Вы находитесь на странице: 1из 34

Porquê Veículos Eléctricos?

Jorge Esteves José Maia


Instituto Superior Técnico Escola Superior de Tecnologia,
DEEC / Centro de Automática da UTL Instituto Politécnico de Setúbal
estevesj@alfa.ist.utl.pt Centro de Automática da UTL
jmaia@est.ips.pt
Domésticos e Agricultura e Consumo
Serviços Pescas Processos Doméstico e de
22% Industriais Serviços Natureza
5%
8% 8% 5% Outros
4%
Transportes
Rodoviários
21%

Produção de
Energia Eléctrica
Transportes (Termoeléctricas)
Indústria 37% 26%
36%
Combustão
Industrial
28%

Consumo de energia final por Emissão de CO2 por


sector de actividade em sector de actividade em
Portugal (1995) Portugal (1994)
(DGE - Balanços energétiticos)
cos)
Consumo de energia final por sectores
(DGE - Balanços energéticos)
Petróleo
71%

Outros
Hídrica Carvão
6%
4% 19%

Consumo de energia primária em 1995


(DGE - Balanços energéticos)
Cenário do “IEA World Energy Outlook”
para 1995-2000
„ 65% de aumento da energia total consumida
„ Crescimento com um ritmo de 2,3% por ano para a energia
consumida pelo sector dos transportes
„ Um valor de 29% do total da energia final consumida pelos
transportes contra 26% em 1995

Ao nível Europeu nos próximos 20 anos


„ Prevê-se um crescimento continuado do sector dos transportes
(40%)
Consequências
„ diminuição da qualidade de vida nas grandes cidades
„ aumento do tempo das deslocações
„ estacionamento anárquico
„ aumento da poluição local (CO, partículas)
„ aumento da poluição global (CO2, NOx, SOx), responsável
pelo efeito de estufa, chuvas ácidas e outras alterações
climáticas
z os ciclones no mundo aumentaram de 20-30/ano em
1840 para os actuais 100/ano
z dos gases que contribuem para o efeito de estufa, o
CO2 é o responsável por 85% do total
Análise e implementa
Análise ção de alternativas que minimizem
implementação
as consequências dram áticas desta evolu
dramáticas ção
evolução
Possíveis vias que permitirão reduzir a dimensão dessas
consequências:
„ A redução da utilização de soluções privadas a favor de
alternativas públicas de transporte
„ Procura de combustíveis alternativos
„ Viabilização de soluções de transporte com índices de
poluição nulos (ou quase-nulos)

Os sistemas de transporte que incluem


soluções de propulsão eléctrica são uma
boa resposta nessas frentes
Soluções de transporte com
Soluções
propulsão el éctrica
eléctrica
„ Como complemento à solução pública de transportes, a
utilização de veículos eléctricos rodoviários (mesmo que
individuais) em percursos no interior dos espaços urbanos
corresponde a uma solução coerente, integrada numa
planificação da utilização de diferentes modos de transporte

„ O veículo eléctrico rodoviário pode contribuir para uma política


sustentável de transportes e mobilidade
Veículos El
Veículos éctricos Rodovi
Eléctricos ários e Energias Renov
Rodoviários áveis
Renováveis

Utopia?
Veículos rodovi
Veículos ários com propulsão el
rodoviários éctrica:
eléctrica:

• veículos eléctricos alimentados a partir de baterias


Bateria Actuador Transmissão
eléctrico Rodas

• veículos com sistemas híbridos


Motor de
combustão Transmissão
interna
Transmissão Rodas

Bateria Actuador Transmissão


eléctrico

• sistemas baseados em pilhas de combustível


Pilha de Actuador Transmissão
eléctrico Rodas
combustível

• outros
Sistema de propulsão para
ve ículos el
veículos éctricos
eléctricos
Independente do tipo, apresentam em comum um sistema de propulsão eléctrica
constituído por:

Accionamento eléctrico utilizado em veículos comercializados:


– conversor cc/cc alimentando máquina de corrente contínua (com colector e escovas),
–ondulador trifásico alimentando máquina síncrona com magnetos permanentes
–ondulador trifásico alimentando máquina assíncrona
Vantagens da propulsão eléctrica
eléctrica
Não necessita de caixa de velocidades –> condução mais cómoda em cidade

Características de accionamento de um veículo com propulsão eléctrica e de


um veículo com motor de combustão interna e caixa de velocidades
Vantagens da propulsão eléctrica (2)(2)
eléctrica
Condução agradável e circulação bastante silenciosa

Capacidade de realizar uma travagem regenerativa de energia

Possibilidade de eliminar alguns órgãos mecânicos usuais na transmissão dos


veículos automóveis convencionais, contribuindo para uma redução do peso,
melhor eficiência e fiabilidade de todo o sistema
Veículos El
Veículos éctricos com Baterias
Eléctricos

Os primeiros veículos
automóveis com propulsão
eléctrica foram concebidos
no início do século.

Veículo eléctrico Lohner-Porsche

com motores nos eixos das rodas


Veículos El
Veículos éctricos com Baterias (2)
Eléctricos
Na solução corrente, o veículo é alimentado a partir de baterias
electroquímicas, que são recarregadas a partir da rede de distribuição
eléctrica.

Veículos que efectivamente são de emissão-nula no local da sua


circulação.

Do ponto de vista global, o nível de emissões depende do modo


como a energia eléctrica está a ser produzida. Portugal corresponde
a um caso de utilização favorável.

A tecnologia de baterias disponível limita a autonomia destes veículos


Baterias para Veículos El
Veículos éctricos
Eléctricos
Diversas tecnologias de baterias em evolução constante

Chumbo-ácido Níquel-cádmio Níquel-hidreto Iões de Lítio Lítio-metal- Sódio-Cloreto


metálico polímero de níquel
Tipo de tecnologia Pb/ac Ni/Cd NiHM Li-Ion Li/p Na/NiCl2 Objectivos
USABC
Energia específica (Wh/kg) 35-40 55 70 125 155 80 200
Potência específica (W/kg) 80 120 200 260 315 145 400
Densidade de energia (Wh/L) 0 90 90 200 165 130 300
Vida útil (nº ciclos de carga) 300 1000 600 +600 +600 600 1000
Tempo de carga (horas) 6-8 6-8 6 4-6 4-6 4-6 3-6
Autonomia (km) 75 100 150 200 250 200 250
Preço de custo (USD / kWh) 120 500 700 - - - <100
Fonte: EVS 17 Official Magazine, Outubro de 2000
Veículos El
Veículos éctricos com Baterias em Portugal
Eléctricos
Comercializados (conhecidos) em Portugal

Citroen Berlingo Eléctrico Citroen Saxo Eléctrico Fiat Seiscento Electtra

Piaggio Porter Eléctrico Tasso Fabrigimno Lamborgini Futi 5

Atala Lepton Peugeot Zap Peugeot Citybug Zappy


Veículos El
Veículos éctricos com Baterias em Portugal (2)
Eléctricos (2)

A experiência da distribuição postal no centro histórico de Évora

Para além da experiência dos CTT Correios de Portugal, existem já diversos


veículos em utilização em Portugal: Eco-equip, CTT, CM Lisboa, CM Porto,
LIPOR, EDP, EMEL, CM Viana de Castelo, CM Évora, CM. Beja. Os veículos em
utilização são automóveis, quadriciclos, triciclos, “scooters”, bicicletas assistidas
electricamente e trotinetes eléctricas
Veículos H
Veículos íbridos
Híbridos
Uma solução de elevado potencial passa pela utilização de sistemas híbridos que
combinam um motor de combustão interna (ou outro) com o sistema de
accionamento eléctrico.

Desenho de um veículo híbrido-eléctrico Volvo ECC – híbrido-eléctrico série


patenteado em 1905 com turbina a gás

Um veículo híbrido rodoviário é um veículo cuja energia para a propulsão pode ser
obtida a partir de duas ou mais diferentes formas ou tipos de sistemas de
acumulação, fontes ou conversores de energia. Pelo menos um dos sistemas de
acumulação ou conversão terá que estar colocado a bordo do veículo.
Veículos H
Veículos íbrido-Eléctrico
Híbrido-Eléctrico

Um veiculo híbrido-eléctrico (“HEV-Hybrid Electric Vehicle”) é um


veiculo híbrido em que, pelo menos, um dos sistemas de
acumulação ou conversão pode fornecer energia eléctrica.

„ Travagem regenerativa
„ Melhor aproveitamento do motor de combustão
„ Hipótese de funcionamento apenas com o motor eléctrico
nos circuitos urbanos
Veículos H
Veículos íbrido-Eléctrico Paralelo
Híbrido-Eléctrico

Comercializados (conhecidos) em Portugal

Fiat Multipla - híbrido paralelo

Toyota New Prius


Veículos Híbrido-Eléctrico Paralelo (2)
Diferentes modos de funcionamento

Arranque e marcha lenta: Marcha normal: propulsão com Marcha com potência máxima:
propulsão eléctrica pura. energia fornecida pelo depósito a potência fornecida à rodas é
de gasolina, parte da potência fornecida conjuntamente pelo
é entregue pelo motor a motor a gasolina e pelo motor
gasolina directamente às eléctrico; o motor eléctrico vai
rodas;, a restante é fornecida buscar a energia às baterias.
pelo gerador ao motor eléctrico
e deste para as rodas.
Veículos Híbrido-Eléctrico Paralelo (3)
Diferentes modos de funcionamento (2)
Recarga da bateria: o motor de
gasolina continua a rodar com
o veículo parado; durante a
marcha, o motor de gasolina
desenvolve um pouco mais de
potência, de modo a fornecer a
energia necessária à bateria.

Redução de velocidade/ travagem: Veículo parado: o motor de


as rodas accionam o motor eléctrico gasolina é automaticamente
(que passa a funcionar como parado (excepções: o sistema
gerador); a energia eléctrica gerada de climatização está em
é armazenada na bateria funcionamento ou a bateria tem
que ser recarregada)
Veículos H
Veículos íbrido-Eléctrico SSérie
Híbrido-Eléctrico érie

Autocarro híbrido série: 12,2 m; Nova Iorque

Resultados de ensaios em laboratório do


sistema
Motor assíncrono
e caixa redutora compacta
Projectos comunit ários com
comunitários
Veículos H
Veículos íbrido-Eléctrico em Portugal
Híbrido-Eléctrico
Projecto Sagittaire

Projecto Desenvolvimento de um autocarro com pilhas de combustível


Associa ção Portuguesa do Ve
Associação ículo El
Veículo éctrico
Eléctrico
Com o intuito de divulgar e promover a utilização do veículo
eléctrico rodoviário em Portugal, foi criada (em Julho de 1999) a

APVE - Associação Portuguesa do Veículo Eléctrico

Esta Associação visa promover as potencialidades do veículo eléctrico rodoviário


e fomentar acções nos domínios da informação, normalização, regulamentação,
incentivos, demonstração, investigação e desenvolvimento.

Conta, actualmente, com 66 Associados, dos quais metade são empresas e


instituições diversas e os restantes associados em nome individual.

Av. Rovisco Pais, 1 , 1049-001 LISBOA


Tel.: 21 841 76 71 Fax: 21 841 71 67
veiculo.electrico@apve.pt www.apve.pt
Veículos el
Veículos éctricos em Portugal
eléctricos
Por onde ir?

„ Projectos de divulgação e de demonstração, que evidenciem a


viabilidade da solução da propulsão eléctrica e permitam
concluir das suas vantagens e desvantagens
„ Medidas concretas de incentivo à aquisição e à utilização
„ Planificação das estruturas de apoio (de recarga e de
manutenção)
„ Desenvolvimento da intervenção industrial nacional
Alguns aspectos relativos à introdu ção dos
introdução
ve ículos el
veículos éctricos rodovi
eléctricos ários
rodoviários
„Oportunidade para uma menor dependência do petróleo e para uma diversificação
energética nacional;
„Oportunidade para discutir e re-equacionar todas as questões dos transportes e da
mobilidade urbana;
„Oportunidadede negócio para os fornecedores de energia eléctrica (este
consumo poderá ser deslocado parcialmente para as horas de vazio);
„As opções do modo de produção de energia eléctrica definem a dimensão da
redução relativa do consumo de combustíveis fósseis; torna possível a introdução
das energias renováveis nos sector dos transportes;
„Existem vantagens claras relativamente à poluição local nas cidades; não se
deverá, no entanto, esquecer que o balanço geral não é tão positivo (contabilização
da poluição relativa à produção da energia eléctrica nas centrais de energia
eléctrica);
Associa ção Portuguesa do Ve
Associação ículo El
Veículo éctrico
Eléctrico

Com o intuito de divulgar e promover a utilização do veículo


eléctrico em Portugal, foi criada (em Julho de 1999) a

APVE - Associação Portuguesa do Veículo Eléctrico

Esta Associação visa promover as potencialidades do veículo eléctrico rodoviário


e fomentar acções nos domínios da informação, normalização, regulamentação,
incentivos, demonstração, investigação e desenvolvimento.
Associação Portuguesa do Veículo Eléctrico (2)

AMERLIS - Agência Municipal de Energia de Lisboa ISEC - Instituto Superior de Engenharia de Coimbra
AMES - Agência Municipal de Energia de Sintra ISEL - Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
Automóveis Citroën, SA ISEP - Instituto Superior de Engenharia do Porto
Automóvel Club de Portugal IST - Instituto Superior Técnico
Companhia Carris de Ferro de Lisboa, S. A. IT - Instituto de Telecomunicações
CTT Correios de Portugal, S.A. J.F. de Oliveira Import-Export, Lda
Direcção Geral de Energia Logistema, Consultores de Logística, S.A.
Eco-Equip MotorConsult, Engenharia, Gestão e Informática Lda.
EDP - Electricidade de Portugal, S. A. Perform Energia, Lda.
Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Algarve Piaggio (Portugal) - Comercialização de Veículos; Lda.
Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Siemens, S. A.
Fiat Auto Portuguesa, S. A. Tecnirolo, Lda.
Futi, Lda. Universidade da Beira Interior
Geco, Lda. Urbénia – Veículos e Tecnologias para o Sec. XXI, Lda.
Green Point Line Lda. Zero Air Pollution, Veículos Eléctricos, Lda.
INETI - Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial
IPQ- Instituto Português da Qualidade
Associação Portuguesa do Veículo Eléctrico (3)

António Eusébio Velho Roque Joaquim José Borges Gouveia


Carlos Manuel do Amaral Alegria Jorge Manuel Garcia Esteves
Carlos Manuel Pereira Cabrita José Américo Baptista de Sousa
Carlos Manuel Ramires Peralta José Carlos Lourenço Quadrado
Carlos Miguel Flôxo Contente de Sousa José Luís Carrilho Sequeira
Dante Mamede José Ricardo Félix
Eduardo Osvaldo da Silva Louro Correia Luís Manuel dos Santos Dias
Floriberto Amorim Azevedo Lima Margarida Lourenço Simões de Sousa
Francisco Alberto Sena da Silva Nuno Ricardo Graça Leal Serra
Francisco Manuel P. Teixeira Paulo José Gameiro Pereirinha
João Carlos Ferraz Mendes Paulo Ricardo Duarte Coelho
João Miguel do Carmo Fialho Pedro Alexandre da Cunha Ferreira Teixeira
João Paulo Alves Diz Pereira Calau Ricardo Jorge Gomes Félix
João Pereira Bastos Sérgio Manuel Duarte Costa
Joaquim da Silva Jorge
Actividade

„Adesão como Secção Portuguesa da AVERE – Associação Europeia dos Veículso Eléctricos Rodoviários e
participação no seu órgão directivo;
„Criação da Comissão Técnica de Normalização “CT146 – Veículos de Propulsão Eléctrica Rodoviários”; representação
de Portugal no CEN neste domínio; reunião do TC301 “Electrically propelled road vehicles”, do CEN, em Lisboa, de 26
a 28 de Junho de 2000; tradução para Língua Portuguesa de todas as normas aprovadas no TC301;
„Protocolo para o 4º Trimestre de 1999 e Protocolo para o ano 2000 com a DGTT e com a AMERLIS, para a promoção
dos veículos de propulsão alternativa nas suas esferas de competências;
„Para além da DGTT, contactos com a DGV, DGE e Secretaria de Estado do Ambiente;

„Criação e manutenção de uma página na Internet: www.apve.pt

„Publicação de três números do Boletim VEInformação, em papel e em formato electrónico


„Publicação do relatório “A Experiência de Projectos e Programas de Veículos Eléctricos Um Estudo sobre a Europa,
os EUA e o Japão– Partes I e II”, tradução para Língua Portuguesa do relatório publicado pela KFB “Agência Sueca de
Investigação em Transportes e Comunicações” (publicado em papel e formato electrónico), assumindo-se como editor
de publicações relativas aos VE;
„Participação em quatro propostas de projectos europeus de demonstração, a serem financiados pela UE;
„Intervenção na reunião do Projecto “Thermie Sagitarius”, Sintra, 15 de Setembro de 1999
„Sessão Pública sobre “Veículos Eléctricos e Política Concertada de Transportes” no Instituto Superior Técnico, dia 8
de Outubro de 1999;
Actividade (2)(2)

„Moderação da sessão de debate “Soluções alternativas de propulsão”, 1° Congresso Nacional do Automóvel,


organizado pela ARAN – Associação do Ramo Automóvel Nacional, Espinho, Novembro de 1999;
„Stand na “Autarcar – Salão de Equipamento Rodoviário Autárquico”; Dezembro de 1999, Exponor;
„Seminários “Os Veículos eléctricos em Portuga” no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa e nas Escolas
Superiores de Tecnologia de Leiria, Setúbal e Guarda;
„Proposta do evento “Alternativas para a Mobilidade Urbana – Debate e Sessão de Experimentação”, organizado em
conjunto com a Câmara Municipal do Porto, Sociedade de Transportes Colectivos do Porto e Direcção-Geral de
Transportes Terrestres, nos dias 14 e 15 de Abril de 2000 no Porto,;
„Sessão Pública sobre “Normalização Europeia e Veículos Eléctricos”, dia 27 de Junho de 2000; INETI, Lisboa;
„Participação activa nas sete cidades portuguesas no “Dia Europeu na Cidade sem o meu Carro!”, 22 de Setembro de
2000;
„Moderação de uma sessão da maior Conferência Internacional sobre VE, o EVS’17, que se realizará de 15 a 18 de
Outubro de 2000, Montreal, Canadá
„Participação activa na Conferência Internacional da UIE, que se realizará de 1 a 4 de Novembro de 2000, na FIL
„Organização conjunta com o Centro de Conservação da Energia do Seminário Internacional sobre Veículos Eléctricos,
que se realizará em Lisboa a 13 de Novembro de 2000
„Participação na Comissão Internacional de Selecção do EVS’18, que se realizará em Outubro de 2001, Berlim,
Alemanha;