o mercado subisse muito mais.
Havia duas grandes barras de tendência de alta no rompimento, cada uma com fechamentos fortes e sombras pequenas.
Se você tivesse comprado no fechamento da barra 3, você estaria segurando uma parte do seu trade neste momento. Isso
significa que se você ao invés disso estivesse flat, poderia comprar o mesmo tamanho de posição no mercado e usar o stop
que você usaria se tivesse comprado antes. Esso stop estaria agora abaixo da barra de tendência de alta da barra 3.
A barra 4 era uma barra de pausa logo abaixo da máxima de ontem, e comprar um tique acima da sua máxima é outra boa
entrada. Uma barra de pausa é uma possível configuração de reversão, então comprar acima de sua máxima significaria
entrar longo, onde os primeiros vendedores estão comprando de volta seus curtos e onde os longos que saíram cedo
também estariam comprando de volta seus longos.
Neste ponto, a tendência era clara e forte e você deveria estar comprando cada pullback.
A barra 6 foi seguida por uma reversão de duas barras e um terceiro empurrão para cima e foi uma configuração de venda
aceitável para um pullback para a média móvel.
A barra 8 era um scalp de contra-tendência razoável (um falso rompimento para uma nova máxima após um rompimento
de linha de tendência), já que era uma barra de reversão de baixa forte e um topo de triângulo em expansão, mas a
tendência ainda era de alta. Observe que ainda não havia um fechamento abaixo da média móvel e o mercado estava
acima da média móvel de mais de 20 barras, ambos sinais de força. Se você estivesse pensando em usar um scalp de
contra-tendência, faria isso apenas se quisesse procurar de novo por uma compra à medida que a tendência revertesse.
Você não quer sair de um longo, tomar um scalp de venda e, em seguida, perder um swing para cima enquanto a tendência
recomeça. Se você não puder processar as duas mudanças de direção de forma confiável, não faça trades de tendência
contrária; simplesmente segure a compra.
A barra 9 era uma barra inside de alta após o primeiro fechamento abaixo da média móvel e a segunda barra de uma
reversão de duas barras, pelo que se esperava que um rompimento acima da configuração testasse o topo, no mínimo
Í

A sequência de rompimento, falso rompimento, ou reversão de tendência ou pullback de rompimento e, em seguida,


retomada de tendência é um dos aspectos mais comuns do price action, e a maioria dos trades diários pode ser interpretada como uma
variação desse processo. Em uma escala maior, é a base para uma grande reversão de tendência, que é discutida no livro 3, onde há um
rompimento de linha de tendência e, em seguida, um pullback de rompimento que testa o extremo da tendência. A sequência ocorre
com todos os rompimentos, mas na maioria das vezes com um rompimento de uma bandeira de alta ou de baixa, que é uma pequena
tendência na direção oposta da tendência principal na tela.
Sempre que há um rompimento, o mercado finalmente recua e testa preços significativos anteriores. O início do pullback converte o
rompimento em uma falha, e você deve considerar todas os rompimentos como falsos neste ponto, mesmo que eles sejam retomados
posteriormente. Se a falha conseguir reverter a tendência, o rompimento terá fracassado e a reversão terá sido bem-sucedida. Se a
reversão for somente para uma barra ou duas e o rompimento for retomado, a tentativa de reversão simplesmente se tornará um
pullback do rompimento (todos os falsos rompimentos que não reverterem o mercado são configurações de pullback de rompimento
para trades na direção do rompimento). Por exemplo, se houver um rompimento de alta e, em seguida, o mercado puxa de volta para o
preço de entrada, forma uma barra de sinal de compra e aciona a compra, esse pullback testou o rompimento (é um teste de
rompimento) e configurou um longo acima da máxima da barra de pullback mais recente. Se a tendência for retomada, a barra de
rompimento geralmente se torna um gap de medida, e se a tendência inverte, a barra de tendência de alta se torna um gap de exaustão
e a barra de tendência de baixa se torna um gap de quebra (gaps são discutidas no Capítulo 6). Os testes podem estar na barra após o
rompimento ou 20 ou mais barras depois. O que exatamente foi testado? O teste é se o rompimento será bem-sucedida ou fracassado. O
mercado se retira do rompimento por causa da venda. Os compradores estão vendendo para obter lucros parciais em seus longos, e os
vendedores estão vendendo em uma tentativa de fazer o rompimento falhar e virar a direção do trade sempre ativo para baixo. Tanto
os compradores quanto os vendedores avaliam a força do rompimento. Se a configuração e a barra de entrada forem fortes, os traders
esperarão preços mais altos. Quando o mercado recua para a área do rompimento, os compradores que já estão comprados, quer
tenham ou não saído de alguma posição no rompimento, usarão o pullback como uma oportunidade para comprar novamente. Os
compradores que perderam a entrada original também usarão esse pullback para ficarem comprados. Os vendedores que venderam
antes do rompimento, abaixo do preço de entrada, acreditarão que o mercado mudou para sempre-ativo em alta e tenderá a subir mais.
Portanto, eles usarão o pullback para recomprar seus curtos com uma pequena perda. Os vendedores que venderam o rompimento
verão que o rompimento foi forte e que a tentativa de fazer o rompimento fracassar foi fraca, e eles vão comprar de volta seus curtos
com um pequeno lucro ou perda, ou no zero a zero. Como os vendedores agora acreditam que o rompimento será bem-sucedido e que o
mercado se recuperará, eles não vão querer vender novamente até que o mercado esteja mais alto, e somente se um sinal de venda se
desenvolver.
Se a configuração ou o rompimento foi fraca, e se uma barra forte de reversão de baixa se desenvolveu logo após o rompimento, os
traders esperarão que o rompimento falhe e que a tendência de baixa comece ou retome. Os compradores venderão seus longos e não
procurarão comprar novamente pelo menos várias barras, e os vendedores iniciarão novos curtos ou aumentarão seus curtos atuais.
O resultado será que o mercado cairá abaixo do preço de entrada de alta, o teste desse nível terá fracassado, e a tendência de baixa terá
pelo menos mais uma perna de lado para baixo.
Se o rompimento e a reversão forem igualmente fortes, os traders olharão para a barra após a barra do sinal de reversão de baixa. Se
tiver um forte fechamento de baixa e for uma forte barra de tendência de baixa, as chances de que a reversão continue baixa aumentam.
Se, ao invés disso, for uma barra forte de reversão de alta, as chances são de que o falso rompimento não será bem-sucedida, e essa barra
de reversão se torna uma barra de sinal para um pullback de rompimento a um tique acima de sua máxima.
Lembre-se, a determinação mais importante que um profissional faz, e ele faz isso após o fechamento de cada barra, é se haverá mais
compradores ou vendedores acima e abaixo da barra anterior. Isto é particularmente verdadeiro com rompimentos e rompimentos
fracassados, porque o movimento que segue normalmente determina a direção sempre-ativo e, portanto, dura muitas barras, e não é
apenas um scalp.
Esse mesmo processo é repetido muitas vezes todos os dias em todos os prazos. O rompimento pode ser simplesmente um empurrão
silencioso acima da máxima da barra anterior, e o pullback pode começar na próxima barra; quando esse for o caso, o rompimento pode
ser um rompimento de 10 barras em um gráfico de time frame menor. O rompimento também pode ser enorme, como um pico de 10
barras, e o pullback pode ocorrer 20 ou mais barras depois. Quando o processo envolve muitas barras, é um pequeno rompimento em um
gráfico de período de tempo maior, com a rompimento e o pullback no gráfico simplesmente durando algumas barras.
Após um rompimento de alta, estas são algumas das áreas comuns que geralmente se obtêm pelo pullback:

• O ponto de rompimento (o preço em que o rompimento começou).


• O topo de um pico em uma tendência de pico e tendência de canal. Quando o mercado rompe abaixo do canal, geralmente
testa até o topo do pico e, eventualmente, até o final do canal.
• O topo do pico em um rompimento de bandeira final. Uma vez que o mercado começa a fazer pullback depois de sair de
uma bandeira final em potencial, ele normalmente testa o swing que precedeu a bandeira.
• O topo de swing mais recente em um padrão de escadas. Escadas de alta geralmente têm pullbacks que caem pelo menos
um pouco abaixo do topo mais alto. O topo da consolidação inferior em um dia de consolidação em tendência. Se não
reverter de volta, ele pode voltar para a parte inferior desse consolidação inferior.
• Depois que o mercado se recupera para o terceiro empurrão em uma potencial cunha (um canal convergente crescente), as
chances são altas de que ele teste o topo do segundo empurrão. Uma vez revertida, geralmente testa para o fundo da
cunha (a parte inferior do primeiro pullback, que é o fundo da cunha).
• A máxima da barra de sinal. Mesmo que a barra de rompimento comece acima de um topo de swing de 10 barras
anteriormente, muitas vezes haverá um teste da máxima da barra logo antes da barra de rompimento.
• A mínima da barra de entrada. Se o mercado cair abaixo da barra de entrada, isso geralmente acontece em uma barra de
tendência forte, e o movimento para baixo a partir daí normalmente é grande o suficiente para pelo menos um scalp.
• A parte inferior do fundo de swing no início da perna para cima. O mercado às vezes cai abaixo da barra de entrada e da
barra de sinal e retorna para o fundo da perna de alta, onde freqüentemente formará uma bandeira de alta de fundo
duplo.
• Qualquer área de suporte, como a média móvel, um fundo anterior, uma linha de tendência ou uma linha de canal de
tendência (como se o mercado formasse uma bandeira de alta de cunha).

Sempre que há um rompimento, os traders têm que decidir se será seguido por uma tendência ou se irá falhar e reverter.
Como há muitos rompimentos em todos os gráficos, é importante se tornar proficiente nisso. O rompimento pode continuar
por várias barras, mas em algum momento haverá um pullback. Os traders de contra-tendência verão o pullback como um sinal
de que o rompimento falhou, e entrarão no pressuposto de que o mercado irá reverter, pelo menos o suficiente para um scalp. Os traders
a favor da tendência estarão tendo alguns lucros, mas eles esperam que o falso rompimento não vá muito longe antes que ele estabeleça
um pullback de rompimento e então a tendência seja retomada. Por exemplo, se houver um rompimento de alta, a primeira barra com
uma mínima abaixo da barra anterior é um pullback. No entanto, os investidores precisam decidir se, em vez disso, é um falso
rompimento e está prestes a levar a uma reversão de volta para baixo. Quanto mais o rompimento tiver características de uma
tendência forte, mais provável será a continuidade. Se tiver poucas ou nenhuma dessas características, as chances de falha e reversão
aumentam. As características das tendências fortes são detalhadas no primeiro livro, Trading Price Action Trends, mas características
importantes de uma forte tendência de alta são várias barras consecutivas de tendência de alta com muita pouca sobreposição dos
corpos, pequenas sombras e força de alta no início do dia. Se, no entanto, a segunda barra for uma reversão de baixa relativamente forte
ou uma barra inside de baixa, a barra de rompimento não é muito grande, o rompimento é a terceira subida, e essa barra reverte de
volta abaixo da linha de canal de tendência, as probabilidades de falso rompimento e uma venda negociável são melhores. Se você vende
um pouco abaixo da mínima da barra e a próxima barra é uma barra forte de reversão, normalmente você deve reverter para compra,
porque esse falso rompimento pode estar falhando e, em vez disso, formando uma configuração de compra de pullback de rompimento.
Depois de um rompimento, eventualmente haverá um pullback para testar a força dos traders que iniciaram o rompimento, e o
sucesso do teste será determinado pelo fato de os traders entrarem nesta área pela segunda vez. Os rompimentos mais fortes
geralmente não chegam até o ponto de rompimento, mas alguns pullbacks podem voltar muito além do ponto de rompimento e ainda
ser seguido por uma forte tendência. Por exemplo, em um padrão de escadas de alta, cada rompimento para um novo topo é seguido por
um pullback profundo de rompimento. Esse pullback de rompimento permanece acima do fundo mais alto anterior, criando uma
tendência de alta de topos e fundos ascendentes e, em seguida, é seguida por outro topo mais alto. Se o pullback de rompimento voltar a
alguns tiques do preço de entrada, é um teste de rompimento. O teste pode ocorrer na barra após o rompimento ou até 20 ou mais
barras depois, ou ambos. Essa barra de teste é uma barra de sinal em potencial, e os traders inteligentes procuram colocar uma ordem
de entrada de stop de compra em um tique acima, caso o teste seja bem-sucedido e a tendência seja retomada. É uma configuração de
pullback de rompimento particularmente confiável.
Em um rompimento de alta, provavelmente houve compras pesadas na área do preço inicial e os compradores superaram os
vendedores. No pullback de rompimento, o mercado está voltando para essa área de preços para ver se os compradores vão mais uma
vez sobrecarregar os vendedores. Se o fizerem, o resultado provavelmente será de pelo menos duas pernas para cima, com o rompimento
sendo a primeira perna para cima. Se, no entanto, os vendedores subjugarem os compradores, então o rompimento fracassará e
provavelmente haverá um movimento descendente negociável, já que os longos restantes ficarão presos e os novos longos hesitarão em
comprar novamente após o fracasso. Os compradores terão feito duas tentativas para subir desta área de preço e falharam, então o
mercado provavelmente fará o oposto e terá pelo menos duas pernas para baixo.
Se houver um pullback em uma barra ou duas do rompimento, o rompimento falhou. No entanto, até mesmo os rompimentos
mais fortes terão uma falha de uma ou duas barras que, de fato, se torna apenas um pullback de rompimento em vez de uma reversão.
Quando a tendência for retomada, o falso rompimento terá falhado, o que é o caso em todos os pullbacks de rompimento. Um pullback de
rompimento é simplesmente uma tentativa fracassada de reverter o rompimento. Falhas consecutivas são as segundas entradas e,
portanto, têm uma excelente chance de estabelecer um trade lucrativo. Um pullback de rompimento também é chamado de xícara e alça,
e é uma das configurações pró-tendência mais confiáveis.
Pullbacks de rompimento podem acontecer na ausência de um rompimento real. Se o mercado for muito próximo do antigo
extremo, mas não o exceder, e depois voltar para uma ou quatro barras, isso provavelmente funcionará exatamente como um pullback e
ele deverá ser negociado como se o pullback seguisse um rompimento real. Lembre-se de que quando algo está próximo de um padrão de
livro de trading, ele geralmente se comportará como um padrão de livro de trading.
Se houve um movimento forte ou uma primeira perna de uma tendência no início do dia, então um rompimento de tendência a
favor da tendência no fechamento do dia é mais provável de ser bem-sucedido; um fracasso provavelmente não conseguirá reverter a
tendência e se tornará um pullback. No entanto, se a maior parte do dia tiver sido sem tendência com rompimentos de uma ou duas
barras em ambas as direções, as chances de uma falha levar a uma reversão serão aumentadas.
Após uma corrida inicial, muitos traders obterão lucros parciais e, em seguida, farão um stop de zero a zero no equilíbrio. O stop
de zero a zero não é necessariamente exatamente o preço de entrada em todas os trades. Dependendo da ação, um trader pode estar
disposto a arriscar 10 ou até 30 ou mais centavos e ainda é basicamente considerado um stop de zero a zero, mesmo que o trader esteja
perdendo dinheiro. Por exemplo, se o Google (GOOG) está sendo negociado a US $ 750 e um trader acaba de obter lucros parciais pela
metade e quer proteger o resto, mas o GOOG está operando recentemente com zero a zero entre 10 e 20 centavos, mas raramente em 30
centavos, o trader pode colocar um stop de zero a zero a 30 centavos além do rompimento, mesmo que isso resulte em pelo menos 30
centavos de perda e não em um zero a zero exato.
No ano passado, a Apple (AAPL) e a Research in Motion (RIMM) têm respeitado muito os stops de zero a zero, e a maioria dos testes de
pullback de fato terminam em cerca de 5 centavos do preço de entrada. O Goldman Sachs (GS), em contraste, rotineiramente executa os stops
antes que o pullback termine, então os investidores teriam que estar dispostos a arriscar um pouco se estivessem tentando manter suas posições.
Alternativamente, eles podem sair no zero a zero e, em seguida, entrar novamente em um stop além da barra de teste, mas eles invariavelmente
estarão retornando a 60 ou mais centavos piores do que a entrada iniciais. Se a ação do preço ainda é boa, faz mais sentido manter o teste de
rompimento e arriscar talvez 10 centavos em vez de sair e depois voltar a 60 centavos pior.
A maioria das grandes reversões de tendência pode ser considerada como trades de pullback. Por exemplo, se o mercado estiver em uma
tendência de baixa e, em seguida, houver uma máxima sobre a linha de tendência de baixa, a pullback para uma baixa ou alta baixa é uma
configuração de compra de pullback. É importante perceber que o pullback do rompimento pode exceder o antigo extremo, portanto, em uma
reversão de alta, após o rompimento para cima, o pullback pode cair abaixo do limite de baixa e a reversão de alta ainda pode ser válida e
controlar o preço açao.
Às vezes, o pullback final de uma tendência também pode funcionar como a primeira perna de uma nova tendência na direção oposta.
Por exemplo, se houver uma tendência de baixa, seguida por uma máxima lenta que pode durar de 10 a 20 barras ou mais e depois um clímax de
venda e uma reversão para uma tendência de alta, o canal que continha a bandeira final de baixa, se projetado e à direita, às vezes, também
conterá aproximadamente a nova tendência de alta. Essa última bandeira de baixa pode, de fato, ser vista como a primeira subida na nova
tendência de alta. O mergulho pode ser visto como um pullback fundo mais baixo na nova tendência de alta. Se você reconhecer este padrão, você
deve procurar segurar mais de sua posição e não ser muito rápido para sair. Uma vez que a nova tendência de alta supera a bandeira de baixa,
ela atingirá os stops de proteção dos vendidos que viram a bandeira de baixa como uma tentativa fraca de se recuperar e, portanto,
provavelmente não o topo final da tendência de baixa. Depois que o mercado reverte acima desse topo, os vendedores não procurarão por novas
oportunidades de vender por um tempo. Isso muitas vezes leva um pequeno ou nenhum pullback depois que a bandeira de baixa é ultrapassada,
e a subida pode ser prolongada. Esse mesmo fenômeno é comum quando uma bandeira em forma de cunha está se formando. Por exemplo, uma
bandeira de baixa em forma de cunha tem três empurrões para cima. Muitas vezes, haverá um rompimento para um fundo mais baixo após a
primeira subida. Ele terá então mais dois empurrões para cima depois que baixo para completar a bandeira de baixa em forma de cunha. Uma
vez que a bandeira de baixa estiver completa, o mercado então geralmente sairá para baixo da bandeira de baixa em forma de cunha e formará
uma nova tendência de baixa.
Rompimentos geralmente falham, e a falha pode acontecer a qualquer momento, mesmo depois da primeira barra. Um rompimento de
uma barra de uma consolidação estreita é tão provável de falhar e reverter de volta para a faixa, uma vez que é para continuar em uma
tendência. Rompimentos acentuados na abertura, que duram algumas barras, muitas vezes falham e levam a um dia de tendência na direção
oposta. Isso é discutido no livro 3 no capítulo sobre a primeira hora de negociação.

Nos gráficos diários, há muitas vezes uma forte contra-tendência devido a notícias surpreendentes. No entanto, em vez de o pico ter continuidade
(como um canal) e se tornar um rompimento bem-sucedido, o rompimento geralmente falha e o pico se torna apenas parte de um breve pullback.
Por exemplo, se uma ação está em uma tendência de alta forte e teve um relatório de lucros surpreendentemente ruim após o
fechamento de ontem, pode cair 5% hoje, fazendo com que os investidores se perguntem se a tendência estava em processo
de reversão. Na maioria dos casos, os compradores compram agressivamente em torno da mínima e próximo do pico de
baixa, que é sempre baixo para uma área de suporte como uma linha de tendência. Eles estão apostando corretamente que
as probabilidades são de que a rompimento de baixa irá falhar e a tendência de alta será retomada. Eles veem a venda
como uma breve venda de fogo, permitindo que eles comprem mais com um grande desconto que será retirado em poucos
dias. Dentro de uma semana mais ou menos, todos terão esquecido as terríveis notícias, e a ação normalmente estará de
volta acima do topo do pico de baixa, a caminho de uma nova alta.
FIGURA 5.1 um rompimento em uma tendência pode levar a uma reversão ou a
uma nova perna.
Às vezes, um rompimento no fechamento de uma tendência pode ser um clímax exaustivo e levar a uma reversão, e
outras vezes pode ser um rompimento e levar a outro canal. Todos os clímaces terminam com um consolidação , que pode
ser tão breve quanto uma única barra. Durante a consolidação , os compradores e os vendedores continuam a negociar, e
ambos tentam obter a continuidade na sua direção. Na Figura 5.1, tanto no clímax de venda até a barra 5 quanto no
clímax de compra até a barra 19, os compradores venceram.
Barras 1, 2, 3 e 5 terminaram picos de baixa, e clímax consecutivo de venda muitas vezes levam a uma correção
que dura pelo menos 10 barras e tem pelo menos duas pernas. A barra 4 foi a maior barra de tendência de baixa da
tendência de baixa e, portanto, poderia representar os últimos longos fracos, finalmente desistindo e saindo a qualquer
preço. Este foi provavelmente o caso, e o mercado corrigiu-se em duas pernas para o fechamento, com a primeira mão a
terminar na barra 8 e a segunda perna a terminar na última barra do dia.
No dia seguinte, as barras 15, 16, 17 e 19 foram clímaces de compra. O mercado rompeu com sucesso para baixo do
canal de alta que seguiu o pico de gap até a barra 15 e terminou com os três empurrões até a barra 17. No entanto, sempre
que uma correção é lateral em vez de para baixo, os compradores são fortes e foram capazes de criar um rompimento
acima do topo de três empurrões. Embora a grande barra de alta pudesse ter sido causada pelos últimos vendedores que
finalmente desistiram, neste caso ela foi criada por compradores agressivos que romperam com sucesso o mercado acima
do topo da cunha. Esse pico de alta foi seguido por um canal que tentou terminar na barra 21, mas conseguiu se estender
até a barra 25.

FIGURA 5.2 Pullbacks de Rompimento


Como mostrado na Figura 5.2, a barra 8 era um potencial falso rompimento, mas o rompimento era forte, composto de três
barras de tendência de baixa que cobriam a maior parte do dia e tinham pequenas sombras e pouca sobreposição. O
mercado fez pullback para a média móvel e levou a uma venda de baixa 2 (ou uma pequena bandeira de baixa em forma de
cunha) na barra 10, que era a segunda barra de tendência de baixa e no fechamento da segunda perna do pullback para a
média móvel. Um pullback de rompimento é uma das configurações mais confiáveis.
A barra 12 foi novamente um potencial falso rompimento para um nova mínima do dia. Esta é uma reversão a partir de
um segundo clímax de venda consecutivo, e as reversões de clímaces consecutivos geralmente levam a pullbacks que têm
pelo menos 10 barras e duas pernas. Mesmo que a barra de sinal da barra 12 fosse uma doji e não uma barra de reversão
de alta, ela tinha uma sombra de alta maior do que a de baixa, indicando alguma compra e algum enfraquecimento dos
vendedores. Além disso, a barra 8 a barra 10 bandeira de baixa era uma consolidação estreita e, portanto, tinha uma
atração magnética, aumentando as chances de que qualquer rompimento seria puxado de volta para esse nível.
A barra 11 foi uma barra de rompimento e, portanto, criou um gap de quebra. Os gaps de quebra geralmente são testados,
assim como os pontos de rompimento. A mínima da barra 1 era o ponto de rompimento. Os vendedores queriam que o
pullback ficasse abaixo da barra 1, e os compradores queriam o oposto. No mínimo, os compradores queriam que o mercado
voltasse acima da barra 1 e permanecesse lá para que a maioria dos traders considerasse o rompimento como um fracasso.
Isso provavelmente acabaria a favor da tendência de baixa. Finalmente, o consolidação das duas primeiras horas era cerca
de metade de uma faixa diária média, e isso aumenta as chances de que qualquer rompimento para cima ou para baixo
fosse seguida por uma consolidação do mesmo tamanho, criando um dia de tendência de negociação. Portanto, deve-se
esperar que os compradores entrem em torno do nível de preço da barra 12, que foi um movimento medido para baixo a
partir da primeira perna para baixo no dia (barra 2 a barra 4).
A barra 31 é um pullback de uma pequena subida que rompeu acima de um pequeno swing e quase rompeu para
uma nova máxima do dia. Quando o mercado quase rompe e, em seguida, faz pullback, ele vai negociar como se realmente
tivesse rompido e é, portanto, um tipo de pullback de rompimento. Este pullback de rompimento da barra 31 foi negociado
a apenas 2 centavos abaixo do topo da barra de sinal da barra 29, e quando uma ação está sendo negociada a $ 580, é
praticamente um teste de rompimento perfeito e, portanto, uma configuração de compra confiável. O mercado mais uma
vez encontrou compradores fortes ao preço em que rompeu três barras antes. Um pullback do rompimento de uma
bandeira é uma das configurações mais confiáveis.
Uma vez que o rompimento real para a nova máxima do dia ocorreu, houve uma compra de pullback na barra 33.
Apesar de não valer a pena pensar em muitos períodos de tempo diferentes durante o dia, os quadros de tempo
menores geralmente têm configurações de teste de rompimento confiáveis que não são aparentes no gráfico que você está
usando para negociação. Por exemplo, se você estivesse negociando o gráfico de 3 minutos, você teria visto que a máxima
da barra 6 era um teste de rompimento da barra de 3 minutos que formava a máxima na barra 3 acima. Isto significa que
se você pensar no gráfico de 3 minutos, você teria descoberto que a barra que corresponde à barra 6 no gráfico de 5
minutos formou um teste de rompimento perfeito da mínima da barra no gráfico de 3 minutos que corresponde à barra 3
no gráfico de 5 minutos.
A barra 28 era uma forte barra de baixa e uma tentativa de romper o mercado para baixo. Como estava se
formando, foi brevemente uma barra grande de tendência de baixa com um último preço em sua mínima e abaixo das
mínimas das oito barras anteriores, criando um forte rompimento de baixa e reversão. No entanto, no momento em que a
barra fechou, seu fechamento estava acima da consolidação da mínima da barra 26. A maioria das tentativas de romper a
favor da tendência fracassa e desaparece devido a negociações fortes; eles entendem que picos de baixa nas tendências dos
compradores são comuns e geralmente são seguidos por novas máximas. No momento em que a barra 28 estava na sua
mínima, os iniciantes o viam como uma barra de tendência muito grande para baixo e assumiram que a tendência estava
se revertendo drasticamente em uma baixa forte. Eles perderam a visão de as outras barras no gráfico. Traders
experientes viram o aumento de preços como uma breve redução no preço e grande oportunidade de comprar um desconto
em uma tendência de alta. Quando um pico de baixa como esse ocorre em gráficos diários, geralmente é devido a algum
evento de notícias, que parecia imenso na época, mas os compradores experientes sabem que ele é minúsculo comparado a
todos os outros fundamentos na ação, e que é apenas uma barra de baixa em uma forte tendência de alta

FIGURA 5.3 Testes de Rompimento


Muitas ações costumam se comportar bem e voltarão a testar o rompimento no exato tique, já que o Lehman Brothers Holdings (LEH) fez
quatro vezes em um dia (veja a Figura 5.3). Uma vez que muitos traders entrarão em um stop em um tique além da barra de sinal,
pullbacks exatos como esses executarão qualquer ponto de stop de stop por um tique. No entanto, a reentrada em um tique além da barra
de teste geralmente é um bom trade (por exemplo, vender a um centavo abaixo da máxima da barra 2). Alternativamente, os traders
podem arriscar alguns centavos no pullback, evitando ser interrompido pelo teste de rompimento. Depois que a tendência for retomada,
eles poderão mover seu stop para logo acima da barra de teste.
Os vendedores entraram mais uma vez nas máximas das barras 1, 2 e 3. Os compradores voltaram a afirmar-se na barra 4 quando o
mercado chegou ao ponto em que os compradores originalmente subjugavam os vendedores na mínima do dia. Esse fundo mais alto foi a
segunda tentativa de os compradores assumirem o controle do mercado nessa área de preço e tiveram sucesso, então deve haver pelo
menos duas pernas para cima.

FIGURA 5.4 Testes de Rompimento podem atingir stops de zero a zero

A GS tem sido notória por executar stops de zero a zero no último ano, mas, desde que você esteja ciente das tendências
do mercado que está negociando, poderá fazer ajustes lucrativos (ver Figura 5.4).
Barra 8 estendeu 6 centavos acima da mínima da barra de sinal 6.
A barra 10 atingiu 2 centavos acima da barra de sinal da barra 9, executando um zero a zero exato em 3 centavos. Os
traders poderiam evitar ser stopados e ter que vender novamente os 50 centavos mais baixo, arriscando cerca de 10 centavos até
que haja um teste bem-sucedido. Quando o mercado cair abaixo da barra de teste de rompimento, mova o stop de proteção para 1
centavo acima da sua máxima.
A barra 5 excedeu em 2 centavos o topo da última hora de ontem, antes de reverter pela segunda vez nesta área de preço.
Os compradores fizeram duas tentativas de ultrapassar essa área e falharam nas duas vezes, criando um topo duplo, para que o
mercado tivesse pelo menos duas pernas para baixo. Ele também ultrapassou a linha de canal de tendência traçada através das
barras 2 e 4, e a linha de tendência de alta desdobrou-se para a barra 7 foi seguida pelo teste topo mais baixo da barra 8 do
extremo de alta (barra 5), levando a um swing de baixa.
A barra 8 foi um pullback do pico formado por quatro barras de baixa que romperam abaixo da linha de tendência de alta
(não mostrada). Os traders debateram se o rompimento falharia ou teria sucesso. Os compradores viram a barra outside número
7, que era um fundo duplo com a barra 3, como um sinal de que o rompimento de baixa falharia, e compraram assim que foi em
outside para cima e acima da máxima da barra 7. Os vendedores viram o pico de baixa tão forte e estavam procurando vender
um pullback. Eles venderam abaixo da mínima da barra de baixa que seguia a barra 8 (formava uma reversão de duas barras
com barra 8).
A barra 1, a barra após a barra 2, a barra 3, e a barra após a barra 4 eram configurações de compra de pullback de uma
barra.
Tão forte quanto o pico da barra de três barras até a barra 9 foi, os traders não podem perder o local do sell-off muito
mais forte da barra 8 que o precedeu.
Os iniciantes muitas vezes só veem as barras mais recentes e tendem a ignorar as barras muito mais impressionantes um pouco
à esquerda. Barra 9 foi apenas uma baixa 2 teste da média móvel em uma tendência de baixa. A barra 10 era um topo duplo
(com a máxima da barra de quatro barras mais cedo) na média móvel e, portanto, outra venda baixa 2. Os novatos novamente
viram as três fortes batidas na média móvel como uma reversão de tendência, e novamente perderam de vista a forte tendência
de baixa que estava em vigor. A barra 10 foi apenas mais um teste topo mais baixo da média móvel que seguiu outro fundo mais
baixo em uma tendência de baixa.

FIGURA 5.5 Um pullback de rompimento em um topo pode ser um topo mais alto.

Depois de um rompimento de um topo de cunha, o pullback não tem que ser necessariamente um topo mais baixo. Na
Figura 5.5, havia dois topos de cunha que romperam para baixo e, em ambos os casos, o mercado fez pullback para um
topo mais alto (na barra 6 e na barra 11).
O mercado estava em uma consolidação de agosto a outubro, antes de subir, e tinha muita negociação bilateral. Este foi
um padrão de consolidação de tendência e as chances eram altas de que, uma vez revertido, pelo menos, testaria a máxima
da barra 6 da faixa inferior. Uma vez que o mercado caiu para a faixa mais baixa e não reverteu imediatamente de volta, o
próximo ponto de teste foi o fundo da faixa inferior.

FIGURA 5.6 Configurações de pullback de rompimento

O GOOG formou uma série de entradas de pullback no gráfico mostrado na Figura 5.6. A recuperação acentuada da abertura quebrou
acima da barra 1 e topo de ontem, e o pullback na barra 5 não conseguiu nem atingir a média móvel ou o ponto de rompimento. Quando há
um forte momentum, comprar um pullback alto é um bom trade. A barra de sinal é uma pequena barra inside doji, indicando uma perda de
poder de venda seguindo a barra grande de tendência de baixa. O rompimento de baixa abaixo da microlinha de tendência falhou e tornou-
se um pullback do rompimento acima da alta de ontem. Houve uma segunda entrada de compra na barra 6, que era uma alta 2. Em fortes
tendências, às vezes a entrada alta 2 é maior que a da alta 1 (aqui, três barras antes).
A barra 7 foi o terceiro pico forte de baixa no movimento até a topo mais alta. Isso representou pressão de venda, que é sempre
cumulativa, e indicou que os vendedores estavam se tornando cada vez mais fortes.
Bar 8 foi um teste de rompimento que perdeu a mínima da barra de sinal em 2 centavos. A barra 9 foi um teste de rompimento que
perdeu a barra de sinal baixa para a barra 8 curta por 4 centavos. Estas são apenas observações e não são necessárias para usar os shorts
de pullback nas barras 8 e 9.
A barra 9 foi uma configuração de venda baixa 2 na média móvel e foi uma barra de tendência de baixa, que é uma combinação confiável.
Isto foi seguido por uma barra inside, criando uma outra entrada de venda na barra 10. Esta também foi o primeiro topo mais baixo e o
possível início de uma tendência de baixa.
A barra 11 quebrou abaixo do pullback da barra 5 e resultou em uma venda de pullback de rompimento na média móvel na barra 12. A
barra 12 foi outro fundo mais alto e uma bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 9. Topos duplos não têm que ser exatos. A
barra 12 era também o pullback do pico de baixa até a barra 11 e o início de um canal de baixa, que tinha mais alguns picos de baixa nele.
A barra 13 quebrou apenas 5 centavos abaixo da barra 11, mas rapidamente deu uma pequena entrada na mínima da barra1. Como a
barra 14 tinha um corpo de alta, um trader mais cauteloso teria esperado por uma segunda entrada. A barra doji que segue a barra 14 era
uma barra de entrada aceitável, mas vender a barra outside que seguiu esta barra doji era mesmo melhor porque era uma baixa 2. Por que
foi uma baixa 2? Porque seguiu duas pequenas pernas para cima. A barra 14 foi a primeira perna para cima, e a barra outside duas barras
depois negociada acima daquela pequena barra doji, criando uma segunda perna para cima (e a entrada de compra baixa 2).
A barra 15 também era uma entrada de venda da barra outside para o pullback após o rompimento abaixo das barras 11 e 13. Foi
especialmente bom porque havia comprados presos que tinham comprado a reversão da barra de alta, achando que era um falso
rompimento abaixo da barra 11 e barra 13 fundo duplo. Sempre que um rompimento abaixo de um fundo duplo tenta reverter e falhar, é
um padrão de cunha falho e, muitas vezes, tem um movimento medido para baixo. O fundo duplo cria os dois primeiros empurrões para
baixo, e o rompimento abaixo do fundo duplo é o terceiro empurrão para baixo.
Como havia quatro barras de tendência de baixa para baixo da barra 14, e os traders inteligentes teriam desejado um pullback fundo
mais alto antes entrarem longo.
Bar 16 foi um pullback baixa 2 após o rompimento abaixo da barra 2 topo de swing de ontem.
Muitos desses trades eram minúsculos scalps e não deveriam ser o foco da maioria dos traders. Sua importância é que eles
ilustram um comportamento comum. Os traders devem se concentrar em negociar os maiores pontos de inflexão, como as barras
4, 7, 9 e 12.

FIGURA 5.7 Falsos rompimentos

Como mostra a Figura 5.7, houve vários falsos rompimentos de bandeiras de alta e de baixa neste gráfico de 60 minutos do EWZ,
o ETF iShares MSCI Brazil Fund. Uma vez que há uma tendência e, em seguida, uma bandeira que possui um falso rompimento
e é seguida por uma reversão, essa bandeira é a bandeira final da tendência.
Uma bandeira de alta final pode reverter depois de um topo mais alto, como nas barras 3 e 9 ou depois de um topo mais baixo
como nas barras 5 e 10. Uma bandeira final de baixa pode se reverter depois de um fundo mais baixo, como nas barras 6, 11, e
13, ou depois de um fundo mais alto, como nas barras 1, 8 e 14.
FIGURA 5.8 Falsos rompimentos

Às vezes, a bandeira final de baixa também é a primeira perna da próxima tendência de alta (veja a Figura 5.8). Este
gráfico de 120 minutos da Tata Motors Ltd. (TTM), uma montadora na Índia, tinha uma bandeira de baixa que terminou
na barra 5 e se tornou a bandeira final do sell-off. A barra 6 fundo mais alto levou a uma subida acentuada para a barra 7,
que estava acima da barra 5 topo mais baixo e, portanto, era mais alta e um sinal de força de alta. Como discutido na
seção sobre bandeiras finais no livro 3, o rompimento da bandeira final de baixa não tem que cair abaixo da mínima da
baixa.

FIGURA 5.9 Falsos rompimentos


Como mostrado na Figura 5.9, o Emini de 5 minutos estava em uma forte tendência de queda até a barra 1, seguido por uma
bandeira de baixa arredondada de baixo momentum que terminou na barra 2. Em seguida, houve uma queda acentuada na
barra 3 que testou a mínima da barra 1. Embora tenha sido um par de tiques mais elevados, foi um teste de fundo duplo de do
fundo da baixa. A recuperação para barra 2 em retrospectiva foi a bandeira final de baixa e efetivamente a primeira perna da
nova tendência de alta, e o sell-off para a barra 3 foi um pullback da recuperação e um falso rompimento da bandeira de baixa. O
pico de alta da barra 3 teve tanto momentum que subiu acima da barra 2 sem uma pausa.
Isso geralmente indica que há mais para ir, então os traders não devem sair rapidamente de suas posições compradas inteiras. O
primeiro pullback foi uma alta 1 na barra 4, bem acima da máxima da barra 2.
FIGURA 5.10 A inclinação da bandeira final pode prever a inclinação da tendência

Às vezes, a inclinação da bandeira final de uma tendência é aproximadamente a mesma da inclinação da nova tendência
após a reversão (veja a Figura 5.10). Este gráfico de 60 minutos de GS tinha uma bandeira de alta final da barra 1 à barra
2, e sua inclinação geral era aproximadamente a mesma que a tendência de baixa que seguiu a reversão. O mercado
conhecia a taxa aproximada de descida que o sell-off teria, mas o sell-off foi brevemente interrompido por um topo mais
alto final até a barra 3. O padrão inteiro da barra 1 até a barra 9 é um canal descendente, que é uma bandeira de alta. A
subida para a barra 3 foi um falso rompimento para cima.
Í

Um gap é simplesmente o espaço entre dois preços. Em gráficos diários, semanais e mensais, os gaps tradicionais são fáceis de
detectar. Por exemplo, se o mercado está em uma tendência de alta e a mínima de hoje está acima da máxima de ontem, então
hoje o gap é para cima. Esses gaps tradicionais são chamados de quebra ou gap de quebra quando se formam no início de uma
tendência, gaps de medida quando estão no meio de uma tendência e os gaps de exaustão quando se formam no fechamento de
uma tendência. Quando um gap se forma em outros momentos, como dentro da fase de pico de uma tendência ou dentro de uma
consolidação , ela é simplesmente chamada de gap. Os traders geralmente não podem classificar um gap até depois de verem o
que o mercado faz a seguir. Por exemplo, se o mercado está saindo do topo de uma consolidação no gráfico diário e a barra de
rompimento é uma barra de tendência de alta grande com uma mínima acima da máxima da barra anterior, os traders vão ver o
gap como um sinal de força e vão enxergar isso como um potencial gap de quebra. Se a nova tendência de alta continuar por
dezenas de barras, eles olharão para o gap e definitivamente o chamarão de gap de quebra. Se, em vez disso, o mercado se
reverter em uma tendência de baixa dentro de algumas barras, eles o chamarão de gap de exaustão.
Se a tendência de alta se estender por cinco ou dez barras ou mais e outro gap aparecer, os investidores pensarão que esse
segundo gap pode se tornar o meio da tendência de alta. Eles verão isso como um possível gap de medida, e muitos traders
procurarão obter lucros em seus longos, uma vez que o mercado faça um movimento medido. O movimento medido é baseado na
altura do fundo da tendência de alta até o meio do gap, e essa altura é adicionada ao meio do gap. Esse tipo de gap geralmente
está na fase de pico de uma tendência, e dá confiança aos investidores para entrar no mercado ou em pequenos pullbacks porque
eles acreditam que o mercado irá se direcionar para um alvo de movimento medido.
Depois que a tendência de alta já passou por dezenas de barras, chega a uma área de resistência e começa a mostrar sinais de
uma possível reversão, os investidores vão prestar atenção no próximo gap, se houver. Se algum se formar, eles verão isso como
um potencial gap de exaustão. Se, antes de ir muito mais alto, o mercado voltar a ficar abaixo da máxima da barra antes do gap,
os traders verão isso como um sinal de fraqueza e pensarão que a diferença pode representar exaustão, que é um tipo de clímax
de compra. Frequentemente, eles não querem comprar novamente até que o mercado tenha corrigido pelo menos 10 barras e
duas pernas. Às vezes, um gap de exaustão se forma antes de uma reversão de tendência e, por causa disso, sempre que houver
um possível gap de exaustão, os traders analisarão a ação geral do preço para ver se a equação do trader garante uma posição
vendida. Se houver uma reversão, a barra de tendência que a cria é, então, um gap de desagregação (uma barra pode funcionar
como um gap) e um possível início de uma tendência na direção oposta.
Como todas as barras de tendência são gaps, os traders podem ver equivalentes intradiários dos gaps tradicionais que são tão
comuns nos gráficos diários.
Se há uma tendência de alta que está em uma área de resistência e é provável que se inverta (as reversões são discutidas no
livro 3), mas tem um rompimento final, essa barra de tendência de alta pode se tornar um gap de exaustão. A barra é, às vezes,
uma barra de tendência de alta muito grande que fecha perto de sua máxima, e ocasionalmente o rompimento final será feito de
duas barras de tendência de grande porte. Este é um clímax de compra potencial, e alerta os traders astutos para vender. Os
compradores vendem para obter lucros, já que acreditam que o mercado provavelmente irá negociar por duas pernas e cerca de
10 barras, possivelmente permitindo que comprem novamente muito mais baixo. Eles também estão cientes da possibilidade de
um clímax de compra exaustivo e reversão de tendência, e não querem arriscar-se a devolver nenhum de seus lucros.
Os vendedores agressivos também estão cientes disso e venderão para iniciar a venda. Se uma barra forte de tendência de
baixa se formar dentro das próximas barras e a direção sempre virada para baixo, essa barra de tendência de alta final se
tornará um gap de exaustão confirmado, e a barra de tendência de baixa se tornará um gap de quebra. A barra de tendência de
alta seguida pela barra de tendência de baixa é uma reversão climática e uma reversão de duas barras. Se houver uma ou mais
barras entre as duas barras de tendência, essas barras formam um topo de ilha. A parte inferior do topo da ilha é a parte
superior da abertura de rompimento de baixa e, como todas as falhas, pode ser testada. Se isso acontecer e o mercado cair
novamente, esse teste de rompimento forma um fundo mais alto. Se a reversão inicial for forte, tanto os compradores quanto os
vendedores ficarão vendidos, enquanto o mercado testa o topo da ilha e o mercado recua novamente, já que ambos estão mais
confiantes de que o mercado cairá para cerca de 10 ou mais barras. Os compradores venderão para garantir lucros ou para
minimizar as perdas, se eles comprarem mais alto, à medida que as barras de tendência de alta estão se formando. Os
vendedores vão procurar iniciar vendas. Uma vez que o mercado negocia para baixo por muitas barras, tomadores de lucro
(vendedores comprando de volta seus curtos) entrarão e criarão um pullback ou uma consolidação . Se o mercado voltar a ter
uma barra de tendência de baixa que fica abaixo da consolidação , essa barra é um possível gap de medida, e os traders tentarão
manter parte de seus curtos até que o mercado se aproxime desse alvo.
À medida que o mercado cai, os investidores vão pensar em a força das barras de baixa. Se houver uma ou duas barras
grandes de tendência de baixa fechando perto de suas mínimas, os traders presumirão que a direção sempre-ativo pode
estar tendendo para em baixa. Eles assistirão às próximas barras para ver se uma barra de sinal de compra alta 1 se
desenvolve. Se uma for formada e for fraca (em relação ao sell-off), como uma pequena doji de alta ou uma barra de baixa,
mais traders venderão acima da sua máxima do que comprarão. Lembre-se, este é um pullback alta1 no que tem sido uma
tendência de alta, mas agora os investidores estão procurando por cerca de 10 barras de lado a baixo, então mais deles vão
vender acima da máxima da barra de sinal de compra alta 1 do que comprar. Se eles estiverem certos, o sinal de compra
alto 1 falhará e formará um topo mais baixo. Se a reversão para baixo é forte, os traders também venderão abaixo do topo
mais alto e abaixo da barra de sinal de compra alta 1. Se o mercado se inclinar mais para baixo e, em seguida, formar uma
configuração de compra alta 2, os vendedores assumirão que ela também falhará e colocarão ordens com limite de preço e
acima de sua máxima para ficarem para entrar curto. Outros vendedores colocarão ordens de stop para ficarem um pouco
abaixo da barra de sinal de compra alta 2, porque é onde os compradores que compraram a alta 2 terão seus stops de
proteção. Uma vez que estes compradores sejam stopados, eles provavelmente não procurarão comprar novamente pelo
menos um par de barras, e a ausência de compradores e a presença de vendedores podem levar a um rompimento de baixa.
Se for fraco, os compradores podem criar uma bandeira de alta em forma de cunha (uma configuração de compra alta 3).
Se o rompimento for forte, o movimento para baixo provavelmente irá para pelo menos duas pernas pequenas, e atingirá
um movimento medido, baseado na altura da consolidação (o topo de alta até barra de sinal de alta, alta 2). A barra de
rompimento torna-se então um gap de medida. Se os compradores forem bem-sucedidos em transformar o mercado em alta
3 (uma bandeira em forma de cunha), então o gap de medida de baixa será fechado e se tornará um gap de exaustão.
Esse processo acontece muitas vezes ao dia em todos os gráficos, e os traders estão sempre se perguntando se um rompimento
provavelmente terá sucesso (e transformará a barra de rompimento em um gap de medida), ou será mais provável que ela falhe (e vire a
barra de tendência que formou o gráfico em um gap de exaustão). Os rótulos não são importantes, mas as implicações são.
Esta é a decisão mais importante que os traders tomam, e eles fazem isso sempre que consideram qualquer trade: Haverá mais
compradores ou vendedores acima e abaixo da barra anterior? Sempre que eles acreditam que há um desequilíbrio, eles têm uma
vantagem. No caso do rompimento de alta, quando finalmente houver uma barra de sinal para um falso rompimento, os traders
decidirão se haverá mais compradores ou vendedores abaixo dessa barra. Se eles acham que o rompimento é forte, eles vão
assumir que haverá mais compradores, e eles vão comprar abaixo da barra. Outros vão esperar para ver se a próxima barra só cai
por alguns tiques. Em caso afirmativo, eles colocarão ordens de stop para comprar acima, e eles considerarão que é uma
configuração de compra de pullback. O gap, então, provavelmente se tornará um gap de medida. Os vendedores verão essa barra
de sinal para o falso rompimento como um sinal de venda forte, e eles venderão abaixo de sua mínima. Se eles estiverem certos, o
mercado vai cair, e fechar o gap (transformando-o em um gap de exaustão), e logo passar abaixo da mínima da barra de
rompimento de alta, e eles esperam que ele continue bem abaixo.
“Todas os gaps serão fechados” é um ditado que você às vezes ouve, mas esse ditado raramente ajuda os traders. O mercado está
sempre voltando para testar para preços anteriores, então o ditado seria mais preciso se fosse "todos os preços anteriores são
testados". No entanto, traders suficientes prestam atenção nos gaps para que atuem como ímãs, especialmente quando o
pullback chega perto deles. Quanto mais próximo o mercado chegar de qualquer ímã, mais forte será o campo magnético e mais
provavelmente o mercado alcançará o ímã (essa é a base para comprar e vender vácuos). Por exemplo, se houver um gap em uma
tendência de alta, uma vez que finalmente há uma correção ou uma reversão, o mercado pode ter uma probabilidade
ligeiramente menor de cair abaixo da máxima da barra antes de gap (e, portanto, fechar o gap) do que descer abaixo de qualquer
outra barra na recuperação. No entanto, como os gaps são imãs, os traders podem procurar oportunidades de negociação à
medida que o mercado as aproxima, da mesma forma como o mercado se aproxima de qualquer ímã.
Gaps onde a mínima de uma barra está acima da máxima da barra anterior, ou onde a máxima de uma barra está abaixo da
mínima da barra anterior, são raros em um gráfico intradiário de um ativo altamente líquido, exceto na primeira barra o dia,
quando eles são comuns. No entanto, se usarmos uma definição ampla, os gaps de outros tipos ocorrem muitas vezes todos os
dias em um gráfico de 5 minutos, e elas podem ser úteis para entender o que o mercado está fazendo e para estabelecer trades.
Ocasionalmente, a abertura de uma barra em um gráfico de 5 minutos estará acima do fechamento da barra anterior, e isso
geralmente é uma indicação sutil de força. Por exemplo, se houver duas ou três desses gaps em barras de tendência de alta
consecutivas, os compradores provavelmente serão fortes. Todos esses gaps têm o mesmo significado nos gráficos diários,
semanais e mensais.
Como os gaps são elementos importantes da ação do preço, os traders intradiários devem usar uma definição ampla de gap e
olhar as barras de tendência como equivalentes intradiários porque são funcionalmente idênticas. Se o volume fosse
suficientemente fino, haveria gaps reais em todos os gráficos intradiários sempre que houvesse uma série de barras de tendência.
Lembre-se, todas as barras de tendência são picos, rompimentos e clímax, e um rompimento é uma variante de um gap. Quando
há um grande gap na primeira barra do dia no Emini, haverá uma grande barra de tendência de alta no índice S&P 500. Esse é
um exemplo de como um gap e uma barra de tendência representam o mesmo comportamento. Quando há uma grande barra de
tendência no início de uma tendência, ela cria um gap de quebra. Por exemplo, se o mercado está se revertendo de uma baixa ou
saindo de uma consolidação , a máxima da barra antes da barra de tendência e a mínima da barra depois de criar o gap de
quebra. Você pode simplesmente pensar em todo o corpo da barra de tendência como um gap também, e pode haver outros swings
recentes que alguns traders considerarão como a parte inferior do gap. Muitas vezes não há uma única escolha, mas isso não
importa. O que importa é que há um rompimento, o que significa que existe um gap, mesmo que um gap tradicional não seja
visível no gráfico.
O mercado irá, muitas vezes, afundar um tique ou dois abaixo da máxima da barra antes da barra de tendência, e os traders
ainda acharão que a rompimento está em vigor desde que o pullback não caia abaixo da barra de baixa. Em geral, se o mercado
cair mais do que um par de tiques abaixo da máxima da barra antes, os traders perderão a confiança no rompimento e pode não
haver muito sucesso, mesmo se não houver reversão.
Sempre que houver uma barra de tendência em um potencial rompimento de alta, sempre observe a máxima da barra antes
dela e a mínima da barra depois dela. Se eles não se sobrepuserem, o espaço entre eles pode funcionar como um gap de medida. Se
a tendência continuar, procure a obtenção de lucro no movimento medido (com base na mínima da perna de alta até o meio do
gap). Às vezes, a parte inferior do gap será um topo que formou várias barras mais cedo, ou um topo dentro do pico, mas um par de
barras antes da barra de tendência. A parte de baixo do gap pode ser um fundo de swing que forma muitas barras após a barra de
rompimento. O mesmo vale para uma barra de tendência de baixa que está saindo em uma perna de baixa. Sempre olhe para os
potenciais gaps de medido, o mais óbvio é aquele entre a mínima da barra antes da barra de tendência de alta e a máxima da
barra depois dela.
Se a tendência de alta tiver ocorrido por 5 a 10 ou mais barras e, em seguida, houver outra tendência de alta, pode se
tornar apenas um gap comum, um gap de medida ou um gap de exaustão. Os traders não saberão até que vejam os próximos
várias barras. Se houver outra tendência de alta forte, as probabilidades de um gap de medida são maiores e os compradores
continuarão a comprar com a expectativa de que a recuperação continue por cerca de um movimento medido, com base no meio do
gap.
Outro gap comum é entre a máxima ou a mínima de uma barra e a média móvel. Nas tendências, elas podem configurar
bons swing trades que testam o extremo da tendência e, nas faixas de negociação, eles geralmente configuram scalps para a média
móvel. Por exemplo, se houver uma forte tendência de baixa e o mercado finalmente subir acima da média móvel, a primeira
barra nessa recuperação que tem uma mínima acima da média móvel é a primeira barra de gap média móvel. Os traders farão
uma ordem de stop de venda a um tique abaixo da mínima da barra para ficarem a descoberto, procurando um teste da mínima
do mercado de baixa. Se o stop não for acionado, eles continuarão movendo o stop até um tique abaixo da barra que acabou de
fechar até que sua venda seja acionada. Às vezes, eles vão ser stopados pelo mercado, movendo-se acima da barra de sinal, e se
isso acontecer, eles tentarão mais uma vez entrar novamente nos seus curtos a um tique abaixo da mínima da barra anterior.
Uma vez acionada, a barra de sinal é um segundo sinal de venda da barra de gap de média móvel.
Os gaps de média móvel ocorrem muitas vezes ao dia todos os dias e, na maioria das vezes, ocorrem na ausência de uma
tendência forte. Se os traders forem seletivos, muitas dessas barras de gap podem configurar fades para a média móvel. Por
exemplo, suponha que o dia seja um dia de consolidação e que o mercado esteja acima da média móvel por uma hora ou mais. Se,
em seguida, vender abaixo da média móvel, mas for seguida por uma forte barra de reversão de alta com uma máxima que está
abaixo da média móvel, os traders freqüentemente venderão muito acima dessa barra se houver espaço suficiente entre a máxima
daquela barra e a média móvel. média para um scalp de compra.
Rompimentos em todos os prazos, incluindo gráficos diários e intradiários, muitas vezes formam gap de quebra e gap de
medida que são diferentes das versões tradicionais. O espaço entre o ponto de rompimento e a primeira pausa ou pullback após
o rompimento é um gap, e se aparecer no início de uma possível tendência forte, é um gap de quebra e é um sinal de força.
Embora leve a um movimento medido desde o início da perna, o alvo geralmente é muito próximo para os traders obterem
lucros e, portanto, eles devem ignorar a projeção de movimento medido. Em vez disso, eles devem pensar em o gap como
apenas um sinal de força e não uma ferramenta para usar para criar um alvo para obter lucros. Por exemplo, se o range médio
diário no Emini foi de cerca de 12 pontos e após cerca de uma hora no dia a faixa é de apenas três pontos, o gap formado por
um rompimento levaria a um alvo que resultaria em uma faixa para o dia de apenas seis pontos. Se uma tendência está
apenas começando, é mais provável que a faixa atinja a média de 12 pontos e não apenas seis pontos, e, portanto, os traders
não devem obter lucros no alvo de movimento medido.
Quando a distância entre o início da perna e o gap de quebra é de cerca de um terço a metade de uma faixa média diária,
seu meio geralmente leva a uma projeção de movimento medida em que os traders podem obter lucros ou até mesmo reverter
suas posições. Por exemplo, se o mercado está em uma consolidação e, em seguida, o mercado forma uma barra de tendência de
alta grande que rompe acima da consolidação , o topo de swing no topo da faixa é o ponto de rompimento. Se o mercado se mover
lateralmente ou para cima na próxima barra, a baixa dessa barra é o primeiro preço a ser considerado como o teste de abertura;
o ponto médio entre o fundo e o ponto de rompimento muitas vezes se torna o meio da perna de alta, e o espaço é um gap de
medida. Se a faixa for de cerca de um terço a metade da faixa médio diário recente, use o fundo da perna como ponto de partida
para o movimento medido; meça o número de tiques entre aquela mínima e o meio do gap de medida e projete o mesmo número
de tiques acima desse ponto médio. Então olhe para ver como o mercado se comporta se se aproximar de um tique ou mais do
movimento medido. Se dentro de algumas barras do rompimento o mercado puxar de volta para o gap, mas depois se recupera,
use esse pullback como o teste de rompimento, e então o gap de medida está entre aquela mínima e o ponto de rompimento. Este
é um sinal de força. Uma vez que o mercado se incline para a projeção de movimento medido, muitos traders terão lucros
parciais ou totais em seus longos. Se a subida for fraca, alguns traders podem até mesmo colocar ordens de limite no alvo de
movimentação, embora apenas traders experientes devam considerar isso.
Os traders de Ondas de Elliott veem a maioria desses gaps como sendo formados por uma pequena onda 4 que fica acima da alta
da onda 1, e esperam que uma onda 5 ocorra. Um volume insuficiente está sendo negociado com base na teoria das Ondas de
Elliot para fazer deste um componente significativo da ação do preço, mas sempre que um pullback não cair abaixo do ponto de
rompimento, todos os traders veem isso como um sinal de força e esperam um teste do topo da tendência. O pullback é um teste
de rompimento.
Se o pullback cair um pouco abaixo do ponto de rompimento, isso é um sinal de falta de força. Você ainda pode usar o meio entre
essa mínima e o rompimento, mesmo que o pullback esteja abaixo do rompimento. Quando isso acontece, refiro-me a esse tipo de gap
como um gap negativo, uma vez que a diferença matemática é um número negativo. Por exemplo, em um rompimento de alta, se você
subtrair a máxima do ponto de rompimento da barra de teste de rompimento, o resultado será um número negativo. Gaps de medida
negativos levam a projeções que são menos confiáveis, mas ainda podem ser muito precisas e, portanto, valem a pena assistir. Aliás, os
padrões de escadas têm gaps negativos após cada novo rompimento.
Pequenos gaps de medida também podem se formar em torno de qualquer barra de tendência. Esses microgaps de medida
ocorrem se a barra antes e a barra após a barra de tendência não se sobrepuserem e, como qualquer gap, podem levar a um movimento
medido. O movimento medido geralmente será mais preciso se a barra de tendência estiver atuando como um rompimento. Por exemplo,
olhe para qualquer barra de tendência de alta forte em qualquer perna de alta onde a barra de tendência está entrando em uma perna de
alta forte. Se a mínima da barra estiver no mesmo preço ou acima da máxima da barra anterior, o espaço entre ela é um gap e pode ser
um gap de medida. Meça desde o começo da perna até o meio do gap, e projete para cima para ver o quão alto o mercado teria que ir se o
gap estivesse no meio da perna. Esta é uma área onde os longos podem ter lucros. Se houver outras razões para vender, os vendedores
também farão mais vendas. Quando esses microgaps ocorrem nas primeiras barras de uma tendência, o mercado geralmente se estende
muito além de um movimento medido com base no gap. Não use o gap para encontrar uma área na qual obter lucros, porque o mercado
provavelmente irá muito além e você não quer sair logo de um grande swing. No entanto, esses gaps ainda são importantes nos estágios
iniciais de uma tendência, porque dão aos traders de tendência mais confiança na força da tendência.
Os rompimentos ocorrem muitas vezes todos os dias, mas a maioria falha, e o mercado reverte. No entanto, quando conseguem,
oferecem uma recompensa potencial que pode ser várias vezes maior que o risco com uma probabilidade aceitável de sucesso. Uma vez
que um trader aprenda a determinar se um rompimento provavelmente será bem-sucedido, esses trades devem ser considerados.
Existem outros exemplos de gaps de medida no Capítulo 8, sobre movimentos medidos.
Usando essa ampla definição de gap, os traders podem descobrir muitas oportunidades de trade. Um tipo muito comum de gap ocorre
em três barras de tendência consecutivas em qualquer gráfico. Por exemplo, se estas três barras estão em tendência de alta e a mínima
da barra 3 está igual ou acima da máxima da barra 1, existe um gap e pode funcionar como um gap de medida ou um gap de quebra. A
máxima da barra 1 é o ponto de rompimento e é testada pela mínima da barra 3, que se torna o teste de rompimento. Em um gráfico de
time frame menor, você pode ver o topo de swing na máxima da barra 1 e o fundo de swing na mínima da barra 3. É fácil ignorar essa
configuração, mas se você estudar gráficos, verá que esses gaps frequentemente são testados dentro das próximas muitas barras, mas
não são fechados e, portanto, isso é uma evidência de que os compradores são fortes.
Um gap relacionado ocorre depois que o mercado esteve em tendência por muitas barras, mas agora tem uma barra
de tendência excepcionalmente grande. Por exemplo, se o mercado estiver subindo nas últimas duas horas, mas agora, de
repente, forma uma barra de tendência de alta muito grande, perto da sua máxima, especialmente se a máxima dessa
barra ou aquela cujas próximas barras se estendem acima de uma linha de canal de tendência, um ou mais gaps
importantes com um ou mais pontos de rompimento e testes de rompimento são criados. Raramente, esta barra é o começo
de uma tendência de alta nova, ainda mais íngreme, mas muito mais comumente representa um clímax de compra em
uma tendência de alta exagerada e esgotada e será seguido dentro de algumas barras por uma correção lateral para baixo
que poderia durar aproximadamente 10 barras ou mais, e pode até se tornar uma reversão de tendência. Traders
experientes esperam por essas barras, e sua espera remove vendedores do mercado e cria um vácuo de compra que suga o
mercado rapidamente. Uma vez que eles o veem, os compradores tiram lucros e os vendedores vendem no fechamento da
barra, acima da barra, no fechamento da próxima barra ou duas, se forem fracos, ou em um stop abaixo dessas barras.
Olhe para as barras antes e depois da barra de clímax de compra. O primeiro gap a ser considerada é aquela entre a
mínima da barra e a máxima da barra antes dela. Se o mercado continuar subindo por algumas barras e depois recuar e
subir novamente, o teste de rompimento é agora o menor desse pullback. Se o mercado estiver abaixo da máxima da barra
antes da barra de clímax de compra, o gap é então fechado. Se o mercado continuar caindo em uma grande perna para
baixo, o gap se tornará um gap de exaustão.
Além disso, observe as barras antes do rompimento de alta para outros possíveis pontos de rompimento. Estes
geralmente são topos de swing e pode haver vários a considerar. Por exemplo, pode ter havido um pequeno topo de swing
mais alto algumas barras antes, mas outro par de topos de swing mais altos que se formaram algumas horas antes. Se a
barra de rompimento quebrou fortemente acima de todos eles, eles são todos possíveis pontos de rompimento que
poderiam levar a um movimento medido e você pode ter que considerar as projeções a partir do ponto médio de cada um
desses gaps. Se houver uma confluência de resistência em uma das projeções, como uma linha de canal de tendência, uma
linha de tendência de baixa em um time frame maior ou um par de outros alvos de movimento medido com base em outros
cálculos, como a altura da consolidação tomadores de lucro entrarão nesse nível e também haverá alguns curtos. Alguns
dos curtos serão scalps, mas outros traders estarão estabelecendo swing trades e adicionarão em preços mais altos.
Existe uma crença amplamente aceita de que a maioria dos gaps é fechada ou pelo menos o ponto de rompimento é
testado, e isso é verdade. Sempre que algo é provável que aconteça, existe uma oportunidade de negociação. Quando há um
pico e um canal de baixa, o mercado geralmente corrige de volta até o topo do canal, que é a parte inferior do gap, e tenta
formar um topo duplo para um teste inativo. Quando há uma barra de clímax de compra acima de um topo de swing
significativo, geralmente haverá um pullback que testa aquele topo, de modo que os traders devem procurar configurações de
venda que possam levar ao teste. No entanto, não fique muito ansioso e certifique-se de que a configuração faça sentido e que
exista outra evidência de que o pullback provavelmente será iminente. Isso pode ser uma bandeira de alta lateral que rompe e
corre por um par de barras e, em seguida, tem uma barra de reversão forte, transformando essa bandeira de alta em uma
possível bandeira final. As bandeiras finais geralmente são seguidas por pelo menos uma correção de duas pernas que testa o
fundo da bandeira; eles geralmente caem para um movimento medido de baixo para cima e para baixo, e às vezes levam a uma
reversão de tendência. Tudo isso que foi dito é verdade para os rompimentos de baixa também.
Além dos gaps de rompimento que se formam no início das tendências e dos gaps de medida que se formam no meio, os gaps de
exaustão se formam quando uma tendência está tentando reverter. Quando há um gap no fechamento de uma tendência e depois
o mercado reverte e fecha o gap, o gap se transforma em um gap de exaustão e, como todos os sinais de exaustão (discutidos no
livro 3 sobre reversões), ele geralmente é seguido por uma consolidação , mas às vezes leva a uma reversão. Estes são mais
importantes para os traders que estão negociando fora dos gráficos diários, mas os day traders os veem o tempo todo como gaps
de abertura que levam a reversões de abertura. Os day traders pensam neles como gaps de abertura fracassados, mas são um
tipo de gap de exaustão. No gráfico diário, se houver um gap de exaustão seguido por um gap de quebra na direção oposta e esse
gap permanecer aberto após a barra se fechar, isso cria um padrão de ilhas reversão.
Por exemplo, se houver uma tendência de alta e, em seguida, houver um gap que é seguido por um gap na próxima barra ou até
mesmo uma dúzia de barras mais tarde, as barras entre os dois gaps serão consideradas como o topo da ilha de reversãodf. A
Figura 18.4 (no Capítulo 18) mostra um exemplo de um fundo da ilha em um gráfico diário.
Sempre que houver um canal e, em seguida, uma barra de tendência que se feche além do extremo da barra anterior, os traders
devem observar se um gap se forma. Por exemplo, se houver um canal de alta ou uma bandeira de baixa e a barra seguinte
fechar vários tiques acima da máxima da barra anterior, essa barra de rompimento pode se tornar um gap de medida. Observe a
mínima da próxima barra para ver se ela fica acima da máxima da barra anterior. Se assim for, a barra de rompimento pode ser
um gap de medida. Se o gap se fechar, a barra de tendência pode ser um gap de exaustão e o pico de alta pode levar a uma
reversão para baixo.
Os gaps do rompimento são discutidos mais adiante, também no primeiro livro do Capítulo 23 sobre as tendências a partir da
abertura e ainda no terceiro livro no capítulo sobre gaps de abertura.

FIGURA 6.1 Muitos tipos de gaps em um gráfico diário.

Os gaps tradicionais em um gráfico diário são classificados coma faixas de ruptura (gaps de quebra), gaps de medida, gaps de exaustão
e apenas gaps comuns. Na maior parte, a classificação não é importante, e um intervalo que aparece como um tipo inicialmente pode ser
visto como um tipo diferente mais tarde. Por exemplo, o gap 5 no gráfico diário de AAPL mostrado na Figura 6.1 pode ter sido um gap
de medida, mas acabou como um gap de exaustão. Além disso, quando um mercado está em uma tendência forte, muitas vezes tem uma
série de gaps e qualquer um pode se tornar um gap de medida. Os traders precisam estar cientes de cada possibilidade. Por exemplo, os
gaps 4, 21, 25, 26, 27 e 45 eram potenciais gaps de medida. O gap 4 era um gap de medida e a máxima da barra 6 era quase um
movimento medido perfeito. A barra 2 no fundo da perna até o meio da fenda tinha aproximadamente tantos tiques quanto o meio da
fenda até o topo da barra 6, onde os tomadores de lucro entravam, assim como novos vendedores fortes. A obtenção de lucro veio logo
abaixo dos alvos com base nos gaps 26 e 45.
Os gaps de rompimento geralmente mudam a direção sempre em direção e, portanto, são um importante sinal de força. A maioria dos
traders classificaria os seguintes gaps de rompimento: gaps 3, 7, 11, 15, 18, 29, 32, 36, 44 e 47.
Quando há um rompimento e um gap, observe o gap como um sinal de força e não como uma ferramenta para criar um alvo de
movimento medido. Quando uma tendência está apenas começando, é um erro obter lucros cedo demais. Não use um candidato
razoável para um gap de quebra como um gap de medida.
A recuperação até a barra 22 rompeu acima da máxima da barra 6 e os pullbacks para as barras 23 e 24 foram testes de
rompimento. O espaço entre a mínima da barra 24, onde o mercado voltou a subir, e a máxima da barra 6 é o gap de quebra. Aqui,
porque a mínima da barra 24 estava abaixo da máxima da barra 6, o gap de abertura era negativo. Como era um rompimento de uma
grande consolidação , tinha uma boa chance de também ser um gap de medida.
Alguns traders experientes teriam dado fade no rompimento e vendido a descoberto abaixo da barra 22, procurando um teste do
ponto de rompimento e um rápido scalp para baixo. Os compradores estavam procurando a mesma coisa e estavam prontos para
comprar avidamente no mercado ou em ordens de limite quando o pullback era testado no gap. Os compradores originalmente
compraram o rompimento na subida para a barra 22, e sua ânsia de comprar novamente pelo mesmo preço permitiu que a nova
tendência de alta voltasse e fosse pelo menos algum tipo de movimento medido (por exemplo, poderia ter sido com base na altura do
pullback da máxima da barra 22 para a mínima da barra 23).
Depois de uma tendência ter durado algum tempo, os investidores começarão a procurar um pullback mais profundo. Um gap
freqüentemente aparece antes da correção, e esse gap é um gap de exaustão, como os gaps 5, 16, 27, 33 e 45.
Quando um gap ocorre como parte de uma série em um pico ou dentro de uma consolidação , ele geralmente não é classificado e
a maioria dos traders se refere a ele simplesmente como um gap, como os gaps 19, 20, 37 e 38.
FIGURA 6.2 Barras de tendência são o mesmo que gaps

Os gaps tradicionais em gráficos intradiários geralmente podem ser vistos em gráficos de 5 minutos somente se o volume for
extremamente pequeno. A Figura 6.2 mostra dois fundos negociados em bolsa (ETFs) relacionados. A FAS da esquerda negociou
16 milhões de ações hoje, e a RKH à direita negociou apenas 98.000 ações. Todas os gaps no gráfico RKH eram barras de
tendência no gráfico FAS, e muitas das grandes barras de tendência no gráfico FAS eram gaps no gráfico RKH, demonstrando
que uma barra de tendência é uma variante de um gap.

FIGURA 6.3 Barras de tendência são gaps


Gráficos intradiários possuem suas próprias versões de gaps. Cada barra de tendência é um pico, um rompimento e um clímax, e
como cada rompimento é uma variante de um gap, cada barra de tendência é um tipo de gap. Gaps na abertura são comuns na maioria dos
gráficos de 5 minutos. Na Figura 6.3, a barra 2 ficou abaixo da mínima da barra final de ontem, criando um gap de abertura.
O mercado reverteu na barra 5 e, no momento da reversão, as probabilidades de ser o início de uma tendência de alta foram boas, tendo
em conta a forte base. Porque foi o início de uma tendência de alta, foi um gap de quebra. Alguns traders viram seu corpo como o gap, e
outros pensaram que o gap era o espaço entre a máxima da barra 4 e a mínima da barra 6.

A barra 6 e barra 7 também eram barras de tendência e, portanto, também gaps. É comum que as tendências tenham gaps ao
longo do caminho e sejam um sinal de força.
A barra 11 foi um rompimento da bandeira de alta da barra 9 para a barra 10 e um rompimento acima da faixa de abertura. Uma
vez que a faixa de abertura era de cerca de metade do tamanho de uma faixa média diária, os traders estavam procurando uma duplicação
da faixa, e isso tornava a barra 11 um provável gap de medida, bem como um gap de quebra.
O mercado hesitou por três barras entre a barra 12 e a barra 13, na área de alta de ontem, entrando no fechamento. Alguns traders
viram isso como o topo da faixa de abertura de hoje. A barra 13 era uma barra de reversão de baixa, e como o mercado poderia ter
negociado abaixo dela, os vendedores viam isso como uma barra de sinal para uma falha do rompimento (tanto da máxima da barra 9
quanto da máxima do fechamento de ontem). Como o rompimento era tão forte, muito mais traders presumiram que o sinal de venda de
falso rompimento não teria sucesso e, portanto, colocaram ordens de limite para comprar no mesmo preço e abaixo da sua mínima. Esses
compradores agressivos foram capazes de levantar o mercado rapidamente na barra 14. A mínima da barra 14 formou a parte superior do
gap de medida, e a máxima da barra 9 foi a parte inferior. Como a barra 14 era uma barra outside, foi uma entrada de compra que acionou
a compra, pois o mercado subiu acima da máxima da barra anterior (barra 13). A tendência de alta foi muito além do alvo de movimento
medido. Se os vendedores tivessem conseguido reverter o mercado, a barra 11 teria se tornado um gap de exaustão em vez de um gap de
medida.

Enquanto o pullback não caísse mais do que um tique ou mais abaixo da barra 9, os traders ainda teriam olhado para o gap como
um gap de medida, e eles teriam considerado lucros parciais no alvo de movimento medido (o mercado subiu tão agudamente que muitos
não teriam saído no alvo).

Se o mercado caísse ainda mais, os traders não teriam confiado em nenhum movimento avaliado com base no gap da barra 11 e,
em vez disso, teriam buscado outras maneiras de calcular os alvos de movimento medido. Nesse ponto, referir-se à barra 11 como um gap
de medida ou exaustão não faria sentido, e os traders já não teriam pensado nisso nesses termos. Enquanto o sell-off não caísse abaixo da
mínima da barra 10, os compradores teriam considerado o rompimento como bem-sucedido. Se caísse abaixo da máxima da barra 10, ou da
mínima da barra 10, os traders teriam visto o mercado como uma consolidação , ou possivelmente até mesmo uma tendência de baixa, se a
venda fosse forte. A barra 14 foi um teste de rompimento da faixa da barra 11. Ela não atingiu o ponto de rompimento da barra 9 por um
tique e voltou a subir. Por não deixar o mercado cair abaixo da máxima da barra 9 ou da mínima da barra 12, os compradores estavam
mostrando sua força. O mercado estourou novamente na barra 15, o que significava que a barra 15 era um gap de quebra e um
potencial gap de medida. Alguns traders teriam usado a altura da faixa de abertura para o movimento medido (a mínima da barra 4
para a máxima da barra 13), e outros teriam usado o meio da faixa entre o ponto de rompimento da barra 13 e o pullback da barra 15.
Barras 15 e 16 também foram gaps em uma tendência de alta e, portanto, sinais de força.
A barra 17 era uma barra de tendência de alta especialmente grande em uma tendência que durou 10 ou 20 barras e, portanto, era
provável que funcionasse como um tipo de barra de tendência de exaustão e um possível gap de exaustão. Clímaces de compra, por
vezes, levam a reversões, entretanto, mais frequentemente apenas levam a correções que duram cerca de 10 barras e muitas vezes têm
duas pernas.
A barra 19 foi outro potencial gap de quebra, uma vez que foi o rompimento acima de uma pequena bandeira de alta, mas depois de
um clímax de compra, mais de uma correção era provável.
A barra 20 foi uma tentativa de um gap de quebra de baixa, mas o corpo era muito pequeno; a barra não quebrou abaixo do fundo da
consolidação em desenvolvimento (a mínima da barra antes da barra 19).
A barra 22 era um gap de quebra, e os vendedores esperavam que ela levasse a um movimento medido para baixo (e, portanto, se
tornasse um gap de medida). Ela tinha um grande corpo de baixa e quebrou abaixo de uma borda de cinco barras e no fundo da
consolidação . No entanto, em uma forte tendência de alta, poderia simplesmente ter sido parte de um teste de média móvel, e poderia
simplesmente ter sido devido a um vácuo de venda, com fortes compradores e vendedores esperando apenas por preços ligeiramente
mais baixos. Os compradores estavam esperando para comprar para iniciar novos longos, e os vendedores estavam esperando para
obter lucros em seus curtos.
A barra 23 estendeu o rompimento, mas não houve continuidade e, como a maioria das tentativas de reversão e a maioria das
tentativas de rompimento nas tendências de alta, falhou. A maioria dos traders queria ver mais uma barra de tendência antes de
considerar o mercado como tendo sido sempre-ativo em baixa. Essa é uma situação comum, e é por isso que os compradores agressivos
compram fechamentos de barras como a barra 23, esperando que os vendedores não consigam virar o mercado para sempre-ativo em
baixa. Isso permite que os compradores fiquem comprados perto do fundo da correção.
A barra 24 era uma barra de gap de média móvel em movimento e uma barra de sinal para o final de duas pernas abaixo da barra
17, clímax de compra. Embora a barra 22 possa ser considerada um gap de exaustão, uma vez que foi o fim de uma tendência de
pequeno porte, a maioria dos traders ainda viu o mercado como sempre-ativo em alta e a tendência ainda era de alta, então não houve
tendência significativa a esgotar. Este foi um pullback em uma tendência de alta e não uma nova tendência de baixa. A barra 22 foi,
portanto, apenas um falso rompimento.
A barra 25 foi outro rompimento, uma vez que o mercado estava se revertendo de um pullback em uma tendência de alta e,
portanto, rompendo acima de uma bandeira de alta (a barra inside de alta após a barra 23 era a barra de sinal da entrada da bandeira
de alta). A barra 25 era uma bandeira de baixa em potencial depois do pico para baixo até a barra 23. Como a barra 25 fechou bem
acima da máxima da barra 24, os vendedores provavelmente desistiram de sua premissa de que uma segunda perna para
baixo seguiria. Esse fechamento criou a possibilidade de que a barra 25 fosse um gap de medida, o que foi, já que a barra
26 virou o mercado para cima novamente após uma pausa de uma barra. A recuperação foi bem acima do alvo de
movimento medido e a barra 25 se tornou um gap de quebra.
Alguns traders ainda se perguntavam se um canal de baixa poderia estar em andamento, mas quando a barra 26 ficou
acima da barra de tendência de baixa antes e acima do topo da barra 22, a teoria de baixa era insustentável para a
maioria dos traders.
Barras 27, 29, 32 e 40 também foram gaps de quebra de alta.
A barra 36 era um gap de quebra, mas a barra seguinte reverteu. Alguns traders viram então a barra 36 como um gap de
exaustão e um possível fim da alta e o início de uma consolidação ou uma correção maior.
As barras 37, 38 e 39 foram gaps de baixa e sinais de força por parte dos vendedores (pressão de venda).
FIGURA 6.4 Gaps intradiários

Este gráfico Emini de 5 minutos na Figura 6.4 ilustra vários gaps. A única diferença tradicional ocorreu na abertura
quando a mínima da primeira barra do dia ficou acima da máxima da barra final de ontem. No entanto, como a primeira barra
não ficou acima da máxima de ontem, não houve diferença no gráfico diário.
O mercado caiu para a barra 13 e depois subiu acima da média móvel, rompendo a linha de tendência de baixa. Observe
como a a mínma da barra 14 está acima da média móvel e é a primeira barra em mais de duas horas. Isso é um gap de média
móvel, e esses gaps freqüentemente levam a um teste de fundo mais baixo e depois a uma subida de duas pernas, especialmente
se o movimento para cima até a barra de gap se romper acima da linha de tendência de baixa como aconteceu aqui. Aqui, isso
levou a uma reversão de tendência fundo mais alto na barra 15 e depois uma segunda perna até a barra 18.
A barra 6 rompeu acima das máximas das barras 1 e 4, que se tornaram pontos de rompimento. O espaço entre estas
máximas e a mínima de bar 6 era um gap, e foi fechado na barra após a barra 6. Day-traders enxergam nisso como simplesmente
um gap para cima e uma reversão de abertura para baixo, mas é uma forma de gap de exaustão.
A barra de tendência de baixa antes da barra 10 abriu perto da sua máxima, fechou perto da sua mínima e tinha uma
faixa relativamente grande. Desde que se formou, depois de o mercado ter caído por muitas barras, foi um clímax de venda onde
houve um último suspiro de vendas sem ninguém que estaria disposto a vender até depois de um pullback, que geralmente tem
duas pernas. Essa barra de rompimento quebrou abaixo de muitos fundos de swing (barras 2, 3, 5, 7 e 9), e a barra 11 tornou-se o
teste de rompimento. Houve também um grande gap entre a máxima da barra 10 e a média móvel, e esso gap foi fechado por um
movimento de duas pernas que formou uma configuração de venda de baixa 2.

O meio da faixa entre o ponto de rompimento da barra 9 e o teste de rompimento da barra 11 levou a um movimento
medido para baixo da barra 8 no topo do canal até a barra 9. A marca abaixo e uma barra à direita da mínima da barra 10 é a
projeção para baixo de dois tiques de traços mais altos. Esse gap tornou-se um gap de medida. Em vez de reverter, como é comum
após uma reversão de uma ultrapassagem de linha de canal de tendência, o mercado rompeu para baixo e o fundo ficou no
movimento medido para o tique. Como você nunca sabe de antemão quais dos alvos de movimento medidos possíveis irão
funcionar, é bom desenhar tudo o que você pode ver e procurar uma reversão em qualquer um deles. Estas são áreas razoáveis
para obter lucros em shorts. Se houver outras razões para iniciar um longo, a chance de um trade de reversão lucrativo aumenta
se ocorrer em um movimento medido. Aqui, por exemplo, o mercado rompeu abaixo de uma linha de canal de tendência e da
mínima anterior do dia e reverteu para um movimento medido exato.
Embora a recuperação até a barra 11 tenha ficado próximo dos pontos de rompimento 7 e 9, o gap não foi fechado. Isso é
um sinal de que os vendedores eram fortes, e foi seguido por um novo fundo de baixa.
A barra 13 foi outra barra grande de baixa depois de uma tendência de baixa prolongada e, portanto, um segundo clímax
de venda. A barra seguinte fechou o gap abaixo da mínima da barra 10.
A barra 14 foi um segundo teste de rompimento das barras 7 e 9 e fundo duplo, que era o ponto de rompimento. No
entanto, em vez de o mercado cair, ele foi lateralmente até a barra 15 e formou uma bandeira de alta em forma de cunha. Isso
levou a uma recuperação e ao fechamento do gap, e a rompimento abaixo das barras 7 e 9 falhou. O dia tentou se tornar um dia de
reversão, como acontece às vezes nos dias de consolidação em tendência, mas a tendência de alta não conseguia manter o controle
no fechamento do dia.
A barra 17 foi um pullback de rompimento que testou a máxima do ponto de rompimento da barra 14 e levou a uma
máxima forte que parou dois tiques acima do movimento medido da mínima da barra 13 para a máxima da barra 11. As marcas
de linha do movimento medido são apenas à direita da barra 13, e a distância da parte inferior para a do meio levou à projeção até
o topo.
A barra 18 é outro exemplo de um grande gap de média móvel, e o gap foi fechado dentro de um par de barras.
Existem muitas outras microgaps também, como entre a mínima da barra 6 e a máxima da barra 8. Mesmo que a máxima
seja pelo mesmo preço da mínima da barra 6, é um gap e é o teste de rompimento da barra abaixo da barra 6. Da mesma forma, a
máxima da barra de reversão 15 foi o ponto de rompimento para a barra de teste de rompimento que ocorreu duas barras mais
tarde.
Note que as três barras com os corpos maiores, a barra 7, a barra antes da barra 10 e duas barras antes da barra 18,
levaram a reversões. Lembre-se, a maioria dos rompimentos não vai muito longe e geralmente reverte, pelo menos em um
pullback. Quando uma grande barra de tendência ocorre após uma tendência ter ocorrido por um tempo, ela geralmente
representa exaustão. Por exemplo, aquela grande barra de tendência de alta que formava duas barras antes da barra 18 estava
em uma perna de alta muito forte. Vendedores estavam desesperados para sair e estavam preocupados que o mercado pudesse
subir muito mais alto antes que um pullback viesse e os deixasse sair por um preço menor. Outros traders que estavam flat
estavam em pânico, com medo de estar perdendo uma tendência enorme até o fechamento, então eles estavam comprando no
mercado, também têm medo de que um pullback não viesse. Essa intensa compra foi causada por traders com grande urgência, e
depois que eles compraram, os únicos traders que estavam dispostos a comprar eram os traders que só comprariam um pullback.
Sem ninguém para comprar a esses preços altos, o mercado só podia lateralizar ou ir para baixo.
Houve vários microgaps de medida. Por exemplo, a barra de tendência de baixa após a barra 6 configurou uma, assim como a
barra de tendência de alta após a barra 10 e a barra de tendência de alta após a barra 15. Todos os movimentos foram além dos
alvos de movimento medidos.
A mínima da barra após a barra 6 e a máxima da barra antes da barra 7 formaram um microgap de medida, e a mínima da barra
7 foi um movimento exato medido para baixo. A barra de tendência no meio foi um rompimento para um novo fundo do dia e uma
forte barra de tendência de baixa, fechando em sua mínima.

A barra após a barra 15 rompeu de uma pequena bandeira de alta em forma de cunha. A mínima da barra depois de testar a
máxima da barra 15, que era o ponto de rompimento. O teste foi exato e, visto que a mínima do teste de rompimento não caia mais
do que um tique ou abaixo do ponto de rompimento, o teste é um sinal de força. Se o teste de rompimento caísse mais, seria um
sinal de que o rompimento não era forte e era mais provável que falhasse. O espaço entre o ponto de rompimento e o teste de
rompimento é um microgap. Como é um gap de quebra, ele deve ser usado apenas como uma indicação da força do rompimento e
não como base para um movimento medido. Os rompimentos iniciais geralmente levam a grandes movimentos, e os investidores
não devem procurar obter lucros prematuramente. Microgaps geralmente são gaps negativos, o que significa que a mínima da
barra de teste de rompimento é um tique ou duas abaixo da mínima da barra de ponto de rompimento. Uma vez que a barra de
rompimento fecha, um trader agressivo pode colocar uma ordem de limite para comprar um tique acima da máxima da barra
anterior e arriscar apenas três tiques ou mais. A chance de sucesso pode ser de apenas 40%, mas a recompensa é muitas vezes
maior que o risco, portanto, a equação do trader é muito favorável.

FIGURA 6.5 Gap entre a abertura de uma barra e o fechamento da barra anterior

Se a abertura da barra estiver acima ou abaixo do fechamento da barra anterior, há um gap. Às vezes pode ser inteiramente devido
ao baixo volume (por exemplo, quando há muitas dojis), mas outras vezes pode significar força. Sete dos oito gaps na Figura 6.5 eram de
alta; apenas na barra 2 o gap era para baixo. Quando há dois ou mais gaps sucessivos na mesma direção e as barras têm corpos em
tendência, é um sinal de força. Nesses sete gaps, um grande número de traders colocou ordens de mercado no fechamento da barra e as
ordens foram preenchidas na oferta, indicando que o mercado tinha que subir para encontrar vendedores suficientes para atender a
essas ordens. Se os vendedores estão apenas dispostos a vender mais e os compradores estão dispostos a comprar a oferta, o mercado
provavelmente continuará em alta, pelo menos por um tempo.
A barra 1 montou um microgap de medida com a máxima da barra antes dela e a mínima da barra depois dela. A subida para as 7:35
da manhã no PST foi um movimento medido exato a partir da abertura da segunda barra do dia. Os movimentos medidos geralmente
começam com a abertura da primeira barra de tendência de um pico. Se o mercado estiver acima desse alvo, use a parte inferior do pico
para ver se o mercado começa a corrigir naquele alvo.
O gap negativo reverteu-se na segunda barra e foi, portanto, um gap de exaustão. Os traders de dia, em vez disso, só pensariam nisso
como um gap de abertura fracassado e uma reversão de abertura para cima.
Ímãs:
Suporte e Resistência

Existem dois tipos de ímãs: suporte e resistência. Quando um ímã está abaixo do mercado, é um nível de suporte, o que significa
que é uma área onde os compradores iniciarão posições e os vendedores terão lucros em seus curtos. Quando um ímã está acima do
mercado, é um nível de resistência, o que significa que é uma área onde os compradores terão lucros em seus longos e os vendedores
iniciarão os curtos. Suportes e resistências são ímãs que atraem o mercado para eles. Quando você perceber que um imã não está
muito longe do preço atual, opere apenas na direção do imã até que ele seja alcançado. Nesse ponto, você terá que decidir se parece
que o mercado vai reverter, ir lateralmente ou ignorar o ímã e manter a tendência. Os ímãs informam o destino provável, mas não o
caminho, e pode haver grandes pullbacks ao longo do caminho. Além disso, o mercado pode estar em uma consolidação para
dezenas de barras, mas a pouca distância de um ímã. Embora você deva estar ciente do imã, ainda pode haver trades confiáveis em
ambas as direções, pois o mercado decide se testará o imã e como ele chegará lá.
Os traders estão constantemente buscando suporte e resistência. O mercado tem inércia e uma forte propensão para continuar o
que vem fazendo. Quando está em tendência, a maioria das tentativas de reverter a tendência falhará. Por exemplo, se o mercado
está em tendência para baixo, a maioria dos níveis de suporte não conseguirá manter ou reverter o mercado. No entanto, todas as
reversões para uma alta ocorrem em níveis de suporte (e todas as reversões para uma baixa ocorrem em níveis de resistência),
portanto, se o mercado começar a se reverter, a recompensa potencial é muitas vezes maior do que o risco. Mesmo que a
probabilidade de sucesso seja geralmente de apenas 40%, a equação do trader ainda é positiva e o trade de reversão é, portanto,
matematicamente correto. Inércia também significa que quando o mercado está em uma consolidação , a maioria das tentativas de
rompimento falhará, e o mercado repetidamente reverterá a partir do suporte criado pelo fundo da faixa, e reverterá a resistência
no topo. Mesmo que a maioria das tentativas de reverter uma tendência fracassará, todas as reversões de tendência e todos os
pullbacks começam nos níveis de suporte e resistência, portanto, saber onde estão pode levar os traders a obter lucros e entrar em
negociações de reversão em locais ideais.
A maior parte da negociação do Emini é feita por computadores e seus algoritmos são baseados em lógica e números. Quando
compram um mercado em queda ou vendem uma recuperação, o fazem porque calcularam que o preço em particular era um local
lógico para colocar seus trades. Se algoritmos suficientes estiverem usando preços semelhantes, o mercado pode reverter, pelo
menos por uma barra ou duas, e com frequência suficiente para um trade lucrativo. Embora alguns algoritmos usem números que
não são diretamente baseados no gráfico de preços da Emini (por exemplo, eles podem usar dados baseados nos mercados de opções
ou outros mercados relacionados), a menos que muitos programas apresentem números semelhantes, é improvável que haja ser
força suficiente para mudar a direção do mercado. Quando o mercado reverte, sempre o faz nos níveis de suporte e resistência; com
a prática, um trader individual geralmente pode identificá-los. Como algumas dessas reversões resultam em trades lucrativos, e
como esses níveis são áreas sensíveis para obter lucros, é útil saber onde estão os possíveis pontos de inflexão.
Uma das principais razões de procurar por ímãs é que eles são as áreas lógicas para obter lucros parciais ou totais. Você deve
sempre ser mais rápido para ter lucros em um trade do que deveria procurar uma entrada na direção oposta. Isso significa que você
precisa de uma configuração mais forte para iniciar um trade na direção oposta do que precisa para obter lucros. Se o movimento
em direção ao imã for fraco e se for contra a direção de uma tendência maior, você também pode procurar iniciar um trade na
direção oposta, esperando uma reversão. O mercado geralmente vai ultrapassar o imã, pelo menos em uma pequena quantidade, e
se o movimento em direção ao imã não for uma tendência forte, o mercado geralmente reverterá, pelo menos por uma barra ou
duas. Se a tendência continuar e ultrapassar ainda mais o ímã e depois reverter uma segunda vez, isso geralmente é uma
configuração confiável para um trade na direção oposta, especialmente se houver uma barra de reversão forte.

Qualquer tipo de ação de preço pode se tornar algum tipo de suporte e resistência. Dentre estas, se incluem:
• Linhas de tendência.
• Linhas de canal de tendência.
• Qualquer tipo de média móvel em qualquer período de tempo. Alvos de movimento medidos.
• Topos e fundos de swing anteriores.
• Mínimas de barras de entrada de alta e máximas de barra de entrada de baixa
• Máximas de barra de sinal de alta e mínimas de barra de sinal de baixa
• Máximas, mínimas, aberturas e fechamentos de ontem.
• Máximas, mínimas, aberturas e fechamentos, especialmente se a barra for uma barra de tendência grande.
• Pivots diários.
• Níveis de projeção e de retração de Fibonacci.
• Qualquer tipo de banda

Suporte e resistência são termos criados pelos traders para descrever qualquer preço como tendo uma margem matemática
suficiente para um trader colocar um trade lucrativo. Esses termos foram criados por traders para ajudá-los a identificar trades. A
máxima de cada barra em cada time frame está em algum nível de resistência, a mínima de cada barra está em algum suporte, e o
fechamento é onde está e não um tique maior ou menor porque os computadores o colocam lá por um motivo. O suporte e a
resistência podem não ser óbvios, mas como os computadores controlam tudo e usam a lógica, tudo tem que fazer sentido, mesmo
que seja difícil de entender. Cada preço no gráfico tem alguma vantagem matemática, mas as vantagens são geralmente muito
pequenas para serem negociáveis, exceto por programas de trading de alta frequência (HFT), muitos dos quais são projetados para
scalpear por um centavo de lucro. Por definição, um preço é suporte ou resistência apenas se tiver um desequilíbrio de probabilidade
direcional. Por exemplo, se um mercado cai para um nível de suporte, os traders acreditam que há cerca de 60% de chance ou
melhor de haver pelo menos um salto grande o suficiente para um scalp, que é o trade mínimo de todo trader. Se a chance fosse de
apenas 52% ou 53%, os traders provavelmente não considerariam isso alto o suficiente para usar o termo e, em vez disso,
considerariam o preço como normal. Se o mercado está no meio de uma consolidação , a mínima da barra anterior é sempre pelo
menos uma área mínima de suporte no sentido geral da palavra, mas isso não significa que o salto esperado seja grande o suficiente
para colocar um lucro lucrativo. trade. Se o salto esperado é apenas um par de tiques, não é o suporte da perspectiva de um trader.
Se a barra atual ainda estiver se formando e estiver em baixa e estiver um tique acima da mínima da barra anterior, pode haver
uma chance de 53% de o mercado saltar dois tiques antes que caia dois tiques.

No entanto, isso é uma vantagem muito pequena e um movimento de preços muito pequeno para os traders colocarem um trade
(embora um programa de alta frequência possa fazer esse trade) e, portanto, os traders não o chamariam de suporte. O mesmo
raciocínio é verdadeiro para a resistência.

Suporte e resistência existem porque o mercado tem memória. Quando o mercado voltar a um preço anterior, tenderá a
fazer o mesmo que fez na última vez em que esteve lá. Por exemplo, se o mercado cair no fundo de uma consolidação e, em
seguida, subir para o fundo da faixa, ele geralmente será liquidado novamente, porque foi o que fez quando foi o último a esse
nível de preço. Os traders que não conseguiram sair de seus longos e atravessaram a perna de baixa estarão ansiosos para ter
uma segunda chance de sair com uma perda menor, e eles vão segurar até que o mercado se recupere e teste o rompimento.
Nesse ponto, eles venderão seus longos e isso criará pressão de venda. Além disso, os curtos que lucraram no fundo do sell-off
estarão ansiosos para vender novamente na recuperação. A venda combinada dos vendedores e dos compradores liquidantes
criará resistência a uma nova recuperação e, geralmente, fará o mercado recuar.
Quando o mercado recua a um preço e o atinge várias vezes e salta de cada vez, ele encontra suporte nesse nível de preço.
Se o mercado subir a um nível de preços e continuar caindo, a área é resistência. Qualquer área de suporte ou resistência atua
como um ímã, atraindo o mercado para o preço. À medida que o mercado se aproxima, ele entra no campo magnético, e quanto
mais próximo ele fica, mais forte é a atração magnética. Isso aumenta as chances de o mercado tocar o preço. Essa maior atração
magnética é gerada pelo efeito do vácuo. Por exemplo, se o mercado está tendo uma recuperação de baixa em direção a uma linha
de tendência de baixa, mas ainda não o atingiu, os vendedores muitas vezes se afastam e esperam pelo teste. Se eles acreditam
que o mercado vai tocar a linha, não faz sentido para eles venderem logo abaixo da linha, quando eles podem vender em breve
mais alto. A ausência de vendas cria um desequilíbrio de compra e, portanto, um efeito de vácuo que rapidamente suga o
mercado. O resultado é geralmente uma barra de tendência de alta. Então, os scalpers vendem fora de seus longos para um lucro
e os vendedores vendem para iniciar novos curtos. Como não houve uma clara reversão de alta na baixa, a maioria dos
compradores comprou um scalp, esperando apenas um pullback e, em seguida, uma retomada da tendência de baixa.
Uma vez que o mercado chegue ao alvo, os investidores acham que o mercado agora vai mais longe o suficiente para fazer
um trade lucrativo, e eles ressurgem das trevas e vendem de forma agressiva e implacável, levando o mercado para baixo. Os
compradores fracos que compraram no topo dessa forte barra de tendência de alta estão surpresos que não há continuidade, mas
eles entenderam mal o significado da barra de tendência de alta. Eles pensaram que os traders estavam de repente convencidos
de que o mercado ia romper acima da linha de tendência e uma perna de alta iria começar. Eles estavam alheios ao efeito do
vácuo e não consideraram que os vendedores estavam apenas esperando o mercado subir um pouco mais. A forte barra de
tendência de alta deveu-se ao fato de os vendedores se afastarem brevemente, em vez de os vendedores recomprarem os seus
curtos. Os compradores que continuavam comprando precisavam encontrar vendedores para assumir o outro lado de suas
operações e só conseguiam encontrá-los mais alto, onde os vendedores achavam que o mercado começaria a reverter. O mercado
continuará em uma área de neutralidade e geralmente além do ponto em que os compradores agora têm uma vantagem
matemática. Isso ocorre porque o mercado nunca sabe que foi longe o suficiente até ir longe demais. Então, ele sobe e desce acima
da área de neutralidade, que se torna mais e mais estreita conforme os compradores e os vendedores são mais capazes de defini-
lo. Em algum momento, ambos percebem que o valor está errado e o mercado se rompe novamente e começa uma nova busca por
valor. Cada pico de contra-tendência deve ser considerado como um pullback de efeito de vácuo. Por exemplo, se houver um pico
acentuado de baixa no gráfico de 5 minutos e, de repente, o mercado reverter para uma perna de alta, houve uma área de suporte no
mínimo, independentemente de você ter visto isso antecipadamente. Os compradores se afastaram até que o mercado chegou a um
nível em que eles acreditavam que o valor era considerável, e a oportunidade de comprar com esse ótimo preço seria breve. Eles
entraram e compraram agressivamente. Os vendedores inteligentes estavam cientes desse imã e usaram-no como uma oportunidade
para obter lucros em seus curtos. O resultado foi uma parte inferior do mercado no gráfico de 5 minutos. Esse fundo, como todas os
fundos, ocorreu em um nível de suporte de time frame mais alto, como uma linha de tendência de alta, uma média móvel ou uma
linha de canal de tendência de baixa no fundo de uma bandeira de alta grande.
É importante lembrar que, se a reversão de 5 minutos fosse forte, você compraria com base nessa reversão, independentemente de
ter visto um suporte no gráfico diário ou de 60 minutos. Além disso, você não compraria tão baixo, mesmo se visse o suporte de time
frame mais alto, a menos que houvesse evidência no gráfico de 5 minutos de que estava formando um fundo. Isso significa que você
não precisa estar olhando para muitos gráficos diferentes em busca desse nível de suporte, porque a reversão no gráfico de 5 minutos
indica que está lá. Se você conseguir seguir vários prazos, verá os níveis de suporte e resistência antes que o mercado os alcance, e isso
pode alertá-lo para procurar uma configuração no gráfico de 5 minutos quando o mercado atingir o ímã. No entanto, se você
simplesmente seguir cuidadosamente o gráfico de 5 minutos, ele lhe dirá tudo o que você precisa saber.
Em geral, se o mercado testar uma área de suporte quatro ou cinco vezes, a probabilidade de romper esse suporte aumenta e, em
algum momento, o rompimento se torna mais provável do que sua falha. Se os compradores que levantaram o mercado a este nível
falharem repetidamente para fazê-lo novamente, desistirão em algum momento e serão subjugados pelos vendedores. Por exemplo, se
o mercado está descansando acima de uma média móvel plana, os traders comprarão cada toque da média móvel, esperando uma alta.
Se, em vez disso, o mercado continuar de lado e não conseguir uma recuperação suficiente para permitir um scalp lucrativo, em algum
momento eles venderão seus longos, criando pressão de venda. Eles também deixarão de comprar toques da média móvel. Essa
ausência de compra aumentará a probabilidade de o mercado cair um pouco abaixo da média móvel. Os compradores decidiram que a
média móvel não era desconto suficiente para que eles comprem de forma agressiva, e eles o farão apenas com um desconto adicional.
Se não encontrar esses compradores dentro de 10 a 20 barras depois de cair abaixo da média móvel, o mercado geralmente cairá mais
ou continuará em uma consolidação , mas agora abaixo da média móvel. Os traders começarão a vender as recuperações para a média
móvel, o que aumentará as chances de que o mercado comece a formar níveis mais baixos e que a média móvel comece a cair. Uma vez
que o mercado cai através do apoio, geralmente se torna resistência; e uma vez que o mercado supere a resistência, geralmente se
torna suporte.
Isso também pode acontecer com uma linha de tendência ou uma linha de canal de tendência. Por exemplo, se um mercado em alta
recuar para uma linha de tendência quatro ou mais vezes e não se posicionar muito acima da linha de tendência, em algum momento
os compradores deixarão de comprar testes da linha de tendência e começarão a vender seus longos, criando pressão de venda. Isto é
adicionado à venda dos vendedores, e desde que os compradores pararam de comprar, o mercado cairá através da linha de tendência.
Às vezes, no entanto, o mercado subitamente acelerará para cima e os vendedores pararão de vender a cada pequeno salto e, em vez
disso, recomprarão seus curtos, levantando o mercado.
O trade institucional é feito por traders e computadores discricionários, e a negociação de programas de computador tem se tornado
cada vez mais importante. As instituições baseiam sua negociação em informações fundamentalistas ou técnicas, ou uma combinação
de ambas, e os dois tipos de negociação são feitos por traders e por computadores. Em geral, a maioria dos traders discricionários
baseiam suas decisões principalmente em informações fundamentalistas, e a maioria das transações com computadores são baseadas
em dados técnicos. Como a maior parte do volume é agora negociada por empresas de HFT, e a maioria dos trades se baseia na ação
do preço e em outros dados técnicos, a maior parte da negociação de programas é tecnicamente baseada. No fim do século XX, uma
única instituição executando um grande programa poderia movimentar o mercado, e o programa criaria um micro-canal, que os
traders viam como um sinal de que um programa estava em andamento. Agora, a maioria dos dias tem uma dúzia de microcanais no
Emini, e muitos têm mais de 100.000 contratos negociados. Com o Emini atualmente em torno de 1200, que corresponde a US $ 6
bilhões, e é maior que uma única instituição, seria negociado por um único pequeno trade. Isso significa que uma única instituição não
pode mover o mercado muito longe ou por muito tempo, e que todo movimento no gráfico é causado por muitas instituições que
operam na mesma direção ao mesmo tempo. Além disso, os computadores HFT analisam todos os tiques e estão constantemente
fazendo trades durante todo o dia. Quando detectam um programa, muitos scalpeiam na direção do programa, e geralmente
respondem pela maior parte do volume enquanto o microcanal (programa) está progredindo.
As instituições que estão negociando em grande parte informações técnicas não podem mover o mercado em uma direção para
sempre, porque em algum momento o mercado aparecerá como oferta de valor para as instituições que operam com análise
fundamentalista. Se as instituições técnicas elevarem o preço demais, é fatal que instituições e outras instituições técnicas verão o
mercado como um ótimo preço para vender seus longos e iniciar curtos, e eles vão subjugar a as instituições técnicas e, em
última análise, derrubar o mercado.
Quando o trade técnico cria uma tendência de baixa, o mercado em algum momento será claramente barato aos olhos das
instituições fundamentalistas e outras instituições técnicas. Os compradores entrarão e sobrecarregarão as instituições técnicas
responsáveis pelo sell-off e reverterão o mercado.
As reversões de tendência em todos os times frames sempre acontecem nos níveis de suporte e resistência, porque os traders e
programas técnicos as procuram como áreas onde deveriam parar de pressionar seus trades e começar a lucrar, e muitas
também começarão a negociar na direção oposta. Como todos são baseados em matemática, os algoritmos de computador, que
geram 70% de todo o volume de trades e 80% do volume institucional, sabem onde estão. Além disso, os investidores
institucionais fundamentalistas prestam atenção a fatores técnicos óbvios. Eles veem grande suporte e resistência no gráfico
como áreas de valor e entrarão em negociações na direção oposta quando o mercado chegar lá. Os programas que negociam em
valor normalmente o encontram em torno das mesmas áreas, porque quase sempre existe um valor significativo por qualquer
medida em torno de grande suporte e resistência. A maioria dos programas toma decisões com base no preço e não há segredos.
Quando há um preço importante, todos veem isso, não importa qual lógica eles usem. Os traders fundamentalistas (pessoas e
máquinas) esperam por valor e se comprometem fortemente quando o detectam. Eles querem comprar quando pensam que o
mercado é barato e vendem quando acreditam que é caro. Por exemplo, se o mercado está caindo, mas está chegando a um nível
de preços em que as instituições acreditam estar ficando barato demais, elas aparecerão do nada e comprarão de forma
agressiva. Isso é visto de forma mais dramática e frequente durante a abertura de reversões (as reversões podem ser para cima
ou para baixo e são discutidas na seção sobre negociação no livro 3). Os vendedores vão comprar de volta seus curtos para obter
lucros e os compradores vão comprar para estabelecer novos longos. Ninguém é bom em saber quando o mercado está longe o
suficiente, mas a maioria dos traders e programas experientes geralmente confiam em sua capacidade de saber quando foi longe
demais.
Como as instituições estão esperando para comprar até que o mercado esteja claramente exagerado, há uma ausência de
compradores na área acima de um possível fundo, e o mercado pode acelerar até a área onde eles estão confiantes de que é
barato. Algumas instituições dependem de programas para determinar quando comprar e outras são discricionárias. Uma vez
que o suficiente deles comprar, o mercado geralmente vai aparecer por pelo menos um par de pernas e cerca de 10 ou mais
barras em qualquer time frame onde isso está acontecendo. Enquanto está em queda, as instituições continuam vendendo até
determinar que atingiu um fundo provável e é improvável que caia mais, e nesse momento elas obtêm lucros. Quanto mais
sobrevendido o mercado se torna, mais o volume é tecnicamente baseado, porque os traders e programas fundamentalistas não
continuarão a ficar vendidos quando acharem que o mercado é barato e que em breve será comprado. A relativa ausência de
compradores à medida que o mercado se aproxima de um grande nível de suporte leva a uma aceleração da venda para o
suporte, geralmente resultando em um vácuo de venda que suga o mercado abaixo do suporte em um clímax de venda, quando o
mercado reverte acentuadamente. A maioria dos níveis de suporte não irá parar uma tendência de baixa (e a maioria dos níveis
de resistência não deterá uma tendência altista), mas quando o mercado finalmente se reverter, estará em um nível de suporte
óbvio, como uma linha de tendência de alta de um time frame maior. A parte inferior do sell-off e a reversão são geralmente em
volumes muito altos. Conforme o mercado está caindo, ele tem muitas recuperações até níveis de resistência e sell offs baixos
para níveis de suporte ao longo do caminho, e cada reversão acontece quando instituições suficientes determinam que foi longe
demais e está oferecendo valor para um trade na direção oposta. Quando instituições suficientes agem em torno do mesmo nível,
ocorre uma grande reversão. Existem formas fundamentalistas e técnicas para determinar o suporte (e resistência). Por exemplo, ele
pode ser estimado com cálculos, como o que o múltiplo de ganhos de preço do S & P 500 deveria teoricamente ser, mas esses cálculos nunca
são suficientemente precisos para que instituições suficientes concordem. No entanto, as áreas tradicionais de suporte e resistência são
mais fáceis de ver e, portanto, mais propensas a serem notadas por muitas instituições, e definem mais claramente onde o mercado deve ser
revertido. Nos crashes tanto de 1987 quanto de 2008-2009, o mercado caiu para um pouco abaixo da linha de tendência mensal e depois
reverteu, criando um fundo maior. O mercado continuará em alta, com muitos testes para baixo, até que tenha ido longe demais, o que está
sempre em um nível de resistência significativo. Só então as instituições podem estar confiantes de que existe um valor claro na venda de
longos e na recompra de curtos. O processo então reverte.
Os fundamentos (o valor em comprar ou vender) determinam a direção geral, mas os fatores técnicos que determinam os pontos de
virada reais. O mercado está sempre investigando o valor, que é um excesso, e está sempre em níveis de suporte e resistência.
Relatórios e notícias a qualquer momento podem alterar os fundamentos (a percepção de valor) o suficiente para fazer com que o
mercado suba ou desça de minutos a vários dias. As principais reversões com duração de meses baseiam-se nos fundamentos e
começam e terminam nos níveis de suporte e resistência. Isso é verdade em todos os mercados e em todos os time frames.
É importante perceber que as notícias vão relatar os fundamentos como ainda otimistas depois que o mercado começou a recuar de
um grande topo, e ainda assim pessimista depois de ter virado de um fundo importante. Só porque a notícia ainda vê o mercado como
de compra ou de venda não significa que as instituições o façam. Opere os gráficos e não as notícias. O preço é verdade e o mercado
sempre lidera as notícias. De fato, as notícias são sempre as mais otimistas nos mercados de alta e as mais pessimistas nos mercados de
baixa. Os repórteres são apanhados na euforia ou no desespero e procuram por especialistas que vão explicar por que a tendência é tão
forte e vai continuar por muito mais tempo. Eles ignoram os traders mais inteligentes e provavelmente nem sabem quem são. Esses
traders estão interessados em ganhar dinheiro, não em notícias, e não procurarão os repórteres. Quando um repórter pega um táxi
para trabalhar e o motorista lhe diz que ele vendeu todas as suas ações e hipotecou sua casa para que ele pudesse comprar ouro, o
repórter fica excitado e mal pode esperar para encontrar um comentarista de alta estirpe para confirmar a visão profunda do repórter
no mercado de alta de ouro. “Apenas pense, o mercado é tão forte que até meu taxista está comprando ouro! Todos, portanto, venderão
todos os seus outros ativos e comprarão mais, e o mercado terá que correr mais por muitos meses! ” Para mim, quando até mesmo os
traders mais fracos finalmente entram no mercado, não há mais ninguém para comprar. O mercado precisa de um tolo maior que
esteja disposto a comprar mais alto para poder vender com lucro. Quando não há mais ninguém, o mercado só pode ir por um caminho,
e é o oposto do que a notícia está dizendo. É difícil resistir ao desfile interminável de persuasivos especialistas em televisão que estão
dando argumentos eruditos sobre como o ouro não pode cair e de fato dobrará novamente no próximo ano. No entanto, você tem que
perceber que eles estão lá para o seu próprio auto-engrandecimento e para o entretenimento. A emissora precisa do entretenimento
para atrair espectadores e investimentos em publicidade. Se você quiser saber o que as instituições realmente estão fazendo, basta
pensar em os gráficos. As instituições são grandes demais para se esconder e, se você entender como ler gráficos, verá o que eles estão
fazendo e para onde o mercado está indo, e isso geralmente não está relacionado a nada do que você vê na televisão. A maioria dos
grandes topos não vem de clímax feito de barras e volumes enormes, que são mais comuns nos principais fundos. Mais
frequentemente, um topo vem de uma consolidação , como um topo duplo ou um topo de ombro-cabeça-ombro, seguido por um
rompimento na forma de um pico de baixa. No entanto, topos podem ser climáticos, e fundos podem ser faixas de negociação.
Os capítulos sobre consolidações (mais adiante) e canais (no livro 1) descrevem como usar o suporte e a resistência para colocar
trades. Por exemplo, os traders vão comprar perto do fundo de um canal ou outro tipo de consolidação e vender perto do topo e,
em seguida, ter lucros e reverter no teste do outro lado do canal ou consolidação .
Em uma tendência forte, o mercado se estende além da maioria dos ímãs. Por exemplo, em uma tendência de alta, os traders
iniciantes descobrirão que a recuperação continua muito além de cada alvo de movimento medido e linha de canal de tendência
que eles desenharam. Esses iniciantes erroneamente estarão vendidos a cada nível de resistência percebido, encontrando suas
perdas crescendo durante todo o dia. Eles incorretamente mantêm vendas de topo que parecem legais, mas são ruins, e se
recusam a comprar pullbacks que parecem ruins, mas são ótimos. No entanto, uma vez que finalmente haja um pullback ou uma
reversão, sempre ocorrerá em um nível de resistência. Mesmo em fortes tendências, os alvos de movimento medidos
freqüentemente trabalham precisamente para o tique. Obviamente, isso ocorre em parte porque os computadores podem calculá-
los com precisão. Os computadores controlam o mercado e sua obtenção de lucro deve ser em algum nível calculado, que é sempre em
algum ímã. Além disso, se um trade é minimamente “bom”, o que significa que a estratégia é lucrativa, a recompensa tem que ser pelo
menos tão grande quanto o risco de criar uma equação de trader positiva. Isso geralmente resulta em alguns lucros, uma vez que a
recompensa atinge o tamanho do risco, porque esse é o nível mínimo que o mercado precisa atingir para tornar a estratégia lucrativa.
Swings menores muitas vezes terminam precisamente em projeções de movimento medido, e muitas tendências fortes terminam
exatamente em, ou dentro de um tique, de um alvo de movimento medido significativo, à medida que o preço é aspirado para o ímã.
FIGURA PII.1 Gráfico mensal do Dow Jones Industrial
O gráfico mensal da Média Industrial Dow Jones (Figura PII.1) mostra vários tipos de suporte e resistência (todos são ímãs).
Linhas de tendência e linhas de canais de tendência são áreas importantes de suporte e resistência. A parte inferior do crash de 2009
reverteu-se para baixo de uma linha de tendência mensal, desde o crash de 1987 até o pullback de outubro de 1990. Ele também estava
na linha de canal de tendência criada pelas barras 8 e 12 (criando um padrão de linhas duelantes, discutido em uma seção posterior).
Todas as grandes reversões acima dos mercados de baixa ocorrem no suporte e todos os topos ocorrem na resistência, mas a maioria dos
suportes e resistências não impedem as tendências. No entanto, se houver um forte padrão de reversão e se formar em um nível de
suporte ou resistência, as instituições terão lucros e muitas entrarão na outra direção. Os fundos de mercado vêm mais frequentemente
de clímaces de venda, como os crashes de 1987 e 2009. Os topos de mercado mais frequentemente vêm das faixas de negociação, como
nas barras 9 e 15.
A barra 15 de alta estava perto de um movimento medido com base na máxima da barra 12 até a barra 13 pico de alta.
A média móvel repetidamente atuou como suporte, como nas barras 3, 4, 6, 8, 14 e 20, e resistência, como nas barras 11 e 17.
As consolidações atuam como suporte e resistência. O rompimento abaixo da consolidação da barra 9 foi resistência à recuperação da
barra 11, e a consolidação da barra 15 foi resistência aa recuperação da barra 17. Uma vez que o mercado subiu para a barra 15, a
barra 16 encontrou suporte no topo da consolidação da barra 9.
Os topos e fundos de swing agem como suporte e resistência. A barra 12 encontrou apoio na mínima da barra 8 e formou um fundo
duplo. A barra 13 formou um topo duplo com barra 11, mas o mercado lateralizou e logo rompeu acima dessa resistência.

FIGURA PII.2 Suporte pode se tornar resistência e resistência pode virar suporte.
O suporte tornou-se resistência e a resistência tornou-se suporte no gráfico Emini de 5 minutos mostrado na Figura PII.2.
Isso foi verdade tanto para a média móvel quanto para as linhas de tendência.
Barras 1, 2, 5, 6, 17, 18, 19 e 20 encontraram vendedores em recuperações para a média móvel, e barras 7, 8, 13,

15 e 16 encontraram compradores com pullbacks menores para a média móvel.


As barras 12, 13, 15 e 16 foram testes repetidos da média móvel, e os compradores não foram recompensados e logo
pararam de comprar os pullbacks. O mercado então caiu abaixo da média móvel e os vendedores começaram a vender as
pequenas recuperações até a média móvel, criando uma série de topos e fundos.
A linha de tendência de alta foi a linha de melhor ajuste desenhada com o objetivo de testar o maior número possível de
barras. Os compradores estavam claramente comprando na área da linha de tendência, e ela foi testada mais de uma dúzia de
vezes sem uma forte recuperação da linha de tendência. Essa falta de aceleração tornou os compradores mais cautelosos ao longo
do tempo e, por fim, eles se recusaram a comprar na área da linha de tendência. Uma vez que o mercado caiu abaixo da linha de
tendência, os compradores se tornaram ainda mais hesitantes em comprar, e começaram a vender seus longos, e os vendedores
se tornaram mais agressivos. Topos e fundos descendentes formaram-se e os traders começaram a desenhar linhas de tendência
de baixa onde eles venderam recuperações.
A propósito, qualquer canal com inclinação ascendente deve ser considerado como uma bandeira de baixa, mesmo que
faça parte de um mercado em alta, porque eventualmente haverá um rompimento abaixo da linha de tendência e o mercado se
comportará como se fosse uma bandeira de baixa para fins de trading. Da mesma forma, qualquer canal inclinado para baixo
deve ser considerado como uma bandeira de alta e seu eventual rompimento deve ser negociado como se uma perna de alta
estivesse em andamento.
Í

Movimentos medidos
baseados no tamanho da
primeira perna (o Pico)

Um movimento medido é um swing que é igual em tamanho a um swing anterior na mesma direção. Você estima
em quanto tempo o mercado irá em sua segunda tentativa, com base em quão longe foi a primeira. Por que os movimentos
medidos funcionam? Se você estiver procurando por um movimento medido, então você acredita que sabe a direção sempre
em andamento, o que significa que você provavelmente tem pelo menos 60% de certeza de que o movimento ocorrerá. O
movimento medido é geralmente baseado na altura de um pico ou consolidação , e o stop de proteção inicial é geralmente
além do início do primeiro movimento. Por exemplo, se houver um pico de compra forte, o stop de proteção inicial será de
um tique abaixo da mínima do pico. Se o pico for enorme, os investidores raramente arriscarão tanto, e normalmente
ainda terão um trade lucrativa, mas o stop teórico ainda está abaixo do pico. Além disso, a probabilidade é geralmente
maior que 60%. Se o pico é de cerca de quatro pontos de altura, o risco é de cerca de quatro pontos. Já que você acredita
que o movimento medido irá ocorrer e que a estratégia de comprar no topo do pico é boa, então você está arriscando quatro
pontos em uma aposta de 60%. A matemática determina que sua crença (de que a estratégia será lucrativa quando a
probabilidade é de 60%) será verdadeira somente se a recompensa for pelo menos tão grande quanto o risco. Isso é
discutido no Capítulo 25 sobre a matemática do trading. Isso significa que para que a estratégia funcione, você precisa ter
uma chance de 60% de fazer pelo menos quatro pontos, que é o alvo de movimento medido. Em outras palavras, a única
maneira de a estratégia funcionar é se o alvo do movimento medido for atingido em cerca de 60% das vezes. Desde que
negociar uma tendência é a forma mais confiável de operar, se há estratégias que funcionam, então essa tem que ser uma
delas. É este o motivo pelo qual os movimentos medidos funcionam? Ninguém sabe ao certo, mas é uma explicação
plausível e a melhor que eu imaginei.
A maioria dos movimentos medidos é baseada em picos ou em faixas de negociação. Quando um é baseado em um
pico, geralmente leva a um consolidação ; e quando é baseado em uma consolidação , geralmente leva a um pico. Por
exemplo, se houver um topo duplo, que é um tipo de consolidação , os traders geralmente obterão lucros parciais quando o
rompimento aumentar ou diminuir atingir um movimento medido. Os traders procuram um rompimento, o que é um pico,
e eles geralmente esperam algum lucro, uma vez que o pico tenha atingido a área de movimento medida. Se o rompimento
foi com um pico forte e não há pausa significativa no alvo de movimento medido, o próprio pico muitas vezes leva a um
movimento medido com base na altura do pico. Uma vez que o mercado chegue lá, as partes muitas vezes começam a ter os
lucros e o resultado será um consolidação .

Uma vez que há um impulso de movimento forte, regular há uma mesma coisa, e em média a mesma parte da
primeira perna. Este conceito é uma base para algumas técnicas confiáveis para projetar um possível alvo para o final
dessa segunda perna. Essa área de movimento medida é um lugar razoável para obter lucros em sua posição de tendência,
e então você pode esperar por outro pullback para restabelecer sua posição. Se houver uma forte configuração de reversão,
você também pode considerar um trade de contra-tendência.
Quando um mercado faz um movimento brusco e, em seguida, tem um pullback, ele provavelmente terá uma
segunda perna e a segunda perna é frequentemente aproximadamente o mesmo tamanho que o primeiro. Esta é um
movimento perna 1 = perna 2, mas também é chamada de movimento ABC ou AB = CD. Essa terminologia alfabética é
confusa, e é mais simples se referir apenas aos dois movimentos como perna 1 e perna 2, e o pullback após a perna 1 é
simplesmente o pullback. A confusão com a rotulagem alfabética é que, no padrão AB = CD, B, C e D correspondem aos A,
B e C do movimento ABC. A perna B de um ABC é o pullback e cria uma área espessa em um perfil de mercado (o gráfico
de informações de preço e tempo do CME Group). O meio de qualquer área espessa geralmente leva a um movimento
medido, e aqui o alvo é o mesmo que o baseado em AB = CD. Por exemplo, para o AB = CD em uma tendência de alta, se
você começar no ponto A e adicionar o comprimento da perna AB (que é B - A), adicione isso a C, você terá C + (B - A) .
Para a área espessa, você começa em A e depois adiciona o comprimento da perna AB (que é B - A), então volta para
metade da área espessa (subtraia metade da perna BC), e então adicione a altura de B menos metade da área de
espessura de BC para obter o movimento medido a partir do meio da área de espessura de BC. Ambas as equações são
iguais a C + (B - A) e, portanto, fornecem a mesma projeção de movimento medida. Isto é muito complicado, e é de menor
importância, porque você não deve estar desvanecendo o movimento com uma ordem de limite unicamente baseada em
extensões de Fibonacci ou movimentos medidos ou qualquer outro ímã.
Além de limpar entradas de pullback que configuram movimentos medidos, às vezes há uma situação mais sutil
que é igualmente válida. Quando um mercado tem uma forte tendência de movimento e, em seguida, uma perna de
pullback bastante forte e, em seguida, uma consolidação , os traders podem usar o meio aproximado da faixa para projetar
onde a segunda perna do pullback pode alcançar. À medida que o consolidação se desdobra, continue ajustando a linha até
onde você estima o ponto médio, e isso geralmente estará por volta do ponto médio do pullback quando o movimento tiver
finalmente completado sua segunda perna. Isso serve apenas como um guia para onde você deve estar antecipando o
pullback de duas pernas até o fim e para o mercado criar um trade para uma retomada da tendência. Você também pode
simplesmente usar uma medida de perna 1 = perna 2. Por exemplo, em uma bandeira de alta de duas pernas, diminua o
comprimento da primeira perna e subtraia essa altura da parte superior do pullback para encontrar um local razoável
para o final da segunda perna do pullback.
Há uma variação disso nas tendências de pico e canal, onde a altura do canal é quase a mesma que a altura do pico.
Isto é especialmente verdadeiro quando o pico é forte, como um com barras de tendência excepcionalmente grandes ou
várias barras de tendência fortes com pouca sobreposição e pequenas sombras. Por exemplo, se houver um enorme pico de
alta, pegue o número de pontos da abertura da primeira barra do pico até o final da barra final do pico e acrescente ao
fechamento da barra final do pico. O canal que segue normalmente encontrará alguma resistência nessa área e o mercado,
muitas vezes, corrigirá até a parte inferior do canal. Este alvo de movimento medido é uma área onde você pode obter
lucros em sua posição comprada. Às vezes, o mercado pode fazer um movimento medido desde a mínima da primeira barra
do pico até o fim ou a máxima da barra final do pico, ou da abertura da primeira barra até a máxima da barra final, por
isso é prudente pensar em todas as possibilidades. Menos frequentemente, o mercado não formará muito de um canal e
reverterá para abaixo do pico do pico, e então fará um movimento medido para baixo.
É importante lembrar que na maioria das vezes o mercado está em algum tipo de consolidação e, portanto, a
probabilidade direcional de um movimento equidistante é de 50%. Isso significa que o mercado tem a mesma probabilidade
de aumentar o número de pontos X do que o mesmo número de pontos. Quando há uma tendência, as chances são
melhores na direção da tendência. Quando há um forte pico, as chances de continuidade podem ser de 60% e, às vezes, até
70%, se o padrão gráfico geral for consistente com um movimento de tendência forte. Além disso, quando o mercado está
no fundo de uma consolidação , a probabilidade favorece uma subida; e quando está no topo da faixa, a probabilidade
favorece um movimento para baixo. Isso é por causa da inércia do mercado, o que significa que o mercado tende a
continuar o que vem fazendo. Se for tendência, as probabilidades favorecem mais tendências, e se estiver em um
consolidação , as chances favorecem que as tentativas de rompimento falharão. Na verdade, cerca de 80% das tentativas
de reversão de tendência falham, e é por isso que você deve esperar que elas evoluam para pullbacks e, em seguida, entrar
na direção da tendência. Além disso, 80 por cento das tentativas de sair de um consolidação falham e faz mais sentido
matemático para dar fade nos topos e fundos da consolidação do que comprar barras grandes de tendência de alta perto do topo
e vender grandes barras de tendência baixa perto do fundo.
Aqui está um exemplo de um movimento medido que usa vários pressupostos. Houve um forte pico de três barras de
tendência que saíram de uma consolidação . A barra seguinte era uma pequena barra doji, e essa pausa significava que o pico
terminava na barra anterior, que era a última das barras consecutivas de tendência de alta. O rompimento foi forte porque
havia muito pouca sobreposição entre as barras, com a abertura de cada barra no topo ou acima do fechamento da barra
anterior. A sombra maior em qualquer barra era de apenas dois tiques, e um par de barras não tinha sombra no fundo. A
primeira barra tinha três pontos e meio (14 tiques) de altura, a segunda barra tinha 10 tiques, a terceira barra tinha oito
tiques, e a quarta barra tinha um corpo de alta de um tique, mas uma sombra de três tiques no fundo e uma sombra de dois
tiques no topo. Aquela doji foi a primeira barra que perdeu força e, portanto, lhe disse que o pico havia terminado na barra
anterior. A abertura da primeira barra foi oito pontos abaixo do final da terceira e última barra de tendência de alta no pico,
portanto, o pico deve ser considerado como sendo oito pontos de altura, no mínimo. Você poderia usar a mínima da primeira
barra até a máxima da terceira barra ou até a máxima da quarta barra do doji, mas é mais safe usar a figura menor para sua
projeção inicial. Se a segunda perna ultrapassar esse alvo, olhe para outros alvos.
Como esse pico estava se formando, se você comprasse a qualquer momento, seu stop no seu trade teria que estar
abaixo do fundo do pico. Para ilustrar, suponha que você arriscaria um tique abaixo da abertura da primeira barra do pico. Se
você comprou no mercado no ponto mais alto quando o pico tinha três pontos de altura, então você estaria arriscando cerca de
três pontos para fazer pelo menos três pontos. Naquele momento, você acreditava que o mercado teria um movimento medido
até a altura do pico, que tinha três pontos de altura. Você sabia onde estava o seu stop e ainda não sabia onde ficava o topo do
pico, mas sabia que seria pelo menos tão alto quanto o local onde você comprou. Já que você acreditava que o mercado estava
tendendo, você sentiu que as chances eram melhores do que 50-50 de que o mercado subisse três pontos antes de cair e
atingisse o stop três pontos abaixo.
Depois que o pico continuou a crescer para sete pontos, você mudou sua avaliação. Você agora acreditava que, como o
mercado ainda tendia, as chances eram de pelo menos 50-50 de que o mercado subisse mais sete pontos antes de cair sete
pontos. No momento, você já tinha quatro pontos de lucro em um trade onde esperava três enquanto arriscava três. Se você
quisesse, você poderia ter comprado mais na máxima do tique do pico, que ainda estava se formando, e então o seu risco teria
sido de sete pontos (talvez mais alguns tiques desde que você provavelmente teria querido arriscar até um tique abaixo do
parte inferior da primeira barra do pico), e seu alvo de lucro seria sete pontos a mais. No entanto, na sua compra inicial, você
ainda estava arriscando três pontos, mas agora tinha mais de 50% de chance de fazer um total de 11 pontos (os quatro da sua
entrada para o pico atual e sete mais).
Uma vez que a quarta barra se formou, que era uma doji, você sabia que a ponta havia terminado no fechamento da
barra anterior, oito pontos acima da abertura da primeira barra do pico. Nesse ponto, você teria concluído que o mercado tinha
mais de 50% de chance de subir mais oito pontos acima do pico antes de cair oito pontos abaixo da abertura ou da base do pico
(talvez um tique ou mais dois de oito pontos negativos, já que o stop mais seguro foi além do início do pico). Como o pico era
bem forte, a probabilidade era de mais de 60%.
Assim que o pico terminou, o trade bilateral começou e, nesse ponto, a incerteza aumentou. O mercado corrigiu de lado para
baixo e então o canal começou. Embora o mercado possa ter feito uma perna 1 = perna 2 mover-se a partir do fundo deste pullback,
onde o pico foi perna 1 e o canal foi perna 2, quando um pico é muito forte, o alvo mais confiável é aquele baseado na abertura do
primeira barra do pico até o final da barra final do pico. À medida que o mercado sobe, a probabilidade de preços mais altos é
lentamente corroída. Quando o canal de alta atingiu cerca de metade da distância do alvo de movimento medido, a probabilidade
direcional de um movimento equidistante caiu para cerca de 50 a 55% e a incerteza mais uma vez foi muito alta. Lembre-se, um canal
de alta é geralmente seguido por um movimento de volta para a parte inferior do canal e, em seguida, pelo menos um salto, de modo
que o canal de alta era realmente a primeira perna de um consolidação que ainda não havia sido formado. Uma vez que o mercado
chegasse à área alvo do movimento medido, era provável que o limite mais alto desse intervalo incipiente e as chances favorecessem
um movimento para baixo. Isso vale para todas as faixas de negociação. Esta é uma excelente área para obter lucros em seus longos, e
porque muitos traders obtêm lucros na área do movimento medido, o mercado começa a recuar. A maioria dos traders não vai querer
comprar de forma agressiva novamente até que o mercado volte para o fundo do canal, onde normalmente se forma um fundo duplo.
Esta área também é um imã. Os compradores começam a comprar novamente e os vendedores que venderam no topo do canal terão
lucros. Como o mercado está agora no fundo da consolidação em desenvolvimento, a probabilidade direcional favorece ligeiramente os
compradores.
Uma vez que o mercado entra na consolidação , a probabilidade direcional de um movimento equidistante é novamente de 50 a 50
sempre que o mercado estiver próximo do meio desse intervalo. Se o seu risco é de pontos X, você tem 50% de chance de fazer X pontos
antes de seu stop ser atingido, e uma chance de 50% de perder X pontos antes que seu alvo de lucro seja atingido. Este é um
subproduto dos mercados sendo relativamente eficientes. Na maioria das vezes, eles são eficientes e as chances de fazer pontos X
antes de perder pontos X são próximas de 50-50. O melhor trade ocorre quando as probabilidades são melhores do que 50-50, mas
isso geralmente ocorre durante picos, que são emocionais, em movimento rápido e difíceis de entrar. Os traders entendem isso e é
por isso que o pico cresce tão rapidamente sem qualquer pullback. Os traders continuam aumentando suas posições até o fim
porque sabem que até o pico acabar, as chances de ganhar tanto quanto estão arriscando são melhores que 50-50, e as chances
caem para cerca de 50-50 apenas quando o canal está bem encaminhado. Quando esse pico está se formando, eles não sabem se
haverá um pullback antes que o mercado suba, mas estão confiantes de que ele aumentará no curto prazo. Em vez de esperar por
um pullback que pode nunca vir e, portanto, perder um trade forte, eles compram no mercado ou em um pullback de um a quatro
tiques e correm risco ao redor do fundo do pico. Essa urgência está por trás da formação de picos e o aumento do risco afasta
muitos traders. A maioria dos iniciantes não está disposta a arriscar os três a sete pontos. Em vez disso, eles deveriam
simplesmente comprar uma pequena posição, talvez um quarto de seu tamanho normal, e correr o risco, porque é isso que as
instituições estão fazendo. Eles entendem a matemática e, portanto, não têm medo de assumir o trade.
Este movimento em direção a um mercado 50-50 é a base de todos os trades de movimento medidos. As probabilidades estão
desequilibradas e a recuperação do movimento medido é uma tentativa de restaurar a incerteza. O mercado invariavelmente
supera e tem que recuar para casa em um mercado 50-50. A área de movimento medida é uma ultrapassagem das
probabilidades, e elas favorecem brevemente os vendedores. Uma vez que o mercado retrai para o fundo do canal, as
probabilidades de ultrapassar novamente, mas desta vez em favor dos compradores. Quando o mercado se recupera em direção
ao meio da consolidação em desenvolvimento, as probabilidades estão novamente em torno de 50 a 50 e o mercado está em
equilíbrio.

FIGURA 7.1 Perna 1 = Perna 2


A Exxon Mobil (XOM) teve uma primeira perna forte da barra A para a barra B no gráfico diário mostrado na Figura 7.1, então os
traders compraram a barra C mais baixa para uma possível recuperação perna 1 = perna 2. A barra D quase atinge o alvo (o topo
da linha tracejada). Uma vez na área do alvo, muitos traders viram o que achavam que poderia ser uma recuperação de duas
pernas depois do sell-off para a barra A. Se você usasse a rotulagem ABC, a barra B seria o ponto A, a barra C seria o ponto B, e a
barra D é o ponto C, e por causa dessa confusão, é melhor simplesmente referir-se à subida para a barra B como perna 1, o sell-off
para C como o pullback e a recuperação até D como perna 2 .
Uma vez que houve um fundo mais alto na barra E e a recuperação quebrou acima da barra D, um trader poderia pensar em a AD
como uma primeira perna que contenha duas pernas menores (AB e CD), e então permanecer por muito tempo até que houvesse
um movimento medido para cima ( AD = EF, e o alvo é o topo da linha sólida).
Os traders de Fibonacci também consideram outras projeções (138%, 150%, 162%, etc.) como áreas válidas para procurar
reversões, mas isso é muito complicado e aproximado. Uma vez que o mercado tenha claramente um comportamento de dois
lados, é igualmente confiável procurar comprar na baixa e vender alto sempre que houver um sinal forte.

FIGURA 7.2 Variante de Perna 1 = Perna 2


Às vezes, um movimento medido perna 1 = perna 2 tem uma perna 1 que não é a absoluta mínima do sell-off
inicial. A correção da primeira perna para baixo é geralmente um movimento de duas pernas ou uma bandeira de baixa
em forma de cunha, mas o pullback de qualquer um geralmente cai abaixo do início da perna de correção, como aconteceu
na Figura 7.2 na barra 6. Na altura em que a barra 9 formou o que parecia ser o fim do pullback da primeira descida, os
traders astutos estavam abertos à possibilidade de a correção até à barra 9 começar na barra 4 e não na barra 6, e Por
isso, pensaram que a segunda perna para baixo poderia ser igual à barra 1 para bar 4 primeira perna para baixo em vez
da barra 1 para bar 6 primeira perna para baixo. A mínima da barra 12 era uma perna perfeita 1 = a perna 2 mediu o
movimento para a marca com base no fechamento da barra 4 da primeira perna. Se, em vez disso, o mercado continuasse
em baixa, os traders teriam observado o que aconteceu quando caiu na área da perna 1 = perna 2, com base na perna 1 que
termina na barra 6.
Por que fazia sentido considerar a possibilidade de a perna 1 terminar na barra 4? Os traders estavam à procura de
uma pullback de duas pernas antes do início da segunda descida, e a subida da barra 6 para a barra 9 estava num canal e,
portanto, provavelmente apenas numa perna. Os traders das Ondas de Elliot sabem que as correções ascendentes podem
incluir um pullback que vai abaixo da base do movimento inicial para baixo, e chamam esse tipo de correção lateral de
plano. O plano aqui seria a subida para a barra 5, a descida para a barra 6, e a subida para a barra 9. Além disso, a subida
para a barra 5 era um pico de alta razoavelmente forte e, portanto, era um possível início da correção. O pullback para
barra 6 a partir desse pico foi um pullback menor, e pullbacks menores são comuns. Portanto, conforme a correção estava
se desdobrando, os traders não se incomodaram com essa interpretação.
As barras 5 e 8 formaram uma potencial bandeira de alta em forma de topo duplo, mas o rompimento para a barra
9 eliminou essa possibilidade. No entanto, sempre que houver um rompimento acima de um topo duplo, os traders
observam para ver se ele falha. Se assim for, isso efetivamente é um topo de cunha. Os três empurrões para cima são a
barra 5 e a barra 8 do topo duplo, seguidos pelo falso rompimento para a barra 9.
Uma vez que o mercado subiu para o nível 10 depois do falso rompimento, os traders acreditaram que a segunda
perna da barra 1 tinha começado.
Havia algumas outras características notáveis neste gráfico. A barra 12 era um fundo de triângulo em expansão
com as barras 4, 6 e 12 sendo os três empurrões para baixo.
O primeiro dia foi aberto com uma subida acentuada até a barra 3 e depois um sell-off acentuado na barra 6, que se
estendeu o mais abaixo possível da abertura da barra, acima dela. Embora a faixa fosse pequena, era a média dos últimos
dias (o final de dezembro costuma ter dias pequenos).

Sempre que um dia tem um intervalo médio e a abertura está no meio da faixa, o mercado frequentemente tenta fechar
em torno da abertura. Os traders sabem disso, e é por isso que a consolidação estreita que se seguiu à barra 7 teve uma
boa chance de ter um rompimento que testou a abertura do dia. O dia fechou a uma escala acima da abertura, e isso
formou uma quase perfeita vela doji no gráfico diário.
A recuperação até a barra 9 foi um teste de rompimento do sell-off abaixo da barra 3. O sell-off para a barra 23 foi um
teste de rompimento da recuperação acima da barra 13, e não atingiu o stop de zero a zero por um tique. Foi também um
teste exato da abertura do dia.
FIGURA 7.3 Movimento medido baseado no meio da consolidação

Na Figura 7.3, a Research in Motion (RIMM) subiu acentuadamente para a barra 2 após uma reversão de abertura abaixo da mínima de ontem
e, em seguida, um pullback para a barra 3. Como uma segunda subida era provável após um forte pico de três barras, se os traders estivessem
interessados em saber onde poderia terminar, eles poderiam continuar ajustando a linha B para estar no meio da faixa negociação de em
desenvolvimento. Assim que o mercado romper, eles podem fazer um paralelo e arrastá-lo equidistantemente da linha A para um movimento
medido, onde poderiam esperar obter lucros. Mesmo que o mercado estivesse em uma consolidação , houve um ligeiro viés em direção a um
rompimento de alta porque o movimento antes da consolidação estava em alta e a maioria das barras na consolidação eram barras de tendência,
representando pressão de compra.
Até o mercado romper o triângulo indo acima da barra 6, os traders poderiam ter negociado em ambas as direções, como podem em qualquer
consolidação . Uma vez que uma consolidação é uma área onde ambos os compradores e os vendedores concordaram que há valor, a maioria dos
movimentos para longe do meio falham e o mercado será atraído de volta para a faixa. Eventualmente, o mercado se separará do campo
magnético e encontrará valor a um preço diferente.

FIGURA 7.4 Movimento medido baseado no pico de baixa


Quando há um comunicado da imprensa que cria um pico, o pico muitas vezes leva a um movimento medido em que os traders podem
procurar obter lucros. Na Figura 7.4, na barra 1, o mercado foi surpreendido por um anúncio de que o presidente propusera novas
regulamentações bancárias, o que levou a duas grandes barras de tendência de preços. Uma vez que há uma barra de pausa como uma
doji, uma barra com uma sombra grande no fundo, ou uma barra com um corpo de alta, então você sabe que o pico havia terminado na
barra anterior. Aqui, o pico durou duas barras e os traders procuraram por um movimento medido para baixo a partir do final da barra
final do pico. Eles esperavam que fosse o mesmo número de tiques que havia desde a abertura da primeira barra do pico até o final da
barra final da ponta. Às vezes, a alta da primeira barra até a mínima da barra final do pico torna-se a altura do movimento medido,
mas os traders sempre olham a possibilidade mais próxima primeiro e só procuram movimentos maiores se o primeiro alvo não
conseguir conter o mercado. Este alvo é um bom lugar para ter o seu lucro final em uma venda e então procurar um pullback para
vender novamente. Se houver um forte sinal de reversão nessa área de teste, um trade de tendência contrária pode ser considerada.

FIGURA 7.5 Um pico pode levar para um movimento para cima ou baixo

Um pico pode ser seguido por um movimento medido em qualquer direção. Na Figura 7.5, houve uma forte
recuperação de seis barras na abertura, mas o mercado fracassou na média móvel nesse dia de queda e, em
última análise, atingiu um movimento medido para baixo. O movimento foi baseado na abertura da primeira
barra do pico até o final da barra final do pico. Embora a maioria dos picos acabe assim que haja qualquer
barra de pausa, se o movimento continuar após a pausa, você deve considerar a possibilidade de que ele
funcionará como um pico, que provavelmente está em um gráfico de time frame mais alto.
Í

Movimentos medidos
Baseados em Gaps em
Consolidações

Os gaps são comuns em gráficos diários em que a mínima de uma barra está acima da máxima da barra anterior ou
a máxima de uma barra está abaixo da mínima da barra anterior. Se houver convicção sobre a direção do mercado, o meio
do gap muitas vezes se torna o meio da tendência. À medida que o mercado se aproxima do objetivo de movimentação
medido, os traders analisarão cuidadosamente o alvo exato e, com frequência, obterão lucros parciais ou totais nessa área,
e alguns traders começarão a tomar posições na direção oposta. Isso geralmente leva a uma pausa, um pullback ou até
mesmo uma reversão.
Quando um rompimento ocorre em um gráfico intradiário, apenas raramente esse tipo de gap aparece. No entanto,
muitas vezes há algo tão confiável, que é um gap entre o ponto de rompimento e a primeira pausa ou pullback. Por
exemplo, se o mercado rompe acima de um topo de swing e a barra de rompimento é uma barra de tendência de alta
relativamente grande e a baixa da próxima barra está acima do ponto de rompimento, então há um gap entre esse ponto
baixo e o ponto de rompimento muitas vezes se torna um gap de medida. Se a barra após a rompimento também for uma
grande barra de tendência de alta, aguarde a primeira pequena barra de tendência de alta, barra de tendência de baixa,
ou barra de doji. Sua mínima é então o topo do gap. Se o ponto de rompimento ou o pullback de rompimento não estiver
claro, o mercado geralmente usará apenas o meio da barra de rompimento como o meio da faixa. Neste caso, o movimento
medido é baseado no início da recuperação até o meio da barra de rompimento. Espera-se então que o mercado reaja com o
mesmo número de tiques acima desse nível.
Se o mercado recuar dentro de algumas barras de rompimento e a mínima do pullback estiver no gap, então o gap é
agora menor, mas seu ponto médio ainda pode ser usado para encontrar um alvo de movimento medido. Se o mercado
recuar ainda mais, até um pouco abaixo do gap, o ponto médio entre o ponto de rompimento e esse pullback ainda pode ser
usado para a projeção. Como a diferença entre o pullback do rompimento e o ponto de rompimento é um número negativo,
eu chamo isso de gap negativo. As projeções de movimento medido são menos confiáveis quando se baseiam em um gap
negativo.
Em Market Profile, esses gaps de medida intraday onde o mercado se move rapidamente são áreas finas entre duas
distribuições e representam preços em que o mercado é unilateral. As distribuições são áreas “gordas” e são simplesmente
consolidações onde há negociações bilaterais. Uma consolidação é uma área de acordo sobre preço, e seu meio é o meio do
que os compradores e os vendedores acham justo. Um gap também é uma área de concordância.

É uma área onde os compradores e os vendedores concordam que nenhum trade deve ocorrer, e seu meio é o ponto médio
dessa área. Em ambos os casos, em um nível simplista, se esses preços são um ponto médio de concordância entre os
compradores e os vendedores, então eles são um guia aproximado para o ponto médio da perna que os contém. Uma vez
que eles formam, segure parte ou todas as suas entradas a favor da tendência. À medida que o alvo é atingido, considere
entradas de tendência contrária se houver uma boa configuração. A maioria dos traders usa a altura da consolidação
anterior para medida, o que é bom porque a distância exata é apenas aproximada, não importa como você o faça (a menos
que você seja um trader de Fibonacci ou Ondas de Elliot e tenha a incrível capacidade de convencer-se de que o mercado
quase sempre cria padrões perfeitos, apesar da esmagadora evidência do contrário). A chave é negociar apenas a favor da
tendência, mas uma vez que o mercado esteja na área do movimento medido, você pode começar a procurar entradas de
contra-tendência. No entanto, os melhores trades contra a tendência somente seguem depois de um movimento contra-
tendência que foi forte o suficiente para romper a linha de tendência.
Se o mercado fizer uma pausa após o movimento medido ser atingido, as duas fortes tendências poderão ser simplesmente o fim de
uma correção de prazo maior, e se esse for o caso, segure a parte de qualquer entrada de contra-tendência. Duas pernas geralmente
completam um movimento, e o movimento é geralmente seguido por pelo menos um prolongado movimento de contra-tendência que tem
pelo menos duas pernas, e às vezes se torna uma nova tendência oposta. O movimento de contra-tendência geralmente testará todo o
caminho de volta ao ponto de rompimento.
Às vezes, as projeções são exatas, mas na maioria das vezes o mercado desce ou ultrapassa o alvo. Essa abordagem é apenas uma diretriz
para mantê-lo negociando no lado correto do mercado.
FIGURA 8.1 Gaps de medida

O meio de um gap geralmente leva a um movimento medido. Na Figura 8.1, o Emini tinha um gap na barra 3, acima da máxima da
barra 2 do dia anterior, e o meio desse gap era um possível meio da subida. Os traders mediram da barra 1 parte inferior da
recuperação até o meio do gap e projetaram o mesmo número de pontos para cima. A barra 4 chegou a um par de tiques da projeção,
mas muitos traders acreditam que um alvo no Emini não foi adequadamente testado, a menos que o mercado chegue a um tique do
mesmo. Isso deu aos traders a confiança de comprar o sell-off acentuado na abertura do dia seguinte para baixo para barra 5. A
máxima do dia foi de dois tiques acima da projeção movimento medida. O mercado vendeu no dia seguinte para a barra 7, mas subiu
novamente para testar logo abaixo da meta.

No dia seguinte, os compradores desistiram e houve um grande gap e depois um sell-off. Certamente houve notícias de que os
especialistas em televisão costumavam explicar todos os movimentos, mas a realidade era que os movimentos eram baseados em
matemática. A notícia era apenas a desculpa para o mercado fazer o que já estava fazendo.

FIGURA 8.2 Gaps de medida


A Figura 8.2 mostra dois dias que mediram movimentos baseados em áreas delgadas. Uma área fina é uma área de
rompimento onde há muito pouca sobreposição das barras.
O mercado teve uma forte subida da barra 3 no relatório do Federal Open Market Committee (FOMC) às 11h15, PST, e
quebrou acima da barra 2 do dia. A bandeira na barra 4 testou o rompimento com uma correção lateral de duas pernas, e
houve um pequeno gap negativo entre a máxima da barra 2 e a parte inferior do teste de rompimento da barra 4. Se você
subtrair a máxima do ponto de rompimento da barra 2 da mínima da barra 4, você obterá um número negativo para a
altura da diferença. Embora o meio de um gap negativo às vezes produza um movimento medido perfeito, mais
comumente o fim do movimento medido será igual ao topo do ponto de rompimento, aqui a máxima da barra 2, menos o
fundo da consolidação inicial, aqui mínima da barra 1. Você também pode usar a barra de baixa 3 para calcular o
movimento medido, mas é sempre melhor olhar primeiro para o alvo mais próximo e considerar alvos adicionais apenas se
o mercado negociar com os menores. O mercado alcançou a meta da linha C da linha A (barra 1) até a linha B mediu o
movimento exatamente na última barra do dia e ultrapassou o alvo da linha D usando a barra 3 para a projeção da linha
B na abertura da próxima dia. Mesmo que a barra 1 seja maior que a barra 3, ela ainda pode ser considerada a parte
inferior do movimento medido, considerando-se a venda para a barra 3 como apenas uma ultrapassagem da mínima da
barra 1 real da perna.
No segundo dia, havia um gap abaixo da barra 7 e acima da barra 8, e o alvo da linha F foi excedido logo antes do
fechamento. Aliás, havia também uma bandeira de baixa duplo nas barras 8 e 9.

FIGURA 8.3 Tomada de lucros em alvos de movimento medido.

A Apple (AAPL) estava em uma forte tendência de alta no gráfico mensal mostrado na Figura 8.3. Sempre que houver
é uma tendência, os traders procuram níveis lógicos onde possam obter lucros parciais ou totais. Eles geralmente se
voltam para movimentos medidos. A barra 13 estava logo acima do movimento medido com base na forte recuperação da
barra 4 para a barra 5.
A barra 10 era uma barra de tendência de alta que rompeu acima da barra 9 de pullback da tentativa de rompimento
acima da barra 5. Cada barra de tendência é uma barra de rompimento e uma barra de gap e aqui a barra 10 funcionava
como um gap de rompimento e um gap de medida. Embora a barra 11 tenha atingido um nível abaixo da barra 10, era
improvável que a queda tivesse muito sucesso como uma barra de falso rompimento, porque a barra de sinal era a terceira
barra forte de alta consecutiva. Isto teve muito momentum para ser uma venda confiável. O mercado testou novamente o
gap acima da barra 9 na barra 12, e esse pullback deu aos traders um gap de medida em potencial. O mercado caiu na
barra 13, cerca de 3% abaixo do alvo, com base na subida da mínima da barra 8 para o meio daquele gap. Pode ser no
processo de formação de uma reversão de duas barras, o que poderia levar a uma correção mais profunda que poderia ter
um par de pernas e durar 10 ou mais barras. Como a barra 13 era a sexta barra de tendência de alta consecutiva, o
momentum para cima ainda era forte. Quando essa força ocorre após uma tendência de alta, às vezes representa uma
exaustão climática da tendência e é seguida por uma grande correção. Esta é uma área razoável para obter lucros parciais
ou totais em longos, mas ainda não é uma configuração suficientemente forte para os traders estarem iniciando os curtos
com base neste gráfico mensal. No entanto, uma vez que ainda não há um topo claro, o mercado pode ter outro empurrão
até o alvo de movimento medido com base no gap da barra 10.
Embora seja muito cedo para dizer, os traders podem estar usando a mínima da barra 8 para a máxima da barra 9 para
criar um alvo de movimento medido. Embora não seja mostrado, esse alvo está apenas um pouco abaixo do alvo, com base
na barra 4 para a barra 9 pico de alta, que o mercado já ultrapassou. Os traders precisam ver mais barras antes de
saberem se a máxima já aconteceu ou se atingirá o alvo com base no gap da barra 10. Em caso afirmativo, pode ou não
encontrar tomadores de lucro e vendedores, mas como é um ímã de movimento medido, é uma área lógica para ambos
estarem presentes.
FIGURA 8.4 Movimentos medidos
Como mostrado na Figura 8.4, o movimento para baixo até a bandeira de baixa em torno da barra 3 era íngreme, e um alvo
razoável para um movimento medido para baixo é do topo da perna (barra 2) até o meio aproximado da bandeira (linha C). Isso
foi projetado para a linha D, que foi ultrapassada e levou a um teste de média móvel. Você também pode ter usado a máxima da
barra 1 para uma medida, mas geralmente deve pensar em o início da perna atual para o seu primeiro alvo. Depois que o alvo da
linha D foi alcançado, o alvo da linha E baseado no ponto inicial da barra 1 foi atingido logo depois. Observe que o movimento
para a barra 4 a partir da barra 2 foi uma forte tendência de baixa sem nenhum rompimento significativo de linha de tendência,
então era melhor seguir as configurações a favor da tendência.
A pequena bandeira de baixa ao redor da barra 4 era na maior parte horizontal e, portanto, uma possível bandeira de baixa
final, mas como ainda havia uma máxima acentuada (como uma barra de gap acima da média móvel exponencial), as operações
de contra-tendência tinham que ser scalps(se você tomou eles todos). Você deve aceitá-los somente se você for um profissional
bom o suficiente para reverter os trades para trades a favor da tendência assim que eles forem desenvolvidos. Se você não é, você
não deve estar negociando a tendência contrária e, em vez disso, você deve estar trabalhando duro para ter entradas a favor da
tendência. Apenas estar na área de um movimento medido não é razão suficiente para uma entrada de contra-tendência. Você
precisa de alguma força contra-tendência anterior.
No segundo dia, havia uma bandeira em volta da barra 10, após o rompimento acima da barra 8. Este rompimento acima da
bandeira de alta de fundo duplo projetou-se para a linha H. A primeira parte inferior foi a retração de uma barra na ponta da
barra 7 Se ao invés disso você usasse a mínima da barra 7 do dia, o alvo teria sido atingido logo após o gap no dia seguinte.
Uma vez que há uma bandeira de rompimento, é aconselhável segurar parte do seu trade a favor da tendência até que o
movimento medido seja atingido. Nesse ponto, considere um trade de tendência contrária se houver uma boa configuração.

FIGURA 8.5 Gaps de Medida


Conforme mostrado na Figura 8.5, a linha B é o ponto médio da área fina entre o rompimento (a máxima da barra 2) e a
mínima do primeiro pullback (a mínima da barra 5). O movimento medido foi atingido no exato tique na barra 8.
A linha E era o ponto médio de uma área fina e o mercado superou e muito sua projeção da linha F. O rompimento da
barra 12 tinha uma enorme área fina até a barra 13, mas era tão tarde que um movimento medido de seu ponto médio
dificilmente seria atingido. No entanto, naquele momento o dia era claramente um dia de tendência de baixa e os traders
só deveriam estar vendendo a menos que houvesse um longo e forte scalp (havia dois na hora final). O pico de cinco barras
até a barra 13 levou a um movimento medido para baixo, e a mínima do dia errou por um tique.
A propósito, o movimento para a barra 7 quebrou uma linha de tendência, indicando que os vendedores estavam ficando
mais fortes, e o movimento para o barra 9 quebrou uma linha de tendência maior, estabelecendo a barra 10 teste inferior
da tendência extrema (barra 8) a subsequente tendência de baixa que se seguiu.
Í

Reversões Normalmente
Terminam em Barras de
Sinal de Reversões
Fracassadas Anteriores
O preço de entrada de uma reversão prematura que falhou é muitas vezes um ímã para uma reversão posterior bem-sucedida. Por
exemplo, se houver uma tendência de baixa e houve várias entradas de alta que falharam à medida que o mercado continuou a vender,
cada um desses preços de entrada e as máximas de cada barra de sinal serão alvos assim que a reversão for bem-sucedida. O mercado
frequentemente se eleva até a mais alta da máxima da barra de sinal antes de ter um pullback significativo. É provável que alguns
traders que entraram nesses sinais mais altos tenham escalado dentro conforme o mercado foi contra eles e então usaram sua entrada
inicial como seu alvo final de lucro, saindo do zero a zero em sua pior entrada e tendo lucros em todas as entradas mais baixas. Pode ser
que os traders espertos acreditem que esse seja o caso e abandonarão seus longos nesses alvos, ou pode ser simplesmente um dos
muitos apertos de mão secretos que todos os grandes traders conhecem, e eles saem de lá simplesmente porque sabem que é um padrão
recorrente confiável para que os pullbacks terminem próximos a pontos de entrada mais antigos. Também pode ser algo como um preço
de “obrigado, Deus, eu nunca farei isso de novo!” Para os traders. Eles não saíram de um trade perdido e sua perda continuou crescendo
enquanto esperavam que o mercado voltasse à sua entrada. Quando isso acontece, eles saem e juram que nunca mais cometem esse
erro.
Existe uma base matemática para praticamente tudo o que acontece no trading, especialmente porque grande parte do volume é
gerada por algoritmos de software baseados em análises estatísticas. No exemplo dessa tendência que reverteu, o primeiro sinal de
compra é muitas vezes no início de um canal de baixa. Quando um canal de baixa começa, a probabilidade direcional de um movimento
equidistante é de pelo menos 60%. Isso significa que o mercado tinha cerca de 60% de chance de cair 10 tiques antes de aumentar 10
tiques. Pode ser qualquer mudança de tamanho que esteja ao alcance razoável com base nos swings recentes, mas o ponto principal é
que o mercado tem um viés baixista. À medida que o mercado cai e o momentum desacelera, a probabilidade direcional cai para cerca
de 50% quando a queda é de cerca de metade, mas o preço dessa área neutra geralmente não é conhecido até que o mercado forme uma
consolidação . À medida que continua a cair para algum ímã significativo, a probabilidade direcional ultrapassa a neutralidade e, na
verdade, muda em favor dos compradores. No meio da consolidação , há incerteza; mas uma vez que o mercado chega ao fundo, há
concordância de que o mercado foi longe demais. Nesse ponto, a probabilidade direcional favorece os compradores. Ele então se
recuperará e começará a formar uma consolidação . A probabilidade direcional sempre favorece os compradores no fundo de uma
consolidação , e essa parte inferior será em algum preço técnico chave. Há muitos para escolher, pois o mercado está caindo, e a maioria
não leva a uma configuração de compra clara. Algumas empresas escreverão programas baseados em um ou mais níveis de suporte
técnico, e outras empresas usarão outras. Quando houver suficientes áreas técnicas chave nas proximidades, haverá volume suficiente
de apostas em uma reversão para mudar a direção. Nesse ponto, a matemática está do seu lado porque você está comprando no que
será o fundo de uma consolidação .
O ponto de reversão nunca é conhecido com certeza de antemão, mas acontecerá com algum tipo de padrão de reversão; é importante
observar esses padrões quando o mercado está em níveis técnicos-chave, como em metas de movimento medidas, linhas de tendência e
médias móveis e linhas de tendência de tempo ainda maiores. Isso é discutido mais adiante no capítulo sobre reversões no livro 3.
Geralmente, não é necessário pensar em muitos gráficos em busca de configurações, porque haverá uma configuração razoável em cada
gráfico se você for paciente, vigilante e ciente dos padrões. Assim que o mercado sobe, ele vai geralmente tentar formar uma
consolidação , e as primeiras possibilidades para o topo da consolidação incipiente são aqueles preços de entrada de compra. O mercado
vai tentar uma recuperação até o topo daquelas barras de sinal de. Assim que ele sobe, a probabilidade direcional cai de volta para os
50 porcento, e ela continua a cair mais assim que o mercado chega perto do topo da faixa. Como o topo nunca é conhecido com
antecedência e o meio da consolidação onde a probabilidade direcional é neutra e nunca conhecida com antecedência, o mercado
ultrapassa até atingir algum nível técnico onde traders acreditam que está claramente excedido. Este normalmente é um
nível daquelas entradas de compra. Lembre-se, a probabilidade direcional favoreceu os vendedores quando o preço estava lá, e
quando chegar lá ele vai geralmente favorecer os vendedores mais uma vez. É por isso que o mercado tipicamente cai para lá de
novo. É um preço onde os vendedores tomam o controle. A recuperação normalmente forma um topo duplo com um daquelas
barras de entrada anteriores e então cai, pelo menos brevemente, assim que a consolidação evolui. O mercado normalmente vai para
cima e para baixo assim que ele procura por incerteza, o que significa uma probabilidade direcional neutra de 50%. Em algum
ponto, o mercado vai decidir que essa área não representa mais valor para ambos os compradores e vendedores e que isso é um
preço ruim para um dos lados. O mercado vai seguir em uma tendência até os dois lados encontrarem um bom preço no qual
podem iniciar suas posições.

FIGURA 9.1 Pontos de entrada anteriores são alvos para pullbacks

O gráfico mensal do SPY (um fundo negociado em bolsa que é comparável ao Emini) teve uma forte tendência de alta que terminou em
2000, mas houve várias tentativas de reverter para uma tendência de baixa enquanto o mercado continuava em alta (ver Figura 9.1). Cada um
das mínimas da barra de sinal de baixa (barras 1, 2 e 3) era um alvo para qualquer correção na descida.
Da mesma forma, a tendência de baixa que terminou em 2003 teve várias tentativas fracassadas de reversão de
alta ao longo do caminho (barras 4, 5 e 6) e a máxima de cada barra de sinal de alta foi um alvo para qualquer subida
subsequente.
Além disso, a recuperação de 2003 teve várias tentativas fracassadas de baixa (barras 7, 8, 9 e 10), e cada uma delas foi
um alvo na tendência de baixa que terminou no início de 2009. Esse sell-off teve várias tentativas, e alta de cada uma
dessas barras de sinal de compra (barras 11, 12 e 13) é um alvo para a recuperação atual. Finalmente, a recuperação até a
barra 17 teve várias tentativas em um topo (barras 14, 15 e 16), e o fundo de cada uma dessas barras de sinal de venda é
um imã em qualquer venda.
Nenhum dos alvos deve ser alcançado, mas cada um deles é um imã forte que frequentemente atrai o mercado de
volta ao seu nível.
Í

Outros Ímãs

Há muitos outros ímãs de preços que tendem a atrair o mercado para um teste. Aqui está uma lista de alguns. Muitos deles são
discutidos em outros lugares nos livros. Quando um mercado está tendendo para um ímã, é prudente negociar a favor da tendência
até que o ímã seja testado e preferivelmente ultrapassado. Não opere contra a tendência no ímã, a menos que tenha havido alguma
força de contra-tendência anterior, como um rompimento de linha de tendência, ou a menos que o movimento seja um pullback em
uma tendência de time frame maior.

Eis aqui alguns tipos de ímãs:

• Linhas de tendência.
• Linhas de canal de tendência.
• Qualquer alvo de movimento medido incluindo uma projeção perna 1 = perna 2.
• Pico e canal: o início do canal geralmente é testado em pouco tempo. máxima, mínima, abertura e fechamento de ontem.
• Topos e fundos de swing das últimas barras ou até mesmo dias, muitas vezes configurando bandeiras de alta em forma de
fundo duplo e bandeiras de baixa em forma de topo duplo. Pontos de rompimento.
• Gaps de qualquer tipo, incluindo os gaps de médias móveis.
• O extremo de uma tendência após cada tipo de pullback (consulte o Capítulo 11 na primeira sequência de pullback).
• Consolidações no dia ou dias anteriores, incluindo consolidações estreitos e arame farpado: os extremos e o meio
geralmente são testados.
• O meio aproximado da faixa em um dia de consolidação , especialmente se houver uma consolidação intradiária nessa área
(uma área gorda).
• Bandeiras finais: após o rompimento da bandeira, o mercado volta para a bandeira e geralmente sai do outro lado.
• Arame farpado.
• Barra de entrada e stops de proteção da barra de sinal. Preço de entrada (teste de rompimento).
• Barra de tendência enorme oposta ao extremo (a mínima de uma enorme barra de tendência de alta e a máxima de uma
barra grande de tendência de baixa).
• Alvos comuns de lucro para posições de scalp e swing: na AAPL, 50 centavos e um dólar; no Emini de 5 minutos, cinco a
seis tiques para um scalp de quatro tiques e três, quatro e 10 pontos para um swing.

• Um movimento igual ao tamanho do stop de proteção necessário: se um trade da Emini exigir que você use um stop de
proteção de 12 tiques para evitar ser impedido, espere que o movimento atinja 12 tiques a seu favor.
• Máximas e mínimas diárias, semanais e mensais, máximas e mínimas de barras, médias móveis, gaps, pullbacks e
projeções de Fibonacci e linhas de tendência.
• Números redondos como centenas em ações (por exemplo, AAPL em US $ 300) e milhares no Dow Jones Industrial
Average (Dow 12.000). Se uma ação passar rapidamente de US $ 50 para US $ 88, ela provavelmente tentará testar US $
100 e, em geral, vai para US $ 105 ou US $ 110 antes de voltar.
FIGURA 10.1 Grandes barras de tendência extremas são Ímãs

Quando há uma enorme barra de tendência com pequenas sombras, os traders que entram na barra ou logo depois colocam suas
proteções para além da barra. É bastante comum que o mercado trabalhe até essas stops e, em seguida, inverta novamente na direção
da barra de tendência.
A barra 1 na Figura 10.1 é uma enorme barra de tendência de alta com um fundo raspado. O mercado reverteu para baixo da barra
inside de baixa que se seguiu e formou um fundo mais alto, mas não antes de executar os stops de proteção abaixo da barra de
tendência baixa. Traders inteligentes teriam vendido a barra inside, mas eles estavam prontos para ir muito acima da barra de
reversão da barra 2 que atingia as stops e então voltava o mercado para cima.
As barras 3 e 4 também eram enormes barras de tendência com pequenas sombras, mas nenhuma foi seguida por um pullback
imediato que parou.
Pullbacks: Tendências se
convertendo em
Consolidações

Mesmo quando um gráfico está em uma tendência forte, ele terá períodos de negociações bilaterais, mas, enquanto os
traders acreditarem que a tendência será retomada, esses são apenas pullbacks. Essas consolidações são pequenas o suficiente
para que os traders as visualizem como apenas breves pausas na tendência, em vez da característica dominante do gráfico.
Todos os pullbacks são pequenas consolidações no gráfico que você está visualizando e todas as consolidações são pullbacks em
gráficos de time frames mais altos. No entanto, no gráfico à sua frente, a maioria das tentativas de romper uma consolidação
falha, mas a maioria das tentativas de sair de um pullback é bem-sucedida. Em time frames maiores, a consolidação é um
simples pullback e, se você estiver negociando nesse gráfico, poderá negociá-lo como qualquer outro pullback. Como as barras
são maiores em um gráfico de time frame mais alto, seu risco é maior e você precisa reduzir seu tamanho de posição. A maioria
dos traders prefere negociar um único período de tempo e não alternar entre posições de diferentes tamanhos e usar stops de
tamanho e metas de lucro de diferentes tamanhos, dependendo do período de tempo.
Se o mercado está em uma tendência forte e todos esperam que a tendência continue, por que um pullback aconteceria? Para
entender por que, considere o exemplo de uma tendência de alta. A reversão para baixo no pullback deve-se à obtenção de lucro
pelos compradores e, em menor escala, ao scalp pelos vendedores. Os compradores terão lucros em algum momento, porque
sabem que é a melhor coisa matematicamente a fazer. Se eles segurarem para sempre, o mercado quase sempre voltará ao seu
preço de entrada e acabará indo muito abaixo, criando uma grande perda. Eles nunca sabem ao certo onde o melhor lugar é
obter lucros, e usam os níveis de resistência como sua melhor estimativa. Estes níveis podem ou não ser óbvios para você, mas
porque eles oferecem oportunidades para os traders, é importante procurá-los constantemente. Os scalpers de tendência e os
swing traders, assim como os scalpers de contra-tendência, esperam o pullback e o negociam de acordo. Quando o mercado
alcança um alvo em que os compradores suficientes pensam que devem obter lucros, a falta de novas compras e a venda de
seus longos causará uma pausa no mercado. O alvo pode ser qualquer nível de resistência (discutido nos capítulos sobre
suporte e resistência na Parte II deste livro), ou um certo número de tiques acima de uma barra de sinal importante (como seis,
10 ou 18 no Emini). A barra pode ter um corpo de alta que é menor que o corpo de alta da barra anterior, pode ter uma sombra
no topo ou a barra seguinte pode ser uma pequena barra com um corpo de baixa. Estes são todos os sinais de que os
compradores estão menos dispostos a comprar no topo de swing, que alguns compradores estão tendo lucros, e que os
vendedores estão começando a vender os scalps. Se compradores e vendedores forem vendidos o suficiente, o pullback será
maior e a barra atual poderá cair abaixo da mínima da barra anterior. Em um forte pico de alta, os traders esperam que a
tendência de alta seja imediatamente retomada, de modo que tanto os compradores quanto os vendedores comprem em torno
da mínima da barra anterior. Isso cria um sinal de compra alta 1 e geralmente é seguido por um novo topo. À medida que uma
tendência de alta amadurece e enfraquece, mais trades bilaterais se desenvolverão, e tanto os compradores quanto os
vendedores esperarão que um pullback caia para mais tiques e durem mais barras.
O mercado pode formar um sinal de compra alta 2, um triângulo ou uma bandeira de alta em forma de cunha. Isso cria
uma pequena tendência de baixa, e quando atinge algum alvo matemático, os compradores começarão a comprar novamente, e
os vendedores terão lucros e recomprarão seus curtos. Nenhum dos dois venderá novamente até que o mercado suba o
suficiente para que o processo se repita. Algumas das compras também começam a secar à medida que os compradores se
tornam relutantes em continuar comprando apenas quedas de um a três tiques. Eles se tornam cautelosos e suspeitam
que um pullback maior seja iminente. Por acreditarem que poderão comprar de seis a dez tiques ou mais abaixo da alta,
não há incentivo para que comprem mais. Além disso, há um incentivo para que eles obtenham lucros parciais ou totais
porque acreditam que o mercado em breve cairá, onde poderão comprar novamente e obter lucros adicionais à medida que
o mercado se recupere para testar a máxima mais recente. Os programas de momentum percebem a perda de momentum
e também terão lucros e não entrarão novamente até que o momentum em qualquer direção retorne. Os vendedores
também veem o enfraquecimento da tendência e começam a vender acima das altas de barras e acima dos topos de swing
para scalps, e eles escalam em alta. Uma vez que eles vejam mais pressão de venda, eles também venderão abaixo das
mínimas das barras, esperando um pullback mais profundo.
A maioria dos compradores sairá com um sinal de venda mais fraco do que precisaria de posições vendidas.
Inicialmente, eles buscam obter lucros com força, como acima de um topo de swing ou máxima da barra anterior ou no
fechamento de uma grande barra de tendência de alta. Depois de aproveitar os lucros, eles procurarão obter lucros sobre o
restante de suas posições em fraqueza, e começarão a vender seus longos abaixo das barras de reversão dos vendedores;
eles suspeitam que os pullbacks serão maiores. A maioria não vai se juntar aos vendedores em curto, porque a maioria dos
traders não é capaz de reverter um trade consistentemente bem. Eles têm pensado que o mercado estava subindo, e
geralmente precisam sair de seus longos por vários minutos antes de se convencerem de que deveriam fazer um trade na
direção oposta. Se eles acreditarem que o mercado está apenas fazendo um pullback e não revertendo, eles procurarão
recomprar os seus longos quando acharem que o pullback terminou. Como a maioria não pode ou não reverter, eles não
querem ficar vendidos quando querem comprar. Se eles pegassem o scalp de venda, eles provavelmente não seriam
capazes de reverter, e eles se veriam presos de fora de um topo de swing porque tentavam fazer um pequeno scalp de
baixa. Não faz sentido matemático tentar fazer um ponto em uma probabilidade baixa e acabar perdendo de dois a quatro
pontos em uma probabilidade alta.
Em uma tendência de alta, há uma série de topos e fundos ascendentes. Quando a tendência é forte, os compradores compram
por qualquer motivo, e muitos vão parar seus pontos de proteção. Se o mercado fizer uma nova alta, eles aumentarão seus stops para
abaixo do fundo mais recente. Se vendedores suficientes vendem e compradores suficientes tomam lucros, a reversão pode ser mais forte
do que o que os investidores inicialmente esperavam. Isso geralmente acontece mais tarde em uma tendência, depois que vários
pullbacks anteriores foram seguidos por novos topos de alta. No entanto, tanto os compradores quanto os vendedores acreditam que o
mercado voltará acima do fundo mais recente, e ambos normalmente comprarão no mesmo preço ou abaixo daquele fundo. Isso resulta
em uma bandeira de alta em forma de fundo duplo ou outro topo mais baixo. O sell-off pode ser acentuado, mas enquanto traders
suficientes acreditarem que a tendência de alta está intacta, os traders irão comprar e o mercado testará a alta histórica, onde os
compradores terão lucros parciais ou totais, e os vendedores irão vender de novo.
À medida que a tendência de alta amadurece, os traders procurarão apenas comprar uma correção mais profunda, e esperam que o
mercado faça correções de duas pernas, onde a segunda perna cai abaixo da baixa da primeira. A ação do preço diz aos traders quando
uma correção mais profunda como esta é provável, e quando eles acreditam que é, eles não vão mais seguir seus stops de proteção abaixo
do fundo mais recente. Eles procurarão elevar os lucros mais alto, como acima do topo mais recente, e então procurarem comprar
novamente em torno dessa mínima, restabelecendo seus longos. Não faz sentido para eles contar com um stop abaixo do fundo mais
recente, uma vez que acreditam que o mercado provavelmente terá uma correção de duas pernas e, portanto, cairá abaixo dessa mínima.
Eles vão sair da maioria ou de todas as suas posições antes que isso aconteça, mas ainda assim permanecerão otimistas. A tendência de
alta não está mais formando topos e fundos ascendentes. No entanto, esse fundo mais baixo geralmente ainda está acima do topo mais
baixo mais recente em um gráfico de time frame mais alto, portanto, a tendência de alta ainda está intacta. Esse pullback de duas pernas
é uma grande configuração de compra alta 2 e, à medida que a tendência amadurece, esses pullbacks aumentam e têm subdivisões.
Se a tendência tiver realmente se revertido, haverá uma série de topos e fundos descendentes, mas geralmente há uma clara reversão
(as reversões são discutidas no livro 3). Na ausência de uma reversão clara, um movimento de descida de duas pernas é apenas um tipo
de bandeira de alta e é geralmente seguido por um novo topo. Por exemplo, a primeira perna para baixo pode ser um pequeno pico de
baixa e a segunda perna para baixo é um pequeno canal de baixa. Se o movimento para baixo for forte, mesmo se estiver em um canal
estreito e complexo e não for um pico de alta, os investidores esperarão que ele seja o primeiro de pelo menos duas pernas para baixo. Os
compradores que compraram o pullback terão lucros abaixo da tendência alta, e os vendedores começarão a apresentar uma venda
agressivamente abaixo da alta histórica, esperando um fundo mais alto e uma segunda perna para baixo.
Uma vez que o mercado começa a fazer topos mais baixos, os compradores normalmente só procuram comprar pullbacks mais profundos, e
sua ausência de compra ajuda a criar esses pullbacks mais profundos. Os vendedores veem a mesma ação de preço e a transição para
segurar seus curtos para maiores lucros, esperando que as vendas se tornem maiores. O mercado vende repetidamente em torno de
(ligeiramente acima, no mesmo preço ou abaixo) do topo anterior, mas continua a se recuperar em torno do fundo antigo. Tentativas de
falso rompimento para cima e para baixo falham, e o mercado perde sua direção, criando incerteza de curto prazo. Esta é a marca
registrada de uma consolidação. Haverá repetidas tentativas dos compradores de retomar a tendência e dos vendedores para reverter a
tendência, e 80% das tentativas dos dois lados falharão. Uma vez que uma consolidação em uma tendência de alta é apenas uma bandeira
de alta em um gráfico de time frame mais alto, as probabilidades favorecem um rompimento de alta. Sempre haverá algum padrão que os
compradores e os vendedores reconhecerão como um sinal de que a tendência de alta está prestes a recomeçar. Quando uma tendência
credível aparece, menos vendedores estarão dispostos a usar scalp de venda na recuperação, e os compradores começarão a continuar
comprando para o topo da faixa. Com menos vendedores dispostos a vender e menos compradores dispostos a vender seus longos, a
recuperação vai romper acima da consolidação. Se o rompimento for forte, os vendedores que estavam construindo uma posição de swing,
esperando uma correção maior ou uma reversão, recomprarão seus curtos e não ficarão vendidos novamente por pelo menos mais barras.
Como nem o scalp nem os vendedores que seguram agora estão vendidos e os compradores não estão lucrando, o mercado geralmente é
executado por cerca de um movimento acima, igual a cerca da altura da consolidação. Os compradores, então, começarão a ter lucros e os
vendedores voltarão a ficar vendidos. Se a venda for forte, haverá um pullback, uma consolidação ou mesmo uma reversão para baixo.
O oposto acontece em uma tendência de baixa. Os pullbacks são inicialmente devidos a que os vendedores obtenham lucros em novas
mínimas, mas há sempre alguma compra por parte de compradores agressivos que pensam que o mercado se recuperará o suficiente para
que eles possam obter um scalp lucrativo. Uma vez que o mercado tenha se recuperado para algum nível de resistência, geralmente em um
padrão baixa 2 ou baixa 3, os compradores venderão seus lucros à medida que eles lucrarem, e os vendedores perderão novamente. Os
vendedores querem que o mercado continue a fazer topos e fundos descendentes Sempre que virem uma máxima acentuada, ficarão
agressivamente vendidos quando se aproximarem do topo mais recente. Eles às vezes não vendem muito até que o mercado atinja o topo
mais recente, e é por isso que as bandeiras de baixa em forma de topo duplo são tão comuns. Enquanto o mercado continuar a ter topos
mais baixos, eles sabem que a maioria dos traders verá a tendência de baixa como intacta e, portanto, provável que seja seguida por outro
fundo mais baixo, onde eles podem obter lucros parciais ou totais sobre seus curtos. Eventualmente, um pullback irá evoluir para uma
consolidação, e haverá algumas recuperações acima dos topos mais baixos. Em um gráfico de time frame mais alto, ainda haverá topos e
fundos, mas no gráfico em que você está negociando, esse topo mais alto é um sinal de que a tendência de baixa perdeu um pouco de sua
força. À medida que as tendências de baixa amadurecem e enfraquecem, elas geralmente formam recuperações de duas pernas, onde há
tanto um fundo mais alto quanto um topo mais alto, mas a tendência de baixa ainda está intacta. Esta é a base para uma configuração de
venda de baixa 2, que é simplesmente um movimento de duas pernas. Haverá algum padrão dentro da faixa que dirá tanto aos
compradores quanto aos vendedores que a tendência de baixa provavelmente será retomada, e sempre estará em um nível de resistência,
como um movimento medido ou uma linha de tendência. Isso fará com que os compradores estejam menos dispostos a comprar perto do
fundo da faixa e tenha mais disposição para continuar vendendo até o fundo. O mercado, em seguida, rompimento para baixo, os
compradores cambaleantes param de comprar, e os traders de swing vendem seus longos.

O mercado então cai por cerca de um movimento medido, onde os vendedores vão começar a ter lucros e os compradores agressivos
voltarão a comprar. Se a compra pelos compradores e pelos vendedores for forte o suficiente, haverá um pullback, uma consolidação ou uma
reversão de tendência.
A perna final de um pullback é muitas vezes um microcanal contra a tendência (um microcanal de baixa no fechamento de
uma bandeira de alta ou um microcanal de alta no fechamento de uma bandeira de baixa). O rompimento de um micro-canal
normalmente só vai para uma barra ou duas antes que haja um pullback, especialmente se o micro-canal tiver quatro ou mais barras.
Se a tendência é forte, muitas vezes não há pullback e, portanto, entrar no rompimento do microcanal é um trade razoável. Quando a
tendência não é muito forte, o rompimento do microcanal geralmente tem uma tentativa de falha dentro de uma barra ou duas. Como é
o caso de todos os rompimentos, os traders têm que avaliar a força do rompimento em comparação com a força da barra de sinal para o
falso rompimento. Se o rompimento for significativamente mais forte, especialmente se a tendência subjacente for forte, a tentativa de
reversão provavelmente falhará e levará a uma configuração de pullback de rompimento que dará aos traders uma segunda chance de
entrar na direção do rompimento. Se o rompimento for relativamente fraco, como uma pequena barra de tendência com grandes
sombras, e a barra de reversão for forte, especialmente se o contexto provavelmente levar a uma reversão (como uma bandeira de alta
logo abaixo do topo de uma consolidação ), provavelmente, a tentativa de reversão será bem-sucedida e os traders deverão fazer a
entrada de reversão. Se o rompimento e a reversão forem igualmente fortes e não houver uma forte tendência subjacente, os
investidores avaliarão a força da próxima barra. Por exemplo, se houver uma bandeira de alta no meio de um consolidação , e a barra
de tendência de alta que romper da bandeira for seguida por uma barra de reversão de baixa igualmente forte, e o mercado estiver
abaixo da mínima dessa barra, os traders irão avaliar a aparência dessa barra de entrada de baixa. Se se tornar uma barra de reversão
de alta, eles assumirão que o mercado está apenas formando um pullback do rompimento da bandeira de alta e comprarão acima da
máxima da barra. Se, em vez disso, for uma barra forte de tendência de baixa, especialmente se fechar na sua mínima e abaixo da
barra de rompimento de alta, os traders verão o padrão como um rompimento de baixa e tentarão ficar mais vendidos, se ainda não
tiverem vendido abaixo da barra de reversão de baixa.
No sentido mais estrito, um pullback é uma barra que se move contra a tendência o suficiente para eliminar o extremo da barra
anterior. Em uma tendência de alta, um pullback é um movimento em que uma barra estende pelo menos um tique abaixo da mínima
da barra anterior. No entanto, uma definição mais ampla é mais útil, e qualquer pausa (incluindo uma barra inside, uma barra de
tendência oposta ou uma barra doji) no momento de uma tendência deve ser considerada um pullback, embora possa haver apenas ação
lateral e não um movimento real para trás. Como até mesmo a tendência mais forte progride, em algum momento começa a dar
evidência de quão profundo um pullback será. Mais comumente, será uma área de negociação bilateral. Por exemplo, após o pico de uma
tendência de pico e de tendência do canal, o mercado tem uma pausa ou pullback que cria o início do canal. Quando o canal de tendência
termina e um sell-off (pullback) começa, ele geralmente testa até o final do canal. É aí que os vendedores começaram a vender, e como o
canal de alta está acima do preço de entrada de venda, eles começam a se preocupar. Eles e outros vendedores vendem mais à medida
que a tendência de alta avança, mas uma vez que a tendência se transforma em um pullback, os vendedores ficarão muito felizes em sair
de suas entradas pelo menor e mais curto preço de entrada, que foi o começo do canal. Uma vez que eles estão flat, eles não vão procurar
vender naquela área, porque eles viram até que ponto o mercado se recuperou após o seu trade de venda anterior. No entanto, se eles
ainda forem baixistas, eles voltarão a cair novamente em uma máxima. Se o movimento terminar abaixo da alta anterior, ela criará um
fundo mais alto e geralmente levará a uma segunda perna para baixo. Se os vendedores são particularmente fortes, esse fundo mais alto
pode ser o começo de uma nova tendência de baixa e não apenas um segundo pullback em uma consolidação incipiente.
O mesmo é verdade para uma cunha no final de uma tendência. Se uma tendência de baixa forma uma cunha inclinada para
baixo, o mercado tentará corrigir até o topo da cunha onde os primeiros compradores começaram a comprar. Se o mercado conseguir
atingir o seu preço de entrada mais cedo, eles poderão sair dessa negociação no zero a zero e com lucro em todas as suas entradas mais
baixas, e provavelmente não vão querer comprar até que o mercado caia novamente. Eles aprenderam com o primeiro trade que
compraram a um preço alto demais; eles não gostaram de passar pelas perdas abertas de suas posições de compra, enquanto o mercado
continuava a cair e não queriam experimentá-lo novamente. Desta vez, eles vão esperar por um pullback e esperam que o mercado
aumente um fundo mais alto ou até um fundo mais baixo.

Eles esperam que a mínima original da cunha seja suporte em qualquer pullback posterior e que comprar perto desse nível com
um stop um pouco abaixo desse preço lhes dê uma entrada com um risco definido e limitado, e eles gostam disso.
A tendência do mercado em uma tendência de testar a primeira área de negociações bilaterais
permite que traders perceptivos antecipem quando um pullback pode se formar e até onde ele provavelmente se estenderá. Eles não vão
querer entrar na contra-tendência ao primeiro sinal de negociações bilaterais, mas essa negociação bilateral diz a eles que os traders de
tendência contrária estão começando a tomar posições e, em algum momento antes, o mercado provavelmente recuará a esse preço.
nível. Depois Se o padrão de canal de tendência ou de escada começar a desenvolver sinais de reversão (veja o capítulo sobre reversões de
tendência no livro 3), eles tomarão trades de contra-tendência e tentarão sair com lucro na área onde o trade bilateral começou. (o começo
do canal).
Como um pullback é uma tendência, embora seja geralmente pequena em comparação com a tendência maior da qual está
recuando, como todas as tendências, ela normalmente terá pelo menos duas pernas. Pullbacks de uma e três pernas também são
comuns, assim como pequenos canais e triângulos, mas todos os pullbacks são relativamente breves, e os traders esperam que a
tendência seja retomada em breve. Às vezes, as pernas são visíveis apenas em um gráfico de time frame menor, e outras vezes são
grandes e cada perna se divide em pernas menores, cada uma com duas pernas. Como os traders esperam que a tendência principal seja
retomada em breve, eles se darão fade em um pullback. Por exemplo, se houver uma forte tendência de baixa que finalmente tenha um
pullback com duas pernas para cima, geralmente haverá muito mais vendedores do que os compradores à medida que o mercado
ultrapassa a máxima da primeira perna. Mesmo que o mercado esteja saindo acima de um topo de swing em uma tendência de alta, os
compradores que comprarem o rompimento normalmente serão subjugados por vendedores que o venderão, porque esperam que o
rompimento falhe e que a tendência de baixa retome muito em breve. Eles vão vender em ordens de limite e de mercado e acima do topo
de swing. Eles veem esse rompimento como uma breve oportunidade para restabelecer os curtos a um preço alto. Como 80% das
tentativas de reverter uma tendência falharão, as chances favorecem bastante os vendedores. Isto é especialmente verdadeiro para o
primeiro pullback de duas pernas em uma forte tendência.
Qualquer movimento que tenha duas pernas deve ser negociado como se fosse um pullback, mesmo que seja a favor da
tendência. Às vezes, a perna final de uma tendência é um movimento de duas pernas a favor da tendência para um topo mais alto ou
mais baixo em uma tendência de alta ou um fundo mais baixo ou mais alto em uma tendência de baixa. Por exemplo, se houver uma
tendência de alta que tenha um sell-off que caia na linha de tendência de alta e que este rompimento de linha de tendência seja seguido
por um pullback de duas pernas, esse pullback simplesmente testa o extremo anterior e pode exceder o extremo antigo. Isso significa que
o pullback do rompimento da linha de tendência pode resultar em um topo mais baixo ou até um topo mais alto e ainda fazer parte de
uma transição para uma nova tendência de baixa. Estritamente falando, a tendência de baixa não começa até depois do topo final, mas
esse topo final geralmente é apenas um maior pullback do rompimento abaixo da linha de tendência de alta.
O que se qualifica como duas pernas? Você pode criar um gráfico de linhas com base em fechamentos e, muitas vezes, ver
claramente um movimento de duas pernas. Se você estiver usando gráficos de barra ou vela, o movimento de duas pernas mais fácil de
ver é aquele em que há um movimento de tendência contrária, depois um movimento menor a favor da tendência e um movimento de
segunda tendência contrária (um pullback ABC). Então, por que o movimento geralmente reverte após a segunda perna? Olhe para um
pullback de duas pernas em uma tendência de alta como um exemplo. Os compradores vão comprar o novo fundo (a perna C), achando
que a segunda perna será o fim da tendência. Além disso, os scalpers de venda que estavam procurando por uma correção de duas
pernas estarão comprando de volta seus curtos. Finalmente, os compradores agressivos que compraram a mínima da primeira perna (a
perna A) agora estarão adicionando suas posições compradas no movimento para um fundo mais baixo. Se todos esses compradores
subjugarem os novos vendedores que perderam o rompimento abaixo da primeira perna, um topo se dará e, em geral, testará o topo
anterior, no mínimo.
No entanto, muitas vezes as duas pernas são claramente visíveis apenas em um gráfico de time frame menor e devem ser
inferidas no gráfico que você está visualizando. Como é mais fácil usar um único gráfico para operar do que verificar vários gráficos
durante todo o dia, os traders têm uma vantagem se puderem ver as duas pernas no gráfico à frente deles, mesmo que apenas por
inferência.
Em um mercado em alta, quando há uma série de barras de tendência de alta, uma barra de tendência de baixa pode ser considerada a
primeira perna de um pullback (a perna A) mesmo que a mínima da barra esteja acima da mínima da barra anterior.
Se você examinasse um gráfico de time frame menor, uma perna de tendência contrária provavelmente seria evidente. Se a próxima
barra tiver um fechamento a favor da tendência, mas uma máxima abaixo da barra que acabou com o swing de alta, então esta é a perna
B. Se houver uma barra de baixa ou uma barra com uma mínima abaixo da barra anterior, isso criará a segunda perna para baixo (a
perna C). Quanto mais isso tem que ser inferido, menos confiável é o padrão, já que menos traders o verão ou terá confiança nele. Os traders
provavelmente comprometerão menos capital e serão mais rápidos para sair.
Há um ponto óbvio aqui. Se a tendência que agora está recuando tiver terminado em um clímax ou qualquer padrão de reversão de
tendência significativo, a tendência mudou e você não deve estar tentando inserir pullbacks na tendência antiga. Acabou, pelo menos por talvez
10 barras ou mais e talvez para o resto do dia. Então, depois de uma recuperação forte, se houver um topo de cunha ou um fundo mais baixo
depois de um rompimento da linha de tendência de alta, você deve estar procurando por configurações de venda e não pullbacks na tendência
de alta. Quando não está claro que houve uma provável reversão de tendência, as configurações em ambas as direções provavelmente
funcionarão, pelo menos para os scalps. Quanto mais provável é que tenha ocorrido uma reversão de tendência, mais importante se torna evitar
negociações na antiga direção, já que agora é provável que haja pelo menos duas pernas na nova direção. Além disso, a quantidade de tempo e o
número de pontos neste movimento geralmente serão aproximadamente proporcionais à clareza da reversão. Quando você tem uma ótima
configuração de reversão, você deve segurar parte ou, raramente, até mesmo toda a sua posição.
Todos os pullbacks começam com um padrão de reversão de algum tipo. Geralmente é forte o suficiente para atrair os traders de contra-
tendência a tomar uma posição contra a tendência, mas não forte o suficiente para ser uma configuração confiável de contra-tendência. Uma
vez que a configuração e o pullback não são fortes o suficiente para mudar a direção do trade sempre-ativo, os traders não devem procurar um
trade contra-tendência. Em vez disso, eles devem estar procurando por uma configuração que signifique um possível fim do pullback e, em
seguida, entrar na direção da tendência. No entanto, uma vez que o pullback começou com uma reversão, muitos traders seriam
excessivamente cautelosos e se colocariam fora de um grande trade.
Essa é apenas a natureza do trade, e você não pode ganhar a vida como um trader a menos que esteja disposto a assumir perdas. Lembre-se,
um rebatedor de beisebol da liga principal que falhar 70 por cento do tempo é considerado um superstar e ganha milhões apesar de acertar só
30 por cento.
Quando o mercado está em uma tendência fraca, ou nos estágios iniciais de transição de um consolidação para uma tendência, às vezes ele
terá uma bandeira e, em seguida, um rompimento de bandeira e, em seguida, um pullback e esse pullback se tornará outra bandeira. Às vezes,
o mercado faz isso várias vezes antes que um rompimento forte se materialize.
Pausas de uma e duas barras são mais difíceis de negociar do que pullbacks que duram muitas barras e, na verdade, recuam do
extremo. Por exemplo, se houver um grande movimento de alta no qual a última barra era uma pequena barra com uma máxima
ou duas vezes abaixo da barra anterior e essa barra era uma grande barra de tendência de alta e seguiu uma ou duas outras
grandes barras, se você comprar um tique acima dessa barra, você está comprando no pico do dia. Uma vez que muitas
instituições vendem cada novo topo, há um risco substancial de que o movimento possa reverter seu stop antes que seu alvo de
lucro seja alcançada. No entanto, se a tendência for muito forte, esse é um importante trade a ser seguido. Parte do que torna esse
trade tão difícil é que você tem muito pouco tempo para analisar a força da tendência e procurar por possíveis excesses de linha de
canal de tendência ou outras razões pelas quais o trade pode falhar.
Uma pausa ainda mais difícil é uma pequena doji com um tique elevado acima da máxima da barra de tendência de alta
forte anterior. Comprar acima da máxima de uma doji é algumas vezes um bom trade, mas para a maioria dos traders, é difícil
assumir risco rápido o suficiente e é melhor esperar por uma configuração mais clara. Além disso, se a entrada anterior a favor da
tendência seguiu um pullback maior, como uma alta 2, você deve hesitar, já que cada pullback normalmente fica mais profundo,
não mais raso. No entanto, se o mercado romper e tiver três barras de tendência de alta fechando perto de suas máximas, a
chance de um scalp bem-sucedido quando você compra acima da barra de pausa que segue essas barras é boa. Em geral, essas
compras de alta 1 (ou baixa 1 em tendências de baixa) nos estágios iniciais de uma forte tendência de alta são as únicas entradas
de barras de pausa que a maioria dos traders deve considerar. Além disso, lembre-se de que uma barra de pausa após um
rompimento de barra única tem a mesma probabilidade de ser uma entrada na direção oposta, uma vez que os rompimentos de
uma barra geralmente falham, especialmente se forem uma tendência contrária.

Se um pullback for pequeno em comparação a favor da tendência, normalmente é seguro entrar assim que terminar. Se for
grande o suficiente para ser uma contra-tendência forte e negociável é melhor esperar até um segundo sinal se configurar. Por
exemplo, se há um canal de baixa prolongado em uma forte tendência de alta, ao invés de comprar a primeira reversão de volta
para cima, é mais seguro esperar por um pullback daquele rompimento e comprar o pullback de rompimento.
Todos os pullbacks de alta terminam por um motivo, e essa razão sempre é que o mercado alcançou algum tipo de
suporte. Às vezes eles terminam em silêncio e outras vezes com fortes tendências contra a tendência principal e chegam perto de
reverter a tendência. Isso se aplica a grandes pullbacks e a um ou dois pullbacks de barras de pequenas bandeiras. Mesmo as
quedas nos mercados de ações de 1987 e 2009 terminaram na linha de tendência de alta mensal, e, portanto, eram apenas
pullbacks em uma tendência de alta. A maioria termina em um cluster de níveis de suporte, embora muitos traders não vejam
alguns ou todos eles. Alguns traders comprarão um pullback em uma tendência de alta porque estão focados em um nível de
suporte, seja uma linha de tendência de alta, uma linha de canal no fundo da bandeira de alta, uma de compra ou de venda
anterior, alguma média móvel ou qualquer outro tipo de suporte, e outros comprarão porque eles veem um nível de suporte
diferente na mesma área. Uma vez que haja compradores suficientes para superar os vendedores, a tendência será retomada. O
mesmo acontece com os pullbacks de baixa. Eles sempre terminam em um grupo de níveis de resistência, embora muitas vezes
seja fácil não ver a resistência que o mercado está vendo. Quando o mercado se aproxima do preço-chave, o efeito do vácuo
geralmente domina. Por exemplo, se os compradores acreditam que o mercado está chegando perto de um nível de suporte
importante, eles freqüentemente se afastam e esperam que esse nível seja atingido. Isso pode resultar em um pico de baixa
muito forte, mas uma vez que o suporte é atingido, os compradores entram e compram de forma agressiva e implacável. O mesmo
vale para os vendedores que criaram o pullback. Eles também veem o nível de suporte, e quanto mais o mercado se aproxima,
mais confiantes estão de que o mercado chegará lá. O resultado é que eles vendem de forma agressiva e implacável até que o
nível seja atingido, e então eles de repente param de vender e rapidamente compram de volta seus curtos. O pullback pode
terminar com uma barra grande de tendência de baixa que parece virar o trade sempre-ativo em baixa, mas a venda subsequente
nas barras seguintes não se desenvolve. Em vez disso, a tendência de alta recomeça, às vezes lentamente no início. Com os
compradores e os vendedores comprando, a reversão pode ser acentuada e percorrer um longo caminho. O efeito do vácuo está
sempre presente, mesmo durante as reversões mais dramáticas, como os rompimentos nas bolsas de valores de 1987 e 2009. Em
ambos os casos, o mercado estava em queda forte, mas fortemente revertido uma vez que o mercado caiu um pouco abaixo da
linha de tendência mensal. Tão dramático quanto os dois acidentes foram, eles eram apenas exemplos do efeito do vácuo em ação.
Esse mesmo comportamento ocorre em um pullback de uma ou duas barras do rompimento de uma bandeira. Por exemplo, se
houver uma baixa bandeira de baixa, baixa 2 na média móvel em uma tendência de baixa forte e ela aciona uma venda, a barra
de entrada pode ser seguida por uma barra de tendência de alta. Isso representa um falso rompimento e pode ser o início de uma
tendência de alta ou uma recuperação maior de baixa. No entanto, ele geralmente falha e, quando uma rompimento fracassa, ele
se torna um pullback na tendência maior. Aqui, torna-se uma configuração de venda de pullback de rompimento. Os traders
esperarão que ele fracasse, e os vendedores agressivos venderão no fechamento dessa barra e logo abaixo e acima de sua máxima.
Traders mais conservadores aguardarão a confirmação de que essa barra de tendência é apenas um pullback de rompimento da
bandeira de baixa. Eles venderão em um stop abaixo da mínima da barra de baixa, ou a próxima barra ou duas, se o pullback
continuar um pouco mais longo.
Como um pullback é apenas uma pausa em uma tendência e não uma reversão, uma vez identificado o que você acredita
ser um pullback, você acredita que a tendência será retomada e haverá um teste do extremo da tendência. Por exemplo, se
houver uma tendência de alta e, em seguida, o mercado for vendido por várias barras e se você vir esse sell-off como uma
oportunidade de compra, então você acredita que é apenas um pullback na tendência de alta. Você está esperando um teste do
topo da tendência da alta. É importante observar que o teste não precisa atingir um novo topo. Sim, geralmente é um topo mais
alto, mas pode ser um topo duplo ou um topo mais baixo. Após o teste, você decidirá se a tendência de alta está intacta ou se
passou para uma consolidação ou mesmo para uma tendência de baixa. Muitas vezes, os pullbacks são fortes picos que fazem os
investidores se perguntarem se a tendência se reverteu. Por exemplo, em uma tendência de alta, pode haver uma barra grande
de tendência de baixa ou duas que rompem abaixo da média móvel e talvez vários tiques abaixo de um consolidação . Os
traders, então, se perguntarão se a direção sempre-ativo está no processo de mudar para “em baixa”. O que eles precisam ver é
a continuidade da venda na forma de talvez apenas mais uma barra de tendência. Todos vão assistir de perto a próxima barra.
Se for uma barra de tendência de grande porte, a maioria dos traders acreditará que a reversão foi confirmada e começará a
ser vendida no mercado e em pullbacks. Se a barra, em vez disso, tiver um fechamento de alta, eles suspeitarão que a tentativa
de reversão falhou e que o sell-off é apenas um pullback breve, mas acentuada, no preço e, portanto, uma oportunidade de
compra. Traders iniciantes veem o forte aumento de baixa e ignoram a forte tendência de alta em que está ocorrendo. Eles
vendem o fechamento da barra de tendência de baixa, abaixo de sua mínima, qualquer pequeno salto nas próximas barras e
abaixo de qualquer configuração de venda baixa 1 ou baixa 2. Os compradores inteligentes estão tomando o lado oposto desses
trades porque entendem o que está acontecendo.
O mercado está sempre tentando reverter, mas 80% dessas tentativas de reversão falham e se transformam em
bandeiras de alta. No momento em que a tentativa de reversão está ocorrendo, as duas ou três barras de baixa podem ser
muito persuasivas, mas sem continuidade de venda, os compradores veem o sell-off como uma grande oportunidade de voltar a
ficar comprado perto da mínima de um breve clímax de venda. Compradores e vendedores experientes esperam por essas fortes
barras de tendência e às vezes se afastam até formar uma. Então eles entram no mercado e compram porque eles o veem como
o fim culminante da venda. Os vendedores recompram seus curtos e os compradores restabelecem seus longos. Isso é o oposto
do que acontece no fim de uma tendência quando os traders fortes estão esperando por uma grande barra de tendência. Por
exemplo, em uma tendência forte de baixa perto de um área de suporte, muitas vezes haverá um rompimento tardio na forma
de uma barra grande de tendência de baixa incomumente. Tanto os compradores quanto os vendedores pararam de comprar
até que a viram se formar. Nesse momento, ambos compram o clímax de venda, porque os vendedores veem como um ótimo
preço para obter lucros em seus curtos e os compradores veem isso como uma breve oportunidade de comprar a um preço muito
baixo.
Se os traders verem o que acreditam ser apenas um pullback, eles acreditam que a tendência ainda está intacta.
Quando estão avaliando a equação do trader, a probabilidade nunca é conhecida com certeza, mas como estão fazendo um
trade na direção da tendência, eles podem assumir que a probabilidade direcional de um movimento equidistante é de 60%.
Pode ser maior, mas é improvável que seja muito menor. Caso contrário, eles teriam concluído que o pullback durou tanto que
perdeu seu valor preditivo e se tornou uma consolidação comum, que tem uma probabilidade igual de que a eventual
rompimento seja para cima ou para baixo. Uma vez que eles determinem seu risco, eles podem definir um alvo de lucro que
seja pelo menos tão grande quanto o risco e razoavelmente assumir que eles têm cerca de 60% de chance ou melhor de serem
bem-sucedidos. Por exemplo, se eles estão comprando uma bandeira de alta na Goldman Sachs (GS) e seu stop de proteção está
abaixo da bandeira de alta, cerca de 50 centavos abaixo de sua entrada, eles podem assumir que têm pelo menos 60% de
chance de fazer pelo menos um lucro de 50 centavos no seu longo. Seu alvo de lucro pode ser um teste do topo. Se for, e esse
topo for $ 2,00 acima de sua entrada, eles provavelmente ainda têm cerca de 60% de chance de sucesso, mas agora sua
recompensa potencial é quatro vezes maior, e isso cria um resultado muito favorável da equação do trader.
Uma vez que você acredita que o mercado se reverteu, ele geralmente recuará para testar o extremo da tendência
anterior antes que a nova tendência se desenrole. Por exemplo, suponha que haja uma tendência de baixa e que o pullback
anterior tenha sido forte o suficiente para romper acima da linha de tendência de baixa e agora o mercado está se revertendo
de um teste fundo mais baixo do fundo da tendência de baixa. Esta é uma possível reversão de tendência para uma tendência
de alta. Se essa primeira perna for na forma de um pico forte, você acredita que as chances de uma reversão são agora ainda
maiores. O pullback da primeira perna forte geralmente resultará em um fundo mais alto, mas também pode resultar em um
fundo duplo com o baixo de baixa ou até mesmo um fundo mais baixo. Como pode ser que você acredite que a tendência se
reverteu em uma tendência de alta, mas o mercado caiu agora para um fundo mais baixo? Um fundo mais baixo é uma das
características de uma tendência de baixa, e nunca pode ser parte de uma tendência de alta.

Sim, essa é a sabedoria convencional, mas você pode ganhar mais dinheiro como trader se usar definições mais amplas. Você
poderia se stopar fora de seu longo se o mercado ficar abaixo do preço do fundo da baixa, mas você ainda pode acreditar que os
compradores realmente controlam o mercado. Esse pico de alta foi um rompimento da velha tendência de baixa e converteu o
mercado em uma tendência de alta. Não importa se o pullback do rompimento cair abaixo do fundo da baixa. Suponha que o
mercado tenha parado exatamente no fundo antigo em vez de ficar um tique mais baixo. Você realmente acha que é de grande
importância? Às vezes é, mas geralmente perto é perto o suficiente. Se duas coisas são semelhantes, elas se comportarão da
mesma maneira. Também não importa se você considera a parte inferior do pico de alta ou o pullback para o fundo mais baixo
como o início da tendência de alta. Estritamente falando, o pico foi a primeira tentativa de uma reversão e falhou uma vez que
o mercado caiu abaixo do fundo do pico. No entanto, ainda foi o rompimento que mostrou que os compradores assumiram o controle
sobre o mercado, e realmente não importa que o pullback tenha caído para um fundo mais baixo e que os vendedores recuperaram o
controle brevemente. Tudo o que importa é que os compradores estão no controle e provavelmente será assim para muitas barras,
então você precisa estar procurando comprar pullbacks, mesmo que o primeiro pullback para o fundo mais baixo.
Pullbacks para os fundos mais baixos em tendências de alta ou topos mais altos em tendências de baixa são comuns nas pequenas
pernas que ocorrem em todos os gráficos. Por exemplo, suponha que haja uma tendência de baixa e, em seguida, há uma forte
recuperação do canal para a média móvel que dura cerca de oito barras. Como o canal é estreito, ele é forte e isso significa que a
primeiro rompimento de baixa provavelmente falhará, mesmo que esteja na direção da tendência. Os traders geralmente esperam
por um pullback antes de entrarem curto. No entanto, esse pullback geralmente estará na forma de um topo mais alto, criando um
pullback de ABC na tendência de baixa. Eles venderão abaixo da mínima da barra anterior, confiantes de que uma mínima de 2
pontos na média móvel é um grande trade em uma forte tendência de baixa. Muitos traders não pensam neste ABC como um
rompimento de baixa (a perna B é o rompimento abaixo do canal que constitui a perna A) e depois um rompimento para um topo
mais alto (a perna C), mas é isso que realmente é, se você enxergar assim.
Há um tipo especial de pullback topo mais alto ou fundo mais baixo que é comum nas principais reversões de tendência, que são
discutidas no livro 3. Por exemplo, se houver uma tendência de alta que tenha um movimento forte abaixo da linha de tendência de
alta, e então uma recuperação fraca (por exemplo, uma cunha) para um novo topo, esse topo mais alto às vezes é o início de uma
nova tendência de baixa. Se a tendência, então, reverte para uma tendência de baixa, essa recuperação fraca para o topo mais alto é
simplesmente um pullback do pico de baixa que quebrou a linha de tendência de alta. Esse pico de baixa foi o início real da
tendência de baixa, embora o pullback do pico subiu acima do topo do pico de baixa e tenha criado um novo topo na tendência de
alta. Depois que a tendência de baixa tiver continuado por 20 ou mais barras, a maioria dos traders olhará para o topo mais alto e a
verá como o início da tendência de baixa, e essa é uma conclusão razoável. No entanto, conforme a tendência estava se formando, os
traders astutos estavam se perguntando se o mercado havia se revertido em uma tendência de baixa, e não se importaram se a
recuperação até o pico de baixa testasse o topo da tendência de alta anterior como um topo mais baixo, um topo duplo ou topo mais
alto. De uma perspectiva estritamente técnica, a tendência começou quando os vendedores assumiram o controle do mercado
durante o pico de baixa e não com o teste do topo da tendência de alta. A confirmação da reversão da tendência veio quando o
mercado vendeu fortemente do topo mais alto. Embora o topo mais alto seja, na verdade, simplesmente um pullback do pico de
baixa, não importa qual dos dois topos você acha que é o início da tendência de baixa, porque você negociaria o mercado da mesma
forma e procuraria vender abaixo do topo mais alto. O mesmo é verdade quando uma tendência de baixa reverte em uma tendência
de alta a partir de um fundo mais baixo depois que uma forte recuperação se rompe acima da linha de tendência de baixa. Os
compradores assumiram o controle do mercado no pico que quebrou acima da linha de tendência de alta, mas a maioria dos traders
diria que a nova tendência de alta começou com o fundo mais baixo. No entanto, esse fundo mais baixo foi simplesmente um
pullback do forte pico de alta.
Qualquer tendência que cubra muitos pontos em poucas barras, significando que há uma combinação de barras e barras
grandes que se sobrepõem apenas minimamente, eventualmente terá um pullback. Essas tendências têm um momentum tão forte
que as chances favorecem a retomada da tendência após o pullback e, em seguida, um teste de extremo da tendência. Normalmente, o
extremo será ultrapassado, desde que o pullback não se transforme em uma nova tendência na direção oposta e se estenda além do
início da tendência original. Em geral, as chances de que um pullback volte ao extremo da tendência anterior caem substancialmente
se o pullback refizer 75% ou mais. Para um pullback em uma tendência de baixa, nesse momento, é melhor pensar em um trader do
pullback como uma nova tendência de alta, em vez de um pullback em uma velha tendência de baixa.
A coisa mais frustrante sobre esperar por um pullback é que às vezes isso nunca parece acontecer. Por exemplo, quando há
uma recuperação e agora você está confiante de que seria inteligente comprar um pullback, o mercado sobe barra após barra e não faz
pullback até chegar tão longe que agora você acha que pode reverter em vez de fazer um pullback. Por que isso acontece? Toda
tendência de alta é criada por programas de compra que usam todos os algoritmos imagináveis, e fortes tendências ocorrem quando
muitas empresas executam programas na mesma direção. Uma vez que você esteja confiante de que a tendência de alta é forte, todos
os outros também. Traders experientes entendem o que está acontecendo, e eles percebem que qualquer pullback quase certamente
será comprado e será seguido por um novo recorde. Por causa disso, em vez de esperar por um pullback, eles estão fazendo
exatamente o que as instituições estão fazendo. Eles estão comprando no mercado e em pequenos pullbacks que não são evidentes no
gráfico na frente deles. Talvez eles estejam comprando em um pullback de um ou dois tiques. Os programas continuarão comprando
porque a probabilidade é de que uma tendência continue até atingir algum nível técnico. Nesse ponto, a matemática favorecerá uma
reversão. Em outras palavras, a matemática superou a neutralidade e agora favorece uma reversão, e, como isso acontece, as firmas
irão negociar agressivamente na direção oposta e a nova tendência continuará até que ultrapasse a neutralidade e as chances
favoreçam novamente um movimento no sentido contrário.
Por exemplo, se o AAPL for de $ 4.00 a $ 280 e ele subir sete barras seguidas no gráfico de 5 minutos, ele
provavelmente subirá para a oitava barra e ainda mais. Os traders estão dispostos a comprar a US $ 280 porque
entendem a lógica da probabilidade direcional de um movimento equidistante. Desde que eles estão confiantes de que em
algum momento em breve o mercado será maior do que é agora e eles não estão confiantes de que cairá em breve, eles
compram no mercado e em pequenos mergulhos. Embora eles possam não pensar em termos de probabilidade direcional,
toda negociação de tendência é baseada nela. Quando a AAPL está tendendo fortemente, eles preferem comprar a US $
280 porque acreditam que o mercado chegará a US $ 281 antes de cair para US $ 279. Eles também provavelmente
acreditam que chegará a US $ 282 e talvez US $ 283 antes de cair um dólar. Eles podem não pensar nisso em termos de
matemática e a probabilidade exata nunca é certa, mas nessa situação, provavelmente há cerca de 70% de chance de que a
AAPL suba dois ou três dólares antes de recuar um dólar. Isso significa que se você fizer esse trade 10 vezes, você ganhará
dois dólares em sete casos por $ 14 de lucro e perderá um dólar três vezes. Seu lucro líquido é de US $ 11 ou mais de um
dólar por trade.
Se, em vez disso, eles esperarem pelo pullback de US $ 1,00, ele pode não vir até que a AAPL esteja em US $ 283. Eles
então poderiam comprá-lo a US $ 282, mas isso é dois dólares a mais do que eles poderiam ter pago mais cedo, se eles
acabaram de comprar no mercado.
Se depois de comprarem US $ 280, a AAPL caísse para US $ 279, muitos traders iriam comprar mais porque acreditam
que as probabilidades são provavelmente melhores que 70% para que ela subisse para um novo recorde. um lucro em dólar
em sua menor entrada.
Isto é importante para os traders que estão esperando para entrar em pullbacks. Quando a tendência é forte, muitas
vezes é melhor entrar no mercado do que esperar por um pullback.

FIGURA PIII.1 Pullbacks começam com reversões


Todos os pullbacks começam com uma reversão, e geralmente são fortes o suficiente para que os traders tenham muito medo
de receber o sinal de tendência quando finalmente se desenvolver. Na Figura PIII.1, o gráfico à esquerda mostra como era o
gráfico de 5 minutos no momento da barra 10, configuração de venda baixa 2 na média móvel, e o gráfico à direita mostra o dia
inteiro. A barra 7 era uma barra forte de reversão de alta e foi seguida por uma forte reversão de duas barras e fundo mais alto
na barra 9. No entanto, o mercado não havia tocado a média móvel em mais de 20 barras, então a tendência de baixa era forte e
os vendedores provavelmente iriam procurar comprar uma recuperação de duas pernas para a média móvel, especialmente se
houvesse um barra de sinal de baixa. Quando a configuração perfeita finalmente se formou, muitos iniciantes estavam tão
focados nas barras 7 e 9 que ignoraram a tendência de baixa que os precedeu, e a realidade que uma venda baixa 2 na média
móvel onde há uma barra de sinal de baixa é uma configuração de venda confiável. A recuperação foi criada por vendedores
tomando lucro e scalps de compra, e ambos planejaram vender em força em um pullback de duas pernas para a média móvel. Os
compradores tomaram lucros e os vendedores restabeleceram seus curtos. Nada vai ser 100% certo, mas uma baixa 2 na média
móvel em uma tendência de baixa onde há uma barra de sinal de baixa é geralmente pelo menos 60 por cento provável de ser um
sucesso para vendedores que venderam em um stop em um tique abaixo da barra 10. Neste caso em particular, a barra de sinal
tinha apenas três tiques de altura, então um vendedor estaria arriscando cinco tiques para um teste do fundo da baixa, que era
cerca de dois pontos mais baixo. Muitos vendedores venderam este primeiro pullback para a média móvel com uma ordem de
limite localizada um tique abaixo da média móvel. Outros vendedores viram isso como a primeira recuperação de duas pernas e,
portanto, esperavam que ele falhasse. Quando eles viram a barra de reversão 9, eles colocaram ordens de limite para vender no
mesmo preço ou acima da máxima da barra 8 e foram preenchidos na recuperação para a barra 10. Eles esperavam que qualquer
reversão fosse o início de uma bandeira de baixa e pensavam que qualquer rompimento para cima seria uma breve oportunidade
para restabelecer a venda a um preço mais alto; eles agressivamente aproveitaram essa oportunidade, esmagando os
compradores que compraram o rompimento acima da barra 8.
A mínima da barra 10, bandeira de alta e baixa 2, rompeu com uma forte barra de tendência de baixa, mas foi seguida por
uma barra com um corpo de alta. Esta foi uma tentativa de fazer com que o rompimento falhasse. Os compradores queriam que o
mercado formasse uma baixa 2 fracassada e depois uma recuperação, e mudassem para sempre-ativo em alta. No entanto, os
traders sabem que a maioria das tentativas de reversão falham, e muitos venderam o fechamento de alta e tiveram ordens de
limite para vender acima de sua máxima. Como os vendedores não sabiam se o mercado iria negociar acima da máxima dessa
barra, se eles esperavam uma venda ou acima da barra, mas queriam garantir a obtenção da venda mesmo que suas ordens de
limite não fossem preenchidas, muitos também colocaram ordens de stop em um tique abaixo de sua mínima. Se suas ordens de
limite na máxima da barra fossem preenchidas, muitas teriam cancelado suas ordens de entrada.
Se suas ordens de limite não fossem preenchidas, o stop abaixo da barra teria assegurado que eles ficassem vendidos. A
maioria já teria vendido o rompimento da baixa 2, mas alguns teriam adicionado enquanto o mercado seguia seu caminho. Isto é
particularmente verdadeiro no trading computadorizado, onde muitos programas continuam a ficar vendidos, à medida que o
mercado continua a cair.
A propósito, uma das regras principais sobre as reversões de negociação é sair na segunda tentativa do mercado de retomar a
tendência. Neste caso, era prematuro esperar que a barra 7 fosse um fundo duradouro. Uma vez que o mercado formou uma baixa 2
na média móvel, e especialmente com a barra de sinal 10 tendo um corpo de baixa, todos os longos devem sair. Muito poucos tiveram
a capacidade de reverter para venda, e aqueles que não têm essa capacidade saíram de seus pequenos scalps de compra e perderam
um grande trade de venda. É muito melhor esperar pacientemente para uma recuperação de venda para a média móvel em uma
tendência de baixa do que para scalpear uma compra.
Uma vez que a tendência de alta estava clara, os traders esperavam que o primeiro pullback de duas pernas falhasse. Quando viram
a barra de tendência de alta após a barra 21, colocaram ordens de limite de compra na mínima da barra 21, uma vez que esperavam
que a rompimento abaixo da barra 21 falhasse. Teria sido o primeiro movimento de duas pernas para baixo em uma forte tendência
de alta, e a maioria dos primeiros contra uma forte tendência falha. Eles também acreditavam que a média móvel seria um suporte e
que haveria compradores agressivos lá. Suas ordens de limite de compra foram preenchidas assim que o mercado caiu para a média
móvel. Outros compradores entraram em um stop de compra acima da máxima da barra 23, já que era uma configuração de compra
alta 2 em uma tendência de alta com uma barra de sinal de alta na média móvel, que é uma configuração de compra muito forte.
A barra de reversão de baixa 24 tinha uma sombra no fundo e era ligeiramente menos forte do que o rompimento de alta do
microcanal de baixa da barra 20 para a barra antes da barra 23. A barra de rompimento era uma grande barra de tendência de alta e
seguiu duas barras de alta. Alguns traders venderam abaixo da barra 24, esperando que a rompimento de alta fracassasse. Outros
esperavam para ver como seriam as próximas barras. A barra de entrada de venda era uma barra de baixa forte, mas mantida acima
da mínima da barra de rompimento de alta, de modo que o mercado ainda não mudou para sempre-ativo em baixa. A próxima barra
tinha um corpo de alta e, portanto, não confirmou a venda. Os compradores compraram acima de sua máxima, acreditando que era
um pullback razoável de compra na média móvel em uma tendência de alta, ou em uma perna de alta em uma consolidação em
desenvolvimento.

FIGURA PIII.2 Todo pullback pode dar início a uma reversão

Todo pullback começa com algum tipo de configuração de reversão. A reversão é necessária para que muitos traders a favor da
tendência comecem a obter lucros, e para trades de contra-tendência para iniciar trades. Sim, as instituições criam o padrão de
reversão à medida que as instituições a favor da tendência tendem a lucrar e as instituições de tendência contrária começam a
escalonar em trades de reversão. No entanto, muitas outras instituições e traders esperam pelos primeiros sinais de uma
reversão antes de iniciar seus trades, e o efeito cumulativo de todos os traders cria o pullback. Se a tendência for forte e a
configuração de reversão for fraca, o pullback às vezes dura apenas uma ou duas barras, como nas barras 3, 9 e 19 da Figura
PIII.2. Às vezes é apenas uma pausa e cria um pullback lateral, como a barra 7.
Havia um pico de baixa de quatro barras até a barra 2, mas a terceira e quarta barra tinham corpos de baixa encolhidos,
indicando uma perda de momentum. As sombras na barra 2 são um sinal de negociação bilateral. Alguns traders pensaram
que isso poderia estar sinalizando uma reversão de abertura e a mínima do dia e eles compraram acima da barra 2.
O pico de alta de cinco barras a partir da barra 5 foi suficiente para fazer com que a maioria dos traders acreditasse que a
negociação sempre-ativa tinha trocado para “em alta”. Eles esperavam preços mais altos, e acreditavam que qualquer venda
seria comprada de forma agressiva e resultaria em um fundo mais alto. No entanto, foram três empurrões até a barra 8, e esse
topo de cunha poderia ter duas pernas para baixo. Isso resultou em um pullback de uma barra que foi seguido por outra perna
forte. Como a recuperação da barra 5 era tão forte, muitos traders acreditavam que qualquer pullback seria comprado.
Quando todos acreditam que há compradores fortes abaixo, eles só compram no mercado. Eles não sabem se o mercado vai
fazer pullback em breve, mas eles acreditam que, quer isso aconteça ou não, em breve subirá mais. Em vez de arriscar perder
muito da tendência, eles começam a comprar no mercado e continuam comprando até pensarem que o mercado pode estar
finalmente começando a recuar.
A barra 10 tinha um par de barras doji depois de um movimento parabólico em uma tendência de pico e clímax. As cinco barras
acima da barra 5 formaram o pico de alta. Foi também uma nova máxima do dia. Alguns traders começaram a vender o que
achavam que poderia ser a maior máxima do dia, mas isso resultou em apenas outro pullback.
Alguns traders viram a barra 18 como um possível topo duplo com barra 10, e eles venderam abaixo da barra de sinal inside.
Como havia sete corpos de alta consecutivos, a maioria dos traders esperava mais tendência de alta, então compraram abaixo
da mínima daquela barra de sinal, em vez de ficarem vendidos.
A barra 26 era uma barra de reversão de baixa e um possível fundo mais alto depois de uma reversão pela barra 16 no fundo
da consolidação . No entanto, mais traders acreditavam que o dia era um dia de tendência de alta e compraram a e abaixo da
mínima da barra 26.

FIGURA PIII.3 Pullbacks de rompimento

Quando um canal é íngreme, é melhor não entrar em um trade de reversão na linha de tendência através da linha de tendência
e, em vez disso, esperar para ver se há um pullback de rompimento que configura um segundo sinal. Na Figura PIII.3, o pico até
a barra 2 era muito íngreme para vender o primeiro rompimento abaixo da linha de tendência. Em vez disso, os traders devem
considerar uma venda apenas se houver um pullback de rompimento que testa a máxima do pico. O teste pode ser um topo mais
baixo, um topo duplo ou um topo mais alto. Aqui, houve um topo mais alto logo abaixo da média móvel na barra 4, de reversão de
baixa.
O pico até a barra 6 também era muito forte para vender o rompimento abaixo da barra 6. Os vendedores esperavam por um
rompimento bem-sucedido abaixo da linha de tendência de alta, com boa continuidade para baixo. Em vez disso, os traders
devem esperar por um pullback antes de considerar vemder. Aqui, a barra após a barra 6 tornou-se uma barra outside de alta, e
foi um teste topo mais alto do topo do canal estreito da barra 5 até a barra 6. Foi seguida por uma barra inside de baixa,
formando uma ioi (inside-outside-inside) e configuração de venda topo mais alto.
O canal da barra 8 até a barra 9 tinha quatro barras de tendência de alta consecutivas e, portanto, era muito forte para vender o
primeiro rompimento abaixo do canal. Em vez disso, os traders devem esperar para ver como era o pullback do rompimento. Era
um topo mais baixo na barra 11, e eles podiam ficar vendidos em um tique abaixo da mínima.
O canal de alta da barra 12 para a barra 14 era muito estreito e, portanto, os traders não deveriam vender o rompimento abaixo
da linha de tendência. Em vez disso, eles deveriam esperar para ver se houve uma boa configuração de venda de pullback de
rompimento. A barra 16 formou um teste topo mais baixo do topo do canal, e os traders puderam entrar em ação quando a
barra 16 caiu abaixo da mínima da barra anterior e se tornou uma barra outside. Alternativamente, eles poderiam esperar
pelo fechamento da barra. Uma vez que eles viram que tinha um corpo de baixa e fechou abaixo da mínima da barra
anterior, eles poderiam vender abaixo da barra outside 16, que é uma venda de alta probabilidade, já que o fechamento de
baixa deu uma confirmação adicional de que os vendedores eram fortes.
O sell-off até a barra 17 estava em um canal estreito e havia sete barras sem um fechamento de alta. Isso é muito
forte para comprar a primeira tentativa de rompimento para cima. O pullback de rompimento foi para um fundo mais
baixo na barra 20, e a configuração de compra foi um padrão ii (inside-inside).
A recuperação para barra 21 foi em um canal de alta íngreme com sete barras com máximas e mínimas mais altos.
Isso é muito forte para vender o primeiro rompimento abaixo do canal de alta. A pullback de rompimento para a barra 23
formou um topo duplo com a barra de 21 topo do canal. A barra a seguir era uma barra inside de baixa forte, que era uma
boa barra de sinal para uma venda de pullback rompimento.

O movimento para a barra 5 foi uma bandeira de alta, e foi seguida por um rompimento e, em seguida, um pullback
para a barra 8, que estava no fundo de outra bandeira de alta. Em seguida, ele começou a barra 9 e formou outro pullback
para barra 12, que foi outra configuração de compra de bandeira de alta. Muitas vezes, o mercado tem rompimentos que
levam a pullbacks que se tornam bandeiras. Isso geralmente acontece em tendências mais fracas e em faixas de
negociação, como aconteceu aqui.
Embora as barras 5 e 12 fossem barras fortes de tendência de baixa e tentativas de virar a posição sempre-ativo em baixa,
elas fizeram o que a maioria dessas tentativas faz - elas falharam. Os vendedores precisaram de mais uma barra forte de
tendência antes de poderem convencer os traders de que a tendência de curto prazo estava acabada e que preços mais
baixos estavam prováveis nas próximas barras. Quando ficou claro que os compradores estavam comprando
implacavelmente e os vendedores não conseguiram empurrar o mercado para baixo, eles compraram de volta seus curtos.
Sua compra, combinada com a contínua compra pelos compradores, que viam as barras fortes da tendência de baixa como
grandes oportunidades de compra a um preço baixo, resultou na retomada da tendência de alta. Os compradores gostam
de ver barras de tendência de baixa fortes em suportes. Eles sabem que representam tentativas dos vendedores para
reverter a tendência e que a maioria será breve e fracassará. Eles freqüentemente se afastam e esperam que um se forme,
e eles o veem como um provável fim do pullback. Isso lhes dá uma breve oportunidade de comprar por um preço baixo.
Traders experientes podem comprar no fechamento da barra de tendência de baixa, no mesmo preço e abaixo da mínima, e
no fechamento do próximo par de barras. A maioria dos traders deve esperar por uma barra de reversão e comprar acima
de sua máxima, ou esperar pela reversão, e então comprar acima de um pullback do rompimento da bandeira de alta
(como acima do pullback lateral de duas barras que seguiu a barra 13 rompimento da máxima da barra 12, bandeira de
alta e alta 2).
Í

Primeira sequência de pullback:


Barra, linha de tendência
secundária, Gap de Média móvel,
Linha de tendência principal

Existem muitos tipos de pullbacks que podem ocorrer em uma tendência, alguns rasos e outros profundos, e eles podem ser ranqueados e
classificados em termos de sua extensão. A primeira vez que qualquer um deles aparece é um primeiro pullback para esse tipo de pullback.
Cada pullback subsequente será o primeiro de uma variedade maior, e cada um geralmente será seguido por um teste da tendência
extrema, já que movimentos fortes geralmente têm pelo menos duas pernas. Cada tipo de primeiro movimento de contra-tendência,
portanto, provavelmente será seguido por outra perna na tendência. Os pullbacks não precisam ocorrer exatamente na mesma ordem. Por
exemplo, às vezes uma alta 1 ocorrerá após uma alta 2 se a tendência acelerar após a alta 2.

À medida que a tendência de alta progride, ela eventualmente perde força, torna-se mais bilateral e começa a ter pullbacks. Os pullbacks
tornam-se maiores e evoluem para a consolidação e, eventualmente, a consolidação reverterá para uma tendência de baixa. Antes da
reversão final, cada movimento de contra-tendência é geralmente seguido por outra tendência alta. Portanto, cada sinal de fraqueza é
teoricamente uma configuração de compra, e cada um pode ocorrer várias vezes antes que qualquer outro na lista a seguir se desenvolva.
Além disso, pode ocorrer e ocorrer novamente depois que outros ocorrerem.

Aqui está a ordem geral na qual os sinais de fraqueza na tendência de alta se desenvolvem:

• Os corpos das barras de alta se tornam menores.


• As sombras começam a se formar nos topos das barras, e as sombras se tornam maiores nas barras subsequentes. Barras
sobrepõem suas respectivas barras anteriores mais do que anteriormente.
• Uma barra tem um corpo muito pequeno ou um corpo doji. Uma barra tem um corpo de baixa.
• A máxima da barra atual é igual ou menor que a barra anterior.
• A mínima da barra atual está no mesmo preço ou logo acima da mínima da barra anterior. A mínima da barra atual está abaixo da
mínima da barra anterior.
• Há um pullback de uma perna (uma configuração de compra alta 1), em que a máxima da barra está abaixo da máxima da barra
anterior. Há um pullback de duas pernas (uma configuração de compra alta 2) com duração de apenas cinco a cerca de 10 barras.
• Há um pullback de três pernas (uma bandeira de alta em cunha ou um triângulo) com duração de apenas cinco a cerca de 15
barras. Há um rompimento de uma linha de tendência menor.
• Uma barra toca na média móvel (uma configuração de compra de gap de 20 barras).
• A próxima recuperação para um novo topo tem uma ou mais barras de tendência de baixa e um pullback ou dois. Uma barra tem
um fechamento abaixo da média móvel.
• Uma barra tem uma máxima abaixo da média móvel (uma barra de gap média móvel). Há um rompimento de uma linha de
tendência de alta.
• Uma vez que há uma barra com uma máxima abaixo da média móvel, há uma segunda perna para baixo antes que o mercado
volte acima da média móvel.
• A recuperação para um novo topo tem dois ou mais pullbacks, cada um durando duas ou três barras e tendo mais corpos de baixa
proeminentes.
• Há um pullback maior de duas pernas, cada um durando mais de 10 barras, com a segunda perna caindo abaixo de uma ou duas
barras, com a segunda perna caindo abaixo de um fundo mais alto proeminente, formando um fundo mais baixo.
• O mercado entra em uma consolidação , e as barras de alta e de baixa são igualmente proeminentes.
• O mercado rompimento acima da consolidação e volta para a consolidação , formando uma consolidação maior.

Essa é a sequência de um enfraquecimento de tendência de baixa.


• Os corpos de baixa se tornam menores.

• As sombras começam a se formar no fundo das barras, e as sombras se tornam maiores nas barras subsequentes.
• Barras sobrepõem suas respectivas barras anteriores mais do que anteriormente.
• Uma barra tem um corpo muito pequeno ou um corpo doji. Um bar tem um corpo de alta.
• A mínima da barra atual é igual ou acima da mínima da barra anterior.
• A máxima da barra atual está em ou logo abaixo da máxima da barra anterior. A máxima da barra atual está acima da
máxima da barra anterior.
• Há um pullback de uma perna (uma configuração de venda baixa 1), em que a mínima da barra está acima da mínima
da barra anterior. Há um pullback de duas pernas (uma configuração de venda baixa 2) com duração de apenas cinco a
cerca de 10 barras.
• Há um pullback de três pernas (uma bandeira de baixa em forma de cunha ou um triângulo) com duração de apenas
cinco a cerca de 15 barras. Há um rompimento de uma linha de tendência de menor.
• Uma barra toca na média móvel (uma configuração de venda de gap de 20 barras).
• O próximo movimento para um novo fundo tem uma ou mais barras de tendência de alta e um ou dois pullbacks. Uma
barra tem um fechamento acima da média móvel.
• Uma barra tem uma mínima acima da média móvel (uma barra de gap de média móvel). Há um rompimento de uma
linha grande de tendência de baixa.
• Uma vez que há uma barra com uma mínima acima da média móvel, há uma segunda perna antes que o mercado volte
abaixo da média móvel.
• O sell-off para o novo fundo tem dois ou mais pullbacks, cada um com duração de duas ou três barras e com corpos de
alta mais proeminentes.
• Há um maior pullback de duas pernas, com duração de mais de 10 barras, com a segunda perna a atingir acima de um
proeminente fundo mais alto, formando um topo mais alto.
• O mercado entra em uma consolidação , e as barras de alta e de baixa são igualmente proeminentes.
• O mercado rompeu abaixo da consolidação e volta para a consolidação , formando uma consolidação maior.

A maioria dos primeiros pullbacks é pequena e ainda faz parte da primeira perna da tendência principal. No entanto, cada
pullback tende a ser maior à medida que os traders de tendência contrária se tornam mais dispostos a assumir posições e os
traders a favor da tendência tendem a ter lucros mais rápidos. Traders de contra tendência começam a assumir o controle em
novos extremos. Por exemplo, em uma tendência de alta, os traders começarão a ser capazes de fazer trades lucrativos ao vender
as reversões de novas máximas, e os traders a favor da tendência começarão a perder quando comprarem rompimentos para
novas máximas. Em algum momento, os traders de contra tendência superarão os traders a favor da tendência e a tendência será
revertida.
O primeiro pequeno pullback em uma tendência forte é um pullback de uma ou duas barras, que quase sempre é seguido por um
novo extremo. Por exemplo, se houver um pico de alta que ocorre por quatro barras e houver pouca sobreposição entre as barras e
as sombras forem pequenas, a tendência é forte. Se a próxima barra tiver uma mínima abaixo da mínima da barra anterior, esse
é o primeiro pullback nessa tendência altista. Os traders colocarão um stop de compra acima de sua máxima, já que esperam
pelo menos mais um empurrão para cima. Se a sua ordem for preenchida, esta é uma entrada de compra alta 1, que é discutida
em detalhes no Capítulo 17 deste livro. Traders agressivos comprarão em uma ordem limitada abaixo da mínima da barra
anterior, esperando que o pullback seja breve e querendo entrar a um preço mais baixo do que os traders que estão esperando
para comprar em um stop acima da barra ou das barras de pullback. O próximo pullback pode ter de três a cinco barras e
provavelmente romperá uma linha de tendência menor e será seguido por outro novo extremo. Se esse pullback tiver duas pernas
pequenas, a entrada de compra é uma alta 2 (um pullback de duas pernas, comumente chamado de pullback do ABC). Embora
esse segundo pullback possa ser uma configuração alta 2, se a tendência for muito forte, pode ser outro alta 1 (um pullback de
uma perna). Se o mercado passou de uma ou duas entradas alta 1 e, em seguida, uma entrada alta 2, e parecia estar
configurando outra alta 1, é aconselhável esperar. Depois de uma série de trades vencedores, você deve desconfiar de uma força
renovada sem primeiro ver um pullback maior, já que essa força pode ser uma armadilha (como uma bandeira final, discutida no
livro 3). É melhor esperar por mais ação de preço e deixar passar uma possível armadilha do que sentir-se invencível e destemido
porque você se enganou acreditando que está jogando com o dinheiro de outra pessoa. Se você negociar, provavelmente se tornará
dinheiro de outra pessoa.
O oposto é verdadeiro em uma tendência forte de baixa, onde o primeiro pullback é geralmente uma entrada de venda de uma ou
duas barras e um pullback mais atrasado tem mais barras e mais pernas. Por exemplo, um pullback ABC tem duas pernas e
configura uma entrada de venda de baixa 2.
Se a tendência for forte, ela pode ficar afastada da média móvel por duas horas ou mais, mas uma vez atingida na média móvel,
provavelmente formará outra configuração a favor da tendência que levará a outro novo extremo, ou pelo menos um teste do antigo
extremo. Em um pullback para a média móvel em uma tendência de alta, muitos traders acreditam que o preço está com um desconto
suficiente para eles comprarem. Os vendedores que venderam acima recomprarão seus curtos para obter lucros; os compradores que
tiverem lucros mais altos procurarão comprar novamente; e os traders que estavam de fora, à espera de preços mais baixos, verão a
média móvel como suporte e um desconto suficiente para iniciarem novos longos. Se o mercado não conseguir se mover acima da média
móvel após cerca de 10 a 20 barras, provavelmente é porque os traders querem mais um desconto antes de comprar agressivamente. O
preço ainda não é baixo o suficiente para atrair compradores suficientes para elevar o mercado. O resultado é que o mercado terá que cair
ainda mais antes que compradores suficientes voltem a levantar o mercado para testar as altas históricas. Esse mesmo processo acontece
em todos os níveis de suporte.
Se um pullback for além da média móvel, ele terá a primeira configuração de barra de gap de média móvel (por exemplo, em uma
tendência de alta forte, há finalmente um pullback que tem uma barra com uma máxima abaixo da média móvel exponencial). Isso
geralmente é seguido por um teste do extremo e, provavelmente, um novo extremo. Eventualmente, haverá um movimento de tendência
contrária que romperá uma linha de tendência principal, e geralmente é o pullback para a primeira barra de gap de média móvel. Será
seguido por um teste do extremo, que pode ser subestimado (fundo mais alto em uma tendência de baixa ou topo mais baixo em uma
tendência de alta) ou ultrapassagem (fundo mais baixo em uma tendência de alta ou topo mais alto). Isto é geralmente seguido por pelo
menos um movimento de contra-tendência de duas pernas, se não uma reversão de tendência.
Cada pullback anterior à reversão é uma entrada a favor da tendência, porque cada um é um primeiro pullback de um tipo ou outro
(barra, linha de tendência menor, média móvel, gap de média móvel ou linha de tendência principal) e qualquer tipo de pullback inicial é
geralmente seguido por pelo menos um teste do extremo e geralmente um novo extremo até que a linha de tendência principal seja
rompida. Embora não valha a pena prestar atenção a gráficos de time frame mais altos ao negociar em um gráfico de 5 minutos, é
provável que os maiores pullbacks de 5 minutos terminem em 15, 30 ou 60 minutos, ou mesmo diariamente, semanalmente ou
mensalmente. traçar pontos de significância como médias móveis exponenciais (EMAs), pontos de rompimento e linhas de
tendência. Além disso, há frequentemente uma tendência para o primeiro pullback para a média móvel de 15 minutos ser seguido
por um teste da tendência extrema e, em seguida, um pullback para a média móvel de 30 ou 60 minutos, o que provavelmente
seria seguido por outro teste do extremo. Com um time frame mais alto ocorrendo de forma relativamente pouco frequente, gastar
tempo procurando testes desses pontos será uma distração e fará com que os traders percam muitos sinais de 5 minutos.
Se a tendência for forte e você tiver feito vários trades lucrativos, mas agora existem várias barras laterais, seja cauteloso em
relação a outras entradas, pois essa é efetivamente uma consolidação . Em uma tendência de alta, você pode comprar se houver
uma configuração perto da mínima da faixa, mas tenha cuidado ao comprar uma rompimento da alta da consolidação , porque os
vendedores podem estar dispostos a vender uma nova alta e os compradores podem estar começando a ter lucros no topo.
O mesmo é verdade em uma bandeira de baixa depois de um longo movimento para baixo. As barras laterais significam que tanto
os compradores quanto os vendedores estão ativos, portanto, você não quer estar em vendido em um rompimento da mínima da
bandeira. No entanto, se houver uma configuração de venda perto do topo da bandeira, seu risco é pequeno e o trade vale a pena.

FIGURA 11.1 Pullbacks subsequentes tendem a ficarem maiores.


Em uma tendência sempre haverá pullbacks, e eles tendem a ficar maiores quanto mais tempo a tendência se estender. No
entanto, até que haja uma reversão, cada pullback deve pelo menos testar o extremo anterior (na Figura 11.1, em uma tendência
de baixa, a mínima do dia anterior), e o teste geralmente criará um novo extremo.
Barra 1 foi um topo mais alto de duas pernas após um rompimento de linha de tendência de alta. Ele reverteu em uma reversão
de duas barras. Naquele momento, os traders esperavam pequenas entradas na nova tendência potencial de baixa, em vez de
entradas de compra na tendência de alta anterior.
A barra 3 foi uma venda depois de um pullback de duas barras para a média móvel, que foi o primeiro pullback após o pico de
duas barras que iniciou a reversão a partir de cima da máxima de ontem. Foi um pullback de rompimento após o rompimento
abaixo do fundo de swing de ontem.
A barra 4 foi o primeiro rompimento de uma linha de tendência de baixa e da média móvel, embora apenas por um tique, e foi
seguida por um novo fundo. Ela foi acima de um pequeno topo de swing e, portanto, foi um pequeno topo mais alto, mas não
conseguiu ficar acima da média móvel, do topo do pico de baixa que seguiu a barra 3, ou do topo antes da barra 3. A maioria dos
traders viu isso como uma simples reversão de duas barras e uma configuração de venda baixa 2 na média móvel. Havia apenas
duas ou três barras em cada uma das pernas desse ABC, e isso raramente é suficiente para os traders verem esse pequeno
aumento como uma reversão de tendência.
A barra 5 foi outro teste da média móvel, e desta vez houve dois fechamentos acima da média móvel, mas bem singelos, e o
pullback foi seguido por um novo fundo. Em vez de se mover acima do pequeno topo que seguia a barra 4, falhou um tique tímido e
formou um topo duplo. Os traders viram a barra 4 como um fundo mais alto significativo, porque foi seguida por um novo fundo de
baixa. Uma vez que o mercado caiu para um novo fundo após a barra 5, a barra 5 tornou-se o topo mais baixo mais recente de
significância. Os vendedores moveram seus stops de proteção da barra 4 acima para acima da barra 5.
A barra 8 quebrou uma linha de tendência principal e formou a primeira barra de gap de média móvel (uma barra com uma
mínima acima da EMA 20). A primeira barra de gaps geralmente é seguida por um teste de baixa, mas às vezes há uma segunda
entrada. O rompimento de uma linha de tendência maior pode ser a primeira perna de uma nova tendência, mas geralmente será
seguida por um teste de baixa que pode ultrapassar ou diminuir a baixa antes de um movimento de contra-tendência de pelo
menos duas pernas se desdobrar (aqui, em tendência de baixa, uma recuperação). Neste momento, os traders precisavam procurar
comprar em vez de continuar a negociar a velha tendência de baixa. A barra de pausa após a barra 8 configurou uma venda,
porque levou a um falso rompimento acima da linha de tendência de baixa. A recuperação até a barra 8 também quebrou acima das
mínimas menores entre as barras 6 e 7, criando um pequeno topo mais alto na barra 8. No entanto, a barra 8 ainda era um fundo mais
alto na tendência de maior de baixa. O mercado caiu por muitas barras para barrar 9, onde testou a mínima da barra 6. No entanto,
em vez de atingir um novo fundo de baixa, a barra 9 formou um fundo mais alto. A maioria dos vendedores teria movido seus stops de
proteção para logo acima da máxima da barra 8. Eles provavelmente teriam saído mais cedo, porque eles decidiram que o mercado
tinha revertido para sempre-ativo em alta no pico de alta de duas barras que subia do nível mais alto da barra 9, ou quando ficou acima
da bandeira de alta de duas barras que formava duas barras mais tarde. Uma vez que o mercado ficou acima da barra 8 e formou um
topo mais alto, eles esperavam preços mais altos.
O mercado formou uma bandeira de alta em forma de fundo duplo nas barras 7 e 9. A barra 9 mergulhou um tique abaixo da barra 7,
atingindo stops, mas não foi capaz de colocar um novo fundo. Os compradores estavam defendendo seus longos e estavam comprando
agressivamente as quedas (acumulação). A segunda perna foi concluída no dia seguinte.
Compare as barras 4, 5 e 8 testes da média móvel e observe que a barra 5 penetrou mais do que a barra 4, e a barra 8 teve mais
penetração do que a barra 5. Isso é esperado, e quando este for o caso, tenha cuidado sobre a colocação de um trade a descoberto, porque
haverá muitos vendedores inteligentes que terão uma venda apenas a um preço mais alto, e muitos compradores que estarão
confiantes o suficiente para comprar mergulhos. Isso reduz a pressão de venda e torna sua entrada de venda arriscada.

FIGURA 11.2 Pullbacks de média móvel

O mercado reverteu na barra 1 fundo mais baixo na Figura 11.2. Houve vários pullbacks para a média móvel exponencial de 20 barras que
levou a novos topos no movimento até a barra 4.
A barra 4 foi uma ultrapassagem de linha de canal de tendência que levou a uma correção acentuada na barra 5, que testou a EMA de 15
minutos de 20 barras (linha pontilhada) e foi então seguido por um teste da tendência alta (barra 6 foi um topo mais alto).
O mercado desceu para a barra 7 e, embora o mercado inicialmente parecesse pessimista, o movimento de descida foi o primeiro pullback
para a EMA de 60 minutos e 20 barras (linha tracejada) e foi seguido pelo novo topo da barra 8.
Í

Bandeiras de Baixa em Forma de


Topo Duplo e Bandeiras de Alta
em Forma de Fundo Duplo.

Uma tendência de alta geralmente termina com um topo duplo, e uma tendência de baixa geralmente termina com um
fundo duplo. Uma vez que um pullback em uma tendência de alta é uma pequena tendência de baixa, essa pequena
tendência pode terminar em um fundo duplo. Como é um pullback em uma tendência de alta, é uma bandeira de alta e
pode ser chamado de uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. São duas pernas para baixo em uma tendência de
alta e, portanto, uma configuração de compra alta 2. É um tipo particularmente confiável de configuração de compra alta
2, então eu geralmente me refiro a ele como um fundo duplo para distingui-lo de outros padrões. Da mesma forma, um
pullback em uma tendência de baixa é uma bandeira de baixa e é uma pequena tendência de alta, e essa pequena
tendência de alta pode terminar com um topo duplo. Em caso afirmativo, esse topo duplo é uma bandeira de baixa em
forma de topo duplo.
Em uma tendência de alta, os compradores muitas vezes deixam seus stops de proteção abaixo do mais fundo mais alto,
porque querem que a tendência continue a apresentar fundos mais altos e topos mais altos. Uma bandeira de alta de fundo
duplo é, em parte, devido aos compradores que defendem seus trailing stops abaixo do fundo mais recente. Se o mercado
cair abaixo do fundo mais baixo, os investidores verão a tendência de alta mais fraca e possivelmente superada. Isso seria
um fundo mais baixo, e eles estariam preocupados que poderia ser seguido por um fundo mais alto em vez de um novo
topo. Nesse caso, o mercado pode estar formando uma correção de duas pernas (uma grande configuração de compra alta
2) ou até mesmo uma reversão de tendência. Por causa disso, se os compradores tiverem muita convicção na tendência,
eles comprarão pesadamente e logo acima do fundo, criando uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. O oposto é
verdadeiro em uma tendência de baixa, onde os vendedores querem que o mercado continue formando topos e fundos
descendentes. Muitos arrastarão seus stops de proteção logo acima do topo mais recente, e os vendedores fortes
geralmente vendem agressivamente em qualquer recuperação até o topo mais baixo mais recente. Isso pode resultar em
uma bandeira de baixa em forma de topo duplo.
Qualquer pullback em uma tendência de alta ou de baixa pode se transformar em uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo ou uma bandeira de baixa em forma de fundo duplo. Às vezes, ambos estão presentes no mesmo pullback e,
em seguida, essa pequena consolidação coloca o mercado no modo de rompimento. Se o mercado romper para cima, os
traders verão o padrão como uma bandeira de alta em forma de fundo duplo, e se ele romper para baixo, eles o verão como
uma bandeira de baixa em forma de topo duplo. Se houver um momentum significativo para cima ou para baixo antes do
padrão, esse momentum aumenta a probabilidade de que a consolidação seja apenas um padrão de continuação. Por
exemplo, se houvesse uma forte subida logo antes da consolidação , um rompimento de alta é mais provável e os traders
devem procurar comprar a reversão de um fundo duplo no fundo da faixa. Se houver, então, um rompimento de alta, os
traders verão o padrão como uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. Se, em vez disso, o mercado estivesse em um
patamar de lucro pouco antes da consolidação , os investidores deveriam procurar vender a reversão de um topo duplo
dentro do padrão e esperar um rompimento de baixa. Se isso acontecer, os traders verão a consolidação como uma
bandeira de baixa em forma de topo.
Quando há uma tendência de alta e depois um pullback de duas pernas em que qualquer uma das pernas para baixo é um pico
de baixa, que pode parecer normal, os vendedores vão querer que o mercado fique abaixo do fundo mais alto que se seguiu à primeira
descida. Eles ficarão vendidos em uma tentativa de reverter a tendência em uma tendência de baixa. Os compradores sempre querem o
oposto porque o trading é um jogo de soma zero - o que é bom para os vendedores é ruim para os compradores e vice-versa. A subida da
segunda mão para baixo, muitas vezes vai parar no mesmo preço ou logo abaixo do fundo mais alto. Os compradores querem que a
recuperação ultrapasse o fundo mais alto, atinjam os stops de proteção dos vendedores e, em seguida, atinjam um novo topo. Os
vendedores venderão agressivamente para evitar que isso aconteça e, muitas vezes, estarão dispostos a vender fortemente a um ou dois
tiques abaixo do topo mais baixo e no topo mais baixo. É por isso que a recuperação geralmente vai até o topo mais baixo antes de o
mercado cair. É a defesa final dos vendedores, e eles estarão absolutamente mais fortes no fundo mais alto. Se os vendedores vencerem
e o mercado cair, isso cria uma bandeira de baixa em forma de topo duplo, e um canal de baixa geralmente segue. Depois do topo mais
baixo e do teste do topo duplo do fundo mais alto, os vendedores em seguida querem um fundo mais baixo e depois uma série de topos e
fundos mais baixos.
Seja ou não a subida da segunda perna para baixo, no fundo mais alto, acima ou abaixo dela, se o mercado for vendido
novamente, pode formar um fundo duplo com a parte inferior do pullback. Se houver uma configuração de compra razoável, os
investidores irão comprá-la, procurando que esse fundo duplo seja uma bandeira de alta que será seguida por um novo topo na
tendência de alta. Muitos compradores que compraram nas mínimas das duas pernas para baixo terão seus stops de proteção logo
abaixo do pullback. Se o mercado começar a subir e voltar a cair de novo, os compradores vão comprar agressivamente um tique ou dois
acima da primeira perna, numa tentativa de levantar o mercado. Eles não querem que o mercado crie um fundo mais baixo depois do
fundo mais alto, porque isso é um sinal de força dos vendedores e aumentaria as chances de que o mercado fosse negociado mais abaixo
ou lateralmente em vez de subir. Se eles tiverem sucesso, eles poderão retomar uma tendência de alta. Se o mercado cair um tique ou
dois abaixo da mínima da primeira perna, ele pode ativar os stops de proteção dos compradores e, em seguida, romper em um
movimento medido para baixo.
Os pullbacks de duas pernas são comuns em qualquer tendência, e geralmente são horizontais, com ambas as pernas
terminando em torno do mesmo preço. Às vezes, o pullback pode durar dezenas de barras antes que a tendência seja retomada. O
movimento lateral geralmente começa e termina com pernas pequenas que têm extremos que são muito próximos no preço (o segundo
pico pode ultrapassar ligeiramente ou ultrapassar de fato o primeiro). A retomada da tendência de cada uma das pernas é uma
tentativa de estender a tendência. Por exemplo, se houver uma tendência de baixa e, em seguida, um pullback e, em seguida, o mercado
for vendido novamente, os vendedores pressionam por um fundo mais baixo e uma extensão da tendência de baixa. No entanto, se, em
vez disso, o mercado encontrar mais compradores do que vendedores acima do fundo da baixa e formar um fundo mais alto, os
vendedores não conseguirão levar o mercado a um novo fundo. Se esta segunda perna não resultar em uma nova tendência de alta e os
vendedores conseguirem recuperar o controle e criar uma entrada de venda de baixa 2, eles irão vender o mercado novamente na
tentativa de fazer com que o mercado caia para um novo fundo. Se novamente os compradores subjugarem os vendedores pelo mesmo
preço que antes, os vendedores terão falhado duas vezes ao mesmo nível de preço. Quando o mercado falha duas vezes na tentativa de
fazer alguma coisa, geralmente tenta fazer o oposto. Aqueles dois empurrões para baixo que terminaram em torno do mesmo preço, logo
acima de baixa baixo, criam uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. É um fundo mais alto que tem dois fundos em vez de um. É
um tipo de baixa 2 fracassada e é um sinal de compra confiável nessa situação.
Da mesma forma, se houver um sell-off em uma tendência de alta, então os compradores recuperam o controle do mercado e
tentam elevá-lo além da alta histórica e fracassam, então os vendedores tiveram sucesso em derrubar o mercado novamente e
criaram um topo mais baixo. Se os compradores mais uma vez assumirem o controle e mais uma vez empurrarem o mercado
para cima enquanto tentam um novo topo de alta, e novamente os vendedores os superam em torno do mesmo preço que antes,
haverá um topo duplo. Como o mercado tentou, por duas vezes, romper com um novo topo e fracassou, provavelmente tentará ir
na direção oposta. Não há compradores suficientes perto do antigo topo para criar uma nova alta, então o mercado terá que
descer para encontrar mais compradores. Em vez de ser um pullback bem-sucedido ABC (uma configuração de compra alta 2) na
tendência de alta, o pullback falhou em encontrar compradores suficientes para criar um novo topo e o resultado foi um fundo mais
alto, que foi feito de um topo duplo.
Uma forma comum disso ocorre nas tendências de pico e canal. Por exemplo, se houver um pico e, em seguida, um pullback
que leva a um canal de alta, o mercado geralmente corrige para baixo para testar o fundo do canal, onde ele tenta voltar novamente.
Esse teste da parte inferior do canal cria um fundo duplo com a parte inferior do canal, que pode ter sido dezenas de barras antes, e
como está em uma tendência de alta (uma tendência de pico e tendência de um canal), ele é uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo.
Um padrão de continuação de ombro-cabeça-ombro é outra variação, com os picos em cada lado do ombro direito
formando um topo ou um fundo duplo. Ao contrário de um topo duplo que é um padrão de reversão no topo de um movimento de
alta, uma bandeira de baixa em forma de topo duplo é um padrão de continuação em uma tendência de baixa que já está em
andamento. Ambos os topos duplos levam a um sell-off. Uma vez que uma bandeira de baixa em forma de topo duplo funciona
como qualquer outro topo duplo, muitos traders simplesmente o chamam de topo duplo e pensam nela como o topo de uma
corretiva em um mercado que já caiu. Da mesma forma, uma bandeira de alta em forma de fundo duplo é um padrão de
continuação em um movimento para cima e não um padrão de reversão no fundo de uma tendência de baixa. Uma bandeira de
alta em forma de fundo duplo é simplesmente um fundo duplo, e como todos os fundos duplos, é uma configuração de compra.
O primeiro fundo mais alto em uma nova tendência de alta geralmente assume a forma de uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo, e o primeiro topo mais baixo de uma nova tendência de baixa é geralmente uma bandeira de baixa em forma de topo
duplo
Quando uma bandeira de baixa em forma de topo duplo ou uma bandeira de alta em forma de fundo duplo falhar e o
mercado romper na direção errada, observe se o rompimento foi bem-sucedida. Se não for e falhar dentro de uma barra ou duas,
o mercado geralmente configura uma variação de uma bandeira de cunha. Por exemplo, se uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo for configurada, mas o mercado imediatamente reverte e cai abaixo do fundo duplo, pode haver um movimento
medido abaixo baseado na altura do fundo duplo fracassado. Isso geralmente é uma configuração de venda em que os traders
entram em um stop de venda a um tique abaixo do fundo duplo. No entanto, se o rompimento para baixo falhar dentro de uma
barra ou duas e o mercado for negociado acima da máxima da barra anterior, então esta é uma entrada de três empurrões
(funcionalmente o mesmo que uma cunha). As duas barras que formaram o fundo duplo formaram os dois primeiros empurrões
para baixo, e a falso rompimento é o empurrão final para baixo. A característica crítica de qualquer cunha são os três empurrões,
não uma forma perfeita de cunha.
FIGURA 12.1 Bandeiras de Alta
Uma bandeira de alta a favor da tendência configura uma entrada de compra em uma ordem de stop de compra em um
tique acima da máxima da barra anterior, e o stop de proteção inicial é um tique abaixo da mínima dessa barra de sinal.
Depois que a barra de entrada é fechada, o stop é movido para um tique abaixo da barra de entrada, se for uma barra de
tendência. Se for uma barra pequena, não estreite o stop até que haja uma barra de tendência em sua direção.
Embora os fundos duplos sejam padrões de reversão bem conhecidos no fundo dos mercados de baixa, essas bandeiras são
padrões de continuidade a favor da tendência nos mercados de alta. Ao terminar o pullback, que é uma pequena tendência,
eles estão revertendo, mas é melhor pensar neles como padrões de tendência.
Como mostra a Figura 12.1, a bandeira de baixa em forma de topo duplo na barra 2 falhou e resultou em uma compra (e se
tornou um pequeno fundo de um ombro-cabeça-ombro).
A barra 7 era uma configuração para uma bandeira de alta em forma de fundo duplo dentro de uma pequena consolidação
que tinha acabado de formar uma bandeira de baixa em forma de topo duplo. Como o momentum que levava à
consolidação estava forte e para cima, as chances eram de que o padrão rompesse para cima e se tornasse uma bandeira de
alta em forma de duplo fundo, em vez de cair e se tornar uma bandeira de baixa em forma de topo duplo. O alvo mínimo
após o rompimento para cima ou para baixo é um movimento medido com base na altura da pequena consolidação .

FIGURA 12.2 Bandeira de alta em forma de fundo duplo

Como mostrado na Figura 12.2, a Goldman Sachs (GS) teve um pico de alta da barra 3 à barra 4 e depois um pullback à 5.
Isso foi seguido por um canal até a barra 6 e um pullback ao redor da parte inferior do canal. Isso criou uma bandeira de
alta em forma de fundo duplo com barras 5 e 7, embora houvesse a barra 6 topo mais alto no meio. A barra 5 foi o último
fundo mais alto da tendência de alta, e a barra 7 foi possivelmente o primeiro fundo de uma tendência de baixa ou
consolidação . Nesta situação, o mercado poderia ter formado um ombro-cabeça-ombro se a barra 6 não fosse ultrapassada
pela recuperação a partir da barra 7. Em qualquer caso, uma bandeira de alta em forma de fundo duplo é uma
configuração confiável para pelo menos um scalp. Além disso, como a maioria dos ombro-cabeça-ombros, como todos os
topos, se transformam em falhas e se tornam padrões de continuação, é sempre aconselhável continuar comprando perto
do limite de qualquer consolidação em uma tendência de alta. Em uma tendência, a maioria dos padrões de reversão falha
e a maioria dos padrões de continuação é bem-sucedida.
Havia também uma pequena bandeira de alta em forma de fundo duplo após a mínima da barra 3 formada pelas terceira e
sétima barras que seguiam a barra 3. Esta foi uma configuração de venda baixa 2 fracassada, que frequentemente se torna
uma bandeira de alta em forma de fundo duplo.

Discussão mais aprofundada deste Gráfico

A barra 1 na Figura 12.2 era uma barra forte de reversão de alta que reverteu o rompimento abaixo da média móvel e a pequena
consolidação até o fechamento de ontem. Havia um pico de baixa de duas barras na barra 3 e depois o mercado foi lateralmente enquanto
os compradores e os vendedores lutavam pela direção do canal. Como o pico de alta era maior (alguns traders viram o pico terminar no
ponto mais alto da barra 1 e outros viram que terminava na barra 2), as probabilidades eram de que os compradores criassem um canal de
alta e que os vendedores falhassem na tentativa para obter continuidade após o seu pico para baixo. A bandeira de alta e, forma de fundo
duplo após a barra 3 era uma configuração de fundo mais alto que levava a um canal de cunha que terminava na barra 6. Como era uma
cunha, duas pernas para baixo eram prováveis e, como era um pico e canal de alta, um teste da área da barra 3, onde o canal começou,
também era provável. Às vezes, o teste leva mais de um dia, mas, uma vez formado, o mercado costuma formar um fundo duplo com o
fundo do canal. Como os picos até a barra 2 e o barra 6 eram tão fortes, o mercado pode não descer até a área da barra 3 e, em vez disso,
formar uma bandeira com as barras 5 e 7 sendo os dois primeiros empurrões para baixo. Na verdade, foi o que aconteceu, e a GS fez um
gap para cima no dia seguinte.

FIGURA 12.3 Bandeiras de alta em forma de fundo duplo


As barras 2 e 3 e as barras 5 e 6 formaram bandeiras de alta em forma de fundo duplo na Figura 12.3. Ambas as barras 3
e 6 ultrapassam ligeiramente as suas primeiras pernas, mas os padrões raramente são perfeitos.
Quando o fundo duplo se forma perto da tendência de baixa, como aconteceu com as barras 2 e 3, o padrão geralmente é
um pequeno pico e uma consolidação , e geralmente é um padrão ii em um gráfico de time frame mais alto.
A subida da barra 4 era quase vertical e, portanto, um pico. A subida da barra 5 era o canal, embora também fosse quase
vertical. Este é um tipo de pico e clímax de tendência de pico e tendência do canal. Após a fase de canal de um padrão de
pico de alta e canal, o mercado geralmente testa para o fundo do canal e configura uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo, como fez aqui, na barra 6. A partir daí, o mercado geralmente salta até menos cerca de um quarto da
consolidação . Depois disso, o padrão se esgotou e os traders devem procurar o próximo padrão.
A subida da barra 5 estagnou em torno do topo da subida da barra 4. Alguns traders viram isto como uma bandeira de
baixa em forma de topo duplo e venderam. O mercado então vendeu e encontrou suporte na barra 6 em torno do nível do
pullback da barra 5. Muitas dos vendidos no topo duplo lucravam com o teste da mínima da barra 5, e os compradores
fortes defendiam esse fundo comprando agressivamente. Isso configurou um sinal de bandeira de alta em forma de fundo
duplo. O rompimento de alta foi para um movimento medido aproximado.
FIGURA 12.4 Topo ombro-cabeça-ombro ou fundo duplo

O gráfico diário de GS estava formando um bandeira de ombro-cabeça-ombro ou um possível pullback do fundo duplo, como mostrado
na Figura 12.4. O mercado teve um pico até a barra 2 e, em seguida, um pullback para um fundo mais alto na barra 3, que foi
novamente testado algumas semanas depois na barra 4. Então o mercado tinha um canal de alta até bar 5 e então um teste para o
fundo do canal na barra 6, onde é montada uma bandeira de alta em forma de fundo duplo com a mínima da barra 4. O objetivo
mínimo é um salto de cerca de 25 por cento da altura do sell-off da barra 5 para a barra 6.
Para os vendedores, o ombro esquerdo é a barra 2 e o ombro direito é a barra 7. Os vendedores querem que o mercado se rompa abaixo
da linha de pescoço traçada nas mínimas das barras 3, 4 e 6. Os compradores, no entanto, veem o fundo duplo formado por barras 4 e 6
e querem uma recuperação. Eles comprarão o pullback até a barra 8 e, se conseguirem levar o mercado para cima, isso se tornaria uma
compra de pullback de fundo duplo.

Os primeiros vendedores venderam abaixo do ombro direito da barra 7 em vez de esperar o rompimento abaixo da linha de pescoço, e
eles comprariam de volta seus curtos se o mercado fosse acima do ombro direito da barra 7. Isso criaria um topo de um ombro-cabeça-
ombro fracassado, e o objetivo mínimo para a subida seria um movimento medido da mínima da barra 6 para a máxima da barra 7.
A recuperação até a barra 2 foi forte o suficiente para a maioria dos traders acreditarem que o mercado logo subiria (eles acreditavam
que o mercado tinha mudado para sempre-ativo em alta). Isso fez com que os investidores hesitassem em vender a bandeira de baixa
em forma de topo duplo que se formou algumas semanas depois. No entanto, porque eles estavam procurando por preços mais altos
depois do possível fundo na barra 1 e a forte recuperação até a barra 2, eles compraram a bandeira de alta em forma de fundo, na barra
4.

FIGURA 12.5 Fundo duplo fracassado


Na Figura 12.5, o mercado formou um pico de cinco barras que foi seguido por um pico de duas barras na barra 2.
A barra 4 tentou formar uma bandeira de alta em forma de fundo duplo com a barra antes da barra 3 e com a barra de
entrada de alta após a barra 2. As barras 5 e 6 também tentaram completar a base. Frequentemente o mercado rompeu
abaixo do primeiro fundo por um tique, prendendo os compradores de fora e os vendedores dentro, como foi o caso na barra
5. A barra 6 era um teste exato da barra 5 falso rompimento da mínima da barra 4, barra de entrada outside de alta ou
barra de sinal para uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. Isso levou ao rompimento da barra 7 do topo da faixa,
que rapidamente falhou em uma reversão de duas barras.
O mercado fez um segundo rompimento de um tique abaixo da consolidação na barra 8. É importante perceber que, se o
mercado cair abaixo desse valor, até mesmo um tique, os traders começarão a assumir que os vendedores estão assumindo
o controle. Eles verão isso como uma tentativa fracassada de um fundo de cunha, onde a barra 4 foi o primeiro empurrão
para baixo, o rompimento de um tique na barra 5 foi o segundo e o próximo rompimento de um tique na barra 8 foi o
terceiro. Uma vez que o mercado caiu abaixo da barra 8, o alvo foi um movimento medido aproximado para baixo usando a
altura da cunha (a mínima da barra 6 para a máxima da barra 3) ou a altura da consolidação (a mínima da barra 8 para a
máxima da barra 7). Esse tipo de padrão de três empurrões pode ocorrer em qualquer mercado, e os rompimentos para
baixo não precisam ser exatamente um tique. Por exemplo, em uma ação que está sendo negociada em torno de US $ 200,
os rompimentos comparáveis às barras 5 e 8 deste gráfico podem ser de 20 centavos ou mais.
Alguns traders veriam a reversão da barra 6 como um falso rompimento no fundo da faixa e, em seguida, a barra 7 como
um falso rompimento no topo da faixa. Muitos estariam abaixo da reversão de duas barras na parte superior, onde a barra
7 era a primeira barra, porque eles sabem que as consolidações geralmente têm fortes rompimentos rapidamente. Alguns
saíam no zero a zero na recuperação para barra 9, mas depois tomariam a segunda entrada abaixo do fundo mais alto, na
barra 9.
Outros traders negociariam o mercado em modo de rompimento, procurando vender em um stop abaixo da barra 6 e
comprar em um stop acima da barra 7. Havia vendedores presos no falso rompimento e depois compradores presos na
subida fracassada, e quando são compradores e vendedores presos, a próximo rompimento geralmente resulta em um
swing decente. Embora a recuperação até a barra 9 fosse forte, os vendedores venderiam um pouco abaixo, porque eles o
veriam como um pullback da barra 8.
Compare isso com a Figura 11.1 no Capítulo 11, onde houve uma consolidação semelhante após um pico forte inicial, mas
a retomada da tendência potencial não deu certo e o mercado reverteu.

FIGURA 12.6 Bandeira de alta em forma de fundo duplo e movimento medido para cima.

Um fundo duplo seguido por um movimento acentuado do segundo fundo e depois uma pausa após o rompimento, muitas
vezes leva a uma tendência muito forte. Embora o gráfico da Figura 12.6 não mostre, ontem foi um dia de tendência de
alta. Embora a expectativa para o comportamento seja a mesma para qualquer fundo duplo, seja uma reversão ou um
padrão de continuação como era aqui, as barras 1 e 8 formaram uma bandeira de alta em forma de fundo duplo. A subida
para a barra 10 foi muito mais forte do que a descida para a barra 8, com cada abertura, fechamento, máxima e mínima
acima de todas as barras anteriores. Esta força alertou os traders que esta bandeira de alta em forma de fundo duplo poderia
levar a um forte movimento para cima. Depois de romper a barra 5 acima, o mercado foi lateralmente vez de fazer um pullback, e essa
configuração é muito forte e bastante comum. Após o pico até a barra 12, houve um pullback para a barra 14 e formou uma bandeira
de alta em forma de fundo duplo com a barra 11. Isto foi seguido por um canal de alta que durou o resto do dia.
A barra 18 formou uma bandeira de alta em forma de fundo duplo com barra 16. Lembre-se, os fundos não precisam ser exatamente
os mesmos. Se um padrão se assemelhar a uma configuração de livro de trading, ele provavelmente se comportará de maneira
semelhante. A barra 29 formou outro fundo duplo com a barra 27 e, mais uma vez, conseguiu uma compra de alta 2 em um canal de
alta forte. Um alta 2 é simplesmente um pullback de duas pernas, que são todos os fundos duplos.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO


Como mostrado na Figura 12.6, ontem fechou com uma forte corrida de altas e, em seguida, um pullback para um pouco abaixo da média
móvel, onde os compradores estariam procurando um fundo mais alto e depois uma segunda perna para cima. O canal até a barra 6 era
íngreme o suficiente para que os traders não comprassem a barra 7 outside rompimento na abertura. A barra 8 era uma barra forte de
reversão de alta, bem como um fundo mais alto e uma alta 2 em uma grande consolidação . Foi também uma reversão dos clímaces
consecutivos de vendas. O primeiro clímax de venda foi o pico de três barras de baixa que seguiu o canal de 5 barras, e o segundo clímax de
venda foi formado pelas duas barras fortes de tendência de baixa que seguiram a tentativa da barra 7 de reverter. Os clímaces consecutivos
são geralmente seguidos por pelo menos um movimento de contra-tendência de duas pernas e muitas vezes uma reversão. Como isso estava
ocorrendo na primeira hora, poderia ser a mínima do dia e os compradores deveriam segurar a maior parte de sua posição comprada.
O pico até a barra 10 foi seguido por uma grande barra de tendência de alta, criando um tipo de pico e clímax de uma tendência de alta de
pico e canal. O mercado corrigiu até o início da barra 14 do canal breve, onde formou a esperada bandeira de alta em forma de duplo fundo.
O canal de alta prolongado da barra 14 seguiu um pico de alta. Alguns traders viram o pico à medida que se movia da barra 8 para a barra 10
e o pullback à medida que se movia da barra 10 para a barra 11, onde uma compra de uma alta 1 de uma microlinha de alta 1 foi
configurada. O pequeno rompimento abaixo daquele canal estreito até a barra 11 foi seguida por um pullback fundo mais alto para a barra 12
e depois uma segunda perna para a barra 14.
Outros traders, especialmente aqueles que usam um gráfico de time frame maior, viram o movimento da barra 8 para a barra 12 como o pico,
e o teste da média móvel de duas pernas na barra 14 como o pullback que levou ao grande canal de alta.
A barra abaixo de 12 também foi uma reversão da bandeira final da barra 11, e uma segunda reversão da alta de ontem.
Havia uma grande barra de tendência de baixa duas barras antes da barra 14, e esta era, portanto, um pico baixo. Como ela seguiu um pico
relativamente rápido (nove barras antes), ele criou um clímax de compra (uma barra de tendência de alta seguida por uma barra de tendência
de baixa). Embora possa não ser óbvio, você pode pensar em diferentes time frames e encontrar um em que esse padrão inteiro seja apenas
uma reversão de duas barras (na verdade, era um no gráfico de 30 minutos). Isso nunca é necessário porque você pode inferir a partir do
gráfico de 5 minutos. Sempre que houver algum clímax, o mercado logo se torna incerto, porque tanto os compradores quanto os
vendedores aumentarão suas posições à medida que tentarem criar um canal em sua direção. Incerteza significa que o mercado está em uma
consolidação , e alguns traders viram o movimento de duas pernas para cima a partir da barra 14 para o topo mais baixo na barra 17,
simplesmente como um pullback de topo mais alto da barra 14 pico de baixa. Esta é uma interpretação plausível, dado que o movimento
tinha muitas barras doji. Os compradores, no entanto, criaram um pico de alta de duas barras a partir da barra 14, e isso criou um clímax de
venda com a barra de baixa que formou duas barras antes da barra 14. Novamente, uma barra de tendência de baixa logo após uma barra de
tendência de alta é um clímax de venda, e você pode encontrar algum time frame em que é uma reversão de duas barras para cima.
A barra 18 montou uma compra de baixa 2 fracassada e, em seguida, os traders tiveram que avaliar o momentum do rompimento
de alta para determinar se era mais provável ter pelo menos mais duas pernas para cima ou simplesmente ter mais um empurrão
para cima e formar um topo de cunha. (uma baixa 3). Uma vez que a ação do preço desde a barra 10 é bilateral, esse era o
comportamento da consolidação e era razoável estar procurando por configurações de venda baixa 2 (você não deveria fazer isso
em uma tendência de alta).
O mercado teve um grande rompimento na barra de tendência de alta até a barra 19, e isso aumentou as chances de pelo menos
duas pernas acima da barra 18 baixa 2 fracassada. O canal de alta da barra 18 para a barra 19 era estreito, com seis corpos de alta
consecutivos. Quando o canal é forte, é melhor não procurar vender o rompimento abaixo do canal, o que significa que era melhor
não procurar uma venda de baixa 3 (um topo de cunha) e em vez disso pensar em ver se houve um pullback de rompimento que
parecia uma boa configuração de venda. Um pullback de rompimento seria um sinal de venda de segunda entrada. O movimento
para a barra 20 poderia ter sido essa configuração, mas também era muito forte, pois tinha cinco barras de tendência de alta
consecutivas. Neste ponto, a maioria dos traders veria a subida da barra 14 como uma forte tendência de alta, mesmo que ainda
estivesse em um canal, e eles a negociariam como qualquer canal de alta, comprando por qualquer motivo e não sendo presos do
lado de fora por causa pullbacks.
Sempre que houver um pico forte, você deve esperar a continuidade e pode usar projeções de movimento medido para encontrar
locais razoáveis para a obtenção de lucro. Como são tão confiáveis, as instituições devem usá-las também. As primeiras medições
devem basear-se no fundo duplo. Procure uma possível área de obtenção de lucros adicionando a máxima da barra 1 à barra 5, ou
da barra 5 à barra 8, até a máxima da barra 5. Ambas as projeções foram excedidas na barra 24. Como o canal ainda era íngreme
nesse ponto, mais de uma recuperação era provável, de modo que os compradores ainda deveriam manter alguns de seus longos e
deveriam estar procurando oportunidades de comprar mais. Eles podem comprar usando as técnicas descritas na seção de canais
do livro 1.
O próximo alvo mais alto vem da duplicação da altura do pico, usando a barra 10 ou a barra 12 como o topo do pico. Se você
adicionar o número de pontos da barra 8 à barra 12 até a máxima da barra 12, essa projeção foi minimamente excedida na
primeira hora do dia seguinte e foi seguida por um pullback de 16 pontos nas próximas duas horas.

A barra 24 foi o quarto empurrão para cima no canal, e quando o mercado não conseguiu reverter na baixa 4 após a barra 24, ele
rompeu para cima. Em geral, os traders não devem usar a terminologia baixa 4, uma vez que este é um mercado de alta e não uma
consolidação ou uma tendência de baixa, mas o rompimento após a barra 23 indica que houve muitos traders que usaram a baixa
4 fracassada como uma razão para cobrir seus longos. O rompimento criou um gap entre o ponto de rompimento na máxima da
barra 22 e o pullback de rompimento na mínima da barra 25. O gap que ocorre depois de um movimento forte muitas vezes se
torna um gap de medida, como aconteceu aqui. A perna atual começou na barra com 24 canais de baixa e você pode pegar o
número de pontos daquele baixo para o meio do gap e adicioná-lo ao meio do gap para encontrar a projeção do movimento
medido onde os compradores podem ter lucros. O mercado errou o alvo por dois tiques na recuperação até o encerramento, mas
desistiu momentaneamente dele na abertura do dia seguinte.
Os traders devem procurar por linhas de tendência e linhas de canal de tendência e redesenhá-las à medida que o canal progride. Se
você vir um falso rompimento na parte superior do canal, isso poderá levar a uma reversão. Um segundo falso rompimento é uma
configuração de venda ainda mais confiável. Se você desenhar uma linha de tendência de alta a partir das mínimas da barra 14 para a
barra 23 e criar uma paralela que você, em seguida, ancorar ao topo do pico da barra 12, você terá um canal que contém a ação de
preço. A barra 35 foi um segundo falso rompimento do topo da faixa e uma configuração de venda razoável. O objetivo mínimo é
um puxão abaixo da parte inferior do canal e, em seguida, um movimento medido para baixo usando a altura do canal e subtraindo-
o da localização do rompimento abaixo do canal.
Os canais costumam corrigir após um terceiro envio. As barras 15, 17 e 19 eram três empurrões, mas o canal era tão íngreme que
você deveria procurar por uma venda comercio apenas se primeiro houvesse um forte rompimento de queda e depois um pullback.
O mesmo é verdadeiro para os três empurrões para cima nas barras 24, 26 e 28. O fracasso em reverter a configuração de alta 2
acima da barra 29, que foi seguido por cinco barras de tendência de proa que formaram um pico.
As barras 30, 33 e 35 montaram outro padrão de três voltas, e este valeu a pena para uma possível máxima do dia. Na primeira hora,
uma reversão pode ser a máxima do dia, então você deve estar disposto a ser mais agressivo. O movimento para a barra 34 tinha
duas barras de tendência de forte urso, então os vendedores estavam ficando mais fortes. A barra 35 era uma forte barra de reversão
de baixa e a segunda reversão para baixo a partir de um rompimento da parte superior do canal de alta, e estava um pouco acima de
um movimento medido usando a máxima da barra 8 para barrar 12 picos.
Hoje é um bom exemplo de como os canais de tendência fortes podem ter muitos trades de duas faces, e os
pullbacks nunca parecem suficientemente fortes para comprar. Tinha muitas barras de tendência de baixa que
prendiam vendedores em shorts enquanto eles procuravam uma segunda perna para baixo. No entanto, os
compradores retornaram em todos os testes da média móvel e nunca houve um bom pullback de rompimento para
vender. Isso disse a traders experientes para apenas pensar em comprar. Havia apenas um par de scalps de contra-
tendência, mas os traders deveriam considerá-los apenas se eles fecharem logo que o preço configura outra entrada
de compra. Se eles aceitarem a próxima compra, eles não são bons o suficiente para estarem vendendo um dia
assim, porque eles estão provavelmente perdendo muitos trades vencedores enquanto aguardam e esperam por um
scalp de venda raro. Eles estão do lado errado da matemática e não estão maximizando seu potencial de lucro
devido à falta de disciplina.
O canal inteiro era tão íngreme que você deveria assumir que o pico formava um grande pico em um gráfico de time
frame mais alto também (de fato, formava um forte pico de oito barras no gráfico de 60 minutos) e deveria,
portanto, ser seguido por canal num time frame maior. Isso significa que provavelmente haveria compras
subsequentes no gráfico de 5 minutos nos próximos dois ou três dias, e houve. Quando um canal de 5 minutos faz
parte de um pico num time frame tempo maior, o pullback que eventualmente segue normalmente testa apenas o
fundo do canal no gráfico de time frame mais alto, mas não o fundo do canal no gráfico de 5 minutos.
Houve muitos testes de rompimento que testaram o rompimento anterior para o tique, stopando traders que
usavam um stop de zero a zero em na porção do swing de seus trades de compra. Por exemplo, se os traders
compraram a máxima da barra 11 alta 2 e seguraram a compra ali pela barra 12 bandeira fracassada (não
recomendado, porque esta era uma configuração de venda decente neste momento do dia), eles teriam sido
stopados fora do tique se eles tivessem usado um stop de zero a zero. No entanto, os traders que reconheceram
este forte padrão de fundo duplo teriam usado um stop mais amplo na parte de swing de suas operações depois de
passarem muito acima do teste da média móvel de duas pernas, esperando um forte dia de tendência de alta.
Olhe para a média móvel. Não houve fechamentos abaixo após o pico de alta inicial para 10, então não use um stop
estreito com medo de perder um ou dois tiques em sua negociação. De fato, um trader deve estar pronto para
comprar o primeiro fechamento abaixo da média móvel, e depois comprar novamente acima da primeira barra de
gap de média móvel abaixo da média móvel.

FIGURA 12.7 Falso rompimento em fundo duplo é uma variante de cunha.


Se uma bandeira de alta em forma de fundo duplo romper para baixo, mas reverter imediatamente de volta, ele se tornará uma variante de uma
bandeira de alta em forma de cunha. Na Figura 12.7, a barra 3 formou um fundo duplo com a barra de sinal da barra 1, mas o mercado
imediatamente reverteu. No entanto, o rompimento abaixo da parte inferior do fundo duplo falhou e o mercado reverteu novamente na barra 4,
criando uma bandeira em forma de cunha (você também pode chamar isso de triângulo). Os três empurrões para baixo são as sombras na
mínima da barra 1, da barra 3 e da barra 4. Neste caso particular, a barra 2 é também um primeiro empurrão aceitável para baixo. Como o
mercado estava em uma consolidação entre as barras 1 e 3, era arriscado comprar no topo da barra 1 porque era tão alto que você estaria
comprando perto do topo de uma consolidação . Uma barra grande de reversão de alta não funciona como uma barra de reversão quando está em
uma consolidação onde não há nada para reverter. Em situações como essa, é sempre melhor esperar para ver se há um pullback de rompimento
e, em seguida, uma oportunidade de segunda entrada. A barra 4 foi um pullback para um fundo mais baixo e uma barra de sinal mais segura por
um longo período.
As barras 6 e 8 tentaram configurar uma bandeira de alta em forma de fundo duplo, mas ela nunca foi acionada. Em vez disso, ele rompeu para
baixo na barra 9 e depois voltou atrás um par de barras depois. Esta é outra bandeira de alta em forma de cunha, e os três empurrões para baixo
são as barras 6, 8 e 9. No entanto, a barra de baixa após a barra 7 era um empurrão para baixo alternativo. Para qualquer cunha, não importa se
há múltiplas escolhas, desde que haja pelo menos três empurrões para baixo.
As barras 13 e 14 configuram um tampo duplo, embora a barra 14 tenha um tique superior. O mercado reverteu na barra 15, mas o rompimento
de alta falhou e as barras 13, 14 e 16 tornaram-se uma configuração de venda de bandeira de baixa em forma de cunha.

DISCUSSÃO MAIS APROFUNDADA DESTE GRÁFICO

As barras 13 e 14, topo duplo, na Figura 12.7 são formadas em arame farpado logo abaixo da média móvel.
Um arame farpado de baixa tem frequentemente uma baixa 2 fracassada, e os traders podem comprar abaixo da
barra de sinal baixa 2 em antecipação ao falso rompimento para baixo. Isso é um scalp. Uma vez que a primeira
barra de tendência a sair da do arame farpado geralmente falha, os traders podem procurar vender abaixo da barra
16.
A barra 19 foi sem dúvida uma configuração de compra alta 2 (foi uma reversão de alta de duas barras, mas
o mercado nunca foi negociado acima da barra de alta), mas como o mercado pode agora estar em uma tendência
de baixa no rompimento abaixo da consolidação , não deve estar à procura de configurações de compra alta 2, que
são configurações apenas em tendências de alta e nas faixas de negociação. A consolidação ficou abaixo da média
móvel, e como o mercado estava caindo antes de entrar na consolidação , um rompimento de baixa era mais
provável (retomada da tendência). Os traders esperariam que a compra de alta 2 fracassasse e prendesse
compradores, e esses traders, então, procurariam vender abaixo da mínima da barra 20, onde os compradores
presos venderiam seus longos.
O canal de baixa terminou com um terceiro empurrão para a barra 21 e no dia seguinte, bem acima da barra 18 do
começo do canal de baixa. O canal foi precedido por um forte pico de duas barras após a barra 16. Houve um
movimento medido perfeito para baixo, usando a altura do pico e projetando-se para baixo a partir do fundo do
pico.
A barra 19 era outro pico duas barras, e levava ao canal de baixa da barra 20 para a barra 21. O canal era
parabólico porque tinha uma fase de aceleração na forma de uma grande barra de baixa e depois uma fase de
desaceleração na forma de corpos que se tornaram menores, e o final ainda teve um fechamento para cima. As três
barras de tendência de baixa iniciadas na barra 20 formaram um pico de baixa, que é um clímax de venda. Foi o
terceiro clímax de venda consecutivo, e isso geralmente é seguido por pelo menos uma correção de duas pernas
que dura pelo menos 10 barras. O pico de baixa de duas barras após a barra 16 foi o primeiro clímax de venda, e o
pico de três barras que terminou com a barra 19 foi o segundo clímax de venda.
Í

Gaps de 20 barras.

Quando o mercado fica em um lado da média móvel sem tocá-la por 20 barras consecutivas ou mais, a tendência é forte,
mas também é exagerada e provavelmente logo voltará à média móvel, criando uma configuração de barra de gap de 20
barras. Se não houve uma clara reversão de tendência antes do pullback, o primeiro toque é um scalp de alta
probabilidade para um teste do extremo da tendência. Existem traders que entrarão no mesmo preço ou acima ou abaixo
da média móvel com ordens de limite e ordens de mercado, mas é melhor esperar por uma entrada de ação de preço (uma
reversão de volta na direção da tendência e uma entrada em um stop) caso o pullback vá bem além da média móvel. Não
há nada mágico sobre 20 barras. É apenas uma diretriz que é útil para lembrar que uma tendência é forte. Você pode
escolher arbitrariamente qualquer grande número de barras e gerar uma configuração que geralmente será a mesma, e
também funcionará em outros time frames. Uma tendência pode ser extremamente forte e ainda tocar a média móvel a
cada 30 minutos, e uma tendência pode ficar afastada da média móvel por quatro horas, apenas para repentinamente
reverter para uma tendência oposta. Quando ocorre em um gráfico de 5 minutos e o mercado não tocou na média móvel
por pelo menos duas horas, eu costumava me referir a ele como duas horas a partir da configuração da média móvel, ou
um 2HM. Como o mesmo conceito funciona em todos os time frames, é mais útil fazer referência ao número de barras em
vez do número de horas. As 20 barras podem estar qualquer momento durante o dia e não necessariamente durante as
primeiras duas horas os toques da média móvel. Após um ou mais testes de média móvel, provavelmente haverá um teste
que passa pela média móvel e forma uma barra de gap de média móvel onde a barra está completamente do outro lado da
média móvel, de modo que haja um gap entre a barra e a barra. a média móvel. Procure dar fade na primeira barra de gap
(em uma tendência de alta, compre um tique acima da máxima da barra anterior se a máxima estiver abaixo da média
móvel exponencial). Se a primeira entrada falhar, compre novamente na segunda entrada, se houver uma. Como em todas
as configurações, não vale a pena comprar uma terceira vez se as duas primeiras configurações falharem, já que o mercado
naquele ponto provavelmente está em um canal e não está formando uma reversão. Desde que você está negociando a
favor da tendência, você deve segurar parte de sua posição, porque o mercado pode correr muito mais longe do que você
pensou ser possível. Os testes de média móvel são particularmente confiáveis em ações e, muitas vezes, fornecem ótimas
entradas durante todo o dia. No entanto, se a primeira barra de gap de média móvel se formar após uma forte reversão de
tendência, ela provavelmente falhará porque a tendência agora reverteu e essa barra de gap é uma configuração para a
tendência anterior, que agora terminou.
FIGURA 13.1 Barras de gap de 20 barras

Quando uma tendência é tão forte que nenhuma barra toca a média móvel de 20 ou mais barras, muitos traders procurarão
entrar no primeiro pullback da média móvel e esperar por um teste do extremo da tendência. Na Figura 13.1, a barra 11 foi a
primeira barra a tocar a média móvel em mais de 20 barras e, como não havia um fundo claro para a tendência de baixa, os
traders tinham ordens de limite logo abaixo, e logo acima da média móvel para entrar em posições de venda. Embora a subida
para a barra 11 tenha sido composta por seis barras de tendência de alta consecutivas, não havia fundo claro na barra 10, pelo
que os traders procuravam vendas em torno da média móvel. A venda resultou em uma pequena barra inside de baixa após a
barra 11 em vez de uma forte barra de tendência de baixa, e isso significou que a maioria dos traders acreditava que a
recuperação naquele momento era forte demais para ficar vendido. No entanto, os vendedores se tornaram agressivos na
segunda entrada abaixo da barra 13 (a primeira oportunidade de entrada foi uma barra antes). Como o movimento até a barra
13 era tão forte, os traders estavam procurando um teste de fundo mais alto e depois um segundo teste, de modo que a maioria
dos vendedores saiu em torno da barra 14, o teste de fundo mais alto da barra 10 fundo da tendência.
A barra 8 não tocou na média móvel, mas ainda era um teste de duas pernas da média móvel. Os vendedores estavam tão
ansiosos para ficarem vendidos que colocaram suas ordens de limite em dois ou três tiques abaixo da média móvel, porque não
estavam confiantes de que a recuperação tocaria a média móvel. Se eles estivessem confiantes, eles poderiam ter colocado suas
ordens de limite para ficarem vendidos a um tique abaixo da média móvel e, então, ficariam sem o toque da média móvel.
Quando o mercado desce logo abaixo da média móvel, os vendedores são muito agressivos. Isto é especialmente evidente quando
o teste se transforma em uma barra grande de tendência de baixa, como aconteceu aqui.
Barras 7, 9 e 10 formaram uma cunha de baixa, e este é um padrão de reversão. A barra de sinal da barra 10 não era forte o
suficiente para convencer os traders de que o mercado estava se revertendo, então eles ainda estavam procurando configurações
venda em torno da média móvel. O fundo era forte o suficiente para ter uma segunda perna até a barra 15, onde formava uma
bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 13.

DISCUSSÃO MAIS APROFUNDADA DESTE GRÁFICO

O mercado fez um gap para baixo com uma barra de tendência de queda na Figura 13.1, então o rompimento
pode ter se tornado uma tendência de baixa a partir da abertura. Duas barras depois, o rompimento falhou, mas a
configuração não era forte o suficiente para comprar. Em vez disso, os vendedores devem sair e esperar. A barra 4
formou uma bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 3 e uma reversão de duas barras com a seguinte
barra. Os traders poderiam vender o topo duplo em um stop abaixo da barra 4 ou poderiam esperar. A barra
seguinte era uma barra de tendência de baixa que negociava abaixo da barra 4, fazendo da barra 4 um topo de
swing. Já que agora havia tanto um fundo de swing quanto um topo de swing a faixa de abertura era menor que um
terço da faixa média diária recente, o mercado estava em modo de rompimento. Os compradores ficariam muito
tempo em um stop acima da consolidação , e os vendedores perderiam um stop um tique abaixo da faixa. O
rompimento deve ter continuidade e o dia geralmente se torna um dia de tendência, como aconteceu aqui.
Apesar da força de baixa na primeira metade do dia, os compradores romperam várias linhas de tendência de
baixa. Eles conseguiram mover o mercado para cima depois que o batente parou de mergulhar na barra 25 que
formou um fundo duplo com a barra 21 após um rompimento da linha de tendência de baixa na recuperação para a
barra 13. Também foi uma configuração de compra de bandeira final para o rompimento da barra 21 para a barra 24
bandeira de baixa. A barra 13 também foi a primeira barra de gap acima da média móvel em uma tendência de baixa
e, portanto, uma configuração de venda (veja o próximo capítulo).

FIGURA 13.1 Barras de gap de 20 barras nem sempre são uma configuração de compra

Se o mercado não tocou na média móvel de 20 ou mais barras, mas houve primeiro um clímax, a configuração da barra de gap de 20
barras pode não levar a um salto e a um teste do extremo. Como mostrado na Figura 13.2, o Research in Motion (RIMM) teve uma
tendência de alta parabólico de até 10 bar. Como um movimento parabólico não é sustentável, é um tipo de clímax, e qualquer clímax é
geralmente seguido por pelo menos uma correção de duas pernas que dura pelo menos 10 barras, e pode até ser seguida por uma
reversão de tendência. Isso faz com que uma correção de uma perna para a média móvel seja uma compra arriscada.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO


Embora os compradores tenham conseguido um pequeno lucro em uma compra, baseado em uma ordem de limite na média móvel
da barra 13, a compra de um pico de baixa após um clímax é arriscada, já que pelo menos duas pernas para baixo devem ser
esperadas. A barra 15 foi uma melhor configuração, visto que foi uma segunda perna para baixo e teve uma boa barra de reversão de
alta, mas falhou na mínima da barra 16 baixa 2.

Bar 16 também foi uma bandeira de baixa em forma de fundo duplo com a barra 14. Desde que o mercado estava em um
consolidação estreita, isso não foi uma configuração de venda forte.

A subida para a barra 10 tinha barras que se sobrepunham muito pouco e fechavam perto de suas máximas. Toda a recuperação da
barra 7 à barra 10 era tão íngreme que era um pico de alta. Um pico é seguido por uma pausa ou um pullback. Aqui, o pullback
começou com três barras de tendência de baixa formando um pico até a barra 13. Quando há um pico de alta e um pico de baixa, esta
é uma reversão do clímax, que é um tipo de reversão de duas barras (mas isso pode ser evidente apenas em um gráfico de time frame
maior). O mercado normalmente fica lateral por um tempo e os compradores continuam comprando na tentativa de gerar um canal de
alta, e os vendedores continuam vendendo assim que eles tentam empurrar o mercado para baixo em um canal de baixa. Aqui, os
vendedores ganharam e o mercado caiu abaixo das barras 13 e 15 do fundo duplo para um movimento medido para baixo. Quando o
mercado falha duas vezes para fazer algo, geralmente faz o oposto.
Embora não seja mostrado, os compradores foram capazes de criar um forte canal de alta a partir da mínima da barra 20, e a perna
acima da barra 20 foi exatamente a mesma altura que a barra 4 para barrar 10 primeira perna, formando um movimento medido
perna 1 = perna 2. O pico de alta até a barra 10 era muito maior que o pico de baixa até o barra 13, e também era um pico de alta em
um time frame maior. O pico de baixa tem seu canal neste gráfico de 5 minutos, e então o pico de alta tem seu canal em um gráfico de
time frame mais alto no dia seguinte (não mostrado).
O clímax também teve um pequeno topo de cunha. Embora a barra 12 estivesse abaixo da barra 11, isso ainda funcionava como uma
cunha onde, sem dúvida, os vendedores eram tão agressivos que impediam que o terceiro empurrão excedesse o segundo. Alguns
traders veriam a barra de baixa após a barra 10 como a primeiro rompimento abaixo do canal de alta e, em seguida, a barra 11 como
o rompimento para um topo mais alto. Isso não é forte o suficiente para ficar vendido, mas é forte o suficiente para os compradores se
iluminarem ou saírem. A barra 12 foi a primeira barra de uma reversão de duas barras, que era um topo mais baixo ou um topo duplo
com a barra 11. Os traders podiam vender abaixo daquela segunda barra, que era uma forte barra de tendência, e a meta mínima era
um teste da barra. média móvel. A barra 17 foi a primeira barra de gap abaixo da média móvel, mas a tendência de alta evoluiu para
uma consolidação (o mercado estava lateral por 20 a 30 barras), e isso não era mais uma compra confiável.
Í

Primeiras Barras de Gap de


Média Móvel

Normalmente, uma configuração de barra de 20 gaps é seguida por um teste do extremo, e o próximo teste da média móvel
é ainda mais profundo. Uma barra pode formar que está inteiramente do outro lado da média móvel. Esta é uma barra de gap de
média móvel, e às vezes também pode ser uma configuração de pullback de barra de gap de 20 barras. Um gap é um termo geral
que significa simplesmente que existe um espaço entre dois pontos no gráfico. Por exemplo, se a abertura de hoje estiver acima do
fechamento de ontem, haverá um gap. Se a abertura estiver acima da máxima de ontem, haverá um gap no gráfico diário. Um uso
mais amplo do termo abre outras oportunidades de negociação. Por exemplo, se a máxima de uma barra estiver abaixo da média
móvel, haverá um gap entre essa barra e a média móvel. Em um mercado de alta ou mercado lateral, há uma boa chance de que o
mercado se mova para fechar esse gap. Às vezes, uma barra fica acima da máxima da barra anterior, mas depois, dentro de uma
barra ou duas, o pullback continua para baixo novamente. Se o mercado novamente ultrapassar a máxima de uma barra anterior,
essa é uma segunda configuração de barra de gap de média móvel, ou uma segunda tentativa de preencher um gap de média
móvel em uma tendência de alta, e as chances são excelentes de haver uma máxima negociável fora desta configuração. Da
mesma forma, os gaps acima da média móvel tendem a ser fechados por uma tendência de baixa ou por um mercado paralelo.
Se há uma tendência forte e esta é a primeira barra de gap de média móvel na tendência, ela é geralmente seguida por um
teste do extremo da tendência. Este pullback para a barra de gap é tipicamente forte o suficiente para romper a linha de tendência
e após o teste do extremo da tendência, o mercado geralmente formará uma correção de duas pernas ou mesmo uma grande
reversão de tendência (discutida no livro 3). Por exemplo, se houver uma alta forte e finalmente tiver uma barra que tenha uma
máxima abaixo da média móvel e, em seguida, a barra seguinte for negociada acima da máxima dessa barra, o mercado tentará
formar um teste de topo mais alto ou fundo mais baixo do extremo da alta. Os traders vão comprar para um swing trade,
esperando que o mercado fique próximo ou acima do velho topo. Alguns traders irão escalonar em longos adicionais se o pullback
abaixo da média móvel cair um pouco mais (isto é discutido no Capítulo 31 sobre escalonamento dentro e fora dos trades). Se o
mercado subir para testar o topo anterior, mas houver uma reversão para baixo, normalmente haverá uma correção mais
prolongada que normalmente tem pelo menos duas pernas e geralmente leva a uma reversão de tendência.
A maioria das barras na maioria dos gráficos são gaps de média móvel porque a maioria das barras não toca na média
móvel. No entanto, se não houver uma tendência forte e um trader der fade nela (por exemplo, vendendo um tique abaixo da
mínima de uma barra acima da média móvel), o trader muitas vezes está apenas procurando por um scalp na média móvel, onde
ele vai tomar alguns lucros. Um trader só aceitará o trade se houver espaço suficiente para a média móvel para obter um lucro
aceitável e apenas se o trade fizer sentido no contexto da ação atual do preço. Portanto, se houver uma tendência forte, um
primeiro gap de média móvel tende a configurar swing trades, e se não houver uma tendência forte e um trader fizer um trade de
barra de gap de média móvel, ele está mais propenso a procurar um scalp.
FIGURA 14.1 Barras de gap de média móvel, segundos sinais.

Na Figura 14.1, a barra 2 foi uma segunda tentativa de fechar o gap abaixo da média móvel em um mercado paralelo.
O momentum para baixo foi um pouco forte, o que significa que o mercado não está de lado hoje, mas a média móvel
ficou basicamente estável por causa do forte fechamento de ontem. Além disso, havia várias barras que se
sobrepunham com a barra ou duas barras antes, e a barra 2 era o terceiro empurrão para baixo após o pico de duas
barras de baixa criado pela terceira e quarta barras do dia. Os compradores colocaram stops de compra para ficar
comprados a um tique acima da máxima da barra 2 e procuraram obter o lucro de um scalper em um teste da média
móvel.
As barras 3, 4 e 8 também foram as segundas tentativas (a primeira tentativa pode ser simplesmente uma barra de
tendência de alta) ou a segundas entradas de barra de gap de média móvel.
A barra 5 era uma barra de gap de média móvel, mas os traders não a venderiam para a média móvel, porque não
havia espaço suficiente para um scalp e porque seguia uma forte reversão e um fundo mais alto e uma segunda perna
para cima. provavelmente após a reversão para cima da barra 4 e fundo mais baixo.
As barras 6 e 9 foram segundas configurações de venda de barra de gap de média móvel. Uma vez que o mercado
rompeu acima da barra 9, houve então uma tendência de alta porque duas tentativas de queda falharam (a barra 9 foi
uma segunda configuração de barra de gap média móvel, o que significa que foi uma segunda tentativa de fechar o gap
para a média móvel).
A barra 7 era uma configuração de barra de gap de média móvel, mas como havia tão pouco espaço para a média
móvel, os traders seriam menos propensos a comprá-la por um scalp unicamente baseado em ser uma barra de gap de
média móvel.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO

O mercado rompeu para cima na Figura 14.1, mas a primeira barra do dia era pequena e, portanto, não era uma barra de sinal
confiável para um falso rompimento. A terceira barra era uma barra forte e, portanto, uma configuração melhor para uma possível
tendência de baixa a partir da abertura.
A barra 6 foi uma reversão para baixo a partir de uma tendência de pico e canal de alta que começou com o pico após a barra 4.
Barra 8 era a barra de sinal para o pequeno triângulo em expansão que começava com a mínima da barra 7. Ele também pode ser
visto como uma cunha, já que foi um rompimento abaixo de um pequeno fundo duplo e o rompimento falhou. Barra 8 também era
uma bandeira de cunha de alta depois do fundo da barra 4; os três empurrões para baixo eram a barra após a barra 5, a barra 7 e a
barra 8. Finalmente, a barra 8 era o fundo mais alto após o pico até a barra 5 que seguia a barra 4 fundo mais baixo.
O rompimento acima da barra 9 era uma bandeira de baixa em forma de cunha fracassada e, portanto, era provável que houvesse
um movimento medido. Os três empurrões foram duas barras antes da barra 8, o topo de swing antes da barra 9 e a barra 9.
FIGURA 14.2 Gap de média móvel e teste do extremo.

Uma primeira barra de gap média móvel pode levar a testes da tendência extrema. Na Figura 14.2, as barras 1 e 2 foram
as primeiras barras de gap de média móvel em tendências fortes e foram seguidas por testes do extremo. A barra 1 foi a
primeira barra na tendência de baixa, onde a mínima da barra estava acima da média móvel (um gap entre a barra e a
média móvel), e foi seguida por um teste de fundo mais alto do fundo da tendência baixa. A barra 2 foi seguido por uma
novo extremo da tendência.
Í

Tempos de inflexão chave do dia


que configuram rompimentos e
reversões

O mercado muitas vezes rompe ou reverte dentro de uma barra antes ou depois das 7:00 da manhã e 7:30 da manhã PST em relatórios
econômicos, às 11:30 PST, e menos frequentemente em torno das 11:00h e meio-dia PST. Muito comumente em dias de forte tendência,
haverá uma forte tendência de contra-tendência de pânico que assustará as pessoas de suas posições, e isso normalmente acontece
entre 11:00 e 11:30 da manhã, embora possa ocorrer mais cedo ou mais tarde. Uma vez que esteja claro que você foi enganado por um
forte movimento de contra-tendência, a tendência normalmente terá retornado muito ao seu antigo extremo, e você e os outros traders
gananciosos que foram apanhados o perseguirão, indo mais longe. O que causa o movimento? As instituições se beneficiam do forte
aumento da tendência contrária, porque permite que elas aumentem a preços muito melhores, esperando que a tendência volte ao
fechamento. Se você fosse um trader institucional que quisesse se aprofundar e quisesse entrar em preços muito melhores, estaria
procurando criar ou contribuir com qualquer rumor que pudesse causar um breve pânico que acabasse e causasse uma leve
repercussão no mercado para ultrapassar algum nível-chave. Não importa qual seja o boato ou notícia ou se alguma instituição o
divulga para ganhar algum dinheiro. Tudo o que importa é que os stops atingidos ofereçam aos traders que entendem o que está
acontecendo uma oportunidade de pegar carona nas instituições e lucrar com a reversão fracassada da tendência.
O pullback de stop atingido geralmente rompe uma linha de tendência significativa, então a corrida para o novo extremo (um teste de
compra ou de venda alta após um rompimento de linha de tendência) faz com que os traders esperem um trade na direção oposta na
primeira hora do próximo dia.
Esse tipo de armadilha também é comum em dias de consolidação , onde o mercado tem pairado perto de um extremo por algumas
horas no que parece ser um rompimento incipiente, apenas para fazer um movimento brusco para tirar o outro extremo, e este
rompimento oposto muitas vezes falha em torno das 11:30 PST. Isso prende do lado de fora os traders mais antigos que estavam se
posicionando para o rompimento em uma direção e capturaram os novos traders de rompimento que entraram no rompimento na
outra direção. A maioria dos dias de consolidação fecha em algum lugar no meio.

FIGURA 15.1 Linhas de stop atrasados


Na Figura 15.1 há duas configurações de gap de 20 barras que se formaram em acertos de stop tardios. A barra 5
era a entrada após as 11h25, horário PST, e também era uma segunda entrada em uma configuração de gap de
média móvel (uma segunda configuração de barra de gap de média móvel, após a primeira entrada acima da barra
após a barra 4 pico de baixa). Observe como a barra de tendência de baixa era forte com um corpo grande e um
fechamento perto da mínima. Essa barra de rompimento de baixa fez as mãos fracas pensarem que o mercado
havia se transformado em uma tendência de baixa. Traders inteligentes olharam para isso como uma grande
oportunidade de compra e esperavam que fosse um clímax de venda exaustivo e um falso rompimento. Esse tipo de
stop geralmente rompe a linha de tendência principal e, como geralmente é seguida por um novo extremo na
tendência, ela geralmente prepara o cenário para um trade na direção oposta na primeira hora do dia seguinte
(aqui, um topo mais alto após o rompimento da linha de tendência de alta). Ela formou uma bandeira de alta em
forma de fundo duplo com o início da barra 2 do canal de alta.
Em ambos os dias, fades de gap de média móvel se desenvolvem após dois ou mais testes da média móvel. Depois
que os traders de contra-tendência conseguiram trazer o mercado de volta à média móvel várias vezes, eles
desenvolveram a confiança para pressionar suas apostas, resultando em um gap além da média móvel. No entanto,
o primeiro rompimento desse tipo além da média móvel geralmente falha e fornece um grande fade para a
retomada da tendência esperada.
No primeiro dia, o mercado tentou reverter às 7 da manhã, presumivelmente em um relatório. Como o dia era uma
tendência da tendência de alta a partir da abertura naquele momento, o sell-off de uma barra foi o primeiro
pullback em um dia de tendência a partir da abertura e, portanto, uma configuração de compra. A reversão
fracassada foi seguida por um pico de três barras e depois por um canal.
No segundo dia, a reversão às 7 da manhã teve sucesso e tornou-se um pico de baixa de três barras que foi seguida
por um canal de baixa.
No segundo dia, o mercado tentou reverter a partir de uma bandeira final de baixa ao meio-dia, mas a reversão
falhou na configuração de venda de gap de média móvel, na barra 10.

FIGURA 15.2 Armadilha atrasada de compra

Em uma tendência de baixa a partir da abertura na Figura 15.2, seguida por uma incapacidade de se elevar acima
da média móvel, os traders estavam esperando uma armadilha de compra das 11:30 da manhã, e isso ocorreu hoje
exatamente na hora. A barra 3 também foi a primeira barra de gap de média móvel em uma tendência de baixa.
Normalmente, a armadilha é uma forte perna de contra-tendência, fazendo traders esperançosos comprarem
agressivamente, apenas para serem forçados a entrar em liquidação, à medida que o mercado rapidamente reverte
para baixo. Hoje, no entanto, a recuperação da barra 2 era composta de grandes dojis sobrepostas, indicando que os
traders estavam nervosos em ambas as direções. Se não houvesse convicção, então como os traders poderiam ficar
presos? Bem, a barra antes da barra 3 tentou formar uma bandeira de baixa em forma de topo duplo, e barra 3
estragou isto indo em cima da máxima barra 1. Isso fez com que muitos traders desistissem do caso de baixa,
forçando os vendedores a liquidar, e também prendeu alguns compradores em longos no rompimento. O momento
que levou à rompimento foi fraco, então provavelmente não havia muitos compradores presos. No entanto, ao falhar
em formar um topo duplo perfeito com a barra 1, isso prendeu os vendedores do lado de fora. Já que era uma
armadilha, havia combustível para o lado das vendas, já que os vendedores que estavam presos agora tinham que
vender e perseguir o mercado, e aqueles compradores presos tinham que vender seus longos. A fraqueza da perna
de baixa a partir da barra 3 é consistente com a fraqueza da perna para cima a partir da barra 2, mas o resultado
foi o esperado - um fechamento na mínima do dia. Este foi um dia de retomada da tendência, mas visto que a
retomada começou tão tarde e seguiu uma consolidação estreita com forte negociação bilateral (barras grandes e
sobrepostas com grandes sombras), resultou em uma perna menor do que o sell-off na abertura.

FIGURA 15.3 Armadilha Tardia em dia de consolidação

Muitas vezes, há também um rompimento de PST às 11h30 nas consolidações (ver Figura 15.3). Aqui,
depois de passar algumas horas na metade superior do dia, o mercado percorreu a mínima do dia, prendendo do
lado de fora os compradores e prendendo novos vendedores. O mercado deu uma segunda entrada alta 2 muito
acima da barra 24 na barra 11:35 da manhã. O mercado fez duas tentativas para sair abaixo da barra 9,
mínima do dia, e falhou, então era provável que tentasse a direção oposta. A maioria dos dias de consolidação
fecha em algum lugar no meio.
O dia abriu como uma tendência a partir da primeira barra de alta e fez um pullback abaixo da barra de sinal
da barra 10 às 7:00, o que provavelmente ocorreu em algum tipo de relatório. Como havia três grandes barras
laterais com sombras proeminentes, isso representava uma pequena consolidação e a compra acima era
arriscada. Assim, o mercado quebrou brevemente para baixo no relatório, prendendo os vendedores, e então ele
quebrou para cima, acima da barra 11, prendendo os compradores do lado de dentro e os vendedores do lado de
fora; em seguida, ele desce uma segunda vez para a barra 12. Quando há compradores e vendedores presos, de
dentro ou de fora, o próximo sinal é geralmente bom para pelo menos um scalp.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO

A recuperação no fechamento de ontem na Figura 15.3 foi uma reversão de um fundo de cunha e provavelmente teria
pelo menos duas pernas. A reversão de fundo mais baixo na barra 9 estava perto o suficiente para ser um fundo
duplo, e a barra 13 fundo mais baixo às 7:40 da manhã PST era um pullback do fundo duplo. Já que a recuperação da
abertura foi um forte pico de alta, o mercado provavelmente tentou formar um canal após um pullback, mas falhou na
barra 12, topo duplo com barra 1. Isto foi seguido por vários picos de baixa durante a hora seguinte e finalmente um
canal de baixa que reverteu na barra 24 às 11:30 da manhã. A tentativa de reversão da barra 22 às 11:00 da manhã
falhou. O mercado estava em um canal de baixa muito íngreme, de modo que o primeiro rompimento do canal
provavelmente seria seguido por um pullback de rompimento e uma compra de alta probabilidade, e a barra 24 era a
barra de sinal. Foi também a segunda tentativa de reverter a partir de uma nova mínima do dia.

O empurrão para cima para a barra 12 criou uma bandeira de baixa em forma de cunha, com as barras 5 e 8 sendo os
dois empurrões para cima. O mercado estava muito íngreme para vender a barra 11, o rompimento do canal de alta
estreito para cima, a partir da barra 9, mas a venda do pullback de rompimento para a barra 12, topo mais alto, era
razoável. Seria mais seguro esperar que a barra 12 outside se fechasse, para ver se os vendedores podiam ser donos
da barra. O fechamento perto da mínima confirmou a força dos vendedores, portanto, uma venda abaixo no início da
continuidade foi uma boa entrada.
Í

Contando as pernas de tendência


e Faixas de Negociação

Tendências geralmente têm duas pernas. Se o momentum na primeira perna após a reversão for forte, tanto os compradores quanto
os vendedores se perguntarão se será a primeira de muitas pernas, criando uma nova tendência. Por causa disso, tanto os
compradores quanto os vendedores esperarão que um teste do extremo da velha tendência fracassará e que os traders a favor da
tendência (com a velha tendência) serão rápidos em sair. Por exemplo, se houver uma forte subida depois de uma tendência de baixa
prolongada, e este movimento for acima da média móvel e acima da última mínima da tendência de baixa e contiver muitas barras de
tendência de alta, tanto os compradores como os vendedores assumirão que haverá um teste da mínima que segurará acima da
mínima da baixa. Uma vez que o momentum desta primeira perna diminua, os compradores terão lucros parciais ou totais e os
vendedores ficarão vendidos, apenas no caso de os vendedores conseguirem manter o controle do mercado. Os vendedores não estão
certos se sua tendência acabou e estarão dispostos a iniciar novas posições de venda. O mercado irá seguir para baixo, uma vez que os
compradores estarão relutantes em comprar até que haja uma ação de preço mais altista. À medida que os compradores voltam ao
pullback que está testando a baixa, os novos vendedores serão rápidos em sair porque não querem perder o trade. A compra pelos
vendedores cobrindo seus curtos aumentará a pressão para cima. O mercado irá então formar um fundo mais alto. Os vendedores não
considerarão a venda de novo a menos que esta perna falhe perto do topo da primeira perna (uma possível bandeira de baixa em
forma de topo duplo). Em caso afirmativo, os novos compradores serão rápidos em sair porque não querem perder, e os vendedores se
tornarão mais agressivos, já que perceberão que essa segunda perna falhou. Eventualmente, um lado vencerá. Esse tipo de
negociação acontece o dia todo em todos os mercados e cria muitos movimentos de duas pernas.
Na verdade, depois que o mercado fizer um movimento de qualquer tamanho em uma direção, ele eventualmente tentará reverter
esse movimento e, com frequência, fará duas tentativas de reversão. Isso significa que toda tendência e todo movimento de contra-
tendência tem uma boa chance de se dividir em duas pernas, e cada perna tentará se subdividir em duas pernas menores.
Quando você está procurando por um movimento de duas pernas e vê uma, mas as duas pernas estão em um canal relativamente
estreito de qualquer tipo, como uma cunha, elas podem, na verdade, ser subdivisões da primeira perna e o canal pode ser apenas a
primeira de duas pernas. Isto é especialmente verdadeiro se o número de barras em cada uma das duas pernas parece inadequado
em comparação com o padrão que está corrigindo. Por exemplo, se houver um topo de cunha que dure por duas horas e depois um
pico de três barras e depois um canal de três barras, é provável que o pico e o canal juntos sejam apenas a primeira perna para baixo,
e os traders relutem em comprar pesadamente até que vejam pelo menos mais uma perna.
FIGURA 16.1 Movimentos de duas pernas
Na Figura 16.1, a tendência de baixa até a barra 6 ocorreu em duas pernas e a segunda perna subdividida em duas pernas menores. O
movimento até a barra 9 também estava em duas pernas, assim como o movimento para a barra 12. Todos os padrões de pico e canal são
movimentos de duas pernas por definição, porque há uma fase de pico de alto momento e um canal de menor momento Estágio.
A barra 12 foi um teste de rompimento perfeito do início do movimento de alta. Sua mínima exatamente igualou a máxima da barra
de sinal da barra 6, executando os stops de zero a zero da barra 6 com um tique. Sempre que houver um teste de rompimento perfeito ou
quase perfeito, as chances são altas de que o mercado faça um movimento medido (espere que a subida da barra 12 seja igual a em
pontos para o movimento da barra 6 para a barra 9).
Houve um movimento de duas pernas até a barra 15, mas quando a sua máxima foi superada, o mercado subiu rapidamente em um
pico de alta enquanto a nova venda teve que recomprar suas posições da venda da baixa 2 fracassada da configuração de venda barra 15.
A barra 9 havia formado uma bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 3, e sua falha na recuperação da barra 16 também
contribuiu para o rompimento de alta.

FIGURA 16.2 Bandeira de baixa em forma de topo duplo.


A Apple (AAPL) era uma ação bem comportada no gráfico de 5 minutos mostrado na Figura 16.2. Ela formava uma
bandeira de baixa em forma de topo duplo na barra 2 (1 centavo abaixo da máxima da barra 1), e a descida mais do que
atingia o alvo aproximado de duas vezes a altura da consolidação . A barra 2 também foi o topo de um movimento de duas
pernas até a média móvel em uma tendência de baixa, formando uma venda de baixa 2 na média móvel, que é uma
entrada confiável em uma tendência. Tendências em muitas ações respeitam muito a média móvel, o que significa que a
média móvel oferece oportunidades durante todo o dia para entrar na direção da tendência com risco limitado.
Quatro barras após a barra 2 configuram uma venda de pullback de topo duplo.

FIGURA 16.2 Topo de cunha


Na Figura 16.3, o SPY tinha um topo de cunha criado pelas barras 4, 6 e 10, que geralmente é seguido por uma correção lateral
de duas pernas para baixo. Havia uma perna de três barras que terminava na barra 11 e uma segunda perna que terminava
na barra 13. Este movimento estava em um canal e seria apenas uma única perna em um gráfico de time frame mais alto. Era
comparável em tamanho à perna da barra 7 à barra 10 e, portanto, a maioria dos traders não confiaria em que continha barras
suficientes para corrigir adequadamente a cunha grande. O mercado tinha uma segunda perna lateralmente corretiva para
barra 15, ligeiramente acima da mínima da barra 13, criando um fundo duplo que foi seguido por um pico e canal de alta até
uma nova tendência de alta.
Í

Contagem de barras: Padrões


Alta/Baixa 1, 2, 3 e 4 e correções
ABC

Todos os mercados são fractais. Esse é um conceito matemático que significa que cada segmento de um mercado
tem os mesmos padrões gerais de cada gráfico de time frame mais baixo e mais alto. Se você remover as etiquetas de
tempo e preço dos seus gráficos, geralmente não será possível saber se um gráfico é de 3 minutos, 5 minutos, 60 minutos
ou até mesmo mensal. A única vez que você pode aproximar de forma confiável o time frame de um gráfico é quando a
barra média tem apenas um a três tiques, porque o gráfico será na maior parte dojis e isso só acontece em time frames
pequenos ou em mercados com volume mínimo, e você não deveria estar negociando isso.
Como cada movimento em cada gráfico tenderá a ser de duas pernas e toda correção tenderá a ser de duas pernas e
toda correção de cada correção tenderá a ser de duas pernas, um trader que entende essa tendência encontrará muitas
oportunidades.
Um sinal confiável de que um pullback em uma tendência de alta ou em um consolidação terminou é quando a
máxima da barra atual estende pelo menos um tique acima da máxima da barra anterior. Isso leva a um conceito útil de
contar o número de vezes que isso ocorre, o que é chamado de “contagem de barras”. Em um movimento lateral ou
descendente em uma tendência de alta ou uma consolidação , a primeira barra cuja máxima está acima da máxima da
barra anterior é uma alta 1, e isso termina a primeira perna do movimento para os lados ou para baixo, embora essa perna
possa se tornar uma perna pequena em um pullback maior. Se o mercado não se transformar em um topo de swing e
continuar lateralmente ou para baixo, rotule a próxima ocorrência de uma barra com uma máxima acima da máxima da
barra anterior como alta 2, encerrando a segunda perna. É necessário que haja pelo menos uma pequena quebra de linha
de tendência entre a alta 1 e o alta 2 para indicar que os traders de tendência ainda estão ativos. Sem isso, ainda não
procure comprar, já que essa alta 1 e essa alta 2 são mais propensas a fazer parte de um canal que está formando uma
primeira perna complexa.

Em um forte swing de alta, a entrada alta 2 pode ser maior do que a alta 1, e em um swing de baixa forte, uma
entrada baixa 2 pode ser menor que a da baixa 1. Por acaso, uma alta 2 em uma tendência de alta e uma baixa 2 em uma
tendência de baixa são frequentemente chamados de correções ABC, em que a primeira perna é A, o movimento de direção
que forma a entrada alta 1 ou baixa 1 é B e a perna final do pullback é a letra C. O rompimento do C é uma barra de
entrada alta 2 em uma correção ABC de alta e uma barra de entrada baixa 2 em uma correção ABC de baixa.
Há uma diferença importante entre uma alta 2 em uma tendência de alta e uma alta 2 em uma consolidação , e entre uma baixa
2 em uma tendência de baixa e uma baixa 2 em uma consolidação . Por exemplo, quando há uma configuração alta 2 em uma
tendência alta, ela geralmente é igual ou superior à média móvel e a tendência é forte o suficiente para que você compre perto da
máxima do dia. Você está comprando um padrão de continuação em uma tendência e, portanto, pode comprar perto do topo da
tendência. No entanto, quando você está comprando uma alta 2 em uma consolidação , normalmente você está querendo comprar
uma reversão em que a configuração está abaixo da média móvel e próxima do fundo da faixa. Se você acha que o mercado está em
uma consolidação , é arriscado comprar uma alta 2 acima da média móvel e perto do topo da consolidação . Na verdade, como esse
trade provavelmente falhará, você deve considerar uma venda usando uma ordem de limite igual ou acima da máxima da barra de
sinal alta 2. Se a alta 2 vai provavelmente falhar, por que ela seria desencadeada? É desencadeada porque os vendedores estão
olhando vender acima dessas barras, e menos ainda logo abaixo das máximas das barras. Eles colocam ordens de limite para
vender no mesmo preço e acima da máxima da barra anterior. Com uma relativa falta de vendedores dispostos a vender logo abaixo
da máxima da barra, os compradores não os enfrentam e são capazes de empurrar o mercado acima da máxima da barra anterior,
na esperança de que muitos compradores entrem em stops de compra. A máxima da barra funciona como um ímã, e a pressão
acima da barra é um pequeno vácuo de compra. Os compradores acham que há um número esmagador de compradores esperando
para chegar lá. O resultado é que a alta 2 dispara, mas o mercado imediatamente se cai. Os compradores que compraram nos
últimos tiques rapidamente veem a falta de uma recuperação acima da máxima da barra anterior. Como o mercado não está
fazendo o que eles esperavam, eles saem e não querem comprar de novo pelo menos algumas barras. Sua venda de seus longos
contribui para o sell-off. O oposto é verdadeiro de um baixo 2 em uma consolidação . Você deve apenas pensar em vender uma baixa
2 acima da média móvel e perto do topo da consolidação , porque você está negociando uma reversão e não um padrão de
continuação. Você está tentando vender o final de uma perna e, portanto, está negociando contra uma pequena tendência. Se uma
se formar perto do fundo de uma consolidação e você acreditar que o mercado está agora em uma consolidação e não em uma
tendência de baixa, é melhor comprar a barra de sinal baixa 2 ou abaixo dela, esperando que a baixa 2 falhe e forme um tipo de
fundo duplo. Essas falhas esperadas geralmente acontecem quando o mercado parece estar tendendo, mas você acha que o mercado
entrou em uma consolidação .
Um alta 1 em uma tendência de alta e uma baixa 1 em uma tendência de baixa podem ter diferentes perfis de risco
/ recompensa, dependendo de onde cada um está na tendência. Por exemplo, se o mercado estiver no fundo e formar uma
baixa 1 fracassada, a compra acima da barra está tomando a primeira entrada alta 1 da nova tendência de alta. A
probabilidade de sucesso pode ser de apenas 50 a 50, mas o risco é pequeno e a recompensa potencial é grande. Você tem
uma pequena chance de fazer um grande lucro. Um trade de compra alta 1 depois do aumento inicial em uma nova
tendência de alta tem uma máxima probabilidade de ser pelo menos um swing trade bem-sucedido. O risco é pequeno e a
recompensa potencial e a probabilidade de sucesso são altas. No entanto, se o mercado está formando seu terceiro topo
consecutivo, as chances de um swing são pequenas, então os traders devem fazer um scalp. Isso significa que o risco e a
recompensa potencial são pequenos e a probabilidade é menor do que a primeira alta 1.
Alguns pullbacks de alta podem crescer ainda mais e formar uma alta 3 ou uma alta 4. Quando um alta 4 forma, às
vezes começa com uma alta 2 e esta alta 2 não vai muito longe. Em vez disso é seguido por um rompimento de baixa e
outras duas pernas para baixo e uma segunda alta 2, e todo o movimento é simplesmente uma alta 2 num maior time
frame Em outras ocasiões, a alta 4 é um pequeno pico e canal de baixa onde o primeiro ou o segundo empurrão para baixo
é um pico de baixa e o próximo empurrão para baixo estão em um canal de baixa. Se a alta 4 não retomar a tendência e o
mercado cair abaixo de sua mínima, é provável que o mercado não esteja mais formando um pullback em uma tendência
altista e, ao contrário, esteja em um swing de baixa. Aguarde mais ação de preço se desdobrar antes de colocar um trade.
Quando uma tendência de baixa ou um mercado lateral está corrigindo lateralmente ou para cima, a primeira
barra com uma mínima abaixo da mínima da barra anterior é uma baixa 1, terminando a primeira perna da correção, que
pode ser tão breve quanto aquela barra única. As ocorrências subsequentes são chamadas de entradas baixas 2, baixa 3 e
baixa 4. Se a baixa 4 falhar (uma barra se estende acima da máxima da barra de sinal baixa 4 após a baixa 4 ser
desencadeada) a ação do preço indica que os vendedores perderam o controle e o mercado se tornará bilateral, com
compradores e vendedores. alternando o controle, ou os compradores ganharão o controle. Em qualquer caso, os
vendedores podem demonstrar melhor que recuperaram o controle ao romper uma linha de tendência de alta com forte
momentum.

Se o mercado estiver em uma tendência de alta clara, não pense em vender uma baixa 1 ou baixa 2, porque eles são configurados apenas
em tendências de baixa e faixas de negociação. Se o mercado estiver em uma clara tendência de baixa, não procure comprar uma alta 1
ou alta 2, porque essas são configurações apenas em tendências de alta e faixas de negociação. Na verdade, se o mercado está em uma
tendência de baixa, muitas vezes você pode pensar em vender acima da máxima da barra anterior, porque a compra de uma alta 1 em
uma tendência de baixa é um trade de baixa probabilidade. Isso significa que, se tiver apenas cerca de 40% de chance de ser um sucesso,
tem cerca de 60% de chance de atingir o stop de proteção antes de atingir uma ordem de limite de lucro. Se você está scalpeando no
gráfico Emini de 5 minutos, então há uma chance de 60% de que o mercado caia e bata em um ponto de dois pontos antes que ele atinja
uma ordem de limite de cinco tiques acima da barra de sinal. Então, se houver 60% de chance de cair dois pontos antes de subir cinco
tiques, essa é uma ótima configuração para uma venda. Da mesma forma, você pode tentar vender acima da máxima de qualquer barra
em uma tendência forte de baixa ou em um canal de baixa, e pode tentar comprar uma baixa 1 em uma tendência de alta e comprar
abaixo da mínima de qualquer barra anterior em uma tendência de alta ou em um canal de alta.

Como você está contando esses pullbacks, muitas vezes você verá o mercado continuar sua correção em vez de reverter, caso
em que você tem que mudar sua perspectiva. Se você pensou que o mercado estava em uma consolidação com apenas uma
máxima nova forte e depois ver uma baixa 2 acima do topo anterior (uma configuração de venda), mas em vez de cair, o mercado
continua em alta, você deve começar a procurar entradas de compra alta 1 e 2. É provável que a força de alta seja suficiente para
você estar negociando apenas longos. Você deve adiar a procura de vendas baixa 1 e 2 até que os vendedores demonstrem força
suficiente para fazer um movimento de queda negociável (como um rompimento de linha de tendência de alta seguida por um
teste fracassado do topo de swing).
Observe que nas faixas de negociação, é comum ver alta 1, alta 2, baixa 1, baixa 2 presentes no curso de 10 barras ou mais,
embora uma alta 2 seja de alta e uma baixa 2 seja de baixa. Como o mercado está lateral, nem os compradores nem os
vendedores controlam a ação do preço por mais do que um breve período, então faz sentido que cada lado tente arrancar o
controle e, como cada um tenta se afirmar, padrões de alta ou de baixa Formato. É muito fácil ver muitos padrões alta/baixa 1 e 2
em faixas de negociação, e é muito importante que você não faça overtrading. Quando o mercado está na maior parte lateral, com
muita sobreposição entre as barras e a faixa não é uma pequena bandeira em uma tendência muito forte, a maioria dos traders
deve se afastar e não tomar nenhum trade. Por que assim? Se você está procurando um alta 2 ou uma baixa 2, você está
procurando entrar em um stop no topo ou no fundo de uma consolidação estreita e você está fazendo exatamente o oposto do que
as instituições estão fazendo. Quando o mercado fica acima da máxima da barra anterior em uma consolidação estreita, eles
estão tendo lucros em seus longos ou estão vendidos, então você não quer estar comprando. Seu trabalho é seguir o que eles estão
fazendo; não é ignorar o que eles estão fazendo e se enganar acreditando que você tem alguma configuração mágica que fará com
que você ganhe muito dinheiro contanto que você continue negociando. Consolidações estreitas podem se formar como pequenas
bandeiras em tendências muito fortes, e quando o fazem é razoável procurar entrar em um stop no rompimento da faixa. Por
exemplo, se houver um pico forte de quatro barras e não houver clímax ou reversão forte, pois o mercado fica de lado por 10
barras, faz sentido vender em um stop abaixo de uma barra de tendência de baixa. Mas se, em vez disso, o dia for um dia de
consolidação e a consolidação estreita estiver no terço médio do dia, a maioria dos traders nunca deve fazer um trade baseada na
contagem de barras.
Quando o mercado está em uma consolidação estreita, ele frequentemente reverte a direção repetidamente, portanto, se você
tomar todas as altas 1, 2, 3 e 4 e também todas as baixas 1, 2, 3 e 4, ao longo de uma hora você perderá todo o dinheiro que você
fez na semana passada. No Capítulo 22, sobre consolidações estreitas, discuto isso com mais detalhes. Não há configurações
mágicas, e cada configuração tem um ambiente onde a matemática lhe dá uma vantagem, assim como outros ambientes onde ela
irá perder. Negociar com base na contagem de barras requer um mercado com swings. Se o mercado estiver em uma consolidação
estreita, não negocie, a menos que você seja um profissional experiente e esteja à vontade com a venda acima da máxima da
barra anterior, em vez de comprar em um stop, e comprando abaixo da mínima da barra anterior de venda em um stop. Existem
variações nessa numeração, mas a meta ainda é ajudar a identificar correções de duas pernas. Por exemplo, em uma forte tendência de
alta, um pullback de duas pernas pode se formar e ter apenas um alta 1, mas funcionalmente ser um pullback de duas pernas.
Você pode inferir isso a partir da aparência no gráfico de 5 minutos, e você pode confirmá-lo observando um gráfico de time frame menor,
embora isso não seja necessário. Não importa se você o chama de alta 1 no gráfico à sua frente, uma variante alta 2 ou uma alta 2 num time
frame menor, desde que você entenda o que o mercado está fazendo. Se houver um fechamento de baixa (ou dois), isso pode representar a
primeira perna para baixo, mesmo se a barra seguinte não se estender acima da máxima da barra de baixa. Se a próxima barra tiver um
fechamento de alta, mas sua máxima ainda estiver abaixo da alta, ela se tornará o final da primeira descida se a próxima barra for
novamente uma barra de tendência de baixa.
Se a próxima barra se estender abaixo da sua mínima, procure por uma barra dentro das próximas barras que se estenda acima da máxima
da barra anterior, terminando as duas pernas para baixo. Visualize cada barra como uma barra de sinal em potencial e coloque um stop de
compra com um tique acima de sua máxima. Uma vez preenchido, agora você tem uma variante de uma alta 2. Esta barra de entrada é,
estritamente falando, apenas uma alta 1, mas trate-a como uma alta 2. Essa barra de baixa no início do pullback foi seguido por uma barra
com um fim de alta. Em um time frame menor, isso foi quase certamente uma pequena perna para baixo seguido por uma perna que se
tornou um fundo mais alto e, finalmente, outro empurrão para baixo para onde a alta 2 terminou a segunda perna.
Os pullbacks geralmente crescem e evoluem para pullbacks maiores. Por exemplo, se houver uma tendência de alta e uma entrada de
compra alta 1 não atingir um novo topo e, em vez disso, houver um topo mais baixo e depois outra perna para baixo, os investidores
procurarão uma configuração alta 2 para comprar. Se a alta 2 disparar, mas a recuperação não for muito longe e o mercado cair novamente
abaixo da barra de sinal alta 2, os traders procurarão comprar uma alta 3 (uma cunha ou um triângulo) ou um pullback alta 4. Sempre que
houver um rompimento forte abaixo de uma barra de sinal de compra alta 2 ou cunha (alta 3), o mercado geralmente terá pelo menos mais
dois empurrões para baixo. Se o rompimento abaixo da barra de sinal alta 2 não for forte e todo o movimento para baixo tiver uma forma de
cunha e se reverter a partir de uma linha de canal de tendência, então a alta 3 está formando uma bandeira de alta em forma de cunha e é
frequentemente uma configuração de compra confiável. Lembre-se, este é um pullback em uma tendência de alta, e não uma tentativa de
reversão em uma tendência de baixa, onde os investidores precisam de uma clara demonstração de força altista antes de procurar comprar,
como discutido na seção 3 sobre reversões. Se o rompimento abaixo da barra de sinal de compra alta 2 reverter depois de um segundo
empurrão para baixo e os quatro empurrões para baixo estiverem em uma espécie de canal e não parecer particularmente forte, é uma
configuração de compra alta 4. Algumas configurações alta 4 de compra são simplesmente configurações de compra alta 2 em time frames
maiores, em que as duas pernas cada subdividem em duas pernas menores. Se o rompimento abaixo da alta 2 fracassada tiver um forte
momentum e todo o pullback do topo do sell-off estiver em um canal relativamente estreito, então comprar a alta 3 é arriscado. Em vez
disso, os traders devem esperar para ver se há um rompimento acima do canal de baixa e, em seguida, um pullback de rompimento.
Sempre que um trader se pergunta se o canal para baixo pode ser forte demais para comprar acima de uma barra de sinal alta 3 ou alta
4, ele deve tratar a configuração como qualquer outro rompimento de canal, como foi discutido no livro 1. Espere para ver o quão forte o
rompimento de alta é antes de querer comprar. Se o rompimento for forte, os traders podem tentar comprar um pullback. Se for tão
forte que tenha uma série de barras de tendência de alta sem pullback, o que pode acontecer, mas é incomum, o mercado se tornaria
sempre-ativo em alta e os traders podem comprar por qualquer motivo, inclusive no fechamento de qualquer barra de alta forte. Como o
stop está abaixo da parte inferior do pico, que pode estar distante, o tamanho da posição deve ser pequeno. Se, em vez disso, o mercado
cair abaixo da mínima da barra de sinal da barra 4, o mercado provavelmente estará em uma tendência de baixa e os traders devem
começar a procurar vender recuperações em vez de continuar a procurar comprar.
O oposto é verdadeiro em uma recuperação de baixa. Se a venda da baixa 2 falhar e o mercado continuar a subir, olhe para o
momentum da subida da baixa 2 fracassada Se não for muito forte e o mercado estiver num canal, especialmente se tiver uma forma de
cunha, procure para vender a baixa 3, que seria uma bandeira de baixa em forma de cunha. Se o momentum de subida for muito forte,
como se houvesse um pico de alta forte de duas ou três barras acima do da baixa 2 fracassada, procure pelo menos mais duas pernas
para cima e não venda a baixa 3. Venda apenas a baixa 4 se o contexto geral favorece uma venda, e não venda se você acredita que o
mercado já se converteu em uma tendência de alta.
Como é discutido no capítulo sobre reversões no terceiro livro, quando os investidores estão procurando uma reversão para baixo, eles
geralmente procuram por um padrão alta 1, alta 2 ou triângulo (alta 3) que eles esperam que fracasse e se torne a última bandeira da
perna de alta, e depois eles vendem acima da barra de sinal de compra.
Como o rompimento é um teste do topo, ele cria um topo duplo (o rompimento pode formar um fundo mais alto ou um topo mais alto,
mas como é um segundo empurrão para cima e está virando para baixo, é um tipo de topo duplo, como discutido no livro 3). Quando
uma pessoa vende acima de uma barra de sinal de compra alta 2, ela está esperando que o mercado seja negociado em uma
consolidação ou uma nova tendência de baixa. Uma vez que um topo duplo é dois empurrões para cima, e o trader está esperando que
isso esteja no topo de uma consolidação ou em um novo swing de baixa, e também é uma configuração de venda baixa 2 (vendendo
abaixo da mínima da barra que criou o topo duplo). Quase toda reversão para baixo vem de alguma forma de topo duplo. Se o topo
estiver atrás de uma pequena perna em um consolidação , o topo duplo geralmente envolverá apenas algumas barras e
será um micro topo duplo. O mesmo é verdade para a maioria dos fundos. Eles se formam a partir das baixas 1 ou 2
fracassadas ou rompimentos triangulares, que criam fundos duplos e reversões de bandeira final para cima. Como um
trader está esperando uma subida para uma consolidação ou uma nova tendência de alta, um fundo duplo também é uma
configuração de compra alta 2, com a entrada em um tique acima da máxima da barra que criou o último empurrão para
baixo para o fundo duplo.

Padrões alta 3 e baixa 3 devem ser negociados como se fossem cunhas (ou um triângulo tradicional, se o padrão é na maior
parte horizontal), porque funcionalmente são os mesmos. No entanto, para manter a terminologia consistente, é melhor chamá-
los de cunhas quando eles agem como padrões de reversão porque, por definição, um alta 3 é um pullback (uma bandeira em
forma de cunha) em uma tendência ou consolidação , e uma baixa 3 é uma bandeira de baixa em forma de cunha em uma
tendência de baixa ou uma consolidação . Por exemplo, se houver uma tendência de alta ou um consolidação , uma alta 3
significa que havia três pernas para baixo e isso configura um sinal de compra acima da máxima da barra de sinal. Se houver
uma tendência de baixa, você estará procurando configurações baixa 1, 2, 3 e 4, não configurações alta 1, 2, 3 e 4. Se houver um
fundo de cunha claro na tendência de baixa, você deve procurar comprar a reversão; mas como é uma tendência de baixa, você
deve chamar isso de fundo de cunha e não de alta 3. Da mesma forma, se houver uma tendência de baixa ou uma consolidação ,
uma baixa 3 significa que houve três empurrões para cima e você deve negociá-lo como um topo de cunha. Se houver uma
tendência de alta, você não deve estar procurando por uma venda de baixa 3, mas uma venda abaixo de um topo de cunha pode
ser aceitável.
Há também uma variação para um alta/baixa 4 fracassada. Se a barra de sinal para a alta 4 ou baixa 4 for particularmente
pequena, especialmente se for uma doji, às vezes a barra de entrada irá reverter rapidamente em uma barra outside, executando
os stops de proteção dos traders que acabaram de entrar. Quando a barra de sinal é pequena, para evitar uma falha, é melhor
posicionar seu stop de proteção em mais de um tique além da barra de sinal (talvez três tiques, mas não mais que oito tiques de
sua entrada no Emini quando o alcance médio é de cerca de 10 pontos) e ainda tratar o padrão como válido mesmo que
tecnicamente tenha falhado, ainda que apenas por um tique ou algo assim. Lembre-se, tudo é subjetivo e um trader está sempre
procurando por algo próximo ao perfeito, mas nunca esperando a perfeição, porque a perfeição é rara.
Esteja ciente de que as correções complexas no gráfico de 5 minutos geralmente aparecem como simples correções de alta/baixa
1 ou 2 em time frame maiores. Não vale a pena pensar em os gráficos de time frame mais altos já que os trades são evidentes no
gráfico de 5 minutos e você corre o risco de se distrair procurando sinais raros e perdendo muitos sinais de 5 minutos.
Uma configuração de compra alta 1 é uma tentativa fracassada do mercado de reverter para baixo, e uma configuração de
venda baixa 1 é uma tentativa falhada de recuperação em uma tendência de baixa. Como as tendências fortes geralmente
continuam, as tentativas de reversão quase sempre falham. Você pode lucrar apostando na falha. Você entra exatamente onde os
faders presos (traders negociando contra a tendência) sairão com suas perdas. O stop de saída deles é o seu stop de entrada.
As entradas alta 1 e baixa 1 mais confiáveis ocorrem quando há um falso rompimento de uma linha de micro tendência na fase
de pico de uma tendência, que é o segmento mais forte da tendência. Os traders veem um pico e começam a comprar uma alta 1,
mas estão ignorando o segundo componente crítico de uma configuração de compra alta 1. O componente final é um filtro - não
entre em uma alta 1 após um clímax de compra significativo, e não entre em uma baixa 1 após um clímax de venda significativo.
Sim, você precisa de um pico de alta; mas você também precisa de uma forte tendência de alta. Um dos erros mais comuns que os
traders cometem é que eles negociam com esperança e compram cada alta 1, esperando uma tendência a seguir. Em vez disso,
eles têm que se forçar a esperar que a tendência de alta se forme e então procurar uma alta 1. Se o pico de alta for forte, mas
ainda abaixo das máximas anteriores, o mercado ainda pode estar em uma consolidação , que faz comprar acima de uma alta 1
mais arriscado. A configuração de compra alta 1 poderia facilmente se transformar na bandeira final da recuperação antes de
uma grande correção ou reversão. O pico que está subindo pode ser devido a um teste de vácuo de compra da consolidação alta e
não a uma nova tendência de alta. Se ambos os compradores e os vendedores esperam que o topo da consolidação seja testado,
uma vez que o mercado se aproxime do topo, os compradores comprarão de forma agressiva e implacável, confiantes de que o
mercado conseguirá atingir o ímã que é apenas um pouco mais alto.
Os vendedores fortes veem a mesma coisa e param de entrar curto. Por que eles deveriam comprar agora, quando podem vender a um
preço ainda melhor em poucos minutos? O resultado é um pico muito forte que leva a uma reversão quando atinge o topo da consolidação ,
quando os traders inteligentes não estariam comprando os fechamentos das barras de tendência de alta ou as configurações de compra alta
1. Na verdade, muitos estariam vendidos, usando ordens de limite, já que esperam que essa tentativa de rompimento seja como a maioria
das tentativas de rompimento, que falham. Para os traders comprarem uma alta 1, eles precisam de um pico forte e uma tendência de alta,
não apenas um pico dentro de uma consolidação . Além disso, eles não devem comprar a alta 1 se o pico de alta terminar com um clímax de
compra muito forte.
O mesmo é verdade para uma venda baixa 1. Aguarde uma tendência de baixa, não apenas um pico de baixa dentro de uma consolidação
e, em seguida, procure um pico com uma configuração de venda baixa 1. Não venda simplesmente todas as baixas 1 após cada pico, porque
a maioria dos picos ocorre em faixas de negociação, e vender uma baixa 1 no fundo de uma consolidação é uma estratégia perdedora porque
a configuração baixa 1 tem uma boa chance de ser a bandeira final na perna para baixo; o mercado pode então ter uma grande correção ou
mesmo uma reversão. Se os traders estão procurando comprar uma 1 alta ou uma baixa 1, eles devem fazê-lo apenas na fase de pico de
uma tendência e não aceitar o trade se houver evidência de um possível clímax. Por exemplo, se você estiver querendo comprar uma
configuração alta 1, estará apostando que o pullback será mínimo e terá apenas uma perna. Muitas configurações alta 1 são apenas
pullbacks de uma ou duas barras após picos acentuados de três a cinco barras, enquanto outras são pullbacks de quatro ou cinco barras
para a média móvel em tendências extremamente fortes que têm de cinco a dez barras, que pode ser um pouco longe demais, muito rápido.
Se você está comprando um pullback tão breve, acredita que há uma tremenda urgência no mercado e que esse breve pullback pode ser sua
única chance de comprar abaixo do topo do que você acredita ser uma tendência de alta muito forte. Se o mercado anda lateralmente por
cinco barras e tem várias pequenas dojis, o mercado perdeu a urgência e é melhor esperar antes de comprar. Se uma alta 2 se forma, é uma
configuração de compra mais segura.

A razão mais comum para um trader não conseguir comprar um pullback alta 1 é que o trader esperava um pullback maior. No entanto, é
importante ficar comprado quando há uma forte tendência de alta, e os traders devem colocar um stop de compra acima do topo de swing
anterior, caso o pullback seja breve e a tendência de alta rapidamente recomeça. O mesmo é verdade em uma forte tendência de baixa. Se os
três critérios para vender uma baixa 1 estão presentes (uma forte tendência de baixa, um forte pico de baixa e nenhum clímax de venda forte),
os traders devem ficar vender. Se eles estão decidindo se colocar uma ordem abaixo de uma barra de sinal baixa 1, eles devem colocar uma
ordem de venda a um tique abaixo do fundo de swing. Então, se eles acabarem não vendendo a baixa 1 e o mercado descer, eles serão levados
para a tendência forte de baixa. Isso é muito melhor do que assistir do lado de fora e esperar pelo próximo pullback. Se eles venderem a baixa,
eles podem então cancelar a ordem de venda abaixo do fundo de swing.
Se essa alta 1 é uma configuração de compra tão confiável na fase de pico de uma forte tendência de alta, como ela poderia se formar quando
a maioria das instituições sabe que pode haver uma chance de 80% de a tendência voltar e ser seguida por uma nova alta? Por que eles
permitiriam o pullback se acreditassem que o mercado subiria? É porque eles criaram o pullback. O pico foi causado por muitas empresas
comprando simultaneamente implacavelmente, o que significa que eles estavam se transformando em suas posições compradas durante seus
programas de compra. Em algum momento, cada uma dessas firmas começará a sair de sua posição, e uma vez que o suficiente delas pare de
comprar e comece a vender suas posições, uma barra se formará com uma baixa que está abaixo da mínima da barra anterior. Muitas outras
empresas compram quando o mercado cai abaixo da outra barra, mas apenas para um scalp se a tendência não for muito forte. Deste ponto em
diante, todas as empresas estarão se expandindo; por causa disso, o rompimento acima da configuração alta 1 geralmente resulta em apenas
um scalp. Na mais forte das tendências, é um swing trade e pode haver uma ou duas configurações de compra alta 1 em um nível mais alto e,
em seguida, algumas configurações de compra alta 2; mas em todos os casos, os pullbacks são causados por instituições que obtêm alguns
lucros de suas entradas mais baixas. A ideia deles é ganhar dinheiro, o que significa que eles têm que lucrar em algum momento, e
quando um número suficiente deles começa a obter lucros parciais ao mesmo tempo, eles criam bandeiras de alta, como alta 1,
alta 2 ou maiores pullbacks. O oposto é verdadeiro em tendências de baixa.
Esta é uma observação importante, porque agora você vê que deve comprar uma configuração de compra alta 1 somente
quando a tendência é muito forte, o que geralmente significa apenas na fase de pico e somente quando o mercado está
claramente em uma tendência. Finalmente, não compre uma alta 1 após um clímax ou uma reversão, e não compre um
pullback de alta 1 no topo de uma consolidação , porque a tendência de alta ainda não desencadeou. As configurações de
compra alta 1 no topo de picos de alta fortes e vendas de baixa 1 no fundo de picos de baixa fortes são comuns em consolidações
e geralmente são armadilhas. Na verdade, elas geralmente são boas configurações de fade. Por exemplo, se uma alta 1 está
configurando no topo de uma consolidação , especialmente se a barra de sinal é uma barra doji, geralmente é sensato colocar
uma ordem de limite para vender no mesmo preço ou acima do topo da barra de sinal alta 1. Como você espera que a compra de
alta 1 falhe, você acha que ela será revertida e atingirá um stop de dois pontos antes de atingir seis tiques e preencher sua
ordem de limite de lucro para um scalp de um ponto. Quando você espera uma falha da compra de alta 1, você acredita que a
probabilidade de o stop de proteção ser atingido antes que a ordem de limite de obtenção de lucro seja preenchida é de pelo
menos 60%. Se você der fade na alta 1 vendendo com uma ordem de limite na máxima da barra de sinal, você espera que ela não
suba seis tiques e, portanto, você pode usar um stop protetora de seis tiques. Como você acha que é uma configuração ruim,
acredita que cairá sete tiques abaixo do seu preço de entrada, ou seja, oito tiques abaixo do preço de entrada de compra dos
compradores que compraram em um stop a um tique acima da barra de sinal. Isso significa que você pode scalpeá-lo com uma
ordem de limite de seis tiques e ter pelo menos 60% de chance de fazer seis tiques enquanto arrisca seis tiques, o que é um bom
trade. Você também pode colocar uma ordem de limite para comprar a mínima da barra de sinal de venda baixa 1 se ela for
formada no fundo de uma consolidação e você acreditar que uma venda de baixa 1 vai falhar.
Se essa alta 1 no topo da consolidação fosse tão forte, por que o pico não era forte o suficiente para se sair bem acima da
consolidação e ter várias barras de continuidade? O mercado está lhe dizendo que o pico não é muito forte e você deve, portanto,
ouvir. Só porque o pico tem quatro barras de tendência de alta não é a fase de pico de uma forte tendência de alta. Olhe para
todo o gráfico e certifique-se de que o pico faz parte de uma forte tendência e não apenas uma armadilha no topo de uma
consolidação . Lembre-se, o mercado geralmente tem picos de alta no topo das faixas de negociação, porque os traders fortes se
afastam e não vendem até que o mercado chegue ao topo da faixa ou até quebre uma barra ou duas. Os compradores, em
seguida, vendem os seus longos para obter lucros e os vendedores vendem para iniciar novos curtos. Este vácuo suga o mercado
rapidamente, mas não tem nada a ver com uma tendência. Os traders estão muito ansiosos para vender, mas não faz sentido
para eles venderem, se acharem que o mercado vai subir vários tiques para testar o topo da faixa. Em vez disso, eles param de
vender e esperam que o mercado chegue lá; então eles aparecem do nada e a forte recuperação reverte, prendendo os iniciantes
em comprar perto do pico do dia. Um alta 1 é uma configuração de compra apenas em uma tendência de alta clara e não em um
pico próximo ao topo de uma consolidação . Uma baixa 1 é uma configuração de venda apenas em uma tendência clara e forte.
Padrões de alta 1 e baixa 1 são com configurações a favor da tendência, por isso, se uma das duas ocorre dentro de um
pullback em uma tendência, mas na direção do pullback e não da tendência, não faça o trade. Em vez disso, espere que ele
falhe e, em seguida, entre a favor da tendência no pullback de rompimento. Por exemplo, se houver uma tendência de alta
e, em seguida, uma linha de tendência micro de baixa de quatro barras se formar na média móvel ou acima dela, não
venda o falso rompimento acima da linha de tendência. Você não quer estar vendendo uma tendência de alta no fundo de
um pullback perto da média móvel, que geralmente está perto do fim do pullback. Em vez disso, procure essa falha e se
transforme em um pullback de rompimento, que estará na direção da tendência (para cima). Há um rompimento acima da
linha de tendência micro de baixa que falhou. O rompimento fracassado foi negociado brevemente, mas não conseguiu ir
longe e reverteu.

Uma vez revertida, a reversão foi uma entrada de pullback do rompimento inicial acima da linha de tendência micro.
No entanto, se a perna de baixa tiver quatro ou mais barras de tendência de baixa consecutivas e a configuração da linha
de tendência de micro fracassada estiver abaixo da média móvel, provavelmente será um scalp de venda lucrativo, embora
o dia possa ser um dia de alta.
Tendências têm topos e fundos em tendência. Em uma tendência de alta, cada fundo é geralmente acima do fundo
anterior (um fundo mais alto) e cada topo fica mais alto (um topo mais alto); nas tendências de baixa, há topos mais baixos
e fundos mais baixos. Em geral, os termos topo mais alto e fundo mais alto são reservados para situações em que uma
tendência de alta parece estar em vigor ou em processo de desenvolvimento, e fundo mais baixo e fundo mais alto
implicam que uma tendência de baixa pode estar em vigor. Estes termos implicam que terá havido pelo menos um
pequeno rompimento de linha de tendência, então você está considerando comprar um fundo mais alto em uma tendência
de alta (um pullback) ou em uma tendência de baixa (contra-tendência, mas pode ser uma reversão) e vendendo uma topo
mais baixo em uma tendência de alta ou uma tendência de baixa. Ao negociar contra-tendência, você deve scalpear a
maior parte ou toda a sua posição, a menos que a reversão seja forte.

Como uma compra de alta 2 se desdobra em uma tendência de alta ou em uma consolidação , se o mercado então reverte
e negocia abaixo do fundo do padrão antes de atingir pelo menos o lucro de um scalper, a compra alta 2 falhou. Da mesma
forma, se houver uma entrada de venda baixa 2 em uma tendência de baixa ou em uma consolidação e o mercado não
alcançar pelo menos o lucro de um scalper e, em vez disso, romper acima do topo do padrão, a venda baixa 2 falhou. A
causa mais comum de uma falha de compra ou de venda é que o trader não quer aceitar uma reversão de tendência e
ainda está procurando por trades na direção da tendência antiga.
Uma alta/baixa 2 é uma das configurações mais confiáveis a favor da tendência. Se um trade falhar, o padrão
geralmente evoluirá e obterá mais uma ou duas pernas corretivas. Por exemplo, se o mercado está descendo em um
pullback em uma tendência de alta ou em uma consolidação e forma uma alta 2, mas dentro de uma barra ou duas uma
barra é negociada abaixo da mínima da barra de sinal, a alta 2 falhou em reverter o mercado para cima da bandeira de
alta. Quando isso acontece, o swing para baixo geralmente tenta reverter novamente em uma alta 3 ou uma alta 4. A alta
3 representa três empurrões para baixo e é, portanto, uma variação de uma cunha. Se o mercado é mais provável que
continue caindo, você seria stopado de seu longo se você comprou a alta 3. No entanto, se você simplesmente sempre
esperar por uma alta 4, você vai perder muitos bons trades de alta 3. O mercado muitas vezes dá aos traders uma pista
sobre qual cenário é mais provável. Esse indício vem na forma do momentum que segue a alta 2 fracassada. Se o mercado
não mudar significativamente seu momentum daquele do movimento para baixo, é mais provável que o mercado reverta
na alta 3, criando um sinal de compra de bandeira de alta em forma de cunha (e o rompimento abaixo da alta 2 se torna
um gap de exaustão, em vez de um gap de medida). Se, em vez disso, houver uma ou duas barras de rompimento grandes,
isso aumenta as chances de haver pelo menos mais duas pernas para baixo, e os traders devem esperar pela alta 4 antes
de comprar. Nesse caso, a barra de rompimento provavelmente se tornará um gap de medida e levará a um movimento
medido para baixo. Sempre que houver um forte pico, muitos traders começarão a contagem novamente e esperarão pelo
menos mais duas pernas para baixo antes de estarem dispostos a comprar novamente. A reversão após a primeira perna é
a primeira tentativa de romper a linha de tendência de baixa e, portanto, provavelmente falhará. A segunda tentativa é o
pullback do rompimento e, como é um pullback de rompimento (seja um fundo mais baixo ou um topo mais baixo), é mais
provável que tenha sucesso. Se o mercado reverte a partir da alta 4 após a alta 2 fracassada, geralmente o padrão é
simplesmente uma alta 2 complexa, onde ambas as pernas subdivididas em duas pernas menores. Isso é geralmente
evidente em um gráfico de time frame mais alto, onde uma alta 2 simples geralmente é vista com clareza. Se essa alta 4
falhar, é mais provável que o mercado esteja agora em uma tendência de baixa, em vez de apenas um pullback em uma
tendência de alta, e os traders devem reavaliar a força e a direção do mercado antes de fazer mais negociações.

O oposto é verdadeiro em uma perna de alta em uma tendência de baixa ou em uma consolidação . Se a baixa 2 desencadeia uma
entrada de venda, mas dentro de uma barra ou duas há uma barra que negocia acima da máxima da barra de sinal e o momentum não
é notável, uma configuração lucrativa de baixa 3 é mais provável. No entanto, se houver um par de grandes barras de tendência de
alta, o rompimento é forte e o mercado provavelmente terá pelo menos mais duas pernas para cima, então os traders não devem vender
a baixo 3. Em vez disso, eles devem esperar para ver se uma baixa 4 se configura. Se o momentum para cima após a baixa 3 é muito
forte, o mercado provavelmente está em um canal de alta íngreme e é melhor não vender a baixa 4, que é o primeiro rompimento do
fundo de um canal de alta forte. Em vez disso, os traders devem esperar para ver se um pullback de rompimento de topo mais alto ou
topo mais baixo se estabelece. Em caso afirmativo, este é um trade de segunda entrada de venda e de menor risco. No entanto, se o
canal de alta não for muito estreito e houver algum motivo para procurar um topo, como a baixa 3 sendo uma pequena bandeira final
ou uma segunda tentativa de reverter depois de se mover acima de um swing ou uma reversão de uma linha de tendência de baixa de
um time frame maior, Os traders podem vender a baixa 4. Barras de sinal baixa 4 geralmente são pequenas e, quando o são, o mercado
muitas vezes rapidamente reverte e executa os stops de proteção acima da barra de sinal baixa 4 e, em seguida, reverte novamente
para baixo em um bom swing de baixa. Por causa disso, quando há uma pequena barra de sinal baixa 4 ou alta 4, use um stop de
dinheiro de cerca de dois pontos no Emini em vez de um stop de ação de preço além da barra de sinal.
A chave para entender o conceito de configurações de alta / baixa 2 é lembrar a sua intenção. A ideia é que o mercado ofereça
duas tentativas de qualquer coisa e, na sua tentativa de corrigir, frequentemente tentará duas vezes reverter a tendência. A vantagem
de comprar um pullback alta 2 em uma tendência de alta é que há muito pouco pensamento envolvido, e é fácil de fazer. A dificuldade
vem quando uma correção tem duas tentativas, mas não forma uma alta/baixa 2 clara. É por isso que é necessário procurar por
variações – você pode fazer dinheiro por negociar pullbacks de duas pernas quando eles não oferecem uma configuração de alta/baixa 2
perfeita.
O movimento de duas pernas mais óbvio tem dois swings claros com um swing oposto entre elas que rompe uma linha de tendência menor e
geralmente forma um pullback alta 2 em uma tendência de alta ou uma baixa 2 em uma tendência de baixa (uma correção ABC). No entanto,
há variações menos claras que fornecem trades igualmente confiáveis, por isso é importante reconhecê-las também. Toda vez que você vê uma
correção onde você pode inferir duas pernas, então você encontrou um padrão aceitável. No entanto, quanto mais distante do ideal, menor a
probabilidade de se comportar como o ideal.
Uma alta 2 em uma tendência de alta é mais confiável do que em uma consolidação . Quando há uma tendência de alta, o mercado tem
pullbacks ao longo do caminho, que são criadas tanto por compradores lucrativos quanto por vendedores agressivos. Na maioria das vezes, o
topo parece que pode ser bom o suficiente para um scalp, e isso atrai novos vendedores que estão esperando por uma reversão. Pode haver uma
boa barra de reversão de baixa, uma cunha, um clímax de compra ou algum outro padrão que os leve a acreditar que o mercado tem uma
chance razoável de reverter, e, portanto, eles são vendas. Se o mercado recuar, eles começam a se sentir confiantes. Se o mercado formar uma
alta 1, muitos continuarão a manter a posição de venda, uma vez que esperam uma tendência de baixa ou, pelo menos, uma grande correção na
tendência de alta, e aceitam a alta 1 como um fundo mais alto que será seguida por preços mais baixos. Quando o mercado se distancia desse
topo mais baixo para baixo, eles estão se sentindo mais confiantes. No entanto, eles não vão segurar seus curtos se o mercado subir pela
segunda vez. Se isso acontecer, isso seria uma entrada de compra alta 2. Os compradores vão ver a configuração como duas tentativas de levar
o mercado para baixo, onde ambos falharam, então eles vão comprar a alta 2 Os vendedores vão ver da mesma maneira, e se ambos falharem,
eles desistirão, comprarão de volta seus curtos e esperarão por outro sinal antes de vender novamente. A relativa ausência de baixa para a
próxima barra ou duas e a renovada ânsia dos compradores tornam a alta 2 uma configuração confiável em uma tendência de alta. Na maior
parte do tempo, forma-se perto da média móvel dentro dela.
O oposto é verdade para uma baixa 2 em uma tendência de baixa, onde configurações baixa 2 são mais confiáveis em tendências do que nas
faixas de negociação. A tendência de baixa terá pullbacks, e invariavelmente o início do pullback será apenas confuso o suficiente para fazer os
compradores se perguntarem se pode ser uma reversão de tendência, então eles começam a comprar, e os vendedores se perguntarão se isso
poderia levar a uma correção para cima mais forte, então eles começam a ter lucros, comprando de volta alguns de seus longos. O resultado
desta compra de ambos os compradores e os vendedores é uma recuperação, mas neste ponto nem os compradores nem os vendedores sabem se
será uma reversão ou apenas uma bandeira de baixa. Os compradores iniciais podem permitir um movimento contra eles na forma de uma
baixa 1, já que ele pode formar um fundo mais alto, mas eles não manterão seus longos se o mercado se mover contra eles duas vezes. Eles vão
sair na baixa 2 e não comprar novamente por pelo menos um par de barras. Além disso, os vendedores vão vender a baixa 2, assim a venda
deles, juntamente com a venda pelos compradores (eles estão vendendo seus longos) e a ausência de novos compradores, resulta em um
desequilíbrio em favor dos vendedores. Assim como com uma alta 2 em uma tendência de alta, uma baixa 2 em uma tendência de baixa
geralmente se forma como um pullback para ou perto da média móvel.

Um topo de empurrões é muitas vezes uma variação de uma baixa 2, embora seja na verdade uma baixa 3. Sempre que a
primeira perna é forte e desproporcionalmente grande ou forte em comparação com as próximas duas pernas, você tem
algo parecido com uma cunha se comportar como uma cunha. A baixa 1 que segue essa primeira perna forte é seguida por
duas pernas mais fracas que podem ser vistas como apenas uma perna feita de duas partes menores. A entrada está na
baixa 3, na conclusão da cunha, mas também pode ser considerada uma baixa 2. No entanto, a numeração torna-se
irrelevante porque você se depara com um padrão de três empurrões e deve se comportar como um reversão de cunha se
você escolhe chamar a entrada de baixo 3 ou baixo 2. Não gaste muito do seu intelecto aqui. Lembre-se, a maioria dos
acadêmicos realmente inteligentes não consegue negociar, então, por mais ideais que o intelectualismo e a perfeição sejam,
você perderá dinheiro se você lutar contra o mercado e insistir em que ele se comporte perfeitamente como é
frequentemente descrito nos livros de trading.
O oposto é verdadeiro em fundos de três empurrões, onde a segunda das duas pernas pode frequentemente ser vista como
dividida em duas partes e você tem o que parece ser uma alta 3 mas funciona como uma cunha e como uma alta 2. Em
outras palavras, o mercado deve subir por pelo menos um scalp, independentemente de como você escolhe numerar as
pernas.
Alguns traders procuram por scalps contra a tendência contra fortes tendências. Por exemplo, se houver uma forte
tendência de baixa e, em seguida, uma barra de reversão de alta, os compradores excessivamente ansiosos podem comprar
acima dessa barra. Uma vez que eles estão negociando contra uma tendência, eles geralmente permitem um pullback,
como uma baixa 1. Eles esperam que a baixa 1 falhe e se torne um fundo mais alto, e eles podem esperar muito para ver se
esse será o caso. No entanto, se o mercado não atingir seu alvo de lucro e, em vez disso, formar uma configuração baixa 2,
a maioria dos traders não permitirá que a tendência retome uma segunda vez e eles venderão seus longos assim que a
baixa 2 se desdobra. Se a baixa 2 não for acionada e o mercado tiver mais um pequeno empurrão para cima e configurar
uma baixa 3, isto é uma bandeira de baixa em forma de cunha, e os longos sairão se ela disparar. Eles sabem que há uma
possibilidade de que seus trades ainda funcionem, desde que o mercado não caia abaixo do pequeno topo mais alto, mas
eles percebem que as chances são muito fortes contra eles. Traders mais experientes não teriam comprado essa reversão e,
em vez disso, teriam esperado até um pouco abaixo da barra de sinal baixa de 2 ou 3, o que é uma configuração muito forte
em uma tendência de baixa. À medida que o mercado cai abaixo do topo mais alto, a tendência de baixa muitas vezes
acelera à medida que os compradores finais desistem e vendem seus longos perdidos. Em geral, se você comprar
antecipadamente, sempre saia e até reverta se o mercado disparar uma venda baixa 2 ou baixa 3, especialmente se houver
uma barra de sinal forte, porque essa é uma das configurações de venda mais confiáveis. Da mesma forma, se você vender
uma tendência de alta forte, sempre saia se tiver uma alta 2 ou alta 3 desencadear, especialmente se houver uma barra de
sinal forte, que cria uma das configurações de compra mais fortes. Se você é emocionalmente capaz de reverter, você deve
geralmente fazer isso.

FIGURA 17.1 Contagem de Barras

Não perca de vista o objetivo na contagem de barras. Concentre-se nos pullbacks e não nas altas 1, altas 2, baixas 1 e
baixas 2. Na maioria das vezes, quando o mercado está em uma tendência de alta ou em uma consolidação , você está
querendo comprar pullbacks de duas pernas, como as altas 2 acima das barras 4, 7, 13 ou 17 na Figura 17.1, e mesmo
assim você não deve comprar mecanicamente todas. Por exemplo, havia duas pernas até a barra 15, sendo a primeira o
canal até a barra 13. No entanto, a barra 15 foi a quarta barra de baixa consecutiva e seguiu uma barra forte de tendência
de baixa duas barras antes. Além disso, a segunda perna foi muito menor do que o primeiro, então pode haver mais para
onde ir. Quando há problemas com uma configuração, é melhor esperar.
Por que a barra 10 não foi uma boa configuração de compra alta 1? Porque foi depois de um clímax de compra no
fechamento de uma perna de alta e bandeira final (barra 8) e o mercado era susceptível a corrigir lateralmente para baixo
por cerca de 10 barras ou mais em duas ou mais pernas. Sempre que há uma tendência de alta relativamente grande
depois que o mercado tem tendência a subir por um tempo, isso pode representar um esgotamento temporário na
tendência. Se uma tendência pode estar esgotada, não é mais uma tendência de alta e, portanto, uma alta 1 não é uma boa
compra. Esta é também a razão pela qual a barra 11 não foi uma boa compra. Uma vez que o mercado ainda estava em
processo de correção após o clímax de compra, ele estava em uma fase de negociação e é arriscado comprar uma alta 2
acima da média móvel em uma consolidação .
A barra 17 foi uma configuração melhor de compra alta 2. Era o fim de uma complexa correção de duas pernas em que
cada perna se subdividia em duas pernas, e as pernas maiores eram de tamanho semelhante e as pernas pequenas eram
de tamanho semelhante, então a forma era boa. Além disso, embora em retrospectiva o mercado tenha se convertido em
uma tendência de baixa, nesse ponto ainda havia negociações bilaterais suficientes para considerá-lo uma consolidação e,
portanto, comprar uma alta 2 era razoável. A segunda perna maior para baixo começou na barra 14 e terminou na barra
17, e a alta 2 pode ser pensada de três maneiras: como sendo uma alta 4, como sendo uma alta 2 das duas pernas maiores
onde a barra 13 era a alta 1 final da primeira perna, ou como sendo uma alta 2 das duas pernas menores, onde a barra 15
era o final da primeira perna. Embora altas 1 e baixas 1 sejam comuns, elas raramente são boas configurações, exceto nas
tendências mais fortes. Visto que uma alta 1 geralmente ocorre perto do topo de uma perna, você deve comprá-la somente
se essa perna estiver na fase de pico de uma perna de alta. A barra 8 é um exemplo de uma boa alta 1 porque se formou
em uma forte tendência de alta que tinha seis barras de tendência de alta consecutivas e cada corpo de alta tinha pouca ou
nenhuma sobreposição com o corpo da barra antes dela. Quase todos as altas 1 em picos de alta e pullbacks de baixa 1 em
picos de baixa serão micro linhas de tendência.
Da mesma forma, as barras 25 e 27 foram boas configurações de venda baixa 1 em um pico de baixa. Houve uma
forte tendência de baixa, um forte aumento de baixa, e nenhum clímax de venda forte, pelo menos não na barra 24. Às
vezes, é mais descritivo chamar a configuração de algo diferente de uma configuração de contagem de barras, e a barra 27
foi um bom exemplo. Sim, foi uma baixa 1 em uma forte tendência de baixa, mas alguns traders teriam se preocupado com
a forte barra de reversão de 26 barras. Eles então concluíram que a tendência de baixa não era mais forte o suficiente para
estar vendendo uma baixa 1. No entanto, eles podem ter se perguntado se o mercado estava começando a entrar em uma
consolidação , porque esta foi a segunda tentativa de reverter, e eles poderia então ter se perguntado se a barra 26 poderia
realmente ser uma alta 2 no fundo de uma consolidação incipiente, onde a barra 24 configurava a alta 1. Eles ainda
entrariam curto abaixo da barra 27 baixa 1, mas não porque era uma baixa 1. Em vez disso, eles teriam vendido ela
porque eles a viam como um alta 2 fracassada em uma tendência de baixa e eles sabiam que a alta 2 teria prendido os
compradores depois daquela barra forte de reversão.
Já que o mercado estava em uma forte tendência na barra 25 e você não podia comprar acima da máxima da barra
anterior, você poderia ter ficado acima da barra anterior, barra 24, e você poderia ter vendido mais abaixo da barra 25.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO

A barra 1 na Figura 17.1 foi uma tentativa de ser o começo de um dia de tendência de alta a partir da abertura com um
grande gap para cima, mas falhou na barra seguinte, que se tornou uma armadilha de compradores (ela prendeu os compradores
em um trade perdedor). Como essa barra de reversão de baixa é negociada acima da barra 1 e virada para baixo, ela pode ser
considerada uma alta 1 fracassada. Isso torna a barra 2 uma configuração alta 2 de compra, mas depois dessa armadilha, era
melhor esperar uma segunda perna para baixo e pelo menos um bom corpo de alta antes de comprar novamente. Além disso, o
movimento para a barra 2 era um micro canal e o rompimento acima do canal provavelmente teria um pullback, então era melhor
esperar por esse pullback antes de procurar comprar. Não se preocupe com a contagem de barras pouco claras como esta; em vez
disso, concentre-se no objetivo de encontrar um pullback de duas pernas para comprar. O ponto que vale a pena notar aqui é que
em muitos dias, quando a segunda barra dos day trades acima do primeiro e depois o mercado é negociado para baixo, essa
segunda barra muitas vezes se torna uma configuração de compra alta 1 em uma alta 2, e você deve estar pronto para comprar
uma alta 2 se a configuração parece boa. Embora a máxima da barra 2, alta 2, levasse a um scalp lucrativo, teria sido uma compra
mais forte se a barra 2 tivesse sido uma barra de reversão de alta, especialmente se sua mínima estivesse abaixo da média móvel.
A barra 20 era um pullback de duas pernas para a média móvel (a barra de tendência de alta duas barras antes foi a
primeira a subir) e, portanto, uma configuração de venda razoável. No entanto, o mercado negociou acima da barra de entrada e
sinal duas barras mais tarde na barra 21. Isso formou um pequeno terceiro empurrão para cima prendeu os compradores que
compraram uma baixa 2 fracassada, e prendeu de fora os vendedores que se deixaram stopar acima da máxima da barra 20, barra
de sinal de venda. Este é um exemplo de uma bandeira de baixa em forma de cunha. Sempre que o mercado está abaixo da média
móvel, os traders estão procurando por venda, e quando há ambos os vendedores e compradores presos, as chances de um sinal
de venda bem-sucedido aumentam. Os compradores vão stopar a si mesmos, e sua venda à medida que eles saem de seus longos
ajudará a empurrar o mercado para baixo ainda mais. Os vendedores que acabaram de sair agora entrarão em pânico e estarão
dispostos a perseguir o mercado, aumentando a pressão de venda.
FIGURA 17.2 Configurações de alta 1 e baixa 1 em faixas de negociação
As configurações de alta 1 e baixa 1 no gráfico à esquerda da Figura 17.2 formaram-se dentro de uma consolidação e não foram
bons trades. Aquelas no gráfico à direita estavam em clara tendência de baixa e de alta e eram ótimas configurações. Só porque o
mercado tem um pico forte e uma configuração alta 1 de compra não significa que você deva comprá-la, e você nunca deve vender uma
baixa 1 a menos que haja uma forte tendência de baixa.
Por volta da barra 7, o mercado teve cinco reversões, a faixa foi pequena, e a maioria das barras se sobrepôs com barras
anteriores. O dia estava em uma consolidação e claramente não estava em uma forte tendência de alta. Duas barras de tendência de
alta formaram um forte pico a partir do fundo mais baixo barra 5, e o mercado quebrou acima da barra 4, topo mais baixo. Os
compradores esperavam que o dia chegasse ao topo e formasse uma tendência de alta e poderia haver uma, se não houvesse naquele
momento a inércia do mercado. As tendências tendem a se manter como tendências e as reversões geralmente falham; as consolidações
continuam indo lateralmente e as tentativas de rompimento geralmente falham. A barra 7 foi uma configuração de compra alta 1 após
um forte pico de alta, mas foi em um dia de consolidação . Ele também tinha uma barra de sinal doji, que representa negociação
bilateral. Esta é uma configuração de compra ruim e, na verdade, os traders agressivos esperavam que ela falhasse e eles venderam em
uma ordem de limite e acima da máxima da barra 7.
A barra 9 foi uma configuração de alta 2 acima da média móvel e dentro de uma consolidação e, portanto, era
provável que falhasse.
A barra 11 foi a quarta barra de tendência de baixa em um pico de baixa que quebrou a nova mínima do dia. No
entanto, este é um dia de consolidação . Pode se tornar um dia de tendência, mas ainda não é uma e, portanto, uma baixa
1 na mínima do dia provavelmente falhará, especialmente com uma barra de sinal doji. Os compradores agressivos
compravam na barra 11 ou abaixo dela, esperando que os vendedores ficassem presos.
Compare essas configurações com as do gráfico à direita. O mercado estava em uma tendência a partir da abertura,
consistindo de três barras grandes de tendência de baixa com pequenas sombras e pouca sobreposição, e quebrou muito
abaixo da mínima de ontem. Esta foi uma tendência clara e forte, com muita urgência. A barra 22 foi um pullback de uma
barra e os traders fecharam agressivamente abaixo dessa configuração baixa 1. Na verdade, os traders estavam tão
confiantes de que o mercado ficaria abaixo da mínima do pico que muitos venderam as ordens de limite e acima da
máxima da barra 21.
Houve outro clímax de venda para a mínima do dia, que é frequentemente seguido por uma correção de duas
pernas e, por vezes, uma reversão de tendência. Seis barras de tendência de alta criaram uma recuperação para a média
móvel, e as barras tinham muito pouca sobreposição, corpos grandes e sombras pequenas. Havia urgência para a compra,
e todo mundo estava esperando por um pullback desse forte pico em uma possível nova tendência de alta. Houve uma
pausa de uma barra na barra 26, que configurou uma boa compra de alta 1.
Houve outro pico de seis barras até a barra 30 e, em seguida, um pullback de seis barras para a média móvel na
barra 31, onde havia uma barra de sinal de alta e outra configuração válida de compra alta 1.

FIGURA 17.3 Contagem de barras as vezes é difícil

A Figura 17.3 apresenta um gráfico de um dia difícil de contar (mas bastante fácil de negociar) que mostra muitas
sutilezas na contagem das pernas dos pullbacks. Quando a primeira perna é íngreme e sua correção é apenas um par de barras
de alta (como a pausa da barra 2), e então uma configuração alta 2, novamente após apenas uma barra ou duas (como na barra
3), nenhuma tendência significativa linha será rompida, então você não deve estar procurando comprar uma alta 2. Há muito
risco de que esta é uma tendência de baixa e não uma consolidação ou um pullback em uma tendência de alta e, portanto, você
não deve estar à procura de altas 1 ou altas 2.
Mesmo que tenha havido duas tentativas para subir, a primeira tentativa foi muito fraca. Você sempre quer ter uma
demonstração de força antes da configuração de compra. Caso contrário, assuma que o mercado ainda está em sua primeira
perna. Se a barra após a barra 3 fosse para cima da máxima da barra 3, seria uma entrada de compra e agressiva, mas a compra
é sempre melhor se o movimento depois da primeira descida (a alta 1) mostrar mais força.
O mercado às vezes cai novamente e forma uma alta 3 depois de penetrar em uma linha de canal de tendência e se reverter. Esta
é uma reversão de cunha (três pernas e uma falso rompimento de uma linha de canal de tendência) e uma se configurou na barra
4. Note que nem a barra 2 nem a barra 3 ficaram acima das barras anteriores, mas cada uma delas efetivamente acabou com
uma pequena perna. Em um gráfico de 1 minuto, quase certamente havia uma perna clara e uma pequena corrida corretiva que
formou essas barras de tendência de 5 minutos.
A barra 4 era uma barra de entrada de compra alta 3, mas também era uma barra de tendência de baixa. Uma vez que foi
apenas a segunda barra da perna ascendente e o movimento depois de um fundo de cunha geralmente tem pelo menos duas
pernas para cima, não foi uma boa configuração baixa 1. Lembre-se de que todas essas tentativas de reversão são mais confiáveis
quando seguem um rompimento de uma linha de tendência mais longa e mais forte. Se nenhuma linha de tendência significativa
for rompida na perna anterior (como a tentativa de reversão da barra 2), a tentativa de reversão da próxima perna não terá
muita convicção (barra 3) e você deverá aguardar uma ação de preço adicional como a mínima da barra 4 antes de considerar a
compra.
A barra 5 pode ser vista como uma baixa 1 ou baixa 2, mas quando o mercado está corrigindo a partir do fundo do clímax (uma
cunha é um tipo de clímax), certifique-se de deixar corrigir lateralmente para cima antes de pensar em vender novamente. Não
há uma regra estrita sobre o que constitui uma correção adequada, mas, em geral, a correção deve ter duas pernas claras e ter
pelo menos cerca de metade das barras da cunha. O sell-off também foi uma tendência de alta de pico e canal, então a perna deve
testar perto do início do canal na barra 2.

A barra 6, estritamente falando, foi uma baixa 2, mas como não houve nenhum rompimento de linha de tendência de alta
significativa na baixa 1, você não seria vendê-la. O mercado ainda estava em um canal estreito, então você não deveria estar
procurando por uma baixa 1 ou venda de baixa 2. Os canais podem ter muitos pullbacks à medida que o canal progride, mas eles
geralmente têm pelo menos três pernas antes que haja um rompimento e uma reversão. A barra 7 foi o terceiro empurrão para
cima. Foi uma segunda entrada de venda no teste de média móvel, formou um topo duplo com a barra 2 topo do canal, e foi a
primeira barra de uma reversão de duas barras. A venda abaixo da barra de baixa que se seguiu era um trade razoável. No
entanto, o mercado estava em uma consolidação estreita desde a barra 6, então a maioria dos traders não deveria estar
negociando; em vez disso, eles deveriam ter esperado pelo rompimento e começado a procurar por trades.
A barra 8 era uma alta 1, mas ocorreu após seis barras laterais no topo de uma baixa fraca e não em um forte pico de
alta.
A barra 10 também era uma entrada alta 2 acima de uma barra de alta no fundo de uma consolidação e uma entrada de
compra aceitável.
Embora a barra 11 fosse uma variante de alta 1 porque não se estendia acima da barra anterior, também era uma
configuração baixa 2 abaixo da média móvel. A configuração baixa 1 foi a reversão de 2 barras de duas barras anteriores, e isso
também configurou uma alta 2 fracassada (barra 10 era a barra de entrada alta 2). Foi a segunda tentativa de criar uma falha
na máxima da barra 10 alta 2, e a maioria dos traders que compraram acima da barra 10 sairiam nessa segunda falha. Esta é
uma das razões pelas quais uma baixa 2 abaixo da média móvel funciona. É exatamente onde os compradores prematuros sairão e, à
medida que se eles vendem seus longos, eles aumentam a pressão de venda e não comprarão novamente pelo menos uma barra ou
duas.
A barra 12 era uma barra de reversão de alta e uma alta 2 (barra 11 era a alta 1) em um dia calmo e era a nova mínima do dia,
tornando-a um trade de alta probabilidade para pelo menos um scalp. Se não houvesse uma alta 1, a descida teria cerca de seis barras
de tendência de baixa e os traders teriam que esperar por um pullback de rompimento (uma segunda entrada) antes de considerar um
trade de compra. A barra 12 foi o final de um movimento medido (aproximadamente) em um maior pullback de duas pernas, com a
primeira perna terminando na barra 10 e o final de um movimento ainda maior medido a partir da máxima do dia com a primeira
perna terminando na barra 4. Finalmente, a barra 12 foi uma reversão de uma ultrapassagem do canal de tendência de baixa. A linha
não é mostrada, mas está ancorada na mínima da barra antes da barra 10 e foi criada como uma paralela da linha de tendência de
baixa da barra 7.
A barra 13 poderia ter sido o início de uma consolidação estreita, porque foi a terceira doji pequena consecutiva. Por volta de duas
barras mais tarde, a consolidação estreita era clara, então a maioria dos traders não deveria mais usar contagens de barras para
configurações. No entanto, os traders experientes poderiam ver a barra 13 como um empurrão para baixo, e as duas barras ao longo
das próximas quatro barras como mais dois empurrões para baixo; eles poderiam, então, ver essa consolidação estreita como uma
bandeira de alta em forma de cunha (discutida no Capítulo 18) e, em seguida, pensar em comprar o rompimento, esperando um canal
de alta após o pico de 12 de barra forte. Como neste momento o dia estava basicamente em uma consolidação e essa consolidação
estreita estava no meio da faixa do dia, a contagem de barras não era confiável. No entanto, como havia apenas um pico forte, era
razoável procurar comprar acima de uma barra de tendência de alta, independentemente da contagem de barras.
A barra 14 era uma baixa 2, terminando a segunda perna para cima, com a subida da barra 12 sendo a primeira perna para cima.
Também era uma bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 7 e então a segunda tentativa fracassada para correr para a
máxima do dia. Em um dia sem tendência e depois de uma bandeira de baixa em forma de topo duplo, você deve procurar duas pernas
para baixo. A primeira perna terminou com a máxima da barra 15 alta 1, que foi seguida por duas pequenas pernas para cima,
terminando com a mínima da barra 16 baixa 2 na média móvel.
A segunda perna terminou com a alta 2 na barra 17, mas a barra 17 foi uma barra de tendência de baixa seguindo uma barra de
tendência de baixa, e seguiu uma primeira perna até a barra 15 que era muito forte. Ainda era uma compra válida, mas a incerteza
resultou em uma segunda entrada de segunda chance na máxima da barra 18, alta 2. Essa segunda entrada se desenvolveu porque
traders suficientes estavam suficientemente desconfortáveis com a primeira entrada para fazê-los esperar por uma segunda
configuração. Foi também uma variante do padrão ii baseada apenas em corpos. Nos próximos capítulos, você aprenderá que também é
uma configuração de compra de pullback de fundo duplo.
A barra 17 formou um fundo duplo com a barra antes ou a barra depois da barra 15, e a barra lateral antes da barra 18 era o
pullback.
A baixa 2 na barra 19 foi depois de um forte momentum de subida, mas ainda era uma venda válida. No entanto, isso resultou em
uma falha de cinco tiques na barra 20 (descrita mais adiante; isso significa que o movimento para baixo da barra 19 atingiu apenas
cinco tiques e, portanto, deixou muitos vendedores ainda presos sem o lucro de um scalper).
A barra 20 formou uma baixa 2 fracassada, que prendeu vendedores e foi, portanto, uma boa entrada, especialmente quando o
momentum para cima foi forte. Quando ocorre uma baixa 2 fracassada, ela geralmente é seguida por uma baixa 3 ou uma baixa 4.
Também foi uma baixa 2 acima da média móvel e dentro de uma consolidação , mas o mercado estava na fase de canal de um pico e
canal de alta e, portanto, era uma configuração de compra a favor da tendência, embora ainda estivesse abaixo do topo da consolidação .

As tendências de pico e canal são discutidas no Capítulo 21 do livro 1 sobre tendências. Já que o pico de alta da barra 20 era tão forte,
pelo menos mais duas pernas para cima eram prováveis, e comprar a alta 1 na barra 21 era um trade confiável. Era possível que essa
perna evoluísse para um pullback de duas pernas, com uma barra abaixo da mínima da barra 21 (formando uma configuração de
compra alta 2), mas as chances eram contrárias. Havia simplesmente muita força.

FIGURA 17.4 O SDS é útil em analisar o SPY

À esquerda na Figura 17.4 está o Emini de 5 minutos e à direita está o SDS de 5 minutos, um fundo negociado em bolsa
(ETF) que é o inverso do SPY (um ETF que é comparável ao Emini) mas tem o dobro da alavancagem. No gráfico Emini, houve
uma alta 2 na barra 5 após um rompimento de linha de tendência de alta na barra 1 e, em seguida, um pico mais alto na barra 3
que testou a máxima da tendência antiga. Esta foi uma possível reversão de tendência. O momentum para baixo era forte e a
alta 1 na barra 4 era fraco. Ela cutucou acima da pequena linha de micro tendência de alta da máxima da barra 3 e
imediatamente reverteu para baixo, indicando que os compradores estavam fracos, não fortes. Não teria sido aconselhável
comprar a alta 2 na barra 5 a menos que ele mostrasse uma força excepcional, como ter uma barra forte de sinal de reversão de
alta e não ter um pico de duas barras logo antes dele. Além disso, a barra de sinal era muito grande, forçando um trader a
comprar caro em um mercado fraco, e a barra de sinal era uma barra doji que estava quase inteiramente dentro das duas barras
anteriores (ambas eram barras de tendência de baixa).
Quando houver três ou mais barras com muita sobreposição e uma ou mais for uma doji, é melhor aguardar mais ação de
preço antes de iniciar um trade. Os compradores e os vendedores estão em equilíbrio e qualquer rompimento provavelmente
falhará (como o sinal de compra alta 2 na barra 5), e você certamente não deveria estar comprando um rompimento acima de
sua máxima, em particular em uma perna de baixa especialmente porque a maioria das consolidações são a favor da tendência
primária e a perna anterior era para baixo.
Sempre que você estiver se perguntando se um sinal é forte o suficiente, é útil estudar o gráfico de diferentes
perspectivas, como usar um gráfico de barras ou um gráfico inverso. Em geral, apenas o fato de você achar que precisa de um
estudo mais aprofundado deve lhe dizer que não é um sinal claro e forte e, portanto, você não deve aceitar o trade.
Mesmo se você estivesse tentado a comprar a alta 2 no gráfico Emini, praticamente ninguém estaria procurando vender
a mínima da barra 5 baixa 2 no gráfico SDS à direita, porque o momentum para baixo era muito forte. Como esses gráficos são
essencialmente o inverso um do outro, se você não quiser comprar no SDS, não deve vender no Emini.
Observe que a barra 7 no Emini era uma alta 4, o que geralmente é um sinal de compra confiável. No entanto, na
ausência de qualquer força de alta na alta 1, 2 ou 3, você não deve levar o trade. Uma contagem de barras sozinha não é
suficiente. Você precisa de força anterior na forma de um movimento relativamente forte que quebrou pelo menos uma linha de
tendência menor. Este é um exemplo de uma alta 4 que foi formada por um pico para baixo e, em seguida, um canal de cunha
(barras 4, 5 e 7 terminaram os três empurrões para baixo).
Observe que anteriormente havia uma forte tendência de alta e que as vendas de baixa 2 eram ruins até que o mercado
rompesse a linha de tendência de alta. Não houve um forte movimento descendente, mas o mercado andou de lado por cerca de
10 barras, indicando que os vendedores eram fortes o suficiente para conter os compradores por um período prolongado.

Esta demonstração de força por parte dos vendedores foi necessária para que um trader se sentisse confiante em reduzir o final
da bandeira para a barra 3 nova máxima do dia
A barra 4 era uma linha de micro tendência aceitável no gráfico do Emini, apesar de o dia ter sido um dia de tendência de alta.
Após a bandeira final para o top mais alto na barra 3, você precisava considerar que a tendência poderia ter mudado para baixo.
Deveria haver pelo menos duas pernas de baixa depois desse tipo de reversão- tanto os compradores quanto os vendedores
estariam esperando por ela. Além disso, a entrada estava acima da média móvel, que é o que você deseja ver ao vender abaixo de
uma barra de sinal baixa 1.
Uma vez que o mercado parecia estar em uma tendência de baixa e o momentum para baixo era bom, você poderia vender uma
alta 1, 2, 3 e 4 colocando uma ordem de limite em ou alguns tiques acima da máxima da barra anterior. Barras 4, 5 e 6 eram
exemplos de barras de entrada para esses curtos, e eles também eram barras de sinal para vender mais em um tique abaixo de
suas baixas.

FIGURA 17.5 Uma baixa 2 fracassada normalmente termina em uma venda baixa 4

Na Figura 17.5, a barra 2 era uma baixa 2 fracassada, então uma ou duas pernas a mais eram esperadas. Mesmo que o rompimento
acima da barra 2 não tenha sido forte, o canal de alta estava muito estreito para vender a baixa 3. Uma baixa 4 terminou a recuperação
de baixa e outra terminou o sell-off para a mínima do dia. Não importa se a barra A alta 1 tenha ocorrido antes dos da baixa 4 da perna
anterior.

Barra 1 foi uma venda de linha de micro tendência de baixa, baixa 1 que foi bom para um scalp. No entanto, a pequeno doji às 08:00 PST
e a barra de sinal doji para aquela baixa 1 significava que o mercado estava se tornando uma possível consolidação estreita. Isso tornava
o trade arriscado e provavelmente era melhor não aceitar o trade.
A barra B é um bom exemplo de uma baixa 1 em um pullback para a média móvel após um forte movimento através da média móvel. É
também uma venda de falso rompimento de linha de micro tendência.

FIGURA 17.6 Uma baixa 4 fracassada

Duas baixas 4 fracassadas ilustram observações importantes, como mostra a Figura 17.6. As baixas 4 que acionaram a entrada de venda
na barra 3 tinham uma pequena barra doji para sua configuração. Quando este for o caso, sempre coloque o stop em dois ou três tiques
acima da máxima da barra de sinal, pois o mercado geralmente executa um tique acima da barra de sinal para executar stops logo após você
inserir sua venda, como aconteceu aqui. Olhe a janelinha do gráfico de 1 minuto. A barra de sinal de 5 minutos era composta de cinco barras
de 1 minuto entre as linhas tracejadas, e a barra de entrada era composta pelas cinco barras entre as linhas sólidas. Você pode ver que o
mercado acionou a venda no segundo minuto da barra de entrada, mas depois correu acima da barra de sinal em um tique no quarto minuto
antes de vender para a barra 4.
A segunda baixa 4 foi desencadeada pela configuração da barra 5. A recuperação até a barra 4 era quase todas as barras de tendência de
alta, e seguiu a barra 4 fundo mais baixo que se formou depois de romper uma linha de uma grande tendência de baixa. A tendência mudou
para uma tendência de alta, e você não deveria mais estar procurando recuperações de baixa, nem deveria estar olhando para vendas de
baixas 1, 2, 3 ou 4, que são configurações das consolidações e das tendências de baixa. Isto é especialmente verdadeiro na ausência de força de
venda na subida da barra 4, como um rompimento da linha de tendência de alta. Na verdade, em vez de procurar uma reversão para vender,
você deveria estar procurando por um pullback para comprar e você poderia até mesmo ter colocado uma ordem de limite para comprar no
mesmo preço ou abaixo da mínima da barra 5. Veja o que aconteceu quando a baixa 4 fracassou na barra após a entrada. Como esperado,
todos finalmente aceitaram a realidade de que se tratava de um mercado altista, e o mercado disparou sem parar até a barra 8, que era
sobre um movimento medido da máxima da barra 4 para a barra 5, todo o padrão baixa 4. O rompimento criou um gap de medida entre a
altura do ponto de rompimento (a máxima da barra 5) e o pullback de rompimento (barra 7). Esse tipo de gap de medida é discutido no
Capítulo 6 sobre gaps.
Observe que a barra 7 foi a primeira de três tentativas de reverter para baixo e, portanto, era um ímã para qualquer pullback de qualquer
recuperação adicional. Foi o início do canal de alta após o pico de rompimento de duas barras acima da baixa 4 fracassada. O movimento de
duas pernas da barra 11 (seguindo o rompimento da linha de tendência de alta e a barra 10 topo mais baixo) atingiu abaixo das mínimos de
todas as três dessas barras anteriores de reversão de baixa, como é comumente o caso. Em face de uma recuperação tão forte, é difícil
acreditar que o mercado poderia ter voltado a esses níveis, mas se você souber como ler a ação do preço, teria ficado mais surpreso se isso não
acontecesse, especialmente depois de uma subida climática. A barra 7 foi seguido por um consolidação estreita, mas isso foi em um mercado
de alta forte. Embora a consolidação estreita tornasse a contagem de barras menos confiável, já que se tratava de um forte mercado em alta,
os traders deveriam procurar comprar acima das barras de alta, enquanto colocavam seus stops de proteção abaixo da mínima da barra de
sinal.
A propósito, a barra 7 e as duas barras de reversão que se seguiram nas quatro barras seguintes constituíram três empurrões para baixo.
Quando falharam com um rompimento composta por duas barras de tendência de alta, houve outro gap de medida acima da cunha que
levou a um aumento medido, e a máxima do dia excedeu-a por um par de carraças (cunhas falhadas levam frequentemente a medições
movimentos).
Houve uma máxima configuração de compra que formou um par de barras após a barra 8, e embora estivesse em um pico forte e em uma
tendência de alta, foi depois de um clímax de compra e, portanto, não foi uma boa compra. O mercado estava em um canal de alta parabólico
após o pico de duas barras na barra 6

FIGURA 17.7 Uma baixa 2 em uma tendência de alta não é uma venda.

Uma configuração baixa 2 não é motivo suficiente para fazer um trade de contra-tendência na ausência de um rompimento de
linha de tendência forte anterior. Na verdade, quase sempre falhará e se transformará em uma grande entrada a favor da
tendência, como uma compra de alta 2, como aconteceu nas barras 4 e 6 na Figura 17.7. Uma baixa 2 é uma configuração em
uma consolidação ou um mercado de baixa e nunca em uma tendência de alta, e essa é uma tendência de alta, então os traders
não devem estar procurando por configurações de baixa 2. Antes de vender uma forte tendência de alta, primeiro você precisa
que os vendedores mostrem que eles já estão dispostos a ser agressivos. Você procura vender na segunda tentativa de empurrar o
mercado para baixo, não na primeira, já que a primeira geralmente falha. Quando a tendência de alta é muito forte, você pode
até considerar a compra abaixo da mínima da barra anterior, esperando que qualquer baixa 1 ou baixa 2 falhe. Por exemplo, você
poderia colocar uma ordem de limite para comprar abaixo da barra de reversão que se formou antes da barra 2, ou você poderia
comprar na barra 5 conforme ela caísse abaixo da mínima da barra anterior, esperando que a baixa 2 falhasse. Em geral, é mais
seguro comprar em um stop acima da máxima da barra anterior; mas quando a tendência de alta é forte, você pode comprar
bastante a qualquer momento e por qualquer motivo, e comprar abaixo da mínima da barra anterior é lógico, já que você deve
esperar que a maioria das tentativas de reversão falhe.
Por volta da barra 4, o mercado estava em uma consolidação estreita, então a contagem de barras estava ficando confusa. Você
deve ignorá-lo neste momento e, uma vez que a tendência de alta era tão forte, basta pensar em comprar em um stop acima de
qualquer barra de alta, como a barra após a barra 4.

FIGURA 17.8 Uma baixa 2 fracassada


Como mostra a Figura 17.8, hoje houve um gap de quebra para baixo e, em seguida, um pullback de rompimento para um topo
duplo logo abaixo da média móvel na barra 2, e isso foi seguido por uma nova mínima. Neste ponto, os traders não sabiam se as
duas pernas até a barra 3 terminaram um movimento ou se havia mais por vir (a primeira perna foi do fechamento de ontem
para a barra 1). Embora a venda da mínima da barra 4 baixa 2 tenha atingido o alvo de lucro de um scalper e, portanto, não
fosse tecnicamente uma falha, o rompimento abaixo da linha de tendência e a reversão aumentaram a probabilidade de o
mercado se comportar como uma baixa 2 fracassada; ele teria pelo menos mais duas pernas para cima e depois tentaria formar
uma configuração de venda de baixa 4
Houve alguns problemas com a venda de baixa 2 na barra 4. Primeiro, seguiu-se um rompimento de linha de tendência (a
recuperação até a barra 2), o que significava que a barra 3 poderia ser a mínima do dia (um lugar ruim para estar vendido), pois
a máxima ou a mínima do dia geralmente se desenvolve na primeira hora, aproximadamente. Em seguida, a baixa 2 estava
muito longe da média móvel e, portanto, não era um bom teste de média móvel. Normalmente, os segundos testes da média
móvel são mais próximos da média móvel ou penetram mais do que o primeiro, e o primeiro teste na barra 2 estava claramente
mais próximo. Muitos traders não se sentirão à vontade para entrar a favor da tendência, a menos que o pullback toque ou
apareça dentro de um tique ou mais da média móvel. Quando a reversão começar antes que isso aconteça, estará faltando o
combustível que esses vendedores teriam fornecido.
A barra 6 formou uma configuração baixa 4 e foi o segundo empurrão acima da média móvel. No entanto, esta recuperação teve
muitas barras sobrepostas e várias dojis, indicando que os compradores e os vendedores estavam bastante equilibrados e que um
movimento rápido e grande era improvável. Portanto, a negociação neste momento pode não valer a pena para os traders que
preferem trades de alta probabilidade com grande potencial de lucro. A solução? Aguarde mais ação de preço, sabendo que boas
configurações sempre virão se você puder ser paciente, ou aceitar a venda, mas esteja preparado para permitir um pullback,
como o da barra após a entrada. A barra 9 foi a quinta barra de sobreposição consecutiva e, neste momento, o mercado estava em
uma consolidação estreita. A contagem de barras em um consolidação estreito é muito incerta, e a maioria dos traders não
deveria estar fazendo trades com base nisso até depois de um rompimento.
FIGURA 17.9 Uma baixa 2 fracassada pode evoluir para uma baixa 3 ou baixa 4

Uma baixa 2 fracassada pode levar a um topo de cunha (uma baixa 3) ou um topo baixa 4, dependendo do
momentum acima da baixa 2 fracassada. Às vezes, ele pode se transformar em uma tendência de alta. O rompimento
acima da baixa 2 fracassada na Figura 17.9 foi feita por duas barras de tendência de alta com corpos grandes e
sombras pequenas, e a subida da barra 3 estava em um canal estreito. Foi também um canal que seguiu o pico muito
forte da abertura até a barra 1. Além disso, a baixo 2 reverteu depois de apenas uma barra. Este forte momentum de
alta fez a venda abaixo do padrão da barra 5 muito arriscada. Era razoável esperar que essa baixa 2 falhasse, já que
estava nos estágios iniciais de um canal de alta, e os canais geralmente têm pullbacks que prendem os traders na
direção errada. A força dos compradores era boa até este ponto, como visto pelo canal estreito, o número de barras de
tendência de alta e a falta de muita sobreposição entre barras adjacentes. Estes são sinais de um sólido canal de alta
e, portanto, uma baixa 2 deve falhar.
Mesmo que o mercado não tenha negociado abaixo da barra 5 para acionar a baixa 3, ele ainda era o terceiro
empurrão da barra 2, então ele servia ao mesmo propósito que um baixa 3. Como o momentum no rompimento era
forte, mais duas pernas para cima devem ser esperadas. A barra antes da barra 6 cutucou ligeiramente acima da
linha de tendência de canal e tinha um fechamento de baixa, e a barra 6 testou a linha novamente. Esta foi uma
configuração de venda baixa 4 razoável por pelo menos duas pernas para baixo.
No fechamento do dia, uma alta 2 falhou, mas subiu depois de uma alta 3 (uma forma de cunha) em vez de uma
alta 4. Os movimentos do alta 1 e alta 2 duraram várias barras, indicando alguma força pelos compradores. Embora o
rompimento abaixo da alta 2 fracassada tenha sido forte, foi um clímax de venda exaustivo. O tamanho crescente dos
corpos das barras no pico de baixa era um sinal de exaustão, e ocorreu na linha do canal de tendência e na área da mínima
da barra 2. Como a barra 2 era o começo de um canal de alta, era um imã que deveria ser testado, como foi o caso aqui.
Após o teste, o mercado costuma subir para pelo menos 25% da altura da consolidação em desenvolvimento. Uma vez que o
pico de baixa de três barras cravou-se na barra 9 e representou um forte momentum de baixa, havia a possibilidade de pelo
menos mais uma perna para baixo. Por causa do clímax de venda, as probabilidades favoreciam pelo menos duas pernas de
lado para cima. Isso fez com que a compra da barra 10 fundo mais alto fosse uma boa probabilidade de trade,
especialmente porque as probabilidades favoreciam uma tentativa de negociação após o teste da barra 2 no fechamento do
canal.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO

Hoje, como mostrado na Figura 17.9, abriu com um falso rompimento, revertendo após o rompimento para baixo do gap. Havia
um pico de barra de tendência de alta e um canal estreito até a barra 1; o movimento inteiro era provavelmente um pico de alta em
um gráfico de time frame mais alto. Quando o momentum é forte como esse, as probabilidades favorecem pelo menos uma
segunda perna depois de um pullback, e isso tornou razoável a busca de configurações de compra uma vez que o mercado fez
pullback para a área da barra 2 no início do canal de alta.
Essa também foi uma tendência a partir da abertura, e a barra 2 foi a configuração para a compra primeiro pullback. A barra 3
foi uma configuração de compra de pullback rompimento da bandeira de alta da barra 1 para a barra 2.
Os traders viram a perna inteira para baixo da barra 6 como provável um pullback em uma tendência de alta. A alta 2 estava
perto o suficiente para esse fundo, mas os traders não tinham certeza. De qualquer forma, eles estavam querendo comprar.
Observe também que cada novo fundo para baixo da máxima da barra 6 rapidamente reverteu. Os traders estavam comprando as
novas mínimas, então os compradores estavam ativos até o fim. Embora a descida da alta 2 fracassada fosse forte, eram três
barras de baixa de tamanho crescente e um pequeno clímax de venda. Um trader poderia comprar a barra 9 e assumir que a
mínima da barra 9 iria segurar (um fundo de cunha), mas era melhor esperar por um pullback, que vinha com a barra 10 fundo
mais alto. Isso levou a uma forte alta no fechamento, com os compradores da abertura retomando suas compras.

FIGURA 17.10 Uma variante de alta 2

Na Figura 17.10, a barra 16 doji tinha uma sombra grande no topo, o que indica que o mercado subia e descia naquela barra. Esse
movimento foi o fim da primeira rodada e, portanto, a barra 17 deveria agir como um alta 2, o que aconteceu.
A barra 12 foi uma configuração baixa 2 abaixo da média móvel, mas o mercado estava começando a formar uma consolidação e,
portanto, isso não era uma venda confiável. Na verdade, fazia mais sentido comprar na mínima da barra 12, mas isso é algo que só
os traders experientes deveriam tentar. Sempre que há um sinal de venda logo abaixo da média móvel e a barra de sinal é grande e
se sobrepõe a duas ou mais barras, o mercado está em uma pequena consolidação e a venda no suporte geralmente é uma
estratégia perdedora.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO

O dia abriu com um grande gap na Figura 17.10 e, portanto, foi um rompimento de baixa. Embora a barra 1 fosse uma barra
de tendência de baixa, ela ainda poderia ser a primeira barra de tendência do dia de tendência de alta a partir da abertura,
embora isso seja menos provável do que se tivesse sido uma tendência de alta. Os traders compraram acima da máxima da
barra 1 para a recuperação de falso rompimento.
A recuperação foi para apenas duas barras e depois os vendedores venderam abaixo da segunda barra de alta e abaixo da
reversão de duas barras (a mínima da barra de entrada de baixa) para o a venda de pullback de rompimento e uma possível
tendência de a partir da abertura
Um grande gap para baixo tem uma chance maior de ser um dia de tendência de baixa e os traders devem tentar
tomar todas as configurações de venda razoáveis para um swing de baixa.
Barra 4 foi o terceiro empurrão para baixo no dia, mas foi a terceira barra de um pico de baixa e, portanto, não uma
barra de sinal confiável para uma compra. Os traders devem esperar por um rompimento e, em seguida, um pullback
antes de entrar longo. A barra seguinte era uma barra de tendência de alta que negociava acima da barra 4 e formava
uma reversão de duas barras, mas o mercado não era negociado acima do topo das duas barras; Em vez disso,
rompeu para baixo. As três barras de baixa antes da barra 2 tiveram momentum suficiente para que muitos traders
reiniciassem a contagem e considerassem a barra 2 o primeiro empurrão para baixo.
Quando a barra 4 se formou, alguns traders a viram como o terceiro, enquanto outros a consideraram apenas o
segundo, e ninguém sabia qual grupo de traders estaria correto. Em caso de dúvida, fique de fora e aguarde um
segundo sinal.
A barra 5 era uma barra de reversão de alta e a segunda barra de uma reversão de duas barras; foi também o terceiro
empurrão para baixo no canal que começou com o pico de 2 barras. O pico é muitas vezes o primeiro empurrão,
como foi aqui. Neste ponto, o pico e os compradores do canal compraram, esperando dois empurrões para cima, e
os traders de cunha que redefiniram a contagem com o pico da barra 2 também compraram este terceiro empurrão
para baixo. Os traders que se perguntaram se a barra 4 era o terceiro empurrão estavam procurando por um
pullback de rompimento viram a barra 5 como um menor pullback de rompimento de baixa. Todos os traders, neste
momento, acreditavam que todos esses fatores estavam em jogo e as chances eram boas para uma recuperação de
duas pernas.
A barra 5 foi seguida por um pico de quatro barras até a média móvel, e isso pode ter sido o final da primeira perna.
A barra 6 era uma configuração para uma venda baixa 2, mas como era provável a segunda perna, era melhor não
pegar um scalp de venda e, em vez disso, procurar uma configuração de compra de topo mais baixo ou um
rompimento dessa bandeira de alta. A barra 6 e as duas barras antes dela eram barras de baixa formando duas
pequenas pernas para baixo; Eles, portanto, estabeleceram uma compra alta 2 acima da máxima da barra 6.
Barra 8 era uma pequeno doji, mas poderia ter sido uma configuração de venda para uma bandeira final para ua falso
rompimento daquela bandeira de alta de quatro barras que terminava com a barra 6. No entanto, a subida para a
barra 8 a partir da barra 5 estava em um canal de alta bastante estreito e, portanto, não ficou claro se a barra 8 foi a
segunda perna para cima. Em caso de dúvida, aguarde um segundo sinal. A barra após a barra 8 era uma barra de
tendência de baixa, que era uma boa barra de entrada para os vendedores que estavam vendidos, mas que deveriam
recomprar seus curtos acima da barra de tendência de baixa. Muitos traders ficaram muito acima da barra 6, já que
havia vendedores presos e este também era agora uma baixa 2 fracassada, onde a barra 6 foi o primeiro empurrão
para baixo.
A barra 9 era uma barra de reversão de baixa, uma barra de gap de média móvel de segundo sinal em que a barra 8
era a primeira configuração e o topo de uma cunha de baixa. O topo do pico da barra 5 foi o primeiro empurrão, e a
barra 8 foi o segundo. Uma reversão de cunha normalmente tem pelo menos duas pernas para baixo e aconteceu
aqui. O primeiro terminou na barra 11 e o segundo na barra 17. Os compradores que estavam procurando por duas
pernas a partir do fundo da barra na barra 5 ficaram satisfeitos que o pico da barra 5 foi a primeira perna para cima
e o canal para cima a partir do fundo da barra 6 foi a segunda perna para cima.
As três barras após a barra 10 tentaram formar um fundo duplo com a barra 7 no fundo do canal de alta, mas
falharam.
A barra 10 era um pico de baixa e foi seguido por um clímax até a barra 11.
A barra 11 era uma barra doji, mas seguiu-se uma descida brusca da barra 9, e o mercado provavelmente iria
lateralmente de voltar atrás por causa daquele momentum de baixa.
A barra 12 era uma venda de baixa 2, mas era uma barra de sinal grande e havia muita sobreposição com as
três barras anteriores; portanto, era provável que fosse uma armadilha para vendedores e não uma boa
configuração de venda. A baixa 2 fracassada levou a um pico de alta de seis barras até a barra 14, mas havia
muita sobreposição entre barras adjacentes, e o movimento para cima estava em um canal muito estreito.
Embora o canal tenha se inclinado, o fato de ele ser estreito aumentou as chances de que qualquer
rompimento de baixa não fosse muito longe e o mercado fosse puxado de volta para a área do canal. Esta foi,
portanto, uma possível bandeira final, e isso poderia levar a uma reversão de alta.
O mercado subiu para a barra 17, e a barra 17 era uma grande barra de tendência de baixa e, portanto, um
clímax de venda.
A barra inside de alta que se seguiu foi uma boa preparação para pelo menos uma recuperação de duas
pernas baseada na reversão de bandeira final, o terceiro empurrão para baixo no dia (isso criou uma grande
bandeira em forma de cunha com a barra 5 e a barra 11), e a segunda tentativa fundo mais baixo de reverter
para cima a partir do rompimento abaixo da mínima da barra 5 da abertura.
A barra 17 também era uma escada encolhendo, uma vez que caía abaixo da barra 11 por dois tiques e a
barra 11 caía abaixo da barra 5 por seis tiques. Este é um sinal de que a tendência de baixa estava perdendo
força.
A barra 19 foi uma configuração baixa 2, mas o momentum para cima era muito forte e a barra de sinal
estava muito fraca para dar uma venda. A barra de entrada era uma forte barra de tendência, mas o mercado
imediatamente se recuperou. Os traders alertas esperavam que a baixa 2 falhasse e venderam muito acima da
barra de entrada de baixa.
A barra 20 foi o terceiro em empurrão de alta a partir da mínima da barra 17 e uma forte barra de baixa, mas
a venda nunca desencadeou. O mercado teve mais um empurrão para a barra 21, e a reversão para baixo foi
vista por alguns traders como uma baixa 4, e outros traders como um topo de cunha com barra 18 sendo o
primeiro empurrão e a barra 19 sendo o segundo. Outros traders viram isso como uma grande baixa 2, onde a
barra 14 foi o primeiro empurrão para cima.

FIGURA 17.11 Uma variante de alta 2


Na Figura 17.11, as barras 3 e 4 criaram uma correção de duas pernas em um topo de swing embora a barra após a barra 3 fosse o
final da perna ascendente. Como era uma correção de duas pernas, a barra 4 é uma barra de sinal de compra de alta 2.
A barra 7 era uma barra de tendência de baixa, portanto não era uma barra de sinal alta 1 confiável, mas a barra 8 formava uma
reversão de duas barras e as chances de um trade bem sucedido eram maiores se você comprasse acima da barra de tendência você
comprou acima da barra 7 barra de tendência de baixa. Embora alguns traders tenham visto a barra 7 como uma entrada baixa 2
após a primeira perna da barra 3, a subida foi tão forte que isso pode ter sido uma tendência de alta; portanto, vender uma baixa 2
era um trade de baixa probabilidade.
A barra 8 foi uma configuração de compra baixa 2 fracassada e uma compra de alta 1.
Alguns traders teriam entrado curto abaixo da barra 9, mas o canal de alta era muito íngreme e a barra de sinal estava muito fraca
para entrar curto nesse momento.
A barra 10 fez uma compra de alta 2 (a barra 8 era a alta 1) porque seguia duas tentativas de vender na máxima do dia (barras 7 e
10). Uma sequência de duas tentativas abaixo é a mesma que uma correção de duas pernas, então foi uma configuração de compra
de alta 2. Também foi uma configuração de compra baixa 2 fracassada e provavelmente havia vendedores presos que compraram
de volta seus curtos acima da barra 10. Além disso, alguns dos vendedores da barra de sinal 8 teriam permitido um empurrão para
cima, mas quase todos teriam coberto em um segundo empurrão para cima. Essa é uma das razões pelas quais configurações de
compra alta 2 são tão confiáveis em tendências de alta.
Alguns traders viram a barra 12 como uma configuração de compra alta 1, enquanto outros a consideraram como uma
configuração de compra alta 2, onde a barra doji antes dela significou o fim do primeiro pequeno empurrão para baixo. Como a
subida para a barra 11 era um canal em forma de cunha, era provável que tivesse uma correção lateral de duas pernas para baixo,
portanto, comprar aqui não era um trade de alta probabilidade.

A barra 12 quebrou a linha de tendência de alta e poderia ter sido seguido por uma baixa alta ou uma máxima alta; em ambos os
casos, os vendedores provavelmente teriam diminuído a recuperação por pelo menos
um scalp para baixo.
Toda essa análise é frouxa, mas seu objetivo é importante. Os traders precisam procurar por pullbacks de duas pernas porque eles
configuram excelentes entradas a favor da tendência. Além disso, não procure uma configuração baixa de 2 em uma tendência de
alta.

FIGURA 17.12 Uma variante de baixa 2

O gráfico do SPY apresentado na Figura 17.12 demonstra muitas variações em configurações baixa 2, mas se você pensar em
cada uma delas, cada uma delas seria o final lógico de uma correção de duas pernas. Como o gráfico é claramente de baixa (abaixo
da média móvel exponencial decrescente), os traders estavam procurando oportunidades para entrar curto, então qualquer coisa
que se parecesse com uma baixa 2 era boa o suficiente.
A barra 3 era uma baixa 1 e sua máxima foi retirada pela barra 4, fazendo da barra 4 uma segunda tentativa e uma
configuração para a baixa 2 que disparou na próxima barra.
Barra 6 foi uma configuração baixa, e duas barras depois, houve uma barra de tendência de alta, indicando uma perna para
cima. A barra 7 era a barra de sinal para a venda na barra seguinte, embora fosse uma entrada mais baixa do que a baixa 1.
Ainda era uma correção de duas pernas.
A barra 8 era uma pequena barra inside de baixa em uma correção para cima e, portanto, constituía uma pequena correção,
terminando a primeira perna para cima. Barra 9 seguiu outra barra de tendência de alta (na verdade duas), então foi a segunda
tentativa para baixo e efetivamente uma venda de baixa 2 perto da média móvel.
A barra 11 era mais baixa que a barra 10, então foi o início da subida para a barra 12. Por que a barra após a barra 12
estava em cima de uma baixa 2? A mínima da barra 12 barra outside de alta mergulhou abaixo da barra anterior logo após a
abertura da barra 12, embora você não possa dizer a partir deste gráfico, mas você pode dizer com certeza olhando para um
gráfico de 1 minuto (não mostrado). Isso fez com que a barra 12 fosse uma baixa 1. Uma barra outside rompe de ambos os lados
da barra anterior; você não sabe de que lado ele rompeu primeiro, embora a direção de seu corpo seja usualmente confiável (por
exemplo, um corpo de alta geralmente indica que o rompimento para cima ocorreu em segundo lugar, já que sua direção está em
seu fechamento). A barra após a barra 12 rompeu abaixo da barra 12, então foi a segunda vez nesta perna da barra 11 que uma
barra quebrou abaixo da mínima da barra anterior e foi, portanto, uma venda de baixa 2 na média móvel. A barra 12 também foi
uma configuração de venda baixa 2 porque a barra 9 foi um primeiro movimento para cima e a barra 12 foi um segundo
movimento para cima.
A barra 13 era uma mínima da barra de entrada de venda (e uma baixa 2 onde a barra de barra três barras
mais cedo era a baixa 1), mas depois de duas barras de tendência de alta, isso era muito arriscado, já que era
provável uma correção ascendente. Uma vez que havia uma segunda perna para cima (a barra 14 tinha um topo mais
alto, então era claramente uma pequena segunda perna), qualquer barra que tivesse uma baixa abaixo da barra
anterior era uma venda baixa 2. A barra 15 se transformou em uma barra de venda de baixa 2, embora fosse um
pequeno topo de swing que estava abaixo da máxima das duas pernas para cima (era um fundo mais alto no que
deveria ser esperado pelo menos duas pernas abaixo). Além disso, como discutido no próximo capítulo, a barra 15
também era uma entrada de bandeira de baixa em forma de cunha com base em três empurrões onde a barra 14 era
a terceira subida e as duas barras de tendência de alta antes da barra 13 eram as duas primeiras.

A barra 17 era uma configuração de baixa 2, mas seguiu duas barras de reversão de alta com sombras grandes, de
modo que os traders começaram a comprar nessa área. Isso tornava a venda aqui arriscada e era provável que
houvesse mais compradores abaixo da barra do que os vendedores. Quanto mais certo você estiver de que o mercado
está em uma consolidação restrita, menos certeza você terá sobre a contagem de barras. Em geral, é melhor não fazer
trades com base em contagens de barras em consolidações estreitas, a menos que você esteja muito confiante com sua
contagem, o que significa que você acredita que a contagem é clara o suficiente para justificar um trade.

A barra 18 era um fundo duplo com barra 16 e uma alta 2 com base nos dois pequenos empurrões para baixo da barra
17.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO


Como mostrado na Figura 17.12, o dia tinha um grande gap e era, portanto, um rompimento de baixa. A primeira barra era uma barra
de tendência de baixa e uma possível máxima do dia; consequentemente, foi uma configuração de venda aceitável. No entanto, o
mercado reverteu para uma configuração de compra na próxima barra, e o dia poderia ter se tornado uma tendência de alta. O gap
ainda favorecia os vendedores, a menos que os compradores claramente assumissem o controle do mercado com um forte pico de alta
e continuidade.
Assim que o mercado foi negociado abaixo da barra 2, o mercado teve um pico para cima e um pico para baixo após a primeira barra
do dia, e a faixa do dia foi inferior a um terço da faixa média diária recente. Isso coloca o gap de abertura no modo de rompimento para
um possível dia de tendência, e os traders colocam stops de compra acima da máxima do dia para comprar no rompimento de alta, e
vendem stops para venderem abaixo da mínima da barra 1 pico de baixa para um rompimento de baixa. A barra grande de tendência
de baixa que rompeu abaixo da barra 1 mostra o quão agressivamente os traders venderam. O sell-off foi provavelmente atribuído a um
relatório de 7:00 da manhã. No entanto, é mais provável que as instituições já estivessem planejando a vender hoje e muito improvável
que eles foram inundados com telefonemas de seus grandes clientes que ouviram o relatório de baixa e agora de repente decidiu
vender. As instituições já estavam pensando em vender, mas estavam esperando por uma manifestação sobre o relatório para que eles
pudessem vender mais. O relatório convenceu-os de que não conseguiriam essa recuperação, logo após o relatório, e eles continuaram
a vender todos os dias.

A barra 18 foi o fim de uma onda de tendência de queda de uma consolidação estreita e provável de reverter por causa da atração
magnética de consolidações estreitas, que muitas vezes se tornam bandeiras finais.
A barra 19 foi a primeira barra de gap de média móvel em uma tendência de baixa e, portanto, uma boa venda. É um bom exemplo de
uma armadilha para vendedores que frequentemente ocorre na última hora ou duas de um dia de tendência de baixa. Foi no topo de
um forte pico de alta que quebrou acima da barra 17 topo de swing e prendeu os compradores e prendeu os vendedores do lado de
fora. Todos os picos de alta são clímaces e rompimentos, e às vezes falham e levam a reversões para baixo em vez de reversões para
cima.

No momento em que o pico estava se formando, os traders emocionais que tinham medo de estar perdendo uma grande reversão
compraram quando a segunda barra de tendência de alta se formou, quando ela rompeu acima da barra 17 topo mais alto e quando a
barra fechou em sua máxima. Vendedores fortes estavam simplesmente se afastando e deixando os compradores irem embora.

Esses vendedores sabiam que as chances eram altas de que houvesse uma tentativa de reversão de alta antes do final do
dia, e eles esperavam que uma barra forte de tendência de alta se formasse. Uma vez que eles viram, eles acreditavam que o
mercado não duraria muito tempo, então eles venderam agressivamente. Uma vez que tanto eles quanto os compradores
sabiam que os vendedores controlavam o dia, os vendedores estavam confiantes de poder novamente conduzir o mercado a
um novo fundado dia. Os compradores saíram dos seus longos porque não acreditavam que a reversão tivesse o suficiente
dos ingredientes de uma forte reversão de alta. Não houve um rompimento forte anterior da linha de tendência de baixa, e o
mercado não conseguiu manter-se acima da média móvel em qualquer ponto do dia.
FIGURA 17.12 Um pico e canal são um movimento de duas pernas.
Quando há um pico e um pullback do canal, o pico pode ser considerado como a primeira perna para cima e o canal como a
segunda. Na Figura 17.13, o gap que se abria para a barra 2 era o pico, que foi o primeiro de três subidas. Canais de alta
geralmente têm mais dois empurrões antes de serem corrigidos, e todo o padrão formava um topo de cunha nesse gráfico.
A maioria dos padrões tem múltiplas interpretações, e alguns traders baseiam seus trades em um, enquanto outros
traders confiam mais em outro. A subida para a barra 4 foi vista por alguns traders como um topo de cunha e por outros
como uma correção de duas pernas em que o gap para a barra 2 foi a primeira perna e o canal de duas pernas até à barra 4
foi a segunda perna.
Í

Cunhas e outros Pullbacks de


Três Pernas

Quando um pullback se forma em uma tendência de alta, é uma bandeira de alta, e quando ocorre em uma tendência de
baixa, é uma bandeira de baixa. É frequentemente contido entre uma linha de tendência convergente e uma linha de canal de
tendência. Quando este é o caso e é horizontal, é um triângulo, que pode se romper em qualquer direção. No entanto, quando
está caindo em uma tendência de alta ou subindo em uma tendência de baixa, ela é chamada de cunha e, como todos os
pullbacks, ela geralmente se destaca na direção da tendência. Como outros tipos de triângulos, ele tem pelo menos cinco pernas,
mas ao contrário de um triângulo típico, a segunda perna geralmente excede o ponto de swing anterior. Pode ser apenas um
padrão de cunha de três empurrões simples ou um canal após um pico. Ele também pode assumir uma forma irregular que não
se parece em nada com uma cunha, mas possui três contra-tendências, o que é necessário para se qualificar como um triângulo
ou, se estiver inclinado, um tipo de triângulo ou simplesmente uma cunha.
Um pullback de cunha é uma configuração a favor da tendência, e os traders podem entrar no primeiro sinal, assim que o
mercado reverte de novo na direção da tendência. Cunhas também podem ser padrões de reversão confiáveis, mas ao contrário
de um pullback de cunha, uma reversão de cunha é uma configuração de contra-tendência e, portanto, é melhor esperar por uma
segunda entrada. Por exemplo, a menos que o topo de uma cunha seja extremamente forte, os traders devem esperar pelo
rompimento de baixa e então avaliar sua força. Se for forte, eles poderão verificar se há uma breve configuração de pullback de
rompimento, que podem ficar vendidos. O pullback pode vir tanto de um topo mais alto como de um topo mais baixo. Se o
rompimento for fraco, os traders devem esperar que ele falhe e então procurar uma configuração de compra, para que eles
possam entrar no falso rompimento de baixa para uma retomada da tendência de alta.
Se uma reversão de cunha se forma em uma tendência de alta, a cunha é apontada para cima, ao contrário de um pullback de
cunha em uma tendência de alta, que é apontada para baixo. Um fundo de cunha em uma tendência de baixa é apontado para
baixo, diferentemente de uma bandeira de baixa em forma de cunha, que é apontada para cima. Além disso, as bandeiras em
forma de cunha geralmente são padrões menores e a maioria dura de 10 a 20 barras. Como eles são com configurações de
tendência, eles não precisam ser perfeitos, e muitos são sutis e não se parecem em nada com uma cunha ou qualquer outro tipo
de triângulo, mas têm três pullbacks. Uma reversão geralmente precisa ter pelo menos 20 barras de comprimento e ter uma
linha de canal de tendência clara para ser forte o suficiente para reverter uma tendência.
As cunhas também podem se formar em consolidações e, quando o fazem, costumam compartilhar características de
bandeiras de cunha e reversões de cunha. Se a cunha for forte e houver negociações bilaterais claras, entrar no primeiro sinal é
geralmente lucrativo. No entanto, sempre que você tiver alguma dúvida razoável, aguarde um segundo sinal. As reversões de
cunha são discutidas em detalhes no capítulo sobre reversões de tendência no livro 3.
Quando uma cunha ocorre como um pullback em uma tendência e a tendência é retomada, seu rompimento inverte a ação de
tendência contrária de volta à direção da tendência.
Lembre-se, uma cunha é geralmente o fim de uma tendência, e uma pullback é uma tendência pequena (mas é na direção oposta
da tendência maior), então faz sentido visualizar uma pullback de cunha como semelhante a uma reversão de cunha. Em geral, se
uma cunha está inclinada para cima, se é um pullback em uma tendência de baixa ou um topo em uma tendência de alta, pode ser
pensado como uma bandeira de baixa mesmo se não houvesse uma tendência anterior, já que normalmente ele vai romper para
baixo. Isso ocorre porque o comportamento de seu rompimento e a continuidade após o rompimento são indistinguíveis daqueles
de bandeiras de baixa em fortes tendências de baixa. Se estiver inclinado para baixo pode ser considerado como uma bandeira de
baixa se é uma bandeira de alta real ou no fundo de uma tendência de baixa, e geralmente resulta em um rompimento de alta.
Como é discutido mais tarde, uma baixa 3 é funcionalmente o mesmo que um topo de cunha e, na verdade, muitas vezes é uma
cunha real, e uma alta 3 deve ser negociado como um fundo de cunha.
Uma tendência forte às vezes tem durante o meio-dia um pullback de três pernas que dura algumas horas e não tem muito
momentum. Às vezes, é um padrão de pico e canal, que é um tipo comum de pullback de cunha. O canal geralmente tem linhas
paralelas em vez de uma forma de cunha, mas ainda é uma configuração confiável a favor da tendência. Não importa se você o
chama de pullback, consolidação , triângulo, bandeira, flâmula, cunha ou qualquer outra coisa, porque a forma exata é irrelevante
e todas essas variações de pullback têm o mesmo significado. O que é importante é que as armadilhas do terceiro swing contrariar
os traders em um trade ruim, porque erroneamente assumiram que a terceira perna foi o início de uma nova tendência. Isso
ocorre porque a maioria dos pullbacks termina com duas pernas e sempre que há uma terceira perna, os traders se perguntam se
a tendência se reverteu.

FIGURA 18.1 Um pico e canal são um movimento de duas pernas.

Uma tendência forte é frequentemente seguida por um pullback de três swings que tipicamente tem um baixo momentum. Na
Figura 18.1, as barras 4, 6 e 8 são os topos dos três pullbacks após a barra 3 novo fundo, e cada um foi um swing de tendência de
alta (topos e fundos mais altos). Como havia muitas barras que se sobrepunham às barras anteriores, muitas barras com sombra
e muitas têm barras de tendência, o momentum de alta era fraco. Isso fará com que os traders diminuam cada nova alta.
Havia também um triângulo em expansão (barras 1, 2, 3, 8 e 9). A configuração de entrada de compra era a barra inside depois
da barra 9, mas esta era a barra final do dia. No entanto, no dia seguinte, houve um gap para cima acima da barra de sinal (não
compre no gap; pegue uma entrada apenas se a barra de entrada abrir abaixo da barra de sinal e depois passar pelo seu stop de
compra), então não houve entrada até a barra 10 pullback de rompimento no dia seguinte.

FIGURA 18.2 Gap para cima e Bandeira de baixa em forma de Cunha

Como mostrado na Figura 18.2, as barras 9, 15 e 22 formaram uma grande bandeira de baixa e formaram a perna
intermediária de uma sequência de três empurrões no QQQQ de 5 minutos, que se desdobrou durante três dias (uma tendência
de desenvolvimento, seguida por uma recuperação de três empurrões e, em seguida, um teste da mínima da tendência de baixa).
Embora o momentum ascendente fosse bom, na verdade era menor em comparação com o tamanho da tendência anterior, cuja
mínima quase certamente seria testada. O teste do baixo ocorreu na abertura do terceiro dia. A cunha até à barra 22 era apenas
uma grande bandeira de baixa e podia ser facilmente vista como tal num gráfico de 15 ou 60 minutos.
A tentativa de reversão de cunha na barra 4 era muito pequena para levar a uma grande reversão, e os traders só poderiam
fazer um scalp dela e só depois de um fundo mais alto. No entanto, a barra 6 fundo mais alto ocorreu muito tarde no dia para
negociar.
Como o mercado entrou na grande consolidação , houve muitos pullbacks de cunha que levaram a scalp comercializável. Visto
que o mercado estava em uma consolidação , os traders poderiam entrar na reversão e eles não teriam que esperar por um
segundo sinal. No entanto, quando uma cunha é íngreme, geralmente é melhor esperar. Por exemplo, as barras 11, 13 e 15
estavam em um canal de alta razoavelmente estreito e alguns traders poderiam ter preferido esperar para vender abaixo da
máxima da barra 17 para a segunda perna esperada para baixo.
As barras 14, 16 e 18 formaram uma bandeira em forma de cunha após o forte rali para barrar 15, e os traders poderiam ter
comprado acima de barra 18. No entanto, uma vez que era a sétima barra descendente consecutiva, outros traders preferiam
esperar para compre acima da barra 20 mais baixa.

FIGURA 18.3 Gap para cima e uma bandeira de alta em forma de cunha
Como mostrado na Figura 18.3, o grande gap na Apple (AAPL) foi efetivamente uma perna de alta íngreme (um pico de alta).
Isto foi seguido por três pullbacks, o terceiro dos quais foi um fracasso (não conseguiu ir abaixo da mínima anterior). Ele pode ser
chamado de cunha por causa da simplicidade, embora não tenha uma boa forma de cunha. O espaço para cima era o pico, e o
movimento lateral para a barra 3 era o pullback que levava ao canal de alta. Esta é uma variante de um dia de retomada de
tendência, onde aqui a primeira perna de alta foi a abertura da faixa.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO


Como mostrado na Figura 18.3, os traders devem segurar parte ou todos os seus longos da entrada da barra 3, esperando aproximadamente
um movimento medido até aproximadamente a altura do pico do gap (a mínima da última barra de ontem até a máxima da máxima da
primeira barra de hoje). O movimento medido também pode ser uma perna 1 = perna 2, com a barra 3 sendo o fundo da segunda perna para
cima.
FIGURA 18.4 Bandeira de baixa em forma de cunha
Na Figura 18.4, o Lehman Brothers Holdings (LEH) teve um grande dia de reversão na barra 1, que estava em grande volume e foi
amplamente relatado como forte suporte e fundo de longo prazo.
A barra 8 foi o final de um pullback da cunha (barras 4, 6 ou 7 e 8) e de um pequeno padrão de três empurrões (barras 6, 7 e 8). Também era
uma bandeira de baixa em forma de topo duplo com a barra 2 (barra 8 era 24 centavos mais alto, mas perto o suficiente em um gráfico diário).
A barra 1 era um clímax de venda, que é um pico de baixa seguido por um pico de alta. O mercado, muitas vezes, anda de lado quando os
compradores continuam comprando e tentando gerar um canal de alta, e os vendedores continuam vendendo enquanto tentam criar um canal
de baixa. Aqui, os vendedores ganharam e os compradores tiveram que vender seus longos, aumentando a pressão de venda. A ação logo foi
negociada abaixo da enorme barra de reversão da barra, e o LEH, o terceiro maior banco de investimentos do país, saiu do mercado em poucos
meses.
A barra 1 é um exemplo de um fundo de ilha de uma barra, onde havia um gap de exaustão antes dela e um gap de desagregação depois dela.

FIGURA 18.5 Pullback de rompimento topo mais alto da bandeira de baixa em forma de cunha.
Como mostrado na Figura 18.5, houve uma correção de duas pernas até a barra 6 e a primeira perna terminou na barra
5. A barra 5 era uma cunha, mas, como é frequentemente o caso, é efetivamente duas pernas, com a segunda sendo feito de
duas pernas menores (barras 4 e 5). O movimento para a barra 1 foi um pequeno pico e as barras 2, 4 e 5 foram três
empurrões para cima em um canal. O sell-off da barra 5 foi um rompimento abaixo do canal de alta, e o pullback desse
rompimento foi o topo mais alto na barra 6.
Houve uma segunda correção de três pernas acima da barra 7. Não importa se você vê isto como um triângulo ou como
duas pernas, uma das barras 7 a 8 e a outra das barras 9 a 11 com a segunda perna sendo feita de duas pernas menores.
Correções de três pernas são comuns nas tendências e, às vezes, são apenas duas pernas, com a segunda perna com duas
pernas menores. Quando fica difícil pensar sobre isso, pare de pensar em outra coisa que não seja a tendência e a
incapacidade do mercado de ficar muito acima da média móvel. Procure por entradas de venda e não se preocupe muito em
contar as pernas, se essas ideias lhe derem uma desculpa para evitar ordens.

FIGURA 18.6 Pico e canal como bandeira de alta em forma de cunha


Às vezes, um pullback pode ser um pequeno pico e um padrão de canal, criando um sinalizador de cunha (veja a Figura 18.6).
Aqui, houve um touro subindo e, em seguida, um pequeno pico até a barra 1, que foi o primeiro empurrão para baixo, e foi
seguido por mais dois empurrões para baixo. Canais após picos geralmente terminam com três empurrões, e este tornou-se um
uma bandeira de alta em forma de cunha e um fundo mais alto no dia. Houve um segundo empurrão para cima a partir da barra
3, e foi aproximadamente do mesmo tamanho que a recuperação de baixa da abertura (um movimento medido na perna 1 =
perna 2).
Não fique muito ansioso para comprar a alta 2 após a segunda perna, quando tanto o primeiro quanto o segundo empurrão para
baixo têm um forte momentum. Um primeiro pico forte para baixo significa que você deve permitir uma possível correção de
cunha. Aguarde um pullback do rompimento acima da barra de sinal alta 2 (aqui, a reversão de duas barras na barra 2). Essa
configuração de segunda entrada pode ser um fundo mais alto ou, como era aqui, um fundo mais baixo, que formava uma
bandeira de alta em cunha.
Como em todos os padrões de pico e canal, o alvo mínimo é o início do canal, que era a barra de continuidade 1, e havia espaço
suficiente para pelo menos um longo scalp. O mercado superou o alvo mínimo e testou a máxima da recuperação de abertura,
onde formou uma grande bandeira de baixa em forma de topo duplo, o que levou a uma tendência de baixa no fechamento.

FIGURA 18.7 Bandeiras em forma de cunha

Os pullbacks de três empurrões geralmente configuram entradas confiáveis a favor da tendência (consulte a Figura 18.7).
Barra 1 foi uma baixa 2, e tornou-se o primeiro de três empurrões em uma recuperação de baixa. Não importa que a barra
2 esteja abaixo da barra que levou à barra 1 para cima, e de fato esta é uma ocorrência comum quando a bandeira final
evolui para um padrão maior. Aqui, esse padrão maior foi uma recuperação de três empurrões que terminou em uma
primeira barra de gap média móvel na barra 5. Também foi uma pequena tendência de pico e canal de alta onde o
movimento para a barra 3 foi o pico e a recuperação de barra 4 a barra 5 era o canal. Um pequeno pico e canal é
geralmente uma recuperação de duas pernas, e desde que ele seguiu a barra 1 para cima, essas duas pernas foram a
segunda e terceira pernas de uma bandeira de baixa em forma de cunha.
O gap para baixo na abertura era um pico de baixa, e o movimento para baixo para a barra 2 era o canal. A barra 5 testou
o topo do canal e formou um topo duplo com ele.
As barras 7 a 9 formaram um pullback de três empurrões que era um canal estreito ligeiramente ascendente que parou na
média móvel.

Em geral, apenas os traders mais experientes devem considerar a colocação de negociações em consolidações restritas,
porque elas são difíceis de interpretar e diminuem as chances de qualquer negociação bem-sucedida.
A barra 9 formou uma bandeira dupla com a quarta barra antes da barra 6, que foi o começo de um canal de baixa depois
de um pico de baixa.

FIGURA 18.8 Padrões de três empurrões

Existem vários pullbacks de cunha no gráfico Emini de 5 minutos apresentado na Figura 18.8. Os três empurrões para baixo nas
barras 2, 4 e 10 criaram um padrão típico de reversão de cunha, mas como era uma grande correção em uma tendência de alta que
chegava ao topo da barra 1, era um pullback da cunha. O pullback durou tempo suficiente para constituir uma pequena tendência
de baixa, mas essa tendência foi apenas um pullback em uma tendência de alta maior.
As barras 5, 7 e 9 foram empurrões para cima em um canal e formaram uma correção do movimento breve da barra 3 até a barra 4.
Você pode usar os extremos das barras ou topos ou fundos dos corpos para desenhar a barra linhas. Como as formas de pullbacks de
cunha são tão irregulares, linhas de tendência inexatas e linhas de canal de tendência são a regra e não a exceção.
As barras 12, 14 e 16 formaram três empurrões para baixo em uma correção lateral na máxima da barra 10. Os triângulos são uma
forma de padrão de três empurrões. Note que a máxima da barra 13 excedeu a máxima da barra 11. A recuperação após o primeiro
empurrão para baixo, muitas vezes excede o swing que apenas precedeu.
Uma vez que a barra 9 se tornou uma barra de reversão de baixa, você poderia ter desenhado uma linha de canal de tendência de
melhor ajuste com a máxima da barra 5, e não importa que a máxima da barra 7 estivesse acima da linha. Da mesma forma, uma
vez que o mercado formou o barra inside de alta após a barra 10 e configurou o fundo da cunha, você poderia ter conectado os fundos
das barras 2 e 10 para destacar a cunha, e é irrelevante que a barra 4 segundo empurrão para baixo estivesse abaixo da linha.
FIGURA 18.9 Bandeira de alta em forma de cunha fracassada.

Na Figura 18.9, o Emini de 5 minutos tentou formar uma bandeira em forma de cunha, mas falhou. As
barras 5, 7 e 9 foram três empurrões para baixo, configurando uma compra de bandeira de alta, mas não havia barra
de sinal confiável para percorrer a barra 9. Isso criaria um fundo duplo com o pullback após a barra 3. Em vez de
formando uma forte configuração de reversão de alta, o mercado entrou em uma pequena e estreita consolidação . O
rompimento de queda da barra 11 sinalizou a falha do fundo da cunha e configurou a possibilidade de cerca de um
movimento medido para baixo. A barra 11 tornou-se o pico de um canal de baixa prolongado até o fechamento.
Í

Linhas duelantes: Pullback de


cunha para a Linha de Tendência

Quando um pullback é contido por uma linha de canal de tendência e termina em uma linha de suporte ou resistência
de tempo maior, esse é um padrão de linhas duelantes e geralmente resulta em um trade confiável na direção da tendência
primária. É uma tendência de curto prazo (um pullback) que termina no suporte da tendência de longo prazo (em uma tendência
de alta) ou resistência (em uma tendência de baixa). Todos os pullbacks terminam em padrões de linhas duelantes, embora a
linha de suporte ou resistência nem sempre seja óbvia. Qualquer tipo de suporte ou resistência pode ser a área em que mãos
fortes entrarão e acabarão com o pullback. Sempre que os traders veem um pullback aproximando-se de uma linha de tendência,
uma linha de tendência, uma média móvel, um fundo ou topo anterior, ou qualquer outro nível de preço chave, eles devem estar
alertas para uma configuração que levará ao fim do pullback. a retomada da tendência. Quando eles veem a configuração, eles
estão em posição de fazer um grande trade. Lembre-se, a negociação está se tornando cada vez mais controlada pela matemática,
e os pullbacks terminam por um motivo. Um pullback em uma tendência de alta sempre termina em um nível de suporte, e um
pullback em uma tendência de baixa sempre termina em um nível de resistência e, portanto, todos os pullbacks são padrões de
linhas duelantes. No entanto, reservo o prazo para aqueles pullbacks em que o suporte ou resistência é visto pelo trader, de
modo que ele possa antecipar a possível retomada da tendência e colocar um trade. A forma mais confiável é quando o pullback
está em um canal e tem uma forma de cunha ou três empurrões, e a barra de sinal para o final do pullback é uma barra que
percorre a linha de tendência e reverte. Por exemplo, se houver uma tendência de alta e estiver havendo um pullback da
bandeira de alta de cunha que está terminando na linha de tendência de alta, a linha do canal de tendência abaixo da bandeira
de alta em forma de cunha está caindo e está se cruzando com a linha de tendência de alta ascendente exatamente como a o
pullback está configurando um sinal de compra. A linha de suporte poderia ser uma linha horizontal, como em um fundo
anterior, e isso poderia configurar um sinal de compra de fundo duplo quando a cunha estivesse terminando. O suporte também
pode vir na forma da média móvel. Quando isso acontecer, procure entrar na direção da tendência se houver uma configuração
adequada. Como outro exemplo, olhe para um canal de baixa para ver se há uma perna dentro do canal. Se sim, olhe para ver se
aquela perna tem três empurrões. Se a pequena recuperação estiver testando a linha de tendência de baixa, já que também está
testando a linha de tendência de canal desenhada em suas máximas, as chances são boas de que a subida terminará e o mercado
irá reverter para baixo para testar a extremidade inferior do canal. Se o mercado cair neste momento, o fará por causa do teste
simultâneo de duas linhas de resistência, embora uma esteja subindo e a outra esteja caindo, e ter dois tipos de resistência
afetando o mercado ao mesmo tempo aumenta a chance de um trade lucrativo
FIGURA 19.1 Pullback de linhas duelantes
Todos os pullbacks terminam em padrões de linhas duelantes, mesmo que o suporte de longo prazo não seja visto
prontamente. Um pullback é uma pequena tendência na direção oposta à tendência principal. Todos os pullbacks sempre
terminam por uma razão, e um pullback sempre termina em algum suporte de longo prazo, como uma linha de tendência, um
movimento medido ou um topo anterior. Na Figura 19.1, uma linha de canal de tendência de baixa traçada entre as barras 3 e 5
criou suporte para a barra 6. Todos os pontos de swing devem ser considerados ao desenhar linhas de tendência e linhas de canal
de tendência, mesmo aquelas de uma tendência anterior. A barra 3 foi um fundo de swing em uma tendência de alta, e a barra 5
foi um fundo de swing na correção de uma possível nova tendência de baixa. O movimento para a barra 6 tornou-se apenas uma
grande correção de duas pernas no mercado em alta. Havia linhas duelantes na barra 6 (uma linha de tendência de alta e uma
linha de tendência de baixa de inclinação oposta) e o mercado reverteu na interseção, como é comum. Como a descida para a
barra 6 era íngreme, era razoável esperar pela segunda entrada na barra 7 fundo mais baixo, comprando um stop em um tique
acima da sua máxima.

Uma linha de canal de tendência de baixa também poderia ter sido baseada em uma linha de tendência traçada nos dois
topos de swing que seguiram a máxima da barra 4 e ancorada na barra 5. O objetivo é observar a forma geral e escolher qualquer
linha de canal de tendência que contém a ação do preço. Então, observe como o mercado reage depois de penetrar na linha.

DISCUSSÃO MAIS PROFUNDA DESTE GRÁFICO


A barra 6 era uma bandeira de cunha na Figura 19.1. Havia também uma bandeira de baixa duplo antes da descida para a
barra 6, e uma bandeira de baixa de topo duplo depois de um topo de alta pode ser pensado como um fundo mais alto que tem
dois picos.

FIGURA 19.2 Linhas duelantes


Como mostrado na Figura 19.2, a barra 5 testou a linha de tendência de baixa e, como ocorreu, houve uma ultrapassagem
de uma linha de canal de tendência de alta menor (da barra 3 para a barra 4), resultando em um scalp de venda no padrão
de linhas duelantes. Houve uma segunda entrada na barra 6 topo mais alto nominal. Como a subida para o barra 5 era tão
forte, não é de surpreender que, depois que o mercado rompeu abaixo do canal de alta íngreme e testou a média móvel,
tivesse um pullback para o topo mais alto na barra 6. O canal não é mostrado, mas é o que seguiu o pico de alta até a barra
3.

FIGURA 19.3 Variantes das linhas duelantes

A Figura 19.3 é uma variante das linhas duelantes em que o suporte de longo prazo veio na forma de uma linha horizontal
em um fundo anterior e o resultado foi um fundo duplo. Isso levou a uma reversão do novo fundo do dia neste dia de
consolidação . A venda na abertura era um pico de baixa, e o movimento da barra 4 para a barra 6 era um canal.

DISCUSSÃO MAIS APROFUNDADA DESTE GRÁFICO

O mercado explodiu acima de uma oscilação no topo da Figura 19.3, mas a primeira barra de hoje era uma barra de
tendência de baixa e configurou uma venda de falso rompimento. Este também era um topo de triângulo em
expansão, usando a barra de 11:05 ou 11:55 PST de ontem para o primeiro empurrão de alta. Houve um pico até a
barra 4, seguido por um pullback fundo mais baixo para a barra 5, que formou uma bandeira de alta em forma de
fundo duplo com a barra 1. Isso levou a uma recuperação de três horas (o canal acima da barra 5 após o pico de alta
da barra 4) e, em seguida, um sell-off até o fechamento. Apesar de ter sido um dia de consolidação , ele aparece como
uma tendência de baixa no gráfico diário porque abriu perto da máxima e fechou perto da mínima.
Í

Padrões de reversão: Topos e


Fundos Duplos e Topos e Fundos
em Ombro-cabeça-ombro

Como as tendências estão constantemente criando padrões de reversão e todas elas falham, exceto a final, é enganoso pensar
nesses padrões comumente discutidos como padrões de reversão. É muito mais preciso pensar neles como padrões de continuação
que raramente falham, mas quando ocorrem, a falha pode levar a uma reversão. É um erro ver cada topo ou fundo como uma
grande reversão, porque se você pegar todas as entradas de contra-tendência, a maioria de seus trades será perdedora e suas
vitórias ocasionais não serão suficientes para compensar suas perdas. No entanto, se você for seletivo e procurar outras
evidências de que uma tendência possa ser revertida, essas configurações podem ser eficazes.
Todos os topos e fundos de ombro-cabeça-ombro são realmente padrões de continuação (bandeiras) porque eles são consolidações
e, como todas as faixas de negociação, eles são muito mais propensos a romper na direção da tendência e só raramente reverter a
tendência. O mesmo é verdadeiro para topos e fundos duplos. Por exemplo, se houver um topo de ombro-cabeça-ombro em um
mercado em alta, um rompimento abaixo da linha de pescoço geralmente falhará e o mercado provavelmente reverterá para cima
e terá um rompimento a favor da tendência para cima, acima do ombro direito. O padrão se torna um triângulo se for na maior
parte horizontal ou uma bandeira de alta de cunha se estiver ligeiramente inclinada para baixo. Os três empurrões para baixo
são as pernas para baixo após o ombro esquerdo, a cabeça e o ombro direito. O ombro direito é uma tentativa de formar um fundo
mais alto depois que o movimento para baixo da cabeça rompimento a linha de tendência de alta. Uma vez que o movimento para
baixo da cabeça geralmente rompe abaixo da linha de tendência de alta, o ombro direito torna-se um pullback de rompimento
topo mais baixo. Além disso, se houver um mercado de baixa que está formando uma consolidação e que a consolidação assume a
forma de uma cabeça e ombros, um rompimento abaixo da linha de pescoço é um rompimento de tendência de uma bandeira de
baixa e é susceptível de conduzir a menores preços. Da mesma forma, os fundos ombro-cabeça-ombro também são configurações a
favor da tendência. Um fundo de ombro-cabeça-ombro em uma tendência de baixa é geralmente um triângulo ou uma bandeira
de baixa em forma de cunha e deve sair para baixo, abaixo do ombro direito. Um fundo de ombro-cabeça-ombro em um mercado
de alta é uma bandeira de alta e deve romper para cima, acima da linha de pescoço.

FIGURA 20.1 SPY Cash Index mensal em uma consolidação de 12 anos.

Houve um grande topo duplo no índice mensal da Standard & Poor's (S & P), conforme mostrado na Figura 20.1. No verão de 2007,
quando o mercado testou a alta de 2000, todos os traders que haviam comprado na área da barra 1 queriam seu dinheiro de volta.
Eles haviam passado por perdas devastadoras até a barra 2. No entanto, na barra 3, eles haviam recuperado essas perdas e não
queriam arriscar outra venda. Eles saíram de suas posições e não quiseram comprar novamente até depois de um pullback
significativo. Com um grande bloco de compradores fora do mercado, os vendedores a descoberto assumiram o controle e derrubaram
o mercado. Como muitas vezes acontece, quando os traders querem comprar um pullback, o pullback é tão profundo e violento que
eles mudam de ideia, e essa falta de compra às vezes faz com que a venda acelere. A causa é obviamente muito mais complicada do
que isso porque há inúmeros participantes agindo por inúmeras razões, mas isso é um componente.
O mercado geralmente encontra apoio na área do fundo anterior. Aqui, os curtos vendidos na área da barra 2 estavam agora de
volta ao zero a zero, e sua saída levou a um salto. Neste ponto, o mercado estava em uma consolidação , que poderia durar um muito
tempo ou pouco. Uma vez que um rompimento chegou, pode ser para cima ou para baixo. A entrada padrão de um topo duplo está em
um stop de venda logo abaixo da mínima do mergulho entre os dois topos. No entanto, isso raramente é bem-sucedido porque 80% dos
rompimentos falham. Esse mergulho foi bar 2 e o rompimento abaixo de sua mínima veio seis anos depois e falhou. Com a
recuperação da barra 5, ficou claro que o topo duplo estava levando a uma consolidação e não um rompimento de baixa. Muito poucos
traders que viram isso como um grande topo duplo esperaram para vender abaixo da barra 2. A maioria teria vendido em torno da
barra 3 ou em torno da mínima da barra 4 topo mais baixo e baixa 2 que se formou sete meses depois.
Ao longo dos próximos anos, o mercado pode testar até a barra 5 após uma configuração de venda de um pullback em forma
de topo duplo, ou até mesmo um topo de ombro-cabeça-ombro, onde o ombro esquerdo está apenas ligeiramente abaixo da
cabeça. Como a maioria dos topos falha, é provável que seja seguido por uma recuperação, e todo o padrão seria uma grande
bandeira de alta em forma de cunha. Isso seria seguido por um rompimento do topo do padrão e uma um movimento medido
aproximado para cima na próxima década ou duas.
Aliás, houve alguns pequenos tops de sucesso. A menor altura que seguiu a barra 1 em forma de cunha formou um tampo
duplo com barra 1. Além disso, o segundo empurrou até a barra 3 cunha foi um topo duplo com barra 3, embora fosse um
pouco menor que a máxima da barra 3.

FIGURA 20.2 A maioria dos Ombro-cabeça-ombro’s são bandeiras de alta.

Havia múltiplos topos de ombro-cabeça-ombro no gráfico diário da Goldman Sachs (GS) mostrado na Figura 20.2 (LS = ombro
esquerdo, RS = ombro direito, H = cabeça). Formações de ombro-cabeça-ombro provavelmente custam mais dinheiro a traders
iniciantes do que qualquer outro padrão, e isso é provavelmente devido a tantos especialistas chamando-os de padrões de reversão
quando eles são quase sempre padrões de continuação. Topos de ombro-cabeça-ombro são realmente triângulos ou bandeiras de
cunha de alta e são configurações de compra confiáveis. São cunhas porque têm três empurrões para baixo, um depois do ombro
esquerdo, um segundo depois da cabeça e o terceiro depois do ombro direito. Uma vez que são consolidações horizontais em uma
tendência de alta, faz sentido que elas se comportem como qualquer outra consolidação em uma tendência de alta e levem a um
rompimento de alta. Às vezes, como todos os padrões de continuação, eles não levam a uma ruptura a favor da tendência e uma
reversão segue, e é, portanto, enganoso anexar termos como topo, fundo ou reversão a eles. Esses termos fazem com que os traders
façam o oposto do que deveriam estar fazendo e, portanto, é melhor não os usar. Quando você vê uma configuração em uma tendência
de alta, é melhor pensar nisso como uma bandeira de alta e chamá-la assim, porque então você está procurando comprar uma pausa
em uma tendência de alta, que é uma estratégia lucrativa. Você não deve chamá-lo de um topo de ombro-cabeça-ombro, pois quase
certamente não é um topo. Da mesma forma, se você vir um fundo de ombro-cabeça-ombro formando uma tendência de alta, é mais
correto chamá-lo de triângulo ou uma bandeira de baixa porque isso fará você ficar vendido, que é a melhor maneira de ganhar
dinheiro em uma tendência de baixa.
O mercado está sempre tentando reverter, e as tentativas de reversão geralmente terminam quando estão à beira de reverter a direção
sempre-ativo. Todos os topos de ombro-cabeça-ombro acima são exemplos perfeitos. Muitos romperam para baixo, mas isso não é
suficiente para os traders acreditarem que a tendência se reverteu. Os traders também querem ver a continuidade. Uma vez que os traders
experientes sabem que a maioria dos rompimentos para baixo não terá continuidade, eles olham para esses rompimentos de baixa como
ótimas oportunidades de compra. Assim como vendedores fracos excessivamente ávidos estão vendendo as barras de tendência de baixa
fortes que rompem abaixo da linha de pescoço, desencadeando a “reversão” do ombro-cabeça-ombro, os compradores fortes entram e
compram agressivamente, acreditando corretamente que a reversão de baixa provavelmente falhará e simplesmente se tornará uma
bandeira de alta.

FIGURA 20.3 Um topo de Ombro-cabeça-ombro e um fundo de bandeira de baixa


Havia fundo ombro-cabeça-ombro fracassado e um ombro-cabeça-ombro na parte superior da bandeira da Apple (AAPL), como mostrado na
Figura 20.3. O mercado estava em uma tendência da tendência de abrir o urso e tentou formar uma base de cabeça e ombros (ombro
esquerdo, cabeça, ombro direito), que, como esperado, não conseguiu reverter o mercado e evoluiu para uma bandeira de baixa maior. A
terceira subida da bandeira de baixa se tornou a cabeça de uma bandeira de baixa. A cabeça da parte superior da cabeça e dos ombros foi o
fim de uma recuperação de duas pernas que terminou em uma primeira barra de gap de média móvel às 11:15 da manhã. O mercado
tentou formar um fundo mais alto depois daquela cabeça, mas falhou e a pequena alta se transformou no ombro direito, que era um
pullback do canal até a cabeça. O rompimento levou ao teste do fundo mais baixo, o que era esperado depois de uma primeira barra de gap
média móvel em uma forte tendência de baixa.
Í

Faixas de Negociação

A definição mais ampla e útil de uma consolidação é que ela é simplesmente uma área de negociação bilateral. Pode ser tão
pequena quanto uma barra simples (uma barra doji) ou maior que todas as barras da sua tela. Pode ser na maior parte horizontal, o
que indica que os compradores e os vendedores estão em equilíbrio, ou pode estar ligeiramente inclinada. Se inclinar, os compradores
são mais agressivos. Se descer, os vendedores são mais fortes. Se inclinar demais, deve ser considerado um canal de tendência e não um
consolidação . Ele pode ter swings muito grandes com muitas barras ou pode ser muito estreito, com cada swing durando apenas uma
barra, criando um canal estreito. Quando é horizontal, as linhas que o contêm são linhas de suporte e resistência, com a linha de
suporte abaixo e a linha de resistência acima.
A consolidação a termo é geralmente aplicado a qualquer seção de um gráfico que não é tendência e é na maior parte
horizontal, mas usando a definição mais ampla é mais útil para os traders porque uma vez que você sabe que há negociação bilateral,
você pode procurar oportunidades para trade em ambas as direções. Muitos iniciantes estão ansiosos demais para procurar por
reversões e não conseguem resistir a negociá-los antes que o mercado seja suficiente para fazer a transição de uma tendência para uma
consolidação . No entanto, uma vez que há evidências suficientes de que a transição está ocorrendo, há muitas vezes alta probabilidade
de contra-tendência do scalp e até configurações de swing. A chave é esperar por evidências suficientes antes de tomá-las. Alguns
padrões geralmente não são considerados como faixas de negociação, mas, na verdade, se encaixam na definição mais ampla de
qualquer área do gráfico em que haja negociação bilateral, o que ocorre na maioria das vezes. Uma tendência tem breves picos onde há
pouca negociação bilateral, mas a maior parte da ação de preço em uma tendência tem algum trade bilateral e é, portanto, algum tipo
de consolidação .
Um pullback é uma consolidação onde os traders acreditam que a tendência será retomada em breve. Uma consolidação
tradicional é uma área em que há incerteza e a tendência pode ser retomada ou revertida, mas a maioria das tentativas de rompimento
falha. Um canal de alta em uma tendência de alta e um canal de baixa numa tendência de baixa são consolidações inclinadas, já que
ambos têm negociações bilaterais, mas os traders de tendência são mais agressivos que os traders de tendência contrária. Eles também
são a primeira perna em uma consolidação que ainda não é evidente. Por exemplo, depois que o mercado explode em uma série forte de
grandes barras de tendência de alta com apenas pequenas sombras e m