Вы находитесь на странице: 1из 30

Resolução nº 557, de 30.6.

1997 – O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE

TRE - MG MINAS GERAIS, no exercício que lhe é


atribuído pelo art. 96, inciso I, letra "a"
REGIMENTO INTERNO
da Constituição da República
ALTERAÇÕES:
Federativa do Brasil, e pelo art. 30, I,
Resolução nº 609, de 09.7.2002 - TREMG -
da Lei nº 4.737, de 15 de julho de
Altera o art. 62 do Regimento Interno.
Resolução nº 615, de 05.8.2002 - TREMG - 1965 (Código Eleitoral), resolve
Dá nova redação ao art. 3º e parágrafos e
ao parágrafo único do art. 5º; e revoga os
aprovar o seguinte
parágrafos 4º e 5º do art. 3º e o parágrafo
1º do art. 4º do Regimento Interno.
Resolução nº 616, de 07.8.2002 - TREMG -
Altera o artigo 51 do Regimento Interno. R E G I M E N T O I N T E R N O:
Resolução nº 620 de 23.8.2002 - TREMG -
Altera o inciso VI do art. 8º e o inciso I do
art. 22 do Regimento Interno.
Resolução nº 621, de 04.9.2002 - TREMG -
Altera os arts. 25, 116 e o inciso XIII do TÍTULO I
art.48 do Regimento Interno.
ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIAS
Resolução nº 622, de 30.9.2002 - TREMG -
CAPÍTULO I
Altera o art. 50, o caput do art. 51 e seu §
DA ORGANIZAÇÃO DO TRIBUNAL
7º, o art. 52 e o art. 53 e suprime o
parágrafo único do art. 52 do Regimento
Art. 1º - O Tribunal Regional Eleitoral de
Interno.
Minas Gerais - TRE-MG, com sede na
Capital e jurisdição em todo o Estado, será
O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE
composto conforme dispõe a Constituição
MINAS GERAIS, no uso de suas atribuições
Federal.
e examinando os autos de Feitos Diversos nº
70/96 Art. 2º - O Tribunal Regional Eleitoral elegerá,
mediante votação secreta, seu Presidente e
RESOLVE seu Vice-Presidente, dentre os
Desembargadores. Caberá ao Vice-
Aprovar o seu Regimento Interno.
Presidente o exercício cumulativo da
Corregedoria Regional Eleitoral.

§ 1º - Havendo empate na votação,


REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL considerar-se-á eleito o Desembargador mais
REGIONAL ELEITORAL DE MINAS antigo no Tribunal de Justiça e, se igual a
GERAIS antigüidade, o mais idoso.
§ 2º - Vagando o cargo de Presidente, revogado pela Res. 615, de 05 de agosto
assumirá o Vice-Presidente, até que se de 2002 - TRE/MG)
processe a eleição. Art. 4º - A posse dos Juízes efetivos dar-se-á
Art. 3º - Os Juízes efetivos do Tribunal perante o Tribunal e a dos substitutos,
servirão obrigatoriamente por 02 (dois) anos. perante a Presidência, lavrando-se o termo
(Caput com redação alterada pela Res. respectivo. Em ambos os casos, o prazo para
615, de 05 agosto de 2002 - TRE/MG) a posse é de 30 (trinta) dias, contados da

§ 1º - Compete ao Tribunal a apreciação da publicação oficial da escolha ou da

justa causa para dispensa da função eleitoral nomeação.

antes do término do biênio. (Parágrafo com § 1º - Quando a recondução se operar antes


redação alterada pela Res. 615, de 05 de do término do 1º biênio, não haverá
agosto de 2002 - TRE/MG) necessidade de nova posse, que será

§ 2º - Perderá automaticamente a função exigida, apenas, se houver interrupção do

eleitoral o membro do Tribunal que completar exercício. Naquela hipótese, será suficiente a

70 (setenta) anos, assim como o magistrado anotação de investidura inicial no termo

que se aposentar. (Parágrafo com redação respectivo. (Parágrafo revogado pela Res.

alterada pela Res. 615, de 05 de agosto de 615, de 05 de agosto de 2002 - TRE/MG)

2002 - TRE/MG) § 1º - O prazo para a posse poderá ser

§ 3º - Trinta dias antes do término do biênio, prorrogado pelo Tribunal por 30 (trinta) dias,

quando se tratar de magistrado, ou noventa no máximo, desde que o requeira o Juiz a

dias antes, no caso de juristas, ou ser compromissado.(Parágrafo renumerado

imediatamente após a verificação da vaga, o pela Res. 615, de 05 de agosto de 2002 -

Presidente comunicará o fato ao Tribunal TRE/MG)

competente para a respectiva eleição. § 2º - Os Juízes efetivos e substitutos


(Parágrafo com redação alterada pela Res. prestarão o seguinte compromisso:
615, de 05 de agosto de 2002 - TRE/MG) "PROMETO DESEMPENHAR LEAL
§ 4º - No caso de recondução para o E HONRADAMENTE OS DEVERES
segundo biênio, observar-se-ão as mesmas
DO MEU CARGO, CUMPRINDO E
formalidades indispensáveis à primeira
FAZENDO CUMPRIR A
investidura. (Parágrafo revogado pela Res.
615, de 05 de agosto de 2002 - TRE/MG) CONSTITUIÇÃO E AS LEIS."
(Parágrafo renumerado pela Res. 615, de
§ 5º - Para os efeitos deste artigo,
05 de agosto de 2002 - TRE/MG)
consideram-se também consecutivos dois
biênios, quando entre eles tenha havido Art. 5º - As incompatibilidades dos membros

interrupção inferior a dois anos. (Parágrafo do Tribunal são as previstas na Constituição


da República e na legislação eleitoral VIII - determinar a renovação de eleições, no
vigente. prazo legal, e apurá-las, em conformidade

Parágrafo único - Nenhum Juiz poderá voltar com a legislação eleitoral vigente;

a integrar o Tribunal na mesma classe ou em IX - constituir a Comissão Apuradora das


classe diversa, salvo se transcorrerem 2 eleições;
(dois) anos do término do biênio, podendo, X - processar e julgar, originariamente, além
entretanto, o substituto vir a integrar o dos casos previstos em lei:
Tribunal como efetivo, sem que esta
a) os pedidos de habeas data e mandados
investidura seja limitada pela sua condição
de injunção, nos casos previstos na
anterior.(Parágrafo com redação alterada
Constituição, quando versarem sobre matéria
pela Res. 615, de 05 de agosto de 2002 -
eleitoral;
TRE/MG)
b) as investigações judiciais previstas na Lei
Art. 6º - Ao Tribunal cabe o tratamento de
Complementar nº 64, de 18.5.90, ressalvada
"egrégio", dando-se a seus membros e ao
a competência da Justiça Eleitoral de 1ª
Procurador Regional o de "Excelência".
instância e a do Tribunal Superior Eleitoral;
CAPÍTULO II
c) os pedidos de mandado de segurança
DA COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL contra atos, decisões e despachos do
Presidente, do Corregedor Regional Eleitoral,
Art. 7º - Compete ao Tribunal, além de outras
do Procurador Regional Eleitoral e dos
atribuições que lhe forem conferidas por lei:
Relatores de processos em curso no
I - deferir o compromisso de seus membros Tribunal, em matéria administrativa ou
efetivos e empossá-los; eleitoral;
II - fixar dia e hora das sessões ordinárias; d) os crimes eleitorais cometidos por
III - consultar o Tribunal Superior Eleitoral autoridades sujeitas originariamente à
sobre matéria eleitoral de alcance nacional; jurisdição do Tribunal de Justiça;

IV - expedir instruções às autoridades que XI - aprovar o nome de examinador de


lhe estão subordinadas, para o exato concurso para provimento de vagas e baixar
cumprimento das normas eleitorais; as respectivas instruções;

V - nomear Junta Especial para proceder à XII - baixar resoluções necessárias à


apuração de urnas de Seções anuladas ou regularidade dos serviços eleitorais;
impugnadas, nos casos previstos em lei; XIII - praticar atos relativos à matéria cujo
VI - assegurar o exercício da propaganda conteúdo reclame urgência, observada a
eleitoral, nos termos da lei; legislação pertinente;

VII - suscitar conflitos de competência ou de XIV - exercer outras atribuições decorrentes


atribuições; de lei e deste Regimento.
CAPÍTULO III XIII - representar o Tribunal nas solenidades

DA COMPETÊNCIA DO PRESIDENTE e nos atos oficiais, bem como junto às


autoridades constituídas ou órgãos federais,
Art. 8º - Compete ao Presidente do Tribunal: estaduais e municipais, podendo delegar

I - dirigir os trabalhos do Tribunal, presidir às essas atribuições;

sessões, propor e encaminhar as questões a XIV - superintender os serviços da Secretaria


serem resolvidas, apurar o vencido e do Tribunal;
proclamar o resultado; XV - expedir atos e portarias para execução
II - proferir o voto de qualidade; de decisões e ordens que não dependam de

III - funcionar como Relator na exceção de decisão do Tribunal;

incompetência e suspeição argüidas perante XVI - determinar a publicação dos trabalhos,


este Tribunal; atos e decisões do Tribunal;

IV - convocar sessão extraordinária; XVII - admitir recurso interposto de decisão

V - manter a ordem na sessão, mandando do Tribunal e encaminhá-lo, sendo o caso, ao

retirar os assistentes que a perturbarem; Tribunal Superior Eleitoral;

VI - assinar, juntamente com o Relator, as XVIII - empossar os membros substitutos do

resoluções e os acórdãos do Tribunal; Tribunal;

(Inciso com redação alterada pela XIX - comunicar ao Tribunal de Justiça de


Resolução nº 620, de 23 de agosto de 2002 Minas Gerais o afastamento concedido aos
- TRE/MG) Juízes Eleitorais e, sendo o caso, aos

VII - cumprir e fazer cumprir as deliberações membros do Tribunal;

do Tribunal; XX - impor pena disciplinar, observado o

VIII - assinar a ata da sessão, depois de disposto no Regulamento da Secretaria do

aprovada; Tribunal, quando ela exceder a competência


do Diretor-Geral;
IX - convocar os membros substitutos, nos
casos previstos neste Regimento; XXI - conhecer, em grau de recurso, de
decisão administrativa do Diretor-Geral;
X - determinar a anotação de Comissões
Provisórias, Diretórios Regionais e XXII - abrir, rubricar e encerrar os livros da

Municipais e delegados de partidos políticos, Secretaria, quando a lei o exigir, podendo

bem como as suas alterações, com a devida delegar essa competência a um Diretor de

comunicação aos Juízes Eleitorais; Secretaria;

XI - distribuir os processos aos membros do XXIII - aplicar penalidades a fornecedores de

Tribunal; material e executantes de serviços ou obras,


nos casos previstos nos contratos
XII - justificar as faltas dos membros do
administrativos e na lei;
Tribunal;
XXIV - corresponder-se, em nome do XXXVI - delegar, temporariamente, o
Tribunal, com outros Poderes e autoridades; exercício de atribuições que não lhe sejam

XXV - atender a pedido de entrega ou de privativas por disposição legal;

substituição de documentos, quando não XXXVII - baixar atos para execução do


houver proibição legal; Regulamento da Secretaria do Tribunal;

XXVI - mandar publicar e comunicar, no XXXVIII - designar, mediante solicitação do


prazo legal, os nomes dos candidatos Corregedor Regional Eleitoral, servidores
registrados originariamente neste Tribunal; para seu gabinete, bem como

XXVII - assinar os diplomas dos eleitos para assessoramento para os Juízes da Corte,

cargos federais e estaduais; quando se observar acúmulo do serviço


eleitoral;
XXVIII - prover cargo e função de confiança
do quadro permanente da Secretaria, XXXIX - designar servidor para chefia de

conceder exoneração bem como melhoria Cartório do interior, podendo submeter a

funcional; matéria à Corte;

XXIX - assinar atos de nomeação, demissão XL - nomear os membros das Juntas

e aposentadoria; Eleitorais, depois de aprovação do Tribunal;

XXX - submeter ao Tribunal a requisição de XLI - designar os servidores que servirão em

servidor público, quando o exigir o serviço; seu gabinete;

XXXI - nomear examinador de concurso para XLII - conceder aposentadoria, salário-

provimento de vagas, após aprovação do família, diária, gratificação, benefício, e

Tribunal; demitir servidor;

XXXII - autorizar servidor a afastar-se do XLIII - conceder pensão a beneficiário de ex-

país, nos casos previstos em lei; servidor;

XXXIII - aprovar e encaminhar ao Tribunal XLIV - autorizar averbação de tempo de

Superior Eleitoral a proposta orçamentária e serviço de servidor;

solicitar abertura de créditos; XLV - dar posse a servidor nomeado para o

XXXIV - aprovar os contratos que devam ser exercício de cargo de Direção e

celebrados com o Tribunal, podendo Assessoramento Superior da Secretaria do

designar servidor para firmar os respectivos Tribunal;

instrumentos; XLVI - desempenhar as demais atribuições

XXXV - exercer todas as atribuições que lhe forem conferidas por lei.

cometidas ao ordenador de despesas Art. 9º - O Presidente terá direito à


orçamentárias; gratificação prevista no art. 1º da Lei nº
8.350, de 28.12.91, se deixar de comparecer
a sessões de julgamento, em virtude de estar
desenvolvendo, no mesmo horário, atividade VI - propor ao Tribunal a destituição de
especificamente ligada ao exercício de suas Escrivão Eleitoral bem como a dispensa de
funções neste Tribunal ou atividade servidor requisitado para Cartório em caso de
jurisdicional que lhe é própria. falta grave;

VII - orientar os Juízes Eleitorais no que se


CAPÍTULO IV
refere à regularidade dos serviços, nos
DA COMPETÊNCIA respectivos Juízos e Cartórios;
DO VICE-PRESIDENTE E CORREGEDOR VIII - manter na devida ordem a Secretaria da
REGIONAL ELEITORAL Corregedoria e exercer a fiscalização de
seus serviços;
Art. 10 - Compete ao Vice-Presidente:
IX - proceder à correição que se impuser nos
I - substituir o Presidente nos seus
autos que lhe forem afetos ou nas
impedimentos e faltas ocasionais e exercer
reclamações, a fim de determinar a
as funções de Corregedor Regional Eleitoral;
providência cabível;
II - assumir a Presidência do Tribunal, em
X - comunicar ao Presidente do Tribunal a
caso de vaga, até a posse do novo titular.
sua ausência, quando se locomover, em
Art. 11 - O Corregedor Regional Eleitoral terá correição, para qualquer Zona Eleitoral fora
jurisdição em todo o Estado, cabendo-lhe a da Capital;
inspeção e a correição dos serviços das
XI - convocar à sua presença o Juiz Eleitoral
Zonas Eleitorais.
que deva, pessoalmente, prestar informações
Art. 12 - Ao Corregedor incumbe ainda: de interesse para a Justiça Eleitoral ou

I - conhecer das reclamações apresentadas indispensáveis à solução de caso concreto;

contra os Juízes Eleitorais, submetendo-as XII - verificar, quando em correição em Zona


ao Tribunal, com o resultado das sindicâncias Eleitoral, a organização do Cartório
a que proceder; respectivo, exigindo que lhe sejam exibidos

II - velar pela fiel execução das leis e livros, fichários e arquivos, e fiscalizando o

instruções e pela boa ordem e celeridade dos cumprimento das prescrições impostas pelo

serviços eleitorais; Regimento de Juízos e Cartórios;

III - receber e mandar processar reclamações XIII - presidir a inquérito contra Juiz Eleitoral

contra Escrivães Eleitorais, submetendo-as e instaurar procedimentos para apurar sua

ao Tribunal para julgamento; responsabilidade;

IV - verificar se as denúncias já oferecidas XIV - relatar processos crímino-eleitorais

têm curso normal; instaurados contra Juiz Eleitoral e presidir à


respectiva instrução;
V - comunicar ao Tribunal a falta grave ou
procedimento que não lhe couber corrigir;
XV - delegar a Juiz Eleitoral a prática de atos § 1º - O Escrivão ad hoc servirá
necessários à instrução da investigação independentemente de novo compromisso do
judicial prevista na Lei Complementar nº 64, seu cargo, sendo seu serviço considerado
de 1990; múnus público.

XVI - criar e manter atualizado arquivo das § 2º - Se a correição for na Capital, servirá
decisões condenatórias de crimes eleitorais, como Escrivão um servidor do gabinete da
transitadas em julgado, na circunscrição de Corregedoria.
Minas Gerais. Art. 17 - No mês de dezembro de cada ano, o
Art. 13 - Nas diligências que realizar, o Corregedor apresentará ao Tribunal o
Corregedor poderá solicitar o relatório de suas atividades durante o ano,
comparecimento do Procurador Regional fazendo-o acompanhar de elementos
Eleitoral ou do membro do Ministério Público elucidativos e oferecendo sugestões que
designado. devam ser examinadas no interesse da

Art. 14 - O Corregedor, quando em correição Justiça Eleitoral.

fora da sede, terá direito à percepção de Art. 18 - No prazo de 90 ( noventa ) dias,


diária, aplicando-se-lhe, ainda, o disposto no antes e depois de cada eleição, o Corregedor
art. 9º deste Regimento. poderá requisitar ao Presidente do Tribunal

§ 1º - Conforme a natureza dos trabalhos, o de Justiça um magistrado para auxiliá-lo em

Corregedor poderá requisitar ao Presidente suas funções na Justiça Eleitoral.

do Tribunal servidor da Secretaria para Art. 19 - A Corregedoria funcionará em


acompanhá-lo na diligência. dependência do Tribunal, suprida do que for

§ 2º - A fim de locomover-se, o Corregedor indispensável ao seu pleno funcionamento,

requisitará, com antecedência, ao Presidente providenciando o Presidente para que lhe

do Tribunal a quantia necessária às seja fornecido material adequado e exigido

despesas que irá efetuar. pelas suas funções.

Art. 15 - Caberá ao Corregedor indicar ao CAPÍTULO V

Presidente os servidores que exercerão DO MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL


função de confiança em seu gabinete.
Art. 20 - As funções do Ministério Público
Art. 16 - Quando em correição, em qualquer
Eleitoral serão exercidas no Tribunal pelo
Zona Eleitoral fora da Capital, o Corregedor
Procurador Regional Eleitoral, designado
designará Escrivão, dentre os serventuários
pelo Procurador-Geral da República, para um
de Justiça, ou, inexistindo estes, de
mandato de dois anos, na forma da lei.
preferência, dentre servidores públicos
federais idôneos e sem vínculo político- Parágrafo único - O Procurador Regional

partidário. Eleitoral poderá ser reconduzido uma vez.


Art. 21 - Nas faltas ou nos impedimentos do acolhendo solicitação de qualquer Juiz ou por
Procurador Regional Eleitoral, funcionará seu sua iniciativa, quando entender existente
substituto legal. interesse em causa que justifique a

Art. 22 - Compete ao Procurador Regional intervenção;

Eleitoral: VIII - defender a jurisdição do Tribunal,

I - assistir às sessões do Tribunal, tomar dirigindo no Estado as atividades eleitorais;

parte das discussões e assinar resoluções; IX - velar pela boa execução das leis,
(Inciso com redação alterada pela decretos e resoluções eleitorais;
Resolução nº 620, de 23 de agosto de 2002 X - requisitar informações, exames, perícias
- TRE/MG) e documentos de autoridades da
II - representar ao Tribunal sobre o que administração pública direta ou indireta para
entender necessário à fiel observância da lei instruir os processos eleitorais;
eleitoral e, especialmente, à sua aplicação XI - requisitar informações e documentos a
uniforme em toda a circunscrição; entidades privadas para instrução de
III - propor, perante o Juízo competente, as processos eleitorais;
ações que declarem ou decretem nulidade de XII - impetrar habeas corpus e mandado de
negócios jurídicos ou atos da administração segurança em matéria eleitoral;
pública que tenham infringido vedações
XIII - pedir preferência para julgamento de
legais destinadas a proteger a normalidade e
processo em pauta;
a legitimidade das eleições, bem como
representar à Justiça Eleitoral contra a XIV - designar o Promotor Eleitoral a ser

influência do poder econômico ou contra o indicado pelo Chefe do Ministério Público

abuso do poder político ou administrativo; local para oficiar perante a Zona Eleitoral que
não possua Promotor local ou, caso o
IV - promover a ação penal nos crimes
possua, quando houver impedimento ou
eleitorais, podendo requisitar diligências
recusa justificada deste;
investigatórias e instauração de inquérito
policial, acompanhando-os até o final, em XV - expedir instruções aos Promotores

todos os casos de competência originária do Públicos investidos nas funções de

Tribunal, e apresentar provas; representantes do Ministério Público


Eleitoral;
V - propor a ação cabível para a perda ou
suspensão de direitos políticos, nos casos XVI - assistir, pessoalmente, ou por Promotor

previstos na Constituição Federal; previamente designado, ao exame, no


Tribunal, de urna dita violada e opinar sobre
VI - oficiar em todos os recursos
o parecer dos peritos;
encaminhados ao Tribunal;
XVII - ter acesso incondicional às
VII - manifestar-se em qualquer fase dos
informações constantes nos cadastros
processos submetidos ao Tribunal,
eleitorais, em meio magnético, se necessário Judiciária, à qual competirá, também, o
ao fiel cumprimento de suas atribuições; cumprimento de todos os atos processuais

XVIII - impugnar pedido de registro de relativos à tramitação do feito, bem como o

candidato no prazo e na forma da lei; controle de seu andamento, exceto as


consultas de Juízes Eleitorais, as
XIX - recorrer das decisões do Tribunal, nos
sindicâncias para apurar irregularidades
casos admitidos em lei;
funcionais e procedimentos outros de estrita
XX - fiscalizar a execução da pena nos competência administrativa do Corregedor
processos de competência da Justiça Regional Eleitoral, que terão curso na
Eleitoral; Secretaria da Corregedoria.
XXI - acompanhar o Corregedor Regional Art. 24 - A distribuição será feita em
Eleitoral ou designar membro do Ministério audiência pública diária presidida pelo
Público para fazê-lo, quando solicitado, em Presidente e, na sua ausência, perante o
diligência; Vice-Presidente.
XXII - exercer outras funções e atribuições § 1º - No trabalho de distribuição, o
que lhe forem conferidas por lei. Presidente será auxiliado pelo Chefe da
Seção de Controle e Autuação de Processos
TÍTULO II
ou por servidor designado.
DA ORDEM DO SERVIÇO NO TRIBUNAL
§ 2º - A distribuição diária será realizada em
CAPÍTULO I
horário fixado pelo Presidente com ciência
DA AUTUAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO dos interessados mediante publicação no
"Diário do Judiciário" do "Minas Gerais".
Art. 23 - Os processos de competência do
Art. 25 - O registro se fará em numeração
Tribunal serão autuados e distribuídos por
contínua e seriada, adotando-se, também, a
classe, tendo cada classe uma designação
numeração geral nas classes seguintes:
distintiva e numeração seqüencial única,
seguindo a ordem em que houverem sido Classe A

apresentados, observando-se as classes 1 Habeas Corpus (HC)


mencionadas no art. 25 deste Regimento.
2 Recurso em Habeas Corpus (RHC)
§ 1º - A distribuição poderá ser feita por
3 Mandado de Segurança (MS)
computador, observando-se o disposto neste
4 Recurso em Mandado de Segurança
artigo.
(RMS)
§ 2º - Excluídos os processos de
5 Mandado de Injunção (MI)
coincidência, todos os de competência da
Corregedoria serão distribuídos ao 6 Recurso em Mandado de Injunção (RMI)

Corregedor Regional Eleitoral, sendo 7 Habeas Data (HD)


autuados e registrados na Secretaria
8 Recurso em Habeas Data (RHD) 26 Feitos Diversos (FD)

9 Medida Cautelar (MC) 27 Recurso Administrativo (RA)

10 Conflitos de Competência (CC) § 1º - O Presidente resolverá as dúvidas que

11 Exceções (EXC) se suscitarem na classificação e distribuição


dos feitos e papéis.
Classe B
§ 2º - Na Classe G serão autuados como
12 Ação de Impugnação de Mandato Eletivo
Feitos Diversos os procedimentos que
(AIME)
versem sobre Escrivania Eleitoral, chefias de
13 Recurso em Ação de Impugnação de cartório, criação de Zonas Eleitorais, pedidos
Mandato Eletivo de emancipação político-administrativa de
(RAIME) distritos e outras matérias administrativas,

Classe C bem como os feitos que suscitem dúvidas em


sua classificação e quaisquer outros papéis
14 Recurso Contra Expedição de Diploma
que devam ser distribuídos para
(RCED)
pronunciamento do Tribunal.
15 Recurso Eleitoral (RE)
§ 3º - Não se altera a classe do processo
16 Agravos (AG)
pela interposição de embargos de declaração
Classe D e agravo regimental.

17 Inquérito (INQ) § 4º - O andamento dos processos referidos

18 Ação Penal (AP) neste artigo será anotado em fichas


adequadas, ou será feito por meio
19 Recurso Criminal (RC)
magnético.
20 Revisão Criminal (RVC)
§ 5º - O inquérito policial só será autuado e
Classe E
distribuído após a manifestação da
21 Registro de Candidatos (RC) Procuradoria Regional Eleitoral, observadas

Classe F as disposições legais pertinentes.

22 Consultas (CTA) Art. 26 - A distribuição será feita


eqüitativamente por classe, mediante sorteio
23 Reclamações (RCL)
e observada, sempre que possível, a ordem
24 Representações em geral e a do art. 22
de antigüidade dos Juízes.
da Lei Complementar nº 64, de 1990 (RP).
§ 1º - Haverá compensação quando o
Classe G
processo for distribuído por dependência,
25 Prestação de Contas (PCON) Classe prevenção ou imposição legal, ressalvados
alterada pela Res. 621, de 4 de setembro os casos previstos no § 6º deste artigo.
de 2002 - TRE/MG
§ 2º - A distribuição de habeas corpus, das partes ou pelo órgão do Ministério
mandado de segurança, habeas data , Público, até o início do julgamento.
mandado de injunção, agravo de instrumento Art. 28 - No prazo de 90 ( noventa) dias antes
e medida cautelar torna preventa a e depois de cada eleição, ainda que em
competência do Relator para todos os segundo turno, não haverá distribuição de
recursos posteriores, referentes ao mesmo feitos ao Vice-Presidente.
processo.
Art. 29 - Salvo a hipótese de habeas corpus,
§ 3º - A distribuição do inquérito policial torna mandado de segurança e medida cautelar,
preventa a da ação penal. ao Juiz impedido por mais de 15 (quinze)
§ 4º - Na ausência do julgador a quem dias não se fará distribuição, e, sim, ao seu
couber a distribuição, em casos de mandado substituto. Cessado o impedimento, os autos
de segurança, habeas corpus e medida que couberem ao substituto passarão ao
cautelar, o processo será distribuído ao substituído, salvo se o substituto tiver
julgador que o seguir em antigüidade, ordenado sua inclusão na pauta de
compensando-se a distribuição. julgamento. Nesta hipótese, fica o substituto

§ 5º - Em caso de impedimento ou suspeição com competência preventa para participar

do Relator, será feito novo sorteio, das sessões necessárias, sem direito, porém,

compensando-se a distribuição. a nenhuma gratificação.

I - Quando o impedimento for de ordem geral, § 1º - Ocorrendo afastamento definitivo ou

num pleito eleitoral, os feitos serão temporário do Relator, os processos

distribuídos ao substituto legal, com os pendentes de julgamento que lhe haviam

direitos e as vantagens da lei. sido distribuídos passarão automaticamente


ao seu sucessor ou substituto, conforme o
§ 6º - Não será compensada a distribuição:
caso.
I - por prevenção, nos casos de recurso de
§ 2º - Em caso de recondução ou nomeação
apuração, referidos no art. 260 do Código
de novo Juiz, este receberá os processos
Eleitoral;
distribuídos a quem exerceu a substituição.
II - que deixar de ser feita ao Vice-
Presidente, quando substituir o Presidente, e
no caso do art. 29 deste Regimento.

§ 7º - Afastando-se o Relator, estando


pendentes embargos declaratórios, haverá
sorteio de novo Relator. Havendo Revisor, a
redistribuição será feita a ele.

Art. 27 - A prevenção, se não for reconhecida


de ofício, poderá ser argüida por qualquer
Art. 30 - Distribuídos, os autos serão VIII - assinar ordem de prisão e soltura;
conclusos ao Relator, na próxima sessão, o IX - decidir os incidentes que não dependam
qual terá, salvo motivo justificado, o prazo de de acórdão;
8 (oito) dias para estudar e relatar o feito, por
X - redigir o acórdão quando o seu voto for o
escrito, depois de ouvido o Ministério Público
vencedor no julgamento;
Eleitoral, nas oportunidades previstas em lei
e neste Regimento, devolvendo-o à XI - executar ou fazer executar a decisão

Secretaria com pedido de dia para proferida pelo Tribunal, podendo fazê-lo por

julgamento, observando-se o disposto no art. via telegráfica , radiotelegráfica, fax ou

33 deste Regimento. telefone, nos casos de urgência;

Parágrafo único - Havendo necessidade de XII - determinar o arquivamento do inquérito

solução urgente, após a distribuição, os ou de peças informativas, quando o requerer

autos serão imediatamente conclusos ao o Ministério Público, ou submeter o

Relator. requerimento à decisão competente do


Tribunal;
CAPÍTULO II
XIII - decretar a extinção da punibilidade, nos
DO RELATOR
casos previstos em lei;

Art. 31 - São atribuições do Relator: XIV - presidir a execução do julgado nos

I - ordenar e dirigir o processo; processos de competência originária,


decidindo todos os incidentes, podendo
II - delegar atribuições aos Juízes Eleitorais
delegar competência a Juiz Eleitoral para os
para as diligências que se fizerem
atos de execução. De suas decisões caberá
necessárias;
agravo regimental para a Corte.
III - determinar às autoridades judiciárias e
Parágrafo único - Vencido o Relator, redigirá
administrativas sujeitas à sua jurisdição
o acórdão como Relator designado o Juiz
providências relativas ao andamento e à
que proferiu o primeiro voto vencedor.
instrução do processo, exceto se forem da
competência da Corte ou do Presidente; Art. 32 - A atividade do Relator finda com o
julgamento do feito, salvo se, nos processos
IV - presidir às audiências;
de competência originária, houver
V - pedir dia para julgamento dos feitos que necessidade de executar a decisão.
lhe couberem por distribuição, ou passá-los
ao Revisor, juntamente com o relatório, se for CAPÍTULO III
o caso; DO REVISOR
VI - apresentar em mesa para julgamento os
feitos que independem de pauta; Art. 33 - Haverá Revisor nos seguintes
processos:
VII - nomear curador ao réu;
I - recursos contra expedição de diploma ou após as eleições, será de 15 (quinze) o limite
que importem perda de mandato; de que trata este artigo.

II - relativos a infrações apenadas com § 2º - As sessões extraordinárias serão


reclusão; convocadas mediante designação prévia do

III - ações de impugnação de mandato eletivo dia e da hora, e, se possível, anunciadas

e seus recursos; pela imprensa.

IV - que importem declaração de § 3º - As sessões serão públicas, exceto se o

inelegibilidade, salvo os relativos a registro interesse público exigir que se limite a

de candidatura; presença em determinados atos às próprias


partes e a seus advogados, ou somente a
V - revisão criminal;
estes, nos casos de lei.
VI - ação penal originária .
§ 4º - Nos meses de janeiro e julho não serão
Art. 34 - A redistribuição ao Relator implicará realizadas sessões ordinárias, salvo se
também a mesma redistribuição ao Revisor. próximos de período eleitoral intenso e até
Art. 35 - Compete ao Revisor: que terminem os trabalhos de preparação

I - sugerir ao Relator medidas ordinatórias do das eleições ou julgamento dos recursos

processo que tenham sido omitidas; delas oriundos.

II - confirmar, completar ou retificar o Art. 37 - As sessões ordinárias serão

relatório; iniciadas em horário estabelecido pelo


Tribunal, havendo uma tolerância de 15
III - pedir dia para julgamento;
(quinze) minutos, no caso de não haver
IV - determinar a juntada de petição,
número legal para abertura dos trabalhos.
enquanto os autos lhe estiverem conclusos,
Parágrafo único - Escoados estes 15 (quinze)
submetendo a matéria, conforme o caso,
minutos de tolerância sem que haja número
desde logo, à consideração do Relator.
legal, o Secretário lavrará termo que será

CAPÍTULO IV assinado por todos os presentes.

DAS SESSÕES Art. 38 - Durante as sessões, o Presidente


ocupará o topo da mesa; à sua direita,
Art. 36 - O Tribunal reunir-se-á, sentar-se-á o Procurador Regional Eleitoral
ordinariamente, no mínimo 8 (oito) vezes por e, à sua esquerda, o Secretário do Tribunal
mês, e, extraordinariamente, tantas vezes ou quem suas vezes fizer. Seguir-se-ão, no
quantas forem necessárias, mediante lado direito, o Vice-Presidente, o Juiz de
convocação do Presidente ou do próprio Direito mais novo e o Jurista mais antigo; e ,
Tribunal. no lado esquerdo, o Juiz de Direito mais

§ 1º- No período compreendido entre 90 antigo, o Juiz Federal e o Jurista mais novo.

( noventa ) dias antes e 90 (noventa) dias


§ 1º - Durante as licenças ou férias III - discussão, votação e decisão dos
individuais dos Juízes efetivos, serão processos constantes na pauta ou dos que
obrigatoriamente convocados os respectivos se acharem em mesa, bem como a
substitutos, na ordem de antigüidade de cada proclamação dos respectivos resultados, na
classe. ordem a que se refere o art. 48 deste

§ 2º- O substituto convocado ocupará o lugar Regimento;

do substituído, exceto o substituto do IV - leitura do "expediente";


Presidente, que tomará assento no lugar do V - comunicações ao Tribunal;
Juiz que assumir a Presidência.
VI - assinatura e publicação de acórdãos,
Art. 39 - Na falta ou impedimento do quando for o caso, e assinatura de
Presidente, as sessões serão presididas pelo resoluções.
Vice-Presidente.
Parágrafo único - Por conveniência do
§ 1º - Na falta do Vice-Presidente, será serviço, a juízo do Tribunal, essa ordem
convocado o primeiro Desembargador poderá ser alterada.
substituto.
Art. 42 - O "expediente" das sessões será
§ 2º - Na falta do Presidente e do Vice- taquigrafado, na forma do Regulamento da
Presidente, serão convocados os Secretaria.
Desembargadores substitutos, cabendo o
exercício da Presidência ao primeiro CAPÍTULO V
Desembargador substituto. DAS SESSÕES SOLENES E DAS NORMAS
§ 3º - O Vice-Presidente será substituído em PROTOCOLARES E DE PRECEDÊNCIA
seus impedimentos ou suspeições ocorridos
de inopino, em sessão do Tribunal, Art. 43- Será solene a sessão destinada à
sucessivamente, pelos Juízes de Direito, pelo diplomação dos eleitos para cargos estaduais
Juiz Federal e pelos Juristas, sempre na e federais, a comemorações ou à recepção
ordem de antigüidade. de pessoas eminentes.

Art. 40 - Os Juízes do Tribunal, o Procurador § 1º - Ao abrir a sessão, o Presidente fará a


Regional Eleitoral, advogados e servidores, exposição de seu objetivo e dará a palavra
durante as sessões, usarão vestes talares. aos oradores designados.

Art. 41 - Será observada, nas sessões, a § 2º - Servirá como Secretário o Diretor-


seguinte ordem de trabalho: Geral.

I - verificação do número de Juízes § 3º - A organização dos eventos


presentes; mencionados no caput deste artigo ficará a
cargo da Seção de Imprensa e Comunicação
II - leitura, discussão e aprovação da ata da
Social deste Tribunal.
sessão anterior;
CAPÍTULO VI Art. 48 - No conhecimento e julgamento dos

DA PAUTA DE JULGAMENTOS feitos, observar-se-á a seguinte ordem:

I - processos adiados;
Art. 44 - A pauta será organizada pela
II - habeas corpus e recursos em habeas
Secretaria Judiciária, no dia anterior ao
corpus;
julgamento, obedecida a ordem do art. 48
deste Regimento, com aprovação do III - processos em que haja advogado inscrito

Presidente. para sustentação oral;

Art. 45 - A pauta será publicada no "Minas IV - mandados de segurança, mandados de

Gerais", com pelo menos 2 (dois) dias de injunção, habeas data, medidas cautelares e

antecedência na parte que contiver mandado seus respectivos recursos;

de segurança, recurso eleitoral, agravo, V - ações de impugnação de mandato eletivo


recurso criminal, ação penal originária, e seus recursos e recursos contra expedição
revisão criminal, recurso contra expedição de de diploma;
diploma, ação de impugnação de mandado VI - conflitos de competência e respectivos
eletivo e seus recursos, observado o disposto recursos;
no art. 115 deste Regimento.
VII - exceções;
§ 1º - Em matéria estritamente eleitoral, será
VIII - recursos eleitorais;
dispensada a publicação em caso de
urgência ou para não se prejudicar o IX - ações penais, revisões criminais,

calendário eleitoral. recursos criminais e inquéritos policiais;

§ 2º - Designado dia para julgamento dos X - agravos e embargos;

processos referidos neste artigo, a Secretaria XI - registros de candidatos e argüições de


Judiciária remeterá a todos os Juízes do inelegibilidade;
Tribunal cópias do relatório e do parecer do XII - consultas, reclamações e
Procurador Regional Eleitoral bem como de representações;
outras peças assinaladas pelo Relator.
XIII - prestação de contas, feitos diversos e
Art. 46 - Os demais processos serão recursos administrativos; (Inciso com
incluídos em pauta pela Secretaria Judiciária, redação alterada pela Res. 621, de 4 de
independentemente de publicação. setembro de 2002 - TRE/MG
Art. 47 - A pauta de julgamento será afixada XIV - expedientes.
na entrada da Sala de Sessões do Tribunal,
Parágrafo único - Sem prejuízo da
pelo menos 15 (quinze) minutos antes de
enumeração deste artigo e não obstante a
iniciar-se a sessão.
ordem da pauta, o Relator poderá requerer
CAPÍTULO VII prioridade para o julgamento.
DO JULGAMENTO
Art. 49 - O julgamento dos feitos será § 1º - No julgamento dos recursos contra
realizado de acordo com a relação constante expedição de diploma, cada parte usará da
na pauta organizada pela Secretaria palavra por 20 (vinte) minutos. (Parágrafo
Judiciária. com redação alterada pela Res. 616, de 07

§ 1º - Havendo conveniência do serviço, a de agosto de 2002 - TRE/MG)

critério do Tribunal, o Presidente poderá § 2º - O prazo para sustentação oral será de


modificar a ordem da pauta. 10 (dez) minutos, quando não for fixado em

§ 2º - Os processos conexos deverão ser lei ou neste Regimento.(Parágrafo com

julgados em conjunto ou, se a hipótese redação alterada pela Res. 616, de 07 de

comportar, simultaneamente. Nesse último agosto de 2002 - TRE/MG)

caso, o original do acórdão será juntado a um § 3º - Se houver litisconsorte ou assistente


dos processos e cópia autenticada será não representados pelo mesmo advogado, o
anexada aos demais, conforme determinar o prazo será contado em dobro e dividido
Relator. igualmente entre os advogados do mesmo

Art. 50 - Anunciado o processo e dada a grupo, se diversamente não for

palavra ao Relator, este, sem manifestar o convencionado.

seu voto, fará a exposição da espécie, desde § 4º - Sendo a parte representada por mais
que solicitado pelos advogados devidamente de um advogado, o tempo será dividido
inscritos, mesmo para assistirem ao igualmente entre eles, salvo se acordarem de
julgamento, na forma prevista no art. 51 do outro modo.
presente Regimento. (Artigo com redação § 5º - Quando houver mais de um recorrente,
alterada pela Res. 622, de 30 de setembro falará cada qual na ordem de interposição
de 2002 - TRE/MG) dos recursos, mesmo que figurarem também
Art. 51 - O Presidente dará a palavra aos como recorridos.
advogados das partes, se estiverem inscritos § 6º - Não poderão ser aparteados os
até 10 (dez) minutos antes do início do prazo advogados, os delegados de partido e o
previsto para a abertura da sessão, e ao Procurador Regional Eleitoral.
Procurador Regional Eleitoral, pelo prazo
§ 7º - Somente será permitida interferência
legal. Em seguida, nos termos deste
das partes ou do Procurador Regional
Regimento, não ocorrendo as hipóteses
Eleitoral no curso do julgamento para
previstas no § 7º deste artigo e no art. 52, o
prestarem esclarecimento sobre matéria de
Relator proferirá o seu voto, prosseguindo-se
fato relevante e desde que autorizada pelo
a votação conforme dispõe o art. 53. (Caput
Presidente. (Parágrafo com redação
com redação alterada pela Res. 622, de 30
alterada pela Res. 622, de 30 de setembro
de setembro de 2002 - TRE/MG)
de 2002 - TRE/MG)
§ 8º - Não será permitida sustentação oral a fazê-lo. O julgador que pedir vista restituirá
nos recursos de Embargos Declaratórios, os autos para julgamento na sessão
Agravo de Instrumento e Agravo Regimental. seguinte.
(Parágrafo acrescentado pela Res. 616, de § 1º - No julgamento adiado, o voto que já
07 de agosto de 2002 - TRE/MG) tiver sido proferido constará na papeleta e na
Art. 52 - Havendo solicitação, o Presidente ata e será apurado na sessão de
poderá conceder a palavra ao Juiz que prosseguimento do julgamento, ainda que o
desejar manifestar-se sobre questão julgador esteja ausente.
referente ao julgamento, não devendo ser § 2º - No feito adiado somente terão direito a
interrompido, salvo se nisso consentir. voto os Juízes participantes do julgamento
(Artigo com redação alterada pela Res. inicial.
622, de 30 de setembro de 2002 -
Art. 57 - Findo o julgamento, o Presidente
TRE/MG)
anunciará a decisão.
Parágrafo único - Se algum Juiz pedir a
Art. 58 - As deliberações do Tribunal dar-se-
palavra, pela ordem, o Presidente poderá
ão por maioria de votos, em sessão pública,
autorizá-lo a falar antes de chegar a sua vez.
com a presença da maioria de seus
(Parágrafo revogado pela Res. 622, de 30
membros.
de setembro de 2002 - TRE/MG)
Parágrafo único - Somente pelo voto da
Art. 53 - Encerrada a manifestação referida
maioria absoluta de seus membros poderá o
no artigo anterior, o Presidente tomará o voto
Tribunal declarar a inconstitucionalidade de
do Relator, o do Revisor, se houver, e os dos
lei ou de ato do poder público ou proferir
Juízes, pela respectiva classe e antigüidade.
decisões que importem anulação geral de
(Artigo com redação alterada pela Res.
eleições, perda de mandato ou de diploma,
622, de 30 de setembro de 2002 -
com base na interpretação do Código
TRE/MG)
Eleitoral e de legislação correlata, em face
Art. 54 - Havendo empate na votação, o das disposições constitucionais.
Presidente dará o voto de desempate.

Art. 55 - Proclamado o resultado da votação, CAPÍTULO VIII

não poderá mais o julgador modificar o seu DA SÚMULA


voto, admitindo-se, apenas, correção de erro
Art. 59 - De cada sessão será lavrada
material ou retificação de engano havido na
súmula, na qual se consignarão todas as
redação da papeleta.
ocorrências, mencionando-se:
Art. 56 - Antes de votar, qualquer julgador
a) o dia e a hora da abertura da sessão;
poderá solicitar que se adie o julgamento e
pedir vista dos autos. O pedido de vista não b) o nome de quem a presidiu;
impede que votem os julgadores habilitados
c) os nomes dos membros presentes e do § 1º - O acórdão será encimado por ementa.
Procurador Regional Eleitoral; § 2º - A publicação do acórdão, com suas
d) a relação dos feitos julgados, seu número conclusões, far-se-á , para efeito de
de ordem, o nome do Relator e o das partes, intimação das partes, no órgão oficial do
o resultado da votação; Estado. A critério da Presidência, o acórdão

e) expedientes. poderá ser publicado com as respectivas


notas taquigráficas.
Parágrafo único - O Secretário certificará na
própria súmula sua aprovação e sua § 3º - Por determinação expressa do

publicação pelo Tribunal. Presidente, na impossibilidade do


cumprimento do disposto no parágrafo
Art. 60 - Lida no começo de cada sessão, a
anterior, as partes ou seus advogados serão
súmula da sessão anterior será retificada, se
intimados pessoalmente, e, se não forem
for o caso, e aprovada pelo Tribunal e, em
encontrados, a intimação se fará por edital
seguida, assinada pelo Presidente.
afixado no Tribunal, à entrada da Sala de

CAPÍTULO IX Sessões.

DAS DECISÕES § 4º - As inexatidões materiais e os erros de


escrita ou de cálculo, contidos no acórdão,
Art. 61 - As conclusões do Plenário, em suas poderão ser corrigidos por despacho do
decisões, constarão em acórdão, no qual o Relator, de ofício, a requerimento de
Relator se reportará às notas taquigráficas do interessado ou por via de embargos de
julgamento, que dele farão parte integrante. declaração , se cabíveis. A retificação será

Parágrafo único - Dispensa-se acórdão em publicada no órgão oficial.

matéria administrativa, exceto recurso, § 5º - Prevalecerão as notas taquigráficas se


bastando que o primeiro vencedor despache o seu teor não coincidir com o acórdão.
nos autos e determine seu cumprimento.
§ 6º - Em casos excepcionais que
Art. 62 - O acórdão terá a data da sessão em impossibilitem o Relator de rever e assinar o
que se concluir o julgamento, será subscrito acórdão, será este revisto e assinado pelo
pelo Presidente e pelo Relator, que deverá autor do primeiro voto subseqüente que o
também rubricar todas as suas páginas e as houver acompanhado.
notas taquigráficas que o integram, nele se
§ 7º - Vencido, em parte, o Relator firmará o
mencionando: (Artigo com redação
acórdão, a menos que a divergência parcial
alterada pela Resolução nº 609 de 09 de
afete substancialmente a fundamentação do
julho de2002 - TRE/MG)
julgado, caso em que a assinatura competirá
a) as questões debatidas e decididas; ao primeiro vencedor.

b) os motivos e as conclusões do julgamento;


TÍTULO III
c) os votos vencidos.
DOS PROCESSOS NO TRIBUNAL que couber, ao disposto nas leis processuais

CAPÍTULO I penais.

DA DECLARAÇÃO DE CAPÍTULO III


INCONSTITUCIONALIDADE
DO HABEAS DATA

Art. 63 - Quando, no julgamento de qualquer


Art. 66 - O Tribunal concederá habeas data:
processo, se verificar que é imprescindível
a) para assegurar o conhecimento de
decidir acerca da constitucionalidade de lei
informações relativas à pessoa do
ou de ato do poder público, concernentes a
impetrante, constantes nos registros ou
matéria eleitoral, o Tribunal, por proposta de
bancos de dados deste Tribunal;
qualquer de seus Juízes ou a requerimento
do Procurador Regional Eleitoral, depois de b) para retificação de dados, mediante
findo o relatório, suspenderá o julgamento processo legal.
para deliberar na sessão seguinte sobre a Parágrafo único - No habeas data serão
matéria, como preliminar, ouvido o observadas as normas da legislação de
representante do Ministério Público Eleitoral, regência. Enquanto estas não forem
quando for o caso. promulgadas, observar-se-ão, no que couber,
Parágrafo único - Na sessão seguinte, a o Código de Processo Civil e a Lei nº 1.533,
preliminar de inconstitucionalidade será de 1951.
submetida a julgamento, observando-se o
CAPÍTULO IV
disposto no parágrafo único do art. 58 deste
Regimento. Consoante a solução adotada, DO MANDADO DE SEGURANÇA
decidir-se-á acerca do caso concreto.
Art. 67 - No processo e julgamento do
CAPÍTULO II
mandado de segurança de competência
DO HABEAS CORPUS originária do Tribunal bem como no de
recurso das decisões de Juiz Eleitoral,
Art. 64 - O Tribunal concederá habeas corpus observar-se-á, no que couber, a legislação
originariamente, ou em grau de recurso , vigente sobre a matéria.
sempre que alguém sofrer ou se achar
ameaçado de sofrer violência ou coação em CAPÍTULO V
sua liberdade de locomoção, por ilegalidade DO MANDADO DE INJUNÇÃO
ou abuso de poder, em matéria eleitoral.
Art . 68 - O Tribunal concederá mandado de
Art. 65 - Os processos de habeas corpus e
injunção sempre que a falta de norma
os de seus recursos deverão ser colocados
regulamentadora torne inviáveis a
em mesa pelo Relator na primeira sessão
organização e o exercício de direitos
seguinte à da conclusão e obedecerão, no
políticos, precipuamente o de votar e o de ser
votado, aplicando-se, no que couber, o Art. 73 - O rito a ser observado será o
parágrafo único do art. 66 deste Regimento. constante nos arts. 119 a 124 do Código de
Processo Civil.
CAPÍTULO VI
Art. 74 - O Tribunal poderá suscitar conflito
DA AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO DE de competência ou de atribuições perante o
MANDATO ELETIVO Tribunal Superior Eleitoral, com Juízes
Eleitorais de outras circunscrições, ou com
Art. 69 - Caberá ao Tribunal o julgamento
outro Tribunal Regional Eleitoral, ou, ainda,
originário da ação de impugnação de
perante o Superior Tribunal de Justiça, com
mandato eletivo relativa aos cargos cujos
Juízes e Tribunais de Justiça diversa.
registros de candidatura se fazem perante
esta Corte. CAPÍTULO VIII
§ 1º - A ação terá curso em segredo de DAS EXCEÇÕES
justiça, com intervenção do Ministério
SEÇÃO I
Público, e o autor responderá, na forma da
lei, se for ela temerária ou de manifesta má- DOS IMPEDIMENTOS E DA SUSPEIÇÃO

fé. Subseção I

§ 2º - Distribuídos os autos, o processo DOS JUÍZES DO TRIBUNAL


seguirá o rito ordinário do Código de
Processo Civil, ressalvados os arts. 258 e Art. 75 - Os Juízes do Tribunal declarar-se-ão

276, inciso I, do Código Eleitoral. impedidos ou suspeitos nos casos previstos


em lei.
CAPÍTULO VII Parágrafo único - Poderá ainda o Juiz dar-se
DOS CONFLITOS DE COMPETÊNCIA por suspeito se afirmar a existência de
motivo de ordem íntima que o iniba de julgar.
Art. 70 - O conflito de competência poderá
Art. 76 - Se o impedimento ou a suspeição
ocorrer entre órgãos da Justiça Eleitoral; o de
forem do Relator ou do Revisor, tal fato
atribuições, entre autoridades judiciárias e
deverá ser declarado nos autos mediante
administrativas.
despacho, e estes serão redistribuídos,
Art. 71 - Dar-se-á conflito nos casos previstos observado o disposto no art. 26, § 5º, deste
nas leis processuais. Regimento.
Art. 72 - O conflito poderá ser suscitado por Parágrafo único - Nos demais casos, o Juiz
órgão da Justiça Eleitoral, pelo Ministério declarará, verbalmente, na sessão do
Público Eleitoral, ou por qualquer julgamento, seu impedimento ou suspeição,
interessado, mediante requerimento dirigido registrando-se o fato na ata.
ao Tribunal, com indicação dos fundamentos
Art. 77 - A argüição de suspeição do Relator
que deram razão ao conflito.
ou do Revisor poderá ser suscitada até 5
(cinco) dias após a distribuição, quando for § 2º - Será Relator o Presidente ou o Vice-
fundada em motivo preexistente. Presidente, se aquele for o recusado.

§ 1º - Quando o impedimento ou a suspeição § 3º - O Presidente fará relatório escrito, no


recair sobre o Juiz substituto, o prazo será prazo de 5 (cinco) dias e pedirá dia para
contado do momento do seu primeiro ato no julgamento.
processo. § 4º - Se a exceção for de manifesta
§ 2º - No caso de motivo superveniente, a improcedência, o Tribunal a rejeitará
suspeição poderá ser alegada em qualquer liminarmente.
fase do processo, porém o prazo de 5 (cinco) § 5º - Se reconhecer a relevância da
dias será contado do fato que o ocasionou. argüição, o Tribunal mandará processá-la,
§ 3º - A suspeição dos demais Juízes poderá com a citação das partes, e o Presidente
ser oposta até o início do julgamento. marcará dia e hora para inquirição de

Art. 78 - A suspeição deverá ser deduzida em testemunhas.

petição articulada, contendo os fatos que a § 6º - Concluída a instrução, o Presidente


motivaram e acompanhada de prova fará relatório escrito, no prazo de 15 (quinze)
documental e rol de testemunhas, se os dias, e convocará o Tribunal para julgamento
houver. final.

Parágrafo único - Na ação penal originária e Art. 80 - Reconhecida a procedência da


nos recursos criminais, além do estabelecido exceção, ficarão nulos os atos praticados
neste Regimento, observar-se-á o disposto pelo Juiz recusado, após o fato que a houver
no art. 98 do Código de Processo Penal. ocasionado, observado o disposto no art. 26,

Art. 79 - A Secretaria Judiciária juntará a § 5º, deste Regimento.

exceção aos autos, independentemente de Art. 81 - A argüição será sempre individual,


despacho, e os fará conclusos, no mesmo não ficando os demais Juízes impedidos de
dia, ao Juiz, que, reconhecendo-se suspeito apreciá-la, ainda que recusados.
ou impedido, remetê-los-á, dentro de 48 Subseção II
(quarenta e oito) horas, ao Presidente para
DOS JUÍZES ELEITORAIS
redistribuição, caso em que se terão por
nulos os atos praticados pelo argüido. Art. 82 - Se o Juiz Eleitoral não reconhecer a
§ 1º - Não aceitando a suspeição ou exceção de suspeição proposta contra ele,
impedimento, deverá o Juiz motivá-lo dentro mandará autuar a petição em separado e
de 48 (quarenta e oito) horas, continuando, fará subir os autos ao Tribunal, com sua
no entanto, vinculado ao feito. Nesse caso, resposta, instruída nas provas que tiver e que
será suspenso o julgamento até a solução do deseja produzir, dentro de 48 (quarenta e
incidente, que será autuado em apartado. oito) horas.
Parágrafo único - Nos processos criminais, Art. 87 - Em feito que tramita no Tribunal,
observar-se-á o disposto nos arts. 100 e seus será argüida, mediante exceção, a
parágrafos, 101 e 102 do Código de incompetência de Juiz da Corte nos casos
Processo Penal. previstos em lei, em petição fundamentada e

Art. 83 - O Juiz que se declarar suspeito, devidamente instruída, indicando aquele para

independentemente de provocação de parte, o qual declina, sob pena de indeferimento

motivará o despacho. liminar.

§ 1º - A exceção de incompetência poderá


Subseção III ser argüida pelo réu no prazo da defesa.
DO PROCURADOR REGIONAL § 2º - A incompetência superveniente poderá
ELEITORAL, DOS ser argüida pelas partes no prazo de 5
SERVIDORES DA SECRETARIA E DOS (cinco) dias, contados do fato que a houver
ESCRIVÃES originado.

ELEITORAIS CAPÍTULO IX

DOS RECURSOS ELEITORAIS


Art. 84 - Se for argüida a suspeição do
Procurador Regional Eleitoral, o Relator o Art. 88 - Aos recursos eleitorais em geral
ouvirá em 48 (quarenta e oito) horas, nos aplicar-se-ão as disposições pertinentes,
próprios autos, podendo admitir provas, no constantes no Código Eleitoral.
prazo de 3 (três) dias, submetendo-se o
CAPÍTULO X
incidente ao julgamento do Tribunal na
sessão seguinte. DOS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

Art. 85 - As partes poderão, também, argüir Art. 89 - São admissíveis embargos de


suspeição dos servidores da Secretaria e dos declaração:
Escrivães Eleitorais, observando-se o
I - quando houver no acórdão obscuridade,
procedimento do artigo anterior.
dúvida, contradição ou ambigüidade;
Parágrafo único - Até que se decida a
II - quando for omitido ponto sobre o qual
suspeição, funcionará o substituto legal do
devia pronunciar-se o Tribunal.
recusado.
§ 1º - O prazo para interposição dos
Art. 86 - O substituto legal do recusado
embargos de declaração será de 3 (três)
funcionará durante a tramitação da exceção
dias.
e após a declaração dela.
§ 2º - O prazo a que se refere o parágrafo
SEÇÃO II anterior contar-se-á da data da publicação do

DA INCOMPETÊNCIA acórdão, em petição dirigida ao Relator, na


qual será indicado o ponto obscuro,
duvidoso, contraditório, omisso ou ambíguo.
§ 3º - O Relator colocará os embargos em indicar as peças dos autos que também
mesa para julgamento, na sessão seguinte, serão trasladadas.
proferindo o seu voto. § 4º - As partes apresentarão as cópias das
§ 4º - Os embargos de declaração peças que indicarem para a formação do
interrompem o prazo para a interposição de instrumento.
outros recursos, salvo se manifestamente § 5º - Concluída a formação do instrumento,
protelatórios e assim declarados na decisão o Presidente determinará a remessa dos
que os rejeitar. autos ao Tribunal Superior Eleitoral,
podendo, ainda, ordenar a extração e juntada
CAPÍTULO XI
de peças não indicadas pelas partes.
DOS RECURSOS ORDINÁRIO E
§ 6º - O Presidente não poderá negar
ESPECIAL
seguimento ao agravo, ainda que interposto

Art. 90 - Aos recursos ordinário e especial fora do prazo legal.

aplicar-se-ão as disposições pertinentes,


CAPÍTULO XIII
constantes na Constituição Federal e no
Código Eleitoral. DOS RECURSOS CRIMINAIS

CAPÍTULO XII Art. 92 - No processo e julgamento dos


DO AGRAVO DE INSTRUMENTO crimes eleitorais e dos comuns que lhes
forem conexos bem como nos recursos e na
Art. 91 - Denegado o recurso especial, o execução que lhes digam respeito, aplicar-
recorrente poderá interpor, dentro de 3 (três) se-á, como lei subsidiária ou supletiva, o
dias, agravo de instrumento. Código de Processo Penal, bem como as
§ 1º - O agravo de instrumento será disposições da Lei nº 9.099, de 1995
interposto por petição, que conterá: aplicáveis à espécie.

I - a exposição do fato e do direito;


CAPÍTULO XIV
II - as razões do pedido de reforma da
DA AÇÃO PENAL DE COMPETÊNCIA
decisão;
ORIGINÁRIA
III - a indicação das peças do processo que
devam ser trasladadas. Art. 93 - O processo criminal de competência

§ 2º - Serão obrigatoriamente trasladadas a originária do Tribunal terá início com o

decisão recorrida e a certidão de intimação. oferecimento da denúncia pelo Procurador


Regional Eleitoral, procedendo-se à sua
§ 3º - Deferida a formação do agravo, será
distribuição ao Relator.
intimado o recorrido para, no prazo de 3
(três) dias, apresentar suas contra-razões e Parágrafo único - Os procedimentos a serem
observados são os previstos na Lei nº 8.038,
de 1990, arts. 1º ao 12, inclusive, nos termos Art. 97 - Se o requerimento não for indeferido
da Lei nº 8.658, de 1993, bem como as in limine, será ouvido o Procurador Regional
disposições da Lei nº 9.099, de 1995, Eleitoral, que dará parecer no prazo de dez
aplicáveis à espécie. ( 10 ) dias. Em seguida, o Relator, depois de

CAPÍTULO XV haver lançado relatório, passará os autos ao


Revisor, que pedirá dia para julgamento.
DA REVISÃO CRIMINAL
Art. 98 - Juntar-se-á ao processo original
Art. 94 - A revisão criminal será admitida nos cópia do acórdão que julgar a revisão e,
casos previstos em lei, cabendo à Corte o sendo modificativo da sentença, outra cópia
reexame de seus próprios julgados e dos de será enviada ao Juízo da execução.
1º grau. CAPÍTULO XVI
§ 1º - Será vedada a revisão conjunta dos DO AGRAVO REGIMENTAL
processos, salvo em caso de conexão.

§ 2º - Sempre que existir mais de um pedido Art. 99 - Caberá agravo regimental, em

de revisão do mesmo réu, todos serão matéria eleitoral, no prazo de 3 (três) dias, de

distribuídos ao mesmo Relator, que mandará decisão do Presidente, do Relator e do

reuni-los em um só processo. Corregedor.

Art. 95 - A revisão terá início por petição § 1º - O agravo regimental será processado

instruída com a certidão de haver passado nos próprios autos.

em julgado a decisão condenatória e com as § 2º - A petição inicial conterá, sob pena de


peças necessárias à comprovação dos fatos rejeição liminar, as razões do pedido de
argüidos. reforma da decisão agravada.

Art. 96 - Dirigida ao Presidente, será a Art. 100 - A petição de agravo regimental


petição autuada e distribuída, quando será submetida ao prolator do despacho, que
possível, a um Relator que não haja poderá reconsiderar seu ato ou submeter o
participado do julgamento objeto da revisão. agravo a julgamento do Tribunal, após ouvir

§ 1º - O relator poderá determinar que se o Ministério Público Eleitoral, no prazo de 48

apensem ao processo de revisão os autos (quarenta e oito) horas, independentemente

originais, se daí não advier dificuldade à de inclusão em pauta, computando-se o seu

execução normal da sentença. voto.

§ 2º - Não estando a petição suficientemente CAPÍTULO XVII


instruída, e julgando o Relator inconveniente
DO REGISTRO DE PARTIDOS POLÍTICOS
ao interesse da Justiça que se apensem os
autos originais, ele a indeferirá liminarmente. Art. 101 - O registro de partidos políticos será
§ 3º - Da decisão de indeferimento caberá regulado pela legislação vigente e por
agravo regimental. instruções baixadas pela Justiça Eleitoral.
§ 1º - O órgão de direção regional Art. 104 - Das decisões administrativas do
comunicará ao Tribunal, para anotação, a Tribunal cabe pedido de reconsideração, no
constituição de seus órgãos de direção prazo de 30 (trinta) dias, a contar da
partidária regional e municipal, os nomes dos publicação ou da ciência, pelo interessado,
respectivos integrantes bem como as da decisão recorrida.
alterações que forem promovidas e, ainda, o Parágrafo único - Do indeferimento do pedido
calendário fixado para a constituição dos de reconsideração caberá recurso ao
referidos órgãos. Tribunal Superior Eleitoral nos termos do art.
§ 2º - Protocolizado o pedido, o Presidente 22, inciso II, do Código Eleitoral.
do Tribunal determinará à Secretaria
Judiciária que proceda à sua anotação. CAPÍTULO XIX

§ 3º - Anotada a composição do órgão de DAS AUDIÊNCIAS DE INSTRUÇÃO

direção municipal e eventual alteração, o


Art. 105 - O Relator realizará as audiências
Presidente do Tribunal determinará que se
necessárias à instrução do feito, presidindo-
faça imediata comunicação ao Juiz Eleitoral
as em dia e hora designados, intimadas as
da respectiva Zona.
partes e ciente o Procurador Regional

CAPÍTULO XVIII Eleitoral.

DA MATÉRIA ADMINISTRATIVA § 1º - Funcionará como Escrivão o servidor


da Secretaria Judiciária designado pelo
Art. 102 - Dos atos, despachos e decisões do Relator.
Presidente em matéria de natureza § 2º - Das audiências lavrar-se-á termo
administrativa caberá pedido de próprio, que será juntado aos autos,
reconsideração, no prazo de 30 (trinta) dias, autenticado pelo Relator.
a contar da publicação ou da ciência, pelo
Art. 106 - As audiências serão públicas, mas
interessado, da decisão recorrida.
poderá o Relator, de ofício ou a requerimento
§ 1º - Em caso de deferimento do pedido de da parte, para evitar grave inconveniente ou
reconsideração, os efeitos da decisão perturbação da ordem, limitar a presença do
retroagirão à data do ato impugnado. público, ou, se cabível, determinar segredo
§ 2º - Do indeferimento do pedido de de justiça.
reconsideração não caberá recurso. Art. 107 - Quando a prova depender de
Art. 103 - A matéria administrativa de conhecimento técnico, o Relator poderá
competência originária do Tribunal será ordenar a realização de perícia, que será
levada ao "expediente" pelo Presidente ou realizada pelo perito que nomear, no prazo
distribuída a um Relator. que fixar.
§ 1º - As partes podem indicar assistentes, automaticamente, sem exercício na Justiça
até o início da perícia, para acompanhar os Eleitoral, por tempo correspondente, exceto
trabalhos técnicos. quando a realização de eleições, apuração

§ 2º - Realizada a perícia, o perito ou encerramento de alistamento, coincidir

apresentará laudo escrito no prazo que lhe com períodos de férias coletivas.

houver sido concedido. Os assistentes Art. 110 - Quando o exigir o serviço eleitoral,
técnicos oferecerão seus pareceres no prazo os membros do Tribunal poderão ser
comum de 10 (dez) dias após a afastados do exercício dos cargos efetivos,
apresentação do laudo, independentemente por ato do Tribunal, sem prejuízo dos seus
de intimação. vencimentos.

TÍTULO IV Parágrafo único - O afastamento, em todos

DAS LICENÇAS, FÉRIAS E os casos, será por prazo determinado ou

AFASTAMENTOS enquanto subsistirem os motivos que o


justificarem, e mediante solicitação
CAPÍTULO ÚNICO
fundamentada do Presidente do Tribunal e

Art. 108 - Os membros do Tribunal gozarão aprovação do Tribunal Superior Eleitoral.

de licença nos casos previstos em lei e na Art. 111 - A Corte entrará em recesso em
forma por ela regulada. períodos coincidentes com os das férias

§ 1º - Os membros do Tribunal serão coletivas dos Desembargadores do Tribunal

licenciados: de Justiça.

I - automaticamente, e pelo mesmo prazo, Parágrafo único - Por necessidade do serviço

em conseqüência de afastamento que eleitoral, obedecidas a lei e as instruções do

tenham obtido na Justiça comum; Tribunal Superior Eleitoral, o recesso poderá


ser interrompido.
II - pelo Tribunal, quando se tratar de Juízes
da classe de juristas, ou de magistrados Art. 112 - O Presidente permanecerá em

afastados da Justiça comum para servir exercício durante os períodos de recesso,

exclusivamente à Justiça Eleitoral. podendo gozar suas férias isoladamente.

§ 2º - A licença para tratamento de saúde Parágrafo único - Em caso de afastamento,

depende de exame ou inspeção de saúde, permanecerá em exercício o Vice-Presidente

salvo nos casos em que os membros do e, na sua impossibilidade, será convocado o

Tribunal já estejam licenciados de função suplente do Presidente.

pública que porventura exerçam. Art. 113 - O Corregedor, caso o exija o

Art. 109 - Os Juízes da categoria de serviço eleitoral, permanecerá em exercício

magistrados, afastados de suas funções na durante o recesso, e gozará suas férias em

Justiça comum, por motivo de licença, férias período extraordinário.

ou licença especial, ficarão,


Art. 114 - O membro do Tribunal que não Art. 117 - São isentos de custas os
gozar férias na forma prevista nos artigos processos, certidões e quaisquer outros
anteriores, terminado o respectivo mandato, papéis fornecidos para fins eleitorais.
receberá certidão do fato, para os fins legais. Art. 118 - Os prazos no Tribunal são
peremptórios, terminam no fim do expediente
TÍTULO V
normal e correm em Secretaria, salvo as
DISPOSIÇÕES GERAIS exceções de lei.
CAPÍTULO ÚNICO § 1º - Os prazos somente começam a correr
a partir do primeiro dia útil após a intimação.
Art. 115 - Na publicação do expediente e na
pauta de cada processo constará, além do § 2º - Se a intimação se der em dia em que

nome das partes, o de seu advogado. Nos não haja expediente, ela será considerada

recursos, figurarão os nomes dos advogados realizada no primeiro dia útil seguinte.

constantes da autuação anterior; quando o § 3º - A intimação do Ministério Público


advogado, constituído perante o Tribunal, Eleitoral e do Defensor Público ou Dativo, em
requerer que figure também o seu nome, a qualquer caso, será feita pessoalmente.
Secretaria Judiciária adotará as medidas § 4º - Considera-se prorrogado o prazo até o
necessárias ao atendimento de seu pedido. primeiro dia útil se o seu vencimento cair em
Parágrafo único - É suficiente a indicação do feriado ou em dia em que:
nome de um dos advogados, quando a parte I - foi determinado o fechamento da
houver constituído mais de um ou quando o Secretaria do Tribunal;
constituído substabelecer a outro com
II - o expediente foi encerrado antes da hora
reserva de poderes.
normal.
Art. 116 - Salvo disposição em contrário, as
§ 5º - Computar-se-á em quádruplo o prazo
regras de Direito comum, referidas ou não
para contestar e, em dobro, para recorrer,
neste Regimento, aplicam-se na contagem
quando a parte for o Ministério Público.
de prazos e à forma dos tos porcessuais.
(Título V, Capítulo I do Código de Processo § 6º - A partir do último dia para requerimento

Civil) Caput com redação alterada pela de registro de candidatos, os prazos do

Res. 621, de 4 de setembro de 2002 - respectivo processo são contínuos e

TRE/MG peremptórios e não se suspendem aos


sábados, domingos e feriados.
Parágrafo único - Os atos requeridos ou
propostos em tempo oportuno, mesmo que § 7º - Poderá o advogado ter vista de

não sejam apreciados no prazo legal, não processo na Secretaria ou retirá-lo pelos

prejudicarão os interessados. prazos legais, salvo quando for o caso de


vista comum.

§ 8º - Não se aplica o disposto no § 7º:


a) aos processos sob regime de segredo de papéis que tenham trâmite no Tribunal,
justiça; cabendo ao Relator, de ofício, ou a

b) quando existirem nos autos documentos requerimento do ofendido, mandar riscá-las,

originais de difícil restauração ou ocorrer oficiando ao Conselho da Ordem dos

circunstância relevante que justifique a Advogados, Seção de Minas Gerais, quando

permanência dos autos na Secretaria, decorrerem de atos praticados por

reconhecida pelo Relator em despacho advogados.

motivado, proferido de ofício, mediante Parágrafo único - Não serão recebidos


representação ou a requerimento da parte requerimentos ou escritos desrespeitosos ao
interessada; Tribunal, aos Juízes, às autoridades públicas

c) até o encerramento do processo, ao ou aos servidores.

advogado que houver deixado de devolver os Art. 122 - Não se dará certidão, sucinta ou de
respectivos autos no prazo legal, e só o fizer inteiro teor, de documentos existentes no
depois de intimado. Tribunal, de peças de processos em

§ 9º - Os advogados constituídos após a andamento ou findos, nem de atos

remessa do processo ao Tribunal poderão, publicados no órgão oficial, sem prova de

mediante requerimento, retirar os autos da legítimo interesse do requerente e sem a

Secretaria, na oportunidade e pelo prazo que declaração do fim a que se destina a

o Relator estabelecer. certidão.

Art. 119 - Será de 10 (dez) dias, se outro não § 1º - Assiste aos advogados o direito de

lhes for assinado, o prazo para que os Juízes examinarem, na Secretaria do Tribunal, autos

Eleitorais prestem informações, cumpram de processos findos ou em andamento,

requisições ou procedam a diligências mesmo sem procuração, quando não

determinadas pelo Tribunal ou pelo seu estiverem sujeitos a sigilo, assegurada a

Presidente, sob pena de ser instaurado pela obtenção de cópias, mediante requerimento,

Corregedoria Regional Eleitoral procedimento e podendo tomar apontamentos.

para apuração de responsabilidade. § 2º - Nos processos sujeitos a trâmite em

Art. 120 - Nos processos considerados de segredo de justiça e nos processos criminais

natureza urgente, estando ausente o Relator, em que se limitou a publicidade de atos

os autos serão encaminhados ao Juiz que o processuais, o direito de consultar os autos e

seguir em antigüidade, para o que for de de pedir certidões é restrito às partes e a

direito. seus procuradores; o terceiro que demonstrar


interesse jurídico pode requerer certidão
Art. 121 - É defeso às partes e a seus
restrita ao dispositivo da sentença e do
procuradores empregar expressões
acórdão.
injuriosas, caluniosas e difamatórias, nos
autos dos processos ou em quaisquer outros
§ 3º - Em qualquer caso de retenção indevida § 1º - Na impossibilidade de publicação pelo
dos autos, caberão as providências previstas órgão oficial, será ela feita por meio de jornal
nos arts. 195 a 197 do Código de Processo de grande circulação na Capital.
Civil, por determinação do Presidente do § 2º - A retificação de publicação no órgão
Tribunal, antes da distribuição ou após o oficial do Estado, com efeito de intimação,
julgamento do feito; no interregno entre a decorrente de incorreções ou omissões, será
distribuição e a publicação do acórdão, a providenciada pela Secretaria, ex officio, ou
deliberação caberá ao Relator do feito. mediante despacho do Presidente ou do
Art. 123 - Os autos restaurados em virtude de Relator.
perda e extravio, após homologada ou Art. 127 - Ao Presidente, aos Juízes do
julgada a restauração, sempre que possível Tribunal e às comissões designadas pelo
pelo mesmo Relator, suprirão os Diretor-Geral é facultada a apresentação de
desaparecidos, seguindo o processo os seus emendas ao Regimento Interno.
trâmites normais.
§ 1º - As emendas a este Regimento deverão
Art. 124 - Os membros do Tribunal receberão ser apresentadas mediante proposta escrita,
gratificações pela sua participação no que será distribuída e votada em sessão,
Colegiado e nas sessões de julgamento, com a presença de todos os membros do
consoante legislação e instruções emanadas Colegiado.
do Tribunal Superior Eleitoral.
§ 2º - Quando ocorrer mudança na legislação
Art. 125 - As dúvidas suscitadas na aplicação que determine alteração do Regimento
deste Regimento serão apreciadas e Interno, esta será proposta ao Tribunal por
resolvidas pelo Tribunal. comissão designada pelo Diretor-Geral, no
§ 1º - Nos casos omissos, serão fontes prazo de 30 (trinta) dias, contados da
subsidiárias os Regimentos Internos do vigência da lei.
Tribunal Superior Eleitoral, do Supremo § 3º - Se a emenda objetivar a reforma geral
Tribunal Federal e do Tribunal de Justiça de do Regimento, cópias do respectivo projeto
Minas Gerais. serão distribuídas aos membros do Tribunal,
§ 2º - Os casos que não puderem ser pelo menos 15 (quinze) dias antes da sessão
resolvidos por analogia serão encaminhados em que será discutida e votada.
pelo Presidente à decisão do Tribunal. § 4º - A emenda deverá ser aprovada pela
Art. 126 - O Tribunal usará o " Diário do maioria absoluta dos Juízes do Tribunal.
Judiciário" ( " Minas Gerais"), órgão oficial Art. 128 - O Tribunal poderá publicar revista
dos poderes do Estado, para divulgação de ou boletim eleitoral, que divulgará seus
decisões, intimações, provimentos, atos, acórdãos, resoluções, doutrinas, pareceres e
portarias e notícias de interesse eleitoral, demais atos, bem como qualquer matéria de
podendo ter o seu próprio veículo de difusão. interesse eleitoral.
Art. 129 - O prazo para cumprimento de Art. 131 - Este Regimento entra em vigor na
diligência ordenada pelo Tribunal, ou por data de sua publicação, revogadas as
qualquer de seus membros, se outro não for disposições em contrário.
fixado, será de 30 (trinta) dias, prorrogáveis
por 20 (vinte) dias, ressalvado o disposto no Sala das Sessões, em 30 de junho de 1997.

art. 119 deste Regimento, a critério da Corte


Des. Gudesteu Biber, Presidente - Des.
ou do Relator. Findo o prazo e não cumprida
Edelberto Santiago, Vice - Presidente - Juiz
a diligência pela parte interessada, o pedido
Paulo Cézar Dias - Juiz Sidney Affonso -
será considerado indeferido.
Juíza Célia Barroso - Juiz Hermes Guerrero -
Art. 130 - É vedada, no recinto do Tribunal, Estive presente: Dr. João Batista de Oliveira
qualquer manifestação de agrado ou Filho, Procurador Regional Eleitoral.
desagrado.

Похожие интересы