You are on page 1of 6

Acta número seis

Aos dezasseis dias do mês de Julho do ano dois mil e dez, pelas dezoito horas,

na sala dezanove da Escola Básica Integrada da Cordinha, reuniu em assembleia o

Conselho Geral do Agrupamento de Escolas da Cordinha, sob a presidência do Docente

António Martins, com a presença de todos os seus elementos, à excepção da

representante do Pessoal Docente, Maria Teresa Marques, da representante dos Pais

e Encarregados de Educação, Ana Isabel Borges, dos representantes da Autarquia,

Maria da Graça Silva e Carlos Maia, e do representante da Comunidade, João Dinis.

A reunião teve a seguinte ordem de trabalhos:

Ponto um - Informações;

Ponto dois - Análise e votação do relatório final de execução do Plano Anual de

Actividades;

Ponto três - Avaliação da execução do Projecto Educativo;

Ponto quatro- Análise dos critérios de organização dos horários;

Ponto cinco - Ponto cinco - Outros assuntos.

O Presidente do Conselho Geral deu início à reunião começando por agradecer a

presença de todos e passou à leitura da acta da reunião anterior que foi aprovada com

uma abstenção da representante do Pessoal Não Docente, Alcina Rodrigues.

No primeiro ponto da ordem de trabalhos, informações, o Presidente do

Conselho Geral começou por dar os parabéns ao Director pela realização da Expo-

Escolas, no entanto, referiu que o Chuva de Estrela, à semelhança do ano lectivo

anterior, começou mais tarde do que o previsto, o que não é bom para as pessoas que

assistem ao espectáculo com crianças de pouca idade. Também referiu que, todas as

actividades presenciadas pelos alunos, nomeadamente, as de final de ano lectivo,

deveriam ser assistidas como no teatro da Sociedade Recreativa Ervedalense, pois a

concentração de alunos permite uma menor circulação e uma maior atenção.

Continuando a sua intervenção, o Presidente deu novamente os parabéns ao Director

pela apresentação das medidas, estratégias e resultados do Projecto Turma Mais, na

1 de 6
Direcção Regional da Educação do Centro, no dia um de Julho de dois mil e dez,

ficando claro que face ao exposto e comparando com o trabalho desenvolvido pelos

outros Agrupamentos, o nosso Agrupamento preocupa-se com o sucesso dos seus

alunos e vai de encontro às suas preocupações e necessidades, nomeadamente, a

contratação de uma psicóloga. O Agrupamento também procura envolver toda a

Comunidade Educativa num trabalho comum e partilhado, onde existe sempre um

espaço de diálogo e partilha de ideias, nomeadamente, nas reuniões com os Pais e

Encarregados de Educação. Uma vez que existem representantes dos Pais e

Encarregados de Educação no Conselho Geral, o Presidente reconheceu que, nos

últimos anos, a sua presença e intervenção na vida do Agrupamento tem vindo a

crescer, no entanto, também está convicto que poderá ser ainda maior e melhor,

lançando um desafio aos representantes dos Pais e Encarregados de Educação no

sentido de motivar os seus pares para um trabalho cada vez mais activo, interventivo

e construtivo na vida do Agrupamento. Também referiu que, à semelhança da reunião

anterior, o representante da Comunidade, João Dinis, solicitou uma auscultação prévia

sobre as datas das futuras reuniões, uma vez que por motivos profissionais não pode

estar presente. O Presidente do Conselho Geral pediu desculpas por só recentemente

ter respondido ao correio electrónico do representante da Comunidade, mas o final de

ano lectivo é sempre um período de intenso trabalho. No entanto, e procurando

ultrapassar esta situação, sugeriu a elaboração de um calendário de reuniões na

primeira reunião do Conselho Geral do próximo ano lectivo. Esta sugestão foi aceite

por unanimidade. Finalmente, deu a palavra ao Director do Agrupamento, Carlos

Carvalheira de Almeida, para transmitir aos presentes informações relativas à vida do

Agrupamento.

O Director começou por saudar a presença de todos e agradecer os parabéns,

referindo que os recebe em nome do Agrupamento. Também referiu que está

satisfeito com os resultados escolares dos alunos, uma vez que as taxas de transição

são boas e as taxas de sucesso nas provas de aferição e nos exames nacionais do

ensino básico estão acima das nacionais. Em termos de funcionamento, não há

2 de 6
problemas no Agrupamento. Todos os projectos estão a decorrer segundo o previsto e

apresentam resultados positivos. No próximo ano lectivo, o Agrupamento vai começar

com quatro jardins-de-infância. A Escola do Primeiro Ciclo do Ensino Básico de Seixas

vai funcionar por mais um ano, furto da insistência do Presidente da Câmara de

Oliveira do Hospital, Carlos Mendes, junto do Ministério da Educação. O Primeiro Ciclo

também vai funcionar na Escola do Primeiro Ciclo do Ensino Básico de Vila Franca da

Beira e na Escola-Sede do Agrupamento. Ainda nesta última escola vão funcionar as

turmas do quinto, sexto, sétimo, oitavo e nono anos, bem como um Curso de Educação

e Formação de Electricista de Instalações. Relativamente à constituição de Mega-

Agrupamento(s) no Concelho de Oliveira do Hospital, vão decorrer reuniões no

próximo ano lectivo a fim de se operacionalizar a constituição do(s) mesmo(s), ficando

para já tudo como está. Por fim, o Director referiu que todo o Agrupamento vai

continuar a trabalhar para que haja cada vez mais sucesso escolar.

No segundo ponto da ordem de trabalhos, análise e votação do relatório final

de execução do Plano Anual de Actividades, o Presidente do Conselho Geral começou

por recordar a importância deste órgão e as suas competências, nomeadamente, a

aprovação e fiscalização da execução de todos os documentos orientadores do

Agrupamento. De seguida, deu a palavra ao Director do Agrupamento.

O Director apresentou o relatório final de execução do Plano Anual de

Actividades, tendo referido que o documento reflecte a dinâmica do trabalho

desenvolvido no Agrupamento e que compila os relatórios que vão sendo elaborados

pelos departamentos responsáveis pela realização das actividades. Também agradeceu

a presença de todos e o seu envolvimento na actividade “Expo-Escolas”. Ainda sobre as

actividades, pediu uma apreciação das mesmas aos presentes.

A representante dos Pais e Encarregados de Educação, Aurora Gomes, destacou

a visita de estudo a Lisboa, a actividade “Expo-Escolas” e a importância das reuniões

com os pais e encarregados de educação.

A representante dos Pais e Encarregados de Educação, Maria de Fátima

Figueiredo, considerou as actividades interessantes e pertinentes. No entanto,

3 de 6
referiu que o número de Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC) deveria ser

revisto, pois são muitas actividades. O Director informou que relativamente a esta

última situação, ela foi analisada em reunião de Conselho Pedagógico e será

comunicada à Câmara Municipal no sentido de sofrer uma reformulação, pois as

actividades são complementares e não são mais importantes que as actividades de

avaliação.

A representante dos Pais e Encarregados de Educação, Maria do Carmo Silva,

referiu que as actividades foram boas para os alunos. No entanto, no final do ano

lectivo, a oferta de actividades foi grande, o que dificultou a vida aos pais e

encarregados de educação dos alunos que aderirem a todas. Também questionou a não

atribuição de prémios ao Pré-Escolar na actividade “Chuva de Estrelas”. O Director

respondeu que não é benéfico haver distinção nestas idades.

A representante da Comunidade, Paula Mendonça, referiu que a Câmara

Municipal deveria ter em atenção quem coloca nas AEC, pois o docente de Inglês

faltou nas últimas semanas e a sua instituição (Centro Social e Paroquial de Seixo da

Beira) teve que assumir os alunos nas suas actividades de tempos livres, incluindo

aqueles que não podiam ficar com ninguém. Há boa vontade, mas não podem fazer tudo.

Relativamente ao grupo de alunos do Curso de Educação e Formação de Assistente

Familiar e de Apoio à Comunidade, os dois últimos anos foram difíceis, pois o grupo

apresentou características próprias o que acarretou um grande investimento por

parte dos funcionários do Lar de Terceira Idade de Ervedal da Beira. Ainda na sua

intervenção, alertou que o Jardim-de-Infância do Centro Social e Paroquial de Seixo

da Beira também faz parte da vida do Agrupamento, sendo assim cinco jardins-de-

infância. Por fim, referiu que apenas dois alunos do Jardim-de-Infância do Centro

Social e Paroquial de Seixo da Beira participaram na actividade “Chuva de Estrelas”.

Os alunos não tiveram ensaios e os microfones estavam desligados aquando da sua

actuação. Tal situação é muito desagradável e gostaria que não se repetisse. O

Director informou que vai averiguar o sucedido e implementar medidas e estratégias

para que tal situação não se volte a repetir.

4 de 6
A representante do Pessoal Docente, Rosa Dinis, destacou a presença das

famílias dos alunos do Pré-Escolar na actividade “Chuva de Estrelas”, referindo que

por vezes não é fácil trabalhar nas melhores condições, mas as crianças ficam

contentes por participar e os pais orgulhosos.

O Presidente do Conselho Geral questionou o Director sobre a realização e

concretização de todas as actividades previstas no plano. Este último respondeu que

todas as actividades foram realizadas, à excepção das que não se realizaram por

motivos exteriores ao Agrupamento.

Por fim, o relatório teve uma apreciação positiva e foi aprovado por

unanimidade.

No terceiro ponto da ordem de trabalhos, avaliação da execução do Projecto

Educativo, o Presidente do Conselho Geral recordou a importância das tomadas de

decisão, apreciações e avaliações deste órgão e deu a palavra ao Director.

O Director informou que o Projecto Educativo é válido por quatro anos, sendo

constantemente analisado pelos Conselhos de Docentes, Departamentos e Conselho

Pedagógico. Recentemente, o Conselho Pedagógico preencheu uma grelha de avaliação

do Projecto Educativo. A grelha estará brevemente disponível em suporte informático.

A representante do Pessoal Docente, Rosa Dinis, referiu que a execução de

alguns objectivos está visível, nomeadamente, as taxas de transição, a taxa de

abandono escolar nula e o relacionamento com a Comunidade Educativa, pelo que é

possível atribuir desde já um parecer positivo à execução global do Projecto

Educativo.

O Presidente do Conselho Geral referiu que nem todas as taxas de sucesso

previstas no Projecto Educativo foram atingidas, por isso questionou o Director sobre

a definição de medidas e estratégias a implementar no sentido de alcançar essas

taxas. O Director respondeu que as medidas e estratégias já foram definidas em

reunião de Conselho Pedagógico.

Por fim, a execução global do Projecto Educativo foi considerada positiva e

aprovada por unanimidade.

5 de 6
No quarto ponto da ordem de trabalhos, análise dos critérios de organização

dos horários, o Presidente do Conselho Geral informou que de acordo com o Decreto-

Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, artigo 13.º, ponto 1, alínea m), compete ao Conselho

Geral pronunciar-se sobre os critérios de organização dos horários. De seguida, deu a

palavra ao Director.

O Director apresentou um documento que foi aprovado em Conselho Pedagógico,

de acordo com o Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, artigo 33.º, alínea l).

O documento teve uma apreciação positiva.

No quinto ponto da ordem de trabalhos, outros assuntos, o Presidente do

Conselho Geral desejou a todos umas boas férias e um merecido descanso, fazendo

votos que o próximo ano lectivo seja um ano de excelência.

O Director agradeceu a todos o trabalho desenvolvido.

Nada mais havendo a tratar, deu-se por encerrada a reunião, da qual se lavrou a

presente acta que, depois de lida e aprovada, será assinada pelo respectivo presidente

e por mim que a secretariei.

O Presidente do Conselho Geral, A Secretária,

____________________ ____________________

6 de 6